segunda-feira, 14 de junho de 2010

Lula inaugura obra com militantes gritando por Dilma Rousseff

O presidente Lula encerrou seu discurso na inauguração de obras nesta segunda-feira, em Uberlândia (MG), com a militância petista gritando o nome de Dilma Rousseff, candidata à Presidência pelo PT. Durante todo o ato oficial do governo, militantes exibiram três bandeiras com as cores do Brasil e a inscrição "Dilma 13 Presidente". Ao fim do discurso, quando Lula já invocava a vitória da seleção brasileira frente à Coreia do Norte, a petralhada entoou gritos referentes à eleição. Lula encerrou sua fala dizendo: "Eu não posso falar de campanha, eu não posso falar de candidato". E aí já estava falando, não é mesmo? Despediu-se e foi embora com a platéia aos gritos de "Dilma, Dilma, Dilma". Ou seja, ele continua usando os atos oficiais para fazer campanha eleitoral ilegal a favor da petista Dilma.

BNDES conclui em outubro estudo sobre reestruturação da Infraero

O BNDES espera concluir em outubro estudo sobre reestruturação da Infraero, com vistas a preparar a companhia para uma eventual abertura de capital. Segundo o assessor da presidência do BNDES, Licinio Velasco Junior, o estudo leva em conta a configuração atual da Infraero "norteado para deixar a empresa pronta para uma eventual abertura de capital", caso o governo atual ou o próximo se decida por vender ações da estatal no mercado. O governo Lula levou oito anos e não tomou nenhuma medida com respeito aos aeroportos no País, além de ter gerado um enorme apagão aéreo.A abertura do capital da Infraero, vista como forma de melhorar a gestão e eficiência dos aeroportos do Brasil, entretanto, só poderia ocorrer num prazo de dois anos após a conclusão do levantamento, frisou Velasco, diante da série de etapas necessárias para adequar a Infraero a nova governança. Entre as mudanças está prover a estatal de condições de fazer investimentos no sistema aeroportuário do país. Atualmente, os recursos para investimentos decorrem de aportes do Tesouro Nacional. Segundo um levantamento separado da consultoria McKinsey, financiado pelo BNDES, a Infraero tem investido cerca de R$ 600 milhões por ano e essa necessidade de capital precisa ser triplicada para os próximos anos para adequar os aeroportos do País a um fluxo de passageiros que deverá crescer em média 5% ao ano nos próximos 20 anos.

Banco JBS vê espaço para dobrar empréstimos até 2012

Às vésperas de completar dois anos em julho, ainda com uma base pequena de clientes, o Banco JBS avalia que, com folga, dobrará os empréstimos aos seus fornecedores até 2012, afirmou o presidente da instituição nesta segunda-feira. Controlado pelo maior frigorífico de bovinos do mundo, o banco tem atualmente uma carteira de cerca de R$ 230 milhões, já tendo mais que duplicado seus empréstimos na comparação com 2009 (R$ 86 milhões). Para 2011, a instituição quer emprestar R$ 350 milhões, e para 2012, o objetivo é chegar a R$ 450 milhões, segundo o presidente do Banco JBS, Emerson Loureiro. "São planos realistas. Temos um número ainda bastante reduzido de clientes, a proposta do banco é financiar os fornecedores de insumos do frigorífico, que abate o equivalente a R$ 7 bilhões de reais por ano no Brasil", declarou Loureiro, referindo-se ao valor aproximado da matéria-prima adquirida pelo grupo. O banco, que só faz operações com pecuaristas que se comprometem a abater no JBS, aposta no forte fluxo da empresa, que compra cerca de 600 mil cabeças de gado por mês no País, ressaltou o executivo. Ele observou que o "grande filão" do banco é a compra de CPR (Cédula de Produto Rural), emitida pelo criador para assegurar a antecipação de recursos. O pagamento dos empréstimos é feito depois com o próprio boi entregue ao JBS. "Eles emitem e nós compramos, a gente julga que o setor bancário tem uma grande dificuldade de alocar risco no setor, o agronegócio é misturado com a pecuária e agricultura, e bancos se sentem mais seguros em financiar os grãos do que efetivamente os frigoríficos", explicou: '"Então atuamos em um nicho que é mal compreendido, e acreditamos ter o conhecimento para atuar no setor".

