sábado, 4 de outubro de 2008

“Merendão” desmoraliza administração de prefeito em Sapucaia do Sul

Nesta semana final da campanha eleitoral as oposições em Sapucaia do Sul (RS) arranjaram um meio muito eficaz de desmoralizar o ultra-denunciado governo do prefeito Marcelo Machado (PMDB). Como ele é um apaixonado por cavalos, e como está envolvido nas investigações da Polícia Federal sobre desvios de recursos da merenda escolar, as oposições colocaram nas ruas da cidade o “Merendão”, um cavalo montado em fibra de vidro, colocado em cima de carreta, puxada por carro. O prefeito “enlouqueceu”, recorreu à Justiça Eleitoral e o “Merendão” foi “preso”, recolhido ao quartel da Brigada Militar (polícia militar gaúcha), proibido de circular pelas ruas da cidade. A oposição não se deu por vencida. Alugou um pequeno avião rebocador de uma faixa, na qual estava escrito: “Merendão Voador”. O inventor do “Merendão”, vereador Elton Primorosa (DEM), exultava: “Agora quero ver a juíza mandar prender o Merendão Voador”. Esta mesma juíza deferiu um mandado de busca e apreensão, em processo que tramita em Segredo de Justiça, na execução do qual ficou provado que a candidatura do prefeito Marcelo Machado praticou Caixa 2 e fraudou todas as declarações de gastos, produzindo muito mais material e gastando muito mais do declarou à Justiça Eleitoral.

Lula diz que Sadia e Aracruz “especularam contra a moeda brasileira"

O presidente Lula afirmou neste sábado, durante carreata de campanha do sindicalista Luiz Marinho (PT) à prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), que duas empresas que perderam dinheiro com a alta do dólar (Sadia e Aracruz) estavam "especulando contra a moeda brasileira". Disse ele: "Estou percebendo que, de vez em quando, tem uma matéria com relação à Sadia e à Aracruz. Essas empresas estavam especulando contra a moeda brasileira. Portanto, elas não tiveram prejuízo. Elas praticaram por conta própria, por ganância, esse prejuízo. Isso é problema delas que tentaram especular de forma pouco recomendável". Nunca se tinha visto, antes, um presidente brasileiro interferindo tão diretamente no mercado acionário brasileiro. “Marrento” como sempre (ou “balaqueiro”, conforme diria o ex-governado gaúcho Alceu de Deus Collares), Lula afirmou que a crise dos Estados Unidos, se chegar ao Brasil, não terá força: "A crise americana, se ela chegar aqui, ela lá é um tsunami, aqui ela vai chegar uma marolinha, que não dá nem pra esquiar". Lula também reafirmou que o seu governo não fará qualquer pacote econômico para enfrentar a crise, e garantiu que não faltará dinheiro para financiar obras: "Não existirá pacote, nós vamos tomar medidas pontuais para que a gente acompanhe a economia mundial. Não faltará dinheiro para financiar as obras estruturantes e para incentivar exportadores e empresas que estão investindo”. Lula denunciou que Sadia e Aracruz perderam mais de R$ 2,7 bilhões porque especularam contra a moeda brasileira em operações de câmbio, envolvendo a cotação futura do dólar. As duas empresas apostavam na manutenção do real forte frente ao dólar, mas a moeda norte-americana sofreu forte valorização nos últimos meses, como efeito da crise. A fala de Lula é incompreensível. Se as empresas perderam dinheiro porque fizeram aplicações apostando na manutenção do real valorizado diante do dólar, como poderiam estar “jogando” contra a moeda nacional? Somente Lula pode explicar suas teorias econômicas. “Marrento” (“balaqueiro”, no jargão “gaúchez”) tem uma lógica própria, exclusiva.

Ex-ministro da Defesa da Venezuela é preso pelo tiranete Hugo Chávez

O general de reserva Raúl Isaías Baduel, ex-ministro da Defesa da Venezuela, no governo do tiranete caribenho Hugo Chávez, e que depois se tornou opositor de seu governo, foi preso na sexta-feira e levado à força perante um tribunal da Justiça Militar. Baduel foi detido na cidade de Maracay, a 100 quilômetros de Caracas, por uma comissão da Direção de Inteligência Militar (DIM). Ele está sendo acusado de corrupção enquanto exercia o cargo de ministro da Defesa. Imagens do canal de notícias Globovisión mostraram o ex-general sendo conduzido à força por um grupo de funcionários usando jaquetas da DIM. Baduel foi ministro da Defesa da Venezuela até julho de 2007. Junto com Chávez, ele fez parte do movimento dentro das Forças Armadas que tentou dar um golpe no país em 1992. Em abril de 2002, quando era chefe militar da cidade de Maracay, foi um dos que ajudaram a neutralizar o golpe que chegou a derrubar o governo Chávez por dois dias, o que fez com que ele fosse considerado pelo presidente um "herói da revolução bolivariana". Baduel, no entanto, rompeu com o governo anos depois. No discurso que proferiu ao sair ao cargo de ministro da Defesa, ele fez fortes críticas ao modelo econômico e político do governo. O general se tornou um dos maiores opositores do projeto de reforma constitucional que Chávez propôs em dezembro de 2007 e que foi rejeitado em um referendo. Com o rompimento, o próprio Chávez minimizou o papel de Baduel em sua volta à Presidência em 2002 e o classificou como "traidor".

