sábado, 10 de maio de 2008

Índios anunciam trégua em manifestações em Roraima

Os índios anunciaram nesta sexta-feira uma trégua nas manifestações pela desocupação da terra indígena Raposa Serra do Sol. O coordenador do Conselho Indígena de Roraima (CIR), Dionito José de Sousa, disse que percorrerá as principais zonas de conflito, no Surumu e na região do Passarão, para pedir aos parentes a suspensão dos bloqueios de rodovias e dos acampamentos. Mas, mesmo com essa conversa, os índios voltaram a fechar a Rodovia RR-319 nesta sexta-feira, quebrando um acordo feito no dia anterior com a Polícia Federal para liberar o tráfego nesta que é uma das principais vias de escoamento da produção de arroz na terra indígena.

Mulher de Paulinho da Força Sindical abre sigilo bancário de entidade suspeita de desvio

A mulher do deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força Sindical, Elza de Fátima Costa Pereira, afirmou nesta sexta-feira que vai abrir o sigilo bancário do projeto “Meu Guri”. A ONG, ligada à Força Sindical, é presidida por ela. A instituição é acusada de receber R$ 37,5 mil de João Pedro Moura, conselheiro do BNDES, preso pela Polícia Federal e apontado pela Procuradoria da República como o principal responsável por um esquema de desvio de verbas do BNDES desmantelado pela Polícia Federal na Operação Santa Teresa. João Pedro Moura cresceu na burocracia sindical gaúcha, e foi diretor da Fundação Gaúcha do Trabalho e da Ação Social no governo de Alceu Collares. A ONG de Elza de Fátima Costa Pereira recebeu R$ 1,328 milhão do BNDES. Durante entrevista coletiva desta sexta-feira realizada na sede da ONG, Elza assinou um documento em que abre o sigilo bancário do projeto: "Todo o investimento foi auditado pelo BNDES. O Meu Guri não tem nada a esconder”. Parece até aquela música do Chico Buarque de Holanda: “Olha aí, é o meu guri”. Segundo o advogado da Força Sindical, Antônio Rosella, não houve ilegalidade na doação de Moura. Ele disse que o conselheiro doou à ONG um apartamento no bairro da Aclimação avaliado em R$ 100 mil. O imóvel deveria ser vendido e o dinheiro investido na ONG. Mas como o conselheiro tinha "problemas com o nome dele", a instituição não conseguiu vender o apartamento, que acumulava cerca de R$ 40 mil reais em dívidas "com impostos e condomínio". Rosella diz que a ONG devolveu o imóvel a Moura, que decidiu fazer um depósito na conta da entidade no valor de R$ 37,5 mil. É inacreditável..... "O que o João Pedro fez eu não posso dizer por ele", afirmou. Paulinho afirmou na mesma coletiva que Moura nunca foi seu assessor pessoal e que não o indicou para o conselho do BNDES: "Ele não era meu assessor. A empresa dele tem um contrato com a Força Sindical Estadual". Ele também negou que tenha indicado Moura para integrar o conselho do banco: "Quem indicou foi a Força Sindical, não eu". Ah... então ta..... e a gente acredita, viu mané!!!!

Senador petista quer afastamento de servidor que divulgou dossiê contra FHC

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) defende o afastamento imediato de José Aparecido Nunes Pires, apontado pela Polícia Federal e a sindicância interna da Casa Civil como a pessoa que vazou o dossiê elaborado no Palácio do Planalto com gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “Uma pessoa com esse tipo de perfil não pode ficar no governo”, disse um dos vice-líderes do governo. Aparecido foi levado para a Casa Civil por José Dirceu, então ministro da Casa Civil. “Como alguém filiado ao PT vaza o documento para a oposição?”, questionou Delcídio Amaral.

