quarta-feira, 23 de julho de 2008

Governo Lula dá potente aumento nos juros, de 0,75 pontos

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira, por unanimidade, um aumento de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros, elevando a Selic de 12,25% para 13% ao ano. Trata-se da maior alta promovida desde fevereiro de 2003. Na época, a taxa passou de 25,5% para 26,5%. Desde então, as elevações, quando ocorreram, foram de 0,25% ou 0,5%. A decisão surpreendeu a maioria dos analistas do mercado financeiro, que esperavam um aumento de 0,5%o. Parte dos economistas, no entanto, já previa que o Banco Central poderia agir com maior intensidade para dar uma porrada no combate à disparada da inflação. "Avaliando o cenário macroeconômico e com vistas a promover tempestivamente a convergência da inflação para a trajetória de metas, o Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa Selic para 13% ao ano, sem viés", informou o Comitê de Política Monetária em nota após a reunião. Esse é o terceiro aumento da taxa juros que o governo Lula promove apenas neste ano de 2008. No início do ano, a taxa Selic estava em 11,25% ao ano. Com a alta da inflação, porém, o Banco Central disparou uma nova série de aumentos dos juros para tentar segurar a escalada de preços. Antes foram feitos dois aumentos de 0,5%. Agora, os juros voltaram ao mesmo patamar de janeiro de 2007. O maior nível da taxa Selic no governo Lula foi alcançado no início do governo, justamente em fevereiro de 2003 (26,5% ao ano). Especialistas aguardam que o governo Lula ainda aumenta outras vezes a taxa Selic até o final do ano. Estimam que ela encerrará o ano no patamar de 14,25%. O mercado espera uma nova alta para 13,25% na reunião do Copom no início de setembro; outra para 13,75% em outubro; e para 14,25% em dezembro. A alta dos juros é uma tentativa do Banco Central de evitar que a inflação estoure o teto da meta para 2008. O próprio presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou que, mesmo tirando os alimentos da inflação, o IPCA acumulado em 12 meses já supera os 6%. Na avaliação de Henrique Meirelles, os preços no Brasil estão sendo influenciados não só pelo aumento internacional dos alimentos, mas também pelo forte consumo interno e pelo aumento do crédito.

Deputado estadual Natalino é suspeito de ter cometido 98 homicídios

O delegado Marcus Neves, da Polícia Civil do Rio de Janeiro, encontrou na casa do deputado estadual Natalino Guimarães (DEM-RJ), preso na noite de segunda-feira, por tentativa de homicídio, formação de quadrilha armada, posse ilegal de armas e favorecimento pessoal, uma lista com 43 nomes de pessoas que fariam parte da quadrilha. Todos serão indiciados. Segundo Marcus a polícia tem informações de que o deputado atuou diretamente em alguns dos 98 homicídios praticados nos oito anos de existência da milícia. Marcus Neves disse que a milícia em Campo Grande é subdividida em três níveis. O primeiro e mais importante, é liderado pelos irmãos Jerominho e seu filho Luciano (que já tem mandado de prisão pedido), Natalino, e outras duas ou três pessoas. O segundo escalão é formado por cerca de 45 policiais e o terceiro nível, a base, é dividida por pessoas que prestam serviços à milícia, como cobrança de propinas. Os dois primeiros níveis sustentam o grupo, contou o delegado, que investiga a atuação direta de Natalino em homicídios. Segundo Neves, a quadrilha possui em torno de 70 homens, cerca de 30 já foram presos e 30% do arsenal foi apreendido. Assustado e surpreso por ter sido preso, o deputado Natalino não soube explicar o arsenal encontrado em sua residência nem a lista de 43 nomes de membros da milícia.