sexta-feira, 18 de junho de 2010

José Serra critica política econômica de Lula

O presidenciável tucano José Serra criticou na noite desta quinta-feira, para uma platéia de jovens empresários, em Teresina, a política econômica do governo Lula. Em discurso, ele disse que o Brasil tem a maior taxa de juros reais do mundo e a maior carga tributária entre os países em desenvolvimento. Segundo o candidato, apesar de hoje a economia brasileira estar bem, "a curto prazo" esse cenário pode mudar. Serra criticou o pouco investimento do governo federal em infraestrutura e a falta de qualificação de mão de obra. Serra citou a hidrelétrica de Belo Monte, a ser construída no Pará, e disse que até agora a usina tem sido uma "confusão". "Não se sabe bem o custo e não se resolveu direito a questão ambiental": "Essas coisa exigem planejamento. E isso não existe". José Serra também disse que, nas obras, o governo deveria respeitar a legislação e a fiscalização, "em vez de ficar xingando o Ministério Público e o Tribunal de Contas". A afirmação foi uma alfinetada no presidente Lula. Neste ano, o presidente bolivariano Lula diversas vezes criticou publicamente o Tribunal de Contas da União, que mandou parar importantes obras de sua gestão sob a suspeita de irregularidades. Outro ponto que compromete o desenvolvimento do país, segundo Serra, é o loteamento de cargos promovido pelo PT. O evento, denominado 3º Líder Nordeste, custou mais de R$ 100 mil e teve patrocínio da Caixa Econômica Federal. As candidatas ao Planalto Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV) também foram convidadas para participar como palestrantes, mas não foram.

Ditador Chávez vai pedir destituição de relator da ONU para liberdade de expressão

O governo do ditador Hugo Chávez vai pedir à ONU que destitua o relator especial da ONU para a liberdade de expressão, Frank de La Rue, por "interferência nos assuntos internos" da Venezuela, informou nesta quinta-feira o embaixador da Venezuela nas Nações Unidas, Jorge Valero. De La Rue "incorreu em uma inaceitável interferência nos assuntos internos da Venezuela" ao pedir a suspensão "dos procedimentos jurídicos" contra Guillermo Zuloaga, presidente da rede de televisão Globovisión. Segundo Valero, nesta sexta-feira será enviada "uma comunicação oficial ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, exigindo a destituição" de La Rue, de origem guatemalteca. "Este caso não compete" ao relator De La Rue "porque a investigação sobre Zuloaga não é ligada aos meios de comunicação...". O presidente da Globovisión responde a vários processos, mas a ordem de prisão está ligada à ação aberta contra Zuloaga em 2009, envolvendo 24 veículos mantidos de "forma irregular" na residência do empresário. Em março passado, Guillermo Zuloaga foi acusado por divulgar informação falsa e ofender o presidente Chávez em declarações públicas. O ditador bolivariano Chavez já praticamente acabou com o a imprensa e o judiciário no seu país.

Empresas estrangeiras se afastam do Irã por causa das sanções decretadas pela ONU

