terça-feira, 27 de julho de 2010

Produção de minério de ferro no Brasil deve chegar a 1 bilhão de toneladas em 2030

A produção de minério de ferro do Brasil vai chegar a 1 bilhão de toneladas em 2030, segundo projeção do Ministério de Minas e Energia. Atualmente, essa produção gira entre 380 milhões e 400 milhões de toneladas por ano. Os dados fazem parte do Plano Mineral 2030, que será lançado pelo governo na segunda quinzena de agosto. A estimativa leva em conta um crescimento médio de 5,1% da economia brasileira nos próximos 20 anos, e de 3,8% da economia mundial. Ao mesmo tempo, a produção de aço chegará a 103 milhões de toneladas, diante de um consumo projetado de 72 milhões de toneladas. Em 2009, as siderúrgicas brasileiras produziram 26,5 milhões de toneladas de aço, de acordo com números do Instituto Aço Brasil.

Brasil capta US$ 750 milhões em bônus com menor taxa da história

O Tesouro Nacional anunciou nesta terça-feira que foram captados US$ 750 milhões na reabertura de bônus em dólares com vencimento em 22 de janeiro de 2021, com a menor taxa de retorno ao investidor (yield, ou rentabilidade dos bônus) da história, de 4,547% ao ano. O resultado é parcial e leva em conta as negociações na Europa e nos Estados Unidos. A oferta ainda pode ser estendida no mercado asiático em até US$ 75 milhões. O Global 2021 ainda teve cupom de juros de 4,875% ao ano (também o menor da história), que será pago semestralmente. Os coordenadores da emissão foram os bancos Deutsche Bank e Merril Lynch. O Global 2021 foi negociado inicialmente em 15 de abril deste ano e levantou US$ 787,5 milhões, com um cupom de 4,875% e taxa de retorno ao investidor de 5% ao ano. O lançamento global de bônus de hoje foi o sétimo realizado pelo Tesouro desde janeiro do ano passado, o segundo em 2010. Nos seis anteriores, foram captados US$ 4,887 bilhões. O Global 2019 N, negociado em janeiro de 2009 e com emissão reaberta em maio e dezembro do ano passado, levantou US$ 1,025 bilhão (taxa de retorno de 6,127% ao ano), US$ 750 milhões (yield de 5,8% ao ano) e US$ 525 milhões (4,75% ao ano), respectivamente.

BNDES prevê aumento de 17% em crédito para setor de energia elétrica

O BNDES prevê uma expansão de 17% na concessão de crédito para o setor de energia elétrica neste ano. A estimativa do banco aponta desembolsos de R$ 16 bilhões para projetos de usinas hidrelétricas, linhas de transmissão e outros, contra a liberação de R$ 13,7 bilhões em 2009. Em 2008, os desembolsos haviam somado R$ 8,5 bilhões. Segundo o gerente do Departamento de Energia do BNDES, Alexandre Espósito, o crescimento do volume de recursos liberados se deve à inclusão de grandes projetos na carteira de financiamento do banco nos últimos anos, cujas obras começam a deslanchar agora. É o caso, por exemplo, das duas usinas do rio Madeira que estão em construção. De 2003 a 2007, o BNDES emprestou R$ 62 bilhões para projetos com capacidade de geração de 26 mil MW, dos quais 20 mil MW são de usinas hidrelétricas.

Ex-deputado acusado de encomendar assassinatos morre em São Paulo

Morreu na tarde desta terça-feira, em São Paulo, o ex-deputado estadual do Amazonas e apresentador de TV Wallace Souza, de 51 anos. Ele estava internado desde 18 de março no Hospital Bandeirantes, na capital paulista, sob custódia da Polícia Federal. Souza teve uma parada cardíaca. Segundo nota de falecimento do hospital, Souza sofria de uma ascite refratária decorrente da síndrome de Budd-Chiari (doença do fígado). O ex-deputado era acusado de encomendar mortes para exibir em seu programa de televisão, chamado "Canal Livre". Era também suspeito de estar por trás de um plano para matar uma juíza federal e de participação em crimes como formação de quadrilha e associação para o tráfico. Wallace Souza foi preso em outubro do ano passado, e, desde o dia 16 de fevereiro, cumpria uma parte da prisão em casa. Seu filho mais velho, Raphael Souza, 26, está preso por acusação nos mesmos crimes do pai. No final de 2009, Wallace foi expulso do PP, e a Assembléia Legislativa do Amazonas decidiu cassar seu mandato.

