quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Bush vai à televisão e diz que economia toda está em perigo, e chama candidatos para conversa

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse em pronunciamento transmitido pela televisão, na noite desta quarta-feira, que "toda a economia está em perigo" com a crise financeira que vem assolando os mercados do mundo inteiro nas últimas semanas. Ele fez o pronunciamento buscando convencer os congressistas norte-americanos a aprovarem o pacote que prevê US$ 700 bilhões para salvar o sistema financeiro. O presidente também confirmou o convite feito aos candidatos à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, do Partido Democrata, e John McCain, do Partido Republicano, para um encontro na Casa Branca, nesta quinta-feira, para discutir a crise financeira com congressistas dos dois partidos. Segundo Bush, a crise pode atingir não apenas as grandes instituições financeiras, mas também os pequenos negociantes, e por isso o pacote seria necessário. "Nós estamos no meio de uma séria crise financeira", disse Bush. "O mercado não está funcionando de maneira apropriada. Há uma grande perda de confiança", disse ele. "A América poderia cair em uma grande recessão. Eu propus que o governo reduzisse o risco gerado pelas falências e suprisse urgentemente o dinheiro necessário para que bancos e outras instituições financeiras pudessem evitar o colapso e retomassem os empréstimos", afirmou Bush. Ele reiterou que o pacote não servirá para "salvar companhias individuais, mas para proteger toda a economia dos Estados Unidos". O presidente dos Estados Unidos afirmou que normalmente não concordaria com uma intervenção do Estado na economia, mas que desta vez o país " não está em circunstâncias normais, o mercado não está funcionando adequadamente": "Não temos outra opção a não ser intervir". Se o pacote do governo não for aprovado”, disse o presidente norte-americano no discurso, "mais bancos podem quebrar, bolsas irão cair ainda mais, faltará crédito para consumidores e muitos americanos poderão perder seus empregos". Bush afirmou que, se a ajuda não for aprovada, poupanças serão perdidas, os despejos aumentarão, empregos serão perdidos, empresas vão fechar e o país irá mergulhar em "uma longa e dolorosa recessão”. E acrescentou, apocalíptico: "Sem ação do Congresso, os Estados Unidos podem afundar em pânico. Sem ação imediata do Congresso, os Estados Unidos podem afundar em um pânico profundo". O presidente afirmou que o colapso das gigantes financeiras teve origem a partir da crise do crédito "subprime" (empréstimos imobiliários de segunda linha) no setor hipotecário, que teve enorme desenvolvimento na última década. Pouco antes do pronunciamento de Bush, a Casa Branca informou que convidou os candidatos à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama e John McCain, além de líderes do Congresso, para um encontro nesta quinta-feira, a fim de tentar chegar a um acordo sobre o pacote. McCain e Obama divulgaram um comunicado conjunto, no qual pediram que democratas e republicanos no Congresso trabalhem em conjunto. "Esse é o tempo de superarmos a política pelo bem do país. Não podemos nos arriscar a uma catástrofe econômica", diz o documento. O plano de resgate de Bush prevê a liberação de até US$ 700 bilhões de dinheiro público para recomprar os ativos podres acumulados pelos bancos com a crise de créditos "subprime" (empréstimos imobiliários de segunda linha). Nesta quarta-feira o FMI (Fundo Monetário Internacional) divulgou um panorama bastante desanimador sobre os prejuízos causados pela crise na economia americana. O diretor-geral do fundo, Dominique Strauss-Kahn, disse que o custo da crise financeira global pode chegar a US$ 1,3 trilhão, contra uma estimativa anterior de US$ 1 trilhão a US$ 1,1 trilhão, segundo a porta-voz do Fundo, Conny Lotze.

Crise se agrava e presidente do Fed pede que Congresso aprove plano do governo Bush

O presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse nesta quarta-feira que a crise financeira agravou a já delicada situação da economia dos Estados Unidos e pediu a aprovação do pacote de resgate proposto por Washington. A análise feita por Bernanke sobre a economia perante o Congresso foi uma exposição de uma série de indicadores ruins, com os quais pediu com urgência que os legisladores autorizem o Governo a usar os US$ 700 bilhões para intervir nos mercados. Foi o segundo comparecimento seguido de Bernanke no Congresso, mas os membros da Comissão Econômica Conjunta de ambas as câmaras o receberam impassíveis. "Os contribuintes estão muito irritados com isso", disse o senador Sam Brownback, principal nome republicano da comissão. "A idéia sobre os US$ 700 bilhões, que votaremos hoje ou amanhã, é irresponsável", afirmou o congressista democrata Lloyd Doggett.

TSE recebe requisição de 12 Estados para envio de tropas federais para 260 municípios

O Tribunal Superior Eleitoral recebeu pedido de 12 Estados para autorizar o envio de tropas federais a 260 municípios para auxiliar na segurança durante o processo eleitoral. Os pedidos foram encaminhados pelos tribunais regionais eleitorais e 118 já foram aprovados. Os Estados que pediram o envio de tropas federais foram: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins. Além desses Estados, o TSE também autorizou o envio de forças federais para o Rio de Janeiro, mas por decisão do presidente da Corte, ministro Carlos Ayres Britto, e não a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. O TSE autorizou o envio de tropas federais para 82 municípios do Pará, 32 do Amazonas, dois do Tocantins e dois de Alagoas.