Um número cada vez maior de empresas da área petrolífera, companhias de importação e exportação, e outras firmas internacionais, pararam de fazer negócios com o Irã este ano em meio à pressão dos Estados Unidos para isolar Teerã e aos esforços internacionais para impor sanções mais duras ao país persa. A empresa italiana de petróleo e gás Eni está entregando as operações do campo de petróleo de Darkhovin, no Irã, a parceiros locais para evitar sanções americanas, disse a Eni a autoridades dos Estados Unidos em 29 de abril. A Eni, presente no Irã desde 1957, disse que tinha apenas atividades residuais ligadas a contratos de recompra datados de 2000 e 2001. A gigante francesa de energia Total vai parar de vender gasolina ao Irã se os Estados Unidos aprovarem a lei que penaliza fornecedores de combustível ao Irã, disse o chefe-executivo da empresa em 26 de abril. A empresa russa de petróleo Lukoil vai interromper as vendas de gasolina ao Irã, disseram fontes da indústria em 7 de abril, após uma decisão similar da Royal Dutch Shell, em março. A Lukoil forneceu entre 250 mil e 500 mil barris de gasolina ao Irã a cada dois meses, dizem negociadores. A malasiana Petronas parou o fornecimento de gasolina ao Irã, disse um porta-voz da empresa em 15 de abril. A Petronas mandou o último carregamento de gasolina ao porto de Bandar Abbas, no Irã, em 4 ou 5 de março, disseram fontes da indústria. A fabricante de carros de luxo Daimler anunciou planos, em 14 de abril, de vender seus 30% de participação em uma fabricante iraniana de motor e de congelar as exportações programadas de carros e caminhões ao Irã. O anúncio se seguiu a uma decisão similar das seguradoras alemãs Munich Re e Allianz. A maior refinadora privada da Índia, Reliance Industries, não vai renovar um contrato para importar petróleo cru do Irã para o ano financeiro de 2010, disseram em 1º de abril duas fontes próximas ao acordo. As empresas de negociação de petróleo Trafigura e Vitol estão encerrando as vendas de gasolina ao Irã, disseram fontes da indústria em 8 de março. A Ingersoll-Rand Plc, fabricante de compressores de ar e de sistemas de resfriamento para prédios e transportes, disse que não vai mais permitir que suas subsidiárias vendam partes ou produtos a Teerã. A empresa de serviços no ramo de petróleo Smith International disse em 1º de março que estava ativamente buscando o encerramento de todas as suas atividades no Irã. A Caterpillar, maior fabricante mundial de equipamentos de construção e mineração, disse em 1º de março que tinha endurecido sua política de não fazer negócios com o Irã para evitar que as subsidiárias no Exterior vendam equipamentos a negociadores independentes que os revendem a Teerã.O conglomerado de engenharia alemão Siemens disse em janeiro que não aceitaria mais pedidos do Irã. A Glencore interrompeu o fornecimento de gasolina ao Irã em novembro de 2009, segundo negociadores. A negociadora de commodities, baseada na Suíça, não quis comentar o assunto em janeiro. A fabricante de químicos Huntsman Corp anunciou em janeiro que suas subsidiárias indiretas no exterior iriam parar de vender produtos para terceiras partes no Irã. Gigantes da contabilidade como KPMG, PricewaterhouseCoopers e Ernst & Young se declararam livres de qualquer relação comercial com o Irã. O website do grupo de lobby sediado em Nova York United Against Nuclear Iran traz uma lista com empresas que ainda têm, ou tiveram, negócios com o Irã. A lista inclui empresas que têm laços fortes com o Irã. O Escritório de Contabilidade do governo dos Estados Unidos relatou em abril que 41 empresas estrangeiras estavam envolvidas nos setores de petróleo, gás natural e petroquímico no Irã de 2005 a 2009. Em um novo relatório divulgado na quarta-feira, o órgão disse que sete dessas empresas receberam contratos do governo americano valendo cerca de US$ 880 milhões. As empresas são: Repsol, da Espanha; Total; Daelim Companhia Industrial, da Coréia do Sul; Eni; PTT Exploração e Produção, da Tailândia; Hyundai Indústrias Pesadas, da Coreia do Norte; e GS Engenharia e Construção, da Coréia do Sul. A Gazprom, da Rússia, confirmou em março que estava em negociações com o Irã para desenvolver o campo de petróleo de Azar. O chanceler paquistanês disse em 10 de junho que um projeto de US$ 7,6 milhões para exportar gás natural do Irã ao Paquistão permaneceria intacto após as sanções da ONU.

Na TV, José Serra critica saúde e segurança e diz que manterá Bolsa Família

O PSDB dedicou dez minutos de seu programa partidário à candidatura de José Serra à Presidência. Serra falou durante três minutos do programa, veiculado na noite desta quinta-feira. Comandado pelo jornalista Luiz Gonzalez, o programa começou, logo de cara, com uma declaração do candidato: a promessa de manutenção do Bolsa Família, em uma resposta às insinuações petistas de que daria fim ao programa. "O Bolsa Família deve ser ampliado, fortalecido", disse José Serra. No programa, Serra evitou críticas duras ao governo Lula. Mas afirmou: "A saúde está ruim. A educação precisa melhorar muito. E a segurança, em muitos lugares, está péssima". Ele afirmou: "As drogas são um verdadeiro pesadelo". O PSDB insistiu no jargão de que Serra é o mais preparado. Após ser apresentado como economista e professor, um dos responsáveis pela elaboração do Plano Real e o "melhor ministro da Saúde que o Brasil já teve", Serra afirma: "É preciso saber fazer". No programa, o PSDB investiu na humanização do candidato. Descrito como avô coruja, Serra apareceu com os olhos cheios de lágrima ao falar da neta.