Campanha de Dilma criará comitês suprapartidários para cooptar políticos "infiéis"

O comando da campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência decidiu instalar comitês suprapartidários nos 15 Estados que oferecem palanques duplos para a petista. A estratégia definida pelo conselho político da campanha é para acalmar os ânimos dos candidatos da base governista que disputam a atenção da presidenciável e do presidente Lula. Os escritórios serão formados por representante dos 10 partidos aliados e servirão para cooptar políticos "infiéis" dispostos a apoiar informalmente Dilma apesar de seus partidos estarem fechados com outros presidenciáveis. Os comitês serão exclusivos para a divulgação da campanha de Dilma, servindo como uma nova vitrine para as bandeiras da petista.

Fotografias perdidas de Ansel Adams podem valer US$ 200 milhões

Especialistas confirmaram nesta terça-feira que negativos de fotografias comprados por US$ 45,00 em um mercado de antiguidades em Los Angeles são obras perdidas do fotógrafo Ansel Adams e podem valer até US$ 200 milhões. Rick Norsigian, um pintor, foi quem achou os negativos no mercado de pulgas há dez anos. São duas pequenas caixas com 65 filmes em placas de acrílico. A obra estava embrulhada em papel jornal datado de 1942 e 1943. A confirmação da autoria das imagens se deu na segunda-feira. Robert Moeller, especialista em arte, confirmou após um ano e meio de estudos da obra, que existe "alta probabilidade" dessas imagens serem de autoria de Adams, considerado o pai da fotografia nos Estados Unidos. As imagens feitas nos anos 20 estavam perdidas até agora e muitos acreditavam que tivessem sido perdidas num incêndio que atingiu o laboratório do artista em 1937, em que se queimaram 5.000 placas fotográficas.

Justiça nega transferência de Suzane von Richthofen para centro de ressocialização

A 1ª Vara das Execuções Criminais de Taubaté negou nesta terça-feira o pedido de transferência de Suzane von Richthofen para um centro de ressocialização. Ela está presa na penitenciária de Tremembé (a 147 quilômetros de São Paulo), condenada a 38 anos de prisão por tramar e participar do assassinato dos próprios pais em 2002. Em sua decisão, a juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani de Menezes afirma que "o fato da detenta apresentar bom comportamento carcerário, por si só, não lhe confere direito à pretendida transferência, já que para tanto outros requisitos são necessários". Ontem, o promotor do caso, Paulo Rogério Bastos, afirmou que Suzane preenche o perfil para cumprir pena em um centro de ressocialização e emitiu parecer favorável.

Serra diz que "tática do medo" é "bobagem"

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, classificou nesta terça-feira de "bobagem" a afirmação de sua adversária, Dilma Rousseff (PT), de que a oposição prega a "tática do medo" para desconstruir a imagem da petista, como teria ocorrido nas eleições de 2002. Sem polemizar com Dilma, Serra disse que prefere discutir temas importantes para o País. "Isso é bobagem. Eu quero debater propostas para os problemas do País e dos Estados", afirmou. Dilma acusou nesta terça-feira o tucano, durante visita a Pernambuco, de olhar para o "retrovisor" e estimular o medo na população. Em sua passagem por Palmas, Serra evitou comentar temas nacionais ou ligados a Dilma. O tucano classificou de "tró ló ló" e "ti ti ti"os assuntos relacionados ao seu embate com a petista. "Quero falar mais do Tocantins. Depois eu falo do ti ti ti e do tró ló ló", afirmou ele. O tucano se recusou a responder perguntas ligadas a Dilma, priorizando temas relacionados ao Estado. O principal ato de campanha de Serra em Palmas foi uma caminhada na avenida central da cidade, que durou mais de uma hora. Serra tem o apoio do candidato ao governo do Estado, Siqueira Campos (PSDB).

Arcebispo de Caracas ratifica críticas ao ditador Chávez na Assembleia Nacional venezuelana

