segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Mercedes Rodrigues entrega carta de demissão e sai do governo Yeda Crusius

A secretária de Transparência do governo do Rio Grande do Sul, Mercedes Rodrigues (PSDB), entrou sua carta de demissão na tarde desta segunda-feira. Ela queria entregar a carta para a governadora Yeda Crusius (PSDB), que não a recebeu. Então procurou o chefe da Casa Civil, José Alberto Wenzel (PSDB), para fazer a entrega da carta. E depois disso convocou uma coletiva de imprensa para dar suas explicações. Em resumo: ela deixou claro que se retirou do governo gaúcho porque se sentiu desprestigiada, já que foi colocada em uma secretaria que não existe, e que precisaria ser criada por lei pela Assembléia Legislativa. Isto era exatamente o que ela desejava. Ora, a corporativa Mercedes Rodrigues, que pensa com a cabeça de corporação, como procuradora de Estado aposentada, queria criar mais cargos, mais empregos, mais gratificações, mais atribuições. E isso a governadora Yeda Crusius barrou, no que fez muito bem. A secretaria de Transparência não precisa de uma máquina especial e específica, cheia de atribuições legais, para fazer o trabalho para o qual havia sido idealizada. Qualquer jornalista, sem nenhum preparo específico, pode fazer os levantamentos necessários para gerar os relatórios na Secretaria de Transparência. Ninguém precisa de cargo de procurador para a Secretaria de Transparência. Sem dúvida, Mercedes Rodrigues era uma pessoa além do necessário na administração do Estado. Ela fez um grande bem para a sociedade gaúcha pedindo a sua demissão. Só para dar um exemplo: o editor de Videversus, jornalista Vitor Vieira, levou sete meses estudando processos que cabiam em uma Kombi, sobre os contratos de lixo da prefeitura de Porto Alegre, referentes aos anos de 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000 e 2001. Então, em novembro de 2001, apresentou uma denúncia ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, requerendo a instalação de uma auditoria extraordinária nas contas desses anos todos no DMLU (Departamento Municipal de Limpeza Pública). Os auditores do Tribunal de Contas se insubordinaram e recusaram fazer a auditoria, aceitando examinar apenas as contas dos anos de 2000 e 2001. O editor de Videversus havia apontado um desvio de mais de 50 milhões de reais nesses anos pelas administrações petistas na prefeitura de Porto Alegre. Mesmo contrariados, examinando de maneira superficial apenas as contas de 2000 e 2001, os supérfluos auditores do Tribunal de Contas apuraram um desvio de recursos públicos superior a 1 milhão de reais. E por essa razão está condenado o petista Darci Barnech Campani, ex-todo poderoso faraó petista no DMLU, onde imperou durante 13 dos 16 anos do reinado petista na prefeitura de Porto Alegre. Como se vê, querendo investigar e levantar recursos públicos, qualquer um pode fazer isso. O problema é vontade, não é criar cargos para depois trabalhar.

Governo Lula anuncia mais R$ 2,5 bilhões para safra e sinaliza até R$ 4 bilhões para construção

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, informaram nesta segunda-feira a liberação de mais recursos para o financiamento da safra 2008/2009, ajuda para o setor de construção civil e possibilidade dos bancos oficiais federais agirem mais agressivamente na concessão de crédito. Na área rural, para a qual o governo Lula já direcionou R$ 7,5 bilhões através de liberações do depósito compulsório, agora também aumentará a porcentagem de recursos captados pela poupança rural para o financiamento de safra. Atualmente, 65% da captação tem essa finalidade e o governo Lula pretende aumentá-la para 70%. Esta medida, segundo Guido Mantega, pode injetar mais R$ 2,5 bilhões no financiamento da safra. "Não há motivo para redução da safra 2008/2009, exceto por fatores fora do controle, como questões climáticas ou falta de crédito que não conseguimos detectar", afirmou ele. Na verdade, o governo Lula está tomando apressadamente a velha medida para reforçar a âncora na produção primária. Para a área de construção, Guido Mantega sinalizou medidas para injetar de R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões para capital de giro. "Esse financiamento será via BNDES, que já apresentou uma proposta, ou da Caixa Econômica Federal através de participação acionária das construtores", afirmou Mantega. Durante esta segunda-feira, a equipe econômica do governo realizou reuniões com os principais bancos oficiais, nas quais revisaram suas ações diante da crise, como por exemplo a compra de carteiras de financiamento de bancos médios e pequenos. Segundo Meirelles, agora eles devem partir para o aumento da concessão de crédito.

Dólar fecha a R$ 2,12 e Bovespa vê valorização de 6,50%

O mercado de câmbio nacional negociou o dólar comercial a R$ 2,125, em alta de 0,23%, nas últimas operações registradas nesta segunda-feira. A taxa se manteve em baixa durante boa parte do dia, mas teve um repique perto do encerramento dos negócios. Também a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) operou com forte alta de 6,50% (pelo índice Ibovespa), influenciada pela Bolsa de Nova York, que teve uma valorização de 2,51%. O Banco Central realizou um leilão de "swap" cambial, o equivalente a uma operação de venda de moeda, mas no mercado futuro, às 12h45, e um leilão de venda de moeda, com queima de reservas, às 15h43. No primeiro leilão, os bancos aceitaram todos os contratos (16 mil, com vencimento em janeiro de 2009) oferecidos pela autoridade monetária. Segundo operadores do mercado de câmbio, a melhora de humor no mercado mundial, com Bolsas de Valores registrando forte altas, ajudou a tirar pressão sobre os preços do dólar. Entre outras boas notícias que elevaram o ânimo dos investidores, o governo brasileiro informou que a balança comercial teve superávit de US$ 334 milhões na terceira semana de outubro. No acumulado deste mês, o saldo comercial está positivo em US$ 874 milhões.

Analistas prevêem desaceleração econômica na América Latina em 2009

O impacto da crise financeira internacional causará uma desaceleração na América Latina em 2009, conforme previsão de analistas internacionais convocados em Madri pela Secretaria-Geral ibero-americana. Dias antes da cúpula que reunirá chefes de Estado e de governo ibero-americanos em El Salvador, o secretário-geral da Comunidade Ibero-americana, Enrique Iglesias, convocou uma "mesa de diálogo" para avaliar os possíveis efeitos da crise financeira internacional na região. Participaram do debate o ex-ministro da Economia espanhol Carlos Solchaga, o ex-presidente do Governo espanhol Felipe González e o ex-diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional) Michel Camdessus, entre outros observadores. "O próximo ano será um ano de desaceleração crescente, mas não necessariamente de risco crucial nos equilíbrios fundamentais da região", disse Solchaga.

