sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Representantes da Light se reúnem com Aneel para explicar falta de energia no Rio de Janeiro

Representantes da Light se reuniram na noite de quarta-feira com a direção da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para dar explicações sobre as interrupções no fornecimento de energia elétrica ocorridos no último dia 13, no bairro de Copacabana, e na segunda-feira, em parte do Leblon, Ipanema e Lagoa, na zona sul do Rio de Janeiro. Na terça-feira a companhia recebeu um documento da Aneel cobrando esclarecimentos em 48 horas sobre as causas dos cortes de luz. A Aneel informou que o diretor-geral Nelson Hubner dará explicações sobre o assunto somente nesta sexta-feira. A companhia de energia teria que informar a duração de cada interrupção, os locais afetados e as medidas adotadas pela empresa para evitar que os eventos se repitam. Dados da Aneel revelam também que a Light registrou mais interrupções no fornecimento de energia e mais horas sem luz que a média das distribuidoras da região Sudeste em 2008.

Noruega acusa Irã de confiscar medalha de vencedora do Nobel da Paz

O governo da Noruega denunciou nesta quinta-feira que autoridades fascistas islâmicas iranianas confiscaram o Prêmio Nobel da Paz concedido, em 2003, à advogada Shirin Ebadi, acrescentando que convocou o representante iraniano em Oslo para transmitir-lhe seu protesto. "Estamos indignados e nos distanciamos de semelhantes ações", declarou o ministro norueguês de Relações Exteriores, Jonas Gahr Stoere, em comunicado. Segundo ele, foi "a primeira vez que um Prêmio Nobel da Paz foi confiscado por autoridades nacionais." A medalha e o diploma Nobel de Shirin Ebadi, assim como outros objetos pessoais, foram retirados de um cofre bancário. Ela enfrenta há muito tempo a repressão das autoridades iranianas às suas atividades, incluindo uma incursão em seu escritório no ano passado em que arquivos foram confiscados. Vários colaboradores de Shirin Ebadi, assim como seu marido, foram detidos e às vezes sofreram maus-tratos nos últimos meses no Irã. O Nobel da Paz foi concedido à advogada iraniana "por seus esforços em favor da democracia e dos direitos humanos" na República fascista islâmica. O confisco da medalha é uma expressão da abordagem cada vez mais dura do governo iraniano em relação a todos que considera como adversários, particularmente desde que grandes protestos eclodiram após a contestada eleição presidencial de 12 de junho, que contestaram a legitimidade do governo. Ebadi estava fora do país no momento da votação e não retornou até hoje, dizendo viver "em um estado efetivo de exílio". Ebadi pediu à comunidade internacional para que rejeite o resultado e apelou para que houvesse uma nova votação, monitorada pela ONU. A ativista tem criticado fortemente a repressão pós-eleitoral sancionada pelo sistema clerical xiita. Durante os últimos meses, centenas de ativistas pró-reforma foram presos, e um julgamento em massa condenou dezenas de pessoas à prisão e algumas à morte.

Hubner diz que estudos para licença de Belo Monte estão "praticamente prontos"

O diretor geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Nelson Hubner, disse nesta quinta-feira que os estudos ambientais para liberação da licença prévia para Belo Monte estão "praticamente prontos". O estudo da vigilância sanitária sobre malária e outro estudo sobre alagamento de cavernas já fofam concluidos, segundo ele, após participar do Prêmio Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia 2009. Na semana passada, houve reuniões técnicas para tirar dúvidas sobre os pontos pendentes. Hubner reforcou que a Aneel somente vai publicar o edital do leilão da usina após o (Ibama Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) conceder a licença previa ambiental para o empreendimento. Hubner disse que a diretora da Aneel, Joísa Campanher Dutra, pediu para não ser reconduzida ao cargo. A vigência da atual diretoria vai até 22 de dezembro. Em seu lugar deve ser conduzido o advogado Julião Coelho. E ele confirmou que o atual dirertor Edvaldo Santana deve permanecer no cargo, a pedido do Planalto. A diretoria da Aneel é formada por cinco integrantes (incluindo o diretor-geral), com mandato de quatro anos.

