segunda-feira, 26 de julho de 2010

MST diz que Serra representa interesses do "latifúndio improdutivo e do agronegócio"

A organização terrorista e clandestina MST divulgou nota para criticar o candidato tucano à Presidência, José Serra. "O MST repudia os retrocessos sociais simbolizados na candidatura tucana. José Serra é líder de uma coalizão conservadora, que pretende implantar em nível nacional suas políticas repressoras, tal como fez no estado de São Paulo em relação aos professores, sem-teto, sem-terra", diz a nota. Para o movimento terrorista e clandestino, Serra representa os interesses do "latifúndio improdutivo e do agronegócio". "José Serra se vale de ameaças e tenta criar um clima de raiva contra o MST porque não possui um projeto que de fato possa garantir a vida digna dos trabalhadores rurais e urbanos", diz a organização terrorista clandestina MST. Nesta segunda-feira, o tucano afirmou que uma eventual vitória de sua adversária petista, Dilma Rousseff, fará com que as invasões do MST se intensifiquem. Interessante seria ver se a nota do MST contém endereço. É impossível, porque o MST é uma organização clandestina, que não tem vida legal, não existe formalmente. E se mantém clandestina e ilegal para poder promover suas ações terroristas ilegais.

Fogaça oferece janta aos vereadores de Porto Alegre para tentar mobilizar sua campanha

O candidato do PMDB ao governo do Estado, José Fogaça, teve uma iniciativa singular na noite desta segunda-feira: ele ofereceu um jantar para os vereadores do PMDB e do PDT na Câmara Municipal de Porto Alegre, em uma tentativa para mobilizar a "militância" da capital gaúcha. Na verdade, ele jantou com pouco mais de uma dezena de vereadores, e vários deles sequer são candidatos e não estão em campanha. Mesmo os que estão em campanha, no PMDB, excluindo o vereador Idenir Cecchin, são pobres de voto. Chefes peemedebistas acreditam que a baixa adesão de militantes está relacionada à falta de crescimento de Fogaça nas pesquisas de opinião. Na verdade, estão mascarando a realidade. A inércia da chamada base peemedebista na capital gaúcha tem dois fatores preponderantes: 1) político - os militantes estão desmoralizados pelo PMDB apoiar a candidata petista Dilma Rousseff (não dá para explicar que o partido apóia Dilma e não está com o petista Tarso Genro também); 2) econômico - durante quatro anos, políticos do PMDB recolheram dinheiro de várias fontes, sempre declarando que era para a campanha, mas até agora não desovaram seus recursos, e todos eles sabem que campanha só paga, de outro jeito não vai. Para Fogaça, há outra explicação: "As campanhas têm etapas e precisam de uma gradualidade. Tudo está ocorrendo conforme havíamos planejado em abril". Mas, o tesoureiro da campanha, ex-guerrilheiro João Carlos Bona Garcia, ex-secretário geral do partido, ex-militante do PTB (com ficha assinada e emprego na Assembléia Legislativa, para garantir aposentadoria) e juiz aposentado do Tribunal Militar do Rio Grande do Sul, é mais exigente e mais explícito: "É preciso um corpo a corpo mais explícito. A militância precisa trabalhar mais, em Porto Alegre e na Região Metropolitana". É de perguntar: precisa trabalhar mais por que? Por acaso o militante que trabalhar mais irá ganhar uma caminhonete importante Toyota? O certo é que, até agora, o apoio mais explícito que José Fogaça teve foi de um vereador cujo partido não está na sua coligação: Kevin Krieger, do PP. Mais do que isso: vereadores da coligação que são candidatos escondem em seu material de campanha o nome do candidato ao governo do Estado. É bom que Fogaça comece a procurar em sua própria legenda. Seja como for, o candidato José Fogaça terminou a noite reunindo mais motivos para preocupação. Afinal, o jantar com os vereadores da coligação, realizado na sede do Diretório Municipal do PMDB, na Avenida João Pessoa, mesmo com a presença do senador Pedro Simon, de José Fogaça, e do prefeito José Fortunatti, não contou com a presença sequer da metade dos vereadores dos dois partidos. Péssimo sinal....