BNDES aprova US$ 746 milhões para construção de navios

A diretoria do BNDES aprovou financiamento equivalente a US$ 745,9 milhões para a CBO (Companhia Brasileira de Offshore). O banco informou que os recursos, têm como objetivo a aquisição de 19 embarcações a serem construídas pelo estaleiro Aliança, em Niterói. O valor total do projeto é de US$ 828,8 milhões. Também foi aprovado financiamento de R$ 69,1 milhões para a Aliança Indústria Naval e Empresa de Navegação modernizar e ampliar o estaleiro de Niterói, além de construir uma fábrica em São Gonçalo para apoio às atividades do estaleiro. Segundo o BNDES, as 19 embarcações, do tipo PSV 3000 e PSV 4500, serão usadas na prestação de serviços de apoio marítimo "offshore", "ou seja: transportarão suprimentos e pessoas entre as bases de apoio em terra e as plataformas de exploração e produção de petróleo no mar", como definiu o banco.

Petrobras estuda acelerar produção na bacia de Campos para fazer caixa

A Petrobras deverá acelerar o desenvolvimento das novas reservas na bacia de Campos com o objetivo de fazer caixa para ser usado na exploração da bacia de Santos, onde estão os campos de Tupi, Iara, Guará e outras áreas consideradas as mais promissoras do pré-sal brasileiro. É o que disse o técnico da estatal Carlos Henrique Dumortout Castro, consultor de negócios da área de relações com investidores da empresa, depois de participar de evento do fundo de pensão Previ, na Bahia. "Nós temos a facilidade de produção na bacia de Campos. A produção pode ser acelerada para fazer caixa, para que se invista no pré-sal. Seria a maneira mais rápida", disse Dumortout. A descoberta mais recente na bacia de Campos ocorreu na semana passada, em Marlim, no pré-sal, em um prospecto identificado como Brava. É a primeira perfuração no campo de Marlim que atingiu o pré-sal, a quase 5 mil metros de profundidade. Outros reservatórios também na bacia de Campos foram encontrados recentemente. Essas novas áreas poderiam entrar em operação, segundo ele, "em menos de dois anos".

TSE decide que Ficha Limpa vale para condenados antes da publicação da lei

Em resposta a consulta feita junto ao Tribunal Superior Eleitoral sobre a validade do Ficha Limpa — se para os condenados por colegiado de juízes (equivalente a segunda instância) a qualquer tempo ou apenas depois da sanção da lei, no começo de junho — o tribunal decidiu pela medida mais restritiva, ou seja, pela validade para todos. Por cinco votos a dois, os ministros concluíram que a sanção da lei pelo presidente Lula, em 4 de junho, não serve como marco para a validade da medida. O relator, ministro Arnaldo Versiani, defendeu desde o início da sessão que não se trata de retroatividade e sim de aplicação da lei conforme aprovada pelo Congresso. Ele citou decisões anteriores do Supremo Tribunal Federal nas quais a inelegibilidade não foi considerada uma pena e, portanto, pode ser aplicada a fatos anteriores à vigência da lei. Nem a emenda de redação incluída pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ), alterando o tempo verbal da lei, modificou o entendimento do ministro: "Considero irrelevante saber o tempo verbal aplicado pelo legislador complementar. Pouco importa o tempo verbal. As novas disposições atingirão a todos que, no momento do registro da candidatura, incidirem em alguma causa de inelegibilidade", disse o ministro.

Governo gaúcho investe R$ 24 milhões para informatização total das escolas estaduais

A partir do segundo semestre deste ano, o governo do Rio Grande do Sul, comandado pela governadora Yeda Crusius (PSDB), dará o primeiro passo para a informatização total das escolas da rede estadual de ensino. O projeto-piloto foi anunciado pelo secretário da Educação, Ervino Deon, durante o Seminário de Tecnologia da Informação na Educação. Com investimento de R$ 24 milhões, até abril de 2010, o governo Yeda Crusius já implementou 1.142 salas de aula digital e, até o final deste ano, a totalidade das escolas estaduais terá este ambiente informatizado. A iniciativa, que será implementada inicialmente em três estabelecimentos de ensino, prevê informatizar toda a gestão escolar, instalar lousas digitais em todas as salas de aula e oferecer notebooks para que os alunos possam utilizá-los nas escolas e em casa para as atividades pedagógicas. "Estamos informatizando nossas escolas para dar acesso aos professores e alunos a novas tecnologias. É necessário aproveitar melhor a estrutura que o Estado tem disponibilizado aos estabelecimentos de ensino", afirmou o secretário Ervino Deon.

