terça-feira, 2 de setembro de 2014

PETISTAS QUEREM, AGORA, DE UM LADO, COLAR EM MARINA A PECHA DE "EVANGÉLICA ANTIGAY" E, DE OUTRO, DAR BENEFÍCIOS FISCAIS A....IGREJAS EVANGÉLICAS. É O DESESPERO!

Os petistas estão de tal sorte desorientados com Marina Silva que começam a bater cabeça e a tomar atitudes desencontradas. Não sabem mais o que fazer. A turma se prepara agora para tomar duas iniciativas: uma mais ligada ao âmbito da campanha e outra à do governo propriamente.

Como se viu e se comentou aqui, Marina Silva pediu uma correção do programa divulgado no capítulo que diz respeito aos direitos dos homossexuais, que a linguagem “militantemente correta” chama “GLBT”. A primeira versão falava em apoiar o casamento gay, o PLC 122, que criminaliza a homofobia, e uma outra proposta aloprada, dos deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ) e Érika Kokay (PT-DF), que transforma o, digamos, sexo civil numa questão de opinião. Na prática, se o Jurandir, de pênis, barba e pelo no peito, disser que é mulher e se chama Kelley, o poder público tem de aceitar. E se ele decidir ser Jurandir de novo? Aí destroca. Com a autorização dos pais, até um menor de idade poderá escolher livremente a sua “identidade sexual”. É coisa de hospício.
Na nova versão, fala-se em dar consequência legal à igualdade da união civil entre homo e heterossexuais e ponto. E o resto que fique — como deve ser, aliás — para o Congresso. Luciana Genro, do PSOL, decidiu no debate de ontem pegar no pé de Marina com essa história, atribuindo a alteração do programa à religião da candidata do PSB, que é evangélica. Com adversários assim, só resta à ex-senadora erguer as mãos para o céu.
Tais causas estão longe de ser exatamente populares. De resto, o programa de Marina, reitere-se, contempla o apoio à chamada “comunidade GLTB”, abstendo-se apenas do proselitismo. Se existem defeitos na sua proposta — e os há, às pencas — não é esse. O tal PLC 122, por exemplo, é, sim, autoritário. Mas o PT sentiu que dá para fazer uma onda, contando com o apoio de um grupo muito organizado, que agora vai tentar ligar Marina à homofobia. É desespero de causa. Há quatro anos, fez-se o mesmo com o tucano José Serra. Os petistas insistem em fazer a história voltar para trás. Não sei, não… Tendo a achar que isso mais rende votos a Marina do que tira.
De um lado, então, o PT vai tentar colar em Marina a pecha de evangélica atrasada e inimiga dos gays. De outro, informa a Folha, “o governo elabora um conjunto de ações com medidas que incluem o atendimento a uma das principais bandeiras evangélicas no Congresso: o apoio à Lei Geral das Religiões”. Em que consiste?
O governo pretende “desengavetar um projeto, proposto em 2009 e há mais de um ano parado em uma comissão do Senado, para conceder diversos benefícios a instituições religiosas, entre eles tributários”. Isso faria parte de um “pacote anti-Marina”.
Deixem-me ver se entendi direito: o conjunto, então, das ações contra a candidata do PSB prevê demonizá-la como evangélica radical e antigay e, ao mesmo tempo, acenar a essa corrente religiosa com benefícios tributários. Sabem o nome disso? Desespero.
Em 2010, o PT, com o auxílio de amplos setores da imprensa, fez uma lambança danada para colar em Serra a pecha de adversário dos gays, o que era, para dizer pouco, uma canalhice quando se considera o seu trabalho como ministro da Saúde e como governador. Sem saída, os petistas insistem nessa tecla, roubando até o discurso de Luciana Genro… Longe das câmeras, suponho que Marina Silva gargalhe de vez em quando. Se acontecer, ela gargalha é do PT. Por Reinaldo Azevedo

TRE BARRA CANDIDATURA DE LUIZ MOURA, O DEPUTADO PETISTA INVESTIGADO POR LIGAÇÃO COM O PCC

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) barrou na segunda-feira a candidatura do deputado estadual Luiz Moura (PT), investigado pelo Ministério Público por ligação com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). No auge de uma greve-surpresa de motoristas e cobradores de ônibus que travou São Paulo em junho, veio a público a informação de que Luiz Moura havia sido flagrado por policiais em uma reunião com sindicalistas na garagem de uma cooperativa na qual também estavam dezoito membros do PCC. Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) apuravam os ataques incendiários a ônibus na cidade.

Em agosto, o Diretório Estadual do PT aprovou a expulsão de Moura, mas a decisão partidária foi suspensa porque o parlamentar recorreu ao Diretório Nacional, que ainda não emitiu parecer sobre o caso.
Na segunda-feira, o plenário do TRE-SP indeferiu por unanimidade – 5 votos a 0 – o registro de candidatura do deputado estadual, que acompanhou o julgamento na plateia. A Justiça constatou inconsistências na documentação apresentada por Moura, como diferenças entre a assinatura no RG dele e a que consta na declaração de bens, documento do qual Moura omitiu a posse de um posto de gasolina avaliado em 300.000 reais, conforme o site de VEJA revelou. A procuradoria eleitoral também contestou o fato de o deputado não ter sido escolhido na convenção do partido para concorrer a um segundo mandato. À época do encontro, em junho, Moura estava suspenso por sessenta dias e por isso não participou da convenção estadual.
No entendimento da desembargadora Diva Malerbi, o principal motivo que sustentou a impugnação é o fato de o deputado não ter participado da convenção do diretório paulista, que lançou as candidaturas dos candidatos ao Executivo e Legislativo em São Paulo. Ela ainda lembrou que na convenção foi homologada a candidatura de Iduigues Martins, que concorre a uma vaga na Assembleia Legislativa com o mesmo número usado por Moura. “A jurisprudência do TSE vai no sentido que a escolha por convenção partidária é um quesito indispensável ao deferimento da candidatura”, disse a juíza eleitoral.
Além disso, ela declarou em seu voto que o deputado não entregou toda documentação necessária para o TRE e que é impossível alguém se candidatar sem partido, uma vez que o deputado foi expulso do diretório paulista do PT. Os outros quatro desembargadores seguiram o seu voto e decidiram pela impugnação.
O advogado de Luiz Moura, João de Oliveira, disse que a decisão do TRE foi “equivocada” e que vai apelar na Justiça Comum para reverter o indeferimento. “Claramente o TRE não acatou a decisão da Justiça comum”, disse o advogado, referindo-se à liminar concedida no TJ que reconhecia os efeitos da convenção com a condição de que Moura pudesse concorrer nas eleições deste ano.
Logo após a decisão, o parlamentar retirou-se rapidamente do tribunal e disse que se sentiu injustiçado pelo PT, que o suspendeu e entregou o seu número – 13.800 – para outro candidato a deputado estadual, Iduigues Martins. O advogado de Moura disse que vai recorrer da decisão na Justiça comum para tentar manter sua candidatura à reeleição na Assembleia Legislativa.

