sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Petrobras informa nova descoberta de petróleo na bacia de Santos

A Petrobras informou nesta sexta-feira nova descoberta de óleo na bacia de Santos. A estatal voltou a encontrar óleo no bloco BM-S-40, a 2.060 metros de profundidade, acima da camada de sal. Estimativas preliminares apontam para um volume recuperável de 150 milhões de barris de petróleo e gás natural no local. Segundo a estatal, a descoberta confirma o potencial de óleo leve nas águas rasas da bacia de Santos. Em maio deste ano já havia sido encontrado óleo no prospecto de Tiro, situado a 9,3 quilômetros da nova descoberta, em outra área do bloco. O bloco BM-S-40 está a 200 quilômetros da costa de São Paulo, e pertence integralmente à Petrobras. A dimensão completa da descoberta só será definida após o complemento do plano de avaliação que será entregue à ANP (Agência Nacional do Petróleo). Na outra descoberta no BM-S-40, no prospecto de Tiro, a Petrobras constatou altas vazões nos testes realizados. A estimativa é que possam ser extraídos da região pouco mais de 12 mil barris/dia. Um poço situado na bacia de Campos produz, em média, 10 mil barris/dia. Este poço está situado a cerca de 275 quilômetros a sul da cidade de Santos, na costa de São Paulo. Os reservatórios avaliados estão a 2.080 metros de profundidade. O óleo em Tiro é de 36º API e considerado de boa qualidade. Quanto maior o grau API, mais elevado é o valor do petróleo no mercado. A escala API vai até 50º. O óleo extraído na bacia de Campos, por exemplo, tem de 17º API a 22º API.

Grupos bancários Citigroup e Wachovia negociam possível fusão

O banco Wachovia (quarto maior dos Estados Unidos) iniciou negociações preliminares com o Citigroup sobre uma possível fusão, conforme o site do jornal norte-americano "The New York Times" nesta sexta-feira. As negociações estão em fase inicial. Mas, nenhum acordo deve sair delas ainda, disseram fontes envolvidas no assunto à publicação. O Wachovia, um grande banco com sede em Charlotte, está no meio das tensões sobre o sistema financeiro nas últimas semanas e voltou à cena nesta sexta-feira, após a compra do Washington Mutual pelo JPMorgan Chase. Se o negócio se concretizar, o Citigroup vai se associar a um dos mais importantes bancos de varejo nos Estados Unidos. Na semana passada, fontes ouvidas pelo "The New York Times" também disseram que o banco norte-americano Morgan Stanley considerava uma eventual fusão com o Wachovia ou mesmo algum outro banco. O Morgan Stanley interrompeu as negociações de uma eventual fusão com o Wachovia depois que o Federal Reserve aceitou a proposta de transformar o Morgan e o Goldman Sachs em holdings. O estopim da crise financeira ocorreu no dia 15, com a quebra do banco de investimentos Lehman Brothers; com a venda do Merrill Lynch ao Bank of America, e com a ajuda à seguradora AIG de US$ 85 bilhões do Fed. No último dia 20 o presidente George W. Bush propôs um resgate de US$ 700 bilhões para o setor financeiro durante dois anos. O plano daria ao secretário do Tesouro, Henry Paulson, autoridade para comprar até US$ 700 bilhões em ativos relacionados às hipotecas para dissipar a grave crise financeira. O pacote também permitirá aumentar o limite da dívida pública para US$ 11,3 trilhões e conceder ao secretário do Tesouro a autoridade para comprar, vender e manter hipotecas residenciais e comerciais, assim como garantias baseadas nessas hipotecas.

Empresário venezuelano disse que foi obrigado a assumir dinheiro da mala

O empresário venezuelano Guido Alejandro Antonini Wilson, que mora em Miami, disse em seu julgamento, na Flórida, que foi obrigado a confessar, na Argentina, que era dono dos US$ 800 mil (R$ 1,5 milhão) com que tentou entrar no país, no último dia 12 de agosto. Ele acusou uma funcionária da alfândega argentina, que teria dito que, caso ele não confessasse a posse do dinheiro, "teria problemas". O empresário afirmou que o dinheiro pertencia a Claudio Uberti, funcionário do governo Kirchner, que viajava no mesmo avião. Disse também que havia outra mala de Uberti, com US$ 4,2 milhões (R$ 7,6 milhões) e que não foi apreendida. A declaração foi dada no quarto dia de julgamento em Miami do "Caso da Mala", que investiga um envio ilegal de dinheiro da Venezuela para a Argentina, para financiar a campanha eleitoral da atual presidente, Cristina Kirchner. Antonini Wilson é a testemunha principal da Promotoria Federal dos Estados Unidos no julgamento contra seu compatriota Franklin Durán, que é acusado de conspirar e atuar como agente do governo da Venezuela para encobrir a origem e destino da mala com US$ 800 mil. Segundo as provas da Promotoria Federal apresentadas no julgamento em Miami, o dinheiro levado por Antonini Wilson procedia dos cofres da empresa estatal Petróleos de Venezuela S/A (PDVSA). No mesmo avião, estava também o diretor da PDVSA, Diego Uzcátegui Matheus, que renunciou depois do escândalo.

Senador petista Aloizio Mercadante denuncia “roubo” de milhas aéreas

O senador petista Aloizio Mercadante (SP) escreveu ao presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), para dizer que foi “roubado” em cerca de 90 mil milhas aéreas da TAM. Ele também pediu que o Garibaldi Alves alertasse os demais parlamentares sobre o esquema de roubo de milhas na companhia aérea. Após reclamação de Mercadante, a TAM revelou que nove passagens haviam sido compradas irregularmente com seu crédito. Além de receberem até R$ 16 mil por mês de verba pública para viagens, senadores ainda usufruem das milhas acumuladas em missões oficiais. É inacreditável o que é feito com dinheiro público no País. O contribuinte paga as passagens dos parlamentares. Portanto, as passagens são pagas com dinheiro público. Em conseqüência, as milhas aéreas concedidas como bonificações pelas companhias deveriam ser entregues ao “dono” do dinheiro, no caso o Senado Federal, que as redistribuiria entre os parlamentares, gerando assim uma economia para os cofres públicos. Mas, não é assim que ocorre. Aquilo que é público – as milhas aéreas – é apropriado pelos parlamentares, como se o dinheiro para a compra das passagens tivesse sido seu.

Tribunal de Justiça gaúcho é denunciado em ação popular por seu intenso nepotismo

