terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Fundo de pensão da Caixa tem superávit de R$ 2,2 bilhões em 2009

A Funcef (Fundação dos Economiários Federais), fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômica Federal, apresentou resultado superavitário de R$ 2,2 bilhões, de acordo com balanço apresentado nesta terça-feira em Brasília. Em 2008, por conta do impacto da crise econômica, o resultado havia sido deficitário em R$ 2,4 bilhões. O fundo encerrou dezembro com patrimônio em R$ 38,9 bilhões,contra R$ 32,6 bilhões em 2008. A rentabilidade dos investimentos foi de 20,1% no ano, com resultado de R$ 6,3 bilhões. Em 2008, a rentabilidade foi de 1,7%. A maior rentabilidade foi alcançada com a carteira de investimentos em renda variável (36,6%), seguida por investimentos imobiliários (24,1%). O fundo tem hoje 105.505 associados.

Fipe prevê inflação de até 5% em 2010 por causa do dólar e alimentos mais caros

O reajuste de 17% nas tarifas de ônibus na cidade de São Paulo e as chuvas excessivas fizeram a inflação para o paulistano atingir o maior nível desde 2003 em janeiro. "Tivemos uma arrancada mais forte do que o esperado em janeiro", afirmou o coordenador do IPC-Fipe, Antônio Evaldo Comune. A previsão para o ano da Fipe divulgada em janeiro era de 4,5%, mas, de acordo com o coordenador, há um viés de alta para o número. "O dólar está subindo e se essa alta se sustentar, nós já estaremos com uma inflação acima de 4,5% ao ano", comentou Comune. Para ele, a alta no ano pode ficar em até 5%, dependendo do comportamento da moeda norte-americana. "A cada 10% de aumento do dólar, nós temos 1% a mais de inflação", explicou ele. A taxa de câmbio é o pivô de um dos vários reajustes que puxaram os preços em janeiro.

Jornal italiano diz que Ronaldinho organizou 3 dias de festa antes de clássico

Ronaldinho, do Milan, organizou com alguns amigos três noites de festa em um conhecido hotel de Milão antes do clássico com a Inter, no qual sua equipe perdeu por 2 a 0, e ele teve uma atuação criticável, informou nesta terça-feira o jornal italiano "Corriere della Sera". O jornal diz que Ronaldinho reservou durante três noites uma luxuosa suíte em um dos melhores hotéis de Milão para organizar uma festa com seus amigos. A diversão, acrescenta o jornal, custou a ele 75 mil euros. A publicação ainda acrescenta que Ronaldinho abandonou o hotel no sábado para ir diretamente ao Milanello, centro de treinamento do Milan, para se concentrar antes do decisivo clássico de 24 de janeiro. O Milan perdeu por 2 a 0 contra uma Inter com um jogador a menos desde a metade do primeiro tempo, após a expulsão do meia holandês Wesley Sneijder. Nesta partida, Ronaldinho ainda desperdiçou um pênalti nos minutos finais. A cobrança foi defendida pelo goleiro da Inter, o brasileiro Julio César. Ronaldinho já havia sido fotografado algumas semanas antes quando comemorava a vitória de sua equipe contra a Juventus em uma discoteca de Turim. Ronaldinho é um jogador em fim de carreira, destruída pela incrível paixão dele pelas festas noturnas. Em campo, normalmente, ele se torna um peso para o time, escondendo-se do jogo pelas laterais do campo durante a maior parte das partidas.