RÚSSIA ANUNCIA CONSTRUÇÃO DE GASODUTO ATÉ A CHINA

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou nesta segunda-feira o início da construção de um gasoduto que permitirá, pela primeira vez, exportar gás russo para a China. Chamado "Força Siberiana", o gasoduto terá 3.968 quilômetros, do oeste da Sibéria até o extremo oriente, e uma capacidade prevista de 61 bilhões de metros cúbicos. A construção do empreendimento e da infraestrutura adjacente custará cerca de 55 bilhões de dólares e permitirá que a Rússia cumpra o acordo assinado com Pequim em maio para o fornecimento de gás ao país. A economia russa depende, em grande parte, da renda obtida com a venda de hidrocarbonetos. "Hoje lançamos o maior projeto de construção do mundo", disse Putin na cerimônia de inauguração do gasoduto nas proximidades da cidade siberiana de Yakutsk. O contrato entre ambos países tem validade de 30 anos, com entregas de 38 bilhões de metros cúbicos por ano a partir de 2018 e por um valor estimado de 400 bilhões de dólares neste período. A Gazprom, operadora russa de gás, quer ampliar sua presença na Ásia graças a este gasoduto e à construção de uma fábrica de gás liquefeito na cidade de Vladivostok. Segundo Valeri Nesterov, analista do Sberbank CIB, o novo gasoduto "permitirá estabilizar a situação financeira da Gazprom, ameaçada pelo aumento da concorrência e, em consequência disso, pela queda de preços".

FALA DE AGRIPINO MAIA CAUSA MAL-ESTAR NA CAMPANHA DE AÉCIO NEVES

A declaração do senador José Agripino Maia (DEM), coordenador da campanha de Aécio Neves (PSDB), sinalizando uma aliança com Marina Silva (PSB) no segundo turno para derrotar a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT), causou mal-estar na já combalida campanha tucana e irritou alguns dirigentes do partido. Internamente, a fala do senador, que é presidente do DEM, foi interpretada como um recado para lideranças do seu partido que quiserem "jogar a toalha" nos Estados e buscar outros arranjos regionais. Questionado sobre a fala do senador, Aécio Neves disse que desconhecia a afirmação: "Eu não conheço essa declaração", afirmou o tucano. "Nós temos uma proposta para o Brasil. Por ser a melhor para o Brasil, estou plenamente confiante de que será a vitoriosa. Buscaremos o apoio da sociedade brasileira também num segundo turno. Não tenho dúvidas de que no momento de reflexão maior, da decisão do voto, vai prevalecer a nossa dentre aquelas alternativas que se colocam como mudança. Irá prevalecer aquela que é capaz de transformar esse sentimento de mudança em algo real. E melhor para a vida dos brasileiros", disse. "Temos um quadro em mutação na campanha. Da mesma forma que eu estava em segundo lugar em todas essas pesquisas lá atrás, e ninguém me perguntou se eu já me considerava no segundo turno, eu quero dizer que continuo absolutamente confiante".

CURITIBA É A CAPITAL COM MAIS FAMÍLIAS ENDIVIDADAS NO BRASIL

Curitiba foi a capital brasileira que registrou o maior nível de famílias endividadas em 2013, com um índice de 87%, segundo levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Em seguida, aparecem no ranking as cidades de Florianópolis (86%), Brasília (84%), Belém (78%) e Palmas (78%). O comprometimento da renda dos brasileiros com dívidas é evidente, também, nos dados sobre as cidades com menor nível de endividamento. As cinco capitais com os menores níveis têm, pelo menos, metade de suas famílias com algum tipo de dívida. Entre elas estão Porto Alegre (60%), Cuiabá (60%), São Paulo e Belo Horizonte, ambas com 53%, e Goiânia (46%). No geral, a fatia de famílias endividadas no Brasil acelerou para 63% no ano passado, ante 59% em 2012. No período, houve acréscimo de 770 mil famílias com algum tipo de crédito ou financiamento. O valor mensal das dívidas aumentou 8%, de 14,9 bilhões de reais para 16,1 bilhões de reais. Apesar disso, a parcela mensal das dívidas por família brasileira recuou 1,5%, ao passar de 1.869,00  reais para 1,840,00 reais. De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, essa queda contribuiu diretamente para manter o comprometimento da renda em 30%, nível considerado "razoavelmente adequado" para não sinalizar um eventual risco de estouro da inadimplência.

KPMG SE RECUSA A APROVAR AS CONTAS DO BANCO ESPÍRITO SANTO

A empresa de consultoria KPMG se recusou a aprovar o relatório e as contas do primeiro semestre do Banco Espírito Santo (BES), publicados nesta segunda-feira. Segundo ela, o maior banco de Portugal não forneceu informações adequadas sobre sua posição financeira e pode ter prejuízos adicionais. O BES teve um prejuízo de quase 3,6 bilhões de euros (10,54 bilhões de reais), muito impactado pela derrocada do império corporativo da família Espírito Santo. As perdas levaram o banco central português a anunciar no início de agosto um plano de resgate de 4,9 bilhões de euros (14,35 bilhões de reais) para o BES. Segundo a auditoria, as demonstrações financeiras do banco não continham ajustes e informações adicionais exigidas no plano de resgate. Assim, concluiu que o relatório não fornece informações adequadas sobre as operações e posição financeira da instituição. A nova administração do BES, instalada pelo banco central português em julho, suspeita de operações ilegais no banco. A autoridade monetária ordenou uma auditoria forense na instituição. A KPMG disse que as provisões feitas pelo banco para lidar com a dívida do grupo Espírito Santo vendida a seus clientes de varejo podem não ser suficientes e que a instituição poderá fazer mais contingências (reservas) que até agora não foram especificadas.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

