segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Ricaça petista Marta Suplicy nega insinuações e diz que não viu inserção que questiona vida pessoal de Gilberto Kassab

Primeira entrevistada do ciclo de sabatinas que a Folha realiza com os candidatos a prefeito de São Paulo no segundo turno, a ex-prefeita da cidade, a ricaça petista Marta Suplicy (PT), disse que não viu a propaganda de TV, veiculada desde domingo, que questiona se o adversário Gilberto Kassab (DEM) é casado e se tem filhos. A ricaça petista Marta Suplicy disse que a propaganda é de responsabilidade do marketing da sua campanha: "A decisão está na mão do marqueteiro. Eu nem vi a campanha no ar”. É a velha desculpa fácil de todo petista. A de Lula era de que não sabia de nada. A ricaça petista Marta Suplicy negou que a propaganda tenha insinuações veladas sobre a vida pessoal do prefeito: "Sou uma pessoa contra o preconceito. Da minha boca vocês nunca vão ouvir uma palavra de preconceito. Mas eu acho que estão interpretando demais". Ela afirmou ainda que não tem preocupação sobre a vida privada de nenhum adversário político: "Para mim tanto importa ele ser casado, viúvo ou solteiro. As pessoas têm que saber”. A ricaça petista Marta Suplicy respondeu com irritação às perguntas pessoais direcionadas a ela. "O que eu queria colocar a público sobre a minha vida pessoal eu escrevi no livro e ponto. E esse é o único comentário que eu vou fazer sobre a minha vida pessoal. E é o último que você vai ouvir", afirmou a ricaça petista, ao ser questionada sobre o impacto do divórcio do senador Eduardo Suplicy (PT) sobre sua derrota nas eleições de 2004.

Dólar cai 6,87%, para R$ 2,155

Refletindo a retomada da confiança pelos mercados do mundo todo, a moeda norte-americana caiu significativamente ante o real nesta segunda-feira. A depreciação do dólar só não foi maior por conta de uma trava indireta na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) que impede transações a partir de oscilações de 6%, de alta ou de baixa, para os contratos de dólar negociados no mercado futuro. Com isso, as variações no mercado à vista também acabam sendo limitadas. O dólar comercial fechou negociado a R$ 2,153 na compra e R$ 2,155 na venda, em baixa de 6,87%. Na última sexta-feira o dólar tinha fechado a semana cotado a R$ 2,3140, em alta de 5,27%.

Gilberto Kassab diz que ser solteiro é de foro íntimo e vê equívoco do PT

O prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab(DEM), classificou nesta segunda-feira de "grande equívoco" a inserção publicitária de sua adversária nesta campanha, a ricaça petista Marta Suplicy, que explora sua vida pessoal questionando o eleitor se ele conhece o passado político e pessoal de Kassab e perguntando se ele é casado ou tem filhos. Solteiro e sem filhos, aos 48 anos, Kassab minimizou a importância da vida pessoal do candidato nas eleições. "Se é solteiro, viúvo, divorciado, se tem filhos ou não, é questão de foro íntimo. O importante é o preparo, a integridade, o caráter", afirmou. "Não é a vida pessoal que define se a pessoa é mais bem preparada ou não para administrar São Paulo." Apesar de insistir na importância de propostas, o prefeito e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, revidou as críticas de Marta com o chamado escândalo do mensalão, que atingiu o governo federal e o comando do PT em 2005. Antes de vistoriar obras da Prefeitura na zona Leste da Capital, Kassab alfinetou: "As pessoas têm que refletir bastante antes de falar. Foi apenas uma lembrança a Marta Suplicy de que seu braço direito, Monica Valente, é esposa do Delúbio Soares, que é sócio de Marcos Valério”. Marcos Valério, atualmente preso em São Paulo, e Delúbio Soares, são réus no processo do Mensalão no Supremo Tribunal Federal. O Mensalão foi o processo de corrupção de partidos e parlamentares montado pela direção do PT para comprar apoio político para o governo Lula em seu primeiro mandato.

Eduardo Paes leva Lula e Fernando Gabeira mostra Caetano Veloso no horário eleitoral

O primeiro programa eleitoral de TV do segundo turno das eleições para a prefeitura do Rio de Janeiro foi marcado por exibição de apoios dos candidatos Fernando Gabeira (PV) e Eduardo Paes (PMDB). Este levou o presidente Lula ao seu horário político. Nunca esquecer que, durante a CPI dos Correios, Eduardo Paes, então deputado federal do PSDB, chamou Lula de “chefe de quadrilha” do Mensalão. Agora ele recebe o apoio do “chefe de quadrilha”. Eduardo Paes deveria usar a imagem do camaleão como símbolo de sua campanha. Já Fernando Gabeira apostou em Caetano Veloso. Este é um apoio que desinteressado e exprime efetivamente aproximação política e ideológica.

