sexta-feira, 17 de julho de 2009

Rio Grande do Sul registra exemplo máximo da cafajestice ideológica

O Rio Grande do Sul registrou cedo da manhã desta quinta-feira o exemplo máximo da cafajestice ideológica ditada por uma penca de fascistas esquerdistas. Os esquerdopatas, chefiados pela presidente do Cpers (Sindicado dos Professores do Rio Grande do Sul, uma entidade que é braço direito histórico do PT), Rejane Fernandes, e pela delirante vereadora Fernanda Melchiona, do PSOL, chegaram cedo à frente da casa da governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB), quando seus netos (que moram com ela, e tinham prova de matemática marcada para o dia) ainda não haviam saído de casa para ir ao colégio. Os psicopatas esquerdóides tentaram invadir a casa da governadora e o resultado final é que o os policiais militares do BOE (Batalhão de Operações Especiais) da Brigada Militar foram obrigados a aplicar um corretivo democrático nos esquerdopatas. Rejane Fernandes, que se diz professora, conseguiu o que queria: um par de algemas e a condução até a delegacia de polícia, para o registro da ocorrência e a abertura do inquérito criminal. Para a delirante vereadora Fernanda Melchiona foi um pouco mais difícil. Ela precisou se oferecer insistentemente para ganhar as pulseiras de prata. Desde 1980, (administração de Amaral de Souza, do antigo PDS), os governos gaúchos têm sido assombrados por essa desgraça para a educação pública gaúcha chamado de Cpers. Na administração subseqüente à de Amaral de Souza, o governador Jair Soares (PDS) ficou sitiado vários meses no Palácio Piratini, abaixo de sinetações, e ficou de tal maneira perturbado que preciso de atendimento psicológica especializado. No governo Pedro Simon (PMDB), os esquerdopatas do Cpers sequer esperaram que o novo governador tomasse posse. Largaram desde o primeiro dia com uma greve que durou mais de três meses. No governo seguinte, o de Alceu Colares, os esquerdopatas do PT promoveram uma gigantesca campanha contra a mulher do governador, Neusa Canabarro, secretária estadual da Educação. Na praça na frente do Palácio Piratini, gritavam o refrão típico de professor público gaúcho desclassificado pela ideologização: “Neusa, Neusa, de cama em cama chegaste a primeira dama”. A cafajestagem ideológica também moveu incessantes perseguições políticas ao governo de Antonio Brito (PMDB). Entretanto, estes pulhas ideológicas portaram-se como os mais fedorentos pelegos durante o governo petista de Olívio Dutra. Nunca se viu exemplo de tanto peleguismo no Rio Grande do Sul como naqueles quatro anos. E continuaram com suas ações delirantes nos governos subseqüentes, de Germano Rigotto (PMDB) e agora Yeda Crusius (PSDB). Mas, jamais um imbecil desses manifestantes ideologizados tinha tido a petulância de se postar à frente da casa do governante e tentar invadi-la. Esses vagabundos fazem a política gaúcha regredir a antes de 1928, quando maragatos e chimangos degolavam-se no Rio Grande do Sul. Umas miseráveis duas centenas de manifestantes, escolhidos a dedo, fazem parecer que o Rio Grande do Sul está fora de controle. É assim que agem fascistas. Os desclassificados chegaram à frente da casa da governadora às 7 horas. Os netos dda governadora Yeda Crusius, de 7 e 11 anos, que moram ela, junto com Tarsila Crusius, saíram de casa chorando. Os desclassificados manifestantes liderados por essa organização fascista chamada Cpers queriam intimidar a governadora Yeda Crusius, sua filha Tarsila e os dois meninos de 7 e 11 anos. A governadora tentou se defender com cartazetes feitos em folha A4. Em um deles escreve: “Vocês não são professores, mas torturadores de crianças”. Mais tarde, ainda pela manhã, ela comentou: “A violência e o absurdo são tão grandes que eu só posso descrever a cena dos meus netos, crianças de 8 e 11 anos, que estavam se preparando para as provas e saíram chorando de casa para poder ter aula. Os manifestantes eram falsos professores porque professor não tortura criança. Não adianta qualquer linguajar rebuscado de qualquer pseudo-líder do Cpers para explicar isso. Não se explica. É uma violência. Eu tive que pedir desculpas aos meus netos porque a avó deles está trocando escolas de lata por escolas de primeiro nível. Já fizemos isso em zonas populares. Eles não querem acabar com as escolas de lata. Eles querem usar isso para os seus propósitos, que não são de liderança de professores, são de uma agressividade, de uma falta de respeito aos direitos impressionante”.