Senador Álvaro Dias acha que petista da Casa Civil que divulgou dossiê não deveria ser punido

Na opinião do senador Álvaro Dias (PSDB), o funcionário petista José Aparecido Nunes Pires, da Casa Civil da Presidência da República, não pode ser penalizado por ter divulgado dossiê com os gastos da Presidência no governo de Fernando Henrique Cardoso. “O nome de José Aparecido não é o mais importante da história, mas o de quem coordenou e elaborou o dossiê. Em teoria, o responsável é quem comanda o setor”, disse Álvaro Dias. Aparecido mandou o documento para André Eduardo da Silva Fernandes, assessor do parlamentar. O senador conformou que o seu assessor recebeu o material, que continha dados que seriam utilizados, segundo ele, para a chantagem política.

Banco suíço estima novos campos do Brasil em 50 bilhões de barris

As novas descobertas de petróleo no Brasil vão exigir investimentos de US$ 600 bilhões para que todas as reservas sejam de fato exploradas em sua totalidade. Pelos cálculos do banco suíço UBS, os campos brasileiros que acabam de ser descobertos poderiam significar um volume de 50 bilhões de barris de petróleo. Um relatório do UBS feito em Londres e enviado a investidores internacionais alerta que as descobertas no Brasil terão um "efeito dramático na demanda mundial por serviços relacionados ao petróleo". Segundo os analistas, as reservas na Bacia de Santos vão afetar diretamente o setor nos próximos dez anos em todo o mundo. O banco suíço não disfarça o entusiasmo diante das dimensões das reservas brasileiras, apontando que o mercado de petróleo poderá ser impactado pela nova produção na América do Sul. Entretanto, o UBS estima que os investimentos necessários serão de pelo menos US$ 12 por barril em um primeiro momento. Os desafios técnicos de tirar o petróleo do subsolo marinho são considerados pelo banco como algo substancial. Um dos problemas, por exemplo, seriam as escavações em zonas com alta taxa de sal nas águas do Oceano Atlântico. O campo que mais vai gerar lucros é o de Tupi, segundo o UBS. Os analistas estimam que apenas neste campo será necessário escavar 200 poços para que todo o potencial seja aproveitado. No total, 2 mil poços terão de ser abertos na costa brasileira, trabalho que será complexo e caro. Mesmo com o custo de US$ 12,00 por barril, porém, os lucros seriam enormes.

Morre o jornalista e ex-senador Artur da Távola

Morreu na tarde desta sexta-feira, no Rio de Janeiro, o jornalista e político Artur da Távola, do PSDB. Ele era reitor de uma universidade e diretor da rádio Roquete Pinto FM. O jornalista Paulo Alberto Moretzsohn Monteiro de Barros começou sua vida parlamentar em 1960, como deputado federal do PTN, pelo antigo Estado da Guanabara. Dois anos depois se elegeu deputado constituinte pelo PTB. Era considerado um político discreto. Um dos fundadores do PSDB, Távola era um político experiente: foi presidente do partido entre 95 e 97, líder da bancada tucana na Assembléia Constituinte, em 88, e candidato a prefeito do Rio de Janeiro, no mesmo ano. Em 2001, ocupou o cargo de secretário da Cultura do Rio de Janeiro, por nove meses. Saiu para assumir a liderança do governo Fernando Henrique no Senado Federal. Em 98, Távola tentou ser candidato a governador na sucessão de Marcello Alencar, mas o escolhido acabou sendo Luiz Paulo Corrêa da Rocha, fiel escudeiro do então governador. Antes, em 96, já havia sido preterido por Sérgio Cabral Filho na escolha do candidato do PSDB a prefeito. Em 99, anunciou seu desligamento do partido, que estaria, segundo ele, se distanciando dos ideais da social-democracia. Paulo Alberto foi cassado pelo regime militar e, no período de 64 a 68, viveu na Bolívia e no Chile. Na volta ao País passou a usar o pseudônimo de Artur da Távola. Ele era o mais antigo funcionário em atividade da Rádio MEC, onde estreou em 1957 e apresentava um programa sobre música clássica.

