domingo, 8 de agosto de 2010

Prefeito Chico Galindo, de Cuiabá, e Qualix, são destaques na revista Veja

A edição da revista Veja que está nas bancas, na sua coluna Holofote, editada pelo jornalista Felipe Patury, diz: "Praticamente 'invisível' desde que assumiu a Prefeitura de Cuiabá, em março passado, o discreto prefeito Francisco Galindo (PTB) acaba de ganhar notoriedade nacional". A Veja relata a gravidade a que chegou o problema do lixo em Cuiabá, e a quase insolvência da empresa Qualix Ambiental S.A, que atuava na coleta e gestão do aterro sanitário na capital. Com o título "Na lata do lixo", a nota do jornalista Felipe Patury afirma que Galindo foi obrigado a encerrar o contrato com a Qualix porque a empresa não tinha como colocar a sua frota na rua, tamanha crise. Segundo a nota, a situação pré-falimentar "quase tirou do mercado uma das mais conhecidas empresas do setor, que já atendeu pelo nome de Enterpa e ainda atua em sete cidades". "Com faturamento na casa de R$ 1 bilhão por ano, a Qualix deve um terço disso a curto prazo. Contraído por seu antigo dono, o grupo argentino Macri, o débito foi assumido em março pela empreiteira Conspavi, que pretendia tornar-se conhecida nacionalmente. Fracassou. Às vésperas da insolvência, a Qualix foi assumida pelo fundo Arion Capital", afirma a nota de Veja. O empresário Luiz Carlos Félix, o "Caxito", é o dono da Conspavi e ex-amigo dileto do ex-prefeito Wilson Santos (PSDB), candidato ao Governo do Estado. Os dois romperam depois que começaram a surgir problemas da obra da "ETA Tijucal", inclusive, alvo de denúncias de má gestão no PAC de Cuiabá. Estas informações e muitas outras mais foram publicadas com exclusividade pelo blog Videversus (http://poncheverde.blogspot.com) no dia 19 de julho. O Editor de Videversus, jornalista Vitor Vieira, avisou o prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti (PDT), sobre a grande possibilidade de colapso da Qualix também na capital gaúcha, onde faz a coleta do lixo. Videversus não recebeu qualquer retorno das autoridades públicas de Porto Alegre. Aliás, apenas um retorno, indireto. Na última segunda-feira, a publicitária Clarissa Dornelles, da agência Martins & Andrade, mandou e-mail ordenando que Videversus retirasse de seu site o banner com publicidade da prefeitura de Porto Alegre. Parece que as autoridades públicas de Porto Alegre não podiam ser mais explícitas. O fundo de investimento Arion Capital assumiu o controle da Qualix em nome dos bancos credores da empresa, que já micaram em mais de 300 milhões de reais emprestados. O ex-dono da Qualix, o argentino Macri, está sendo investigado pela Polícia Federal por desvio de evasão para o Exterior de maneira ilegal. Só com o banco Prime a dívida da Qualix é de mais de 50 milhões de reais micados. O papel do fundo de investimentos Arion parece ser o mais claro possível: encerrar as atividades da empresa sem grande barulho. O contrato de coleta de lixo da Qualix com a prefeitura de Porto Alegre vence no próximo ano, mas não há qualquer sinal de que a administração pública da capital gaúcha esteja providenciando na elaboração do edital de uma nova licitação. E o prefeito José Fortunati está amplamente avisado de que uma licitação desta ordem demora em torno de um ano. Não haverá justificativa para uma renovação emergencial de contrato no próximo ano, como é costume no setor público. Isso está acontecendo em Canoas, ao lado de Porto Alegre, onde a gestão petista renova contrato de recolhimento de lixo, sem licitação, com a empresa Vega. E o Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul não se sente ultrajado por isto.

