sábado, 17 de abril de 2010

Nova pesquisa Datafolha aponta José Serra com 10 pontos à frente de Dilma Rousseff

A corrida presidencial teve pouca oscilação apesar do lançamento oficial da pré-candidatura de José Serra em grande festa do PSDB no último dia 10. Segundo pesquisa Datafolha realizada nos dias 15 e 16, José Serra (PSDB) registrou 38% das intenções de voto contra 28% de Dilma Rousseff (PT). No final de março, Serra tinha 36% e Dilma marcava 27% no Datafolha. A vantagem do tucano era de nove pontos. Agora, é de dez pontos. Nesse mesmo cenário, Marina Silva (PV) teve 10% das intenções de voto. É seguida por Ciro Gomes (PSB), com 9%. Em março, Marina tinha 8%. Ciro estava com 11%. Segundo o Datafolha, 7% dos entrevistados respondem que votarão em branco, nulo ou em nenhum. Outros 8% dizem ainda estar indecisos. Quando Ciro Gomes é retirado do quadro de candidatos, a diferença entre Serra e Dilma alarga-se. O tucano fica com 42% contra 30% da petista, aumentando sua distância para 12 pontos. Ou seja, Serra "herda" quatro pontos de Ciro. Já Dilma fica com dois pontos a mais sem o candidato do PSB no páreo. Marina Silva vai a 12% (ganho de dois pontos). Em uma simulação de segundo turno, Serra tem 50% e Dilma fica com 40%. No final de março, os percentuais eram 48% e 39%.

Fogaça teve sigilo bancário quebrado na investigação do caso Sollus

Por determinação da Justiça Federal, o ex-prefeito José Fogaça (PMDB) teve os sigilos bancário e fiscal quebrados na investigação que apura irregularidades na prestação de serviços pelo Instituto Sollus à prefeitura de Porto Alegre. O caso tramita no Tribunal Regional Federal da 4ª Região em função do foro privilegiado que Fogaça tinha na época em que o Ministério Público Federal iniciou as investigações. Conforme a apuração do Ministério Público Federal, o esquema teria desviado R$ 9 milhões dos cofres do município. A suposta fraude segue sob investigação do Ministério Público Federal e da Polícia Federal, esta a autência polícia política do PT. Ninguém nunca teve qualquer notícia de que ambas tivessem investigado os 16 anos de gestões do PT na prefeitura de Porto Alegre. Ao embasar seu pedido, o procurador Jorge Luiz Gasparini da Silva disse: "A medida ora pleiteada é imprescindível para fins de delimitar responsabilidades e a ampla apuração dos fatos, inclusive para avaliar se o agir dos administradores municipais foi culposo ou doloso”. Ou seja, parte do princípio que foram criminosos, faltando delimitar se foram atos culposos ou dolosos. As buscas foram cumpridas pela polícia política do PT, a Polícia Federal, em janeiro, na Operação Pathos. O relatório da Procuradoria Regional da República, assinado por Gasparini, cita que Fogaça e Eliseu Santos “são responsáveis pela fiel aplicação dos recursos públicos, sob pena de, se concorrem com desídia, no mínimo, incidirem” em peculato e emprego irregular de verba ou renda pública. O procurador também destaca o papel dos dois agentes políticos na contratação do instituto: “...tiveram forte atuação para levar a cabo a contratação de uma entidade desconhecida oriunda do Estado de São Paulo sem qualquer referência apresentada ou processo de seleção para aferir a sua idoneidade”. O procurador afirma ainda que o prefeito havia recebido, em 2007, época da contratação do Sollus, recomendações do Ministério Público Federal para não terceirizar a contratação de profissionais da saúde. E, em outro trecho do documento destaca: “ao receber notícias da utilização de notas fiscais falsas e da existência de um inquérito, nenhuma medida efetiva foi tomada pelo secretário da Saúde e pelo prefeito, conforme demonstra a sindicância. Ante a gravidade dos fatos, no mínimo, a rescisão imediata do Termo de Parceria era para ter sido determinada ou, no mínimo, continuado de forma diversa, mas nada disso ocorreu”.

