segunda-feira, 21 de junho de 2010

Israel alerta para "violência" se novos navios tentarem chegar a Gaza

O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, advertiu nesta segunda-feira que uma situação de "violência" pode surgir se a nova frota apoiadora do terrorismo do Hamas que se prepara no Líbano tentar romper o bloqueio maritimo israelense à Faixa de Gaza. Para o ministro, é desnecessário tentar levar a ajuda por mar, especialmente depois que, no domingo, foi suavizado o bloqueio a Gaza. "Poderia surgir atrito que leve à violência, o que é totalmente desnecessário e injustificável com a abertura de Gaza", alertou Ehud Barak na saída de uma reunião com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Segundo ele, as autoridades israelenses não podem aceitar que "ninguém navegue diretamente para Gaza". O ministro responsabilizou Beirute pelas embarcações que possam partir da costa libanesa, assim como pelo material transportado. Barak também pediu a ONU que suspenda os planos para uma investigação internacional sobre o ataque da Marinha israelense à frota com ajuda humanitária para Gaza, no dia 31 de maio. "Nosso ponto de vista atual é que enquanto novos navios estiveram rumando para Gaza, é melhor deixar as investigações esperando por algum tempo", disse o ministro.

Lula diz que Mensalão do PT é acusação sem prova de "deputado cassado"

Cinco anos após o maior escândalo de seu governo, o presidente bolivariano Lula disse nesta segunda-feira que não entende como o processo do Mensalão do PT teve continuidade na Justiça. Segundo ele, o caso é baseado em acusação de um deputado federal, Roberto Jefferson (PTB), que foi cassado porque não apresentou provas das denúncias que fez. A declaração foi feita em entrevista à TV Senado que irá ao ar na sexta-feira, às 21h30, no programa "Cidadania". Lula não citou Roberto Jefferson nominalmente e, ao ser questionado sobre a lição que tirou do episódio, defendeu que os responsáveis pelo esquema de compra de votos de congressistas "paguem o que tiverem de pagar". O processo do Mensalão do PT, a ação penal 470, tramita no Supremo Tribunal Federal e tem 39 réus. O principal deles é o ex-ministro da Casa Civil de Lula, o ex-deputado federal petista José Dirceu (cassado por corrupção), apontado pela Procuradoria Geral da Repúblico como chefe da Quadrilha dos 40, o idelizador do esquema corruptor do Mensalão do PT, ao lado do deputado federal petista José Genoíno, ex-presidente do partido, e do tesoureiro Delúbio Soares. A corte rejeitou pedido para tornar Lula réu no caso, o que Roberto Jefferson continua insistindo que venha a acontecer.

Ex-ditador uruguaio depõe sobre caso de sequestro de crianças

O comparecimento perante um juiz do ex-ditador Gregorio Álvarez reavivou nesta segunda-feira no Uruguai o processo aberto pelo sequestro, em 1976, das crianças Anatole e Victoria Julien, filhos de um casal uruguaio desaparecido na Argentina durante a "Operação Condor". Com duas horas e meia de atraso, o ex-ditador de 84 anos chegou em um carro policial ao tribunal, onde entrou caminhando com dificuldade, rodeado de jornalistas e fotógrafos. O ex-chanceler uruguaio Juan Carlos Blanco, citado no mesmo tribunal e no mesmo caso, disse. "Não sei por que fui chamado aqui. Garanto que não tenho nenhuma participação em nenhuma atividade repressiva, nem em decisões, nem em planejamento". Álvarez, comandante do Exército em 1978 e 1979, e governante de 1981 a 1985, está desde 2007 em um presídio construído para militares envolvidos em crimes contra a humanidade. Em outubro passado, foi condenado a 25 anos de prisão pela morte de 37 opositores nos anos em que comandou o Exército. Blanco, que exerceu o cargo de ministro durante a ditadura, foi condenado em abril a 20 anos de prisão pelo desaparecimento, em 1976, da professora uruguaia Elena Quinteros. Esta foi a causa da ruptura de relações diplomáticas com a Venezuela, pois ela foi capturada quando tentava se refugiar na Embaixada desse país em Montevidéu. As crianças Anatole e Victoria Julien foram encontradas em 1979, em Valparaíso (Chile), três anos depois que seus pais, Roger Julien e Victoria Grisolas, foram assassinados em Buenos Aires, mas sua verdadeira identidade só se soube em 1984, com a colaboração da Arquidiocese de São Paulo. Álvarez, Blanco e outros repressores foram processados em seu país apesar da existência da lei de caducidade, aprovada em 1986 e referendada pelos uruguaios em plebiscitos realizados em 1989 e 2009. Esta lei deixa impunes os crimes da ditadura, mas os dois últimos governos deixaram sem efeito essa normativa nos casos relacionados ao desaparecimento ou assassinato de dissidentes uruguaios fora do país ou com destino ao Uruguai. No sábado, o presidente José Mujica, um ex-terrorista tupamaro, pediu a seus compatriotas que digam "nunca mais" aos males sofridos pela sociedade durante a ditadura e que se comprometam com a liberdade, paz e igualdade. Ao chegar ao poder em março passado, Mujica expressou às Forças Armadas sua intenção de deixar para trás o passado, embora também tenha declarado que não existe um "ponto final" para os crimes de Estado. A promotora do caso Julien é Adriana Costa.

Petrobras quer gerar mais energia e pode construir térmicas

A Petrobras poderá dobrar nos próximos cinco anos a sua capacidade de geração de energia elétrica como fornecedora de gás natural e também construindo mais usinas termelétricas, informou a diretora de Gás e Energia da estatal, Graça Foster. Segundo ela, dependendo do preço das tarifas nos próximos leilões promovidos pelo governo, a Petrobras poderá, além de fornecer o gás natural, ficar com 50% de participação nos empreendimentos ofertados. "Podemos entrar como fornecedores de gás ou como geradores, dependendo de como venham os editais da EPE (Empresa de Pesquisa Energética)", disse Graça Foster, grande amiga da candidata petista Dilma Rousseff, referindo-se aos leilões promovidos pela entidade e que oferecem projetos de usinas térmicas e hidrelétricas. "Nosso compromisso com a geração dobra nesse novo plano de negócios, mas a aquisição de ativos vai depender do edital da EPE", reforçou, lembrando que o interesse vai depender da tarifa estipulada para a energia. Atualmente, a empresa já tem uma capacidade de geração de 7 mil megawatts entre termelétricas a gás e fontes renováveis. A área da diretora foi uma das que mais recebeu recursos adicionais na comparação do plano de negócios anterior da Petrobras com o divulgado nesta segunda-feira, saltando de US$ 11,7 bilhões no período de 2009 a 2013 para US$ 17,8 bilhões de 2010 a 2014.

OSX fará três audiências públicas para falar sobre projeto de estaleiro em Biguaçu

A chance de questionar e tirar dúvidas sobre a instalação de um estaleiro em Biguaçu, na Grande Florianópolis, acontecerá em três audiências públicas previstas para os dias 20, 21 e 22 julho. A OSX, empresa que pretende fazer o investimento, foi autorizada pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) a promover o encontro. Conforme um comunicado da OSX, divulgado nesta segunda-feira, as audiências devem acontecer em Biguaçu, Governador Celso Ramos e Florianópolis. Na última semana, depois de estudar o novo relatório encaminhado pela OSX, com informações complementares sobre o a instalação do estaleiro em Biguaçu, o Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio) manteve seu parecer inicial, contrário ao empreendimento. Nesta segunda-feira, a OSX apresenta recurso à ICMBio, em Brasília. A empresa defende que a decisão regional não tem caráter definitivo e não responde tecnicamente aos estudos ambientais apresentados pela empresa. A regional Sul do ICMBio se manifesta contrária à escolha do local em função dos problemas que o empreendimento vai causar para as três unidades de conservação: a Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, Estação Ecológica de Carijós e Reserva Biológica Marinha do Arvoredo.

TCU entrega à Justiça Eleitoral lista com 7.800 políticos que tiveram contas rejeitadas

O Tribunal de Contas da União enumera 7.854 pessoas que poderão ser impedidas de concorrer a um cargo político nas eleições de outubro por terem suas contas rejeitadas pelo tribunal. Os nomes estão em uma lista elaborada pelo tribunal com as pessoas físicas que apresentaram irregularidades no exercício de cargos ou funções públicas nos últimos cinco anos. O número praticamente triplicou em relação à quantidade de declarados inelegíveis pelo Tribunal de Contas da União nas últimas eleições majoritárias, em 2006, quando 2.900 se encontravam nesta situação. Entre 2006 e 2008 o número aumentou pouco, com 3 mil gestores públicos apresentando problemas em suas contas. O presidente do Tribunal de Contas da União, Ubiratan Aguiar, acredita que o número subiu devido a uma maior agilidade do tribunal para julgar. "Até o dia 31 de dezembro deste ano julgaremos todos os processos até 2009 que não estejam em grau de recurso. Isso pode ter colaborado para esse aumento vertiginoso do número de pessoas que podem ficar inelegíveis", afirma ele. Ubiratan Aguiar levou a lista com os 7.854 nomes ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ricardo Lewandowski, na noite desta segunda-feira. Os candidatos que não tiveram contas aprovadas pelo Tribunal de Contas da União têm até o dia 5 de julho para apresentar documentos relativos às contas analisadas pelo tribunal e regularizar suas situações para que possam disputar o pleito.

Organizações terroristas montam navio só de mulheres para afrontar bloqueio de Israel à Faixa de Gaza

Um navio contratado pelo terrorismo islâmico, lotado apenas por ativistas pró-terrorismo islâmico, recebeu autorização do governo do Líbano para partir com destino à faixa de Gaza nesta segunda-feira. A embarcação deve seguir primeiro para Chipre e nos próximos dias se dirigir à Faixa de Gaza. “Recebemos permissão para ir a Chipre e agora estamos no preparando os detalhes finais”, afirmou o sírio de origem palestina Yasser Kashlak, que lidera a organização Movimento Palestina Livre (Free Palestine Movement, uma organização de suporte aos terroristas do Hamas) que lidera a viagem. A marinha de Israel abordou no dia 31 de maio uma flotilha de seis navios lotados de ativistas que pretendiam romper o bloqueio israelense à Faixa de Gaza, dominada pela organização terrorista Hamas. Nove terroristas turcos morreram na operação, após iniciarem violenta surra sobre os primeiros soldados israelenses que desceram no convês do navio. Israel tem o suporte da legislação internacional para abordar navios e impedí-los de afrontar o bloqueio naval que determinou à Faixa de Gaza, conforme o artigo 67 da Convenção Internacional de San Remo. De acordo com informações de um ministro libanês, em um governo dominado pelos terroristas do Hezbollan, o Líbano deu permissão a outra flotilha que deve sair de Tripoli, segunda maior cidade do país, para também tentar afrontar o bloqueio naval da Faixa de Gaza. O ministro dos Transportes do país, Ghazi Aridi, disse que o navio com o nome de “Julia” tem registro francês e está ancorado no porto de Tripoli. A embarcação pode deixar o local a qualquer momento, já que passou por todas as inspeções portuárias. Segundo o ministro libanês Ghazi Aridi, a missão foi nomeada de “Mariam”, em alusão a “Maria”, mãe de Jesus, e deve seguir para o Chipre primeiro. Aridi ressaltou que o governo do Líbano deve assumir total responsabilidade sobre a rota do navio, além de sua carga e das ativistas a bordo, tanto estrangeiras, quanto libanesas. O Líbano, com essa iniciativa, está praticamente fazendo uma declaração de guerra a Israel.

TSE mantém apoio de PT a Roseana Sarney

O pedido de militantes e dirigentes do PT no Maranhão, que pretendiam anular na Justiça a decisão do diretório nacional do partido de apoiar Roseana Sarney (PMDB-MA) na eleição para o governo estadual, foi indeferido pelo ministro Hamilton Carvalhido, do Tribunal Superior Eleitoral, por falta de documentação. Os militantes e dirigentes questionavam a posição do partido e argumentavam que, anteriormente, já havia sido aprovada uma aliança com o PSB e o PCdoB, tendo como candidato o deputado federal Flávio Dino (PCdoB-MA). Segundo o pedido encaminhado ao Tribunal Superior Eleitoral, o diretório nacional "resolveu ignorar deliberação da instância regional e aprovar uma coligação estadual majoritária". O ministro Hamilton Carvalhido explicou a decisão de indeferir o pedido dos petistas maranhenses indicando a falta de documentação necessária. Segundo o ministro, os autores do pedido não anexaram nos autos nem a documentação que comprova a atuação deles como delegados no encontro partidário, nem cópia da resolução questionada. Resultado: isso comprova à exaustão que a medida judicial dos petistas maranhenses era mais um ato do teatrinho deles para fazer de conta que estão contra a decisão do Diretório Nacional.