Uma ação popular foi ajuizada no Supremo Tribunal Federal, a ação ordinária número 1531, no último dia 18, por funcionária do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que denuncia intenso nepotismo na Corte gaúcha e pede as providências da Suprema Corte nacional, levando em conta o enunciado da Sumula 13, contra o nepotismo. A ação popular ajuizada pela funcionária Simone Janson Nejar é curta mas incisiva. Em suas oito páginas, denuncia que os desembargadores gaúchos são extremamente chegados à mordomia do nepotismo, que engorda suas receitas familiares. A ação diz que as duas assessoras do desembargador Sérgio Fernando Vasconcellos Chaves, as irmãs gêmeas Cristiane Moura Sleimon e Viviane Moura Sleimon, são filhas do procurador Arnaldo Buede Sleimon. A desembargadora Ana Maria Nedel Scalzilli tem três irmãos e um sobrinho nomeados no Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Maria Helena Nedel é sua assessora; José Oscar Nedel é assessor do desembargador Otávio Augusto Stern; e Ana Maria Nedel Duarte é a secretária da 8ª Câmara Cível. O sobrinho Mathias Nedel Loureiro também ganhou emprego como estagiário. Os assessores Aline Mileski e Hélio Mileski são filhos de Hélio Saul Mileski, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul. Em contrapartida, Mileski emprega filhos de desembargadores em seu gabinete no Tribunal de Contas. O desembargador Dálvio Leite Dias Teixeira empregou o filho, Christian Vinícius Benedetti Teixeira. Denise Nunes Meneghetti, comissionada chefe do Setor de Perícias do Departamento Médico Judiciário, é esposa do escrivão designado da Direção do Foro Central, Marco Antônio Reinbrecht Meneghetti. A Oficiala de Gabinete Astrid Dorinha Peiter Brito, cedida de uma prefeitura do interior do Estado, é mulher do deputado estadual Adolfo Brito (PP). Ana Lia Vinhas Hervé, comissionada, é mãe do comissionado Rodrigo Vinhas Hervé. A servidora Mariana Santos dos Santos é mãe de Maria Augusta Santos dos Santos, secretária do juiz convocado Ney Wiedemann Neto. A chefe do Setor de Estágios, Jeanne Vernieri Machado, é mãe da assessora de desembargador Mariana Vernieri Machado. Cynthia Fischer e Roger Fischer são irmãos, ambos assessores e comissionados, ela na 3ª Vice-Presidência, ele no gabinete da desembargadora Elaine Macedo. Gervásio Barcellos Júnior é secretário comissionado da 6ª Câmara Cível, e irmão de Mônica Barcellos Filippini, comissionada no Departamento de Engenharia, Arquitetura e Manutenção. Maria Lúcia Maraschin Santos é comissionada e irmã do Juiz Dr. Jorge Maraschin. O comissionado Fernando de Jesus Rovani é irmão do juiz Francisco de Jesus Rovani. Gustavo Mendoza Sudbrack, secretário do desembargador Umberto Guaspari Sudbrack, é o filho do próprio desembargador. Tatiana Schmitt de Arruda, assessora da presidência do Tribunal de Justiça, é filha de juiz e mulher de outro assessor da Presidência e ex-diretor do Depto de Informática, Eduardo Henrique Pereira de Arruda. Ou seja, é quase tudo em família. É o que se pode chamar de Justiça Familiar. A Súmula Vinculante 13, aprovada em sessão Plenária do Supremo Tribunal Federal, no dia 21 de agosto deste ano, diz o seguinte: “A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal”. Parece que não vale para os magistrados do Rio Grande do Sul. A funcionária Simone Janson Nejar ingressou com sua ação popular no Supremo Tribunal Federal dizendo o seguinte: “Interpõe Ação Popular - Por improbidade administrativa, contra o Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, requerendo sua citação na pessoa de seu Presidente, Desembargador Armínio José Abreu Lima da Rosa, fulcro na Lei 4.717/65 e no art. 102, I, “n” da Constituição Federal. Dos fatos: a novel Súmula 13 desta Elevada Corte, de caráter, felizmente, vinculante, chegou para exterminar com a mácula do nepotismo no serviço público. Como é sabido, o servidor concursado sente-se extremamente agredido com a presença de parentes nos cargos da Administração Pública; agredido, sim, para não dizer humilhado, moralmente assediado, preterido, quando os cargos são preenchidos por laços de sangue e não por critérios de antigüidade e merecimento. O emprego de parentes desqualifica o serviço público, atentando contra o Princípio da Moralidade Administrativa, um dos pilares da nossa Constituição. A impessoalidade e a eficiência devem ser o alicerce do serviço público, e não é admissível que famílias inteiras se protejam em empregos públicos, à semelhança de certas organizações contrárias ao Direito. No Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, em que pese a publicação da Súmula nº 13, infelizmente, os parentes não foram exonerados, e seguem gozando todas as prerrogativas como se estáveis fossem, ou, pior, mais do que isso, pois detêm cargos comissionados com vencimentos muito superiores aos dos concursados. Isso gera um clima de revolta muito grande entre os servidores efetivos, que são sistematicamente preteridos pelos parentes. Cabe ressaltar que mais de setenta por cento de todos os cargos (efetivos) do Tribunal são providos por bacharéis em Direito, pessoal qualificado, concursado, e que sonha, acima de tudo, trabalhar nos gabinetes. A autora mesmo, por nove longos anos, bateu em vão de porta em porta, apresentando currículo, oferecendo-se para fazer projetos de votos e relatórios, mesmo que sem a função gratificada, pelo imenso prazer que sentiria em trabalhar na sua área, e não empacotando teclados, como faz, hoje, lotada no Departamento de Informática. Em vão. Os doutos magistrados e seus parentes portam-se como se o Tribunal fosse um feudo, e não oportunizam que os servidores concursados tenham acesso aos gabinetes. Neste diapasão, a autora vem, como cidadã, argüir a Súmula 13 desta Corte e requerer seja o Tribunal processado por improbidade administrativa. Passará, a partir de agora, a citar alguns nomes de parentes empregados, deixando claro que o rol é meramente exemplificativo. Existem muito mais parentes, só que a autora não é Sherlock Holmes nem Hercule Poirot, com o perdão da brincadeira, não dispondo de meios para investigar e denunciar a todos. 1 – As duas assessoras do Des. Sérgio Fernando Vasconcellos Chaves, as irmãs gêmeas Cristiane Moura Sleimon e Viviane Moura Sleimon, são filhas do Procurador Dr. Arnaldo Buede Sleimon; 2 – A Desª Ana Maria Nedel Scalzilli é irmã da secretária da 8ª Câmara Cível, a comissionada Ana Maria Nedel Duarte; 3 – Os assessores Aline Mileski e Hélio Mileski são filhos do Conselheiro do Tribunal de Contas do RS, Hélio Mileski; 4 – O Des. Dálvio Leite Dias Teixeira empregou o filho, Christian Vinícius Benedetti Teixeira; 5 – Denise Nunes Meneghetti, comissionada chefe do Setor de Perícias do Departamento Médico Judiciário, é esposa do escrivão designado da Direção do Foro Central, Marco Antônio Reinbrecht Meneghetti; 6 – A Oficiala de Gabinete cedida de uma prefeitura do interior do Estado, Astrid Dorinha Peiter Brito, é esposa de um deputado estadual, provavelmente Adolfo Brito; 7 – Ana Lia Vinhas Hervé, secretária do Presidente, é mãe do comissionado Rodrigo Vinhas Hervé; 9) Secretária do Tribunal Pleno até poucos dias atrás, Mariana Santos dos Santos é mãe de Maria Augusta Santos dos Santos, secretária do Juiz convocado Dr. Ney Wiedemann Neto; 10 – A Chefe do Setor de Estágios, Jeanne Vernieri Machado, é mãe da assessora de desembargador, Mariana Vernieri Machado; 11 – Cynthia Fischer e Roger Fischer são irmãos, ambos assessores e comissionados, ela na 3ª Vice-Presidência, ele no Gabinete da Desª Elaine Macedo; 12 – Tatiana Schmitt de Arruda, assessora na Presidência, é filha de Juiz e esposa de outro assessor da Presidência, Eduardo Henrique Pereira de Arruda; 13 – Gervásio Barcellos Júnior é secretário comissionado da 6ª Câmara Cível, e irmão de Mônica Barcellos Filippini, comissionada no Departamento de Engenharia, Arquitetura e Manutenção; 14 – Maria Lúcia Maraschin Santos é comissionada e irmã do Juiz Dr. Jorge Maraschin; 15 – Fernando de Jesus Rovani é irmão do Juiz Dr. Francisco de Jesus Rovani; 16 – O servidor concursado Michel Wagner, sobrinho da Diretora do Departamento Processual, Maria Teresa Wagner, trabalha na Corregedoria-Geral de Justiça mantendo a função gratificada que lhe foi dada pela tia, de Encarregado-Revisor, do Departamento Processual; 17 – A servidora Maria do Carmo Scartazzini de Moraes licenciou-se do Tribunal para trabalhar no Centro dos Funcionários do Tribunal de Justiça – CEJUS - e levou consigo sua função gratificada, causando prejuízo ao Erário. Dos pedidos: processamento e julgamento da presente ação nesta Corte, pela evidente suspeição do Tribunal de Justiça e de seus membros, forte no art. 102, I, “n” da Carta; intimação do Ministério Público, para que intervenha necessariamente, por tratar-se de questão de interesse público, indisponível; julgamento de procedência da presente ação popular, com a conseqüente determinação de que o Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul ressarça o Erário Público com as quantias pagas indevidamente aos parentes referidos, e aos outros que porventura forem apurados, desde a data da publicação da Súmula 13. Das provas: todos os meios em Direito admitidos, requerendo, ab initio, sejam juntadas aos autos as certidões de nascimento e casamento de todas as pessoas aqui mencionadas, bem como cópia de seus assentamentos funcionais, contracheques e todas as outras provas que o Douto Parquet entender pertinentes ao deslinde da questão. A autora confia no Ministério Público, assim como espera que esta Corte, cuja missão é zelar pelo cumprimento da Carta de 1988, exija o cumprimento do Princípio da Moralidade Administrativa. A sociedade agradece”. Como se vê, tem muito mais parente nomeado no Tribunal de Justiça. Videversus aguarda pelas colaborações dos leitores para divulgar os nomes desses parentes.

