quinta-feira, 10 de julho de 2008

Supremo manda soltar Daniel Dantas e mais 10 presos da Operação Satiagraha

O Supremo Tribunal Federal mandou soltar Daniel Dantas, dono do banco Opportunity, preso pela Polícia Federal na terça-feira, durante a Operação Satiagraha. A irmã de Daniel Dantas, Verônica Dantas, e mais nove pessoas que haviam sido presas na operação, também foram soltas. No início da noite desta quarta-feira, a Justiça de São Paulo encaminhou ao presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes, as informações que basearam o pedido de prisão do sócio fundador do Banco Opportunity e de sua irmã Verônica Dantas. Eles haviam entrado com habeas-corpus preventivo em junho, com receio de que fossem alvos de uma ação da Polícia Federal. Com a prisão, os advogados pediram que o Supremo os libertasse imediatamente.

Procurador Geraldo da Camino pede suspensão total da licitação do lixo em Canoas

Parecer do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas propõe a suspensão formal, pelo Pleno do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, da megalicitação de quase R$ 750 milhões aberta pela prefeitura de Canoas para terceirizar a prestação de serviços de limpeza urbana no município. O edital de licitação, lançado no ano passado, prevê a concessão dos serviços por 20 anos em formato de parceria público-privada (PPP). O processo, que tinha abertura de propostas prevista para agosto de 2007, já havia sido sustado pela prefeitura, após a apresentação da denúncia ao Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas feita pelo administrador de empresas Enio Noronha Raffin. Ainda no ano passado, o agora procurador-geral do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas, Geraldo Costa da Camino, havia solicitado uma inspeção extraordinária nas contas do município, em face das denúncias de ilegalidades existentes na licitação. Segundo Geraldo Costa da Camino, as ilegalidades encontradas na concorrência do lixo motivam "imposição de multa ao administrador (no caso, o prefeito de Canoas, Marcos Ronchetti) e consideração da matéria quando da apreciação de suas contas anuais".

Senado norte-americano aprova lei que autoriza escutas telefônicas

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta quarta-feira uma lei que moderniza uma norma de espionagem e concede imunidade às empresas de telecomunicações que colaboram com o governo na tentativa de identificar suspeitos de terrorismo através de escutas telefônicas. A medida, aprovada com 69 votos a favor e 28 contra, passa agora ao presidente norte-americano, George W. Bush, que deve promulgá-la nos próximos dias. Bush afirmou que, com a aprovação da medida, "agora é mais fácil proteger os cidadãos norte-americanos". Ele ressaltou que, com esta lei, "é possível saber o que dizem os terroristas e o que estão planejando".Com a votação, o Senado moderniza a chamada Lei de Supervisão de Dados de Inteligência sobre Estrangeiros (Fisa), de 1978, mas que não incluía novas tecnologias de comunicações como celulares, internet e e-mail.

Processo sobre dossiê contra Fernando Henrique Cardoso chega ao Supremo

Chegou nesta quarta-feira ao Supremo Tribunal Federal o processo de investigação do vazamento de informações do dossiê montado na Casa Civil sobre gastos com cartões corporativos feitos durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Agora são citados no processo também o ministro da Justiça, Tarso Genro, e a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. O caso estava na Justiça Federal enquanto não havia entre os investigados autoridades com direito a foro privilegiado. Os nomes de Tarso Genro e Dilma Rousseff foram incluídos na apuração depois que o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) levantou suspeita de envolvimento deles.

Supremo arquiva pedido de habeas corpus a Cacciola

O Supremo Tribunal Federal arquivou o pedido de habeas corpus para o ex-banqueiro Salvatore Cacciola. Essa era uma última tentativa do advogado de Cacciola, Carlos Ely Eluf, de impedir a extradição do ex-banqueiro, feito pelo governo brasileiro às autoridades de Mônaco. Salvatore Cacciola foi preso em Mônaco no ano passado pela Interpol. Ele é condenado pela Justiça brasileira a 13 anos de prisão por desvio de dinheiro público num esquema que teria prejudicado a União em R$ 1,5 bilhão. Ele fugiu para Itália em 2000 depois de conseguir um habeas corpus do então presidente do Supremo, ministro Marco Aurélio Mello. O príncipe de Mônaco, Albert II, já aceitou a extradição de Cacciola. O ministro da Justiça, Tarso Genro, espera que ele chegue ao Brasil nas próximas semanas.

Senador Heráclito Fortes nega amizade com banqueiro Daniel Dantas

O senador Heráclito Fortes, do DEM do Piauí, está chateado com notícias veiculadas na imprensa de que ele é amigo pessoal de Daniel Dantas, dono do Opportunity, preso na manhã de terça-feira pela Operação Satiagraha da Polícia Federal. Heráclito subiu à tribuna do Senado Federal na tarde desta quarta-feira para contar que um jornalista do jornal Folha de S. Paulo o procurou dizendo que numa fita há um indício de um depósito dele num paraíso fiscal, em conta do Oppotunity. Disse Heráclito Fortes: “Recebam da minha mão uma renúncia de mandato se aparecer uma conta, uma aplicação minha em qualquer paraíso fiscal. Não me zangarei mais com a imprensa. A partir de hoje, se quiserem dizer que eu sou amigo do senhor Daniel Dantas, embora não seja, vou aceitar. Isso me fará menos mal do que se disserem que eu sou amigo do Valdomiro ou de quem carrega dólar na cueca ou dos aloprados, porque, pelo menos, é um gângster que não tem contra si nenhuma ação proposta pelo Banco Central”. Ele ainda questionou seus colegas: “Se é golpe financeiro eu pergunto: por que até este exato momento o Banco Central não tomou nenhuma medida contra esse Banco? Se o Banco atenta contra o patrimônio, sobre o sistema financeiro, no momento de tanta sensibilidade, por que a omissão do Banco Central?” O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) fez questão de atravessar o Congresso para parabenizar o senador Heráclito Fortes pelo discurso, o que é muito sintomático.

Paulinho da Força Sindical acha que convenceu seus colegas deputados federais

O deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força Sindical, deixou a reunião desta quarta-feira do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados certo de que convenceu os deputados que as denúncias de que ele teria participado de desvio de recursos do BNDES são calúnias contra ele. O desvio de recursos foi desbaratado pela Operação Santa Tereza, da Polícia Federal. Paulinho foi acusado de participar do esquema de desvio de recursos do banco por meio da ONG Meu Guri, ligada à Força Sindical, movimento sindical do qual ele e sua mulher fazem parte.

Santa Casa de Porto Alegre suspende internações na UTI neonatal

A Santa Casa de Porto Alegre suspendeu nesta semana a internação de gestantes e a realização de partos, por causa da superlotação na UTI neonatal da unidade. O hospital é privado, mas atende pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Com o fechamento por tempo indeterminado da maternidade da Santa Casa, gestantes estão sendo encaminhadas para outros quatro hospitais de Porto Alegre que atendem pelo SUS. "Ultrapassamos o nosso limite, estamos com água no pescoço", disse nesta quarta-feira o chefe de neonatologia do hospital, Sérgio Grossi.

