domingo, 26 de outubro de 2008

Fogaça é reeleito prefeito de Porto Alegre

O prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), foi reeleito para ocupar o cargo nos próximos quatro anos. Ele derrotou a candidata petista, a deputada federal Maria do Rosário, por uma ampla margem. Ele derrotou a petista por 58,95% a 41,05%, ou seja, livrou uma vantagem de 16,90%. Após ter vencido o primeiro turno com 43,85% dos votos válidos, José Fogaça esteve sempre na liderança em todas as pesquisas de intenção de voto da segunda etapa da eleição. José Fogaça obteve um total de 470.696 votos, contra apenas 327.799 votos da deputada federal petista Maria do Rosário. Após se impor a Miguel Rossetto nas prévias do PT, Maria do Rosário foi amplamente apoiada pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, e pela ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que tiveram uma prévia do que pode estar esperando por eles no Rio Grande do Sul nas próximas eleições. Tarso Genro teve rejeitada pela população da capital gaúcha a candidatura que ele apoiou, na cidade em que ele foi prefeito e depois renegou o mandato conquistado. Foi a segunda derrota consecutiva do PT em Porto Alegre, cidade que o partido governou por 16 anos na sequência. Na derrota, Maria do Rosário ficou sozinha, tendo a companhia apenas de Olívio Dutra. Tarso Genro, que não se mostrou solidário na derrota, tratou de aparecer apenas em Canoas, onde seu braço direito e ex-chefe de gabinete no Ministério da Educação, Jairo Jorge, conseguiu se eleger prefeito. O PT gaúcho agora vai tentar se encastelar em Canoas para sua nova tentativa de alcançar o governo do Estado, em 2010. Apesar de ostentar a fama de cidade mais politizada do Brasil, Porto Alegre mostrou quase um quarto do eleitorado que não se importa pelas eleições. A abstenção ficou em 17,78% do eleitorado, ou seja, 184.747 eleitores não compareceram às urnas para votar. Outros 25.070 eleitores deixaram seus votos em branco. E 30.573 eleitores anularam seus votos. Resumindo: 140.350 eleitores de Porto Alegre, ou 24,30% dos eleitores da capital gaúcha, não fizeram uso do voto, a maior arma do cidadão na democracia. O equivalente a quase um quarto do eleitorado. Mas, se todos estes que não votaram tivessem resolvido votar, e tivessem decidido dar seu voto para a petista Maria do Rosario, ainda assim ela teria perdido a eleição, porque a diferença dela com José Fogaça foi de 142.897 votos.

Polícia colombiana confisca 10,5 toneladas de cocaína que iam para o México

A polícia colombiana confiscou 10,5 toneladas de cocaína que seriam enviadas da cidade caribenha de Barranquilla ao porto mexicano de Veracruz, o maior carregamento confiscado em terra pelas autoridades da Colômbia. O diretor da polícia, general Óscar Naranjo, disse que a droga foi encontrada em dois contêineres que iam entrar no porto de Barranquilla e na operação foram detidas três pessoas. Os narcóticos encontrados na "Operação Veracruz" têm valor aproximado entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões, pertenciam ao narcotraficante David "El Loco" Barrera e estavam escondidos em caixas.

Polícia de Alagoas vê ligação criminosa entre Lindemberg e pai de Eloá

A Polícia de Alagoas suspeita que Lindemberg Alves Fernandes, o assassino na tragédia de Santo André, e o pai da adolescente Eloá, Everaldo Pereira dos Santos, sejam cúmplices. Para o delegado Marcílio Barenco, diretor geral de Polícia Civil de Alagoas, ele agia, em Santo André, junto com Lindemberg. "Há suspeitas concretas que o Lindenberg e ele faziam parte de um grupo criminoso em Santo André. Então, Lindemberg não era só namorado da filha", afirma Marcílio Barenco. "Tanto que Eloá já tinha sido espancada anteriormente e, pela personalidade dele, ele não aceitaria isso com a filha se não tivesse uma estreita relação com esse rapaz", disse Barenco. A polícia paulista não informou se tem, até o momento, suspeitas da ligação entre o seqüestrador e o foragido. Lindemberg Alves vai reponder processo por vários crimes: homicídio (pela morte da ex-namorada, Eloá Pimentel), duas tentativas de homícidio (por ter atirado contra Nayara da Silva e contra um policial militar) e ainda cárcere privado (por ter mantido pessoas presas em um apartamento). O pai de Eloá, Everaldo Pereira dos Santos, é acusado de fazer parte de um grupo de extermínio. Além de ser acusado de participação na morte do delegado Ricardo Lessa, irmão do ex-governador Ronaldo Lessa, Everaldo Pereira dos Santos, também é apontado como o assassino da ex-mulher, Marta Lúcia Alves Vieira, morta com requintes de crueldade em abril de 1993. A denúncia foi feita pelas ex-cunhadas do suspeito, Claudilene e Rita de Cássia Vieira. O corpo de Marta Lúcia foi encontrado com o pescoço degolado e o rosto queimado, em um canavial do município do Pilar, a 35 quilômetros de Maceió. De acordo com as ex-cunhadas, eles moraram juntos por cerca de 5 anos, mas o casamento não foi oficializado. "A gente só não denunciou antes por medo de morrer, porque ele era da gangue fardada, um grupo de extermínio, envolvido com muitas mortes em Alagoas, inclusive de gente com um poder aquisitivo bem maior do que o nosso", disse Rita.

