domingo, 7 de dezembro de 2008

Lula estuda limitar autonomia do Banco Central para estabelecer juros

O presidente Lula vai aguardar a decisão do Banco Central nesta semana sobre a taxa de juros para tomar uma decisão mais firme, a interferência política pública e assumida para forçar uma queda da taxa básica de juros caso o Banco Central insista em manter os juros no atual patamar ou não sinalize que vai baixar a taxa no próximo ano. A Selic está hoje em 13,75% ao ano. O Copom (Comitê de Política Monetária), órgão do Banco Central que se reúne a cada 45 dias para fixar os juros, terá o último encontro deste ano nestas terça e quarta-feiras. Lula avalia estabelecer limites à autonomia formal concedida ao Banco Central desde quando o petista chegou ao poder, em 2003. Lula deseja uma queda de 0,25% da taxa de juros, como sinal de que será iniciado um processo que ajudaria a animar os agentes econômicos. Lula enfrenta a primeira grande crise econômica internacional em seu governo, e que poderá destruir as realizações de sua administração de seis anos. Conselheiros de Lula dizem que o Banco Central já perdeu o “timing” para reduzir os juros.

Montadoras têm R$ 12 bilhões parados nos pátios

A indústria automobilística não conseguiu reverter o fraco desempenho de outubro e fechou novembro com 305.660 carros no estoque. Esta quantidade de veículos parados nos pátios das fábricas e concessionárias, a maior desde setembro de 2001 (200 mil unidades na ocasião, para 57 dias), corresponde a 56 dias de vendas e representa um custo de R$ 12 bilhões para as montadoras. Da veda de 3,060 milhões de unidades previstas anteriormente, o volume caiu para 2,815 milhões unidades. Mesmo assim será 14,33% superior aos 2,462 milhões de veículos que foram emplacados em 2007. Já a produção, antes estimada em 3,425 milhões, atingirá 3,240 milhões de unidades em 2008, volume 8,8% superior aos 2,977 milhões de veículos que foram fabricados em 2007. Em novembro a produção de veículos caiu 34,4% sobre outubro, de 296.871 unidades para 194.879 unidades.

Aeronáutica conclui que pilotos do jatinho Legacy desligaram o “transponder”

Os pilotos do jatinho Legacy que colidiu em pleno vôo com o Boeing da Gol em setembro de 2006, matando 154 pessoas e causando a segunda maior tragédia da aviação comercial brasileira, manusearam o “transponder” de forma errada. É o que mostra o relatório final da Aeronáutica sobre o acidente. Se estivesse operando normalmente, o equipamento teria evitado o desastre, porque é ele que aciona o TCAS, sistema anti-colisão capaz de desviar o avião de qualquer alvo sólido que esteja à frente, mesmo à revelia dos pilotos. O relatório revela que o “transponder” do Legacy foi manuseado de forma errada pelos pilotos e entrou em "stand by" inadvertidamente. O mecanismo TCAS seria a última chance de impedir o choque, depois de uma série de erros, desde displicência até falta de comunicação, tanto dos pilotos norte-americanos Joe Lepore e Jan Paladino, do Legacy, quanto dos controladores do Cindacta (Centro Integrado de Defesa Aérea e de Controle de Tráfego Aéreo), em Brasília e em São José dos Campos (SP), de onde o Legacy decolou para seu primeiro vôo. A investigação, comandada pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), foi detalhada não só em texto, mas numa reconstituição de tudo o que se passou com os dois aviões. O trabalho tem mais de duas horas e foi todo feito com base nos dados das caixas-pretas e dos radares em terra. No sábado a Aeronáutica confirmou que irá apresentar o relatório final às famílias das vítimas na quarta-feira, em Brasília. As famílias foram convidadas para participar da apresentação do documento.

Governo Lula isenta de IPI empresas que doarem produtos para Santa Catarina

O governo Lula zerou temporariamente a alíquota do IPI para as empresas que fabricarem e doarem os produtos às vítimas das chuvas em Santa Catarina. A isenção valerá enquanto permanecer o estado de emergência no Estado. Até a noite de sexta-feira a Defesa Civil havia confirmado as mortes de 120 pessoas devido às chuvas. Ao menos 32.946 pessoas continuavam desalojadas ou desabrigadas no Estado, e outras 31 pessoas estavam desaparecidas. A idéia é estimular as doações por parte dos empresários aos desabrigados e desalojados catarinenses por conta das enchentes. De acordo com o decreto assinado pelo presidente Lula devem constar nas notas fiscais de saída a redução de alíquota do IPI e o governo de Santa Catarina como destinatário. O decreto presidencial passa a valer em todo o País a partir desta segunda-feira.

