sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Mulheres petistas gaúchas dão apoio a deputado petista que agrediu deputada do PSDB

Mulheres do PT do Rio Grande do Sul emitiram uma nota nesta quinta-feira de apoio ao deputado estadual petista Raul Pont que agrediu a deputado estadaul Zila Breitenbach, do PSDB, na sessão de leitura e votação do relatório que sepultou a tentativa golpista de impeachment da governadora Yeda Crusius (PSDB), tentada por sindicatos e associações de funcionários públicos petistas. Diz a nota das petistas gaúchas, dirigida aos deputados membros da Comissão de Ética, que devem processar Raul Pont, os deputados Francisco Appio, Luciano Azevedo e Carlos Gomes: “Nós, mulheres gaúchas, entregamos nota em apoio e solidariedade ao deputado Raul Pont (PT), em sinal de nossa confiança no trabalho deste parlamentar que sempre honrou e defendeu os direitos das mulheres. Acreditamos que a deputada Zilá Breitenbach (PSDB) fez uma cortina de fumaça com o ocorrido durante a sessão da CPI, onde apresentou um parecer na contramão do que pensam 62% das(os) gaúchas (os), conforme pesquisa realizada pelo Ibope“. Em primeiro lugar, elas deveriam tirar a máscara e deixar de se declarar como mulheres gaúchas. Ficaria correto se declarassem o que são: mulheres petistas. Continua a nota: “Raul Pont, um aliado das lutas das mulheres - Ao escrever, em sua Pagu, que "nem toda feiticeira é corcunda", Rita Lee lançou um apelo implícito: por favor, não nos generalizem pela simples condição feminina. Muito antes da cantora e compositora brasileira, a filósosa francesa Simone de Beauvoir concluía: "não se nasce mulher, torna-se mulher". (no caso da escritora francesa, uma mulher rejeitada pelo seu parceiro, que seduzia suas jovens seguidoras). Com a ascensão do movimento feminista, uma nova palavra de ordem incorporou-se à luta pela igualdade: "não basta ser mulher". Era um posicionamento demarcador do propalado "feminismo da diferença" e que entendia o movimento feminista não como contrário aos homens, mas como um apelo para que homens e mulheres caminhassem lado a lado, construindo a igualdade de condições e oportunidades. Esse chamado vem conquistando homens e mulheres através dos séculos, contabilizando incontáveis avanços das mulheres nas mais diferentes esferas de atuação. Nós, que fazemos parte dessa história, reconhecemos no deputado estadual Raul Pont um aliado da nossa luta. Raul Pont, um militante dos direitos humanos e das liberdades políticas, ainda estudante universitário enfrentou a ditadura militar. Foi preso e torturado e conhece muito bem as marcas que a violência deixa e que o tempo não apaga. (ele e elas conhecem as marcas genocidas do marxismo-leninismo, mas procuram ignorar, não fazem referência a isso, assim como Sartre ignorou os crimes do stalinismo, e morreu saudando os genocidas comunistas chineses, que agora mesmo destroçam a etnia uigure, e perseguem e matam os nepaleses). Enquanto parlamentar e prefeito esteve sempre atento às reivindicações dos movimentos de mulheres, presente em nossos atos e defendendo a eqüidade de participação das mulheres nas mais diversas esferas. Os avanços das políticas públicas para as mulheres em Porto Alegre passaram por sua administração. A busca de mais recursos no orçamento do Estado, conta com sua voz na defesa permanente. Ao contrário de Raul Pont, a deputada Zilá, do PSDB, votou contra emendas importantes que ampliavam recursos para as mulheres no orçamento público. Além disso, sua figura é ausente nas atividades e debates promovidos pelos movimentos de mulheres. Assim, não podemos aceitar caladas à tentativa de vitimização da parlamentar. Que a deputada se sinta agredida pelo gesto de baixar o microfone quando a sessão estava interrompida é um sentimento seu – pessoal. Não é - e nem seria em hipótese alguma - uma agressão "a todas mulheres gaúchas" como, de maneira pretensiosa, declarou Zilá. Ela está muito longe de representar todas as mulheres gaúchas. Ela não representa sequer todas as parlamentares do Legislativo Gaúcho. Na defesa da história militante de Raul Pont. No reconhecimento à sua presença na luta das mulheres. Na convicção de que a verdade é revolucionária. Repudiamos todas as tentativas de transformar o deputado Raul Pont no desvio de foco da CPI. Porque a calúnia pode ser uma violência maior. Ela não fere a carne, mas atinge a honra“. Na lista de petistas que assinam a nota, pretendendo falar em nomes de todas as gaúchas, o que é um absurdo inigualável, há