Pesquisa mostra que quase 50% dos brasileiros estão acima do peso

Pesquisa do Ministério da Saúde realizada nas capitais do País mostra que, em 2009, a proporção de adultos com excesso de peso alcançou quase metade da população: 46,6%. Em 2006, esse percentual era de 42,7%. O aumento é atribuído pelo governo a mudanças no padrão alimentar e ao crescimento do número de pessoas sedentárias. Entre os homens, o percentual de gordos é de 51%, e de 42,3% entre as mulheres. A capital em que o problema é mais grave é Rio Branco (52,2%), seguida por Campo Grande (50,8%) e São Paulo (50,5%). O Distrito Federal tem a melhor posição, com 36,2% das pessoas acima do peso. A obesidade, quadro mais grave do excesso de peso, também cresceu, e já atinge 13,9% dos brasileiros. Em 2006, essa taxa estava em 11,4%. A capital com a pior posição é o Rio de Janeiro, com 17,7% de obesos. São Paulo tem 13,1% e, na melhor posição, está Palmas, com 8,8%. A pesquisa do ministério utilizou o IMC (Índice de Massa Corporal), que é calculado a partir da divisão do peso pela altura elevada ao quadrado. Quando o resultado foi maior do que 25, fica identificado excesso de peso. Quando foi maior do que 30, é classificado como obesidade. A ocorrência do problema está relacionada a fatores genéticos, mas há uma influência significativa do sedentarismo e de padrões alimentares inadequados no decorrer da vida. No sexo masculino, a situação é mais comum a partir dos 35 anos, mas chega a 59,6% em homens entre 55 e 64 anos. Na população feminina, o índice mais que dobra na faixa etária dos 45 aos 54 anos (52,9%) em relação a 18-24 anos (24,9%). Já a prevalência da obesidade entre homens quase triplica do grupo etário de 18 a 24 anos (7,7%) para o de 55 a 64 anos (19,9%). Entre as mulheres mais jovens, na faixa etária de 18 a 24 anos, o índice é de 6,22%, menor que o masculino nessa mesma etapa. Já nas mulheres entre 55 a 64 anos o percentual supera o masculino, ficando em 21,3%.

A ombudsman da Folha mostra a sua cara, e é favorável ao petismo

Há menos de dois meses, quando assumiu o posto de ombudsman do jornal Folha de S. Paulo, o editor de Videversus, jornalista Vitor Vieira, apontou que a nomeação de Suzana Singer era altamente suspeita. Por qual razão? Ora, porque ela se chama Singer, é irmã do jornalista André Singer, petista que foi porta-voz do governo Lula, e filha do petista e fundador do partido Paul Singer, titular de uma secretaria no Ministério da Fome. Ligações familiares mais explícitas é impossível. Logo a seguir, o jornalista Vitor Vieira apontou que a Folha de S. Paulo havia incluído em sua lista de articulistas o matemático Claudio Weber Abramo, membro do mais conhecido clã nacional do petismo, o dos Abramo. Pois bem, neste domingo, Suzana Singer publica artigo no jornal Folha de S. Paulo e o jornalista Reinaldo Azevedo faz uma análise do seu comportamento altamente discutível. Leia o texto a seguir:
"Na Folha deste domingo, a ombudsman, Suzana Singer, escreveu um texto chamado “Equilíbrio em tempos de guerra”, deixando claro o que entende por isenção num jornal. Os profissionais da Folha levam em conta o que diz a obudsman se quiserem. Mas é claro que sua crítica não é irrelevante. Algum efeito provoca. Não custa lembrar que o tucano José Serra será sabatinado hoje pelo jornal, sabatina de que Dilma Rousseff fugiu. Suzana ignorou o assunto. Leio a sua coluna também como uma espécie de patrulha a seus colegas — e, como vocês vão notar, queira ela ou não, uma patrulha anti-Serra. Pode ser uma evidência triste de que ir à sabatina, para um candidato, é mesmo pior do que não ir. Vamos ao vermelho-e-azul?
QUE NINGUÉM se engane com as versões “Dilminha e Serrinha Paz e Amor”. Com os dois presidenciáveis empatados, o clima é de guerra eleitoral, mesmo faltando mais de cem dias para o primeiro turno.
Suzana é tão isenta, mas tão isenta que ela já diz que os dois são culpados sem nem mesmo dizer do quê. Fingem uma bondade que não têm. Isso já deixa claro de saída que são iguais. Como o tema da hora (e do texto) são os dossiês, quem faz e quem não faz dossiê se equiparam. É a isenção que, vocês verão, ela vai cobrar dos jornalistas da Folha. Ah, sim - eu mesmo lembro e peço que vocês não tratem do assunto nos comentários: Suzana é irmã de André Singer, ex-porta-voz de Lula, e filha de Paul Singer, economista historicamente ligado ao PT. Não parto do princípio de que isso influencie o seu texto. Acho que ele estaria errado ainda que ela fosse filha do Seu Zé. Não especulo sobre tais motivações. De resto, relações familiares não determinam escolhas necessariamente. Dito isso, peço que deixem a questão de lado. Afinal, Suzana tem de ser isenta, mesmo que os laços pudessem sugerir que não pareça. Não se deve usar de modo inepto aquela máxima sobre a mulher de César.
Nesse terreno movediço que é uma cobertura eleitoral, não basta ser honesto, é preciso parecer honesto.
Ih, olha a frase aí… Virou pau pra toda obra. Pode ser submetida a derivações. Uma delas é esta: não basta parecer honesto, é preciso ser honesto. O que Suzana está nos dizendo, afinal? Que a cobertura foi, sim, honesta, mas que não pareceu? Não pareceu a quem? Quem é o juiz?
Desde sábado retrasado, a Folha vem batendo forte no partido do presidente. No Dia dos Namorados, o jornal manchetou que dossiê feito pelo PT tem dados sigilosos de um dirigente tucano.
Batendo no “partido do presidente”? Que jeito é esse de escrever? O PT é agora o “P do L?” Existe o “Partido do Lula”. O “sábado retrasado” de Suzana sugere um tempo antiqüíssimo. Sua coluna foi publicada no dia 20, escrita, creio, no dia 19, e o “sábado passado” foi dia 12. Vale dizer: Suzana está falando de um tempo que corresponde a uma semana.
Para quem não seguiu esse noticiário, um resumo rápido: a revista “Veja” revelou que pessoas da campanha petista reuniram-se com arapongas em Brasília. Um deles, um delegado aposentado da Polícia Federal, conta que pediram que levantasse “tudo” sobre José Serra, mas ele teria recusado.
É um resumo pobrezinho. “Pessoas da campanha” quer dizer Luiz Lanzetta, que cuidava da comunicação, subordinado de Fernando Pimentel, diretamente ligado a Dilma. A outra “pessoa” é um empresário que tem negócios milionários com o governo.
Esse grupo de “inteligência” já teria dois dossiês sobre pessoas ligadas ao candidato tucano, um sobre a sua filha. O furo da Folha foi um terceiro conjunto de documentos sobre Eduardo Jorge, vice-presidente-executivo do PSDB. A acusação é mais grave, porque haveria dados fiscais sigilosos do tucano - apenas fazer dossiês não é crime.
Epa! Sim, é mais grave, já escrevi aqui. Mas calma lá! “Apenas fazer dossiê não é crime ” se ficar guardado na gaveta. Se for usado para chantagear, intimidar, espalhar calúnias, é crime, sim! Suzana esqueceu de mencionar em seu resumo anêmico que o tal delegado afirma que lhe pediram para grampear Serra.
A reportagem era toda em “off” (informação de fonte anônima). Só ontem, uma semana depois da manchete, a Folha publicou fac-símiles que comprovariam que os dados vazaram da Receita Federal.
Suzana está se opondo à publicação de “off” ou só se expressou mal? Um repórter que chegou a uma verdade comprovada, sustentada num off, deve amoitar a informação porque ainda não tem “o documento”? Qual é a tese? Suzana já foi secretária de Redação do jornal. Era esse o conselho que dava? O repórter deveria correr o risco de levar um furo à espera dos fac-símiles? E por que ela escreve “provariam”, este futuro do pretérito de quem não leva muita fé?
Nos dois dias seguintes ao furo do dossiê, a manchete foi dedicada às convenções que oficializaram as candidaturas. No domingo: “Governo banca esquadrão de militantes, diz Serra”, com uma foto do ex-governador sorridente, braços para cima, vestindo uma camiseta da seleção brasileira com o número 45. Na segunda-feira: “À sombra de Lula, Dilma promete “alma de mulher’” e uma imagem do presidente discursando e levantando o braço da ex-ministra séria.
Suzana está insistindo na tecla mais acionada pelos petistas — e de uma falsidade escandalosa, como evidenciam reportagens constantes do jornal: a Folha teria viés serrista. Esse é um mantra que a petezada repete na Internet a mais não poder. Conheço petistas, à diferença do que muita gente imagina. Eles se divertem com o que chamam “terror que a gente faz na Folha“. Acreditam que a tática de acusar o jornal de tucano sempre funciona: ele vai fazer de tudo para provar que não é. Suzana claramente cai na conversa — ou se deixa cair, sei lá eu. Pergunta: Dilma faz alguma questão de esconder que esteja à sombra de Lula? Não foi ele quem disse que a cédula terá “uma ausência”, o nome dele, que será preenchido pelo dela? Vejam que coisa: Suzana está listando o que considera desvio serrista ocorrido numa semana. E quais são os fatos que elenca?
- as duas reportagens sobre a quebra do sigilo de um dirigente tucano;
- a comparação de dois títulos.
Ocorre que, com efeito, o sigilo foi quebrado, e os petistas fizeram um dossiê. O que ela pretende?
- que os repórteres descubram um dossiê feito pelos tucanos só para “equilibrar o noticiário”?
- que Serra também discurse à sombra de alguém, embora não haja à sombra de quem?
Ficou desequilibrado: Serra ataca em ritmo de Copa; Dilma é a candidata sem luz própria.
Bem, quanto ao ritmo de Copa, restará aos repórteres fotográficos da Folha, da próxima vez, convidar Serra a tirar a camiseta antes da fotografia. Ou sugerir a Dilma que vista uma. Tudo equilibrado. Dilma não faz questão de ter luz própria, mas Suzana faz questão que ela tenha — ou que o jornal, ao menos, omita a sua luz apenas refletida…
Levando em conta o espírito crítico do noticiário da Folha, a capa sobre Dilma está correta, o erro foi o tom ameno no trato do tucano.
Estou entendendo: ainda que eles sejam diferentes, o “espírito crítico” da Folha deve torná-los iguais.
Na semana que passou, o jornal ainda ressuscitou o petista dos dólares na cueca e acusou um dirigente do PT de desfrutar de benesses diplomáticas no exterior. A campanha tucana passou incólume.
A Folha não “ressuscitou” o petista da cueca, Suzana. O petista da cueca ressuscitou porque recorreu à Justiça para reaver aquele dinheiro. Entendi. Na prática, ela pergunta: cadê a cueca do PSDB? Uma cueca para cada lado — o que não deve ser confundido com piada antiga e asquerosa sobre os dois lados da cueca… E noto: a Folha “não acusou” um petista de desfrutar de benesses diplomáticas. Ele desfrutou de benesses diplomáticas. Pô, é um absurdo! É preciso mobilizar urgentemente a assessoria do Serra. Não é possível que os tucanos tenham passado uma semana sem fazer uma bobagem para equilibrar com os problemas do PT. Suzana não percebe, ou percebe, alguns desdobramentos dessa tese:
1 - se A não fizer nenhuma burrada, então não dá para publicar as burradas de B;
2 - se não se descobrir o crime de A, como noticiar os crimes de B?;
3 - se queremos noticiar os crimes de B, mas não temos os crimes de A, como fazer?
Bem, aí eu temo pela resposta.
PACIÊNCIA
Urge balancear o noticiário político que vinha, até há pouco, equilibrado. Isso não implica, é claro, dar as costas para a notícia, mas cavoucar assuntos dos dois lados.
Ah, a palavra-chave é “cavoucar”. Há um outro primado fabuloso aí. Vamos aplicá-lo. Os petistas fizeram os seus dossiês. O objetivo era prejudicar o PSDB. Mas como noticiar isso sem que pareça partidarismo? “Ora, o negócio é segurar — “ter paciência” — e “cavoucar” coisas contra os tucanos. Mais um corolário: toda vez que o jornalismo descobrir alguma bobagem feita por A, é preciso dar um jeito de prejudicar também B. Ou seja: “Faremos contra B o que A foi incompetente para fazer”. De fato, Suzana, isso até PARECERIA HONESTO a muitos. Mas pergunto: SERIA HONESTO?
E saber esperar, uma arte rara em jornalismo. Nesse vácuo de uma semana em que a Folha não agregou nada de novo ao “caso EJ”, espalhou-se todo tipo de boato, o mais inocente de que o jornal tinha requentado notícia velha.
Nada de novo? A evidência material não é “nada de novo”??? O sujeito da frase “espalhou-se todo tipo de boato” é “todo tipo de boato”. Boato não “se espalha”, mas “é espalhado” por um agente da passiva, aquele que, nesse caso, pratica a ação. Quem espalhou foram os petistas. E Suzana decidiu ser sua porta-voz. De resto, seu texto é um tanto, vou procurar as palavras, “pouco corajoso”. Parece que essa é também a sua avaliação.
O presidente do PT, José Eduardo Dutra, “exigiu que a verdade fosse restabelecida” em carta ao painel do Leitor - a Folha não respondeu, como costuma fazer em casos como esse. Dilma foi na mesma linha. “Não vemos traço de nenhum documento. Ele não aparece, não se diz qual é”, declarou.
Ah, apareceram os agentes da passiva. Dutra “exigiu” que “a verdade fosse restabelecida”??? Qual verdade? Quanto a Dilma, Suzana mistura os dossiês. Ela fez essa afirmação sobre o dossiê contra Serra, não sobre o outro, o da quebra de sigilo, de que a ombudsman vinha falando. Dilma está fazendo política, e Suzana finge não perceber. Se notam, o que a candidata petista quer é que as acusações reunidas pela bandidagem passem a circular. Pelo visto, a ombudsman também.
Essa desconfiança poderia ter sido evitada se a reportagem tivesse “cozinhado” por um tempo maior até que se pudesse dar páginas do dossiê, publicadas ontem.
Entendi. Segundo Suzana, a Folha deve evitar notícias que gerem desconfiança em Dutra e Dilma. Isso é realmente muito feio! Os repórteres deveriam ter corrido o risco de ser furados por seus colegas para não deixar o presidente do PT e a candidata desconfiados.
Paciência e equilíbrio editorial, que precisa ser revisto a cada round, são essenciais em tempos de guerra.
É verdade! Alguns articulistas ingleses e franceses devem ter dito isso em setembro de 1938… Comigo é assim: falou em “guerra”, eu logo penso na guerra exemplar.
A todos que questionam a neutralidade da Folha, respondo que o jornal é apartidário e se pauta pela crítica geral. No Twitter, após dizer isso a um internauta, recebi de volta: “Você ASSEGURA que não há apoio implícito?”.
Raramente li um texto que entrega tanto o jogo como esse, a cada palavra. A pergunta sobre o apoio implícito traz implícita a sugestão de que a Folha apóia Serra, o que é parte daquele terrorismo que eles confessadamente adoram fazer, dizendo-se bem-sucedidos na tarefa. Suzana agora vai dar bola para os questionamentos do Twitter. Há até especialistas americanos dando instruções aos petistas sobre esse assunto.
Outra leitora, por email, questionou a veracidade do dossiê, já que é tudo em “off”. Perguntou: “”Por que tenho que simplesmente acreditar na Folha?” Tive que responder apenas “”porque é o seu jornal”.
De qual dossiê a leitora e Suzana estão falando agora? Sua resposta, vênia máxima, é estúpida. O que a ombudsman está dizendo, ainda que por linhas tortas, é que o dossiê, por enquanto, apesar da publicação dos fac-símiles, é uma realidade que só existe no jornal. Ela também não acredita na apuração. Se eu não estivesse convicto de que a leitora é só uma “funcionária” do PT fazendo o seu trabalho, diria que, depois de tal resposta, ela desistiu do jornal. Afinal, ele não é a bula papal de um crente. Ninguém tem de acreditar em alguma coisa só porque o “seu jornal” publicou. A afirmação também é desrespeitosa com quem fez a apuração. A ombudsman pode achar o noticiário desequilibrado o quanto quiser. Opinião é como fígado: todo mundo tem. Eu aponto acima é a pobreza de argumentos. E reitero: na véspera da tal sabatina. Suzana precisa tomar cuidado — ou não… Antes dela, dois jornalistas então na grande imprensa negavam a existência do mensalão: Franklin Martins e Tereza Cruvinell. Ele termina seus dias como chefão da Secom, e ela, como chefona da Lula News.