Organização judaica dos Estados Unidos pede cautela ao Brasil na relação comercial com Irã

O presidente do Comitê Judaico Norte-americano, Richard Sideman, reuniu-se na última quinta-feira com o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, para debater a "ameaça iraniana" e pedir ao Brasil maior cautela em sua relação comercial com Teerã. Sideman pediu que o governo brasileiro reveja seus acordos bilaterais com o Irã para evitar o fortalecimento econômico do país, maior inimigo israelense, no que considera um contrasenso às sanções impostas pela ONU. Os Estados Unidos e Israel afirmam que Teerã mantém programa nuclear para fabricação de armas. "O Irã será capaz de se sustentar economicamente por causa de acordos independentes e bilaterais como os que mantém com o Brasil", disse Sideman, presidente do grupo internacional de defesa dos interesses da comunidade judaica, com sede nos Estados Unidos. Ele ressaltou que o Brasil, como uma nação cada vez mais poderosa no cenário global, tem grande influência em discussões globais e pode efetivamente influenciar o modo como a comunidade internacional lida com a questão do risco nuclear iraniano. "O Brasil tem mais poder que um país pequeno como Israel. E a questão primordial que levantamos é que, se o Brasil agisse mais, o Irã não seria capaz de continuar desenvolvendo armas de destruição de massa", disse Sideman, que criticou o silêncio brasileiro diante destas questões.

Santa Catarina confirma 13 casos de leptospirose e Saúde investiga 312 suspeitas

Subiu para para 13 o número de casos confirmados de leptospirose no Estado, segundo boletim divulgado na sexta-feira pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica. Segundo o órgão, o número de casos suspeitos mais que dobrou no Estado: de 144 notificações passou para 312 na sexta-feira. Segundo especialistas, as enchentes elevam os riscos de contaminação da doença. Quem apresentar sinais de febre, cefaléia e mialgia (dores no corpo), que tenha sido exposto à água ou lama de enchente nos 30 dias anteriores à data do início dos sintomas, deve procurar uma unidade de saúde. Os casos confirmados são das cidades de Guabiruba (2), Itajaí (2), Joinville (2), São José (1), Guaramirim (1), Brusque (1), Gaspar (1), Camboriú (1), Navegantes (1) e Palhoça (1).

Henrique Meirelles pede serenidade a empresários diante de efeitos da crise

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, pediu serenidade aos empresários e disse que as crises nem sempre podem ser evitadas, mas que o governo Lula tem trabalhado para que o Brasil atravesse esses momentos "mais rapidamente que outros países, e com mais força”. Conforme relatório do IBGE divulgado na última sexta-feira, a produção industrial brasileira caiu em dez de 14 regiões do País em outubro. As maiores variações foram as registradas nos Estados do Espírito Santo (-5,7%), Rio Grande do Sul (-5,5%) e na região Nordeste (-5,1%). Na semana passada o IBGE informou que a produção industrial do País desacelerou 1,7% em outubro frente ao mês anterior, após crescimento de 1,7% em setembro.

Oposição condena discurso de "baixo calão" de Lula sobre a crise

A bancada do PSDB na Câmara dos Deputados se manifestou na sexta-feira para criticar os termos usados pelo presidente Lula ao falar sobre a crise econômica mundial no Rio de Janeiro, na última quinta-feira. Na ocasião, Lula usou expressões como "diarréia brava" e "sifu" ao discursar no lançamento do Fundo Setorial do Audiovisual. Segundo nota divulgada no site do PSDB, os dirigentes do partido consideraram de "baixo calão" o discurso de Lula. O líder da bancada do PSDB, José Aníbal (SP), condenou o "comportamento inadequado do presidente". "A oposição registra um comportamento inadequado do presidente, que comete destempero verbal no trato de uma crise que não é imaginária, mas real", disse ele. O discurso, em que Lula afirmou ser importante que não se entre em clima de desespero por conta da crise, foi incluído no site do Planalto sem os termos polêmicos. "Imagine se um de vocês fosse médico e atendesse um paciente doente. O que você falaria para ele? Olha companheiro, você tem um problema, mas a medicina já avançou demais, a ciência já avançou demais, nós vamos dar tal remédio, você vai se recuperar? Ou você diria: Sifu? Vocês diriam isso para um paciente de vocês? Vocês não falariam", afirmou Lula na ocasião.

