domingo, 20 de julho de 2008

Atriz Dercy Gonçalves morre no Rio de Janeiro aos 101 anos

A comediante Dercy Gonçalves morreu às 16h45 deste sábado, no Hospital São Lucas, em Copacabana (zona sul do Rio de Janeiro), aos 101 anos. Ela foi internada durante a madrugada no Centro de Tratamento Intensivo com quadro de pneumonia grave. Ela completou 101 anos oficiais no último dia 23 de junho. A comediante costumava dizer que tinha dois anos a mais que a idade oficial, pois seu pai teria demorado para registrá-la. Dercy nasceu em Santa Maria Madalena, a 219 quilômetros do Rio de Janeiro. A atriz humorista foi uma das pioneiras do palavrão na televisão brasileira. Dercy, cujo nome de registro é Dolores Gonçalves Costa, estrelou seu primeiro filme, "Samba em Berlim", em 1943. Ela acumulava mais de 20 filmes e novelas em seu currículo. Maria Dercimar Senra, filha da atriz, afirmou que a última diversão de sua mãe foi fazer apostas em um bingo clandestino, na noite de sexta-feira. "Ela dizia assim: Vamos lá no bingo. Se me perguntarem qual foi o bingo que ela foi ontem, eu não sei. Tem vários abertos por aí. Eu sei que são clandestinos e ela ía. Eu respondia: mamãe, você ser presa pelos federais é folclore, eu não. Tenho que ficar do lado de fora para te soltar", brincou. Dercimar destacou que Dercy foi um exemplo de felicidade. "A gente vai ser feliz na porrada. Ela tinha este princípio: a gente tem que ser feliz. A gente não tinha vocação para ser infeliz. Eu estou triste, mas não estou infeliz”. A filha atribui a longevidade da mãe aos amigos e fãs. "Eu dizia para ela: você está viva porque a energia é tão grande, as pessoas torcem tanto por você. Teve câncer, saiu do câncer. Quebra a bacia, sai da bacia, desfila no carnaval. Ela era uma figuraça. Todo mundo energizava tanto. Eu acabei tiete número um dela". Ela também contou que no início ficava aflita com a carreira da mãe, mas depois se acostumou. Segundo Dercimar, Dercy nunca fez gênero em casa. "Mamãe dizia: faça o que eu estou dizendo, mas não faça o que estou fazendo. E eu acreditava. Graças a Deus segui o conselho que ela deu". O velório será realizado neste domingo na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, e depois o corpo será levado para a cidade de Santa Maria Madalena, no interior do Estado, onde ocorrerá o enterro no mausoléu construído por vontade da própria Dercy. Segundo Dercimar, sua mãe será enterrada com colares, paetês e a tradicional peruca. Ela disse ainda que Dercy Gonçalves queria que seu sepultamento fosse feito ao som da bateria da escola de samba Viradouro, mas não sabe se será possível levar ritmistas da agremiação para Santa Maria Madalena.

Governo Lula e sindicato fecham acordo para fim da greve dos Correios

Um acordo fechado entre o ministro Hélio Costa e o sindicato que representa os funcionários dos Correios deve por fim à greve que começou no dia 1º de julho. As partes negociaram um adicional de 30% de risco. A decisão ainda será votada pelos funcionários em assembléia. A reunião foi convocada pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Rider Nogueira de Brito, e teve a presença de representantes da ECT (Empresa de Correios e Telégrafos). Brito havia afirmado na sexta-feira que, ontem que, caso trabalhadores e empresa não chegassem a um acordo, iria marcar a data do julgamento da ação de abusividade da greve, proposta pelos Correios. Nos 19 dias de paralisação, cerca de 420,6 milhões de correspondências foram postadas, mas só 69% chegaram no destinatário.