Fundos do Unibanco perdem 9,94% do patrimônio em um mês

Os fundos de investimento do Unibanco sofreram saques correspondentes a 9,94% do patrimônio líquido nos últimos 30 dias (até o dia 21), o equivalente a R$ 4,7 bilhões. Atualmente, o patrimônio dos fundos do Unibanco é de R$ 41,8 bilhões. A perda do Unibanco é o pior desempenho entre os maiores bancos brasileiros (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú, ABN Amro, HSBC e Santander). No período de 30 dias, os resgates dos fundos de investimento do Banco do Brasil reduziram o patrimônio líquido em 0,78%. Na Caixa Econômica Federal, os saques foram de 1,15%. Nos bancos privados, os resgates foram de: Bradesco (1,20%), Itaú (2,43%), ABN Amro (1,31%), HSBC (0,24%) e Santander (2,06%). No período de três meses, o Unibanco teve saques que reduziram o patrimônio líquido de seus fundos em 23,41%. Nos últimos três meses (até o dia 21), os fundos do Unibanco tiveram saques de R$ 12,8 bilhões, mas quase a totalidade desses recursos saiu de um único fundo de investimento.

Começa o plantio da soja safra 2008/9 no Rio Grande do Sul

Nos últimos dias os produtores deram início ao plantio da soja no Rio Grande do Sul. A atividade seria mais intensa não fosse a seqüência de dias de chuva nas regiões produtoras, que dificulta a entrada de máquinas nas lavouras. De acordo com o Informativo Conjuntural da Emater/RS-Ascar, os produtores gaúchos plantaram até o momento 4% da área projetada para a soja (quase 3 milhões e 800 mil hectares), quando já deveriam ter semeado, pela média dos últimos cinco anos, 7% da área. Quanto à comercialização da soja, os produtores se mantêm cautelosos face às incertezas dos mercados internacionais, negociando apenas o necessário para gastos mais prementes durante a implantação da atual safra. A alta umidade em algumas localidades trouxe certa preocupação aos agricultores gaúchos, tendo em vista o pleno andamento da colheita do trigo e o plantio da safra de verão. No caso do arroz, o plantio da safra 2008/09 segue adiantado em relação a anos anteriores, atingindo 38% da área projetada. Com a umidade e as temperaturas em níveis adequados, a germinação do arroz segue normal, com as lavouras apresentando um bom padrão inicial de desenvolvimento. A semana possibilitou a aceleração no plantio do feijão da safra das águas no Estado, chegando aos 71% da área estimada, que é de 83 mil hectares. O plantio do milho sofreu pequenas interrupções devido às recentes chuvas, mas ainda se encontra bastante adiantado (sete pontos) em relação à safra passada, avançando nessa semana sobre 62% da área projetada para esta safra, que é de 1.406.256 hectares.

Opep reduz sua produção de petróleo em 5%

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) reagiu na sexta-feira à queda do preço do petróleo causada pela crise financeira e anunciou a redução da produção em mais de 5%, além de pedir a seus principais concorrentes para que apóiem esta medida com limitações próprias de sua oferta. A decisão foi adotada na 150ª conferência ministerial extraordinária da organização, prevista inicialmente para 18 de novembro, mas antecipada de forma urgente depois que o preço do barril de petróleo despencou para menos de US$ 70,00. "A conferência decidiu reduzir sua parcela atual de produção da Opep-11 (todos os países-membros, menos Iraque e Indonésia) de 28,808 milhões de barris diários (mbd) para 1,5 milhão de barris por dia, a partir de 1º de novembro", disseram os ministros da organização na declaração final.O presidente da Opep, o argelino Chakib Khelil, lembrou que a crise financeira começou a afetar negativamente a economia real e a frear o consumo energético. A Opep calcula que o crescimento anual da demanda mundial de petróleo será este ano de apenas 400 mil barris diários e correrá exclusivamente a cargo das economias emergentes. Os principais produtores fora da Opep, como Rússia, Noruega e México, entre outros, estão convidados para participar da próxima reunião da organização, em 17 de dezembro, em Oran (Argélia), onde os ministros voltarão a avaliar a situação. A Arábia Saudita decidiu retirar do mercado 466 mil barris diários, mais que o dobro do que o Irã, segundo maior produtor. A Venezuela se comprometeu a reduzir seu bombeamento em 129 mil barris diários, e o Equador, em 27 mil barris diários. A Inglaterra considerou "decepcionante" o corte de produção aprovado pela Opep, afirmou na sexta-feira o secretário de Estado britânico de Energia, Mike O'Brien. Ele manifestou sua esperança em que a medida da Opep "não seja utilizada como desculpa" pelas empresas energéticas para aumentar os preços.

Brenner de Moraes toma posse nesta segunda-feira no Gabinete da Transparência

O atual secretário do Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul, Carlos Otaviano Brenner de Moraes, será empossado como titular do Gabinete de Transparência, Prevenção e Combate à Corrupção na Administração Pública nesta segunda-feira, em cerimônia a ser realizada às 11 horas no Palácio Piratini. De acordo com Brenner de Moraes, o Gabinete da Transparência fará a articulação entre os órgãos de controle já existentes, tendo como responsabilidade prevenir irregularidades e acompanhar a lisura da gestão dos recursos estaduais. Brenner de Moraes ocupava o cargo de secretário do Meio Ambiente. Membro do Ministério Público gaúcho desde 1980, é procurador de Justiça com atuação junto à 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado. Foi corregedor-geral e presidente do Conselho Nacional dos Corregedores Gerais do Ministério Público e da Associação do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Dólar sobe 10% na semana e fecha a R$ 2,327

O Banco Central fez quatro leilões no mercado cambial na última sexta-feira, e pode ter vendido um total de cerca de US$ 2,7 bilhões, para limitar apenas parcialmente o avanço do dólar. A moeda norte-americana, subiu 0,95% e fechou a semana cotada a R$ 2,327. O giro financeiro total à vista encolheu 28%, para cerca de US$ 5,450 bilhões. A valorização de sexta-feira ampliou os ganhos do dólar comercial para 10,02% na semana, para 22,34% no mês e para 31,10% no ano. Logo após a estilingada do dólar na abertura doa pregão, o Banco Central, que já havia anunciado na quinta-feira a realização de um leilão de até 30 mil contratos de swap cambial, equivalentes a US$ 1,5 bilhão, divulgou que faria uma oferta adicional antecipada de até 40 mil contratos de swap, ou US$ 2 bilhões, e ainda um leilão de venda direta de dólares quase que simultâneo. Com essas três ações, o dólar devolveu os ganhos iniciais e chegou a recuar. Nas operações de swap, a autoridade monetária assume posição vendedora em câmbio e compradora em taxa de juros. Contudo, o aprofundamento das baixas nas bolsas de valores, à tarde, em meio a balanços fracos do terceiro trimestre, o tombo do petróleo, apesar do corte de produção anunciado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), e a disparada da moeda norte-americana em relação ao euro no mercado internacional, reconduziram o dólar ao terreno positivo ante o real.

