segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Mantega defende bancos estatais e empréstimos do BNDES

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta segunda-feira em evento na Fieg (Federação das Indústrias do Estado de Goiás) que os empréstimos do BNDES foram fundamentais para a viabilização de investimentos durante a crise econômica mundial, especialmente por conta das taxas de juros reduzidas aplicadas pela instituição. "A taxa de juros é um problema crônico no Brasil e reduz a competitividade do empresário brasileiro frente a países que têm taxas de juros menores", afirmou. Mantega ainda defendeu a atuação das empresas públicas na concessão de crédito durante a crise: "Foi uma necessidade. Não é que o governo quer ocupar o setor com os bancos públicos. Elas cumpriram a sua missão e hoje o setor privado volta com força, atendendo a necessidade de crédito do País". O ministro ainda apontou a importância de o governo ter mantido os investimentos com infraestrutura e citou como exemplo os gastos com o PAC. Ele negou, contudo, que o governo apresente um viés estatizante: "É uma posição pragmática. Quando o setor privado não tem condições, temos que entrar. Acho que agora o BNDES não terá mais esse papel. Temos de dar condições para que o setor privado possa oferecer credito".

Ex-funcionários da Qualix em Cuiabá protestam e cobram pagamento de rescisões

Cerca de 100 funcionários demitidos pela Qualix Serviços Ambientais Ltda após a rescisão unilateral do contrato com a prefeitura de Cuiabá na prestação de serviços de coleta de lixo protestaram na sexta-feira, em frente à sede da empresa, na Avenida Beira Rio, na capital matogrossense, e impediram até às 9 horas que os caminhões, responsáveis pela coleta de resíduos sólidos, saíssem às ruas. Eles reivindicavam o pagamento de verbas rescisórias que, somadas, ultrapassam a ordem de R$ 1 milhão. Com a contratação de nova empresa para a execução do serviço, a Delta Construções, apenas 50 funcionários que trabalhavam na Qualix foram recontratados, e os demais ficaram desempregados. De acordo com o ex-motorista da empresa, Adelson Leite, essa não é a primeira vez que a Qualix descumpre compromissos feitos aos funcionários: “Sempre tivemos que reclamar para conseguir receber sacolão e vale-transporte, que era nosso por direito”. Conta ainda que das seis atas assinadas entre empregador e empregado nenhuma foi devidamente cumprida. Além do recebimento de salário, juntamente com os valores referentes à rescisão contratual, os ex-funcionários se mostram preocupados com a entrada no seguro-desemprego até que consigam novo trabalho. Os representantes da Qualix na negociação chegaram a chamar a polícia. Aproximadamente seis viaturas da Polícia Militar compareceram ao local, mas, como não houve nenhum tipo de atitude agressiva por parte da categoria, não se fez necessária a interferência policial. A mobilização teve fim quando a advogada que estava representado os direitos dos ex-funcionários no caso pediu que fosse aguardado até o final do dia para que a Qualix efetue o pagamento e, se isso não acontecesse, ingressararia com reclamações na Justiça Trabalhista. A Qualix também faz a coleta do lixo de Porto Alegre, e vem atrasando igualmente o pagamento de benefícios dos seus empregados.

Prefeitura de Teresina quer que Qualix mude frota para renovar contrato

O procurador geral de Teresina, José Wilson Ferreira de Araújo, informou que a prefeitura está mudando o contrato com a Qualix, empresa que presta serviço de coleta de lixo na capital do Piauí. Entre as exigências está a mudança de toda a frota de caminhões usados na cidade, por 29 veículos novos. Caso as duas partes não entrem em acordo a prefeitura poderá realizar nova licitação poderá decretar o encerramento do contrato atual e abrir uma nova licitação para a coleta dos resíduos sólidos urbanos da capital piauiense. A procuradoria analisa há quatro meses exigências que podem ser feitas em função da série de reclamações por má prestação do serviço. O superintendente de limpeza da prefeitura de Teresina, Vander Maia, acrescentou que a Qualix terá de instalar uma usina de reciclagem de entulho de construção e uma unidade separadora de material reciclável. O prazo para conclusão das obras seria de seis a nove meses. Além disso, a empresa ficará responsável por esterilizar o lixo de hospitais públicos. A Qualix é a única empresa autorizada para realizar a coleta pública de lixo, com orçamento de R$ 104 milhões em cinco anos.