Rigotto lidera a corrida ao Senado no Rio Grande do Sul

O ex-governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), lidera a campanha para o Senado Federal no Estado. Pela pesquisa DataFolha, ele tem 41% da preferência do eleitorado gaúcho. Paulo Paim, do PT, registra 37% de preferência. E Ana Amélia Lemos, do PP, tem 33%. Rigotto tomou a decisão de fazer sua campanha desligado da majoritária do partido. E contratou equipe própria para fazer seus videos, gravações para rádio e materia impresso, além da divulgação de suas atividades. Também mantém uma agenda própria. No final de semana, nessa sua agenda não foi priorizada a inauguração do comitê central da campanha, em Porto Alegre. Ele preferiu comparecer a um encontro da juventude peemedebista na Serra gaúcha. Rigotto empolga bem mais a militância peemedebista, porque deixou claro que não dá apoio para a petista Dilma Rousseff.

Cineasta Oliver Stone é acusado de antissemitismo

Uma entidade judaica norte-americana acusa o cineasta Oliver Stone de antissemitismo por comentários que ele fez ao jornal britânico "Sunday Times". Abraham Foxman, diretor da entidade Liga Anti-Difamação, disse que Oliver Stone "novamente mostrou seu tom conspiratório" com seus comentários. Na entrevista ao "Sunday Times", ele respondeu a uma questão sobre o por que focou no Holocausto no seu mais recente projeto. "A dominação judaica da mídia. Eles ficam em cima de qualquer comentário, é o lobby mais poderoso de Washington. Israel ferrou a política externa dos Estados Unidos por anos, disse o cineasta esquerdopata, que faz documentários sobre a atuação de seu grande ídolo, o ditado antissemita Hugo Chavez, amicíssimo de outro fascista, o ditador do Irã, autêntica reencarnação de Hitler. "Suas palavras evocam algumas das noções mais estereotipadas e é cúmplice de indevidas falácias sobre o poder judaico e sua influência", disse Foxman ao "The Hollywood Reporter". É impressionante o grau de sedução do esquerdismo ocidental pelo totalitarismo do islamismo nazista. A origem da sedução, sem dúvida, estão no totalitarismo.

Aécio Neves nega falta de empenho para a campanha de Serra em Minas Gerais

O candidato do PSDB ao Senado por Minas Gerais, Aécio Neves, negou nesta segunda-feira que
haja falta de empenho seu para a defesa do candidato do partido à Presidência, José Serra. "Não
há nenhuma outra unidade da federação onde ele tenha vindo tantas vezes, quanto aqui, em Minas Gerais. Queremos que isso continue e eu acho que ele pode também vencer em Minas Gerais", afirmou o ex-governador. Anote aí: quando um político nega uma coisa, é porque ele está afirmando que aquilo é verdade. Ou seja, o desejo verdadeiro oculto de Aécio Neves é derrotar seu correligionário José Serra. Com 14,5 milhões (10,7% do País), Minas Gerais é considerada, ao lado do Rio de Janeiro, como fiel da balança na disputa presidencial. Segundo pesquisa Datafolha, Serra tem 38% e Dilma Rousseff (PT), 35% no Estado. Sobre a disputa ao governo de Minas Gerais, Aécio Neves afirmou que o governador Antonio Anastasia (PSDB) deve crescer nas pesquisas quando o horário eleitoral na TV começar em 17 de agosto. "A popularização do candidato se dará a partir do início da propaganda eleitoral. Não há outro instrumento mais vigoroso do que esse", disse. Para Aécio Neves, com a TV os eleitores irão "linkar" a candidatura de Anastasia com o seu governo: "Acredito que os mineiros preferirão caminhar para frente do que retroceder". Pesquisa Datafolha, divulgada no sábado, mostra Anastasia com 18% das intenções de voto, contra 44% do senador peemedebista Hélio Costa. O percentual de eleitores indecisos em Minas Gerais é de 23%. O playboy mineiro Aécio Neves, nos intervalos de suas viagens para as praias de balneários maravilhosos da Croácia, com seus amigos playboys, não pensa em outra coisa que não seja a Presidência da República. Ele acha que está predestinado pelo nascimento.

Mercado de seguros cresce 16,73% no primeiro semestre

O mercado de seguros cresceu 16,73% no primeiro semestre deste ano no Brasil, informou nesta segunda-feira a Susep (Superintendência de Seguros Privados), ligada ao Ministério da Fazenda. Segundo o levantamento do órgão, o mercado de seguros gerou vendas de R$ 40,943 bilhões, ante R$ 35,073 bilhões em igual período do ano passado. Em junho, contudo, o ritmo de crescimento do setor ante mesmo mês de 2009 perdeu força, apurando alta de 3,2%, o pior resultado do ano.