TSE nega pedido contra Lula e Dilma por propaganda em evento da Força Sindical

O ministro auxiliar Joelson Dias, do Tribunal Superior Eleitoral, julgou improcedente a representação do DEM contra o presidente Lula e a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, por propaganda eleitoral antecipada. Para ele, não há prova de que houve propaganda para Dilma em evento organizado pela Força Sindical, no dia 1º de maio, em São Paulo. O ministro Joelson Dias foi indicado para o cargo por Erenice Guerra, atual ministra chefe da Casa Civil, responsável pela elaboração de dossiê contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a ex-primeira dama Ruth Cardoso. Ao menos o ministro auxiliar deveria ter o cuidado de se declarar impedido de examinar esses processos envolvendo o PT, Lula e a candidata petista Dilma Rousseff. A representação pedia multa também para a central sindical pelega e para o presidente da entidade, deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT). Na decisão, o ministro auxiliar Joelson Dias (amigo de Erenice Guerra) afirma que não verificou nos trechos do discurso de Lula, mencionados pelo DEM, qualquer pedido de votos para Dilma. Segundo ele, o discurso mostrava apenas uma opinião ou sentimento de Lula sobre sua própria trajetória. No caso, a Procuradoria Geral Eleitoral havia recomendando a aplicação da multa, que varia de R$ 5.000,00 a R$ 25 mil. O partido irá agora recorrer ao Plenário do Tribunal Superior Eleitoral.

Estados Unidos revelam existência de reserva mineral estimada em R$ 1,8 trilhão no Afeganistão

As reservas minerais inexploradas descobertas pelos Esstados Unidos no Afeganistão podem valer mais de US$ 1 trilhão (R$ 1,8 trilhão), disse o Pentágono nesta segunda-feira. A descoberta pode alterar a economia do país e contribuir com os esforços dos Estados Unidos para fortalecer o governo afegão. O coronel David Lapan, porta-voz do Pentágono, disse que uma força-tarefa encarregada de estudar os recursos do país descobriu jazidas significativas de cobre, ferro, ouro, mercúrio, enxofre, cromo, talco-magnesita e carbonato de potássio, além da presença de fluorita, berílio e lítio, entre outros. "É certamente uma boa notícia em potencial, especialmente para o Afeganistão", disse Lapan. "Se pudermos assistir os afegãos no desenvolvimento desses recursos, isso certamente tem potencial para agregar muito à economia deles". Mas especialistas alertam que superar os desafios na exploração desses recursos é algo que pode levar décadas. O país tem pouca infraestrutura, está imerso em uma guerra violenta e tem autoridades totalmente corruptas. A riqueza mineral está espalhada por todo o país, inclusive no sul e no leste, regiões onde a presença da guerrilha Taleban é mais intensa. A força-tarefa que avaliou os recursos minerais afegãos foi composta por membros do Pentágono, do Departamento de Estado e do Departamento de Pesquisas Geológicas dos Estados Unidos, em conjunto com funcionários do ministério afegão das Minas. O trabalho foi parte de um esforço mais amplo para identificar o potencial econômico do Iraque e do Afeganistão, e ajudar os respectivos governos a atrair investimentos para desenvolver seus recursos. Lapan disse que esse trabalho é parte da "estratégia de contrainsurgência": "Esse é o braço econômico do qual falamos, mas que recebe pouquíssima atenção". A análise sobre o Afeganistão abordou todos os setores, dos recursos minerais à produção agrícola e à fabricação de tapetes e outros itens. A força tarefa de avaliação econômica existe desde 2006, inicialmente com mais foco no Iraque. Duas firmas chinesas já decidiram investir US$ 4 bilhões (R$ 7,2 bilhões) na enorme mina de cobre de Aynak, maior investimento civil já feito no país.