PPS oficializa apoio a Gilberto Kassab em São Paulo

O PPS organizou um ato político nesta segunda-feira para oficializar o apoio do partido ao prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), no segundo turno em São Paulo. Mesmo concordando com a aliança definida na última quinta-feira, a candidata Soninha Francine (PPS), ex-petista, derrotada no primeiro turno, não compareceu ao evento. Para Kassab, no entanto, a ausência de Soninha não prejudica o apoio oferecido pelo partido. "Ela deixou seu partido em uma situação muito confortável. Ela disse com muita transparência que num primeiro momento ela preferia que as coisas fossem conduzidas pelo partido e que ela estaria inserida nesse processo e no momento adequado estaria pronta para colaborar com a nossa administração", afirmou o prefeito. Na reunião do diretório municipal do PPS que definiu o apoio, Soninha disse que sua posição é motivada muito mais por uma postura anti-Marta Suplicy, candidata do PT, do que afinidades com o candidato do DEM.

Gilberto Kassab entra com sete representações na Justiça contra propaganda de Marta Suplicy

A coordenação da campanha do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), já entrou com sete representações no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, desde domingo, contra a campanha da ricaça petista Marta Suplicy (PT), com quem o democrata disputa o segundo turno eleição municipal. A campanha de Kassab reivindica o direito de resposta a uma inserção (anúncio) da campanha da ricaça petista que questiona a vida pessoal do prefeito. Na televisão e no rádio, a campanha da ricaça petista questiona se o eleitor conhece a trajetória do candidato do DEM, e conclui a inserção eleitoral com a pergunta: "É casado? Tem filhos?". Nesta segunda-feira, Kassab repudiou o teor da propaganda adversária, por polemizar sua vida pessoal. Mas, as ações na Justiça referem-se à acusação de que Kassab teria enriquecido desde que iniciou sua carreira política. "Você sabe mesmo quem é o Kassab? Se já teve problemas com a Justiça? Se melhorou de vida depois da política?", questiona o locutor da ricaça petista Marta Suplicy. Para a campanha do democrata, a pergunta deixa de ser uma insinuação e torna-se uma acusação, daí o pedido de direito de resposta. Kassab também poderia responder em seus anúncios de TV, perguntando a Marta se ela começou a transar com seu marido argentino enquanto ainda estava vivendo com o senador petista Eduardo Suplicy. Aí ela veria o quanto é bom se intrometer na vida íntima dos adversários.

Debate de Gilberto Kassab e Marta Suplicy na Band vira guerra de torcidas

O clima tenso entre os candidatos Gilberto Kassab (DEM) e Marta Suplicy (PT) durante o debate na Band, neste domingo, também tomou conta do público no estúdio da emissora. As provocações de um lado e de outro dos apoiadores acompanharam os embates mais acalorados dos candidatos. Antes mesmo do debate começar, apoiadores de Kassab começaram as provocações ao rirem da forma como a emissora anunciou o início do programa. Do lado de fora do estúdio, um repórter disse para os telespectadores "relaxarem em casa" porque o debate iria começar. Para os kassabistas, a frase lembrou o "relaxa e goza" dito pela ex-ministra petista aos passageiros de avião em plena crise aérea. O deputado Carlos Zarattini, coordenador da campanha de Marta, era um dos mais exaltados. "Começou com eles mandando relaxar em casa. Depois o Boris começou chamando ela de dona Marta, que é pejorativo e machista", disse ele. Marta Suplicy e Gilberto Kassab avaliaram positivamente suas participações no primeiro debate eleitoral na TV no segundo turno. "O importante é que aconteceu o debate. Na medida em que os debates acontecem, ganha a população de São Paulo. Fiz questão de registrar as diferenças de propostas", afirmou o prefeito e candidato à reeleição. "Naquilo que fui atacado, eu pedi direito de resposta e fui atendido", disse Kassab. Marta Suplicy buscou associar Kassab aos ex-prefeitos Paulo Maluf (PP) e Celso Pitta (PTB). Mas, essa era fácil de tirar, e Kassab tirou, ligando Marta Suplicy à quadrilha dos 40 do Mensalão, montada pelo PT. Questionado sobre a atitude, Kassab disse que citou o mensalão apenas para que a petista refletisse: "Foi apenas pra servir de reflexão para ela. Que ela possa voltar ao tema da campanha e debater propostas". Kassab chegou a ser duro: “Marta tem em sua equipe aquele do dólar da cueca. Ela foi assessorada por muito tempo pela esposa do Delúbio Soares”. O democrata acusou a ex-prefeita de preferir investir em internet gratuita a construir hospitais. "Eu queria que você explicasse porque essa prioridade de gastar tanto em um projeto que é tão difícil de ser implantado", questionou Kassab. Ao final do debate, Marta Suplicy pediu ao eleitorado que mude de posição e vote nela, dizendo-se mais madura. Ora, com sessenta e tantos anos, Marta Suplicy não pode estar mais madura, está além disso.