Justiça Federal repele pedido de bloqueio de bens de Yeda Crusius

A juiza federal de Santa Maria, Simone Barbisan Fortis, fulminou na tarde desta quarta-feira outro factóide produzido pela esquerdopatia do PSOL gaúcho para atingir a governadora Yeda Crusius (PSDB). A juiza federal repeliu o pedido do PSOL para que mandasse bloquear os bens de Yeda Crusius. A juíza Simone Barbisan Fortes indeferiu o pedido de indisponibilidade de bens e bloqueios de contas bancárias da governadora Yeda Crusius, do professor Carlos Crusius e do ex-secretário Delson Martini, todos apresentados pelo PSOL. Um dos argumentos da juíza foi o de que o pedido deveria ter sido feito pelo Ministério Público Federal ou pela Polícia Federal. Mas, será que a assessoria jurídica do PSOL, comandado pela deputada federal Luciana Genro, filha do ministro da Justiça, o peremptório Tarso Genro (candidato do PT ao governo do Estado, e em plena campanha eleitoral, com o ativo auxílio da Polícia Federal, sua KGB particular), não sabia disto? Não sabia disto o vereador Pedro Ruas, que é advogado? Mas, Pedro Ruas considerou adequados os argumentos da juíza Simone Barbisan Fortis. Então quer dizer que era de mentirinha a representação do PSOL, era só para fazer marola ideológica e obter repercussão na mídia? E o pedido foi encaminhado para a juíza Simone Barbisan Fortis, que já foi estagiária no gabinete do petista Paulo Pimenta, deputado federal petista de Santa Maria?

Procuradores gaúchos contestam lei que criou a Secretaria da Transparência

A Associação dos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul, uma entidade com enormes afinidades com o petismo, pediu nesta quinta-feira que o Ministério Público Estadual ingresse com ação contra a lei que deu origem à Secretaria da Transparência. A alegação é que quem deve zelar pela legalidade na administração pública é a Procuradoria Geral do Estado. A procuradora que dirige a Associação dos Procuradores deveria esclarecer uma questão: onde ela e seus colegas estavam, e fazendo o que, quando a sua Procuradoria perdeu prazo de cinco anos em processo de execução judicial e jogou mais de 50 milhões de reais na lata do lixo, que deveriam ser pagos pela empresa Incobrasa, do empresário Renato Ribeiro; e também onde ela e seus companheiros estavam quando a sua PGE concedeu parecer favorável, em menos de 12 horas, para que o Detran fizesse uma contratação emergencial, sem licitação, de uma fundação de direito privado, a qual, aliás, nunca sofreu fiscalizado do Ministério Público Estadual, que deveria fiscalizá-la (no caso, não se tem noticia de que o Ministério Público gaúcho fiscaliza, por meio de sua Curadoria das Fundações, como determina a Constituição, as fundações privadas que se fazem passar por extensão das universidades federais, como Faurgs, Fatec e Fundae); e onde ela e seus colegas estavam quando a PGE concedeu aposentadoria em tempo de relâmpago para seu colega Flávio Vaz Netto, ex-presidente do Detran gaúcho, quando o mesmo se encontrava preso na Superintendência da Polícia Federal, em Porto Alegre? É esse tipo de prerrogativa pelo zelo da legalidade na administração pública que ela quer exercer com exclusividade?

Tiranete Chávez alerta para “possível guerra” em Honduras

O presidente da Venezuela, o tiranete Hugo Chávez, alertou nesta quinta-feira que a crise política de Honduras, desencadeada pela deposição do golpista Manuel Zelaya (capacho de Chávez) tende a agravar-se e poderá levar o país a uma guerra civil de alcance regional. Ou seja, o desclassificado tiranete do Caribe está louco para ver sangue, e tem infiltrado seus agentes em Honduras para alcançar este derramento de sangue. O desclassificado Chávez fez as declarações em um almoço em homenagem ao bicentenário da revolução de La Paz, no qual participou junto com os presidentes da Bolívia, Evo Morales, do Equador, Rafael Correa, e do Paraguai, Fernando Lugo. O desclassificado não vai sossegar enquanto não produzir um banho de sangue na América Latina, ao estilo do fascista islâmico do Irã. "Tomara que Deus não queira, mas isso pode terminar em guerra civil, que pode esparramar-se pela América Central, que já foi um vulcão até bem pouco tempo atrás, e as cinzas estão vivas por baixo da terra", afirmou o declassificado Chávez, em um breve discurso depois do almoço oficial.

Mortos por gripe suína no Uruguai chegam a 19

O Ministério da Saúde do Uruguai confirmou nesta quinta-feira mais quatro mortes pela gripe suína no país, onde 19 pessoas já perderam a vida em virtude da doença. A única vítima sobre a qual foram dadas informações era uma mulher obesa de 37 anos que estava internada em uma unidade de tratamento intensivo havia quatro dias. A ministra de Saúde, María Julia Muñoz, disse que o governo fará um estudo minucioso do passado clínico dos pacientes para saber com exatidão que outras doenças eles tinham.