Ministro subalterno de Lula diz que quem deve desculpas sobre dossiê é Serra

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, um subalterno do presidente bolivariano Lula, disse nesta segunda-feira que é o candidato do PSDB à presidência, José Serra, quem deve desculpas à ex-ministra e sua adversária na corrida eleitoral, Dilma Rousseff, por acusar membros da campanha petista de envolvimento na produção de supostos dossiês contra tucanos. "Quem tem de pedir desculpas é quem está buscando relacionar esta história de dossiê com a pré-campanha da ministra Dilma", disse Padilha, após reunião com o presidente Lula, em Brasília. Padilha, o subalterno, voltou a afirmar que a coordenação da campanha de Dilma não tem conhecimento da montagem de dossiês com informações que comprometam familiares de Serra e figuras do tucanato. O presidente Lula já criticou publicamente a imprensa e os tucanos pelo episódio, e chegou a chamar o caso de "armação". Em sabatina no jornal Folha de S. Paulo, nesta segunda-feira, José Serra disse que Dilma Rousseff deveria pedir desculpas pela montagem dos dossiês: "Diante das evidências, caberia uma atitude mais dramática, de afastar as pessoas, pedir desculpas publicamente". Os dados fiscais do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira, foram "levantados" pelo "grupo de inteligência" (espionagem) da campanha de Dilma e está provado que saíram diretamente dos sistemas da Receita Federal.

Governadora Yeda Crusius dobra número de alunos para curso de delegado no Rio Grande do Sul

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius a(PSDB), anunciou na tarde desta segunda-feira que, ao contrário das 157 vagas para alunos no curso de delegado da Polícia Civil, o total será ampliado para 298 vagas. Ou seja, ela praticamente dobrou o número de alunos no curso. Com esse aumento no número, a governadora Yeda Crusius zera o banco de espera de concursados. Do total, 200 candidatos devem começar o curso imediatamente. Os demais aprovados terão de esperar a abertura de uma segunda turma ainda este ano porque a Academia de Polícia Civil (Acadepol) não tem capacidade para todos. Não por acaso a decisão da governadora Yeda Cruzius foi anunciada na Academia de Polícia. Ela tem grande apreciação pelos policiais civis neste seu governo.

Candidato governista obtém 68,98% dos votos em apuração parcial na Colômbia

O candidato governista Juan Manuel Santos registrava 68,98% dos votos no segundo turno das eleições presidenciais colombianas, enquanto seu rival, o independente Antanas Mockus, registrava apenas 27,48%, com 20,4% dos votos apurados, informou a Comissão Eleitoral. Os centros de votação para o segundo turno das eleições presidenciais na Colômbia fecharam às 16 horas locais (18 horas de Brasília) neste domingo. Segundo a Comissão, em torno de 13 milhões de pessoas foram votar durante o dia, abaixo da média padrão de 29,9 milhões de eleitores. Na Colômbia, o voto não é obrigatório. Juan Manuel Santos, do Partido Social da Unidade Nacional, do presidente Alvaro Uribe, é agora apontado como franco favorito. Mas, nas vésperas do primeiro turno, os instituto de pesquisa patrocinaram uma ampla fraude, dizendo que havia um empate dele com Antanas Mockus, do Partido Verde. Abertas as urnas, verificou-se que Juan Manuel Santos havia ganho com uma diferença superior a 20 por cento dos votos. A Colômbia é o país da América Latina onde a petralhada bolivariana tem conhecido a maior derrota, sem contra que os terroristas e narcotraficantes das Farc, membro do Foro de São Paulo, estão praticamente aniquilados. Agora, com a garantia da continuação da política do presidente Alvaro Uribe, o continente ganha a certeza de que os terroristas esquerdopatas não terão mais facilidades. Ou respeitam o Estado Democrático de Direito ou são aniquilados.

Estado policialesco petista produz dossiê contra tucano, cujos dados saíram da Receita Federal

Os dados fiscais do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira, levantados pelo “grupo de inteligência” (espionagem) da campanha de Dilma Rousseff (PT), saíram diretamente dos sistemas da Receita Federal, como atestam documentos aos quais o jornal Folha de S. Paulo teve acesso. Em todas as páginas de um conjunto de cinco declarações completas do Imposto de Renda (entregues entre 2005 e 2009) de Eduardo Jorge, consta a seguinte frase: “Estes dados são cópia fiel dos constantes em nossos arquivos. Informações protegidas por sigilo fiscal”. Os papéis integram um dossiê elaborado por um grupo de espionagem que começava a ser montado com o aval de uma ala da campanha presidencial de Dilma Rousseff. O formato dos documentos é exclusivo do fisco. Eduardo Jorge confirmou a veracidade das informações e confrontou com as cópias das declarações que enviou de seu computador para a Receita. O modelo dos dois documentos é bem distinto, apesar de os dados serem os mesmos. “Esses documentos não estão em nenhum outro lugar que não a Receita Federal. Eu afirmo que meu sigilo fiscal foi violado”, disse ele. O crime cometido contra Eduardo Jorge agride um direito protegido pela Constituição. Mas, a coisa agora é séria: dados que estavam sob a guarda do Estado foram fornecidos à bandidagem para tentar servir de peça de intimidação e de chantagem. Entre a petralhada, pouco importa se o adversário é um caseiro ou um alto dirigente de um partido da oposição, ninguém é cidadão para os novos donos do poder. E essa gente está em toda parte. Os bancos públicos de dados lhe servem de arsenal contra inimigos. Vocês se lembram que o governo petralha demitiu a ex-superintendente da Receita Federal, Lina Vieira? Quebra de sigilo fiscal pode significar vários crimes. Se cometida por servidor e a informação for repassada para pessoas fora de sua competência, o funcionário público pode responder por violação do sigilo funcional. Outra possibilidade para o vazamento seria que os papéis tivessem sido retirados de um processo movido contra Eduardo Jorge pelo Ministério Público Federal no início de 2009, do qual constam dados de sua movimentação financeira. Mas, a íntegra desse processo, que tramita no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, não contém declarações do imposto de renda de Eduardo Jorge. No caso da declaração de 2009, haveria também uma impossibilidade temporal para que o documento constasse do processo. Ao tomar conhecimento da ação, Eduardo Jorge entrou com um habeas corpus, em 14 de abril de 2009, para trancar a investigação. No dia 15, o Tribunal Regional Federal concedeu liminar em favor de Eduardo Jorge. Depois do trancamento nenhum documento poderia ser anexado ao processo. O dirigente tucano só enviou sua declaração de 2009 para a Receita no dia 17. Além disso, no dia 12 de maio do ano passado, o relator do habeas corpus, desembargador Hilton Queiroz, oficiou a Receita para que não enviasse ao Ministério Público nenhuma informação de Eduardo Jorge protegida pelo sigilo fiscal. Esse processo está suspenso. Ou seja, nenhuma informação sobre a declaração para o imposto de renda de Eduaqrdo Jorge poderia ter ido para o processo. Ao todo, a "equipe de inteligência" (a gang de espionagem da campanha petista de Dilma Rousseff) petista montou pastas de documentos para serem usados contra José Serra (PSDB).

PSDB vai exigir da Receita Federal que explique dossiê contra Eduardo Jorge

A bancada do PSDB no Senado vai pedir a convocação do secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, para explicar o vazamento de dados fiscais de Eduardo Jorge Caldas Pereira, vice-presidente do partido. "O ato configura crime tanto no código tributário, como na Constituição. Vamos buscar a responsabilização sobre esse vazamento", declarou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Nesta segunda-feira, o senador vai encaminhar o requerimento para convocar Otacílio para falar à Comissão de Fiscalização e Controle, com reunião marcada para o dia seguinte. O pedido pode ser votado no mesmo dia. A direção do PSDB também decidiu pedir informações sobre o vazamento no Ministério da Fazenda e a abertura de uma investigação no Ministério Público Federal.

