sábado, 5 de julho de 2008

Lula lança programa de venda de laptops para professores

O presidente Lula lançou na sexta-feira o programa que facilita a compra de computadores portáteis (laptops) pelos professores do ensino básico, técnico e superior. O objetivo é financiar a compra para os professores, com juros mais baixos, por meio de bancos públicos e privados. A expectativa é atingir cerca de 3,4 milhões de professores. Os laptops poderão ser adquiridos por até R$ 1.000,00 pagos em até 24 meses. O preço inclui despesas com transporte, frete e seguro. Segundo assessores do presidente, o programa começará em agosto em 70 municípios e se estenderá para as capitais. O programa não abrange os professores de cursos pré-vestibulares nem de idiomas, academias de ginástica e música. A previsão é que em três meses todos os professores do País sejam beneficiados pelo programa.

Depoimento de Álvaro Lins é adiado no Conselho de Ética da Alerj

O depoimento do deputado estadual Álvaro Lins (PMDB-RJ) no Conselho de Ética da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, previsto para a última sexta-feira, foi adiado para a próxima quarta-feira. Lins é acusado de ser beneficiado em esquema de propina na Secretaria de Segurança Pública quando foi chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Ele nega. O deputado esteve na Alerj na sexta-feira, mas sua defesa questionou os procedimentos do conselho ao afirmar que os trabalhos não podem ocorrer durante o recesso da Assembléia. "Não podíamos participar de um ato nulo e que prejudicaria a defesa", disse o advogado do deputado, Yuri Sahione.

Justiça decide que ex-mulher de Pitta não terá de pagar indenização a Maluf

O ministro Luís Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça, decidiu que a ex-mulher do ex-prefeito Celso Pitta, Nicéa Camargo do Nascimento, não terá de pagar indenização ao candidato do PP à Prefeitura de São Paulo, deputado federal Paulo Maluf (PP), por violação de sua honra e imagem. Registros no processo mostram frases que teriam sido ditas por Nicéia, como: "Isso é só o começo. Falta condenar muitos outros, principalmente o Paulo Maluf, que é o maior culpado de tudo". A defesa do deputado entrou com uma ação no Tribunal de Justiça de São Paulo afirmando que Nicéa Camargo dissera "palavras ofensivas, mentirosas e levianas com a intenção de macular a imagem e a honra de Maluf". O tribunal entendeu que isso não ocorreu.

Ex-diretor do Pão de Açúcar assume presidência da Azul na segunda-feira

Pedro Janot, ex-diretor do Grupo Pão de Açúcar, assumirá na segunda-feira a presidência da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, de propriedade de David Neeleman, fundador da empresa norte-americana JetBlue. Janot é formado em administração de empresas pela Universidade Candido Mendes, com pós-graduação em recursos humanos pela PUC do Rio de Janeiro e MBA pelo Ibmec. Além da rede de supermercados, ele já passou por Mesbla, Americanas, Richard's e Zara. Para Janot, sua experiência em iniciar projetos empresariais o motivaram para aceitar a proposta de Neeleman: "Aceitei este enorme desafio por acreditar que a Azul vai decolar e voar muito alto. O modelo de negócios e as inovações que a companhia vai trazer são fascinantes.

Embraer recebe encomenda da Índia para 3 jatos de vigilância

A Embraer anunciou na sexta-feira que o governo da Índia encomendou três jatos EMB 145, um modelo utilizado atualmente em missões de inteligência e vigilância no Brasil, no México e na Grécia. O valor do negócio, que inclui peças de reposição, treinamento e outros itens, não foi revelado. Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários, a empresa afirmou que a primeira entrega está prevista para 2011 e que a nova frota se juntará a quatro jatos Legacy usados pela Força Aérea da Índia para transportar autoridades. Segundo a Embraer, o EMB 145 é derivado do jato regional ERJ 145, que já conta com mais de mil aeronaves em operação em todo o mundo. O modelo comprado pela Índia é capaz de detectar, rastrear e identificar alvos dentro da sua área de patrulhamento e transmitir estas informações para forças amigas. A aeronave também pode monitorar o espaço aéreo, controlar o posicionamento de caças em missões de interceptação, inteligência de sinais e vigilância marítima e de fronteira.