Produtores argentinos anunciam novos protestos

Os líderes das quatro principais entidades do setor rural argentino anunciaram que vão retomar mais uma vez os protestos contra o governo a partir desta quinta-feira. Segundo o anúncio, feito nesta quarta-feira, a nova rodada de protestos será realizada até o próximo dia 15 e incluirá um acampamento em frente ao Congresso Nacional e a presença dos produtores à margem das estradas, mas sem bloqueios. Os protestos do campo argentino vêm sendo realizados desde março, com alguns períodos de trégua, e foram motivados pelo projeto do governo da presidente Cristina Kirchner que prevê o aumento dos impostos sobre as exportações de grãos.

Grupo do PT-BH formaliza dissidência para apoiar PCdoB

Contrário à união com PSDB na disputa da Prefeitura de Belo Horizonte, o grupo mais à esquerda do PT da capital mineira enviou carta à direção nacional do partido formalizando uma dissidência e dizendo-se "liberado para agir da melhor forma" na campanha eleitoral em Belo Horizonte. A esquerda petista não aceita participar da aliança em torno da candidatura de Marcio Lacerda (PSB), que é apoiada “informalmente” pelo PSDB do governador de Minas Gerais, Aécio Neves. A carta é intitulada "Declaração Política" e não cita qual vai ser o candidato apoiado pelos dissidentes. Mas, a esquerda petista e lideranças do movimento sindical e social devem apoiar a candidata Jô Moraes (PCdoB), conforme e-mail que circulava ontem com o título "Sou PT, voto Jô".

Cade aprova compra da Ipiranga e Suzano pela Petrobras

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou nesta quarta-feira a compra da Ipiranga pelo consórcio formado pela Petrobras, Ultrapar e Braskem. A operação analisada pelo conselho se refere apenas à parte de refinarias e petroquímica. A parte de postos de combustíveis e distribuição será analisada posteriormente. O conselho aprovou também a compra da Suzano Petroquímica pela Petrobrás e a formação de uma nova empresa petroquímica pela Petrobras e pela Unipar. No caso da Ipiranga, o conselho impôs apenas uma restrição: que as empresas modifiquem cláusula que previa que os antigos sócios da Ipiranga não poderão voltar ao mercado por cinco anos. O conselho pediu que a cláusula seja mudada de forma que a proibição se aplique apenas às regiões onde o grupo Ipiranga atuava anteriormente. Já no caso da compra da Suzano, o conselho pediu que a Petrobras envie em 15 dias aos antigos sócios da Suzano documentação explicitando que eles não poderão concorrer nos próximos cinco anos apenas na 1ª e 2ª geração petroquímica, ficando liberados para entrarem no mercado de 3ª geração.

Greve dos Correios atrasa entrega de 70 milhões de correspondências

A greve dos funcionários da ECT (Empresa de Correios e Telégrafos), que chegou nesta quarta-feira ao nono dia, fez com que 70 milhões de correspondências não chegassem em seus destinatários. O volume diário em dias normais é de 33 milhões de objetos. Segundo os Correios, se a greve tivesse terminado nessa quarta-feira, seriam necessários cerca de dez dias para regularizar a entrega dos itens atrasados, em conjunto com o volume normal de correspondências. Nesta quarta-feira, 35% dos carteiros de todo o Brasil estavam de braços cruzados e, das pouco mais de 7.000 agências do País, 398 não cumprem a liminar do Tribunal Superior do Trabalho que determina que pelo menos 50% dos funcionários trabalhem em cada uma das unidades.

Senadores batem boca sobre atuação da Polícia Federal na Operação Satiagraha

Os senadores Arthur Virgílio (PSDB-AM) e Pedro Simon (PMDB-RS) bateram boca nesta quarta-feira no plenário do Senado ao apresentarem posições divergentes sobre a atuação da Polícia Federal na Operação Satiagraha, que prendeu na terça-feira o banqueiro Daniel Dantas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o investidor Naji Nahas. Arthur Virgílio, acompanhado por outros seis senadores, se solidarizou com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que classificou de "espetacularização" a atuação de agentes da Polícia Federal ao mostrar imagens das prisões de Daniel Dantas, Celso Pitta e Naji Nahas. Simon, ao contrário, reagiu isoladamente às críticas dos parlamentares à conduta da Polícia Federal, em uma insinuação de que os demais senadores temem futuramente serem investigados pela Polícia Federal. "Ser algemado acontece todo o dia na favela. Não imagine o senador Virgílio que estou aqui para bater palmas porque os cidadãos foram algemados. Mas é importante entender que, no Brasil, precisamos fazer com que a Justiça valha para todos. Temos que acabar com a impunidade", reagiu Simon. Irritado, Arthur Virgílio subiu à tribuna do plenário para se contrapor ao peemedebista. Em um discurso inflamado, acusou Simon de ser um "decano da Casa" com postura de "alguém que acabou de chegar" ao se colocar publicamente contra os demais parlamentares somente para ganhar holofotes. "Talvez seja um desserviço dividirmos de maneira simplória e falsa o plenário do Senado entre os que têm suposta conivência com os crimes desvendados pela Polícia Federal e aquele único cavaleiro andante (Simon) que está sempre do lado do justo, do correto, remando contra 80 senadores que não se comportam de maneira adequada", ironizou Arthur Virgílio. Apesar de se mostrar favorável às prisões, ao afirmar que sente "desprezo" por Pitta, Nahas e Dantas, Arthur Virgílio disse que a prisão dos três "abre caminho para mais arbítrio, que amanhã poderá atingir Vossa Excelência (Simon) ou cada um de nós senadores”. Arthur Virgilio chegou a insinuar que Simon estaria envolvido em irregularidades na indicação do presidente do Banrisul, Fernando Guerreiro de Lemos, e por isso não teria autoridade para criticar as prisões efetuadas pela Polícia Federal. "Quem está irregular é o presidente do Banrisul", disse Arthur Virgílio. "Vossa Excelência está ocupando irregularmente o microfone", rebateu Simon irritado. Após o bate-boca, o peemedebista também subiu à tribuna da Casa para criticar o discurso de Virgílio. "Será que ao longo da minha vida estive aqui como cidadão que quer aparecer, se expor para subir em cima da honra dos meus colegas? Se sou isso, sou um pobre diabo, aquilo que penso que não sou." Visivelmente emocionado, Simon disse que pretende encerrar sua vida pública quando completar 80 anos. "Estou no fim de uma vida pública pela minha idade. E mesmo que não fosse pela idade, estou encerrando. Não sei se fico até o fim do meu mandato ou renuncio com 78 anos de idade", afirmou. Depois da troca de ofensas, Pedro Simon e Arthur Virgílio se abraçaram no plenário. Simon pode estar mesmo se encaminhando para o fim de sua vida pública mais rápido do que se imagina.

Senadores visitam Santa Casa de Belém nesta quinta-feira

Seis senadores irão visitar a Santa Casa de Belém (PA) nesta quinta-feira. Segundo o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), o grupo vai ouvir mães, médicos que trabalham no hospital e as autoridades responsáveis pela unidade. Desde junho, 63 bebês morreram na instituição. Conforme o senador, o objetivo do grupo é "ajudar o governo do Estado a encontrar uma solução para que a Santa Casa possa resolver seus problemas e voltar a ser referência no atendimento materno-infantil". Flexa Ribeiro acusou a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), de demonstrar "omissão e insensibilidade" perante o caso.