DIVIDIDO, PMDB JÁ AVALIA APOIO A EVENTUAL GOVERNO MARINA SILVA

As chances efetivas de vitória de Marina Silva na eleição presidencial já levam a ala do PMDB que apóia a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) a dar como certa a adesão da legenda a um eventual governo dela. A avaliação desse grupo é a de que as chances de recuperação do tucano são difíceis e a perspectiva de poder hoje está com Marina. Isso faz com que a histórica divisão do PMDB ganhe novos contornos. Se antes da campanha o debate era levar ou não o partido a apoiar a reeleição de Dilma Rousseff, agora ele começa a se dar entre compor ou não com Marina Silva e o momento em que essa sinalização deve ser feita. A cúpula peemedebista, responsável pelo apoio pró-Dilma e que tem em Michel Temer, Renan Calheiros e José Sarney seus expoentes, quer colocar a máquina do partido para derrotar Marina no segundo turno. Em caso de vitória da candidata do PSB, esse grupo fala em dar os tradicionais 100 primeiros dias de trégua ao seu governo para, nesse período, aguardar os sinais da ex-ministra. Prevê, porém, uma relação hostil. Justamente por onde a outra ala planeja crescer. Geddel Vieira Lima, candidato ao Senado pela Bahia, tem interesse em liderar esse movimento. Os aecistas do PMDB, em processo de transfiguração para neomarineiros, querem começar a emitir os sinais da adesão ao fechar das urnas do primeiro turno. Estão espalhados por Estados como Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, prontos para deflagrar esse processo. "Marina já sinalizou que abrirá o diálogo com os políticos. Temos plenas condições de dar sustentabilidade e governabilidade a ela", disse o vice-líder da bancada da Câmara, Danilo Forte (CE). Até mesmo peemedebistas egressos de Estados que apóiam Dilma avaliam que o PMDB estará com Marina Silva se ela vencer. "O PMDB é um partido pragmático. Não teria problemas em se reposicionar e integrar a base de Marina", disse Saraiva Felipe (MG), ex-ministro da Saúde do governo Lula. Além de derrotar Dilma, essa ala do PMDB pretende aproveitar o embalo para contestar Temer no comando da sigla. Afinal, é ele o maior avalista do acordo com o PT. Assim, a eleição de Marina Silva resultaria em um reposicionamento interno de forças políticas na legenda. Jarbas Vasconcelos (PE) e Pedro Simon (RS) seriam os interlocutores naturais, uma vez que próximos a Marina Silva. Mas o problema é que eles não têm força interna para, sozinhos, conduzirem o partido rumo a ela. Uma aposta é que os governadores eleitos pelo partido possam fazer essa intermediação, uma vez que há uma dependência financeira grande dos Estados em relação à União, o que torna a aproximação necessária. Nomes como os senadores Eduardo Braga (AM) e Eunício Oliveira (CE) e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), que lideram as pesquisas eleitorais em seus Estados, são algumas opções. Entretanto, por motivos óbvios, a relação também terá necessariamente de passar pelo Congresso Nacional, onde o cenário hoje colocado para comandar as duas Casas é de dois peemedebistas conhecidos por jogar duro com o Palácio do Planalto: o senador Renan Calheiros (AL) e o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ). Uma vez eleitos, o jogo terá de passar por eles.

DIREÇÃO DO GRÊMIO SUSPENDE A TORCIDA GERAL

O Conselho de Administração do Grêmio divulgou nota na tarde desta segunda-feira na qual suspende por tempo indeterminado a torcida Geral de qualquer atividade relativa ao clube. Em quatro itens, o texto cita ainda que os cânticos entoados na partida de domingo, contra o Bahia, tiveram "claramente o objetivo de prejudicar" a agremiação. Na prática, a medida é uma resposta do clube aos cânticos racistas entoados por integrantes da Geral nos últimos jogos. A torcida será impedida de ingressar na Arena com qualquer identificação, ou elemento que faça referência à organizada. A Geral também será proibida de utilizar marcas de propriedade intelectual do clube. Caso a torcida comercialize produtos ligados ao Grêmio, poderá ser acionada por pirataria. O comunicado ainda observa que torcedores podem ser desligados do quadro social, caso sejam identificados como responsáveis pelos atos de racismo que ocorreram nos últimos jogos.

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO REJEITA CANDIDATURA DO PETISTA AMIGO DO PCC

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo indeferiu na tarde desta segunda-feira, 1, a candidatura à reeleição do deputado estadual Luiz Moura, do PT, suspeito de envolvimento com integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). O TRE-SP determinou também que o nome de Moura não conste na urna eletrônica, uma vez que sua candidatura não foi homologada em convenção partidária e o número de registro solicitado por ele à Justiça Eleitoral já estar sendo usado por outro candidato.

BERZOINI NÃO QUER A VOTAÇÃO DO DECRETO BOLIVARIANO DE DILMA

Em linha com a tese do governo de que eleições não representam o momento de votações polêmicas no Congresso, o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, afirmou que "não é conveniente" colocar em votação o decreto que regulamenta os conselhos de participação social. Assinado pela presidente Dilma Rousseff, o texto cria o Sistema Nacional de Participação Popular. Para Berzoini, os parlamentares deveriam votar projetos que tenham consenso. "Achamos que esse tema não é conveniente votar em pleno processo eleitoral", afirmou Berzoini. Para o ministro, "se se quer votar outras matérias, evidentemente que não se pode provocar impasse". E completou: "o impasse só interessa a quem quer obstruir a pauta da Câmara e do Senado". Mais cedo, o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS) já tinha dito que ia tentar convencer as demais lideranças a não colocar em votação o decreto que trata da participação social.

