domingo, 17 de outubro de 2010

Metade dos policiais civis gaúchos têm direito de pedir aposentadoria especial

Metade dos policiais civis gaúchos já tem o direito de pedir aposentadoria especial. O Supremo Tribunal Federal garantiu benefício à categoria no País. Para se aposentar, o policial poderá ter 20 anos em atividade de risco e 10 em outras funções. Até então, os agentes da Polícia Civil gaúcha precisavam cumprir 30 anos em atividade de risco. Dos 5,8 mil policiais, 2,9 mil têm o tempo mínimo para se aposentar agora. Essa decisão do Supremo também coloca um grande contingente dos policiais militares, da Brigada Militar, em condições de requerer aposentadoria. É uma coisa impressionante, típica de um Estado corporativo, como se vive no Brasil.

Marina Silva e PV decidem pela neutralidade no segundo turno

A terceira colocada na eleição presidencial, Marina Silva, declarou, durante convenção em São Paulo neste domingo, que se manterá neutra no segundo turno da disputa eleitoral. Ela preferiu chamar a posição de "independência". Na verdade, falou alto a "alma petista" dela. Em cima do muro, sem coragem para tomar uma posição aberta, ela ainda teve a pretensão de dar lição aos dois outros candidatos, em uma carta aberta, na qual criticou a polarização política entre PT e PSDB e cobrou um avanço maior dos dois finalistas da eleição no compromisso com o programa apresentado pelos verdes a eles. Os discursos feitos antes do de Marina deixaram clara a opção da legenda pela neutralidade. Alfredo Sirkis, vice-presidente do PV, defendeu a independência. Nada a estranhar, já que Alfredo Sirkis também participou de organização terrorista, e jamais fez uma autocrítica a esse respeito. Quem tiver alguma dúvida pode ler o livro que ele escreveu, "Os carbonários".

"Mães" de desaparecidos argentinos viram militantes dos Kirchner

Símbolo argentino na luta pelos direitos humanos, as Mães da Praça de Maio decidiram romper com movimentos sociais opositores e se transformaram em militantes do casal Kirchner, uma dupla muito incompetente de peronistas populistas. Elas agora são presença garantida em eventos na Casa Rosada e assumiram a linha de frente nas lutas do governo contra imprensa, setor agropecuário e Judiciário. Resumindo: de defensoras dos direitos humanos, passaram agora a defender a repressão do governo bolivariano dos Kirchner. Identificadas pelo lenço branco na cabeça, as Mães ficaram conhecidas mundialmente no final dos anos 70, quando começaram a viajar para denunciar o desaparecimento de seus filhos, vítimas do terrorismo da última ditadura argentina (1976-1983). A maioria de seus filhos fazia parte de organizações terroristas, como os Montoneros e o ERP (Exército Revolucionário Popular, do qual fez parte do petista gaúcho Flavio Koutzii). O reconhecimento internacional também motivou o grupo a visitar outros países que enfrentavam ditaduras ou guerras para apoiar grupos de esquerda e organismos de direitos humanos. Recentemente, a associação se alinhou com as posições de Néstor e Cristina Kirchner em função da política de cooptação articulada pelo casal desde que chegou à Presidência, em 2003. Primeiro, eles atenderam a principal reivindicação do movimento ao patrocinar a revogação da lei de anistia, que abriu caminho para que os agentes repressores da ditadura voltassem a ser julgados e condenados. Depois, passaram a liberar verbas milionárias para projetos sociais e históricos gerenciados pelas Mães. Resumindo,as Mães se tornaram uma espécie de "burocratas" privilegiadas. Hebe de Bonafini, a líder do grupo, tem um discurso que é um desastre. Por exemplo, ela apoio o ataque dos terroristas muçulmanos da Al Qaeda contra a Torres Gêmeas em Nova York.

Irmão de diretor da Eletrobras negocia projetos de energia

O irmão do diretor de Engenharia e Planejamento da Eletrobras, Valter Cardeal, homem forte de Dilma Rousseff (PT) no setor elétrico, atua como consultor de empresas interessadas em investir em energia eólica, área que terá R$ 9,7 bilhões em investimentos do PAC 2. Edgar Luiz Cardeal é dono da DGE Desenvolvimento e Gestão de Empreendimentos, criada em 2007 para elaborar projetos no setor. O responsável pela gestão do Proinfa, programa de incentivo ao uso de energias alternativas -como a eólica- é o irmão do empresário. Valter Cardeal é braço-direito de Dilma no setor elétrico há 20 anos. Quando ela secretária de Minas e Energia do Rio Grande do Sul, ele era diretor da CEEE, empresa estadual de energia. Ele também preside o Conselho de Administração da Eletrosul, que gerencia a política energética no Sul, onde atua a empresa do irmão. Edgar oferece a empresas projetos para erguer torres de energia eólica em fazendas cuja locação ele negocia. Sócio de duas empresas do ramo, Ricardo Pigatto relatou ter contratado Edgar para investir em três parques eólicos no Rio Grande do Sul: "Estabelecemos um valor fixo com pagamentos mensais e, depois, uma taxa de sucesso se o negócio der certo". Pigatto disse que firmou três contratos com Edgar, e que os pagamentos mensais eram para custear estudos que viabilizariam o projeto. Pelo contrato, a taxa de sucesso sobre o projeto varia de 0,2% a 10% se o governo comprar a energia ou se o negócio for vendido a terceiros. Um dos parques eólicos, em Pinheiro Machado, está orçado em R$ 1 bilhão. Para esse contrato, firmado com Edgar em maio do ano passado, o pagamento previsto é de R$ 84 mil em 23 meses. Para dar certo, o projeto precisa passar pelo crivo da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e vencer um leilão do governo federal, que passaria a ser comprador da energia produzida.