Especialistas dizem que Brasil pode ganhar poder com "nova ordem mundial"

A crise econômica mundial está provocando mudanças profundas na geopolítica e, nesse novo cenário, o Brasil pode assumir um papel de maior destaque, afirmaram especialistas reunidos na sexta-feira em São Paulo. Segundo o historiador Paul Kennedy, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, o "momento unipolar" (expressão cunhada pelo analista Charles Krauthammer) surgido após a Guerra Fria, em que os Estados Unidos assumiram uma posição de grande poder, dá mostras de estar chegando ao fim. Diretor de Estudos de Segurança Internacional de Yale, Kennedy atraiu atenção mundial no final da década de 80, ao lançar o livro “Ascensão e Queda das Grandes Potências”, em que discutia o declínio dos Estados Unidos. De acordo com o professor, se no aspecto militar os Estados Unidos continuam sendo uma grande potência, na área econômica e de finanças o cenário é diferente. "Mesmo antes da crise dos mercados de “subprime” já era possível perceber uma mudança de poder, com a crescente influência de outras partes do mundo, como a Ásia", disse Kennedy. Segundo Kennedy, a atual crise deve marcar o início de um mundo multipolar, no qual os países são interdependentes e estão interconectados. "A crise mostrou que o Fed já não pode agir sozinho", disse. "Os países devem trabalhar juntos". Com essa nova realidade, disse Kennedy, ganha cada vez mais importância o chamado "soft power", termo criado pelo professor de Harvard, Joseph Nye, para definir o poder de uma nação de influenciar e persuadir, sem uso de força militar, mas pela diplomacia. Entre os países que poderiam exercer esse tipo de influência, os especialistas citam o Brasil.

Procuradoria denuncia Ney Suassuna e mais cinco ex-deputados sanguessugas

O Ministério Público Federal em Mato Grosso denunciou na sexta-feira o ex-senador Ney Suassuna (PMDB-PB) e mais cinco ex-deputados por envolvimento com a máfia dos sanguessugas. Eles foram denunciados pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo a denúncia, Suassuna e os ex-deputados Isaias Silvestre (PSB-MG), Nilton Capixaba (PTB-RO), Robério Cássio Ribeiro Nunes (do então PFL-BA), José Cleonâncio da Fonseca (PP-SE) e José Heleno da Silva (PRB-SE) integraram o "braço político" da organização do esquema que desviou recursos de emendas parlamentares para compra de ambulâncias e equipamentos hospitalares. Segundo Léa Batista de Oliveira, procuradora da República, "conforme apurado no inquérito policial, a organização criminosa contou com um núcleo parlamentar indispensável para a consecução de verbas destinadas às prefeituras e às Oscips envolvidas, possibilitando, assim, a tais entes, adquirirem de forma superfaturada as ambulâncias". Na denúncia, a Procuradoria afirma que "organização contava com pessoas incumbidas exclusivamente de receber os recursos desviados, depositá-los em suas contas bancárias, sacá-los, reciclá-los e entregá-los aos parlamentares e seus assessores, de forma a dificultar a identificação da origem espúria da riqueza".

Paraguai nega que invasão de terras tenha motivações xenófobas

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, considera que as ocupações de propriedades de brasileiros em terras paraguaias são motivadas mais pela necessidade dos camponeses do que por atitudes xenófobas. As ocupações de fazendas em reivindicação de uma reforma agrária aumentaram em várias regiões do país após a posse de Lugo, em 15 de agosto, e alguns dos movimentos dos sem-terra ameaçaram expulsar das propriedades os chamados brasiguaios. Lugo pediu “racionalidade” para buscar uma saída à tensão instalada no campo ao afirmar que os movimentos camponeses são "movidos pela necessidade" e que não devem ser interpretados "como uma atitude xenófoba, de perseguição a estrangeiros". Calcula-se que 300 mil brasileiros, muitos deles com extensas propriedades agrícolas, residem no Paraguai em vários departamentos (Estados), principalmente fronteiriços com o Brasil, e grande parte deles se dedicam ao cultivo da soja. "Muitos dos chamados brasiguaios já são paraguaios, têm seus filhos, seus netos e estão legalmente sem motivo de preocupação", referiu Lugo, que disse ainda que até agora foram registradas 74 ocupações desde que se instalou seu governo.

Paraguai nega que invasão de terras tenha motivações xenófobas

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, considera que as ocupações de propriedades de brasileiros em terras paraguaias são motivadas mais pela necessidade dos camponeses do que por atitudes xenófobas. As ocupações de fazendas em reivindicação de uma reforma agrária aumentaram em várias regiões do país após a posse de Lugo, em 15 de agosto, e alguns dos movimentos dos sem-terra ameaçaram expulsar das propriedades os chamados brasiguaios. Lugo pediu “racionalidade” para buscar uma saída à tensão instalada no campo ao afirmar que os movimentos camponeses são "movidos pela necessidade" e que não devem ser interpretados "como uma atitude xenófoba, de perseguição a estrangeiros". Calcula-se que 300 mil brasileiros, muitos deles com extensas propriedades agrícolas, residem no Paraguai em vários departamentos (Estados), principalmente fronteiriços com o Brasil, e grande parte deles se dedicam ao cultivo da soja. "Muitos dos chamados brasiguaios já são paraguaios, têm seus filhos, seus netos e estão legalmente sem motivo de preocupação", referiu Lugo, que disse ainda que até agora foram registradas 74 ocupações desde que se instalou seu governo.

