quarta-feira, 30 de junho de 2010

Polícia apura denúncia de estupro de menina por filho menor de Sérgio Sirotski

A 6ª Delegacia de Polícia Civil, de Florianópolis, apura denúncia feita por uma mãe envolvendo suposta violência sexual cometida contra a sua filha por adolescentes. Os envolvidos são menores de 18 anos. O inquérito ainda não foi concluído. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com o intuito de proteger e evitar dano a cidadãos ainda em formação, proíbe, em seu artigo 247, a identificação de menores vítimas ou de alguma forma relacionados a atos infracionais. O Grupo RBS obedece ao estatuto e reforça essa orientação em seu Guia de Ética, Qualidade e Responsabilidade Social, disponível em seu site. Na tarde desta terça-feira, a direção do Colégio Catarinense, que foi citado em versões que circulam na internet, emitiu nota sobre o episódio alegando que os "adolescentes não são seus alunos". Na verdade, os menores têm 14 anos.
Um deles é filho de Sérgio Sirotski, diretor do Grupo RBS em Santa Catarina. Outro menor é filho de um delegado de Polícia Civil. O terceiro não é identificado. Os três garotos teriam arrastado a menina drogada de um shopping para o apartamento da mãe de um deles, que estava fora. Lá, estupraram a garota de 13 anos, com requintes. A cena foi interrompida pela mãe que retornava ao seu apartamento, e teria surrado o filho. A garota está em estado de choque e já teria tentado o suicídio. A RBS de Santa Catarina, na edição desta quarta-feira, no seu jornal Diario Catarinense, admite o fato, mas omite todos os nomes, alegando o Estatuto da Criança e do Adolescente. Esse mesmo cuidado a RBS do Rio Grande do Sul não teve no ano passado, quando escrachou foto na capa de seu jornal Zero Hora, do neto da governadora Yeda Crusius sitiado em sua casa pelos bandoleiros do MST e do Cpers. O Twitter está invadido de notas a respeito do assunto. O divulgador do caso, agora admitido pela RBS Santa Catarina, foi o blog Tijolaços, que está sofrendo grande boicote, sendo retirado do ar.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Jornalista de afiliada do SBT no Mato Grosso é agredida a tapa por vereador cafajeste

Na última segunda-feira, a jornalista Márcia Pache, da TV Centro-Oeste, afiliada do SBT no Mato Grosso, foi agredida pelo vereador Lorivaldo Rodrigues de Moraes, do DEM. Márcia Pache fazia uma série investigativa que denunciava o vereador por ter autorizado a invasão de um apartamento em um condomínio feito pelo governo do Mato Grosso, além de receber uma aposentadoria ilegal em nome de uma idosa. O vereador cafajeste passou pelo lado da jornalista, enquanto ela gravava no corredor da Câmara Muncipal, quando recebeu um forte tapa no rosto do cafajeste democrata. Márcia Pache prestou queixa na delegacia contra o vereador cafajeste democrata e pretende pedir indenização por danos morais. Os jornalistas locais ficaram revoltados com a agressão promovida pelo vereador cafajeste democrata e fizeram um protesto em frente à Câmara de Vereadores, pedindo a cassação do mandato do pilantra democrata por quebra de decoro parlamentar. Veja no video abaixo a cena da agressão promovida pelo vereador cafajeste democracata Lorivaldo Rodrigues de Moraes.

Yeda Crusius autoriza abertura de licitação para revitalizar Cais do Porto Mauá em Porto Alegre

Esperada há 30 anos pela cidade de Porto Alegre, a revitalização do Cais do Porto Mauá teve, nesta segunda-feira, um de seus capítulos finais: a governadora Yeda Crusius autorizou a abertura de licitação para escolher a empresa que irá revitalizar o espaço. "Aguardamos todo esse tempo e estamos realizando este sonho em três anos. É um desejo coletivo transformar este ponto em um cartão postal mundial", afirmou Yeda Crusius, no pórtico de entrada do Cais. As obras serão iniciadas em 2011, com perspectivas de investimentos entre R$ 400 milhões e R$ 500 milhões do setor privado. De acordo com a governadora, o PIB do Rio Grande do Sul terá um incremento significativo com a revitalização da área. Para Yeda Crusius, o espaço será pólo de desenvolvimento turístico, com atividades esportivas, culturais e educacionais. "A área continuará pública", reforçou, ao destacar que o governo do Estado do Rio Grande do Sul deu prioridade à modernização do Cais Mauá. Em três dias, será publicado o edital de licitação e, até o final de setembro, os envelopes com as propostas serão abertos. Com expectativa de gerar 10 mil empregos diretos e indiretos nas operações que serão instaladas na área, a revitalização terá recursos integralmente custeados pela iniciativa privada e vai da Usina do Gasômetro até as proximidades da Estação Rodoviária. Dos 12 armazéns, 11 são tombados pelo Patrimônio Histórico e serão preservados. O local também abrigará hotéis e apart-hotéis, além de um centro de educação ambiental. Segundo estudo do Sebrae, 16% de todos os eventos realizados no Brasil ocorrem em Porto Alegre. Com um novo Cais Mauá, esse percentual poderá subir para 23%. Para o prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti, o edital de licitação marca mais um passo decisivo para as melhorias no Cais: "Será um belo presente à Capital para a Copa 2014". A área será de acesso irrestrito da população e terá acessibilidade universal.

Petrolíferas interrompem negócios com Irã e aumentam pressão econômica

A pressão econômica sobre o Irã cresceu nesta segunda-feira após duas petrolíferas interromperem os negócios com o país persa. Além disso, os Emirados Árabes Unidos, vistos como uma linha vital de comércio para Teerã, ordenaram o congelamento de algumas contas bancárias ligadas à república fascista islâmica. Os últimos acontecimentos destacam o crescente isolamento internacional imposto ao Irã por seu programa nuclear, acusado pelas potências ocidentais de ser um disfarce para o desenvolvimento de armas nucleares. A empresa francesa Total se juntou a uma crescente lista de empresas que interromperam a venda de gasolina ao Irã. A espanhola Repsol disse ter se retirado de um contrato para desenvolver parte da extensa reserva de gás South Pars, no Golfo Pérsico. "A Total suspendeu as vendas de gasolina e produtos refinados ao Irã", disse um porta-voz da empresa em Paris. As decisões foram anunciadas quatro dias após o Congresso dos Estados Unidos ter aprovado um projeto de lei para punir empresas que fornecerem gasolina ao Irã, o quinto maior exportador de petróleo do mundo, mas que enfrenta dificuldades de refino para atender à sua própria demanda de combustível. O Conselho de Segurança da ONU renovou em 9 de junho sua condenação à política nuclear iraniana em uma resolução acompanhada por sanções, a quarta desde 2006. Às medidas da ONU somaram-se nesta semana sanções extras aplicadas pelos Estados Unidos e pela União Européia.

Jornalista peruana e marido uruguaio estão entre acusados de espionar nos Estados Unidos

A jornalista peruana Vicky Peláez, colunista do jornal em espanhol "El Diário/La Prensa", está entre os dez presos nos Estados Unidos por atuação ilegal no país como agentes da inteligência russa. Peláez e seu marido, o uruguaio Juan Lázaro, foram presos no domingo em sua casa em Yonkers, ao norte de Nova York, e compareceram nesta segunda-feira a um tribunal federal em Manhattan. Ambos estão entre os presos nas últimas horas por realizar durante "um longo tempo" missões secretas nos Estados Unidos, atuando "de maneira ilegal" como agentes para a Rússia. Segundo documentos judiciais divulgados nesta segunda-feira, Peláez e Lázaro fizeram durante anos viagens a um país sul-americano no qual "passavam mensagens secretas" aos oficiais do governo da Rússia, e recebiam dinheiro por seus serviços. Esses documentos, que registram conversas entre o casal interceptadas pelas autoridades americanas, asseguram que ambos viajaram repetidamente ao mesmo país, onde "um representante do governo da Rússia entregava pacotes que continham dinheiro". Conta, por exemplo, que em uma ocasião Peláez voltou aos Estados Unidos com oito sacolas com US$ 10 mil em cada uma, e afirma que há várias fotos de Lázaro com um representante do governo russo. Peláez, que vive há quase 30 anos nos Estados Unidos e cuja família é de Machu Picchu, trabalha há mais de 20 anos para o "El Diário/La Prensa", onde foi repórter e editora da seção dedicada a América Latina. Também é conhecida por escrever uma coluna, com a qual ganhou fama de defensora dos líderes bolivarianos, principalmente o ditador da Venezuela, Hugo Chávez, e os tiranos cubanos. Dez agentes de inteligência foram presos acusados de atuarem como agentes ilegais do governo russo nos Estados Unidos, informou nesta segunda-feira o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Segundo registros judiciais do caso, o governo americano interceptou uma mensagem da central de inteligência russa em Moscou a dois dos acusados. A mensagem afirma que a missão deles era "encontrar e desenvolver ligações nos círculos políticos nos Estados Unidos" e enviar relatórios de inteligência. Todos os dez foram acusados de ato de conspiração como agente de um governo estrangeiro, que leva pena máxima de cinco anos de prisão.

Sem Dilma Rousseff, também Marina Silva foge de participar da sabatina da CNA

A coordenação da campanha da candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, informou na noite desta segunda-feira que ela não irá mais participar da sabatina organizada pela CNA (Confederação Nacional da Agricultura e da Pecuária) marcada para quinta-feira. O coordenador-executivo da campanha, João Paulo Capobianco, afirma que a decisão foi tomada depois que a entidade não atendeu ao pedido da candidata de mudar as regras do evento. Segundo ele, as regras atuais não garantiriam a isonomia entre os candidatos. O evento terá a presença do tucano José Serra. Já a petista Dilma Rousseff rejeitou o convite da entidade. "Dada a vinculação legítima de dirigentes da CNA com a candidatura adversária, apenas o conhecimento dos temas definidos para as perguntas não asseguraria a necessária isonomia para que as visões estratégicas sobre a condução do agronegócio brasileiro fossem expostas adequadamente", diz nota assinada por Capobianco. Segundo o coordenador, Marina pediu à direção da CNA as perguntas que seriam feitas na sabatina "a exemplo de encontros com presidenciáveis promovidos por outras entidades representativas do empresariado brasileiro ou do municipalismo". No entanto, não foi atendida. Marina reclama ainda que a CNA entregou para Serra em abril o documento referência da sabatina, enquanto ela só o recebeu nesta segunda-feira. A presidente da CNA, senadora Kátia Abreu (DEM-TO), respondeu em nota que lamenta a decisão de Marina. Marina e Dilma, da velha escola petista, gostam mesmo é de sabatinas da CNI, capachona do governo Lula.

Piora estado de saúde de dissidente cubano em greve de fome

O estado de saúde do dissidente cubano Guillermo Fariñas, em greve de fome há mais de quatro meses, piorou nos últimos dias dias por causa de uma nova infecção, um possível coágulo sanguíneo e uma afecção hepática, disseram nesta segunda-feira fontes médicas e da família. Ismel Iglesias, um dos médicos que atendeu o opositor desde que começou a greve, disse que o estado de Fariñas é "crítico" devido a complicações causadas por uma infecção e um possível coágulo, que obrigou a retirada de um catéter que administrava alimentação parental. "Seu estado geral é ruim. Se o coágulo aumentar, ele pode ter um derrame e morrer". Jornalista independente e psicólogo de 48 anos, Fariñas começou a greve de fome em 24 de fevereiro, após a morte do preso político Orlando Zapata, pedindo à ditadura cubana a libertação de 26 presos políticos doentes. Desde 11 de março, ele está em uma sala de terapia no hospital da cidade de Santa Clara, a 270 quilômetros a oeste de Havana. Segundo o médico, Fariñas será submetido a exames para determinar se tem mesmo um coágulo, com risco de trombose.