Moratória em dívida de fundo de Dubai derruba Bolsas europeias

As Bolsas européias fecharam em baixa nesta quinta-feira. Os investidores se assustaram com o anúncio de que a empresa de investimentos estatal Dubai World admitiu sua incapacidade para honrar obrigações financeiras. A Bolsa de Londres caiu 3,18%, indo para 5.194,13 pontos no índice FTSE 100; a Bolsa de Frankfurt perdeu 3,25% no índice DAX, para 5.614,17 pontos; a Bolsa de Zurique teve baixa de 2,16%, indo para 6.283,38 pontos no índice Swiss Market; a Bolsa de Amsterdã fechou com perda de 3,62%, com 306,72 pontos no índice AEX General; e a Bolsa de Madri teve baixa de 2,55%, com 1.217,58 pontos no índice Madrid General. O emirado de Dubai, duramente atingido pela crise após anos de crescimento ininterrupto, informou na quarta-feira sua intenção de pedir aos credores de seu conglomerado Dubai World seis meses de moratória para o pagamento de uma dívida. Logo após o anúncio, a agência de classificação de risco Moody's baixou a nota de seis importantes companhias do governo de Dubai, um dos emirados que foram os Emirados Árabes Unidos. "Um reescalonamento da dívida indicaria que o governo está se preparando para permitir que uma empresa ligada a ele não honre suas obrigações", afirmou a Moody's. Os riscos de falência do emirado de Dubai alimentam as preocupações sobre a saúde financeira de alguns países, sobretudo do leste da Europa, esmagados pelo endividamento e pela recessão mundial. A falência de um Estado não é algo frequente. A última aconteceu em 2001, quando a Argentina se declarou incapaz de honrar os pagamentos de sua dívida externa, fomentando graves tumultos sociais e abrindo uma crise que se alastrou por vários anos. Porém, com a recessão, este cenário negro está voltando com força total. Obrigados a socorrer os contribuintes e os bancos, os Estados contraíram empréstimos com os mercados para financiar seus déficits. De acordo com a agência de classificação de risco Moody's, a dívida pública mundial vai aumentar 45% entre 2007 e 2010. Em consequência, os mercados podem deixar de comprar títulos de dívida pública e as obrigações emitidas por alguns Estados, ameaçando seu abastecimento de dinheiro. "Os problemas surgem quando os mercados perdem confiança na capacidade de um país de pagar sua dívida", resumiu o economista Juan Carlos Rodado, da Natixis. Os países do leste europeu são os mais ameaçados. Depois da extinção da União Soviética, os capitais estrangeiros chegaram em massa a essas nações e as deixaram logo que surgiu a crise, abalando profundamente suas economias. Hoje, os países bálticos, a Romênia e a Ucrânia, que ainda têm que lidar com crises políticas, lideram o ranking dos países de risco, segundo Rodado. Para continuar a atrair investidores, estes países devem elevar a taxa de juros prometida aos credores, "o que torna a dívida mais cara", lembrou Guy Longeville, do BNP Paribas.