Serra responsabiliza Dilma por dossiê

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, voltou a responsabilizar a adversária Dilma Rousseff (PT) pela montagem de um dossiê para prejudicá-lo. Ele acusou os petistas de misturarem "coisas requentadas, estúpidas e falsas" contra ele. "Não sei se Dilma Rousseff tinha conhecimento, mas ela é responsável", afirmou Serra, em entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura. Serra disse que a ex-ministra deveria ter pedido desculpas e afastado imediatamente os assessores apontados como participantes do episódio. Ele negou que sua candidatura monte dossiês contra adversários, como sugerem alguns arapongas e aloprados petistas.

Serra acusa governo de lotear e tolerar corrupção em órgãos federais

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, acusou o governo Lula de lotear e ser condescendente com a corrupção nos Correios e na Funasa (Fundação Nacional de Saúde), cujas cúpulas foram indicadas pelo PMDB. Em entrevista ao programa "Roda Viva" da TV Cultura, gravada no sábado, ele afirmou que o presidente Lula entregou os órgãos a aliados e agora não pode trocar seus dirigentes. O tucano protestou contra "a vergonha que se fez na Funasa", que é subordinada ao Ministério da Saúde. "O ministro da Saúde não indicou o presidente da Funasa. Resultado: corrupção que não acaba mais", atacou ele: "Fez-se um loteamento até o detalhe. Eu tinha, como ministro da Saúde, impedido isso". Ele disse que, se eleito, acabará com o loteamento da administração federal: "Nunca abriria caminho para turbinar a corrupção dessa maneira". Ao comentar a crise nos Correios, Serra disse que Lula sofre constrangimento para não demitir o presidente do órgão, Carlos Henrique Custódio. "Lula não pode agora mexer nos Correios", afirmou o candidato. "Isso é uma das piores coisas que existem no Brasil hoje em dia", disse, referindo-se ao loteamento de cargos. A entrevista vai ao ar nesta segunda-feira.

Receita Federal também quebrou o sigilo fiscal de quatro generais

Há pouco mais de um mês, em 10 de maio, o site do jornalista Claudio Humberto iniciou uma série de denúncias sobre a violação do sigilo fiscal, na Receita Federal, de quatro generais, inclusive um da ativa, e dois coronéis, por determinação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, cujo chefe, general Jorge Félix, negou o fato ao Comando do Exército. Mas, o jornalista Claudio Humberto publicou comprovante da própria Receita Federal atestando a violação ilegal. Os generais violentados são conhecidos pelas posições contrárias às do governo Lula, como o general Maynard Santa Rosa, que era chefe de Pessoal do Exército quando fez críticas à “Comissão da Verdade” e acabou demitido. Raymundo Cerqueira Filho, hoje no Superior Tribunal Militar, critico de gays na tropa, e Francisco Albuquerque, ex-comandante do Exército no atual governo, também foram vítimas de quebra de sigilo fiscal. Teve também a vida fiscal devassada o general da ativa Marius Luiz Carvalho Teixeira Neto, atual comandante Logístico do Exército.

Deputado federal petista encerra teatrinho da greve de fome e deixa departamento médico após passar mal

Após passar mal na manhã de sexta-feira, o deputado federal petista Domingos Dutra (PT-MA) recebeu alta do departamento médico da Câmara dos Deputados e foi para sua casa, em Brasília, depois de ter garantido o seu quinhão de "celebridade". Fora disso, ele é um desconhecido, que faz parte da grande maioria do Congresso Nacional, o chamado "baixo clero". O parlamentar petista abandonou na sexta-feira a greve de fome que mantinha há uma semana depois de a direção nacional do PT acertar acordo com petistas do Maranhão a respeito das eleições no Estado. Videversus já tinha avisado que era um teatrinho, que não era para ser levado a sério, porque petista tradicional sempre acoca para o partido, mesmo que tenha perdido a honra pessoal. No comunismo sempre foi assim. Nos julgamentos na União Soviética, Stalin mandava retirar os cintos dos seus ex-companheiros de direção do Partido Comunista para que eles fossem humilhados e parecessem ridículos. "Eles terão bandeira, e nós continuamos na clandestinidade. Fizemos tudo certo e vamos sair como os errados", afirmou Domingos Dutra, com um semblante bastante abatido e as pernas tremendo. Ele deixou a Câmara dos Deputados ao lado da mulher, Núbia, em uma cadeira de rodas. Pelo acordo firmado nesta manhã com o PT nacional, os petistas no Maranhão estarão liberados para defender a candidatura do deputado Flávio Dino (PCdoB) ao governo do Estado. Os militantes maranhenses rejeitaram a decisão tomada pela direção nacional na semana passada de apoiar a reeleição de Roseana Sarney (PMDB). "É preciso se organizar para dizer 'não' à cúpula do PT. Temos que enfraquecer os três Josés: José Dirceu, José Genoino e José Eduardo Dutra. Foram eles que aceitaram o José do mal, o Sarney", disse Domingos Dutra. Como levar a sério este indivíduo teatral que frauda a verdade, escondendo que o verdadeiro autor da submissão do PT ao Sarney no Maranhão é o presidente Lula? Como Videversus previu, a greve de fome de Domingos Dutra não valia uma bala de coco. Quem quiser pode colocar um acento. Já o outro grevista de fome, Manoel da Conceição, terminou também o teatrinho, mas em estado de saúde mais delicado. Ele precisou ser removido para o Incor de Brasília. Agora eles devem ter aprendido que no PT não tem essa brincadeira, até bispo metido a grevista de fome dançou, por ordem do Palácio do Planaldo, vale dizer, de Lula, a petista CNBB mandou ele parar com seu protesto.

Após três anos, acaba bloqueio em ponte que liga Uruguai e Argentina

Uruguaios e argentinos voltaram a cruzar a fronteira depois que um grupo de ambientalistas peronistas populistas de Gualeguaychú retirou no sábado o bloqueio de mais de três anos de uma ponte que une ambos os países. "Agora poderemos estar em contato com nossos parentes uruguaios, vamos ver minha mãe, que está doente em Montevidéu", disse Myriam Gutiérrez, uma uruguaia residente de Buenos Aires. Os manifestantes supostamente ambientalistas, na verdade gente da tropa de choque peronista do casal populista Kirchner, mantinham a ponte General San Martín bloqueada. Essa ponte une as cidades argentina de Gualeguaychú e a uruguaia Fray Bentos, desde novembro de 2006 como forma de protestar contra a instalação de uma fábrica de celulose da finlandesa UPM (ex-Botnia) no rio Uruguai. Mas, para comprovar como os argentinos são hipócritas, no mesmo rio, acima em seu curso, a Argentina mantém outra empresa de celulose à beira do curso de água. Vários argentinos aproveitaram o fim de semana prolongado para cruzar ao Uruguai por esse local.

Ministro de Relações Exteriores da Argentina renuncia ao cargo

O chanceler da Argentina, Jorge Taiana, apresentou na sexta-feira sua renúncia à presidente peronista populista e muito incompetente Cristina Fernández de Kirchner. A demissão foi confirmado pelo chefe de gabinete, Aníbal Fernandez, que anunciou a nomeação de Hector Timerman, o embaixador da Argentina nos Estados Unidos, como o novo chanceler. Depois de conversar com a presidente, o ministro das Relações Exteriores deixou o cargo por considerar que não tinha apoio e por diferenças de opinião em matéria de política externa. A renúncia do chanceler coincide com a retomada das negociações da Argentina e do Uruguai na instalação de uma fábrica de celulose na área de fronteira. Opositores exigem que os governos de ambos os países negociem um sistema de monitoramento conjunto da fábrica, suspeita de contaminar o rio. Também coincide com ofensiva da Argentina contra a decisão do Reino Unido de iniciar a perfuração de petróleo em torno das Malvinas, cuja posse é disputada pelos dois países e já motivou uma guerra em 1982. Jorge Taiana foi nomeado chanceler no final de 2005, durante o governo de Néstor Kirchner (2003-2007), marido e antecessor de Cristina. Sociólogo de profissão, militante político e defensor dos direitos humanos desde a sua juventude, esteve preso pela ditadura militar entre 1975 e 1982. Taiana entregou uma carta ao secretário Legal e Técnico da Presidência, Carlos Zanini, na qual pediu demissão "em forma indeclinável". E que a decisão foi tomada após uma conversa telefônica com a presidente Cristina Kirchner. O jornalista Gustavo Sylvestre, da emissora de televisão TN (Todo Noticias), disse que Cristina Kirchner e Taiana teriam tido uma "forte discussão" na sexta-feira, antes do pedido de demissão. A mesma emissora disse que a presidente teria reprovado o vazamento de informações de que Argentina e Uruguai planejariam pedir ajuda ao governo brasileiro no caso de uma fábrica de celulose na fronteira, que é motivo de discórdia entre Montevidéu e Buenos Aires há mais de quatro anos. Além disso, outros fatores, como uma viagem que foi recentemente cancelada por Kirchner à China e alegações de que funcionaria em Caracas uma "embaixada paralela", ligada à Presidência e não à chancelaria, também teriam contribuído para a insatisfação de Taiana. "A relação começou a desgastar quando a presidente disse, publicamente, que tinha chegado atrasada por culpa dele à reunião do Mercosul, no Paraguai (em julho de 2009). Mas várias visões diferentes sobre política externa foram se somando. Pode-se dizer que Venezuela também foi um fator, mas não foi algo especifico e sim um conjunto", disse um dos assessores de Taiana.

Presidente Lula triplica número de carreiras no Executivo

A administração petista bolivariana de Lula deixará uma herança maldita na máquina pública brasileira. Sob pressão das corporações, foi triplicada nos últimos anos a quantidade de carreiras no Poder Executivo. Foram criadas para as categorias da elite do serviço público, como auditores-fiscais, diplomatas ou advogados da União, demandas de órgãos em particular e seus funcionários de escalões mais baixos. No caso mais radical, um único hospital, o das Forças Armadas, reúne hoje três carreiras exclusivas. De 2002 para cá, saltou de 31 para 108 o número de carreiras civis listadas na Tabela de Remuneração dos Servidores Federais, publicada periodicamente pelo Ministério do Planejamento.

Vaticano chama Saramago de "populista extremista" e "ideólogo antirreligioso"

O "L'Osservatore Romano", o jornal oficial do Vaticano, atacou duramente o escritor português José Saramago, que morreu na sexta-feira, aos 87 anos, na Espanha, chamando-o de "populista extremista" e de "ideólogo antirreligioso" em sua edição deste domingo. Com o título "O grande (suposto) poder do narrador", o órgão oficial do Vaticano critica com virulência o Prêmio Nobel de Literatura, que era marxista e ateu. O "L'Osservatore Romano" o definiu como "um ideólogo antirreligioso, um homem e um intelectual que não admitia metafísica alguma, aprisionado até o fim em sua confiança profunda no materialismo histórico, o marxismo". O jornal considera ainda que o escritor "colocou-se com lucidez ao lado das ervas daninhas no trigal do Evangelho". "Ele dizia que perdia o sono só de pensar nas Cruzadas ou na Inquisição, esquecendo-se dos gulags, das perseguições, dos genocídios e dos samizdat (relatos de dissidentes da época soviética) culturais e religiosos", indica ainda o jornal do Vaticano em seu editorial. No editorial divulgado com antecedência, o "L'Osservatore Romano" considera Saramago "um populista extremista", que se referia "de forma muito cômoda" a "um Deus no qual jamais acreditou por se considerar todo-poderoso e onisciente". Saramago provocou a ira do Vaticano e da Igreja Católica com sua obra "O Evangelho segundo Jesus Cristo" (1992) no qual considerava que Jesus perdeu a sua virgindade com Maria Madalena. Ele suscitou novamente a cólera dos católicos em 2009 com "Caim", onde a personificação bíblica do mal, assassino de seu irmão Abel, é descrito como um ser humano nem melhor nem pior do que os outros, enquanto Deus é apresentado como injusto e invejoso. Durante a apresentação desse livro, Saramago havia alimentado a polêmica, classificando a bíblia de "manual de maus costumes". Saramago era um "humanista" comunista que nunca se preocupou em fazer a auto-crítica pelos monumentais crimes cometidos pelos regimes comunistas, como os da extinta União Soviética, da China, de Cuba e do Cambodja. Em suma, genocídios cometidos por comunistas tinham o "objetivo humanitário", eram pelo "bem da humanidade".

