terça-feira, 23 de junho de 2009

Ex-segurança de Lula atua na Petrobras em favor de organizações petistas

Ex-chefe do Gabinete Regional da Presidência da República em São Paulo e um dos mais próximos seguranças do presidente Lula em campanhas políticas, José Carlos Espinoza trabalha, desde abril de 2007, na sede da Petrobras, em São Paulo. A Petrobras é alvo de uma CPI, que ainda aguarda sua instalação no Senado. Espinoza fica no setor de Comunicação Institucional da sede paulista da empresa, mas afirma que sua função é fazer “a interlocução com os movimentos sociais”. Por “movimentos sociais”, entenda-se, deve-se ler uma série de instituições petistas. Ele é terceirizado, contratado pela empresa Protemp, sediada em Santo André. O diretor de Comunicação da Petrobras é Wilson Santarosa, que tem ligações históricas com PT e movimento sindical. Espinoza é um dos 1.150 profissionais da comunicação da Petrobras. Ele foi contratado pela "vencedora da licitação para serviços de apoio profissional suplementares às atividades de comunicação". Durante a campanha eleitoral de 2006, Espinoza se afastou do gabinete da Presidência para exercer, no comitê de Lula em São Paulo, a função de encarregado da agenda do então candidato à reeleição. No meio da campanha foi citado no escândalo da compra do dossiê contra tucanos. Segundo a revista "Veja", ele se reuniu na sede da superintendência da Polícia Federal com Freud Godoy, ex-assessor especial da Presidência, e Gedimar Passos, assessor da campanha, implicados na compra do dossiê. Ainda em 2006, após a prisão dos envolvidos na compra do dossiê, a Folha revelou que o apartamento de Espinoza serviu de local para um encontro entre Freud Godoy e Paulo Ferreira, tesoureiro do PT. Espinoza deixou o cargo no gabinete presidencial depois do caso do dossiê. Ele afirma que pediu a saída por razões pessoais. "Disse que não queria ficar mais no escritório da Presidência, por motivos pessoais", disse ontem à Folha. Questionado sobre como surgiu a oportunidade de trabalhar para a Petrobras, afirmou: "Por conta exatamente do meio de campo que foi pedido para eu fazer entre os movimentos sociais e a Petrobras. Conheço o José Rainha [dirigente do MST], o presidente da Contag [Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura], o pessoal da Fetraf [Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar]". Ele disse que tinha vontade de trabalhar na área do biodiesel e conversou com algumas pessoas do governo, entre elas Gilberto Carvalho, chefe de gabinete de Lula. Informou que hoje acompanha um projeto no Pontal do Paranapanema e um em Mato Grosso. Por conta da CPI, entidades como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) fizeram atos de apoio à Petrobras em vários Estados e acusaram a oposição de querer privatizar a empresa. Espinoza esteve em um desses atos, em São Paulo. Agora se entende, então, como é que e por quê os chamados “movimentos sociais” (entidades petistas) ficam fazendo atos de apoio à Petrobras e contra a CPI.

Dieese aponta nível do desemprego estável em 15,3% em maio

A taxa de desemprego ficou estável em 15,3% em maio, após três meses consecutivos de alta, segundo pesquisa da Fundação Seade e do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, organismo petista), divulgada nesta quarta-feira. O contingente de desempregados nas seis regiões metropolitanas pesquisadas (Belo Horizonte, Distrito Federal, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo) no mês passado foi estimado em 3,298 milhões de pessoas, 41 mil a mais do que no mês anterior. A criação de vagas foi de 81 mil, porém insuficiente para absorver a entrada de 97 mil pessoas no mercado de trabalho. Já o nível de ocupação no País cresceu 0,5%. O total de ocupados nas seis regiões investigadas foi estimado em 17,096 milhões de pessoas, e a PEA (População Economicamente Ativa), em 21,192 milhões. Em São Paulo, a taxa de desemprego ficou em 14,8% em maio, ante 15% de abril, sendo que o contingente de desempregados estimado foi de 1,564 milhão de pessoas, 4.000 a menos do que o mês anterior. Em Belo Horizonte, a taxa foi de 10,8% para 11%; no Distrito Federal foi de 17,5% para 17%; em Porto Alegre foi de 12,1% para 12,6%; no Recife foi de 20,7% para 20,4%, e em Salvador, foi de 20,5% para 21,6%. Entre os principais setores de atividade, o nível de ocupação cresceu em serviços (alta de 0,6%), na construção civil (+1,8%), outros setores (+0,8%) e comércio (+0,2%). A indústria viu queda de 0,6%. Em abril, no conjunto das regiões pesquisadas, o rendimento médio real dos ocupados teve alta de 0,3% e passou a valer R$ 1.210,00 enquanto o dos assalariados subiu 1%, para R$ 1.288,00. Em São Paulo, o rendimento médio real dos ocupados avançou 0,9%, indo para R$ 1.253,00 e o dos assalariados subiu 1,6%, para R$ 1.312,00.

Governo avalia elevar reservas a US$ 300 bilhões

O Ministério da Fazenda defende o aumento das reservas internacionais para US$ 300 bilhões. O nível atual das reservas é de US$ 206 bilhões, segundo o Banco Central. A idéia do Ministério da Fazenda é fechar este ano com pelo menos US$ 250 bilhões. O Banco Central, responsável pela administração dos recursos e compra dos estoques de dólar, concorda com o aumento das reservas, mas não explicita um nível de reservas. Desde o dia 8 de maio, o Banco Central tem feito leilões diários para recomprar divisas que sobraram no mercado. Na verdade, as compras têm superado essa sobra de dólares e já atingiram US$ 4,1 bilhões da primeira semana de maio até o dia 9 de junho. Mantido esse ritmo, as reservas internacionais do País atingir a casa dos US$ 300 bilhões no início do próximo governo.