Vox Populi apresenta Luizianne Lins liderando com 48% das intenções de voto em Fortaleza

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), aparece com 48% das intenções de voto na última pesquisa do Vox Populi deste primeiro turno sobre a disputa em Fortaleza, divulgada na noite de sexta-feira. Atrás dela estão Moroni Torgan (DEM), com 24% das intenções de voto, e Patrícia Saboya (PDT), com 14%. Renato Roseno (PSOL) e Pastor Neto (PSC) têm 2% cada um. Com a margem de erro de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos, a vantagem de seis pontos de Luizianne Lins sobre todos os demais adversários somados indica a possibilidade quase certa de uma vitória já no primeiro turno. Isso é a mais cabal prova de que a população de Fortaleza não aceita mais o comando dos coronéis da política cearense.

TVs pagas podem perder 20% do faturamento com o fim da cobrança do ponto extra

As empresas de televisão por assinatura poderão perder em média 20% do faturamento com o fim da cobrança do ponto extra, conforme o presidente da NET, José Antônio Félix. Segundo ele, algumas empresas chegaram a falar em uma perda de 50%. Durante debate no Conselho Consultivo da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Félix chegou a dizer que a NET perderia R$ 250 milhões de um faturamento de R$ 800 milhões. A assessora jurídica da SKY, Roberta Westin, disse que a proibição da cobrança do ponto extra inibirá novos investimentos dessas empresas. Para o presidente da ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura), Alexandre Annenberg, o fim da cobrança poderá encarecer o serviço para o consumidor de renda mais baixa, que tem apenas um ponto em sua casa. Na última quarta-feira a Anatel prorrogou por mais 30 dias a cobrança do ponto-extra, tudo porque a agência ainda não votou o texto final do regulamento que proíbe a cobrança pelo ponto adicional.

Pacote passa na Câmara dos Representantes dos EUA, vira lei, mas não tranqüiliza mercados financeiros

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na sexta-feira o plano de resgate de US$ 700 bilhões destinado a salvar as instituições financeiras; duas horas depois, o presidente George W. Bush já havia assinado o texto, transformando-o em lei. Mas, nem mesmo assim a aprovação tranqüilizou os mercados acionários, que registraram queda. A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) fechou a semana com forte baixa de 3,53% e desceu para os 44.517 pontos, o nível mais baixo desde 28 de março de 2007, enquanto o dólar atingiu seu preço mais alto em 13 meses. A Bolsa de Nova York perdeu 1,50% no índice Dow Jones. "A retomada da confiança, o retorno do crédito e a melhora dos mercados deve ser gradativa e não deve conseguir evitar uma desaceleração mais forte e prolongada das economias desenvolvidas, com impactos para as economias emergentes", avalia Miriam Tavares, diretora da corretora AGK. A aprovação do projeto coloca na mão do secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson, US$ 700 bilhões para tentar reverter a crise que começou nos Estados Unidos e abala o mercado financeiro mundial. Paulson agora tem a anuência do Congresso para comprar um artigo conhecido por um nome pouco atraente: títulos "podres", ou papéis cujo resgate é muito improvável, cujo risco de calote é alto. A maioria destes ativos são ligados às hipotecas "subprime" (de alto risco), raiz da crise financeira que atinge os Estados Unidos. O FMI (Fundo Monetário Internacional) divulgou documento no qual considera que o que começou como uma turbulência financeira há pouco mais de um ano, se tornou uma "crise intensa", que deve atingir duramente a economia dos Estados Unidos. O ciclo que se fechou na sexta-feira foi iniciado pelo próprio secretário do Tesouro no dia 19 do mês passado, ao dizer que seriam precisos "centenas de bilhões de dólares" para impedir que fosse adiante uma seqüência que, até então, incluía a quebra do banco de investimentos Lehman Brothers, a venda do Merrill Lynch a preço de ocasião (US$ 50 bilhões) ao Bank of America e ajudas bilionárias à seguradora AIG (US$ 85 bilhões) e às gigantes hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac (US$ 200 bilhões). O pacote foi apresentado pelo governo, em sua primeira versão, no dia 20 de setembro: um documento vago, de três páginas, em que eram solicitados US$ 700 bilhões sem mencionar o compromisso de prestação de contas. A idéia não agradou o Congresso, que então colocou em marcha um processo de negociação intenso, ao longo do qual ainda tombaram o Washington Mutual, no que analistas definiram como a maior falência de um banco nos Estados Unidos, e o Wachovia, quarto maior banco do país, que na sexta-feira anunciou a fusão com o Wells Fargo, em uma operação de US$ 15,1 bilhões em troca de ações.