Advogado que pede extradição de terrorista Battisti afirma acreditar que Lula cumprirá tratado

O governo italiano está confiante que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai extraditar o ex-ativista Cesare Battisti, conforme Antonio Nabor Bulhões, contratado pelos italianos. Disse ele: "Estou entendendo que o presidente da República haverá de cumprir o tratado. Ele não tem razão para não cumprir o tratado. A Itália acredita que o presidente vá cumprir o tratado". Bulhões disse que vai examinar durante o final de semana a decisão do Supremo que autorizou a extradição do terrorista Cesare Battisti. "A extradição há de ser executada nos termos do tratado", afirmou Bulhões.

TSE recebe nova representação contra Lula e Dilma por propaganda eleitoral antecipada

O Tribunal Superior Eleitoral recebeu no início da noite da sexta-feira uma nova representação do PSDB contra o presidente Lula e a candidata petista Dilma Roussef, além de lideranças sindicais, por propaganda eleitoral antecipada. Para os tucanos, o evento "Encontro da Defesa do Trabalho Decente", realizado no último sábado, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP), foi um ato de campanha eleitoral em favor da ex-ministra Dilma. O relator do processo é o ministro Henrique Neves. Segundo a denúncia do PSDB, o evento serviu de pretexto para um "portentoso ato de campanha eleitoral" o que demonstraria uma conduta que, além de violar a legislação referente a propaganda eleitoral, também teria agredido as regras de financiamento de campanha, uma vez que o evento questionado “foi financiado com recursos sindicais, cuja aplicação é vedada no âmbito político partidário”. Nesse sentido, a representação relata trechos de diversos discursos dos representados, que segundo o PSDB têm nítida conotação de propaganda eleitoral. Além do presidente Lula e da ex-ministra, a representação tmabém é contra Carlos Roberto Lupi (presidente do PDT), o senador Aloizio Mercadante (PT/SP), o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, e ainda contra seis entidades sindicais: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e seu presidente Sérgio Nobre, Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e seu presidente Wagner Gomes, Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) e seu presidente Antonio Neto, Força Sindical e seu presidente Paulo Pereira da Silva, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e seu presidente Artur Henrique da Silva Santos, além da Nova Central Sindical dos Trabalhadores.

Colombiano usava contêineres e portos brasileiros para enviar cocaína aos Estados Unidos

O traficante colombiano Nestor Ramón Chaparro, preso nesta sexta-feira no Rio de Janeiro, usava contêineres para embarcar cocaína para os Estados Unidos, de acordo com o chefe da Delegacia Federal de Repressão a Entorpecentes no estado, João Luiz Caetano de Araújo. Chaparro usava o Brasil como entreposto para enviar a droga da Colômbia para os Estados Unidos desde o final dos anos 90. Quando foi preso, em uma cobertura em Copacabana, ele se preparava para embarcar mais um carregamento de cocaína. Chaparro era procurado pela polícia norte-americana pelo menos desde 2001, quando foi indiciado pela Justiça de Nova York por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Segundo a Polícia Federal, ele era um dos principais traficantes colombianos e chegou a enviar, em apenas um ano, cinco toneladas de cocaína para os Estados Unidos, a partir do Brasil. “Ele era um dos quatro maiores traficantes da Colômbia e tido como um criminoso do nível de Juan Carlos Abadía, preso em 2007, também no Brasil. Então, acredito que sua prisão vai ser um grande baque no comércio de drogas para os cartéis colombianos”, disse o delegado. Chaparro foi preso com sua namorada venezuelana, que está grávida. Segundo a Polícia Federal, a mulher disse desconhecer que seu namorado era traficante de drogas. Ainda de acordo com a Polícia Federal, o colombiano assumiu que sabia estar sendo procurado e disse que tinha planos de fazer um acordo para se entregar à polícia. O mandado de prisão do traficante foi expedido pelo Supremo Tribunal Federal, a partir de um pedido de extradição feito pelo governo norte-americano.