Tribunal de Contas gaúcho rebate com o seu nepotismo

Entre os 12 funcionários comissionados do Tribunal de Contas do Estado listados pela própria Corte como parentes de autoridades, dois estão no gabinete do conselheiro Hélio Mileski. Filha do desembargador Marcelo Bandeira Pereira, Daniele Soares Pereira trabalha no gabinete de Mileski como CC, assim como Marcio Fernando Chaves, filho do desembargador Sérgio de Vasconcellos Chaves. Como já sabemos, os dois filhos do conselheiro Hélio Saul Mileski por sua vez são CCs no Tribunal de Justiça. E Mileski é corregedor do Tribunal de Contas. Que espécie de correição os gaúchos podem esperar dele? Mileski reconhece que um dos motivos da contratação dos dois filhos de desembargadores foi a indicação de seus respectivos pais. “Não vejo problema nenhum nisso”, diz ele. O cara não é mesmo um gênio?!!! Outro que gosta de engordar a renda familiar é o conselheiro Porfírio Peixoto. Ele emprega Ricardo de Araújo e Silva e Rui Padilha dos Santos. Silva é filho de uma irmã da mulher do conselheiro Porfírio Peixoto. Santos é casado com outra irmã da mulher de Porfírio. Tudo em casa, como se vê. Êta famílias competentes. E está cheio de deputado estadual com parentes nomeados no Ministério Público. Quantos parentes de procuradores do Mistério Público e de magistrados estão nomeados na Assembléia Legislativa?

Maria do Rosário rejeita apoio do PPS caso consiga chegar ao segundo turno em Porto Alegre

A deputada federal petista Maria do Rosário, que está perdendo o segundo lugar na campanha eleitoral para a prefeitura de Porto Alegre para a também deputada federal comunista Manuela D’Ávila (PCdoB), subiu o tom do seu discurso na tarde desta quinta-feira. Em um discurso diante de minguadas dezenas de militantes petistas na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre, a estridente petista Maria do Rosário fez críticas diretas a Manuela D'Ávila e ao partido do candidato a vice na chapa da candidata comunista, o liberal Berfran Rosado (PPS). Disse a esganiçada candidata Maria do Rosário: “A novidade nesta eleição é retomarmos para Porto Alegre o caminho de transformação e de melhoria da qualidade de vida. Como a Manuela pode prometer isso trazendo para nós a pior turma da política, o Berfran Rosado, a turma da privatização da CEEE, da CRT?” Ela assegurou que não quer os membros do PPS ao seu lado em um hipotético segundo turno: “O diretório nacional do PT vetou coligações com PSDB, DEMe PPS, e votei pelo veto. Canoas e outras cidades andaram contra a direção partidária e hoje nos causam um certo constrangimento. O PPS é uma força política que simboliza um oportunismo eleitoral impressionante. Eu vou estar no segundo turno e não quero o apoio do PPS nem que venham me procurar. Não sou fantoche e não mudo de lado. Portanto, com os que elegeram Yeda, os que elegeram Fogaça e que são contra Lula, não quero nenhuma proximidade”.

Governo gaúcho paga três dívidas com primeira parcela de empréstimo do Bird

O governo do Rio Grande do Sul, da governadora Yeda Crusius (PSDB), já pagou três dívidas do Estado com a primeira parcela do empréstimo de US$ 1,1 bilhão recebida do Banco Mundial (Bird). Com os US$ 650 milhões liberados pelo banco, a governadora Yeda Crusius optou por encerrar dívidas que estavam pagando juros mais altos. Assim o Estado do Rio Grande do Sul pagou R$ 956,4 milhões à Fundação Banrisul de Seguridade Social, R$ 158,4 milhões em resgate de Letras Financeiras do Tesouro do Estado e R$ 17,7 milhões à União, em uma dívida relativa ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). Como a cotação do dólar estava alta no dia do recebimento da parcela do empréstimo, sobraram cerca R$ 63 milhões. Com esse dinheiro, a governadora Yeda Crusius deu ordem para que a Secretaria da Fazenda quite na próxima semana uma dívida relativa ao Programa de Incentivo à Redução do Setor Público Estadual na Atividade Bancária (Proes), que estava prevista para ser paga apenas em 2010.

Governo gaúcho paga três dívidas com primeira parcela de empréstimo do Bird

O governo do Rio Grande do Sul, da governadora Yeda Crusius (PSDB), já pagou três dívidas do Estado com a primeira parcela do empréstimo de US$ 1,1 bilhão recebida do Banco Mundial (Bird). Com os US$ 650 milhões liberados pelo banco, a governadora Yeda Crusius optou por encerrar dívidas que estavam pagando juros mais altos. Assim o Estado do Rio Grande do Sul pagou R$ 956,4 milhões à Fundação Banrisul de Seguridade Social, R$ 158,4 milhões em resgate de Letras Financeiras do Tesouro do Estado e R$ 17,7 milhões à União, em uma dívida relativa ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). Como a cotação do dólar estava alta no dia do recebimento da parcela do empréstimo, sobraram cerca R$ 63 milhões. Com esse dinheiro, a governadora Yeda Crusius deu ordem para que a Secretaria da Fazenda quite na próxima semana uma dívida relativa ao Programa de Incentivo à Redução do Setor Público Estadual na Atividade Bancária (Proes), que estava prevista para ser paga apenas em 2010.