Ibope aponta que rejeição ao PT em São Paulo é de estratosféricos 40%, e Marta é rejeitada por 50%

Dos eleitores que prometem votar no candidato Gilberto Kassab (DEM), 93% afirmam que não vão mudar o seu voto até chegar às urnas. Como o atual prefeito detém a preferência de 60% do eleitorado (em votos válidos, contagem que exclui os votos em branco e nulos), isso significa que ele tem consolidados 55,8% dos votos válidos, porcentual mais que suficiente para vencer a eleição deste domingo, revelou pesquisa Ibope. Dos que pretendem votar na ricaça petista Marta Suplicy (PT), 89% dizem que a escolha é definitiva. Como a petista tem 40% (votos válidos), isso significa que ela tem garantidos, até aqui, 35,6%. Para vencer o segundo turno um candidato deve ter 50% dos votos válidos mais 1 voto. Da mesma forma, 60% dos que prometem votar em branco ou nulo adiantam que sua decisão é definitiva; 25% deles admitem que podem mudar de opinião até este domingo. Como os que pretendem votar em branco ou nulo somam 8%, apenas 2% desses votos podem ser revertidos para um dos candidatos. A pesquisa Ibope revelou que 40% dos eleitores paulistanos rejeitam o PT e afirmam não votar nele de jeito nenhum. A rejeição dos paulistanos ao PT só é superada pela rejeição a sua candidata, a ricaça petista Marta Suplicy: 50% dos entrevistados afirmam que não votam nela de jeito nenhum.

Crise financeira faz países voltarem a bater na porta do FMI

A crise financeira ressuscitou o FMI (Fundo Monetário Internacional), que na sexta-feira anunciou empréstimo de US$ 2,1 bilhões à Islândia e voltou a despontar como bóia de salvamento para muitos governos com a água no pescoço. Após meia década praticamente sem clientes, período no qual foi obrigado a reduzir o quadro de funcionários e reavaliar seu papel no mundo, o órgão multilateral de crédito agora não pára de ouvir o telefone tocar. A entidade se tornou credora de países que não conseguem empréstimos em nenhuma outra instituição. Na porta do FMI, batem Paquistão, Belarus, Hungria e Ucrânia. Também a Bolívia pode chegar lá. O FMI já disse contar com US$ 250 bilhões para essas operações. A Ucrânia pode receber US$ 15 bilhões desse bolo em dois anos, enquanto o Paquistão pode precisar de US$ 10 bilhões. Outros países da leste da Europa provavelmente engrossarão a lista de pedintes, devido aos seus altos déficits em conta corrente, que os tornam dependentes do capital externo em um momento no qual os investidores fogem de ativos de risco. Durante a crise asiática em 1997, o FMI exigiu dos governos cortes nos gastos públicos, o que agravou a contração das economias socorridas.

STF rejeita recurso e mantém substituição de testemunha do mensalão não localizada

O Supremo Tribunal Federal rejeitou recurso apresentado por três réus da ação penal do mensalão e manteve decisão do ministro Joaquim Barbosa que autorizou a substituição de uma testemunha de acusação que não foi localizada. A mudança foi solicitada pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que pediu para trocar a testemunha Paulo Leite Nunes por Carlos Roberto Godinho. Os executivos do Banco Rural, Katia Rabelo, José Roberto Salgado e Vinicius Samarane, réus no mensalão, ressaltaram no recurso que não poderia substituir a testemunha por ausência de previsão legal.

Petróleo fecha abaixo de US$ 65,00 mesmo com corte na produção

Os temores sobre uma recessão mundial e a queda da demanda do petróleo prevaleceram sobre a decisão da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) em reduzir a produção da commodity. A cotação do barril em Nova York, na sexta-feira, caiu quase US$ 4,00. Na Nymex (Bolsa Mercantil de Nova York), os contratos do barril de petróleo para entrega em dezembro recuaram 5,4% em relação à sessão anterior, para fechar a US$ 64,15. Esse é o valor mais baixo desde maio de 2007. Na semana, as perdas chegaram a 10,7%. Em Londres, o barril do brent (de referência na Europa) caiu 5,8%, para US$ 62,05.

Advogados de Daniel Dantas, Chicaroni e Braz apresentam no dia 19 últimas alegações à Justiça

Os advogados do banqueiro Daniel Dantas, do professor Hugo Chicaroni e de Humberto Braz vão apresentar no dia 19 de novembro as alegações finais à Justiça no processo que investiga a tentativa de corromper um delegado da Polícia Federal durante a Operação Satiagraha. O advogado de Daniel Dantas, Nélio Machado, condenou na sexta-feira a pressa da Justiça em finalizar o processo. "A melhor conduta é ter o cuidado para ter pressa. O juiz não tem que querer dar uma sentença, ele tem que analisar primeiro. Esse processo, na forma que está, não tem como ser julgado", disse ele. Machado disse ainda que o processo é cheio de falhas. "Diante de um processo cheio de falhas e imperfeições, o melhor cuidado é você arrumar a casa para depois fazer a festa. Querem fazer a festa com a casa desarrumada. A casa não tem condições de receber as visitas e o espetáculo que se quer alcançar com essa decisão exemplar, que não me parece uma decisão, tem de vir em prol do equilíbrio", disse o advogado. Na sexta-feira, Chicaroni, apontado como suposto emissário de Daniel Dantas na tentativa de corromper o delegado, não fez nenhuma modificação no depoimento prestado ao juiz federal Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, no dia 7 de agosto, quando atribuiu à Polícia Federal a responsabilidade pela tentativa de suborno.