Venezuela assume controle de banco inventando problemas de liquidez

Autoridades da Venezuela assumiram o controle do Banco Federal, instituição de médio porte, inventando problemas de liquidez, disse um ministro do país nesta segunda-feira, vários meses após a nacionalização de uma série de bancos. Os clientes tiveram acesso limitado a seus depósitos nesta segunda-feira e agora todas as operações serão congeladas. Um dos donos do Banco Federal é também um dos diretores do canal de TV Globovision, opositor do governo. O Banco Federal é o oitavo da Venezuela, em volume de depósitos. Ao final de 2009 possuía 152 agências em todo o país e 2.982 empregados, além de lista de clientes próxima de 300 mil pessoas. "Depois de um período de testes, decidimos intervir na instituição", explicou Humberto Ortega Díaz, ministro do setor. Nelson Mezerhane, presidente do Federal, mostrou-se "surpreendido" pela decisão do governo, atribuindo-a a motivações políticas, vinculadas a seu posto no canal de televisão, e não puramente econômicas. "Aqui está a fatura de onde deveríamos chegar e chegamos. Ontem, o presidente havia dito, 'Guerra de assalto aos bancos', e hoje, vocês podem comprovar. Missão cumprida. Dito e feito", denunciou ele. "Isto é arbitrariedade, grosseria e falta de respeito. Quem não estiver de acordo com as loucuras do governo terá que pagar este tipo de preço", acrescentou, assegurando que há meses vem se sentindo "asfixiado" pelo Executivo. A ditadura de Hugo Chavez controla hoje mais de 26% do setor bancário.

Brasil vai assinar acordo com Peru na área de energia

O governo brasileiro deverá assinar na quarta-feira um acordo com o Peru que possibilitará ao Brasil receber parte da energia produzida no país andino. Para que isso aconteça, restam apenas alguns detalhes a serem acertados com as equipes técnicas dos dois governos. A assinatura do acordo deverá ocorrer durante encontro em Manaus, quarta-feira, entre o presidente Lula e seu colega peruano, Alan Garcia. O documento irá estabelecer regras para que o Brasil possa participar de projetos de hidrelétricas no Peru e para que possa receber parte da energia excedente.

Justiça manda Fernando Morais indenizar e corrigir livro em que caluniava Caiado

O juiz Ricardo Teixeira Lemos, da 7ª Vara Cível de Goiânia, condenou o publicitário Gabriel Zillmeister, a Editora Planeta e o jornalista Fernando Morais por danos morais cometidos contra o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO). Em 2005, a editora publicou o livro "Na Toca dos Leões", que conta a história da agência W/Brasil, no qual Fernando Morais relatou um suposto diálogo de Ronaldo Caiado com Zillmeister. Na ocasião, escreveu que o parlamentar goiano teria dito na campanha presidencial de 1989 ao publicitário que poderia esterilizar as nordestinas por meio de uma substância química. Na época, Ronaldo Caiado negou e afirmou ter sido vítima de perseguição, mentira e calúnia. A editora terá que corrigir a falsa informação na atual edição do livro e nas demais que forem publicadas. Disse Ronaldo Caiado, agora desagravado judicialmente, cinco anos depois: "Sou contra qualquer tipo de censura. Fiz questão de não pedir proibição do livro 'Na Toca dos Leões'. Apenas a correção e a verdade dos fatos. A única reivindicação que faço é que a responsabilidade não deve ser deixada de lado. Imprensa boa é imprensa livre". Ronaldo Caiado considerou o processo bem fundamentado: "O juiz ouviu todos os lados, foi consistente, como qualquer um pode conferir no Tribunal de Justiça". Os processos 200500923773, 200500625390 e 200500759973 podem ser consultados no site www.tjgo.jus.br. A Planeta e Zillmeister foram condenados ainda a pagar R$ 1 milhão por danos morais. Ao jornalista Fernando Morais corresponde pagar R$ 500 mil ao deputado federal Ronaldo Caiado como indenização pelas ofensas. Fernando Morais, quando trabalhava no Jornal da Tarde, do grupo O Estado de S. Paulo, era conhecido na redação e tratado por seus colegas como Fernando B. Advinhe o que queria dizer. Ele é um esquerdóide adorador de ditador genocida, o coma(ndante) cubano Fidel Castro, ao qual dedicou um livro, chamado "A Ilha". Também é amigo do mensaleiro petista José Dirceu, deputado federal cassado por corrupção, chefe da "Quadrilha dos 40" (conforme o Ministério Público Federal), sobre o qual pretendia escrever uma biografia. A qual nunca sairá, parece, por razões óbvias.