Juiz federal questiona métodos de investigação secretos do Ministério Público Federal

O juiz federal Ali Mazloum, da 7ª Vara Criminal Federal de São Paulo, determinou o envio de ofício ao Conselho Nacional do Ministério Público, órgão constitucional de controle do Ministério Público Federal, para que adote medidas legais contra métodos de investigação secretos adotados pelo Ministério Público Federal de São Paulo. A determinação ocorreu após o juiz analisar um pedido de arquivamento em uma investigação criminal iniciada pelo Ministério Público Federal em novembro de 2003, e mantida em “segredo” (sem o conhecimento da Justiça) até abril de 2009. Segundo a decisão, tratou-se de uma “investigação secreta” iniciada com base em uma carta anônima, com denúncia de um departamento de Polícia Federal que estaria envolvido em um “esquema de corrupção”, incluindo um delegado, um despachante e uma empresa de segurança privada. O procedimento investigatório do Ministério Público Federal teria ficado “parado” por quase quatro anos (até 2007) em poder de um membro da instituição. A decisão relata que, em seguida, outro representante do Ministério Público Federal requisitou “diretamente à Receita Federal” a quebra de sigilo fiscal, dos últimos cinco anos, das pessoas física e jurídica investigadas. De posse das declarações de renda, o procurador acrescentou não ter identificado irregularidades. “Por falta de justa causa”, foi promovido o arquivamento do procedimento, em novembro de 2008, no próprio âmbito do Ministério Público Federal. Entretanto, segundo a decisão, a cúpula do Ministério Público Federal recusou-se a arquivar o procedimento sob o argumento da “gravidade” dos fatos e da existência de “elementos bastantes” para manutenção das investigações baseadas na aludida carta anônima. Foi então que, em abril de 2009, um terceiro membro do Ministério Público Federal resolveu judicializar o procedimento com vistas a obter de algum juiz federal a quebra de sigilo bancário dos investigados e, assim, abrir “outra linha de investigação”. “Mesmo reconhecida a regularidade fiscal dos investigados, partiu-se para a quebra do sigilo bancário, situação que à evidência confunde-se com ato de devassa da vida alheia. E, somente em razão da necessidade do concurso do Judiciário para a obtenção de dados bancários, o procedimento deixou sua carapaça, perdeu seu secretismo, aportando nesta 7ª Vara Federal Criminal após livre distribuição”, afirma Ali Mazloum. Após ter o pedido de quebra do sigilo bancário negado pelo juiz, o MPF desistiu da pretensão e solicitou o arquivamento do feito por ausência de indícios de materialidade do delito. Ao fundamentar sua decisão, Mazloum afirma, ainda, que o anonimato é vedado pela Constituição Federal, não sendo elemento idôneo para amparar medidas invasivas da intimidade do cidadão. A íntegra da decisão encontra-se disponível no site www.jfsp.jus.br em notícias Processo nº 2009.61.81.004404-7.

Estados Unidos condenam ex-funcionário da Boeing por passar informações secretas para a China

Um engenheiro aposentado que trabalhou para a Boeing foi condenado nesta quinta-feira por passar para o governo chinês segredos sobre aeronaves e lançamentos espaciais norte-americanos, no primeiro julgamento de espionagem econômica nos Estados Unidos desde que a lei sobre o tema foi aprovada, em 2006. Chinês naturalizado norte-americano, Dongfan "Greg" Chung, de 73 anos, pode ser sentenciado a até 90 anos de prisão. Chung, que mora no condado de Orange, na Califórnia, trabalhava desde 1973 na Rockwell International, unidade de defesa e espaço que em 1996 foi adquirida pela Boeing, e foi condenado após três semanas de julgamento por conspirar para cometer espionagem econômica, além de seis acusações de espionagem econômica em benefício de um país estrangeiro, um por atuar como agente da República Popular da China e uma por ter dado falsas declarações ao FBI. Ele trabalhou na Rockwell e na Boeing em um programa especial e secreto espacial. Aposentou-se em 2002, mas no ano seguinte voltou à Boeing como funcionário terceirizado. "O Sr. Chung foi um agente da República Popular da China por mais de 30 anos", escreveu o juiz Cormac Carney em um veredicto de 31 páginas. "A confiança que a Boeing depositou no Sr. Chung de salvaguardar suas informações secretas de propriedade e de comércio obviamente significavam muito pouco para o Sr. Chung. Ele deixou isso de lado para servir à República Popular da China, que ele proclamou com orgulho ser sua pátria mãe. O tribunal deve, agora, fazer o Sr. Chung responsável pelos seus crimes”, disse o juiz. Chong foi preso em 11 de setembro de 2006, depois que agentes federais fizeram buscas em sua casa e encontraram mais de 300 mil páginas de documentos relacionadas com lançamento espacial, o foguete Delta IV, os caças F-15, o bombardeiro B-52, o helicóptero CH-46/47 Chinook e outras tecnologias aeroespaciais e militares norte-americanas. Eles também descobriram cartas, listas e diários detalhando a comunicação de Chung com funcionários do governo chinês.