O arcebispo de Caracas, cardeal Jorge Urosa, ratificou nesta terça-feira, diante da Assembléia Nacional, sua opinião de que o ditador venezuelano, Hugo Chávez, e seus deputados, violam a Constituição com seu plano socialista, em uma sessão a portas fechadas, à qual a imprensa não teve acesso. Urosa, que aceitou o convite feito pelos membros da direção do Legislativo para explicar suas acusações, não alcançou seu objetivo de que a interpelação fosse transmitida ao vivo pela rede de emissoras estatais de rádio e televisão do país. O canal opositor "Globovisión" disse que o cardeal leu um documento diante dos membros da Comissão Coordenadora da Assembléia Nacional no qual deixou claro que emitiu opiniões, mas que não foi sua "intenção" fazer acusações ou denúncias. Também disse, segundo o canal, que as opiniões que emitiu sobre a vida política e social do país estão amparadas nos valores da democracia, nos direitos humanos e no pluralismo, consagrados na Constituição da República, e que sua pregação é religiosa "e de moral tanto individual quanto social", e não partidária. "O cardeal manteve valentemente sua posição, em termos muito respeitosos, muito sérios e muito responsáveis e assinalou que há leis aprovadas pela Assembléia que violam a Constituição", afirmou aos jornalistas o deputado Ismael Garcia, do partido opositor Podemos. A presidente da Assembléia Nacional, Cilia Flores, discursou no início da sessão e foi seguida por Urosa. A polêmica entre a hierarquia eclesiástica, o governo e a Assembléia Nacional, de maioria capacha do ditador Chavez, surgiu no início de julho, quando o cardeal disse que o clown bolivariano violava a Constituição ao querer impor uma "ditadura comunista" no país e que era apoiado por deputados. O presidente disse que ele era um "troglodita" e um "indigno" e que, desde então, praticamente diariamente se refere a ele, cumprindo o compromisso que assumiu publicamente de criticá-lo por "toda a vida".

Moreira Franco deixa CEF para se integrar ao comando da campanha de Dilma

Em uma conversa com o presidente Lula, Wellington Moreira Franco informou que deixa nesta terça-feira a vice-presidência da Caixa Econômica Federal para se integrar ao comando da campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência. O ex-governador do Rio de Janeiro será o representante do PMDB na coordenação da campanha, responsável especialmente pela da mobilização de congressistas e prefeitos peemedebistas. Segundo interlocutores, o encontro com o presidente Lula foi um gesto de agradecimento e uma oportunidade para prometer empenho na campanha. A reunião contou com a presença do presidente da Câmara e do PMDB, Michel Temer, vice de Dilma.

Serra sinaliza que irá rever trem-bala e que fará 300 quilômetros de metrô

O candidato José Serra (PSDB) sinalizou nesta terça-feira que, se for eleito, vai rever a criação do trem-bala ligando São Paulo ao Rio de Janeiro. Serra disse que, com os gastos da construção do trem, o governo federal poderia finalizar a ferrovia Norte-Sul, construir a rodovia Transnordestina, a rodovia Campinas-São Paulo (passando por Viracopos), além de 300 quilômetros de metrô nas principais capitais brasileiras. "É preciso que o País debata se vale a pena fazer 300 quilômetros de metrô, mais Campinas-São Paulo, mais Norte-Sul e Transnordestina ou faça o trem-bala", disse ele. Serra afirmou que pretende discutir o tema durante a campanha eleitoral: "Estou aberto para o debate, para ouvir os argumentos contrários. Se me convencerem, tudo bem. Se me convencerem do outro lado, melhor". O tucano afirmou que, apesar de estar estimado em R$ 35 bilhões, o trem-bala vai chegar ao custo de R$ 50 bilhões para o governo federal: "Não tem demanda, o trem não transporta carga. O governo vai ter que dar todo o dinheiro".

Índios desocupam usina invadida em Mato Grosso

Os cerca de 300 índios de nove etnias que invadiram no sábado o canteiro de obras da Usina Hidrelétrica de Dardanelos, em Aripuanã (no noroeste de Mato Grosso, a 976 quilômetros de Cuiabá), fecharam um acordo para a desocupação imediata do local. O desfecho foi obtido após quase dois dias de negociações com representantes da Funai, do Ministério Público Federal, do governo de Mato Grosso e da empresa Energética Águas da Pedra (consórcio construtor da usina, formado pelas empresas Neoenergia, Eletronorte e Chesf). A empresa confirmou o fim da invasão e disse que os índios "estão se retirando do local e voltando pacificamente para suas comunidades". Segundo Salatiel Araújo, secretário-adjunto de Qualidade Ambiental da Sema (Secretaria Estadual do Meio Ambiente), os índios concordaram com a oferta de um pacote de medidas nas áreas de saúde, educação e desenvolvimento sustentável. "O documento não prevê valores, mas estipula diversos programas e melhorias nestes três eixos, como a construção de escolas, ampliação de postos de saúde e a implantação de programas para piscicultura e coleta de castanha", disse Araújo. Os índios exigiam ser compensados pelos impactos ambientais e arqueológicos da obra, que está em fase final de construção no rio Aripuanã e terá capacidade instalada de geração de 261 megawatts.