Ausência de ministros trava pauta do Supremo

Faltas sucessivas, licenças médicas prolongadas, viagens de representação ao Exterior e agora a aposentadoria do ministro Eros Grau colocaram o Supremo Tribunal Federal em uma crise de funcionamento. Com dois ministros a menos (Eros Grau, em processo de aposentadoria, e Joaquim Barbosa, de licença médica há dois meses), o Supremo está com sua pauta de julgamentos comprometida. A sessão desta terça-feira da 2ª Turma está ameaçada: além de Eros Grau e Barbosa, a ministra Ellen Gracie está em viagem oficial ao Marrocos. Apenas dois ministros estarão presentes, número insuficiente para abrir uma sessão da turma. Essa situação de falta de quórum também ocorre no plenário, que é formado pelos 11 ministros do Supremo. As faltas frequentes fazem com que processos polêmicos, como a interrupção de gravidez em caso de anencefalia do feto, a constitucionalidade da política de cotas raciais, o reconhecimento da união homoafetiva e a regularização de áreas quilombolas permaneçam parados. E mesmo os julgamentos de temas mais simples sofrem as consequências. Há duas semanas, Eros Grau deixou a corte. Avisou que só voltaria em agosto, quando completará 70 anos e se aposentará compulsória e oficialmente. Ministros duvidam de seu retorno. Acham que a sessão do dia 17 foi sua última no tribunal. A vaga aberta só deverá ser preenchida depois de outubro. No governo, a avaliação é de que a eventual escolha do novo ministro durante o período eleitoral poderia ser contaminada pelo clima da campanha eleitoral. E mesmo que um nome escolhido pelo governo tivesse a simpatia da oposição, dificilmente haveria quórum no plenário do Senado para votar a indicação. Quanto ao ministro Joaquim Barbosa, na verdade sua licença médica de dois meses terminou no último dia 26, mas ele ainda não deu as caras em Brasília. Aliás, durante sua licença médica foi visto caminhando animadamente em companhia de um amigo, na Vieira Souto, no Rio de Janeiro. Aparentava esbanjar saúde. A data do passeio foi o dia 13 de junho.

DEM procura uma saída honrosa para sua briga com o PSDB pela vice de José Serra

Apesar do tom agressivo adotado quando o senador Alvaro Dias foi anunciado para a vice de José Serra, grande parte do DEM sabe que a única coisa que lhes resta é buscar uma saída honrosa para a novela do vice. Sabedores de que a chance de José Serra retirar o nome de Álvaro Dias é próxima de zero, o DEM tentará resolver o impasse em todos os Estados em que ainda há incômodos. Três deles são chave: Sergipe, Goiás e Pará. No primeiro, o DEM tem com João Alves uma de suas poucas candidaturas efetivamente competitivas a governador, mas mesmo assim o tucano Albano Franco ainda resiste a ser o candidato ao Senado na chapa. Em Goiás, Ronaldo Caiado quer que o DEM tenha direito de indicar dois nomes na chapa do tucano Marconi Perillo, que é seu desafeto: Demóstenes Torres seria candidato ao Senado e outro nome seria indicado para a vice. No Pará, o DEM quer que Valéria Pires Franco seja o nome ao Senado na chapa de Simão Jatene.

PTdoB desiste de ter candidato próprio e formaliza apoio a Serra

O nanico PTdoB desistiu no domingo de ter candidato próprio na disputa presidencial e irá apoiar o tucano José Serra. O partido tinha com pré-candidato o engenheiro Mário de Oliveira. "O PTdoB apoiará outro candidato, lamento muito", escreveu no seu Twitter. Segundo ele, "não deu para superar os ´outros` interesses envolvidos". Na pesquisa CNI/Ibope divulgada semana passada, ele tinha 0,1% das intenções de votos. Com a saída de Oliveira, a eleição presidencial terá 12 candidatos, maior número desde a eleição de 1989.

Médico Abdelmassih pede cancelamento de registro médico após acusações de abuso sexual

O médico Roger Abdelmassih, que responde a 56 acusações de estupro contra ex-pacientes, entregou ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo um pedido de cancelamento de seu registro. O médico chegou a ficar preso por quatro meses no ano passado, devido às acusações, sendo libertado na véspera do Natal. A confirmação do pedido de cancelamento do registro foi feita pelo advogado de Abdelmassih, José Luis de Oliveira Lima, nesta segunda-feira. Na semana passada foi confirmada a gravidez da mulher do médico, com quem é casado desde fevereiro. Ele já tem cinco filhos. O registro médico de Abdelmassih já estava suspenso desde sua prisão, ocorrida em agosto do ano passado. O conselho abriu 51 processos éticos contra ele. Após deixar a prisão, ele chegou a afirmar que pretendia recuperar seu registro profissional. Abdelmassih é acusado de estupro contra 39 ex-pacientes, mas como algumas relataram mais de um crime, há 56 acusações contra ele.

Polícia do Senado encaminha ao STF inquérito sobre contratação de "fantasmas"

A Polícia Legislativa do Senado encaminhou nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal o inquérito sobre a contratação de funcionários "fantasmas" para o gabinete do senador Efraim Morais (DEM-PB). Por exercer mandato parlamentar, o senador tem direito a foro privilegiado durante as investigações. Caberá ao Supremo decidir se dará continuidade às apurações realizadas pela Polícia Legislativa do Senado. As irmãs Kelriany e Kelly Nascimento da Silva afirmaram que são funcionárias fantasmas de Efraim. Na semana passada, o parlamentar afirmou que não comentaria o caso. "Não tem nada contra mim, então vou falar o quê?", disse. Segundo reportagem do "Jornal Nacional", Kelriany e Kelly não tinham emprego fixo, mas recebiam o que acreditavam ser uma bolsa de estudos de R$ 100,00 da UnB (Universidade de Brasília). Elas disseram que duas amigas pediram seus documentos e autorização para abrir conta em banco. Mas nunca receberam o cartão do banco porque a "ajuda" era entregue em casa. No mês passado, Kelriany conseguiu um emprego e, ao tentar abrir uma conta bancária, descobriu que ela e a irmã já tinham conta e eram funcionárias de Efraim, com salário de R$ 3.800,00. Uma das amigas que teriam pedido os documentos é Mônica da Conceição Bicalho, que presta assessoria jurídica para o senador.

Iraniano ligado a grupo que apóia terrorismo entrou ilegalmente no Brasil, na comitiva de Admadinead

O deputado federal Marcelo Itagiba (RJ) questionou o governo federal sobre a entrada ilegal do lugar-tenente da Guarda Revolucionária iraniana, Esmail Ghaani, no Brasil. O tucano disse ter provas concretas de que o oficial ingressou irregularmente no País ao lado do ditador do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, durante visita oficial no fim do ano passado. Itagiba afirmou que Ghaani é designado pelas Forças Quds, da elite da guarda dessa república islâmica fascista, para fazer a triangulação de produtos nocivos e sensíveis com destino ao Irã. “A entrada desse indivíduo, de forma irregular, incorreta e escondida sob as saias do ditador do Irã é uma afronta ao Brasil e à pacificação que o País prega no mundo. Trata-se de um conluio de pessoas que pregam o terrorismo, o fim da paz mundial e pretendem levar o enriquecimento de urânio para que o Irã tenha bomba nuclear e possa ameaçar o mundo”, protestou Itagiba em plenário nesta quarta-feira. Segundo o deputado, as Forças Quds têm como um dos seus objetivos propagar o terrorismo internacional, tendo apoiado diversas vezes ações do grupo terrorista islâmico Hezbollah pelo mundo. De acordo com Itagiba, o nome de Esmail Ghaani não constava nas relações oficiais da comitiva presidencial. O tucano encaminhou pedido de informação às autoridades competentes e recebeu a confirmação de que o tenente integrou oficialmente a delegação de Ahmadinejad, sem o visto da Embaixada do Brasil ou a autorização do Itamaraty. “O chefe do terrorismo internacional islâmico compareceu de forma camuflada, escondida. Ele veio debaixo do braço do ditador e adentrou o nosso território para fazer contato com altas autoridades brasileiras”, condenou o parlamentar. Itagiba considerou preocupante as autoridades brasileiras se associarem a islâmicos que querem, em nome de Deus, exportar o terrorismo internacional. Ele quer saber com que autoridades Esmail Ghaani se encontrou, se esteve com integrantes do primeiro escalão brasileiro, se discutiu a exportação e o enriquecimento de urânio e se conversou com a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff. Ele defendeu ainda uma apuração para responsabilizar aqueles que permitiram a entrada ilegal no Brasil.

PTC oficializa candidatura de diretor do Senado afastado durante crise

Sem muito alarde, o ex-diretor-geral do Senado, o inefável Agaciel Maia, teve sua candidatura a deputado distrital oficializada no sábado, durante convenção regional do PTC, em Brasília. Apontado como pivô da crise administrativa que paralisou o Senado em 2009 e investigado pelo Ministério Público Federal por causa do escândalo dos atos secretos, Agaciel disse que "não há nenhum impedimento jurídico" para sua participação na disputa e que após 34 anos no Senado quer "construir sua carreira política". O ex-diretor, que chegou a ser conhecido como 82° senador por causa de sua influência e poder, afirmou que tem pretensões políticas que ultrapassam a Câmara Legislativa. "É claro que isso depende do eleitor, mas sei que só quero ser distrital por quatro anos", disse ele. Agaciel disse que não teme perder votos por causa das denúncias de irregularidades em sua gestão de 14 anos na diretoria-geral do Senado Federal. Agaciel Maia é criatura de José Sarney.

BNDES e Exim Bank dos Estados Unidos assinam acordo de cooperação de dois anos

O BNDES anunciou nesta segunda-feira que assinou acordo com o Exim Bank (banco de exportações e importações) dos Estados Unidos para promover, em conjunto, investimentos e projetos de interesse de empresas brasileiras e norte-americanas. Além disso, de acordo com comunicado do BNDES, as duas instituições querem aumentar a cooperação entre elas. Pelo acordo, que terá prazo de vigência de dois anos, o BNDES e o Exim Bank se comprometem a trocar informações e realizar encontros, no Rio de Janeiro ou em Washington, a fim de viabilizar a referida cooperação.

Goleiro Bruno é afastado do Flamengo

Afastado do time por determinação da presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, o goleiro Bruno se apresentou ao clube na manhã desta segunda-feira, mas não chegou a treinar. A diretoria do Flamengo decidiu deixar o jogador à disposição das polícias do Rio de Janeiro e de Minas Gerais até que seja esclarecido o desaparecimento da ex-amante do goleiro, Eliza Samudio, 25 anos. “O Flamengo entende que não tem competência para julgar qualquer situação, e tão logo aconteça esse julgamento da Justiça, o Flamengo tomará, com tranquilidade, as medidas cabíveis. Só podemos dizer que ele fica afastado do grupo que vai para Itu, e permanece treinando no Ninho do Urubu”, afirmou Patrícia Amorim. A polícia já tem autorização da Justiça para entrar no sítio do jogador, em Contagem (MG). O chefe do Departamento de Investigação da Polícia Civil de Minas Gerais, Edson Moreira, afirmou, no entanto que, por enquanto, o que se investiga é um desaparecimento. Não há data para Bruno ser ouvido. “Ainda não temos provas para ouvir o jogador na condição de suspeito”, disse Moreira. No fim de semana, no entanto, policiais que investigam o caso em Minas Gerais afirmaram que há indícios de que Eliza foi assassinada. Desde a última quinta-feira, policiais de Minas Gerais e do Rio de Janeiro tentam descobrir o paradeiro da jovem, que teve um filho com o jogador do Flamengo. As suspeitas sobre Bruno aumentaram depois que Bruninho, filho do relacionamento extraconjugal do atleta, foi encontrado com Dayane, mulher dele. No sábado, Dayane chegou a ser autuada por “subtração de incapaz”, mas foi liberada em seguida. A polícia conseguiu descobrir que Bruninho foi levado para o sítio do jogador, em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte, por um amigo do jogador, conhecido como Macarrão. No domingo, o empresário Luiz Carlos Samudio, pai de Eliza, obteve a custódia de Bruninho e levou o bebê para Foz do Iguaçu. Bruno disse à polícia que há dois meses não tinha contato com Eliza, mas testemunhas contaram à polícia que a jovem ficou hospedada no sítio do jogador.

Diretor financeiro da Vale deixa cargo na mineradora após 8 anos

A Vale anunciou nesta segunda-feira que o diretor financeiro e de relações com o mercado, Fábio Barbosa, deixou a empresa "para buscar novos desafios profissionais", após oito anos na companhia. Barbosa estava na mineradora desde abril de 2002, vindo do Tesouro Nacional, onde era secretário. Como secretário do Tesouro, Barbosa integrou o Conselho de Administração da Vale, representando o governo. "Barbosa deverá ser substituído por Guilherme Perboyre Cavalcanti, cujo nome será submetido à aprovação do Conselho de Administração na próxima reunião", informou a Vale nesta segunda-feira. "Tínhamos o Fábio como contato de muitos anos, vai fazer falta, mas faz parte, ninguém fica no mesmo cargo para sempre", disse Pedro Galdi, analista da SLW. Atualmente, Cavalcanti é diretor global de Finanças Corporativas da Vale, cargo que ocupa desde setembro de 2005. Ele também é membro do Comitê Executivo de Gestão de Riscos. Mestre em economia, Cavalcanti é membro efetivo do Conselho de Administração da Log-In Logística Intermodal S.A. desde 2007.

