domingo, 28 de março de 2010

Serra abre 9 pontos sobre Dilma e se isola na frente

O pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, abriu nove pontos de vantagem sobre a candidata petista Dilma Rousseff e voltou a ser líder isolado na corrida ao Palácio do Planalto. Pesquisa Datafolha realizada nos dias 25 e 26 deste mês mostra José Serra com 36%. Já a neopetista Dilma Rousseff está com 27%. Há um mês, eles tinham 32% e 28%, respectivamente, no mesmo cenário. Como a margem de erro da pesquisa Datafolha é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, Serra apresentou crescimento real, embora tenha retornado ao patamar de dezembro, quando tinha 37%. Já Dilma Rousseff pela primeira vez não apresentou crescimento na sua curva de intenção de votos. Pelo contrário, a candidata petista caiu um ponto. No mesmo levantamento, Ciro Gomes (PSB) ficou com 11% (tinha 12% em fevereiro e 13% em dezembro). Marina Silva (PV) está estacionada e manteve os mesmos 8% obtidos em dezembro e há um mês. Quando o Datafolha exclui Ciro Gomes da lista de candidatos, o cenário fica semelhante. Serra vai a 40% contra 30% de Dilma Rousseff. A diferença entre ambos passa de nove para dez pontos, mas essa variação está dentro da margem de erro. Sem Ciro Gomes, Marina Silva pula para 10% e continua sem ameaçar o pelotão da frente. As simulações de segundo turno seguiram os cenários de primeiro turno. Em uma hipotética disputa entre Serra e Dilma, o tucano venceria hoje com 48% contra 39% da petista. Em fevereiro, os percentuais eram de 45% a 41%.

Vaccari (Bancoop) continua no "conselho" de Itaipu

Guindado à função de Secretário de Finanças do PT nacional, João Vaccari Netto deixou a presidência da Bancoop. Mas reteve um contracheque de Itaipu. O novo gestor das arcas do PT ocupa, desde 2003, uma cadeira no conselho administrativo da hidrelétrica. Nesse conselho ele divide posição com o ex-governador do Rio Grande do Sul, o trabalhista (PDT) Alceu de Deus Collares, que come um suculento prato de mais de 15 mil lentilhas.

Eduardo Pinho Moreira será o candidato do PMDB ao governo de Santa Catarina

Eduardo Pinho Moreira será o candidado do PMDB ao governo de Santa Catarina nas eleições do outubro. O ex-governador derrotou o prefeito de Florianópolis, Dário Berger, nas prévias do partido, realizadas neste sábado, na Assembleia Legislativa. Pinho Moreira obteve 58,7% dos votos válidos, com o placar de 334 contra 235 de Berger, que prometeu apoiar a candidatura do concorrente.

Serra acusa imprensa de paulista de ser "leviana" ao cobrir seu governo

O governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, acusou a imprensa paulista de cometer "leviandades" contra ele e a esconder, mantendo na "clandestinidade", programas de sua gestão. A crítica de Serra foi feita um dia depois de o presidente Lula também desferir ataques à imprensa, dizendo que jornais e TVs agem de "má-fé" ao só divulgar fatos negativos sobre o governo federal. Durante a solenidade de inauguração de uma unidade radioterápica no Instituto do Câncer, na noite de quinta-feira, Serra foi irônico ao reclamar da falta de divulgação de uma pesquisa sobre o índice de satisfação de pacientes do SUS. "Outro dia nós apresentamos resultados de pesquisa que permaneceu clandestina na imprensa, evidente", reclamou. A crítica do tucano foi direcionada aos "jornais paulistas", os quais acusou de serem levianos na cobertura de inaugurações de obras. "Eu só espero que não vão dizer que eu vim aqui inaugurar obra inacabada ou ressonância que não começou a funcionar", reclamou. José Serra tem toda razão quando reclama da imprensa paulista. Ocorre que as redações, principalmente dos dois maiores jornais da cidade, do Estado e do País, e o Estado de S. Paulo e a Folha de S. Paulo, são totalmente dominadas por jornalistas petistas, que agem descaradamente em favor do PT, dos petistas, de Lula e da candidata neopetista, Dilma Rousseff. Os fatos apresentados por esses jornalistas são todos angulados pela ótica petista.