Procurador do Estado analisa situação do presidente do Procergs

O secretário-adjunto da Fazenda do Rio Grande do Sul, o bancário Ricardo Englert, anunciou nesta quinta-feira que a situação do presidente da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs), o empresário Ronei Ferrigolo, está sendo analisada pela secretaria. O procurador do Estado, Paulo Rogério da Silva, já recebeu toda a documentação solicitada referente ao contrato que Ferrigolo teve com a Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul) e deve indicar se há ilegalidade ou não nas funções exercidas junto à entidade. Após a resposta do procurador, que deve ocorrer dentro de alguns dias, o bancário Ricardo Englert, disse que vai reunir o Conselho de Administração da Procergs para decidir sobre a permanência de Ferrigolo frente à companhia. Ferrigolo foi citado em uma reportagem da revista Veja como recebedor de mesadão da Federasul para complementar seu salário. É preciso deixar claro que o bancário Ricardo Englert, sub-secretário da Fazenda, é presidente do Conselho de Administração da Procergs. Foi ele que determinou a realização de uma sindicância muito fajuta que deixou de investigar importantes denúncias contra Ronei Ferrigolo. Já o procurador de Estado Paulo Rogério da Silva é um auditor de carreira da Fazenda que fez concurso para Procurador e conseguiu sua cedência para não sair de onde tem se mantido sempre. Esse procurador deu um parecer em requerimento com pedido de informações (documentos) sobre a Procergs apresentado pelo jornalista Vitor Vieira, editor de Videversus, negando a entrega dos documentos. Foi necessário entrar com um Mandado de Segurança no Tribunal de Justiça, e ganhá-lo, para que a Secretaria da Fazenda, na pessoa do bancário Ricardo Englert, seja obrigada a entregar a documentação solicitada. Por que Ricardo Englert e Paulo Rogério da Silva não quiseram abrir os documentos referentes à gestão do empresário Ronei Ferrigolo.

Reunião na Casa Branca termina sem acordo para salvar os bancos

O senador John McCain, candidato à Presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, disse nesta quinta-feira que "nunca houve nenhum acordo" entre a Casa Branca e o Congresso sobre o plano do Departamento do Tesouro de destinar US$ 700 bilhões para socorrer as instituições financeiras. McCain deu a declaração depois de uma reunião na Casa Branca da qual participaram o presidente do país, George W. Bush, e o candidato democrata, Barack Obama. “Eu sabia, ao entrar, porque já havia estado com meus colegas republicanos na Câmara, que nunca houve um acordo. Mas eu acredito que a reunião foi importante para fazer o processo avançar”, afirmou McCain. Ele também disse que espera participar do debate com Obama marcado para esta sexta-feira.Já o democrata afirmou, após o encontro, que o Congresso ainda precisa trabalhar mais para chegar a um acordo sobre o pacote. Obama disse que empregos, crescimento econômico, economias para aposentadoria e os mercados financeiros estarão em risco sem um pacote de socorro. O Partido Republicano, identificando o sentimento do norte-americano médio, é contra o plano de socorro aos bancos na forma como foi desenhado pela Casa Branca, e defende um plano de seguro dos rombos dos bancos.

Governadora Yeda Crusius inaugura fábrica da Nestlé em Palmeira das Missões

A nova fábrica da Nestlé, considerada uma das dez maiores do País no segmento lácteo, será inaugurada nesta sexta-feira, às 11 horas, em Palmeira das Missões, com a presença da governadora Yeda Crusius. A unidade está instalada no Km 9 da BR-468. O investimento, de R$ 70 milhões, foi feito estrategicamente no município por sua privilegiada bacia leiteira. Aproximadamente 950 empregos diretos e indiretos serão gerados. A planta industrial de Palmeira das Missões incorpora modernos sistemas, como tecnologia aplicada no tratamento de efluentes. Não será usada queima de óleo na geração de vapor, e o método de aquecimento de água a gás a ser utilizado reduz a quase zero a emissão de gases na atmosfera.

Prefeitura de Porto Alegre vai entregar ao trânsito o Viaduto Leonel Brizola

O Viaduto Leonel de Moura Brizola será liberado ao tráfego de veículos pela prefeitura de Porto Alegre, nesta gestão do prefeito José Fogaça (PMDB), no próximo sábado, a partir das 9 horas. O viaduto vai oferecer aos motoristas uma nova alternativa de acesso ao bairro Humaitá e ligação com a freeway (BR-290), através da Terceira Perimetral e da Avenida Dona Teodora. Com a liberação, quem circula pela Rua Edu Chaves (Terceira Perimetral, sentido Sul/Norte) poderá acessar diretamente a Rua Dona Teodora através do novo viaduto. Da mesma forma, os veículos que circulam pela Rua Dona Teodora, poderão acessar diretamente a Avenida Ceará (Terceira Perimetral, sentido Norte/Sul). A Rua Dona Teodora, já duplicada, será liberada para o trânsito de veículos no trecho compreendido entre o novo viaduto e a Rua Voluntários da Pátria. Para tanto, será reativada a sinaleira do cruzamento da Dona Teodora com a Av. A.J. Renner e instalada uma nova sinaleira no cruzamento com a Rua Frederico Mentz, que irão possibilitar melhorias na segurança do trânsito. Foram investidos cerca de R$ 30 milhões na construção do viaduto Leonel Brizola e nas obras complementares. A obra faz parte do Programa Integrado Entrada da Cidade (Piec), um dos 21 programas estratégicos do modelo de gestão da prefeitura na administração de José Fogaça (PMDB).

Países do Bric e Europa apóiam convocação de conferência mundial sobre a crise

Reunidos na tarde desta quinta-feira, em Nova York, alguns dos países com economias emergentes, conhecidos como Bric (Brasil, Rússia, Índia e China), decidiram apoiar a iniciativa de Brasil e França para convocar uma reunião para discutir a crise financeira. O encontro pode contar a presença de chefes de Estado e de presidentes dos Bancos Centrais dos países atingidos. Entre os temas discutidos estariam a criação de um fundo para apoiar o governo norte-americano e a regulamentação das transações internacionais. A reunião ocorreu na sede da missão russa na ONU e contou com a presença dos ministros de Relações Exteriores dos quatro países do bloco. Há a possibilidade da conferência sobre a crise ocorrer em 17 de novembro, no Brasil, quando será realizada uma reunião de ministros da Economia dos Brics para debater o tema.

Ruth Cardoso recebe homenagem póstuma no Centro Cultural da Fiesp

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e seus filhos Paulo Henrique Cardoso e Bia Cardoso participaram na noite desta quinta-feira de homenagem póstuma à ex-primeira-dama e antropóloga Ruth Cardoso no Centro Cultural da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), em São Paulo. Ruth Cardoso morreu no dia 24 de junho no apartamento da família, em São Paulo. A partir de agora o Centro Cultural passará a se chamar Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso. Uma exposição de fotos e uma placa com o nome da antropóloga fará parte do acervo do centro. Durante discurso do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, Fernando Henrique Cardoso chorou discretamente antes de falar com os convidados. Ao falar de Ruth, o ex-presidente comparou a ex-primeira-dama à Darcy Vargas, mulher do ex-presidente Getúlio Vargas. "Somente dona Darcy Vargas teve um poder de mobilização como Ruth, sem desfazer de ninguém. Ela deixou sua marca", afirmou. O ex-presidente disse ainda que Ruth adoraria a homenagem e provavelmente diria: "eu não mereço". "Mas ficaria contentíssima", afirmou.

Washington Mutual vende depósitos e filiais ao JP Morgan, diz jornal

O banco de poupança e investimentos ("savings & loans") Washington Mutual (WaMu) deve vender seus depósitos e algumas de suas filiais ao banco JP Morgan Chase após um acerto arranjado pelo governo. A venda não inclui as filiais do WaMu em Nova York. O banco havia inclusive contratado o Goldman Sachs para procurar compradores em potencial; a lista de instituições interessadas incluía o Citigroup, o Wells Fargo, o HSBC e o SantanderNo último dia 17, o diário americano "New York Post" ("NYP") havia divulgado que as autoridades reguladoras do sistema bancário americano vinham procurando atrair bancos privados para a compra do WaMu, o maior do país no segmento de poupança e empréstimos ("savings & loans"). Em abril deste ano, o WaMu recebeu uma injeção de capital de US$ 7 bilhões do fundo de "private equity" (especializado em compra de participações de empresas pequenas ou em dificuldades) TPG, depois que o banco anunciou um prejuízo líquido de US$ 1,1 bilhão no primeiro trimestre fiscal de 2008. O principal motivo para o prejuízo foi a forte exposição do banco aos papéis de crédito imobiliário de alto risco ("subprime") no país. O Washington Mutual informou que tais papéis trouxeram perdas de US$ 3,5 bilhões no período. O WaMu é mais uma da série de instituições financeiras norte-americanas que, desde a semana passada, imprimiram um novo ritmo à crise financeira acarretada pelas hipotecas "subprime" e que já dura mais de um ano.