Ministro Joaquim Barbosa é flagrado em festa em bar de Brasília, apesar de estar em licença média

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, que está de licença por recomendação médica, alegando que tem um "problema crônico na coluna" e, por isso, enfrenta dificuldade para despachar e estar presente aos julgamentos no plenário do Supremo, não tem problemas para marcar presença em festas de amigos ou se encontrar com eles em um conhecido restaurante-bar de Brasília. Na tarde de sábado, ele estava com amigos no bar do Mercado Municipal, um point da Asa Sul, em Brasília. Na noite de sexta-feira, ele esteve numa festa de aniversário, no Lago Sul, na presença de advogados e magistrados que vivem em Brasília. Joaquim Barbosa está em licença médica desde 26 abril. Se cumprir todos os dias da mais nova licença, ele vai ficar 127 dias fora do Supremo só neste ano. Em 2007, ele esteve dois dias de licença. Em 2008, ficou outros 66 dias licenciado. Advogados e colegas de tribunal reclamam que os processos estão parados no gabinete do ministro. No sábado, Barbosa ficou irritado com a presença da reportagem do jornal O Estado de S. Paulo no restaurante. Negou-se a dar entrevista, mas começou a fazer crítica a matéria publicada pelo jornal sobre suas licenças médicas. No texto havia a informação de que Barbosa é o campeão de processos estocados no Supremo. De acordo com estatísticas do tribunal, tramitam sob a sua relatoria 13.193 processos, incluindo os que estão no Ministério Público Federal para parecer. De acordo com Barbosa, o jornal tinha publicado uma "leviandade". O ministro afirmou que a reportagem foi usada por um grupo de pessoas que, segundo ele, quer a sua saída do Supremo. "Mas eu vou continuar no tribunal", disse, irritado. Joaquim Barbosa é assim, ele gosta de ter bastante tempo livre para ouvir as vozes roucas das ruas.

Senador Demostenes Torres quer penalizar usuário de drogas

Se for aprovado o projeto de lei do Senado de autoria do senador Demóstenes Torres (DEM), que tramita na Comissão de Assuntos Sociais, as pessoas que guardarem drogas, mesmo que somente para consumo próprio, poderão receber pena de seis meses a um ano de detenção. A idéia, porém, segundo o senador, não é a de levar o usuário para a cadeia, mas viabilizar o tratamento de dependentes químicos, já que a pena é pequena e pode ser revertida nesse sentido. "Familiares, educadores e o próprio Poder Judiciário ficaram de pés e mãos atados para internar o usuário. Se ele quiser se tratar arruma-se uma clínica, se recusar o tratamento, nada se pode fazer além de assistir a sua autodestruição", diz Demóstenes na justificação da matéria. O objetivo do projeto é facilitar a internação do dependente em clínica especializada.

Comitê adia escolha da logomarca da Olimpíada do Rio

A comissão da Rio-2016 optou por adiar a escolha do logo da Olimpíada e solicitou que as propostas sejam ajustadas. O grupo que tomará a decisão é formado por integrantes do governo brasileiro, do comitê organizador da Olimpíada do Rio e do COI (Comitê Olímpico Internacional). A definição do símbolo para o evento estava marcada para o sábado. Porém, o órgão por meio de uma nota, afirmou que "após as entrevistas (marcadas para esta terça-feira), as agências de publicidade terão até o dia 27 de agosto para apresentar novas propostas ou realizar ajustes nas marcas apresentadas". Ainda de acordo com o comunicado, "esta decisão já estava prevista no edital do processo de seleção caso nenhuma proposta de marca atingisse a pontuação mínima de 96 pontos". No mês passado, a Fifa exibiu o emblema da Copa-2014 e criou polêmica. Com três mãos que formam a Taça Fifa, o logo foi apelidado de "Chico Xavier", por lembrar o rosto do médium, com seu cabelo repartido do lado esquerdo e a mão na face, em momento de psicografia.

Presidente de Honduras pede que Brasil reconheça seu governo

Presidente eleito há um ano em Honduras, Porfirio "Pepe" Lobo pediu que o Brasil e a OEA reconheçam seu governo, citando avanços ocorridos desde o golpe que tirou do poder Manuel Zelaya. Disse Porfírio Lobo: "Estamos fazendo tudo o que podemos para viabilizar uma relação com o Brasil que sempre foi muito cordial. O brasileiro é um povo que gostamos muito e estamos seguros que em um curto tempo conseguiremos normalizar tudo. Sinto que as diferenças que possam existir, as inquietudes que possa ter o governo do Brasil, de pronto eu possa resolver para que tenhamos uma relação muito fluida".