Odebrecht nega que advogado de ONG que pediu liminar sobre Jirau seja da empresa

Irineu Meirelles, diretor da Odebrecht, negou que advogados da empresa trabalhem para a FBOMS (Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, uma instituição petista, financiada pela Fundação Ford), que entrou na Justiça contra a construção da usina de Jirau, no rio Madeira (RO). O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse na sexta-feira que o advogado dos ambientalistas era o mesmo da construtora. Irineu Meirelles admitiu que o advogado Cleyton Conrat Kussler trabalhou para o consórcio MESA (Madeira Energia S.A.), responsável pela construção da usina de Santo Antônio, também no rio Madeira, e no qual a Odebrecht tem participação minoritária, na desapropriação de terras de ribeirinhos na região, mas que não há nenhum tipo de contato direto com a empresa e nenhum contrato. "A Odebrecht não tem nenhum relacionamento com esse advogado, nenhum contrato", disse Meirelles. O secretário-executivo da FBOMS, Ivan Marcelo Neves (na foto, ao lado de Lula), também negou que a entidade tenha qualquer ligação com a Odebrecht e que esteja usando o advogado da empresa. Segundo ele, a ong contratou Kussler para fazer cumprir a decisão da Justiça de Rondônia, que mandou suspender a obra, mas que esse contato não teve nenhuma ligação com a Odebrecht. "Se ele falou, ele tem que provar, porque isso é mentira. A gente nem conhece nem sabe quem são os advogados da Odebrecht. Se for assim, eu digo que o Minc tem ligação com a Enersus", rebateu ele. De acordo com Neves, o advogado da ONG é Magno Neves, coordenador geral da Assembléia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente do Rio de Janeiro. É impressionante como essas ongs petistas se envolvem com o mundo empresarial.

José Alencar pede "esforço" a empresários para que não aconteçam demissões

O governo Lula tem preocupação especial com o desemprego neste atual momento da crise, disse o vice-presidente José Alencar, na tarde de sexta-feira, ao se reunir com lideranças empresariais na sede da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), onde ele e o ministro Guido Mantega (Fazenda) coletaram impressões e reivindicações. "A conseqüência de um problema como essa crise, no campo econômico, é o aspecto social. É o desemprego. Esse que é o grande problema. A coisa mais triste que tem é um chefe de família perder o emprego nessas horas. Por isso um dos objetos de recomendação de nossa parte foi que as empresas façam um esforço muito grande, em todos os setores, antes de demitir um cidadão", disse o vice-presidente José Alencar após o encontro. Além da usual defesa da queda dos juros (que chamou de "incongruente" ao pedido do próprio presidente Lula) para que as pessoas continuem consumindo, o vice-presidente ainda questionou a necessidade do governo federal dar "um tratamento mais igualitário" à economia brasileira. Ou seja, tomar medidas de maior proteção comercial. "Vamos dar tratamento igualitário à economia brasileira. Vamos defender os nossos interesses legítimos, independentemente dessas convenções que eles, os países desenvolvidos, falam mas não respeitam", afirmou José Alencar, com um discurso em linha com os pedidos da indústria.

Paralisação de sindicatos e patrões deixa Argentina sem combustível

Uma paralisação conjunta de patrões e sindicatos causou um sério desabastecimento de combustível na Argentina, onde pairava a ameaça de uma interrupção por tempo indeterminado das vendas, informaram fontes empresariais. O protesto, organizado pela Multisetorial de Empresários Pymes e pelos Trabalhadores de Postos de Gasolina, pede mais rentabilidade para o negócio e a defesa das fontes de trabalho. Longas filas de carros e motos se formavam em cidades de todo o país para abastecer nos poucos postos que abriram na última sexta-feira. "Perdemos a paciência”, disse Rosario Sica, da Câmara dos Proprietários de Postos de Gasolina. A Federação de Empresários de Combustíveis, outra entidade da Multisetorial, informou que a adesão à greve chega a 98% em todo o território argentino, com 250 postos fechados só em Buenos Aires.

Celso Pitta recorre à Justiça para impedir que Polícia Federal "vaze" informações da Operação Satiagraha

Celso Pitta, ex-prefeito de São Paulo, protocolou na Justiça Federal de Brasília uma ação com pedido de tutela antecipada para proibir que a Polícia Federal "vaze" informações da Operação Satiagraha que envolvam seu nome. A ação foi ajuizada na última terça-feira e prevê multa de "valor não inferior" a R$ 50 mil por ato "vazado". Na última terça-feira o ex-prefeito culpou a repercussão negativa que a operação da Polícia Federal causou à sua imagem como justificativa para as dificuldades financeiras pelas quais passa atualmente. Segundo ele, após ter sido preso em julho, quando a operação foi deflagrada, muitos de seus clientes cancelaram contratos com ele. Na ação, Pitta pede que Justiça "se abstenha de divulgar à imprensa qualquer notícia pertinente ao inquérito policial que denigra, exponha (prévia e covardemente) a imagem do autor frente a opinião pública". O ex-prefeito também pede uma indenização de 2.000 salários mínimos por danos morais sofridos durante sua prisão na Operação Satiagraha.