Lula pede parceria com Congresso e destaca importância de projetos do pré-sal

Em mensagem encaminhada nesta terça-feira ao Congresso Nacional para a reabertura dos trabalhos do Legislativo, o presidente Lula pediu que a Casa trabalhe em conjunto com o Executivo em seu último ano de mandato para fortalecer as condições econômicas e sociais do País. "Nosso principal desafio em 2010 é trabalhar em conjunto para fortalecer condições econômicas e sociais que nos permitam enfrentar turbulências recentes no cenário internacional, e fundamentais para que o ciclo de desenvolvimento dos últimos anos seja duradouro e sustentável", disse ele. Lula afirmou, na mensagem, que manteve ao longo dos sete anos de governo uma relação com o Congresso "pautada pelo respeito entre os Poderes. Registro o mais sincero reconhecimento ao papel desta Casa na construção de um Brasil justo, cada vez mais capaz de promover desenvolvimento sustentável com geração de renda e redução das desigualdades". O presidente não pediu, na mensagem, empenho do Legislativo em votar nenhuma matéria em especial durante o ano de 2010. Mas ressaltou a importância dos projetos do pré-sal, que tramitam na Câmara, para o desenvolvimento do País, e já vai patrolar o Congresso estabelecendo novamente regime de urgência para os projetos do pré-sal.

Líder da oposição no Irã nega fim dos protestos mesmo após execução de manifestantes

O líder da oposição reformista iraniana, Mir Hossein Mousavi, disse nesta terça-feira que sua luta pelos direitos da nação continuará, apesar do anúncio de que mais nove manifestantes ligados aos protestos liderados por Mousavi serão executados por tentar derrubar o governo. "O movimento verde não vai abandonar sua luta pacífica, até que os direitos do povo sejam preservados", disse ele. Ele disse que prisões com motivações políticas e a execução de manifestantes são contra a lei e defendeu uma mudança na Constituição para garantir os direitos das pessoas. "Protestos pacíficos são um direito do povo iraniano", disse ele. O Irã executou duas pessoas na semana passada pelo envolvimento em um protesto iniciado após a eleição presidencial do ano passado. Sentenças de morte para outras nove pessoas estão em fase de apelação e, segundo governo, devem ser cumpridas em breve. As execuções foram condenadas por grupos de direitos humanos e pelo Ocidente que, segundo o Irã, apoiam os manifestantes.

IBGE aponta queda das exportações e derrubada da produção industrial

O bom desempenho do mercado interno não foi suficiente para conter o estrago que a crise provocou na demanda externa, e foram justamente os setores mais dependentes das exportações que influenciaram diretamente o pior desempenho da indústria brasileira desde 1990. A produção industrial em 2009 registrou queda de 7,4% ante 2008, primeira resultado negativo desde 1999, quando a indústria havia tido retração de 0,7%. "A redução dos investimentos e a menor demanda externa foram decisivos para que a indústria apresentasse esse desempenho. Ao longo do ano, já nota-se uma retomada dos investimentos, mas as exportações ainda não reagiram no mesmo ritmo", afirmou Isabella Nunes, coordenadora da PIM (Pesquisa Industrial Mensal). Ao mesmo tempo, os dados referentes à segunda metade de 2009 mostram claramente uma recuperação da indústria. No primeiro semestre, a produção industrial caiu 13,4% em relação a igual período em 2008. Na segunda metade de 2009, a retração da indústria foi de 1,7%.

Uribe vai ao Equador pela primeira vez desde crise por ataque contra acampamento dos terroristas das Farc

O presidente colombiano, Alvaro Uribe, visitará o Equador nesta quinta-feira para discutir a resposta da América do Sul ao terremoto que devastou parte do Haiti, em sua primeira visita ao país vizinho desde o rompimento das relações diplomáticas em 2008, após um ataque colombiano a acampamento de terroristas das Farc dentro do território equatoriano. O gabinete de Uribe informou nesta segunda-feira que ele comparecerá à reunião da Unasul (União das Nações Sul-Americanas) no Equador. O Equador rompeu relações com a Colômbia depois que Uribe ordenou o bombardeio de um acampamento das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), localizado no lado equatoriano da fronteira em março de 2008, matando o segundo chefe na hierarquia da organização terrorista e traficante de cocaína, Raul Reyes. Os dois países buscaram reatar as relações nos últimos meses, mas suas diferenças políticas continuam grandes. O Equador é governado por um esquerdopata, Rafael Correa, do mesmo tipo do ditador venezuelano Hugo Chavez.