Brasileiro já pagou R$ 700 bilhões de impostos em 2010

Do início do ano até esta segunda-feira, os brasileiros já pagaram mais de R$ 700 bilhões em impostos estaduais, municipais e federais. A marca foi registrada nesta segunda-feira pelo Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que está instalado no centro da cidade. Em 2009, a marca de R$ 700 bilhões foi atingida 41 dias depois, no dia 4 de setembro. Pela internet (www.impostometro.org.br) é possível acompanhar o avanço do Impostômetro no Brasil, nos Estados e nos municípios. Inaugurado em abril de 2005, o sistema também informa o valor total pago de impostos desde janeiro de 2000 e faz estimativas de quanto será pago de impostos até dezembro de 2010. A metodologia utilizada considera impostos, taxas, contribuições, juros, multas e correções monetárias pagos às três esferas de governo.

Marina Silva defende refúgio para o terrorista Cesare Battisti no Brasil

A candidata do PV à sucessão presidencial, Marina Silva, expôs nesta segunda-feira sua alma petista e disse, durante debate pelo portal Terra, que é favorável à manutenção do terrorista italiano Cesare Battisti no Brasil. Este terrorista ganhou refúgio concedido pelo ex-ministro da Justiça, o peremptório Tarso Genro, e declarado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal. A alma petista de Marina Silva argumentou: "O Brasil tem tradição de dar abrigo, já deu até para ditadores. Por que seria diferente em dar abrigo a ele (Battisti)?" Ora, ela fazia parte do governo petista, e ficou bem quieta quando boxeadores cubanos desertaram durante os Jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro, e foram miseravelmente devolvidos à sanha da ditadura cubana, pelo seu governo, embarcados em um jatinho da PDVA emprestado pelo ditador Hugo Chavez. A presidenciável disse que a sua posição não coloca em dúvida as instituições italianas, que pedem a extradição do terrorista, que matou quatro pessoas na Itália, por motivo torpe. Battisti era um assassino comum, que está preso, cumprindo pena, quando foi recrutado por organização terrorista marxista para funcionar como seu executor.

Banco Central diz que remessas de lucros ao Exterior levam a recorde no déficit em transações correntes

A aceleração das remessas ao Exterior de lucros e dividendos foi o principal fator responsável pelo aumento do déficit em transações correntes registrado em junho deste ano, segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes. No mês passado, o saldo negativo da conta-corrente, que é o registro das operações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o Exterior, de US$ 5,180 bilhões, foi o maior resultado para o período da série histórica do Banco Central, iniciada em 1947. O déficit do primeiro semestre, de US$ 23,762 bilhões, também foi recorde. Em junho, foram registradas remessas de lucros e dividendos de US$ 4,156 bilhões, o maior resultado para o período da série histórica do Banco Central. No primeiro semestre, o total chegou a US$ 14,967 bilhões. Segundo Lopes, o aumento do déficit em transações correntes também é explicado pelo saldo negativo das viagens internacionais (receitas de estrangeiros em viagens ao Brasil menos despesas de brasileiros no Exterior), que ficou em US$ 909 milhões, em junho deste ano, e em US$ 4,109 bilhões, no primeiro semestre. Outro fator citado por Lopes são os gastos com aluguel de equipamentos, que tiveram saldo (receitas menos despesas) negativo de US$ 1,156 bilhão, no mês passado, e de US$ 6,174 bilhões nos seis primeiros meses do ano. Também contribuíram para o déficit em transações correntes o saldo negativo da conta de transportes de US$ 630 milhões, em junho, e de US$ 2,925 bilhões no primeiro semestre do ano.