Procuradoria recorre da absolvição da ex-ministra Zélia Cardoso de Mello

O Ministério Público Federal recorreu da decisão do Superior Tribunal de Justiça de absolver Zélia Cardoso de Mello, do crime de corrupção passiva. Zélia comandou o Ministério da Fazenda durante o governo do ex-presidente Fernando Collor de Mello (1990-1992). O Superior Tribunal de Justiça analisou recurso do Ministério Público Federal, que recorreu da decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região argumentando que o crime de corrupção, nas modalidades ativa e passiva, dispensa aprofundamento de exame de fatos e provas, e manteve a decisão do tribunal de absolver Zélia. O TRF-1 absolveu a ex-ministra sob o argumento de que não existia prova que demonstrasse que ela tivesse solicitado, recebido ou aceitado promessa de receber vantagem indevida em razão de sua função. Em primeira instância, Zélia havia sido condenada por ter recebido dinheiro do esquema montado por Paulo César Farias, tesoureiro de campanha de Collor. Caso o STJ não reveja a posição, o recurso do Ministério Público Federal pede que a 6ª Turma, que julga matérias criminais, retifique a decisão tomada pelo relator do Superior Tribunal de Justiça e leve em consideração os argumentos apresentados pedindo a restauração da sentença de 1º grau que condenou a ré.

Grupo protesta em Boa Vista contra presença da Polícia Federal em reserva indígena

Cerca de 800 pessoas protestaram nesta sexta-feira em Boa Vista (Roraima) contra as ações da Polícia Federal na terra indígena Raposa/Serra do Sol, no nordeste do Estado. Os manifestantes seguiram em carreata pela ruas da capital e pediram a saída da Polícia Federal da terra indígena. Eles entregaram uma carta ao Exército com cerca de 8.000 assinaturas pedindo a intervenção do Exército na mediação dos conflitos no interior da reserva Raposa/Serra do Sol. O governo Lula está usando o episódio em Roraima para testar a sua milícia, formada por agentes da Polícia Federal, cada vez mais transformada em polícia política, e ainda por militares da Força Nacional de Segurança. Isso é um golpe em marcha.

Polícia Federal vai ouvir funcionário da Casa Civil que vazou dossiê anti-FHC

O delegado Sérgio Menezes, da Polícia Federal, deve ouvir o secretário de Controle Interno da Casa Civil, José Aparecido Nunes Pires, e o assessor do senador Álvaro Dias (PSDB-PR), André Fernandes. Aparecido seria o responsável pelo vazamento do dossiê armado na Casa Civil contendo informações contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Os dados teriam sido repassados por e-mail para André. Menezes, responsável pelo inquérito que apura o dossiê, pretende ouvir Pires e Fernandes antes da conclusão das investigações, que foram prorrogadas por 60 dias. Ele também aguarda a conclusão da sindicância interna da Casa Civil, que rastreou os computadores da casa para identificar o autor do vazamento. Aparecido é militante histórico do PT. Foi levado para a Casa Civil por José Dirceu. Tanto a Polícia Federal como a sindicância interna têm provas de que foi anexada em uma dessas mensagens, datada de 20 de fevereiro, a planilha em Excel de 28 páginas com gastos editados e comentados de FHC, Ruth Cardoso e ex-ministros. Na semana anterior ao vazamento, havia sido iniciada a montagem do dossiê por ordem de Erenice Alves Guerra, secretária-executiva da Casa Civil, pessoa de estrita confiança da ministra chefe Dilma Rousseff.

Procuradoria da República denuncia Marconi Perillo e Alcides Rodrigues

O governador de Goiás, Alcides Rodrigues (PP), e o senador e ex-governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB), foram denunciados pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, por formação de quadrilha, caixa dois e utilização de notas frias, entre outros crimes. O processo corre sob segredo de Justiça no Supremo Tribunal Federal. Segundo a Procuradoria Geral da República, os crimes foram praticados nas eleições de 2006, quando Rodrigues foi eleito governador de Goiás, e Perillo, senador pelo Estado. O relator do processo é o ministro Ricardo Lewandowisky. O procurador-geral Antonio Fernando acusou Perillo e Rodrigues de serem "os mentores e principais beneficiários de um esquema de captação ilícita de recursos, utilização de notas frias, pagamentos de despesa de campanha por meio de 'laranjas' e outras fraudes eleitorais”.