Deputado agride equipe do "CQC" após assinar pedido de "Bolsa Cachaça"

O deputado federal Nelson Trad (PMDB-MS) agrediu uma equipe do "CQC", da Band, dentro do Congresso Nacional. A equipe não registrou boletim de ocorrência, mas as imagens irão ao ar nesta segunda-feira à noite, na Band. Um cinegrafista da emissora ficou com a roupa rasgada e teve parte do equipamento danificado. A repórter Monica Iozzi também chegou a ser empurrada. O fato ocorreu na última quarta-feira, após o deputado ser abordado pela equipe, que fazia uma reportagem sobre abaixo-assinados no Congresso Nacional. Eles colocaram uma moça para recolher assinaturas de congressistas, que assinavam o protesto sem se certificar do que estavam assinando. Trad assinou um abaixo assinado que pedia a inclusão de um litro de cachaça no Bolsa Família. Ao ser informado pela sobre o que assinara, o deputado se exaltou e xingou a equipe.

Emotivo encontro dos militares colombianos resgatados com suas familias

O general Luis Mendieta, o coronel Enrique Murillo, o sargento Arbey Delgado e o tenente William Donato chegaram nesta segunda-feira à base militar de Catam, en Bogotá, onde foram recebidos comflores e abraços emocionados de seus familiares. Eles chegaram acorrentados, porque não foi possível até aquele momento remover as correntes com que eram mantidos presos no cativeiro das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização comunista terrorista e traficante de cocaína). Conforme os médicos, os quatro libertados estão em boas condições de saúde e ainda nesta segunda-feira serão levados ao hospital militar e à polícia, em Bogotá, para os exames de praxe. Os familiares se abraçaram emocionados aos libertados, que foram recebidos como heróis. "Nosso heróis chegaram, com as correntes da tortura, mas com o coração pleno de liberdade", disse o ministro da Defesa, Gabriel Silva. Ele destacou o heroismo dos libertados para suportar o sequestro tão longo. O general Mendieta agradeu ao presidente Alvaro Uribe por sua libertação, e também à alta cúpula militar. O general Mendieta informou que há 16 meses não tinham acesso ao radio. O sargento José Arbey Delgado disse que quando chegaram os 300 homens da operação de resgate, os terroristas comunistas e traficantes de cocaína saíram correndo e deixaram suas armas. O tenente William Donato comentou que eles haviam esperado 12 anos para voltar à liberdade e que o Exército conseguiu uma libertação limpa e transparente. "Me resta muito tempo para seguir lutando e ver o país em paz", disse ele. E ainda acrescentou: "Buscar uma saída não se faz com bombas ou massacrando, tomar que as Farc liberem todos os sequestrados". O coronel Enrique Murillo agradeceu a solidariedade que houve com sua família e exclamou: "Viva o Exército Nacional". Após o reencontro com seus familiares, os resgatados chegaram na caravana da liberdade até a sede da Polícia, onde o general Mendieta foram homenageados e o general teve celebrado os 53 anos. O comandante do Exército Nacional colombiano, general Óscar González, declarou-se satisfeito com o resultado da Operação Camaleão: Estamos felizes, tomara que todos os colombianos possam sentir esta sensação. Este é um Exército triunfador". Ainda na base aérea de Catam, o general havia comentado: "Foi uma operação minuciosa, uma operação especializada. Cada vez que estou frente a frente com os homens da inteligência do Exército, eles me surpreendem por sua criatividade. Confio cegamente neles, no que me propõem realizar. Eles sabem onde querem chegar". O general revelou que, uma vez finalizada a missão de resgate, foi iniciada uma operação de inspeção na zona. "Os soldados estavam primeiro protegendo as pessoas sequestradas. Agora estão fazendo um levantamento na área. Não sabemos o que vamos encontrar nesse campo de combate", acrescentou ele. O general Freddy Padilla de León, comandante das Forças Militares, informou que foram 300 homens do Exército que realizaram um cerco aos 40 comunistas terroristas e traficantes de cocaína. "Houve combate, e os sequestrados se separaram, uns por um lado, e William Donato para outro lado. Os combates ocorreram no lugar conhecido como Salto Del Angels, a meia hora de Calamar", informou o general. Ele acrescentou que estão em preparação outras operações comandadas pela inteligência militar. O general Freddy Padilla de Leon precisou que o tenente coronel William Donato foi encontrado na manhã desta segunda-feira, às 7h15: "Nós passamos a noite lançando foguetes de bengala, para que a luz dos mesmos o tranquilizasse que permanecíamos na área e iríamos resgatá-lo". O presidente Alvaro Uribe programou um comunicado à Nação, por televisão, às 19 horas, acompanhado pelos militares resgatados, para celebrar o sucesso de sua administração no combate ao terrorismo e nacotráfico das Farc.