Dólar fecha a semana cotado a R$ 2,47 após incisivas ações do Banco Central

O mercado de câmbio teve um dia bastante volátil na sexta-feira, com as cotações da moeda norte-americana oscilando entre o pico de R$ 2,62 e o piso de R$ 2,42, o que forçou o Banco Central a intervir por cinco vezes nos negócios. Nas últimas operações de sexta-feira, o dólar comercial foi cotado a R$ 2,479, o que representa um recuo de 2,24% sobre a taxa de quinta-feira. O Banco Central vendeu moeda no mercado à vista por três vezes, sem conseguir deter a escalada das taxas, duas vezes pela manhã e mais uma vez à tarde, às 15 horas. Pouco minutos depois, às 15h15, a autoridade monetária voltou a atuar no mercado de moeda, oferecendo um montante de 30 mil contratos de "swap" cambial aos bancos, que tomaram 19.420 desse total, em uma operação de US$ 951,8 milhões. E quase no encerramento dos negócios, às 15h45, a autoridade monetária voltou à carga, oferecendo outros 10.580 contratos de "swap". Mais uma vez a demanda ficou abaixo da oferta e os bancos tomaram 7.800 desse montante, em uma operação de US$ 374,9 milhões. O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou que as intervenções no mercado de câmbio somam quase US$ 50 bilhões desde o 17 de setembro. Faltando cinco dias para a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária), o mercado futuro de juros voltou a rebaixar os juros futuros para 2009, 2010 e 2011. No contrato com vencimento em janeiro de 2009, a taxa projetada caiu de 13,52% ao ano para 13,51%; no vencimento de janeiro de 2010, a taxa projetada recuou de 13,67% para 13,32%; no contrato com o vencimento de janeiro de 2011, a taxa prevista cedeu de 14,15% para 13,65%. Com toda essa crise da economia internacional, o Brasil continua com as maiores taxa de juro do mundo.

Henrique Meirelles diz que Banco Central não tem meta para cotação do dólar

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse na sexta-feira que a instituição não tem metas referentes para cotação do dólar diante do real. Em discurso, durante evento promovido pela Abinee (Associação Brasileira das Indústrias de Eletro-Eletrônica), Henrique Meirelles afirmou que políticas de controle da moeda estrangeira já se mostraram ineficazes no passado. "O Banco Central não tem meta para taxa de câmbio, nem defende uma cotação específica", disse ele.

Estados Unidos perderam 533 mil postos de trabalho em novembro e desemprego vai a 6,7%

A economia dos Estados Unidos eliminou 533 mil empregos no mês de novembro, chegando assim a 11 meses consecutivos de fechamentos de postos de trabalho no país, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho. O corte de empregos no mês passado foi o maior desde dezembro de 1974, quando os Estados Unidos estavam em meio a uma recessão e a economia perdeu 602 mil postos de trabalho. A taxa de desemprego, por sua vez, subiu e chegou a 6,7%, a mais alta das duas administrações do presidente norte-americano George W. Bush. O total de desempregados nos Estados Unidos já atingiu 10,3 milhões, sendo que 2,2 milhões estão sem emprego há mais de 27 semanas. Ainda de acordo com o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, desde o início da recessão, em dezembro de 2007, o número de pessoas desempregadas aumentou em 2,7 milhões. Além disso, o departamento revisou para cima o dado de outubro, que ficou em uma perda de 320 mil (contra o dado inicial, de 240 mil), e o dado de setembro, que passou para 403 mil (contra 284 mil na leitura preliminar). O dado de novembro ficou muito acima do previsto por analistas e investidores, que previam uma perda de 330 mil empregos. Os números apenas reforçam a situação de recessão em que os Estados Unidos se encontram desde dezembro do ano passado, segundo o Escritório Nacional de Pesquisa Econômica.

George Bush admite que economia dos Estados Unidos está em recessão

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, admitiu na sexta-feira que os dados divulgados sobre o mercado de trabalho do país (a perda de mais de meio milhão de empregos e uma taxa de desemprego em 6.7%) refletem o fato de que a economia norte-americana está em recessão. Mesmo assim, segundo ele, ainda é possível ver alguns sinais animadores. "Minha administração está comprometida em assegurar que nossa economia tenha êxito e sei que a próxima administração compartilha desse compromisso", disse ele. Em seu discurso, Bush afirmou que o Congresso americano deve examinar nos próximos dias a situação das montadoras norte-americanas e a indústria automotiva do país deve fazer escolhas difíceis não apenas para sobreviver, como também para prosperar. O Departamento do Trabalho informou hoje que no mês passado a economia dos EUA perdeu 533 mil empregos, chegando assim a 11 meses consecutivos de fechamentos de postos de trabalho no país. Foi a maior queda no número de empregos no país desde dezembro de 1974, quando os Estados Unidos estavam em meio a uma recessão.