Mulher de 90 anos tenta se suicidar e tem hipoteca perdoada nos Estados Unidos

Addie Polk, de 90 anos, de Akron (Ohio), tornou-se o símbolo da crise financeira norte-americana, ao ser hospitalizada após tentar se suicidar, com dois tiros, na última quarta-feira. Ela fez os disparos enquanto policiais tentavam despejá-la de sua casa. A companhia de hipotecas Fannie Mae informou na sexta-feira que irá perdoar as dívidas imobiliárias de Addie Polk. O porta-voz da empresa declarou que, frente ao incidente, a "associação tinha decidido suspender a ação judicial contra Polk e conceder a ela a posse integral da propriedade". "Vamos perdoar qualquer dívida que ela ainda tenha e lhe daremos a casa", afirmou o representante Brian Faith. Os moradores da cidade de Akron fizeram protestos a favor de Addie Polk, que está hospitalizada no Centro Médico Geral de Akron. O vizinho de Addie Polk, Robert Dillon, de 62 anos, usou uma chave de fenda para arrombar uma janela do banheiro da casa de Addie Polk, depois dele e dos policiais terem ouvido tiros dentro da residência. Dillon encontrou Addie Polk caída em uma cama, e pode ver que ela respirava e tinha uma arma ao lado. Em 2004, Addie Polk assumiu uma hipoteca com 30 anos para pagar, no valor de US$ 45.620,00. No mesmo dia, ela pegou US$ 11.380,00 emprestados em um banco. Nos últimos dois anos, Addie Polk não conseguiu arcar com as parcelas da hipoteca da casa, que fora construída há 101 anos e ela e seu marido falecido compraram em 1970. Em 2007, a Fannie Mae assumiu a hipoteca e pediu o despejo de Polk.

Opositores aceitam se reunir com o cocaleiro Evo Morales neste domingo

Os governadores opositores da Bolívia aceitaram na sexta-feira se reunir com o presidente cocaleiro trotskista Evo Morales neste domingo para discutir o futuro das negociações sobre a crise política nacional, suspensas há dois dias. O governador de Tarija, Mario Cossío, porta-voz de seus colegas dos departamentos (Estados) de Santa Cruz, Beni e Chuquisaca, confirmou a participação de todos no diálogo, após se reunir com delegações internacionais que tentam fazer a mediação do conflito. "Os governadores regionais nunca renunciaram ao diálogo e, apesar das novas prisões realizadas na quinta-feira, vamos no domingo à reunião com o presidente para discutir o futuro" deste processo, disse Cossío em entrevista coletiva em Cochabamba. A decisão de participar da reunião foi tomada depois que o governo confirmou, quinta-feira à noite, que o cocaleiro trotskista Morales estará presente na reunião. Há 15 dias e com poucos avanços, governo e opositores tentam chegar a acordos sobre o referendo para validar o projeto de Constituição promovido pelo cocaleiro trotskista Evo Morales, as autonomias exigidas pelos governadores regionais e o reparte da receita petrolífera ao Estado e às regiões. No entanto, em meados desta semana os governadores deram por suspensas as negociações por causa do que consideram um clima de "perseguição" contra os líderes e ativistas da causa autonomista, que o governo do cocaleiro trotskista acusa de serem terroristas por terem participado de atentados contra gasodutos, entre outros. Cossío reivindicou que o Estado cumpra a lei em todos os casos, e não só contra a oposição. Ele lembrou que o governo não agiu contra os camponeses integrantes das tropas de choque pró-Morales, que cercaram com armas a cidade de Santa Cruz, ou contra os líderes ligados ao governo que ameaçam fazer o mesmo contra o Congresso.