Exército colombiano localiza coronel sequestrado pelas Farc

O Exército colombiano localizou nesta segunda-feira o coronel William Donato, que fugiu da região das operações na qual no domingo foram resgatados um general, um coronel e um sargento que estavam em poder das Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc, organização comunista terrorista e traficante de cocaína) nas selvas do departamento de Guaviare (no sul). "Acabaram de confirmar que ele foi resgatado", informou o pai de William, Tiberio Donato. William Donato Gómez foi sequestrado pelos comunistas terroristas e traficantes de cocaína das as Farc em 1998, em um ataque dos rebeldes a uma base antinarcóticos da Polícia em Miraflores (Guaviare).

Tuma Júnior é exonerado do cargo de secretário nacional de Justiça

O secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, suspeito de envolvimento com o chinês Li Kwok Kwen, o Paulo Li, acusado de contrabando, foi exonerado do cargo nesta segunda-feira. Ele estava de férias e retornando ao trabalho. Segundo o Ministério da Justiça, estando fora do cargo, Tuma Júnior poderá melhor promover sua defesa no caso. O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, encaminhou nesta segunda-feira ao Planalto o ato de exoneração. Tuma Júnior responde a três procedimentos investigativos junto à Comissão de Ética da Presidência da República, junto ao próprio ministério e à Polícia Federal. Investigação da Polícia Federal mostra que há suspeitas de que o secretário ajudou Paulo Li a regularizar a situação de imigrantes ilegais e interveio para liberar mercadoria apreendida. Nas gravações, Tuma Jr. trata da compra de um celular e de videogame. Li foi assessor de Tuma Jr. quando ele era deputado estadual. A prisão do chinês e de mais 15 pessoas ocorreu em setembro de 2009, após a Polícia Federal deflagrar as operações Wei Jin (em chinês, trazer mercadoria proibida) e Linha Cruzada. Juntas, as duas operações tinham o objetivo de combater o contrabando de mercadorias e o vazamento de informações sigilosas, desarticulando uma quadrilha especializada no contrabando de celulares falsificados chineses. De acordo com a Polícia Federal, além de Paulo Li, a organização era integrada por despachantes aduaneiros, lojistas, gráficos, um ex-oficial do Exército Brasileiro e até mesmo um ex-membro do Serviço Secreto do Chile. Na época, a Polícia Federal acusou “um conhecido mestre de Kung fu” de ser um importante membro do grupo, responsável por movimentar mais de R$ 1 milhão mensais revendendo os aparelhos que recebia da China. Além de ter sido instrutor de Kung fu de Tuma Júnior, Paulo Li deu aulas na superintendência paulista da Polícia Federal quando o pai do secretário, o atual senador Romeu Tuma (PTB-SP), era superintendente do órgão.