Alckmin compensa falta de apoio no PSDB com engajamento dos partidos aliados

O candidato a prefeito de São Paulo e ex-governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), está compensando o apoio raquítico do PSDB à sua candidatura com o engajamento dos partidos coligados. O principal parceiro do ex-governador na campanha que começou domingo passado é o PTB, que indicou o deputado estadual Campos Machado para a vaga de vice do tucano. O apoio do PSDB à candidatura Alckmin ainda não ganhou impulso. Até a convenção do partido, realizada no final do mês passado, 11 dos 12 vereadores tucanos na Câmara Municipal e caciques do partido (como o governador do Estado, José Serra) apoiavam a reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

Ex-refém das Farc abandona Colômbia por ameaças de morte

O ex-senador colombiano Luis Eladio Pérez, que permaneceu mais de sete anos seqüestrado pelas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), organização terrorista e traficante de cocaína, deixou o país em função das ameaças de morte recebidas nas últimas semanas. Seu irmão Sergio Pérez confirmou à emissora Caracol a saída do país de Luis Eladio e de sua família. O ex-congressista confirmou sua partida. "Já estou preparando os detalhes. Sei aonde vou, mas não vou tornar público", disse ele. "As ameaças são muito factíveis, mas não posso falar sobre seu conteúdo. Não vou me expor", acrescentou o ex-congressista. Pérez foi seqüestrado em janeiro de 2001 pelas Farc, e libertado em 27 de fevereiro. Ele foi na segunda-feira à Promotoria em Bogotá prestar depoimento contra os guerrilheiros Gerardo Antonio Aguilar, conhecido como César, e Alexander Farfán, chamado de Enrique Gafas, detidos na operação de resgate que permitiu, em 2 de julho, a libertação de 15 reféns, entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt. "Eles devem pagar primeiro por seus crimes de lesa-humanidade na Colômbia", disse, perante a possibilidade de que fossem extraditados aos Estados Unidos. "Ontem (segunda-feira) estive na Promotoria para prestar depoimento sobre Enrique Gafas e César, pois eles foram meus carcereiros. Foram eles que me torturaram, e eu não ia lá dizer que eram anjos, por medo", disse o político.

Pentágono vai reabrir megalicitação de aviões de abastecimento

O senador norte-americano Richard Shelby disse nesta quarta-feira que o Pentágono decidiu reabrir a licitação de um contrato de US$ 35 bilhões por aviões de abastecimento. "Esta é a melhor de todas as opções", afirmou o senador pelo Estado do Alabama, acrescentando que o secretário de Defesa Robert Gates divulgará a nova licitação. Em 29 de fevereiro, a Força Aérea norte-americana escolheu o construtor europeu EADS (fabricante do Airbus) e a Northrop Grumman para que lhe fornecessem 179 aviões de abastecimento, em um contrato de US$ 35 bilhões de dólares, um dos maiores já assinados pelo Pentágono nos últimos anos. Em 11 de março, a Boeing apresentou um recurso ao GAO (Government Accountability Office, o braço investigativo do Congresso norte-americano), questionando a atribuição do contrato por "irregularidades no desenvolvimento da licitação e na avaliação das ofertas”. Mais, recentemente, em 12 de junho, a Northrop Grumman reconheceu que o Pentágono havia cometido muito erros na avaliação dos dois candidatos na licitação para renovar sua frota de aviões-tanque. "A Força Aérea norte-americana descobriu cinco erros no cálculo do custo mais provável do ciclo de vida (do programa), o que implica um leve ajuste dos custos operacionais dos dois aparelhos", declarou na ocasião o grupo de defesa norte-americano.

Pentágono vai reabrir megalicitação de aviões de abastecimento

O senador norte-americano Richard Shelby disse nesta quarta-feira que o Pentágono decidiu reabrir a licitação de um contrato de US$ 35 bilhões por aviões de abastecimento. "Esta é a melhor de todas as opções", afirmou o senador pelo Estado do Alabama, acrescentando que o secretário de Defesa Robert Gates divulgará a nova licitação. Em 29 de fevereiro, a Força Aérea norte-americana escolheu o construtor europeu EADS (fabricante do Airbus) e a Northrop Grumman para que lhe fornecessem 179 aviões de abastecimento, em um contrato de US$ 35 bilhões de dólares, um dos maiores já assinados pelo Pentágono nos últimos anos. Em 11 de março, a Boeing apresentou um recurso ao GAO (Government Accountability Office, o braço investigativo do Congresso norte-americano), questionando a atribuição do contrato por "irregularidades no desenvolvimento da licitação e na avaliação das ofertas”. Mais, recentemente, em 12 de junho, a Northrop Grumman reconheceu que o Pentágono havia cometido muito erros na avaliação dos dois candidatos na licitação para renovar sua frota de aviões-tanque. "A Força Aérea norte-americana descobriu cinco erros no cálculo do custo mais provável do ciclo de vida (do programa), o que implica um leve ajuste dos custos operacionais dos dois aparelhos", declarou na ocasião o grupo de defesa norte-americano.

Soninha diz que, se eleita, pretende acabar com política do "toma-lá-dá-cá"

A candidata do PPS à prefeitura de São Paulo, vereadora Soninha Francine, afirmou que, se for eleita, pretende administrar a cidade sem a chamada política do "toma-lá-dá-cá". Segundo ela, o loteamento de cargos públicos para conseguir apoio político, que se tornou prática cada vez mais "escancarada" em todas as esferas de poder, é um dos principais problemas que afetam a eficiência da administração pública. "A política não pode estragar a administração pública. Mas isso que a gente chama de política, na verdade é politicagem, não pode interferir na administração pública", afirmou a candidata. "Você tem de estar tão disposto a mudar isso quanto a mudar a violência, o congestionamento, a poluição", disse ela.

Geleira gigante na Argentina se rompe pela primeira vez no inverno

O arco de 60 metros de altura da geleira argentina Perito Moreno rompeu-se nesta quarta-feira, reeditando seu majestoso e periódico espetáculo que, no entanto, aconteceu pela primeira vez no inverno austral. O teto do túnel que ligava os braços Rico e Canal de los Témpanos que tinha extensão de 50 metros, começou a desabar ante o olhar atônito dos visitantes, em meio a um estrondo. O derretimento cíclico dessa represa de gelo, que comporta um braço do lago Argentino, nos Andes austrais, acontece geralmente no verão. Este ano, no entanto, começou mais cedo para surpresa dos meteorologistas e cientistas. "Esta é a primeira vez que a geleira derrete no inverno. Isso pode estar relacionado ao aquecimento global, já que o aumento da temperatura afeta a resistência do gelo", disse Carlos Corvalán, diretor do Parque Nacional Los Glaciares, na província de Santa Cruz. A geleira Moreno fica a 2.800 quilômetros de Buenos Aires, com uma superfície de 275 quilômetros quadrados e uma frente que mede entre 4 e 5 quilômetros.

