quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Governo gaúcho mostra que pedido petista de impeachment é uma traição ao Estado

Em nota divulgada nesta quinta-feira, o governo do Rio Grande do Sul afirma que a decisão do presidente da Assembleia Legislativa do Estado, o deputado estadual petista Ivar Pavan, de aceitar o pedido de impeachment da governadora Yeda Crusius (PSDB) é um ato "absolutamente pessoal". "A decisão foi tomada com base em documentos fornecidos pela Justiça Federal de Santa Maria, que, examinados pela Juíza Titular da 3ª Vara, os considerou insuficientes, a tal ponto que, preliminarmente, rejeitou os pedidos de afastamento da senhora governadora e a indisponibilidade de seus bens", diz a nota. O governo afirma ainda que o fato causa "enormes prejuízos à imagem do Estado": "A decisão do senhor presidente da Assembléia é ato de cunho absolutamente pessoal e de caráter formal, não tendo qualquer significado de juízo ou mérito do pedido, pois totalmente contrário à apreciação preliminar da senhora Juíza da Justiça Federal de Santa Maria”. E a Assembléia Legislativa gaúcha, com 55 deputados, tem cerca de 35 patetas e palermas que fazem parte da base de sustentação do governo. E ainda assim a imensa minoria do PT e seus satélites chega à presidência e consegue instaurar um processo de impeachment da governadora. Se ainda fosse o Piauí, Roraima, o Acre, ou Rondônia, daria para se entender, mas de trata do Rio Grande do Sul. De onde se depreende que deputados estaduais gaúchos não valem igual a um do Piauí, do Acre, Roraima, Rondônia ou Amapá. O que os gaúchos têm a fazer é trocar no próximo ano essa choldra de representantes que enlameam o nome, a história e a cultura do Estado.

Militar que discutiu com ex-ministro é demitido

O Palácio do Planalto acatou o pedido do presidente de honra do PSB, Roberto Amaral, e publicou no Diário Oficial desta quinta-feira a demissão do major brigadeiro da reserva Antonio Hugo Pereira Chaves, do cargo de diretor de Transporte Espacial de Licenciamento da Agência Espacial Brasileira. Chaves se desentendeu com o ex-ministro de Ciência e Tecnologia, e atual diretor-geral brasileiro da binacional Alcântara Cyclone Space, Roberto Amaral, durante reunião na semana passada, quando se discutia os atrasos do projeto de lançamento do primeiro foguete de teste da empresa, o Cyclone 4, previsto para dezembro do próximo ano. A discussão entre o ex-ministro e o brigadeiro foi áspera. Chaves e Amaral chegaram a esmurrar a mesa, até que o diretor da Cyclone xingou verbalmente o major-brigadeiro que, irritado, jogou um copo de água em Amaral. Esta é a segunda vitória de Amaral e do PSB nos últimos dias. No início da semana, o Diário Oficial também publicou o aumento de capital da empresa em R$ 140 milhões. O capital era de R$ 347 milhões e passou para R$ 486 milhões. Amaral não conseguiu ainda, no entanto, convencer a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a incluir as obras de construção da nova base de lançamento de Alcântara no Programa de Aceleração Econômica (PAC). O projeto do lançamento do foguete está atrasado e o não início das obras de infraestrutura é um dos motivos deste adiamento do cronograma, que desencadeou parte das discussões entre o brigadeiro, que obteve PhD em engenharia espacial na França, e foi designado para o cargo pelos seus conhecimentos técnicos, e Amaral. A Cyclone é uma empresa binacional que nasceu há menos de dois anos, criada pelos governos do Brasil e da Ucrânia, para inserir os dois países no mercado mundial de lançamento de satélites, que movimenta, anualmente, mais de US$ 1 bilhão. Ficou um lição: militares brasileiros não devem discutir com membros da nomenklatura petista, ou membros de satélites do PT, como é o caso do PSB.

Presidente petista da Assembléia gaúcha patrocina espetáculo surrealista de impeachment da governadora

O presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, o deputado estadual petista Ivar Pavan, aceitou nesta quinta-feira o pedido de impeachment da governadora Yeda Crusius (PSDB), apresentado por uma entidade petista, o Fórum dos Servidores Públicos Estaduais do Estado, formado por um conjunto de sindicatos e associações corporativistas, quase todos petistas. O processo de impeachment não tem a menor possibilidade de prosperar, mas o petista Ivar Pavan não perdeu a oportunidade para colocar em marcha a campanha eleitoral petista de Tarso Genro, candidato ao governo do Estado no próximo ano. Agora o processo poderá ser levado, em última instância, até o Plenário do parlamento gaúcho, que é tudo com que sonho o PT. O processo é surrealista. Por que é surrealista? Porque tem como base as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal à 3ª Vara Federal de Santa Maria, comandada pela juíza Simone Barbisan Fortes (ela já foi estagiária no gabinete do então vereador petista Paulo Pimenta em Santa Maria). O que os petistas pretendem ver como indício de forte prova contra a governadora Yeda Crusius? Ora, as conversas do mal-afamado “lobista” Lair Ferst, réu na ação penal da Operação Rodin, que apurou desvio de mais de 44 milhões de reais do Detran gaúcho, a grande maioria desses recursos no governo peemedebista de Germano Rigotto. O que aconteceu com Lair Ferst, delator assumido para receber benesses da Justiça Federal? Ele foi colocado para fora do esquema de desvio de recursos públicos do Detran durante o governo de Yeda Crusius. Ou seja, não pôde continuar mamando em recursos públicos desviados. O que ele fez então? Marcou um encontro com o ex-chefe de escritório do Rio Grande do Sul em Brasília, Marcelo Cavalcanti (que vivia às custas de Lair Ferst), e então gravou uma série de conversa, pretendendo envolver a governadora Yeda Crusius. Até a juíza Simone Barbisan Fortes desdenhou destas “provas” e não concedeu os pedidos feitos pelo Ministério Público Federal em relação à governadora Yeda Crusius. É inacreditável.... Aí o presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, um dos poderes do Estado, retoma o mesmo rumo e abre processo de impeachment com base nesses “provas”, de um delator. Já houve época em que as esquerdas no Brasil abominavam “delatores”, hoje elas se abraçam com os “delatores”. A isso ficou reduzida a político no Rio Grande do Sul. E tudo por causa dos espertos deputados e das direções estaduais do PMDB, PDT e PP, que fizeram um acordo para dar um ano de presidência da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul ao PT. É por causa de espertos assim que o Rio Grande do Sul chafurda na lama da falta de ética e da corrupção. O deputado Ivar Pavan também diz ter se baseado nas conversas telefônicas para abrir o processo de impeachment contra a governadora Yeda Crusius. Ora, é de uma estupidez total, e ainda diz que foi assessorado pelos procuradores da Assembléia (não é de estranhar, porque esses procuradores foram os mesmos que deram assistência ao processo disciplinar do ex-diretor Macalão, demitido de maneira ilegal e reintegrado por ordem judicial). Sobre as conversas telefônicas: a presença delas na ação civil pública é totalmente inconstitucional (Artl 5º da Constituição Federal, Inciso XII, regulamentado pela Lei Federal nº 9296, conhecida como Lei das Interceptações Telefônicas, que diz que interceptações só podem ser autorizadas para investigações e provas em processos penais que envolvam pena de detenção). A interceptação de telefones não pode ser usada para processo cível, e ainda menos para um de improbidade administrativa, que nem crime é. Resultado: parece que é preciso mandar os procuradores da Assembléia de volta para a Faculdade. Quando ao deputado Pavan, ele é inculto, sem educação, mas é um petista esperto, que pretende tirar todo o proveito eleitoral de sua decisão em favor da campanha do petista Tarso Genro ao governo do Estado.

