quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Designação de Lacerda para assumir cargo em Lisboa contraria regimento da Polícia Federal

O Ministério da Justiça e a direção geral da Polícia Federal passaram por cima do regimento interno da Polícia Federal para nomear o delegado federal Paulo Lacerda adido policial em Lisboa, cargo criado para acomodar esse personagem incômodo, diretor-geral da Polícia Federal no primeiro mandato de Lula, que deu ao presidente boa parte dos argumentos para sua campanha eleitoral pela reeleição. Lacerda foi exonerado da direção geral da Abin pelo presidente Lula na terça-feira, e designado para o posto em Portugal como prêmio de consolação. Segundo a Instrução Normativa 001/2005 da Polícia Federal, os candidatos a adido têm de passar por um processo de seleção e devem estar na ativa. Paulo Lacerda é delegado aposentado da Polícia Federal. Mas, o que é um regimento para o ministro da Justiça, o peremptório Tarso Genro. Se o “Filinto Muller petista” usou a Polícia Federal para caçar os boxeadores cubanos que desertaram nos Jogos Pan-Americanos e os entregou para a sanha do ditador Fidel Castro, por que se escandalizar com esta outra iniciativa dele?

General Felix critica o envio de dados de computador de Daniel Dantas aos Estados Unidos

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Jorge Felix, criticou a decisão da Justiça brasileira de pedir ajuda aos Estados Unidos para quebrar senhas de discos rígidos de computadores do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity. Os discos rígidos foram apreendidos pela Polícia Federal durante a Operação Satiagraha, que investiga crimes financeiros atribuídos a Daniel Dantas. Felix disse: “Ninguém acha estranho que o FBI ou a CIA tomem conhecimento de uma coisa que a Abin não pode. Não dá para entender. A Abin não pode compartilhar aquilo que a Polícia Federal apura, mas mandam para o FBI ou para CIA?" Ele também voltou a defender a necessidade de parceria entre Polícia Federal e a Abin (Agência Brasileira de Inteligência). Ora, esse general deve ser muito ingênuo. “Parceria” não era o que faltava entre Abin e Polícia Federal, quando o delegado fundamentalista Protógenes de Queiroz comandava a Operação Satiagraha, e grampeava as ligações telefônicas do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal. Nunca é demais relembrar que a Abin, por lei, é proibida de fazer escutas.

Preço do querosene cai, mas empresa aérea descarta reduzir tarifas

O querosene de aviação acumulou queda de 3,71% em 2008. Segundo o Snea (Sindicato Nacional de Empresas Aeroviárias), trata-se do primeiro recuo nos últimos quatro anos. Nesta quinta-feira o combustível terá nova redução de preço, de 16,76%. Apesar disso, o sindicato afirma que, no curto prazo, o consumidor não será beneficiado com passagens mais baratas. De acordo com o Snea, a alta do dólar no segundo semestre eliminou os efeitos positivos da queda do preço do petróleo. De janeiro a julho, o preço do querosene de aviação acumulou alta de 35,32%. O combustível representa 30% dos custos de uma companhia aérea. Afetadas pela alta do petróleo no primeiro semestre, as companhias aplicaram reajustes, principalmente nas rotas mais procuradas por viajantes a negócios, como a ponte aérea Rio-São Paulo. Além disso, fizeram operações de "hedge" (proteção) contra a escalada do preço do óleo que afetaram negativamente os resultados do terceiro trimestre, quando o barril já estava em queda. Segundo dados da FGV (Fundação Getulio Vargas), o valor médio dos bilhetes em 2008 subiu 26,31%.