Comissão de Valores dos Estados Unidos acusa Goldman Sachs de fraude

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos acusou formalmente o banco Goldman Sachs de fraude, ao constatar que a instituição se aproveitou da derrubada do mercado hipotecário. Após o processo apresentado em um tribunal civil de Nova York, o primeiro deste tipo da autoridade reguladora contra a entidade e um de seus vice-presidentes, Fabrice Tourre, as ações da Goldman Sachs chegaram a cair em Wall Street cerca de 10%. A entidade é acusada de ter frustrado os investidores com a "distorção e a omissão de informações-chave" sobre um produto financeiro vinculado às hipotecas de alto risco, os chamados "subprime". O Goldman Sachs criou e vendeu este produto, conhecido como CDO, em um momento em que o setor imobiliário estava começando a ruir. O CDO era um produto cuja rentabilidade estava vinculada diretamente à evolução do mercado das hipotecas "subprime". Segundo a SEC, o Goldman Sachs "falhou" ao não divulgar aos investidores informações vitais sobre o CDO e, concretamente, sobre o papel de um grande fundo de investimento na trama. O fundo de investimento Paulson & Co foi contratado para estruturar este produto e, portanto, selecionava quais investimentos deveriam ser realizados, de acordo com a SEC (Securities Exchance Comission). Por outro lado, investia apostando contra a evolução do mercado hipotecário em curto prazo. "O produto poderia ser muito novo e complexo, mas o engano e o conflito de interesses era velho e simples", assegurou o diretor da Divisão de Investigação da SEC, Robert Khuzami. "De maneira incorreta, o Goldman Sachs permitiu que um cliente que estava apostando contra a evolução do mercado hipotecário tivesse uma grande influência na seleção dos ativos hipotecários que deviam ser incluídos na bolsa do produto", disse Khuzami. Segundo ele, o banco fez isso "enquanto dizia aos investidores que a seleção estava sendo feito por uma terceira parte objetiva e independente". De acordo com a SEC, o Paulson & Co, considerado um dos maiores fundos especulativos do mundo, pagou US$ 15 milhões ao Goldman Sachs para poder "tomar posições contra os ativos que ele mesmo tinha selecionado, com a crença de que estes ativos, como realmente ocorreu, teriam problemas".

BNDES firma cooperação com bancos do BRIC

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, participou na quinta-feira de assinatura de memorando de entendimento entre os bancos de desenvolvimento dos países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). A intenção seria constituir uma associação permanente formada pelos bancos de desenvolvimento do grupo BRIC. Na prática, o documento estabeleceria diretrizes para cooperação técnica nas respectivas áreas de atuação das instituições envolvidas, que são o Bank for Development and Foreign Economic Affairs (Vnesheconombank), da Rússia; o China Development Bank (CDB); e o India Eximbank. O banco informou que o memorando é resultado de um esforço de aproximação capitaneado pelo BNDES e o Vnesheconombank, que contou com a adesão do CDB e do India Eximbank. A assinatura do memorando ocorreu no Palácio Itamaraty, no âmbito da 2ª Cúpula do BRIC.

Susepe abandona a Penitenciária Regional de Caxias

Agentes penitenciários lotados na Penitenciária Regional de Caxias do Sul abandonaram o presídio durante a madrugada de sexta-feira. A debandada aconteceu logo após a chegada de policiais militares deslocados de Porto Alegre para assumir o controle da cadeia. A intervenção foi determinada pela governadora Yeda Crusius (PSDB) depois que vídeos com agressões contra presos foram divulgados pelo site do jornal Pioneiro, na tarde de quinta-feira. Os policiais militares devem permanecer na unidade prisional até o final do treinamento de 35 novos agentes na própria cadeia. Os novos servidores devem chegar a Caxias do Sul na segunda-feira. Pela primeira vez desde que foi ocupado, em outubro de 2008, os detentos estão jogando futebol no pátio para o banho de sol. Os apenados não podiam praticar esportes para não danificar as cercas de proteção. Os desclassificados e insubordinados agentes agentes penitenciários que estavam lotados na penitenciária foram embora levando todas as viaturas e deixando os computadores com as senhas bloqueadas. Merecem um processo administrativo disciplinar rigoroso e a expulsão do serviço público de alguns. São uns desclassificados, pensam que o presídio e os presos pertenciam a eles, e que podiam fazer tudo.