Governo colombiano diz que as Farc "racharam" e têm sérios problemas

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), organização terrorista e traficante de cocaína, "estão rachadas, fragilizadas", afirmou na sexta-feira o ministro da Defesa colombiano, Juan Manuel Santos, durante a apresentação do vídeo com o resgate da franco-colombiana Ingrid Betancourt e mais 14 reféns, entre eles três norte-americanos. Juan Manuel Santos acrescentou que as Farc "têm sérios problemas de comando, controle e comunicação". Acompanhado pelos comandantes das Forças Armadas, Freddy Padilla de León, e do Exército, Mario Montoya, Santos projetou "o filme" da "Operação Xeque". O ministro ressaltou que a operação foi "100% colombiana", embora tenha reconhecido que as tropas de seu país recebem assistência dos Estados Unidos e de Israel. "Uma semana antes, avisamos o embaixador dos Estados Unidos na Colômbia, William Brownfield, em minha casa, na presença do general Padilla", contou Santos, explicando que essa "foi uma promessa do presidente Álvaro Uribe ao presidente George Bush". Ele também negou com firmeza a notícia de que houve pagamento aos terroristas pelo resgate dos reféns: "Não houve pagamentos. Isso é mentira. É uma informação sem fundamento. Não foi pago um só centavo. É absolutamente mentira. O resgate foi mais um da inteligência que militar em que não houve um só tiro nem foi derramada uma só gota de sangue”.

Ingrid Betancourt recebida como heroína na França

Ingrid Betancourt foi recebida como heroína nesta sexta-feira, na França, onde o presidente Nicolas Sarkozy havia feito da libertação dela uma prioridade de seu governo e milhares de pessoas tinham realizado campanha pela libertação da agora ex-refém. Ingrid Betancourt, 46 anos, foi resgatada na quarta-feira por militares colombianos depois de passar mais de seis anos em acampamentos de regiões de mata como refém dos terroristas e traficantes de cocaína das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Sarkozy e a mulher dele, Carla Bruni-Sarkozy, receberam Ingrid Betancourt e seus familiares no aeroporto em que o avião dela pousou, um avião da Presidência da República francesa enviado à Colômbia pelo governo francês. O casal Sarkozy abraçou a ex-refém e apertou suas mãos antes de abraçar também os parentes dela. "Ingrid Betancourt, seja bem-vinda. A França ama você", disse Sarkozy, visivelmente emocionado, em um breve discurso proferido na pista de pouso. Ingrid Betancourt, com lágrimas nos olhos, deu crédito ao governo francês por sua libertação, argumentando que se deveu em parte aos esforços feitos na França o fato de os militares colombianos terem decidido realizar o arriscado resgate, optando, no entanto, por uma operação que não envolveu o uso da violência. "A operação extraordinária, perfeita, imaculada do Exército colombiano, que me permitiu estar aqui hoje, é também o resultado da luta de vocês", afirmou a ex-candidata à Presidência colombiana. Milhares de simpatizantes aguardaram durante horas para ver Ingrid Betancourt na Prefeitura de Paris, em cuja fachada, desde 2004, estava dependurada uma imagem gigantesca dela. "Acho que chegou a hora de tirarmos essa coisa horrível da parede", disse Ingrid Betancourt, sorrindo, pouco antes de cortar a imagem dela mesma. Na foto, tirada no cativeiro, a ex-refém aparece magra e doente. Em polvorosa, a multidão reunida ali aplaudiu e gritou seu nome diversas vezes. Ingrid Betancourt morou na França quando jovem e possui dupla cidadania devido a um casamento hoje anulado. Nesta sexta-feira, dezenas de simpatizantes anônimos aplaudiram e choraram na recepção a Ingrid Betancourt no Palácio do Eliseu, sede do governo francês, onde a ex-refém abraçou-os e beijou-os enquanto Sarkozy sorria de orelha a orelha. Desde que tomou posse, no ano passado, o presidente buscou ativamente garantir a libertação dela, pressionando pela realização de negociações e conclamando as autoridades colombianas a evitarem uma ação militar.