Blogueira pede a Lula ajuda para deixar Cuba

A premiada blogueira cubana Yoani Sánchez resolveu pedir "ajuda" ao presidente bolivariano Lula para conseguir permissão da ditadura cubana para visitar o Brasil. Em carta, que ainda não foi entregue ao Planalto, Yoani Sánchez diz a Lula que, se ele intervier, os irmãos facínoras Castro cederão para não decepcionar o presidente que "tem dado mostras recentes de possuir grande confiança na boa-fé" de Havana. A mensagem é mais um lance da pressão do grupo de opositores e críticos do regime cubano para que Lula se manifeste sobre a repressão em Cuba. Yoani Sánchez disse que a carta dá ao presidente a "oportunidade de se mostrar ao lado do povo cubano", após suas "infelizes" declarações sobre os dissidentes do país. No início do mês, Lula colecionou críticas no Brasil e no Exterior por condenar greve de fome de dissidentes cubanos e compará-los a presos comuns de São Paulo. O protesto, segundo Lula, não pode ser "pretexto" para obter libertações. Pelas leis de Cuba, só sai do país quem obtém a autorização do governo. Desde que lançou seu blog, o Generación Y, há três anos, Yoani Sánchez já teve permissão negada quatro vezes, uma delas para vir ao Brasil lançar "De Cuba com Carinho" (Editora Contexto). Agora, ela quer ir a Jequié, na Bahia, para a estréia, em junho, de um documentário feito por Dado Galvão, sobre a repressão em Cuba.

Cemig entrará na construção de Belo Monte

A Cemig, estatal mineira de energia, quer garantir sua presença na usina de Belo Monte, no Pará, independentemente de quem ganhar o leilão. Para isso, a companhia não vai se associar a nenhum dos consórcios que disputam a hidrelétrica, mas oferecer participação de 10% ao ganhador do leilão. A informação foi dado a analista do mercado pelo diretor de relações com investidores da companhia, Luiz Fernando Rolla. O edital de venda de Belo Monte, que permite a entrada de sócios estratégicos após o resultado do leilão, foi costurado pelo governo para permitir que a Eletrobras adotasse a estratégia. O plano inicial vislumbrava a associação da holding ao consórcio vencedor após a licitação, sem necessidade de desmembramento da estatal nos consórcios por meio das subsidiárias.

Deputado que denunciou parentes do ditador Chávez é detido

No mesmo dia em que o dono da emissora de TV Globovisión, crítica ao governo da Venezuela, foi preso por criticar o ditador Hugo Chávez, um deputado federal dissidente foi detido sob acusação de agressão a uma policial, em mais um episódio do assédio chavista à oposição no país. Wilmer Azuaje é um ex-simpatizante de Chávez que passou para a oposição em 2008, após fazer denúncias de corrupção contra parentes do ditador, acusações que repercutiam na mídia venezuelana. Foi eleito pelo Estado de Barinas, governado pelo irmão mais velho de Chávez, Adán Chávez. O deputado foi algemado e detido após discussão no departamento de veículos da polícia judicial. Ele procurava por um documento para recuperar um carro de sua mãe quando, alega a polícia, se exaltou pela demora e agrediu funcionários do setor, o que ele nega. "Sou um preso de Chávez", disse Azuaje, após ser obrigado a passar a noite em um hotel de Caracas. O Tribunal Supremo de Justiça, completamente controlado pelo ditador, decidiu abrir processo contra o deputado e mantê-lo em prisão domiciliar.

Dilma Rousseff retira cateter usado no tratamento contra o câncer

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, esteve na manhã deste sábado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para retirar o cateter usado durante o tratamento contra câncer ao qual se submeteu entre abril e setembro do ano passado. Também foram realizados exames de rotina durante a visita. Candidata do PT ao Palácio do Planalto, a ministra deixa o governo na quarta-feira para se dedicar à campanha presidencial.