Em Lisboa, petista Dilma nega que Lula esteja escolhendo nomes para eventual governo

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, classificou como "especulações" as informações de que o presidente Lula já estaria escolhendo nomes que podem fazer parte de seu eventual governo, caso vença as eleições de outubro. "Essa é uma especulação que não tem o menor sentido", disse ela em Lisboa, última escala de seu giro de seis dias pela Europa. Segundo reportagem publicada pelo jornal "O Estado de S.Paulo" na última sexta-feira, Lula teria indicado durante um evento em Brasília que o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, e o presidente do Sebrae, Paulo Okamoto, podem fazer parte de um eventual governo Dilma. Questionada sobre as declarações, a ex-ministra-chefe da Casa Civil afirmou que o Lula "é respeitoso" e que não "faz isso". Ela afirmou que, caso seja eleita, poderá consultar o presidente a respeito de nomes para sua administração.

Duzentos mil brasileiros têm gene da anemia falciforme

Vinte países usaram este domingo, 19 de junho, para alertar as pessoas sobre uma das doenças genéticas de maior incidência no mundo: a doença falciforme, uma anemia grave que, embora seja mais comum na população negra, pode ocorrer em qualquer etnia, principalmente em países onde houve muita miscigenação, como o Brasil. O Estado que mais concentra casos é a Bahia, com uma média de 15% da população apresentando o traço falciforme, aquele que tem apenas um gene da doença, mas não desenvolve os sintomas a ela relacionados. É também esse estado o que apresenta maior índice da doença: 1 em cada 650 nascidos tem a enfermidade. No Rio de Janeiro, a proporção é de 1 para 1,2 mil nascidos; e em Pernambuco, de 1 para cada 1,3 mil. Já em São Paulo, a proporção é de 1 para cada 4 mil nascimentos. Dados do Ministério da Saúde indicam que 200 mil pessoas apresentam o traço falciforme em todo o País. Com os recém-nascidos, o número aumenta em 3,5 mil a cada ano. A doença começa a se manifestar a partir dos três meses de idade, mas pode ser diagnosticada em bebês já na primeira semana de vida, por meio da triagem neonatal conhecida como teste do pezinho. Apresenta sintomas bastante variados que vão desde dores nos ossos e na barriga, infecções e olhos amarelados, até problemas cardíacos, renais e no sistema nervoso central. Por ser hereditária, o paciente precisa receber um gene doente do pai e outro da mãe, para que a doença se manifeste. A pessoa que tem apenas um gene doente se mantém saudável. Casais que têm o traço falciforme têm 25% de chance de ter um filho com a doença. Este doença é muito grave, incurável, causa dores muito intensas e leva à morte precoce.

"Gabeira não ficaria triste se fosse eleito", diz Serra

José Serra (PSDB), candidato à Presidência, deixou o deputado federal Fernando Gabeira (PV), candidato ao governo do Rio de Janeiro, em uma saia justa no sábado. Em entrevista após a convenção de PSDB-PPS-DEM, que confirmou apoio a Gabeira, o tucano afirmou que "Gabeira não ficaria triste se eu fosse eleito". Gabeira declara apoio à senadora Marina Silva (PV) para o cargo, mas sofre pressão de tucanos para apoiar veladamente Serra, que apoia publicamente sua candidatura ao governo do Rio de Janeiro. Minutos antes, Gabeira havia participado de uma entrevista coletiva com Marina Silva, dizendo crer que os eleitores saberão ligar o deputado ao seu nome. "Não vamos subestimar a inteligência das pessoas", disse ela. Ao lado de Serra, Gabeira sorriu assentindo ao ouvir a frase de tucano. Antes, quando o candidato do PSDB comentava o apoio de dois presidenciáveis ao verde, o deputado comentou: "E que dois candidatos!"

Ex-prisioneiros de Guantánamo retomam militância na Al Qaeda

Cerca de 25 ex-detentos do campo de prisioneiros da baía de Guantánamo voltaram à militância mesmo depois de passar por um programa de reabilitação para membros da Al Qaeda na Arábia Saudita, admitiu uma autoridade saudita no sábado. Os Estados Unidos enviaram de volta cerca de 120 sauditas do centro de detenção da base norte-americana em Cuba, criada depois que os Estados Unidos lançaram sua "guerra contra o terror", como consequência do ataque de 11 de setembro por sequestradores suicidas enviados pela Al Qaeda. A Arábia Saudita, o maior exportador de petróleo do mundo, colocou os ex-prisioneiros e outros suspeitos de pertenceram à Al Qaeda em um programa de reabilitação que inclui a reeducação religiosa por sacerdotes e ajuda financeira para começar uma vida nova. O projeto, que atendeu a cerca de 300 terroristas, é parte do programa antiterrorismo criado pela fraca e desmoralizada administração Obama depois de atentados planejados no país pela Al Qaeda entre 2003 e 2006. Os ataques foram impedidos com muitos suspeitos detidos com a ajuda de especialistas estrangeiros. Cerca de 11 sauditas de Guantánamo foram para o Iêmen, uma base operacional da Al Qaeda, enquanto outros foram presos novamente depois de participar do programa, disse Abdulrahman al-Hadlaq, diretor geral da Administração de Segurança Intelectual, o órgão que controla a reabilitação.

Vestígios de magia negra na casa de promotora de Brasília

Além de um cofre enterrado no jardim, com R$ 280 mil em dinheiro e memórias de computador, que estão sob perícia, a Polícia Federal encontrou vestígios da prática de magia negra ou satanismo na casa da promotora Deborah Guerner, do Ministério Público do Distrito Federal, acusada pelo delator Durval Barbosa de receber propina para fechar os olhos à corrupção, no governo Arruda. Ela e seu chefe, o procurador geral de Justiça Leonardo Bandarra, são acusados de receber propina da área do lixo. Ela e Bandarra providenciaram pareceres que permitiram ao ex-governador Arruda realizar contratações emergenciais com as empresas Qualix e Caenge. Esta Caenge tem uma subsidiária, na qual o marido da promotora Deborah Guerner é diretor. A promotora e o procurador estão sendo investigados pelo Conselho Nacional do Ministério Público. A promotora também responde a um inquérito na Procuradoria Geral de Justiça do Ministério Público para determinar se é normal ou tem distúrbios psíquicos, com objetivo de escapar das acusações e conseguir uma rápida aposentadoria por incapacidade, que a livraria dos processos a que responde. O procurador geral de Justiça pretendeu escapar da investigação no Conselho Nacional do Ministério Público impetrando um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal, para que as investigações não prosseguissem enquanto a instituição que dirige não dirima a dúvida sobre se a promotora "Deborah Guerner é louca ou não". Ela está fazendo todo o esforço para "parecer louca". Durante a operação da Polícia Federal em sua casa, na última segunda-feira, para busca e apreensão, ela se apresentou nua para os policias federais. Também compareceu perante um julgamento no Conselho Nacional do Ministério Público acompanhada de um pai de santo. A Qualix é a empresa que frauda a execução do contrato de lixo de Porto Alegre todos os dias. Também é a empresa que está envolvida na enorme fraude da licitação e execução do contrato fraudulento realizado pela administração da ricaça petista Marta Suplicy, em São Paulo, e que se encontra na Justiça paulista, há seis anos, sem decisão. Judiciário bom é isso aí, não decide nunca.

Fernando Gabeira faz elogios a José Serra e Marina Silva na convenção do PV

O candidato do PV ao governo do Rio de Janeiro, Fernando Gabeira, conciliou elogios aos candidatos à presidência da República, Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB), em discurso da convenção que marcou o lançamento de sua candidatura. Gabeira afirmou que pretende investir mais na educação e que ela tem o poder de transformar as pessoas. Logo em seguida disse que a senadora Marina Silva é um bom exemplo disso. "A candidata do PV à presidência da República é um exemplo. Era analfabeta aos 16 anos. Com educação ela se transformou". Em um trecho posterior do discurso, Gabeira afirmou que é necessário o investimento em Saúde, não só nas emergências como também na atenção primária. "As pessoas precisam fazer exames para que se tenha um diagnóstico. Nesse ponto seguirei a política de José Serra que fez mutirões para realização de exames médicos".

Israel avisa ONU que impedirá novos navios de chegar a Gaza

O governo de Israel comunicou a ONU que se reserva o direito de usar "todos os meios" para evitar que navios que partam do Líbano tentem romper o bloqueio a Gaza. A embaixadora israelense na ONU, Gabriela Shalev, fez a advertência em uma carta enviada na sexta-feira ao secretário-geral Ban Ki-moon e ao Conselho de Segurança do organismo. Ou seja, estão todos avisados. E também cientes de que Israel tem a proteção da legislação internacional (Tratado de San Remo, art. 67) para sua iniciativa. A diplomata disse que os objetivos dos organizadores das novas frotas "são duvidosos" e afirmou que é possível que tenham vínculos com o grupo terrorista libanês Hizbollah. "Israel não pode descartar a possibilidade de que terroristas ou armas sejam levados a bordo dos navios em questão", disse a embaixadora. As organizações Movimento Gaza Livre e Repórteres sem Fronteiras anunciaram que enviarão um navio com ajuda humanitária para o território palestino, que poderia partir em breve do Líbano, enquanto um grupo de 50 ativistas, apoiadores do terrorismo islâmico (30 libaneses e 20 estrangeiros) preparam outra frota. Agora, uma perguntinha: definitivamente, o que uma organização internacional de jornalistas tem a ver com a organização de um flotilha de apoio ao terrorismo? Dá licença, somente jornalistas completamente comprometidos com a causa terrorista islâmica, inimiga do mundo ocidental, poderiam assumir um compromisso dessa ordem.

Confrontos em Darfur deixam ao menos 50 mortos e 13 feridos

Novos confrontos entre tribos árabes rivais deixaram ao menos 50 mortos na sexta-feira em Darfur, região do oeste do Sudão afetada pelo aumento da violência, afirmou no sábado um chefe tribal. "Membros dos Rezeigat que circulam em nove veículos da guarda fronteiriça (forças paramilitares sudanesas presentes em Darfur e das quais participam nômades árabes) atacaram na sexta-feira três dos nossos povoados", disse Edezin Eissa al-Mandil, representante da tribo árabe rival Misseriya. "Os combates começaram ao meio-dia e continuaram até a noite no setor de Garsila", situado no sul da cidade de Zalingei, na região de Darfur Oeste, completou. "Contamos um total de 50 mortos. Também há 13 feridos do nosso lado", afirmou Mandil. Nenhum representante da tribo Rezeigat pôde ser contatado para confirmar a informação. Este governo "humanitário" do Sudão é apoiado pela diplomacia bolivariana de Lula. Mas é um governo "anjinho", "humanitário". Ninguém ouviu também a "humanitária" Iara Lee emitir sua opinião sobre a mortandade do Sudão, onde um regime fanático islâmico massacre as minorias cristão e animistas.

Ministério do Planejamento censura seu próprio portal de críticas a programas do governo Lula

O Ministério do Planejamento decidiu na sexta-feira censurar o recém lançado Portal do Planejamento. Instrumento criado para auxiliar a formulação de políticas públicas, ele continha uma seção chamada "reflexões críticas", que apontava a falta de resultados em alguns programas do governo. "Vários ministros me ligaram para dizer: 'olha, estão fazendo críticas às políticas desenvolvidas pelo meu ministério, mas nós não fomos chamados a discutir'. Ficamos numa posição um pouco delicada de explicar que aquilo não era posição fechada do Planejamento, são técnicos fazendo debate", tentou justificar o ministro do Planejamento, o petista Paulo Bernardo. De acordo com Paulo Bernardo, o ministro da Educação, Fernando Haddad, telefonou para dizer que o Portal continha dados errados sobre sua pasta: "Eu pedi para o pessoal da secretaria revisar tudo isso, e eles acharam melhor suspender". De acordo com a reportagem do jornal "Valor Econômico" que detonou a ordem de censura dentro do governo, um texto do Portal dizia que a política de reforma agrária não alterou a estrutura fundiária nem assegurou a devida assistência aos assentados. Os programas criados com esse fim não teriam sido capazes de melhorar a qualidade de vida dos assentamentos, que "permanece muitas vezes a mesma que era antes". Agricultores de menor renda estariam, hoje, dependentes do Bolsa Família. Em nota, a Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos, responsável pelo Portal, afirmou que essa análise não se refere apenas ao governo Lula e que ela registra uma "inflexão" no apoio aos assentados. "Os textos indicam que os desafios para a área se dão a partir do aprofundamento das políticas que constituíram novos instrumentos de apoio à produção do campo e elevaram os investimentos, sobretudo para o pequeno agricultor", diz o comunicado. A reportagem informou também que, de acordo com o Portal, a política de produção de biodiesel não é sustentável no curto prazo. A nota do ministério não desmentiu esta afirmação. Disse que o texto apenas constatou que a produção de biodiesel é dependente de incentivos fiscais, tal como ocorreu com o álcool no passado. Na área de Educação, a avaliação constante do Portal aponta para poucos avanços em relação a 2003 no que se refere a acesso à escola, repetência, evasão e baixa qualidade do ensino. O analfabetismo funcional está em 21% de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2008, um avanço pequeno em comparação com os 24,8% registrados em 2003. O Portal também classifica os planos militares do governo Lula como altamente custosos, embora os considere positivos. Aponta para o risco de fracasso da política de reconstrução da indústria de defesa, por falta de planejamento e recursos.

