quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Google anuncia redução de funcionários terceirizados

A Google anunciou a redução do quadro de trabalhadores terceirizados e prestadores de serviços. A medida, que vem no bojo na crise mundial, não tem a intenção de demitir trabalhadores contratados, diz a empresa. "Pensamos na supressão de contratos assinados há algum tempo, antes mesmo da fase aguda da crise econômica", disse a porta-voz Jane Penner. A companhia da Califórnia não revelou quantos contratos seriam revistos. Ainda segundo o Wall Street Journal, a Google terminou o terceiro trimestre com 20.123 prestadores de serviços, além de 10 mil contratados. Nos últimos dias, a empresa já havia anunciado o corte de gastos com festas de Natal. Na primeira quinzena de novembro, as ações do Google caíram 6,5%, e ficaram abaixo dos US$ 300,00 pela primeira vez desde o fim de 2005. Os papéis da empresa já perderam 50% do valor neste ano na bolsa eletrônica Nasdaq.

Economista prevê que saldo da balança comercial deve subir em 2009

O economista-chefe do Citigroup no Brasil, Marcelo Kfouri, disse nesta terça-feira que o saldo da balança comercial brasileira de 2009 deverá ter um desempenho melhor do que neste ano, o que pelas suas próprias palavras vai na contramão da maioria dos analistas. "Isso ocorrerá devido à valorização do dólar" ante o real, disse Kfouri, que espera um saldo de US$ 40 bilhões para o próximo ano. Segundo o relatório Focus desta semana, a previsão dos analistas ouvidos pelo Banco Central para o saldo da balança em 2009 é de US$ 13,71 bilhões. O aumento do saldo se daria por dois motivos. O primeiro é a melhora da competitividade das exportações brasileiras, e a segunda porque reduz o ímpeto das importações.

Senado mantém a obrigatoriedade de uso de terno e gravata no Congresso Nacional

A Mesa Diretora do Senado Federal rejeitou nesta terça-feira proposta do senador Gerson Camata (PMDB-ES), que acabava com a obrigatoriedade do uso do terno e da gravata nas dependências do Congresso Nacional. Todos os demais integrantes da Mesa, além de Camata, votaram contra a proposta por considerar "inadequada" a adoção de outra vestimenta no Legislativo. O presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), disse que a maioria dos integrantes da Mesa, incluindo ele próprio, tem resistências a flexibilizar o uso do terno e da gravata porque são "conservadores". "A proposta não encontrou a receptividade que era esperada por ele tendo em vista que os senadores já estão acostumados [com o terno e a gravata]. Neste ponto, eles são conservadores. Eu estou inscrito nesse grupo daqueles que acham que não chegou a hora de abrir mão do paletó e da gravata", disse Garibaldi. Camata queria adotar na Câmara e no Senado o modelo da ONU (Organização das Nações Unidas), nos Estados Unidos, que aboliu o uso do terno e da gravata entre os funcionários para economizar energia elétrica. Como se vê, o senador Camata, que parece não ter coisa mais importante a tratar, gostar de imitar a ONU. Com o que ele se compara?!!!! Cartas para a redação.

Ministério Público aciona ex-presidente da Funasa por suposto superfaturamento

O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou ação de improbidade administrativa contra o ex-presidente da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), Paulo Lustosa. A ação atinge mais cinco servidores da Funasa. A ação questiona irregularidades ocorridas na contratação da empresa OSM Consultoria para fornecimento de software corporativo de gestão de recursos humanos, em março de 2007. De acordo com a Procuradoria, foram encontrados problemas como o direcionamento da licitação, o superfaturamento de preços e o pagamento por serviços não realizados. A fraude causou prejuízo de quase R$ 4 milhões aos cofres públicos.

Presidente do Supremo diz que não é razoável governo fazer Orçamento por medida provisória

O ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, voltou a criticar nesta terça-feira o excesso de medidas provisórias editadas pelo governo Lula. Ao afirmar que o modelo das MPs deu "sinais de exaustão" que impedem o Congresso de legislar, Gilmar Mendes defendeu mudanças no rito de tramitação das medidas provisórias. "Espero que o Congresso Nacional faça esse modelo, lembrando que o Supremo tem censurado as medidas provisórias de crédito extraordinário porque o governo está fazendo o seu Orçamento por MP. Isso não é razoável", afirmou. As críticas sobre o excesso de MPs ganharam força na semana passada, quando o presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), devolveu ao Poder Executivo medida provisória que regulamenta as entidades filantrópicas brasileiras. A expectativa de Mendes é que o Supremo seja consultado a respeito do ato de Garibaldi Alves.

Chanceler de Israel alerta para perigo fundamentalista na América do Sul

A Ministra de Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, está muito preocupada com as atividades do Irã na América do Sul, compreendendo um número elevado de funcionários em suas embaixadas, que poderiam participar em atos de terror, de acordo com uma avaliação feita por seu ministério. A semana passada marcou os 13 anos do ataque ao edifício da comunidade judaica em Buenos Aires, a AMIA, em que 85 argentinos foram mortos e mais de 300 ficaram feridos. Há alguns meses, um juiz argentino determinou que o Irã e o Hezbollah foram os responsáveis pelo ataque, e a Interpol emitiu pedidos de prisão internacionais para sete oficiais superiores iranianos e para Imad Mughniyed, chefe da unidade islâmica do Jihad do Hezbollah, assassinado em fevereiro de 2008, em uma misteriosa explosão em Beirute. Os peritos em segurança vêem, há anos, considerando as áreas fronteiriças entre Paraguai, Argentina e Brasil como um foco do terror dos iranianos e do Hezbollah. O Irã tem aberto embaixadas na Nicarágua, Equador e Chile, e tem aumentado laços comerciais e visitas por oficiais militares a estes países. O Irã igualmente ampliou suas missões na Venezuela, Uruguai, México e Colômbia. A ministra Tzipi Livni disse que estas embaixadas têm um numero astronômico de diplomatas, absolutamente desproporcional às suas necessidades. Na Nicarágua, por exemplo, há 30 diplomatas iranianos, com um número similar na Venezuela e em outros países. Israel teme que eles sejam agentes dos serviços de informação igualmente envolvidos no terror. Jerusalém está igualmente alerta com a aliança emergente entre o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad e o presidente venezuelano, o tiranete caribenho Hugo Chavez. Nos últimos dois anos, Chávez foi a Teerã seis vezes, e Ahmadinejad visitou Caracas duas vezes. Um vôo direto entre Teerã e Caracas, que reabastece em Damasco, já transportou milhares de iranianos. Livni acrescenta que, de acordo com relatórios internacionais dos serviços de segurança, a Venezuela pretende vender urânio ao Irã para avançar o programa nuclear dos iranianos, e tem forjado documentos para transporte de equipamentos que envolvem o programa nuclear do Irã. A Venezuela igualmente pretende ajudar a produção de energia nuclear pelo Irã, ao vender óleo destilado para esta finalidade. Por causa dos fundos iranianos no Exterior que foram congelados, Teerã está transferindo algumas de suas contas para bancos venezuelanos. O Irã é fornecedor de armas para a Venezuela, e suporta o programa de armamento de Chávez. Israel tem dito para alguns países latino-americanos que o Irã está pondo em perigo a paz no mundo com o terror e com seu programa nuclear. Alguns países demonstraram interesse no assunto e pediram dados de inteligência e contra-terrorismo a Israel. Aí está, é óbvio que o tiranete de fancaria do Caribe está expondo a América do Sul a grande perigo, com seus delírios de poder.