Jordânia abriga "despensa" de 11 mil anos

A descoberta e a análise de restos fossilizados de cevada no chão de antigas estruturas circulares confirmaram que um sítio arqueológico na Jordânia inclui as mais antigas "despensas" da humanidade. Estes depósitos de comida de 11 mil anos atrás foram essenciais para o homem deixar o estágio de caçador-coletor (dependendo da caça, pesca e coleta de vegetais e frutas) e desenvolver a agricultura e a pecuária. O excedente de comida criado pela "revolução agrícola" permitiu o surgimento das primeiras civilizações. Mas a datação desses silos pré-históricos do sítio de Dhra", perto do mar Morto, indica que o uso intensivo de variedades selvagens de gramíneas aconteceu um milênio antes da domesticação de cereais e o aparecimento e difusão de comunidades sedentárias. A tecnologia para o armazenamento e a conservação de comida incorporada nos silos foi uma das mais revolucionárias da Pré-História, segundo o trabalho dos pesquisadores Ian Kuijt, da Universidade de Notre Dame, Indiana (Estados Unidos), e Bill Finlayson, do Conselho para Pesquisa Britânica no Levante, de Amã, Jordânia. O armazenamento de comida "contribuiu para a domesticação de plantas, estilos de vida cada vez mais sedentários e novas organizações sociais", escreveram Kuijt e Finlayson. O sítio de Dhra" tem entre 11,5 mil e 10,5 mil anos de idade. É um dos mais antigos locais do planeta onde o homem viveu em comunidades sedentárias, no caso entre 40 e 50 pessoas. Até agora já foram achadas em Dhra" dez estruturas ovais que eram usadas como residência e para preparação de alimentos. As pesquisas revelaram pelo menos quatro silos, que deveriam ser usados comunitariamente para a preservação de grãos. E a área promete mais achados. Os pesquisadores só escavaram cerca de 3% dos 6.500 metros quadrados do local.

Sarney gasta verba indenizatória para organizar seu acervo de livros

O presidente do Senado Federal, senador José Sarney (PMDB-AP), utilizou a verba indenizatória destinada ao apoio da atividade parlamentar para contratar uma empresa para organizar seu acervo pessoal de livros e documentos. O acervo fica em sua residência particular, na Península dos Ministros, em Brasília. Em abril e maio, José Sarney pagou R$ 8.600,00 à empresa “Memória Viva Pesquisa e Manutenção de Acervos Históricos”. Foram os seus únicos gastos com a verba indenizatória no período. José Sarney justificou os gastos dizendo que o acervo é um importante instrumento de trabalho e serve à atividade parlamentar. O presidente do Senado disse ainda que as obras lá contidas poderão ser doadas a um órgão público num futuro próximo. É inacreditável.....E ele já foi três vezes presidente do Senado Federal e ainda presidente da República....

Jornal francês Le Monde diz que Marinha captou sinal da caixa-preta do Airbus A330

A Marinha da França teria captado os sinais das balizas das caixas-pretas do Airbus A330 da Air France que fazia o vôo 447, de acordo com informações divulgadas nesta terça-feira pelo jornal francês Le Monde. O minissubmarino Nautile, do Instituto Francês de Pesquisas Marítimas, já teria mergulhado na segunda-feira para tentar encontrar as caixas-pretas do Airbus A330, guiado pelos "fracos" sinais emitidos pelas balizas, afirma o jornal francês. O minissubmarino Nautile, normalmente operado por dois pilotos e um observador, é equipado com braços motores e pinças. O BEA, órgão francês que investiga as causas do acidente, não confirmou as informações do Le Monde e afirma não saber se os sinais eventualmente captados seriam realmente das caixas-pretas. O submarino nuclear francês Émeraude, equipado com potentes sonares, patrulha desde o dia 10 de junho uma área de buscas em um raio de 80 quilômetros. A busca pelas caixas-pretas é feita em uma área com relevo montanhoso de difícil acesso, segundo as autoridades francesas.

Major Curió diz que Exército tinha campos de execução de guerrilheiros do PCdoB

Matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, desta terça-feira, amplia a investigação sobre o destino dos membros da Guerrilha do Araguaia, montada pelo PCdoB na década de 60. A matéria é a seguinte: “O regime militar repetiu, ao longo de 1974, nas matas do Araguaia, o método usado décadas antes pelos franquistas na Galícia para eliminar guerrilheiros republicanos presos. Após a Guerra Civil Espanhola (1936-1939), os vencedores utilizaram o verbo "passear" ao se referirem à "libertação" de presos e à transferência deles das celas para campos afastados das cidades, onde eram fuzilados e deixados em valetas às margens de rios e estradas. No Sul do Pará, os militares brasileiros optaram por dar ao verbo "fugir" um novo significado - execução sumária. Um dos locais de "fuga" de guerrilheiros presos fica no município de Brejo Grande do Araguaia, no Sul do Pará. Pelo menos oito foram mortos numa área conhecida por Clareira do Cabo Rosa. É o que revela o manuscrito Relatório de Prisioneiros, cedido ao Estado pelo agente da reserva Sebastião Curió Rodrigues de Moura. O documento, posterior à guerrilha, indica que morreram no local Antonio Ferreira Pinto, o Alfaiate, em 28 de abril de 1974, Luiz Renê Silveira e Silva, o Duda, em março de 1974, e Uirassu de Assis Batista, o Valdir, em 28 de abril de 1974. Todos passaram por interrogatório na base de Marabá. A escolha do local de execuções teve um caráter simbólico: naquela área o cabo Odílio Cruz Rosa foi morto pelo grupo do guerrilheiro Osvaldo Orlando Costa, o Osvaldão, em 1972. A guerrilha teria feito ameaças a quem resgatasse o corpo. O Exército, então, mandou um grupo especial de 36 boinas pretas, comandado pelo general Thaumaturgo Sotero Vaz, para buscar o cadáver, que só foi recuperado dez dias depois da morte do militar. A área aberta na selva por mateiros, para o pouso de helicópteros na operação de resgate do corpo, passou a ser utilizada na terceira campanha como campo de execução. Após os interrogatórios na Casa Azul, base militar em Marabá, prisioneiros foram levados de helicóptero para lá. Alguns percorriam um trecho de mata até serem mortos. Outros tombavam ao redor da clareira. Os militares costumavam dizer aos presos que o deslocamento tinha por finalidade o reconhecimento de áreas utilizadas pela guerrilha. As informações sobre os campos de execuções foram confirmadas ao Estado por Curió e por dois mateiros ligados a ele. A Clareira do Cabo Rosa é citada quatro vezes como local de "fuga" - termo usado pelos militares para designar uma execução de guerrilheiro - no Relatório de Prisioneiros. O documento ainda faz referências a outros locais de fuzilamento: um trecho não identificado da antiga estrada PA-70, que liga Marabá a Conceição do Araguaia, e à região do Saranzal - onde está a Clareira do Cabo Rosa. Também consta como local de execução a própria base militar de Marabá, a Casa Azul, onde morreu José de Lima Piauhy Dourado, o Ivo, em 1º de novembro de 1973. Em entrevistas ao Estado, Curió aponta ainda o sítio de Manezinho das Duas, na localidade de Somi Homi, em Palestina do Pará, como quarto local de execuções. O guerrilheiro Pedro Pereira de Souza, o Pedro Carretel, um dos mais atuantes no movimento armado, foi um dos executados nesse sítio - ele morreu no dia 6 de janeiro de 1974, segundo o Relatório dos Prisioneiros. Passados 35 anos, tempo suficiente para a formação de uma mata secundária e transformações de terreno, a informação sobre a Clareira do Cabo Rosa não responde a perguntas de parentes dos guerrilheiros sobre a localização de seus restos mortais. Representantes da área de direitos humanos ouvidos pelo Estado disseram que é preciso impedir que os campos de execução, que há 35 anos guardam a memória dos guerrilheiros, virem cenário de espetáculo midiático e show político”.