Crise leva gigante Singapore Airlines a planejar cortes

A Singapore Airlines, maior companhia aérea do mundo em termos de capitalização, negocia a redução de seu corpo de pilotos de aviões de carga a fim de eliminar custos perante a crise no setor. A companhia aérea comercial do país mais próspero do Sudeste Asiático pediu a seus 300 pilotos de aviões de carga que considerem a opção de deixar voluntariamente a empresa, antes que decida aplicar cortes salariais e demitir. "A posição da companhia aérea no negócio do transporte aéreo de carga é muito frágil nesse momento e o panorama para 2009 não é nada animador", declarou o porta-voz de Singapore Airlines, Stephen Forshaw. A Singapore Airlines, considerada pelos especialistas uma das melhores companhias aéreas do mundo, paralisará também uma parte de sua frota de aviões de carga.

Fundador da empresa aérea Gol é acusado de ordenar mais um assassinato

O empresário Nenê Constantino, fundador e presidente do Conselho de Administração da Gol, foi indiciado pela Polícia Civil do Distrito Federal sob a acusação de ser o mandante de mais um homicídio e de uma tentativa de assassinato. Há duas semanas, o empresário havia sido indiciado sob a acusação de ordenar a morte de Márcio Leonardo de Souza Brito, líder de um grupo de 60 famílias que ocupavam um terreno de uma empresa pertencente a Constantino, a Viação Planeta. O crime ocorreu em outubro de 2001. Nos últimos dias, a polícia diz ter concluído, por meio de um exame balístico, que a arma da qual saíram os três tiros contra o líder comunitário (um revólver calibre 38) foi a mesma que matou o motorista de caminhão Tarcísio Gomes Ferreira e feriu o pintor autônomo José Amorim dos Reis em fevereiro daquele mesmo ano. A constatação embasou o novo indiciamento, que também atingiu dois auxiliares de Constantino: João Alcides Miranda, funcionário de uma de suas empresas, e Vanderlei Batista Silva, vereador de Amaralina (GO). O primeiro é suspeito de ter atraído as vítimas para o local do crime, e o segundo, de ter intermediado a negociação entre o empresário e o matador, ainda não identificado. O motorista Tarcísio Gomes Ferreira também morava no terreno pertencente à viação Planeta. Segundo o delegado Luiz Julião Ribeiro, ele foi morto na frente de um trailer que vendia comidas, ao qual foi com a filha de quatro anos. Ainda segundo o delegado, Miranda, funcionário de Constantino, gritou o nome da vítima antes dos tiros. A hipótese da polícia é que ele queria identificar o alvo para o matador. Amorim, outro morador, levou dois tiros, mas sobreviveu. Outro fato apresentado como evidência da relação entre os dois crimes é a distribuição de um folheto entre os moradores do terreno, logo após o primeiro assassinato, com os seguintes dizeres: "Desta vez nos enganamos; da próxima não vamos nos enganar". Para os investigadores, o motivo do assassinato do motorista de caminhão foi intimidar os moradores do terreno e forçá-los a deixar o local. Como a estratégia não teria funcionado, decidiram matar o líder comunitário nove meses depois, o que culminou na saída dos ocupantes do local. Segundo a polícia, após o crime, o vereador Vanderlei comprou um carro de R$ 37 mil, valor que não poderia pagar com seu salário. Os dois inquéritos continuam em andamento, diz o delegado, para a busca de novas provas.

Fed começará a comprar ativos de gigantes hipotecárias neste mês de janeiro

O Fed (Federal Reserve, o banco central norte-americano) anunciou na terça-feira que começará em breve a adquirir ativos dos organismos de refinanciamento hipotecário Fannie Mae e Freddie Mac, em uma medida destinada a ajudar o mercado imobiliário do país, afundado em grave crise. O objetivo é "apoiar os mercados hipotecário e imobiliário e proporcionar melhores condições para os mercados financeiros de modo geral". O programa foi anunciado no dia 25 de novembro, quando o Fed indicou que compraria até US$ 100 bilhões da dívida de Fannie Mae e Freddie Mac, além de outros grupos de menor importância, como o Home Loan Banks e o Ginnie Mae, e até US$ 500 bilhões de seus ativos em dívidas hipotecárias. Os administradores escolhidos são o fundo de investimentos BlackRock, um dos mais prestigiados do país; o Goldman Sachs Asset Management (filial do banco de negócios Goldman Sachs); o fundo de investimentos PIMCO, do grupo Allianz, e o fundo norte-americano Wellington Management.