Juan Manuel Santos assume Presidência da Colômbia

Juan Manuel Santos assumiu no sábado a Presidência da Colômbia, no lugar de Alvaro Uribe, com o desafio de impulsionar reformas econômicas e sociais para reduzir a pobreza e o desemprego. "Juro a Deus e prometo ao povo cumprir fielmente a Constituição e as leis da Colômbia", respondeu Santos, quando o presidente do Congreso, Armando Benedetti, lhe tomou o juramento na histórica Plaza de Bolívar. Santos, de 58 anos, foi candidato do "Partido de la U" e venceu o dirigente do Partido Verde, Antanas Mockus.

Irã diz que Estados Unidos alertaram judeus de ataque do 11 de Setembro

O ditador do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou no sábado que os Estados Unidos alertaram os judeus um dia antes dos ataques de 11 de setembro de 2001 e que por isso nenhum "sionista" morreu no World Trade Center. Abrindo mais uma frente de atrito com os Estados Unidos, Ahmadinejad afirmou que os ataques foram exacerbados por Washington e usados como desculpa para invadir o Iraque e o Afeganistão. Falando em uma conferência em Teerã, ele declarou não haver evidência de que o saldo de mortos no World Trade Center foi tão alto quanto o relatado. "Qual foi a história do 11 de Setembro? Durante cinco ou seis dias, e com a ajuda da mídia, eles criaram e prepararam a opinião pública para que todos considerassem um ataque contra o Afeganistão e o Iraque como seu direito", disse em discurso televisionado. "Eles anunciaram que 3 mil pessoas foram mortas nesse incidente, mas não houve relatos que relevassem seus nomes. Talvez vocês tenham visto, mas eu não", acrescentou em entrevista à mídia iraniana. Um total de 2.995 pessoas perderam a vida nos atentados, incluindo 19 sequestradores e todos os passageiros e tripulantes dos quatro aviões usados no ataque, de acordo com cifras oficiais do governo norte-americano.

Fidel aparece de uniforme militar no Parlamento cubano pela primeira vez em quatro anos

O ex-ditador cubano Fidel Castro apareceu de uniforme verde-oliva no sábado no Parlamento pela primeira vez desde que deixou o poder há quatro anos, devido a uma enfermidade. A sessão legislativa extraordinária, transmitida ao vivo por emissoras de rádio e televisão, com a presença da imprensa estrangeira, foi solicitada por Fidel para falar do perigo de uma guerra nuclear se Estados Unidos e Israel atacarem o Irã. Há uma semana de completar 84 anos, Fidel cumprimentou e sorriu aos presentes enquanto entrava no Parlamento. Uma multidão em festa gritava "Longa Vida a Fidel" e "Longa Vida a Raúl", uma referência a seu irmão mais novo que assumiu a Presidência. De pé na tribuna, Castro disse que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, teria que assumir sozinho a ordem de começar um conflito nuclear, mas que "não o fará se estiver consciente disso". "O senhor deve saber que está em suas mãos oferecer à humanidade a única chance real de paz. Só em uma ocasião o senhor poderá fazer uso de suas prerrogativas ao dar a ordem de atirar", declarou Fidel. Ele é a própria encarnação do realismo fantástico.

Nova pesquisa Ibope mostra Tarso Genro na iderança

Pesquisa Ibope sobre as eleições para governador indica que o candidato do PT, Tarso Genro, lidera a disputa ao Piratini com 37% das intenções de voto na modalidade estimulada (quando um disco com os nomes dos candidatos é apresentado aos entrevistados). José Fogaça, do PMDB, aparece em segundo lugar, com 31% das intenções de voto na mesma modalidade. A governadora Yeda Crusius, do PSDB, que disputa a reeleição, ocupa a terceira posição, com 11%. O levantamento, realizado entre os dias 3 e 5 de agosto, indica empate técnico entre os dois primeiros colocados no limite da margem de erro, de três pontos, para mais ou para menos. Em relação à pesquisa anterior do Ibope no Estado, realizada em julho, Tarso perdeu dois pontos (de 39% para 37%), enquanto Fogaça subiu outros dois (de 29% para 31%) e Yeda perdeu quatro (de 15% para 11%).