Com 73%, Beto Richa continua disparado na liderança em Curitiba

Pesquisa Ibope divulgada na noite desta quinta-feira mostra o prefeito de Curitiba e candidato à reeleição, Beto Richa (PSDB), com 73% das intenções de voto, o que lhe garante a vitória no primeiro turno. Foi o quarto levantamento realizado na capital do Paraná pelo instituto. Em relação à última pesquisa, Beto Richa diminuiu apenas um ponto. A candidata do PT, Gleisi Hoffmann (mulher do ministro do Planejamento, o petista Paulo Bernardo), permanece na segunda posição com 16%, também apenas um ponto percentual a mais do que na pesquisa passada.

Ibope diz que petista Luizianne Lins pode ser reeleita no 1º turno em Fortaleza

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira aponta que a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), seria reeleita já no primeiro turno, com 50% das intenções de voto. Seu principal adversário, Moroni Torgan (DEM), aparece 30 pontos percentuais atrás dela, com 20%. Logo atrás de Moroni aparece Patrícia Saboya (PDT), com 16% das intenções de voto. Os dois estão em empate técnico. Renato Roseno (PSOL) tem 2%, Pastor Neto Nunes (PSC) e Adahil Barreto (PR) têm 1% cada. Somados, todos os adversários da prefeita chegam a 40% das intenções de voto, dez pontos a menos do que ela.

Democratas querem plano de resgate de US$ 56,2 bilhões para famílias norte-americanas

Os líderes democratas divulgaram nesta quinta-feira um plano de socorro de US$ 56,2 bilhões destinado a ajudar famílias norte-americanas afetadas pela crise financeira. "Não podemos nos esquecer dos americanos médios enquanto tentamos combater a crise de Wall Street", disse o chefe da maioria democrata no Senado, Harry Reid, em um comunicado conjunto com o senador democrata Robert Byrd. "Os democratas acreditam que outro plano de resgate econômico deve ser adotado rapidamente, um que gere centenas de milhares de bons empregos americanos e evite cortes nos setores cruciais", diz o texto.

Britânicos terão primeira carteira de identidade

O Reino Unido terá o primeiro documento de identificação do país, emitido inicialmente para estrangeiros que trabalham, estudam ou têm um cônjuge britânico, segundo a ministra do interior do país, Jacqui Smith. Até agora, os britânicos usavam documentos como a habilitação e o passaporte para se identificar. O novo documento terá foto, nome, data de nascimento, nacionalidade e status imigratório (para estrangeiros), além de um chip com dados biométricos como digitais e uma imagem facial digital. "Os documentos de identificação irão ajudar a proteger contra fraude, trabalho ilegal, a reduzir o uso de identidades múltiplas no crime organizado e no terrorismo, a impedir aqueles que tentam abusar de posições de confiança e a facilitar às pessoas provarem que são quem dizem ser", afirmou Smith, em nota.

Comissão de Anistia julgará 13 processos de religiosos perseguidos na ditadura

A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça julga nesta sexta-feira 13 processos de religiosos vítimas de perseguição política. É a 11ª edição da Caravana da Anistia. O julgamento vai ser realizado na sede da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), em Brasília. De acordo com a comissão, o julgamento é considerado histórico, em decorrência do elevado número de processos, e por reunir vários parceiros, além da CNBB, o Conic (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs), a CRB (Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil), a Igreja Metodista e a CBJP (Comissão Brasileira Justiça e Paz). Na relação de processos que deverão ser julgados estão os nomes de Marcelo Pinto Cavalheira, arcebispo emérito da Igreja Católica na Paraíba; do ex-padre português Alípio Cristiano de Freitas; de Eliana Bellini Rolemberg, diretora-executiva da Cese (Coordenadoria Ecumênica de Serviço); de Frederick Birten Morris, conhecido como pastor Fred; de Alanir Cardoso, que foi preso e torturado com o pastor Fred, militante ligado à AP (Ação Popular). Também estão na lista de processos os nomes de Maria Emília Lisboa Pacheco, assessora da Fase (Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional); de Nilmário de Miranda, ex-secretário nacional de Direitos Humanos e ex-deputado federal (PT-MG); de Roberto Faria Mendes, ex-militante político, de Ruy Frasão Soares, que era militante da Juventude Universitária Católica. Os casos das religiosas Helena Soares Melo e Helder Soares também serão julgados. Ambas foram presas, na região do Araguaia (PA), na companhia do padre Peter John McCarthy. Outro processo previsto é de Elia Meneses Rola, ligada à política estudantil do Ceará, na década de 60.

Justiça britânica bloqueia US$ 46 milhões de Daniel Dantas

A Secretaria Nacional de Justiça, vinculada ao Ministério da Justiça, conseguiu bloquear US$ 46 milhões dos investigados na Operação Satiagraha, que apura crimes financeiros cometidos pelo banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity. O dinheiro estava no Reino Unido. A Justiça informou que não é possível confirmar ainda se o montante é de Daniel Dantas mesmo. O bloqueio dos recursos no Exterior foi solicitado a partir de requerimento do Ministério Público Federal. Deflagrada no dia 8 de julho, a operação resultou na prisão de Daniel Dantas, do investidor Naji Nahas, do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta (PTB), e de mais 14 pessoas suspeitas de integrarem a quadrilha.

Brasil e Paraguai acertam co-gestão da usina de Itaipu

Brasil e Paraguai firmaram um convênio para implementar a gestão compartilhada da hidrelétrica de Itaipu, informou nesta quinta-feira o diretor paraguaio da usina binacional, Carlos Mateo Balmelli. "Demos um passo adiante, vamos ter uma co-gestão plena. Este é um passo histórico muito importante", disse Balmelli. O acordo firmado permitirá uma administração compartilhada da hidrelétrica, explicou o funcionário, ao assinalar que vários departamentos da usina hoje têm exclusivamente funcionários brasileiros. "Com a aprovação do acordo, o Paraguai alcançará o mesmo nível que os brasileiros", destacou Balmelli, ao assinalar que a administração conjunta faz parte das exigências do novo governo, do presidente Fernando Lugo.

Financiamento de imóveis pela poupança cresce 92,5% até agosto

O volume liberado em empréstimos imobiliários com recursos da poupança cresceu 92,5% no acumulado do ano até agosto, em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a R$ 19,876 bilhões, segundo dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança). As operações do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) atingiram R$ 3,494 bilhões somente em agosto. Nos últimos 12 meses, a soma é de R$ 27,83 bilhões, anta de 102,8% em relação aos 12 meses imediatamente anteriores. Por famílias atendidas, em agosto, a Abecip registrou 34.798 unidades financiadas, sendo 197.820 no acumulado dos oito primeiros meses do ano.

Supremo devolve a irmão de Requião o cargo de secretário

Eduardo Requião de Mello e Silva fora ejetado da poltrona de secretário de Estado do Paraná por uma sentença proferida pelo titular da 1ª Vara da Fazenda Pública, da comarca de Curitiba. Alegou-se que a presença de Eduardo no governo do irmão afrontava a súmula do Supremo que proibiu o nepotismo no serviço público. Por isso o secretário-irmão recorreu ao Supremo. E seu recurso foi acatado pelo ministro Cezar Peluzo, em decisão liminar. Ao justificar a concessão da liminar, Peluso reviveu uma tese que já havia sido suscitada na época da edição da súmula do Supremo: “Os secretários estaduais são agentes políticos”. Mantêm com o Estado um “vínculo de natureza igualmente política”. Por isso “escapam à incidência das vedações impostas pela Súmula” do nepotismo.