Justiça investigará contrato entre a Ulbra e empresa do deputado federal Eliseu Padilha

Depois do vice-governador Paulo Feijó, agora chegou a vez de ser investigado um contrato entre o deputado federal Eliseu Padilha, do PMDB gaúcho, com a Ulbra. O contrato, de julho de 2005 a dezembro de 2006, é assinado pelo ex-reitor Ruben Becker e Eliseu Padilha, sócio da empresa Fonte Consultoria, que deveria prestar serviços de organização de palestras e consultoria em áreas estratégicas. Padilha sucedeu o “consultor” Antonio Malman junto ao ex-reitor Ruben Becker. Segundo a auditoria judicial, a empresa de Padilha recebeu R$ 1,4 milhão, mas não haveria provas da prestação dos serviços. Padilha fez parte do grupo de parlamentares que atuou em conjunto na defesa da concessão do título de benemerência para a Ulbra. O outro membro do grupo teria sido o deputado federal Osmar Terra, também do PMDB gaúcho, e ainda o atual prefeito de Canoas, o petista Jairo Jorge. Eliseu Padilha também fazia parte do Conselho de consultores políticos da Ulbra, ao lado dos deputados federais Nelson Proença (PPS) e Germano Bonow (DEM), e do ex-governador Alceu Collares (veja na foto). Alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal por suspeita de participação em fraude em licitações de obras de infraestrutura, o deputado federal Eliseu Padilha (PMDB) agora também tem pedido de investigação da Justiça Federal encaminhado à Procuradoria-Geral da República e à Procuradoria Regional Eleitoral em face desse contrato de prestação de serviço com a Ulbra. A partir de uma auditoria realizada na Ulbra, o juiz federal de Canoas, Guilherme Pinho Machado, remeteu ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, pedido de investigação do contrato entre a Fonte Consultoria Ltda e a universidade. Segundo os auditores, não foi encontrado em poder da instituição documento que comprove a efetiva prestação dos serviços pela Fonte. Na decisão, o juiz federal diz ter identificado indícios de irregularidade. Sem avaliar o objeto do contrato, caracterizado por ele como “nebuloso”, Machado questiona o modo como os supostos serviços foram pagos. Cerca de R$ 1 milhão foi encaminhado por meio de transferências eletrônicas, conhecidas como TEDs no jargão bancário. O restante, porém, teria sido repassado à empresa de Padilha por meio ignorado pelos auditores. Com relação à Fonte Consultoria Ltda, o juiz menciona o fato de que as notas seriam sequenciais e iniciadas a partir do número 1. Para os auditores, a empresa teria sido criada e instalada exclusivamente para negociar com a Ulbra. Outro ponto questionado pelo juiz é o período em que os repasses foram feitos. Ele chama atenção para transferências realizadas durante “a campanha do agente público para deputado federal”. O pagamento, parcelado, transcorreu entre agosto de 2005 e dezembro de 2006, ano em que Padilha foi reeleito para a Câmara dos Deputados. Machado salienta ainda que Padilha participou de “diversas reuniões entre membros do Legislativo e Executivo, com a participação do ex-reitor Ruben Becker e sua equipe de consultores, que marcaram a tentativa de solução do débito da instituição, nas vésperas da exoneração do antigo reitor”.

Aumenta o escândalo, mais um protegido de Sarney, na folha do Senado, dá expediente no Maranhão

No momento em que o presidente do Senado Federal, senador José Sarney (PMDB-AP), estava subindo à tribuna da Casa, nesta segunda-feira, para assegurar aos seus colegas que sempre esteve a serviço da ética, espalhava-se a notícia de que a folha de pagamento da Casa abriga mais um de seus afilhados políticos. Conforme divulgou em seu blog o jornalista Ricardo Noblat, o diretor-administrativo-financeiro da Fundação José Sarney, em São Luís, recebe cerca de R$ 3,2 mil mensais como funcionário do gabinete de senador que foi de Edison Lobão (PMDB-MA), atual ministro das Minas e Energia, por indicação de Sarney, e que agora é de Edison Lobão Filho (PMDB-MA). Raimundo Nonato Quintiliano Pereira Filho, também coordenador de eventos da fundação, uma espécie de memorial de Sarney, está lotado desde 1995 no gabinete, mas não dá expediente em Brasília. De fato, essa gerontocracia da política brasileira transformou o Senado Federal em um bordel.

Caminhoneiro com sintomas de gripe suína está internado em estado grave em Erechim

Um caminhoneiro gaúcho que voltou da Argentina no final de semana foi internado em estado grave com sintomas da gripe suína. O rapaz foi internado na UTI da Fundação Hospitalar Santa Terezinha, de Erechim, no domingo, e transferido nesta segunda para o Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo. O rapaz, de 29 anos, chegou na sexta-feira em Erechim, onde mora, depois de ter ficado 17 dias na Argentina, a trabalho. No sábado procurou o serviço de saúde, quando foi coletado material para exames. O jovem apresentava sinais de gripe e tinha febre alta. No domingo, sua situação piorou. Ele está com dificuldades para respirar e usa máscara de oxigênio. De acordo com o diretor técnico da Fundação Hospitalar Santa Terezinha, Leonel Lanius, o paciente apresenta o quadro clínico da gripe suína.

Prefeitura de São Gabriel decreta situação de emergência por causa da nova gripe e suspende aulas

A suspeita de 17 pessoas contaminadas com a gripe suína em São Gabriel levou a prefeitura a decretar situação de emergência nesta segunda-feira. A partir desta terça-feira as aulas em todas as escolas e creches da cidade estão suspensas por tempo indeterminado. Eventos com aglomeração de pessoas, como festas, shows e cultos religiosos, estão proibidos. Consultas agendadas em postos de saúde estão canceladas. Só serão atendidos casos de urgência e emergência. A medida tem como objetivo evitar proliferação do vírus. O primeiro caso suspeito na cidade foi de uma adolescente de 14 anos, que está internada na UTI do Hospital Universitário de Santa Maria. Os pais dela estão em isolamento domiciliar porque também com sintomas suspeitos da gripe A. O pronto-socorro do Hospital Universitário de Santa Maria atendeu, na manhã desta segunda-feira, dez pacientes da Região Central que, desde domingo, estão com suspeita da gripe suína.