Eletrobras vai devolver R$ 3,5 bilhões aos consumidores industriais

A Eletrobras reservou em seu caixa R$ 3,5 bilhões para restituir a consumidores industriais que recolheram um empréstimo compulsório entre 1987 a 1993. O crédito foi gerado pelo desconto de um terço do valor das contas de energia e destinado aos cofres do governo naquele período. Advogados estimam que 150 mil consumidores têm direito à restituição, mas apenas 12 mil já ingressaram na Justiça para reaver o valor. Principal credora da Eletrobras nesse contencioso, a também estatal Petrobras está nessa maioria que não entrou na Justiça até agora. Outras indústrias, como a CSN, já recorreram aos tribunais.

Igreja Universal dá viagem a pastor que arrecadar mais

Novos vídeos que documentam encontros da cúpula da Igreja Universal revelam que foi estabelecido um prêmio (uma viagem internacional) aos sete pastores que mais arrecadassem dízimos dos seus fiéis. As imagens demonstram a pressão exercida sobre os pastores para que aumentem a coleta de recursos. Revelam ainda que as punições por "falhas" como adultério ou furto são públicas e definidas em ritos sumários. Os cinco vídeos, com duração total de seis horas, foram obtidos de um ex-pastor pelo ex-voluntário da Universal e ourives Eduardo Cândido da Silva, que move ação contra a igreja por danos morais. A Igreja Universal disse que é "termo preconceituoso" chamar de premiação as viagens a Israel destinadas a seus pastores: "A viagem para Israel não é considerada uma premiação e sim uma missão religiosa almejada por cristãos evangélicos de todo o mundo. Entre os 15 mil pastores da Igreja Universal do Reino de Deus que atuam no Brasil, isso não é diferente".

José Serra diz que governo Lula mentiu sobre crescimento da economia

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse na noite de sábado que o crescimento da economia brasileira não foi de 9%, como afirmou a equipe econômica do presidente Lula. Serra concedeu uma entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, que será veiculado na noite desta segunda-feira. Ele afirmou que o crescimento foi menor que o valor divulgado pela equipe economica do governo, mas não falou em números. Durante a entrevista, que começou com duas horas de atraso, José Serra respondeu a perguntas dos eleitores, que foram enviadas por e-mail. Serra não quis responder se assinaria o aumento de 7,7% dos aposentados, como fez o presidente Lula, pois afirmou que essa é uma decisão de quem está no governo. O tucano ainda falou sobre temas como segurança e educação. Na área de segurança, afirmou que uma das suas metas será criar o ministério da Segurança, e que fará um trabalho conjunto entre as policiais federal, militar e civil. Ele ainda afirmou que as escolas técnicas precisam de maiores investimentos. O tucano também respondeu a assuntos polêmicos, como a união homesexual e o aborto. Afirmou não ser contra a união entre pessoas do mesmo sexo e que não deverá mexer na atual lei do aborto, se for eleito. Questionado sobre a presença de homosexuais nas forças armadas, Serra respondeu: "Qual o o problema"? Em uma pergunta sobre se já havia fumado maconha, o candidato respondeu negativamente e disse que desde jovem tinha aversão a fumaça.

Ex-presidente da Famurs também quer licitação para empresas de ônibus

A nota a seguir é do ex-presidente da Famurs (Federação das Associações de Municiípios do Rio Grande do Sul) e ex-prefeito de Igrejinha, Elir Girardi, e revela novos e surpreendentes informações sobre as repetidas concessões precárias concedidas às empresas de ônibus que transportam passageiros na região metropolitana e no interior do Rio Grande do Sul. A nova concessão está vencendo e o que se teme é que não ocorra nova licitação. "Sáo 210 milhões de passagens vendidas por ano e isto é um oligopólio inaceitável", diz o deputado estadual Luis Lara, candidato do PTB ao governo do Rio Grande do Sul. Augusto Lara avisou que vai cassar todo mundo e fazer licitação, caso vença a eleição. Essas empresas de ônibus, que ganham tanto dinheiro transportando passageiros e mercadorias nas gigantescas malas de seus ônibus, são grandes patrocinadoras das atividades do meio político gaúcho há décadas. E só isso explica que mantenham concessões sem licitação. É inacreditável que a Constituição brasileira de 1988 não se aplique a essas empresas desde 1988.

Agências de publicidade da prefeitura petista de Canoas cuidam da campanha do peremptório Tarso Genro

A prefeitura de Canoas anunciou as duas agências que venceram a licitação para administrar a sua conta de publicidade, cujo valor total anual chegará a R$ 3 milhões, podendo alcançar R$ 3,6 milhões e somar R$ 10,8 milhões em tres anos (valores nominais, que podem ser ampliados em muito). A prefeitura de Canoas é administrada pelo prefeito Jairo Jorge, do PT. Jairo Jorge, ex-pró-reitor da Ulbra, foi chefe de gabinete do Ministério da Educação, na gestão do peremptório Tarso Genro. Agora, as agência Competente e Escala, que venceram a licitação da prefeitura petista de Canoas, vão fazer toda a campanha do peremptório Tarso Genro. Mas, naturalmente, o Ministério Público eleitoral não acha nada de excepcional nisso. E ninguém acha excepcional que, um ano e meio depois de tomar posse, o prefeito petista Jairo Jorge, amigo do peito do peremptório Tarso Genro, ainda não tenha aberto a licitação para contratação dos serviços de limpeza pública de Canoas, o maior contrato da cidade. É claro, como todo administrador petista, ele acha muito mais lucrativo fazer renovações emergenciais de contrato, com dispensa de licitação. Assim pode negociar à vontade com a Vega Ambiental, que faz a limpeza da cidade há anos sem disputar uma licitação. E, quando ele se decide a fazer a licitação, é de mentirinha, porque quer fazer uma licitação englobando todos os serviços. Então, isso é apenas jogo de cena, para o prazo se vencer e ele dizer que não tem outra opção senão fazer outra renovação emergencial. E os auditores externos do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, naturalmente, não encontram nada de anormal ou ilegal nisso. Aí está, o sistema público de fiscalização, como se vê, pode ser bastante seletivo politica e ideologicamente. O dono da agência Competence, que será um dos "cappos" da campanha do peremptório Tarso Genro, é o publicitário João Satte, grande expoente do neoliberalismo caboclo gaúcho, que adora gente rica e tudo que é rico. O outro "cappo" da campanha do peremptório Tarso Genro é o publicitário Alfredo Fedrizzi, dono da agência Escala. Houve tempo em que ele marcava presença em todas as campanhas do PMDB gaúcho. Hoje ele não tem constrangimento em fazer campanha para o PT, já que PMDB e PT ficaram tão "amiguinhos". Mas... publicitário, acima de tudo, gosta mesmo é de grossos contratos de publicidade.

Turquia mata 120 rebeldes curdos em 1 mês, e a humanista Iara Lee não diz nada

O Exército da Turquia disse no final de semana que mais de 120 rebeldes curdos foram mortos em ataques aéreos no norte do Iraque e em incursões de comandos de elite em território iraquiano no último mês. Quer dizer que a Turquia invade o território de outra nação, o Iraque, sem declarar guerra, de maneira completamente ilegal, mata moradores desse país, membros de uma minoria perseguida, a dos curdos, e a humanista paulista Iara Lee, descendente de sul-coreanos e norte-americana naturalizada, que gosta de defender minorais, não diz absolutamente nada? Como assim? Iara Lee não vai organizar uma expedição para romper o bloqueio da Turquia aos curdos? Iara Lee não vai filmar essa matança indiscriminada promovida pelo regime islâmico da Turquia? O governo turco afirma que os rebeldes usam o norte do Iraque como base para lançar ataques em território turco em sua campanha pela autonomia do sudeste do país. Ah é? Quando Israel impõe um bloqueio à Faixa de Gaza, porque por ali os terroristas do Hamas recebia mísseis do Irã, que depois jogavam sobre o território israelense, a "humanista" Iara Lee achou que Israel pratica uma barbaridade. Agora o governo turco, que contratou a flotilha para afrontar Israel, faz a mesma coisa no Iraque, e a "humanista" Iara Lee não diz nada? Ora, está evidente que o "humanismo" de Iara Lee tem lado, e é o lado do terrorismo islâmico. Ela é incapaz inclusive de se manifestar sobre a violenta agressão da Coréia do Norte sobre a Coréia do Sul, afundando um destroier e causando a morte de dezenas de seus compatriotas da Coréia do Sul. Mas tudo é compreensível quanto se trata da "humanista" Iara Lee.