Controladores de vôo do Amazonas condenados por motim em 2007 se acham injustiçados

Os oito controladores do Cindacta-4 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo) acusados de promover o motim que interrompeu o tráfego aéreo do país em 30 de março de 2007, condenados na quinta-feira pela Justiça Militar, em Manaus, informaram que vão recorrer. As penas que eles receberam variam de dois meses a dois anos e dois meses de prisão, além da perda dos cargos. Os militares foram condenados pelos crimes de publicação ou crítica indevida, desrespeito a superior e incitamento à desobediência, à indisciplina ou à prática de crime militar, previstos no Código Penal Militar. Entre os condenados estão os sargentos Rivelino Paiva (único que não perdeu o cargo), Lisandro Koyama, Alex Gonçalves Sá, Daniel Tavares de Lima, Walber Sousa Oliveira, Wilson Aragão, Wendelson Pereira Pessoa e Michael Rodrigues. Desencadeada em setembro de 2006 com a queda do Boeing da Gol, no Pará, a crise no setor aéreo teve seu ápice em 2007. O acidente deixou 154 mortos depois que um jato Legacy de uma empresa dos Estados Unidos bateu no avião da Gol, que seguia de Manaus (AM) para o Rio de Janeiro. Além do acidente com o Airbus da TAM, que completou um ano no último dia 17, houve paralisações de controladores no setor contra sobrecarga de trabalho e problemas nos equipamentos dos Cindactas. No desastre em Congonhas 199 pessoas morreram. A defesa dos oito controladores do Cindacta-4 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo) afirmou que a sentença foi "muito injusta". Não foi, não. Foi muito leve. Esses controladores de vôo paralisaram todo o tráfego aéreo nacional, como se fosse donos do setor públicos. "É muito injusta a condenação. A preocupação deles era com o bem-estar da população, acima das normas militares", disse o defensor público da União João Thomas Luchsinger, após o julgamento.

Acesso de senador a inquérito da Operação Satiagraha pode levar investigação para o Supremo

A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, de permitir o acesso do senador Heráclito Fortes (DEM-PI) aos inquéritos da Operação Satiagraha abriu espaço para que as investigações iniciadas em São Paulo acabem no Supremo, em Brasília. Dizem especialista que o senador só poderia ter acesso aos autos sendo ele próprio um investigado. Ocorre que, tendo tramitado até agora em uma vara federal de 1º grau, a Operação Satiagraha não poderia investigar o senador, que tem foro privilegiado. Assim, apesar de ser citado em grampos da operação da Polícia Federal, o senador Heráclito Fortes não é formalmente investigado. Segundo a Polícia Federa, as investigações começaram há quatro anos, com o desdobramento das apurações feitas a partir de documentos relacionados com o caso mensalão.

Polícia Federal investiga "troca de favor" em licitação no Amapá

Inquérito da Polícia Federal afirma que a contratação de uma empresa ligada à família do governador do Amapá, Waldez Góes (PDT-AP), serviu como uma "troca de favores" entre a mineradora MMX, do empresário Eike Batista, e o governo do Estado. A Polícia Federal investiga direcionamento da licitação para a concessão da Estrada de Ferro do Amapá em favor da mineradora de Eike. Segundo a Polícia Federal, as interceptações telefônicas tornam "cristalina" essa "troca" entre "empresas investigadas" e "pessoas vinculadas" à administração. De acordo com as investigações, que culminaram na Operação Toque de Midas na semana passada, transcrições mostram Braz Josaphat, auditor-fiscal apontado como lobista da empresa de Eike, solicitando "claramente favores à empresa Conterra em troca da sua atuação perante o processo de licitação da estrada de ferro". A Conterra é uma empresa de aluguel de maquinário e, de acordo com a assessoria do governo, pertence a um genro de Jesus Góes, irmão de Waldez. Em conversa em janeiro de 2006 com José Frederico, que a Polícia Federal aponta como "homem de confiança" de Eike e funcionário da mineradora MPBA (que tinha participação da MMX), Josaphat pediu "para ele retomar os contratos" e fazer um "ajuste" sobre a Conterra. "Aí a gente vai com o "firmão" do governador para dentro da mineradora do projeto ferro", afirmou Josaphat. "Inclusive dentro daquele princípio daquilo que o Flávio (Godinho, vice-presidente da MMX) falou naquele dia para a gente retomar essas máquinas. Mesmo que reduza do outro, coloca as cinco da Conterra”. Nesse mesmo dia, Josaphat disse a Frederico que "existe realmente uma angústia até do próprio governador" para que a empresa consiga os contratos privados, já que ela "não pode ganhar licitação porque é do irmão dele". "Em função do poder, eles acabam tendo prejuízo", afirmou Josaphat. Dois dias depois, o auditor disse que estava sofrendo uma "pressão" para agilizar o negócio. "O irmão e o Tupi foram para cima dele (governador) lá na casa dele, aí ele pegou o Joca (assessor do governador) e me mandou me repassar”. Frederico disse que iria conversar pessoalmente com "eles" e que depois daria um "retorno".