Petróleo segue batendo recordes, e encerra a semana com barril perto de US$ 126,00

Em mais um dia de avanço, o petróleo cravou novas marcas recorde, durante as negociações desta sexta-feira. A desvalorização do dólar está na raiz da disparada do preço da commodity nos últimos dias, e da eventual escassez de oferta do produto que isso possa acarretar. O barril do petróleo cru, para entrega em junho, negociado na Nymex (Bolsa Mercantil de Nova York), encerrou o dia cotado a US$ 125,96 (alta de 1,83%), marcando mais um recorde sucessivo para um encerramento de sessão (na quinta-feira o barril fechou cotado a US$ 123,69). Durante o dia, o preço atingiu o pico de US$ 126,20, novo recorde para um dia de negócios. A desvalorização do dólar diante de outras moedas, como o euro e o iene, tornam o barril da commodity (que é negociado em dólares) acessível a mais compradores. Com mais competidores pelo petróleo em cena, a oferta atual fica mais restrita, fazendo com que o preço dispare, o que se registra há alguns meses. Investimentos em commodities são vistos como uma garantia contra efeitos inflacionários. O banco de investimentos Goldman Sachs estima que o preço do petróleo possa chegar a US$ 200,00 dentro dos próximos dois anos.

Argentina estuda dividir com o Uruguai a energia enviada pelo Brasil

O governo da Argentina estuda dividir com o Uruguai parte da energia que será enviada do Brasil ao país vizinho. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, o Brasil começará a exportar neste sábado para a Argentina 300 MW/médios, energia gerada por termelétricas a óleo combustível e a diesel. A quantidade deverá ser elevada nas próximas semanas e poderá chegar a 1.500 MW. Segundo o ministério, o Brasil já envia 72 MW para o Uruguai, mas não pode mandar mais energia porque a quantidade já está no limite das linhas de transmissão entre os dois países. O Brasil exportará energia para a Argentina até agosto. Pelo acordo, a Argentina devolverá o volume (ou pagará o que não puder devolver) entre setembro e novembro.

Polícia Federal diz que vai manter apreensão de armas dentro da reserva Raposa/Serra do Sol

O delegado Fernando Segóvia, da Polícia Federal, disse nesta sexta-feira que agentes da corporação podem continuar a apreender armas na reserva Raposa/Serra do Sol, em Roraima. Ele deu a ordem apesar da decisão do Supremo Tribunal Federal, que negou pedido da Advocacia-Geral da União para realização de busca e apreensão dentro da reserva. "Nós só não podemos entrar nas casas das pessoas para fazer a busca. Mas, se encontramos alguém armado, sem ter autorização de porte concedida pela Polícia Federal, podemos fazer a apreensão", disse o delegado. Segóvia informou que equipes volantes da Polícia Federal, que estão na reserva, vão parar carros, identificar pessoas e verificar se estão armadas. O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo, indeferiu na quinta-feira o pedido da União e da Funai para expedir mandado de busca e apreensão de armas, munições e explosivos na reserva indígena Raposa/Serra do Sol, em Roraima. A polícia política do xerifão Tarso Genro não sente mais necessidade de obedecer ordem da Suprema Corte do País.

Agência dos Estados Unidos liquida banco com US$ 2,1 bilhões em ativos

A Corporação Federal de Seguro de Depósitos, agência independente criada pelo Congresso dos Estados Unidos para manter a estabilidade do sistema financeiro, fechou nesta sexta-feira o banco do Arkansas ANB Financial, cujos ativos totalizavam US$ 2,1 bilhões. Trata-se da terceira instituição financeira que vai à falência neste ano. Antes, dois pequenos bancos do Missouri já tinham falido. Aberto em 1994, o ANB se autodenominava um dos primeiros bancos na internet. A FDIC disse que os nove escritórios do ANB serão reabertos na segunda-feira como agências do Pulaski Bank and Trust. Os depósitos serão transferidos para o Pulaski. De acordo com dados de 31 de janeiro, o ANB tinha US$ 1,8 bilhão em depósitos. O Pulaski assumirá US$ 212,9 milhões de depósitos segurados e comprará outros US$ 253,9 milhões em ativos do ANB. A FDIC informou que a falência do ANB custará US$ 214 milhões ao fundo federal de seguro a depósitos.