VÍTIMAS DO REGIME MILITAR QUEREM QUE A PETISTA DILMA DEMITA GENERAL

Deve chegar às mãos da presidente Dilma Rousseff, nos próximos dias, abaixo-assinado solicitando a demissão do comandante do Exército, general Enzo Peri. Endossado por entidades de defesa dos direitos humanos, ex-presos políticos e familiares de mortos e desaparecidos nos anos da ditadura, o documento afirma que o general afronta “os poderes da República, aos quais deve obediência”. Entre as entidades que já assinaram o pedido aparecem a Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, o Grupo Tortura Nunca Mais Rio de Janeiro e o Movimento Nacional de Direitos Humanos.
O abaixo-assinado foi motivado por um ofício que o general enviou aos quartéis, proibindo a colaboração com investigações sobre violências que teriam sido praticadas em dependências militares nos anos da ditadura. O ofício foi datado no dia 25 de fevereiro, mas só se tornou público dez dias atrás. A primeira reação contra a decisão do comandante militar partiu do Ministério Público Federal. Segundo um de seus representantes, a instituição vai pedir à Procuradoria Geral da República que ingresse na Justiça com uma representação contra o comandante, por entender que a medida é ilegal. No ofício enviado às unidades do Exército, o general informou que a restrição se impõe a pedidos feitos pelo “Poder Executivo, Ministério Público, Defensoria Pública e missivistas que tenham relação ao período de 1964 e 1985”.

AGÊNCIA OFICIALIZA REDUÇÃO DE VAZÃO DO RIO PARAÍBA DO SUL APÓS ACORDO

Duas semanas depois de São Paulo e Rio de Janeiro firmarem um pacto para assegurar o abastecimento de água para a população, a Agência Nacional de Águas (ANA) oficializou nesta segunda-feira, 1º, a redução de vazão da barragem de Santa Cecília, no Rio Paraíba do Sul. O volume de água da barragem, que estava em 165 mil litros por segundo desde 17 de julho, caiu para 160 mil litros por segundo. Houve uma antecipação do prazo. Quando o acordo foi oficializado no dia 18 de agosto, previa-se que a redução ocorreria a partir do próximo dia 10, por conta de obras necessárias para readequar o nível de tomada de água pelos municípios. A redução do volume de água, no entanto, passou a valer desde esta segunda e será mantida até o dia 30 de setembro. No fim deste mês, governos paulista e carioca devem se reunir com o governo federal para analisar a situação do abastecimento e necessidades de novos ajustes. A redução da barragem de Santa Cecília, segundo a ANA, tem o propósito de preservar os estoques de água disponíveis no reservatório da bacia do rio Paraíba do Sul. As medidas envolvem mananciais que abastecem 15 milhões de pessoas. Como parte do acordo, duas semanas atrás a vazão que a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) libera na usina hidrelétrica do Rio Jaguari, em São José dos Campos, para o Rio Paraíba, subiu de 10 mil para 43 mil litros por segundo. O volume superou os 30 mil litros que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) havia determinado no início do agosto. Outra medida tomada foi a redução da vazão do Rio Paraibuna, de 80 mil litros para 47 mil litros por segundo. A decisão representou uma derrota para o governo paulista, que pretendia fazer a transposição de água do Jaguari para a Represa Atibainha, do Sistema Cantareira. A obra, que iniciou a disputa pela água com o Rio, está prevista para o início de 2016, e ajudaria na recuperação do Cantareira.

BISPO SILAS MALAFAIA ELOGIA RECUO DE MARINA SILVA E DIZ QUE CASAMENTO GAY "É MUITO FORTE"

O pastor Silas Malafaia elogiou o recuo da candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, em relação ao seu programa de governo, que tinha como um dos pontos de destaque a defesa dos direitos dos homossexuais. "Ela fez muito bem", disse o líder evangélico. Logo após a primeira divulgação do programa presidencial do PSB, ainda na sexta-feira, 29, o pastor usou as redes sociais para condenar as propostas, que incluíam a defesa do casamento gay e da criminalização da homofobia. "Não tem como separar vida cristã de nossas atitudes no trabalho, política, família e etc. Ou agradamos a Deus ou agradamos o mundo, ESCOLHA!!!", escreveu o pastor em um recado direto à candidata. O líder evangélico cobrou de Marina Silva uma posição entre a política e sua fé cristã e disse que seu programa era pior do que o apresentado pelo PT e PSDB por apoiar "descaradamente" o casamento gay. "Aguardo até segunda uma posição de Marina. Se isso não acontecer, na terça será a mais dura fala que já dei até hoje sobre um presidenciável", ameaçou. Nesta segunda-feira, 1, Malafaia disse que a defesa do casamento gay é um termo "muito forte para uma sociedade cristã". O pastor negou que tenha sido procurado pela campanha do PSB e disse que não foi ele o responsável pelo recuo de Marina, mas "a maioria cristã" da sociedade brasileira. "Eles (da campanha de Marina) sentiram que a dose era muito forte. E tinham de ficar apavorados mesmo (com a repercussão negativa)", comentou. Para o pastor, as candidatos Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) foram mais comedidos em suas propostas para a comunidade LGBT para não afrontar as convicções da maioria da população. "Eles não são malucos. Se botar a cara para fora, o sarrafo vai comer", avisou.

45% DOS BRASILEIROS ADMITEM SOBREPESO, MAS SÓ 16% FAZEM DIETA

Quase metade dos brasileiros com mais de 16 anos admite que está acima do peso ideal, mas apenas 16% deles fazem algum tipo de dieta. A percepção dos hábitos alimentares nacionais foi medida pelo Conecta, plataforma online do Ibope, que entrevistou 1.100 internautas de todas as regiões e classes sociais do País, entre 6 e 13 de agosto. O resultado mostra ainda que uma parcela de 49,4% não faz exercício ou se movimenta menos de uma vez por semana. Com pequenas alterações nos índices, os dados confirmam os levantamentos mais recentes do Ministério da Saúde. De acordo com o órgão, a obesidade já atinge metade dos brasileiros. O que o Conecta revela agora é que o excesso de peso não é mais escondido, mas assumido por quem briga com a balança. Essa nova consciência explica porque 88,7% das pessoas reconhecem que devem mudar seus hábitos alimentares de forma radical ou moderada. A contradição, segundo a diretora executiva do Conecta, Laure Castelnau, está na pergunta relacionada à dieta. “A pesquisa mostra que as pessoas, especialmente acima dos 35 anos, sabem que precisam emagrecer, mas poucas tomam de fato uma atitude nesse sentido”, diz. Os que resolvem reduzir as porções ou iniciar a prática de exercícios são os mais ricos, da classe A.