Moody's rebaixa "nota de risco" da Aracruz para grau especulativo

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou o "rating" (nota de risco de crédito) da Aracruz Celulose de "Baa3" para "Ba2", o que tira a empresa da categoria "grau de investimento" para "grau especulativo". Os países e empresas que possuem "ratings" enquadrados na categoria "grau de investimento" são considerados como melhores pagadores, e, portanto, de menor risco para investir, do que países e empresas com "ratings" dentro da classificação "grau especulativo". Um “rating” pior significa um custo maior na obtenção de financiamentos. Ou seja, foram absolutamente prejudiciais as operações financeiras realizadas pela Aracruz supostamente com o objetivo de se proteger do câmbio. A Moody's também advertiu que o "rating" da Aracruz ainda pode sofrer um novo rebaixamento ("downgrade"). A agência afirma que abriu um processo de revisão dos "ratings" da empresa brasileira no início de outubro, depois que a Aracruz admitiu que pode apresentar prejuízos significativos com suas operações de câmbio. No último dia 15, a "nota" da Aracruz já havia sofrido um primeiro rebaixamento: de "Baa2" para "Baa3", mas ainda tinha permanecido enquadrada como "grau de investimento". Agora sofreu rebaixamento mesmo, para investimento não seguro.

Em São Bernardo, tucano Morando diz que Lula se tornou "mero cabo eleitoral" de petista

O candidato do PSDB à prefeitura de São Bernardo do Campo (Grande São Paulo), Orlando Morando, rebateu nesta segunda-feira as críticas feitas no domingo pelo presidente Lula durante ato de campanha do candidato do PT, Luiz Marinho. Segundo Morando, Lula tornou-se "mero cabo eleitoral de Marinho", demonstrando mais empenho em atacar o adversário do petista do que comprometimento com a cidade, cuja atitude denominou como "baixaria". "Lula deixou a condição de presidente para virar mero cabo eleitoral em São Bernardo do Campo. Espera-se mais do presidente da República quando vem a uma cidade. Menos discurso, menos ataques e mais compromisso", afirmou Morando, durante caminhada pelo bairro Jerusalém. Em ato de campanha do sindicalista Luiz Marinho no domingo, Lula comparou o adversário tucano a um "ex-marido" e disse estar "muito confiante" com a vitória do ex-ministro no segundo turno. "Até ontem, Morando lambia o sapato do doutor Maurício Soares (ex-prefeito de São Bernardo) e hoje o Maurício virou um demônio. É como um ex-marido. Eles ficaram o tempo todo bajulando o doutor Maurício e o doutor Maurício disse, convicto, que iria apoiar o Marinho. E aí eles demonizaram o Maurício", disse Lula. Com material de campanha quase todo composto de fotos suas com o governador José Serra (PSDB), Morando comparou as diferenças na forma de demonstrar apoio do governador e do presidente na campanha municipal. "O Lula, como sempre, é um sabonete, diferente do governador José Serra que veio aqui e assumiu compromisso nas áreas de saúde, habitação e segurança pública. Eu esperaria mais de um presidente da República, não essa baixaria que ele vem fazendo durante o processo eleitoral", afirmou.

Fed pede a instituições financeiras que participem de medidas contra crise

O Federal Reserve (Banco Central norte-americano) pediu nesta segunda-feira às instituições financeiras dos Estados Unidos que participem dos programas do governo federal para reforçar o sistema financeiro do país e restaurar a circulação normal de crédito. O apelo é feito quase uma semana após o presidente norte-americano, George W. Bush, ter anunciado o uso de US$ 250 bilhões para comprar ações de bancos. "As agências reguladoras encorajam todas as instituições a utilizarem o Programa de Compra de Capital, do Departamento do Tesouro, e o Programa Temporário de Garantia de Liquidez, da FDIC (órgão garantidor dos depósitos bancários nos EUA)", diz o comunicado do Fed.

Justiça determina prisão preventiva do publicitário Marcos Valério em São Paulo

A Justiça Federal em São Paulo decretou a prisão preventiva do publicitário Marcos Valério, investigado durante a Operação Avalanche, da Polícia Federal. A decisão foi tomada pela juíza Paula Montovani Avelino, da 1ª Vara Federal Criminal de São Paulo, na última sexta-feira. Além de Marcos Valério, também Rogério Lanza Tolentino, outro investigado no caso, teve a prisão preventiva decretada. Ambos já cumpriam prisão temporária desde o dia 10, quando foi desencadeada a operação para investigar inicialmente a apropriação indevida de dinheiro apreendido durante fechamento de bingos. A prisão temporária foi prorrogada por cinco dias, mas expirou nesta segunda-feira. Na decisão, a juíza alega que os investigados sabiam, um dia antes da operação ser deflagrada, que seriam presos. Segundo a Polícia Federal, dois automóveis saíram de madrugada da casa de Marcos Valério, "provavelmente levando evidências que lá se encontravam e que lhes eram desfavoráveis". A Operação Avalanche cumpriu 17 mandados de prisão (oito preventivas e nove temporárias) e 33 mandados de busca e apreensão nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. Segundo a Polícia Federal, o grupo foi dividido em três núcleos distintos, mas interligados: o primeiro grupo, através de contatos em órgãos públicos (Polícia Civil e Federal, Receita Federal e Estadual), é suspeito de obter informações privilegiadas sobre determinados empresários que apresentavam problemas junto ao fisco e, com base nesses dados, praticariam extorsão, exigindo valores em troca de possível solução. O segundo grupo atuaria em fraudes fiscais visando praticar importações ilegais por meio de empresas de fachada, contando com a ação de despachantes aduaneiros junto ao Porto de Santos. O terceiro grupo, de acordo com a Polícia Federal, foi identificado no momento em que uma empresa que havia sido autuada pela Receita Estadual em mais de R$ 100 milhões utilizado-se, como tática de defesa, da desmoralização dos fiscais responsáveis pela autuação através da instauração de inquérito policial com base em fatos inverídicos.