Justiça Militar condena sargento gay a seis meses de detenção por deserção

O Superior Tribunal Militar condenou nesta quinta-feira a seis meses de detenção o sargento Laci Marinho de Araújo pelo crime de deserção. Por quatro votos a um, os integrantes do Conselho Penal da Justiça do Exército entenderam que o sargento deve ser punido após ter faltado ao trabalho por oito dias, em abril deste ano. Araújo chegou a ficar preso por 58 dias depois de ter assumido publicamente um relacionamento homossexual com o ex-sargento do Exército Fernando Alcântara, que recebeu baixa das Forças Armadas. O julgamento ocorreu sob forte tensão, conduzido pela juíza civil Zilá Petterson. Foi dela o único voto favorável ao sargento, enquanto os demais quatro militares votaram pela sua condenação.

PPS indica novo candidato para disputar Prefeitura de Fortaleza

O PPS indicou Sérgio Braga Barbosa para disputar a prefeitura de Fortaleza após a desistência do empresário Luiz Gastão Bittencourt. A decisão foi tomada na quarta-feira, durante reunião dos diretórios municipal e estadual. Barbosa era o candidato a vice-prefeito na chapa de Bittencourt. Agora, o partido indicou Michele Militão (PPS) para vice. Bittencourt anunciou sua desistência na segunda-feira. A expectativa era que ele reassumisse o cargo de presidente da Fecomercio do Ceará e por isso teria desistido da candidatura.

Polícia paulista apreende explosivo que PCC usaria para derrubar muralha de presídio

A Polícia Civil de São Paulo afirmou nesta quinta-feira ter apreendido explosivos que seriam usados para tentar derrubar uma das muralhas da Penitenciária Desembargador Adriano Marrey, em Guarulhos (Grande São Paulo). Um suspeito, ligado à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), foi preso. Seis bananas de dinamite e equipamentos detonadores estavam escondidos em um terreno na zona sul de São Paulo. Francisco Joaquim de Araújo Júnior, conhecido como Aleijado, foi preso na segunda-feira pela Delegacia de Repressão de Roubo a Banco do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado) e levou os policiais até o esconderijo dos explosivos. No início do mês de agosto, uma explosão abriu um buraco na muralha da mesma penitenciária. Araújo Júnior pode ter fornecido os explosivos usados na ocasião. "Essa carga é bem maior (seis bananas de dinamite), é bem maior que aquela em agosto. Ele disse que era para derrubar a muralha, não fazer um buraco, como da outra vez", afirmou o delegado-titular da delegacia de Roubo a Bancos, Rui Ferraz Fontes.

Cocaleiro trotskista Evo Morales rejeita conceder "autonomia plena" a governadores na Bolívia

Cocaleiro trotskista Evo Morales rejeita conceder "autonomia plena" a governadores na Bolívia
O presidente da Bolívia, o cocaleiro trotskista Evo Morales, rejeitou nesta quinta-feira a reivindicação dos prefeitos (governadores) de oposição de conceder "autonomia plena" aos seus departamentos (Estados) porque, em sua opinião, é o mesmo que pedir "independência" e provocar a divisão do país (não é, o Brasil funciona assim, mas o chefete cocaleiro quer impor a sua ditadura centralista). “Uma autonomia departamental é outra independência", disse o cocaleiro trotskista Evo Morales em Tiquipaya. Ele aproveitou para acusar os opositores de "camuflar seu discurso" supostamente separatista sob reivindicações de descentralização. Ou seja, o ilusionista diz que quer fazer acordo com a oposição, mas só ataca a oposição. Tudo o que ele queria era parar a onda oposicionista. "Esses golpistas se enganam, não têm apoio nacional nem internacional", afirmou ele, em alusão aos governadores da oposição. Como ele terá de sentar nas próximas horas com os governistas oposicionistas, o que se espera dessa reunião, com um presidente que ataca dessa maneira seus pares na mesa de negociação? É óbvio que ele não quer acordo algum, só quer dominar as províncias oposicionistas, que não aceitam seu projeto ditatorial.

Arrecadação do governo Lula cresce 10,33%, chega a R$ 452 bilhões e bate novo recorde em agosto

A arrecadação de impostos e contribuições cresceu 10,33% nos oito primeiros meses de 2008 e atingiu novo recorde. Mesmo com o fim da CPMF, a Receita Federal arrecadou R$ 452 bilhões entre janeiro e agosto. Somente no mês passado, foram R$ 53,93 bilhões, aumento de 4,27% em relação ao mesmo mês de 2007 e valor recorde para meses de agosto, considerando dados corrigidos pelo índice oficial de inflação (IPCA). Em termos relativos, o imposto cuja arrecadação mais cresceu no ano foi o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que teve suas alíquotas elevadas para compensar o fim da CPMF. A arrecadação subiu 152% e chegou a R$ 13,45 bilhões no acumulado do ano. A maior parte desse valor (R$ 4,7 bilhões) foi pago pelas pessoas físicas que fizeram empréstimos no período. Em valores absolutos, o principal responsável pela arrecadação recorde foi o Imposto de Renda (pessoa física, empresas e retido na fonte), que respondeu por 28,6% do total. Foram arrecadados R$ 129,3 bilhões, sendo R$ 61 bilhões somente das empresas. A segunda maior arrecadação ficou com a Cofins (R$ 79,9 bilhões), aumento de 17,7% sobre o ano passado. Nesse ano, já foram arrecadados mais de R$ 40 bilhões a mais em relação ao mesmo período de 2007. Esse valor equivale à previsão de receitas da CPMF para este ano, caso ela não tivesse sido extinta pelo Congresso.

Receita diz que é possível reduzir carga tributária e alíquota do IOF

O forte crescimento da economia brasileira e o aumento da arrecadação de impostos podem levar o governo Lula a rever a carga tributária e a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), segundo o novo secretário-adjunto da Receita Federal, Otacílio Cartaxo. Ele afirmou que essas decisões dependem do Ministério da Fazenda. "É possível. Se a arrecadação continuar a crescer, pode se pensar nisso", afirmou Cartaxo. O novo secretário-adjunto prevê que o patamar de 10% de crescimento seja mantido até o final do ano, o dobro da expansão prevista para a economia brasileira em 2008 pelo governo, de 5%. "A arrecadação vem se mantendo sustentável. A tendência é de crescimento ou estabilidade no percentual, se não ocorrerem fenômenos imprevisíveis", afirmou ele. Cartaxo disse também que depende do ministro Mantega a decisão de rever o aumento nas alíquotas do IOF. Quando aumentou o imposto, no início do ano, a Receita esperava arrecadar R$ 8,5 bilhões a mais em 2008 para compensar parte do fim da CPMF. Até agosto, já entraram R$ 8,1 bilhões a mais no cofre do governo. "Se a economia continuar a crescer, é possível que Mantega venha a rever isso. A calibragem quem faz é o ministro", afirmou.