Iraniana condenada à morte pede que o filho não assista à sua execução

A iraniana Sakineh Mohammadi-Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento em seu país por adultério, disse que as autoridades de Teerã mentem ao afirmar que ela também foi sentenciada por planejar o assassinato do marido. Ela pediu que o filho não assista à execução. Na quinta-feira, Mossadegh Kahnemui, um alto magistrado da justiça iraniana, disse à membros do Comitê para a Eliminação da Discriminação Racial da ONU que "esta mulher, além de duplo adultério, foi considerada culpada de complô para matar seu marido". "Eles mentem. Estão preocupados com o interesse internacional sobre meu caso e tratam, desesperadamente, de distrair a atenção e confundir a imprensa para poder me matar em segredo", declarou Sakineh, de 43 anos, por meio de um intermediário. "Fui declarada culpada de adultério e me absolveram do assassinato, mas o homem que matou meu marido foi identificado e preso, mas não está condenado à morte", disse Sakineh, que tem dois filhos. "É pelo fato de ser mulher. Pensam que podem fazer tudo contra as mulheres neste país", completou ela. Sakineh diz ainda ao jornal que assinou um documento sobre sua condenação à pena capital sem compreender que seria apedrejada, porque não entendeu a palavra árabe utilizada. Declarou ainda que está mais vulnerável sem seu advogado, Mohammed Mostafaie, que fugiu para a Turquia.

Governo Lula vai deixar uma conta de R$ 90 bilhões para próximo presidente

Após oito anos de governo, o presidente Lula deixará a seu sucessor um bolo de pagamentos pendentes de R$ 90 bilhões, segundo estimativa da área técnica. Será um novo recorde, superando os R$ 72 bilhões de contas penduradas que passaram de 2009 para 2010. Essas despesas que passam de um ano para outro são os chamados "restos a pagar" e ocorrem porque os ministérios muitas vezes contratam uma obra que não é concluída até dezembro. Como o governo se comprometeu (empenhou) a pagar a despesa, a conta acaba sendo jogada para o ano seguinte. Os restos a pagar são uma ocorrência rotineira na administração pública, mas a conta se transformou numa bola de neve por causa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). À medida que as obras vão saindo do papel, o volume de despesas que ultrapassa o prazo de um ano vai aumentando, chegando ao ponto em que os restos a pagar são quase iguais ao total de investimentos previsto no ano.

Dilma visita favela, mas fica longe dos moradores

Apesar da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, ter feito um discurso voltado para os jovens, o contato com o público se restringiu a poucos apertos de mãos. Dilma chegou e saiu da Cidade de Deus, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, na sexta-feira, sem percorrer a comunidade e ver de perto os problemas dos moradores. Durante o discurso de 20 minutos, em uma área de lazer da favela, a candidata citou o presidente Lula diversas vezes e alfinetou a oposição. Ao falar sobre programas sociais, Dilma afirmou que eles correm risco nas mãos dos tucanos: “Não adianta dizer que vão dobrar o Bolsa Família, porque quando estiveram no governo, reduziram os programas de renda". A ex-ministra ainda afirmou que a oposição faz o povo de bobo. Dilma dividiu o palanque com políticos e jovens militantes de partidos coligados. Ela pediu votos aos candidatos ao Senado Lindberg Farias (PT) e Jorge Picciani (PMDB).