pelo menos uma que tomava surras de seu companheiro drogado. O fato é amplamente conhecido pela comunidade intelectual gaúcha, que se tonta para o assunto. Essa, ao menos, sabe o que é ser agredida, o que não a impediu de assinar nota em favor de homem que agride mulher. Parece que a Lei Maria da Penha chegou tarde para ela, não a leu e não viu o que se caracteriza como uma agressão contra uma mulher. Os nomes das petistas na lista são os seguintes (Videversus os publica para que fique o registro público): Adelaide Klein – Secretária Municipal de Administração de Gravataí; Alessandra Terribili - Secretaria Nacional de Mulheres do PT; Aline Fraga - estudante; Aline Ribeiro - Movimento Hip Hop; Ana Becker – Secretária Executiva; Analine Specht – Assessora do MDA e Militante da Marcha Mundial das Mulheres; Andrea de Freitas, jornalista; Angela Tavares – Aposentada; Bela Figueiredo – Jornalista; Camila Oliveira - estudante; Carla Mantay - Pedagoga / Secretária de Educação de Esteio; Carmen Santos - Instrutora de CFC; Catherine Topper - Secretária Estadual de Mulheres do PT/RS; Cátia Simon - professora da Rede Municipal de Ensino; Cecilia Hypólito - ex-deputada estadual PT/RS; Célia Margit Zingler - Diretora Presidenta da APCEF/RS; Célia Margit Zingler - Diretora Presidenta da APCEF/RS; Ceres N. de Castro, estudante de Biblioteconomia; Cindi Sandri - Diretora EMEI TIO BARNABÉ; Claudia Dutra – estudante de Direito; Claudia Franz Vasquez - Coordenadora do Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural do Ministério do Desenvolvimento Agrário; Claudia Prates – Coordenação da Marcha Mundial das Mulheres, Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres e Conselho Nacional dos Direitos das Mulheres; Claudia Regina Freitag – Bióloga e Militante; Cláudia Schiedeck Soares de Souza – Reitora Pro Tempore Instituto Federal Rio Grande do Sul; Cristhine Genro – estudante; Cristiane Vianna Amaral - Jornalista; Cristina de Oliveira Martins, Professora, Secretária Adjunta de Educação de Gravataí; Cristina Feio de Lemos – Diretora Estadual da Cut; Cristina Milanez – Pedagoga; Daiane Rieffel – costureira; Dalva Chagas – Advogada e Secretária de Mulheres do PT de Porto Alegre; Débora Oliveira - Psicóloga; Deise Nunes – Bancária de Tramandaí; Denise Falkenberg Corrêa – bancária – diretora da FEEB-RS; Dinorah Araújo- Jornalista; Dione Bittencourt Garcia Martins - Pedagoga/ Agente de Educação Ambiental na Obra de Duplicação da BR 101 Sul; Elaine Soares – Aposentada; Eliana Renildy Gonzalez Rodrigues – Eletricitária; Eliane Garin Quadros - Educadora Popular; Eliane Silveira, Chefe de Gabinete da Prefeita de Gravataí; Elis Regina Pereira Amados – feminista militante da Marcha Mundial das Mulheres; Elisa Aparecida da Silva Faria – Diretora do Sindicato dos Bancários; Elisabeth Wartchow; Elza Marlene Thum Herter-professora Estadual; Enita Maristela Cardoso Palma, professora da RME; Estela Vilanova – Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Viamão, Militante da Marcha Mundial das Mulheres; Estella Maris da Silveira Dutra - C.R.Participação Cidadã - Políticas Afirmativas - Assistente Coordenação - GRH; Ester Guareschi Soares - Professora e atual Diretora de Escola pública; Eunice Eichelberger de Oliveira – estudante de Psicopedagogia; Eveline Wints, Advogada; Fabiane Hübner Alves (Vila Hípica) Autônoma e Estudante; Flavia Retamar – assessora parlamentar de Santana do Livramento e Militante da Marcha Mundial das Mulheres; Gisela Fróes – Militante feminista e dos Direitos Humanos; Heide Garin – Artesã; Helena Bonumá - Formação e assessoria; Heloisa Helena Salazar Peres - Artista da Dança e Produtora Cultural; Iara Bonfante - Militante; Ilza do Canto - Relações Públicas; Isabel Perna Almeida - historiógrafa, funcionária pública estadual; Izane Mathos – Diretora da Fecosul/RS; Joice Proença – estudante de Jornalismo, militante da Marcha Mundial das Mulheres; Juliana Thomaz – Jornalista; Jussara Medianeira dos Santos Moraes – Professora; Jussinara Narvaz – Advogada; Katarina Peixoto – Doutorando em Filosofia da UFRGS; Layla Prates – Tecnóloga em Marketing Internacional; Leila Mattos- Socióloga e Assessora Parlamentar; Letícia Vargas – jornalista; Liliane Seide Froemming – Dra. em Psicologia UFRGS; Liseloti Kleber - Militante; Loudes Poli - diarista; Lourdes Rossoni – Diretora do Sindicato dos Bancários; Lúcia Barcelos - Professora da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre; Lucia Camini – Professora Estadual – Ex