BNDES aprova financiamento de R$ 329 mi para transmissora de energia de São Paulo

A diretoria do BNDES aprovou financiamento de R$ 329 milhões para a CTEEP (Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista). Os recursos serão destinados ao Plano de Investimentos Plurianual, relativo ao período 2008-2010, que inclui obras de modernização do sistema de transmissão de energia elétrica, melhorias sistêmicas, reforços e implantação de novos projetos. A participação do BNDES equivale a 66% do valor total do projeto, de R$ 496,5 milhões. O BNDES informou que, de 2003 até agosto de 2008, financiou 35 projetos de transmissão, que somaram R$ 6,7 bilhões e permitiram investimentos totais de R$ 11 bilhões. "A participação do BNDES no período possibilitou a construção de 10,7 mil quilômetros de linhas de transmissão, o que permitiu a expansão do abastecimento de energia para diversas regiões do País", informou o banco. A CTEEP é responsável por um complexo sistema elétrico formado por 18.495 quilômetros de circuito. Possui, além dos centros de operação do sistema e de um sistema próprio de telecomunicações com 177 estações de microondas, 145 centrais telefônicas e aproximadamente 1,8 mil quilômetros de cabos de fibra ótica. A companhia é responsável pela transmissão de quase toda energia consumida no Estado de São Paulo, 30% da energia produzida no País e 60% da eletricidade consumida na região Sudeste.

Vendas de casas novas recuam ao menor nível em 17 anos nos Estados Unidos

O ritmo de vendas de casas novas nos Estados Unidos caiu 11,5% em agosto e ficou em 460 mil unidades, o nível mais baixo em 17 anos, informou nesta quinta-feira o Departamento de Comércio norte-americano. A maioria dos analistas esperava um ritmo de vendas de 505 mil unidades no mês passado. As vendas de casas novas caíram 34,5% em um ano, enquanto o preço médio caiu 6,2% nesse mesmo período, e em agosto era de US$ 221,9 mil. A Associação Nacional de Agentes de Bens Imobiliários informou na quarta-feira que o ritmo de vendas de casas e apartamentos usados diminuiu 2,2% em agosto e ficou em 4,91 milhões de unidades anuais.

Dilma Rousseff “minimiza” crise com Equador e diz ser preciso "calma"

A ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, minimizou nesta quinta-feira a possibilidade do Equador não pagar empréstimo de US$ 243 milhões contraído no BNDES para a construção da hidrelétrica San Francisco, construída pela empresa brasileira Odebrecht e parada desde junho por problemas operacionais. Dilma Rousseff disse que o BNDES não tem relação direta com o Equador nem emprestou recursos ao país vizinho, mas sim à Odebrecht. "O presidente Lula já disse que o BNDES não tem relação com o Equador, não emprestou para o Equador, emprestou para a empresa. Então, a reação é da empresa com o BNDES. Não vamos complicar mais a situação", afirmou ela. É impressionante como essa gente petista no governo se agacha para esses governichos esquerdistas e populistas de terceira categoria, como os da Venezuela, Bolívia e Equador. Mas há uma explicação. Tudo se insere na estratégia do Foro de São Paulo, fundado por Lula e o ex-ditador Fidel Castro.

Juiz Fausto De Sanctis diz que é "constrangedor" depor por suspeita de envolvimento em grampo

O juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, compareceu ao prédio do Tribunal Regional Federal da 3ª Região para ser ouvido por um delegado da Polícia Federal sobre grampos ilegais que poderiam ter ocorrido durante a Operação Satiagraha. Ao chegar, ele se queixou "dessa situação" (prestar depoimento) que considerou "constrangedora". Em depoimento na CPI das Escutas Telefônicas Clandestinas, Fausto De Sanctis negou que tivesse monitorado o presidente do Supremo do Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes. O ministro está convencido de que existe no País uma espécie de milícia judicial-policial, composta de justiceiros “legais”.

Dilma Rousseff diz que vai participar de campanhas petistas nos finais de semana sem se licenciar do cargo

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, negou nesta quinta-feira a possibilidade de licenciar-se do cargo para intensificar sua participação nas campanhas de candidatos aliados às eleições municipais quando faltam dez dias para o encerramento da disputa. Dilma disse que vai manter sua participação em palanques nos finais de semana, prática que adotou desde o início das campanhas. "Eu sou ministra da Casa Civil, continuarei trabalhando e farei campanha nos finais de semana", afirmou ela. Dilma evitou comentar a possibilidade de entrar na disputa pelo Palácio do Planalto, mesmo sendo o nome do PT mais bem colocado nas pesquisas de intenção de voto. Segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta semana, apesar de ser o nome petista com mais força na disputa, o governador José Serra (PSDB-SP) segue líder absoluto na disputa sem o presidente Lula entrar no páreo. A pesquisa mostra que Serra venceria com 38,1% dos votos na disputa com Ciro Gomes (PSB), que foi lembrado por 17,4% dos entrevistados. Em terceiro lugar aparece a ex-senadora Heloísa Helena com 9,9% dos votos, seguida pela ministra Dilma Rousseff, com 8,4%.

Nelson Jobim diz que CPI do Grampo vai decidir se abre sigilo de perícia em maleta da Abin

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta quinta-feira que caberá à CPI dos Grampos decidir a divulgação da perícia feita pelo Exército nos sistemas móveis de monitoramento compradas pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência). O relatório encaminhado por ele em caráter sigiloso à CPI pode comprovar se as maletas da Abin têm capacidade para fazer escutas telefônicas. "As informações do Exército vieram para mim com carimbo de confidencialidade e eu repassei à comissão. Ela toma a decisão que bem entende. O assunto está todo não mão da comissão de inquérito", disse Nelson Jobim. A CPI havia decidido ontem não tirar os lacres de confidencialidade dos envelopes até que Jobim autorizasse a publicidade das informações.

Associações pedem ação firme do governo brasileiro em caso da Odebrecht

A Abdib (Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base) e a CNI (Confederação Nacional da Indústria) pediram, por meio de notas, ação firme da diplomacia brasileira diante do embargo do governo do Equador aos bens da construtora Odebrecht e da proibição de funcionários da empresa deixarem o país. Na terça-feira, o presidente do Equador, o tiranete Rafael Correa, ordenou que a Odebrecht suspendesse as operações no país e enviou tropas militares para confiscar o terreno ocupado pela construtora, onde estão sendo desenvolvidos projetos no valor de US$ 800 milhões. "Os atos hostis do governo equatoriano impetrados contra o grupo empresarial Odebrecht merecem uma resposta diplomática firme e rápida do governo brasileiro", afirma a associação. "A resposta firme da diplomacia brasileira visa a ratificar ao governo do Equador e ao mercado internacional que o Brasil não compactua com atitudes e decisões intempestivas e espetaculosas que desrespeitem direitos internacionais dos indivíduos e regras estabelecidas em contratos firmados", diz a Abdib. "A diplomacia brasileira ainda tem o desafio de ser firme na condução e na garantia de cumprimento do contrato de financiamento para a instalação da infra-estrutura energética no Equador, frente à ameaça do governo local de abandonar o pagamento do empréstimo tomado junto ao BNDES, o que é inaceitável", acrescenta a Abdib. Já a CNI afirmou no comunicado que "repudia a intervenção do governo do Equador". "O decreto presidencial representa um desrespeito aos contratos, às normas jurídicas e às regras internacionais. A decisão constrange as empresas brasileiras que atuam no Equador, impede a mobilidade das pessoas e traz insegurança às famílias. A CNI espera que o governo brasileiro tenha uma atuação firme na defesa dos investimentos brasileiros e da segurança dos seus cidadãos”, diz sua nota.