Revista Veja confirma existência de vídeo de Roriz, candidato-fazendeiro

A revista Veja desta semana publica reportagem de Diego Escosteguy confirmando a existência de vídeo em que o ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, aparece contando o dinheiro a ser pago a um suposto "laranja" dele, além de desvendar alguns negócios do candidato-fazendeiro. A existência do vídeo foi revelada em primeira mão pela coluna do jornalista Claudio Humberto, no dia 17 de julho. Diz o repórter de Veja, Diego Escosteguy: "A cena é espantosa. Joaquim Domingos Roriz, o fazendeiro que fez fortuna às custas dos cofres públicos de Brasília nos últimos 20 anos, cumprimenta o interlocutor, recosta-se na poltrona e arrasta com as mãos uma caixa que estava embaixo da mesa de centro. “Quanto?”, pergunta de chofre o homem que governou por quatro vezes o Distrito Federal, mandatos nos quais distribuiu terras e contratos, colhendo em troca votos e dinheiro. “Foi dez, né?”, responde André Alves Barbosa, o interlocutor, que filmou o encontro na casa de Roriz, no começo deste ano, e cuja família é laranja do ex-governador em imóveis e operações bancárias. Dez, no caso, corresponde a dez mil reais. “Isso tudo?!”, surpreende-se Roriz. O ex-governador retira maços de dinheiro da caixa. E repassa ao laranja. Um, dois, três, quatro... Enquanto conta a dinheirama, Barbosa cobra o pagamento de um empréstimo rural contraído por sua família, cujo beneficiário era, óbvio, Roriz: “Governador, como faz o negócio da fazenda? Vai resolver lá no Banco Real?”. Surgem mais pacotinhos de dinheiro. Diz Roriz: “Depois das eleições (...) vou no banco”. O laranja interrompe: “Vai e ajeita?”. Roriz completa: “Claro! (...) Se preocupar agora é pior”. E aparecem mais pacotinhos. “Seis, né?”, confere o ex-governador. “Falta (sic) mais cinco”, esclarece Barbosa. Dá-lhe pacotinhos em cima da mesa – e o laranja exulta: “Obrigado, governador!”." Osvadino e o neto de Roriz - Mais adiante, a revista conclui: "Na gravação com Roriz, a dívida a que se refere André foi contraída em 1995 por seu avô, Geraldo Alves Barbosa. Somava 210 mil reais e se destinava à criação de gado. O avô-laranja era dono, ao menos no papel, da Agropecuária Estiva. Ele deu como garantia ao banco os 12,5 mil alqueires da Fazenda Queimados, que fica em Goiás. De acordo com André, o laranjinha, tanto a agropecuária quanto a fazenda sempre foram de Roriz. Localizado pela reportagem, Luiz Antônio Barbosa, um dos filhos do avô-laranja, que consta como sócio da agropecuária e como antigo dono da fazenda, disse nunca ter tido qualquer empresa ou imóvel rural. “Nunca tive fazenda, moço. Mas o meu pai já teve coisas com o Roriz”, ele explica. Questionado se era laranja do ex-governador, Luiz Antônio afirmou: “Não posso falar”. O Banco Real executa judicialmente a dívida e pede há anos a penhora da fazenda. Em 2000, contudo, a fazenda mudou de dono – quer dizer, no cartório. A família-laranja ficou com a dívida, mas repassou a propriedade das terras para Osvaldino Xavier, amigo de Roriz e dono da Nely Transportes, empresa que coletava lixo em Brasília. “Ele também é laranja”, diz André. A reportagem foi até a fazenda, para olhar de perto o laranjal. Na entrada do local, uma placa informa que o empresário-amigo Osvaldino é o dono. Mas um funcionário logo avisa: “A fazenda é do Juliano”. E quem é Juliano? Trata-se de Juliano Roriz, neto do ex-governador.