Número de devedores de hipotecas bate recorde nos Estados Unidos

A porcentagem de mutuários nos Estados Unidos que não honrou os pagamentos mensais de suas hipotecas subiu ao número recorde de 6,99% no terceiro trimestre do ano, informou a MBA (Associação de Bancos de Hipotecas) na sexta-feira. O registro, que se refere a mutuários que estão atrasados em pelo menos um pagamento da hipoteca, representa uma alta de 0,58% frente ao segundo trimestre e de 1,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. A porcentagem de hipotecas em processo de execução também se situou em nível recorde no último trimestre e chegou a representar 2,97% do total, o que significa uma alta de 0,22% frente ao trimestre anterior e de 1,28% em relação ao mesmo período de 2007. A associação destacou em comunicado o aumento no número de casos nos quais o atraso no pagamento da parcela mensal era de três meses ou mais, sobretudo nos estados da Califórnia e da Flórida.

Ingrid Betancourt agradece ajuda do Brasil e chama Lula de irmão

A ex-candidata à presidência da Colômbia, Ingrid Betancourt, encontrou-se na sexta-feira em São Paulo com o presidente Lula para agradecer a participação do Brasil nas negociações que terminaram na sua libertação, em julho deste ano. A franco-colombiana foi resgatada em uma operação militar organizada pelo governo de Álvaro Uribe, após ter sido mantida refém das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína) por cerca de seis anos. Na saída do encontro, Ingrid Betancourt disse que considera Lula "um irmão". O presidente Lula condenou a ação das Farc e disse que a organização não vai conseguir impor seus ideais políticos com ações violentas. "Não se ganha eleição seqüestrando as pessoas", afirmou ele. Ingrid Betancourt disse que 2008 foi um ano ruim para as Farc e que este é um bom momento para o grupo refletir sobre os reféns. "Não há justificativa política para se manter os reféns", afirmou ela. Ingrid Betancourt disse que não pretende voltar à política na Colômbia e que vai lançar um livro de memórias para contar as experiências vividas nos seis anos em que esteve presa na selva. "Eu ainda não tive tempo de pensar no que eu quero fazer, mas sei o que eu não quero. Eu não quero fazer parte da política colombiana. Ainda falta muito tempo para a política que eu sonho, com valores, venha a existir. Ficarei fora de circuito por pelo menos seis meses para escrever um testemunho".

Dólar pressiona menos e inflação fica abaixo da expectativa

A pressão do dólar em novembro foi menor do que a verificada no mês anterior, e a influência do câmbio sobre a inflação medida pelo IPCA (Índice Geral de Preços ao Consumidor Amplo) foi pouco significativa. Para a coordenadora de Índice de Preços do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Eulina dos Santos, diferentemente de outros choques cambiais, há mais variantes que amenizam a pressão da moeda norte-americana sobre a inflação, como a queda das commodities no mercado internacional. Eulina dos Santos comentou ainda que o mercado pode estar segurando os repasses da moeda. Ela citou como exemplo promoções à vista que estão sendo oferecidas pelas montadoras, para compensar a piora nas condições de financiamento que são oferecidas. Fora as commodities, alguns produtos influenciados pelo dólar, como o microcomputador (de -1,92% para 1,78%), ficaram mais caros em novembro. No caso do aparelho de DVD, no entanto, houve desaceleração de outubro para novembro (de 3,60% para 1,01%). Isso, segundo Santos, mostra que o efeito do câmbio não está claro sobre a inflação.

Canadá perde 71 mil postos de trabalho em novembro

A economia canadense perdeu 71 mil postos de trabalho em novembro, o que colocou a taxa de desemprego em 6,3%, informou na sexta-feira o órgão público Estatística Canadá. Esta perda é a maior experimentada pelo país em um mês desde junho desde 1982. O número, três vezes superior ao calculado pelos analistas, provocou queda do dólar canadense. A maior queda do emprego concentrou-se na província de Ontário, coração industrial do país, que perdeu 66 mil postos de trabalho. O órgão público disse que o setor industrial "foi golpeado com dureza" em novembro com uma perda líquida de 38 mil empregos. O órgão de estatística também assinalou que, desde 2002, o setor industrial perdeu 388 mil postos de trabalho.

Presidente da Petrobras diz que projetos no pré-sal foram calculados com barril a US$ 35

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou na sexta-feira que os investimentos para exploração de petróleo na camada pré-sal estão mantidos, pois foram calculados com base em um barril de petróleo custando US$ 35,00. Segundo ele, esse valor está sendo considerado para o "Teste de Longa Duração", que será iniciado na bacia de Santos, em março do próximo ano, com uma produção entre 15 e 30 mil barris por dia durante 18 meses. "As informações desse teste serão usadas na primeira produção de petróleo na camada pré-sal, que será iniciada no fim de 2010", disse Gabrielli. Ele explicou que nesse período de testes será apurado o valor necessário do barril para viabilizar a produção na camada. "O custo do barril para o pré-sal vai mudar", disse o presidente da Petrobras, que não quis revelar o custo atual da produção, mas disse que está abaixo de U$ 40,00 por barril. Gabrielli revelou que até o fim do ano deve concluir a revisão de mais de 600 projetos da empresas que estão sob análise neste momento em função da queda do preço internacional da commodity.