Deputado federal petista Paulo Pimenta é multado por propaganda eleitoral antecipada no Rio Grande do Sul

O deputado federal petista Paulo Pimenta (PT-RS), candidato à reeleição, foi multado em R$ 5 mil por propaganda antecipada pelo Tribunal Regional Eleitoral do RS. O motivo da punição foi uma placa no escritório do deputado, na cidade de Santa Maria, com sua foto e endereço eletrônico, acompanhada dos dizeres "Escritório Região Sul - Santa Maria/RS - Deputado Federal Paulo Pimenta - PT - Não espera, Faz Acontecer". Pimenta tentou reverter a decisão, mas seu pedido foi negado pelo TER-RS. O petista Paulo Pimenta ficou famoso durante a CPI dos Correios, quando mergulhou espetacularmente dentro do carro do publicitário mineiro mensaleiro Marcos Valério, na garagem subterrânea do Senado Federal. Na manhã seguinte, desmascarado no Plenário da CPI pelo deputado federal gaúcho Julio Redecker (PSDB), que morreu no desastre do Airbus da TAM no Aeroporto de Gongonhas, Paulo Pimenta começou a ligar no celular de seu colega. As ligações eram para implorar não ser denunciado ao Conselho de Ética da Câmara. Os ligações com os patéticos pedidos foram ouvidas por várias testemunhas, pelo viva voz do celular de Julio Redecker, em pleno saguão do Aeroporto Internacional de Brasília. Esse é o cara....

Executivo-chefe da BP se defende no Congresso americano

Tony Hayward, executivo chefe da petroleira BP, falou durante menos de dez minutos à Comissão de Energia da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos sobre o desastre ambiental do vazamento no golfo do México. "Quando soube da morte de 11 pessoas, fiquei pessoalmente devastado", disse ele: "Fui ao funeral. Só posso imaginar a dor das famílias". Grande porcaria, como se a sua presença no funeral dos mortos da explosão da plataforma marítima Deepwater Horizon varresse toda a culpa da companhia e dele próprio no desastre. Ele dispensou a possibilidade de ser representado por advogado na audiência, mas manteve o direito de consultar um especialista técnico. Ao menos cinco assessores estavam sentados logo atrás de Hayward, que ficou sozinho em uma larga mesa reservada às testemunhas. De aparência abatida, como um se fosse um verdadeiro ator, ele começou a falar em tom tão baixo que teve de ser interrompido pelos deputados para que elevasse a voz. Tony Hayward insistiu em que os esforços de recuperação estão no curso certo e que "até a Guarda Costeira reconhece que montamos a maior operação de contenção e limpeza da história". De novo, grande porcaria, pode ser a maior operação da história, e é, somente porque a companhia produziu o maior desastre ecológico nos mares na área da exploração petrolífera. A sala lotada, com jornalistas ocupando mais da metade das cadeiras e fotógrafos forrando o chão em frente ao executivo, não tirava os olhos de Hayward. Antes disso, porém, uma mulher sentada na última fileira da sala de audiência se levantou e começou a gritar. Com as mãos pintadas de preto, dizia: "Olhe! É assim que estão as pessoas no golfo. Você tem de ser acusado! Tem de ir para a cadeia!" Tony Hayward foi duramente criticado durante a sabatina no Congresso. Representantes apresentaram a lista de gafes cometidas por Hayward, incluindo sua frase "quero minha vida de volta", enquanto milhões de litros de óleo continuavam vazando no golfo do México. As estimativas da quantidade de óleo derramada, inicialmente divulgadas pela BP, também foram criticadas: no início 1.000 barris por dia, depois 5.000, 15 mil e agora cerca de 60 mil, segundo cientistas independentes. Nos primeiros 30 minutos da sabatina, algumas viúvas dos 11 funcionários mortos após a explosão da plataforma Deepwater Horizon também depuseram por meio de uma gravação. Elas pediram que o governo altere as leis de prospecção em águas profundas para evitar que desastres desse tipo ocorram no futuro. Durante todo esse tempo, Hayward se manteve impassível. O executivo-chefe da BP, Tony Hayward, recebeu US$ 4,7 milhões de salário total em 2009, incluindo bônus por performance e outras formas de compensação.