Os gastos ocultos do Palácio do Planalto

No ano eleitoral, a Presidência da República reforçou a caixa preta que mantém em sigilo os gastos do gabinete presidencial com cartão corporativo. A regra de contabilização desses gastos foi alterada, e apenas 1,8% das despesas realizadas para atender às demandas do presidente Lula, de sua família e assessores próximos está detalhado no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), com nome e CPF do funcionário que a executou, e a forma de pagamento: saque em dinheiro ou fatura. De um total de R$ 3,259 milhões gastos este ano pelo gabinete até julho, apenas R$ 5,7 mil estão detalhados. Sobre os outros R$ 3,254 milhões (98,2% do total), o registro no Siafi se limita à forma de pagamento (saque ou fatura), sem informar qualquer outro dado do gasto. No Portal da Transparência do governo, aparece a justificativa: "informações protegidas por sigilo, nos termos da legislação, para garantia da segurança da sociedade e do Estado". A lei, de fato, permite que gastos relativos à segurança do presidente da República e de sua família sejam mantidos sob sigilo, mas o fato é que, com a mudança na forma de contabilização dessas despesas em 2010, o percentual de gastos considerados sigilosos aumentou substancialmente em relação aos anos anteriores.

Sérgio Cabral chama garoto de "otário", e Lula ao lado mostra medo da imprensa e dos prejuízos eleitorais

Um vídeo divulgado na internet mostra o presidente bolivariano Lula e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), em uma verdadeira saia justa. Nas imagens, gravadas na inauguração de obras do PAC de Manguinhos, no fim de maio de 2009, eles conversam com um garoto, que se diz chamar Leandro. O vídeo foi postado no site Youtube na sexta-feira e até a tarde de sábado já tinha 6.175 exibições. A gravação começa com o adolescente dizendo a Lula que gostaria de ter um espaço para praticar tênis. O presidente responde que "tênis é esporte da burguesia" e sugere que ele pratique natação. O adolescente então reclama que a piscina do complexo esportivo local não abre nos fins de semana. No trecho seguinte, Lula aparece se dirigindo a Cabral: "Se a imprensa vem aí no fim de semana e vê essa porra fechada, o prejuízo político vai ser infinitamente maior que colocar dois guardas aí". Na sequência, o Leandro se queixa do barulho do veículo blindado da Polícia Militar, o Caveirão. O governador Sérgio Cabral pergunta se há o tráfico na comunidade e, ao ouvir a negativa do garoto, ele diz: "Deixa de ser otário, você está fazendo discurso de otário. Bota essa inteligência para estudar, sacana". Esse é o aliado querido de Lula no Rio de Janeiro. Imagina o tom da fala do imbecil. Isso não é forma de nenhum adulto falar com um adolescente em público, ainda mais quando o tipo é uma autoridade. Isso até configura crime. A gravação foi divulgada por Ricardo Gama, que postou também no Youtube uma entrevista com Leandro, na qual o garoto conta que o governador prometeu um notebook que nunca foi entregue. Ele diz que hoje tem 18 anos, mas que na época da gravação e da promessa ainda tinha 17. Na conversa com Gama, Leandro diz que se sentiu humilhado pelo governador e chama Cabral de "171", artigo do Codigo Penal que corresponde ao crime de estelionato. O blogueiro pede para o adolescente deixar um recado para o governador, e ele diz: "Sérgio, você tem que parar de ser 71 (sic), você tá pior que os biriteiros. Só fala, fala e nada cumpre. Tem que cumprir sua promessa como governador aqui do meu estado do Rio de Janeiro e não falar palavra chula para o pessoal". O blog de Gama tem uma série de outros posts em que ele ataca o governo de Cabral. Na página, ele pede votos ao candidato ao governo pelo PR, Fernando Peregrino.

Dilma ultrapassa José Serra no Rio Grande do Sul

Pela primeira vez na série de pesquisas Ibope no Rio Grande do Sul para a disputa pela Presidência, Dilma Rousseff (PT) ultrapassou José Serra (PSDB). A diferença entre ambos é de dois pontos percentuais, dentro da margem de erro de três pontos da sondagem. No Rio Grande do Sul, Dilma alcança 42%, contra 40% de Serra. No levantamento anterior, realizado entre 6 e 8 de julho, as posições eram invertidas. Na época, o tucano tinha 46% contra 37% de Dilma. Entre os dois levantamentos, a petista conquistou cinco pontos. Serra, por sua vez, perdeu seis. O Ibope igualmente aponta melhora do desempenho de Dilma na pesquisa espontânea, quando não são apresentados os nomes dos candidatos. A petista ultrapassou Serra, com 33% contra 31%.