TCU dá prazo para Ministério do Esportes apresentar prestação de contas do Pan

O Ministério do Esporte, que é comandado pelo PCdoB, terá que apresentar em 30 dias os documentos referentes às obras que foram feitas para os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro-2007, conforme determinação do Tribunal de Contas da União. Segundo o Tribunal, como as reformas do complexo esportivo do Maracanã, do Parque Aquático Maria Lenk, da pista do Velódromo e de obras de infra-estrutura da Vila Pan-Americana foram feitas por meio de convênios, o Ministério do Esporte terá que falar se encontrou alguma irregularidade e qual foi a providência tomada. O relator do processo, o ministro Marcos Vilaça, reclamou do "excessivo tempo" que Ministério do Esporte comunista tem levado para analisar os contratos e convênios do Pan. O Tribunal de Contas da União também determinou que a Petrobras, a Caixa Econômica Federal e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos mostrem em 15 dias as informações sobre os patrocínios do Pan-2007.

Alckmin volta ao ataque e diz que Kassab quer confundir, dividir e cooptar o PSDB

O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, acusou nesta terça-feira seu adversário na disputa, Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, de provocá-lo diariamente e de tentar "destruir" o PSDB. Para Alckmin, Kassab é de "outra turma": “O que eu disse ontem eu quero reafirmar. É meu dever defender o PSDB" disse o candidato. O que nós verificamos desde o início é que o Kassab só tem uma tática, que é de dividir o PSDB, de cooptar o PSDB, de iludir o eleitor e confundir o eleitor”. Geraldo Alckmin é um desastre, um elefante enfurecido em loja de cristais. Um eterno candidato de si mesmo, que impõe suas candidaturas contra a vontade do partido, em conluio com dirigentes coronelistas do PSDB do Nordeste. Resultado: está implodindo a forte aliança entre PSDB e DEM em São Paulo. Mas, o eleitorado tende a renegar Geraldo Alckmin e levar Gilberto Kassab ao segundo turno, contra a ricaça petista Marta Suplicy, e carregando consigo o apoio quase majoritário do PSDB paulista.

Kassab diz que "graças a Deus" não copiou a gestão de Marta Suplicy

O prefeito de São Paulo e candidato á reeleição, Gilberto Kassab (DEM), disse nesta quarta-feira que "graças a Deus" não copiou a gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT), que administrou a cidade de 2001 a 2004 e tenta retornar ao cargo. Kassab criticou seus antecessores que não investiram na ampliação do metrô e disse que a "pior herança" que recebeu foi nas áreas de saúde e educação. Questionado sobre a propaganda de Marta que critica diretamente Kassab por copiar as propostas da petista, Kassab reagiu com indignação e disse que não tem dificuldade em continuar o que é bom, como os CEUs (Centro Educacional Unificado). "Eu não quero copiar o que Marta fez, graças a Deus, porque ela deixou escola de lata, sala de lata. Ela ficou quatro anos lá e preferiu fazer CEU e deixar criança estudando em escola de lata. Eu não. Primeiro acabei com as escolas de lata e depois comecei a fazer escolas e também CEUs para acabar com terceiro turno", disse o prefeito.

Comissão avalia nesta quinta se adia conclusão de estudos sobre pré-sal

A comissão interministerial que estuda um novo marco regulatório para a exploração de petróleo na camada do pré-sal pode pedir mais prazo para concluir o trabalho. De acordo com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o novo adiamento, proposto pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, será avaliado nesta quinta-feira. "Vamos avaliar, pedir mais um prazo ou não, mas a situação está bem encaminhada. Os estudos estão muito bem feitos, tanto pelo Ministério de Minas e Energia quanto pelos apresentados pela Petrobras, pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE)", disse a ministra após participar do encerramento de um encontro de negócios promovido pela Caixa Econômica Federal.

BNDES diz que empréstimo ao Equador tem garantia

O BNDES informou nesta quarta-feira que o empréstimo concedido ao Equador, por meio da Odebrecht, para a construção da hidrelétrica de San Francisco, tem garantia. O banco confirmou que o valor do empréstimo é de US$ 242,9 milhões, e que já foram 100% desembolsados. O contrato de financiamento foi firmado com uma sociedade de propósito específico (SPE) do Equador em uma operação denominada de "buyer's credit", em que o financiamento é concedido ao importador e o desembolso é feito em reais pelo exportador, no caso a Odebrecht, que se encarrega de repassar os recursos para o governo equatoriano. De acordo com o BNDES, o empréstimo foi efetuado no âmbito do CCR (Convênio de Pagamentos e Créditos Recíprocos), da Aladi (Associação Latino-Americana de Integração). O CCR é um instrumento que permite a compensação, pelos bancos centrais, de pagamentos decorrentes de exportações e importações entre países da região. O financiamento, segundo o banco, teve por objetivo a exportação de equipamentos brasileiros e serviços de engenharia da Odebrecht para a usina de San Francisco, a segunda hidrelétrica equatoriana. A decisão do ditadorzinho protofascista Rafael Correa, que está em campanha para convencer os equatorianos a votarem no próximo domingo a favor de uma nova Constituição Socialista, ocorre em meio à falta de acordo com a Odebrecht para que o governo daquele país seja compensado por danos em uma central hidrelétrica, a San Francisco, inaugurada no ano passado.