Rescatados Mendieta, Murillo y Delgado serán trasladados a Bogotá este lunes

Cuando el dolor por 11 años y siete meses de secuestro ya sumía a la familia Mendienta en la desesperanza y la rabia contra las Farc y el Gobierno y empezaban a vivir un cumpleaños más del general en cautiverio, sucedió el milagro que devolvió la libertad. Mientras en la noche del sábado María Teresa Paredes y Jenny Mendieta, esposa e hija del general Luis Herlindo Mendieta, disimulaban su tristeza enviando mensajes de aliento y felicitaciones por radio al oficial cautivo en su cumpleaños 53, unos 300 hombres de las Fuerzas Especiales del Ejército se alistaban para internarse en las selvas de Guaviare. Como si fuera una premonición de lo que sucedería horas después, Jenny Mendienta le envió a través del programa Las voces del Secuestro un mensaje alentador: "Papi, es muy poco el espacio que nos queda para reencontrarnos". Su deseo se cumplió rápido. En la madrugada de ayer las tropas desembarcaron en un paraje selvático del sur de la población de Calamar, cerca al nacimiento del río Inírida. Así empezó la operación "Camaleón", ejecutada por militares de la Fuerza de Tarea Conjunta Omega. Según reveló anoche en rueda de prensa el ministro de Defensa, Gabriel Silva Luján, la información recogida por inteligencia militar durante los últimos seis meses logró ubicar a un grupo de policías y militares en poder de una cuadrilla del séptimo frente de las Farc en esa zona del oriente de Guaviare. En la mañana de ayer las tropas ubicaron a los secuestrados y se presentó un combate con unos 40 guerrilleros que custodiaban a los uniformados secuestrados. El general Luis Herlindo Mendieta y el coronel Luis Enrique Murillo, secuestrados en noviembre de 1998 en la toma de las Farc a Mitú, lograron escapar y fueron los primeros en sentir cerca la libertad al ponerse a salvo con las tropas. Al medio día el presidente Álvaro Uribe dio a conocer la sorpresiva noticia: "Nuestras Fuerzas Armadas acaban de rescatar al señor general Mendieta y al señor coronel Murillo. Se está combatiendo en la selvas del Guaviare para sacarlos de allá ilesos", dijo el mandatario durante el consejo comunal en Quibdó. Mientras la noticia le daba la vuelta al mundo y las familias de los dos oficiales rescatados celebraban por el fin de 11 años y medio de pesadillas, en Guaviare continuaban las operaciones militares para rescatar a otro secuestrado. La búsqueda dio resultado. El sargento del Ejército Arbey Delgado Argote fue encontrado escondido en la selva. Sin revelar detalles del operativo militar, el ministro de Defensa destacó el profesionalismo del Ejército. "Fue una operación impecable de Fuerzas Especiales con 300 hombres, que lograron, sin ninguna baja y sin poner en riesgo la vida de los secuestrados, devolvernos nuestros hombres". Silva Luján precisó que fue una operación del Ejército colombiano, sin ayuda extranjera. También informó que las tropas buscan en la misma zona al teniente coronel del Ejército, Willian Donato Gómez, quien se encontraba con Mendieta y Murillo y huyó del lugar cuando las tropas iniciaron el asalto contra los guerrilleros. "Tenemos la inmensa esperanza de que se encuentre escondido como el sargento y lo encontremos en las próximas horas", aseguró Silva. Insistió en que "la Seguridad Democrática es el camino correcto para devolver a todos los colombianos la libertad" y eso evidencia "la alta moral" de la Fuerza Pública. El ansiado reencuentro de los tres oficiales rescatados con sus familias se postergó para este lunes. Por la topografía no fueron sacados de la zona de las operaciones y permanecieron anoche custodiados por los 300 militares que participaron de la operación "Camaleón". En la mañana de este domingo el general Mendieta, el coronel Murillo y el sargento Delgado serán traslados a Bogotá para reunirse con sus familiares. Según Mindefensa, "llegarán para ser atendidos como héroes, que es lo que se merecen, tendremos una fiesta. ¡Bienvenidos a casa!".