MST tem 72 horas para deixar fazenda invadida em São Gabriel

O juiz da 1º Vara Cível de São Gabriel, Eduardo Furian Pontes, determinou, no final da tarde desta quinta-feira, a reintegração de posse da fazenda Santa Marta e Santa Helena, da família Antoniazzi. A área foi invadida por militantes da organização terrorista clandestina MST, na quarta-feira. Os invasores do MST têm 72 horas para deixar o local, tão logo sejam intimados. Eles estão acampados ao redor da sede da fazenda e querem que o Incra compre a propriedade para transformá-la em assentamento. No mês passado, o instituto desistiu do negócio porque há uma disputa judicial familiar envolvendo as terras. Além disso, terra invadida não pode ser desapropriada, conforme lei federal. Os terroristas do MST estão na verdade fazendo mais um treinamento militar com a invasão da Fazenda Santa Marta e Santa Helena. O MST é o braço armado do PT. Os terroristas querem provocar o governo do Rio Grande do Sul, de Yeda Crusius (PSDB), na desocupação com ordem judicial, a provar um novo morto para que esta morte possa ser utilizada nas eleições do próximo ano. Militante do MST é apenas uma bucha de canhão para os chefetes da organização terrorista clandestina.

Deputado federal Beto Albuquerque quer concorrer ao governo gaúcho

O deputado federal Beto Albuquerque (PSB) está decidido a concorrer ao governo do Estado do Rio Grande do Sul. Além do seu partido, ele acredita que poderia contar com o apoio do PCdoB e do PPS. Mais difícil, muito mais difícil, seria ele convencer o PDT, PTB e PP para apoiar a sua candidatura. Beto Albuquerque foi o secretário estadual de Transportes no governo petista de Olívio Dutra no Rio Grande do Sul, e foi ele que renegociou os contratos das concessionárias de estradas e pedágios, e gerou a dívida de quase dois bilhões de reais cobrados do Estado por esses operadores de pedágio. Já se pode imaginar o que esperaria o Rio Grande do Sul governador por Beto Albuquerque.

Peremptório, Tarso Genro ataca ministro Peluso, diz que terrorista Battisti é "preso político" e que extradição pode abrir crise

O ministro da Justiça, o peremptório Tarso Genro, rebateu nesta quinta-feira as críticas do ministro do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso, sobre a concessão do refúgio político ao ex-militante italiano Cesare Battisti. Tarso Genro, conhecido no Rio Grande do Sul como “garoto de ouro”, disse que Peluso fez um parecer "equivocado" e afirmou que caso o Supremo confirme a extradição pode abrir uma crise entre os Poderes. O ministro disse ainda que desde janeiro de 2007, quando foi concedido o refúgio político ao terrorista Cesare Battisti, o Brasil tem um preso político. Na avaliação de Tarso Genro, os ministros do Supremo estão julgando se podem ou não rever a concessão do refúgio que é prerrogativa do presidente da República. "Seja qual for a decisão vai ser respeitada, mas é necessário dizer que abre um precedente extremamente grave no balanço, na relação equilibrada entre os Poderes da República. Está se discutindo efetivamente se o Poder Judiciário tem o direito de avocar para si o peso político que reservado ao Executivo. Essa é a verdadeira discussão que no fundo envolveu o debate dos ministros", disse Tarso Genro. Ele ainda disse, peremptoriamente, que o relator do caso Battisti teve um voto ideológico: "Acho que seu voto é equivocado e parte de juízos ideológicos. Foi um voto tendencioso na medida em que ele inclusive deu tonalidades e peso diferentes para os argumentos que usei no meu despacho”.

Ministro Gilmar Mendes minimiza críticas do peremptório Tarso Genro sobre julgamento do terrorista Cesare Battisti

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, minimizou nesta quinta-feira as críticas do peremptório ministro da Justiça, Tarso Genro, à Suprema Corte pelo julgamento do pedido de extradição do terrorista italiano Cesare Battisti, e descartou o surgimento de uma crise entre os Poderes. Gilmar Mendes negou que exista interferência entre os Poderes. Ele defendeu o voto do relator do caso, ministro Cezar Peluso, e afirmou que o refúgio político concedido pelo peremptório Tarso Genro ao terrorista italiano não era unanimidade nem dentro do Ministério da Justiça. O presidente do Supremo sinalizou no início do julgamento de quarta-feira, suspenso por pedido de vistas, que deve votar pela extradição de Battisti. "Crises não ocorrem desta maneira. Nós estamos num outro padrão civilizatório no Brasil. Há muitos anos nós não temos esse tipo de crise, não vai se cogitar disso agora. Nós temos proferido decisões extremamente importantes, o tribunal tem sido altamente responsável, como tem sido responsável nesse diálogo elevado que nós temos mantido com Executivo e Judiciário", disse Gilmar Mendes. O presidente do Supremo negou que, se for confirmada a extradição, será uma interferência do Judiciário no Executivo: "Não é isso. No nosso sistema, cabe ao Judiciário dar a última palavra sobre a legitimidade dos atos administrativos, e é isso que o tribunal está fazendo num processo de extradição, de competência do Supremo. Agora, quem fala por último realmente pode causar algum constrangimento. Muitas vezes nós declaramos a inconstitucionalidade aprovada por 400 votos na Câmara e 60 votos no Senado, e mesmo assim, isso nunca provocou nenhuma celeuma, nenhuma escaramuça, a não ser aquela incompreensão, aquela crítica, que é comum". Gilmar Mendes relembrou que o refúgio concedido pelo peremptório Tarso Genro em janeiro contrariou decisão anterior do Conare (Comitê Nacional para Refugiados), órgão subordinado ao Ministério da Justiça e que considerou os crimes cometidos pelo terrorista Battisti eram comuns, e não políticos, como alega a defesa do italiano. "Vocês não podem esquecer que o Conare negou o refúgio, e que houve recurso para o ministro da Justiça e ele, sim, deferiu o refúgio. O próprio Conare entendeu que não estavam presentes o requisito e lá no Conare votou o secretário executivo do ministério. A visão do ministro Tarso Genro não é sequer uma visão unitária do Ministério da Justiça, se nós entendermos que o Conare é a ele integrado", disse Gilmar Mendes. O presidente da Suprema Corte sustentou que a prisão de Battisti tem respaldo legal, ao contrário do que foi dito por Tarso Genro de que ele poderia ser considerado um preso político.