Justiça francesa nega cidadania a muçulmana marroquina

Quando Faiza Silmi deu entrada no processo de obtenção da cidadania francesa, ela temia que seu francês não fosse fluente o suficiente ou que sua origem marroquina pudesse ser um problema. "Nunca imaginei que seria rejeitada pelo que escolho vestir". Ela usa o niqab, um véu islâmico. No mês passado, o mais alto tribunal da França manteve a decisão de negar cidadania à Silmi, 32 anos, alegando que sua prática "radical" do islamismo é incompatível com os valores franceses, como a igualdade dos sexos. Foi a primeira vez que um tribunal francês julgou a capacidade de integração à França de uma pessoa com base em práticas religiosas, transpondo a "laïcité" (laicismo, conceito de secularismo francês) da esfera pública para a privada. O caso intensificou a discussão a respeito do equilíbrio delicado entre a tradição do secularismo republicano e a liberdade de religião garantida pela constituição francesa, e de como esse equilíbrio está se transformando. Há quatro anos, uma lei proibiu o uso de vestimentas religiosas em escolas públicas. No início do ano, um tribunal em Lille anulou um casamento a pedido de um marido mulçumano, cuja esposa havia mentido sobre sua virgindade. Posteriormente, o governo exigiu a revisão da decisão do tribunal. Até agora, a cidadania francesa só havia sido negada por motivos religiosos quando se acreditava que o requerente pertencia a grupos fundamentalistas. A decisão do caso de Silmi recebeu apoio categórico de políticos, inclusive de alguns mulçumanos. Fadela Amara, ministra francesa de assuntos urbanos, chamou o niqab de Silmi de "prisão" e "camisa-de-força." "Não é uma insígnia religiosa, mas sim a insígnia de um projeto político totalitário que promove a desigualdade entre os sexos e é anti-democrático”, disse Amara, descendente de algerianos e praticante do islamismo. François Hollande, líder do partido socialista, considerou a decisão "uma aplicação adequada da lei", enquanto Jacques Myard, legislador conservador eleito no distrito em que Silmi mora, afirmou que véus para cobrir o rosto deveriam ser ilegais.

Obra de Picasso é periciada e volta à exposição nos próximos dias na Pinacoteca em São Paulo

A obra "O pintor e seu modelo", de Pablo Picasso, levada da Estação Pinacoteca, em São Paulo, no mês passado, e recuperada na madrugada deste sábado, deve retornar ao espaço neste domingo. Segundo o diretor da Pinacoteca do Estado, Marcelo Araújo, o quadro passará por uma perícia e deve voltar a ser exposto nos próximos dias. "A obra vai ser examinada pelos nossos restauradores. Aparentemente ela está em ótimo estado, não foi nem mesmo retirada da moldura original, isso nos deixa muito satisfeitos, pelo estado de conservação. A partir da semana que vem, após uma análise mais detalhada, ela deve voltar à exposição em seu lugar original, na Pinacoteca". A obra foi entregue à Pinacoteca no início da noite deste sábado pelo secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Ronaldo Mazagão, que afirmou que "as diligências continuam empenhadas na busca pelas outras três obras". Com o suspeito de participação no roubo dos quadros, também foram presas duas pessoas em flagrante por formação de quadrilha, ainda que não tenham participado da ação na Pinacoteca, segundo a polícia. A prisão ocorreu por volta das 23h30 de sexta-feira e o suspeito está detido no 1º DP de Guarulhos. Outros dois homens que participaram do roubo estão foragidos. O roubo no museu no centro de São Paulo aconteceu no dia 12 de junho. Três suspeitos armados entraram no local, renderam uma atendente e levaram duas gravuras de Pablo Picasso (1881-1973), um óleo sobre tela do brasileiro Di Cavalcanti (1897-1976) e um guache sobre cartão de Lasar Segall, lituano radicado no Brasil (1891-1957). As quatro obras roubadas estão avaliadas em R$ 1 milhão, segundo estimativa da Secretaria Estadual da Cultura, responsável pelo museu. As imagens do roubo foram captadas pelo circuito interno do museu e mostram os homens tirando os quadros da parede, deixando a sala e saindo do elevador da Estação Pinacoteca. Nenhum deles usava máscara. Um dos criminosos tinha óculos escuros e um boné, mas os outros dois tinham o rosto totalmente exposto.Os assaltantes, segundo testemunho de funcionários, estavam armados. Os criminosos levaram cerca de dez minutos para roubar as obras. Eles entraram no prédio após as 12 horas, renderam uma atendente, que ficou deitada no chão sob a mira de uma arma, desparafusaram as gravuras de Picasso e pegaram as demais telas. O roubo de quadros na Estação Pinacoteca começou a ser esclarecido quando criminosos que planejavam um roubo a banco tiveram seus telefonemas vigiados. Os três homens que iriam roubar um caixa eletrônico na Zona Leste estavam sendo monitorados em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça. Nos telefonemas, eles falavam do plano e de obras de arte roubadas. O grupo foi preso na sexta-feira no estacionamento de um supermercado na Avenida Aricanduva, Zona Leste. No conjunto habitacional onde morava o detido a polícia encontrou o quadro do espanhol Pablo Picasso, escondido debaixo do telhado do prédio. Outro acusado pelo roubo dos quadros já foi identificado. A prisão preventiva dele foi decretada, mas ele está foragido.