Deputado federal acusa que foi achacado dentro da Casa Civil da Presidência da República

A revista Veja que está nas bancas revela novos incidentes de extorsão, nepotismo, formação de quadrilha, advocacia administratuiva e maldades de todo o gênero no local, um covil perigosíssimo, a Casa Civil da Presidência da República. A reportagem de Digo Escosteguy começa deste modo: 'Fui extorquido na Casa Civil' . Deputado revela que assessor de Dilma Rousseff exigiu 100 000 reais de propina para agilizar processo que dependia de autorização do presidente Lula. Desta vez o personagem não é Erenice Guerra e sua "famiglia", todos nomeados por Dilma Roussef, mas é  o advogado Vladimir Muskatirovic, conhecido em Brasília como “Vlad”. Escreve Escosteguy: " Ele ocupa a poderosa chefia-de-gabinete da Casa Civil da Presidência da República. Assim como a ex-ministra Erenice Guerra fez carreira no governo à sombra da candidata petista Dilma Rousseff, Vlad fez carreira no governo à sombra de Erenice Guerra. Ele era subordinado de Erenice quando esta ocupava a chefia da assessoria jurídica do Ministério de Minas e Energia. Quando Dilma assumiu a Casa Civil e Erenice levou sua turma junto, Vlad foi o primeiro a acompanhá-las. Apesar de a ex-ministra ter sido apeada do Palácio após vir a público a existência de uma central de corrupção na Casa Civil, Vlad permanece no cargo. Não é por acaso. Além da amizade com Erenice, Vlad mantém relações fraternas com o senador Gim Argello, figura secundária dos subterrâneos de Brasília, que, sabe-se lá por qual razão, caiu nas boas graças de Dilma nos últimos anos. Nos ambientes em que o senador Gim brilha, Vlad é uma celebridade. VEJA descobriu um dos casos que fazem a fama do chefe-de-gabinete. Em 2007, Vlad, já como assessor de Dilma na Casa Civil, cobrou 100 000 reais de propina, e recebeu parte do dinheiro, para resolver uma pendência de um deputado junto à Presidência da República.O deputado chama-se Roberto Rocha, do PSDB do Maranhão. Ele é sócio da TV Cidade, retransmissora da Record no Estado, e de duas rádios. O pedágio foi exigido para que a Casa Civil autorizasse uma mudança societária nessa TV. O que a Casa Civil tem a ver com isso? Tudo. A concentração de poder na Presidência da República é de tal ordem que cabe à Casa Civil ratificar qualquer compra ou venda envolvendo rádios e TVs do País, que são concessões públicas.

Fundador do PT, jurista Hélio Bicudo declara voto em Serra no segundo turno

Um dos fundadores do PT e vice de Marta Suplicy (PT) na prefeitura de São Paulo (2001-2004), o jurista Hélio Bicudo, declarou voto no tucano José Serra no segundo turno das disputa à Presidência da República. Na primeira rodada de votação, Bicudo havia apoiado Marina Silva, do PV, em detrimento da presidenciável petista Dilma Rousseff. "Eu voto Serra no segundo turno porque não há escolha. O Serra é um homem competente, é um homem sério, eu nunca soube absolutamente nada contra o passado do Serra", afirma o jurista, em um vídeo que começou a circular na internet no sábado. Tido como um militante histórico pelos direitos humanos no País, o jurista justificou seu voto alegando que o "continuísmo" do PT no poder "não é democrático". "A alternância de poder é uma característica da democracia", disse. Hélio Bicudo marcou sua atuação na história brasileira no final dos anos 60 e início dos 70, em plena ditadura militar, quando combateu os Esquadrões da Morte, nos quais pontificava o famigerado delegado Sérgio Paranhos Fleury. Nessa época ele foi recrutado pela repressão militar para atuar na caça e tortura de militantes e terroristas de esquerda. Veja a declaração de Hélio Bicudo no video abaixo.

Vendaval derruba nove torres na maior hidrelétrica de São Paulo

Pelo menos nove torres de linhas de transmissão foram derrubadas no início da noite de sábado por um vendaval na usina de hidrelétrica de Ilha Solteira, no extremo noroeste do Estado de São Paulo, na divisa com Mato Grosso do Sul. A usina, a maior do Estado e a terceira maior do País em geração de energia, teve de ser desligada por conta do acidente. As torres caíram dentro do rio Paraná. Outras cinco torres de transmissão tombaram na zona rural, deixando a cidade de Selvíria (MS), a 6 quilômetros da hidrelétrica, no escuro. Na cidade de Ilha Solteira a suspensão de energia foi parcial.

Sarney recebe alta após 11 dias de internação

Após duas semanas internado, o presidente do Senado, José Sarney, de 80 anos, recebeu alta no sábado do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 5 deste mês. Sarney passou por procedimento médico para corrigir uma arritmia cardíaca, no último dia 12. O procedimento (ablação), sem cortes, consiste em dar choques no coração do paciente por meio de um cateter. O objetivo é fazer com que o batimento cardíaco volte ao normal. Por conta da arritmia, Sarney foi hospitalizado na véspera das eleições, no último dia 2, no UDI Hospital, em São Luís, capital do Maranhão. No dia seguinte, os médicos diagnosticaram infiltração de água em seu pulmão. O peemedebista transferiu-se três dias depois para São Paulo, onde passou por bateria de exames. Além da arritmia, ele recebeu cuidados clínicos para tratar uma esofagite (inflamação de uma mucosa do esôfago).