Lula vai depor como testemunha de José Dirceu no processo do Mensalão

O presidente Lula vai prestar depoimento como testemunha de defesa do ex-ministro e deputado federal cassado (por corrupção) José Dirceu (PT-SP), no processo criminal do Mensalão. O depoimento será feito por escrito, conforme estabelece um decreto-lei de 1941. A resposta de Lula será encaminhada à juíza Pollyana Kelly Martins Alves, da 12ª Vara Federal de Brasília, que está ouvindo testemunhas por delegação do relator do processo do Mensalão, ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal. O ofício da juíza informando que Lula foi arrolado como testemunha de José Dirceu deu entrada na Presidência da República no dia 18 de agosto. Ainda não está definido como a juíza recolherá as perguntas dos advogados os réus no processo, e como ela procederá para encaminhar as reinquirições, após as respostas apresentadas por Lula. Enquanto isso, o advogado gaúcho Luiz Francisco Correa Barbosa, juiz de Direito aposentado, que atua na defesa de Roberto Jefferson, continua insistindo para que o ministro Joaquim Barbosa leve ao plenário do Supremo Tribunal Federal os embargos declaratórios que esperam definição, e que podem transformar Lula em um dos réus no processo.

Lula se une a empreiteiras contra órgãos de controle

O presidente Lula se reuniu com representantes das dez maiores empreiteiras do País para discutir a fiscalização das obras públicas. As empresas apresentarão um pacote de sugestões para "flexibilizar" os rigores das fiscalizações feitas pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público e Ibama, por exemplo. O grupo de empresários marcou a reunião com Lula por meio do muito probo ministro Alfredo Nascimento (Transportes). Os muito probos empresários querem inclusive mudar a Lei de Licitações. Esse é o governo do PT, esse o presidente petista Lula. Agora se imagine o galinheiro sendo fiscalizado pela raposa...... Seria inacreditável, não estivéssemos nós em um governo petista.

Michel Temer recorre contra decisão que permitiu acesso a informações da Câmara dos Vereadores

O presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), recorreu nesta quinta-feira ao Supremo Tribunal Federal contra a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, que determinou à Câmara o acesso imediato, pelo jornal Folha de S. Paulo, de informações sobre as verbas indenizatórias concedidas aos deputados federais de setembro a dezembro de 2008. A atitude do deputado federal Michel Temer, que preside o PMDB, não surpreende ninguém. Essa elite política brasileira está corrompida de cima até o subsolo. É uma gentalha que não consegue entender o que seja interesse público, e que precisa da obscuridade, do segredo, da clandestinidade, para tocar seus negócios escusos e manter seus ganhos com privilégios ilegais, inconstitucionais e criminosos. No próximo ano faça Michel Temer trabalhar. Não vote nele para sua reeleição. Não esqueça. É fácil, ele já foi o último eleito na eleição anterior, em São Paulo. Faça Michel Temer começar a trabalhar, não vote nele.

Diretor da receita argentina diz que não ordenou ação contra Clarín

O jornal argentino Clarín, alvo de uma fiscalização com mais de 150 homens da Receita Federal argentina nesta quinta-feira, anunciou ter recebido uma mensagem oficial escrita pelo chefe do órgão, Ricardo Echegaray, dizendo que não ordenou a operação, lançada no dia em que a publicação, crítica do governo e oposta a um projeto de reforma da lei de telecomunicações, havia divulgado a existência de um subsídio irregular de mais de 10 milhões de pesos (R$ 4.735,03) concedido pelo Escritório Nacional de Controle Comercial Agropecuário (ONCCA), também dirigido pelo chefe da receita. O dirigente disse que estava disposto a fazer um processo administrativo para esclarecer as responsabilidades sobre a ação, mas afirmou sua intenção de continuar a fiscalização sobre grandes contribuintes. Segundo a denúncia publicada pelo jornal, o órgão agropecuário dirigido por Echegaray, identificado como "ultrakirchnerista" pelo texto, concedeu subsídio a uma empresa pecuária que não tinham licença para operar. A empresa recebeu uma inscrição temporária apenas depois de ter sido paga, como uma forma de disfarçar a ilegalidade.

Mais de 150 fiscais da receita fazem operação em jornal crítico da populista peronista Cristina Kirchner

Autoridades fiscais da Argentina fizeram uma operação nos escritórios do Clarín, maior jornal diário do país, nesta quinta-feira, em um movimento que aumenta a tensões entre o governo e uma dos maiores grupos de mídia da América Latina, no momento em que a presidente Cristina Kirchner planeja uma reforma da lei de meios audiovisuais que recebeu críticas de organizações de imprensa argentinas e internacionais. Mais de 150 fiscais da Administração Federal de ingressos Públicos, a Receita Federal argentina, realizaram inspeções em um prédio em Buenos Aires onde funciona a redação do Clarín, de propriedade da empresa de mídia e telecomunicações Grupo Clarín que, segundo analistas, será enfraquecida caso a reforma proposta do governo seja aprovada. O marido e antecessor da presidente, Néstor Kirchner, tem criticado publicamente a cobertura do Clarín sobre o governo, classificando-a de parcial, e descreve a empresa como um "monopólio". A oposição questiona diversos artigos do projeto e considera a iniciativa como parte de uma dura batalha entre o casal Kirchner e o poderoso grupo empresarial. O jornal, por sua vez, tem mantido uma cobertura crítica da proposta de reforma. O Grupo Clarin é proprietário de jornais, televisão e rádio, bem como de empresas de canais a cabo e de acesso à internet. Martin Etchevers, um porta-voz do Grupo Clarín, questionou a operação e disse que a empresa foi um alvo escolhido pelo governo. "Esse tipo de inspeção nunca aconteceu na história do Clarín", disse ele a um canal de TV local. Cristina Kirchner comanda um governo profundamente corrupto. Sua própria eleição já foi eivada de episódios obscuros, como a mala de dinheiro que chegou da Venezuela. Ela faz parte de um movimento de governos populistas na América Latina, liderado pelo clown bolivariano Hugo Chávez, que está tentando silenciar a imprensa em grande parte do continente. Para que esses totalitários bananeiros possam deflagrar suas ditaduras pseudo-socialistas é necessário liquidar com a imprensa livre. A operação foi realizada enquanto diretores de várias entidades, entre elas a Associação Internacional de Radiodifusão (AIR), a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e a Associação de Entidades Jornalísticas Argentinas (Adepa) reuniam-se nesta quinta-feira na sede do Senado argentino, em Buenos Aires, no "Encontro pela Liberdade de Expressão", e criticaram duramente o projeto de lei de meios audiovisuais do governo, classificado por eles de uma ameaça a liberdade de expressão e de segurança jurídica.

