quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Lula diz que é bom terminar mandato e ver Estados Unidos em crise

O presidente Lula, que deixa a Presidência no sábado, afirmou que é bom terminar o mandato vendo os Estados Unidos e a Europa em crise, enquanto o Brasil conseguiu superá-la. "Foi gostoso passar pela Presidência da República e terminar o mandato vendo os Estados Unidos em crise, vendo a Europa em crise, vendo o Japão em crise, quando eles sabiam tudo para resolver os problemas da crise brasileira, da crise da Bolívia, da crise da Rússia, da crise do México", afirmou um presunçoso Lula nesta quarta-feira na Bahia, em sua última viagem oficial como presidente. Segundo Lula, foi importante provar que na crise não foi nenhum doutor, nenhum americano e nenhum inglês, mas um torneiro mecânico, pernambucano, presidente do Brasil que soube lidar com a crise junto à sua equipe econômica. "É por isso que a crise demorou mais para chegar aqui e foi embora depressa", afirmou em discurso durante cerimônia do programa habitacional do governo federal "Minha Casa, Minha Vida".

Estados Unidos cancelam visto de embaixador venezuelano em Washington

Os Estados Unidos "revogaram" o visto do embaixador da Venezuela em Washington, Bernardo Álvarez, informou nesta quarta-feira o vice-chanceler venezuelano, Temir Porras, no microblog Twitter. "Confirmo. Os EUA revogaram o visto do embaixador Bernardo Álvarez", escreveu o vice-chanceler em sua conta no Twitter @temirporras. A decisão ocorre um dia após o presidente venezuelano, Hugo Chávez, desafiar os Estados Unidos a "cortar relações diplomáticas". "Se o governo em Washington vai expulsar nosso embaixador, que faça. Se vão cortar relações diplomáticas, que façam", disse Chávez, sobre a polêmica desatada com a negativa do "agreement" ao diplomata americano designado para Caracas, Larry Palmer. "Negamos o agreement a este senhor Palmer e agora somos ameaçados pelo governo dos Estados Unidos com represálias. Que façam o que querem, mas verão". Segundo Chávez, Larry Palmer ofendeu as Forças Armadas venezuelanas em sua audiência no Senado americano, quando disse que na Venezuela há guerrilheiros colombianos e que os militares são influenciados por Cuba. Na semana passada, o porta-voz do Departamento de Estado americano, Philip Crowley, advertiu que a decisão da Venezuela de rejeitar Larry Palmer traria consequências nas relações bilaterais.

Petrobras batiza campo petrolífero Tupi de Lula e anuncia reservas de 8,3 bilhões de barris no bloco

A área do campo petrolífero Tupi teve sua comercialidade declarada nesta quarta-feira pela Petrobras e os sócios Galp e BG. O novo campo será denominado Lula, no mais grotesco episódio de sabujice da história da República e tem reservas estimadas em 6,5 bilhões de barris de petróleo e gás recuperáveis. Tupi era o nome provisório da área descoberta. Após a declaração de comercialidade, os campos recebem nomes de espécies da fauna marinha. A área vizinha de Iracema também foi certificada. Batizada de Cernambi, tem 1,8 bilhão de barris de óleo e gás. Os campos de Lula e Cernambi fazem parte do bloco BM-S-11, e juntos, somam reservas de 8,3 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás).