Varig dobra participação no mercado doméstico

A Varig alcançou em abril seu maior percentual de participação no mercado doméstico de aviação desde que foi comprada pela Gol, no ano passado. Segundo dados divulgados nesta sexta-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a companhia conquistou 7,96% de participação em abril contra 3,93% registrados em março. A Gol, que tinha 37,43% de market share nos vôos domésticos em março, aumentou sua fatia para 38,48%. De março a abril, a participação da TAM nos vôos nacionais caiu de 51,44% para 47,12%. Nas rotas internacionais, o resultado é melhor para a TAM, que passou de 68,88% do mercado em março para 72,45% no mês passado.

Ministro Gilmar Mendes critica fala de Lula sobre absolvição no caso Dorothy

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, criticou nesta sexta-feira a afirmação do presidente Lula, para quem a absolvição do fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, "mancha a imagem do Brasil no Exterior”. Bida chegou a ser condenado, em janeiro de 2007, a 30 anos de prisão como mandante do assassinato da missionária Dorothy Stang, em fevereiro de 2005, no sul do Pará. Em novo julgamento, na última terça-feira, o fazendeiro foi absolvido pelo Tribunal do Júri de Belém. Para discordar da posição manifestada por Lula, Gilmar Mendes citou o assassinato do imigrante brasileiro Jean Charles de Menezes pela polícia britância, no metrô de Londres, em julho de 2005. Jean Charles foi morto com oito tiros ao ser confundido com um terrorista. Os policiais não foram punidos. "Engraçado, nós acompanhamos o episódio do Jean Charles, que é até mineiro, em Londres. Os senhores viram os resultados das decisões, inclusive decisões judiciais, investigações. Alguém acha que a imagem da Inglaterra ficou manchada no mundo por conta desse episódio?", perguntou o presidente do Supremo. "Acho que nós temos de parar com esse tipo de consideração. Quer dizer, o resultado da condenação é que atenderia a boa imagem do Brasil? E se de fato essa pessoa for inocente? Eu não disponho de dados, talvez o presidente disponha”, agregou o presidente do Supremo. O ministro Gilmar Mendes observou que decisões judiciais controvertidas acontecem "a toda hora", no "mundo todo”. Ele também citou o desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann, de 4 anos, em maio do ano passado, quando estava hospedada em um quarto com os pais e irmãos em um complexo turístico de Portugal. O presidente do STF lembrou que se trata de um episódio sem solução até o momento, "um fenômeno misterioso": "Alguém diz que a imagem de Portugal ou da Inglaterra está manchada no mundo por conta disso? Vamos limitar os fatos a eles próprios”.

Senador Arthur Virgílio quer ouvir Dilma Rousseff novamente na CCJ do Senado Federal