Espanha rompe o "pacto de silêncio" 70 anos depois da Guerra Civil

A Espanha precisou de mais de 30 anos de democracia para romper o "pacto de silêncio" estabelecido depois da morte de Franco. O juiz espanhol Baltasar Garzón anunciou sua competência para iniciar uma investigação sobre os "desaparecidos" da Guerra Civil espanhola e do franquismo, assim como pediu a abertura de várias valas comuns, entre elas a que contém os restos do poeta Federico García Lorca. Garzón se declarou competente para investigar os desaparecimentos durante o franquismo abrindo formalmente uma instrução sobre as milhares de vítimas da Guerra Civil esquecidas nas valas comuns. Esta decisão responde às demandas apresentadas por várias associações de famílias de vítimas republicanas para que a justiça investigue o desaparecimento de seus parentes durante a Guerra Civil (1936-39) e a ditadura franquista (1939-75), localizando os corpos e esclarecendo as circunstâncias de sua morte. As denúncias também assinalam a "existência de um plano sistemático e pré-concebido de eliminação dos oponentes políticos a partir de assassinatos, torturas, exílio e desaparecimentos forçados de pessoas a partir de 1936, durante os anos da Guerra Civil e os seguintes do pós-guerra", segundo afirma o auto de Garzón, de 68 páginas. Ao fazer isso, o juiz decidiu, indo contra a opinião da promotoria, passar por cima da lei de anistia de crimes políticos aprovada em 1977, dois anos depois da morte de Franco “para fechar feridas”. Foi preciso esperar até o início dos anos 2000 para que algunas associações de famílias das vítimas colocassem em primeiro plano um debate que a Espanha moderna, próspera democracia integrada na Uniao Européia, acreditava ter definitivamente acertado durante a transição para a democracia. A Associação para a Recuperação da Memória Histórica foi a primeira a levantar a questão e há oito anos exuma valas e identifica os desaparecidos dessa época e, sem ajuda estatal, realizou a maior parte das 4.000 exumações praticadas em mais de 170 valas. Sob a pressão dessas associações, o governo do socialista José Luis Rodríguez Zapatero, neto de um combatente republicano fuzilado, elaborou uma controvertida lei da Memória Histórica, que finalmente foi aprovada em 2007, e tem por objetivo reabilitar moralmente as vítimas republicanas e localizar e exumar desaparecidos. O decano da política espanhola, o senador Manuel Fraga, fundador do Partido Popular (PP, direita) e ex-ministro de Franco, classificou de "gravíssimo erro" e "disparate" a decisão de Garzón, alegando a anistia de 1977. Frente a isso, os cineastas espanhóis continuam retomando uma vez ou outra os dramas da Guerra Civil e do período franquista. Dois filmes de sucesso nacional estrearam este ano: "13 rosas", a história real de 13 meninas fuziladas pelos franquistas, e "Os girassóis cegos", que representará a Espanha na pré-seleção do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, sobre o drama de um casal de esquerdistas nos anos 40. Até o diretor Pedro Almodóvar anunciou que seu próximo filme se baseará nas memórias do poeta comunista Marcos Ana, que passou 23 anos na prisão sob a ditadura franquista.

José Fogaça aumenta a vantagem sobre a petista Maria do Rosário

O instituto Methodus, em parceria com o jornal Correio do Povo, divulgou no sábado a sua segunda pesquisa referente à intenção de voto dos porto-alegrenses para o segundo turno das eleições municipais na Capital. Nessa pesquisa o prefeito candidato à reeleição, José Fogaça (PMDB), ampliou sua vantagem em relação à deputada federal petista Maria do Rosário (PT). Com 54,5% da preferência dos eleitores, Fogaça está 17,5 pontos percentuais à frente da esganiçada Maria do Rosário, que ficou com 37%. Na pesquisa anterior, realizada na semana anterior, a vantagem do prefeito José Fogaça era de 12,5 pontos, o que significa que ele teve um crescimento em uma semana de cinco pontos percentuais sobre a petista.

Requerimento vai pedir demissões de nepotistas no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul

Apesar do silêncio que mantém sobre o assunto, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul enfrentará, a partir de hoje, uma nova situação diante das acusações de nepotismo que lhe são atribuídas. A servidora Simone Janson Nejar vai protocolar antes do meio dia um requerimento nos seguintes termos: “Excelentíssimo Senhor Desembargador - Dr. Armínio José Abreu Lima da Rosa - DD Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul - Referência: requerimento administrativo - Simone Janson Nejar, brasileira, Oficiala Superior Judiciária matrícula 14064430, vem, respeitosamente, com fulcro na Súmula 13 do Supremo Tribunal Federal, requerer a imediata exoneração dos servidores abaixo relacionados: 1 – Cristiane Moura Sleimon; 2 - Viviane Moura Sleimon; 3 – Vívian Pacheco dos Santos; 4 - Luciana Pacheco dos Santos; 5 – Aline Mileski; 6 - Hélio Saul Mileski Júnior; 7 – Denise Nunes Meneghetti; 8 - Marco Antônio Reinbrecht Meneghetti; 9 – Ana Lia Vinhas Hervé; 10 - Rodrigo Vinhas Hervé; 11 – Maria Augusta Santos dos Santos; 12 – Mariana Vernieri Machado; 13 – Cynthia Fischer; 14 – Roger Fischer; 15 – Tatiana Schmidtt de Arruda; 16 – Maria Lúcia Maraschin Santos; 17 – Gervásio Barcellos Júnior; 19 – Mônica Barcellos Fillipini; 20 – Fernando de Jesus Rovani; 21 – Maria Teresa Nedel Duarte; 22 – José Carlos Kasper (marido da concursada e chefe Maria Tereza Andrade Nunes); 23 – Rogério Missel Vasques; 24 – esposa de Rogério Missel Vasques , assessora de desembargador; 25 – Astrid Dorinha Peiter Brito; 26 – Ivan Carlos Campos Ribeiro; 27 – Adriana Barcelos da Silva (esposa de Ivan); 28 – Marilete Inês Simonis; 29 – Inácio Simonis; 30 – Ilza Terra Burlani. Referidos servidores são comissionados e detêm relação de parentesco, entre si e com magistrados e promotores, em afronta ao disposto na Súmula 13 do Supremo Tribunal Federal. Sendo o que tinha para o momento, envia respeitosas saudações”. Aline Mileski e Hélio Saul Mileski Junior são filhos de Helio Mileski, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, que emprega, por sua vez, conselheiros de desembargador em seu gabinete. É o famigerado nepotismo cruzado que infesta o Poder Público.

Lula diz que Serra cometeu heresia ao associar greve de policiais civis ao PT

O presidente Lula afirmou no sábado que o governador José Serra (PSDB) cometeu uma "heresia" ao associar o PT à greve dos policiais civis de São Paulo. O presidente disse esperar que Serra peça desculpas pelas declarações. Na última quinta-feira, uma manifestação de policiais civis, comandados pela CUT (braço sindical do PT) e pela Força Sindical, comandada pelo deputado federal Paulinho da Força, um exemplo de probidade, que está sendo investigado pela Polícia Federal, terminou em violência, provocada por esses policiais civis insubordinados (usando armas, equipamentos e veículos públicos). A polícia militar impediu os manifestantes de se aproximarem do palácio, e precisou usar bombas de efeito moral depois que um coronel foi agredido por policiais civis.

Siderúrgicas param pelo menos 20% dos fornos em Minas Gerais

Pelo menos 20% dos altos-fornos de siderúrgicas de ferro-gusa de Minas Gerais já foram desligados em conseqüência da crise mundial. Siderúrgicas instaladas no Pará também estão parando as atividades e dando férias coletivas aos funcionários por falta de encomendas dos Estados Unidos. O ferro-gusa é matéria-prima na produção do aço. O Estado de Minas Gerais responde por mais de 60% da produção nacional. O Brasil é o principal exportador de ferro-gusa do mundo e tem os Estados Unidos como o principal mercado. O país consome cerca de 70% das exportações brasileiras. Há reflexos da crise também no mercado asiático. Segundo Paulino Cícero, presidente do Sindicato das Indústrias de Ferro de Minas Gerais, metade da produção mineira de ferro-gusa é exportada. A crise no setor começou com a queda dos preços do produto em 21,7%. Em julho, a tonelada do ferro-gusa estava cotada a US$ 830,00 e hoje não passa de US$ 650,00. "Muitas empresas mantêm os fornos abafados, aguardando eventualmente a recuperação do mercado comprador", disse Cícero. Segundo avaliação feita pelo sindicato, 20 altos-fornos foram desligados desde o início de setembro em Minas Gerais. As 11 siderúrgicas instaladas no distrito industrial de Marabá, no Pará, também acusaram o efeito da crise. A Usimar e a Sidenorte estão em processo de paralisação de seus altos-fornos, enquanto as demais reduziram a produção.