Crise econômica mundial faz a Honda abandonar subitamente a Fórmula 1

A Honda, segunda maior montadora japonesa, anunciou subitamente, na sexta-feira, em Tóquio, que deixa a Fórmula 1 em conseqüência da crise econômica mundial. A saída da Honda praticamente determina a aposentadoria do piloto brasileiro Rubens Barrichello, além de brecar as pretensões de chegada à Fórmula 1 dos pilotos brasileiros Bruno Senna e Lucas Di Grassi. O anúncio da saída da Honda da Fórmula 1 foi feito pelo presidente da Honda Motor, Takeo Fukui. "Esta decisão difícil foi tomada em conseqüência da rápida queda da indústria automobilística, provocada pela crise norte-americana, com o estreitamento do crédito e a recessão das economias mundiais", explicou Fukui, visivelmente emocionado. Ele acrescentou que a empresa ainda não decidiu sobre a venda da escuderia e pediu desculpas aos pilotos, funcionários e torcedores da equipe Honda por esta retirada precipitada, que representa uma duro golpe para a principal categoria do automobilismo mundial. A Honda terminou a temporada 2008 na nona colocação no Mundial de Construtores, com apenas 14 pontos. A Honda também forneceu motores e assistência técnica à equipe escuderia Super Aguri, que deixou a Fórmula 1 em maio por dificuldades financeiras. A equipe japonesa estreou na F1 como construtora em 1964, no Grande Prêmio da Alemanha. Conseguiu a primeira vitória na Itália em 1967 e, um ano depois, deixou a categoria para que a marca concentrasse recursos no desenvolvimento de um veículo de turismo compacto. A Honda retornou à F1 como fornecedora de motores, de 1983 a 1992, e conseguiu muitas vitórias, principalmente com os brasileiros Nelson Piquet e Ayrton Senna, além do francês Alain Prost. A montadora japonesa retornou ao "circo" em 2000, associada à equipe anglo-americana BAR para a concepção de um carro equipado com motor Honda. A cooperação durou seis anos, até a criação da escuderia Honda Racing F1 Team, em 2006, coroada com uma vitória do britânico Jenson Button na Hungria no mesmo ano. A crise financeira e o crédito reduzido nos países desenvolvidos têm afetado fortemente a Fórmula 1. O GP da Austrália tem um déficit de 27 milhões de dólares. A França desistiu do Grande Prêmio de 2009, o que não ocorria desde 1955. O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, fez um alerta em outubro sobre a viabilidade econômica da Fórmula 1 e pediu às escuderias que apresentassem propostas para reduzir custos. O inglês Jenson Button já havia assinado com a Honda para a temporada de 2009 do Mundial de F-1 e, com o anúncio do fim da equipe, ficou a ver navios. A equipe Honda foi colocada à venda e ainda uma fraca possibilidade de a escuderia disputar a temporada de 2009. O inglês Bernie Ecclestone, principal dirigente da F-1, afirmou na sexta-feira que já existem vários interessados na compra da estrutura da Honda. "Eu acho que está tudo bem. Há um número de pessoas lá fora que se mostraram muito interessadas em entrar na F-1. O interesse vem de suas áreas. Na verdade, assim que coloco meu telefone no gancho, já tenho que atendê-lo novamente para conversar com alguém sobre o assunto", disse Ecclestone.

Mercedes quer reduzir pela metade os gastos na McLaren

Depois da Honda anunciar sua saída da principal categoria mundial do automobilismo, a Mercedes, fornecedora de motores da McLaren, quer reduzir pela metade os gastos da equipe. "Estamos trabalhando muito sobre as medidas para reduzir os custos e nos próximos dois anos devemos alcançar uma redução de pelo menos 50%", disse Norbert Haug, dirigente da Mercedes Motorsport, empresa acionista da McLaren. O dirigente afirma que a McLaren não corre riscos de sair da F-1: "Nossa participação na F-1 está construída sobre bases sólidas e em grande parte pelo financiamento dos nossos patrocinadores. A retirada da Honda é muito triste. Demonstra a importância da redução de gastos, uma medida que defendemos por mais de cinco anos e que só se realizou em uma pequena parte".