Petrobras apura quebra de norma em convocação fornecedores para ato pró-Dilma

A Petrobras informou no sábado que vai apurar uso do e-mail corporativo da empresa para convocação a ato de apoio à candidatura da petista Dilma Rousseff à Presidência. O jornal O Globo diz que teve acesso a uma mensagem enviada da caixa postal do coordenador de Patrocínio à Música e Patrimônio da estatal, Claudio Jorge Oliveira, na qual ele convoca fornecedores da empresa para um ato político nesta segunda-feira a favor da campanha da candidata. A convocação do e-mail é para a reunião de Dilma com artistas e intelectuais. Ou seja, são artistas e intelectuais de aluguel, que vivem às custas da Petrobras, e são tratados por ela como profissionais alugados que têm que comparecer aos atos para os quais são convocados. Com toda certeza estarão presentes lá tipos como documentaristas de aluguel, que não têm independência para nada. A Petrobras foi engajada na campanha petralha. Não é por acaso que suas ações despencaram no mercado acionário nas últimas semanas, produzindo um gigantesco prejuízo para todos que apostaram em seus papeís, entre eles milhares de trabalhadores brasileiros que aplicaram suas economias do FGTS.

Monica Serra nega ter feito aborto, na fofoca feita pela Folha de S. Paulo

Diante de matéria publicada no jornal Folha de S. Paulo, pela jornalista Monica Bergamo (na foto com a sua amiga, candidata petista Dilma), em sua coluna no caderno Folha Ilustrada, dando asa a fofoca da internet, de que a esposa de candidato José Serra havia feito aborto, a direção da campanha do candidato do PSDB precisou lançar uma nota oficial, na sexta-feira, para encerrar o assunto, com o seguinte texto: "José Serra esclarece - Monica Serra nunca fez um aborto. Essa acusação falsa, que já circulava antes na internet, repete o padrão Miriam Cordeiro de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi vítima na eleição de 1989. E dá continuidade ao jogo sujo que tem caracterizado a presente campanha desde que um núcleo do PT, montado para fazer dossiês contra o candidato tucano à Presidência, foi descoberto em Brasília. Primeiro eles atacaram a filha de José Serra. Depois atacaram o seu genro. Agora eles agridem a sua mulher, Monica, que tem a irrestrita solidariedade, amor e respeito de seu marido, de seus filhos, netos e de milhões de brasileiros". A seguir, o petralhismo irá atacar quem, os netos de Serra? A jornalista Monica Bergamo encerrou a sua carreira, associando-a indissoluvelmente a Fernando Collor de Mello e suas práticas. O pior é que o jornal Folha de S. Paulo deu guarida a essa armação petralha. Mas, não é de estranhar, porque o jornal paulista está dominado pelos petistas. A ombudsman da Folha de S. Paulo é Suzana Singer, irmã de André Singer, ex-porta-voz de Lula, e filha de Paul Singer, economista fundador do PT e que ocupa uma das secretarias da Presidência da República petista. Ou seja, ela é membro de clã petista. Recentemente a Folha de S. Paulo contratou como articulista o matemático Claudio Weber Abramo, que também é membro de conhecido clã petista, o dos Abramo. Claudio Weber Abramo dirige a ong petista Transparência Brasil. A fofoca publicada pela jornalista collorida Monica Bergamo já começou a ter suas repercussões. Centenas de cancelamentos de assinaturas estão ocorrendo, bem como e-mails de protesto sendo enviados para o proprietário da empresa, cuja redação está sob controle do petismo.

Panfleto contra Dilma leva a bate-boca em missa com Serra

Terminou em bate-boca a missa de São Francisco, na cidade de Canindé, a 120 quilômetros de Fortaleza, no Ceará, que contou com a presença do candidato do PSDB à presidência, José Serra. O estopim da discórdia foi a crítica do padre petista Francisco Gonçalves a um panfleto distribuído contra a candidata petista Dilma Rousseff. O panfleto é da própria Igreja Católica, assinado pela Regional 1 da CNBB, e foi distrtibuído por católicos. O clima de nervosismo começou pouco antes. Serra, o senador Tasso Jereissati (PSDB) e o ex-goverandor Lúcio Alcântara (PR) chegaram à missa, na sexta-feira, já com a celebração em andamento. Serra, então, virou o centro das atenções: curiosos e jornalistas se aglomoreram próximo ao presidenciável e diante do altar. O padre pediu silêncio. Veio a segunda advertência do religioso: “Isso é uma profanação”. Não adiantou: os fiéis continuaram a cercar o candidato José Serra. Próximo do encerramento da missa, o padre Francisco reclamou novamente do tumulto e fez uma queixa que deixou Serra literalmente boquiaberto. Erguendo um panfleto crítico a Dilma, disse: “Acusam a candidata do PT em nome da Igreja!”, acrescentando que a instituição jamais apoiara tal ação. Mas, apoiou, sim , e o padre petista está completamente errado.

Jader Barbalho libera PMDB do Pará a apoiar petista ou tucano

Aliado mais cobiçado do segundo turno eleitoral no Pará, o deputado federal Jader Barbalho (PMDB) disse, pelo Twitter, que o PMDB no Estado não se unirá nem à governadora Ana Júlia Carepa (PT) nem ao ex-governador Simão Jatene (PSDB). No entanto, Jader liberou os peemedebistas para escolherem, individualmente, o lado que quiserem. "Em respeito aos diferentes cenários políticos nos municípios paraenses, o PMDB liberou o apoio individual a Simão Jatene ou Ana Júlia", escreveu ele.