Aumenta para 10 o número de mortos pela gripe suína na Argentina

Três pessoas morreram nas últimas horas na Argentina por causa da gripe suína (AH1N1), com o que já são 10 as mortes pela doença no país. O Ministério da Saúde informou ainda 95 novos casos da gripe, elevando o número de contagiados para 1.213. O Comitê de Crise da gripe, presidido pelo chefe do Gabinete de ministros, Sergio Massa, se reunirá nesta terça-feira para analisar medidas para conter a propagação do vírus no país.

Lula diz que Brasil precisa reverenciar heróis e critica Tarso Genro e Paulo Vanucchi

O presidente Lula mostrou a sua irritação, nesta segunda-feira, com os ministros da Justiça, o peremptório Tarso Genro, e dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, por causa da insistência dos dois na tese da revisão da Lei de Anistia, para apurar e punir crimes de tortura ocorridos durante a ditadura militar. Em uma homenagem ao Apolônio de Carvalho, militante comunista histórico e fundador do PT, realizada pelo consulado da França no Rio de Janeiro, Lula afirmou que o Brasil precisa reverenciar resistentes e perseguidos como heróis, em vez de identificar e punir os algozes. Disse Lula, sem medir palavras: “Ultimamente, ando com umas divergências com alguns companheiros meus. A gente fica chorando muito a morte dos nossos mortos e não os transforma em heróis. A gente fica apenas querendo condenar os algozes e não transforma eles em heróis. Precisamos transformar o Apolônio num herói. O Brasil é um País sem herói”.

Juiz federal Ali Mazloum diz que incomoda Ministério Público

O juiz federal Ali Mazloum, que enfrenta processo administrativo disciplinar no Tribunal Regional Federal da 3ª Região, disse nesta segunda-feira que sua atuação tem incomodado o Ministério Público, que "se considera, às vezes, acima da lei". Mazloum ordenou uma devassa nos arquivos da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e mandou o delegado federal Protógenes Queiroz para o banco dos réus, após a Operação Satiagraha. Aliados defendem que o processo contra o juiz é uma retaliação à sua atuação no caso. De acordo com Mazloum, sete procuradores do Ministério Público são réus em ações que estão sendo julgadas por ele e que tramitam em segredo de Justiça. "Acredito que isso desgostou ou deixou desconfortável essa posição do Ministério Público de se achar, às vezes, acima da lei. Alguns integrantes abusam e isso não sou eu quem está dizendo. Isso é fato público e notório. Existem abusos e está na hora de coibi-los, tomar alguma providência", afirmou ele, antes do encontro promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em São Paulo. Mazloum preferiu não dizer abertamente que considera uma retaliação o processo administrativo no Tribunal Regional Federal. "Não gostaria de dar uma resposta definitiva, mas coincidentemente essa pressão toda veio depois que comecei a decidir nesse processo", disse ele, referindo-se ao fato de ter decretado a quebra do sigilo telefônico do delegado federal aposenta Paulo Lacerda, ex-diretor da Polícia Federal e ex-diretor geral da Abin, por suspeita de ter orientado Protógenes Queiroz na Operação Satiagraha, que investigava o banqueiro Daniel Dantas. Protógenes foi denunciado por quebra de sigilo funcional e fraude processual. O processo disciplinar que Mazloum enfrenta refere-se a indícios de irregularidades de conduta por conta de uma liminar em habeas-corpus para adiar o julgamento de um médico pelo Conselho Regional de Medicina, em 2002.

Banco do Brasil desiste de comprar Banco do Espírito Santo

O Banco do Brasil informou nesta segunda-feira que desistiu da aquisição do controle do Banestes (Banco do Estado do Espírito Santo). Segundo a instituição, a desistência ocorreu de acordo com as duas partes. A negociação havia sido anunciada em fevereiro deste ano. "As partes reafirmam, a despeito da referida suspensão, a disposição de fortalecer a parceria que tem marcado o relacionamento do Banco do Brasil com o Estado do Espírito Santo", afirmou o Banco do Brasil. O Banco do Brasil vem de uma fase em que fechou vários negócios, como a aquisição da Nossa Caixa e parte do Banco Votorantim. O banco não se manifestou em relação ao BRB (Banco de Brasília), com quem mantinha negociações para aquisição. Até o final de abril, o Banco do Brasil possuía R$ 553 bilhões em ativos, atrás apenas do Itaú-Unibanco (R$ 575 bilhões).

Supremo anula decreto de Lula e revoga desapropriação de fazenda invadida pelo MST

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, anulou nesta segunda-feira a desapropriação de uma fazenda invadida pela organização terrorista MST no Ceará. O ministro concedeu um mandado de segurança contra do decreto do presidente Lula, que havia declarado como interesse social para fins de reforma agrária a desapropriação do imóvel rural chamado Fazendas Reunidas Jacaray S/A, localizado no município de Quixeramobim. Lewandowki tomou essa decisão apoiada em uma jurisprudência que proíbe qualquer tipo de avaliação ou desapropriação de um imóvel invadido dois anos depois de sua desocupação. No imóvel em questão, o Incra fez uma vistoria preliminar em julho de 2007, mas ele estava invadido pelo MST. O ministro também levou em consideração outros argumentos dos proprietários do imóvel. Segundo eles, o Incra constatou altos índices de utilização da terra e de eficiência em sua exploração. Os donos da fazenda afirmam que só não atingiu 100% de eficiência porque estava invadido pelo MST e porque todo o município de Quixeramobim vinha sendo castigado por uma estiagem desde 2006. O ministro também aceitou a alegação dos donos da fazenda de que a área de reserva florestal de 551,50 hectares (no imóvel desde 1981) não foi considerada no cálculo de produtividade, o que contrariaria outra jurisprudência do Supremo. Neste caso, a área de reserva florestal não identificada no registro imobiliário não pode ser subtraída da área total do imóvel para o fim cálculo de produtividade, como ocorreu. "Verifico a presença o direito líquido e certo do impetrante", afirmou o ministro, que já havia deferido pedido de liminar em 20 de maio de 2008, mas que agora decidiu a questão no mérito. Esse é governo do PT, um desgoverna que desgoverna contra as leis do Estado Democrático de Direito, e que tem um ato presidencial anulado pelo Supremo.