Colômbia extradita para os Estados Unidos um chefe do tráfico de drogas

O chefe de uma organização que introduzia heroína nos Estados Unidos, Humbeiro Carvajal-Montoya, foi extraditado para os Estados Unidos pela Colômbia para enfrentar acusações relacionadas com o tráfico de drogas, informou na sexta-feira a Promotoria Federal em Manhattan (Nova York). O escritório, dirigido pelo promotor Michael García, explicou que, entre os membros da quadrilha, que operava através do aeroporto internacional José María Córdoba, em Medellín (Colômbia), há funcionários policiais e empregados de aeroporto. Também pertenciam à organização a mulher de Carvajal-Montoya, Diana López; o supervisor de segurança no aeroporto de Medellín, Germán Soto Villa, que trabalhava na zona de artigos livres de impostos, e o empregado da companhia aérea Avianca, Elkin Fernando Daza Ríos, que trabalhava nas instalações de carga internacional. A Promotoria informou que a quadrilha introduzia nos Estados Unidos a droga escondida em peças de roupa ou em mala, bagagem de mão, computadores e mercadorias. Os encarregados de introduzir os entorpecentes viajavam pelo menos uma vez ao mês de Medellín a Nova York e transportavam quantidades que variavam entre centenas de gramas e alguns quilos de heroína. As autoridades colombianas, a pedido dos Estados Unidos, prenderam Carvajal e mais quatro traficantes.

Ministro José Gomes Temporão defende o fim da estabilidade para servidores da saúde

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse na sexta-feira ser favorável ao fim do regime de estabilidade para servidores públicos da área da saúde. Ao anunciar o novo plano de gestão do Inca (Instituto Nacional do Câncer), no Rio de Janeiro, na sexta-feira, ele voltou a defender a criação de fundações públicas de direito privado, proposta do governo Lula que está emperrada na Câmara dos Deputados. Temporão afirmou que as fundações darão mais agilidade e qualidade no atendimento em unidades de saúde, além de melhorar as condições de contrato. Ele negou que a medida seja uma "privatização" e represente "terceirização" da saúde pública. "O que muda é que a fundação estatal estabelece regime de trabalho pela CLT. Ou seja, acabaria a estabilidade para os profissionais da saúde. Eu defendo o fim da estabilidade para os profissionais da saúde". Em cerimônia no Inca, Temporão assinou portaria que condiciona o repasse de recursos ao Inca ao cumprimento de metas estabelecidas na medida. O objetivo, segundo o ministério, é aumentar o controle sobre os gastos do instituto e otimizar os recursos da área da saúde que, para Temporão, ainda passa por "subfinanciamento crônico" no Brasil.

Piloto Hélio Castro Neves é preso nos Estados Unidos, acusado de fraude, e liberado ao pagar fiança de US$ 10 milhões

O piloto brasileiro Hélio Castro Neves se declarou inocente na sexta-feira da acusação de ter fraudado o governo dos Estados Unidos em US$ 5,55 milhões (aproximadamente R$ 10,6 milhões) em impostos. Castro Neves, que chegou algemado e com correntes nos tornozelos no tribunal em Miami, foi liberado após pagar fiança de US$ 10 milhões, segundo o advogado do piloto, Mark Seiden. Hélio Castro Neves corre na F-Indy pela equipe Penske. De acordo com Seiden, o piloto está autorizado judicialmente a fazer viagens a trabalho dentro dos Estados Unidos, mas não poderá deixar o país até o julgamento, que deve acontecer em aproximadamente três meses. Hélio Castro Neves, assim como sua irmã Katiucia Castro Neves (também ré no caso), é cidadão norte-americano. David Garvin, que também representa a defesa de Hélio Castro Neves, alegou inocência do piloto. Também é réu no processo o advogado do piloto, Alan Miller. O piloto da Indy e a irmã ainda foram denunciados por outros seis crimes de evasão fiscal entre os anos de 1999 a 2004. Caso sejam condenados em todas as acusações, Castro Neves, que mora em Miami desde 1997, e Katiucia, residente dos EUA desde 1999 e que trabalhava como empresária do irmão, podem pegar até 35 anos de prisão, cinco pela tentativa de fraudar o governo dos Estados Unidos e cinco para cada um dos anos de evasão de divisas. O advogado, que foi acusado em apenas três dos seis anos de evasão fiscal, pode pegar no máximo 20 anos de prisão. Pela denúncia, Hélio Castro Neves, sua irmã Katiucia e o advogado Alan Miller usavam uma offshore no Panamá, chamada Seven Promotions, para receber boa parte do salário de Castro Neves como piloto e driblar o fisco norte-americano. Por três anos, Castro Neves recebeu US$ 6 milhões da Penske e de outros contratos, mas só reportou US$ 1 milhão em sua declaração de renda. O esquema usado pelo piloto, sua irmã e o advogado desviou mais de US$ 5 milhões, em um plano que fazia a Penske depositar seu salário fora do país para não pagar taxas. Pelas acusações da Promotoria americana, Katiucia ajudou a forjar declarações de renda falsas e transferiu dinheiro para uma conta na Suíça. Segundo a denúncia divulgada ontem na Flórida, Castro Neves ainda teria recebido US$ 600 mil em contratos de patrocínio com a empresa brasileira de importação e exportação Coimex Internacional SA, mas só declarou U$ 50 mil. "Usar offshores para evadir divisas é crime", afirmou Doug Shulman, agente do IRS (a Receita Federal dos Estados Unidos).