Entidade diz que profissão de pizzaiolo foi citada de forma "pejorativa e depreciativa" por Lula

Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Contratuh (Confederação dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade) repudiou a declaração do presidente Lula sobre os pizzaiolos. Segundo a entidade, a profissão foi citada de forma "pejorativa e depreciativa". Questionado se a CPI da Petrobras acabaria "em pizza temperada com pré-sal", Lula criticou os senadores da oposição que trabalham para que a comissão parlamentar pegue fogo: "Todos eles são bons pizzaiolos". "A profissão de pizzaiolo ocupou papel de destaque de forma pejorativa e depreciativa, ofendendo diretamente uma profissão digna e que merece respeito de toda a sociedade", diz a nota. Segundo a confederação, a Constituição Federal enaltece a dignidade e a valorização ao trabalho humano, não fazendo distinção formal ou material ao livre exercício de qualquer meio de sobrevivência, ofício ou profissão. "Nesse compasso, ainda que se creia que tal declaração se deu de forma impensada, sem a pretensão de se ofender diretamente a esses profissionais, não pode, quem quer que seja, lançar para o centro de um debate, em um palco tão peculiar, nenhuma qualificação que diga respeito ao ofício de um trabalhador, especialmente se houver o risco de se conceder o efeito depreciativo generalizado”, diz a nota. Parece que mais alguns se deram conta que o inefável presidente populista não resista e uma lorota.

Mesmo com 11 mortes, ministro diz que momento é de tranquilidade no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira mais sete mortes em decorrência da gripe suína no Brasil, elevando para 11 o número casos que resultaram em mortes no País. Apesar da confirmação, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, lembrou que o índice de letalidade do vírus é baixo, em torno de 0,5% (média mundial), percentual semelhante ao da gripe comum. "É natural que quando surge uma doença nova surjam dúvidas. Mas o momento é de tranquilidade. Nós temos tudo o que é necessário para dar conta da doença, para atender toda a população", afirmou Temporão. Então tá..... O ministro deve vir ao Rio Grande do Sul, onde morreram sete desses 11 mortos, e espera-se muito mais mortes, porque a incidência da gripe suína no Rio Grande do Sul já é caso oficial de epidemia.

Associação de delegados questiona controle externo da polícia pelo Ministério Público

A Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Brasil) ajuizou no Supremo Tribunal Federal uma Adin (ação direta de inconstitucionalidade) questionando leis e resoluções que tratam do controle externo das atividades das polícias Civil e Federal por parte do Ministério Público. Para a associação, o controle exercido pelo Ministério Público interfere na organização, garantias, direitos e deveres das polícias judiciárias. Isso porque não lhe cabe o poder direto de corrigir irregularidades, nem ilegalidades ou abuso de poder, eventualmente praticados por policiais. A Adepol argumenta ainda que o acesso irrestrito provoca incontroláveis conflitos com o Poder Executivo, ao qual são subordinadas as polícias Federal, dos Estados e do Distrito Federal, e que é impróprio o controle externo por ato administrativo baixado pelo Conselho Nacional do Ministério Público, que sequer detém competência para legislar e estaria, dessa forma, usurpando competência do Poder Legislativo. Na ação, a associação pede que sejam suspensos os artigos que tratam do controle externo para "evitar a incidência de preceitos que contrariam flagrantemente a Constituição da República". Em março, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, criticou a atuação do Ministério Público como órgão responsável pelo controle externo da polícia. Gilmar Mendes também se mostrou preocupado com a participação do Ministério Público no que chamou de abuso da polícia.

ONU defende intervenção estatal em países menos desenvolvidos

Os países menos avançados do mundo requerem uma forte intervenção estatal para gerar excedentes agrícolas e neutralizar o círculo vicioso no qual se encontra esse setor, devido a seus baixos níveis de produtividade, investimentos em retrocesso, e escassez de terras e água. Assim afirma o relatório anual sobre esse grupo de países da Unctad (Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento), que adverte que o desenvolvimento da agricultura será um assunto praticamente de sobrevivência para essas nações. Isso porque é provável que essas nações sejam as mais atingidas pela mudança climática e que continuem sofrendo em extremo o problema de insegurança alimentar. Segundo os dados mais recentes, dos 31 países que atualmente enfrentam crises alimentícias, 21 estão na categoria de países menos avançados, que adicionalmente dependem muito da agricultura para seu crescimento econômico, da criação de emprego e da receita de exportações. Entre as medidas concretas que a Unctad recomenda aos países analisados estão aumentar o rendimento agrícola, prestar mais apoio local aos agricultores (particularmente as mulheres), garantir a posse da terra a eles e estabelecer melhores vínculos regionais para fomentar os mercados. Normalmente, essas conferências da ONU são uma grande inutilidade, porque dominadas pela esquerdopatia.

Movimento Fora Sarney sai da internet e chega ao Senado

Um grupo de estudantes petista entrou nesta quinta-feira no Senado Federal e conseguiu protestar contra o presidente da Casa, senador José Sarney (PMDB-AP). Cada um dos manifestantes trajava uma blusa com uma letra para formar a frase "Fora Sarney". Eles começaram a circular pelos corredores das comissões do Senado, mas foram convidados a deixar o prédio. O estudante que estava com a letra S, de Sarney, foi barrado na entrada do Congresso. Por isso, a frase de protesto ficou "Fora arney". Os estudantes aproveitaram o trajeto entre as comissões e a saída do Senado para gritar: "Fora safado, devolve o Senado" e "Fora Sarney". Os manifestantes reclamaram da pressão dos seguranças para que deixassem o Senado. Seguranças do Senado tentaram reprimir o protesto e impedir a entrada do grupo no plenário da Casa. "Segurança para prender quem desvia, quem rouba o dinheiro público não aparece, mas para nos impedir de manifestar nossa opinião tem até demais", afirmou Hugo Todde, estudante da Universidade de Brasília. Os estudantes carregavam pizzas escondidas nas mochilas. Os seguranças tiraram as pizzas dos manifestantes. É, depois de chafurdar bastante ao lado de Sarney, agora os petistas querem fazer parecer que são contra Sarney, e que ele não é aliado do PT e de Lula. Esse é o petismo.