Advogada diz que doleiro Funaro decidirá se vai se entregar à Polícia Federal após ler autos

A advogada Beatriz Cattapreta, que defende o doleiro Lúcio Bolonha Funaro, afirmou nesta quarta-feira que seu cliente só vai decidir se vai se entregar à Polícia Federal após a defesa ler os autos da Operação Satiagraha, da Polícia Federal. Ela afirmou que conversou com seu cliente e que ele se mostrou assustado. A advogada afirmou que Funaro também negou qualquer envolvimento com o caso, mas confirmou que ele e o investidor Naji Nahas têm uma relação de amizade e profissional, que ela classificou de "mercado". Beatriz Cattapreta esteve nesta quarta-feira na Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo para ter acesso aos autos.

Senado Federal instala comissão para reescrever o Código de Processo Penal

O presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), instalou nesta quarta-feira uma comissão formada por profissionais de direito para formular uma proposta de reforma estrutural do Código de Processo Penal brasileiro. O grupo foi formado graças a um requerimento do senador Renato Casagrande (PSB-ES). Na instalação da comissão, Garibaldi pediu que a nova lei seja mais adequada aos dias atuais. O código vigente foi criado há 66 anos. Conforme o senador, depois de definir um programa de trabalho, a comissão irá abrir consultas públicas e estudar sugestões da população. Em discurso, o senador disse que a reforma estreitaria os laços entre o Legislativo e a sociedade e promoveria a justiça.

Álvaro Lins falta pela segunda vez ao depoimento no Conselho de Ética

O deputado estadual e ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Álvaro Lins (PMDB), faltou pela segunda vez ao depoimento que teria de prestar ao Conselho de Ética da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. O Conselho investiga a quebra de decoro parlamentar de Lins, citado em investigação da Polícia Federal como chefe de um esquema de corrupção da polícia do Rio de Janeiro para beneficiar máfias de caça-níqueis. Lins chegou a ser preso em flagrante pela Polícia Federal, mas foi solto no dia seguinte por decisão da Assembléia.

Marido de Ingrid Betancourt admite possibilidade de separação

O publicitário colombiano Juan Carlos Lecompte, marido de Ingrid Betancourt, reconheceu que atravessa "uma situação complicada" e não descartou que sua relação com a ex-refém das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) "tenha acabado". O publicitário, que é casado há mais de oito anos com Ingrid Betancourt, afirmou que uma possível separação "pode acontecer". "Não penso nisso só agora, mas desde antes", comentou. Lecompte disse entender que a ex-candidata, após mais de seis anos em poder das Farc, queira ficar "só com seus filhos". "Conheço ela bem e sabia que ia me pedir um tempo só com seus filhos. Eu respondi que interiormente já tinha me preparado para isso durante todos estes anos", afirmou Lecompte. Ele desmentiu os rumores sobre as causas do distanciamento e negou que seja por uma suposta relação sentimental sua com uma mexicana durante os anos em que Ingrid Betancourt ficou seqüestrada. O publicitário também afirmou que se sentia "muito feliz com o resgate", mas ressaltou que "esperava outra coisa". "Eu esperava um forte abraço", disse ele. "Não houve um forte abraço. Aí fiquei ao lado, com muita dignidade. Jamais fui protagonista na vida pública de Ingrid", acrescentou. Além disso, o publicitário disse não se incomodar com o fato de Betancourt ter se referido a seu ex-marido, Fabrice Delloye, de forma carinhosa. "Eles têm uma relação como de irmãos" e ele é "o pai de seus filhos", comentou.

Kassab confirma participação de tucanos em sua campanha mas nega imposição

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), afirmou nesta quarta-feira que os secretários do PSDB que fazem parte do seu governo vão ajudar na formulação de seu plano de governo. Ele admitiu que a situação é "peculiar" --já que os tucanos têm seu próprio candidato--, mas negou que faça imposição a seus "colaboradores" do PSDB. "Os meus secretários participarão da elaboração do meu programa de governo. Não tem nenhum sentido os secretários não participarem do meu programa, que será de continuidade", disse ele: "Esse plano de governo será um plano meu com o PSDB”. Ao confirmar a participação de secretários tucanos em sua campanha, Kassab tratou de defendê-los, afirmando que não há falta de ética nessa adesão: "Acho muito natural que alguns deles estejam conosco, afinal, é o governo deles e também é eticamente correto. Não está sendo uma conduta imoral aqueles que estiverem me apoiando".

Ingrid Betancourt pede marcha em Paris pelos reféns das Farc

Ingrid Betancourt, ex-refém das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), organização terrorista e traficante de cocaína, fez um apelo nesta quarta-feira a uma manifestação em Paris no dia 20 de julho para chamar a atenção do mundo para "aqueles que continuam em poder das Farc na Colômbia". Ingrid falou sobre o assunto durante uma recepção em sua homenagem na Assembléia Nacional francesa. "No dia 20 de julho quero gritar, com vocês, pela independência e a liberdade dos que ainda são mantidos como reféns pela guerrilha na Colômbia", disse ela na galeria de festas do Palácio Bourbon, sede da câmara baixa do parlamento francês. "A idéia é uma manifestação no domingo, 20 de julho, a partir das 14 horas na praça Trocadero", acrescentou Ingrid Betancourt. Uma passeata pela mesma causa também está prevista para o dia 20 de julho na Colômbia.

PSOL questiona envolvimento de Daniel Dantas com governo Lula na venda da Brasil Telecom

O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) questionou nessa quarta-feira o envolvimento do governo Lula com o banqueiro Daniel Dantas por conta da compra da Brasil Telecom pela Oi. A Brasil Telecom já foi controlada por Daniel Dantas mas, antes da venda da empresa para a Oi, o banqueiro assinou um contrato de venda de sua parte na empresa, por mais de US$ 1 bilhão. "Esse cidadão está preso, atrás das grades, o governo não tem nada a ver com isso? A Anatel, o BNDES não têm nada a ver com isso?", questionou ao ministro Hélio Costa, durante audiência na Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara dos Deputados. Ivan Valente, que é candidato a prefeito de São Paulo pelo PSOL, acusou o governo de mudar a legislação apenas para atender os interesses da Oi e da Brasil Telecom. Após pedido do Ministério das Comunicações, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) propôs mudar o PGO (Plano Geral de Outorgas) para permitir que uma empresa de telefonia fixa compre outra em região diferente.

Líderes do Bric discutem formalização do grupo

A sigla Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) começa a se consolidar como um grupo formal, com a promessa de um diálogo direto entre os quatro países. Seus líderes se reuniram brevemente nesta quarta-feira, na ilha de Hokkaido, no Japão, onde foi realizada a reunião anual de cúpula do G8, e concordaram em preparar uma série de encontros ministeriais que culminaria na primeira reunião de cúpula entre eles, ainda sem data definida. Em um encontro de cerca de cinco minutos, em pé, os presidentes Lula, Dmitri Medvedev (Rússia) e Hu Jintao (China) e o primeiro-ministro Manmohan Singh (Índia) acertaram uma reunião entre os seus ministros das Relações Exteriores, possivelmente em setembro, em Nova York, quando se realiza a Assembléia Geral da ONU. Em novembro ocorreria uma nova reunião, desta vez entre os ministros da Economia dos quatro países, antes da realização de uma reunião de cúpula envolvendo os quatro chefes de Estado. Lula, Medvedev, Hu e Singh estabeleceram ainda a questão dos fundos de investimento soberanos como principal tema de discussão do grupo. Os fundos soberanos são fundos de investimento administrados pelos Estados com dinheiro de suas reservas.