Polícia de São Paulo recebe depoimento de Denise Abreu sobre desastre da TAM

A Polícia Civil de São Paulo recebeu o depoimento da ex-diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Denise Abreu, para o inquérito que investiga o desastre com o Airbus A320 do vôo 3054 da TAM, que matou 199 pessoas. O depoimento do ex-presidente da estatal, Milton Zuanazzi, também já foi colhido em Porto Alegre, por carta precatória, e já foi enviado ao 27º Distrito Policial, que investiga o caso. No último dia 17 a tragédia completou um ano. Na sexta-feira, familiares das vítimas que morreram no acidente se reuniram com o delegado que preside o inquérito, Antonio Carlos Barbosa, o promotor Mário Luiz Sarrubbo e um representante do Instituto de Criminalística, Antonio Nogueira. De acordo com Roberto Gomes, da Afavitam (Associação dos Familiares das Vítimas da TAM - JJ3054), os parentes das vítimas querem que os responsáveis pelo desastre sejam indiciados por homicídio culposo com dolo eventual (quando o autor do delito assume o risco de morte ou lesão à vítima). "Já que a TAM colocou 187 pessoas em um avião com o reverso pinado (travado), uma aeronave que ia para a manutenção e iria aterrissar em uma pista que estava proibida, ela assumiu o risco pelo que pudesse acontecer", disse Gomes, irmão de Mário Gomes, de Porto Alegre, que morreu no acidente. O delegado que investiga o caso disse às famílias que assim que receber o depoimento de Zuanazzi, o laudo sobre o acidente e o relatório da Aeronáutica concluirá o inquérito. Antonio Carlos Barbosa informou que vai indiciar sete responsáveis pelo acidente.

Human Rights Foundation pede libertação de "presos políticos" na Venezuela

A ONG Human Rights Foundation divulgou na sexta-feira o lançamento de uma campanha para exigir do presidente da Venezuela, o tiranete caribenho Hugo Chávez, que liberte os "presos políticos" do país e "ponha fim às perseguições por motivos políticos". "Os venezuelanos são alvo constantemente de perseguição política, encarceramento, tortura e outros tratamentos cruéis e degradantes por não concordar ou se opor ao governo", afirmou a Human Rights Foundation em comunicado expedido na sexta-feira. Segundo a Ong, muitos desses prisioneiros políticos são detidos em condições "desumanas" sem acesso a cuidados médicos. Fora das prisões, a ONG afirma que a "inabilitação política foi utilizada pelo governo para incapacitar 400 potenciais candidatos, entre eles os que pareciam ser favoritos para as eleições de novembro". A Human Rights Foundation cita como exemplo Raúl Díaz, "um estudante de engenharia que passou quatro anos na prisão esperando por um julgamento por falsas acusações", e Humberto Quintero, "um tenente preso por capturar um chefe terrorista das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)". A ONG lançou a iniciativa "Tell Chávez" com o objetivo de chamar a atenção sobre "a existência e o sofrimento de prisioneiros políticos na Venezuela", apesar da anistia promulgada pelo presidente para presos ou processados por esse tipo de “crime” em dezembro de 2007.