Equador quer desconto de ao menos 70% nos seus títulos

O Equador vai buscar pelo menos 70% de desconto na recompra dos seus títulos internacionais, que começará neste mês de janeiro, segundo citação do ministro de Política Econômica, Diego Borja. Nomeado para o posto na semana passada, Borja tem como função supervisionar alguns ministérios, entre eles o das Finanças, mas o seu papel na reestruturação da dívida ainda não está claro. No início de dezembro, o presidente equatoriano, o fascistóide Rafael Correa, assustou os investidores ao declarar o calote de 3,8 bilhões de dólares em títulos internacionais, alegando que o débito fora feito de forma "ilegal" por governos passados. Analistas calculam uma redução do valor de face dos títulos de 70% a 90% em uma reestruturação da dívida. Os especialistas prevêem uma negociação difícil, que pode levar anos, já que os donos dos títulos exigem termos melhores do Equador, que, segundo eles, tem recursos para honrar os compromissos. Borja afirmou ao jornal El Universo que planeja leiloar os títulos em janeiro e espera economizar "em capital pelo menos 70%, ou mais". Ele declarou que a recompra é considerada uma prioridade e que o governo vai levantar os fundos para a ação. O ministro também disse ao diário que os títulos com vencimento para 2015 serão excluídos de uma recompra. O valor de face dos títulos são 510 milhões de dólares para os de 2012; 2,7 bilhões de dólares para os de 2030, e 650 milhões de dólares para os de 2015.

Mais um famoso investidor entra para lista de vítimas da fraude de Madoff

Henry Kaufman, um ex-economista do banco Salomon Brothers, conhecido como "Dr. Doom", por suas sempre sombrias previsões financeiras, perdeu milhões de dólares em investimentos ligados ao megainvestidor Bernard Madoff, conforme a edição de quarta-feira do The Wall Street Journal. O jornal diz que Kaufman é "uma das mais proeminentes figuras de Wall Street" vitimadas pela pirâmide montada por Madoff, que arquitetou um fraude que pode chegar a US$ 50 bilhões. O economista de 81 anos, conselheiro do Lehman Brothers e que era presidente do Comitê de Finanças e Riscos da entidade até sua quebra, era cliente da Bernard L. Madoff Investment Securities há mais de cinco anos. Ora, agora dá para entender como Madoff pôde montar, operar e manter por tanto tempo a sua pirâmide fraudulenta. É porque esses analistas não entendem absolutamente nada, a ponto de colocarem fora o seu próprio patrimônio. O nome mais adequado para os tais “analistas financeiros”, “conselheiros” e outros é simplesmente “especuladores”.

Tesouro Nacional limita oferta de novos títulos a R$ 45 bilhões

O Tesouro Nacional terá de enfrentar um mega-vencimento de títulos da dívida interna neste mês de janeiro de 2009. O cronograma mensal de oferta de títulos para janeiro, divulgado na quarta-feira, pelo Tesouro Nacional, informa que os vencimentos em janeiro somam R$ 90 bilhões. Desse total, R$ 86,5 bilhões são papéis prefixados. Mas, a oferta de novos títulos estará limitada a apenas R$ 45 bilhões, o que vai implicar no resgate líquido de papéis ao longo do mês de no mínimo R$ 45 bilhões. O Tesouro informou também que poderá realizar resgate antecipado de Cupom de Juros de NTN-B (papel atrelado ao IPCA), caso haja interesse por parte das instituições financeiras. O primeiro leilão de papéis do ano será no próximo dia 7. O Tesouro vai ofertar em janeiro um leilão de recompra antecipada de NTN-F (título prefixado com prazos mais longos de vencimento em 2012, 2013, 2014 e 2017).