Brasil Ecodiesel entra na Justiça contra a Petrobras

A Brasil Ecodiesel entrou nesta quarta-feira na Justiça pedindo a cobrança de multas contra a Petrobras pelo não recolhimento de volumes de biodiesel vendidos em dois leilões da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Segundo fato relevante divulgado pela Brasil Ecodiesel, a estatal deixou de recolher os volumes contratados nos leilões realizados no final de 2007, quando se comprometeu a entregar 161 milhões de litros. A empresa alega que a Petrobras não recolheu os volumes de fevereiro e março deste ano. A produtora de biocombustíveis reclama ainda a suspensão de multas contratuais cobradas pela Petrobras referentes aos meses de abril, maio e junho de 2008.

Comissão da Câmara dos Deputados rejeita projeto que descriminaliza aborto

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados rejeitou projeto de lei que descriminaliza o aborto no País. A proposta, de autoria dos ex-deputados federais Eduardo Jorge (PT-SP) e Sandra Starling (PT-MG), tramita há 17 anos e será arquivada se não houver recursos à decisão em um prazo de cinco sessões ordinárias. O prazo é contado a partir de data a ser definida pela Secretaria Geral da Mesa. A comissão acolheu o parecer do relator, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), contrário à descriminalização do aborto. Para Cunha, a proposta é inconstitucional. Foram 57 votos a favor do parecer do relator e quatro, contra. Votaram contra o parecer do relator os deputados José Genoino (PT-SP), Eduardo Valverde (PT-RO), José Eduardo Cardozo (PT-SP) e Regis de Oliveira (PSC-SP). Genoino defendeu em seu voto que o aborto é um problema "de saúde pública" e não deve ser tratado com argumentos religiosos.

Irmão de Requião é eleito conselheiro do Tribunal de Contas do Paraná

O secretário da Educação do Paraná, Maurício Requião, de 53 anos, irmão caçula do governador Roberto Requião (PMDB), foi eleito nesta quarta-feira conselheiro vitalício do Tribunal de Contas do Estado, com o voto de 43 deputados estaduais. Optaram pela abstenção nove deputados, alegando que não queriam "legitimar" um processo que consideram "viciado". Maurício Requião ocupará a vaga do conselheiro Henrique Naigeboren, cunhado do ex-governador Jaime Lerner, que se aposentará. O cargo de conselheiro tem salário atual de R$ 22,1 mil. Após tomar posse, Maurício Requião ficará impedido de julgar as contas do governo do Paraná no período em que Roberto Requião estiver na função, além das contas das prefeituras para as quais houve repasse de recursos da Secretaria da Educação. Coitados dos paranaenses, que sofrem nas mãos de governos nepotistas, os quais privatizam a função pública em favor de suas famílias.

Afonso Bevilacqua assume gestão de fundos do Opportunity

O grupo Opportunity informou nesta quarta-feira que a gestão dos seus fundos está sob o comando de Afonso Bevilaqua, ex-diretor de Política Econômica do Banco Central que entrou para o grupo em agosto do ano passado. Bevilacqua assume as responsabilidades do principal executivo do grupo, Dório Ferman, que foi preso junto com o fundador Daniel Dantas, na operação Satiagraha da Polícia Federal. Bevilacqua dividiria suas funções com o diretor de gestão Felipe Pádua e com o diretor comercial Fernando Rodrigues. Mas, com o retorno à atividade de Daniel Dantas, solto por liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal, isso não será mais necessário.

Em dois meses, Santa Casa de Belém teve 113 mortes de bebês

Nove recém-nascidos morreram desde o início do mês até esta quarta-feira, dia 9, na maternidade da Santa Casa de Misericórdia de Belém (PA). Quatro desses bebês estavam na unidade de terapia intensiva (UTI). O Ministério Público Federal alerta sobre risco de mais mortes de bebês no Pará. Desde maio foram registrados 113 mortes de recém-nascidos na unidade hospitalar, dos quais 54 em junho e 50 em maio. A maioria das mortes (74 ou 65,5% do total) aconteceu na UTI. As causas das mortes estão sob investigação, mas o hospital não acredita que o alto índice se deva à infecção hospitalar ou problemas estruturais da maternidade. A assessoria lembra que a Santa Casa recebe muitos casos graves de todo Estado, o que poderia explicar a situação. Este ano, 263 bebês morreram na Santa Casa de Belém (PA) e o ministro José Temporão (Saúde) nem comenta o assunto. Esse ministro é o maior fracasso da saúde na história brasileira. E o verdadeiro genocídio de bebês que ocorre no Pará revela o modo petista de governar de Ana Julia Carepa.

PT pede na Justiça igualdade de tempo de propaganda eleitoral em Caxias do Sul

Caxias do Sul, cidade gaúcha com mais de 200 mil eleitores, não terá segundo turno. Ocorre que o prefeito atual, José Ivo Sartori (PMDB), reuniu em torno de sua candidatura à reeleição a quase totalidade dos partidos: PMDB/PDT/PTB/PP/PSDB/DEM/PSB/PV/PPS/PHS/PR/PRB/PSC/PSDC. E só uma chapa concorre contra ele, a do deputado federal Pepe Vargas (PT), apoiado por PCdoB, PMN e PSL. Com aquela enorme coligação montada, José Ivo Sartori ganhou direito de ficar com 21 minutos e seis segundos nos programas eleitorais, e o petista Pepe Vargas com apenas oito minutos e 54 segundos. O petista está inconformado e entrou com representação na Justiça Eleitoral requerendo que o tempo seja dividido ao meio. O coordenador geral da coligação Caxias para Todos, Guerino Pisoni, considera o pedido da Frente Popular "indecente": “Sartori teve competência, pois ampliou de 12 para 14 o número de siglas apoiadoras, o que lhe assegura maior tempo de rádio e TV. O PT tentou roubar nossos partidos, mas fomos mais competentes. Ao lado do Sartori, os partidos crescem. Os tempos dos partidos têm de ser respeitados, porque representam a participação de cada um no Congresso. Isso diz a lei. Cumpra-se a lei. Eles têm 29 candidatos a vereador e nós 120. Tu achas justo que 120 tenham o mesmo espaço de 29?”