Professora que amordaçou aluno no Distrito Federal vai para delegacia

Um professora de Brasília foi levada à delegacia após por ter amordaçado um aluno dentro de sala de aula na quarta-feira. O menino, de 5 anos, foi amarrado à cadeira com fita adesiva, também usada para fechar a boca da criança. De acordo com a delegada Alessandra Figueiredo, a professora afirmou em depoimento que amordaçou o aluno porque ele estava muito "agitado", conversando com outros colegas. "É um absurdo. Nunca tivemos um caso semelhante", afirmou Alessandra Figueiredo. A professora, de 49 anos, responderá pelos crimes de constrangimento ilegal, maus-tratos e submissão de criança a situação vexatória, e poderá ter pena de até dois anos de detenção. Na quarta-feira, a professora assinou um termo circunstanciado na delegacia e foi liberada. Ela também foi autuada pela Polícia Militar. O caso foi flagrado por uma servente da escola que, ao entrar na sala de aula, viu que a criança tinha a boca tampada com fita adesiva. Ela avisou a vice-diretora do colégio, Márcia de Souza, que desamarrou a garoto. "A professora estava muito arrependida, reconheceu que se excedeu", contou a vice-diretora. Não há nada de excepcional nesse caso. Ele acontece às centenas, todos os dias, nas escolas públicas brasileiras. Milhares de professoras desqualificadas, totalmente despreparadas, estão no serviço público, tratando crianças aos gritos. Se alguém acha que isso é anormal, esconda-se e vá ver o que acontece na Escola Estadual Duque de Caxias, na rua General Caldwell, em Porto Alegre. De acordo com a coordenadora do colégio de Brasília, o aluno tinha "comportamento difícil" na escola e já estava encaminhado para ser atendido por um psicólogo. Essas professoras endoidaram mesmo.... Veja se isso é argumento que se use, dizer que uma criança de cinco anos era problemática, para livrar a cara da sua colega?!!!! Isso é o mais descarado e criminoso corporativismo em ação. Podem apostar: a professora que agrediu o menino não será colocado para fora do serviço público. É mais fácil um tigre sentar na mesa e comer com garfo e faca do que um funcionário público ser demitido por justa causa no Brasil.

Ministério Público pede ao Google que tire do ar blog favorável à petista Dilma Rousseff

O Ministério Público Eleitoral apresentou mais uma ação cautelar no Tribunal Superior Eleitoral pedindo para que o Google retire do ar um blog hospedado no site da empresa. Segundo a ação, o blog promove propaganda eleitoral antecipada em favor da pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff. Além da retirada do site do ar, o Ministério Público pede que o Google informe quem são os responsáveis pelo conteúdo, para que seja possível ingressar com ação para multá-los. De acordo com a ação, o blog enaltece a candidatura de Dilma ao citar, por exemplo, relatório do banco suíço USB no qual se menciona que é significativa a probabilidade da petista ganhar a eleição no primeiro turno, "em razão do desejo do eleitor de manter as coisas como estão e o fato de ela ser associada coma a candidata da continuidade". Além disso, o blog faz propaganda negativa contra o candidato tucano, ao divulgar que "José Serra é o governo do PPP. Privatização, presídio, pedágio e paulada em professores e no movimento social".

Ministério Público entra com três representações contra Serra por propaganda antecipada

O Ministério Público Eleitoral apresentou três representações contra José Serra, candidato do PSDB à Presidência, por propaganda eleitoral antecipada. Na primeira, a procuradoria pede a cassação do programa partidário do DEM no próximo ano e aplicação de multa contra Serra e o partido. O ministro Aldir Passarinho, do Tribunal Superior Eleitoral, é o relator. Na ação, é questionada a participação de Serra na propaganda partidária em rede de rádio e televisão exibida no dia 27 de maio. Segundo o Ministério Público, quase todo o programa foi usado para difundir as propostas e a imagem do candidato tucano. A ação lembra que filiado de outro partido não pode participar da propaganda da legenda. Na segunda, a procuradoria questiona o uso que o PSDB fez das inserções de 30 segundos exibidas esta semana em rádio e televisão. Para os procuradores, a propaganda foi usada apenas para exibir conteúdo eleitoral e não partidário. A representação destaca frases como "vontade de fazer, experiência de vida e o Brasil no coração". Para o Ministério Público, o conteúdo da propaganda é um recado direto ao eleitor de que José Serra é a pessoa ideal para ocupar o cargo de presidente do País. O relator é o ministro Henrique Neves. Na terceira ação, devem ser multados Serra e o DEM da Bahia, de acordo com a procuradoria. O motivo é a propaganda exibida apenas no Estado no dia 19 de maio. O ministro Joelson Dias, ex-sócio em escritório de advocacia com a ministra petista Erenice Guerra (foi ela quem o indicou para o cargo) é o relator.