Pedido de vista suspende julgamento do Supremo sobre propriedade de fazenda em terra indígena

O Supremo Tribunal Federal suspendeu nesta quarta-feira o julgamento de ação da Funai (Fundação Nacional do Índio) que pede a retirada de fazendeiros da terra indígena Caramuru-Paraguaçu, no sul da Bahia. O ministro Carlos Alberto Menezes Direito, do Supremo, pediu vista à matéria, o que adia o julgamento. Direito argumentou que, como também pediu vista ao julgamento da ação que questiona a demarcação contínua da reserva indígena Raposa/Serra do Sol (RR), não poderia dar prosseguimento a um caso similar. A decisão sobre a reserva Caramuru-Paraguaçu, se ocorresse antes da Raposa/Serra do Sol, serviria de base para a decisão dos ministros sobre as terras indígenas de Roraima. Com o adiamento, a expectativa é que o julgamento da Raposa/Serra do Sol ocorra no plenário do Supremo até o início de dezembro, antes de qualquer decisão sobre a reserva indígena do sul da Bahia. Em seu voto, o ministro Eros Grau, que relata a ação da Funai, recomendou a anulação de títulos de propriedades de terras pertencentes a fazendeiros da reserva indígena Caramuru-Paraguaçu. Grau sustenta que não existem títulos de propriedades de terras dentro da reserva anteriores a 1967, quando a Constituição Federal considerou terras indígenas como domínio da União. O procurador-geral da República, Antônio Fernando Souza, disse não acreditar que a decisão sobre a reserva indígena na Bahia influencie no julgamento da Raposa/Serra do Sol.

Ministério da Fazenda promete a empresários que BNDES terá dinheiro para infra-estrutura

O governo Lula reafirmou nesta quarta-feira a empresários que irá garantir os recursos necessários para que o BNDES possa financiar as obras de infra-estrutura no País e compensar a escassez de crédito internacional. Segundo o presidente da Abdib (Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base), Paulo Godoy, é preciso garantir que o desembolso dos R$ 85 bilhões previstos no orçamento do banco estatal não sejam interrompidos. "O que nos foi colocado é que o governo vai se mobilizar e estará atento para impedir qualquer interrupção nesse programa de investimentos", disse Paulo Godoy: "O ministro Guido Mantega citou que não faltará recursos para o BNDES. O próprio Tesouro está fazendo aportes com fontes diferentes, mecanismos diferentes, mas vai estabelecer uma linha de apoio às ações do BNDES para que não haja essa interrupção". O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, disse que o banco de fomento conta com dinheiro suficiente para fazer face à escassez de crédito internacional até a primeira metade de 2009.

Leilão de energia elétrica tem apenas uma hidrelétrica inscrita

Apenas uma usina hidrelétrica participará do leilão de energia marcado para o dia 30 de setembro. Ao todo serão 51 empreendimentos, sendo 49 usinas termelétricas, mais caras e mais poluentes, e uma eólica. Segundo a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), outras duas usinas hidrelétricas participariam do leilão, mas não conseguiram licença prévia do Ibama a tempo de fazer a inscrição. Somente a usina de Baixo Iguaçu (PR) obteve a licença ambiental e estará na disputa. A usina tem capacidade para gerar 350 MW de energia. Nesse leilão, participam usinas que serão construídas em cinco anos, ou seja, começam a fornecer energia em 2013. O preço-teto do leilão é de R$ 146/MWh para termelétricas e usinas eólicas e R$ 123/MWh para a hidrelétrica.

EPE estima que demanda por álcool deve crescer 150% em dez anos

O forte crescimento do mercado de álcool fez a EPE (Empresa de Pesquisa Energética) revisar suas projeções para os próximos dez anos. A nova estimativa prevê um crescimento de 150% da demanda por álcool até 2017, que chegará a 63,9 bilhões de litros. A estimativa anterior previa que esse volume só seria atingido em 2030. Para 2008, a projeção é que a demanda ficará em 25,5 bilhões de litros. Para o atendimento dessa demanda está prevista a construção de 246 novas usinas, com investimentos estimados entre US$ 20 bilhões e US$ 25 bilhões. A expansão projetada pela EPE é baseada no mercado interno, impulsionado pelo aumento da frota de veículos bicombustível. Dos 63,9 bilhões de litros previstos para 2017, 53,3 bilhões de litros são do mercado interno e 8,3 bilhões de litros para as exportações. Na visão da EPE, a frota de veículos bicombustível terá crescimento médio de 3 milhões de unidades por ano até 2017. Assim, a frota de veículos leves saltará dos atuais 23 milhões de unidades para 37 milhões de unidades daqui a dez anos. Do total de veículos leves nas ruas hoje em dia, 30% são bicombustível; em 2017, serão 73,6%.