Presidente paraguaio diz que cresceu sua popularidade entre as mulheres

O presidente do Paraguai, o patético ex-bispo Fernando "Pai Nosso" Lugo, um homem que quebrou reiteradamente o seu juramento feito à Igreja Católica, afirmou que sua popularidade cresceu muito entre as mulheres depois que vários casos de paternidade foram denunciados contra ele. "Dizem que, no mundo feminino, minha popularidade cresceu bastante", ironizou, ao ser consultado pela imprensa se a nova, e quarta, denúncia de uma nova paternidade teria prejudicado sua imagem junto à opinião pública. Lugo não confirmou nem negou se Fátima Rojas, uma jovem de 19 anos cujo casamento ele assistiu no sábado passado, é sua filha, como denunciou a sobrinha do presidente, Mirta Maidana Lugo. "Fátima Rojas pertence a uma família que conheço desde 1977. Peço desculpas a essa família porque sua privacidade foi invadida", disse ele. Segundo a imprensa local, o marido de Fátima Rojas, o estudante de direito Luis Paciello, começou a trabalhar há alguns dias na assessoria jurídica da hidroelétrica paraguaio-argentina Yacyretá. Diante da assistência dos jornalistas sobre a nova denúncia de paternidade, Lugo assegurou que isso "faz parte de uma grande campanha montada". "Não merece comentários", concluiu. Fátima é a quarta pessoa cuja paternidade é atribuída a Lugo desde abril passado, apesar de o presidente reconhecer apenas um filho, Guillermo Armindo, de 2 anos. De maneira muito compreensível, a Igreja Católica, esquerdizante na América Latina desde o encontro de Medellin, não diz uma palavra sobre as investidas de Lugo sobre as mulheres desde quando era bispo. Depois bispos e padres não querem compreender por que as igrejas católicas estão cada vez mais vazias.

Sindicato diz que Embraer demitiu mais 600 após corte de fevereiro

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos informou nesta quinta-feira que a Embraer já realizou mais 600 demissões de metalúrgicos em suas unidades na cidade, onde fica a matriz, além das 4.273 realizadas em um corte em fevereiro. Segundo o sindicato, o dado levantado foi baseado nos pedidos de homologação de demissões realizados entre janeiro e novembro. "Este número pode ser ainda maior se forem consideradas as demissões de outras categorias, como engenheiros e administrativos", apontou em nota. Devido às supostas demissões, o sindicato pediu que seja marcada uma reunião com a diretoria da fabricante de aeronaves para discutir a questão. Eles também pretendem negociar a redução da jornada de trabalho sem redução de salário e sem banco de horas.

Comissão anistia Paulo Freire e viúva receberá indenização

A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça considerou nesta quinta-feira, por unanimidade, o educador pernambucano Paulo Freire como anistiado político. Com isso, a viúva de Freire receberá uma indenização de 480 salários mínimos, desde que respeitado o teto de R$ 100 mil. A audiência pública foi realizada como parte da Caravana da Anistia, durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, promovido pelo Ministério da Educação, em Brasília. "Estamos caracterizando o pedido de desculpas oficiais pelos erros cometidos pelo Estado contra Paulo Freire", declarou o presidente da comissão, Paulo Abrão, ao final da sessão. Ele considera que há ainda muito a fazer, uma vez que há suspeitas de que arquivos, principalmente dos serviços de inteligência das Forças Armadas, ainda não tenham sido entregues ou tenham sido destruídos. Segundo ele, os documentos de inteligência encontrados queimados na Base Aérea de Salvador são uma prova de que há ainda muitos arquivos não abertos "apesar de que, tecnicamente, todos devessem estar abertos desde o Projeto Memórias Reveladas, criado pela Casa Civil", disse Abrão.

Procuradoria ajuiza ação contra Romeu Tuma e Paulo Maluf por ocultação de cadáveres na ditadura

O Ministério Público Federal em São Paulo ajuizou nesta quinta-feira duas ações na Justiça Federal pedindo a responsabilização do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) e do senador Romeu Tuma (PTB-SP) pela ocultação de cadáveres de desaparecidos políticos no período da ditadura, nos cemitérios de Perus e Vila Formosa. De acordo com a Procuradoria, a ação inclui autoridades e agentes públicos civis e da União, Estado e município de São Paulo. Maluf, por exemplo, foi prefeito de São Paulo de 1969 a 1971. Romeu Tuma foi chefe do Dops (Departamento Estadual de Ordem Política e Social) entre 1966 e 1983. Ou seja, Romeu Tuma comandou um dos principais centros de tortura da ditadura militar, em quase toda a extensão do período duro da ditadura. A ação também pede a responsabilização pessoal do ex-prefeito de São Paulo, Miguel Colasuonno (1973-1975); do ex-chefe do necrotério do IML (Instituto Médico Legal), Harry Shibata, e do ex-diretor do serviço funerário municipal, Fabio Barreto (1970-1974). Na ação, a Procuradoria pede que os cinco sejam punidos com a perda das funções públicas ou das aposentadorias. Pede ainda que eles sejam condenados a pagar uma indenização de 10% do patrimônio pessoal para reparação de danos morais coletivos. De acordo com o Ministério Público, desaparecidos políticos foram sepultados nos cemitérios de Perus e Vila Formosa de forma totalmente ilegal e clandestina, com a participação do IML, do Dops e da prefeitura. Na segunda ação civil proposta nesta quinta-feira, o Ministério Público Federal pede a responsabilização das pessoas físicas e jurídicas que contribuíram para que as ossadas de mortos e desaparecidos políticos localizadas no cemitério de Perus permanecessem sem identificação. São demandados na ação a União, o Estado, a Unicamp, a Universidade Federal de Minas Gerais, a Universidade de São Paulo e mais cinco pessoas, a maioria legistas.