Ministério Público dá parecer favorável à transferência de Suzane von Richthofen

O Ministério Público paulista deu parecer favorável à transferência de Suzane von Richthofen para um centro de ressocialização. Ela está presa na penitenciária de Tremembé (a 147 quilômetros de São Paulo), condenada a 38 anos de prisão por tramar e participar da morte dos seus pais, em 2002. A juíza da Vara de Execuções de Taubaté, Sueli Zeraik Oliveira Armani de Menezes, deve julgar o pedido de transferência feito pela defesa de Suzane ainda nesta semana. O promotor do caso, Paulo Rogério Bastos, afirmou que Suzane preenche o perfil para cumprir pena em um centro de ressocialização. "Ela vai continuar cumprindo pena em regime fechado. A diferença é que um centro de ressocialização tem menos presos e uma outra filosofia de prisão. O que ela não pode é ir para o regime semiaberto", afirmou o promotor. Suzane passou pelo Centro de Ressocialização Feminino de Rio Claro em 2007. Após ameaças de outras presas, ela foi transferida para a a penitenciária de Tremembé pela Secretaria de Administração Penitenciária. Em junho, a Justiça negou o pedido de progressão para o regime semiaberto. O relator do processo, o desembargador Damião Kogan, afirmou que Suzane não tem estabilidade emocional para obter o benefício, pois demonstrou "uma frieza incomum na elaboração e execução do plano do assassinato dos pais". Ora, se ela não condições para a vida social, ou seja, para a ressocialização, razão pela qual não vai para o regime semi-aberto, então como pode ir para um centro de ressocialização? Isso é uma incongruência. O problema é que a Justiça não sabe o que fazer com a assassina Suzane von Richthofen. Ela foi condenada a uma pena de mentira, de 39 anos, porque a lei brasileira impede que qualquer preço cumpra mais de 30 anos. Pela lei, cumprido um sexto da pena, ela teria direito a ir para o regime semi-aberto, a rigor, a entrada em liberdade. E ela já tem muito mais do que esse um sexto da pena cumprido. Resumindo: arquitetar o assassinato de pai e mãe, encomendar os crimes e participar da execução deles, não custa mais do que oito anos de cadeia no Brasil. Essa é a real.

Tábua encontrada em Israel apresenta semelhanças com Código de Hamurabi

Uma equipe da Universidade Hebraica de Jerusalém descobriu em escavações em Tel Hazor, no norte de Israel, o fragmento de uma tábua cuneiforme que apresenta semelhanças com o conteúdo e o momento da escritura do Código de Hamurabi, um dos mais antigos conjuntos de leis escritas. O fragmento está escrito na língua acádia, atualmente extinta e usada na antiga Mesopotâmia principalmente por assírios e babilônios no segundo milênio antes de Cristo. Os arqueólogos dataram a tábua entre os séculos 18 e 17 a.C., o mesmo período do Código de Hamurabi, informou a universidade em comunicado nesta segunda-feira. A tábua foi achada recentemente em Tel Hazor, um dos sítios arqueológicos mais importantes de Israel, declarado Patrimônio da Humanidade em 2005. "Leis similares às do Código de Hamurabi são conhecidas pela Torá, mas a diferença de tempo entre as duas escrituras é de mil anos. Agora, temos em nossas mãos o fragmento de uma tábua que contém leis muito similares ao código, mas achada em Hazor e que datam do mesmo período", aponta o professor Amnon Ben-Tor, do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica. Os fragmentos encontrados se referem a questões relacionadas com legislação sobre danos pessoais e relações entre amos e escravos, que guardam similaridades com a peça de Hamurabi descoberta há mais de um século no que hoje é o Irã. A tabuleta achada em Israel também contém diretrizes relacionadas com a legislação bíblica, do tipo "olho por olho, dente por dente", dizem os pesquisadores. Durante anos, estudiosos da Bíblia e acadêmicos tentaram desvendar as relações existentes entre a lei mosaica e a babilônica. "Hoje sabemos que em Tel Hazor havia uma escola de escribas que estavam familiarizados com o Código de Hamurabi", aponta Ben-Tor, para quem essa transferência de conhecimento pode ter acontecido na última etapa da Idade do Bronze. Segundo o pesquisador, a descoberta pode ajudar a entender sobre como esse tipo de leis passou para o período israelita.