Presidente da Colômbia rejeita internacionalizar processo de paz com as Farc

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, rejeitou nesta terça-feira a possibilidade de trazer atores internacionais para o processo de paz com a organização terrorista e traficante de cocaína Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), pois isso daria "oxigênio" aos rebeldes. Para Uribe, que deixa o cargo em 7 de agosto, após oito anos como presidente, a organização terrorista e traficante de cocaína ainda pode voltar a ameaçar, apesar das derrotas que seu governo impôs aos rebeldes. "Sabemos que a cobra do terrorismo quando sente que está encurralada e que está com uma corda no pescoço pede processos de paz, para que afrouxemos a forca e para que ela possa tomar oxigênio e voltar a envenenar", disse num ato de despedida no Ministério da Defesa. Depois denunciou que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o Exército de Libertação Nacional (ELN) querem "internacionalizar o pedido de oxigênio", e enfatizou que seu governo não vai cair nessa "armadilha". "Alguns querem fazer a Colômbia errar de novo e afrouxar a corda no pescoço da cobra", disse Uribe. A declaração ocorre num momento de crise com a Venezuela por causa da acusação de Uribe de que o governo socialista de Hugo Chávez seria tolerante com a presença de 1.500 guerrilheiros colombianos no território venezuelano. Chávez reagiu rompendo relações diplomáticas com Bogotá. A Colômbia solicitou à Organização dos Estados Americanos (OEA) que envie uma comissão para analisar as denúncias, e insistiu que seu objetivo não é confrontar o país vizinho, e sim acabar com a organização terrorista e traficante de cocaína.

Cineasta esquerdóide Oliver Stone se desculpa por comentários sobre judeus

O diretor esquerdóide Oliver Stone se desculpou por meio de um comunicado pelos comentários feitos por ele ao jornal "Sunday Times", de Londres, a respeito do Holocausto e do que ele chamou de "dominação judaica da mídia". "Na tentativa de fazer um ponto histórico mais amplo sobre a série de atrocidades cometidas contra muitas pessoas, fiz uma associação infeliz sobre o Holocausto, pela qual eu lamento e muito", disse o esquerdóide Stone no comunicado divulgado por seu agente. O esquerdóide Oliver Stone é amigo de notórios antissemitas, os quais glorifica, como o caricato ditador venezuela Hugo Chavez, e o nazista islâmico Ahmad Ahmadinejad. "Os judeus, obviamente, não controlam a mídia ou qualquer outra indústria. O fato de o Holocausto ainda ser um assunto muito importante, vivo e atual é, na verdade, um grande crédito para o trabalho duro de uma ampla coalizão de pessoas comprometidas com a lembrança dessa atrocidade, e foi uma atrocidade", disse o cineasta esquerdóide. Uma entidade judaica norte-americana acusou o cineasta de antissemitismo na segunda-feira. Em entrevista ao "Sunday Times", ele respondeu a uma questão sobre o por que focou no Holocausto no seu mais recente projeto: "A dominação judaica da mídia. Eles ficam em cima de qualquer comentário, é o lobby mais poderoso de Washington. Israel ferrou a política externa dos Estados Unidos por anos", comentou o esquerdóide amante de antissemitas e totalitários nazistas. "Suas palavras evocam algumas das noções mais estereotipadas e é cúmplice de indevidas falácias sobre o poder judaico e sua influência", disse líder da entidade ao "The Hollywood Reporter".

Banco Central diz que juro dos empréstimos ao consumidor é o menor desde 1994

A migração de clientes de linhas de crédito mais caras para financiamentos mais baratos reduziu a taxa de juros paga pelas pessoas físicas em junho para o menor patamar desde 1994. Segundo dados do Banco Central, a taxa média recuou para 40,4% ao ano. No mesmo período do ano passado, estava em 45,6%. "Não dá para dizer que os bancos reduziram os juros. O que houve é uma migração para modalidades de crédito mais baratas", disse o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes. A maior parte da queda se deve à redução do "spread" bancário, a parcela que embute risco, impostos e lucro dos bancos, que caiu 7,2 pontos percentuais no período. A queda só não foi maior devido ao custo de captação de recursos dos bancos, que subiu por conta do aumento da taxa básica de juros. Os juros para empresas ficaram praticamente estáveis nessa comparação e estão em 27,3% ao ano. Dados parciais até o dia 15 de julho mostram que os juros e "spreads" para pessoas físicas ficaram estáveis.