Procuradores contra projeto de Paulo Maluf

Procuradores da República farão protesto no próximo dia 6, em Brasília, contra a perspectiva de votação de projeto de lei do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) que prevê criminalização de membros do Ministério Público que agirem "com fins de perseguição política". A Associação Nacional dos Procuradores entregará manifesto ao presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), no que batizou como "Dia Nacional de Alerta contra a Lei Maluf". Efetivamente, é necessário colocar algum freio no Ministério Público. O que fizeram com o próprio Maluf, e seu filho, no episódio da prisão dos dois, foi criminoso. Também foi criminoso o que fizeram no episódio da prisão do falecido ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta. É criminoso o Ministério Público apresentar processos sem quaisquer sustentações em provas, e que resultam em arquivamento das denúncias. E também é criminoso quando o Ministério Público retirar a denúncia depois de tê-la apresentado com pompa e circunstância, expondo a vítima à execração popular por meio do justiçamento e linchamento pela imprensa. Foi o que fez o Ministério Público no Rio Grande do Sul. Primeiro apresentou denúncia à Justiça estadual contra o ex-secretário da Cultura, Roque Jacoby, depois vai à Justiça e retirar a denúncia, fazendo o Judiciário arquivar o processo. Ocorre que o ex-secretário Roque Jacoby já tinha sido execrado. E agora, como fica? Ora, algum promotor ou procurador precisa pagar por isso. O Ministério Público também cansa de apresentar denúncias contra jornalistas que estão no estreito limite de suas atribuições constitucionais e profissionais, tais como o exercício da liberdade de crítica. Uma coisa é certa, do jeito como está, não é possível permanecer. É preciso colocar um freio no Ministério Público, e pouco importa se isso será feito por intermédio de um projeto de lei do "famigerado" Paulo Maluf. Ele foi vítima, sim, do Ministério Público. Sabe o que é isso....

Empresária diz que pagou propina no Distrito Federal

Uma empresária admitiu pela primeira vez à Polícia Federal que pagou propina de R$ 150 mil ao esquema do mensalão do Distrito Federal para conseguir que o governo de José Roberto Arruda (sem partido) liberasse pagamentos congelados. O depoimento foi prestado no dia 27 de janeiro por Nerci Soares, filmada entregando o dinheiro ao delator do Mensalão, Durval Barbosa. A representante da Unirepro usa expressões como "extorsão" e "pressão" para classificar a negociação feita com o delator Durval Barbosa. Segundo ela, os R$ 150 mil representavam cerca de 10% dos pagamentos que o governo do Distrito Federal devia a Unirepro. Ela já havia sido demitida pela Unirepro quando falou com a Polícia Federal. A empresária é dona da empresa Nerci SS Informática, que prestava serviços e era a responsável pela área comercial da Unirepro em Brasília. Nerci estava com problemas para conseguir os pagamentos atrasados de contratos da Unirepro com o governo, em especial nas secretarias de Educação e da Saúde. Segundo o depoimento, a empresária foi informada por pessoas do setor de informática do governo que "deveria conversar com Durval para tentar resolver os problemas com os atrasos". Nerci diz também que sabia que "havia empresas em pior situação". "A declarante agiu assim pagando Barbosa porque queria receber os pagamentos em atraso, não tendo encontrado outra forma para tal", diz o depoimento colhido pela Polícia Federal. Oficialmente, Durval Barbosa era secretário de Relações Institucionais e não tinha controle sobre despesas do governo Arruda. Segundo Nerci, Barbosa disse que "tais atrasos estavam ocorrendo em razão da Unirepro não ter se "adequado" ao sistema de trabalho na área de informática do governo". No primeiro encontro, em 2008, Barbosa teria pedido propina e a Unirepro negou. Em setembro de 2009, quando o delator Durval Barbosa já colaborava com a Justiça, a empresária o procurou de novo. Ela deu então R$ 150 mil ao operador do Mensalão, em encontro filmado por Durval Barbosa e entregue à Justiça. Segundo o depoimento, Nerci fez o pagamento sem autorização da Unirepro, com parte do dinheiro das comissões que ganhava. Ela disse temer que os atrasos levassem a Unirepro a fechar a filial em Brasília.