PT e Marta Suplicy mergulham na baixaria mais baixa com comercial de TV da campanha

A ricaça petista Marta Suplicy poderia partir para o ataque no segundo turno contra seu adversário, o atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). Afinal, ela foi ultrapassada na corrida por ele nos últimos dias do primeiro turno. Agora, o que não dá para aceitar é que ela e os membros do seu partido tenham aprovado um comercial de televisão da sua campanha, em exibição em São Paulo, mergulhando na vida privada do adversário, perguntando se ele é casado e se tem filhos. Um filmete ordinário, vagabundo, dessa ordem, permitiria, por exemplo, que fosse feito sobre ela, perguntando se ela já estava transando com seu marido argentino enquanto estava casada com o senador petista Eduardo Suplicy. A botocada “sessentona” petista Marta Suplicy, que gosta de se apresentar como psicanalista, e por isso anti-preconceituosa, mostrou com o tal comercial que é a rainha das preconceituosas, quando acha que isso pode lhe dar alguma vantagem política. O que interessa a vida privada de quem quer que seja? É lastimável que ela faça isso quando seu líder maior, o presidente Lula, sofreu preconceito na campanha eleitoral de 1990, quando seu adversário, Fernando Collor de Mello, não hesitou em mostrar vídeo de Miriam Cordeiro, ex-namorada de Lula, a qual o acusava de tê-la pressionado para que abortasse Lurian. Não há dúvida. Marta Suplicy e o PT decidiram levar a política paulistana para a lama. É a lama, a baixaria, a canalhice no seu estado mais bruto.

Debate no Rio de Janeiro vê troca de ataques entre Eduardo Paes e Fernando Gabeira

Os candidatos a prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB) e Fernando Gabeira (PV), abandonaram o tom propositivo do primeiro turno e trocaram ataques durante o debate deste domingo na TV Bandeirantes. Eduardo Paes, um renegado que abandonou o PSDB pelo PMDB para poder concorrer, acusou Gabeira de ser preconceituoso com os moradores do subúrbio e explorou a postura dele de defesa da legalização da maconha. O candidato do PV reclamou de uma campanha de "baixo nível". Paes citou uma conversa de Gabeira reproduzida pela imprensa em que ele se referia à vereadora Lucinha (PSDB) como "analfabeta política" e dotada de uma "visão suburbana” sobre o problema do Lixão de Paciência. Gabeira reclamou de uma tentativa do adversário de jogá-lo contra o povo do subúrbio. "Eu sou o político do País que mais lutou contra o preconceito", disse ele. "Antes do candidato nascer eu já tinha perdido uma parte do fígado e do rim lutando pelo povo brasileiro", acrescentou. Eduardo Paes ataca Fernando Gabeira porque vê que, no primeiro turno, nos últimos dias, os cariocas trocaram maciçamente de voto, passando-se para o lado de Gabeira, e tem medo de perder agora no segundo turno. Fernando Gabeira disse que o adversário buscava apresentá-lo como "uma pessoa distante, um grã-fino com preconceito: "Essa idéia é equivocada, eu comecei a trabalhar com 9 anos, vendi banana, fui maquinista de metrô, porteiro de hotel, cortei grama em cemitério".

Comissário econômico da União Européia diz que região dá sinais profundos de desaceleração

O comissário de Assuntos Econômicos e Monetários da União Européia, Joaquín Almunia, disse no sábado que a desaceleração na Europa dá sinais de estar se acentuando, em meio a um clima de incerteza e falta de confiança nos mercados. "As perspectivas para a economia da União Européia se transformaram excepcionalmente em incertas nas últimas semanas", afirmou Almunia diante do IMFC (Comitê Monetário e Financeiro Internacional), principal órgão diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional). "Os eventos acontecem de forma rápida e imprevisível. A confiança entre os participantes dos mercados financeiros foi derrubada, o que desacelerou" de forma significativa "o fluxo do crédito", explicou Almunia.