Vale do Rio Doce recomenda "quarentena" a 90 funcionários no Rio de Janeiro após caso de gripe suína

A Vale do Rio Doce isolou um andar inteiro da empresa no edifício Santos Dumont, localizado na rua Santa Luzia, no centro do Rio de Janeiro, após a confirmação de que um consultor que presta serviços à empresa foi diagnosticado com o vírus da gripe suína, na última sexta-feira. Desde então, cerca de 90 funcionários da empresa que trabalham no 30º andar do edifício estão em quarentena domiciliar, e só devem retornar ao trabalho na próxima segunda-feira. O rapaz havia retornado recentemente de uma viagem à Argentina. Segundo a assessoria da Vale, os funcionários da empresa foram comunicados na sexta-feira sobre o caso e no fim de semana foram informados que não precisariam ir ao trabalho na segunda-feira. A empresa recomendou ainda que qualquer funcionário que teve contato com o consultor e apresente os sintomas da doença procure imediatamente um posto de saúde e comunique a companhia.

Telefônica diz que vai parar de vender Speedy por telefone nesta terça-feira

A Telefônica informou que vai interromper, a partir desta terça-feira, a venda do serviço de banda larga Speedy. A medida foi determinada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), por meio de despacho publicado no Diário Oficial da União nesta segunda-feira. A proibição vai vigorar até que a empresa adote procedimentos para melhorar a qualidade do serviço. Para outros canais de venda, a venda será suspensa "no menor prazo possível", diz a empresa. Até o início da tarde desta segunda-feira, novas assinaturas eram realizadas normalmente. A empresa afirma ter recebido por volta das 18 horas a notificação contendo o despacho integral da Anatel. Entretanto, desde a manhã de hoje o conteúdo da decisão já estava disponível na versão digital do Diário Oficial.

Sarney diz que não vai acobertar ninguém, mas se recusa a “limpar lixeira” do Senado

Depois de ouvir por mais de duas horas discursos de senadores cobrando uma "limpeza" no Senado, o presidente da Casa, senador José Sarney (PMDB-AP), disse nesta segunda-feira que não vai acobertar ninguém. O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) sugeriu que Sarney se licencie do cargo até a apuração das denúncias de irregularidades contra a administração do Senado. "Eu quero dizer à Casa que fique tranquila, que ninguém vai acobertar ninguém e vamos punir, em quatro meses. Já abrimos inquérito, colocamos na Justiça para julgar os culpados, já abrimos sindicância para apurar os fatos. A comissão tem sete dias e estamos caminhando nessa direção", disse ele. No entanto, Sarney se nega a "limpar a lixeira da cozinha" do Senado. "Eu julguei que, quando fui eleito presidente, era para presidir politicamente a Casa e não para ficar submetido a procurar a dispensa ou limpar o lixo das cozinhas da Casa", afirmou Sarney. Vários senadores pediram hoje a Sarney a demissão do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia, que perdeu o cargo depois da descoberta de que omitiu a propriedade de uma mansão de R$ 5 milhões. Sarney foi padrinho de casamento da filha de Agaciel Maia há poucos dias, quando a atual fase da crise da Casa já estava deflagrada. Sarney admitiu que nomeou Agaciel Maia há 14 anos, mais disse que fez isso depois de receber um abaixo assinado de "quase todos os senadores" favoráveis ao servidor. "Fui presidente somente por dois anos, depois fui sucedido por vários outros presidentes que o mantiveram. E agora estou na presidência há quatro meses, e nesses quatro meses eu levantei o problema da reforma administrativa da Casa", afirmou ele. Agaciel é responsável pela assinatura de parte dos atos secretos editados na instituição ao longo dos últimos 14 anos, ao lado do atual diretor-geral do Senado, Alexandre Gazineo. O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) pediu a demissão dos ex-diretores do Senado Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi. "O senhor Agaciel tem que perecer como homem público. Tem que perecer! Não é caso de inventarmos nada que signifique panos quentes em relação a ele. O caso dele e do senhor Zoghbi é caso de demissão a bem do serviço público, por se tratar de figuras que não respeitaram a Casa que os abrigou como funcionários e lhes deu todas a oportunidade de fazerem uma carreira", disse ele em discurso na tribuna do Senado. Ele cobrou de Sarney rompimento com os dois ex-diretores, a quem chamou de "criminosos." O presidente do Senado foi padrinho de casamento da filha de Agaciel. "A época dos panos quentes acabou. Eu torço para que Vossa Excelência seja capaz de dar as respostas que o Senado precisa. Vossa Excelência precisa romper qualquer laço com essa camarilha. Se disser que não tem condições de romper, não terá condições que continuar à frente desta Casa", afirmou. Sarney afirmou que tem feito um trabalho duro para mudar a estrutura do Senado. Sarney disse que ficou surpreso ao ser informado da publicação de atos secretos na Casa, sem ter conhecimento do seu teor: "Ninguém mais do que eu teve surpresa quando soube que esses atos foram publicados”. Sarney também negou que a Casa tenha pago salário ao mordomo da filha, a governadora Roseana Sarney (PMDB-MA). "Todos os senadores são alvo de insultos, calúnias", afirmou Sarney. O mordomo da casa de Roseana Sarney em Brasília recebe salário de R$ 12 mil do Senado Federal. Ele se chama Amaury de Jesus Machado e tem o apelido de “Secreta”, de secretário.

Agaciel Maia nega que tenha chantageado senadores

O ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, negou nesta segunda-feira que tenha chantageado senadores para evitar investigações ou a reforma administrativa da Casa. "Acho que é uma questão pessoal. Não sei porquê o senador Arthur Virgilio me acusa, não sei o que ele tem contra mim", disse Agaciel Maia. O ex-diretor afirmou que não tem mais nada a ver com os contratos do Senado. "Ele fala muito, mas não apresenta provas. Fala de contratos que seriam meus, mas não tenho mais responsabilidade sobre esses contratos. Estou há quatro meses fora, impotente”, afirmou o inefável Agaciel Maia. Ele atribuiu a onda de denuncismo que atinge o Senado à guerra interna de funcionários do Senado: "Pode ser um grupo de servidores que querem usar essas informações para provocar uma guerra no Senado. Como sabem da minha situação atribuem a mim essas informações”. O ex-diretor também negou relação com e-mail que questionou a nomeação da mulher do senador Cristovam Buarque (PDT-DF): "Essa situação já foi publicada. Então qual o interesse em chantagear? Tenho 33 anos de senado e não tenho motivo algum para chantagear qualquer que seja o senador”. Agaciel Maia também negou ter pedido ao chefe do serviço de publicação do boletim de pessoal do Senado, Franklin Albuquerque Paes Landim, para tornar secretos atos de nomeação, exoneração ou aumento salarial do Senado: "Nunca conversei, nunca falei, nunca fui à sala dele. Não sei por qual motivo ele disse isso”. Mas não é mesmo um santinho?!!!!!