ONG petralha contratada para capacitar assentados terá que devolver R$ 7 mi aos cofres públicos

O Instituto Nacional de Formação e Assessoria Sindical da Agricultura Familiar Sebastião Rosa da Paz (Ifas), uma ong petralha, foi condenado pela Justiça Federal de Goiás a devolver R$ 7 milhões aos cofres públicos. O Ministério Público Federal em Goiás havia detectado irregularidades em repasses de convênio com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). As unidades da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf) no Distrito Federal e Entorno, Bahia, Pernambuco, Pará, Mato Grosso do Sul, Maranhão e Mato Grosso, beneficiárias finais dos repasses, também foram condenadas por responsabilidade solidária. Elas terão que devolver R$ 330 mil dos R$ 7 milhões. A sentença é do dia 12 de julho, mas foi divulgada apenas nesta segunda-feira pelo Ministério Público. Na decisão do juiz Juliano Taveira Bernardes, ele destacou que são "inúmeras as incongruências a macular a regularidade da execução do convênio firmado entre o Incra e o IFAS", destacando-se "nesse cipoal de maracutaias", a falta de contrapartida por parte do instituto petralha Ifas no convênio. No endereço da sede do Ifas petralha, havia uma casa fechada e abandonada em Goiânia, sem estrutura condizente com a contrapartida de R$ 768 mil que o instituto deveria oferecer na forma de bens e serviços. Foram detectadas irregularidades na fase de contratação e execução. Como a Fetraf não poderia receber recursos por apoiar invasão de imóveis, o petralha Ifas serviu como intermediário. Já na execução do convênio, houve compras sem licitação, pagamentos em duplicidade e notas fiscais em aberto. O convênio serviria para capacitar 9.375 assentados no País. O instituto tem como um dos seus criadores o muito probo Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, mensaleiro emérito, expulso do partido por causa do escândalo do Mensalão do PT, em 2005. Na época da contratação do convênio, ele não tinha mais ligação com a entidade. A investigação prosseguirá. Segundo o procurador Rafael Perissé, é preciso descobrir qual servidor do Incra permitiu a celebração do convênio. Para ele, é possível que a investigação chegue até o ex-presidente do Incra, Rolf Hackbart, porque não seria crível que ele não soubesse dos problemas.

Serra diz que MST fará mais invasões com Dilma na Presidência

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou nesta segunda-feira que uma eventual vitória de sua adversária petista, Dilma Rousseff, fará com que as invasões da organização terrorista clandestina MST se intensifiquem. Em encontro promovido pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais), em São Paulo, Serra destacou que Dilma conta com o apoio do líder do MST, João Pedro Stédile, nas eleições. "O Stédile declarou apoio a Dilma. Com ela, vão poder fazer mais invasões, mais agitações", afirmou. "O MST não existe para a reforma agrária", reiterou.

Mano convoca Neymar e Ganso e apenas quatro da Copa da África

Com uma seleção renovada, com apenas quatro jogadores que disputaram a última Copa do Mundo, o técnico Mano Menezes iniciou nesta segunda-feira, em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro, o trabalho com a Seleção Brasileira. O ex-treinador do Corinthians anunciou a primeira lista com os 24 convocados para o amistoso contra os Estados Unidos, dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Nela estão Neymar, Paulo Henrique Ganso e André, do Santos. E algumas surpresas como Ederson, do Lyon, o goleiro Renan, do Avaí, e o lateral Rafael, do Manchester United. O Santos liderou com quatro convocados. Mano Menezes chamou 12 jogadores que atuam no futebol brasileiro e outros 12 que estão no Exterior. Mano Menezes chamou 24 jogadores porque vai cortar Hernandes ou Sandro, dependendo do resultado do duelo entre São Paulo e Internacional, pela semifinal da Copa Libertadores. A apresentação vai ser no dia 8 de agosto. A lista dos convocados é a seguinte: Goleiros - Victor, Jeferson, Renan; Zagueiros - David Luiz, Henrique, Réver, Thiago Silva; Laterais - Rafael, Marcelo, Daniel Alves, André Santos; Volante - Sandro, Hernanes, Jucilei, Lucas, Ramires; Meia - Carlos Eduardo, Vederson, Ganso; Atacantes - Alexandre Pato, André, Tardelli, Neymar, Robinho.

Reservas internacionais avançam para US$ 255,923 bilhões

As reservas brasileiras internacionais cresceram em US$ 58 milhões na sexta-feira, no conceito de liquidez internacional, segundo o Banco Central. Com isso, o total das reservas brutas passou de US$ 255,865 bilhões para US$ 255,923 bilhões.