Lula diz que ficou "orgulhoso" com escolha de seu nome para Tupi

O presidente Lula agradeceu ao presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, por batizar de "Lula" a área de Tupi, que tem reservas estimadas em 6,5 bilhões de barris de petróleo e gás recuperáveis. Após a declaração de comercialidade pela Petrobras e os sócios Galp e BG, os campos recebem nomes indígenas ou de espécies da fauna marinha. "Sinceramente, fiquei feliz. Obrigado, companheiro Gabrielli, por colocar meu nome", disse Lula, em entrevista depois de visitar local onde será instalada a refinaria Premium II, no Complexo de Pecém, na região metropolitana de Fortaleza. Antes de agradecer a Petrobras pela homenagem, Lula brincou que a referência não seria ao seu nome, mas ao molusco lula, que chamou de crustáceo: "Fiquei orgulhoso. Não é o meu nome, é o nome de um crustáceo, o lula. Pensei que só tinha lula pequena, aquela que a gente faz isca, esses dias eu vi que tem lula de 17 metros, a lula colossal. Achei importante. A Petrobras, nos estudos que ela faz lá embaixo do mar, descobriu um tipo de rocha que tem nove coisas assim, iguaizinhas as minhas mãos". Quando um consórcio declara comercialidade, ele anuncia que a produção naquele campo é viável em escala comercial. Depois da declaração de comercialidade, as reservas do campo são integradas ao portfólio da companhia. O BM-S-11 começou a ser perfurado em outubro de 2006. A área de Tupi foi a primeira grande descoberta do pré-sal. Anunciada no final de 2007, foi a partir dela que o governo identificou o grande potencial da nova fronteira exploratória brasileira. Desde então, os leilões na camada pré-sal foram suspensos e um novo marco regulatório para o setor foi desenvolvido, e sancionado na semana passada pelo presidente Lula. A Petrobras tem 65% do consórcio, sendo a operadora do bloco. A britânica BG tem 25%, com os 10% restante a cargo da portuguesa Galp.

Oposição critica homenagem a Lula com nome de campo de petróleo

A oposição criticou a homenagem ao presidente Lula feita pela Petrobras, que batizou de "Lula" a área de Tupi, que tem reservas estimadas em 6,5 bilhões de barris de petróleo e gás recuperáveis. Tupi era o nome provisório da área descoberta. Os campos recebem nomes indígenas ou de espécies da fauna marinha. O deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse que a atitude é inconstitucional, por ferir o princípio da impessoalidade: "Mostra que Lula fecha o governo de maneira deprimente. É um exemplo claro de como o presidente sempre descumpriu a lei, se caracterizou por ridicularizar todas as normas jurídicas". Líderes do PSDB na Câmara e no Senado, deputado João Almeida (BA) e senador Álvaro Dias (PR), respectivamente, concordam. Para João Almeida, a proposta é uma afronta à legislação: "Uma das marcas mais fortes do governo Lula foi a transgressão das leis e da Constituição. Agora no final do seu governo ele está utilizando todos os meios possíveis para a autoidolatria. Esta denominação proposta ao campo de Tupi é o último ato que ele pratica". Alvaro Dias considerou a idéia "absurda": "Os espertalhões hão de afirmar que Lula é uma espécie do mar. São os manipuladores, os marqueteiros do mal. É preciso mais respeito por parte das autoridades que estão brincando com o Brasil". Os congressistas da oposição têm como base a Constituição Federal em seu artigo 37, princípio incorporado por leis orgânicas de municípios e constituições estaduais. Diz o texto: "A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos".

DEM pede no Supremo para ficar com votos de candidatos barrados

O DEM entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal pedindo para que sejam contabilizados os votos dos candidatos barrados, mas que aguardam decisão definitiva da Justiça. O PTB já fez um pedido semelhante. A inclusão desses votos na contagem altera as distribuições de vagas de deputados e vereadores. Na ação do DEM, é questionada decisão do Tribunal Superior Eleitoral, tomada no dia 15 de dezembro, que invalidou os votos de candidatos indeferidos. Para o partido, o Tribunal Superior Eleitoral atuou como Poder Legislativo ao decidir sobre a questão. O DEM lembra que, pelo princípio da fidelidade partidária, os votos pertencem ao partido e não ao candidato. Com base em argumentos parecidos, o PTB questionou a constitucionalidade do artigo da lei eleitoral que tira do quociente eleitoral os votos de candidatos sem registro.