Leia opinião do ex-primeiro ministro espanhol sobre Israel

O ex-primeiro ministro espanhol Jose Maria Aznar, que governou seu país entre 1996 e 2004, escreveu um artigo para o jornal The Times, de Londres, alertando a opinião pública internacional sobre a necessidade de apoiar o Estado de Israel. Seu artigo é consistente e importante. Videversus recomenda a leitura, a seguir: "Revolta em relação aos acontecimentos na Faixa de Gaza é uma distração. Não podemos esquecer que Israel, nesta região turbulenta, é o maior aliado do Ocidente. Há muito tempo está fora de moda na Europa falar em favor de Israel. Em seqüência ao recente incidente a bordo de um navio cheio de ativistas anti-Israel no Mediterrâneo, é difícil pensar em uma causa mais impopular para lutar. Em um mundo ideal, a intervenção do exército israelense sobre o Mavi Marmara não teria terminado com nove mortos e alguns feridos. Em um mundo ideal, os soldados teriam sido recebidos de forma pacifica no navio. Em um mundo ideal, nenhum Estado, muito menos um aliado recente de Israel, como a Turquia, teria promovido e organizado uma flotilha, cujo único propósito era criar uma situação impossível para Israel, fazendo-o escolher entre desistir de sua segurança e do bloqueio naval, ou incitar a ira mundial. Em nossas relações com Israel, devemos deixar para trás a raiva que muitas vezes desvirtua o nosso julgamento. Uma abordagem razoável e equilibrada deve encapsular as seguintes realidades: primeiro, o Estado de Israel foi criado por uma decisão da ONU. Sua legitimidade, portanto, não deve entrar em questão. Israel é um país com instituições democráticas profundamente enraizadas. É uma sociedade dinâmica e aberta, que tem repetidamente se destacado nos campos da cultura, ciência e tecnologia. Em segundo lugar, devido às suas raízes, história e valores, Israel é uma nação de pleno direito ocidental. Na verdade, é uma nação ocidental normal, porém diante de circunstâncias atípicas. Infelizmente, no Ocidente, Israel é a única democracia cuja existência tem sido questionada desde a sua criação. Em primeira instância, foi atacado por seus vizinhos que usavam armas convencionais de guerra. Em seguida, enfrentou o terrorismo que culminou com uma seqüência de ataques suicidas. Agora, a pedido de radicais islâmicos e seus simpatizantes, enfrenta uma campanha de deslegitimação através do direito internacional e diplomacia. Sessenta e dois anos após sua criação, Israel ainda está lutando por sua sobrevivência. Punido com chuvas de mísseis que caem no norte e sul, ameaçado de destruição por um Irã que tem o objetivo de adquirir armas nucleares, e pressionado por amigos e adversários, Israel, ao que parece, nunca pode ter um momento de paz. Durante anos, o foco de atenção do Ocidente tem sido, compreensivelmente, voltado ao processo de paz entre israelenses e palestinos. Mas se Israel está em perigo hoje e toda a região está deslizando rumo a um futuro preocupante e problemático, não é devido à falta de entendimento entre as partes sobre como resolver este conflito. Os parâmetros de um acordo de paz em perspectiva são claros, por mais difícil que possa parecer para os dois lados dar o passo decisivo para sua implementação. As verdadeiras ameaças à estabilidade regional, no entanto, encontram-se no surgimento do radicalismo islâmico que vê a destruição de Israel como o cumprimento de seu destino religioso e, simultaneamente, no caso do Irã, como uma expressão de suas ambições à hegemonia regional. Ambos os fenômenos são ameaças que afetam não só Israel, mas também toda a Comunidade Internacional. O núcleo do problema reside na maneira ambígua, e muitas vezes errônea, em que muitos países ocidentais estão reagindo a esta situação. É fácil culpar Israel por todos os males do Oriente Médio. Alguns até agem e falam como se um novo entendimento com o mundo muçulmano poderia ser alcançado somente se estivéssemos dispostos a sacrificar o Estado judeu. Isso seria loucura. Israel é a nossa primeira linha de defesa em uma agitada região que está constantemente sob o risco de cair no caos; uma região que é vital para a segurança energética mundial devido à nossa dependência excessiva de petróleo do Oriente Médio; uma região que forma a linha de frente na luta contra o extremismo. Se Israel cai, todos nós cairemos. Para defender o direito de Israel existir em paz, dentro de fronteiras seguras, requer um grau de clareza moral e estratégica que muitas vezes parece ter desaparecido na Europa. Os Estados Unidos mostram sinais preocupantes de seguirem uma posição no mesmo sentido. O Ocidente está atravessando um período de incerteza com relação ao futuro do mundo. No sentido amplo, esta incerteza é causada por uma espécie de dúvida masoquista sobre nossa própria identidade; pela regra do politicamente correto; por um multiculturalismo que nos obriga a curvar-nos diante dos outros; e por um secularismo que, cinicamente, nos cega, mesmo quando somos confrontados por membros do jihad promovendo a encarnação mais fanática de sua fé. Deixar Israel a sua própria sorte, neste momento crucial, serviria apenas para ilustrar o quanto afundamos e como nosso declínio inexorável agora se torna eminente. Isto não pode acontecer. Motivado pela necessidade de reconstruir os nossos valores ocidentais, expressando uma profunda preocupação com a onda de agressão contra Israel, e consciente de que a força de Israel é a nossa força e a fraqueza de Israel é a nossa fraqueza, tomei a decisão de promover uma nova iniciativa chamada Amigos de Israel com a ajuda de algumas personalidades, incluindo David Trimble, Andrew Roberts, John Bolton, Alejandro Toledo (ex-presidente do Peru), Marcello Pera (filósofo e ex-presidente do Senado italiano), Nirenstein Fiamma (autor e político italiano), o financista Robert Agostinelli e o intelectual católico George Weigel. Não é nossa intenção defender qualquer política específica ou qualquer governo israelense em particular. Os patrocinadores desta iniciativa, com certeza, devem discordar das decisões tomadas por Jerusalém em algumas situações. Nós somos democratas e acreditamos na diversidade. O que nos une, no entanto, é o nosso apoio incondicional para o direito de Israel de existir e de se defender. Os países ocidentais que se unem com aqueles que questionam a legitimidade de Israel, para que estes joguem com organismos internacionais as questões vitais de segurança de Israel, satisfazendo aqueles que se opõem aos valores ocidentais ao invés de se levantar com firmeza em defesa desses valores, não estão cometendo apenas um grave erro moral, mas um erro estratégico de primeira grandeza. Israel é uma parte fundamental do Ocidente. O Ocidente é o que é graças às suas raízes judaico-cristãs. Se o elemento judeu dessas raízes for retirado e perdemos Israel, também estamos perdidos. Quer queira ou não, nosso destino está interligado". Mais claro é impossível.

Tarso Genro adere ao blog

O candidato do PT ao governo do Rio Grande do Sul, o peremptório Tarso Genro, aderiu ao blog. A página está registrada em nome do petista Joao Carlos Camargo Ferrer. Ele é assessor da bancada do PT na Assembléia Legislativa. O petista João Carlos Camargo Ferrer também é conhecido por sua prodigalidade. Por exemplo, na eleição de 2006, ele doou 3 mil reais para a campanha do deputado federal petista Paulo Pimenta. Este parlamentar petista é um notório megulhador, especialista em mergulho dentro do carro do publicitário mineiro Marcos Valério, operador do Mensalão do PT. O mergulho foi dado na garagem do Senado Federal. Depois disso, flagrado e desmascarado pelo falecido deputado federal Julio Redecker (PSDB), Paulo Pimenta passou a implorar pelo celular, para Redecker, que não fosse denunciado ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados. As ligações tiveram várias testemunhas, que ouviram seus patéticos apelos pelo viva voz do celular de Redecker, em pleno saguão do Aeroporto Internacional de Brasília. O assessor petista também fez doação de 120 reais para a campanha do deputado estadual petista Ronaldo Zulke. E para o candidato petista Estilac Xavier. Pimenta e Estilac, assim como o peremptório Tarso Genro, fazem parte da conhecida "República de Santa Maria". Houve outra "república" dessas no primeiro mandato de Lula, o País inteiro se recorda, a "República de Ribeirão Preto", na qual se encontravam amigos do ministro da Fazenda, o petista Antonio Palocci, para fazerem negócios e festinhas de embalo, com prostitutas garantidas pela cafetina Mary Jeanny Corner. Tudo isto foi denunciado e confirmado pelo caseiro Francenildo dos Santos. Vocês lembram dele? Por causa de seu depoimento na CPI dos Correios, confirmando que o petista Palocci tinha mentido quando falou à CPI, ele teve sua conta bancária na Caixa Econômica Federal estuprada pela petralhada. Até hoje o ex-presidente da Caixa Econômica Federal, o trotskista gaúcho Jorge Matoso, responde por esse crime na Justiça. Matoso é muito ligado à ricaça petista Marta Suplicy e ao deputado estadual petista gaúcho Raul Pont. Os dois foram militanres do antigo POC (Partido Operário Comunista), do qual também fez parte o clone de chanceler de Lula, Marco Aurélio "Top Top" Garcia.

PDT de Porto Alegre ficha Vieira da Cunha como candidato único.

O PDT do Rio Grande do Sul entrou de cabeça na tradição dos outros grandes partidos gaúchos. Assumiu o fechamento de áreas para um candidato. Com isso, o PDT gaúcho assume que também é um partido dominado pelos parlamentares. O Diretório Municipal de Porto Alegre decidiu que dá apoio exclusivo para apenas um candidato para a Câmara de Deputados, no caso o deputado federal Vieira da Cunha. Depois eles não entendem por que ninguém mais quer perder tempo com os partidos. Ocorre que estes partidos se tornaram propriedade de apenas uns poucos.

Petista Dilma Rousseff foge de mais um debate com José Serra e Marina Silva

A candidata petista a Presidente, Dilma Rousseff, havia topado participar de uma sabatina promovida pelo portal UOL e pela Folha Online, mas cancelou. Alegou problema de agenda, a viagem que ela faz à Europa, sempre notando que a viagem é que se sobrepôs à sabatina, não o contrário. No dia 1º de julho, a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil realiza também o seu encontro com os presidenciáveis, a exemplo do que fez a CNI, da Indústria. José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) vão participar. A petista está, de novo, com problema de agenda. Ou seja, está fugindo dos debates.

Cadê as novas pesquisas do Sensus e do Vox Populi?

Enquanto as inserções curtas do PT iam ao ar, os institutos Sensus e Vox Populi realizavam suas pesquisas de opinião. O segundo encerrou o trabalho de campo a 13 de maio, mesmo dia em que o partido levou ao ar o seu programa do horário político, aquele em que Lula apresentou Dilma para as massas. O Sensus esperou até o dia seguinte, 14, já captando o provável efeito da presença da candidata na TV. Agora, quem visita o site no Tribunal Superior Eleitoral não encontra nem vestígio da vontade desses institutos de fazer pesquiasa no momento em que o PSDB e José Serra estão fazendo suas inserções na televisão. O mínimo que se poderia esperar era um tratamento igual, não é mesmo? E o Datafolha? Nada de nada.....

Estados Unidos reiteram a Cuba pedido de libertação de empresário americano

Os Estados Unidos reiteraram na sexta-feira a Cuba seu pedido para que seja libertado imediatamente um empresário detido na ilha, informou o Departamento de Estado após uma rodada de diálogo migratório realizada pelos dois países em Washington. Durante esta rodada, a terceira desde que o diálogo foi retomado no ano passado, "a delegação americana destacou o caso de Alan Gross, o cidadão americano detido em Cuba desde o dia 4 de dezembro de 2009, e pediu sua libertação imediata". A secretária de Estado, Hillary Clinton, havia adiantado na quinta-feira que a delegação americana realizaria este pedido, ao afirmar que "a prolongada detenção de Alan Gross está prejudicando as relações entre Estados Unidos e Cuba". Estados Unidos e Cuba não mantêm relações diplomáticas desde 1961, mas desde julho de 2009 retomaram o diálogo migratório --parado em 2003-- e também voltaram a discutir sobre serviço postal direto. Gross, de 60 anos e que foi detido quando se encontrava em Cuba fornecendo celulares e computadores portáteis a grupos judeus, trabalhava para uma empresa subcontratada pelo Departamento de Estado.

Venezuela pede que Interpol prenda presidente da Globovisión

A ditadura venezuela pediu na sexta-feira à Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) para emitir um mandado de captura internacional contra o presidente da rede de televisão Globovisión, Guillermo Zuloaga, e seu filho. "Nós pedimos para a Interpol emitir um mandado de captura internacional contra Guillermo Zuloaga e seu filho", disse o ministro do Interior venezuelano, Tarek El Aissami. "Vamos fazer cumprir as leis e a Constituição", disse o ministro, chamando Zuloaga e filho de "covardes". A lei a constituição, na Venezuela, são ditadas pelo ditador Hugo Chavez.

Advogado pede que o Supremo obrigue os partidos a divulgarem "fichas sujas"

Um advogado do Rio de Janeiro pediu ao Supremo Tribunal Federal que obrigue os 27 partidos e o Tribunal Superior Eleitoral a divulgarem em dez dias informações judiciais dos filiados que irão ser candidatos. O pedido do advogado foi feito com base na Lei da Ficha Limpa, sancionada no começo do mês e que irá valer para as eleições deste ano. O advogado também quer que esses dados sejam divulgados. A ação está sob a relatoria do ministro Dias Toffoli. O que não falta no Brasil é candidato a justiceiro.

Tribunal internacional diz que criminoso de guerra sérvio não morreu

O Tribunal Penal Internacional (TPI) que investiga crimes de guerra na ex-Iugoslávia afirmou na sexta-feira que o ex-militar sérvio Ratko Mladic ainda está vivo, apesar dos esforços de sua família em declará-lo morto. Os familiares do acusado entregaram a declaração no dia 16 ao primeiro Tribunal Municipal de Belgrado, "com base no fato de que a família não tem nenhuma informação nem contatos com o sr. Mladic há cerca de sete anos e que ele era um homem muito doente". "Baseamos nosso trabalho no pressuposto de que ele ainda está vivo", disse o procurador do TPI, Serge Brammertz. Mladic foi indiciado 15 anos atrás pelo massacre de Srebrenica, ocorrido em 1995 e no qual foram mortos 8.000 homens muçulmanos. A União Europeia estabeleceu sua prisão como condição-chave para o prosseguimento de negociações para a entrada da Sérvia no bloco.

Presidente da Vale vê demanda forte por minério nos próximos três anos

A demanda por minério de ferro deve permanecer firme por pelo menos três anos, afirmou o presidente da Vale, Roger Agnelli, na sexta-feira. "A demanda por minério de ferro continua firme, e a China lidera esta demanda junto com outros asiáticos", declarou ele. "Os Estados Unidos não são grandes consumidores do minério brasileiro, mas a União Européia também teve uma recuperação forte em relação ao ano passado, de modo que a demanda, que determina o preço, continua muito forte", acrescentou ele, após a cerimônia de inauguração da CSA (Companhia Siderúrgica do Atlântico), uma parceria entre a mineradora brasileira e ThyssenKrupp.