José Fogaça lidera o segundo turno com 13 pontos à frente de Maria do Rosário em Porto Alegre

O prefeito de Porto Alegre e candidato à reeleição, José Fogaça (PMDB), lidera a disputa com 50% das intenções de voto, contra 37% da deputada federal Maria do Rosário (PT), segundo pesquisa Datafolha divulgada no sábado. Considerados apenas os votos válidos (sem contar os brancos, nulos e indecisos), o peemedebista tem 57%, e a esganiçada candidata petista, 43%. O cenário da vantagem se mantém há mais de 15 dias.

Varig, Gol e Azul podem se tornar uma só companhia aérea

Estão acontecendo negociações entre a Azul e a Gol, com a expressa concordância do governo Lula. Há três possibilidades sendo examinadas: a venda isolada da marca Varig, a transferência não apenas da marca, como também do espólio da antiga companhia, e, por fim, a negociação integral da Varig e da própria Gol. A operação não esbarra nas restrições à venda de companhias aéreas para investidores estrangeiros. David Neeleman, dono da Azul, é brasileiro. Além disso, a aproximação entre as duas empresas e a Embraer encanta o governo Lula. A associação entre a Azul e a Gol/Varig abriria espaço para novas encomendas à indústria de São José dos Campos. A hipótese de venda da Gol contaria também com o apoio do BNDES. Para David Neeleman, a compra da Gol resolveria um dos maiores problemas para o início das operações da Azul: a carência de slots, notadamente em Congonhas, o grande hub da aviação doméstica. Seria também uma tentativa de resgate do modelo de “low cost” no Brasil. Para a família Constantino, a venda da Gol seria uma forma de solucionar os problemas financeiros do próprio grupo.

Holanda injeta 10 bilhões de euros em grupo bancário ING

O grupo bancário holandês ING receberá uma injeção de capital estatal de 10 bilhões de euros (R$ 28,4 bilhões), anunciaram neste domingo em entrevista coletiva conjunta o Banco Central da Holanda (DNB), o Ministério das Finanças holandês e o ING. O ING é o primeiro banco que vai usar parte dos 20 bilhões de euros (R$ 56,8 bihlões) que o governo holandês, como muitos outros no mundo todo, colocou à disposição das entidades financeiras para enfrentar à situação. Anteriormente, o governo comprou as atividades holandesas do grupo bancário Fortis no valor de 16,8 bilhões de euros (R$ 47,7 bilhões), em uma operação de resgate deste banco em conjunto com a Bélgica e Luxemburgo. O ING é um grupo global de serviços financeiros, o 13º no ranking mundial e o maior na internet.

Congresso boliviano inicia sessão para votar referendo sem acordo

O Congresso Nacional da Bolívia reiniciou na noite deste domingo, com nove horas e meia de atraso, a sessão sobre o referendo constitucional, sem que governistas e opositores tenham conseguido chegar a um acordo para aprovar a convocação da consulta popular. O presidente da Bolívia, Evo Morales, não chegou a um pacto com os partidos da oposição por causa de suas objeções à reeleição presidencial, da forma como proposta pela nova Constituição elaborada pelo governo. Os oposicionistas também rejeitaram a antecipação de eleições gerais proposta por Morales. A oposição insistiu em sua vontade de chegar a acordos, mas reiterou sua rejeição ao assunto da reeleição presidencial por um mandato porque entende que o objetivo de Morales é perpetuar-se no poder. A aliança Poder Democrático e Social (Podemos) anunciou que votará contra o projeto de lei para convocar o referendo. O partido de Evo Morales não conta com a maioria suficiente no Congresso para aprovar a convocação constitucional, que requer o apoio de dois terços dos votos

Chegou o segundo avião da Azul

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras recebeu na última quinta-feira mais um avião Embraer 190. É o segundo equipamento arrendado junto à JetBlue que chega para acelerar a fase inicial de operações da companhia que deverá começar a voar na metade de dezembro. O primeiro veio no final de agosto. Procedente dos Estados Unidos, com escala em Boa Vista (RR), a aeronave de matrícula N290JB seguiu para Porto Alegre (RS) onde receberá a identidade corporativa da companhia. Depois, irá para as instalações da Embraer em Gavião Peixoto, interior de São Paulo, onde passará por modificações que permitirão sua certificação junto à ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), recebendo então a matrícula PR-AZA. O primeiro avião está sendo utilizado para atividades de treinamento e aperfeiçoamento de pilotos e comissários de bordo. A entrega da primeira aeronave que a Azul comprou da Embraer deverá acontecer no próximo mês e a expectativa é receber mais uma por mês ao longo de três anos, chegando a 42 aeronaves no final de 2012.

Bônus de R$ 40 mil da prefeitura de Porto Alegre permite a compra de imóveis em outros municípios

Mais dez bônus-moradia, uma das alternativas de reassentamento instituídas pelo Programa Integrado Socioambiental (Pisa) da prefeitura de Porto Alegre, foram entregues na última sexta-feira, para moradores da Vila Foz, uma favela localizada no bairro Cristal, em Porto Alegre. Com mais essa entrega, o Pisa liberou um total de 40 bônus, cada um no valor de R$ 40 mil. As famílias da Vila Foz que optaram pelo bônus têm livre escolha para comprar o imóvel no local onde desejarem, mesmo fora de Porto Alegre. É o caso da doméstica Sandra Mara Ribeiro, que optou em voltar para a cidade de origem, Faxinalzinho: "Lá, os imóveis são bem mais baratos do que aqui. Comprei uma casa num terreno enorme", disse ela. Já a dona de casa Lisiane Felício da Silva comprou uma residência em Roca Sales, pois conseguiu colocação naquela cidade. "Estou indo tranqüila, pois já tenho emprego garantido", disse ela. A entrega ocorreu no Escritório de Gestão Participativa do Pisa, na Avenida Campos Velho 711. Também estavam presentes os vendedores dos imóveis que receberam o pagamento no local. O Pisa prevê o reassentamento de 1.680 famílias que vivem em condições precárias às margens do Arroio Cavalhada, no bairro Cristal. O programa teve seu financiamento internacional junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 83,2 milhões (R$ 135 milhões), aprovado pelo Senado Federal. O custo total do programa é de R$ 416 milhões, incluindo recursos da Caixa Econômica Federal e contrapartidas da prefeitura. Quando concluído, em 2012, vai elevar a capacidade de tratamento de esgotos dos atuais 27% para quase 80% e contribuir para devolver a balneabilidade ao Guaíba. Esse programa estava completamente esfarelado pela administração petista da cidade, que foi incapaz de mudar o cenário do tratamento de esgotos sanitários na capital gaúcha apesar dos 16 anos em que durou a sua dinastia.