Governadora Yeda Crusius anuncia novo Refis nesta segunda-feira

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), anuncia nesta segunda-feira uma nova edição do Programa de Recuperação Fiscal (Refis), que possibilita às empresas parcelarem o pagamento de dívidas tributárias. A governadora fez o anúncio em Santa Rosa, durante a Fenasoja. A medida foi apresentada e validada na última reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que se encerrou na sexta-feira, em Boa Vista (RR). Segundo a governadora Yeda Crusius, o principal objetivo do programa é auxiliar as empresas gaúchas na retomada do crescimento e na superação dos efeitos da crise econômica mundial. O anúncio detalhado das medidas que integram o novo Refis será feito na segunda-feira à tarde, no auditório do Centro Administrativo.

Revista de Jurisprudência on line do TJRS é primeiro repositório oficial na Internet reconhecido pelo STJ

A partir desta semana, os operadores de Direito podem utilizar os acórdãos publicados na Revista de Jurisprudência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul on line como fonte oficial em recursos apresentados ao Superior Tribunal de Justiça. A medida é saudada pelo coordenador da revista, desembargador Almir Porto da Rocha Filho, como resultado de esforços iniciados na gestão do desembargador José Vicente Barroco de Vasconcellos. Com o reconhecimento oficial pela Portaria nº 01/2010 (rerratificada pela de nº 04/2010) do Ministro Felix Fischer, Diretor da Revista do Superior Tribunal de Justiça, poderá ser utilizado o material ali divulgado para citações, sempre com a devida referência à fonte, facilitando a pesquisa e indicações da jurisprudência em recursos ao Superior Tribunal de Justiça. É a primeira vez que o Superior Tribunal de Justiça reconhece como repositório oficial de jurisprudência uma revista eletrônica.

CPI da Bancoop na Assembléia paulista tem maioria tucana

A CPI da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), que irá investigar as ilegalidades cometidas na gestão do ex-presidente da instituição e atual tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, definiu na sexta-feira a sua composição. Os tucanos Samuel Moreira, Celso Giglio e Bruno Covas são maioria na comissão, que conta com apenas dois oposicionistas, os petistas Antoni Mentor e Vanderlei Siraque.

Paraguai veta ingresso da Venezuela no Mercosul

Senadores paraguaios reiteraram na sexta-feira a negativa de ingresso da Venezuela como membro pleno do Mercosul. O presidente do Congresso paraguaio, senador Miguel Carrizosa, da oposição, reiterou suas acusações contra o clown bolivariano Hugo Chávez, a quem classifica apropriadamente de "ditador". Brasil, Argentina e Uruguai, países bolivarianos, com governos esquerdóides e congressos submissos ao Foro de São Paulo, entidade criada por Lula, já aprovaram a entrada da ditadura de Hugo Chavez no Mercosul. Entretanto, o país não pode ingressar no Mercosul enquanto não houver a concordância de todos os fundadores natos.

Furnas é multada em R$ 54 milhões por apagão no País

A estatal Furnas foi multada em R$ 53,7 milhões por conta do apagão que deixou o País às escuras no final do ano passado. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) entendeu que houve falhas no sistema de proteção das subestações de Itaberá (SP) e Ivaiporã (PR), ambas sob responsabilidade da estatal. Ainda poderá haver multas para outras empresas envolvidas. Inicialmente, o governo Lula tentou sustentar a versão de que ninguém tinha culpa pelo blecaute, atribuindo o ocorrido inicialmente a um raio e, depois, a fortes chuvas que caíam na ocasião na região (divisa de Paraná com São Paulo). A falha no sistema de proteção, apontada pela fiscalização da agência reguladora, também havia sido descartada por várias autoridades do governo na área de energia. O apagão aconteceu no dia 10 de novembro, às 22h13. Na ocasião, as linhas que ligam a hidrelétrica de Itaipu ao resto do País deixaram de transmitir energia, ocasionando uma série de problemas em sequência. No total, saíram do sistema elétrico 28.800 MW (megawatts), o que equivale a 46% da carga do sistema interligado (todo o País menos Roraima, Amapá e Amazonas) no momento do apagão. O sistema brasileiro é interligado e, por isso, falhas que acontecem em um determinado lugar se propagam para quase todo o País, com exceção da região Norte, que é isolada. No blecaute do final do ano passado, houve curto-circuito nas linhas que ligam a hidrelétrica de Itaipu ao Sudeste do País. Os sistemas de proteção deveriam ter isolado o problema na região, mas isso não aconteceu. Além de Itaipu, as usinas nucleares de Angra 1 e 2, no Rio de Janeiro, foram desligadas, bem como todas as hidrelétricas no Estado de São Paulo. Pelo menos 15 linhas de transmissão deixaram de operar. O Paraguai perdeu 980 MW, o equivalente a aproximadamente 54% da carga do país. O blecaute atingiu 18 Estados brasileiros. Em quatro deles (São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Espírito Santo), a falta de energia foi total; foi parcial em Minas Gerais, Matro Grosso, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Acre, Rondônia, Bahia, Sergipe, Paraíba, Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte). Pelo menos 1.800 municípios foram afetados. A duração da falta de luz variou conforme o Estado. São Paulo foi o mais atingido. De acordo com dados do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), o Estado ficou sem energia durante 4h16. A decisão final da investigação da Aneel comprova mais uma vez que o governo Lula, o próprio Lula, Dilma Rousseff e seu ministra das Minas e Energia, Edison Lobão, mentiram para o País.