Banco KfW ajuiza ação e diz que Cardeal, o homem forte de Dilma, sempre soube de toda a fraude na CGTEE

Do site do jornalista Polibio Braga: "Quando o editor denunciou as malfeitorias ocorridas nas barbas das diretorias da CGTEE e da Eletrobrás por gente sua, liderados por um diretor da próporia estatal federalo gaúcha, Marcelo Ceccin, mais uma série de empresários brasileiros e estrangeiros, o presidente do Conselho de Administração da CGTEE, Valter Cardeal, homem de confiança de Dilma Roussef, contratou uma das mais caras bancas de advogados do Paraná e ajuizou uma ação criminal contra o editor. Este foi o segundo processo judicial movido por Valter Cardeal contra o editor. O editor já tinha colocado restrições à ação do então presidente da Eletrobrás (hoje, Cardeal é um dos vices) no caso da usina eólica de Tramandaí, cuja implantação ele sistematicamente procurou obstaculizar. A fraude (avais falsos concedidos ilegalmente por diretores da CGTEE, visando empréstimos de US$ 157 milhões para a construção de usinas eólicas e de biomassa no RS e no PR) foi contra o banco alemão KfW. Valter Cardeal acompanha Dilma Roussef há 20 anos. O caso atinge diretamente Dilma, porque à época das malfeitorias ocorridas na CGTEE ela era a ministra da área e superior hierárquico de todos os envolvidos, quase todos dirigentes e militantes do PT do RS. O banco KfW revela documentos em que demonstra que Dilma discutiu a questão dos avais na Alemanha. Ela o levou a Brasília. Dilma não dá um só passo na área de energia elétrica sem ouvir seu companheiro, amigo e confidente. O delegado Protógenes Queiroz, na Operação Satiagraha, chegou a investigar as relações existentes entre ambos. A última edição da revista Piauí, em reportagem de Rodrigues Pereira sobre Protógenes, revela que ele possui um pen drive com imagens do que viu. O homem forte da Eletrobrás, presidente do Conselho de Administração da CGTEE, Valter Cardeal, costuma comparecer às audiências na 9a. Vara Criminal, acompanhado dos advogados e de assessores que se deslocam do Rio e de Brasília. O editor defende-se nos casos através do advogado Luiz Francisco Corrêa Barbosa, mas também chegou a atuar sozinho num dos casos. O editor chamou para o banco de testemunhas o presidente da CGTEE, Sereno Chaise, além de uma dúzia de testemunhas, inclusive o então ministro Silas Rondeau. O caso da fraude está na Justiça Federal. Via judicial, o editor conseguiu todo o inquérito da Polícia Federal e também a cópia do processo, capa a capa. Está tudo resguardado por segredo de justiça.  Pois neste final de semana a revista Época revela uma notícia que ninguém conhecia no RS: a CGTEE está sendo processada pelo banco alemão KfW, uma espécie de BNDES da Alemanha, que quer indenização por prejuízos morais e materiais. A ação foi ajuizada na 10a. Vara Civel, em agosto, em Porto Alegre.  O banco alega que o sr. Valter Cardeal sempre soube de tudo o que ocorria nas suas barbas, acosta fotos da visita dele a fornecedores alemães que forneceriam equipamentos para as usinas para as quais a CGTEE concedeu aval e transcreveu depoimentos comprometedores obtidos na própria Alemanha por gente que participou dos negócios em Porto Alegre". http://tinyurl.com/2bfamve

Ricos têm "preconceito e medo" de Dilma, diz Lula

O presidente Lula encerrou na tarde de sábado uma carreata com a presidenciável Dilma Rousseff (PT), em Belo Horizonte, na qual ela foi fortemente vaiada, dizendo, em um ato público, com pouca gente, no centro de Belo Horizonte, que os ricos agora têm "preconceito e medo" da presidenciável petista. O que motivou a fala foi o fato de pessoas que moram nas casas de luxo do bairro Mangabeiras, na região sul, onde teve início a carreata, terem feito sinais de negativo com os polegares para Lula e Dilma, que passavam em um Jipe aberto. "Eu fico constrangido, porque aquelas pessoas ricas foram as que mais ganharam dinheiro no meu governo. O que aquelas pessoas não conseguiram foi superar o preconceito contra um metalúrgico ser presidente e fazer pelo Brasil o que eles não conseguiram fazer", disse Lula. E "O Cara" não tem a mínima vergonha de reconhecer que trabalhou para os ganhos dos milionários nos seus governos. "Agora não é apenas preconceito, é preconceito e medo de ver uma mulher ganhar as eleições e fazer pelo Brasil mais do que eles fizeram", acrescentou Lula, de maneira raivosa, odiosa.

Gráfica recebe encomenda de bispo para imprimir 2,1 milhões de panfletos anti-Dilma

Uma gráfica no bairro do Cambuci, em São Paulo, estava imprimindo, na manhã de sábado, panfletos com um texto de um braço da CNBB contra o PT e a presidenciável petista Dilma Rousseff. Segundo o contador da gráfica, Paulo Ogawa, a encomenda foi feita pela Diocese de Guarulhos (SP). Em julho, o bispo da cidade, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, foi o centro de uma mobilização contra a petista.Os papéis são idênticos aos distribuídos em Aparecida (SP) e Contagem (MG) no feriado do último dia 12, durante missas em homenagem ao Dia de Nossa Senhora Aparecida. Eles fazem um "apelo" para que os eleitores não votem em quem é a favor da descriminalização do aborto. Um assessor do bispo encomendou a impressão de 2,1 milhões de panfletos, sendo 1 milhão no primeiro turno e 1,1 milhão no segundo. De acordo com o contador, o assessor queria imprimir 20 milhões de panfletos. No entanto, a gráfica não aceitou a encomenda por falta de capacidade.