ROBERTO CARLOS E ERASMO CARLOS VÃO PROCESSAR TIRIRICA

Os cantores e compositores Roberto Carlos e Erasmo Carlos decidiram processar o palhaço Tiririca, deputado federal pelo PR-SP e candidato à reeleição. Em sua propaganda eleitoral, Tiririca veiculou uma paródia da música O Portão, composta pela dupla. A letra original da música diz "Eu voltei, agora pra ficar, porque aqui, aqui é o meu lugar". Na propaganda, a letra é alterada para "Eu votei, de novo eu vou votar. Tiririca, Brasília é o seu lugar". O candidato aparece vestido de branco e repete a expressão "bicho", usada com frequência por Roberto Carlos. O candidato também aparece segurando um bife, referência à propaganda da marca de carnes Friboi estrelada por Roberto Carlos. Segundo José Diamantino Alvarez Abelenda, advogado da Sony Music, a petição inicial está sendo formulada por ele junto com representantes dos dois compositores. Será pedida indenização por uso da imagem e pelo uso da canção, além de indenização por danos morais pela conotação com que a música foi usada, com finalidade eleitoral. O valor da indenização não será sugerido - os autores pedirão que o juiz arbitre a quantia que julgar adequada, caso Tiririca seja condenado. A ação deve ser proposta até o final desta semana, segundo o advogado.

A PETISTA DILMA ROUSSEFF DIZ QUE AS PROMESSAS DE MARINA SILVA SOMAM R$ 140 BILHÕES

No debate entre os presidenciáveis realizado no SBT, a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), começou dizendo para a adversária do PSB, Marina Silva, que as promessas da ex-senadora somam R$ 140 bilhões. Dilma perguntou de onde sairia o dinheiro. Na resposta, Marina Silva disse que não eram promessas, mas compromissos que serão assumidos para que o Brasil volte a ter eficiência. E voltou a ser cobrada por Dilma: "A senhora falou e não respondeu de onde vem o dinheiro". E na tréplica, Marina Silva citou o ex-governador Eduardo Campos, vítima de acidente aéreo no dia 13 de agosto, dizendo que as pessoas não ficam preocupadas de onde vem o dinheiro, mas sim quando se diz que vai tirar recursos de áreas essenciais, como a educação. "Vamos fazer as escolhas corretas e não as escolhas erradas como agora", reiterou Marina Silva.

O PETISTA GILBERTO CARVALHO SE DIZ PREOCUPADO COM QUEDA DE AÉCIO NEVES

O ministro-chefe da Secretaria Geral de Presidência, Gilberto Carvalho, afirmou na tarde desta segunda-feira, 1, estar preocupado com a possibilidade de uma queda maior nas pesquisas do candidato do PSDB, Aécio Neves, atual terceiro colocado na corrida presidencial. Após reunião com representantes de movimentos sociais na Diocese de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Gilberto Carvalho afirmou que o esvaziamento do candidato tucano "empobrece o processo eleitoral". Apesar disso, Gilberto Carvalho afirmou estar convicto de que a presidente Dilma Rousseff, candidata pelo PT, vencerá a eleição. "Ele (Aécio Neves) representa um pólo da política. O esvaziamento de Aécio Neves quase antecipa o segundo turno para o primeiro", afirmou. Gilberto Carvalho criticou duramente a candidata do PSB, Marina Silva, de quem foi colega no governo do ex-presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr), quando era ministra do Meio Ambiente. O ministro, que tem ligações históricas com a Igreja Católica, repudiou porém as acusações de que Marina Silva confunda religião e política. Segundo ele, o problema com a ex-ministra é outro. "Acompanhei a Marina como ministra e sei bem o alcance e o limite dela, como a dificuldade de tomar decisão e de enfrentar as decisões. Sou insuspeito porque a defendi no governo, pois sabia da importância do carisma dela no governo. Agora, como administradora, devo ser honesto em dizer que foi muito ruim. Acho que não é uma pessoa indicada para ser presidente do Brasil neste momento de crise, sobretudo com o programa que está apresentando que, se fizer as contas, ou deixa uma dívida enorme para o País ou vai cortar benefícios porque as contas não estão fechando", avaliou. O ministro disse respeitar e ter carinho por Marina: "Porém, em uma análise bem fria, sei das deficiências graves (da ex-ministra) na tomada de decisão e na hora de implementar (as decisões), praticamente delegando para outras pessoas, que passaram a mandar no ministério e não ela". Gilberto Carvalho destacou que Marina segue crescendo nas pesquisas, mas ainda existem quatro semanas de campanha pela frente e o PT tem sua militância.

RELATOR REJEITA RECURSO DO PETISTA ANDRÉ VARGAS NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA DA CÂMARA DE DEPUTADOS

O deputado federal Sérgio Zveiter (PSD-RJ) entregou na tarde desta segunda-feira, 1, parecer contrário ao recurso apresentado pela defesa do deputado federal André Vargas (sem partido-PR) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. Vargas contestava a aprovação do relatório no Conselho de Ética que pede a cassação de seu mandato parlamentar e pretendia anular a decisão de 20 de agosto no colegiado. No recurso encaminhado à CCJ, Vargas alegava que sua defesa havia sido cerceada pelo Conselho e reclamava da inclusão de novos integrantes no colegiado no dia da votação do relatório do deputado Júlio Delgado (PSB-MG). O relator afirmou que os dois conselheiros - Rubens Bueno (PPS-PR) e Pastor Eurico (PSB-PE) - foram nomeados em função da vacância de algumas cadeiras no momento da votação. Zveiter entendeu que Rubens Bueno e Pastor Eurico eram suplentes do colegiado, o que permitiria a participação dos deputados na votação. O parecer segue agora para votação na CCJ. O recurso protocolado pelo ex-petista tranca a pauta da comissão e impede que outras matérias sejam apreciadas. Para ser confirmada a perda de mandato, o parecer de Zveiter precisa passar pela CCJ e seguir para votação no plenário da Casa, o que só deve acontecer após as eleições de outubro. O ex-petista é acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar cerca de R$ 10 bilhões.