Unoesc expulsa estudante e suspende 23 por trote que feriu alunos em Joaçaba

A Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), em Joaçaba, decidiu nesta sexta-feira pela expulsão de um estudante e pela suspensão por 10 dias de 23 acadêmicos do curso de Engenharia Mecânica, por envolvimento no trote universitário aplicado nos calouros no dia 9 de março deste ano. Os novos estudantes foram torturados pelos veteranos e submetidos a humilhações. Vários alunos tiveram queimaduras de primeiro e segundo grau, decorrentes do uso de uma substância química. Três precisaram ser hospitalizados. Os acadêmicos tiveram cinco dias para apresentar a defesa por escrito, mas nenhum deles se manifestou. De acordo com o diretor de graduação da universidade, Ricardo Menezes, o trote é proibido dentro e nas imediações do campus. O caso aconteceu próximo aos prédios onde funcionam os cursos de Medicina e Odontologia, entre outros. "Sempre que houver uma situação de desrespeito, vamos agir com rigor e punir de forma exemplar todos que descumprirem os regimentos da universidade", afirmou Ricardo Menezes. A pedido da Polícia Civil, o Hospital Universitário Santa Teresinha enviou a lista das vítimas que foram atendidas. Mesmo com a punição na esfera acadêmica, segue o inquérito policial que apura o crime praticado com o emprego de crueldade e o uso de produto químico, provocando lesão grave. O inquérito deve ser concluído em 30 dias.

Tratamento inédito em Santa Catarina devolve 100% da capacidade auditiva a jovem de Blumenau

Vivian Herkenhoff, uma jovem de 21 anos, que nasceu com deficiência auditiva, voltou a ouvir perfeitamente na tarde desta sexta-feira, em Florianópolis. Ela passou por um tratamento inédito em Santa Catarina. A estudante nasceu sem o canal por onde o som passa até o cérebro. Ele escutava apenas ruídos baixos e precisava fazer leitura labial para compreender que as pessoas falavam. Agora, após o procedimento, a jovem tem 100% da capacidade de audição. Para voltar a ouvir, primeiramente ela passou por uma cirurgia em janeiro, na qual foi implantado um pino atrás da orelha. O implante transporta o som direto para as células auditivas no cérebro, que no caso dela estão normais. Na segunda etapa do tratamento, que ocorreu nesta sexta-feira, Vivian recebeu o aparelho que faz a captação dos sons. Há dois anos o procedimento foi regulamentado no Brasil.

Carajás e Tapajós podem ser os novos Estados do Brasil

A Câmara dos Deputados está na iminência de permitir a criação de mais dois Estados no País. Carajás e Tapajós podem surgir retirando a região sul e sudeste do Pará e a divisa do Estado com o Amazonas. Na noite da última quarta-feira, deputados aprovaram requerimento para votar em regime de urgência os dois projetos para haver plebiscito nos municípios envolvidos, passo decisivo no processo de formação dos Estados. A decisão dos parlamentares sinaliza para aprovação dos projetos. Pelas regras na Câmara dos Deputados, é mais difícil conseguir o regime de urgência do que aprovar esse tipo de projeto, com maioria simples e sem exigência de registro de votos. Os projetos de decreto legislativo, já aprovados pelos senadores, podem entrar na pauta ainda em abril. Concluída a votação na Câmara dos Deputados, serão promulgados, sem necessidade de sanção do presidente da República. E os plebiscitos devem ocorrer em 2011. Se o resultado da consulta popular for positiva, um projeto de lei complementar terá de ser votado para disciplinar a forma de criação dos Estados. A votação na quarta-feira passada foi apertada e os projetos passaram quase no limite de votos.

Pilotos do jatinho Legacy podem perder brevê

Os pilotos norte-americanos Joseph Lepore e Jan Paladino, que estavam no comando do jatinho Legacy que colidiu com um Boeing da Gol, provocando sua queda e a morte de 154 pessoas, em 2006, podem ter seus brevês cassados pela Federal Administration Aviation (FAA), a agência de aviação dos Estados Unidos. O pedido de cassação foi feito por uma comitiva brasileira que está em Washington, em busca de punição para os pilotos. A FAA pediu o prazo de uma semana para que o governo norte-americano se pronuncie sobre o pedido entregue pelos deputados federais Milton Monti (PR-SP) e Jaime Martins (PR-MG). Segundo a assessoria da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo 1907, dirigentes da FAA alegam falta de evidências para a punição dos pilotos do jato que provocou o acidente. O vice-presidente da FAA, James W. Whintlow, e o representante do Departamento de Estado Americano, Stephen J. Posivak, afirmaram que vão trabalhar com base nos dados apontados no laudo entregue pela comitiva brasileira, que tem a chancela do Ministério Público Federal do Brasil. O documento foi entregue também a cinco deputados norte-americanos. Lepore e Paladino pilotavam o jato executivo Legacy no dia 29 de setembro de 2006, quando a aeronave, que tinha acabado de sair dos hangares da Embraer, rumava para os Estados Unidos e colidiu com o Boeing da Gol provocando danos que acarretaram a desestabilização e a queda do avião.