Ciro Gomes admite possibilidade de desistir do Planalto com candidatura de Aécio Neves

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) admitiu nesta quinta-feira que, se o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), for candidato à Presidência em 2010, ele pode desistir de entrar na disputa. "O governador Aécio sendo candidato à Presidência da Republica, descomprime gravemente a necessidade estratégica de eu apresentar uma candidatura. Não quer dizer que eu eventualmente não tenha que ser, porque isso dirá o meu partido. Mas as necessidades das minhas angústias com relação ao futuro do País, com a presença dele, supondo um enfrentamento dele com a ministra Dilma Rousseff, minha estimada companheira, eu fico feliz porque o País estará em seguras, tranquilas e boas mãos", disse Ciro Gomes. Minha nossa Senhora, o País fica tão penhorado com tamanho despreendimento e com tal dedicação à causa pública..... Ciro Gomes..... como se o País já não tivesse visto quem ele é na campanha presidencial em que se apresentou contra Lula, e com suas respostas tão ponderadas em entrevistas.....

Odebrecht anuncia descoberta de petróleo no mar de Angola

A Odebrecht Óleo e Gás, empresa do grupo Odebrecht, confirmou nesta quinta-feira a descoberta de petróleo no poço Chissonga-1, localizado no Bloco 16, litoral de Angola, na África. É a primeira descoberta internacional da empresa. De acordo com a companhia, o poço alcançou uma profundidade de 4.725 metros, em lâmina d'água de 1.230 metros e apresentou, em testes iniciais de produção, vazão de 6.850 barris de óleo por dia com densidade de 36 graus API. Localizado a 315 quilômetros a noroeste de Luanda, é a primeira perfuração exploratória de um programa de três poços selecionados pelo consórcio para serem perfurados em sequência no Bloco 16 ainda este ano. O consórcio, que atua na região desde 2002, é constituído por Maersk Oil (50% e operador), Sonangol (20%), Odebrecht Óleo e Gás (15%) e Devon Energy Corporation (15%).

Tarso Genro diz que indiciamento de filho de Sarney não tem relação com crise política

O ministro da Justiça, o peremptório Tarso Genro, afirmou nesta quinta-feira que o indiciamento pela Polícia Federal do empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se trata de um processo corriqueiro, e que não tem nenhuma relação com a crise política. "É um trabalho normal, ordinário. Isso não quer dizer que ele seja culpado, quer dizer que ele vai ter que responder a um processo. Isso é normal dentro do Estado de direito democrático. Ocorre com diversas pessoas, em todo o País", disse o peremptório. É óbvio que José Sarney e sua curriola formam um poder oligárquico atrasado que domina a cena política brasileira há muito tempo, com o qual o PT e Lula se aliaram. Mas, também é óbvio que o PT está agora por trás de todas as denúncias contra José Sarney, que teve a ousadia de desafiar o poder petista e ficar com a presidência do Senado Federal. E é óbvio que há bastante tempo o PT prepara o golpe contra José Sarney, utilizando a Polícia Federal, que se transformou em polícia política petista.

Chávez diz que presidente interino de Honduras acabará "na lixeira da história"

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou nesta quinta-feira, na Bolívia, que o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, voltará ao poder e que Roberto Micheletti, que preside o novo governo do país, acabará "na lixeira da história". "Zelaya está comprometido a voltar. Zelaya voltará. Este 'Gorileti' não tem outro caminho que não o da lixeira da história. 'Gorileti' vai para o lixo", disse Chávez, que participa das homenagens ao bicentenário da revolução de La Paz. Pelas declarações tem-se uma idéia precisa do quão desclassificado é esse ordinário tirante do Caribe. Manuel Zelaya é um golpista vulgar, capacho de Hugo Chávez, que pretendeu liquidar com o Estado Democrático de Direito em Honduras usando dos próprios mecanismos do regime democrático. Por isso foi deposto do poder por ordem do Supremo Tribunal de Honduras. Chávez não suporta isso, porque implica em contestar a fonte do próprio poder ditatorial angariado por ele na Venezuela, assim como também já aconteceu com os populistas Evo Morales, na Bolívia, e Rafael Correa, no Equador.

Banco do Brasil fecha acordo com Banco Lemon e amplia rede de atendimento

O Banco do Brasil vai aumentar em 70% a sua rede de correspondentes bancários, como drogarias e supermercados, por meio de um acordo fechado com o Banco Lemon. De acordo com o Banco do Brasil, as empresas que atualmente possuem contratos de correspondentes com o Lemon passarão a ser contratadas diretamente pelo Banco do Brasil. Isso vai significar a transferência de cerca de 6.500 correspondentes para o banco estatal. Criado em 2002, o Lemon é uma instituição financeira que opera exclusivamente por meio de correspondentes, com o objetivo de atender a população de baixa renda. O Banco do Brasil iniciou as operações com correspondentes em 2001 e espera chegar ao final de 2009 com mais de 17 mil correspondentes contratados.