Tractebel compra duas PCHs em Mato Grosso por R$ 203,9 milhões

A Tractebel Energia (do grupo francês Suez) anunciou nesta quarta-feira a compra de duas PCHs (Pequena Central Hidrelétricas) situadas em Rondonópolis (MT), por 203,9 milhões de reais, de acordo com nota enviada ao mercado. A consumação da operação está sujeita à ratificação pelo Conselho de Administração da Tractebel e à anuência prévia da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Eletrobrás. A Tractebel negociou as PCHs com a Tupan e a Hidropower. A PCH Rondonópolis, da Tupan, com capacidade instalada de 26,6 MW, está em operação comercial desde dezembro de 2007. Já a outra central, a Engenheiro José Gelazio da Rocha, com capacidade de 23,7 MW, opera desde fevereiro de 2007. "A operação representa mais um passo da Tractebel em sua estratégia de crescimento no setor elétrico brasileiro e acarretará sinergia operacional com a Usina Hidrelétrica Ponte de Pedra, detida pela Energia América do Sul Ltda., também controlada pela Tractebel", informou a empresa em comunicado. A totalidade de energia proveniente de ambas as centrais está contratada com a Eletrobrás.

José Dirceu condena “espetacularização” da Polícia Federal na prisão de Daniel Dantas

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, deputado federal petista cassado por corrupção, rompeu o silêncio e condenou nesta quarta-feira, em seu blog, o que chamou de "espetacularização" da Operação Satiagraha da Polícia Federal, que resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas, do megainvestidor Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta. As investigações apontaram que o banco Opportunity, de Dantas, "utilizava-se de pessoas influentes no meio político" e, no relatório, listam, entre elas, José Dirceu. Ao condenar o "espetáculo" da Polícia Federal, José Dirceu se baseia na mesma crítica feita na noite da última terça pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes.

Mulher de Dantas era um dos 'laranjas' do grupo, aponta Coaf

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou Maria Alice Dantas, mulher do banqueiro do Opportunity, Daniel Dantas, como "laranja" do grupo. Ela movimentou R$ 21 milhões do esquema. Verônica, irmã do banqueiro, aparece como "sócia" de 150 empresas. "Deparamos com uma organização criminosa muito bem estruturada, que mantém pessoas infiltradas em diversos órgãos", disse na última terça-feira o delegado Protógenes Queiroz, encarregado da investigação. Junto com Daniel Dantas foram presos na terça o megainvestidor Naji Nahas, o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, e mais 14 pessoas. "A organização tinha como líder e cabeça um famoso banqueiro, Dantas. Identificamos outra organização, comandada por Nahas, voltada ao mercado de capitais e tendo como alvos principais o desvio de recursos públicos e riquezas do País. Uma situação muito perniciosa para o País, que nos deixa assustados com o nível de intimidação e poder de corromper”. Os presos são suspeitos de participar de esquema de desvio de recursos públicos, corrupção, fraude no mercado de ações, gestão fraudulenta de instituição financeira, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. A Operação Satiagraha mobilizou 300 agentes federais e foi desencadeada às 5h30 em São Paulo, Rio, Bahia e no Distrito Federal para o cumprimento de 24 ordens de prisão e 56 mandados de busca e apreensão. O esquema teria movimentado US$ 1,9 bilhão ilicitamente.

Sem ter área para fazer aterro sanitário, Sorocaba pensa em “exportar” seu lixo

O aterro sanitário que a prefeitura de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, pretende instalar na divisa com Iperó, pode causar a contaminação de poços de abastecimento utilizados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), afirma parecer do Comitê de Bacias do Sorocaba-Médio Tietê. Caso a área, de cerca de 100 hectares, não possa ser utilizada, a prefeitura corre o risco de ser obrigada a mandar 400 toneladas diárias de lixo para outro município. O atual aterro sanitário está com a capacidade esgotada e terá de ser desativado até 2009. A cidade não dispõe de outras áreas em condições de abrigar o aterro. A prefeitura já apresentou o estudo de impacto ambiental à Secretaria Estadual do Meio Ambiente. O Eia-Rima está em análise no Departamento de Impacto Ambiental (Daia). O parecer contrário do Comitê de Bacias pode atrapalhar a aprovação. De acordo com o especialista em geomorfologia Fernando Junqueira Vilela, membro da câmara técnica de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Comitê, existe risco de impacto nos mananciais que abastecem também alguns poços particulares. Além disso, o aterro ficaria muito próximo dos bairros que compõem o distrito de George Oeterer, populosos e abastecidos através dos poços da Sabesp. A área escolhida pela prefeitura já tinha sido considerada inadequada também pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) porque aumentaria a presença de urubus nas imediações do aeroporto. O Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) se opôs à construção do aterro porque a área fica no entorno da Floresta Nacional de Ipanema. Uma das saídas seria depositar o lixo em um aterro sanitário particular que está em processo de licenciamento em Iperó. O Ibama considerou essa alternativa "menos impactante". A prefeitura espera a concessão da licença ambiental e garante que não haverá risco de contaminação dos lençóis freáticos. Como sempre ocorre em todos os municípios, a prefeitura local deixou para examinar o assunto na última hora. Aí, o negócio é o de sempre: o seu lixo será destinado para um aterro sanitário privado. E as campanhas eleitorais continuarão sendo pagas pelas empresas de lixo, que continuarão superfaturando os contratos com essas prefeituras. É o esquema mais manjado do País, mas ninguém se dedica a investigar esse gigantesco manancial de corrupção.

Tarso Genro defende uso de algemas durante as prisões

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou nesta quarta-feira, peremptoriamente, que o País “passa por um momento de mudança em que privilegiados que antes se sentiam impunes, não são mais intocáveis”. Para o peremptório ministro Tarso Genro, não pode haver diferenciação entre classes sociais no uso ou não de algema no momento das prisões. “Não existe mais intocáveis no País, não existe privilegiados, que não são tocados pela lei. Portanto, eles baixam da sua condição de privilegiados e se tornam cidadãos iguais aos outros”, disse o peremptório ministro, ao comentar o uso de algemas nas prisões do banqueiro Daniel Dantas, do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, e do empresário Naji Nahas, durante a Operação Satiagraha. Continuou o imperial e peremptório ministro da Justiça: “A orientação que discuti com a Polícia Federal e o Luiz Fernando Correa, diretor-geral do órgão, nos passou, foi de que o uso das algemas deve ser avaliado pelo agente. O sentido é fazer a prisão com segurança e cumprir o mandado judicial ou o mandado de prisão. No caso concreto, a Polícia Federal não deve ter critério de classe. É equívoca essa visão. Se um cidadão de baixa renda pode ser algemado e ninguém reclamou, se para a prisão ser feita com segurança ou mesmo para proteger a pessoa de um ato desatinado, se o agente achar que deve fazer a prisão usando algemas, que o faça. Não haverá distinção nenhuma por parte da Polícia Federal”. Tarso Genro também rebateu as críticas de que houve “espetacularização” na atuação da Polícia Federal. Disse ele, peremptório: “Não houve abuso por parte da instituição, houve o erro de alguém que permitiu que ocorresse aquela divulgação. Portanto, não é responsabilidade da instituição, mas assumimos a responsabilidade de investigar, elogiando o trabalho desenvolvido pela Polícia Federal na Operação Satiagraha. É um inquérito muito bem feito, trabalhado nos moldes de todos os outros inquéritos e que as prisões foram feitas como são feitas as prisões em todos os inquéritos, com determinação judicial, com acompanhamento do Ministério Público. Agora, pegou determinadas pessoas de destaque. E essas pessoas de destaque têm um exacerbado sentido de defesa dos seus direitos, que inclusive é positivo porque pode nos ajudar a corrigir determinados erros”. Não é mesmo uma maravilha?