Suspenso julgamento de ADI sobre representação de trabalhadores em conselho de empresas públicas

Pedido de vista da ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu na tarde desta quinta-feira o julgamento de leis catarinenses que garantem a participação de representante dos empregados no conselho de administração e na diretoria de empresas públicas e sociedades de economia mista, inclusive nas suas subsidiárias. Segundo as normas, a medida é um instrumento de gestão democrática dessas empresas. As leis foram contestadas por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 1229) que ainda não está sendo julgada em definitivo. Por enquanto, os ministros analisam tão somente o pedido liminar feito no processo. Os dispositivos contestados são o inciso II do artigo 14 da Constituição de Santa Catarina e a Lei catarinense 1.178/94. O caso começou a ser julgado em 1995. Na ocasião, o relator da ação, ministro Carlos Velloso (aposentado), votou pela suspensão da lei estadual e para se interpretar o dispositivo da Constituição catarinense no sentido de que ele não valha para empresas públicas e sociedades de economia mista que prestem serviço público. Outro voto no mesmo sentido foi dado em 2007 pelo ministro Sepúlveda Pertence, também aposentado. Na tarde desta quinta-feira o julgamento foi retomado com o voto do ministro Eros Grau, que abriu divergência e se posicionou contra a concessão da liminar.

Sem acordo com PT, fundador do partido no Maranhão volta à greve de fome

Menos de um dia depois de anunciar que suspenderia a greve de fome, Manoel da Conceição, militante histórico do PT, de 75 anos, decidiu voltar ao protesto ao lado do deputado federal Domingos Dutra (PT-MA). A decisão foi tomada porque o acordo com o diretório nacional a respeito do apoio do partido no Maranhão não avançou. Deputados federais petistas tentaram conversar com a cúpula do partido para tentar permitir uma dissidência de Manoel da Conceição e Domingos Dutra. Na prática, eles esperavam que os militantes maranhaenses fossem liberados para defender a candidatura do deputado Flávio Dino (PCdoB) ao governo estadual.

PT do Distrito Federal diz que governador-tampão não tem palavra, após lançamento de candidatura

O presidente do PT do Distrito Federal, Roberto Policarpo, disse que o governador Rogério Rosso (PMDB) "não tem palavra". Rosso quer se lançar candidato do PMDB em detrimento da aliança com o PT local. Segundo Roberto Policarpo, a disputa de Rosso com o presidente local do partido, deputado Tadeu Filipelli, é um "problema do PMDB" que o PT não vai resolver. Filipelli quer ser vice do petista Agnelo Queiroz, numa repetição da aliança nacional de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). "Isso é uma questão interna, um problema do PMDB e cabe a eles decidirem. Mas é lamentável, Rosso assumiu um compromisso público de não ser candidato. Assumir isso e depois romper não pega bem, não ter palavra", disse o presidente do PT distrital. Nesta quinta-feira, Rogério Rosso (PMDB) quebrou sua promessa de não concorrer a nenhum cargo em outubro e se registrou como candidato à reeleição.

Roberto Jefferson diz que PTB também briga pela vice de Serra

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, afirmou nesta quinta-feira que seu partido também está disposto a entrar na briga pela indicação do vice-presidente que vai compor a chapa de José Serra (PSDB) à Presidência. Em seu Twitter, Jefferson disse que não haverá nenhuma imposição do DEM para o posto. Segundo o presidente do PTB, o tesoureiro do partido, Benito Gama, seria um nome ideal para a vaga. "Não nos imporão vice do DEM. Vamos brigar pela vice de Serra. Temos nomes, como Benito Gama, da Bahia", afirmou ele. Além de tesoureiro do PTB, Gama é pré-candidato a deputado federal. Neste sábado, o partido realiza, em São Paulo, sua convenção para oficializar apoio ao tucano. A definição sobre quem será o vice de Serra deve se arrastar até o dia 30 de junho, quando o DEM realiza sua convenção para formalizar a aliança com o tucano.