IMPORTAÇÕES DE PETRÓLEO E DERIVADOS PELO BRASIL SOBEM 24,7% EM AGOSTO

As importações brasileiras de petróleo e derivados somaram 2,976 bilhões de dólares em agosto, 24,7% superior ao valor importado no mesmo mês do ano passado, informou nesta segunda-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. "No grupo dos combustíveis e lubrificantes, o crescimento (das importações) ocorreu principalmente pelo aumento dos preços e das quantidades embarcadas de petróleo, gás natural, naftas e gasolina", afirmou o ministério em nota. Incluído no grupo combustíveis e lubrificantes, as importações de petróleo somaram 1,142 bilhões de dólares em agosto, alta de 64,1% em relação ao mesmo período de 2013. As compras de gasolina e diesel no Exterior, não detalhadas pelo ministério e realizadas em sua grande maioria pela Petrobras, têm trazido prejuízo aos resultados da empresa nos últimos anos. Isso porque a estatal vende os produtos no País por valores inferiores aos praticados no Exterior. Já as exportações de petróleo do Brasil, segundo o ministério, somaram 1,489 bilhões de dólares em agosto, montante 36,85% superior ao exportado no mesmo mês do ano passado. O crescimento acontece em um momento em que a Petrobras volta a apresentar crescimento da produção de petróleo, que estava estagnada nos últimos anos.

SEGURADORA DA TAM QUER SER RESSARCIDA POR INDENIZAÇÕES A VÍTIMAS

A Itaú Seguros, empresa seguradora da companhia aérea TAM, quer ser ressarcida pelo pagamento de indenizações a vítimas do acidente com o vôo JJ3307, que matou 199 pessoas em 2007 em São Paulo. Na visão da seguradora, a Airbus, fabricante do modelo A320, foi a "responsável exclusiva" pela tragédia por supostas falhas no projeto da aeronave. Valores pagos a parentes das vítimas superam meio bilhão de reais. Para averiguar a responsabilidade da Airbus no caso, a 36ª Vara Cível de São Paulo deferiu em março pedido para realização de perícia técnica de engenharia e 106 pontos de questionamento da seguradora deveriam ser respondidos em laudo. Há duas semanas, no entanto, a 16ª Câmara de Direito Privado atendeu pedido da multinacional de aviação e suspendeu temporariamente o processo em 1º instância. Com a perícia, a Itaú planejava embasar seu pedido de ressarcimento financeiro das quantias pagas em indenização a parentes das vítimas do acidente. O valor total pago e atualizado supera os R$ 537 milhões, em estimativa da seguradora. O posicionamento da Itaú Seguros em apontar responsabilidade para Airbus difere do entendimento do Ministério Público Federal sobre o caso, responsável pela acusação em um processo que corre na esfera criminal ainda sem desfecho. Em abril, o procurador Rodrigo de Grandis pediu que se condene uma ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Denise Maria Aires Abreu,  e um ex-diretor da TAM a uma pena de 24 anos de prisão. Para o procurador, os dois assumiram risco de expor a perigo aeronaves que operavam em Congonhas. Naturalmente, o fabricante Airbus jamais iria admitir a sua responsabilidade no desastre. Já agiu assim antes no caso do desastre do Airbus da AirFrance que caiu no Oceano Atlântico. Na esfera cível, A Itaú enxerga "responsabilidade exclusiva da Airbus" no acidente, razão pela qual requer "a condenação ao ressarcimento de todos os valores despendidos, e que vierem a ser despendidos" com o pagamento de indenizações. Em março desse ano, a seguradora entrou com pedido de perícia técnica e solicitou informações de 107 pontos supostamente controversos, como funcionamento de softwares, alertas e procedimentos técnicos da aeronave. A Justiça negou um dos 107 pontos e pediu a reformulação de outros seis antes da realização da perícia. Em decisão, o juízo da Vara se posicionou pela necessidade da perícia para "que se decida a respeito da tese do autor, concluindo a perícia se houve ou não falha de projeto da aeronave e, em caso positivo, se esta falha foi a principal causa determinante do acidente". Em 18 de agosto, o engenheiro Robert Williams Scavone Kairalla foi designado como perito e deveria indicar assistentes para elaboração conjunta de laudo pericial ainda sem prazo para término. O desembargador Simões de Vergueiro, da 16ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Jusitça de São Paulo, atendeu a pedido da Airbus e suspendeu o processo em 1ª instância até análise pelos desembargadores de questionamentos da Airbus. Em defesa às acusações do processo, a Airbus apontou o que acredita ser os culpados pelo maior acidente aéreo brasileiro: os dois pilotos; a empresa TAM, que supostamente não quis instalar o software para aumentar avisos em caso de assimetria dos manetes; e problemas no Aeroporto de Congonhas. O acidente ocorreu em 17 de julho de 2007, quando o Airbus A320 operado pela TAM não conseguiu realizar pouso com sucesso no aeroporto de Congonhas. Com o tempo chuvoso, a aeronave que vinha de Porto Alegre, não conseguiu frear, ultrapassou os limites da pista e explodiu ao colidir com um prédio nas proximidades do aeroporto. O acidente matou todas as 199 pessoas entre passageiros, comissários e pilotos.

USINA DE FURNAS SOFRE EFEITOS DA SECA E RESERVATÓRIOS DO RIO GRANDE FICAM EM NÍVEIS CRÍTICOS

O Rio Grande, manancial que nasce em Minas Gerais e banha também o Estado de São Paulo, tem sofrido os efeitos da seca, o que tem reduzido o nível de reservatórios importantes no País. Usinas hidrelétricas que se servem de suas águas, como Furnas - uma das principais do País - tem hoje em seu reservatório menos da metade da água que tinha um ano atrás.  A usina iniciou setembro do ano passado operando com 60,61% de sua capacidade, índice que já era considerado baixo para o período. Porém, um ano depois, este porcentual despencou em uma velocidade ainda mais rápida e, hoje, Furnas tem seu reservatório funcionando com somente 27,55% de sua capacidade. O que se vê ao longo do Rio Grande é pouca água e outras usinas em situação ainda mais crítica. Marimbondo, que há um ano estava com 66,7% de sua capacidade, hoje marca apenas 11,73%. Já a Usina de Água Vermelha, que iniciou setembro de 2013 com 69,09%, agora tem 15,04%. A medição é feita pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), que, para evitar um colapso, costuma dividir a água dos reservatórios, liberando os mais cheios para abastecer os mais vazios. O baixo nível das represas se deve à seca recorde registrada na região na Região Sudeste, onde no geral as usinas operam atualmente com 30,27% da capacidade. Somente as hidrelétricas do Rio Grande respondem por 25,73% da energia produzida nas regiões Sudeste e Centro-Oeste.