Servidor diz que Senado tem esquema para contratar funcionários fantasma

Indignado com a onda de denúncias que atingem a imagem do Senado, o analista legislativo Francisco Tadeu Gardesani Luz decidiu reagir a um esquema de funcionários fantasmas da instituição. Gardesani afirma que vem recebendo salário há mais de um mês sem trabalhar, uma vez que o responsável pelo órgão no qual é lotado não teria conseguido encaixá-lo em nenhuma atividade desde que retornou de uma licença médica. O servidor acusa a diretora da Secretaria de Comunicação do Senado, Ana Lúcia Novelli, de não ter encontrado função para ele no órgão, apesar de ser concursado da instituição. "Estou há quase dois meses sem poder trabalhar por causa da diretora que me propôs que ficasse em casa ganhando sem trabalhar. O que não dá é para ficar em casa ganhando salário. Se existe funcionário fantasma, eu não quero ser mais um", afirmou. Gardesani encaminhou requerimento ao diretor-geral da Casa, Alexandre Gazineo, com o pedido para retomar suas atividades na instituição. No documento, o servidor pede esclarecimentos sobre os fatos e solicita "providências legais, urgentes e cabíveis" para resguardar os seus direitos de servidor. "Estou cansado como servidor concursado e batalhador. Como servidores, não podemos mais aceitar a imoralidade administrativa nesta Casa", afirmou ele. A diretora disse que Gardesani, ao sair de licença médica, mostrou-se insatisfeito com as suas atividades na TV Senado, onde era lotado. Ao retornar à Casa depois da licença, a diretora disse que o servidor ficou alguns dias sem trabalhar até que fosse lotado em outra função. Na última sexta-feira, segundo Ana Lucia Novelli, Gardesani foi lotado na Secretaria de Relações Públicas do Senado, com o trabalho de visitação institucional. "O servidor nunca ficou sem lotação, sempre esteve lotado na área de relações púbicas, para a qual é concursado. Depois de 238 dias de licença, começamos a procurar o melhor local para ele. Estávamos buscando uma melhor atividade para o perfil dele", afirmou. Mas como é gentil e bondosa essa diretora..... Não é mesmo a diretoria que todo mundo gostaria de ter na sua empresa?!!!!

Processos acumulados no Supremo chegam a 106 mil

Um levantamento do Supremo Tribunal Federal divulgado nesta segunda-feira afirma que existem hoje 106.623 processos em andamento na Corte, quase 9.700 processos para cada um dos 11 ministros. Um dispositivo batizado de Repercussão Geral já reduz demanda. A maior parte dos processos se refere a recursos contra decisões de instâncias inferiores. Só os agravos de instrumento somam 53 mil, enquanto os recursos extraordinários representam 40,2 mil processos. Mas outros tipos de ação também se avolumam na mesa dos ministros. Os habeas corpus e os mandados de segurança, por exemplo, chegam a 2.946 e 1.357, respectivamente. Apesar do número elevado, a Suprema Corte diz que, desde abril, os processos distribuídos diminuíram 40,9%, muito em razão da Repercussão Geral, uma espécie de filtro para que o Supremo só julgue os casos de interesse social, e não apenas das partes envolvidas. Em cerca de um ano, o dispositivo dispensou 31 mil recursos extraordinários.

Ministério da Saúde informa que casos de gripe suína no Brasil chegam a 240

O Ministério da Saúde confirmou nesta segunda-feira mais 25 novos casos de gripe suína, o que aumenta para 240 o número de infectados no Brasil. Os novos casos estão em São Paulo (15), Espírito Santo (3), Santa Catarina (3), Distrito Federal (2), Maranhão (um) e Minas Gerais (um). Em todos os casos, equipes da Vigilância Sanitária local fazem busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com esses pacientes. Outros 159 casos suspeitos são acompanhados pelo ministério. Três escolas de São Paulo decidiram antecipar as férias dos alunos por causa da gripe suína. Nesta segunda-feira o Colégio Palmares, localizado em Pinheiros (zona oeste), anunciou que as férias marcadas para 30 de junho foram antecipas e já nesta terça-feira nenhuma classe terá aulas. A decisão, segundo a escola, foi tomada após a mãe de um dos alunos da 8ª série ter informado que seu filho havia sido contaminado pela nova gripe em uma viagem para Buenos Aires, na Argentina.

Procuradoria recomenda arquivamento de inquérito contra José Serra

O subprocurador-geral da República, Francisco Dias Teixeira, enviou parecer ao Superior Tribunal de Justiça recomendando o arquivamento do inquérito contra o governador José Serra (PSDB-SP) pela dispensa de licitação para contratação de empresa Atento para o serviço telefônico 156, em 2005. Na época, ele era prefeito de São Paulo. O inquérito foi instaurado pela Polícia Civil de São Paulo, por requisição do Ministério Público Estadual, que atendeu representação do vereador Paulo Fiorilo (PT-SP). De acordo com a Procuradoria, o consórcio Perfor-Atento-Voz-Optiglobe, contratado para o telefone 156, alterou unilateralmente as condições de prestação do serviço após a posse de Serra. O subprocurador disse que ficou provado que a Prefeitura de São Paulo tentou à época uma solução negociada com o consórcio para a transição do fim da prestação de serviços, mas que ele se recusou a fazer um acordo. Ele afirma que a prefeitura também tentou realizar pregão, mas os valores oferecidos estavam acima do esperado. E que por isso fez a contratação da Atento, que teria feito a melhor oferta de preço. "Tratava-se de serviço de prestação necessariamente contínuo e de grande interesse público. Em tais circunstâncias, estava caracterizada a emergência, pois sua interrupção poderia ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens públicos", diz o subprocurador em seu despacho.