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) afirmou em plenário, nesta sexta-feira, que insiste no comparecimento da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Ele quer que a ministra dê explicações sobre a elaboração e vazamento de dossiê contra Fernando Henrique Cardoso. A audiência atenderia um requerimento apresentado por Arthur Virgílio e ainda não votado pela comissão. "Ela fez muito bem em mentir durante a ditadura e eu quero ter certeza de que ela não mentiu perante uma comissão do Senado Federal", disse o senador. Para Arthur Virgílio, o dossiê está na ordem do dia e é preciso que a ministra venha ao Senado, como havia se comprometido, para falar o tempo necessário para tirar todas as dúvidas que pairam sobre o assunto. Segundo o senador, em seu depoimento na Comissão de Serviços de Infra-Estrutura (CI), na última quarta-feira, Dilma Rousseff entrou em contradição e não esgotou esse assunto. Para Arthur Virgílio, Dilma não teria falado a verdade na CI, pois disse que não havia um dossiê e sim um banco de dados. Na opinião do senador, trata-se sim de um dossiê, pois um banco de dados contém informações em ordem cronológica e não dá destaques a personagens específicos. Nesse caso, ponderou ele, a ordem cronológica foi alterada e ressaltaram-se os gastos pessoais da ex-primeira dama, Ruth Cardoso. Além disso, observou Arthur Virgílio, o suposto dossiê foi vazado por um membro do grupo da secretária-executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, que teria trabalhou durante o período de carnaval na elaboração do dossiê. “Não há hipótese de uma verdade não vir à tona na democracia. O senhor Pires já disse ontem, ‘eles podem ter plantado coisas’. Eles quem? Quem são eles? Alguém quem? Não venham me dizer que foi Fernando Henrique Cardoso. Vamos ser verossímeis, coerentes, conseqüentes. O senhor Pires vai aceitar o papel de bode expiatório do dossiê? Acho que não vai e não deve. E, ainda que ele queira aceitar, o nível de investigação que atingiu a imprensa brasileira derrubará qualquer falácia”, afirmou Arthur Virgílio.

PV anuncia na terça-feira apoio a Kassab para prefeitura de São Paulo

O Partido Verde (PV) anuncia na próxima terça-feira o apoio à candidatura do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). O PV se soma ao PMDB, que já firmou aliança, e ao PR, que também formaliza a união na próxima semana. "Trabalhamos para apoiar o prefeito Kassab e já nos decidimos", disse o presidente do PV municipal, Carlos Galeão Camacho, nesta sexta-feira. Segundo Camacho, o PV não fará aliança com o PT da ministra Marta Suplicy com o objetivo de evitar que a discussão de um terceiro mandato para o presidente Lula esteja presente na eleição da capital paulista. "Não podemos permitir que a eleição em São Paulo se transforme em um processo plebiscitário para justificar o terceiro mandato", afirmou ele. Carlos Galeão Camacho declarou ainda que o PV é "planetário" e se preocupa com questões como a corrida armamentista, que se reflete em redução em gastos sociais, e com a demarcação das terras indígenas e a preservação da Amazônia. O PV ocupa a secretaria municipal do Verde e do Meio Ambiente, com Eduardo Jorge, desde 2005, quando o atual governador José Serra (PSDB) assumiu a prefeitura. O PV também administra a região de Parelheiros, na zona sul da capital paulista. Antes do PV, o Partido da República (PR) oficializa o apoio a Kassab na segunda-feira. Na soma de DEM, PMDB, PR e PV, o prefeito deverá ter o maior tempo de TV no horário eleitoral gratuito, com cerca de 9 minutos.
O ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, deputado federal petista cassado por corrupção, defendeu nesta sexta-feira, em seu blog, o secretário de Controle Interno da Casa Civil da Presidência da República, o também petista José Aparecido Nunes Pires, apontado pela Polícia Federal como o responsável pelo vazamento do dossiê com gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Apesar de defender José Aparecido Nunes Pires, que foi levado para a Casa Civil em sua administração, José Dirceu alega: "José Aparecido não é nem meu aliado, nem meu ex assessor, e nem ‘homem de Dirceu’ como registrado em manchete de um jornal. José aparecido é Secretário de Controle Interno da Casa Civil nomeado por um ex-ministro da Pasta e mantido por sua sucessora. Como há cinco anos requisitei José Aparecido, funcionário de carreira do Tribunal de Contas da União, para prestar serviços na Casa Civil, e ele ali foi mantido pela ministra Dilma Roussef, todo o noticiário sobre esse vazamento faz referências a meu nome". José Dirceu destaca que José Aparecido nega ter enviado em um de seus e-mails o anexo com o chamado dossiê dos gastos de FHC. Em defesa do Secretário de Controle Interno da Casa Civil, José Dirceu afirma: "Profissional competente, sério e correto, José Aparecido, durante os 30 meses em que fui ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, deu provas de seu profissionalismo e espírito público. Parece-me, assim, totalmente inverossímil que um petista histórico como a imprensa registra, envie para um senador da oposição, via um assessor, documento com dados que seriam usados contra o governo e seu partido, como o foi durante esses dois últimos meses em campanha da mídia e da oposição sobre o chamado ‘dossiê’ e o uso dos cartões corporativos”. Sinceramente, você acreditaria em José Dirceu? Ele é o mesmo homem que se serviu de um tipo parecido, Valdomiro Diniz, durante a CPI dos Anões do Orçamento, para levar correndo, até a sucursal da revista Veja, em Brasília, uma folha de documento fraudado, atribuindo ao deputado federal Ibsen Pinheiro desvio de recursos do País da ordem de 1 milhão de dólares. Na verdade, tratava-se de apenas 1 mil dólares. A Veja deu matéria de capa, Ibsen foi cassado, e Lula ficou com um adversário a menos nas eleições presidenciais. José Dirceu é homem ligado a essas artimanhas. A ele é atribuída a fundação do serviço secreto do PT, que seria comandado até hoje por ele.