Grupo reinicia buscas por mortos na Guerrilha do Araguaia

O Grupo de Trabalho Tocantins reiniciou no último sábado as buscas por despojos dos mortos na Guerrilha do Araguaia. A procura tinha sido suspensa em outubro de 2009, em razão das chuvas na região. Uma das tarefas dos especialistas, por exemplo, é peneirar a terra retirada das escavações, em busca de materiais e vestígios humanos de pequena dimensão, e isso não pode ser feito com a lama. O terreno molhado também dificulta o deslizamento do radar de solo, montado em uma espécie de carrinho, que identifica a presença de objetos abaixo da superfície. Desde o início de maio, uma equipe do GTT, com a função de ouvidoria, retornou a campo para ouvir novas testemunhas ou complementar informações recebidas anteriormente. A Guerrilha do Araguaia foi uma tentativa montada pelo PCdoB, durante a década de 60, ainda antes da edição do AI 5, de implantação do comunistação no Brasil, por meio da ditadura do proletariado, utilizando-se de operações armadas.

Israel inicia investigação interna sobre ataque a navio humanitário

Israel iniciou nesta segunda-feira os trabalhos da comissão de investigação sobre a abordagem, em 31 de maio passado, de um navio turco que tentava furar o bloqueio à faixa de Gaza. A ação deixou oito terroristas turcos e um turco-americano mortos, depois que estes receberam os soldados israelenses com grande violência, usando barras de ferro, cassetetes e facas. Segundo a comissão israelense, que iniciou os trabalhos em Jerusalém, o premiê Binyamin Netanyahu será um dos primeiros a depor. O líder da comissão e juiz aposentado do tribunal supremo israelense, Jacob Turkel, disse que o ministro da Defesa, Ehud Barak, e o chefe do Estado-Maior, Gaby Ashkenazi, também serão convocados em breve. Turkel apresentou os outros dois membros do comitê: Amos Horev, 86 anos, comandante geral aposentado que participou de investigações internas anteriores de ações militares israelenses, e Shabtai Rozen, 93 anos, um analista em Direito Internacional. O órgão tem como objetivo esclarecer os fatos e não atribuir responsabilidades aos políticos e militares que tomaram as decisões. O grupo conta com dois observadores internacionais sem direito a voto: o norte-irlandês William David Trimble, prêmio Nobel da Paz, e o canadense Ken Watkin, ex-promotor general do Exército do Canadá.

DEM do Pará lança ex-governadora ao Senado

O DEM não terá candidato ao governo do Estado do Pará, mas já decidiu que Valéria Pires Franco, ex-vice-governadora em aliança com os tucanos em 2002, vai concorrer a uma vaga no Senado na eleição de outubro. Os integrantes da executiva do partido também decidiram que o marido de Valéria e presidente do DEM no Pará, o deputado federal Vic Pires Franco, tem autonomia para negociar coligação com qualquer partido que der apoio para Valeria. Vic Pires vinha tentando negociar uma coligação com o PSDB, aliado tradicional do DEM, mas sentiu que os tucanos paraenses estão muito divididos e não querem Valéria em uma chapa ao Senado. Se isso acontecesse, quem teria de abrir mão da vaga, como quer o DEM, seria o atual senador Flexa Ribeiro, que decidiu disputar a reeleição. A maior resistência à coligação partiu do próprio senador: "Não vou abrir mão de um direito legítimo. Abrir mão, nem pensar". O candidato ao governo dos tucanos, o ex-governador Simão Jatene, deixou em aberto, até esta quarta-feira, a possibilidade de uma negociação com o DEM. Nesse caso, a vaga de vice seria oferecida aos democratas. "Podemos fechar com o PT", ameaça Vic Pires, que rejeita ver sua mulher novamente como vice em uma chapa com o PSDB. O problema é que o PT reluta em fechar uma aliança com o DEM e colocar sob risco a candidatura do deputado Paulo Rocha ao Senado.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

PSDB de Áecio lança Anastasia em Belo Horizonte e José Serra é citado apenas uma vez

Leia a notícia a seguir, é uma completa lição sobre "cristianizar", uma especialidade da política e de políticos mineiros. Em 1945, o ditador Getúlio Vargas foi deposto do poder, na onda pró-redemocratização em face do final da 2ª Guerra Mundial. Ele sai do poder mas avisa que voltará, "nos braços do povo". Funda dois partidos, o PTB e o PSD. Na eleição de 1950, ele concorre pelo PTB, coligado com o PSP. O PSD lança o mineiro Cristiano Machado. Como já era da essência da política mineira à época, Cristiano Machado era um "candidato de mentirinha". O PSD votou em Getúlio Vargas, que se elegeu. Agora, o candidata a herdeiro dessa "esperteza" mineira, o ex-governador mineiro, playboy Aécio Neves, inventou uma "criatura" para a sua sucessão no governo mineiro, o atual governador Antonio Anastasia. A convenção se realizou neste domingo. Leia a notícia a seguir do jornal O Globo e veja como a história se repete, embora nunca com os mesmos resultados.
BELO HORIZONTE - O PSDB homologou, neste domingo, a candidatura do governador Antônio Anastasia ao governo de Minas Gerais com aposta no prestígio do ex-governador Aécio Neves para reeleger seu sucessor. Apesar de um banner de aproximadamente dez metros de altura com as fotos de Aécio, Anastasia e do candidato do partido à Presidência, José Serra, enfeitar o plenário da Assembléia Legislativa, onde ocorreu a convenção, o PSDB mineiro não deu muito destaque à campanha do paulista, citado apenas uma vez nos discursos de Anastasia e do ex-governador. Mas, após o evento, Aécio pediu respeito à candidatura nacional tucana. Ele respondeu à provocação do vice-presidente José Alencar que, no dia anterior, disse sentir pena dos adversários que vão disputar contra candidatos da base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-governador afirmou que tem "enorme respeito pelo José Alencar e pelas candidaturas de oposição" e avalia que as eleições serão duras. - Nós aqui respeitaremos nossos adversários. Não vamos tripudiar sobre ninguém. Acho que numa eleição ainda tão incerta como essa você deveria pelo menos sugerir um pouco mais de cautela. Nós vamos disputar de forma altiva essa eleição e tenho ainda muita confiança de que o governador José Serra pode sair vitorioso - disse. Além da candidatura de Anastasia, a convenção também homologou os nomes de Aécio e do ex-presidente Itamar Franco para o Senado. O nome do candidato a vice, assim como os dos suplentes dos candidatos a senadores serão definidos durante a semana e devem ser anunciados em ato marcado pela legenda para a próxima quinta-feira, na capital mineira. A coligação em torno de Anastasia envolve também DEM, PPS, PSB, PSC, PMN, PSL, PTB, PSDC, PDT, PTN e PTdoB. Os tucanos também contavam com apoio do PR, mas, até a noite deste domingo, a convenção do diretório mineiro do partido ainda estava em um impasse e a decisão deve ficar a cargo da direção nacional do partido.
Comentário - Isso é o essencial. O playboyzinho Aécio Neves, que passou grande parte de seus dois mandatos no Rio de Janeiro e em viagens internacionais com seus amiguinhos, largando a administração mineira para sua irmã Andréa, tem pretensões a ser um novo criador de "Cristiano Machado". E tirou José Serra, candidato do PSDB à Presidência da República, para representar esse papel. Ele diz todos os dias que Serra é o candidato, mas por trás opera em sentido contrário. Aécio Neves "cristianiza" José Serra. O playboy mineiro, amigo do grande playboy milionário Alvaro Garnero, quando o qual costuma dar esticadas internacionais, por exemplo, para inspecionar investimentos turísticos em Montenegro, na costa do Mar Adriático, acredita que é herdeiro desse talento mineiro inato para a maquiavelice na política. Ele acha que "cristianizando" José Serra, e o derrotando na eleição presidencial, tira da sua frente o último grande entrave para chegar à Presidência. Afinal de contas, José Serra já tem 68 anos. Derrotado duas vezes em campanhas presidenciais, não teria mais cacife dentro do PSDB para pleitear uma terceira oportunidade. O playboy mineiro age como se a política fosse matemática. Ele não conta com o fato de que Lula e o PT, elegendo Dilma e imensas bancadas petista e de seus aliados, devidamente untados, terão o poder inclusive para a aprovação, a toque de caixa, de emendas constitucionais. Poderiam mudar toda a Constituição federal, no que for de interesses deles, e se perpetuar no poder. E é o que está muito próximo de acontecer, com consequência incalculáveis para o País. Tudo porque um playboy mineiro, e seu séquito de inconscientes, resolveu se achar o supra sumo da política brasileira e brincar de reeditar o passado. Definitivamente, não aprenderam a lição de Karl Marx em "O 18 Brumário": "A história sempre se repete, a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa".

"Não sai o DEM e nem saio eu", afirma Álvaro Dias

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse no sábado, durante a convenção estadual do PSDB, em Cuiabá, que foi advertido pela direção nacional do PSDB a não mais afirmar que desistiria da indicação a vice na chapa de José Serra em caso de o DEM acenar com um rompimento. "Não tenho o direito de abrir mão de uma convocação. Ontem (sexta-feira), eu disse que não acreditava que o DEM pudesse deixar a aliança, tanto que podia até afirmar que antes de o DEM sair, eu sairia. O que estou afirmando hoje é que não sai nem o DEM e nem eu. Nós dois ficamos", disse o senador. Sobre as críticas de lideranças do DEM à chapa pura tucana, Dias disse considerar que a postura "é do jogo democrático. "É legítimo que o DEM postule a indicação de um nome. Mas certamente a prioridade será a eleição de José Serra".

Em desacordo com Executiva Nacional, PMDB catarinense aprova aliança com DEM

A convenção do PMDB de Santa Catarina aprovou no sábado, em desacordo com o comando nacional do partido, a aliança com o DEM para a disputa do governo do Estado. Com 288 entre 425 votos, venceu o apoio ao candidato do Democratas, Raimundo Colombo. O presidente do PMDB no Estado, Eduardo Pinho Moreira, foi o escolhido para disputar como vice de Colombo. Ele ficou com com 319 votos contra 129 de Edson Andrino. Para o Senado, foi aprovada a candidatura de Luiz Henrique da Silveira, ex-governador do Estado. Apesar do resultado da convenção, Eduardo Pinho Moreira descartou a possibilidade de uma intervenção nacional no diretório do Estado. Na última terça-feira, o presidente nacional do PMDB, Michel Temer, candidato a vice-presidente da República na aliança com Dilma Roussef (PT), chegou a indicar dois nomes como opção de candidaturas ao governo catarinense, em defesa de uma eleição própria do partido. O diretório nacional queria evitar que a legenda apoiasse Raimundo Colombo (DEM), o que acabou acontecendo.

Governo discute critérios para o Plano Nacional de Banda Larga

As áreas urbanas pobres e densamente ocupadas, as áreas rurais, as regiões remotas e as cidades com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) serão priorizadas para receber a internet rápida por meio do Plano Nacional de Banda Larga. Os critérios foram definidos na última quarta-feira durante o Fórum Brasil Conectado. Os critérios serão adotados na escolha das primeiras 100 cidades que receberão a banda larga este ano. Também serão observadas questões como a menor densidade de penetração de banda larga, a existência de programas de inclusão digital ou projetos de interesse social que precisem de internet e a diversidade de regiões geomorfológicas, para testar a tecnologias em locais com diferentes acidentes geográficos. A existência de redes de fibra ótica e a proximidade de pontos de presença (POPs) também devem ser levadas em conta na escolha das cidades. A lista definitiva com os nomes das cidades contempladas só deve ser divulgada em agosto.

José Dirceu critica capacidade de articulação política de Serra

O ex-deputado federal petista José Dirceu (cassado por corrupção) criticou a capacidade de articulação política do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra. Segundo José Dirceu, Serra "não consegue apresentar ao País nem uma coalizão política e partidária, nem um programa de governo". José Dirceu se referia ao conflito deflagrado na sexta-feira entre o DEM e o PSDB após a indicação do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) para a vice de José Serra. "A falta de aliança do Serra, a falta de palanque, o estilo pessoal dele, pode agravar a situação dele", disse José Dirceu.