Poder de compra do real diminui em relação ao dólar, segundo índice "Big Mac"

O real se manteve mais forte em relação ao dólar em 2009, mas perdeu terreno na comparação com o ano passado, pelo menos quando o objeto a ser adquirido é o sanduíche Big Mac, segundo o "Índice Big Mac", criado pela revista britânica "The Economist". Por aqui, o sanduíche custa US$ 4,02 (R$ 8,03), contra US$ 3,57 nos Estados Unidos. O índice, criado em 1986 pela então editora da revista Pam Woodall, é baseado na teoria da Paridade do Poder de Compra, que compara preços de produtos semelhantes nos diferentes países considerando uma mesma moeda. Assim, economistas da revista convertem para dólares os preços do sanduíche coletados em diferentes regiões. Então, calculam a relação entre o preço do Big Mac nos Estados Unidos e o seu valor em dólares em cada nação. O percentual resultante dá uma medida da relação entre as duas moedas.

Sonia Sotomayor é aprovada para vaga na Suprema Corte dos Estados Unidos

Após críticas de "ativismo" e dúvidas sobre a isenção da norte-americana de origem porto-riquenha Sonia Sotomayor, os senadores do Partido Republicano não apresentaram nenhuma restrição à juíza escolhida pelo presidente Barack Hussein para chefiar a Suprema Corte dos Estados Unidos. Nesta quinta-feira, ela passou pelo último dia de sua sabatina para confirmação do cargo. "Eu espero ansiosamente que você consiga a aprovação do Senado antes do recesso de agosto", disse o senador republicano Jeff Sessions, principal representante do partido no Comitê de Justiça do Senado, que sabatina a juíza. O senador fez o comentário pouco antes do final do quarto dia de questionamentos a Sotomayor, um prelúdio para a votação no Senado norte-americano que deve confirmá-la como a primeira hispânica na Suprema Corte do país. Qualquer semelhança com as sabatinas realizadas no Senado brasileiro não passam de mera ilusão. No Senado brasileiro o que ocorre é uma sessão de pantomima de circo mambembe de décima-quinta categoria.

Ahmadinejad diz que inimigos ocidentais "não terão uma noite de sono tranquilo"

O reeleito presidente do Irã, o fascista islâmico Mahmoud Ahmadinejad, afirmou nesta quinta-feira que o seu próximo governo vai "derrubar a arrogância global", em um sinal evidente de que não mudará o tom militarista de seu discurso no segundo mandato. O fascista islâmico Ahmadinejad, que faz sua primeira viagem provincial desde o pleito de 12 de junho, afirmou que os inimigos do Irã tentaram interferir e fomentar a agressão no país, em uma referência às duas semanas de protestos em massa da população iraniana contra a monumental fraude que resultou na sua eleição. O fascista islâmico Ahmadinejad ameaçou: "Eles devem esperar uma nova onda de pensamento revolucionário da nação iraniana em seu caminho e nós não permitiremos que os países arrogantes tenha nem uma noite de sono tranquilo". Ele é um irmão gêmeo de Hitler, e queridinho de Lula.

Nova denúncia contra Sarney deve parar no Conselho de Ética do Senado

O líder do PSDB no Senado, senador Arthur Virgílio (AM), disse nesta quinta-feira que vai apresentar ao Conselho de Ética a quarta denúncia contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), pedindo a cassação do mandato do peemedebista por quebra de decoro parlamentar. A nova reclamação leva em conta a denúncia de que gravações da Polícia Federal apontam que Sarney pode estar envolvido diretamente na contratação sigilosa de parentes e afilhados. "Infelizmente vou apresentar. A assessoria está preparando. A situação dele fica cada vez pior, mais ilegítima. Os fatos são estarrecedores, comprometedores não só dele e do seu mandato, mas sobretudo da saúde moral da instituição que ele ainda preside", disse Arthur Virgilio. Para ele, só a saída de Sarney será capaz de acabar com a crise que atinge a Casa. "A presença do presidente Sarney simboliza esse passado de irregularidade que nós temos que virar a página", afirmou. Segundo reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo", interceptações telefônicas realizadas durante a Operação Boi Barrica, com autorização judicial, mostram indícios de que a família do presidente da Casa negociava com o ex-diretor a contratação sigilosa de parentes e afilhados políticos do peemedebista.

Oposição pede mudança na presidência no Conselho de Ética do Senado

As polêmicas opiniões do novo presidente do Conselho de Ética do Senado revoltaram integrantes da oposição. O líder do PSDB, senador Arthur Virgílio, um dos que engrossou o coro dos que duvidavam da independência do peemedebista Paulo Duque para conduzir os processos contra o colega de partido José Sarney, pediu a substituição da presidência do Conselho. Arthur Virgílio alega que o senador Paulo Duque está antecipando posições a respeito das representações contra José Sarney. Um dia depois de ser eleito para o comando do Conselho, Duque voltou a falar. Classificou os atos secretos de bobagens, minimizou o nepotismo no Senado, alegando que a prática existe desde o descobrimento do Brasil e não demonstrou preocupação com a opinião pública.

