sexta-feira, 25 de julho de 2008

Jaques Wagner decide participar da campanha para barrar crescimento de ACM Neto

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), resolveu participar ativamente da campanha para a prefeitura de Salvador, para tentar barrar o crescimento do deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM). Após prometer ficar neutro no primeiro turno, Jaques Wagner liberou os secretários petistas para participarem da campanha de Walter Pinheiro (PT) e já admite subir em palanque. Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira revela que ACM Neto tem 27% das intenções de voto, ante 25% do ex-prefeito Antonio Imbassahy (PSDB). Depois, pela ordem, aparecem o prefeito João Henrique Carneiro (PMDB), com 19%, Walter Pinheiro (7%) e Hilton Coelho (PSOL), com 1%. Jaques Wagner tem dito para amigos que uma eventual vitória de ACM Neto pode dificultar o processo de sua "reeleição segura", em 2010. Antes das convenções, o governador trabalhou nos bastidores para o PT apoiar o prefeito João Henrique, mas não obteve sucesso. O partido rompeu com a atual administração municipal e decidiu lançar candidato próprio. Jaques Wagner também teme o "pior cenário" para o governo da Bahia em um eventual segundo turno em Salvador, uma disputa entre ACM Neto e Antonio Imbassahy, duas crias do senador Antonio Carlos Magalhães (1927-2007). Aliado de Wagner, o ministro Geddel Vieira Lima declarou que, "entre o original e o genérico, prefere votar no original ACM Neto", caso os dois cheguem ao segundo turno. Nesse caso, Jaques Wagner, que escolheu ACM Neto como o "único adversário" na disputa pela prefeitura, terá de fazer campanha para Imbassahy, apesar de os tucanos serem os maiores adversários do PT no cenário nacional.