Em decadência, PMDB gaúcho poderá lançar Paulo Ziulkolsky para concorrer ao Senado Federal


Vivendo processo de ampla e acelerada decadência política e ética, com quase metade dos seus chefetes políticos de primeiro naipe envolvidos em investigações de corrupção, o PMDB do Rio Grande do Sul lança o balão de ensaio da escolha de Paulo Ziulkosky para a disputa de uma das duas vagas ao Senado Federal nas eleições do próximo ano. Evidentemente, é uma candidatura fria, gelada. Quem é Paulo Ziulkosky como figura pública para pretender disputar uma vaga majoritária ao Senado Federal? Tudo que ele fez, até hoje, foi alcançar um cargo de prefeito do minúsculo município de Mariana Pimentel, uma minúscula cidade gaúcha de 3.733 habitantes. Ali ele construiu a sua fama de administrador público. Ora, dá licença, uma cidade assim não exige um prefeito, mas apenas um síndico. A maior proeza pública de Paulo Ziulkosky foi a de ter conseguido se alçar à presidência da Confederação Nacional dos Municípios. Por último: a novel figura descoberta pelo PMDB gaúcho é um “jovem” de 57 anos. Isso é o que o PMDB do Rio Grande do Sul chama de “nova liderança”.

Presidência do petista Pavan na Assembléia gaúcha é resultado da covardia e “esperteza” rídicula

O deputado estadual Ivar Pavan foi o primeiro deputado do PT a presidir a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Há muitas legislaturas, o PT formava uma das maiores bancadas, mas nunca era contemplado com um ano de presidência do Parlamento gaúcho, porque não conseguia estabelecer alianças. Aliás, a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, há muitos anos, é especialista em realizar uma fraude, que consiste em fazer um rodízio na presidência. A constituição determina que o mandato de cada Mesa Diretora seja de dois anos. Os espertos parlamentares gaúchos inventaram uma “renúncia coletiva”, pela qual se forja uma eleição de mentira a cada ano, para eleição da Mesa Diretora subseqüente, o que já está definido desde o primeiro ano da legislatura. Pois bem, no início do ano de 2007, PMDB, PP e PDT aliaram-se para desfrutar das primícias da presidência da Assembléia Legislativa gaúcha e resolveram deixar de fora do acordo o PTB do senador Sérgio Zambiasi. Então tiveram a suprema esperteza de convidar o PT para integrar o acordo pela primeira vez. Com gênios e espertos dessa natureza e amplitude ninguém precisa do PT no Rio Grande do Sul, basta deixar os espertos do PMDB agindo. Aliás, diga-se de passagem que o lançador desta brilhante idéia foi o atual deputado federal Ibsen Pinheiro, que teve o PT como seu grande algoz. Quando eleito vereador em Porto Alegre, ele sugeriu que o PT fosse considerado para ter um ano de presidência na Câmara Municipal da capital gaúcha. Como se vê, peemedebistas gaúchos modernos e atuais têm uma vocação, eles adoram ser surrados pelo PT. Pois os espertos peemedebistas entenderam que, trazendo o PT para o seu convívio, adquiririam uma “certa compreensão” dos companheiros vermelhinhos. E o que se viu é o que aí está: o PT aproveitou o seu primeiro e único ano até agora na presidência da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul para lançar o seu muito oportunista pedido de impeachment da governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB). Chega a ser incompreensível que o PT ainda não domine completamente a política gaúcha, porque o tamanho do topeirice política do PMDB, PP, PDT, PTB e outros é ilimitado. Os peemedebistas gaúchos em especial fazem qualquer esforço para se agachar na frente dos petistas, porque o partido e seus parlamentares estão em um fase de profunda deterioração ética, presididos pelo senador Pedro Simon, que mantém um silencia muito comprometedor em face do comportamento de seus liderados.

Deputado estadual petista Daniel Bordignon lidera nepotismo cruzado petista em Gravataí.

O Jornal de Gravataí (RS) desta quinta-feira denunciou a existência de uma fieira de nomeações de parentes de membros da nomenklatura local do PT. O PT está há 16 anos no comando de Gravataí. Encabeça a lista o ex-prefeito e atual deputado Daniel Bordignon, um dos dois membros do PT na CPI petista montada na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. O irmão do deputado petista, Sérgio Bordignon, foi aquinhoado com uma vaga no gabinete do presidente da Câmara Municipal de Gravataí, Carlito Nicolait, que também é do PT. Como o deputado estadual petista Daniel Bordignon é um sujeito que reconhece os favores que lhe fazem, tratou de aquinhoar em seu gabinete, na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, com régias CCs, os funcionários Andra Abrussi, mulher do presidente da Câmara Municipal de Gravataí (que nomeou o irmão do deputado), além de Edilene Guimarães, mulher do vereador Airton Vasconcelos, e mais Alexander Medeiros, filho do vereador Carlinhos de Medeiros. A enteada (Nayaiua) e a irmã (Maria Luiza) passaram pelo gabinete do deputado federal petista Paulo Pimenta. Pelo gabinete deste deputado federal petista, quando ainda era vereador em Santa Maria, também passou a atual juíza federal titular da 3ª Vara Federal Criminal de Santa Maria, Simone Barbisan Fortes. O deputado federal petista Paulo Pimenta é aquele especialista em mergulho dentro do carro do publicitário mineiro Marcos Valério, o operado do Mensalão para o PT. Para quem já esqueceu: Mensalão foi o esquema montado pelo PT para comprar apoios políticos de políticos e parlamentares para o governo Lula. De volta a Gravatí: a cidade, dominada pelo PT há 16 anos, tem uma administração petista totalmente dominada pela prática do nepotismo cruzado. Ainda sobre o petista Paulo Pimenta: depois de mergulhar no carro de Marcos Valério, ele foi denunciado pelo falecido deputado federal Julio Redecker (PSDB), precisou renunciar ao cargo de relator na CPI dos Correios, e implorava que Redecker não representasse contra ele no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, com medo de ter cassado o seu mandato. Um dos patéticos telefonemas de Pimenta para Julio Redecker foi ouvido por uma atenta platéia junto ao deputado no saguão do aeroporto de Brasília. Redecker tinha colocado seu celular no viva voz. Videversus adoraria que o deputado federal Paulo Pimenta tentasse desmentir este fato.

Execução de hipotecas nos Estados Unidos sobe 18% em agosto

O número de propriedades nos Estados Unidos para as quais uma ordem de execução de hipotecas foi entregue caiu 0,5% em agosto, em comparação com o recorde de julho deste ano, mas cresceu 18% ante agosto do ano passado, de acordo com a empresa RealtyTrac, que monitora o mercado imobiliário. O executivo-chefe da RealtyTrac, James Sacaccio, disse que o relatório de agosto demonstra que os números de execuções de hipotecas ainda trazem "uma ampla oferta de propriedades". O dado vem a público no momento em que o fluxo de propriedades reclamadas por credores e colocadas no mercado para revenda está "sendo regulado com mais cuidado", destacou ele. Os dados mostram também que tanto o número de propriedades cujos donos estão inadimplentes por falta de pagamento quanto o de imóveis que deverão ir a leilão público bateram recorde. Ordens de execução de hipotecas foram feitas em 358.471 propriedades nos Estados Unidos durante agosto, abaixo apenas 0,5% do recorde de julho, que já representou o terceiro recorde de execuções em cinco meses.