Brasil suspende retaliação aos Estados Unidos por mais dois anos e meio

O governo bolivariano petista brasileiro decidiu suspender por mais dois anos o processo de retaliação comercial a produtos e propriedade intelectual dos Estados Unidos, diante de um acordo provisório que prevê a diminuição até 2012 dos subsídios ilegais ao algodão. "A decisão posterga até 2012 qualquer retaliação aos Estados Unidos, desde que os termos do acordo-quadro sejam cumpridos", afirmou o secretário-executivo da Camex, Helder Chaves. A lista de sobretaxação de 103 itens fica suspensa até 2012, quando o congresso americano deve revisar a lei agrícola. A retaliação sobre propriedade intelectual também fica suspensa pelo mesmo prazo.

Fundo Soberano vai adquirir 17,5% das ações do Banco do Brasil

O Fundo Soberano do Brasil poderá ficar com 17,5% dos papéis que serão vendidos na nova oferta de ações para capitalizar o Banco do Brasil. Essas ações (62,5 mil papéis) se referem a uma parte do capital que a União tem direto de subscrever para manter sua participação no controle do banco estatal. O Banco do Brasil vai oferecer ao mercado 356,84 milhões de ações ordinárias. De acordo com a demanda, pode haver um lote suplementar de 39,15 milhões, o que reduziria a participação do Fundo Soberano para 15,8%. Os investidores interessados na oferta pública devem fazer seus pedidos de reserva, na corretora de preferência, a partir da próxima segunda-feira. O prazo se esgota no dia 29. No dia seguinte, o Banco do Brasil deve anunciar o rateio desses papéis e o preço por ação.

Previ avalia que rejeição de acionistas a proposta da Oi atrasa sinergia

O presidente da Previ, Ricardo Flores, afirmou nesta quinta-feira, em evento do fundo de pensão na Bahia, que a rejeição da proposta de troca de ações das ações da Brasil Telecom feita pela Oi, na quarta-feira, atrasa os ganhos de sinergia. A proposta foi rejeitada por 70% dos acionistas que compareceram a assembléia para avaliação do tema, porque não concordaram com os termos da relação de troca. A Previ detém participação de 10,4% na Oi. A empresa concluiu no início do ano passado a aquisição da Brasil Telecom, processo iniciado um ano antes. O objetivo da troca de ações é unificar os papéis da Oi na Bolsa. Hoje, existem em negociação no pregão as ações da holding Tele Norte Leste Participações, a Telemar Norte Leste e a Brasil Telecom. É a terceira vez que os controladores da Oi fazem uma oferta aos minoritários para trocar ações e, assim, deixar um único papel em negociação. As duas anteriores foram antes de a Oi adquirir a Brasil Telecom.

Diretor Geral da Polícia Federal afirma que concursos públicos fraudados não serão anulados

O diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, afirmou nesta quinta-feira que nenhum concurso público será cancelado por causa das fraudes envolvendo a quadrilha presa na quarta-feira durante a Operação Tormenta. De acordo com a Polícia Federal, a organização criminosa atuava há 16 anos e fraudava processos seletivos para órgãos públicos. "Os concursos não precisam ser cancelados porque já trouxemos esclarecimento ao Ministério Público, ao juiz competente e todas essas instâncias estão seguras de que afastamos os fraudadores e que as fraudes não afetaram a legalidade do concurso", disse Corrêa, após reunião na sede da OAB em Brasília. Segundo ele, a intenção da Operação Tormenta é justamente apontar as falhas dos processos de seleção dos concursos públicos para que os órgãos competentes repensem o atual modelo. É..... dois anos de governo bolivariano petista levou a isso no País..... está tudo dominado.

Presidente do PT diz que partido vai contratar jornalistas já contratados pela Lanza

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, afirmou nesta quinta-feira que o partido vai assumir a partir de julho a contratação dos jornalistas que trabalham pela Lanza Comunicação na campanha de Dilma Rousseff à Presidência. No começo do mês, após a "crise do dossiê" contra o tucano José Serra, o jornalista Luiz Lanzetta, dono da Lanza, anunciou a rescisão unilateral do contrato com o PT. Apesar da promessa da quebra de contrato, os funcionários e um dos sócios de Lanzetta continuaram atuando na campanha. Segundo Dutra, os servidores da Lanza permaneceram na cobertura porque o salário de junho tinha sido pago pela empresa. O presidente do PT disse que o partido pretende manter a maioria dos assessores contratados via Lanza. A empresa tem contrato com o partido até o próximo dia 30.