Candidatos à prefeitura de Porto Alegre já escolhem seus chefes de campanha e marqueteiros

Apesar de a campanha eleitoral estar só no começo em Porto Alegre, os candidatos já escolheram seus coordenadores e alguns deles já têm os nomes de marqueteiros fechados. O prefeito José Fogaça (PMDB) terá o deputado estadual Luiz F. Zacchia (presidente do diretório municipal do PMDB) como seu coordenador de campanha, e o marqueteiro será o publicitário Fábio Bernardi, um dos sócios da agência de publicidade que cuida das contas da prefeitura (Fábio Bernardi é filho de Celso Bernardi, ex-presidente do PP estadual, atual secretário de Relações Institucionais do governo Yeda Crusius, e responde a processo na Justiça Federal por ter contratado um assessor por dois empregos públicos, um na Assembléia gaúcha e outro na Câmara dos Deputados); a petista Maria do Rosário/ terá como coordenador de campanha Cícero Balestro, e o marqueteiro será Augusto Fonseca; a comunista Manuela D’Ávila (PCdoB) terá o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) como seu coordenador de campanha, e como marqueteiro o ex-petista Juliano Corbelini (foi fundador do partido); Luciana Genro (PSOL) terá como coordenador de sua campanha o ex-marido, Roberto Robaina (presidente do partido no Rio Grande do Sul); Nelson Marchezan (PSDB) vai terá o deputado federal Claudio Diaz como coordenador de campanha: Onyx Lorenzoni (DEM) escolheu para a coordenação de campanha o seu primo Paulo Borges (deputado estadual do partido) e como marqueteira Cyla Schmuann. Somente agora começam a ser sondados e contratados jornalistas e publicitários para os quadros de apoio das campanhas eleitorais. José Fortunatti, ex-secretário de Planejamento de Porto Alegre, que concorrerá a vice de Fogaça, contratou a jornalista Bibiana Barros, que foi assessora do deputado Paulo Azeredo durante a CPI do Detran.

Advogado de José Dirceu diz que seu cliente “Não tenho nada a ver com Daniel Dantas"

O advogado de José Dirceu, ex-ministro chefe da Casa Civil e deputado federal petista cassado (por corrupção) pela Câmara dos Deputados, garante que seu cliente não tem nenhuma relação com o grupo de Daniel Dantas, preso na terça-feira, em operação da Polícia Federal. José Luis de Oliveira Lima afirma ainda que Dirceu "não tem por que se manifestar sobre o assunto": “O José Dirceu não tem nenhuma preocupação, não tem nenhuma relação com essa história. Ele é um cidadão comum que aguarda o desenrolar dessa história”. O advogado assegura que José Dirceu "não tem nenhuma relação com Daniel Dantas", nem mesmo da época em que foi ministro. O nome de José Dirceu freqüenta o relatório da Operação Satiagraha. O delegado Protógenes Queiroz, chefe da ação, afirmou que não há indícios suficientes para ligar o ex-ministro ao que ele mesmo, delegado, se refere como organização criminosa investigada.

Reinaldo Azevedo mostra quem ajuda Daniel Dantas dentro e fora do governo Lula

O jornalista Reinaldo Azevedo, em seu blog no site da revista Veja, escreve um artigo exemplar. Leia a seguir: “Não foi só Diogo Mainardi que disse ‘Oba, oba, oba’, ontem, quando soube que Daniel Dantas e Naji Nahas tinham sido presos. Por motivos muito distintos, o subjornalismo que serve de esbirro ao petismo estava mais contente do que pinto no lixo. Os mascates e anões batiam palminha porque devem vassalagem a inimigos do banqueiro; outros tantos, por vassalagem mesmo ao PT ou a setores da legenda — já que a coisa por lá anda um tanto balcanizada, dividida, rachada, conflagrada. O mesmo se pode dizer, aliás, da Polícia Federal. Fiquem calmos. Vou explicar tudo direitinho.Petistas (sejam eles delegados da Polícia Federal ou seus assessores de imprensa na Internet) querem dar à prisão de Dantas um significado que ela não tem. Seria o final de um ciclo de ‘roubalheiras’ das privatizações tucanas. O banqueiro, segundo eles, encarnaria a impunidade do PSDB, agora eliminada pelos probos petistas — não tenham cólicas de rir antes de terminar de ler o texto. E também não comprem gato por lebre. Setores desse subjornalismo e do partido acham que, ao ‘pegar’ Dantas, pega-se o que eles chamam de ‘banqueiro do PSDB’. Do PSDB? E se eu demonstrar aqui que ele pode, mais apropriadamente, ser chamado de ‘banqueiro do PT’? Já chego lá. Mas por que o PSDB? Huuummm. Teremos de voltar a 2004. A Operação Satiagraha — esse nome ridículo, de ecos orientais, me fez lembrar de Luiz Gushiken... — teria nascido na Operação Chacal, em 2004, aquela que investigou se a Kroll havia espionado o governo a pedido de Dantas. À época, foi apreendido um HD do computador do banqueiro contendo um suposta lista de nomes de brasileiros que investiam no Opportunity Fund. Mas eles não podiam? Não! O fundo foi constituído em 1995, nas Ilhas Cayman, e registrado na CVM pelo Anexo 4, que permite somente investimentos de estrangeiros. Chegou a se especular que pelo menos 200 brasileiros estariam com os nomes arquivados no tal HD. Mas e daí? E o PSDB? Ah, bem... Vamos ver o que andavam botando para circular na praça duas figuras bem conhecidas de vocês. Vejam o que noticiava o Correio Braziliense de 17 de maio de 2002: ‘Segundo suspeitas do procurador da República Luiz Francisco de Souza, empresários que contribuíram para as campanhas presidenciais de Fernando Henrique Cardoso podem ser os titulares das cotas do Opportunity Fund. ‘O fundo é fruto do casamento dos tucanos (PSDB) com o PFL, que nasceu na privatização do setor elétrico’, afirmou ele a Paulo Henrique Amorim, do UOL News’. Luiz Francisco? Sim, aquele... Que tomou chá de sumiço quando Lula chegou ao poder. É por isso que havia tanta gente mandando recadinhos ontem. É por isso que os anões e mascates estavam tão excitados. Agora que vocês já sabem qual é a jogada, vamos a alguns fatos interessantes. Vamos ver como andou se comportando o ‘banqueiro tucano’ Daniel Dantas: 1- Dantas pagou R$ 8,5 milhões ao advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Cacai, amigo de José Dirceu. De fato, quem advogou para ele foi José Oliveira Lima, também chapa do ex-ministro, por R$ 1 milhão. O pagamento a Cacai foi, sei lá, uma espécie de deferência; 2- Dantas pagou, por meio da Brasil Telecom, R$ 1 milhão de reais a título de honorários advocatícios, a Roberto Teixeira. Sim, o Primeiro-Compadre, aquele da Varig; 3- Antes de a Gamecorp, de Lulinha, fechar o acordo milionário com a Telemar (atual Oi), Dantas pagava à empresa do filho do presidente e sua trupe R$ 100 mil mensais para que fornecessem conteúdo para o portal de internet da Brasil Telecom; 4- Dantas pôs em sua folha de pagamentos a agência Matisse, de propriedade de Paulo de Tarso Santos, petista histórico e marqueteiro das campanhas de Lula em 1989 e 1994. A Matisse foi contratada para ‘reposicionar’ a marca da Brasil Telecom. Mas o que fez mesmo foi ajudar a ‘reposicionar’ Dantas frente ao governo petista; 5- Dantas conseguiu emplacar no governo o ministro Mangabeira Unger, que contratara como consultor e trustee da Brasil Telecom, quando era controlada pelo Banco Opportunity. Mangabeira recebeu US$ 2 milhões; 6- Dantas contratou, sabe-se agora, Luiz Eduardo Greenhalgh, petista histórico. Não se conhecia a sua intimidade com esse ramo de negócios; 7 – Dantas contratou a agência de Marcos Valério, o notório operador do mensalão. Dantas fez negócio, portanto: a) com o filho do presidente; b) com o compadre do presidente; c) com o ministro do presidente; d) com os chapas do ex-ministro forte do presidente; e) com o publicitário do presidente. E tudo, como se vê, no governo do PT. Os esbirros do petismo estão batendo palminhas por quê? Refiro-me acima a pagamentos conhecidos. Mas também os remeto a trecho de uma reportagem de Marcio Aith, publicada na VEJA em 2006. Leiam com atenção: Uma dica: ele (Daniel Dantas) poderia revelar, por exemplo, quantos encontros teve com o ex-presidente do Banco Popular, Ivan Guimarães, e o que foi discutido em cada um deles. Já se sabia que Guimarães operou como uma espécie de genérico de Delúbio Soares durante a campanha presidencial de 2002. O que não se sabia, e Dantas certamente pode comprovar, é que Ivan continuou operando na clandestinidade em 2003 e em 2004, já no governo, achacando empresas e empresários. Ivan procurou Dantas em setembro de 2004. Queria falar sobre a investigação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) contra o Opportunity. Dias depois, a comissão julgaria um processo contra o banco, acusado de burlar regras do Banco Central ao admitir brasileiros num fundo de investimento das Ilhas Cayman. O Opportunity poderia ser inabilitado pela CVM, mas acabou recebendo uma pena leve. Esse Ivan é mesmo terrível. Outra dica: Dantas poderia contar às CPIs como Yon Moreira da Silva, ex-diretor de Negócios Corporativos da Brasil Telecom, lhe apresentou a idéia de comprar parte da Gamecorp, a empresa de Lulinha. Aliás, o próprio Yon pode colaborar com as investigações. Depois que as circunstâncias vergonhosas do caso Gamecorp foram denunciadas por VEJA, o ex-diretor da Brasil Telecom declarou que a Telemar fizera um bom negócio e pagara um preço justo para tornar-se sócia do filho do presidente. O que Yon não conta é que essa declaração lhe foi implorada pelo próprio Palácio do Planalto – mais especificamente pelo então ministro Jaques Wagner, que, falando em nome do presidente Lula, pediu a Dantas que o ajudasse a preservar o filho do presidente. Como se vê, o obscuro Dantas daria uma ótima contribuição ao País se saísse de uma vez das sombras. Coragem, Dantas! De volta à nossa campanha. Vejam só, caros leitores, eu posso escrever aqui o que os anões, mascates e ratazanas não podem: ‘Vai, Dantas, conta tudo. Mas tudo mesmo!’

