sábado, 2 de agosto de 2008

Tarso Genro diz que Dilma Rousseff não é o único nome para 2010

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou peremptoriamente, na noite desta sexta-feira, que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff , "é um nome excelente, mas não é o único" para concorrer à Presidência em 2010. Questionado sobre a declaração do presidente Lula, que se referiu a Dilma Rousseff como sua candidata, Tarso Genro disse que leu a afirmação nos jornais, mas "como nem tudo que é publicado é verdade", está "esperando orientação do presidente”. O ministro fez os comentários ao chegar à festa de lançamento da candidatura da deputada federal Maria do Rosário (PT) à prefeitura de Porto Alegre. Perguntado sobre se a participação da ministra no evento marcaria o início da sua campanha presidencial, o ministro disse que a atividade não tem relação com 2010. Para Tarso Genro, "2010 é um outro capítulo".

Mangabeira Unger propõe desoneração “radical” da folha


A Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência discute com trabalhadores e empresários projeto de revisão da legislação trabalhista brasileira que inclui uma desoneração "radical" da folha salarial. A idéia, segundo o ministro Roberto Mangabeira Unger, é introduzir, em troca da redução dos custos trabalhistas, obrigação de as empresas se comprometerem com uma maior proteção aos trabalhadores temporários e terceirizados. "O governo não deve oferecer de mão beijada a desoneração da folha", afirmou o ministro. Ele defendeu a criação de um estatuto para essas classes de trabalhadores e também a construção de uma forma de organizá-las e representá-las. A iniciativa, segundo ele, seria uma forma de enfrentar o problema da informalidade, que afeta cerca de 50% da força de trabalho do País. Para os trabalhadores já formalizados, Mangabeira Unger defendeu a generalização do princípio da participação no lucro das empresas e destacou que isso deve ser acompanhado pelo acesso dos sindicatos à contabilidade das empresas. As mudanças, segundo o ministro, foram discutidas recentemente em reunião de ministros da área e representantes dos sindicatos com o presidente Lula. "Felizmente, no governo Lula o meu maior aliado é o presidente Lula", brincou o ministro.

Lula indica desembargador Benedito Gonçalves para o Superior Tribunal de Justiça

O presidente Lula indicou nesta sexta-feira o desembargador federal Benedito Gonçalves para o posto de ministro do Superior Tribunal de Justiça, no lugar do ministro José Delgado, que se aposentou. Se o nome do desembargador for aprovado pelo Senado, Gonçalves será o primeiro negro a ser ministro da Corte. Em 2003, o presidente Lula nomeou o jurista Joaquim Barbosa, o único negro entre os ministros do Supremo Tribunal Federal. O juiz precisa ser sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça e aprovado pelo Plenário do Senado para, depois, ser nomeado pelo presidente Lula. Nascido no Rio de Janeiro, Benedito Gonçalves é juiz do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que engloba o Rio de Janeiro e o Espírito Santo.