Leandro Daiello é o novo diretor-geral da Polícia Federal

O superintendente da Polícia Federal em São Paulo, Leandro Daiello Coimbra, é o novo diretor-geral da Polícia Federal. A informação foi confirmada na tarde desta quarta-feira em coletiva de imprensa com o futuro ministro da Justiça, o petista José Eduardo Cardozo. O atual diretor da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, decidiu se aposentar. A aposentadoria dele foi publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União. Há três anos Corrêa está no comando da Polícia Federal. Daiello, gaúcho de 44 anos, está na Polícia Federal desde 1995. Foi chefe de repressão de crimes fazendários e coordenador geral de polícia fazendária da política executiva da Polícia Federal. Desde 2008 está à frente da superintendência de São Paulo. Formado em direito pela PUC-RS, já comandou a Delegacia de Repressão a Entorpecentes e a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários. Um dos cotados para o cargo, o superintendente da Polícia Federal no Rio Grande do Sul, delegado federal Ildo Gasparetto, levou um tremendo "by pass" e foi preterido na disputa. Ele era apadrinhado pelo ex-chefe da polícia política do PT, o peremptório Tarso Genro, governador eleito do Rio Grande do Sul.

BNDES aprova empréstimo de R$ 6 bilhões para construção de Angra 3

O BNDES aprovou financiamento de R$ 6,1 bilhões para a Eletronuclear construir Angra 3. A usina faz parte do PAC. A usina de Angra 3 terá potência instalada de 1.405 megawatts, o equivalente a um terço do consumo do Estado do Rio de Janeiro. O banco entrará com 58,6% do investimento total do projeto. O BNDES destaca que a usina está localizada próximo aos principais centros consumidores de energia, o que evita a construção de sistemas de transmissão e a elevação do custo de energia produzida. De acordo com o banco, a construção de Angra 3 contribuirá para reduzir a importação de energia gerada fora do Estado do Rio de Janeiro. Situado na ponta de linhas de transmissão, o Rio de Janeiro é tido como vulnerável a contingências operacionais que ocorrem no sistema elétrico interligado Sul/Sudeste/Centro-Oeste, com riscos de queda e desligamento de linhas de transmissão.

Brasil doa três aviões de combate e instrução ao Paraguai

O Brasil doou nesta quarta-feira três aviões de combate e instrução ao Paraguai e, em troca, receberá o avião presidencial em desuso do país e outras aeronaves militares. A entrega foi realizada na base militar do aeroporto Silvio Pettirossi, onde o presidente Fernando Lugo inspecionou as aeronaves junto com o ministro da Defesa, Cecilio Pérez Bordón, e o comandante da Força Aérea, Miguel Christ Jacobs. Jacobs destacou que as aeronaves, fabricadas pela Embraer, serão empregadas exclusivamente para treino de pilotos. A doação faz parte a um acordo pelo qual o governo paraguaio se compromete a entregar ao Brasil um Boeing 707, que na época de Juan Carlos Wasmosy, que governou o Paraguai entre 1993 e 1998, foi condicionado para ser usado como avião presidencial. O acordo de doação mútua prevê ainda a devolução às autoridades brasileiras de quatro aviões de instrução e combate Xavante, também em desuso.

Lula se antecipa e anuncia permanência de Gabrielli na Petrobras

O presidente Lula se antecipou à sua sucessora, Dilma Rousseff, e anunciou, nesta quarta-feira, que José Sérgio Gabrielli permanecerá na presidência da Petrobras no próximo governo. "Quero cumprimentar o companheiro Gabrielli por Dilma ter anunciado que ele fica na presidência da Petrobras", afirmou, ao discursar durante lançamento da pedra fundamental da refinaria Premium 2, no Complexo de Pecém, em Caucaia.