HRT TERÁ QUE DEVOLVER DOIS BLOCOS NO RIO SOLIMÕES À UNIÃO POR DESCUMPRIR PRAZOS

A petroleira HRT terá que devolver dois blocos na Bacia do Solimões à União, por não cumprir etapas acordadas com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), informou a autarquia. Os blocos em segunda fase exploratória, que tiveram seus contratos extintos e terão que ser devolvidos, são o SOL-T-148 e o SOL-T-149. Em janeiro, a petroleira entrou com pedido de prorrogação ou suspensão do segundo período exploratório dos dois ativos. Entretanto, a ANP indeferiu o pedido e manteve o prazo final para o cumprimento dessa etapa fixado em 5 de maio de 2014. A HRT recorreu da decisão da autarquia, o que foi negado pela agência em reunião de diretoria do mês passado. "Com a resolução, houve extinção do contrato, o que resulta em devolução dos blocos", disse a ANP. A HRT e a russa Rosneft são sócias em ativos no Solimões. Por acordo assinado em março deste ano, a Rosneft ficou com participação majoritária de 51% nos ativos, sendo operadora.

PTB QUER MATAR ROBERTO JEFFERSON NA CADEIA?

É estranhíssima a situação do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), denunciante do esquema corruptor do Mensalão do PT, condenado no processo, e que cumpre pena em presídio de Niterói. Ele tem graves problemas de saúde e é o único réu do processo do Mensalão do PT com direito a liberdade imediata, por indulto presidencial, porque seu caso de enquadra dentro do previsto legalmente. Para Roberto Jefferson, faltava que o partido ingressasse com o pedido de indulto. Na convenção nacional foi aprovada por unânimidade uma moção nesse sentido. Mas, decorridos meses desde a convenção nacional, o partido não ingressou em juízo com o pedido de indulto. O que leva à pergunta: o PTB quer que Roberto Jefferson morra na cadeia?

EM PERNAMBUCO, MARINA SILVA JÁ LIVRA 6 PONTOS DE VANTAGEM SOBRE A PETISTA DILMA NO PRIMEIRO TURNO

Pesquisa feita pelo Instituto Maurício de Nassau em Pernambuco:

Marina Silva, PSB - 41%
Dilma Roussef, PT - 35%
Aécio Neves, PSDB - 3%

EMATER PREVÊ NOVA SUPERSAFRA DE GRÃOS NO RIO GRANDE DO SUL

 A Emater anunciou nesta segunda-feira que prevê uma nova supersafra de grãos no Rio Grande do Sul, quase toda ela colhida no próximo verão. Em levantamento divulgado nesta segunda-feira, durante a 37ª Expointer, a Emater projetou aumento de 1,49% da área plantada e um volume de 27,6 milhões de toneladas — 2,8% maior do que a safra histórica deste ano. As estimativas indicam que a colheita de verão deverá injetar R$ 21,82 bilhões na economia gaúcha, cerca de R$ 2,1 bilhões a mais do que no ciclo passado. A safra será capitaneada pela aumento da área de soja, 2,8% em relação ao ano passado. A Embrapa prevê 187,4 milhões de toneladas para a safra brasileira.

TRE INDEFERE CANDIDATURA DE MALUF; ELE VAI RECORRER AO TSE E NÃO TEM COMO NÃO PERDER. ALELUIA!

O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) indeferiu, nesta segunda-feira (1º), o registro de candidatura de Paulo Maluf (PP) a deputado federal, com base na Lei da Ficha Limpa. Por 4 votos a 3, venceu o entendimento de que a condenação de Maluf no caso de superfaturamento na construção do túnel Ayrton Senna, quando ele era prefeito de São Paulo, o enquadra no artigo da Ficha Limpa que trata da inelegibilidade por improbidade administrativa.

O candidato sempre negou todas as acusações de improbidade e alegou inocência em todo o processo. Cabe recurso da decisão ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Na última sexta-feira (29), o julgamento foi adiado após empate entre os membros da corte. Foi o voto do presidente do TRE, Antônio Mathias Coltro, que definiu o caso. Maluf foi condenado pelo Tribunal de Justiça em dezembro do ano passado. Além de ser um caso previsto na Lei da Ficha Limpa, a sentença do TJ previa a suspensão dos direitos políticos do ex-prefeito por cinco anos. (…)
Voltei
A única coisa que não entendi na decisão do TRE foi o 4 a 3. Deveria ter sido 7 a zero em favor da cassação da candidatura. Qual é a dúvida? Maluf foi condenado por um colegiado, em segunda instância, por improbidade administrativa, antes do prazo final para o registro da candidatura. Os três que votaram contra podem não gostar da Lei da Ficha Limpa. Mas por que disseram que ela não se aplica?
É claro que Maluf vai recorrer ao TSE. E vai perder — ou estamos no manicômio. A situação dele é bem mais clara e explícita do que a de José Roberto Arruda. Afinal, o ex-governador do Distrito Federal foi condenado depois do registro; mesmo assim, teve a candidatura anulada. Maluf não tem isso a seu favor. Nem isso nem a biografia. É claro que este senhor indica, assim, uma espécie de passagem melancólica do tempo. Explico: uma eleição sem este estorvo será a prova de que ficamos mais velhos. Mas temos de aprender a viver sem aquilo que nos empurra para o atraso, né? Por Reinaldo Azevedo

MESMO COM RESULTADO MAQUIADO, BALANÇA COMERCIAL TEM PIOR RESULTADO DESDE 2001

Pois é… A balança comercial teve em agosto o pior resultado desde 2001, com superávit de US$ 1,2 bilhão. Ainda assim, ele está maquiado e é fruto da contabilidade criativa. Para todos os efeitos, houve esse saldo positivo, mas ele só foi conseguido graças a uma mandracaria que já não é nova: a falsa exportação, que só existe no papelório, de uma plataforma de petróleo de US$ 1,1 bilhão. Ou por outra: o superávit de US$ 1,2 bilhão foi, na verdade, de apenas US$ 100 milhões. Só para lembrar: essa plataforma não sai do País, é produzida aqui e vendida aqui, e há um trâmite de papéis que garantem facilidades fiscais. Mas não é exportação. Com o truque empregado, o acumulado da balança comercial conseguiu, pela primeira vez, ficar no azul: US$ 249 milhões. Isso é conta para Guido Mantega ver. De verdade, o déficit acumulado ainda é de US$ 851 milhões. No acumulado de 12 meses, o superávit é de US$ 6,4 bilhões. Para o ano de 2014, o Boletim Focus estima um saldo positivo de apenas US$ 2,17 bilhões. Por Reinaldo Azevedo

PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA GAÚCHA, DEPUTADO GILMAR SOSSELA (PDT) ESTÁ SENDO INVESTIGADO PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL E PELA POLICIA FEDERAL POR FRAUDE ELEITORAL E CONCUSSÃO

O presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado Gilmar Sossela (PDT), está sendo investigado pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal pelos supostos crimes de fraude eleitoral e concussão. A investigação da Polícia Federal foi instalada por ordem do Ministério Público Federal, ainda na sexta-feira, assim que saiu a denúncia em Videversus de que o superintende geral da Assembléia, Artur Souto (ex-chefe de gabinete de Sossela), estava pressionando diretores do Poder Legislativa para que comprassem ingresso no valor de 2.500 reais cada para jantar de apoio à candidatura de reeleição do deputado Gilberto Sossela. Os diretores eram ameaçados de perda do cargo se não comprassem o convite. Um desses diretores, Nelson Delavald Júnior, negou-se a comprar o tal convite e já foi demitido do cargo. Os cargos em chefia no Departamento de Informática tinhama até a sexta-feira para comprar o ingresso para a janta, ou também seriam demitidos. A mesma pressão foi exercida sobre os detentores de cargo em chefia no Departamento de Gestão de Pessoas.  As intimações para depoimento nesta segunda-feira, na sede da Superintendência da Polícia Federal, na Avenida Ipiranga, foram expedidas na própria sexta-feira. Pela manhã, às 9 horas, deverão depor Nelson Delavald Junior e o superintendente Artur Souto. Pela tarde, às 14 horas, deporão outros dois diretores. Carla Poeta, diretora de Gestão de Pessoas, já reafirmou que vai confirmar tudo no seu depoimento, e estará levando documentos para apresentar à Polícia Federal.

domingo, 31 de agosto de 2014

ISRAEL QUER AJUDAR A RECONSTRUIR GAZA EM TROCA DO DESARMAMENTO DO GRUPO TERRORISTA HAMAS

Israel e os países árabes devem trabalhar juntos para reconstruir a Faixa de Gaza enquanto desarmam os militantes do Hamas que controlam o território, disse o ministro das Finanças israelense, Yair Lapid, neste domingo. Lapid fez os comentários quase uma semana após Israel e os militantes do Hamas chegarem a um acordo de trégua para dar fim ao conflito mais recente em Gaza, que durou quase dois meses e destruiu a região. "Nós precisamos de uma conferência regional, com os egípcios, os sauditas, os Estados do Golfo", disse o ministro - membro do partido de centro Yesh Atid: "Essa conferência deveria focar em uma coisa, assegurar que a reabilitação ocorra junto com a desmilitarização". Ele não esclareceu como prevê a desmilitarização do grupo terrorista em Gaza, já que o Hamas prometeu nunca desistir de suas armas. Lapid também não deixou claro quão receptivos foram os países árabes - alguns deles, como a Arábia Saudita, sem laços formais com Israel - à idéia da conferência. Ele não disse se algum país já havia sido consultado sobre a proposta. O Hamas, no entanto, reafirmou sua decisão de continuar armado. "Essa é uma demanda estúpida, e ninguém do povo palestino iria concordar com uma coisas dessas. Nossas armas são usadas para defender nosso povo, e esse direito foi garantido pelos céus e pelas leis humanas", criticou o porta-voz do grupo em Gaza, Mushir al-Masri. Também neste domingo, Israel anunciou que iria começar a expropriar mil acres de terra na Cisjordânia, uma medida que poderia abrir espaço para a construção de um novo assentamento judeu.

BETO ALBUQUERQUE DIZ QUE "AUTORITÁRIO É QUEM ACHA QUE PODE GOVERNAR SÓ COM PARTIDOS"

A candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, reafirmou no sábado sua promessa de campanha de ficar acima das trocas de acusações entre candidatos. Em encontro com jovens militantes em uma casa noturna no Centro do Rio de Janeiro, Marina Silva disse se recusar a responder “na mesma moeda” às acusações dos adversários Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). O discurso, porém, foi atropelado minutos depois pelo candidato a vice-presidente Beto Albuquerque (PSB) que rebateu, em tom ríspido, críticas feitas pelos rivais Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). “Autoritário é quem acha que pode governar só com partidos. Autoritário é quem acha que tem de entregar ministérios para políticos em troca de tempo de televisão”, afirmou Beto Albuquerque. Dilma tinha afirmado que “quem não governa com partidos está flertando com o autoritarismo”. Albuquerque também reagiu à provocação de Aécio Neves, que tinha tachado a proposta “marineira” de uma versão “genérica” do programa tucano. “Ele que publique o programa de governo dele para depois falar do programa dos outros”, reclamou. Ao responder às críticas da campanha tucana de que falta experiência administrativa para Marina Silva, Beto Albuquerque (socialista gaúcho, originário de grupo do velho Partidão, o Partido Comunista Brasileiro) comparou a eleição do ex-presidente e alcague Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr.) em 2002 à situação da candidata socialista. “Aécio quer repetir o erro que o governo atual cometeu de achar que o Brasil precisa de gerente. Marina é uma líder nata, muito parecida com o Lula que sofreu preconceitos”, afirmou. Em discurso aos jovens engajados na campanha de Marina, Albuquerque confrontou a prometida autonomia operacional do Banco Central em um futuro governo. Apesar de a independência pressupor liberdade para elevar juros a despeito das preferências do governo, Beto Albuquerque afirmou que os juros já estão elevados demais e não devem ser a única forma de combate à inflação. “Não enxergamos no aumento da taxa de juros o remédio correto para combater a inflação. É um custo muito caro ao País. Não vamos falar do futuro, mas nossa posição é de que pagar 28 bilhões de reais dos cofres públicos para cada ponto percentual de aumento dos juros é um contrassenso. O Brasil tem que trabalhar com juros razoáveis e dignos e o governo tem que fazer sua parte”, argumentou.