Grêmio volta atrás e promete punir brigões Rodrigo e Jônas

A repercussão da briga entre os jogadores Jonas e Rodrigo, no vestiário, após o jogo contra o Cruzeiro, foi tão forte que o Grêmio resolveu punir os dois jogadores. Segundo o vice-presidente de futebol, Luiz Onofre Meira (que precisa ser demitido do cargo, antes que leve o clube para a 2ª Divisão), os dois infringiram o regulamento interno e por isso receberão advertência e multa. O atacante e o zagueiro se desentenderam depois do empate em 2 a 2 com o Cruzeiro, domingo, na Arena do Jacaré, em Minas Gerais. Ao falar sobre o caso, o presidente Duda Kroeff disse que se tratava de um episódio normal e que não haveria punição. O presidente Duda Kroeff também precisa pedir licença durante uns três meses, para permitir que o clube se recupere no Campeonato Nacional. Até agora, o Grêmio tem passado a impressão de que o seu negócio é mesmo no ramo imobiliário, e não futebol.

Após fraude da Ferrari, Lauda diz que Fernando Alonso não tem "nenhum caráter"

O ex-piloto austríaco Niki Lauda, de 61 anos, que foi tricampeão de F-1, foi duro ao comentar o resultado do GP da Alemanha disputado neste domingo, no circuito de Hockenheim, que teve um resultado fraudado, quando a Ferrari determinou que o líder da prova, o piloto brasileiro Felipe Massa, desacelerasse e desse o lugar para o piloto espanhol Fernando Alonso. "Nunca ouvi na minha vida alguém falar tanta merda. Esse Fernando Alonso não tem nenhum caráter", afirmou Niki Lauda, que correu pela Ferrari entre 1974 e 1977, e teve o pior acidente de sua vida no Grande Prêmio da Alemanha, que era disputado no circuito de Nurburgring. Além dos títulos de 1975 e 1977 pela escuderia italiana, Lauda venceu o campeonato de F-1 em 1984, pela McLaren. No decorrer da prova, Massa era perseguido por Alonso, mas, superior, conseguia segurar o espanhol. Irritado, Alonso reclamou à equipe por rádio que a situação era "ridícula". Na 49ª volta, o engenheiro de Massa o comunicou que o espanhol era mais rápido, questionando se ele havia entendido a mensagem. O brasileiro desacelerou, perdendo a posição para o companheiro de Ferrari. Os brasileiros deveriam tomar uma atitude exemplar, diante da Ferrari: deixar de comprar os carros Fiat, empresa que é dona da Ferrari.

Ferrari pode até ser excluída do Mundial de Construtores por "marmelada"

O caso da monumental "marmelada" produzida pela Ferrari no Grande Prêmio da Alemanha, disputado neste domingo no circuito de Hochenheim, obrigando que o piloto brasileiro desacelerasse para a passagem do espanhol Fernando Alonso, deverá ser levado ao Conselho Mundial da FIA no próximo 10 de setembro, dois dias antes do GP da Itália, em Monza. Além dos US$ 100 mil (cerca de R$ 180 mil) que a equipe italiana terá de pagar como multa, o Conselho pode ainda determinar uma outra pena caso julgue que a Ferrari infringiu os regulamentos da FIA. Esta punição pode variar desde uma reprimenda, uma multa maior, a desclassificação da corrida ou, no pior dos cenários, a exclusão do time do Mundial de Construtores. Vai ficar, é claro, na pena menor, porque ninguém teria coragem de banir a Ferrari do Mundial de Pilotos pela fraude esportiva que cometeu. Caso seja punida no Conselho Mundial, a escuderia italiana ainda pode recorrer à Corte de Apelações da FIA. Segundo o artigo 39 da lei que rege a F-1, a prova deve ser decidida dentro dos fatores desportivos, sem interferência de força maior. "Ordens de equipe que interferem no resultado da corrida são proibidas", diz o texto do regulamento. Assim sendo, uma eventual punição fica a critério da FIA. Massa conseguiu grande largada na prova. Terceiro no grid, ele se aproveitou de uma briga por posições entre Alonso (segundo) e o alemão Sebastian Vettel (pole), da Red Bull, e assumiu a ponta. Bem na prova, o brasileiro segurou a posição por 49 voltas, com seu colega de equipe em segundo, tentando se aproximar, até que veio a mensagem pelo rádio. Massa, em seguida, diminuiu o ritmo e abriu espaço. Alonso ultrapassou e conduziu o carro até a bandeirada final, com o brasileiro sustentando a segunda posição, à frente de Vettel, que ficou em terceiro.