Revista liga homem de confiança de Dilma a fraude no Rio Grande do Sul

O banco KfW, controlado pelo governo alemão, entrou com ação contra a CGTEE (companhia de geração térmica de energia do governo federal) na qual afirma que o diretor da Eletrobras Valter Cardeal teria conhecimento de uma fraude milionária envolvendo a construção de usinas de biomassa no Sul. As informações foram divulgadas pela revista "Época" do final de semana. A CGTEE é uma subsidiária da Eletrobras, estatal na qual Cardeal é diretor de Engenharia e foi presidente. Segundo a revista, na ação judicial, o banco diz que "até mesmo alguns políticos conheciam os fatos, como a então ministra, Dilma Rousseff". A fraude na CGTEE foi revelada pela Operação Curto-Circuito da Polícia Federal em 2007. A PF constatou que parte do dinheiro desapareceu. Conforme a investigação, o grupo que comandava a estatal forjou um aval em nome da CGTEE para ajudar uma empresa privada, a Winimport, a obter empréstimo de 157 milhões de euros para erguer sete usinas de biomassa. Das sete, cinco não saíram do papel. Ou seja, a CGTEE foi usada como fiadora do negócio. Empresas públicas são proibidas de dar garantias internacionais a empresas privadas. Segundo a revista, executivos da empresa alemã teriam afirmado em depoimentos à Justiça Federal gaúcha que Cardeal visitou a sede da empresa em 2005 e "estava ciente das garantias". A Justiça Federal gaúcha abriu processo por acusação de formação de quadrilha, estelionato, corrupção passiva e ativa.

Morre o psiquiatra José Angelo Gaiarsa

Morreu no sábado, aos 90 anos, o médico psiquiatra José Angelo Gaiarsa. Segundo sua neta Laura, Gaiarsa morreu em São Paulo por volta das 5 horas enquanto dormia. José Gaiarsa era divorciado e deixa três filhos e oito netos. Nascido em 19 de agosto de 1920, Gaiarsa sempre será lembrado como um iconoclasta. Gaiarsa falava muito contra a estrutura familiar clássica, segundo ele a maior geradora de neuroses nos indivíduos, e apoiava abertamente, em redes de rádio e TV, a liberdade feminina já na década de 1960. Clinicou por mais de 50 anos, publicou 30 livros e por dez anos teve um quadro de televisão em que esclarecia dúvidas dos telespectadores. Foi introdutor de Carl Gustave Jung e William Reich no Brasil, psicanalistas ideólogos da revolução sexual.

Mato Grosso já registra mais de 42 mil casos de dengue este ano

O Estado do Mato Grosso já registra 42.218 notificações de casos de dengue desde o início do ano até a última quinta-feira. Desse total, 900 foram considerados casos graves. Segundo a Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, 60 pessoas morreram. Desses óbitos, 50 foram confirmados e 10 estão sob investigação. No mesmo período do ano passado, foram registrados 40.161 casos. A capital Cuiabá tem até o momento a notificação de 4.696 casos de dengue. Desses, 110 foram notificados como casos graves da doença. Foram notificados ainda 8 óbitos, sendo 4 casos confirmados como sendo de dengue e 4 óbitos estão sob investigação.

Presidente do PT censura dirigente da Vale

As declarações do presidente da Vale, Roger Agnelli, que classificou de "jogo político" os rumores sobre uma mudança no comando da empresa em eventual governo da petista Dilma Rousseff e disse que muita gente do PT está "procurando cadeira", incomodaram gente graúda dentro do Palácio do Planalto. Na cúpula do PT, a postura de Agnelli foi vista como um erro político, ao abordar o tema em um momento importante da disputa presidencial. Para o presidente do partido, José Eduardo Dutra, o executivo "extrapolou" suas funções. Integrantes da campanha avaliaram na sexta-feira que a posição de Agnelli definiu o seu futuro na Vale caso Dilma seja eleita. Ou seja, ameaçaram a maior empresa privada brasileira com toda a clareza. Os fundos de pensão de estatais têm a maioria das ações da Vale, privatizada em 1997. Mas, por acordo de acionistas, o Bradesco controla a Vale e indica seu executivo. Agnelli, egresso do banco, está na Vale desde 2001.

FHC diz que Dilma mente e apresenta carta com projeto sobre Petrobrás.

Depois de desafiar Lula para um “duelo” (debate), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso prosseguiu batendo na sexta-feira, partindo para o confronto direto com o governo e com o PT na questão da Petrobrás. Fernando Henrique Cardoso divulgou carta que mandou em 1995 ao então presidente do Senado, José Sarney, na qual explica os termos do seu projeto de três pontos, um dos quais veta a privatização da Petrobrás. Como no caso do aborto, o PSDB quer comprovar que mentem Dilma Roussef, Lula e o PT.