Faturamento da indústria de máquinas e equipamentos cai 10% em outubro

O faturamento da indústria de máquinas e equipamentos caiu 10% em outubro ante setembro, somando R$ 5,36 bilhões, informou a associação nacional do setor nesta quinta-feira. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o número registrou queda de 27%. Os dados da Abimaq (Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos) mostram que a retomada do setor após a crise continua instável. No acumulado do ano, o faturamento do setor apresenta redução de 21,2%, em R$ 51,72 bilhões. Descontando a inflação do período, a queda é de 23,6%. Os setores com quedas mais acentuadas no faturamento no acumulado do ano foram os de máquinas e equipamentos para madeira (-59,1%), máquinas-ferramentas (-48,7%) e máquinas têxteis (-38%). Os que mais subiram foram os relacionados à indústria de infraestrutura e petróleo, com aumentos de 19,6% em bombas e motobombas e de 0,2% para bens sob encomenda. No acumulado do ano até outubro, o déficit comercial do setor cresceu 13% na comparação com igual intervalo do ano passado, para US$ 9,2 bilhões.

Repsol prevê elevar a produção de gás na Bolívia

A petrolífera espanhola Repsol YPF anunciou nesta quinta-feira que deve aumentar sua produção de gás natural na Bolívia, e confirmou planos de investir US$ 1,5 bilhão no País. A empresa espera aumentar a produção, em dois dos maiores campos que possui na Bolívia, dos atuais 2 milhões de metros cúbicos diários para 14 milhões até 2013. "A Repsol elevará a produção de Margarita e Huacaya dos atuais 2 milhões de metros cúbicos para 8 milhões até o primeiro trimestre de 2012", disse nesta quinta-feira o presidente da companhia, Antonio Brufau, após uma breve reunião com presidente da Bolívia, o cocaleiro trotskista Evo Morales. "Em uma segunda fase, a partir da metade de 2013, passaremos de 8 milhões de metros cúbicos por dia para 14 milhões", acrescentou. O investimento previsto para a companhia é, até o momento, o mais significativo em termos de hidrocarbonetos no país andino. Depois da Venezuela, a Bolívia possui a segunda maior reserva de gás da região com uma produção diária que supera os 42 milhões de metros cúbicos por dia, grande parte é enviada para o Brasil. Brufau confirmou o anúncio feito pelo governo boliviano há dois meses de um investimento de US$ 1,5 bilhão para os próximos cincos anos. Segundo o presidente da petrolífera estatal boliviana, YPFB, Carlos Villegas, os volumes adicionais permitiram a Bolívia aumentar os envios de gás para a Argentina. Atualmente a Bolívia envia até 7 milhões de metros cúbicos para a Argentina, pais para o qual deveria exportar até 27,7 milhões de metros cúbicos por dia, de acordo com contrato. Na Bolívia também operam companhias como a Petrobras e a francesa Total.