Roberto Freire diz que DEM desgastou a chapa de Serra

O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, disse no sábado, no Rio de Janeiro, que "o DEM provocou um desgaste para a chapa" do candidato tucano à Presidência da República, José Serra. Na noite em que seu partido formalizou o apoio a Serra e à sua legenda, o PSDB, Freire ressaltou que quem se opõe a idéia de ter o senador paranaense Álvaro Dias como vice "deveria buscar ter um pouco mais de tranquilidade. Estão laborando em equivoco".

Aumento salarial no Senado chegará a 100%

Não é de “25%”, como foi divulgado, mas de “no mínimo 40% e no máximo 100%”, o aumento dos servidores do Senado por meio da “gratificação de desempenho”. É o que prevê o artigo 9º do ato da Mesa Diretora do Senado. O valor da gratificação incide sobre o salário. Assim, copeiros, operadores de elevador, motoristas, etc..., podem passar a receber entre R$ 19.061,95 mensais, mais que juízes estaduais. Analista do Senado Federal, em final de carreira, com R$ 4,8 mil de salário base, vai a R$ 33,4 mil graças a uma sequência de gratificações. Com o reajuste concedido aos 6.630 funcionários, a folha de pagamento sofrerá um impacto de R$ 271 milhões. As informações são do site do jornalista Claudio Humberto.Uma coisa é certa: tamanho empenho dos senadores em aumentar salários de CCs e funcionários estatutários só se explica pela apropriação de parcela muito significativa desses aumentos. Funciona assim: um funcionários recebe uma gratificação e incorpora isso ao salário. Enquanto o senador ao qual ele serve tiver mandato, ele vai repassando aquele aumento. A vantagem ficará com ele quando se aposentar. É uma fábula de dinheiro, e só isto poderia explicar o empenho dos senadores em conceder tantos aumentos, com tanta facilidade, para seus funcionários. Vá ser bom patrão assim no quinto dos infernos, não com dinheiro dos contribuintes brasileiros.

Procurador quer que Comissão de Anistia corte valor de indenizações

Pelo menos R$ 4 bilhões de indenizações a perseguidos políticos já pagas ou aprovadas pela Comissão da Anistia poderão ter os valores revistos pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Proposta em análise no tribunal prevê a possibilidade de reduzir os benefícios concedidos aos anistiados. "A revisão poderá gerar uma economia de milhões de reais aos cofres públicos", defende Marinus Marsico, procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, autor da representação que está para ser votada. "Não contesto a condição de anistiado político, mas os valores das indenizações concedidas a título de reparação econômica", disse o procurador. São alvo da representação 9.371 benefícios já concedidos com base em uma lei de 2002. Ela estabeleceu o pagamento de indenização do Estado a vítimas de perseguição política até 1988, ano em que a Constituição foi aprovada. A reparação econômica é maior quando a perseguição tiver causado perda do emprego, prevê a lei. Nesse caso, além do pagamento de um valor mensal, cuja média atual é de aproximadamente R$ 3.000,00, o anistiado tem direito ainda ao pagamento de valores retroativos a 1988. A regra rendeu indenizações milionárias e pagamentos mensais próximos do teto salarial do funcionalismo público, atualmente em R$ 26,7 mil, o limite para o benefício. A proposta do Tribunal de Contas da União só deixa de lado as indenizações pagas em parcela única, de R$ 100 mil, no máximo. Elas representam menos de 5% do total de benefícios de prestação mensal já pagos e dos pagamentos retroativos já aprovados. As demais, pouco mais de 95% do valor total aprovado, deveriam ser tratadas como aposentadoria ou pensão e, como tal, ser submetidas à análise do tribunal, argumenta Marinus Marsico. Ele quer que a revisão comece pelos benefícios de valores mais altos. O texto da representação do procurador do Tribunal de Contas da União cita três casos de indenizações que deveriam ser reduzidas. O primeiro deles é o benefício pago a Maria Pavan Lamarca, viúva de Carlos Lamarca, que desertou do Exército, virou terroristas e foi morto em 1971. Lamarca foi promovido a coronel, quando a promoção correta seria a capitão, argumenta a representação. Os valores pagos à viúva equivalem ao vencimento de general, completa o texto. "A remuneração mensal de R$ 11.444,00 bem como o pagamento retroativo de R$ 902 ,7 mil deveriam ser reduzidos", diz. O documento também menciona os casos dos jornalistas Ziraldo Alves Pinto e Sérgio Jaguaribe, o Jaguar, fundadores do jornal Pasquim. Em 2008, ambos tiveram aprovado o pagamento retroativo de pouco mais de R$ 1 milhão cada um, além de indenização mensal de R$ 4.375,00. "Está devidamente comprovada a perseguição política por eles sofrida, mas não há elementos suficientes que indiquem estar correta a indenização", argumenta o procurador.

Oi negocia com o governo parceria em satélite militar

Depois de ressuscitar a Telebrás para gerir o Plano Nacional de Banda Larga, o governo Lula estuda parceria com a Oi para lançar um satélite brasileiro de uso militar e comercial com custo estimado em US$ 400 milhões (em torno de R$ 710 milhões). O projeto foi apresentado ao presidente Lula pelos acionistas controladores da Oi, os empresários Carlos Jereissati, do Grupo La Fonte, e Sérgio Andrade, da Andrade Gutierrez. Lula gostou da idéia, e a Casa Civil pretende estudar o projeto. De acordo com um auxiliar de Lula, o tema será analisado por uma comissão interministerial e é "natural" fechar a parceria estratégica. Segundo relato de assessores presidenciais, há pontos que recomendam a parceria: o custo elevado e o fato de que um satélite de uso exclusivo da União ficaria ocioso. Além disso, como a Oi é "nacional", o governo vê a parceria com mais simpatia do que se a espanhola Telefónica e a mexicana Embratel estivessem envolvidas. Pela proposta da tele, seria criada uma empresa para gerenciar o projeto. A União e a Oi teriam 50% cada uma na sociedade. O prazo de desenvolvimento, fabricação e lançamento do satélite é de cerca de dois anos e meio. Os empresários argumentaram com o presidente que ter um satélite controlado por capital brasileiro é questão de soberania nacional. Disseram ainda que todos os satélites considerados brasileiros, que ocupam posições orbitais pertencentes ao Brasil, são controlados por empresas de capital estrangeiro, e que, na eventualidade de uma guerra, os militares não teriam controle físico sobre os equipamentos. Desde a privatização da Embratel, em 1998, os militares reivindicam algum controle sobre os satélites que fazem as comunicações sigilosas das Forças Armadas. O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, confirmou que a empresa propôs parceria ao governo para um satélite de uso civil e militar.

Yeda Crusius é oficializada candidata à reeleição

Acompanhada do candidato a vice, Berfran Rosado (PPS), a governadora Yeda Crusius (PSDB) teve a candidatura à reeleição confirmada neste domingo, em Porto Alegre. Yeda Crusius foi recebida com festa na convenção do PSDB, que teve início às 9 horas, no Auditório Dante Barone, na Assembléia Legislativa. Em seu discurso, a candidata disse que pretende manter as contas públicas em dia e, ao mesmo tempo, transformar o Rio Grande do Estado "com melhor qualidade de vida do País". "A gente já sabe que déficit zero é estrada, dinheiro para hospital, educação e segurança", ressaltou ela. Durante a convenção, também foi confirmado o nome de Berfran Rosado (PPS), como candidato a vice-governador na chapa tucana. O deputado estadual Marchezan Jr, que pretendia concorrer a deputado federal, desistiu e agora procurará renovar seu mandato de deputado estadual.

Centenas protestam contra a Petrobras na Nova Zelândia

Centenas de pessoas acenderam neste domingo fogueiras ao longo de 180 quilômetros do litoral da Nova Zelândia em protesto pela permissão dada pelo governo à Petrobras para fazer explorações nas águas do país. O protesto foi realizado na região de East Cape, na Ilha do Norte, onde a maioria da população é indígena maori. A Petrobras conseguiu a autorização do governo para explorar durante cinco anos 12.300 quilômetros quadrados de zona marítima. Os maoris dizem não terem sido consultados sobre a decisão. Os manifestantes, que questionaram a capacidade da Petrobras na proteção do meio ambiente, dizem que não querem que o acidente no golfo do México se repita na Nova Zelândia. Eles prometem mobilizações até que o governo revogue a permissão.

Dilma na convenção do PRB: "A minha turma é a do Lula e do "Bispo" Edir Macedo".

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, reforçou a estratégia de associar sua imagem à do presidente Lula na convenção nacional do PRB, que formalizou o apoio da sigla à sua candidatura. “A minha turma é a do Lula, é a do Zé Alencar, é a de vocês”, discursou, num dos poucos momentos em que empolgou a platéia. Abusando do discurso técnico, pontuado por números e dados do governo Lula, a candidata repisou que dará prosseguimento às ações e aos programas do atual governo: “Eu tenho uma missão. É continuar esse processo, seguindo em frente, avançando". Ela prometeu percorrer todo o País mostrando que o atual governo “sabe fazer e tem de continuar fazendo”.

Preso por um mês na ditadura, Lula recebe R$ 4,2 mil mensais

Afastado da presidência do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo em 1979, quando liderou a mais importante greve dos operários metalúrgicos contra o regime militar, no ABC paulista, Lula ficou preso por 31 dias, na verdade, "hóspede" do então delegado Romeu Tuma, no DOPS (Delegacia de Ordem Política e Social) paulista, recebendo "regalitos". Enquadrado na Lei de Segurança Nacional, foi levado a julgamento, condenado em 1981 e absolvido pouco mais de um ano depois. Como se vê, tudo jogo de cena da ditadura militar. Em 1985, obteve do Ministério do Trabalho uma aposentadoria especial, que em 1996 foi convertida em indenização pela Comissão de Anistia. O benefício rende hoje a Lula R$ 4,2 mil por mês. São os "regalitos" do Romeu Tuma.

Pais do soldado Gilad Shalit iniciam marcha de 12 dias para pressionar por libertação

Milhares de pessoas se juntaram neste domingo aos pais do soldado israelense Gilad Shalit em uma marcha entre o norte de Israel e Jerusalém para marcar o quarto aniversário de seu sequestro por terroristas do grupo palestino islâmico Hamas. Shalit, de 23 anos, foi capturado durante batalhas na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza em junho de 2006. Ele é mantido refém desde então em Gaza pelos terroristas, que exigem em troca a soltura de centenas de prisioneiros palestinos por Israel por sua libertação. Noam e Aviva Shalit, os pais de Gilad, pretendem andar cerca de 200 quilômetros, durante 12 dias, até chegar à casa do primeiro-ministro, Biniyamin Netanyahu, em Jerusalém. Frustrados com as tentativas fracassadas de libertar seu filho, o casal diz que permanecerá acampado em frente à casa de Netanyahu até que o soldado seja libertado. Milhares de simpatizantes e familiares acompanharam os Shalits na saída da marcha de sua casa em Mitzpe Hila, perto da fronteira com o Líbano. Desde seu sequestro, em 25 de junho de 2006, Gilad Shalit é mantido praticamente sem contato com o mundo exterior.

Sob risco de ser enquadrado na Ficha Limpa, Roriz lança candidatura no Distrito Federal

Sob risco de ser declarado inelegível, enquadrado na Lei da Ficha Limpa, Joaquim Roriz (PSC) foi oficializado, neste domingo, candidato ao governo do Distrito Federal pelo seu partido. Roriz disse que a oposição quer "ganhar no tapetão", referindo-se à lei. "Eu não aceito. Vai buscar o voto na rua", declarou durante a convenção regional do PSC. O candidato deu sua explicação para o risco da inelegibilidade. "Eu renunciei ao Senado para ser candidato a governador. Por isso, dizem que eu não tenho a ficha limpa. Não sei o que é ficha limpa, não tenho uma condenação", argumentou ele. Roriz renunciou ao cargo de senador para escapar de um processo de cassação em julho de 2007, após ter sido apontado como beneficiário de um cheque de R$ 2,23 milhões. De acordo com decisão do Tribunal Superior Eleitoral deste ano, políticos que renunciaram a mandatos para fugir de punição ficam inelegíveis, o que deve ser avaliado quando da formalização das candidaturas, até 5 de julho.