Zambiasi confessa que "petezou"

Demorou, mas o senador Sérgio Zambiasi (PTB), que está encerrando o seu mandato e a sua carreira política, confessou com todas as letras que "petezou" no primeiro turno. Na quinta-feira à noite ele se apresentou no Centro de Convenções do Hotel Plaza San Raphael, diante de uma platéia petista, e exclamou: "Tarso, votei em ti". Na verdade, ele admitiu aquilo que todo mundo já sabia, que ele estava refém do petismo há muito tempo. E a tal ponto chegou sua dependência do petismo que até trabalhou ativamente para liquidar as candidaturas majoritárias de seu partido, ao governo do Estado e para o Senado Federal. Vários políticos gaúchos comentaram que Zambiasi tinha agido como o "Jim Jones" do trabalhismo gaúcho.

Ministro do TSE nega pedido de Maluf para liberar registro de candidatura

O Tribunal Superior Eleitoral rejeitou o recurso apresentado pelo deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) com o objetivo de liberar a candidatura dele à reeleição. O registro de Maluf havia sido indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo com base na Lei da Ficha Limpa em agosto. O deputado foi o terceiro mais votado para a Câmara Federal no Estado, mas os 497 mil votos que ele recebeu foram considerados nulos pela Justiça Eleitoral. O ministro Marco Aurélio Mello foi o autor da decisão. De acordo com o magistrado, o recurso de Maluf contra o indeferimento imposto pelo TRE foi protocolado fora do prazo estipulado pela legislação eleitoral.

Nelson Jobim diz que presidente eleito participará de decisão sobre aviões caça

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, voltou a dizer na tarde de sexta-feira, no Rio de Janeiro, que a decisão sobre a compra do futuro avião de caça da Força Aérea Brasileira será decidida com o presidente eleito. Após o segundo turno, disse Jobim, Lula "pretende decidir esse assunto ouvido o presidente eleito. Quem for eleito participaria do processo decisório". Conforme Jobim, a negociação de compra vai entrar no próximo governo e pode se estender por seis meses.

Lula diz que houve "falta de hombridade" nos ataques a Dilma

O presidente Lula chamou de "vergonha" e "falta de hombridade" os ataques recebidos por sua candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT). Lula atribuiu os ataques ao adversário de Dilma, José Serra (PSDB). "É uma vergonha a campanha do nosso adversário em ataque à companheira Dilma Rousseff. É uma vergonha o preconceito contra mulher", disse Lula em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo. No comício, ao lado de Dilma, Lula falou dos ataques que sofreu, segundo ele, desde 1982, quando foi candidato pela primeira vez. "É uma vergonha o que eles estão fazendo numa campanha, mentindo e difamando, na perspectiva de que o povo acredite nas mentiras e eles possam ganhar eleições", disse. "Nós já conhecemos essa história, não é a primeira vez que nós somos atacados", disse Lula. Fazendo um trocadilho com o nome do adversário, Lula afirmou que "Não podemos permitir que o Brasil desça serra abaixo" Lula classificou de preconceito contra a mulher os ataques à Dilma. "É uma vergonha, e eu diria que é falta de caráter e hombridade de pessoas que tentam abusar da boa fé do povo para criar terrorismo". A vergonha é um presidente da República se portando desse jeito, pela primeira vez na história republicana nacional.

Procuradoria quer saber por que PM do Pará não protege servidores do Ibama

O Ministério Público Federal no Pará pediu que a Polícia Militar do Estado explique porque policiais deixaram de dar segurança a servidores do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) durante ações de fiscalização. Em ofício enviado ao comandante-geral da PM local, Augusto Leitão, o procurador Felício Pontes diz que a situação coloca em risco os fiscais ambientais. Funcionários do órgão federal entendem que o não acompanhamento policial é uma maneira de frear as operações contra o desmatamento ilegal e os consequentes desgastes num ano em que a governadora Ana Júlia Carepa (PT) tenta a reeleição.

Garotinho volta a atacar Dilma e Serra e adia decisão sobre apoio

O deputado federal eleito Anthony Garotinho, presidente estadual do PR no Rio de Janeiro, afirmou na sexta-feira que seu partido no Estado "não vai fazer o papel da amante" no segundo turno e adiou novamente a decisão de apoiar um dos candidatos das eleições presidenciais. "Quem quiser o nosso apoio tem que ser público. Tem que sentar, concordar com um programa mínimo e assinar a proposta", disse ele. Em uma reunião com correligionários no centro do Rio de Janeiro, Garotinho voltou a atacar a falta de reciprocidade do apoio à candidata petista Dilma Rousseff à sigla no Estado. "O PR emergiu como força política nas eleições no Estado. Eu pensei que agora eles iam nos convidar para a agenda da candidata, mas ela vem para cá e só anda de braços dados com o Cabral", afirmou Garotinho.

Datafollha mostra que avaliação de Lula volta a subir e bate recorde

A aprovação ao governo do presidente Lula voltou a subir na reta final da eleição, após meses de estabilidade, e atingiu na segunda semana de outubro seu maior índice desde que o petista foi eleito, mostra pesquisa Datafolha realizada nos dias 14 e 15 de outubro com 3.281 eleitores de 2020 municípios. Pela primeira vez, a aprovação do presidente chega a 81% de ótimo/bom, recorde na série histórica do Datafolha. No levantamento realizado na semana passada, 78% dos eleitores brasileiros consideravam a administração de Lula ótima ou boa. Antes, a melhor avaliação havia sido atingida em 24 de agosto (79%). O pior momento do petista na Presidência foi entre outubro e dezembro de 2005, quando 28% avaliavam-na como ótima ou boa.