Crise financeira mundial faz Tesouro Nacional manter cautela e reduzir emissão de dívida

Os efeitos do acirramento da crise financeira que atinge a economia dos Estados Unidos tem levado o Tesouro Nacional a adotar uma estratégia mais "cautelosa" na administração da dívida pública brasileira. Com o aumento da volatilidade no mercado, a instituição tem emitido um número menor de títulos e optado por papéis de prazos mais curtos. "As emissões foram com prazos menores. Em momentos de volatilidade, o mercado demanda títulos de prazo mais curto", disse Fernando Garrido, coordenador do Tesouro Nacional. Ele afirmou que não houve mudança de estratégia, pois, desde meados do ano passado, o governo vem optando por esse tipo de atuação em semanas de piora no mercado financeiro. "O Tesouro vem adaptando sua estratégia de emissões desde o início da crise, para evitar adicionar volatilidade ao mercado", afirmou. Garrido afirmou também que o governo Lula possui dinheiro em caixa para evitar que seja necessário se financiar pagando juros mais altos. Em agosto houve um resgate de R$ 15,3 bilhões em dívida antiga e uma emissão de R$ 20,8 bilhões em novos papéis. Essa diferença, somada ao efeito dos juros, elevou a dívida pública federal em 1,66%, para R$ 1,319 trilhão.

Sargento da Aeronáutica confirma que apresentou agente ao delegado federal Protógenes Queiroz

O sargento da Aeronáutica Idalberto Matias de Araújo confirmou nesta quarta-feira na CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas da Câmara dos Deputados que indicou o agente aposentado do extinto SNI (Serviço Nacional de Inteligência) Francisco Ambrósio para as investigações da Operação Satiagraha. "Não estou aqui para questionar o que foi publicado, apenas para responder perguntas", disse o sargento. Araújo disse que a apresentação de Ambrósio ao delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, foi feita em um contexto informal. "Da minha parte, eu conheci o doutor Protógenes num churrasco de confraternização, ele e o major Branco (Paulo Ribeiro Branco Júnior) fizeram um curso de formação juntos, daí trocamos telefones", disse ele. Segundo o sargento, que trabalha no centro de inteligência da Aeronáutica há 23 anos, o contato do delegado Protógenes Queiroz não forneceu detalhes sobre que tipo de trabalho seria feito pelo colaborador solicitado. Araújo afirmou ainda que o comando da Aeronáutica não participou das negociações para a participação de Francisco Ambrósio nas investigações da Polícia Federal. É inacreditável, o depoimento mostra que há uma arapongagem de terceiro, quarto ou quinto escalões, agindo à vontade, clandestinamente, no governo Lula.

Dívida pública volta a crescer em agosto e chega a R$ 1,319 trilhão

Depois da queda registrada em julho, a dívida pública federal voltou a crescer em agosto. O aumento de 1,66% no mês elevou a dívida para R$ 1,319 trilhão, segundo dados do Tesouro Nacional divulgados nesta quarta-feira. A dívida pública havia recuado em julho, depois das altas registradas nos dois meses anteriores. O aumento se deveu à emissão líquida de R$ 5,5 bilhões feita pelo Tesouro (diferença entre títulos emitidos e resgatados). Os juros geraram um impacto de mais R$ 16,1 bilhões. Apesar do aumento, a dívida apresenta queda no acumulado do ano. Em dezembro, estava em R$ 1,333 trilhão. A dívida pública interna, que representa 92,7% da dívida total, subiu 1,56%, para R$ 1,223 trilhão. Já a dívida federal externa cresceu 3%, para R$ 96,3 bilhões (US$ 58,9 bilhões). O custo médio da dívida total aumentou de 12,48% ao ano em julho para 15,02% ao ano em agosto, devido à alta do dólar. O volume de títulos em poder público com vencimento em até 12 meses caiu de 23,84% para 23,44%. O prazo médio da dívida caiu de 43,41 meses para 42,66 meses. No acumulado dos últimos 12 meses, o custo médio apenas da dívida interna caiu de 13,11% ao ano para 12,87% ao ano, devido à queda nos índices de preços na comparação entre agosto de 2007 e 2008. A parcela de títulos prefixados na dívida interna aumentou de 30,88% em julho para 31,45% em agosto, devido à emissão de R$ 8,8 bilhões desses papéis, entre outros fatores. A participação dos indexados à taxa Selic passou de 36,82% para 36,89%. A parcela dos títulos remunerados por índices de preços, por sua vez, caiu de 29,47% para 29,12%. O Tesouro também divulgou os resultados da recompra de dívida externa em julho e agosto, que somou R$ 300,9 milhões (valor de face dos papéis), com desembolso de R$ 394,2 milhões.