Angela Amin lidera em Santa Catarina

Pesquisa do Ibope contratada pelo grupo RBS em Santa Catarina mostra Angela Amin (PP) em primeiro lugar, com 38%, seguida de Raimundo Colombo (DEM), com 23%. A petista Ideli Salvatti surge em terceiro lugar, com 15%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais. Angela também vence em todas as simulações de segundo turno. O Ibope ouviu 812 eleitores entre os dias 3 e 5 de agosto.

Ex-petista e ex-diretor da Previ mostra como funciona a fábrica de dossiês petralhas

Ex-diretor e ex-assessor da presidência da Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil), Gerardo Xavier Santiago disse em entrevista para a revista Veja que o fundo funciona como "fábrica de dossiês" contra a oposição do governo Lula e máquina de arrecadação para o PT. Gerardo Xavier Santiago foi gerente-executivo da Previ entre 2003 e 2007, sendo ligado diretamente ao ex-presidente do fundo, Sérgio Rosa, que deixou o cargo em junho de 2010. Gerardo Xavier Santiago saiu da Previ após brigar com Sérgio Rosa, em 2007, quando deixou o PT. Para revista Veja, ele afirma que o fundo é "um bunker de um grupo do PT" e que "a Previ está a serviço de um determinado grupo muito poderoso, comandado por Ricardo Berzoini, Sérgio Rosa, Luiz Gushiken e João Vaccari Neto". Um dossiê sobre a filha do ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi feito por essa ala do PT, ligada ao sindicalismo bancário. O Planalto atribui o dossiê ao grupo de Sérgio Rosa, que perdeu espaço na campanha de Dilma Rousseff. "Estranharia se na minha época tivessem me pedido coisa semelhante contra o Mantega. Uma coisa é fazer com o adversário. É uma involução do PT por causa da disputa interna", afirmou Gerado Xavier Santiago. Ele também disse que concedeu a entrevista à "Veja" há dois anos e confirmou as acusações à revista nesta semana, antes da publicação. O ex-diretor, que também já foi do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, disse que, além de montar dossiês, a Previ serviu a interesses do partido para aumentar a arrecadação. Segundo ele, a Previ montou uma rede de conselheiros ligados ao PT em empresas nas quais o fundo tem participação. A intenção era influenciar as doações das companhias para beneficiar o partido. Gerardo Xavier Santiago diz que o primeiro dossiê produzido por ele na Previ é de 2002, ainda no governo de Fernando Henrique Cardoso. O material deveria, diz ele, comprometer a gestão tucana e provar a ingerência do governo na Previ. "Dossiês com conteúdo ofensivo, para atingir e desmoralizar adversários políticos, só no governo Lula mesmo, na gestão do Sérgio Rosa", disse o ex-diretor para a revista Veja. Santiago lista os oposicionistas que teriam sido investigados com base em dados sigilosos, cujo acesso teria sido ordenado por Rosa: o senador Antônio Carlos Magalhães (DEM-BA), já morto; o governador José Serra (PSDB) e o então presidente do DEM, Jorge Bornhausen. O ex-diretor diz na entrevista que reuniu denúncias sobre eles em 2005, na CPI dos Correios, e que Rosa solicitou "informações sobre investimentos problemáticos da Previ que estivessem ligados a políticos da oposição".

Polícia Federal prende superintendente do Dnit e diretor de empreiteira

Uma operação da Polícia Federal prendeu na última quinta-feira o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no estado do Ceará, Guedes Ceará, e, em Belém, Aluízio Alves de Souza, um dos diretores da Delta Construções, empresa que mais recebe verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo Lula. Segundo a Polícia Federal, 12 empresas, das quais a maior é a Delta, participavam de um grupo que praticava fraudes em licitações, superfaturamento e desvio de verbas públicas, além de pagamento de obras de infraestrutura rodoviárias que não haviam sido executadas e de realizar serviços com material de qualidade inferior ao contratado. Na relação, estão duas obras do PAC, uma em Natal e outra em Fortaleza.