Taxa de aprovação a Lula bate novo recorde e alcança 70%

Pesquisa Datafolha mostra que o governo Lula é considerado ótimo ou bom por 70% dos brasileiros, maior aprovação de um presidente desde 1990. Nenhum presidente no Brasil, desde a redemocratização, atingiu esse patamar. O recorde anterior já pertencia ao próprio Lula: 64% o avaliavam positivamente em setembro. A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 28 de novembro. Segundo o levantamento, Lula conta com a avaliação positiva da maioria da população em todos os segmentos socioeconômicos e regiões do País. Isso já ocorria no levantamento de setembro, mas agora Lula teve reforçado o apoio, sobretudo entre os mais jovens (mais nove pontos), os mais escolarizados (mais nove) e no Sudeste (também mais nove pontos). O Nordeste segue como principal área de apoio a Lula: 81% o avaliam como ótimo ou bom.

Supremo exclui advogados de investigação sobre vazamentos na Operação Hurricane

O Supremo Tribunal Federal decidiu na última quinta-feira suspender as investigações contra advogados suspeitos de vazar informações sigilosas da Operação Hurricane, deflagrada pela Polícia Federal em abril de 2007. A operação policial investiga uma quadrilha especializada na compra de sentenças para beneficiar a máfia do jogo. A investigação contra os advogados havia sido determinada pelo ministro Cezar Peluso, do Supremo. Ele não participou do julgamento de quinta-feira, em que o plenário do Supremo aceitou o pedido impetrado pelo presidente do Conselho Federal da OAB, Cezar Britto. A maioria dos ministros entendeu que, quando mandou abrir o inquérito para apurar o vazamento, o ministro Peluso cumpriu apenas seu dever funcional. Mas que, em virtude desse ato, os advogados passaram a ser considerados os principais suspeitos, mesmo que Peluso não tenha feito expressamente essa indicação. Entre os advogados investigados estava Nélio Machado, advogado do banqueiro Daniel Dantas no processo resultante da Operação Satiagraha.

Construtoras lideram doações para Beto Richa em Curitiba

O prefeito reeleito de Curitiba (PR), Beto Richa (PSDB), teve construtoras como as maiores financiadoras para sua campanha nas últimas eleições. A Construtora Triunfo e a Camargo Corrêa lideram o ranking de doações, com R$ 300 mil cada uma. Na prestação de contas de campanha do prefeito de Curitiba, uma empresa de loteamentos, com atuação restrita à capital paranaense, a Piemonte Construtora e Incorporações, se destacou ao contribuir com R$ 201 mil. A Piemonte, que apresenta em seu site dois lançamentos de loteamentos em Curitiba, suplantou a maior empreiteira paranaense, a CR Almeida, que aparece com doações de R$ 200 mil. As doações da CR Almeida foram divididas entre o Comitê Financeiro Municipal do PSDB e para o próprio candidato. A Centauro Seguradora, com três contribuições nos meses de agosto, setembro e outubro, aparece como doadora de R$ 200 mil à campanha de Richa. Outro grupo que contribuiu com R$ 200 mil para a candidatura de Richa foi o Imcopa, que atua no setor de óleos vegetais e tem sede em Ponta Grossa (PR). Outras empreiteiras tradicionais, como a Mendes Júnior e a Redran Construtora, foram mais modestas em suas contribuições. A Redran fez duas doações, em agosto e setembro, totalizando R$ 120 mil, e a Mendes Júnior contribuiu com R$ 100 mil, mesmo valor da Gerdau.

Empresas ligadas à construção deram R$ 230 mil para a campanha de João Henrique

Empresas ligadas à construção civil doaram R$ 230 mil à campanha à reeleição do prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PMDB), conforme a prestação de contas divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral. No total, o comitê peemedebista arrecadou R$ 2,89 milhões. No final do ano passado, as empresas de construção civil apoiaram o projeto encaminhado pelo prefeito à Câmara propondo mudanças no PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano). O projeto, que foi aprovado em meio a muitas críticas, prevê mudanças radicais no gabarito da orla da capital baiana. Em alguns locais há permissão para construir prédios de até 18 pavimentos. "Não fazemos obras públicas e construímos, no máximo, dois ou três prédios por ano. A doação que fizemos é uma retribuição à cidade em que vivemos e trabalhamos", disse Dênis Guimarães, diretor-comercial da Construtora André Guimarães, empresa que deu R$ 100 mil à campanha. Outra construtora que fez doações para o comitê peemedebista foi a Costa Andrade (R$ 45 mil).

Chrysler contrata escritório de advocacia especializado em falência

A montadora norte-americana Chrysler, em grave crise, contratou um escritório de advocacia especializado em falência, informou na sexta-feira o jornal The Wall Street Journal. De acordo o jornal, a Chrysler contratou há várias semanas o gabinete Jones Day, na perspectiva de ter que conduzir uma reestruturação sob controle judiciário, como permite a legislação norte-americana sobre quebras. As três principais montadoras norte-americanas pedem 34 bilhões de dólares para resolver seus problemas de liquidez. Só a Chrysler avisou na última terça-feira que precisa de sete bilhões de dólares para sobreviver.