Banco Central muda recolhimento compulsório e libera mais dinheiro na economia

Para reduzir os efeitos da crise internacional sobre a economia brasileira e ajudar as empresas em dificuldade para obter recursos, o Banco Central anunciou nesta quarta-feira duas mudanças nos depósitos compulsórios das instituições financeiras. A restrição de crédito no sistema mundial é uma das principais características da atual crise que atinge os Estados Unidos. O depósito compulsório obriga que as instituições financeiras recolham junto ao Banco Central parte do dinheiro depositado pelos seus clientes. Com isso, os bancos ficam com menos dinheiro para emprestar e fazer outras operações. Mas, agora as empresas brasileiras estão com dificuldade para conseguir recursos fora do País para investimentos, o que aumenta a dependência delas em relação aos bancos brasileiros. Com mais dinheiro no caixa, os bancos poderão evitar possível falta de liquidez.

Brasil adota domínio "b.br" exclusivo para bancos

O NIC.br (Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR) anunciou nesta quarta-feira a ativação do domínio "b.br", de uso exclusivo para instituições bancárias. Com isso, essas empresas poderão ter endereços como "banco.b.br". A medida, que não é obrigatória, visa dar mais segurança para transações bancárias na internet. A NIC.br vai gerenciar o sistema. O objetivo é preservar internautas de práticas maliciosas na rede como o "phishing" (furto de dados pessoais pela web). O domínio tem um novo sistema de identificação de sites chamado DNSSEC, que valida e reconhece a autenticidade da página antes que o internauta tenha acesso a ela. Com a mudança deve ficar mais difícil a realização de um golpe em que piratas virtuais desenvolvem sites semelhantes aos originais e levam os internautas a deixarem ali informações como senhas. Ao digitar o endereço do site, o usuário pode ter seu caminho desviado por criminosos e levado para esse tipo de página maliciosa. Dados da Febraban, referentes a 2007, indicam que 29,8 milhões de pessoas utilizam "internet banking" no Brasil, número 9,2% maior que em 2006. No ano passado foram realizadas 6,9 bilhões de transações na rede, volume que representa 16,9% do total de operações bancárias realizadas no País. Pelas regras estabelecidas para o "b.br", a empresa que utiliza o domínio será, obrigatoriamente, uma instituição bancária. A triagem dessas instituições será realizada pelo NIC.br. O NIC.br é o braço executivo do CGI.br (Comitê Gestor da Internet no Brasil), responsável por implementar suas decisões, e coordena o registro de nomes de domínio no País.

Presidente de CPI do Grampo critica Judiciário por negar acesso a dados de operações da Polícia Federal

O presidente da CPI das Escutas Clandestinas, deputado federal Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), criticou a sigilo do processo contra o banqueiro Daniel Dantas e desafiou o Judiciário a retirar o caráter sigiloso do inquérito aberto contra ele para investigar crimes financeiros. "Desafio os juízes da Vara Federal de São Paulo e os juízes da Suprema Corte que abram mão do segredo de Justiça sobre a prática de atos de natureza criminosa para que esta CPI e a população possam ter conhecimento de tudo o que está sendo apurado e para que estas pessoas criminosas, principalmente do colarinho branco, sejam postas sob a ótica do escrutínio da opinião pública", criticou Itagiba. O deputado federal disse que o banqueiro Daniel Dantas é o principal beneficiário do segredo de Justiça. "Vou fazer uma acusação grave, o senhor Dantas só não é inquirido corretamente por esta CPI por causa do segredo de Justiça decretado pelos juízes que analisam seus processos. Uma coisa é o segredo do dado, outra é da informação. Esse segredo de Justiça só protege o Zé do banco porque o Zé do Morro não se beneficia com isso", desabafou Marcelo Itagiba. O Supremo Tribunal Federal negou há duas semanas o acesso da CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas aos autos das operações Chacal e Satiagraha, ambas da Polícia Federal, que citam "no todo ou em parte" informações constantes nos discos rígidos do Banco Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas.

Presidente do Banco do Brasil diz que crise afeta crédito externo, mas não acende a "luz amarela"

O presidente do Banco do Brasil, Antônio Francisco de Lima Neto, afirmou nesta quarta-feira que a crise bancária internacional está reduzindo as linhas para financiamento de comércio exterior. Mas, a instituição que ele preside ainda não considera que haja uma situação crítica. "Existe de fato nas linhas externas para financiamento de comércio exterior um estreitamento de prazo, mas sob controle. Não temos luz vermelha ou luz amarela", disse Lima Neto: "Está em um momento em que a situação está bastante difícil. Mas continuo atendendo. Somos líderes de financiamento de comércio exterior e, a princípio, dá pra atender”. Em relação aos juros cobrados nessas operações, ele afirmou que a alta das taxas é natural: "Tem uma subida que eu não caracterizaria como forte, mas tem o estreitamento de prazo e esgotamento de linhas lá fora”. Lima Neto afirmou também que o banco não enfrenta problemas de liquidez, devido ao grande volume de captação por meio de depósitos: "Somos o maior banco do País em crédito, em depósito. A liquidez interna, do ponto de vista do Banco do Brasil, está tranqüila”.