Vanucchi diz que comissão quer "interpretar corretamente" e não rever a Lei de Anistia

O titular da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, o petista Paulo Vanucchi, continuou nesta terça-feira na sua maratona de desmentidos sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos. Ele afirmou que o parecer da Procuradoria Geral da República contrário à revisão da Lei de Anistia não deve influenciar os debates da Comissão da Verdade, prevista no totalitário 3º Programa Nacional de Direitos Humanos. Segundo Vanucchi, a comissão não tem interesse em rever a Lei de Anistia, mas "interpretar corretamente" a lei. "Eu discordo do parecer da Procuradoria. Não acredito que tenha influência nos debates da comissão. A comissão não é contra a anistia. Anistia não se mexe. Foi um grande acordo. O que se quer é interpretar corretamente essa anistia", disse ele. Ou seja, ele quer ter um outro texto da lei da anistia. O revolucionário Vanucchi disse que mesmo no parecer contra a revisão da lei, que foi promulgada em 1979, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, se posicionou a favor da abertura da abertura e do livre acesso dos arquivos da ditadura militar. "O parecer não impede o resgate da verdade. O procurador reforça o nosso entendimento de que é necessário ter o livre acesso aos arquivos", afirmou. Mas, não é isso o que o seu projeto pretende.

Aneel aprova mudança no cálculo de reajuste da conta de luz

O conselho diretor da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) votou a favor da mudança nos procedimentos de cálculo dos reajustes das tarifas de energia elétrica, nesta terça-feira. A adequação passará a valer desde já, por meio de aditivo nos contratos de concessão com as distribuidoras de Energia. Segundo Nelson Hubner, diretor-geral da Aneel, a proposta do aditivo já está acordada com as distribuidoras: "Havia a colocação de que desde o primeiro reajuste do ano teríamos corrigido essa questão tão discutida". De acordo com a agência, os sete reajustes que acontecerão em fevereiro já seguirão o novo método de cálculo.

Guido Mantega admite aumentar juros para conter inflação

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira que o Brasil está cumprindo as metas de inflação e que isso será mantido em 2010. O objetivo será cumprido mesmo que, para isso, as taxas básicas de juros tenham que sofrer aumento, conforme ele: "Para este ano, está prevista inflação em torno de 4,5%. Não acredito que fique mais alta do que isso, mesmo com a economia crescendo de 5% a 5,5%. Se houver problema de inflação, o Banco Central vai aumentar os juros, mas espero que não precise". Ele acrescentou que "também não convém aumentar os juros inutilmente. É preciso que a inflação suba de fato. Acho que não há essa necessidade. A economia brasileira cresce solidamente e não está produzindo inflação".

Quase 500 mil haitianos deixaram Porto Príncipe após terremoto

Um total de 482 mil pessoas abandonou a capital haitiana Porto Príncipe seguindo para as regiões rurais do Haiti desde o terromoto que devastou o país em 12 de janeiro, anunciou nesta terça-feira a agência de coordenação de assuntos humanitários das Nações Unidas (OCHA). Autoridades haitianas colocaram ônibus à disposição para as pessoas que desejassem deixar a capital. Segundo cifras da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah), a população dos Departamentos do sul, de Grande Anse, de Nippes e da Colina Central, aumentou entre 15 e 20%. "Devido à afluência destas novas populações, os preços dos produtos base, como o arroz e o açúcar, aumentaram", segundo a OCHA. O ex-presidente norte-americano Bill Clinton (1993-2001), atualmente o enviado especial da organização para o Haiti, será nomeado o coordenador internacional dos esforços de ajuda ao país. Diplomatas e autoridades da ONU disseram que Clinton foi a escolha mais óbvia para coordenar a ajuda e a reconstrução no empobrecido país caribenho.