Oposição argentina critica estatização da previdência privada

A segunda força parlamentar da Argentina anunciou na sexta-feira que votará contra o projeto do governo argentino para repassar ao Estado os fundos de aposentadoria privada, enquanto legisladores governistas pedem mudanças à iniciativa. O setor empresarial qualificou a intenção do Executivo de anular o sistema implantado em 1994 como um "golpe na propriedade privada". O projeto apresentado na última terça-feira no Parlamento começará a ser debatido na terça-feira em comissões da Câmara dos Deputados, onde o peronismo, governante, é maioria e fixou um prazo de três semanas para conseguir sua aprovação. No entanto, legisladores governistas colocaram emendas à iniciativa, principalmente pela falta de detalhes sobre o destino que será dado aos recursos que passarão das AFJP (Administradoras de Fundos de Aposentadorias e Pensões) ao Estado. A Anses (Administração Nacional de Seguridade Social) esclareceu que "ninguém poderá tocar" nos recursos das dez AFJP, controladas majoritariamente por bancos e seguradoras de capitais europeus, norte-americanos e argentinos, quando passarem a esse organismo público. Os fundos da aposentadoria privada, cujos ativos somam US$ 30 bilhões entre bônus públicos e privados, ações e depósitos a prazo, "serão apenas administrados" pela Anses, que terá autonomia econômica, "o que reivindica sempre a oposição", acrescentou. Porém, depois de manifestar coincidências com a iniciativa do governo, a opositora UCR (União Cívica Radical), segunda força parlamentar da Argentina, anunciou que votará contra tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado.

FMI oferece US$ 200 bilhões em ajuda a países em dificuldades devido à crise

O FMI (Fundo Monetário Internacional) dispõe de US$ 200 bilhões para empréstimos de uso imediato, e que podem ser concedidos através do chamado Mecanismo de Financiamentos de Emergência, que proporciona condições mais favoráveis que as dos processos normais, segundo comunicado divulgado na sexta-feira. O diretor-gerente do Fundo, Dominique Strauss-Kahn, destacou a prontidão do órgão para realizar empréstimos a países que precisem de ajuda devido aos efeitos da crise. "Estamos prontos para responder qualquer pedido de país enfrentando problemas", disse ele em um comunicado. O FMI informou que a turbulência financeira que abalou os países ricos começou a afetar o crescimento dos países emergentes. "A economia mundial está entrando em um grande declínio em face do mais perigoso choque financeiro em mercados financeiros desenvolvidos desde 1930", diz o comunicado do Fundo.

Senado vai obrigar novos servidores a assinarem documento negando parentesco na Casa

O Senado Federal vai editar ato administrativo que obriga os novos servidores da Casa Legislativa a assinarem documento negando ter qualquer parentesco com senadores ou servidores com cargos de chefia. O objetivo da medida é evitar novos casos de nepotismo (contratação de parentes) depois que o Senado diz ter exonerados todos os parentes que tinham empregos na Casa. O servidor Sérvio Penna, presidente da comissão criada para analisar o nepotismo no Senado, encerrou os trabalhos com a exoneração de 86 familiares de senadores ou funcionários com cargos de chefia na Casa. Penna reconheceu, porém, que ainda podem existir casos no Senado uma vez que a lista de parentes foi encaminhada pelos próprios parlamentares e servidores ao presidente da Casa, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN). No total, o Senado exonerou 86 familiares de senadores, chefes de gabinetes ou diretores da Casa contratados para cargos de confiança. Desse total, 46 eram parentes de senadores e 40 de servidores com cargos de chefia.

Renault fecha fábrica na França por duas semanas

A montadora Renault anunciou na sexta-feira que fechará quase todas suas fábricas na França por pelo menos uma ou duas semanas para ajustar sua produção aos estoques elevados, decorrentes da queda nas vendas nos últimos meses. Algumas fábricas na Europa também deverão interromper a produção por alguns dias. "A crise afeta particularmente a indústria automobilística. O problema dos estoques é um dos pontos delicados dessa crise", afirmou Patrick Pélata, diretor-geral de operações da Renault, o novo número dois da empresa. Segundo Pélata, a Renault deverá reduzir a produção em 20% até o final do ano. A empresa já havia anunciado anteriormente 6.000 demissões na Europa, onde os estoques estão mais altos. A Renault estima que em 2008 suas vendas no mercado europeu poderão cair 8% em relação ao ano passado. Mesmo alguns mercados emergentes, como a Rússia e a China, começam a dar sinais de desaceleração nas vendas. As ações da montadora francesa despencaram na sexta-feira na bolsa de Paris, registrando queda de cerca de 20%. Na quinta-feira as ações da Renault já haviam perdido 7,15% após o anúncio de seus resultados trimestrais, que indicaram queda de 2,2% no faturamento no terceiro trimestre de 2008, totalizando 9,14 bilhões de euros. Outra montadora francesa, a PSA Peugeot Citroën, a maior da França, também anunciou na sexta-feira que reduzirá fortemente a produção até o final do ano. O estoque do grupo atingiu no final de setembro 677 mil carros. No mesmo período do ano passado, o volume era de 566 mil. Christian Streiff, presidente do grupo PSA, disse que a companhia irá "realizar reduções maciças da produção em todas as fábricas da Europa" no quarto trimestre deste ano. As vendas do grupo registraram forte queda de 10,7% na Europa no terceiro trimestre de 2008, segundo resultados anunciados na sexta-feira. O faturamento caiu 5,2% no terceiro trimestre. As ações da companhia também despencaram na sexta-feira na bolsa de Paris, registrando queda de 12%.

Banco Mundial nomeia novo diretor para o Brasil

O Banco Mundial anunciou na sexta-feira a nomeação do ex-ministro das Finanças do Senegal, Makhtar Diop, como diretor do organismo para o Brasil. Diop ocupa atualmente o cargo de Diretor de Estratégia e Operações para a América Latina e o Caribe, e a partir do 1º de janeiro substituirá no Brasil o sul-africano John Briscoe, que anunciou sua aposentadoria. "O senhor Diop trabalhará estreitamente com as autoridades brasileiras para facilitar soluções de desenvolvimento que respondam às prioridades do País, assim como a promoção do maior papel global do Brasil e da cooperação no hemisfério sul", afirmou Pamela Cox, vice-presidente para a América Latina e o Caribe do Banco Mundial.