Justiça livra senador Mão Santa da Lei da Ficha Limpa

O Tribunal de Justiça do Piauí anulou nesta terça-feira uma decisão colegiada do próprio tribunal que enquadrava o senador Mão Santa (PSC-PI) na Lei da Ficha Limpa. Ele concorre à reeleição. Quando era governador do Estado, em 1996, Mão Santa foi condenado por propaganda institucional indevida, que segundo a acusação fez promoção pessoal dele. O Estado usava a logomarca "O Piauí em boas mãos", que faz referência ao nome pelo qual o político é conhecido. A decisão de primeira instância foi confirmada no ano passado pelo Tribunal de Justiça do Piauí, mas a defesa do réu recorreu com um embargo de declaração que apontou falhas processuais. O embargo foi julgado nesta terça-feira e a decisão colegiada foi anulada. Com esse recurso provido, anulou-se a condenação em segunda instância. O senador voltará a ser julgado por um colegiado do mesmo tribunal.

Premiê de Israel se encontra com rei Abdullah 2º da Jordânia

O premiê israelense Binyamin Netanyahu manteve conversações sobre o processo de paz no Oriente Médio com o rei Abdullah 2º da Jordânia durante uma visita surpresa nesta terça-feira a Amã. "O encontro durou mais de duas horas. O rei e Netanyahu falaram com clareza e franqueza sobre medidas possíveis para fazer progredir o processo de paz", declarou um alto funcionário jordaniano. O rei da Jordânia se reuniu na véspera com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas. "Estas reuniões fazem parte das tentativas que a Jordânia está fazendo com todas as partes para chegar a uma solução de paz baseada na existência de dois Estados, um palestino e outro israelense", acrescentou a fonte. A última reunião entre os dois líderes havia ocorrido em maio de 2009, no primeiro encontro após Netanyahu assumir o poder em 31 de março de 2009. Ainda na segunda-feira Netanyahu pediu aos palestinos que iniciem o quanto antes as conversações diretas com Israel, em declarações feita na comissão de Relações Exteriores do Knesset, o Parlamento de Israel. "Agora é preciso passar sem demora às negociações diretas", declarou, acrescentando que os Estados Unidos e Israel já concordaram sobre a necessidade de passar para este estágio das negociações. Netanyahu, no entanto, acusou a ANP (Autoridade Nacional Palestina), presidida por Mahmoud Abbas, de "querer evitar as negociações diretas". "Da nossa parte, estamos dispostos a iniciar negociações diretas na próxima semana", acrescentou, em declarações transmitidas pela rádio israelense. Netanyahu afirmou ainda que os palestinos procurarão que a Liga Árabe, que tem previsto reunir-se na quinta-feira, no Cairo, apoio em sua negativa de negociar diretamente com o Estado de Israel.

Estados Unidos investigam analista de inteligência em caso de vazamento de documentos

O Pentágono investiga se o analista de inteligência Bradely Manning é o responsável pelo vazamento de cerca de 91 mil documentos militares sobre a guerra do Afeganistão. O analista, de 22 anos, foi detido em maio, depois que um hacker, Adrian Lamo, denunciou que Manning teria feito downloads de 260 mil documentos e os enviado ao site de denúncias Wikileaks. No último dia 5 de julho, o Pentágono apresentou denúncias contra Manning, acusado entre outras coisas de ter enviado ao Wikileaks um vídeo de um ataque aéreo americano no Iraque em julho de 2007. O vídeo questiona a versão oficial sobre como o Exército dos Estados Unidos matou 11 iraquianos, entre os quais havia um fotógrafo e um motorista que trabalhavam para a agência de notícias Reuters. As imagens mostram, desde a visão de um piloto de um helicóptero Apache, os disparos contra um grupo, com homens armados e outros sem armas, que andavam pela rua em um bairro de Bagdá. No vídeo, podem ser ouvidos os gritos de militares celebrando as mortes, dizendo "vejam esses bastardos mortos", enquanto outro pede permissão para disparar contra um homem que parou seu veículo para ajudar os feridos. O porta-voz do Pentágono, o coronel Dave Lapan, disse, nesta segunda-feira, que o Departamento de Defesa lançou uma ampla investigação para descobrir quem divulgou o material, mas reconheceu que Manning é suspeito. "É alguém a quem estamos analisando de perto", afirmou Lapan sobre Manning, garantindo, porém, que ele não é a única pessoa investigada pelo caso de vazamento. A Wikileaks, uma organização que se dedica a denunciar más práticas na Internet, publicou no domingo à noite em seu site a maior parte dos documentos sobre a guerra do Afeganistão, sob o título "Diário da guerra afegã". Os documentos se referem a atividades entre janeiro de 2004 e 2010. Além disso, reservou outros 15 mil documentos a pedido de sua fonte, embora, assegure que eles seriam publicados posteriormente após a ocultação de dados que possam ser prejudiciais. Entre outras coisas, os relatórios militares revelam operações encobertas, mortes de civis que nunca tinham sido divulgadas e denunciam a ajuda dos serviços secretos paquistaneses ao movimento Taleban.