Mulher denuncia sociedade suja entre seu próprio marido e o governador Eduardo Braga

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) entregou ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, na noite de quarta-feira, um dossiê com acusações de corrupção contra Eduardo Braga (PMDB), governador do Amazonas. Preparado pela arquiteta Renata Barros, o dossiê tem 700 páginas de documentos (notas fiscais, cópias de escrituras e anotações escritas à mão) que ligam o marido dela, o empresário Rosinei Barros, ao governador Eduardo Braga em um esquema de superfaturamento de combustível. Rosinei é chamado pela sua mulher de “Nei”. Os dois são sócios de fato em vários negócios. Eduardo Braga foi padrinho de casamento deles e é padrinho da filha deles de dois anos de idade. Renata gravou um vídeo de pouco mais de 25 minutos onde dispara acusações contra Nei e Braga e diz que sua vida corre perigo. Faz parte do dossiê fita com a gravação de uma conversa telefônica travada entre Nei e Michele Lucena, madrasta de Renata. Na conversa, o empresário revela que a vida de Maria Fernanda, filha do casal, estaria ameaçada por conta da disposição de Renata em denunciá-lo, e a Eduardo Braga. Rosinei Barros nega tudo. Alega que está sendo chantageado pela mulher. Admite que é amigo de Eduardo Braga, mas nega que os dois tenham cometido algum ato desonesto. Leia agora um resumo dos trechos mais fortes do vídeo.
00m:00s – 02m:13s - Nos primeiros minutos, o vídeo mostra Renata sozinha numa sala sentada numa cadeira. Depois de uma breve apresentação, ela diz temer pela sua vida e pela vida de sua filha. Conta que por isso topou revelar tudo o que sabe a respeito de maracutaias cometidas por seu marido. Logo de início, Renata acusa Rosinei de estar envolvido numa quadrilha junto com o governador do Amazonas. E de estar viciado em drogas. Chorando, ela relembra momentos em que teria sido humilhada por “Nei”. Três semanas antes de gravar o vídeo, diz Renata, “Nei” a teria agredido na frente de sua filha, Maria Fernanda, de 3 anos. Foi quando Renata decidiu que era hora de se proteger.
02:25 – 03:32 - Segundo Renata, ela costumava viajar com Nei no jatinho do governador. O assunto durante as viagens girava sempre em torno de negociatas e corrupção. Numa das vezes, Eduardo Braga teria dito que desejava matar o vice-presidente do jornal "Diário do Amazonas", Francisco Cirilo Anunciação Neto, que o chantageava. Queria também acabar com o hotel do pai do Cirilo "só para ser cruel". Em julho último, 11 tiros foram disparados contra a sede do jornal, mas ninguém foi atingido.
04:18 - 04:34 - Para reforçar a relação íntima entre Eduardo Braga e Rosinei, Renata relembra que o governador é padrinho de sua filha. Uma escolha de Rosinei para agradar Braga.
05:04 - 06:36 - Em um dos momentos dramáticos do vídeo, Renata conta que um dia Eduardo Braga bateu tanto na mulher dele, Sandra, que ela dias depois teve que viajar para Miami, escapando assim de ser vista em Manaus com os hematomas provocados pela surra.
08:02 - 11:36 - Depois de oito minutos de depoimento, Renata começa a apresentar documentos com acusações contra seu marido. Resumindo o que ela diz: Rosinei funciona como lobista. É dono de posto de gasolina, mas nunca entrou no ramo das distribuidoras de combustível. Por isso interferia em licitações de combustíveis promovidas pelo governo do Estado para que beneficiassem empresas dispostas a superfaturar o preço do produto, pagando depois comissões a ele e a Eduardo Braga.
11:45 - 14:02 - Até Brenda Braga, filha do governador do Amazonas, estaria metida na história. Renata garante que a empresa dela, a Paratins Participações, especializada em consultoria de estudos econômicos, foi contratada por Rosinei apenas para que ele pudesse transferir a Eduardo Braga, sem problemas com o fisco, o dinheiro resultado de falcatruas. Renata mostra documentos que provam a compra feita por Rosinei de três Mercedes Benz em Miami. Um dos veículos foi dado de presente a Eduardo Braga.
15:54 – 16:07- O superfaturamento de gasolina gerava mais de R$ 1 milhão mensais para Eduardo Braga e Rosinei. Era tanto dinheiro que Rosinei passou a investir na carreira de agiota, segundo Renata. Com cópias de cheques dos devedores de Rosinei, Renata acusa no vídeo o seu marido de repartir a grana da agiotagem com Eduardo Braga.
16:42 – 18:02 - Renata também mostra um papel que afirma ter sido rabiscado por Rosinei com anotações de uma transferência de mais de R$ 400 mil para Eduardo Braga. O papel, segundo Renata, seria uma das provas da sociedade secreta entre os dois.
20:21 – 21:31 - Renata acusa Eduardo Braga e Rosinei de terem comprado juntos um terreno de R$ 2,5 milhões, registrado em cartório pelo valor de R$ 500 mil.
24:48 - Por fim, Renata garante que a campanha do vice de Eduardo Braga, Omar Aziz (PMN), candidato a prefeito de Manaus, está sendo irrigada com gasolina fornecida por Rosinei a preços irrisórios, mas que tudo está sendo devidamente acobertado com notas fiscais frias.

Polícia Federal continua investigando no caso das escutas

A Polícia Federal diz já saber que o grampo que flagrou a conversa entre o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) não saiu de uma maleta, como é conhecido o sistema móvel de monitoramento, e praticamente descartou outras duas hipóteses sobre origem e autoria da escuta. Não há indícios de que tenha partido de equipamentos internos da Agência Brasileira de Informações (Abin) ou da própria Polícia Federal. Os policiais se concentram agora em analisar as perícias nas centrais telefônicas do Senado Federal, Supremo Tribunal Federal e na BrasilTelecom, concessionária do sistema de telefonia fixa do Distrito Federal. Os peritos deverão definir em breve o local de onde partiu o grampo para depois se concentrar nos suspeitos de executar a escuta e repassar a cópia da transcrição do diálogo entre Gilmar Mendes e Demóstenes Torres. Agora a gente espera para ver qual será a nova história da carochinha que será contada pela Polícia Federal.

Governo gaúcho não cede aos professores públicos

A secretária estadual da Educação do Rio Grande do Sul, Mariza Abreu, e o Cpers (sindicato dos professores públicos) não entraram em acordo nesta quinta-feira. O sindicato quer contar com as cedências de 42 professores no Interior do Estado e mais 15 na capital para a sua direção central. Até sugeriu pagar ao Estado pela cedência dos professores. Mas, a secretário Mariza Abreu não cedeu. Ela destacou que está fazendo o possível para resgatar professores cedidos para outros órgãos. “Desde o início desta gestão, o número de cedências com ônus tem diminuído e quando são liberadas é porque o órgão solicitante irá arcar com o salário do profissional”, disse Mariza Abreu. A presidente do Cpers, Rejane de Oliveira, reclamou: “A negativa do governo de ceder os professores que a secretária Mariza Abreu vem anunciando na imprensa significa uma perseguição política para aqueles que lutam pela rede de escolas públicas e é um ataque à democracia. O grande objetivo do governo é calar a categoria”. Isso é uma tremenda baboseira. Era só o que faltava, os contribuintes gaúchos pagando para que centenas de professores fiquem liberados o ano inteiro apenas para a prática de proselitismo político-ideológico a favor do PT.

Presidente da Federasul explica pagamentos ao diretor da Procergs

O presidente da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), executivo José Paulo Dorneles Cairoli, compareceu nesta quinta-feira no Mistério Público para dar explicações sobre o pagamento de R$ 15 mil por mês feitos ao presidente da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs), o empresário Ronei Ferrigolo. Conforme a revista Veja, o empresário Ferrigolo recebia da Federasul um mesadão de 15 mil, a título de complementação salarial ao que o Estado paga para ele. O executivo Cairoli, que envolveu sua veneranda instituição nesse imbróglio, disse que a Federasul contratou uma empresa pertencente ao empresário Ronei Ferrigolo para prestar “consultoria”.