Conab inicia estudo para medir perdas na produção de grãos

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) está iniciando um estudo sobre uma das principais demandas do agronegócio brasileiro: saber quanto de grãos se perdem da colheita até a comercialização final. De acordo com a estatal, o Estudo das Perdas Quantitativas e Qualitativas na Pós-Colheita de Grãos do Programa de Abastecimento Alimentar, como foi chamado, é inédito no País. "Não há dúvidas quanto à existência de perdas, o problema sempre foi mensurar essas perdas e suas causas", afirmou o coordenador executivo do estudo, Marilson Campos, doutor em engenharia agrícola e gerente de operações da Conab em Goiás. Na safra 2009/2010, o País produziu 149 milhões de toneladas de grãos e, de acordo com a companhia, cada 1% de perda representa prejuízo superior a R$ 500 milhões.

Ibope aponta candidato da oposição com 12 pontos de vantagem na Paraíba

Pesquisa Ibope divulgada na sexta-feira aponta que o ex-prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), lidera a disputa para o governo da Paraíba. Ele obteve 52% das intenções de voto na pesquisa. Seu adversário, o atual governador do Estado, José Maranhão (PMDB), tem 40%. Na pesquisa, 5% afirmaram que ainda estão indecisos. Outros 3% afirmaram que votarão em branco ou pretendem anular o voto.

Osmar Dias diz que "censura" a pesquisas eleitorais o derrotou no Paraná

Na sua primeira entrevista após a derrota para o tucano Beto Richa na disputa pelo governo do Paraná, o senador Osmar Dias (PDT) disse na sexta-feira que a "censura" imposta pelo adversário contra os institutos de pesquisa pode ter mudado o resultado da eleição. Primeiro, quem determinou a proibição da divulgação das pesquisas foi a Justiça; segundo, se a Justiça agiu assim, foi porque acatou as representações de Beto Richa, de que elas continham ilegalidades: terceiro, Osmar Dias reconhece que ia levando vantagem com as ilegalidades, e que precisava delas para vencer. "Talvez, se as pesquisas tivessem sido divulgadas uma semana antes, a gente tivesse outro resultado", declarou Osmar Dias. "Não quero fazer conjecturas. Apenas dizer que é lamentável que as pesquisas tivessem sido proibidas e que isso tinha sido colocado como normal, com as pessoas sem o direito de saber como estava a corrida eleitoral", disse Osmar Dias. O senador afirmou que não tem planos políticos após deixar sua cadeira no Senado, em janeiro.

Vantagem de Agnelo Queiroz sobe para 18 pontos no Distrito Federal

A segunda pesquisa realizada pelo Datafolha no segundo turno das eleições para governador do Distrito Federal revela que a vantagem de Agnelo Queiroz (PT) sobre Weslian Roriz (PSC) passou de 14 para 18 pontos percentuais. Na pesquisa realizada nos dias 7 e 8 de outubro, Agnelo tinha 50%, e Roriz 36%. Hoje Agnelo tem 53% contra 35% de Roriz. Considerando-se votos válidos, o petista oscilou positivamente de 58% para 60%, e Weslian oscilou negativamente de 42% para 40%. Agnelo superou Roriz no primeiro turno da eleição por uma diferença superior a 13 pontos: 48,41% a 31,5% dos votos válidos.

Suíça conclui abertura do maior túnel do mundo

Depois de 14 anos de construção e cerca de US$ 10 bilhões em investimentos, as duas pontas do maior túnel do mundo, sob os Alpes suíços, se encontraram na sexta-feira. Todos os dias, 3 mil veículos pesados atravessam os Alpes. Os suíços querem que esse tráfego seja subterrâneo e sobre trilhos. Para isso, abriram o túnel, batizado de Gotthard Base, de 57 quilômetros de extensão. Totalmente plano, ele vai permitir que os trens atinjam velocidades de até 240 km/h. O tempo de viagem entre Zurique e Milão deve cair das atuais quatro horas para duas horas e meia. Oito homens morreram na construção que quase foi abandonada diante de uma perigosa instabilidade nas rochas. Até hoje, o material retirado das escavações poderia construir cinco pirâmides do Egito. Os primeiros trens só devem atravessar a construção em 2017.

PSDB anuncia apoio a candidato do PPS em Rondônia

O PSDB de Rondônia anunciou, na tarde da sexta-feira, apoio à candidatura de João Cahulla (PPS) ao governo de Rondônia. O objetivo do PSDB local foi garantir um palanque para a candidatura do tucano José Serra (PSDB) no Estado. O outro candidato, Confúcio Moura (PMDB), apoia a petista Dilma Rousseff. Apesar do anúncio, membros do partido afirmam que a decisão de apoiar Cahulla foi isolada e "partiu do comando nacional" do PSDB.

Paraguai decreta emergência em região de fronteira com Brasil após incêndios

O governo do Paraguai decretou na sexta-feira estado de emergência no Departamento de Amambay, localizado no nordeste do país e na fronteira com o Estado do Mato Grosso do Sul, devido aos incêndios florestais ocorridos no segundo semestre deste ano. A emergência foi declarada por 90 dias por meio de um decreto assinado pelo presidente paraguaio, Fernando Lugo. Autoridades locais informaram que a população segue sofrendo com os efeitos dos incêndios ocorridos a partir de agosto em várias regiões do país.