Ministério Público investiga contas secretas no Senado

O Ministério Público Federal no Distrito Federal abriu nesta quinta-feira investigação para apurar a existência de contas bancárias paralelas à Conta Única do Tesouro Nacional, que é o meio oficial da movimentação de recursos públicos do Senado. Segundo os procuradores responsáveis pelo caso, alguns pontos da denúncia mostram "ato lesivo" ao patrimônio público como, por exemplo, a falta de fiscalização da movimentação, a aplicação dos ativos dessas contas, além de desvio de finalidade no manejo do dinheiro público. José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, tem 10 dias úteis para responder o Ministério Público. Ele terá que informar dados como números das contas-correntes e das agências; os nomes das instituições financeiras envolvidas em alguns processos; e atos normativos que disciplinam o uso de tais contas. Foram encontradas três contas bancárias no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal criadas em 1997 e administradas nos últimos anos pelo ex-diretor-geral, o inefável Agaciel Maia. As contas somam R$ 160 milhões e não estão na contabilidade oficial do Senado nem no Siafi.

Presidente do Conselho de Ética do Senado revela desprezo pela opinião pública

O Senado Federal se esforça por parecer mais cafajeste a cada dia que passa. Nesta quinta-feira, o novíssimo presidente do Conselho de Ética da Casa, o senador sem voto Paulo Duque (PMDB-RJ), suplente de suplente, disse estar confiante e não dar muita importância para a opinião pública. O peemedebista está no comando de uma comissão que deverá julgar uma representação por quebra de decoro e quatro denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). “Não estou preocupado com isso. A opinião pública é muito volúvel. Ela flutua”, disse o inefável Paulo Duque, cujo único mérito para chegar a esse posto é o servir caninamente ao senador Renan Calheiros (aquele modelo de probidade). O novo presidente do Conselho de Ética disse também que não teme eventual cobrança da população, caso o Conselho arquive as denúncias contra Sarney: “Não temo ser cobrado por nada. Quem faz a opinião pública são os jornais, tanto que eles estão acabando”. Que gênio. Isso indica o que é o Senado Federal, infestado por embusteiros que chegaram lá sem ter ganho um voto sequer.

Lula admite que Bolsa Família “pode ser” assistencialista

O presidente Lula defendeu nesta quinta-feira, durante a abertura da 51º Congresso Nacional da União Nacional dos Estudantes (UNE), os programas sociais de seu governo. Ele chegou a admitir que o Bolsa Família pode ser um programa assistencialista, mas disse que é necessário dar assistência aos mais pobres. O presidente também defendeu o ProUni e afirmou que, à época do lançamento do programa universitário para os mais pobres, houve quem dissesse que o governo estaria popularizando demais a universidade: “De vez em quando nós temos adversários. Eu lembro que quando fizemos o Bolsa Família, alguém falava assim: 'E, isso é populismo, assistencialismo’. E pode ser. Porque, no fundo, no fundo, não passa de dar assistência a uma pessoa. Mas, para mim, que posso tomar cerveja no boteco e dar R$ 50,00 de gorjeta, isso não tem nenhum valor”, admitiu Lula.

Grampo mostra negociação de cargo via ato secreto do Senado Federal

Nas gravações reunidas pela Polícia Federal durante a Operação Boi Barrica, bem antes de explodir a crise do Senado Federal, existem elementos que remetem para os escândalos que têm assombrado o presidente da Casa, senador José Sarney (PMDB-AP). Entre as centenas de horas gravadas pela Polícia Federal, com autorização judicial, há telefonemas de Fernando Sarney para o então diretor-geral do Senado, Agaciel Maia. Há, também, referências diretas a nomeações de parentes e agregados do clã Sarney. Uma sequência de conversas gravadas entre março e abril de 2008 detalha uma articulação que pode comprometer ainda mais a situação política do presidente da Casa. As gravações são a prova da ligação de Sarney com Agaciel Maia e com os atos secretos editados pelo ex-diretor para atender a pedidos de seus superiores. Tudo começa quando Maria Beatriz Brandão Cavalcanti Sarney, filha de Fernando Sarney, telefona para o pai, interessada em nomear, no Senado, uma pessoa que, segundo a Polícia Federal, seria o namorado dela. A nomeação seria feita na vaga de um outro agregado do clã, Bernardo Brandão Cavalcanti Gomes, irmão de Beatriz por parte de mãe, que já estava pendurado na folha de pagamento do Senado desde 2003 e tinha pedido demissão. Com o argumento de que a vaga pertencia à família, a neta do presidente do Senado se articulou para colocar no lugar Henrique Dias Bernardes. Ela se mostrou esforçada. Depois de ligar para o pai, fez a conversa chegar ao gabinete do avô. O próprio Sarney aparece nas conversas. Recebeu orientação para que enviasse o currículo de Henrique Bernardes a Agaciel. Deu certo. O meio-irmão de Beatriz fora exonerado em 25 de março de 2008. Em 10 de abril, saiu a nomeação de Bernardes, por meio de um ato secreto assinado por Agaciel Maia. Bernardes foi nomeado como Assistente Parlamentar 3 na Diretoria-Geral do Senado, mesma vaga na qual o meio-irmão da moça passou cinco anos recebendo R$ 2,7 mil.