Pedro Simon quer convidar Guido Mantega para debater crise financeira no Senado Federal

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) protocolou requerimento de convite para o ministro da Fazenda, Guido Mantega, debater a crise econômica internacional na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal. Com o fim do primeiro turno das eleições municipais, o Congresso deve retomar suas atividades na terça-feira, o que abre caminho para a comissão votar o requerimento. Pedro Simon quer explicações de Mantega sobre as medidas adotadas pelo governo Lula com o objetivo de preservar o País da crise externa. "No Brasil, apesar das autoridades de política econômica e monetária já terem afirmado que o País conta com uma blindagem razoável e suficiente para que não sejamos muito afetados, está havendo uma nítida regressão na divulgação deste otimismo", diz o senador no requerimento. O peemedebista afirma que já foram registradas perdas de US$ 3,5 bilhões no movimento de capitais, o que justifica a convocação de Mantega. "É imprescindível que este Congresso e a sociedade estejam cientes dos reais riscos e dos efetivos mecanismos de defesa que dispomos. Por esse motivo, não pode tardar esse pleno esclarecimento do ministro da Fazenda a este colegiado", afirma Pedro Simon.

Anvisa proíbe venda dos antiinflamatórios Prexige 400 mg e Arcoxia 120 mg

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) cancelou o registro dos antiinflamatórios Prexige (Lumiracoxibe) 400 mg, do laboratório Novartis, e do medicamento Arcoxia (Etoricoxibe) 120 mg, da Merck Sharp e Dohme. Com isso fica suspensa a comercialização e o uso desses medicamentos em todo o País. Os antiinflamatórios foram suspensos porque especialistas consideram que as reações adversas superam os benefícios. A orientação da Anvisa é para que as pessoas que usam os medicamentos procurem orientação médica para a substituição. Desde julho, a Anvisa faz testes para verificar a segurança dos antiinflamatórios não esteróides inibidores da Cox-2, uma enzima que combate a inflamação e está presente em muitos antiinflamatórios sem hormônios. Antes era possível adquirir esse medicamentos com uma receita simples, mas agora a venda só poderá ser realizada com prescrição de receita médica especial e retenção de uma via pela farmácia. O Prexige é usado no tratamento de artrite, dor aguda e cólica menstrual. Já o Arcoxia é utilizado em casos de reumatismo, gota, artrite, cólica menstrual e no pós-operatório. Além da suspensão do Arcoxia 120 mg e do Prexige 400 mg, a Anvisa determinou alterações nas bulas do Arcoxia 60 mg e 90 mg, para que o consumidor seja alertado sobre o risco de ter pressão alta e problemas cardiovasculares. O Celebra (Celecoxibe), da Pfizer, também sofrerá alterações em sua bula. Deverá restringir o tempo de tratamento e o uso durante a gravidez e amamentação. Outro antiinflamatório da Pfizer, o Bextra (Parecoxibe) só poderá ser utilizado em hospitais por causar problemas no estômago e em todo o tubo digestivo.

Ministro Guido Mantega nega que bancos brasileiros enfrentem problemas

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na sexta-feira que a oferta de crédito é o principal problema gerado pelo agravamento da crise financeira dos Estados Unidos. Ele garantiu, no entanto, que o governo Lula tomará todas as medidas necessárias para que a economia brasileira continue crescendo e negou que os bancos brasileiros enfrentem problemas de solvência (dificuldade de pagar contas), mas sim de liquidez (oferta de dinheiro no mercado). "Temos procurado aumentar o crédito e temos medidas ainda para serem tomadas. O Banco Central tem feito leilões em dólares. Vamos tomar todas as medidas para garantir que a economia continue crescendo, estimulando o mercado interno e a oferta de crédito", disse Guido Mantega. Ele negou que os bancos brasileiros passem por dificuldades. Enfatizou ele: "Quero deixar claro que não há problemas de solvência, mas de liquidez nessa fase crítica. Se você recompuser a liquidez, tudo bem, porque não há ativos podres. Mesmo instituições médias e pequenas, que neste momento têm mais dificuldades, têm boas carteiras".