Paul McCartney chega a Israel sob ameaça dos terroristas palestinos

O ex-beatle Paul McCartney está hospedado em um hotel de luxo de Tel Aviv, cercado por fortes medidas de segurança, para conter seus fãs no país e para evitar possíveis ataques, depois que um grupo islamita e outro palestino disseram que o Beatle não deveria se apresentar em Israel. Paul McCartney não deve dar entrevistas, mas participará de uma sessão de fotos antes do show, disseram fontes da produtora responsável pela apresentação. Esse é o primeiro show de McCartney em Israel, que em 1965 proibiu os Beatles de se apresentarem no país por considerar que eles poderiam perverter a juventude israelita. Um grupo islamita e uma organização palestina insistem em que o show do ex-beatle é uma legitimação da política israelense de ocupação. O líder islamita Omar Bakri, que vive no Líbano após ter sido expulso do Reino Unido, ameaçou este mês que McCartney poderia ser alvo de um atentado por se apresentar durante as comemorações do 60º aniversário da fundação do Estado de Israel. Bakri, de 48 anos, um fanático de origem síria, afirmou que McCartney se transformou em "inimigo dos muçulmanos" por se apresentar em um Estado que os oprime. O terrorista islamita disse que Paul McCartney "não estará a salvo" em Israel, já que os encarregados das "operações de sacrifício" (atentados suicidas) estarão esperando por ele. Se isso não é ameaça, então o que seria ameaça? Terroristas são o pior tipo de tarados.

Equador ameaça não pagar BNDES pelo financiamento de hidrelétrica

O presidente do Equador, Rafael Correa, ameaçou nesta quarta-feira não pagar o empréstimo de mais de US$ 200 milhões concedido pelo BNDES para o financiamento das obras da central hidrelétrica equatoriana de San Francisco. A obra, que apresentou falhas na execução, é o centro de uma crise entre o governo equatoriano e a construtora brasileira Odebrecht. "Nós estamos pensando seriamente em não pagar o crédito do BNDES que foi concedido por meio da Odebrecht para construção da hidrelétrica", declarou o protofascista Rafael Correa durante uma entrevista a uma TV local. "Ainda mais um empréstimo de centenas de milhões de dólares, de mais de US$ 200 milhões, para um projeto que não presta", acrescentou o tiranete equatoriano, que abriga narcotraficantes das Farc em seu território. Rafael Correa questionou o fato de o empréstimo ter sido direcionado diretamente à construtora, mas que "legalmente" consta como dívida interna do Equador com o Brasil. “É um dinheiro que nem entra no país”, disse ele. Como se a hidrelétrica não tivesse sido construída. E se foi mal construída, a culpa é toda do Estado equatoriano, que deveria ter fiscalizado a obra, mas ficou quieto, comendo bola. Na terça-feira, Rafael Correa ordenou o confisco dos bens da Odebrecht e a expulsão da construtora do país depois de um desentendimento em um acordo no qual o Estado exigia o pagamento de uma indenização de US$ 43 milhões em conseqüência das falhas apresentadas na obra. Conforme o tiranete Rafael Correa, a San Francisco deixou de funcionar um ano depois de serem concluídas as obras e está paralisada desde o dia 6 de junho, quando técnicos apontaram falhas estruturais na construção.

Deputada federal denuncia que agentes da Polícia Federal ameaçam parlamentares

A deputada federal e policial civil licenciada Marina Magessi (PPS-RJ) disse nesta quarta-feira, em depoimento prestado à CPI das Milícias, na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, que integrantes da CPI dos Grampos, na Câmara dos Deputados, estão sendo ameaçados por grupos da Polícia Federal. Conforme Marina Magessi, o objetivo é o de desqualificar o trabalho da comissão para impedir a regulamentação das escutas telefônicas no País. Integrante da CPI dos Grampos, ela denunciou que agentes federais a pressionam com a abertura de um inquérito baseado em escutas antigas, que registraram diálogos entre ela e o policial civil Hélio Machado da Conceição, o Helinho, preso sob acusação de envolvimento em um esquema de lavagem de dinheiro, facilitação de contrabando e corrupção. "Ameaças vem sempre naqueles recadinhos dizendo você está sendo investigada, tem um inquérito contra você. E tem mesmo, porque apurei que tem um inquérito contra mim e já tive acesso", disse ela.