Chávez diz que Israel "genocida" será colocado em seu lugar

O ditador da Venezuela, Hugo Chávez, disse no sábado que algum dia Israel será posto em seu lugar, depois de qualificar o país de "Estado genocida" que atua como um braço assassino do governo norte-americano. O ditador Chávez rompeu relações com Israel depois de chamar de "holocausto" a ofensiva militar israelense na Faixa de Gaza em 2009. "Algum dia o Estado genocida de Israel será posto em seu lugar, o lugar que lhe cabe", disse Chávez durante a visita a Caracas do ditador da Síria, Bashar al-Assad. Israel já bombardeou e destruiu as instalações nas quais a Síria estava tentando construir uma bomba nuclear. A aproximação da Síria com a Venezuela, assim como fez o Irã, tem o objetivo de conseguir um entreposto no Ocidente de onde o país pretende conseguir equipamentos para continuar sua tentativa de fabricação de bomba atômica. Não será de estranhar que seja anunciada, imediatamente, a criação de uma linha aérea entre Caracas e Damasco.

CEEE estima que há 50 mil ligações clandestinas de luz no Estado

A CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul) estima que há pelo menos 50 mil ligações de luz clandestinas na área de concessão no Estado, principalmente em grandes regiões urbanas. Atualmente, 177 áreas irregulares ou clandestinas estão cadastradas na companhia. Pelo menos 20 estão em análise para execução de projetos de eletrificação. A Agência Nacional de Energia Elétrica alterou regras para permitir a regularização das ligações clandestinas de interessse social. A CEEE distribui energia em 72 municípios.

Fogaça e Rigotto saem candidatos no Rio Grande do Sul

No sábado, o PMDB gaúcho fez uma ruidosa convenção estadual, para chancelar a candidatura de José Fogaça ao governo do Rio Grande do Sul, e do ex-governador Germano Rigotto ao Senado Federal. Com o ruído o partido quis dar uma demonstração de força, mas não é isso que se depreende da leitura das chapas homologadas na convenção, para deputado estadual e federal. A chapa para estaduais tem 65 nomes. É só um jogo de cena, porque 38 desses candidatos não passam de meros figurantes. Entre as mulheres inscritas para deputadas, apenas Maria Helena Sartori, mulher do prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori, tem chance eleitoral. Os candidatos que podem ser considerados são os seguintes: Alexandre Postal, Boessio, Caio Rocha, Edson Brum, Gilberto Capoani, Idenir Cecchim, Marcio Biolchi, Marco Alba, Maria Helena Sartori, Nelson Harter, Sandro Boka. Caio Rocha, por exemplo, está sendo iniciado na Maçonaria para ver se consegue ampliar seu universo de votos. Seu mentor na maçonaria é Roni Marques Correa, atual secretário-substituto de Gestão da Prefeitura de Porto Alegre. Ele também pretende conseguir votos entre os criadores de cavalos crioulos do Rio Grande do Sul, campo de interesse que também divide com Roni Marques Correa. Pode ocorrer uma ou outra alteração nessa lista, mas não foge muito disso. É muito provável que o PMDB faça apenas sete deputados estaduais, porque perdeu parlamentares que tinham bastante voto e não concorrem mais. E na lista não há novos nomes que adicionem votos para a legenda em boa quantidade. A mesma coisa acontece com relação à lista de candidatos a deputado federal. São 25 anos, mas poucos podem ser considerados: Alceu Moreira, Eliseu Padilha, Giovane Feltes, Mendes Ribeiro Filho, Omar Terra, Oswaldo Gomes, Perondi e Zachia. Desses oito, provavelmente se elegerão no máximo quatro: Eliseu Padilha, Mendes Ribeiro Filho, Osmar Terra e Perondi. É o que acontece com um partido exclusivamente de parlamentares, que foram fechando todos os espaços durante os anos. Resultado: não há novas lideranças, sufocadas em suas regiões, portanto não há votos para o partido.

domingo, 27 de junho de 2010

Não há nada ilegal em bloquear o terrorismo

Artigo de Irit Kohn, vice-presidente da Associação Internacional de advogados e juristas judeus e ex-diretor do Departamento Internacional do Ministério da Justiça de Israel, ajuda a compreender a posição israelense na abordagem da chamada "flotilha humanitária", na verdade uma expedição organizada por instituições de apoio ao terrorismo islâmico, e que pretendia afrontar o bloqueio israelense à Faixa de Gaza dominada pelos terroristas do Hamas: "Imagine uma organização terrorista, considerada como tal pela União Européia e os Estados Unidos, controlando violentamente uma área e contrabandeando grande quantidade de armamento pesado, tanto por mar quanto por terra. Agora, imagine que uma organização terrorista decida travar uma violenta campanha contra os seus estados vizinhos, bombardeando a população civil com mais de 10.000 foguetes. Então, imagine mais de 500 ativistas, onde a maioria pertence a uma organização radical islâmica conhecida por financiar e apoiar grupos terroristas, querendo unir forças com este regime terrorista. Poderia parecer ilógico que a lei internacional não fornecesse as ferramentas necessárias para controlar uma iniciativa tão vil. E, realmente, o órgão de lei internacional que se refere aos conflitos armados não mantém silêncio nesses assuntos, e fornece os estados medidas legitimas e legais que eles possam empregar. O cenário descrito acima é a mesma situação a qual o Estado de Israel se encontra atualmente. Em 2005, Israel implementou seu “plano de desligamento”, retirando completamente as Forças israelenses e civis da Faixa de Gaza. Enquanto Israel tinha a esperança de que este desligamento pudesse servir como trampolim para melhorar as relações com os seus vizinhos, ocorreu justamente o contrário: o Hamas, uma organização designada como terrorista pela União Européia e Estados Unidos, tomou o controle da Faixa de Gaza e deu início a uma série de ataques com foguetes contra civis israelenses. Até hoje, o Hamas disparou mais de 10.000 foguetes contra alvos civis em Israel. O armamento pesado usado nestes ataques foi contrabandeado para Gaza por terra e por mar e, não é preciso ir muito além, basta mencionar o episódio com o Karin A, no qual a marinha israelense interceptou mais de 50 toneladas de armamento avançado que seriam entregues para o regime do Hamas em Gaza, para provar a existência de contrabando marítimo. Israel, como Estado democrático, busca instrumentos legais para conter o contrabando de armas e responder aos ataques terroristas do Hamas contra os seus cidadãos. Um dos instrumentos disponíveis sob a lei internacional é o bloqueio marítimo. Israel, encontrando-se em uma situação de conflito armado com o Hamas, optou em aplicar estas medidas legais. Um bloqueio naval é um instrumento legitimo e reconhecido pela lei internacional. De fato, bloqueios navais foram impostos ao longo século 20, e o manual naval de vários países do ocidente, incluindo os Estados Unidos e o Reino Unido reconhecem os bloqueios marítimos como uma efetiva medida legal disponível diante de conflitos armados com organizações terroristas. Conforme estabelecido no Manual de San Remo em Leis Internacionais Aplicáveis para Conflitos Armados no Mar, para um bloqueio marítimo ser válido, várias condições devem ser observadas. Isto inclui uma devida notificação do bloqueio e sua localização; uma efetiva e imparcial execução do bloqueio; a concessão de acesso a portos e costas de estados neutros; e a criação de rotas alternativas para o fornecimento de assistência humanitária para os civis. Israel cumpriu todas as suas obrigações sob a lei internacional, fornecendo devida notificação da existência do bloqueio e as exatas coordenadas através de canais marítimos profissionais, portais oficiais do governo e canais diplomáticos; executando o bloqueio de forma efetiva e imparcial desde a sua implementação; não impedindo o acesso a portos e costas de estados neutros; e fornecendo um corredor terrestre alternativo para a transferência dos bens humanitário, da mesma forma como 15.000 toneladas de ajuda humanitária chegam a Faixa de Gaza semanalmente. As leis internacionais não fornecem apenas instrumentos para um bloqueio marítimo, mas também para sua execução legal. Sob lei internacional, como refletido no mencionado manual de San Remo, qualquer embarcação que viole ou tente violar o bloqueio, independente da carga a bordo, ou a natureza do barco, inimigo ou civil, pode ser submetido às medidas legais para executar o bloqueio. Estas medidas legais incluem a captura, ou mesmo o ataque ao navio. A aplicação das medidas pode ser tomada a distância pelo bloqueio naval e em águas internacionais se houverem motivos razoáveis para acreditar que a embarcação pretende violar o bloqueio. O manual da marinha americana aponta que uma tentativa de violação de bloqueio acontece no momento que o navio deixa um porto com a intenção de violar o bloqueio. Vamos retornar ao nosso cenário inicial – no dia 30 de maio, seis barcos transportando mais de 500 ativistas, incluindo centenas de membros do Insani Yardim Vakfi (IHH) – uma organização radical islâmica que financia e apóia grupos terroristas, incluindo o Hamas – zarpa com a clara intenção de violar o bloqueio marítimo legal em vigor na costa de Gaza. Muitos desses ativistas radicais estão armados com armas leves – facas e bastões – e evidenciam em entrevistas na televisão turca na véspera da viagem que se Israel tentar impor o seu bloqueio marítimo, encontraria uma “oposição violenta”. Como colocado por um dos ativistas, “Esta missão não se trata de entregar suprimentos humanitários. Ela tem por objetivo romper o cerco de Israel” (Greta Berlin, AFP, 27 de maio) Estes ativistas foram avisados sobre o bloqueio em várias oportunidades, em tempo real, por soldados da marinha israelense, e informados que se o barco não mudasse a sua rota, medidas legais seriam tomadas. Estes ativistas foram bem informados sobre os direitos e intenções de Israel de aplicar o bloqueio. Israel esperava aplicar o bloqueio de uma forma pacífica e ordenada, como nas bem sucedidas missões anteriores de bloqueio. Nos barcos da flotilha de 30 de maio não houve resistência violenta. As medidas tomadas por Israel foram aplicadas de forma pacifica. No entanto, no barco em que os soldados israelenses foram recebidos com violência, eles foram, infelizmente, obrigados a agir em legitima defesa. Organizações terroristas constantemente criam novos métodos de combate. O desafio encarado por Israel e outras democracias ocidentais é de como, dentro dos limites, lutar contra o terrorismo que cinicamente ignora a lei. O recente bloqueio realizado por Israel honra o direito internacional.

sábado, 26 de junho de 2010

Aumento salarial no Senado chegará a 100%

Não é de “25%”, como foi divulgado, mas de “no mínimo 40% e no máximo 100%”, o aumento dos servidores do Senado por meio da “gratificação de desempenho”. É o que prevê o artigo 9º do ato da Mesa Diretora do Senado. O valor da gratificação incide sobre o salário. Assim, copeiros, operadores de elevador, motoristas, etc..., podem passar a receber entre R$ 19.061,95 mensais, mais que juízes estaduais. Analista do Senado Federal, em final de carreira, com R$ 4,8 mil de salário base, vai a R$ 33,4 mil graças a uma sequência de gratificações. Com o reajuste concedido aos 6.630 funcionários, a folha de pagamento sofrerá um impacto de R$ 271 milhões. As informações são do site do jornalista Claudio Humberto.Uma coisa é certa: tamanho empenho dos senadores em aumentar salários de CCs e funcionários estatutários só se explica pela apropriação de parcela muito significativa desses aumentos. Funciona assim: um funcionários recebe uma gratificação e incorpora isso ao salário. Enquanto o senador ao qual ele serve tiver mandato, ele vai repassando aquele aumento. A vantagem ficará com ele quando se aposentar. É uma fábula de dinheiro, e só isto poderia explicar o empenho dos senadores em conceder tantos aumentos, com tanta facilidade, para seus funcionários. Vá ser bom patrão assim no quinto dos infernos, não com dinheiro dos contribuintes brasileiros.