Datafolha mostra vantagem consolidada de Kassab sobre a ricaça petista Marta Suplicy

Pesquisa Datafolha, divulgada na última sexta-feira, mostra o prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, 16 pontos à frente da adversária, a ricaça petista Marta Suplicy (PT) na disputa pela prefeitura de São Paulo. De acordo com a pesquisa, Kassab tem 53% das intenções de voto contra 37% de Marta. Na comparação com a pesquisa anterior, Kassab oscilou um ponto para baixo - ele tinha 54%. A ricaça petista Marta se manteve estável com o mesmo percentual de intenção de voto verificado na pesquisa realizada nos dias 7 e 8 deste mês. Considerando apenas os votos válidos (excluindo votos nulos, em branco e os eleitores indecisos), Kassab tem 59% contra 41% da ricaça petista Marta Suplicy.

Procuradoria viu preconceito em propaganda da ricaça petista Marta Suplicy

O Ministério Público Federal emitiu parecer na sexta-feira em que qualifica como "preconceituosos e intolerantes" os questionamentos feitos pela propaganda eleitoral da petista ricaça Marta Suplicy (PT) que abordam a vida privada do prefeito Gilberto Kassab (DEM), que tenta a reeleição. De acordo com o parecer do procurador eleitoral Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, o teor questionável da peça de campanha da ricaça petista Marta Suplicy foi "rechaçado" pela população da cidade. "O teor da propaganda questionada dificilmente passaria num teste de moralidade ou elegância. Para além de sua leitura denotativa, os destinatários da mensagem – os cidadãos da cidade de São Paulo - souberam lê-la naquilo que ela realmente significa, o questionamento preconceituoso e intolerante de opções privadas, de todo desinteressantes para a única e verdadeira questão que interessa à 'polis', a saber, se o candidato poderá ser um bom administrador", diz o parecer.

Vice-presidente José Alencar diz que Brasil será ainda mais sacrificado pela crise

O vice-presidente José Alencar disse, na sexta-feira, que o desenvolvimento econômico do País será ainda mais sacrificado com o desenrolar da crise financeira internacional. Para ele, o Brasil tem "condições excepcionais" de atravessar a turbulência com danos menores. "O Brasil está muito bem e tem condições excepcionais de atravessar isso tudo, mas vai se sacrificar um pouco também, como já está se sacrificando, para que possa haver uma travessia com menos danos, menos problemas, e todos estamos engajados trabalhando para isso", afirmou ele. José Alencar defendeu que haja um questionamento sério a respeito do sistema financeiro internacional. De acordo com o presidente em exercício, o mundo não pode ficar "à mercê de aventuras praticadas pelo sistema bancário-financeiro". Ele voltou a criticar a taxa de juros praticada no País. "É preciso baixar os juros, eles estão errados. Essa excelência da economia brasileira é apesar dos juros, não é graças a eles não", acrescentou José Alencar.

Datafolha mostra Fernando Gabeira na frente no Rio de Janeiro

Pesquisa Datafolha divulgada na última sexta-feira Fernando Gabeira (PV) à frente do candidato do PMDB, Eduardo Paes, por uma pequena margem de vantagem, mas o suficiente para já demonstrar as dificuldades enfrentadas pelo candidato de Lula. Na disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro, Gabeira está com 44% das intenções de voto contra 42% de Paes. Considerando só os votos válidos (que exclui os votos nulos, em branco e os eleitores indecisos), Gabeira tem 51%, e Paes tem 49%.

Servidores do Senado deixam cargos para manter empregos de parentes

Servidores do Senado que ocupam cargos de chefia na Casa Legislativa pediram dispensa das funções na sexta-feira para preservarem os empregos de parentes contratados sem concurso público. A estratégia permite que os familiares dos servidores mantenham os empregos depois da decisão do Supremo Tribunal Federal de proibir o nepotismo (contratação de parentes) nos três Poderes. A Mesa Diretora do Senado determinou que, além dos parentes dos senadores, os familiares de servidores que ocupam cargos de chefia também devem ser exonerados para o cumprimento da súmula do Supremo. Por esse motivo, cinco funcionários com cargos de diretoria ou chefia de gabinetes parlamentares solicitaram a dispensa das funções. O chefe de gabinete do senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), Florian Augusto Madruga, foi um dos servidores que pediu dispensa do cargo para manter seu sobrinho no Senado, trabalhando no gabinete do presidente da Casa. A chefe de gabinete do senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA), Aldenira Maria Piedade de Faria, também pediu dispensa do cargo para preservar o emprego de parentes.

Justiça Eleitoral apreende 12 mil panfletos contra Gabeira

Fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro apreenderam na tarde de sexta-feira cerca de 12 mil panfletos contra o candidato do PV, Fernando Gabeira, na sede da Ediouro Publicações, em Bonsucesso. As denúncias recebidas pela Justiça eram de que o diretório municipal do PT encomendou a confecção de 3 milhões de panfletos. O PT, que apóia a candidatura de Eduardo Paes (PMDB), assumiu ter encomendado o material e reclama da apreensão. Além do PT, PSB, PDT e PCdoB assinam o material. O presidente do diretório municipal do PT, Sebastião Alberes de Lima Bernardo, confirmou a encomenda à Ediouro ao custo de R$ 42 mil. Segundo o dirigente, o dinheiro foi todo desembolsado pelo PT, mas outras tiragens poderiam ter contribuições dos outros partidos. O tribunal fluminense informa que nos próximos dias a editora será notificada a prestar esclarecimentos sobre o nome de quem encomendou o material, o preço que foi pago e a tiragem, que pode chegar a 3 milhões de exemplares, conforme consta dos próprios panfletos.

Nossa Caixa compra três carteiras de crédito no valor de R$ 2,3 bilhões

O Banco Nossa Caixa comprou carteiras de crédito de três instituições financeiras no valor de R$ 2,23 bilhões. Do total, R$ 540 milhões já foram pagos e R$ 1,69 bilhão serão desembolsados no decorrer dos próximos dez meses, informou o presidente da instituição, Milton Luiz de Melo Santos. Ele disse que a Nossa Caixa tem dado preferência à compra de crédito consignado, mas também estuda a aquisição de novas carteiras de financiamento de veículos e de empresas, com garantias reais. Segundo Milton Luiz, a aquisição de operações de crédito teve início em março, antes, portanto, da atual crise de liquidez (oferta de dinheiro), e faz parte da estratégia de fortalecer a carteira de crédito do banco. Já em março, afirmou ele, "fizemos acordo com o Banco BMG para a compra de crédito mensal de R$ 100 milhões oriundos de crédito consignado a servidores públicos pelo período de 12 meses". O presidente da Nossa Caixa acrescentou que "todas as oportunidades estão sendo criteriosamente avaliadas sob o ponto de vista da performance e garantias das carteiras, de modo a evitar riscos". Milton Luiz disse que a Nossa Caixa examina essas operações, com grande potencial de êxito, porque têm um diferencial importante: os recursos provenientes dos depósitos judiciais, de mais de R$ 15 bilhões, remunerados pela TR (taxa referencial) mais juros de 6% ao ano.