PMDB foi o grande vencedor da eleição do último dia 5

Se há um partido com razão para festejar o resultado das eleições municipais, este é o PMDB. O partido saiu das urnas como o mais votado do País, montado em um patrimônio de 18,4 milhões de votos, 30% superior ao que obteve em 2004. Os peemedebistas conquistaram 1.195 cidades, o que equivale a 20% dos municípios brasileiros. O poder de fogo do partido ainda se concentra nas cidades com menos de 200 000 eleitores, onde colheu quase 70% de seus votos, mas avançou em centros urbanos de maior porte.

Brizola será declarado anistiado político nesta segunda-feira

O falecido ex-governador Leonel Brizola, duas vezes candidato a presidente da República, será declarado nesta segunda-feira oficialmente anistiado político em sessão da Comissão de Anistia. O pedido foi protocolado, em Brasília, por Marília Guilhermina Martins Pinheiro, companheira de Brizola, que viveu com ele uma união estável de 11 anos. Guilhermina quer ainda que os 15 anos que Brizola viveu no exílio sejam contados como tempo de serviço para efeitos previdenciários. Guilhermina recebe, pelo menos, duas pensões como companheira de Brizola. Uma delas, da Câmara dos Deputados, é equivalente a 70% do valor a que teria direito de fato. Com a provável aprovação da contagem de tempo, ela poderá reivindicar o valor integral. O período no exílio contará como se Brizola tivesse trabalhado regularmente. Ela provou no processo da comissão ser dependente do falecido governador, anexando cópia do Diário Oficial na qual aparece como sua pensionista. Em 2004, Guilhermina passou a receber pensão de R$ 6.300,00 do governo do Estado do Rio. O presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, afirmou que a comissão vai aprovar a anistia post-mortem de Brizola. É absolutamente lastimável o que fazem com a memória e a vida da pessoa depois de morta. Brizola não precisava desta declaração de anistia. Ele já tinha sido anistiado em 1979. Sua anistia total se completou no dia 7 de setembro de 1979, na Granja de João Vicente, em São Borja, dia em que chegou do exílio, em uma avioneta que veio do Paraguai. Esta anistia programada pelo governo do PT e, infelizmente, por sua última companheira, é um acinte. Por acaso essa senhora já não viveria bem com R$ 6.300,00 por mês? Ainda precisava submeter a memória de Brizola a este vexame?

Colômbia desmantela grande laboratório de cocaína das Farc

Autoridades colombianas descobriram um laboratório com capacidade para produzir 10 toneladas de cocaína por mês, que terroristas e traficantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) tinham montado no departamento (Estado) de Cauca. Segundo o exército e a marinha do país, que realizaram a operação de forma conjunta, o laboratório era conectado a 12 acampamentos dos rebeldes e ocupava junto a essas bases uma área de 12 hectares. As duas forças disseram, em comunicado, que as instalações estavam no sul de Cauca, em uma zona de selva atravessada pelo Rio Saija. As tropas acharam nos depósitos do laboratório 5 mil galões (18,75 mil litros) de produtos químicos líquidos e 1,5 mil quilos de substâncias sólidas.

Guido Mantega afirma: “Nossa geração nunca viu crise tão profunda”

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, comentou no sábado, em discurso no Comitê Monetário e Financeiro Internacional, do FMI, "a situação crítica" a que foi levada a economia mundial. "A nossa geração nunca viu uma crise tão profunda. Especulação intensa nos mercados financeiros, falta de uma regulação e supervisão adequadas e mecanismos deficientes de resolução de crises em países importantes levaram ao que parece ser a pior débâcle financeira desde a Segunda Guerra Mundial", disse Guido Mantega. Ele citou Franklin Delano Roosevelt, 32º presidente dos Estados Unidos: "Estamos todos sofrendo as conseqüências do individualismo selvagem”. O ministro apontou que os Estados Unidos e a Europa estão no centro da tempestade financeira e lembrou que o FMI costumava tomar os sistemas financeiros dos países avançados como base para formular as chamadas ''best practices'' para gerenciamento financeiro. Por isso, ponderou, "uma vez estancada a hemorragia e ultrapassada a fase mais aguda da crise, caberá corrigir os erros do passado". "Espero que a crença infundada de que os mercados podem ser basicamente deixados a si mesmos seja enterrada por um longo período", afirmou. Em seguida, o ministro Mantega recorreu ao economista John Kenneth Galbraith: "Para todos os efeitos práticos, deve-se presumir que a memória financeira dure, no máximo, 20 anos”.