Serra acusa ditador Chavez de apoiar terrorismo e narcotráfico das Farc

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse nessa segunda-feira, em almoço com empresários, que é "inegável" que o ditador da Venezuela, Hugo Chávez, tenha abrigado em seu território as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína). "As árvores da Floresta Amazônica são as principais testemunhas de que a Venezuela abriga as Farc", disse José Serra. Ele acrescentou, referindo-se ao governo do PT: "É inegável que o Brasil sempre simpatizou mais com Hugo Chávez. E é inegável que Chávez abriga essas Farcs". Ele fez a declaração durante almoço com cerca de 500 empresários do LIDE (Grupo de Líderes Empresariais), em São Paulo. Ainda comentando sobre as relações exteriores do Brasil, José Serra disse que o governo Lula está "fazendo filantropia com o Paraguai e a Bolívia", em referência aos reajustes concedidos pelo governo brasileiro na remuneração paga ao Paraguai pela energia de Itaipu. Serra também criticou a postura do governo petista em relação a Cuba: "O Brasil é amigo de Cuba? Pois bem, use essa amizade para libertar presos políticos e não para deixar esse problema para a Espanha".

Índios aceitam troca de reféns em usina hidrelétrica do Mato Grosso

O grupo de indígenas de 11 etnias que invadiu na manhã de domingo a usina hidrelétrica de Dardanelos, no Rio Aripuanã (a 383 quilômetros de Cuiabá), Mato Grosso, aceitou trocar os cerca de 150 funcionários que eram mantidos como reféns por cinco engenheiros no começo da noite de sábado. De acordo com o chefe da etnia rikbaktsa, Jair Tsaidatase, os engenheiros e gerentes da hidrelétrica se ofereceram para ficar no lugar dos trabalhadores. A troca aconteceu por volta das 20 horas. De acordo com o chefe do núcleo de apoio local de Juína (a 729 quilômetros de Cuiabá) da Funai, Antônio Carlos Ferreira de Aquino, os índios contestam procedimentos que eles julgam equivocados no licenciamento ambiental da usina. "Não foram considerados aspectos da situação dos índios. A empresa dinamitou a parte de um sítio arqueológico. A construção está fora da área dos índios, mas sobre um sítio arqueológico que foi cemitério indígena e tem valor inestimável para eles", diz. Essa história de índio tomando refém todos os dias no Brasil precisa ter um basta.

Chefe comunista torturador do Khmer Vermelho é condenado a 35 anos de prisão no Camboja

Kaing Guek Eav, chefe torturador do antigo regime do Khmer Vermelho, mais conhecido como "Duch", foi condenado nesta segunda-feira a 35 anos de prisão pelo tribunal internacional pelo genocídio do Camboja, após ser declarado culpado de crimes contra a humanidade. O julgamento de Eav aconteceu em 2009. Na época, ele confessou a participação na morte de cerca de 12 mil pessoas, mas pediu perdão às famílias e alegou que fazia apenas por medo de contrariar o regime. Integrado por juízes cambojanos e estrangeiros, um tribunal internacional foi formado em 2006 para fazer justiça às vítimas e encerrar assim uma das páginas mais terríveis da história do Camboja. Duch é o primeiro condenado dos cinco réus do tribunal por envolvimento nos crimes cometidos durante o regime comunista cambojano que produziu o maior genocídio recente da história, assassinando cerca de 1,7 milhão de pessoas.

Rio Grande do Sul neste momento enfrenta fortes ventos

O Rio Grande do Sul está enfrentando nesta noite de domingo fortes ventanias, decorrentes de uma forte frente fria que entrou no Estado, conforme previsão do Metsul, conforme se verifica na imagem do satélite (na foto). Em Canguçu, durante o dia, foram registradas raadas de vento de 66 quilômetros por hora. O centro de baixa pressão que avança do Norte da Argentina, passando pelo Oeste do Uruguai, deu origem neste domingo na região do Rio da Prata a processo chamado de ciclogênese explosiva, ou seja, rápida formação de um ciclone extratropical intenso. O Uruguai deve ter forte ventania em cidades costeiras do Sul e do Leste do país com prováveis estragos. No sábado a Meteorologia de Montevidéu colocou a costa no nível máximo de alerta e advertiu para vento até com força de furacão, isto é, acima de 120 quilômetros horários.