Polícia colombiana prende responsável por logística das Farc

A polícia da Colômbia capturou o terrorista das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) encarregado de fornecer alimentos, remédios e armas à frente do grupo e responsável por custodiar os 15 reféns que foram resgatados pelo Exército no dia 2, informaram fontes oficiais na sexta-feira. Luis Alfonso Espinosa, conhecido como Pochis, foi detido em uma operação da polícia no bairro La Bastilla, de Villavicencio, departamento de Meta. O diretor da polícia, general Óscar Naranjo, afirmou que o terrorista se fazia passar por transportador em Villavicencio e era o encarregado de abastecer os terroristas que custodiavam os reféns libertados na Operação Xeque. "A importância desta captura se vincula ao fato de que o indivíduo foi responsável por abastecer e oferecer toda a logística à frente primeira das Farc", disse o oficial. Com ele são 10 os guerrilheiros da frente primeira da guerrilha que foram capturados nos últimos dias. "Pochis" era o responsável por fornecer alimentos, remédios, material cirúrgico e armas à frente e cumpria ordens dos carcereiros de Ingrid Betancourt, conhecidos como César e Enrique Gafas, detidos na operação de resgate de 2 de julho.

Lula e Chávez emprestam à Bolívia US$ 530 milhões para construção de estradas

O presidente Lula da Silva e Hugo Chávez concederam na sexta-feira a Evo Morales, o índio trotskista cocaleiro presidente da um empréstimo da Bolívia, US$ 530 milhões (R$ 842,4 milhões) para estradas na Amazônia e prometeram mais respaldo para desenvolver a indústria do gás no país. Lula e Chávez assinaram os convênios em um estádio de futebol de Riberalta, lugarejo situado 900 quilômetros ao nordeste de La Paz, perto da fronteira com o Brasil. Chávez assinou um acordo para dar à Bolívia US$ 300 milhões (R$ 476,85 milhões) e Lula concederá um empréstimo de US$ 230 milhões (R$ 365,6 milhões) para a construção de uma rota que permitirá unir La Paz com a fronteira do Brasil. Segundo Chavez, a estrada unirá o norte tropical de La Paz, o noroeste do Brasil e a Amazônia, além de ligar vias que levam ao Orinoco venezuelano. Lula também prometeu "aprofundar a cooperação no campo energético" com novos investimentos da Petrobras na Bolívia na exploração conjunta de poços de petróleo e no futuro planejar a construção de uma hidroelétrica binacional.

Tarifa de energia pode cair com Usinas do Madeira e Xingu, prevê Aneel

A entrada em operação das usinas de Jirau e Santo Antonio, no Rio Madeira (RO) e de Belo Monte, no Xingu, entre os estados do Maranhão e Tocantins, terá impacto positivo no preço da tarifa de energia. A expectativa é do diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman. Ele avaliA que, em 2012 ou 2013, "quando entrar essa energia, vai baixar a tarifa". Segundo ele, especialmente a energia que será produzida pelas usinas de Santo Antonio e Jirau têm menor custo previsto do que a energia dos leilões de outras fontes.

Governo Lula não vai dar continuidade ao leilão de petróleo paralisado em 2006

O governo Luladefiniu que não dará continuidade à 8ª Rodada de Licitações para áreas com potencial de exploração de petróleo e gás, paralisada em 2006 por decisão judicial. O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, disse na sexta-feira que vai defender que o leilão seja reaberto e fechado em seguida, já que está descartada qualquer possibilidade de se leiloar áreas na camada pré-sal, presentes na parte que ainda falta da 8ª Rodada. As áreas fora do pré-sal que estão na 8ª Rodada deverão ser transferidas para um novo leilão, que será o décimo a ser realizado desde a abertura do setor de petróleo no País, em 1997. Uma decisão sobre a 10ª Rodada é esperada para esta semana, durante a reunião do Conselho Nacional de Política Energética.