Usinas do centro-sul vão moer cana na entressafra

Aproximadamente 40 usinas de açúcar e álcool do centro-sul do Brasil, ou cerca de 15% do total, seguirão moendo cana-de-açúcar de janeiro a março de 2010, período em que normalmente as unidades param para manutenção, afirmou nesta quinta-feira o diretor técnico da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), Antônio de Pádua Rodrigues. A ampla disponibilidade de cana ainda nos campos, após chuvas em excesso terem reduzido o tempo disponível para moagem durante o ano, e a necessidade de algumas empresas em fazer caixa são os principais motivos para a moagem continuar na entressafra, afirmou Pádua. Como muitas das usinas que vão seguir moendo na entressafra são unidades recém-inauguradas, elas deverão produzir mais álcool que açúcar. "São unidades novas, que começaram a processar depois, algumas em outubro, ou as que possuem ainda muita cana em pé. Também as que possuem maior necessidade de caixa", disse Pádua.

Banco Panamericano confirma interesse da Caixa Econômica Federal

O banco Panamericano, focado em concessão de crédito para consumo, confirmou nesta quinta-feira as negociações com a Caixa Econômica Federal, para aquisição de quase metade (49%) do capital votante da financeira. A aquisição seria por meio da subsidiária da Caixa, a CaixaPar, que pode adquirir, além de participação no capital votante, mais 20% do capital não votante, num total de 35% do capital social do Panamericano. "Até o momento não há qualquer documento assinado entre as partes, uma vez que as condições negociais, em especial o preço, não foram definidas", afirma o diretor de Relações com Investidores, Wilson Roberto de Aro, em comunicado ao mercado. O Panamericano declarou um lucro de R$ 47,6 milhões no terceiro trimestre deste ano e de R$ 116,2 milhões em nove meses. A carteira de crédito do banco atingiu R$ 9,30 bilhões no trimestre passado, com 2,2 milhões de clientes ativos.

Relatório sobre apagão fica pronto na próxima semana, afirma diretor da ONS

O diretor-geral do ONS (Operador Nacional do Sistema), Hermes Chipp, afirmou nesta quinta-feira que o relatório final do apagão do último dia 10 será concluído em 4 de dezembro e encaminhado ao Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico. O relatório promete ser um documento conclusivo sobre o blecaute que deixou 18 Estados às escuras. O documento deve eliminar dúvidas se foi uma descarga elétrica ou água da chuva que provocou o desligamento das linhas de transmissão. O governo descarta qualquer outra hipótese além do mau tempo. O que deve ser apurado também é como os equipamentos do sistema elétrico responderam às condições difíceis de clima. O diretor-geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Nelson Hubner, disse nesta quinta-feira que quer ouvir as empresas nacionais e internacionais fabricantes de componentes elétricos.

Eleições internas do PT confirmam volta de mensaleiros ao comando do partido

As eleições internas do PT confirmaram a volta ao comando do partido de petistas que são réus do processo do Mensalão no Supremo Tribunal Federal e são investigados por participação no esquema corruptor de compra de votos no Congresso em 2005, montado pela direção do PT, para conseguir apoio político de parlamentares e partidos ao governo Lula. Apesar de terem recebido aval da maioria dos petistas, a expectativa é que eles fiquem apenas como integrantes do Diretório Nacional, sem cargos de destaques e sem nenhuma secretaria sob o controle. Com quase 85% dos votos do PED (Processo de Eleição Direta) apurados, a chapa "O Partido que Muda o Brasil" recebeu 216.364 votos (55,4%) e deve ficar com 45 das 81 cadeiras do Diretório Nacional. A chapa apoiava o presidente eleito, José Eduardo Dutra, e conta com oito petistas denunciados pelo Mensalão, entre eles o ex-ministro José Dirceu, deputado federal cassado por corrupção, e os deputados federais José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP).