Hamas diz que negociação para soltura de soldado israelense foi interrompida

Após várias semanas de rumores sobre a libertação do soldado israelense Gilad Shalit, um líder do grupo terrrorista islâmico palestino Hamas afirmou que as negociações foram interrompidas e culpou o governo israelense por endurecer os termos do acordo. "Depois da interferência do primeiro-ministro israelense Binyamin Netanyahu, houve uma grande regressão nas negociações. Por isso foram interrompidas", afirmou Mahmud Zahar. Um funcionário do escritório de Netanyahu disse no mês passado que o primeiro-ministro sinalizou termos mais rígidos de negociação diante de um acordo prévio para a libertação de cerca de mil dos mais de 7.000 prisioneiros palestinos em prisões israelenses. Israel aceitaria libertar cerca de 450 prisioneiros em troca de Shalit e não incluiria no acordo vários palestinos proeminentes cuja soltura é exigida pela organização terrorista Hamas. Israel exige ainda que dezenas e prisioneiros palestinos condenados por atentados mortais sejam deportados depois de libertados. Os terroristas do Hamas aceitam que alguns dos prisioneiros libertados sejam exilados, mas quer escolher seus destinos. Shalit foi sequestrado por comandos dde terroristas do Hamas, dos Comitês de Resistência Popular e de um desconhecido Exército Islâmico, em 25 de junho de 2006, durante uma operação clandestina em território israelense.

Juízes protestam contra o programa nacional de Direitos Humanos que cassa liberdade

A AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) divulgou uma nota sobre o Programa Nacional dos Direitos Humanos que, entre outras barbaridades, prevê uma intervenção no Poder Judiciário, além de extinguir a propriedade privada e instituir a censura à imprensa. A nota da AMB é a seguinte: "A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), entidade representativa de aproximadamente 14 mil juízes, em todos os seguimentos do Poder Judiciário, vem a público manifestar preocupação e apreensão com o Programa Nacional de Direitos Humanos, editado pelo Governo Federal, exigindo a realização prévia de audiências públicas a serem promovidas no âmbito do Poder Executivo, como pré-requisito para a concessão de liminares concedidas pelo Poder Judiciário em caso de reintegração de posse. A proposta afronta a segurança jurídica daqueles que buscam no Poder Judiciário a pronta intervenção em casos de violação ao seu direito de propriedade, além de representar manifesta e indesejável usurpação de função, subvertendo atribuições específicas dos Poderes Constituídos do Estado. Não é aceitável que o juiz, após formar seu livre convencimento para conceder uma medida liminar, observando o devido processo legal, tenha condicionada sua decisão, muitas vezes necessária e urgente, à realização de uma audiência pública com viez não raras vezes político, postergando ainda mais a prestação jurisdicional pretendida. Resta, pois, evidente que a proposta, se aprovada, afronta prerrogativas próprias dos magistrados e do Poder Judiciário de dizer o direito a quem dele reclama, com inegáveis consequências às garantias constitucionais do cidadão e da sociedade brasileira. Portanto, a Associação dos Magistrados Brasileiros, como órgão de representação de todos os seguimentos do Poder Judiciário Nacional, sente-se no dever de alertar a sociedade, as autoridades constituídas e aos demais Poderes da República para a gravidade que a proposta, se transformada em lei, poderá ensejar".

Funcionários do INEP reagem a pressão de Haddad e ameaçam abrir “caixa-preta” do ENEM

A situação está tensa no INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). O órgão, que é responsável pelas avaliações do MEC (ENEM, Enade, Censo Escolar etc), está sob pressão desde que o ministro petista Fernando Haddad obrigou a instituição a transformar o ENEM em um vestibular unificado para as universidades federais. Como o ministro tem insistido em colocar a culpa pelos erros do ENEM nos servidores do instituto, a situação está insuportável. Para agravar o quadro, eles buscam a adequação do seu Plano de Carreira, já que 40% dos aprovados no último concurso saíram do órgão, e aprovaram na segunda-feira, em assembléia, uma greve a partir de sexta-feira. O presidente do INEP bloqueou o blog dos servidores, e agora eles prometem abrir a caixa-preta do ENEM. Que tal hein?!!!