Ministro Eros Grau anuncia sua saída antecipada do Supremo Tribunal Federal

O ministro Eros Grau, de 69 anos, informou colegas que esta quinta-feira compareceu à última sessão no plenário do Supremo Tribunal Federal, detonando o processo de sua sucessão. Eros se aposenta oficialmente em 19 de agosto, quando completa 70 anos. Mas, nesta sexta-feira ele já irá para Paris, de onde só deve voltar no mês em que deixará a corte. Segundo ministros e amigos, ele já afirmou que não deve mais participar de julgamentos em colegiado quando voltar. São nítidos os sinais dados pelo próprio Eros de que seu “pôr do sol”, expressão utilizada por ele mesmo, chegou. Na semana passada, por exemplo, ele se despediu da 2ª Turma, quando disse que não iria mais voltar ali. Em curto discurso, disse ser grato pela amizade dos colegas, com quem teve um “convívio de muita lealdade”. Além disso, grande parte dos processos julgados na quarta-feira, assim como os desta quinta-feira, eram de sua relatoria. Ao deixar o Supremo, Eros possibilitará ao presidente Lula sua nona e última indicação à corte. Pelo menos quatro nomes são favoritos para sucedê-lo: o criminalista Arnaldo Malheiros Filho; o presidente do Superior Tribunal de Justiça, Cesar Asfor Rocha; o constitucionalista Luís Roberto Barroso e Luiz Edson Fachin, professor da Universidade Federal do Paraná.

União Européia aprova sanções ao Irã e medidas atingem setor energético

Em reunião em Bruxelas, os líderes da União Européia aprovaram nesta quinta-feira um pacote de sanções unilaterais ao Irã, incluindo medidas que visam o bloqueio a investimentos europeus na indústria energética iraniana, de gás e petróleo, e buscam reduzir a capacidade produtiva destes setores no país, atingindo diretamente a economia da república fascista islâmica. As sanções são consideravelmente mais rígidas do que as aplicadas pelo Conselho de Segurança da ONU no dia 10 de junho, focadas em exercer pressão para conter o programa de enriquecimento de urânio, acusado pelo Ocidente de ter como objetivo a construção de armas atômicas, o que o Irã nega. Após a votação, os chefes de Estado e governo do bloco emitiram declaração conjunta justificando a imposição das novas medidas. "O Conselho Europeu se arrepende profundamente do fato de o Irã não ter aproveitado as diversas oportunidades que foram oferecidas para remover as preocupações da comunidade internacional sobre a natureza de seu programa nuclear", dizia o texto do comunicado. "Sob essas circunstâncias, novas medidas restritivas tornaram-se inevitáveis", conclui o documento. Alguns países manifestaram dúvidas quanto ao rigor das medidas, principalmente a Alemanha, que possui grandes investimentos no setor de gás e petróleo do Irã. A Rússia, que apesar de ter apoiado as sanções da ONU contra o Irã mantém um relacionamento estratégico com Teerã e detém interesses econômicos consideráveis no país, criticou a União Européia e os Estados Unidos por terem aplicado sanções unilaterais em adição às já aprovadas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas. As medidas aprovadas pelos Estados Unidos e pela União Européia atingirão o setor bancário e de seguros, de transportes e logística (incluindo cargas aéreas) e setores-chave para a economia iraniana, como o energético, principalmente a produção de gás e petróleo. O texto das sanções européias indica que as medidas proíbem "novos investimentos, assistência técnica e transferência de tecnologias, equipamento e serviços relacionados a estas áreas, em particular relacionadas ao refinamento, liquefação e tecnologia de gás natural".

Ministério Público denuncia ex-diretor do Ibama por improbidade administrativa

O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou ação de improbidade administrativa contra Flávio Montiel da Rocha, ex-diretor do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Outras três pessoas também foram denunciadas. O grupo é acusado de desviar R$ 42 milhões de um projeto de cooperação internacional estabelecido entre o Ibama e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), entre 2003 e 2009. A parceria tinha como objetivo a transferência ao País de conhecimentos e tecnologias para assegurar a preservação do meio ambiente e a qualidade de vida das populações. Entre as ilegalidades apontadas em auditoria da Controladoria Geral da União estão pagamento de produtos inadequados ou inconclusos; falta de planejamento; descontrole de diárias e passagens; compras superfaturadas e uso de notas frias; simulação e fraude em licitações; ausência de prestação de contas; inexistência de indicadores; e falta de transparência e impessoalidade na seleção de pessoal.