Oposição nem aparece em reunião no Senado para explicar o apagão

Diz o site do jornalista Claudio Humberto: "A oposição, que tanto alardeou interesse em saber as causas do apagão do dia 10, e chegou até a pedir a convocação dos ministros Edison Lobão (Minas e Energia) e Dilma Rousseff (Casa Civil) ao Senado Federal, sequer apareceu durante as mais de três horas e meia de audiência pública na Comissão de Infraestrutura para debater o caso. O colegiado ouviu as explicações do diretor geral do Operador Nacional do Sistema, Hermes Chipp, do presidente da Aneel, Nelson Hubner, do ministro interino das Minas e Energia, Márcio Zimmerman, e do ex-presidente da Eletrobrás, Luiz Pinguelli Rosa, mas a oposição não estava nem aí. O senador Efraim Moraes (DEM) apareceu apenas para falar sobre questões de política de seu estado, a Paraíba, e o senador Flexa Ribeiro (PA), do PSDB, apenas assinou a lista de presença, e nem ficou para ouvir o que os responsáveis pelo setor tinham a dizer. O líder tucano, Arthur Virgilio (AM), que deu entrevistas dizendo que queria apurar o “absurdo”, sequer deu sinal de vida". É duro para um cidadão brasileiro que discorda do governo Lula, e são muitos, saber que depende de uma oposição tão vagabunda e ordinária.

Lula diz que continuará na política

Após deixar a Presidência, o bolivariano Lula diz querer continuar envolvido com a política. Em referência às críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a sua administração, Lula garantiu que, mesmo que continue dedicado à política, “evitará dar opiniões sobre seus sucessores”. Ele também disse ter certeza de que a candidata petista Dilma Rousseff (ministra chefe da Casa Civil) fará um bom governo caso seja eleita como presidente em 2010.

Primeiro leilão de energia eólica do País terá oferta de 10 mil megawatts

O primeiro leilão de energia eólica do Brasil vai contar com 10.005 megawatts de energia ofertada, potência uma vez e meia maior que a que será produzida pelas usinas do Complexo Hidrelétrico do Rio Madeira, em Rondônia. No total, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) habilitou 339 projetos de geração elétrica a partir da força do ventos para o leilão, que será realizado dia 14 de dezembro. A maioria dos projetos habilitados é da Região Nordeste, onde está o maior potencial eólico do País, com empreendimentos na Bahia, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. A EPE também habilitou projetos no Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O preço inicial definido para a venda será de R$ 189,00 por megawatt/hora. Os empreendimentos que ofertarem os maiores deságios sobre o valor inicial vencerão o leilão. O valor é mais alto que o pago pela energia de fonte hidráulica. No caso da Hidrelétrica de Jirau, por exemplo, o teto era de R$ 91,00 e terminou o leilão em R$ 71,40 por megawatt/hora, com deságio de 21,6%. Os contratos de compra e venda de energia terão duração de 20 anos, com validade a partir de julho de 2012. O leilão será realizado na modalidade de reserva, com a contratação de um volume de energia maior que a demanda.

Justiça de São Paulo condena Paulo Maluf a devolver R$ 4,9 milhões

O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), ex-prefeito de São Paulo (1993-1996), foi condenado pela 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital a devolver ao Tesouro municipal R$ 4,9 milhões por ato de improbidade administrativa na construção do Túnel Ayrton Senna. A obra foi superfaturada. Peritos do Ministério Público identificaram medições forjadas e pagamentos por serviços não realizados. O juiz Wanderley Sebastião Fernandes aplicou multa de R$ 10 milhões, equivalente a duas vezes o dano, e a suspensão dos direitos políticos de Paulo Maluf por cinco anos. A conta não é só de Maluf. Outros acusados terão de dividir com ele a responsabilidade pelo ressarcimento em condenação solidária. São citados na sentença, de 9 de novembro, o ex-secretário de Obras e ex-presidente da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), Reynaldo de Barros, três ex-diretores e o consórcio CBPO/Constran.