Beto Richa divulga carta com Osmar Dias pedindo aliança PDT-PSDB no Paraná

A assessoria do pré-candidato do PSDB ao governo do Paraná, Beto Richa, divulgou na sexta-feira que o senador pedetista Osmar Dias encaminhou pedido ao diretório nacional do PDT para fechar aliança com os tucanos no Estado. Cópia da carta endereçada ao diretório e assinada por Osmar Dias e o deputado estadual Augustinho Zucchi foi encaminhada também a Beto Richa. No documento, os pedetistas pedem a vaga de vice-governador na chapa do tucano e uma das duas vagas ao Senado, que seria preenchida por Osmar Dias. Assim, ele desistiria de concorrer ao governo do Estado. Osmar Dias é o candidato da presidenciável petista Dilma Rousseff no Paraná. Os tucanos avaliam que, com o pedetista fora do páreo, Richa tem condições de vencer a eleição já no primeiro turno e garantir ampla vitória no Estado de seu candidato a presidente, José Serra.

Ditador Chávez inaugura rede de lojas do Estado em antigos supermercados Cada

O ditador Hugo Chávez inaugurou na sexta-feira a nova rede de abastecimento Bicentenário, em substituição aos supermercados Cada, de capital francês em maioria, expropriados pela ditadura bolivariana no começo do ano. A partir de agora, esta cadeia de supermercados, com 40 lojas em toda a Venezuela, vai se incorporar à rede de distribuição de alimentos do Estado. Segundo o ditador, desde que o governo tomou o controle destes estabelecimentos, o número de clientes registrou um aumento em torno de 30% e as receitas subiram 39%, graças a preços competitivos. "O socialismo é obrigado a ser melhor que o capitalismo e é isso que estamos demonstrando", disse o ditador Chávez. A rede de hipermercados Exito, que tinha como maior acionista o grupo francês Casino, foi expropriada pelo governo venezuelano em janeiro, sob a acusação de especular com os preços, depois da desvalorização da moeda local, o bolívar. O grupo Casino controlava 67,1% do capital da Cativen, filial que administrava na Venezuela os supermercados Cada e Exito, transformados em Hipermercados Bicentenário, pelo governo.

Desapropriação é anulada e fazenda ganha indenização de R$ 45 milhões

A Justiça Federal anulou a desapropriação da fazenda Teijin, em Nova Andradina, Mato Grosso do Sul, e condenou o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) a indenizar em R$ 45,3 milhões (mais juros de 12% ao ano, a contar de 2002) a empresa agropecuária japonesa que perdeu o bem. No entendimento do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, com sede em São Paulo, a fazenda do grupo Teijin Desenvolvimento Agropecuário Ltda, com cerca de 28 mil hectares e mais de 30 mil cabeças de gado, não era improdutiva. Atualmente, no local, moram cerca de 6.000 pessoas ligadas à organização terrorista clandestina MST. No fim de 2000, o Incra vistoriou o terreno para fins de reforma agrária e avaliou a propriedade como adequada para pecuária, mas improdutiva para agricultura. Em março de 2002, o governo propôs ação desapropriatória para criar um assentamento no local. De acordo com o órgão, os assentados deveriam produzir laticínios na fazenda aproveitando a estrutura da propriedade. Em junho de 2006, após liminar do Tribunal Regional Federal, suspendendo a desapropriação, militantes do MST mantiveram 28 funcionários do Incra reféns. A decisão foi derrubada no mesmo mês pelo Superior Tribunal de Justiça. O advogado do grupo Teijin disse que os proprietários não querem a fazenda de volta, pois afirmam que o imóvel tornou-se impróprio para a retomada de sua atividade econômica após ser alterada pelos atuais ocupantes. Eles vão recorrer da decisão para aumentar o valor da indenização. "A fazenda, agora, é um mausoléu horrível", afirmou Diamantino Silva Filho, advogado do grupo agropecuário.

Operação de reintegração de posse prende cinco brasileiros na Bolívia

Ao menos cinco brasileiros e um colombiano foram detidos na Bolívia, junto de um grupo de bolivianos, em uma operação de reintegração de posse de 33 mil hectares de terras, informou na sexta-feira uma fonte oficial do governo bolivariano do indio cocaleiro trotskista Evo Morales. . O diretor do Instituto Nacional de Reforma Agrária boliviano (Inra), Juan Carlos Rojas, explicou em comunicado que a operação ocorreu na quinta-feira na Província de San Ignacio de Velasco, no Departamento de Santa Cruz, na fronteira com o Brasil. "Fizemos o despejo dos que estavam na área declarada e que foram tomadas por avassaladores, principalmente estrangeiros. É dessa forma que o governo está garantindo a soberania da região", disse Rojas. Ao todo, foram detidas 20 pessoas, entre elas cinco brasileiros imigrantes ilegais e um colombiano. Houve confisco de 40 veículos e madeira.

Heloísa Helena se lança ao Senado e diz que campanha é máquina de moer gente

A presidente nacional do PSOL, Heloísa Helena, atual vereadora em Maceió, teve oficializada na sexta-feira sua candidatura ao Senado Federal na convenção estadual do partido. Ela disse esperar uma campanha difícil em Alagoas: "Pra quem não é bandido, fazer campanha em Alagoas é enfrentar uma máquina de moer gente, sonhos e dignidade". Ela atacou seus próximos adversários: "Algumas personalidades políticas precisam do mandato para continuar a roubar os cofres públicos ou não ir parar nos tribunais. Vamos enfrentar candidatos poderosíssimos, riquíssimos, criminosíssimos e ladroníssimos". Ou seja, é a velha cangaceira do linguajar. Além disso, parece que ela não sabe fazer mais nada. Assim, a rigor, confirma-se a tese de que Alagoas só fornece desastres para o País.

Candidato do PSOL pede saída de Heloisa Helena do comando do partido

O pré-candidato do PSOL à Presidência, Plínio de Arruda Sampaio, reagiu na sexta-feira às declarações da presidente de seu partido, Heloísa Helena, com elogios à presidenciável do PV, Marina Silva. Plínio disse que Heloisa Helena se especializa em causar constrangimentos ao partido e que se a vereadora declarar apoio a Marina Silva não pode permanecer no comando do partido. O pré-candidato do PSOL disse que a direção da legenda deve discutir a fala de Heloisa Helena. "Se Heloísa tiver declarado apoio a outra candidatura, não pode seguir na presidência do PSOL por não defender a política do partido. A direção nacional se reunirá para discutir as declarações atribuídas a Heloísa Helena, que se especializa em criar constrangimentos ao PSOL", afirmou Plínio, em seu twitter. Nesse partido é difícil achar alguém que não esteja fora da casinha.

PIB argentino cresce 6,8% no 1º trimestre em relação ao mesmo período de 2009

O PIB (Produto Interno Bruto) argentino cresceu 6,8% no primeiro trimestre do ano frente ao mesmo período de 2009, segundo dados preliminares divulgados na sexta-feira, pelo Instituto Nacional Estatística e Censo da Argentina. O Relatório de Avanço do Nível de Atividade, que fornece números provisórios, aponta que durante o primeiro semestre de 2010, houve variação positiva de 3% em relação aos 2,3% trimestre anterior. É recomendável que não se acredite nos números apurados por este instituto oficial, porque o governo peronista populista de Cristina Kirchner tornou esse órgão uma nulidade, que só produz números mentirosos. Ela empregou dezenas de capangas brucutus no Instituto Nacional de Estatítstica e Censo da Argentina, cuja função é ameaçar e surrar funcionários para que adulterem os números da inflação e da produção na Argentina. Esse é o governicho peronista bolivariano de Cristina Kirchner. A Argentina vai pagar muito caro por isso.

Mercado de petróleo brasileiro pode se beneficiar de desastre no golfo do México

O Brasil vive um momento de grande aquecimento no mercado de produção e reformas de plataformas para a exploração de petróleo, com os estaleiros vivendo seu melhor momento em décadas. Segundo Domingos D'Arco, presidente do Estaleiro Mauá, há uma "continuidade" na demanda por trabalho nos estaleiros, que contam com mão de obra qualificada. "O pessoal já está treinado, sabe o que fazer, sabe como fazer, nós temos pessoal envolvido em engenharia, em fabricação, todo esse grupo está muito bem treinado para fazer esse tipo de trabalho". D'Arco, no entanto, reclama das dificuldades alfandegárias para a importação de componentes. Apesar dos problemas, o mercado está bastante aquecido e os estaleiros estão trabalhando em seu limite, já existindo uma lista de espera para a contratação de plataformas. Com a demanda tão grande, analistas dizem que o mercado brasileiro pode acabar se beneficiando do desastre no golfo do México, já que, com a proibição de perfurações em águas profundas determinada pelo governo americano, muitas plataformas que operam na região podem acabar sendo trazidas para o Brasil.

Dengue de tipo 1 volta a assustar o Rio de Janeiro

Erradicada do Rio de Janeiro desde a década de 90, a dengue tipo 1 está de volta ao Estado. A afirmação é do ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Cerca de 3,7 milhões de pessoas não têm imunidade contra o vírus. "É importante dizer que esse vírus tem quatro sorotipos. Três deles circulam no Brasil, o tipo 4 ainda não foi registrado. Quando um sorotipo deixa de circular durante um período longo, as pessoas que nascem deixam de ter uma proteção natural, pois não tiveram contato com o vírus. Então, quando ele é reintroduzido, há uma população suscetível e isso pode causar casos mais graves em crianças e adolescentes. Pessoas que tiveram doenças em surtos anteriores podem desenvolver a dengue hemorrágica", disse Temporão.

Ministro do TSE suspende propaganda do PSDB com Serra

O ministro Aldir Passarinho Junior, do Tribunal Superior Eleitoral, suspendeu na sexta-feira a propaganda do PSDB que tinha o candidato do partido à Presidência, José Serra, como destaque. As 10 primeiras inserções de 30 segundos foram exibidas na última terça-feira e voltarão ao ar nos dias 22, 26 e 29, totalizando outras 30 inserções em rede nacional de rádio e televisão. Pela decisão, o PSDB pode substituir as peças. Na quarta-feira, o PT entrou com uma representação contra o PSDB com o argumento de que os tucanos usaram o programa partidário para fazer propaganda eleitoral antecipada. Na propaganda de terça-feira, Serra falou sobre saúde, em uma das propagandas, e sobre seu modo de administrar, na outra. Ao final, um locutor disse: "A experiência garante o avanço", uma menção a um dos eixos a partir do qual ele tenta se diferenciar da candidata petista, Dilma Rousseff. Em ambas as inserções, o ponto comum foi a citação às "famílias" e às "pessoas". Na propaganda focada na saúde, área da qual já foi ministro, o candidato disse que o governo deve ter, "acima de tudo, cuidado com as pessoas, com as famílias". Na outra propaganda, o mesmo tom, ao afirmar que o governante deve "melhorar a vida das pessoas, das famílias, no seu dia-a-dia". Nesse mesmo bloco, disse: "Esse é o meu jeito. Como eu sempre fiz. Do fundo do meu coração, é nisso que eu acredito".

BP busca US$ 7 bilhões em empréstimos bancários

A petrolífera BP, responsável pelo vazamento de óleo no golfo do México, está tentando levantar US$ 7 bilhões em empréstimos bancários. Um banqueiro de Londres disse que a empresa busca obter US$ 1 bilhão em empréstimos de sete bancos. Em reunião com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na quarta-feira, executivos do alto escalão da empresa concordaram em criar um fundo de US$ 20 bilhões para indenizar as vítimas do acidente, que afetou a indústria pesqueira e turística dos Estados costeiros. O fundo será gerido por Kenneth Feinberg, que administrou um fundo criado para vítimas dos ataques de 11 de Setembro. Sua nomeação foi uma resposta às críticas de moradores da costa americana de que os pedidos de indenização à BP estavam sendo tratados pela empresa com muita burocracia e que os valores pagos eram muito baixos.

Lula diz que sistema financeiro dos países ricos está apodrecido

O presidente Lula afirmou nesta sexta-feira que a crise européia ainda não atingiu proporções globais e que ela foi provocada por um sistema financeiro "apodrecido" nos países ricos. "A crise hoje é uma crise européia, provocada pela demora de tomada de decisão", disse Lula na inauguração da siderúrgica ThyssenKrupp CSA, no Rio de Janeiro. "O sistema financeiro está apodrecido no mundo rico", completou. Segundo o presidente, a regulação do sistema financeiro brasileiro "deveria servir de exemplo aos países desenvolvidos". Para Lula, se os países europeus tivessem agido mais rapidamente, a crise não teria se espalhado para outros países, como Portugal, Itália e Espanha.