Crédito consignado do INSS cresce 88,9% em fevereiro

O número de operações de crédito consignado realizadas por aposentados e pensionistas do INSS aumentou 88,9% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2009. Segundo dados divulgados na sexta-feira pelo Ministério da Previdência, as operações somaram R$ 2,12 bilhões, um valor 114,4% acima do verificado no mesmo período do ano passado. As operações de crédito consignado representam a soma dos empréstimos pessoais em instituições financeiras e da utilização de cartão de crédito. Do total de operações, em fevereiro, 585,4 mil foram feitas por segurados com renda de até um salário mínimo. Esses aposentados e pensionistas responderam por R$ 956,7 milhões das operações. São Paulo foi o Estado com maior volume de operações de crédito consignado, tanto em valor quanto em quantidade, com 50,69% do volume de contratos e 54,82% do total de recursos da região. Bahia liderou no Nordeste; Pará, no Norte; Rio Grande do Sul, no Sul; e Goiás, no Centro-Oeste.

Maior gasoduto interno do Brasil entra em operação

O presidente Lula inaugurou na sexta-feira o maior gasoduto interno do Brasil, que liga as regiões Sudeste e Nordeste. Com 1.387 quilômetros de extensão e 28 polegadas de diâmetro, o gasoduto tem capacidade para transportar 20 milhões de metros cúbicos diários de gás natural e permite aumentar a oferta do combustível aos Estados do Nordeste, segundo a Petrobras. O gasoduto só não é maior em tamanho e capacidade no País do que o gasoduto Bolívia-Brasil, que se estende por 3,2 mil quilômetros entre a cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra e Porto Alegre com capacidade para transportar 30 milhões de metros cúbicos de gás. A cerimônia de inauguração do chamado Gasoduto da Integração Sudeste-Nordeste (Gasene), que teve um custo de R$ 7,2 bilhões, foi realizada em Itabuna (BA). De acordo com a Petrobras, a obra dá uma nova configuração à rede de gasodutos do País ao permitir que o gás excedente no Sudeste possa abastecer o Nordeste, onde a produção do combustível é insuficiente para atender a crescente demanda. Os Estados do Nordeste poderão receber agora tanto o gás procedente das bacias de Campos, Santos e Espírito Santo, todas no Sudeste, como o gás importado da Bolívia. O gasoduto também permitirá enviar ao Nordeste parte do gás natural liquidificado que a Petrobras importa em navio e que regaseifica em uma planta construída no estado do Rio de Janeiro. O Gasene terá uma capacidade inicial para transportar 10 milhões de metros cúbicos de gás por dia, mas esse volume crescerá radualmente na medida em que a demanda aumentar e novas estações de compressão entrarem em operação.

TSE garante retorno de deputado cassado à Assembleia gaúcha

O deputado estadual Carlos Gomes irá reassumir o mandato na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul na próxima semana após reconquistar o cargo na Justiça. O Tribunal Superior Eleitoral reverteu a decisão da corte estadual, que em fevereiro cassou o mandato do deputado por infidelidade partidária. Carlos Gomes foi eleito pelo PPS, mas, em setembro, se filiou ao PRB. O PSDB havia pedido a cassação de deputado. Quando ela aconteceu o deputado Jorge Gobbi (PSDB) assumiu a vaga. Na decisão, o ministro Félix Fischer afirma que o PSDB não poderia reivindicar a vaga, mas sim o PPS.