Estatais levam cinco dos sete lotes em leilão de linhas de transmissão

As empresas estatais dominaram o leilão de linhas de transmissão realizado na sexta-feira pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), no Rio de Janeiro. Dos sete lotes ofertados, as subsidiárias da Eletrobrás ganharam a concessão em cinco deles. O lote D, que compreende a linha de transmissão entre Porto Alegre e Caxias do Sul, não teve interessado. O deságio médio do leilão foi de 37,62%. A Eletronorte foi a maior “vencedora” do leilão, com a concessão para construir linhas em dois lotes. Em um deles está prevista a ligação entre o Maranhão e o Piauí. Neste empreendimento, a estatal apresentou previsão de receita anual com 30% de deságio sobre o valor proposto pela Aneel. Já no lote B, que prevê a subestação de Miranda, no Maranhão, a Eletronorte apresentou oferta com deságio de 20%. Furnas Centrais Elétricas foi a vencedora no lote C, que prevê a ligação entre Bom Despacho e Ouro Preto, em Minas Gerais, com deságio de 38,70%. A NeoEnergia, cujo controlador é espanhol, levou o lote E, que compreende a subestação de Narandiba, na Bahia, com deságio de 60%. No lote G, que prevê duas subestações em Suape, no Estado de Pernambuco, a Chesf obteve direito de construção com deságio de 43%. O concurso apenas de empresas estatais demonstra a grande desconfiança sobre o futuro da economia que se apoderou dos investidores privados.

Casa Civil da Presidência da República tem no mínimo cinco maletas de grampo

Fonte da área de inteligência revelou ao jornalista Claudio Humberto, diretor-editor do site www.claudiohumberto.com.br, que, de todos os equipamentos de interceptações telefônicas entregues pelo governo Lula à Policia Federal, por ordem do Ministério Público Federal, após o escândalo da “grampolândia”, cinco maletas foram identificadas como pertencentes à Casa Civil da Presidência da República. E outras cinco maletas eram da Agência Brasileira de Inteligência, ligada ao GSI, que também integra o gabinete presidencial.

Justiça proíbe pesquisa suspeita de fraude do PT em Estância Velha

A Justiça Federal vetou na sexta-feira a publicação de uma pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Index , para o PT, na cidade de Estância Velha (RS). A análise atinge um universo de 100% das intenções de voto dos entrevistados sem nenhuma apresentação de margem de erro, votos nulos, brancos ou indecisos. Segundo a pesquisa, que seria publicada pela Coligação Estância Velha Unida Para Melhorar Ainda Mais (formada pelo PT,PSC,PSB,PHS,PRB), os resultados seriam os seguintes: Gringo (PT), 51,28%; Waldir (PSDB), 40,38%, e Jorge, 8,34%. Para a Coligação Estância para Frente de Mão Dadas (PSDB,PMDB,PP,PPS,PDT,DEM) a pesquisa “parece suspeita já que não apresenta margem de erro”.

Embraer entrega primeiro avião para a Japan Airlines

A Embraer entregou na sexta-feira o primeiro dos dez aviões E-170 comprados pela companhia japonesa Japan Airlines (JAL), que ainda pode adquirir outras cinco aeronaves. A Embraer informou que a entrega, em sua sede principal de São José dos Campos, atende ao contrato assinado em julho de 2007 com a companhia aérea japonesa. O jato E-170 vendido à companhia asiática tem capacidade para 76 passageiros e uma classe única. Os aviões brasileiros serão operados pela J-Air, filial da companhia aérea japonesa, a maior na Ásia em número de passageiros transportados. O presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado, disse que "é uma grande satisfação entregar o primeiro Embraer 170 para um cliente tão especial como a JAL, empresa mundialmente reconhecida por sua excelência operacional". E acrescentou: "Na celebração do centenário da imigração japonesa no Brasil, todos nós na Embraer estamos profundamente honrados em ver nossos E-jatos voando nos céus do Japão e nas cores da Japan Airlines".