Pedro Simon nega chantagem e diz que Agaciel Maia não tem nada para comprometê-lo

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) negou nesta segunda-feira ter sido chantageado pelo ex-diretor-geral da Casa Agaciel Maia, acusado de assinar atos secretos na instituição. Simon disse que Agaciel não tem em mãos nenhuma informação que possa comprometê-lo, por isso não vê motivos para que estivesse sendo chantageado. "Nunca na minha vida, nem em momentos da ditadura, eu fui chantageado. Se há algo que nunca me atingiu foi a chantagem. Eu não fui procurado, nem direta nem indiretamente, por absolutamente ninguém por eu falar ou deixar de falar. Comigo, não tem", afirmou ele. Simon disse não ter nenhuma preocupação com os atos secretos assinados por Agaciel Maia que supostamente estariam sendo usados como chantagem para um grupo de parlamentares não defenderem punições ao ex-diretor. "Não tenho nenhuma preocupação em relação aos atos e ao que possa acontecer. Minha vida é tranquila, eu posso defendê-la. Eu acho que estamos atingindo o limite do limite. Com toda sinceridade, estamos chegando no momento em que alguma coisa precisa ser feita”. É inacreditável que o senador Pedro Simon ache que está chegando o momento em que alguma precisa ser feita. Só agora? Ele está há quase 16 anos no Senado Federal, nunca viu o que acontecia na Casa? Na opinião de Simon, o Senado está no "fundo do poço" e alguma coisa tem que ser feita na instituição: "Eu estive no interior este final de semana e não me lembro de ter visto algo tão triste. As pessoas falam com a gente com uma espécie de abraço de pesar, como se tivesse morrido alguém, o Senado Federal”.

Polícia faz reconstituição de acidente com ex-deputado que matou dois no Paraná

A polícia do Paraná realizou na noite desta segunda-feira a reconstituição do crime envolvendo o ex-deputado estadual Fernando Carli Filho (PSB-PR), ocorrido em maio deste ano em Curitiba, e que resultou nas mortes de dois jovens. Carli Filho foi indiciado por homicídio com dolo eventual, quando o autor sabe do risco e assume esse risco. A reconstituição ocorreu na esquina da rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi (local do acidente) e foi feita para a realização de um laudo oficial para ser incluído ao inquérito sobre o acidente. O acidente ocorreu na madrugada do dia 7 de maio, quando o carro guiado pelo ex-deputado, um Volkswagen Passat, abalroou violentamente o Honda Fit ocupado pelos jovens no bairro Mossunguê, em Curitiba, pela traseira, passando por cima deles e agindo como um abridor de latas, até decapitando um dos dois rapazes mortos. Gilmar Rafael Souza Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20 anos, morreram na hora. Na ocasião, o deputado estava com a carteira de habilitação suspensa porque excedia o total de pontos permitidos. Ele totalizava 130 pontos, enquanto o máximo permitido é de 20. De acordo com informações do Detran, o deputado possuía 30 multas, desde 2003. Destas, 23 eram por exceder limites de velocidade.

Arthur Virgílio chama ex-diretores de criminosos e cobra de Sarney rompimento com "camarilha"

Em discurso no plenário do Senado Federal, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) disse nesta segunda-feira que o presidente do Senado, senador José Sarney (PMDB-AP), não terá condições de permanecer no cargo se não romper com ex-diretores da Casa acusados de envolvimento em irregularidades. Ao classificar os ex-diretores de "criminosos", Virgílio disse que Sarney deve romper com a "organização criminosa" que comandou a Casa nos últimos anos. "A época dos panos quentes acabou. Eu torço para que Vossa Excelência seja capaz de dar as respostas que o Senado precisa. Vossa Excelência precisa romper qualquer laço com essa camarilha. Se disser que não tem condições de romper, não terá condições que continuar à frente desta Casa", afirmou ele. Com Sarney sentado à tribuna do plenário, Arthur Virgílio disse estar disposto a apoiá-lo caso o presidente do Senado decida "tomar atitudes que levem a Casa ao respeito da opinião pública outra vez". Ele reconheceu que Sarney vive uma missão "extremamente espinhosa", mas cobrou explicações públicas do peemedebista. "Vossa Excelência não necessariamente tem que sobreviver. Quem tem que sobreviver é a instituição Senado Federal", disse Arthur Virgilio. Ele também cobrou que Sarney se explique sobre denúncia de que o mordomo da casa da ex-senadora Roseana Sarney (PMDB-MA) era pago com recursos do Senado. "Explicações têm que ser dadas. Vossa Excelência há de dar essas explicações sobre mordomos trabalhando em sua casa. Tem que dar explicações muito firmes", cobrou. Arthur Virgílio classificou o ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia de "meliante" e "criminoso" ao confirmar que parlamentares estão sendo chantageados pelo ex-diretor.

Corregedor diz que não há elementos para investigar Sarney e que crise no Senado é geral

O corregedor do Senado Federal, senador Romeu Tuma (PTB-SP), afirmou nesta segunda-feira que a crise na Casa Legislativa é geral e política e não leva ao descrédito popular. "Temos uma eleição se aproximando e houve também uma disputa pela presidência da Casa, que dividiu até os funcionários do Senado, que estão desmoralizando um ou outro", disse ele durante almoço-debate promovido pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais), em São Paulo. O senador Romeu Tuma (PTB-SP) disse que Sarney já pediu apuração dos fatos: "Não vejo elementos para investigá-lo”. A disputa entre PT e PMDB pela presidência do Senado trouxe à tona uma série de irregularidades na Casa. Os dois partidos entraram em conflito após a vitória de Sarney sobre Tião Viana (PT-AC) na eleição. Tuma afirmou que a corregedoria está acompanhando as investigações sobre os atos secretos, mas que só é acionada depois que há, de fato, uma acusação contra algum senador.