Justiça Eleitoral manda tirar do ar propaganda de Serra

A Justiça Eleitoral atendeu na sexta-feira a um pedido do PT e mandou tirar do ar as inserções veiculadas nos últimos dias pelo PSDB, tendo como protagonista o governador de São Paulo, José Serra. No filme, que começou a ser veiculado na última quareta-feira na TV, o pré-candidato tucano ao Palácio do Planalto aparece falando sobre realizações do PSDB no Estado. Ao conceder a liminar, a corregedoria eleitoral baseou-se nos mesmos argumentos que resultaram, na semana passada, na proibição de inserções do PT. Nesse caso, os filmes eram protagonizados pelo presidente Lula, pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e pelo senador Aloizio Mercadante. PMDB e PSDB entraram na Justiça demandando a proibição, sob o argumento de que os filmes extrapolavam a regra que rege a propaganda partidária no rádio e na televisão.

AGU recorre contra multa aplicada a Lula por propaganda

A Advocacia-Geral da União entrou, no início da noite de sexta-feira, com recurso contra multa aplicada ao presidente Lula pelo Tribunal Superior Eleitoral. A punição de R$ 5 mil foi determinada no dia 18 pelo ministro Joelson Dias, para quem Lula fez campanha eleitoral antecipada em favor da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, na inauguração de um complexo poliesportivo em Manguinhos (RJ), em maio do ano passado. No recurso, elaborado pela Procuradoria-Geral da União, a Advocacia Geral da União argumenta que a inauguração ocorreu "um ano e meio antes das eleições" e "mais de um ano antes das convenções partidárias", o que inviabiliza a repercussão das declarações do presidente nas eleições de 2010.

Professores da Uergs decidem entrar em greve a partir de segunda-feira

Em Assembléia Geral realizada na noite de sexta-feira, na sede estadual do sindicato petista Sinpro/RS, os professores petistas da Uergs decidiram entrar em greve a partir desta segunda-feira. A petralhada não seria petralha se não produzisse uma só grevezinha eleitoreira contra o governo de Yeda Crusius (PSDB). Essa universidade é um monumental fracasso, porque tem sido sistematicamente boicatada pela petralhada. Para se ter idéia: um dos seus professores foi o deputado estadual trotskista Raul Pont, atual presidente estadual do partido no Rio Grande do Sul.

José Dirceu pede ajuda a Lula para se livrar de acusação do Mensalão do PT

O ex-ministro José Dirceu (PT), deputado federal cassado por corrupção, quer a aprovação do presidente Lula. Em documento incluído no processo contra ele que corre no Supremo Tribunal Federal, a ação penal 470, José Dirceu apresentou oito questões para Lula responder. Elas tratam dos papéis que José Dirceu desempenhou na campanha presidencial de 2002, à frente da Casa Civil e internamente no PT. O mais importante é que José Dirceu quer que Lula corrobore a versão de que ele não participou de qualquer negociação financeira na campanha de 2002. E, no específico, quer ouvir do titular do Planalto que não tratou do acordo entre PT e PL (hoje PR). Segundo o ex-presidente do PL, deputado federal Valdemar Costa Neto (SP), o negócio foi fechado em R$ 10 milhões. O ex-ministro quer o aval do presidente para reforçar sua tese de que não teve qualquer envolvimento no escândalo do Mensalão do PT e não fez negociata político-financeira com partidos, com o PT ou com o publicitário Duda Mendonça, responsável pela campanha de 2002 e réu no caso do Mensalão do PT. José Dirceu também pede para Lula afirmar se ele, “enquanto exerceu o cargo de ministro-chefe da Casa Civil, administrava questões internas do PT”. Na pergunta de número quatro, questiona se o presidente pode afirmar se, como ministro, “praticou algum ato indevido para beneficiar entidades privadas”, especificamente no que se refere a crédito consignado. Lula vai cair fora de dar resposta a algumas das perguntas. Ele não seria Lula se contruísse para livrar a cara de José Dirceu.