Advogado de Daniel Dantas denuncia que está sendo espionado

Nelio Roberto Seidl Machado, advogado de defesa do banqueiro Daniel Dantas, denunciou à Procuradoria-Geral da República que está sendo alvo de espionagem. Ele não identifica seus perseguidores, mas suspeita de oficiais da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e agentes da Polícia Federal que participaram da Operação Satiagraha, investigação sobre suposto esquema de evasão de divisas, lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha envolvendo o controlador do Grupo Opportunity. O advogado pede ao procurador-geral Antonio Fernando de Souza "apuração dos lamentáveis episódios". Ele cita pelos menos duas passagens para reforçar seus argumentos, a primeira ocorrida na noite de 11 de junho, em um restaurante japonês em Brasília; a outra no dia 10 de julho, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Nas duas ocasiões, arapongas o teriam filmado. Ele também acredita que seus telefones estão sob grampo clandestino e que até em seus gabinetes de trabalho, no Rio de Janeiro e em São Paulo, tenha sido instalada escuta ambiental. "Não vou me curvar, mas esse tipo de expediente espúrio não pode ficar impune", disse Nélio Machado. Ele pede que seu caso seja investigado no mesmo inquérito, nº 964/2008, aberto por requisição do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, que teve grampeada conversa telefônica com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Ele entregou cópia de sua petição aos ministros Gilmar Mendes e Eros Grau e ao Conselho Federal da OAB. "Há indicações conclusivas, concludentes e incontestáveis no sentido de que fui seguido por figuras que pertencem ou à Polícia Federal ou à Abin", afirma Nélio Machado. O advogado Nara que jantou no dia 11 de junho no Original Shundi, em Brasília, para onde se havia deslocado com objetivo de ingressar com habeas corpus em favor de Daniel Dantas no Supremo. O pedido foi distribuído ao ministro Eros Grau. Nélio Machado desmente a informação de que teria jantado em companhia de assessores do presidente do Supremo. "Eu estava com colegas de advocacia, sequer conheço os assessores do ministro", garante Nélio Machado. A Operação Satiagraha foi deflagrada quase um mês depois, em 8 de julho, quando Daniel Dantas foi preso por ordem do juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal, em São Paulo. No dia seguinte, o presidente do Supremo mandou soltar o banqueiro. No dia 10, novamente o juiz Sanctis ordenou a prisão de Daniel Dantas, agora por suposta trama de suborno de um delegado da Polícia Federal. Nesse dia, Nelio Machado desembarca em Congonhas quando, segundo alega, percebeu que estava sendo filmado. "Seguir um advogado, fazem campana logo após o ingresso de habeas corpus no Supremo, acompanhando seus passos, tudo isso está a indicar prática abusiva e ilegal, que viola as prerrogativas profissionais, revelando abuso de poder, o que não chega a constituir surpresa, diante de tantas ilegalidades que permearam a Operação Satiagraha", relata Nélio Machado no ofício ao procurador-geral.

Cezar Schirmer lidera a disputa com folga em Santa Maria

Pesquisa Social e Mercadológica em Santa Maria, realizado entre os dias 2 e 3 de outubro, mostra o candidato do PMDB à prefeitura, o deputado federal Cezar Schirmer (PMDB), com 46,1% das intenções de voto, com uma vantagem de 10,2$ sobre o segundo colocado na disputa, o também deputado federal Paulo Pimenta (PT), que aparece com 35,9%. Em terceiro lugar está Sandra Feltrin (PSOL), com 7%. Quando calculados os votos válidos (excluídos os brancos e nulos e eleitores indecisos), Cezar Schirmer tem 51,8% das intenções de voto e Paulo Pimenta 40,3%. Em Santa Maria não haverá segundo turno. Entre os entrevistados, 35,6% responderam que não votariam em Pimenta, enquanto apenas 26,1% disseram que não votariam em Schirmer. Ou seja, o índice de rejeição ao petista Paulo Pimenta é muito maior do que o de Schirmer.

Última pesquisa dá empate em Caxias do Sul

A última pesquisa da campanha eleitoral em Caxias do Sul (RS), feita pelo instituto Fato, mostra um empate técnico quase absoluto entre os candidatos à prefeitura, José Ivo Sartori (PMDB) e Pepe Vargas (PT). Sartori está com 45% das intenções de voto e Pepe registra 43,9%, uma diferença muito pequena de 1,1%. Em relação ao levantamento anterior, de 25 de setembro, José Ivo Sartori oscilou de 45,1% para 45%, enquanto Pepe oscilou 1,9%. Quando calculados os votos válidos (excluídos os brancos e nulos e eleitores indecisos), Sartori obteve 50,6% e Pepe 49,4%. Ambos os candidatos registram também o mesmo índice de rejeição, de 22,9%. Sartori leva vantagem na expectativa de vitória. Independentemente da intenção de voto, responderam que o candidato do PMDB deverá vencer a eleição 51,7%, enquanto apenas 31% disseram que o petista trotskista Pepe Vargas deverá ganhar. Como são apenas dois candidatos na disputa, não haverá segundo turno em Caxias do Sul.