Parte dos metalúrgicos de São Paulo entra em estado de greve

Os metalúrgicos decidiram na sexta-feira entrar em estado de greve nas empresas ligadas ao Grupo 10, comandado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, o grupo, que abrange os setores de lâmpadas, material bélico, estamparia e equipamentos odontológicos, não apresentou nenhuma proposta de acordo salarial. A categoria pretende esperar uma posição da Fiesp até esta segunda-feira, caso contrário decretará a greve. "Vamos começar a parar as fábricas do setor a partir de terça-feira", anunciou o presidente do sindicato, Miguel Torres.

Lugo garante segurança de agricultores brasileiros no Paraguai

O presidente paraguaio, Fernando Lugo, disse na sexta-feira que seu governo garantirá a segurança dos colonos brasileiros no Paraguai, cujas propriedades são ameaçadas por militantes locais do MST. "Faremos o possível para dar segurança aos irmãos brasileiros que estão ajudando no desenvolvimento do país, dentro da legalidade", destacou Lugo. "Conversamos com representantes de organizações camponesas, com pecuaristas e plantadores de soja e decidimos montar uma mesa de trabalho para superar certas situações", disse Lugo durante uma visita ao departamento de San Pedro, o mais pobre e explosivo do país. Em San Pedro, grupos de sem-terra têm invadido propriedades, especialmente de brasileiros e seus descendentes, conhecidos como "brasiguaios". O presidente da Associação Rural do Paraguai (ARP), que reúne os pecuaristas e grandes agricultores, advertiu que se o governo não detiver as invasões, a situação poderá degenerar em derramamento de sangue.

AIG usou US$ 90 bilhões de fundos outorgados pelo Federal Reserve

A seguradora American International Group (AIG) já usou um total de US$ 90 bilhões dos fundos colocados a sua disposição pelo Federal Reserve (banco central norte-americano) para resolver seus problemas financeiros. A seguradora explicou que, até na quarta-feira passada, a matriz do grupo usou US$ 72 bilhões da contribuição de US$ 85 bilhões por dois anos que a Reserva fez o mês passado em troca de 80% de suas ações. A matriz está usando esse capital para atender obrigações de dívida e outras necessidades corporativas, explicou em comunicado de imprensa. Além disso, filiais de AIG receberam US$ 18 bilhões em troca da entrega ao Fed de títulos.

Governo dos Estados Unidos fecha Alpha Bank, 16º banco a quebrar em 2008

As autoridades norte-americanas anunciaram na sexta-feira o fechamento do banco regional Alpha Bank, que passa a ser o 16º a quebrar desde o início do ano. O Alpha Bank, um banco da Geórgia com ativos de 354 milhões de dólares, no sudeste dos Estados Unidos, fechou as portas na sexta-feira. Quase todos os depósitos do banco estão assegurados e serão retomados de imediato por outro banco regional, o Stearns Bank (Minnesota, norte).

Novo reitor da UnB nomeado pelo presidente Lula

O Diário Oficial da União publicou na sexta-feira a nomeação do professor de Direito José Geraldo de Sousa Júnior como novo reitor da Universidade de Brasília (UnB). Ele vai assumir o cargo no dia 21 de novembro. O nome dele constava na lista tríplice enviada pela universidade ao presidente Lula. O professor foi escolhido pela comunidade com 51,61% dos votos válidos, em uma consulta realizada em setembro. As eleições aconteceram após um escândalo que envolveu o ex-reitor Timothy Mulholland, obrigado a renunciar, em abril, após ser acusado pelo Ministério Público de ter utilizado verbas da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), destinadas a pesquisas, na decoração do imóvel funcional no qual residia.

Brasil quer criar acordo automotivo com o Paraguai

O Brasil propôs na sexta-feira, ao governo do Paraguai, a criação de um acordo automotivo entre os dois países. O Paraguai é um único membro pleno do Mercosul com o qual o Brasil ainda não tem um acordo no setor automotivo. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o assunto será discutido na Comissão de Monitoramento de Comércio entre Brasil e Paraguai. Os acordos automotivos são necessários porque este setor não foi incluído no Mercosul, o que significa que as vendas de veículos e autopeças não estão isentas da cobrança do imposto de importação como para os demais produtos.

França concede primeiros empréstimos para socorrer sete bancos

A Sociedade de Financiamento da Economia, que apóia o setor bancário francês, acertou na sexta-feira seus primeiros empréstimos, a sete bancos, totalizando 5 bilhões de euros, anunciou o ministério da Economia. Estes empréstimos, concedidos por um período máximo de cinco anos, devem permitir aos bancos "desenvolver o crédito às famílias, aos profissionais, às pequenas e médias empresas e às coletividades locais", destaca o ministério em um comunicado. Os bancos que receberam os empréstimos são BNP Paribas, Banques Populaires, Caisse d'Epargne, Crédit Agricole, Crédit Mutuel, HSBC e Societé Générale.

Vale do Rio Doce corta a produção em fábricas com custos mais elevados

A Vale vai reduzir sua produção em operações onde o custo seja alto e suspender a compra de minério de ferro de terceiros enquanto a demanda se mostrar retraída devido à crise financeira global, afirmou o presidente da mineradora, Roger Agnelli. Ele informou que duas operações de níquel, metal cujo preço caiu fortemente nos últimos meses, já tiveram a produção reduzida. A empresa cortou em 20% a produção de níquel na Indonésia e vai reduzir para 65% a capacidade de produção de uma processadora em Dalian, na China. "Estamos desligando os geradores a diesel na Indonésia, onde a gente trabalha a plena capacidade, e vamos trabalhar com hidroeletricidade...em Dalian, na China, o mercado praticamente desapareceu", disse Agnelli, ao comentar o balanço do terceiro trimestre de 2008. A empresa, maior produtora de minério de ferro do mundo, matéria-prima do aço, teve recorde de lucro no terceiro trimestre, de 12,4 bilhões de reais, mas já prevê resultados menos elevados nos próximos meses. Agnelli admitiu reduzir o ritmo dos investimentos se a crise se agravar, mas qualquer decisão somente será tomada no final de 2009. Ele afirmou no entanto que o Brasil está em "situação bastante positiva" e que seus clientes brasileiros ainda não deram sinal de retração na demanda, com exceção do segmento de ferro-gusa. Ele garantiu, no entanto, que não haverá problema para executar o plano de investimentos anunciado recentemente, de 14,2 bilhões de dólares em 2009. Os recursos estão contidos dentro de um plano maior, de 59 bilhões de dólares até 2012. Ele destacou que projetos do segmento de fertilizantes seguirão a pleno vapor, "porque todos continuam comendo", e que os projetos de carvão, como o de Moatize, em Moçambique, África, são prioritários, assim como o de minério em Serra Sul, e o de cobre de Salobo, no Brasil.