Presidente do Cpers Sindicato; Lucia Irene Reali Lemos, feminista, designer gráfica, estudante de Administração Legislativa, integrante da Secretaria Estadual de Mulheres do PT/RS; Lucia Maria Goulart Jahn- Jornalista; Luciana Waclawovsky – jornalista; Lucimar Rodrigues de Souza - funcionária pública, Assistente Social; Magda Carla da Rosa - Auxiliar de serviços gerais; Malu Pinto – professora; Mara Weber – Diretora do Sintrajufe/RS; Marcela Santos, Jornalista; Marcia Bauer - militante feminista; Margarete Moraes – Assessora Especial do Ministro da Cultura e Representante do Instituto Brasileiro de Museus; Maria Alice Giehl, professora da Rede Municipal, escola Vila Monte Cristo; Maria Celeste de Souza da Silva – Vereadora de Porto Alegre; Maria Conceição B. de Miranda - Professora aposentada da PMPA/RS; Maria Cristina Carrion Vidal de Oliveira, advogada; Maria da Glória Lopes Kopp, professora; Maria de Fátima Baierle – Professora; Maria de Lourdes Lose – Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Rio Grande e Militante da Marcha Mundial das Mulheres; Maria Elisabeth Di Gesu – Professora; Maria Eulalia Nascimento - professora estadual, professora municipal, conselheira do Conselho Estadual de Educação; Maria Luiza Vigiano, comerciaria; Maria Nilva Oliveira - pensionista; Maribel Gil Guterres - psicóloga e professora municipal; Maricélia Pinheiro de Almeida - jornalista; Mariéle Figur - Assessora Técnica - Ministério da Fazenda - Brasília/DF; Marilise Fróes – Pedagoga, Militante da Marcha Mundial das Mulheres; Mariniza dos Santos - Assessora Parlamentar e vice-presidente do PT de Passo Fundo; Marisa Formolo - Deputada Estadual PT/RS; Marlene Oliveira - Jornalista; Marli Teresinha Mousquer; Marlise Maria Fernandes- Feminista; Marsia Maria Sulzbacher - Funcionária Pública; Marta Resing – Jornalista; Marta Romana Rufatto - Movimento de Mulheres de Canoas; Martha Narvaz - psicóloga; Naira Hofmeister – jornalista; Nara Dias – Arquiteta; Neida de Oliveira - 1º Vice-Presidente do Cpers Sindicato; Neiva Lazarotto – 2a vice-presidenta do Cpers Sindicato; Nelci Dias, presidenta do SERGS ( Sindicato dos Enfermeiros do RS); Neli Nelcinda – Professora; Nina Camarano - assessora jurídica da Bancada do PT na Câmara Municipal de Porto Alegre; Olga Falceto-médica; Paloma oliveira - estudante; Paola Loureiro Carvalho - Assessora Parlamentar; Raquel Arruda Gomes -advogada; Rejane de Oliveira – Presidenta do Cpers Sindicato e Vice-Presidenta da CUT/RS; Rejane Penna Rodrigues ex- Secretária Municipal de Esportes, Recreação e Lazer de Porto Alegre atual Secretária Nacional de Desenvolvimento de Esporte e Lazer do Ministério do Esporte; Rita de Cássia Quadros – Estudante; Rita Sanco - Prefeita de Gravataí; Rita Valquiria Escobar Rocha - Militante MMM - RS; Rosa Leaes – Administradora, Educadora - Sec Saúde Mun. de Nova Hartz; Rose Freitas - CPERS – Gravataí; Rosmari Castilhos – Presidenta do COMDIM de Porto Alegre; Rossana Silveira – Militante; Sandra Ilibio Braz - Assessora Parlamentar; Sandra Maria Soares - Funcionária Pública Aposentada; Silvana Maria Rimolo - professora municipal aposentada; Silvia F. Pont – estudante; Simone Schaeffer – Artesã de Montenegro; Sirlene Nunes Vieira - Assessora MDA; Sofia Cavedon, Vereadora de Porto Alegre; Sonia B. Pilla - professora aposentada; Sônia Regina Coradini - Enfermeira; Sônia Roesler - Militante; Stela Farias - deputada estadual PT/RS; Sueli de Fátima Mousquer - Artista Plástica; Sylvia Severo - Formação e Assessoria; Taís Vicari – Publicitária e Empresária; Tavama Nunes Santos - Professora; Telassim Lewandowski - Movimento de Mulheres de Canoas; Telia Negrão – Jornalista; Vanessa Gil - Secretária; Vânia Damin - Servidora Pública Federal da Justiça do Trabalho; Vera Genro - advogada; Vera Maria Vidal Peroni – Profa. Dra. Faculdade de Educação da UFRGS; Vera Regina Ignácio Amaro – professora; Viviane Fulber - Movimento de Mulheres de Canoas; Viviane Poli – estudante; Viviane Zinn Severo – Professora Municipal de Porto Alegre; Vládia Paz – Pedagoga; Zenaide Martins da Silva - Professora. Agora, imaginem a cena oposta, se uma deputada petista, Marisa Formolo, por exemplo, fosse agredida por um deputado do PMDB, do PP.... A Assembléia Legislativa já teria sido invadida por centenas de furiosas mulheres petistas. Mas, o negócio é esse mesmo para as esquerdóides petistas. Ninguém viu elas tirando notinha de protesto, ou de lamento, por exemplo, quando o teórico comunista Louis Althusser assassinou sua mulher.