Anglo American avalia triplicar sistema de minério de ferro no Brasil

A Anglo Ferrous, subsidiária brasileira da mineradora britânica Anglo American, estuda ampliar o projeto do sistema Minas-Rio, que atingiria, a partir de 2015, produção de até 80 milhões de toneladas anuais de minério de ferro. Em fase de implementação, o projeto prevê produção de 26,5 milhões de toneladas começando a operar em 2012, mediante investimentos de US$ 3,6 bilhões. O presidente da companhia, Stephan Weber, disse que a definição sobre a expansão está diretamente ligada às perspectivas futuras do mercado. Segundo ele, as reservas contidas nas minas do sistema garantem a viabilidade da expansão do projeto, de onde seria extraída matéria-prima por pelo menos 50 anos. O Sistema Minas-Rio consiste em um projeto integrado de minério de ferro que prevê uma série de depósitos no Estado de Minas Gerais. A produção será levada por um mineroduto que cortará 32 cidades até o Porto do Açu, no norte do Rio de Janeiro, de onde a carga será levada até os mercados consumidores. A mineradora já obteve permissão para fazer obras preparatórias do mineroduto, mas ainda busca a licença para começar o projeto de forma efetiva, o que só deverá ocorrer entre março e abril do próximo ano. Para ter o licenciamento, a Anglo Ferrous, precisa de autorização de pouco mais de 1.200 proprietários de imóveis no caminho previsto para o duto que vai escoar a produção. Além do Minas-Rio, a Anglo Ferrous desenvolve outros dois projetos no país. O sistema Amapá já opera com produção anualizada em torno de 3 milhões de toneladas. No fim de 2010, atinge 4,5 milhões de toneladas/ano, com a possibilidade de nova ampliação, que elevaria a capacidade para até 6,5 milhões de toneladas/ano. Os ativos dos sistemas Amapá e Minas-Rio foram comprados, em 2007, pela Anglo American junto à MMX, braço de mineração do grupo EBX, do empresário Eike Batista. A mina de níquel de Barro Alto (GO) tem início de operação prevista para 2011, com produção de 36 mil toneladas/ano, com investimento total de US$ 1,5 bilhão.

Ministro Marco Aurélio Mello diz que deve apresentar seu voto no caso do terrorista Battisti em duas semanas

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta quinta-feira que deve entregar em duas semanas seu voto sobre o pedido de extradição do governo italiano do terrorista Cesare Battisti. Após a formalização do parecer de Mello, o Supremo poderá retomar o julgamento. Ao comentar seu pedido de vistas, que levou a suspensão do julgamento faltando apenas dois votos, o ministro ironizou: "Pedi vistas para abrir o embrulho e ver o que tem dentro dele". No julgamento, Marco Aurélio disse que deve analisar alguns pontos polêmicos do processo, como se ocorreu ou não a prescrição da pena dos quatro assassinatos pelos quais o terrorista Cesare Battisti foi condenado. O ministro Ricardo Lewandowski disse que a extradição se justificava porque a pena se extinguiria apenas em 20 anos, o que aconteceria em 2011 ou 2013. "Estará pronto em duas semanas. Quero devolver logo porque se trata de um processo com o envolvido preso. A nossa prescrição pelo regime brasileira é de no máximo 20 anos", disse ele. Segundo Marco Aurélio Mello, o Supremo também deve decidir se, com a aceitação da extradição, a decisão final sobre a situação do terrorista italiano deve ser repassada ao presidente Lula. "A discussão sobre a obrigação do presidente da República de extraditá-lo está em aberto. Segundo o voto do ministro Cezar Peluso, em caso de descumprimento, Lula fica sujeito a processo por crime de responsabilidade”, disse ele.

Piloto Fernando Alonso diz que não sabia sobre armação da Renault em Cingapura

Vencedor do GP da Cingapura de F-1 do ano passado, o piloto espanhol Fernando Alonso afirmou nesta quinta-feira que foi pego de surpresa pela acusação de que o acidente sofrido pelo seu então companheiro na Renault, Nelsinho Piquet, foi premeditado. O brasileiro confessou em depoimento à FIA (Federação Internacional de Automobilismo) que causou a batida a pedido do chefe da escuderia, Flavio Briatore, e do engenheiro chefe do time, Pat Symonds, para forçar a entrada do safety car e, assim, favorecer Alonso, que realizou um pit stop pouco antes do acidente. "É difícil entender toda essa situação, todas essas investigações. Estou surpreso. Não posso nem pensar nisso ou nessa situação", afirmou Alonso, que é bicampeão mundial de F-1. Acredite em Fernando Alonso quem quiser.....

Governo Lula impõe 25% de imposto para sacoleiros que vêm do Paraguai

O governo Lula publicou nesta quinta-feira decreto que cria uma tarifa única para importação de produtos do Paraguai. A medida visa combater a ilegalidade no comércio entre os dois países, principalmente com os chamados sacoleiros. Pelo Regime de Tributação Unificada, os sacoleiros pagarão uma única tarifa de 25% sobre o que importarem. O valor máximo de mercadorias compradas no país vizinho será de R$ 110 mil por ano, sendo R$ 18 mil para o primeiro e o segundo trimestres e R$ 37 mil para o terceiro e quarto. Para optar pelo RTU, a empresa precisa ser incluída no Simples Nacional e habilitada pela Receita Federal. O pagamento do imposto único será feito à vista, na data da importação. O RTU engloba os Imposto de Importação, IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), Cofins-Importação e Pis/Pasep Importação. Não poderão ser importadas pagando o imposto único mercadorias que não sejam destinadas ao consumidor final, nem armas, munições, fogos de artifício, explosivos, bebidas, cigarros, veículos automotores, embarcações e peças, medicamentos, pneus, bens usados e bens com importação suspensa ou proibida no Brasil. Na lista dos produtos autorizados estão celulares, câmeras, calculadoras, computadores, eletrodomésticos e outros.

Lula diz que Dilma Rousseff deverá escolher seu candidato a vice

O presidente Lula disse nesta quinta-feira que caberá à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), escolher o seu candidato a vice na disputa pela Presidência da República em 2010. Em entrevista à rádio Verdes Mares, de Fortaleza, Lula afirmou que ele não deve entrar nessa discussão: "Se a Dilma for consagrada como candidata, ela é que vai ter que escolher o vice junto à sua base aliada. Eu já escolhi uma candidata e vou ainda escolher o vice? O que é que vão ficar dizendo?", afirmou o presidente, em plena campanha eleitoral com o uso de recursos públicos. Principal aliado do governo Lula, o PMDB é partido cotado para indicar o vice de Dilma Rousseff. O partido, que fez o maior número de prefeitos nas eleições de 2008, também é assediado pelo PSDB.