Banco Central proíbe recompra de carteira de crédito entre bancos

O Banco Central divulgou no início da noite desta sexta-feira a reedição da Circular 3.407, divulgada na noite de quinta-feira, que altera as regras do depósito compulsório sobre depósitos a prazo. A republicação trouxe um parágrafo em que o Banco Central admite a coobrigação do cedente em casos de venda de carteira de crédito. A coobrigação é o compartilhamento dos riscos de crédito entre a instituição que vendeu a carteira e o banco que comprou. Na primeira versão da circular a coobrigação não era permitida. Além de admitir esta divisão de riscos, o Banco Central vedou a recompra dessas carteiras pela instituição que era originalmente proprietária dos créditos. Assim, se a instituição "A" vende sua carteira para o banco "B", "A" não poderá mais recomprar esses créditos de "B". Na noite de quinta-feira, o Banco Central anunciou a medida para tentar aliviar a falta de dinheiro disponível no sistema financeiro. Esta medida deve beneficiar principalmente pequenos e médios bancos. A autoridade monetária anunciou que bancos que adquirirem carteiras de crédito de outras instituições terão redução do depósito compulsório. A decisão deve favorecer a aquisição de carteiras de crédito de bancos pequenos pelas grandes instituições, porque essas compras vão gerar abatimento no valor a ser recolhido na forma de depósito compulsório sobre os depósitos a prazo. O benefício só será dado quando a carteira adquirida for de um banco com patrimônio de até R$ 2,5 bilhões.

Procurador Geraldo da Camino investiga repasse de recursos para Ongs do MST gaúcho

Após analisar relatório feito por comissão especial da Assembléia Legislativa da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, sobre repasses de recursos federais a ONGs que trabalham com assentamentos e reforma agrária no Estado, o procurador-geral do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas, Geraldo Costa da Camino, pediu à presidência do Tribunal para que haja fiscalização em órgãos estaduais. O objetivo é verificar se a prestação de contas sobre transferências de verbas do Estado para as ONGs são satisfatórias. Se os documentos não estiverem completos ou houver suspeita de irregularidade na utilização dos recursos estaduais, o tribunal deve analisar mais detalhadamente o caso suspeito. O Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul também solicitou fiscalização nas entidades beneficiadas. A decisão do procurador foi embasada no relatório final da Comissão de Representação Externa do Legislativo, encaminhado pelo deputado estadual Nelson Härter (PMDB). O texto aponta irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas da União nos repasses de dinheiro federal a entidades vinculadas a assentamentos e Reforma Agrária no Estado.

GM anuncia férias coletivas e pára produção em fábricas de São Paulo

A General Motors do Brasil vai parar a produção de algumas linhas de montagem e conceder férias coletivas para mais de 12 mil funcionários nas três unidades de São Paulo. A empresa confirmou a paralisação de 20 de outubro a 2 de novembro para cerca de 2.000 funcionários da unidade de São José dos Campos e para todos os 10.000 em São Caetano. Em Mogi das Cruzes, a medida vai alcançar parte dos cerca de 800 funcionários. As férias coletivas são efeito da desaceleração do mercado e reflexo da crise financeira dos Estados Unidos. A empresa encerrou nesta semana um PDV (plano de demissão voluntária) em São José, mas não informou o número de adesões. Em São José dos Campos serão paralisadas as linhas de produção do Corsa, Zafira e Montana e na Powertrain. Em São Caetano param a produção de Corsa, Vectra e Astra. A unidade de Gravataí (RS) por enquanto mantém a produção. Ela faz os modelos Prisma e Celta. A medida da GM pode ser reproduzida em outras empresas da cadeia de suprimentos, como a de autopeças. Os fabricantes de automóveis assistem à queda generalizada nas vendas nos Estados Unidos em decorrência da crise financeira que atinge o país. A Ford e o grupo Chrysler registraram, respectivamente, quedas de 34% e 33% nas vendas, enquanto as japonesas Toyota e Honda, que até agora vinham se mostrando como as mais resistentes às oscilações do setor, viram as compras de veículos despencar 29,5% e 20,9%. Com uma retração de 15,8%, a GM vendeu um total de 284 mil unidades nos EUA, contra 337.640 de um ano atrás. O diretor financeiro da GM, Fritz Henderson, pintou um cenário sombrio para o resto de 2008 e o ano que vem, por conta da falta de crédito ao consumidor no país.

PSDB retoma negociação de aliança com DEM na segunda-feira em São Paulo

A próxima segunda-feira é o dia escolhido pelo governador de São Paulo, José Serra (PSDB), para entrar definitivamente nas eleições municipais de São Paulo. Será ele o principal articulador da retomada da aliança dos tucanos com o DEM, independentemente de quem for para o segundo turno: o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) ou o prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM). O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), mandou congelar as negociações envolvendo kassabistas e alckmistas e definiu que, a partir de segunda-feira, ele e o governador serão os articuladores da retomada da aliança com o DEM na próxima fase da campanha. A negociação para reconstruir a parceria terá duas frentes: Sérgio Guerra, de Brasília, vai oficializar as conversas informais que já trava com o deputado federal Rodrigo Maia, presidente nacional do DEM. Em São Paulo, José Serra embarca na campanha para negociar o mesmo no âmbito municipal.