Quintão começa segundo turno com 10 pontos de vantagem sobre Lacerda

Pesquisa Datafolha, divulgada na sexta-feira, mostra o deputado federal Leonardo Quintão (PMDB) 10 pontos à frente do empresário Márcio Lacerda (PSB), invenção do governador Aécio Neves (PSDB), na disputa pela prefeitura de Belo Horizonte. De acordo com a pesquisa, Quintão tem 47% das intenções de voto contra 37% de Lacerda. Considerando só os votos válidos, que exclui os votos nulos, em branco e os eleitores indecisos, Quintão aparece com 56%, e Lacerda com 44%.

Votorantim anuncia prejuízo de R$ 586 milhões no terceiro trimestre

A VCP (Votorantim Celulose e Papel) informou na sexta-feira que obteve prejuízo de R$ 586 milhões no terceiro trimestre do ano, ante lucro de R$ 278 milhões no mesmo período do ano passado. O desempenho foi seriamente prejudicado pelas perdas financeiras da empresa com derivativos cambiais. Devido ao resultado, as ações preferenciais da VCP despencaram 11,99% na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) na semana passada. O resultado financeiro da empresa fechou negativo em R$ 645 milhões. O desempenho foi ruim principalmente devido às com perdas com a "correção da dívida em dólar pelo câmbio do final do trimestre" que atingiu R$ 465 milhões, segundo a empresa divulgou em comunicado.

Justiça concede novos direitos de resposta a Kassab

A disputa judicial que se tornou a campanha de Gilberto Kassab (DEM) e Marta Suplicy (PT) em São Paulo tem dado dor de cabeça às assessorias dos candidatos. Enquanto o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo julga as representações de ambas as partes, as campanhas tentam calcular quanto tempo terão (ou perderão) no horário eleitoral gratuito do adversário. Na sexta-feira, o tribunal paulista divulgou mais nove representações favoráveis ao candidato do DEM. Ao todo, Kassab já teve 12 decisões a seu favor. Todas, no entanto, referentes a apenas duas peças de campanha de Marta. Até quinta-feira última, a campanha do prefeito Gilberto Kassab contabilizava 104 inserções de 1 minuto cada na TV e 102 no rádio, tiradas da ricaça petista Marta Suplicy, por ordem judicial.

Ministro Edison Lobão diz que preço da gasolina não cairá por causa do petróleo mais barato

Embora o preço do barril de petróleo tenha despencado nas últimas semanas, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, descartou por enquanto ajustes no preço da gasolina no Brasil. Segundo ele, uma redução imediata no preço do combustível nas bombas causaria "dificuldades" para a Petrobras. "Do mesmo jeito que na alta do barril não houve aumento de preços ao consumidor, não se pensa em fazer nada agora", disse Lobão. Em relação a possíveis impactos nos investimentos do pré-sal em função da queda do barril, Lobão ressaltou que a grande produção esperada nestes campos compensaria qualquer variação do custo de produção. "O barril não precisa estar acima de US$ 120,00. Quando se explora um campo comum, se tira 20, 30 ou 40 mil barris por dia. No pré-sal vai se tirar de 150 a 200 mil barris. Isso aí compensará qualquer que seja o preço. Não haverá nenhum problema com o pré-sal", explicou o ministro.

Serra, Fernando Henrique Cardoso e Kassab criticam motivação eleitoral de confronto entre polícias de São Paulo

Ao lado do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM) e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o governador José Serra (PSDB) reafirmou na sexta-feira que o confronto da quinta-feira, entre policiais civis e militares, teve motivação política . O governador acusou o presidente da Força Sindical, o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT), de ter planejado o protesto. Na quinta-feira, uma manifestação de policiais civis, em frente ao Palácio dos Bandeirantes, terminou em violência promovida pelos policiais grevistas. A polícia militar impediu os insubordinados, todos armados, e todos usando equipamentos públicos, de se aproximarem da sede do governo. "O evento foi programado, proposto como forma de organização pelo Paulinho da Força Sindical, que é um deputado envolvido em escândalos, que tem processo de cassação em andamento e quer pôr uma cortina de fumaça ao redor disso", disse o governador José Serra. Já o prefeito Gilberto Kassab não afirmou que sindicatos estejam usando a greve para tirar proveito eleitoral, mas disse que eles colaboraram para deixar a situação mais tensa. "Acho lamentável se tiver ocorrido uso eleitoral no confronto das polícias. É público que alguns parlamentares e sindicatos, que são agentes externos da polícia, participaram deste movimento, procurando turbinar ao invés de jogar água fria", disse ele. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse acreditar que houve "influência eleitoral", mas não acredita que os acontecimentos irão influenciar a disputa pela prefeitura da capital. "Não acredito que perturba o quadro eleitoral porque a população de São Paulo é madura e sabe separar a reivindicação utópica da decisão que é de interesse deste conjunto da população da polícia", disse Fernando Henrique Cardoso.

Presidente do PSDB diz que confronto entre polícias teve objetivo de "desestruturar" José Serra

O senador e presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), afirmou na sexta-feira que o confronto entre as polícias civil e militar de São Paulo, na tarde da última quinta-feira, foi uma tentativa de desestruturar a autoridade do governador José Serra (PSDB). Sérgio Guerra acusou ainda o deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força Sindical, de ter comandado a ação juntamente com a CUT. Tanto a Força Sindical quanto a CUT apóiam a candidatura da ex-prefeita Marta Suplicy (PT) à prefeitura de São Paulo.

Lula chama de deplorável confronto entre polícias de São Paulo

O presidente Lula, na sexta-feira, chamou de "deplorável" o confronto entre as polícias civil e militar de São Paulo, ocorrido na quinta-feira passada. "É uma coisa deplorável que aconteça esse conflito. Porque são dois órgãos importantes do Estado e que, portanto, não deveriam estar em conflito", disse Lula. O presidente disse que sabia que o problema começou com a reivindicação salarial da polícia civil, que está em greve: "Eu não sei qual é o problema. Eu sei que tem um problema de reivindicação. Houve um conflito”. Lula afirmou acreditar na capacidade do governador José Serra (PSDB) de resolver a situação. "O governo federal só pode entrar se o governo estadual pedir. Agora, eu penso que o governador tem todas as condições de resolver esse problema”, acrescentou.

Caixa vai manter juros e prazos para crédito imobiliário

A Caixa Econômica Federal informou na sexta-feira que irá manter inalterados os juros e prazos para as suas operações de financiamento imobiliário, apesar das dificuldades trazidas pela crise internacional de crédito. "Embora a Caixa esteja atenta aos desdobramentos da crise internacional desencadeada pela bolha imobiliária norte-americana, não se cogita a elevação de taxa de juros nas operações imobiliárias, nem tampouco alteração no perfil básico dos produtos, ou seja, estão mantidos os prazos de amortização e as quotas de financiamento", disse o banco por meio de nota. A Caixa diz que dará continuidade à oferta de recursos para financiamento tanto para produção quanto para a comercialização de imóveis. A expectativa é aplicar em torno de R$ 23 bilhões em 2008. Serão R$ 9,2 bilhões com recursos da poupança, R$ 10,9 bilhões com recursos do FGTS e R$ 1 bilhão com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial, além de outros pequenos fundos. Até setembro, foram liberados R$ 16 bilhões de recursos de habitação, o que representa alta de 54% em relação ao mesmo período de 2007.

