sábado, 23 de fevereiro de 2008

Governo do Pará adota programas de informática da prefeitura de Porto Alegre

Soluções em Tecnologia da Informação e Telecomunicações desenvolvidas pela prefeitura da capital gaúcha, por meio da Procempa (Companhia de Processamento de Dados da Prefeitura de Porto Alegre), e aplicadas em projetos de inclusão digital e qualificação da gestão pública, serão utilizadas pelo governo do Estado do Pará. O prefeito José Fogaça (PMDB) e o secretário da Ciência e Tecnologia do Estado do Pará, Maurílio de Breu Monteiro, assinaram nesta sexta-feira, no Paço Municipal, acordo de cooperação técnica e científica entre prefeitura e governo paraense para utilização dos recursos. Como em Porto Alegre, o governo do Pará aplicará as tecnologias em programas das áreas de saúde, educação e segurança. Será desenvolvido o NavegaPará, projeto piloto semelhante ao Power Line Communication (PLC), implementado na Restinga, em dezembro de 2006, para conexão à Internet pela rede elétrica. "A prefeitura tem investido na organização de recursos materiais e financeiros pela importância estratégica da tecnologia no contexto do município de Porto Alegre em áreas como transporte, educação e moradia, além do acesso digital a serviço daqueles que precisam", explicou o prefeito José Fogaça, ao lado do presidente da Procempa, André Imar Kulczynski. Por meio da empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa), o governo deverá implementar o programa neste ano, no município de Benevides, na região metropolitana de Belém. "O NavegaPará pretende construir cidades digitais, interligadas por fibra ótica. As cidades têm pressa de acesso à Internet, é fundamental na vida de um jovem ou adolescente de comunidades carentes", comentou Maurílio de Breu Monteiro.

Banco do Brasil estuda operar em países da América do Sul

O Banco do Brasil, maior instituição financeira do País em volume de ativos, anunciou nesta sexta-feira um projeto para operar a partir deste ano como banco comercial nos Estados Unidos, em países da América do Sul e alguns europeus. “Nossa intenção é entrar no mercado bancário comercial em países que tenham grandes comunidades de brasileiros, mas isto não é indispensável”, afirmou o vice-presidente de Negócios Internacionais do banco, José María Rabelo. Em um comunicado para a Bolsa de Valores de São Paulo, o Banco do Brasil anunciou que investirá 44 milhões de dólares em um projeto para constituir este mesmo ano duas novas empresas nos Estados Unidos que ofereçam serviços comerciais a todo tipo de clientes. Uma das empresas, a BB Money Transfer, oferecerá o serviço de envio de recursos para brasileiros residentes nos Estados Unidos, e a outra, o Banco do Brasil Federal Saving Bank, atuará como banco comercial para todo tipo de clientes. “A idéia é colocar o banco em todos os segmentos comerciais, dentro e fora do Brasil, nos quais a nossa marca é reconhecida e tem um diferencial”, afirmou o presidente do Banco do Brasil, Antonio Francisco Lima Neto. Os países da América Latina com as maiores comunidades de brasileiros são o Paraguai (cerca de 200.000) e Bolivia (17.000), e os da Europa são a Italia (120.000), Inglaterra (100.000) e Espanha (93.000). O Banco de Brasil já atua como banco comercial em Portugual e Japão.