Decisão sobre casal Hernandes sai nos próximos dias

O que era para ser um julgamento simples se converteu em uma operação da Polícia Federal em busca de uma testemunha que defenderia o casal Estevam e Sonia Hernandes, bispos criadores da Igreja Renascer em Cristo. Durante audiência, a defesa tentou postergar e até converter o julgamento em novas diligências, suspendendo o processo no qual os fundadores da Igreja Renascer são acusados dos crimes de falsidade ideológica e evasão de divisas. Em janeiro de 2007, eles tentaram entrar nos Estados Unidos com US$ 56 mil escondidos em malas, porta-CD e até uma Bíblia. O juiz Fausto de Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal, afastou a possibilidade de um adiamento e agora só cabe a ele a decisão final, que deve sair nos próximos dias. O Ministério Público Federal desistiu de acusar o casal por falsidade ideológica, mas manteve a acusação de evasão de divisas. Já o advogado Luiz Flávio Borges D'Urso pediu a absolvição de seus clientes, argumentando que não há provas contra o casal no Brasil e nada nessa linha foi apresentada nos autos.

Disputa entre governo peronista argentino e grupo Clarín toma novo rumo

Um pedido do governo peronista argentino para que haja uma investigação contra uma empresa de comunicações está agravando a disputa entre a administração da presdidente populista Cristina Kirchner e um dos maiores grupos de mídia da América Latina. O ministro da Economia, Amado Boudou, pediu nesta semana a parlamentares que investiguem possíveis irregularidades financeiras na empresa de distribuição de papel-jornal Papel Prensa, alimentando as acusações da oposição de que o governo pretende nacionalizar a companhia. O Grupo Clarín, dono do jornal com o mesmo nome e do canal a cabo mais visto no país, além de rádios e de um provedor de Internet, também detém uma grande participação acionária na Papel Prensa. O governo e o grupo La Nación têm ações da empresa. Por isso, a investigação foi vista como parte da disputa que se arrasta há mais de um ano, desde que membros do governo acusaram o jornal Clarín de realizar críticas excessivas à peronista populista e muito incompetente Cristina Kirchner, cuja taxa de aprovação popular é inferior a 20%. Em setembro, a presidente argentina apresentou um projeto de reforma da lei de mídia que, segundo ela, traria mais competição ao setor. Críticos disseram que a intenção real era obrigar o Grupo Clarín a vender alguns de seus veículos. Boudou defendeu uma investigação para "analisar se o sócio majoritário usa a companhia para o seu próprio benefício", e se o Clarín está obtendo papel-jornal abaixo do preço de mercado por intermédio da Papel Prensa.

Terrorista ex-líder do ETA é condenado a 30 anos de prisão na França

O terrorista Juan Ibón Fernández Iradi, ex-líder da divisão militar do grupo separatista basco ETA, conhecido como Súsper, foi condenado nesta quinta-feira a 30 anos de prisão pelo Tribunal Criminal de Paris, que também determinou penas entre cinco e 18 anos para outros seis membros desse grupo terrorista. A pena de Fernández Iradi, de 37 anos, que tem diversas causas contra si abertas na Espanha, será unida a outra condenação a 15 anos de prisão que tinha sido ditada contra ele na França em 2008. A condenação de hoje se somará a outra, também de 30 anos de prisão, ditada no ano passado por ferir gravemente um militar francês em novembro de 2002. Gorka Palacios Alday, chefe dos comandos da ETA em dezembro de 2003, quando duas operações policiais francesas permitiram a detenção dos sete etarras julgados desde a semana passada, foi condenado a 18 anos de prisão. Juan Luis Rubenach Roiz, apresentado pela Promotoria como o responsável pela logística da divisão militar da ETA, recebeu uma pena de 15 anos de cadeia. José Miguel Almandoz Erviti e Íñigo Vallejo Franco, encarregados da formação de terrorista, foram condenados a 12 anos de prisão cada. Patxi Abad Urkixo, que morava no mesmo apartamento de Súsper, foi condenado a dez anos de prisão e terá que ficar atrás das grades por pelo menos dois terços da pena. Além disso, os seis serão expulsos da França em definitivo assim que suas respectivas penas cheguem ao fim. Um pouco diferente é a situação de Garazi Aldana, de 27 anos, a única mulher a se sentar no banco dos réus, condenada a cinco anos de prisão.