Lula agradece cearenses por não reelegerem Tasso Jereissati ao Senado

Ao discursar em cerimônia na cidade de Caucaia nesta quarta-feira, o presidente Lula agradeceu aos cearenses por não terem reeleito o senador Tasso Jereissati (PSDB). Sem citar o desafeto, Lula agradeceu os votos em seus aliados. "Agradeço de coração a reeleição do Cid Gomes ao governo do Ceará, a eleição da companheira Dilma Rousseff e agradeço de coração a eleição dos senadores que vocês elegeram e me fizeram um favor tremendo", afirmou o presidente. Foram eleitos em outubro para o Senado os deputados José Pimentel (PT) e Eunicio Oliveira (PMDB). Após o resultado das urnas, o neocoronel Tasso Jereissati anunciou sua aposentadoria da política.

Gastos do governo Lula com pagamento de juros são os maiores em dez anos

Nos últimos dez anos, o governo Lula nunca pagou tanto juros como em 2010. De janeiro a novembro deste ano, o gasto com encargos financeiros que incidem sobre a dívida pública somou R$ 175,8 bilhões, o maior valor desde 2001, início da série revisada do Banco Central. Segundo o chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, esse gasto recorde com juros se deve ao aumento da inflação. Somente o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que corrige 24,3% do total da dívida pública, incluindo títulos e operações bancárias, passou de um patamar acumulado de 3,93%, de janeiro a novembro de 2009, para 5,25% no mesmo período deste ano. O IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado) e o IGP-DI (Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna), que respectivamente indexam 4,9% e 1,1%,  também tiveram altas consideráveis. A projeção do Banco Central para 2011 é de uma redução na carga de juros para 4,8% do PIB. Com isso, o déficit nominal deve cair dos 2,3% do PIB, esperados para este ano, para 1,7% do PIB. Já a dívida líquida do setor público deverá passar de 40,3% do PIB em 2010 para 37,8% do PIB.

Conselheiro do TCE-SP recebeu R$ 1 milhão em conta na Suíça

Documentos mostram que Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e chefe da Casa Civil do governador Mario Covas, entre 1995 e 1997, recebeu em uma conta na Suíça três depósitos feitos pelo empresário Sabino Indelicato que somam US$ 605.098,00. O valor equivale hoje a pouco mais de R$ 1 milhão. A suspeita do Ministério Público é que os valores depositados são parte da propina paga pela Alstom para obter contratos com o governo de São Paulo a partir de 1997. Há também a hipótese de que Marinho recebeu o valor para aprovar no Tribunal de Contas os contratos da Alstom com empresas como o Metrô e a Eletropaulo. Indelicato controla uma empresa, chamada Acqualux, que recebeu recursos da Alstom sem que conseguisse comprovar que foi prestado algum serviço de consultoria.  A Justiça determinou a quebra do sigilo bancário e fiscal de Marinho por conta da suspeita de enriquecimento ilícito. Também foi quebrado o sigilo do engenheiro Jorge Fagali Neto, irmão do presidente do Metrô. A juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi diz na decisão que 11 investigados e a Acqualux não conseguiram comprovar com documentos os bens que acumularam.

Médico formado no Exterior terá segunda chance para validar diploma

Os médicos formados no Exterior terão uma segunda chance para validar seus diplomas no Brasil. No primeiro teste-piloto de legitimação dos diplomas feito pelo governo, aplicado em outubro, só dois dos 628 inscritos foram aprovados. Agora, um novo edital será publicado no início de 2011, com modificações no exame. A secretária de Educação Superior do MEC, Maria Paula Dallari, atribuiu o baixo índice de aprovações no primeiro exame a dois fatores: nota de corte muito alta no teste teórico (de no mínimo 70% de acertos) e o caráter eliminatório dessa etapa para a seguinte, o teste prático. "É um projeto-piloto e é natural que sofra ajustes", disse ela. Uma das mudanças será a nota de corte menor, com exigência de 50% ou 60% de acertos. A manutenção do caráter eliminatório da prova teórica está em estudo. Na verdade essas são mudanças para facilitar a aprovação de estudantes que se formaram em Cuba.