Agência que garante pensões nos Estados Unidos perde US$ 4,9 bilhões

A agência que garante planos de aposentadoria privada nos Estados Unidos teve perdas de US$ 4,89 bilhões em investimentos em ações no ano fiscal de 2008, segundo documentos divulgados pelo diretor da agência, Charles Millard, ao comitê de educação e trabalho da Câmara dos Representantes. Segundo ele, apesar dos atuais desafios, "incluindo a contração econômica de certos setores que tradicionalmente fornecem benefícios definidos para aposentadorias", a agência que garante planos de previdência privada, administra planos de pensão falidos e paga os benefícios para trabalhadores desses planos, "está mais forte hoje do que estava 12 meses atrás". As perdas da PBGC com investimentos em títulos e ações totalizaram US$ 4 bilhões. A agência informou que espera um déficit entre US$ 10 bilhões e US$ 12 bilhões no ano fiscal de 2008, abaixo da previsão anterior, que era de déficit de US$ 14 bilhões. A PBGC tem ativos totais de US$ 68 bilhões e US$ 83 bilhões em recebíveis.

Demitida por nepotismo, ex-funcionária do Senado recorre contra exoneração

Antes mesmo de ser exonerada do cargo, a ex-assistente parlamentar do gabinete do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), Taciana Pradines Coelho, entrou com mandado de segurança preventivo no Supremo Tribunal Federal contra sua exoneração, pelo parentesco que possui com a chefe de gabinete do senador Mário Couto (PSDB-PA), que é sua irmã. A exoneração de Taciana foi publicada na quinta-feira. Ela foi afastada do cargo em confiança pela Mesa Diretora, em cumprimento à Súmula Vinculante nº 13 do Supremo, que veta o nepotismo nos três poderes da República. O advogado de Taciana sustentou que sua cliente não foi nomeada por sua irmã, e nem chamada para trabalhar no mesmo gabinete. Defendeu também que não houve o chamado nepotismo cruzado, que é vetado pela Súmula nº 13. É impressionante como essa gente parece só ter vocação para o serviço público, e vocação só para entrada pela janela, e não pela porta do concurso.

Presidente do BNDES diz que banco poderá ajudar empresas com problema de liquidez

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, afirmou na sexta-feira que a instituição poderá ajudar empresas brasileiras exportadoras que venham a enfrentar dificuldades financeiras devido a operações com derivativos. "Há meios de equacionamento com o sistema bancário e as empresas terão, se necessário, suporte do BNDES, para que o problema de liquidez não inviabilize empresas de grande porte", disse Luciano Coutinho. Ele ressaltou que o banco já tomou providências para destinar apoio às companhias que enfrentarem problemas de liquidez e explicou que não haverá ajuda "por atacado", mas a análise individual de cada caso.

Tesouro dos Estados Unidos estuda comprar fatia em seguradoras

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos estuda a compra de participação acionária em companhias de seguros, em um sinal de como o pacote de socorro de US$ 700 bilhões tornou-se um "cofrinho" para as companhias com problemas financeiros, conforme o jornal norte-americano The Wall Street Journal. A disponibilidade de dinheiro do governo norte-americano está atraindo pedidos de todos os lados, com seguradoras, montadoras, governos estaduais, entre outros, fazendo lobby para conseguir tomar parte no pacote. Embora o Tesouro dos Estados Unidos pretenda promover uma aplicação mais pulverizada para os recursos, os pedidos das empresas podem rapidamente consumir os US$ 700 bilhões. O Tesouro norte-americano quer que as seguradoras participem do pacote, de acordo com pessoas próximas à questão. A maioria delas é financeiramente sólida, mas viu seus investimentos de longo prazo e suas ações prejudicados pelas recentes turbulências do mercado.

FMI socorre Islândia com US$ 2,1 bilhões

A Islândia conseguiu na sexta-feira um empréstimo de 2,1 bilhões de dólares do Fundo Monetário Internacional para tentar superar a crise que arruinou seu sistema bancário. "Uma missão do FMI e as autoridades islandesas chegaram a um acordo 'ad referendum' sobre um programa econômico apoiado por um empréstimo de cerca de 2,1 bilhões de dólares", declarou o diretor-geral da instituição, Dominique Strauss-Kahn, em um comunicado. A Islândia terá, imediatamente, 833 milhões de dólares. No dia 6 de outubro, o FMI anunciou ter enviado uma missão ao país, no momento em que sua economia, muito dependente do setor bancário, já estava à beira do colapso e que sua moeda desmoronou (152 coroas por 1 euro). Em Reykjavik, na sexta-feira, o chefe da missão do FMI, Paul Thomsen, declarou que a Islândia conseguiria 4 bilhões de dólares suplementares, oriundos de outros países. "Para o período de dois anos, o pacote de ajuda é de cerca de 6 bilhões de dólares, dos quais 4 bilhões de dólares provenientes de outros países", disse ele, sem anunciar os nomes dos Estados envolvidos. O país dos gêiseres baseou parte de seu crescimento no de um setor financeiro muito ativo no Exterior. No momento em que o setor financeiro se viu privado, em algumas semanas, dos capitais estrangeiros, devido à crise financeira mundial, o governo escolheu o método mais ortodoxo. Dotando-se, no dia 6 de outubro, de um arsenal legislativo sem precedentes na Europa e que dava ao Estado a possibilidade de dirigir o setor bancário, o governo assumiu, então, o controle de três grandes bancos nacionais: Glitnir, Landsbanki e, enfim, Kaupthing. A estatização dessas instituições surpreendeu o mercado e foi o golpe de misericórdia na confiança na economia da ilha.

