quarta-feira, 7 de julho de 2010

O video com a reportagem sobre o estupro de Florianópolis envolvendo a família Sirotski

Na noite de domingo a Rede Record divulgou uma longa reportagem sobre o episódio envolvendo um neto de Jaime Sirotski, fundador da RBS, em Florianópolis, no estupro de uma garotinha de 13 anos. O episódio vinha sendo mantido em sigilo há cerca de 40 dias, e caminhava para o abafamento. Apesar do silêncio da mídia, quebrado pela reportagem da Rede Record, o assunto chegou a um impressionante número de pessoas devido à coragem de um jornalista, que comanda o blog Tijolaços, e que revelou toda a trama, inclusive dando os nomes dos personagens envolvidos. O outro garoto envolvido no estupro, também de 14 anos, é filho de um delegado de Polícia Civil de Santa Catarina. Em toda a sua existência, provavelmente o grupo RBS nunca teve uma situação tão constrangedora e que serviu de teste maior para a sua credibilidade. Como os negócios da família Sirotski orbitam em torno dos veículos de comunicação, como a mercadoria com a qual a RBS trata é a informação, e o direito do público a ser informado, justo em um caso envolvendo um membro da sua família é que a direção da RBS deveria ter sido firme e determinado que seus jornalistas empregassem todos os esforços na cobertura do fato. Internamente, dentro de seus apartamentos e suas casas, cuidariam do drama familiar, íntimo. Uma família que mexe com comunicação tinha que estar preparada para uma situação desse tipo, e saber como agir quando se apresentasse a situação. O estupro aconteceu no dia 14 de maio e a investigação está sendo conduzida pela 6ª Delegacia de Polícia de Florianópolis. O auto de apuração foi concluído somente na última sexta-feira e enviado para o Juizado da Infância e da Juventude, com a juíza Andréa Bernardo e a promotora Walkirya Ruicir Danielski. Passado tanto tempo, a polícia catarinense ainda aguarda os resultados de dois exames que estão sendo feitos pelo Instituto Geral de Perícias (IGP). O exame toxicológico na menina de apenas 13 anos identificará a substância ingerida na noite em que foi submetida a estupro (ela sofreu o chamado golpe Boa Noite, Cinderela). E uma perícia nos computadores apreendidos nas casas dos dos garotos acusados vai dizer se diálogos pela internet que tratam do caso são verdadeiros. Os diálogos também foram divulgados pelo blog Tijoladas. Veja a seguir a reportagem produzida pela Rede Record.

Polícia Federal vai investigar vazamento de dados de Eduardo Jorge

A Polícia Federal abriu nesta quarta-feira o inquérito para apurar o vazamento de dados fiscais e financeiros do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas. A polícia vai investigar três diferentes crimes: escuta telefônica clandestina, quebra de sigilo funcional e formação de quadrilha. A polícia decidiu fazer a investigação a pedido de representantes do PSDB e do PT. Segundo tucanos, os dados faziam parte de um dossiê que estaria sendo preparado por integrantes da pré-campanha da ministra Dilma Roussef (a famigerada turma da espionagem petista) contra o adversário José Serra. O assunto veio à baila após briga entre a equipe do jornalista Luiz Lanzetta, contratado para prestar serviços à pré-campanha de Dilma Rousseff, e o investigador particular Onézimo Sousa, delegado aposentado da Polícia Federal. Onézimo disse em depoimento à Comissão Mista de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso Nacional que foi sondado por Lanzetta e o jornalista Amaury Ribeiro para fazer um levantamento de informações, inclusive com grampos telefônicos, contra Serra e o deputado Marcelo Itagiba (PDSB-RJ), entre outros tucanos.

Partidos fraudam suas listas e usam laranjas para cumprir exigência legal

A exigência de, no mínimo, 30% de mulheres nas listas de candidatos às eleições de outubro teria levado pelo menos dois partidos no Rio de Janeiro a incluir "laranjas" na relação entregue ao Tribunal Regional Eleitoral na segunda-feira, prazo final de inscrição. A fraude foi detectada pela procuradora regional eleitoral, Silvana Batini, em exame preliminar das nominatas. O prazo de impugnação só começa a correr nesta quarta-feira, mas a fraude, nesses casos, dispensa a necessidade de uma análise mais apurada Silvana disse que as fraudes encontradas nas listas do PT e do PHS, de tão "grosseiras", já justificam pedidos de impugnação das duas listas: "O prazo de impugnação só começa a correr nesta quarta-feira, mas a fraude, nesses casos, dispensa a necessidade de uma análise mais apurada. A presença feminina transformou-se no primeiro gargalo que os partidos terão de enfrentar nas eleições". Segundo o presidente regional do PT, deputado federal Luiz Sérgio, a mudança na lei surpreendeu todos os partidos: "Antes, era uma reserva. Agora, tornou-se obrigatória. Tivemos dificuldades até mesmo de convencer as mulheres do partido a se candidatar. Eu, inclusive, convenci a minha secretária, que iria trabalhar na minha campanha, a concorrer. A ausência de alguns documentos se deve ao fato de que só conseguimos fechar no final e muitas das certidões ainda não ficaram prontas Mas as candidatas não são laranjas. Nas fichas de registro de candidatura que assinei não vi nenhum caso de bonequinho no lugar da foto. Mas a ausência de alguns documentos se deve ao fato de que só conseguimos fechar no final e muitas das certidões ainda não ficaram prontas, mas serão entregues depois". O PHS, segundo Elizabeth Silveira, da executiva nacional do partido, reconhece a falta de dados e fotos das candidatas, mas prometeu que a documentação será regularizada dentro do prazo legal.