Venda de imóveis usados cresce 11% em São Paulo

A venda de imóveis usados cresceu 10,8% na cidade de São Paulo em julho na comparação com o mês anterior, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado). Os apartamentos lideraram a preferência dos consumidores, respondendo por 58,5% dos negócios efetivados. A maioria das vendas (51,5%), considerando todas as unidades, foi feita à vista, e 59,6% do total eram de imóveis com valor médio de até R$160 mil. No mercado de locação, as imobiliárias registraram aumento de 8,9% no número de imóveis residenciais alugados na capital, com destaque para os apartamentos (53,5% do total). Imóveis com aluguel de até R$ 800,00 representaram 61,9% das novas locações, com a maioria tendo o fiador como garantia de pagamento (46,3%).
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou que o uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pelo acionista minoritário na prevista capitalização da Petrobras ainda é uma questão em aberto, mas que a tendência é que o governo não libere o seu uso. "Em princípio não há ideia de abrir mão de novo do fundo de garantia. Nesse momento é preciso usar o FGTS para ações de caráter social", disse o ministro em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. Os senadores questionaram a função da Petro-Sal, nova estatal proposta pelo governo Lula, e a possível redução de concorrência pelo fato de a Petrobras ter sido eleita a única operadora da promissora região petroleira. Durante a audiência, senadores quiseram saber se haveria a possibilidade de a Petrobras poder terceirizar operações em alguns blocos exploratórios no pré-sal, como forma de avançar com os trabalhos mesmo quando não tiver capacidade em termos de equipamentos e pessoal para progredir em todas as regiões passíveis de trabalhos. Lobão afirmou que essa é uma possibilidade que pode ser utilizada.

Supremo rejeita recurso e mantém ação contra deputado federal Edmar Moreira

O Supremo Tribunal Federal rejeitou nesta quinta-feira recurso apresentado pelo deputado federal Edmar Moreira (PR-MG) contra a abertura de processo pela Suprema Corte, no qual responde pela prática do crime de apropriação indébita de contribuições previdenciárias que ultrapassam R$ 1 milhão. O relator do caso é o ministro Carlos Ayres Britto. Em maio, por unanimidade, Edmar Moreira se tornou réu de uma ação penal no Supremo. Ele é suspeito de descontar tributos de seus empregados na Ronda Empresa de Segurança e Vigilância e não repassá-los à Receita entre os meses de setembro e dezembro de 2005. Pelo Código Penal, a pena para esse crime vai de 2 a 5 anos de prisão, além de multa. O Supremo acolheu denúncia do Ministério Público Federal contra o deputado federal.

SPC diz que inadimplência caiu 13% em agosto

A inadimplência dos consumidores caiu 13,16% em agosto, em relação a julho, e 1,38% em relação a agosto do ano passado. No acumulado do ano a queda foi de 8,8%. Segundo levantamento da SPC Brasil/CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), a queda foi impulsionada pela recuperação do emprego e pelo aumento da massa salarial do trabalhador. Para o presidente do SPC Brasil, Roberto Alfeu, a queda também teve impacto do 13º salário e da restituição do Imposto de Renda para parte dos consumidores. Segundo Roberto Alfeu, também influenciaram o resultado a queda na taxa básica de juros (Selic) e a melhora na oferta de crédito. Entre os devedores inscritos no SPC, as mulheres figuram com 55,54% e os homens 44,46% do total.

Governador petista Jaques Wagner prevê "guerra prolongada" com traficantes em Salvador

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), que comanda um governo muito incompetente, afirmou que a "guerra" contra os envolvidos com os atentados que já deixaram ao menos oito ônibus incendiados e seis postos da Polícia Militar destruídos em Salvador desde o início da semana, será "prolongada e sem tréguas". O governador informou que quatro pessoas envolvidas nos atentados foram mortas na noite passada. "Se houver conflito aberto, eu vou torcer que tombe alguém do mundo do crime", disse ele. É curioso que o governador petista não tenha chamado os atentados dos bandidos de “protestos do movimento social”.

Quase 65% dos colombianos aprovam nova candidatura do presidente Alvaro Uribe

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira revela que 64% dos colombianos apóia a candidatura do presidente Álvaro Uribe para um terceiro mandato, na eleição marcada para maio de 2010. O colombiano está no poder desde agosto de 2002 e conquistou semana passada no Congresso o direito de realizar um referendo que viabilize sua segunda reeleição consecutiva. Na semana passada, quando o projeto de lei para a realização do referendo foi aprovado no Congresso, a oposição acusou a proposta de ferir a democracia e fez denúncias de que o governo comprou votos entre os parlamentares (Videversus é contrário a esta iniciativa, mas vale também para os regimes vagabundos que vigoram no Equador, na Bolívia, no Paraguai e, especialmente, na Venezuela). Toda a polêmica provocada pela oposição colombiana não sensibiliza a população. Conforme a pesquisa da empresa Invamer Gallup, tanto o percentual de aprovação à nova candidatura quanto de aprovação ao atual governo subiram, em comparação com pesquisa similar realizada em julho passado. O primeiro número passou de 58% para 64% e o outro, de 71% para 74%.

Senador José Sarney diz que Senado Federal também quer mais tempo para analisar pré-sal

Um dia depois de o governo Lula anunciar a retirada da urgência para a tramitação na Câmara dos projetos que tratam da exploração do pré-sal, o presidente do Senado Federal, senador José Sarney (PMDB-AP), reagiu e disse que também espera que os senadores tenham mais tempo para analisar a matéria no Senado Federal. Sarney disse que não vai aceitar que o governo retome o pedido de urgência, que obriga a análise das propostas em até 45 dias em cada Casa legislativa, quando o projeto chegar ao Senado. "A mim parece que não cabe um regime especial na Câmara e um regime diferente no Senado. tem que ser um regime para as duas casas. Não conheço o que foi decidido com o presidente Michel Temer", disse ele. O fim da urgência no Senado preocupa interlocutores do presidente Lula. Apesar de oficialmente ter 54 dos 81 votos na Casa, o governo tem dificuldades para conseguir maioria durante a votação de matéria polêmicas. Prevendo as dificuldades no placar, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), já defendeu publicamente que a urgência seja mantida no Senado que, no seu entender, tem uma estrutura diferente da Câmara.

Superior Tribunal de Justiça nega habeas corpus a ex-deputado fluminense acusado de chefiar milícia

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça negou nesta quinta-feira um pedido de habeas corpus para que o ex-deputado estadual fluminense Natalino Guimarães fosse transferido do presídio federal de Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro e aguardasse o julgamento em liberdade. Segundo a decisão, que foi unânime, não há irregularidade na prisão em flagrante ou na manutenção do ex-deputado em outro Estado. O relator, ministro Napoleão Nunes Maia Filho, destacou que a prisão em flagrante do ex-deputado e a manutenção da sua custódia no presídio federal de Mato Grosso do Sul não apresentam qualquer tipo de irregularidade. Natalino foi preso em flagrante em julho do ano passado por envolvimento em milícias e quadrilhas armadas que tinham como finalidade cometer crimes hediondos no Rio de Janeiro. O ex-deputado e seu irmão, o ex-vereador carioca Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, são acusados de chefiar a milícia denominada “Liga de Justiça” que, além de determinar homicídios, comandava um esquema de extorsão a motoristas de lotações na zona oeste da cidade para permitir que eles trabalhassem na área. Em março desde ano, Natalino e Jerominho foram condenados em primeira instância a 10 anos e seis meses de prisão.