CPI do Grampo pede quebra de confidencialidade do laudo do Exército sobre a Abin

A CPI das Escutas Telefônicas da Câmara dos Deputados (CPI do Grampo) enviou nesta quarta-feira ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, um pedido para retirar o caráter confidencial dos documentos enviados à comissão. O Exército realizou uma perícia nos aparelhos da Agência Brasileira de Inteligência para analisar se os equipamentos são capazes de realizar escutas telefônicas, ainda que acoplados a acessórios. O Ministério da Defesa enviou, em um envelope lacrado, o laudo da perícia com um selo de caráter reservado. No envelope contendo a lista de equipamentos da Abin há um selo de confidencial, o que obriga a manutenção do sigilo. Receoso se poderá ou não publicar o conteúdo dos documentos, o presidente da CPI, deputado federal Marcelo Itagiba (PMDB-RJ) afirmou que só analisará os papéis após uma resposta do Ministério da Defesa informando se o material do laudo e da lista de equipamentos da Abin poderão ser divulgados.

Senador Arthur Virgílio denuncia governador amazonense Eduardo Braga

O líder do PSDB no Senado Federal, senador Arthur Virgílio (AM), divulgou nesta quarta-feira um dossiê envolvendo o governador do Estado, Eduardo Braga (PMDB) em um fraude de superfaturamento na compra de combustíveis para veículos oficiais e em outros esquemas. Renata Barros, mulher de Rosinei Braga, empresário amazonense do ramo de combustíveis, acusa o marido de ser sócio testa-de-ferro de Braga. Ela afirma que o governador tem um esquema para a venda de gasolina para os veículos do Estado, com notas fiscais superfaturadas. Em um DVD entregue pelo seu advogado ao senador Arthur Virgílio, Renata diz ter sido ameaçada de morte pelo marido e afirma que ele também é sócio do governador Eduardo Braga na compra de imóveis, lanchas, carros e outros bens no Brasil e no Exterior. No dossiê há cópias de extratos bancários, de contas telefônicas, de contratos de compra de imóveis, terrenos e carros de luxo, todos em nome do empresário. O senador Arthur Virgilio entregou nesta mesma sexta feira ao procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, em Brasília.

Dilma Rousseff diz que petróleo da camada do pré-sal ajudará Brasil a erradicar a pobreza em menos de 18 anos

A ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta quarta-feira, em discurso para gerentes da Caixa Econômica Federal, em um hotel de Brasília, que os recursos obtidos com a exploração de petróleo na chamada camada do pré-sal, em águas ultraprofundas, ajudarão na erradicação da pobreza em um prazo inferior a 18 anos. “Com o Bolsa Família, com a infra-estrutura e com a questão da educação, vamos levar uns 15 a 18 anos para acabar definitivamente com a miséria e com as diferenças e as desigualdades gritantes do País. Nós iremos usar esses recursos da exploração do pré-sal para encurtar o processo”, disse ela. Segundo a ministra, "o pré-sal vai fazer com que esses passos se reduzam". Dilma Rousseff também afirmou que o Brasil está em uma situação "forte e robusta" para enfrentar eventuais desdobramentos da crise de crédito nos Estados Unidos.

Classe média brasileira trabalha 75% do ano para pagar tributos

Estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) revela que a classe média brasileira vai trabalhar 75% do ano para pagar tributos e adquirir serviços públicos. Segundo a entidade, a deficiência na prestação dos serviços públicos obriga as famílias a gastar cada vez mais com serviços privados em substituição àqueles que deveriam ser fornecidos pelo Estado. O estudo mostra ainda que a classe média trabalhou até o dia 5 de junho somente para pagar tributos (157 dias); e de 6 de junho a 30 de setembro (117 dias) trabalhará para adquirir serviços privados de educação, saúde, previdência, segurança e pedágio. A segurança privada foi o item que mais apresentou crescimento. Essa nova realidade, segundo o IBPT, mostra que a classe média está trabalhando dois dias a mais em 2008 em relação a 2007, para pagar impostos (um dia para tributos e 1 outro para a aquisição de serviços privados). “O cidadão de classe média brasileira só começará a trabalhar para comer, se vestir, morar, adquirir bens, gozar férias e fazer alguma poupança a partir do dia 1º de outubro deste ano”, afirma Gilberto Luiz do Amaral, presidente do IBPT.

Quatro deputados federais gaúchos obrigados a demitir familiares em Brasília

Quatro deputados federais gaúchos foram obrigados a demitir familiares este mês depois que o Supremo Tribunal Federal proibiu o nepotismo em todos os Poderes. O caso mais grave é o do deputado federal Sérgio Moraes (PTB), presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados. Sérgio Moraes não considerou que fosse “indecoroso” e “anti-ético” manter uma irmã (Marilene de Lourdes Moraes) como seu funcionária paga com recursos dos contribuintes. Ele alegou, como se isso fosse justificativa para ela ter salário pago pelos brasileiros, que sua irmã trabalhava para ele há 25 anos. Significa apenas que faz 25 anos que Sérgio Moraes obtém vantagens como parlamentar colocando o custo disso sobre o contribuinte. Não bastasse isso, o deputado Sérgio Moraes também empregava seu sobrinho, Leonardo Moraes Schimidt, filho de Marilene de Lourdes Moraes. Ou seja, ele deve mesmo acreditar que família que trabalha unida permanece unida. Outro que também tem uma certa implicância com a ética é o deputado federal trabalhista Pompeu de Mattos. Ele, que já foi campeão em empregar anões, há quatro anos mantinha seu sobrinho Lucas Eduardo Pompeo de Mattos com um salário de R$ 3.540,00. Há um mês, o deputado federal Pompeu de Mattos havia negado que mantivesse parentes empregados como assessores. E não viu nisso nada de indecoroso. Decoro, para político, tem sempre outro sentido. Pompeu de Mattos disse que foi “um drama” na família, porque o “guri preciso até abandonar a faculdade”. Assim ficamos sabendo que todos nós, contribuintes gaúchos e brasileiros, estávamos pagando a faculdade do “guri” de Pompeu de Mattos.