Polícia Federal procura conta secreta do filho de Sarney na China

A partir de uma das cinco frentes de investigação abertas pela Operação Boi Barrica, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal passaram a rastrear contas secretas mantidas por Fernando Sarney no Exterior. Há pouco mais de um mês, os investigadores pediram auxílio às autoridades chinesas para levantar todas as informações sobre uma remessa de US$ 1 milhão para um banco em Qindao, na China. A Procuradoria-Geral da República teve de fazer até licitação para contratar um tradutor que pudesse transcrever o pedido de cooperação para o mandarim. Além da remessa para a China, estão sob investigações transações em contas em paraísos fiscais do Caribe. O pedido brasileiro foi enviado por meio do Departamento de Recuperação de Ativos do Ministério da Justiça. Na primeira fase da investigação, a Polícia Federal e o Ministério Público reuniram documentos, e-mails e conversas telefônicas que tratam das operações financeiras no Exterior. Conforme as indicações contidas nos documentos, a maioria das contas é movimentada por Gianfranco Perasso, um dos colegas de Fernando Sarney na Escola Politécnica da USP. De acordo com a Polícia Federal, ele é uma espécie de laranja de luxo do empresário. As operações de transferência de recursos passam por bancos de Nova York. Do relatório da Polícia Federal consta ainda cópia de uma autorização, assinada pelo próprio Fernando Sarney, para transferir US$ 1 milhão para uma conta mantida em uma agência do Hongkong and Shanghai Banking, em Qindao. A conta de destino do dinheiro está em nome da Prestige Cycle Parts & Accessories Limited.

Polícia Federal diz que grupo ligado a Sarney queria sangrar cofres públicos

O relatório da Polícia Federal sobre a Operação Boi Barrica, destinada originalmente a rastrear saques suspeitos às vésperas das eleições de 2006, diz que a investigação acabou por esbarrar no que, segundo a própria Polícia Federal, seria a prova de que o grupo do empresário Fernando Sarney se transformou em uma "organização criminosa" instalada na estrutura da administração federal. A partir de escutas telefônicas e documentos obtidos na quebra do sigilo eletrônico dos investigados, a polícia afirma ter chegado a provas de que o grupo usava o poder do sobrenome Sarney para ter acesso, por exemplo, ao Ministério das Minas e Energia e às estatais do setor elétrico, feudos de José Sarney. Outro nicho de atuação do grupo é a Valec, estatal encarregada da construção da Ferrovia Norte-Sul, onde o senador mantém apadrinhados. Os relatórios da Polícia Federal falam na influência de Fernando Sarney junto à cúpula do Ministério das Minas e Energia, ocupado por Edison Lobão (PMDB), indicado de Sarney. Há conversas dos investigados com Lobão e com seu antecessor, Silas Rondeau, outro apadrinhado do senador. Rondeau figura entre os investigados, a exemplo do diretor de Engenharia da Valec, Ulisses Assad, colega de Fernando Sarney na Poli (Escola Politécnica) da USP. Outro integrante da turma que está entre os investigados é Astrogildo Quental, diretor da Eletrobrás.

Associação ligada aos Sarney tentou obter verba para ginecologistas

Ao tentar buscar recursos para uma escola de música para crianças carentes de São Luís (MA), uma entidade que toca projetos da Fundação José Sarney incluiu na proposta enviada ao Ministério da Cultura itens com preço acima de mercado e sem relação com a atividade, entre eles o pagamento de ginecologistas. O projeto, apresentado pela Abom (Associação dos Amigos do Bom Menino das Mercês – a Fundação José Sarney funciona no antigo Convento das Mercês), foi aprovado "com ressalvas" pelo Ministério da Cultura e, por causa do sobrepreço, sofreu um corte de R$ 210 mil. O ministério autorizou investimento total de R$ 978 mil via Lei Rouanet. Agora, quem estiver disposto a bancar a Escola de Música do Bom Menino do Convento das Mercês terá direito a incentivos fiscais. A associação, que já recebeu patrocínios de estatais, procura interessados. Além das suspeitas de sobrepreço e de desvio de finalidade, o projeto cultural revela também a ligação estreita entre a Abom e a Fundação José Sarney, que tem como presidente de honra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Em seu site, a fundação divulga a escola de música como um projeto seu, desde 1993. Além disso, as duas entidades têm sete diretores em comum, entre eles, Ronald Furtado Sarney, irmão do presidente do Senado. No projeto da escola de música, a Abom incluiu orçamento de R$ 24 mil para o pagamento de médicos de diferentes especialidades. O Ministério da Cultura vetou, alegando que esse tipo de despesa não pode ser financiado por meio da Lei Rouanet. Na sede da Abom não há o menor sinal de atendimento médico.