Ministro Edson Lobão diz que Brasil será sétimo produtor de petróleo com pré-sal

O ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, afirmou que o Brasil poderá se situar na sétima ou oitava posição mundial de produção de petróleo, se as expectativas de reservas na camada pré-sal se confirmarem. Ele fez a afirmação em audiência pública conjunta das comissões de Infraestrutura e de Assuntos Econômicos do Senado Federal, nesta quinta-feira. De acordo com dados da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), o Brasil ocupa o 13º lugar entre os produtores. Lobão reforçou informações já divulgadas de que as pesquisas indicam haver reservas da ordem de 16 bilhões de barris em quatro dos campos já descobertos, o que corresponde ao dobro da atual produção nacional e quantidade suficiente por 40 anos para o País ao nível da demanda atual. "Isso representa 30% do pré-sal. Não se pode adiantar o que virá dos 70%", afirmou ele. O Brasil já é o sétimo maior consumidor mundial de petróleo e o 40º maior consumidor de gás natural. Dos dez primeiros consumidores, apenas a Arábia Saudita, a Rússia e o Canadá são autosuficientes.

Oposição protocola pedido de CPI para investigar repasses do governo à organização terrorista e clandestina MST

A oposição protocolou nesta quinta-feira um requerimento para a criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito para investigar repasses do governo Lula para ONGs (organizações não governamentais) ligadas à organização terrorista clandestina MST. Segundo a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), também presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), o foco das investigações será a origem e o destino dos recursos do governo Lula para ONGs envolvidas com a organização terrorista clandestina MST em São Paulo, Pernambuco, Pará e Mato Grosso, "onde o MST é mais forte e se manifesta com mais violência e mais força". A senadora, que reuniu dez assinaturas a mais do que o necessário (180 deputados e 29 senadores apóiam a CPI), disse que a suspeita inicial é de que ao menos R$ 60 milhões tenham sido desviados pela organização por meio de convênios com o governo Lula. "Esses recursos sem prestação de contas e para cooperativas de fachada, apenas para repassar para um movimento criminoso, um movimento que não existe. Sabemos que esse movimento não tem mais esse objetivo. Esse movimento tem outras pretensões e não mais a busca pelo pedaço de terra", disse a senadora Kátia Abreu.

Governo petista incompetente da Bahia não consegue conter onda de violência dos traficantes em Salvador

O governo petista incompetente da Bahia recorreu ao governo petista federal do companheiro Lula para transferir 14 traficantes, suspeitos de envolvimento com os atentados que já deixaram ao menos oito ônibus incendiados e seis postos da Polícia Militar destruídos na capital baiana, desde o início da semana. Os traficantes foram transferidos nesta quinta-feira para a penitenciária federal de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública baiana, os 14 traficantes pertencem a quadrilha conhecida por "Comando da Paz", chefiada pelo traficante Cláudio Campanha, que foi transferido para um presídio federal em Campo Grande (MS). O governo do Estado da Bahia diz que os ataques foram coordenados de dentro dos presídios como resposta à transferência do traficante. A transferência dos traficantes foi feita em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira).

Rússia mantém fornecimento de armas ao ditador bolivariano Hugo Chavez e propõe criação de banco comum

O presidente russo, Dmitri Medvedev, anunciou nesta quinta-feira que o país continuará fornecendo armamentos ao clown bolivariano Hugo Chávez, tiranete caribenho, e que, ainda neste ano, deverá criar um banco comum. O anúncio foi feito após encontro com o ditador venezuelano, em visita ao país, o qual causou grande constrangimento por reconhecer a independência de duas províncias separatistas da Geórgia, o que é de alto interesse dos totalitaristas do Kremlin. "A cooperação técnico-militar com a Venezuela constitui um elemento importante das nossas relações e não escondemos isso", disse Medvedev. Ele também anunciou a criação de um banco conjunto, que terá um capital de US$ 4 bilhões.

Lula faz ironia e diz: “Vou receber aviões de graça”

O presidente Lula reagiu com ironia, na quarta-feira, à confusão que ele próprio criou sobre o processo de compra de caças pelo Brasil: “Daqui a pouco eu vou receber de graça”, disse ele sobre a disputa entre empresas da França, dos Estados Unidos e da Suécia, acirrada depois das idas e vindas do governo brasileiro. Como a principal alegação brasileira a favor dos caças Rafale, da Dassault, é que a França transfere tecnologia, a Embaixada dos Estados Únidos soltou nota reafirmando que o país aprovou “a transferência de toda a tecnologia necessária”, caso o Brasil opte pela compra dos F-18 da Boeing. Horas depois da declaração de Lula, seu assessor para assuntos internacionais, o clone de chanceler petista Marco Aurélio “Top Top” Garcia, mostrou-se cético quanto à proposta norte-americana: “Transferência de tecnologia é um termo genérico. Nós queremos saber as garantias efetivas da transferência de tecnologia. Depois queremos saber se não vamos sofrer nenhum tipo de restrição, como na venda dos Super Tucanos”. Ele se referia ao veto dos Estados Unidos à venda de 24 aviões da Embraer à Venezuela, em janeiro de 2006, sob a alegação de que o avião brasileiro usa tecnologia norte-americana. “Este antecedente não é bom”, afirmou o trotskista ex-dirigente da 4ª Internacional comunista. Ele reservou outro tratamento à França, país onde viveu exilado, deu aulas na Sorbonne (enquanto enviava companheiros para lutar na organização terrorista argentina ERP, de extração trotskista): “Temos boa parceria com os franceses, que se refletiu na questão dos submarinos e helicópteros. Aí está assegurada efetiva transferência de tecnologia e reserva de mercado de helicópteros para a América Latina e África”. Mais cedo, porém, Marco Aurélio havia dito que a promessa de transferência de tecnologia por parte da França ainda não foi detalhada: “O detalhamento é uma coisa que faz parte da negociação. Mas há um compromisso firme, de uma transferência sem precedentes”. No domingo, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, entregou carta a Lula, na qual, segundo Marco Aurélio “Top Top” Garcia, ele “fixa determinados compromissos do governo francês”, entre eles a transferência de tecnologia.

Ministro do Supremo determina à Câmara dos Deputados acesso imediato a informações pela Folha

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, determinou à Câmara dos Deputados o acesso imediato pelo jornal Folha de S. Paulo a informações sobre as verbas indenizatórias concedidas aos deputados federais, relativas ao período de setembro a dezembro de 2008. O ministro Marco Aurélio mandou oficiar ao presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), sobre a decisão, que tem como objetivo garantir o cumprimento de liminar concedida pelo ministro em agosto, no mandado de segurança impetrado pela empresa Folha da Manhã S.A., que edita a Folha, contra a negativa do parlamentar de liberar os dados. A Folha, que havia formalizado o pedido de acesso aos documentos em fevereiro deste ano, afirma que a liminar não foi cumprida e que não teve acesso às informações pretendidas. Por isso, pediu que ele fosse viabilizado dentro de três dias, sob pena de responsabilidade criminal. "Oficiem ao presidente da Câmara dos Deputados, exemplar profissional do Direito, dando-lhe ciência desta decisão, para que determine imediatamente aos setores administrativos a viabilização do acesso aos documentos públicos mencionados no ato a ser, de forma irrestrita, cumprido", afirmou o ministro. A verba indenizatória existe desde 2001. Neste ano, após denúncias de uso indevido, Câmara e Senado decidiram publicar detalhes dos gastos, mas só os relativos a gastos de abril em diante: os documentos anteriores seguem trancados.