Mundo usa padrão duplo para julgar Israel, diz autor do código de ética do Exército israelense

Esta matéria do jornal Folha de S. Paulo é importante para que os brasileiros compreendam as atitudes de Israel e a forma como são deformadas no mundo ocidental as suas iniciativas, em benefício direto para o mundo islâmico, cuja pretensão explícita é derrotar e dominar o Ocidente. Como se vê, os ocidentais têm uma postura bem esquizofrênica. Diz a matéria da Folha de S. Paulo:
O filósofo Asa Kasher, autor do Código de Ética das Forças Armadas de Israel, acha que as críticas mundiais à conduta dos soldados de seu país são fruto do desconhecimento das circunstâncias em que atuam. A Convenção de Genebra trata de guerra entre Estados, diz ele. "Mas Israel luta contra organizações terroristas."
Folha - Como o sr. encara as críticas à falta de ética das Forças Armadas de Israel?
Asa Kasher - O código de ética menciona valores supremos da ética militar, mas não é um manual de regras de combate. Fala de princípios que estão acima de qualquer disputa e que a maioria das democracia inclui em seus códigos de ética militares, como a santidade da vida, a proteção da dignidade humana, a pureza das armas e a contenção do uso da força. A questão mais complexa é a doutrina militar, que é particular de cada país. Em relação a isso, há algo que as pessoas deveriam entender: quando olhamos para a 4ª Convenção de Genebra, vemos que todo o seu arcabouço é destinado a tratar de guerra convencional, ou seja: forças militares de um Estado em choque com forças militares de outro Estado. Essas eram as regras em vigor nas guerras convencionais que Israel travou no passado, contra países vizinhos. No entanto, hoje estamos numa situação bem diferente. Israel não enfrenta Estados, mas organizações terroristas. Como o Hizbollah, que é uma força semimilitarizada libanesa, mas não é o Exército do Líbano. E o Hamas, outra força semimilitarizada que controla um território que não é um Estado, mas onde atua como governo de facto. São circunstâncias novas. Quando enfrentamos o Hamas, estamos diante de uma força militar que não veste farda nem usa armas de forma convencional. Comete todo tipo de ato hostil, como lançamento de foguetes contra populações civis de Israel, e depois se esconde atrás de populações civis palestinas. Há uma distinção na Convenção de Genebra entre combatentes e não-combatentes, mas o Hamas mantém essa fronteira vaga de propósito. Seus militantes agem frequentemente como se fossem civis, a partir de áreas residenciais, perto de civis reais e inocentes. Atacam civis e confundem totalmente a distinção entre combatentes e não-combatentes. O que devemos fazer diante de tais atividades? Continuar observando a simples distinção, enquanto nosso inimigo a ignora? Temos as nossas doutrinas, elas estão no espírito da doutrina da "guerra justa", no espírito da 4ª Convenção de Genebra, mas elas tem que ser aplicadas diferentemente, porque nosso inimigo age de forma diferente. Veja a faixa de Gaza: o Hamas coloca seus lançadores de foguetes e esconde munição perto de civis. Não podemos atacar essas casas, porque há risco de atingir civis. Mas se não podemos reagir aos ataques, perdemos nossa capacidade de autodefesa. Não podemos nos defender, porque eles colocam civis nos telhados das casas de onde disparam. É por isso que adotamos novas doutrinas, e isso o mundo não entende. Há muitos inimigos de Israel que fazem uso propagandístico dessa complexidade. Mas mesmo os que não são nossos inimigos tem dificuldade em entender e acham que podem nos dar lições de moral. Exigem que apliquemos princípios que são impraticáveis, dentro das atuais circunstâncias.
O sr. quer dizer que a falta de ética dos inimigos levou ao relaxamento do código de ética israelense?
Asa Kasher - Depende de que nível você fala. Se falamos do nível geral da doutrina, das teorias das regras de combate, há evidências de que a situação em Israel não é diferente da de americanos, britânicos ou alemães no Iraque e no Afeganistão. Olhando o soldado israelense individualmente, entende-se que a maioria faz parte do alistamento obrigatório, e isso significa que dificilmente são profissionais. São jovens, e não surpreende que aqui e ali um deles se comporte de forma inadequada. Mas temos evidência de que esse não é um fenômeno generalizado, mas uma raridade, que ocorre em situações extraordinárias. E, quando ocorre, vai a julgamento em corte marcial. Se houvesse uma política de "dedo leve" no gatilho, haveria dezenas de milhares de palestinos mortos, e metade seria mulheres e crianças. Mas mesmo a lista de vítimas da última operação israelense em Gaza, apresentada pelo Hamas, que não é totalmente confiável, mostra que não houve um número significativo de mulheres e crianças. A maioria era de homens que participaram de atividades terroristas contra Israel. Você pode ter certeza de que não há uma política de atirar em qualquer coisa que se mova. Na guerra de Gaza houve alguns casos excepcionais, e eles são investigados. Mas não passam de 30 ou 40.
Durante a ofensiva em Gaza, o sr. foi criticado por apoiar o uso de força em áreas civis para não colocar os soldados em risco. Como o Exército resolve esse dilema?
Asa Kasher - Esta é uma parte essencial da doutrina e precisa ser esclarecida. Fazemos distinção entre territórios que estão sob nosso controle efetivo e os que não estão. Nos primeiros, temos mais responsabilidade sobre o que acontece. E temos que proteger a população que reside neles. O Estado de Israel tem controle efetivo sobre Jerusalém Oriental e Golã, além de alguns territórios palestinos. Nessas áreas, os soldados arriscam suas vidas para fazer a distinção entre terroristas e civis. Mas há outros territórios, como Gaza, em que não temos controle efetivo. Temos controle sobre as fronteiras, o mar e o espaço aéreo, mas não no que está acontecendo nas ruas e prédios dentro de Gaza. Por isso, não é nosso dever proteger as pessoas inocentes em Gaza. Essa é a obrigação do Hamas, que não é cumprida. O nosso dever é minimizar danos a inocentes. Para isso, nós os advertimos constantemente sobre o que acontecerá. Na ofensiva em Gaza, distribuímos panfletos, fizemos milhares de telefonemas e o mesmo número de mensagens via celular alertando quando aconteceria um ataque. É algo sem precedentes na história das guerras. Temos toda uma variedade de meios para avisar aos civis que saiam dos prédios porque ele se tornou um alvo. Alguns se recusam a sair. Nessas circunstâncias, nós não arriscamos a vida dos soldados. Tentamos minimizar os danos colaterais, mas, se eles se recusam a sair, há pouco o que fazer. Quem fica é terrorista ou pessoas que se recusam a sair e assumem o risco. Para defender essas pessoas, não arriscamos nossos soldados.
É comum o governo dizer que Israel tem o Exército mais moral do mundo. Mas a imagem externa não é essa, como mostrou o relatório Goldstone. A que o sr. atribui essa dissonância?
Asa Kasher - Em primeiro lugar, não considero o relatório Goldstone como a imagem de Israel no mundo. Goldstone é tendencioso, profissionalmente ridículo e um escândalo, moralmente. Seu relatório é uma coleção de propaganda palestina. Há vasta quantidade de documentos produzidos por Israel mostrando que cada episódio descrito por Goldstone é simplesmente errado. Dizer que as FDI (Forças de Defesa de Israel) são a força militar mais moral do mundo é uma afirmação problemática, porque é difícil comparar. No nível do código de ética até é possível comparar, porque os códigos de ética, com exceção dos países árabes, são públicos, está na internet. O código de ética das FDI compartilha princípios de outras forças armadas, como a santidade da vida humana, a pureza das armas. Temos muito orgulhoso dele e o mundo reconhece que nosso código tem os mais altos padrões. Já no nível das doutrinas, não é possível comparar, porque todos são secretos. O que pode-se fazer é coletar evidências indiretas. Podemos comparar a ofensiva israelense em Gaza com a operação "Phantom Fury" dos marines americanos em Fallujah (Iraque), em novembro de 2004. A comparação faz sentido porque as dimensões são parecidas. Na ação americana, houve mais civis mortos, então nossa performance foi melhor. No nível das tropas há problemas em qualquer lugar. Há alguns meses houve uma operação da Otan no Afeganistão, dois caminhões foram atacados e dezenas de civis foram mortos. Não houve nenhum relatório Goldstone, nem criaram qualquer comissão da ONU sobre isso, e Obama também não foi requisitado a fazer uma investigação independente sobre o caso. Há um padrão duplo na forma como o mundo reage a Israel. E, embora o padrão moral do Exército israelense seja alto, isso não quer dizer que aqui e ali um soldado não cometa alguma atrocidade ou aja de forma imprópria. Mas isso acontece aqui como acontece no Afeganistão e no Iraque ou na Tchetchênia, em todo lugar onde há conflito.
O problema de Israel é só de imagem?
Asa Kasher - Em primeiro lugar, não sabemos qual é a imagem de Israel. O que sabemos é o que os jornais escrevem, o que alguns meios de propaganda palestinos produzem, sabemos o que alguns políticos dizem, mas podemos ter certeza de que pouco disso é resultado de uma análise honesta, profissional e objetiva do método utilizado. Por que nos atacam? Por que olham com objetividade para a situação, porque se importam com o resultado? Não creio. A Turquia tem seus interesses com Irã, e Síria, e também uma relação problemática com Europa e Estados Unidos. Há uma rede de interesses. Neste momento interessa aos turcos mentir porque isso serve a sua política. A Comissão de Direitos Humanos da ONU que apontou a comissão Goldstone é integrada por países como Cuba, Líbia e Sudão, que tem governos que desrespeitam sistematicamente os direitos de seus cidadãos. Onde estão os relatórios sobre a situação das mulheres nos países árabes? 80% das decisões dessa comissão são sobre Israel, o que prova que sua ação é política, não tem nada a ver com direitos humanos. Só serve para a proteção de interesses políticos.
No caso da frota humanitária que Israel interceptou e nove ativistas foram mortos. O que deu errado?
Asa Kasher - Com todo o respeito aos países democráticos e às instituições democráticas, nós devemos um comportamento moral em primeiro lugar para nós mesmos. Somos uma democracia comprometida com a a dignidade humana. Temos os nossos princípios e ninguém pode impor padrões que nos impeçam de exercer nosso direito de legítima defesa. O Hamas é um grupo cuja constituição prega a destruição de Israel. O Irã apoia o Hamas e o Hizbollah não apenas politicamente, mas militarmente. O presidente iraniano não passa praticamente um dia sem pregar a eliminação de Israel. Essa é a natureza de nossos inimigos. Por isso, temos que nos defender. Não podemos permitir qualquer carregamento militar enviado pelo Irã ou pela Síria à faixa de Gaza, porque eles serão usados contra nossos civis. O bloqueio marítimos é algo permitido pela lei internacional, assim como é perfeitamente legítimo uma ação preventiva. O grupo que estava na flotilha não era homogêneo. Algumas não sabem quase nada sobre Gaza e o Hamas, mas têm inclinações humanitárias. Outras pertencem a uma organização turca ligada ao terrorista que se preparou para um combate. O resultado foi que nove terroristas foram mortos. Não quero que ninguém morra, a aspiração é sempre a paz. Mas quando somos atacados, temos o direito de autodefesa.
Não é uma solução simplista apontar os ativistas mortos como terroristas?
Asa Kasher - Há um grande mal-entendido. Suponhamos que um policial é atacado violentamente, seja em Tel Aviv ou em São Paulo. Ele tem o direito de se defender. E, quando um policial se defende, algumas vezes eles matam, e as pessoas que o atacaram sofrem as consequências. O que aconteceu nessa flotilha é que esses terroristas atacaram os soldados e foram mortos. Os soldados começaram a ação de forma contida, mas não tiveram alternativa e quando atacados, reagiram.
Já foi dito que o aumento do número de soldados religiosos aumentou o radicalismo do Exército. A fé distorce o seu código de ética?
Houve alguns fenômenos, durante a operação em Gaza, de capelões que pregaram coisas que não me agradam e não são apropriadas a um Estado democrático. Há capelões em todas as forças armadas do mundo, sua função não é só conduzir serviços religiosos, mas também ensinar ética. Os comandantes israelenses são profissionais e sabem o que pode e o que não pode ser feito. Há capelões que falam demais, mas seu efeito é marginal.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Presidente do DEM diz que espera até quarta por um vice democrata indicado por Serra

O presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), disse que vai esperar até a próxima quarta-feira, data da convenção nacional do seu partido, em Brasília, pela escolha pelo candidato tucano José Serra de um nome do partido para ocupar o posto de vice na chapa oposicionista que disputará a Presidência da República. O PSDB indicou o nome do senador Álvaro Dias (PSDB-PR), com o qual concordaram PPS e PTB, os outros dois partidos que integram a aliança. Mas o DEM não aceitou e reivindica a candidatura a vice. “É um prazo dado pela própria legislação, o do dia 30. Não temos preferências de nomes, mas queremos que o Serra escolha dentro das lideranças do partido. Desde que o Aécio Neves disse que não seria mais o vice, a vaga é do DEM. Esperamos que o Serra faça a indicação”, afirmou o presidente nacional do partido. Rodrigo Maia não disse que atitude o partido tomará caso o PSDB não indique um vice do DEM. Ele afirmou não acreditar que Serra não escolha um vice do Democratas. O deputado federal Paulo Bornhausen (SC), líder do DEM na Câmara dos Deputados, disse que "qualquer coisa pode acontecer": "O clima é muito ruim nas bancadas, entre os convencionais, e são eles que vão tomar uma decisão na quarta-feira. Não estamos fazendo jogo. Estamos exigindo o que é nosso e não abrimos mão de ter o vice”.