Secretaria do Meio Ambiente do Pará libera retirada ilegal de madeira

O governo do Pará, da petista Ana Julia Carepa (reconhecido como o governo estadual mais incompetente do País), por meio da Secretaria do Meio Ambiente, deu a uma madeireira o direito de retirar ilegalmente mais de 61,7 mil metros cúbicos de madeira de região vizinha a uma reserva federal. O volume, suficiente para encher cerca de 2.468 caminhões, estava sendo explorado em uma propriedade de quase 12.500 hectares, a cerca de 6 quilômetros da reserva extrativista Arióca-Pruanã, na cidade de Oeiras do Pará. Segundo a legislação ambiental, governos estaduais só podem autorizar o desmate no entorno de reservas extrativistas com a anuência do ICMBio (Instituto Chico Mendes), órgão federal. Essa anuência nunca ocorreu. Em 5 de julho deste ano, o instituto deu um parecer contrário ao desmate. No dia 9 do mesmo mês, mandou um ofício para a pasta comunicando sua opinião. Em resumo, o órgão percebeu haver no projeto submetido ao governo do Estado a previsão de retirar árvores de áreas de proteção permanente da propriedade em questão. Mesmo assim, o plano de manejo foi aprovado.

Banco Central divulga calendário de reuniões do Copom para 2011

O Banco Central divulgou a agenda das reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária) de 2011. Conforme acontece desde 2005, serão oito encontros para definir a taxa básica de juros (Selic), que está hoje em 10,75% ao ano. O Copom se reúne a cada 45 dias, em média. O encontro é dividido em duas sessões. Nas terças-feiras são realizadas apresentações técnicas de conjuntura. Às quartas-feiras, chega-se à definição sobre a taxa básica. A divulgação do resultado sempre ocorre no segundo dia, após as 18 horas. As datas dos encontros serão as seguintes: 18 e 19 de janeiro, 1º e 2 de março, 19 e 20 de abril, 7 e 8 de junho, 19 e 20 de julho, 30 e 31 de agosto, 18 e 19 de outubro e 29 e 30 de novembro.

Associação em defesa dos homossexuais critica Dilma e Serra por pauta religiosa

A ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) divulgou na sexta-feira uma carta na qual critica os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) por conta da pauta religiosa que domina o debate na segundo turno. "Não é aceitável que o preconceito, o machismo e a homofobia sejam estimulados por discursos de alguns grupos fundamentalistas e ganhem espaço privilegiado em plena campanha presidencial", afirma a associação, que diz reunir 237 entidades. Quer dizer que as minorias no Brasil agora querem comandar o que as grandes maiorias devem pensar ou dizer? O grupo lembra que o Estado brasileiro é laico: "O avanço da democracia brasileira é que tem nos permitido pautar, nos últimos anos, os direitos civis dos homossexuais e combater a homofobia". Para a associação, é preocupante o uso da fé para influir no resultado das eleições. "Nos últimos dias, ficou clara a inescrupulosa disposição de determinados grupos conservadores da sociedade a disseminar o ódio na política em nome de supostos valores religiosos".

Dólar mantém preço de R$ 1,66

O mercado de câmbio doméstico manteve as taxas oscilando entre R$ 1,65 e R$ 1,66 na maior parte da semana passada, enquanto aguarda as novas medidas do governo para conter a valorização do real frente à moeda americana. Desde sexta-feira retrasada, a cotação teve um leve decréscimo de 0,06%, mas no acumulado deste mês, a queda é de 1,5%. Embora haja pouca convicção de que a ação governamental vá conseguir reverter a tendência de queda do dólar, os agentes financeiros continuam a alimentar as expectativas, prevendo "novidades" com o fim do segundo turno eleitoral.

Dilma aumenta previsão de gastos de R$ 47 milhões para R$ 94 milhões no segundol turno

Diante de um cenário de redução da dianteira que tinha em relação a José Serra (PSDB), a campanha de Dilma Rousseff (PT) alterou sua previsão de gastos, dobrando a expectativa de desembolso no segundo turno, de R$ 47 milhões para R$ 94 milhões. A coligação encabeçada pelo PT ingressou na sexta-feira no Tribunal Superior Eleitoral com pedido de ampliação do teto geral de gastos da campanha (primeiro e segundo turnos), de R$ 157 milhões para R$ 191 milhões. No começo da campanha, o PT montou uma planilha com expectativa de gastar R$ 110 milhões no primeiro turno e os R$ 47 milhões restantes em um eventual segundo turno. O tesoureiro da campanha, José de Filippi Jr., afirmou que as despesas na primeira fase da disputa fiaram em cerca de R$ 97 milhões. Ou seja, com o novo teto, há espaço para gasto de R$ 94 milhões neste segundo turno.

PSOL declara voto contra Serra... que novidade....

Por 13 votos a 2, a Executiva Nacional do PSOL decidiu declarar voto contra José Serra (PSDB) e abriu a possibilidade para o voto nulo ou um voto crítico em Dilma Rousseff (PT) no segundo turno. É o tipo da decisão que não surprende ninguém, porque o PSOL não passa de um filhote do PT. Em nota, a Executiva se diz preocupada com a "crescente pauta conservadora introduzida pela aliança PSDB-DEM, querendo reduzir o debate a temas religiosos e falsos moralismos". Ao mesmo tempo, analisa que "esta pauta leva a candidatura de Dilma a assumir posição ainda mais conservadora, abrindo mão de pontos progressivos de seu programa de governo e reagindo dentro do campo de ideias conservadoras e não contra ele". Apesar da crítica a PT e PSDB, a Executiva deliberou pela possibilidade do voto em Dilma por causa do temor do partido de que Serra vença a eleição. No entendimento do PSOL, embora defendam modelos semelhantes, o tucano tem uma agenda ainda mais conservadora do que a petista. Ah..... sim....