Filha e cunhada de senador Cafeteira pedem exoneração dos cargos no Senado

A filha e a cunhada do senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA) decidiram na sexta-feira pedir exoneração dos cargos depois do desgaste provocado pela "brecha" encontrada na Mesa Diretora da Casa para mantê-las no cargo. Maria Teresa Rodrigues Lima, cunhada do senador, e Janaína Cafeteira Afonso Pereira, sua filha, encaminharam carta ao diretor-geral do Senado com o pedido de exoneração. Na terça-feira passada a Mesa aprovou resolução da advocacia-geral do Senado que permite a permanência de parentes de parlamentares na Casa que tiverem sido contratados antes da posse do senador. O advogado do Senado, Alberto Cascais, sustenta que uma resolução do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) prevê o princípio da anterioridade, que permite manter parentes contratados antes do parlamentar chegar ao Congresso. Não é mesmo um gênio esse Cascais?

Na TV, Gabeira diz que Lula fica "constrangido" ao lado de Eduardo Paes

Fernando Gabeira (PV), candidato a prefeito do Rio de Janeiro, disse no programa eleitoral de sexta-feira que o presidente Lula apareceu "constrangido" na gravação exibida pelo adversário Eduardo Paes (PMDB). O programa de Gabeira exibiu ainda os apoios da atriz Fernanda Torres e do ex-secretário nacional de segurança, Luiz Eduardo Soares. "O presidente Lula apareceu um pouco constrangido no programa eleitoral gratuito do Rio de Janeiro. Ele sabe que não é preciso ser amigo do presidente para ter um tratamento digno no Palácio do Planalto. Qualquer prefeito é recebido com a dignidade que a cidade que ele representa merece", disse Gabeira. Eduardo Paes, durante o primeiro mandato de Lula, enquanto ainda era deputado federal do PSDB, na CPI dos Correios, só chamava Lula de “chefe de quadrilha”. Agora estão juntos...

Banco Central vai leiloar dólares para garantir financiamento de exportações

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, anunciou na sexta-feira as regras para a liberação de recursos em dólares no mercado, com os quais o governo Lula pretende garantir o financiamento das exportações no País. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu que o setor é o mais afetado pela crise financeira. Segundo Meirelles, os empréstimos serão feitos para instituições financeiras por meio de leilões, sendo que o primeiro será realizado já nesta segunda-feira. Como garantia, os bancos deverão dar ao governo títulos soberanos da dívida externa brasileira (Global) ou de países com qualificação mínima A (baixíssimo grau de risco de calote). Além dos títulos de soberanos de outros países, também serão aceitos como garantia os contratos de ACE (Adiamento sobre Cambiais Entregues) e ACC (Adiantamento de Contrato de Câmbio), mecanismo que permite às empresas oferecer os dólares que receberão por suas exportações como garantia de empréstimos. O limite de recursos, os prazos de pagamento e as garantias serão definidas antes de cada leilão. A remuneração dos empréstimos será definido pela Libor (juro interbancário no mercado internacional) e um spread que será definido pelo leilão. Meirelles informou que não há limite para concessão dos empréstimos, já que a demanda por estes dólares é inferior aos recursos que o Banco Central.

STJ reitera que indenização por tortura pode ser pedida a qualquer tempo

A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça reiterou entendimento da Corte de que ação de indenização por danos morais por tortura cometida durante o regime militar pode ser apresentada a qualquer tempo. O tribunal se posicionou sobre dois recursos apresentados pela União que tentavam reverter decisão do ministro Mauro Campbell Marques, que reconheceu que os danos morais por tortura sofrida durante o regime militar não prescrevem. Nos recursos, a União tentava fazer valer o prazo de prescrição de cinco anos previsto no Decreto n. 20.910/32. Ao rejeitar os recursos da União, o ministro ressaltou que o Superior Tribunal de Justiça tem várias decisões reconhecendo o direito à indenização por danos morais sofridos por prisões ou torturas durante a ditadura. Mauro Campbell Marques reconheceu não somente o dever de indenizar, mas o fato de que tais ações poderiam ser ajuizadas a qualquer tempo, ou seja, são imprescritíveis.

Presidente nacional do PSDB compara Lula a assombração

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), comparou na sexta-feira o presidente Lula a uma assombração e comemorou o resultado dos candidatos do PSDB no primeiro turno das eleições municipais. "Esse esquema do Lula chegar como assombração e mudar eleição não existiu no Nordeste. Não existiu em Petrolina (PE), não existiu em Jaboatão (PE), em Garanhuns (PE), em Natal (RN), em quase todos os lugares existiam candidatos fortes", afirmou Guerra durante ato de apoio à candidatura de Orlando Morando (PSDB) à prefeitura de São Bernardo do Campo (SP). Sérgio Guerra comemorou a vitória do partido em Curitiba e Teresina, onde no primeiro turno os prefeitos Beto Richa e Silvio Mendes, respectivamente, foram reeleitos com mais de 70% dos votos.

Cuba anuncia reservas de petróleo de 20 bilhões de barris

A estatal petroleira Cuba Petróleo (Cupet) divulgou uma estimativa segundo a qual a costa cubana pode ter reservas de cerca de 20 bilhões de barris, mais que o dobro do estimado atualmente. O cálculo, que faria de Cuba um país exportador de petróleo, se baseou na comparação das características geológicas do litoral cubano com as de campos conhecidos nos Estados Unidos e no México. Mas, até agora, os campos efetivamente descobertos em águas profundas cubanas ainda não são rentáveis. Estimativas recentes feitas pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos indicaram que o litoral norte cubano possui cerca de 9 bilhões barris de petróleo e 180 bilhões de metros cúbicos de gás natural.

Sadia reconhece que pode ter primeiro prejuízo em 64 anos

Pela primeira vez em seus 64 anos de história, a Sadia deverá fechar o ano com prejuízo. "Há uma possibilidade de prejuízo. De repente, se não der para ganhar porque afundamos R$ 760 milhões (valor referente a perdas anunciadas no fim do mês passado em razão de operações financeiras com câmbio), pelo menos poderemos empatar”, diz Luiz Antonio Furlan, presidente do Conselho de Administração. Segundo Furlan, a auditoria em andamento irá responder se houve "conivência ou indução a essa falha por parte dos bancos internacionais". "Estamos tomando todas as providências no sentido de preservar o interesse dos acionistas e dos funcionários, que foram prejudicados", diz ele. Incluem-se nas iniciativas negociações com os bancos estrangeiros, além de medidas judiciais cabíveis, que poderão ser impetradas caso não se chegue a um acordo, tão logo o levantamento da consultoria KPMG seja concluído. A Sadia pretende apresentar o relatório na próxima assembléia de acionistas, prevista para o dia 3 de novembro. O fundo de previdência Previ, um dos maiores investidores da Sadia, pediu esclarecimentos à empresa depois do prejuízo. Furlan, que esteve com o presidente Lula na sexta-feira passada, afirmou ter lembrado a ele que a afirmação de que empresas exportadoras, como a Sadia, estariam especulando contra o real "foi infeliz". "Os bancos internacionais que colocaram 200 empresas brasileiras numa situação de aperto especularam contra o real", disse Furlan. A Sadia deverá postergar os investimentos em novas fábricas, previstos para o próximo ano. "Vamos ter de reestudar investimentos, e não somos só nós. Falei com uma dúzia de presidentes de empresas e todos estão olhando para a frente de uma forma mais cautelosa”, disse ele. No país, as fábricas cujos investimentos poderão ser postergados são um abatedouro de frangos em Campo Verde (MT) e um de suínos em Mafra (SC).