Ministro italiano da Defesa diz acreditar em extradição do terrorista Cesare Battisti

O ministro da Defesa da Itália, Ignazio La Russa, afirmou nesta quinta-feira estar convencido de que o Brasil extraditará o terrorista italiano Cesare Battisti, condenado em seu país à prisão perpétua e que teve o status de refugiado político concedido pelo ministro da Justiça brasileiro, o peremptório Tarso Genro. "Estamos absolutamente convencidos que um país importante, um país amigo como o Brasil, não pode sequer imaginar negar que a Itália seja um Estado democrático, que a nossa magistratura respeita as normas do Estado de Direito e, portanto, deixar de extraditar Battisti", afirmou o ministro, contestando a decisão brasileira de conceder o refúgio. Battisti, condenado por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, época em que militava no grupo PAC (Proletários Armados pelo Comunismo), foi preso no Brasil em 2007. Em janeiro deste ano, o ministro da Justiça, o petista peremptório Tarso Genro, concedeu a ele o status de refugiado político, por "fundado temor" de perseguição em seu país de origem. "O adiamento da decisão da extradição do terrorista Battisti é um ato de infâmia ao qual a Itália deve reagir com dureza. É inaceitável que, pelo sangue derramado, um crime político não seja pago com a prisão", contestou o italiano Francesco Storace, secretário nacional do partido La Destra, legenda que surgiu da AN (Aliança Nacional).

Presidente da Fiesp contrata marqueteiro galista Duda Mendonça como consultor da Fiesp

Sob comando de Paulo Skaf, empresário sem empresa, a poderosa Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) contratou o marqueteiro galista Duda Mendonça (o inventor das campanhas de Lula, e réu no processo penal do Mensalão) com a tarefa de padronizar a comunicação das cinco entidades que compõem o sistema. O marqueteiro galista Duda Mendonça já é consultor da Fiesp há dois meses. Paulo Skaf, o empresário sem empresa, é apontado no meio político paulista como candidato a governador de Paulo. Atualmente esse empresário sem empresa é garoto-propaganda de uma campanha de R$ 8 milhões para a promoção do Sesi/Senai. A cargo da agência Ogilvy & Mather Brasil, essa campanha foi custeada pelo Sesi (Serviço Social da Indústria) e pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). A missão de Duda é unificar a linguagem do sistema Fiesp, que inclui, além de Sesi e Senai, o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e o Instituto Roberto Simonsen. O prazo para filiação a partidos políticos vence em setembro, a um ano da eleição. O comando do PV discute a hipótese de filiação do empresário sem empresa Paulo Skaf.

Nelsinho Piquet depõe na firma e confirma fraude, que bateu de propósito no GP de Cingapura do ano passado

O piloto brasileiro Nelsinho Piquet confirmou para a Federação Internacional de Automobilismo que provocou propositalmente o acidente no GP de Cingapura de F-1 do ano passado para favorecer seu companheiro na Renault, o espanhol Fernando Alonso. O depoimento, prestado na condição de delação premiada, ou seja, com garantia de que não haverá punição ao piloto, foi divulgado nesta quinta-feira pelo site "F1SA" (http://www.f1sa.com). "Eu, intencionalmente, causei o acidente, perdendo o controle do carro pouco antes da curva. Para ter certeza de que provocaria a batida na volta certa, perguntei diversas vezes no rádio o número da volta, o que não faço normalmente", diz trecho da carta assinada por Nelsinho Piquet. Segundo o dossiê, Nelsinho Piquet foi orientado pelo chefe da equipe Renault, Flavio Briatore, e o engenheiro-chefe, Pat Symonds, a sacrificar sua prova em benefício de Fernando Alonso. A orientação de como deveria ser o acidente foi dada por Symonds. O brasileiro deveria bater entre as voltas 13 e 14 da prova, na curva 17, um local que obrigaria a entrada do safety car na pista. Fernando Alonso foi para seu pit stop antes de todo mundo, pouco antes da batida. Em seguida, foi beneficiado pela entrada do carro de segurança e acabou mantendo a primeira colocação até o final, vencendo a prova. "Após as discussões com o Sr. Briatore e o Sr. Symonds, a armação do acidente nunca foi discutida novamente. O Sr. Briatore disse “obrigado” depois do fim da prova e não falou mais nada. Não sei se alguém tinha conhecimento desta estratégia no início da corrida", diz Nelsinho Piquet no depoimento. Ainda segundo o documento, Nelsinho aceitou a proposta feita pela alta cúpula da Renault por estar "em um estado mental e emocional muito frágil". O piloto não tinha garantias de que seu contrato seria renovado para 2009 e se dizia pressionado por Briatore, que também era seu empresário. A relação entre o piloto e o chefe da escuderia se deteriorou de vez na atual temporada. Após trocas públicas de farpas, o brasileiro foi dispensado da Renault. Segundo a revista "Autosport", a suposta armação no GP da Cingapura foi denunciada pelo pai de Nelsinho, o tricampeão mundial Nelson Piquet, que ficou indignado com a demissão do seu filho. A FIA já convocou uma reunião extraordinária do Conselho Mundial, no próximo dia 21, para julgar o caso, que está se transformando no maior escândalo da história da F-1. Rubens Barrichello, piloto da Brawn, comentou o escândalo Renault-Nelsinho Piquet ao chegar ao circuito de Monza, na Itália, nesta quinta-feira. E não poupou o compatriota de críticas. Para Rubinho, é inaceitável que algum piloto de Fórmula-1 bata o carro de propósito para tirar alguma vantagem disso ou beneficiar o companheiro de equipe: “O Nelsinho sempre foi uma pessoa que, apesar dos problemas que tive com o pai dele, sempre foi honrosa a respeito de não relacionar esses problemas, uma pessoa que tinha muito respeito. Mas, se pensar bem, se alguém tiver a capacidade de fazer isso, forçar a batida, não merece estar no esporte”. De fato, é inacreditável que um piloto de Fórmula 1 faça isso. Mais inacreditável que seja um piloto brasileiro. Só é compreensível porque ele vem de uma família originária de Brasília. Quer dizer que, para Nelsinho Piquet, era justificável fazer um acordo fraudulento para renovar seu contrato? E ele tem apenas 20 e poucos anos.... Essa é a noção ética que pauta as ações dos jovens brasileiros? Nelson Piquet precisa ser banido de todo e qualquer esporte para o resto da vida.