Chrysler vai cortar 25% dos empregos administrativos até o fim do ano

A Chrysler declarou nessa sexta-feira que pretende demitir 25% da sua força de trabalho na área administrativa no Brasil, até o fim do ano, o que significa que serão demitidos cerca de 4.300 funcionários. Em um memorando interno, a montadora atribuiu a medida à pressão econômica que indústria automotiva sofre atualmente. Os cortes anunciados se somam a outras 1.800 demissões anunciadas nesta semana. A Chrysler disse iria reduzir sua produção na planta de Toledo, em Ohio, e fechar outra em Newark, em Delaware. A Chrysler está em negociações para uma fusão com a GM. Aparentemente, a crise internacional tem apressado as conversações para a formação de uma aliança. Atualmente, a montadora é controlada pelo grupo de investimentos Cerberus.

Presidente do BNDES diz que crise é benéfica para investimentos em infra-estrutura

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, afirmou na última sexta-feira que alguns investimentos em infra-estrutura e em setores industriais poderão ser beneficiados com a crise, por causa da redução de custos de algumas matérias-primas (commodities). "Nesse ponto a recessão é uma bênção", afirmou ele, argumentando que o atual momento "vai derrubar o preço de alguns insumos fundamentais". Segundo Luciano Coutinho, no primeiro semestre deste ano alguns investimentos em infra-estrutura e industriais tiveram uma "pressão de custos violenta por causa de preços explosivos do aço e outras matérias-primas". Agora, com a recessão nos países desenvolvidos, que deverá reduzir os preços, "há uma demanda reprimida de investimentos com menor custo e isso vai solidificar a percepção da robustez de nossos projetos em infra-estrutura, assim que a poeira baixar". Segundo ele, "o BNDES tem disposição de sustentar e acelerar todos os investimentos de infra-estrutura".

Governo de São Paulo permite que 20% das aulas seja pelo método a distância

Uma resolução aprovada pelo Conselho Estadual de Educação de São Paulo esta semana permite que escolas públicas e particulares de ensino médio ofereçam até 20% de sua carga horária na modalidade de ensino semipresencial, ou ensino a distância. Qualquer escola, pública ou privada, poderá adotar essa forma de ensino a partir do próximo ano. São Paulo é o primeiro Estado no País a autorizar ao ensino a distância.

John Deere demite 200 trabalhadores em Horizontina

A crise financeira mundial começa a apresentar sua cara no Interior do Rio Grande do Sul, atingindo o setor de máquinas agrícolas. Na noite da última quinta-feira, a John Deere começou a demitir 200 funcionários da fábrica de Horizontina. A direção da empresa alegou justamente a crise financeira internacional e a prolongada seca na Argentina, maior comprador externo das máquinas fabricadas na unidade, para as demissões que praticou. Na última semana, foram cancelados cerca de 300 contratos de colheitadeiras que sairiam da fábrica gaúcha para os argentinos. Como a empresa planejara um crescimento de 30% na produção para 2009, havia contratado 300 pessoas em Horizontina nos últimos três meses. A partir de novembro, passaria a fabricar 24 colheitadeiras por dia, em vez das atuais 17. Diante da atual situação, a produção será de 20 máquinas por dia.

Novo edital de licitação no Detran gaúcho sai em uma semana

O governo gaúcho pretende publicar nos próximos dias o novo edital para contratação de empresa que elabore e aplique testes teóricos e práticos para obtenção da carteira de motorista sob a direção do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O edital está sendo refeito porque o anterior foi suspenso em razão de falhas técnicas. Parlamentares pensam solicitar que seja incluído um item no edital, exigindo que o teste prático de direção seja realizado por servidores públicos, e não por funcionários terceirizados. O Código de Trânsito Brasileiro proíbe que os exames de direção veicular sejam aplicados por terceirizados, situação que ainda ocorre no Estado. Na verdade, não haveria necessidade de a governadora Yeda Crusius (PSDB) fazer uma concorrência tão apressada. Bastava chamar funcionários da Polícia Civil que operavam o Detran, antes da sua transformação em uma autarquia independente, para que assumissem os trabalhos por um determinado período. Aliás, é conveniente que se diga: em todo tempo que o Detran ficou nas mãos da Polícia Civil, jamais se teve uma crise de corrupção tão violenta que a que se desencadeou na autarquia, a partir dos últimos seis anos.

Partidos e vereadores aguardam com ansiedade a prestação de contas de candidatos em Porto Alegre

Vereadores eleitos, candidatos que não conseguiram se eleger, partidos e eleitores em Porto Alegre mal contêm a curiosidade para examinar as prestações de contas de alguns dos candidatos que obtiveram as maiores votações na capital gaúcha. A maior curiosidade, sem dúvida, é quanto aos números que sairão da prestação de contas do vereador Mauricio Dziedricki (PTB). Ex-secretário municipal de Obras e Viação, não há qualquer motivo político relevante que explique o motivo para um salto de votação tão grande. Uma das explicações para isso é a maciça campanha publicitária que ele promoveu em torno de seu torno. O outro, uma vistosa campanha de rua, na qual despontou como organizador o ex-diretor geral do DMLU, Garipô Selistre (ex-PPS). O vereador petebista já está dizendo que gastou apenas modestíssimos 180 mil reais em sua campanha, o que beira a uma piada. Ele pode se preparar para ter sua campanha devassada, se os números forem esses. Em Porto Alegre, em função das restrições para propaganda eleitoral, nesta campanha, imperou o voto comprado. Como funciona isso? Da seguinte maneira: um candidato, por meio de seus operadores de campanha, paga para alguém fazer a boca de urna. Esta realização de boca de urna é pura fantasia. Na verdade, o contratado está é vendendo um certo número de votos na sua família. Isto pode explicar algumas vistosas votações sem qualquer explicação.