Estudantes da Venezuela voltarão às ruas contra a ditadura de Chavez nesta quinta-feira

Os estudantes venezuelanos já anunciaram que voltam às ruas de Caracas nesta quinta-feira para protestar contra a deficiência dos serviços públicos, a insegurança, o fechamento dos meios de comunicação e a perseguição às pessoas que se opõem à ditadura do clown bolivariano Hugo Chavez. O anúncio foi feito na segunda-feira por representantes de várias universidades durante uma coletiva de imprensa na Universidade Católica Andrés Bello, em Montalbán. Os lideres estudantis convidaram todos os venezuelanos insatisfeitos com o governo a engrossar a sua marcha. Eles denunciam perseguições violentas promovidas por grupos chavistas e pela polícia. O movimento contra Chávez cresce e já não se restringe aos estudantes. “Um dos períodos de maior barbárie da história”: É assim que Luiz Miquilena se refere ao governo do ditador Chávez. Ele presidiu a Constituinte do país de 1999: "É preciso enfrentar o Poder Executivo, e isso só é possível com a união de todas as forças cívicas que existem no país. Os partidos não têm capacidade de enfrentar sozinhos a situação que a Venezuela vive hoje. Os estudantes disseram presente, mas o resto do povo tem de dizer presente também”. Entidades ligadas à defesa dos direitos humanos denunciam quase uma centena de prisões arbitrárias no país. E o ditador Chávez ainda incita os seus milicianos a combater os opositores. A corrosão do tirano segue acelerada. No país da “democracia até demais” (segundo Lula), quem protesta acaba em cana. O que falta agora? Despachar o clone de chanceler Marco Aurélio "Top Top" Garcia para a Venezuela para organizar a “resistência da ditadura”? O governo Lula é um profundo desastre em matéria de relações internacionais, apesar de ser o campeão de viagens pelo mundo. Viagens caras e inúteis, que causaram o desprestígio do Brasil no cenário internacional.

Lula estava fumando 30 cigarrilhas por dia

O presidente Lula deixou de fumar desde a crise hipertensiva que sofreu na semana passada. Segundo um assessor do Palácio do Planalto, Lula abandonou as cigarrilhas café creme desde o episódio, quando sua pressão chegou a 18 por 9. Assessores dizem que Lula parecia uma “chaminé” nos últimos tempos, fumando mais de 30 cigarrilhas por dia. O médico oficial da Presidência, Cleber Ferreira, afirmou na semana passada que a hipertensão foi decorrente de estresse e cansaço.

Guido Mantega diz que Brasil vai gerar 1,5 milhão de empregos

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira que o Brasil deverá terminar 2010 com saldo de 1,5 milhão de empregos formais gerados, resultado das contratações excluindo as demissões, contra quase 1 milhão criados no ano passado. Ele reforçou, para platéia de empresários, em São Paulo, que a massa salarial e o crédito têm garantido o dinamismo do mercado. Durante palestra no encontro do Lide (Grupo de Líderes Empresariais), Mantega propôs um pacto para manter o crescimento da economia durante o ano eleitoral e pediu para os empresários não caírem no "canto da sereia". "Não há riscos para o Brasil", afirmou. Ele reforçou a projeção de crescimento para a economia do Brasil neste ano: "Superamos rapidamente a crise e, para 2010, a taxa de crescimento do PIB ficará entre 5% e 5,5%". Ele lembrou que há analistas que já falam em crescimento de até 6,5% para este ano. O ministro voltou a reafirmar que o País está crescendo e já não precisa de estímulos tributários para segurar a demanda interna.

Coalizão lulista dá para a candidata petista Dilma Rousseff mais palanques estaduais

Faltando oito meses para as eleições de outubro, o mapeamento das principais candidaturas ao governo das 27 unidades da Federação mostra que a coalizão de partidos que apóia o presidente Lula dá à candidata petista Dilma Rousseff um número de palanques estaduais 40% superior aos até agora alinhados ao governador José Serra (PSDB). A candidata petista tem hoje 35 palanques que tendem a trabalhar majoritariamente por sua candidatura à Presidência, contra 25 já fechados com Serra. Dos palanques pró-Dilma, mais da metade lidera as pesquisas de intenção de voto disponíveis, sendo dez em Estados grandes ou médios. Dos 25 palanques que tendem a apoiar Serra, 10 lideram as respectivas disputas, sendo dois nos maiores Estados do País. A base de sustentação do governo Lula conta hoje com 14 partidos políticos, mas nem todos devem aderir a Dilma Rousseff.