Rússia pede Brasil e emergentes em cúpula do G8 sobre crise financeira mundial

O ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, conclamou no sábado as nações do G8 a realizar com urgência um encontro de cúpula para lidar com a crise financeira e pediu a participação de países emergentes como o Brasil. "Nós concordamos com a necessidade de um fórum de alto nível que iria além do clássico Grupo dos Oito, e acreditamos que o fórum deva ser preparado, mas não protelado", disse ele. O G8 é composto por Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha, Itália, França, Alemanha, Japão e Rússia. Lavrov disse que China, Brasil, Índia, África do Sul e México também deveriam comparecer.

Mantega discute capitalização de bancos sadios com Paulson

A capitalização de bancos sadios (e não a de bancos quebrados) foi o principal tema discutido nos 40 minutos de conversa que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, teve na manhã de sábado esta manhã com o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson. O ministro Guido Mantega observou que as medidas já implementadas não são suficientes e defendeu a recapitalização de bancos sadios em meio à crise, para evitar que as instituições financeiras sejam colocadas todas "no mesmo saco". "Na conversa que tive com o secretário do Tesouro Paulson, eu mencionei a importância de capitalização dos bancos. Não dos bancos quebrados, mas principalmente dos bancos sadios", disse ele. O encontro com Paulson ocorreu na sede do Tesouro.

Fogaça lidera pesquisa Ibope do segundo turno em Porto Alegre

O prefeito de Porto Alegre e candidato à reeleição, José Fogaça (PMDB), saiu na frente na disputa pelo segundo turno das eleições municipais na capital gaúcha. Fogaça aparece com 51% das intenções de voto, enquanto sua adversária, a esganiçada deputada federal Maria do Rosário (PT) tem 40% na pesquisa divulgada pelo Ibope no sábado. Fogaça venceu o primeiro turno das eleições com 43,8%, enquanto Maria do Rosário fez 22%. Entre os entrevistados, 63% disseram acreditar que Fogaça será o próximo prefeito, enquanto 31% apostam na vitória de Maria do Rosário.

Ex-preso por ligação com terrorismo será premiê no Peru

O presidente do Peru, Alan García, indicou um ex-detento, fundador de um movimento suspeito de ter ligações com um grupo extremista, para ser o seu novo primeiro ministro. Yehude Simon, governador da região de Lambayeque (norte do país) cumpriu prisão por oito anos e meio sob a acusação de apologia ao terrorismo durante o governo do presidente Alberto Fujimori (1990-2000). Em 2002, Simon foi eleito governador de Lambayeque, derrotando o partido do atual presidente, Alan Garcia, e foi reeleito em 2006. Yehude Simon foi fundador do Movimento Patria Libre, suspeito de ter vínculos com o Movimento Revolucionário Túpac Amaru (MRTA), grupo terrorista fundado em 1984. Apesar de um crescimento econômico de mais de 7% por ano durante a última década, um dos maiores da América Latina, os setores mais pobres da população peruana, concentrados na região andina, ainda não sentem os efeitos dos índices positivos. O setor mineiro é um dos principais responsáveis do PIB peruano e responde por mais de 50% das exportações. Os trabalhadores das minas e os habitantes destas regiões pedem a participação nos benefícios e lucros do setor.

Opep diz que crise pode levar à superoferta de petróleo

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) disse no final de semana que existe o risco de "uma oferta excessiva" de petróleo na primeira metade de 2009, com o que parece sugerir um possível corte de sua produção. O cartel se reunirá em 18 de novembro em caráter extraordinário para avaliar o nível de bombeamento, mas Mohammad Alipour-Jeddi, chefe de seu departamento de análise, antecipou que a organização acredita que a demanda de petróleo cairá devido à instabilidade econômica. "Com a produção atual bastante acima da demanda prevista para o petróleo da Opep, há risco de uma provisão excessiva do mercado na primeira metade de 2009", disse Alipour-Jeddi. De acordo com ele, o bombeamento no Brasil aumentará, enquanto cairá no México e no Mar do Norte.

GM e Chrysler discutem fusão

As montadoras de automóveis norte-americanas General Motors e Chrysler conversam sobre uma possível fusão, conforme a imprensa dos Estados Unidos. As negociações já estariam levando um mês, mas os detalhes do acordo variam desde uma fusão até uma aquisição da Chrysler pela GM. A montadora GM é a maior dos Estados Unidos e a Chrysler a terceira, ficando atrás da Ford. Todas têm sofrido com a brusca queda nas vendas, que já são consideradas as mais baixas dos últimos 15 anos. Fontes do Wall Street Journal dizem que a Cerberus Capital Management, que detém 80,1% da Chrysler, propôs ceder suas operações automotivas à GM em troca da parte que a GM detém da GMAC Financial Services.