Senado faz acordo com ex-diretor e permite restauração de apartamento depredado

O Senado fez um acordo com o ex-diretor de Recursos Humanos da Casa, João Carlos Zoghbi (eles acabam se entendendo sempre....), que o autoriza a restaurar o apartamento funcional ocupado por seus familiares até o início deste ano. O imóvel foi devolvido à instituição depredado, como atesta relatório do departamento de engenharia do Senado. Depois de ter dois funcionários flagrados no momento em que tentavam consertar o estrago feito no imóvel, Zoghbi pediu prazo à Casa para reparar os danos, o que pode amenizar a situação do ex-diretor no processo administrativo que responde na instituição. O Senado concedeu prazo de 60 dias para Zoghbi entregar o imóvel reformado, previsto para terminar no início de setembro. É sempre assim, os mesmos tratando com os mesmos, não pode dar em outra coisa. O terceiro-secretário do Senado Federal, senador Mão Santa (PMDB-PI), vai submeter o imóvel a um novo laudo do departamento de engenharia para atestar as condições em que será devolvido oficialmente à instituição. O ex-diretor não estava mais em posse do apartamento quando foi identificada a depredação, mas decidiu corrigir os reparos depois que se tornou pública a informação sobre o estado do imóvel. No final de maio, o filho de Zoghbi, Marcelo, contratou os funcionários para restaurar o apartamento depois que o Senado instaurou sindicância para apurar a suspeita de depredação no local. Frederico Andrade e Elizeu Fialho foram abordados por um veículo da polícia logo depois de deixarem o imóvel. Marcelo chegou ao local propondo aos policiais "resolver tudo" para "deixar o apartamento em condições". O caso foi registrado no boletim de número 318/2009. A chave do apartamento foi devolvida ao Senado por Zoghbi desde que os seus familiares desocuparam o local, há cerca de três meses. O diretor da Subsecretaria de Patrimônio da Casa, Aloysio Novais, entregou a chave para o ex-diretor com o argumento de que Zoghbi reformaria o imóvel. Conforme o laudo com os danos causados no imóvel funcional que ficou sob a responsabilidade do ex-diretor, o apartamento 202, na SQN 112, bloco D, até fechaduras e torneiras foram arrancadas do imóvel. Segundo o documento assinado pelo engenheiro Francisco Mario Ribeiro de Barros, a vistoria foi realizada no dia 14 de maio de 2009. Em março deste ano, Zoghbi foi demitido da Diretoria de Recursos Humanos após ser revelado que ele morava em uma mansão e emprestava o imóvel para os filhos. O apartamento chegou a ser ocupado, inclusive, pela ex-mulher de um de seus filhos.

Presidente do Supremo diz que julgamento de Palocci no caso Francenildo ocorrerá em agosto

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, afirmou nesta segunda-feira que o julgamento do ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, no processo de violação do sigilo bancário (estupro da conta bancária) do caseiro Francenildo Costa ocorrerá em agosto. "Era para eu ter trazido esse caso agora. Mas, em razão dos últimos afazeres, nós passamos para o início de agosto", disse Gilmar Mendes, em São Paulo. Antonio Palocci é acusado de ter usado a força do cargo para determinar a quebra do sigilo fiscal do caseiro, realizado por meio do presidente da Caixa Econômica Federal na época, o trotskista gaúcho Jorge Matoso. O resultado do processo é importante para o ex-ministro decidir seu futuro político. Correntes do PT esperam a decisão para defender seu nome na disputa pelo governo de São Paulo em 2010. Essa possibilidade só se manterá se Palocci for inocentado pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Palocci foi indiciado em 2006 pela Polícia Federal sob acusação de ter encomendado a quebra do sigilo bancário do caseiro. Palocci alegou ao Supremo, na defesa preliminar, que não há provas de que deu a ordem para a quebra.

Gilmar Mendes volta a afirmar que exigência de diploma irá cair para outras profissões

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, voltou a afirmar nesta segunda-feira que o registro profissional de jornalista perdeu o sentido depois que a Suprema Corte acabou com a obrigatoriedade do diploma e que a decisão vai motivar a desregulamentação de outras profissões. "Eu votei na condição de relator e o entendimento que existe hoje é de que a profissão de jornalista não exige uma formação específica. A regulamentação é excepcional. Essa é a primeira decisão de uma série de profissões. Não se trata de um juízo de desvalor", disse Gilmar Mendes durante almoço-debate promovido pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais), em São Paulo.

Deputado comunista propõe eleições diretas nas universidades de São Paulo

O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) protocolou nesta segunda-feira na Assembléia Legislativa de São Paulo um projeto de lei propondo que as eleições nas três universidades públicas paulistas (USP, Unicamp e Unesp) sejam feitas de forma direta. Segundo ele, a comunidade acadêmica seria responsável por eleger o reitor e o vice-reitor das instituições. Videversus faz o seguinte: apóia a proposta do deputado, se ele começar uma imediata campanha pela realização de eleições livres, universais, com todos os partidos que quiserem, com propaganda eleitoral gratuita, em Cuba, Coréia do Norte e China. Topas? Na greve da USP só fascistas comunistas estão paralisados, são grupelhos trotskistas comandados pela LER – QI – Ligada Estratégia Revolucionária – Quarta Internacional. Nem Leon Trotsky agüentaria esses que falam em nome dele.

Gilmar Mendes volta a afirmar que exigência de diploma irá cair para outras profissões

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, voltou a afirmar nesta segunda-feira que o registro profissional de jornalista perdeu o sentido depois que a Suprema Corte acabou com a obrigatoriedade do diploma e que a decisão vai motivar a desregulamentação de outras profissões. "Eu votei na condição de relator e o entendimento que existe hoje é de que a profissão de jornalista não exige uma formação específica. A regulamentação é excepcional. Essa é a primeira decisão de uma série de profissões. Não se trata de um juízo de desvalor", disse Gilmar Mendes durante almoço-debate promovido pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais), em São Paulo.

Estados Unidos vão divulgar 154 horas de conversas telefônicas da era Nixon

A biblioteca nacional norte-americana dedicada ao presidente Richard Nixon (1969-1974) disponibilizará nesta terça-feira ao público 154 horas de conversas telefônicas gravadas na Casa Branca entre janeiro e fevereiro de 1973. Nixon ficou marcado pelo escândalo Watergate, que revelou o conhecimento e envolvimento dele, do Partido Republicano, na instalação de escutas no prédio Watergate, a sede do Partido Democrata em Washington, durante a campanha de 1972. Nixon queria obter informações privilegiadas da campanha adversária para poder desestabilizá-la. O site da instituição informa que a divulgação inclui ainda milhares de páginas de documentos escritos correspondentes à época. Embora ainda não se saiba com detalhes o conteúdo a ser divulgado, a biblioteca antecipou que os temas abrangem desde a política dos Estados Unidos sobre Europa e Oriente Médio, até a evolução das guerras em Camboja e Vietnã. Os documentos incluem também material da CIA sobre a Baía dos Porcos (Cuba) entregue pessoalmente à Casa Branca em 1971 pelo Diretor da Agência Central de Inteligência, Richard Helms, a pedido do presidente. A CIA já publicou alguns trechos em seu site, mas é a primeira vez que se saberá o conteúdo do material recebido pelo governo Nixon. A informação estará disponível no site nixonlibrary.gov, assim como na biblioteca Richard Nixon de Yorba Linda (Califórnia), e nos Arquivos Nacionais de College Park (Maryland). As transcrições das gravações telefônicas não estarão disponíveis de imediato na página da internet, mas o site disponibilizará uma lista com os temas de cada fita e um resumo de seu conteúdo. Isso é que é democracia, não certas porcarias localizadas abaixo do Rio Grande bem conhecidas.