Lei permite bloqueio de fundo de Daniel Dantas

Uma lei aprovada pelo governo dos Estados Unidos levou as autoridades brasileiras a buscar novamente o bloqueio de cerca de US$ 500 milhões do grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, que estão depositados em instituições financeiras no território americano. O governo do Brasil já contatou as autoridades americanas para viabilizar o congelamento de recursos que estão no fundo de investimento Opportunity Fund e na Tiger Eye, uma conta de Daniel Dantas e a da irmã dele, Veronica. Em 2009, o montante foi bloqueado pelos Estados Unidos por conta do processo da Operação Satiagraha, mas em agosto de 2010 uma corte de apelação do distrito de Columbia liberou o valor. Para o órgão da Justiça americana, o congelamento só poderia ocorrer se houvesse uma decisão definitiva do Judiciário brasileiro contra os titulares do dinheiro. Apresentado como lei de combate à corrupção internacional, o novo texto legal dos Estados Unidos derruba essa tese jurídica e permite os bloqueios com ações em andamento. A tramitação da emenda à lei processual penal americana no Congresso foi extraordinariamente curta. O texto foi apresentado no último dia 2 no Senado pelo democrata Sheldon Whitehouse (Rhode Island) e pelo republicano John Cornyn (Texas) e foi aprovado por unanimidade no dia 14. Na Câmara dos Representantes (deputados), a proposta chegou no dia 15, foi debatida por apenas 40 minutos e aprovada no dia 16. O presidente Barack Obama sancionou o texto no dia 22. A emenda corrigiu uma discrepância entre duas decisões anteriores nos EUA. Em 2000, o Congresso passou a Lei de Reforma de Confisco de Bens Civis, que autorizava cortes federais a ajudar investigações internacionais bloqueando bens localizados nos Estados Unidos de pessoas julgadas em outros países. Mas, em 2010, a Justiça federal interpretou a lei como válida apenas após decisão final do Judiciário do país de origem da investigação. Nos últimos meses, milhões de dólares identificados por outras nações como suspeitos escaparam de congelamentos nos Estados Unidos devido a essa interpretação. Com a emenda aprovada agora, tribunais poderão determinar a restrição de bens antes de decisões definitivas.

Supremo planeja mudar tramitação de recursos

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, pretende aprovar no Congresso proposta de emenda à Constituição para impedir que recursos que chegam às cortes superiores suspendam a aplicação das sentenças de tribunais estaduais e federais de segunda instância. Ministros apóiam a idéia, mas divergem sobre a forma como isso seria feito. Peluso afirmou que o Brasil é o único País no mundo "que tem quatro instâncias recursais". Ele disse que chegou a conversar com o futuro ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e que vai propor a transformação de recursos especiais e extraordinários, que são enviados ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo, respectivamente, em medidas rescisórias. Ou seja, eles não teriam poder de suspender as decisões estaduais de segunda instância, que teriam aplicação imediata. O Supremo e o Superior Tribunal de Justiça analisariam só se manteriam ou anulariam as decisões. Para o ministro Gilmar Mendes, a mudança representaria uma "revolução na concepção dos recursos": "É uma saída para essas discussões sobre a demora dos processos, mas tem que ser analisado profundamente, para evitar um festival de liminares". Ele diz, porém, que não precisaria mudar a Constituição para fazer a mudança. Já o vice-presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto, disse ser "simpático" à proposta de seu colega, que poderia representar "racionalização e agilização dos processos". Ele diz, no entanto, que apesar de representar uma boa idéia, é "complicada de ser operacionalizada": "O artigo 5º da Constituição prevê que uma lei não pode prejudicar a coisa julgada e isso é uma cláusula pétrea. Ao redefinir esse conceito dos recursos, estaríamos criando uma nova ação rescisória, o que, de certa forma, contraria a Constituição, pois põe em risco a coisa julgada, e nem uma emenda constitucional pode abolir uma cláusula pétrea".