Libertação de Ingrid Betancourt aumenta popularidade de Álvaro Uribe na Colômbia

A popularidade do presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, subiu para 91,72% após o resgate da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, conforme pesquisa divulgada nesta sexta-feira. Antes do resgate de Ingrid Betancourt e outros 14 reféns que estavam em poder dos terroristas e traficantes de cocaína das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), na quarta-feira, a aprovação de Uribe estava em 84%. O novo índice, constatado em sondagem do Instituto Yanhaas, representa o mais alto de sua gestão e dá mais força ao projeto de mudança constitucional para permitir que ele possa se candidatar a uma segunda reeleição. O projeto é controvertido, e Uribe ainda não formalizou seu desejo de disputar o terceiro mandato, mas nas ruas muitos colombianos se dizem favoráveis à sua permanência no poder. "Se Uribe decide disputar a segunda reeleição varrerá seus adversários, mas o processo para conseguir a modificação da Constituição pode representar um desgaste à imagem do presidente", afirmou o analista político Rafael Nieto, ex-vice-ministro de Justiça no primeiro mandato de Uribe.

Marco Aurélio “Top Top” Garcia nega relações do PT com as Farc

Marco Aurélio “Top Top” Garcia, assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência, clone de chanceler do governo Lula, negou nesta sexta-feira que o PT possua ou tenha tido alguma relação política com os terroristas e traficantes de cocaína das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Para deixar muito claro, em alguns fóruns multilaterais, há mais de 10 ou 15 anos, o PT conviveu com 50 ou 60 organizações, e entre elas as Farc, mas elas foram afastadas", declarou Marco Aurélio “Top Top” García. O PT e as Farc "conviveram", sim, e muito, e continuam convivendo, no Foro de São Paulo, que reúne organizações de esquerda latino-americanas. Esse Foro de São Paulo é organização criada diretamente por Lula e por Fidel Castro. Continuou o “Top Top” Garcia do PT: “Há anos o Foro de São Paulo excluiu a guerrilha colombiana por seu próprio caráter de grupo armado. As Farc, inclusive, viam mal o PT, pois o partido se opunha ao uso das armas com fins políticos e defendia excluir as guerrilhas colombianas do Foro de São Paulo”. O assessor de Lula anunciou ainda que, "em breve", o PT tornará pública uma série de documentos "que são absolutamente claros sobre sua relação com as Farc”. Marco Aurélio “Top Top” García também lembrou que, nos primeiros meses de 2003, pouco depois que Lula assumiu a Presidência, viajou para Bogotá e se reuniu com diferentes autoridades, perante as quais deixou claro que "tudo relacionado com a Colômbia seria tratado exclusivamente com o governo desse país”. Marco Aurélio “Top Top” Garcia é homem acostumado dentro da esquerda leninista-trotskista. Ele foi dirigente, no Rio Grande do Sul, do antigo POC (Partido Operário Comunista), resultado de uma fusão da Dissidência gaúcha do antigo Partidão com a Polop (Política Operária). Quando o antigo delegado da repressão gaúcha, Pedro Seelig, levou para o Dops (Delegacia de Ordem Política e Social) o jornalista Luiz Paulo Pilla Vares (dirigente do POC) e lá o inquiriu sobre todos os outros chefetes desta organização, sem tocar nele um dedo sequer, Marco Aurélio “Top Top” Garcia mandou o partido às favas e escafedeu-se de Porto Alegre na maior velocidade, junto com sua mulher, Elisabeth Souza Lobo (já falecida), em direção ao Chile. Tão inglória desaparição da cena revolucionária gaúcha não o desacreditou como dirigente internacional. Ele recupera a pose e o aplomb em Paris. De lá, já como dirigente da 4ª Internacional, ele coordena o envio de antigos companheiros do POC para que participassem das ações armadas do ERP (Exército Revolucionário Popular) argentino. Este ERP é o pai do MAS (Movimento ao Socialismo) do cocaleiro trotskista boliviano Evo Morales (aquele que surrupiou duas refinarias da Petrobras, com o beneplácito do “Top Top”). Entre os enviados por Marco Aurélio “Top Top” Garcia para a Argentina, para a “militância” no ERP, estavam seus ex-companheiros de POC: Flávio Koutzii (ex-deputado estadual petista e ex-chefe da Casa Civil no governo Olívio Dutra, quando as bandeira de Cuba foi colocada nos balcões do Palácio Piratini, e terroristas das Farc foram recebidos na sede do governo gaúcho com honras de Estado) e a jornalista Maria Regina Pilla. Agora Marco Aurélio “Top Top” Garcia diz que o PT não tem nada a ver com as Farc. Sinceramente, você aceitaria uma cédula de 30 reais de Marco Autélio “Top Top” Garcia como verdadeira?