Fazendeiro de Roraima é o primeiro preso político do governo Lula

Leia este importante e definitivo artigo do jornalista Reinaldo Azevedo: “Paulo César Quartiero é o primeiro preso político do governo Lula. Não porque seja santo. Os presos políticos do passado também não eram — a não ser na visão distorcida da esquerdopatia militante, que transforma terroristas em heróis. Por que afirmo isso? A fazenda de Quartiero foi invadida pelos índios, que também estavam armados. Nada se investigou a respeito. Afinal, disse Tarso Genro, ministro da Justiça: ‘A terra é dos índios’. Foi corrigido hoje pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim: ‘Não, as terras são da União’. O fazendeiro foi preso, algemado e transferido para Brasília. Eis que, por coincidência, depois de quatro meses de investigação, ele leva uma multa de R$ 30,6 milhões. E justo agora. Não consegui achar o dado a tempo. Vou pesquisar. Mas deve ser a maior multa aplicada até hoje por causa de desmatamento. Sabem qual é a porcentagem da Raposa Serra do Sol ocupada pelas fazendas de arroz? Apenas 0,7%. É evidente que as leis estão sendo aplicadas ad hoc, com finalidade específica, para demonizar e esmagar o fazendeiro, tentando anular a resistência daqueles que se negam a sair do local, onde estão há muitas décadas. Famílias que estão na região desde o século 19 estão intimadas a sair. Nesse caso, aquela parte da imprensa que acusa exploração vil do caso Isabella não vê qualquer problema. Quartiero é um dos seus ‘bandidos’ de manual. Começa que ele é um grande produtor agrícola, e isso ofende, por qualquer razão, os nossos ‘progressistas’. Nos debates sobre o assassinato da menina, diz-se que o ‘clamor público’ substitui a Justiça. No caso, no entanto, do tal Bida, suspeito de ter matado Dorothy Stang, o clamor para que seja condenado é mundial. Mas, aí, é considerado legítimo. Não é justiça o que querem, mas justiçamento — contra aqueles que consideram seus inimigos. Lei boa é a que beneficia seus pares ideológicos. Se proteger também os adversários, passa a ser má. O país denunciado mundo afora por desmatamento — o que Lula considera uma intromissão em assuntos internos do país — aplicou uma das maiores multas da história a seu adversário na... Raposa Serra do Sol. É vergonhoso. É escandaloso. Como se vê, o governo age rápido contra o que considera ‘impunidade’. Ontem, Lula comparou os índios aos traficantes. Segundo ele, são todos vítimas da falta de assistência do estado, da ‘falta de água, de esgoto’. Já um fazendeiro, não. Fazendeiro é bandido mesmo. Sem desculpas”.