Ibope aponta liderança folgada de Dilma Rousseff no Amazonas

A petista Dilma Rousseff lidera com 66% a disputa presidencial no Amazonas, com ampla vantagem sobre o tucano José Serra, que ficou com 18%, de acordo com pesquisa realizada pelo Ibope para a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam). A candidata Marina Silva (PV) ficou com 10%. Em um eventual segundo turno, a candidata petista venceria a disputa com 72% das intenções de voto contra 21% das menções a Serra. Bem, esse é o Estado do líder da bancada doPSDB no Senado Federal nos últimos oito anos, senador Arthur Virgilio. Por aí dá para entender que, com seguidores dessa ordem, José Serra pode esperar bem pouco. Arthur Virgilio foi um dos articuladores para que Lula escapasse da crise do Mensalão. Ele ajudou a enterrar no PSDB a hipótese do pedido de impeachment de Lula, ou seja, ele chocou os ovos da hidra. A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 17 de junho. O Ibope ouviu ainda os eleitores sobre a sucessão estadual. O atual governador Omar Aziz (PMN) lidera a disputa com 51%, seguido pelo pré-candidato do PR, Alfredo Nascimento, que tem 36%. Ou seja, o candidato de Lula está longe de ser competitivo, mas Serra amarga uma péssima situação na terra de Arthur Virgilio. O problema deste senador amazonense do PSDB é que ele militou na antiga esquerda clandestina, durante o regime militar, e ainda se sente um esquerdista envergonhado, não se encoraa para enfrentar verdadeiramente a petralhada.

Em encontro com socialites, petista Dilma promete reforma tributária no começo do governo

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, prometeu nesta sexta-feira, a um grupo de 38 socialites paulistanas e empresárias que fará a reforma tributária nos primeiros seis meses de um eventual governo. Dilma Rousseff foi a convidada de honra de Geyze Diniz, mulher do multibilionário empresário Abílio Diniz, dono do grupo Pão de Açúcar. Segundo a assessoria do grupo Pão de Açúcar, o objetivo do encontro, realizado na casa do empresário que petezou, foi apresentar informalmente Dilma a um grupo de "amigas de Geyze". Quer dizer que Dilma, sem nem um centésimo do carismo de Lula, pretenderia fazer a reforma tributária logo nos primeiro seis meses de governo, coisa que Lula não conseguiu, ou não quis, nos seus oito anos de governo? Entre as presentes na reunião do petezado Abilio Diniz estavam as socialites Vera Diniz, Mariangela Bordon, Rosângela Lyra (sogra do jogador Kaká) e outras por essa linha. Não é fantástica essa identificação da candidata do Partido dos Trabalhadores com os donos das empresas onde trabalham os trabalhadores?

Policia Federal autua piloto americano por mostrar cueca em aeroporto

Um piloto americano foi autuado por desacato pela Polícia Federal na tarde desta sexta-feira, após tirar a roupa no Aeroporto Tom Jobim, no subúrbio do Rio de Janeiro. Conforme a Polícia Federal, ele teria perdido o controle após ser obrigado a passar pelo aparelho de raio-x do terminal. "O aparelho alertou para a presença de metais e solicitamos o procedimento padrão para que ele tirasse o cinto e os sapatos para revista", afirmou o delegado Rafael Andreatta. Segundo o delegado, o piloto ficou revoltado com o procedimento e, ao tirar o cinto, abaixou as calças até os tornozelos, mostrando as cuecas. Imagina se um piloto da TAM age aqui no aeroporto de Miami, ou Los angeles, Nova York ou Washington? A Polícia Federal exigiu que o piloto americano assinasse um termo circunstanciado antes de pilotar um vôo que seguia para São Paulo. Nos Estados Unidos, a alfândega exige que qualquer um tire até os sapatos para serem examinados. Mas, na Banânia, qualquer um pode afrontar um policial e ficar assim mesmo....

Estados Unidos fecham mais três bancos e agora já são 86 que encerraram atividades só este ano

O governo dos Estados Unidos fechou mais três bancos nesta sexta-feira, o Peninsula Bank, de Englewood (Flórida); o First National Bank of Savannah (Geórgia), e o High Desert State Bank (Novo México), elevando para 86 o número total de bancos norte-americanos que faliram neste ano. Como gestora da massa falida das duas instituições, a Federal Deposit Insurance Corp entrou em acordo com três bancos compradores. No ano passado, as falências de banco chegaram a 140. Em 2008, 25 bancos fecharam suas portas nos Estados Unidos. O país está passando por um violento processo de enxugamento bancário. No ano anterior, foram apenas três. O Premier American Bank não pagou nenhum prêmio pelos depósitos do Peninsula Bank, mas vai assumir todos os depósitos e concordou em comprar todos os ativos. O Peninsula Bank tem 13 agências, US$ 644,3 milhões em ativos e US$ 580 milhões em depósitos. A FDIC e o Premier Bank chegaram a um acordo de partilha de perdas por US$ 437,6 milhões dos ativos do Peninsula Bank e vai compartilhar as perdas relativas aos ativos cobertos pelo acordo. O First National, que tem quatro agências e US$ 231,9 milhões em depósitos, será assumido pelo The Savannah Bank por um prêmio de 0,11. O Savannah Bank concordou em comprar somente uma parte dos ativos. A FDIC vai reter a maior parte dos ativos do First National Bank e dispor deles no futuro. Os clientes do High Desert, por sua vez, terão seus depósitos transferidos para o First American Bank.

Juíza boliviana decreta prisão de empresário opositor ao ditador cocaleiro Evo Morales

Uma juíza ordenou a prisão de um líder opositor boliviano e grande produtor de soja, alegando que ele não justificou a falta a um interrogatório. O caso investigado é de uma suposta célula terrorista que pretenderia matar o ditador indio cocaleiro trotskista Evo Morales e foi desarticulada no ano passado. Branco Marinkovic é o líder da oposição contra o governo esquerdapata do indio cocaleiro trotskista Evo Morales. A ordem da juíza Betty Yañíquez foi divulgada nesta sexta-feira. Marinkovic, que está nos Estados Unidos, foi acusado pela Promotoria de La Paz de financiar o grupo, liderado pelo croata-boliviano e ex-combatente da guerra dos Bálcãs, Eduardo Rózca. Rózca e outros dois estrangeiros foram mortos pela polícia boliviana em abril de 2009 em uma operação da polícia na cidade de Santa Cruz. Segundo o promotor do caso, o bolivariano Marcelo Sosa, a ordem contra Marinkovic já está nas mãos da Interpol e espera-se que nos próximos dias chegue até as autoridades americanas.

Petista Dilma Rousseff se reúne com a nata das socialites em São Paulo

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, reuniu-se na casa do empresário multibilionário Abílio Diniz, nos Jardins, região nobre de São Paulo, com cerca de 50 mulheres da alta sociedade paulistana, a nata das socialites brasileiras, a partir das 16 horas. A idéia do encontro partiu de Abílio Diniz, que petezou, e de sua mulher, a socialite Geyze.

Banco Central eleva compulsório sobre depósito à vista e retira R$ 1,6 bilhão da economia

O Banco Central informou nesta sexta-feira que decidiu elevar de 42% para 43% a alíquota do depósito compulsório (recursos que têm de ser mantidos na autoridade monetária pelos bancos) sobre depósitos à vista que estão nos bancos no início de julho. A operação, segundo a autoridade monetária, irá retirar R$ 1,6 bilhão em recursos da economia. O impacto financeiro da operação acontecerá em 7 de julho. Em março, o Banco Central já havia retirado R$ 71 bilhões da economia, recursos que haviam sido liberados durante a crise financeira interancional. Segundo o Banco Central, a alíquota do compulsório sobre depósitos à vista continuará subindo nos próximos anos, o que vai implicar na retirada de mais recursos da economia brasileira no futuro. Em julho de 2012, a alíquota avançará para 44% e, em julho de 2014, subirá para 45%. Ao mesmo tempo, a instituição informa que, também a partir do começo de julho, a exigibilidade (direcionamento) de aplicação em crédito rural, atualmente em 30%, recuará para 29%. A cada ano, a exigibilidade cairá mais um ponto percentual, até julho de 2014, quando estará em 25%. O Banco Central lembra que essa regra já havia sido aprovada anteriormente pelo governo. Ao retirar recursos da economia, por meio do aumento da alíquota do compulsório sobre depósitos à vista, o Banco Central também contribui para conter o aquecimento da economia, uma vez que estes recursos não estarão mais à disposição dos bancos para empréstimos. Para conter pressões inflacionárias, fruto do forte ritmo de crescimento, o Banco Central já subiu os juros em abril e junho deste ano, para 10,25% ao ano.

Álvaro Dias diz que foi "convocado" e que aceita ser vice de José Serra

O senador paranaense Álvaro Dias (PSDB) será o candidato a vice de José Serra na chapa do PSDB para a Presidência da República. A decisão deve mudar o cenário da disputa paranaense ao governo do Estado. Alvaro Dias confirmou ter sido “convocado” pelo partido. “Há uma convocação. Foi dessa forma que o fato me foi transmitido nesta sexta-feira em São Paulo. Aceito sim, não vou fugir da responsabilidade. É uma honra”, afirmou Alvaro Dias ao desembarcar em Mato Grosso, onde participará da convenção estadual do PSDB neste sábado. Alvaro Dias tem 65 anos e é formado em História. Nascido em Quatá-SP, mas criado em Maringá, começou a carreira política como vereador em Londrina, em 1968, pelo MDB. Em 1971 se elegeu para o seu único mandato como deputado estadual. Já na eleição seguinte, se candidatou para ser deputado federal e foi eleito com a maior votação proporcional até então da história política do Paraná. Depois do segundo mandato como deputado federal, foi eleito senador em 1982. A principal marca política na biografia de Alvaro Dias foi o posto de governador do Paraná, ocupado por ele de 1987 a 1991. O cargo também lhe rendeu a maior mancha na imagem pública: o confronto entre policiais a cavalo e professores em protesto, em agosto de 1988. Alvaro tentou ser governador novamente, em 1994, perdendo a disputa para Jaime Lerner. Mais tarde, ocupou o cargo de presidente da Telepar (Telecomunicações do Paraná) de 1996 a 1997. Voltou ao Senado, na eleição de 1998 e foi reeleito, em 2006, para mais oito anos de mandato. Alvaro Dias afirmou que a confirmação de seu nome na chapa depende de conversas com os partidos aliados. A confirmação de Alvaro Dias como vice na chapa de José Serra deve alterar a disputa pelo governo do Paraná. O senador Osmar Dias (PDT) já afirmou que não disputa as próximas eleições em lado oposto ao do irmão Alvaro Dias. Com isso, a candidatura de Osmar para o governo com o apoio de PMDB e PT deve ir por água abaixo. Se o pedetista realmente desistir de disputar o governo, deve ser candidato a reeleição ao Senado em uma chapa avulsa, ou seja, sem apoio de PMDB, PT ou PSDB. Neste cenário, PT e PMDB devem se unir em torno da candidatura do atual governador Orlando Pessuti, contra a forte candidatura de Beto Richa (PSDB).