Construção de segunda ponte entre Brasil e Paraguai começará em um ano

As autoridades paraguaias informaram que começará em setembro do próximo ano a construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai, avaliada em US$ 60 milhões e que será erguida sobre o rio Paraná. A informação foi divulgada por Oscar Rodríguez, vice-ministro de Relações Econômicas, Internacionais e Integração da Chancelaria paraguaia. Rodríguez disse que a ponte vai ser custeada pelo Brasil e ligará a localidade de Porto Meira, próxima a Foz de Iguaçu, com a paraguaia Presidente Franco, na divisa com Ciudad del Este. Segundo vice-ministro, ainda não está definido se a segunda ponte será só para transportes de cargas ou se também estará liberada ao tráfego de veículos de passeio. Rodríguez destacou que a obra vai agilizar a passagem pela fronteira, onde a demora gera freqüentes protestos e bloqueios na Ponte da Amizade, entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu. O vice-ministro também disse que o BNDES vai financiar um estudo sobre a viabilidade de uma interconexão ferroviária entre o estado do Paraná e o departamento paraguaio de Itapúa, na fronteira com a Argentina. Segundo as primeiras estimativas, essa construção teria um custo de US$ 1 milhão por quilômetro de via.

Presidente da Federasul vai depor sobre pagamento de mesadão ao empresário presidente da Procergs

O presidente da Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Sul (Federasul), o executivo José Paulo Dorneles Cairoli, vai depor nesta quinta-feira no Mistério Público estadual. Cairoli deverá mostrar e explicar o contrato de consultoria feito pela Federasul com o empresário Ronei Ferrigolo, presidente da Procergs (Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul). Conforme a revista Veja, a Federasul de Cairoli pagava um “mesadão” de 15 mil reais para o empresário Ferrigolo, por meio das empresas CBC Cartuchos e a Paramont têxtil. O executivo Cairoli desmentiu isto “peremptoriamente” para Videversus, e depois deu outra versão para Veja. De qualquer forma, Cairoli não deve temer, porque seu depoimento será dado ao Mistério Público. Será um depoimento misterioso e permanecerá misterioso.

Julgamento da candidatura do petista gaúcho Daniel Bordignon deve ocorrer nesta quinta-feira no TSE

O deputado estadual petista gaúcho Daniel Bordignon tem tentado demonstrar segurança e tranqüilidade nos últimos dias, desde que o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul cassou a sua candidatura à prefeitura de Gravataí. Ele quer demonstrar confiança no resultado do julgamento de seu recurso ao Tribunal Superior Eleitoral, que ocorrerá nesta quinta-feira, em Brasília. São comuns as cenas de Daniel Bordignon em campanha, ao lado de sua vice, a vereadora petista Rita Sanco. Ela é apontada como a sucessora natural da candidatura de Bordignon casso se confirme nesta quinta-feira a cassação de sua candidatura. Ocorre que o atual prefeito, Sérgio Stasinski, é inimigo declarado de Bordignon, mas é muito ligado a sua companheira Rita Sanco. Bordignon teve sua candidatura cassada porque suas contas como prefeito foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União.

Petrobrás confirma a descoberta de gás e óleo leve no campo Júpiter da camada de pré-sal

A Petrobras concluiu a perfuração do poço conhecido como Júpiter, no bloco BM-S-24, confirmando a ocorrência de uma grande jazida de gás natural e óleo leve na camada do pré-sal, em águas ultra-profundas, na Bacia de Santos. O consórcio responsável pela exploração deste bloco é formado pela Petrobras (80%) e Galp Energia (20%). Essa perfuração confirma a descoberta anunciada em 21 de janeiro de 2008. O poço 1-BRSA-559A-RJS (1-RJS-652A) está localizado a 290 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro e a 37 quilômetros a leste da área do Tupi, em profundidade de 2.187 metros. A profundidade final atingida foi de 5.773 metros a partir da superfície do mar. A perfuração do poço, que por razões operacionais havia sido interrompida em janeiro, foi aprofundada e constatou a continuidade de reservatórios de gás natural e óleo leve, e de elevado teor de gás carbônico (CO2). Várias amostras de petróleo foram recuperadas e se encontram em análise no Centro de Pesquisa da Petrobras para melhor caracterizar as percentagens relativas de seus componentes. Quando em produção, o CO2 será reinjetado, contribuindo assim para o aumento do fator de recuperação de petróleo nestes reservatórios.