Preço do barril de petróleo cai a US$ 40,81, menor preço nos últimos quatros anos

Os contratos futuros do petróleo terminaram com o menor preço dos últimos quatro anos, pressionados pela divulgação de um forte declínio no número de empregos dos Estados Unidos no mês de novembro. O dado contribuiu para reforçar a gravidade da recessão norte-americana e para aumentar a preocupação dos investidores com demanda pelo óleo, segundo operadores. Em meio à queda livre dos preços, analistas do Merrill Lynch disseram que os preços do petróleo podem recuar para US$ 25,00 o barril em 2009, caso a recessão nos Estados Unidos, na Europa e no Japão atinja a China, principal responsável pelo crescimento mundial na demanda por commodities (matérias-primas) nos últimos anos, segundo o Financial Times. O contrato futuro do petróleo com vencimento em janeiro negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) caiu US$ 2,86, ou 6,55%, para US$ 40,81 o barril, com mínima de 40,50, na sexta-feira. Em Londres, o contrato do petróleo tipo Brent para janeiro perdeu US$ 2,54, ou 6%, para US$ 39,74 o barril. Estes foram os menores fechamentos para ambos os contratos desde dezembro de 2004.

Prefeitura de Porto Alegre começa a recolher IPTU de 2009 com 20% de desconto

A prefeitura de Porto Alegre começa a distribuir, a partir do dia 15, através dos Correios, a guia de pagamento em cota única do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e da Taxa de Coleta de Lixo (TCL) de 2009, com desconto de 20% até o dia 2 de janeiro de 2009. A população terá acesso à guia também pelo site da prefeitura (www.portoalegre.rs.gov.br), no ícone “IPTU”, ou diretamente no endereço www.portoalegre.rs.gov.br/iptu/GUIANOVA, mediante informação da inscrição do imóvel. O pagamento poderá ser feito nos bancos conveniados com a prefeitura ou nas casas lotéricas. No IPTU 2009 a prefeitura oferecerá também 10% de abatimento no tributo para os pagamentos à vista efetuados até o dia 10 de fevereiro. “Mais uma vez, haverá apenas correção monetária e descontos iguais aos do último ano", ressalta o secretário municipal da Fazenda, Cristiano Tatsch. A estimativa é de que 50% das cerca de 500 mil guias sejam pagas até o dia 2 de janeiro, o que resultaria em uma arrecadação aproximada de R$ 60 milhões, entre IPTU e TCL.

Prefeito José Fogaça apresenta proposta de Secretaria Extraordinária

O projeto de lei que cria a Secretaria Extraordinária da Copa de 2014 foi encaminhado à Câmara Municipal de Porto Alegre na sexta-feira, pela prefeitura da capital gaúcha. O órgão, que deverá iniciar suas atividades no início de 2009, terá a incumbência de planejar e coordenar as ações voltadas para a preparação da cidade para a Copa do Mundo. A Secopa tem sua origem na necessidade dos municípios cumprirem o rígido caderno de encargos impostos pela Fifa. "Mesmo sendo selecionada em março, quando serão anunciadas as cidades que deverão sediar jogo, se, em algum momento, Porto Alegre não realizar o que foi acordado, será eliminada da competição", explicou José Fortunati, atual secretário de Planejamento, vice-prefeito eleito e futuro secretário para a Copa 2014.

Mais de 300 mil alunos gaúchos participaram da avaliação do rendimento escolar deste ano

A Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul informou que, em levantamento parcial , constatou que mais de 300 mil alunos participaram do Sistema de Avaliação do Rendimento Escola do Estado (Saers), realizado ao longo da semana. O número está dentro do total projetado pela secretaria, quanto à participação de estudantes das escolas estaduais. Na sexta-feira ocorreu a aplicação das provas em instituições de ensino do meio rural. Além da rede estadual, escolas municipais e particulares também puderam participar da avaliação. Os resultados do Saers 2008 serão divulgados no início do próximo ano letivo. Os boletins irão apresentar um panorama dos níveis de aprendizagem dos alunos da 2ª série/3º ano e 5ª série/6º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Médio. As escolas deverão receber um material comparativo entre os dados verificados na avaliação realizada em 2007 com a deste ano. A partir da comparação, as instituições terão condições de identificar fatores que podem interferir no rendimento escolar dos estudantes. Por intermédio de questões que avaliam conhecimentos de leitura/escrita e resoluções de problemas matemáticos, o Saers busca traçar um diagnóstico da construção do conhecimento dos alunos. Os participantes também respondem questionários relativos à sua realidade socioeconômica.