Cocaleiro trotskista Evo Morales rejeita proposta e expulsa Queiroz Galvão da Bolívia

Apesar de ter expulso da Bolívia a construtora brasileira Queiroz Galvão, o ministro boliviano de Obras Públicas, Oscar Coca, estará em Brasília no próximo dia 29 para pedir um financiamento de US$ 230 milhões para a construção de uma rodovia que ligará La Paz ao norte do País. Nesta semana, o presidente boliviano, o cocaleiro trotskista Evo Morales, rejeitou a demanda da empreiteira brasileira de um aumento de US$ 50 milhões no valor da construção de duas rodovias e negou-se a receber diretores da Queiroz Galvão para negociar um acordo definitivo de prestação de serviços. Executivos da empresa ameaçados de prisão se apressaram em deixar o país. Apesar dos pontapés dos bolivianos cocaleiros e trotskistas no Brasil, o governo Lula vai negociar o novo empréstimo do BNDES com o ministro Oscar Coca dentro de um programa de compensação pelo combate ao cultivo da folha da coca. O ministro boliviano terá encontros com os colegas brasileiros da Fazenda, Guido Mantega, e dos Transportes, Alfredo Nascimento. O presidente Morales também espera em La Paz, nos dias 3 e 4 de novembro, a missão chefiada pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, que vai oferecer reduções nas tarifas de importação de produtos têxteis bolivianos. Essa generosidade tem como objetivo compensar as perdas que a Bolívia acumulará por ter abandonado o programa de combate ao cultivo da coca. A decisão de La Paz levou os Estados Unidos a retirar o país do seu programa de preferências tarifárias (ATPDE). Em menos de um mês, a Queiroz Galvão tornou-se a terceira companhia brasileira expulsa pelo governo de um país sul-americano beneficiado pela política externa do presidente Lula. Neste mês, a construtora Odebrecht e Furnas foram expulsas do Equador - o governo do presidente equatoriano Rafael Correa também ameaçou os investimentos da Petrobrás no país. Nesses episódios, os governos da Bolívia e do Equador fugiram das discussões em torno do direito comercial e adotaram discursos políticos fascistóides e populistas sobre a "soberania nacional”. O dilema da Queiroz Galvão na Bolívia começou em 2007, quando a empresa foi expulsa por Morales sob a alegação de que não havia obedecido às especificações do projeto de construção de duas rodovias no Sul do país. Na ocasião, também foi decretada a prisão de um dos diretores da companhia, que conseguiu escapar do país. Essas iniciativas foram embasadas na constatação da Administradora Boliviana de Rodovias de que havia rachaduras nas obras, ainda em andamento. A ABC também questionava o contrato de prestação de serviços, firmado em 2003, que previa o uso de cimento em vez de asfalto.

Ibope aponta empate no segundo turno em Salvador

A pesquisa Ibope de intenção de voto para o segundo turno das eleições à prefeitura de Salvador, na Bahia, mostra uma disputa acirrada, assim como ocorreu no primeiro turno. O levantamento divulgado na sexta-feira aponta empate entre João Henrique Carneiro (PMDB) e Walter Pinheiro (PT), ambos com 44% das intenções. Os votos brancos e nulos somam 8% e os indecisos, 4%.

Fundos de hedge perdem recorde de US$ 210 bi no 3º trimestre

A turbulência no mercado financeiro gerou perdas sem precedentes para os fundos de hedge. Esses prejuízos se tornam mais aparentes na medida em que são divulgados os dados sobre o desempenho desses fundos em setembro e no terceiro trimestre. Os ativos dos fundos de hedge estão diminuindo e os investidores estão sacando seu dinheiro em um ritmo recorde. Dados do Hedge Fund Research Inc, de Chicago, mostram que os ativos dos fundos de hedge diminuíram US$ 210 bilhões no terceiro trimestre, o que representa uma queda recorde para o período. No mesmo intervalo, os investidores resgataram US$ 31 bilhões, um número também recorde. Os saques ocorreram em todos principais tipos de fundos de hedge. Um relatório do JPMorgan divulgado no início do mês estimou que os investidores devem sacar cerca de US$ 100 bilhões dos fundos de hedge no último trimestre. Mas essa estimativa pode ser baixa porque muitos desses fundos viram que os saques excederam suas expectativas mais altas, e alguns deles foram forçados a liquidar ações nas Bolsas para pagar os investidores até o final de 2008.

Votorantim congela financiamento de US$1,8 bilhão para Aracruz

A Votorantim Celulose e Papel suspendeu seu plano para contratar linha de crédito de 1,8 bilhão de dólares que seria obtida junto ao JPMorgan na operação de fusão da empresa com a Aracruz, informou José Luciano Penido, presidente-executivo da VCP, na sexta-feira. A Votorantim tinha acertado em 23 de setembro carta de compromisso com o JPMorgan de financiamento para a compra de participação na Aracruz dentro da operação de união das companhias. A empresa chegou a tomar um hedge de 600 milhões de dólares para se proteger de riscos de variação cambial decorrentes do financiamento e liquidou a operação via marcação a mercado depois que a Aracruz divulgou no final de setembro forte exposição a derivativos cambiais que na época tinham valor justo de cerca de 1,95 bilhão de reais negativos. Segundo a companhia, quando a negociação com a Aracruz avançar, e não há prazo para isso, a empresa estudará alternativas de financiamento necessárias. Penido afirmou que a operação vai prosseguir "quando acharmos que voltou a haver uma racionalidade no mercado financeiro internacional e que os acionistas possam voltar a sentar e reendereçar a questão dos valores razoáveis para este negócio dentro do novo modelo econômico".

GM pára fábrica de Gravataí por causa da redução das exportações

A General Motors realizou na sexta-feira o primeiro dia de parada estratégica, o chamado day off, na fábrica de Gravataí (RS). A linha de montagem só retoma sua atividade na terça-feira. Outra parada de produção já está marcada para o dia 31 de outubro. Segundo a montadora, a decisão se deve à queda das exportações, de 90 mil para 80 mil unidades. Para reduzir a produção de automóveis, a empresa cortou os 22 minutos extras que eram cumpridos pelos funcionários diariamente, e os dois sábados de produção por mês. Com isso, em outubro, deixarão de ser fabricados 2,8 mil carros. A média mensal da fábrica é de 19,3 mil unidades. Além disso, na segunda-feira entram em férias coletivas os funcionários de duas fábricas paulistas.