Estátua de Stalin é retirada de sua cidade natal

As autoridades da Geórgia retiraram nesta sexta-feira uma estátua do ex-ditador soviético Josef Stalin em sua cidade natal, Gori. No mesmo local, será construído um memorial para as vítimas da guerra com a Rússia em 2008. Gori está a poucos quilômetros de distância da região separatista da Ossétia do Sul, onde as forças russas derrotaram o Exército georgiano em um rápido conflito em agosto de 2008. "Um memorial para Stalin não tem espaço na Geórgia do século 21", afirmou o presidente do país, Mikhail Saakashvili, em comentários televisionados. A cidade, que sofreu com tiros de artilharia e ataques aéreos durante os cinco dias do conflito, foi rapidamente ocupada pelos russos. A Ossétia do Sul e outra província separatista conseguiram a independência da Geórgia com a ajuda da Rússia, mas o Ocidente não reconheceu a separação, ao contrário de Moscou. O monumento, de seis metros de altura, estava na praça central de Gori desde o começo da década de 1950. A estátua deverá ser levada para um museu dedicado ao líder soviético na cidade, o que pode preocupar as gerações mais antigas. No ano passado, o país demoliu um grande memorial em homenagem às lutas do Exército Vermelho na Segunda Guerra. Stalin foi omaior de todos os genocidas comunistas, sendo seguido nessa "tarefa humanizadora" por Mao Tse Tung, Fidel Castro e os degenerados chefes comunistas do Camboda, como Pol Pot.

Human Rights Watch acusa Hamas de dar tratamento cruel a soldado de Israel

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch, dos Estados Unidos, acusou nesta sexta-feira a organização terrorista islâmica Hamas de violar as leis da guerra ao proibir que o soldado israelense Gilad Schalit tenha contato com sua família ou com a Cruz Vermelha. O tratamento do soldado de 23 anos, sequestrado há exatos quatro anos por terroristas ligados ao Hamas, é "cruel e desumano" e se encaixa na definição das Nações Unidas de tortura, pelo fato de ele não ter contatos com o mundo exterior, afirmou a organização, em comunicado. Terroristas do Hamas sequestraram Gilad Schalit dentro de Israel, em 2006. Desde então, ele é mantido refém na Faixa de Gaza, território palestino controlado pela organização terrorista islâmica.

CNI aponta que produção industrial voltou a crescer em maio

A produção industrial voltou a crescer em maio na comparação com o mês anterior e chegou aos 54,9 pontos, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). Em abril, tinha ficado em 51 pontos. De acordo com a entidade, valores acima de 50 indicam aumento da produção. Segundo a CNI, o uso da capacidade instalada ficou de acordo com o usual para meses de maio. "Os estoques mantêm-se próximos ao nível planejado desde janeiro de 2010, o que mostra que a produção tem sido capaz de acompanhar a evolução da demanda", apontou a entidade.

BP já perdeu US$ 100 bilhões em valor de mercado desde desastre no Golfo do México

O valor de mercado da petrolífera britânica BP caiu mais de US$ 100 bilhões desde 20 de abril, quando uma das plataformas da companhia explodiu no Golfo do México, e a seguir afundou, provocando um vazamento de óleo que perdura até hoje, conforme o Wall Street Journal. As ações da companhia vêm caindo fortemente desde o acidente. Só nesta sexta-feira os papéis da empresa listados na bolsa de Londres chegaram a cair mais de 9% durante o pregão, fechando em perda de 8,27%. O motivo da perda no pregão desta sexta-feira foi a sugestão de um analista de que a companhia teria que vender ações para assegurar sua saúde financeira.

Roberto Jefferson nega mal-estar com tucanos

Foi em meio a um passeio de moto pelas estradas de Minas Gerais que o presidente nacional do PTB, ex-deputado Roberto Jefferson (RJ), recebeu a notícia mais aguardada pelos tucanos nos últimos meses: a definição do candidato a vice-presidente na chapa do ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB). “Paro para abastecer e me liga no celular o Sérgio (Guerra, presidente nacional do PSDB)”, contou Roberto Jefferson. Sérgio Guerra queria comunicar a Jefferson a decisão tomada na noite de quinta-feira, na capital paulista, pela cúpula tucana, com a aprovação de José de Serra, de lançar o senador Álvaro Dias (PSDB) para o posto de vice. “Redondo! É o meu”, contou ter respondido Roberto Jefferson, que estava a caminho do Festival de Motos Clássicas de Tiradentes (MG), pilotando sua Harley Davidson. Minutos depois do telefonema, Roberto Jefferson postou de seu iPhone na rede de microblogs Twitter: “Falei agora com o Sérgio Guerra. O vice será o Alvaro Dias". Sérgio Guerra ainda tentou disfarçar o “anúncio” feito pelo aliado, dizendo pouco depois, também pelo Twitter, que estava conversando com outros líderes antes de bater o martelo. Bobagem, era verdade, e Roberto Jefferson deu o furo nacional. O lastimável é que o PSDB e José Serra tenham levado tantos meses para chegar a uma "soluçãozinha caseira", perdendo a oportunidade de ter uma grande vice, que é a senadora Katia Abreu (DEM). Esta, sim, agregaria à sua chapa. Quem pensa que os políticos são todos espertos engana-se redondamente. Mais constante do que se imagina eles costumam errar, e erra mesmo por inércia, por deixar a solução para o último momento.

Grécia nega venda de ilhas para reduzir déficit

O governo grego negou veementemente nesta sexta-feira que o país pretenda vender algumas de suas ilhas para reduzir seu déficit orçamentário. O jornal britânico The Guardian publicou uma reportagem afirmando que a Grécia se preparava para vender algumas de suas 6 mil ensolaradas ilhas, ou ao menos oferecer arrendamentos de longo prazo, para ajudar a equilibrar suas contas. "O governo grego não tem envolvimento em qualquer venda das ilhas gregas... essas transações ocorrem entre partes privadas, o que não é nada de novo", afirmou o porta-voz do governo George Petalotis, em comunicado. A iinformação de que o governo grego está negociando com investidores russos e chineses para vender a ilha de Rodes é igualmente enganosa. Sobre a ilha de Nafsika, o porta-voz admitiu que ela estava à venda, mas ressaltou que esta é uma propriedade privada, que está em mãos particulares há tempos. Em vários pontos de seu texto, Petalotis afirmou que a reportagem do Guardian era "insultante", "mentirosa" e "provocadora".

Petrobras perde 26,6% do seu valor de mercado em 2010

A Petrobrás foi a empresa da América Latina e Estados Unidos que registrou a maior queda de valor de mercado em 2010, aponta levantamento da consultoria Economática. Foram analisados os valores de mercado de 1951 empresas de capital aberto. No final de 2009, a empresa tinha US$ 199,3 bilhões contra US$ 146,3 bilhões no dia 24 de junho de 2010. A queda do valor de mercado é de US$ 52,9 bilhões ao longo do ano. O valor perdido pela Petrobras no ano de 2010 equivale ao valor de mercado do Bradesco no dia 24 de junho. Em termos percentuais, a empresa perdeu perdeu 26,6% do seu valor de mercado. A empresa com maior perda percentual em 2010 é a Monsanto dos USA, com 40% de queda. Entre as 30 maiores quedas nominais de valor de mercado no ano de 2010 estão outras quatro empresas brasileiras. O ItaúUnibanco registrou redução de US$ 11,1 bilhões. O Santander Brasil teve queda de US$ 10,3 bilhões. O valor de mercado da Vale do Rio Doce caiu US$ 8,5 bilhões e o do Bradesco, US$ 7,8 bilhões. Todo o mercado brasileiro perdeu US$ 131,5 bilhões no ano de 2010. Em dezembro de 2009, as 303 empresas brasileiras estudadas tinham valor de mercado de US$ 1,25 trilhões contra US$ 1,12 trilhões em 24 de junho de 2010, uma queda de 10,5%.

Professor da USP será vice na chapa do petista Mercadante em São Paulo

O PDT anuncia nesta sexta-feira o nome do vice que irá compor a chapa com o candidato do PT ao governo do Estado de São Paulo, senador Aloizio Mercadante. O indicado será Antonio Clóvis Pinto Ferraz, professor da faculdade de engenharia da USP, na unidade de São Carlos, no Interior paulista. Ele é conhecido como "Coca" Ferraz. A indicação de Ferraz será chancelada pela campanha petista. "Coca" Ferraz é militante recentissimo do PDT, engenheiro e especialista em trânsito e transportes. Foi presidente do PSDB em Araraquara, no interior paulista. Teve uma passagem pelo PTB e é cristão novissimo no PDT.

Decisão de presidente do STF de rever súmula do nepotismo sofrerá resistência

A decisão do ministro Cezar Peluso, presidente do Supremo Tribunal Federal, de rever a súmula que proíbe o nepotismo, sofrerá resistência no tribunal. O vice-presidente, ministro Carlos Ayres Britto, por exemplo, encaminhará contra essa iniciativa. Carlos Ayres Britto acredita que não é o momento apropriado para se analisar a questão, já que o próprio Peluso acaba de ser acusado de praticar nepotismo ao empregar um casal em sua equipe. O ministro revelou a interlocutores que qualquer modificação na súmula soará como "afrouxamento" e "leniência" da Corte. Peluso é um tipo neurastênico que ainda criará problemas na presidência do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça. Aliás, já começou, ele quer mudar a súmula do nepotismo apenas porque decidiu levar para o Supremo o seu segurança, como chefe do setor de segurança da Supremo Corte. E aí decidiu também dar um carguinho para a mulher do seu segurança. E para tornar isso legal, quer mudar a súmula nº 13, a do nepotismo. Como ele é um juiz de carreira, fica evidente o que pensa a magistratura brasileira por meio dele a propósito do empreguismo de amigos e apaniguados no Poder Judiciário. É péssimo o exemplo de Peluso.

Preso na Irlanda do Norte o terrorista etarra Fermín Vila Michelena

Agentes das forças de segurança da Inglaterra prenderam em Belfast, na Irlanda do Norte, o terrorista etarra Fermin Vila Michelena, informaram fontes da luta antiterrorista. Fermin Vila Michelena nasceu em Irún (Guipúzcoa) no dia 12 de março de 1970, foi membro do KAS/EKIN e aparecia desde muito cedo na lista de pessoas, grupos e entidades terroristas elaborada pelo Conselho da União Européia. As forças de segurança espanholas acreditam que Fermin Vila Michelena fugiu em março de 2001, após a desarticulação do "comando Sugoi" do grupo terrorista ETA, e um depois se integrou ao "comando Madrid", tendo participado da colocação da bomba em um carro junto a uma sucursal do banco BBVA, en maio, e em outro carro junto a um escritório do Ministério da Justiça, en julho, atentado no qual morreu o policial Luis Ortiz de la Rosa. Em aneiro de 2003 o juiz Baltasar Garzon, da Audiencia Nacional, procesó os cinco integrantes do "comando Madrid", desarticulado em novembro de 2001: Ana Belén Egües, Aitor García Aliaga, e os fugitivos Fermín Vila, Gorka Palacios e Julián Rubenach, assim como o dirigente do grupo, Olarra Guridi.

Procurador arquiva investigação sobre a morte de Jango

O Ministério Público Federal decidiu arquivar a investigação sobre a suspeita de assassinato do ex-presidente João Goulart (1919-1976). Em despacho interno, o procurador Júlio Schwonke de Castro Júnior descarta a tese de uma conspiração internacional para matar Jango em seu exílio na Argentina. Para o procurador, a suspeita de assassinato se baseava unicamente em "depoimentos confusos e contraditórios" de Mário Neira Barreiro, ex-agente da ditadura uruguaia preso por crimes comuns no Brasil. Ele disse à Polícia Federal ter participado de uma ação conjunta dos regimes do Cone Sul, supostamente batizada de Operação Escorpião, para eliminar Jango e impedir seu retorno ao País. Segundo o relato, o presidente teria morrido por envenenamento, e não por infarto fulminante, como registra seu atestado de óbito. A investigação foi aberta há dois anos e quatro meses pela Procuradoria da República no Rio Grande do Sul. O órgão analisou documentos secretos e ouviu diversas testemunhas, entre elas um ex-adido militar em Buenos Aires e a ex-primeira-dama Maria Thereza Goulart. No despacho assinado no último dia 9, o procurador Júlio Schwonke ainda manifestou irritação com Cristopher Goulart, neto de Jango, e ameaçou responsabilizá-lo criminalmente por não devolver os autos do caso. O neto de Jango criticou o arquivamento e acusou o Ministério Público de não se empenhar no caso. "É nítida a falta de interesse do Estado brasileiro de levar a investigação a sério", afirmou ele. Ele disse que estuda pedir a abertura de nova investigação na Argentina, onde o presidente morreu: "É um país mais amadurecido para apurar os crimes da ditadura". No mês passado, o historiador Luiz Alberto Moniz Bandeira disse acreditar que a família Goulart reforçaria a tese conspiratória por interesses financeiros.