Assembléia gaúcha aprova relatório final da CPI do Detran

Com 35 votos favoráveis e apenas 13 contrários, a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou em Plenário, na tarde desta quarta-feira, o relatório final da CPI do Detran. A CPI foi presidida pelo deputado estadual Fabiano Pereira (PT), autor da proposta para sua criação, e o relatório foi elaborado pelo deputado estadual Adilson Troca (PSDB). O documento segue agora para os mistério público e para o Ministério Público Federal e Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas. O relatório, além de sugerir o indiciamento de 41 pessoas envolvidas na fraude que resultou no desvio de cerca de R$ 44 milhões da autarquia, também destaca, entre outras sugestões, a necessidade de uma maior ação preventiva dos órgãos de controle das diferentes instituições fiscalizadoras do Estado sobre a gestão e as operações do Detran e de revisão de todos os contratos realizados com as fundações e organizações não-governamentais. Na verdade, esses órgãos, como a CAGE (Contadoria e Auditoria Geral do Estado) e auditoria externa do Tribunal de Contas, ou se reformam de maneira radical, ou passarão a ser vistos (como já o são) como grandes e caras inutilidades. No caso do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, a aplicação do programa de qualidade total se revelou um fracasso total, porque só serviu para atrelar totalmente os auditores a uma planilha burocrática, burra, incompetente e criminosa de trabalho. O relatório da CPI do Detran também sugere a reformulação do quadro de carreira da autarquia e a valorização de seu quadro de pessoal, a realização de concurso público e a construção de um prédio próprio que absorva as necessidades administrativas e operacionais do departamento, além da fixação de um valor realista para a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Essa CPI, apesar de todo o carnavalito representado pelos três deputados canastrões do PT (atores de péssima capacidade de representação), só produziu uma coisa positiva: revelar a atuação criminosa da Fenaseg na sua relação com o Detran gaúcho e os dos demais Estados. Essa iniciativa deve ser creditada ao deputado estadual Paulo Azeredo (PDT), que agora é candidato à prefeito em Montenegro, sua cidade natal.

Funcionário da Assembléia gaúcha foi morto com golpes na cabeça

Silvio Antonio Pereira Gonçalves, de 32 anos, inspetor de segurança da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, morreu na noite de terça-feira por politraumatismo, seguido de traumatismo craniano. A causa da morte foi informada pelo Departamento Médico Legal gaúcho na manhã desta quarta-feira. A suspeita da Polícia Civil é de que ele foi agredido com golpes de um objeto não-cortante. Silvio Antonio Pereira Gonçalves teria se envolvido em uma confusão em um posto de combustíveis localizado na esquina da Avenida João Pessoa com a rua Venâncio Aires, que fica localizado a cinco quadras do Hospital de Pronto Socorro. Aliás, ele foi conduzido algemado para o Pronto Socorro pela Brigada Militar, onde chegou quase uma hora mais tarde, apesar da curtíssima distância entre o posto e o hospital. A sua morte causou indignação na Assembléia Legislativa, que criou uma comissão especial para acompanhar as investigações. O que é quase certo: ou ele foi espancado pelos policiais militares que o detiveram na loja de conveniência do posto, ou já tinha apanhado muito, antes, dos vigilantes do posto. A versão dos funcionários do posto é que ele chegou ao local, por volta das 4 horas, muito alterado. Silvio Antonio Pereira Gonçalves tinha feito a sua mudança de residência na última terça-feira. Há algo de muito errado nesse episódio, que precisa ser esclarecido na maior velocidade.