Serasa aponta que inadimplência das empresas avança 10,5% em novembro

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas subiu 10,5% em novembro na comparação com outubro, de acordo com divulgação da Serasa Experian desta quarta-feira. Foi o maior crescimento verificado desde o mês de março. Já na comparação anual, a inadimplência das pessoas jurídicas apresentou queda de 2,4%. De acordo com o levantamento, foi o maior recuo verificado desde 2006, nessa comparação, considerando o penúltimo mês do ano. Na relação entre os acumulados de 2009 e 2010, no período de janeiro a novembro, por sua vez, houve um decréscimo de 5,9%. Os economistas da Serasa Experian avaliam que o crescimento mensal verificado na inadimplência das empresas é pontual e decorre das pressões de custos sobre o caixa, como o pagamento da primeira parcela do 13º salário, as compras de composição dos estoques para o Natal e importações para a data. Nas comparações anual e acumulada, os efeitos da recuperação do crédito para os negócios e o forte crescimento da economia neste ano se fazem presentes, determinando quedas no indicador.

Lula bate recorde de viagens pelo Brasil em 2010

Ao investir pesado na eleição de Dilma Rousseff e incluir na agenda uma série de eventos de despedida do Planalto, o presidente Lula bateu seu recorde de viagens nacionais em 2010. Com as visitas que fez nesta quarta-feira ao Ceará e à Bahia, as últimas em seus oito anos de mandato, Lula completou 670 dias em deslocamentos pelo País, sendo 106 deles apenas neste ano. Até então, a maior série havia ocorrido em 2008, com 98 dias de agendas nacionais fora de Brasília. Em 2006, quando priorizou as viagens de campanha, ele teve apenas 74 dias em deslocamentos oficiais pelo Brasil. Mas foi mesmo em 2010 que o Aerolula voou como nunca, em especial no segundo semestre. Nesses seis meses, Lula criou as chamadas "agendas casadas", com eventos oficiais durante o dia e comícios de campanha à noite ao lado de sua candidata à sucessão. O volume de viagens também avançou por conta dos eventos de despedida do Planalto. Só em dezembro foram 16 dias fora de Brasília. Entre Lula e Fernando Henrique Cardoso, a vantagem do petista é folgada. Enquanto o tucano cumpriu 407 dias em viagens nacionais, o petista atingiu 670, o equivalente a pouco mais de 22 meses em inaugurações, lançamento de obras, visitas a exposições ou apenas para ter contato com a população ou se afastar de crises de Brasília. Ou seja, de seus oito anos de governo, dois anos ele passou fora de Brasília.

Em oito anos, Lula visitou 85 países

Com visitas a 85 países em um período de oito anos, o presidente Lula colocou em prática uma política de diversificação das relações do Brasil com o mundo que ajudou a projetar o País do ponto de vista econômico, mas ao mesmo tempo colecionou polêmicas. Com um discurso contrário à concentração das exportações brasileiras para um número "restrito" de países, Lula passou a usar as visitas internacionais como forma de "vender" o produto brasileiro em novos mercados. A diversificação das relações, no entanto, também teve um forte cunho político, refletindo sobretudo a busca de apoio ao Brasil por um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas. O fortalecimento da relação com a África é apontada por especialistas como "principal símbolo" dessa estratégia. Em oito anos, Lula visitou 27 países do continente, enquanto Fernando Henrique Cardoso esteve em apenas três deles. "Lula assumiu como ninguém o papel de garoto-propaganda do produto brasileiro no mercado internacional. Sem dúvida o empenho foi bem-vindo, mas o resultado prático deixou a desejar", diz o vice-presidente da AEB (Associação de Comércio Exterior), Fábio Martins. Ele cita a permanência de barreiras sanitárias impostas por Estados Unidos, Rússia e Japão à carne brasileira, apesar das insistentes "reclamações" do presidente Lula junto a esses países. Ainda segundo Martins, a busca por mercados consumidores menos tradicionais, como na África e no Oriente Médio, acabam tendo "pouco impacto" no total exportado. "O problema é que diversificamos para esses países, que têm menos peso comercial, e perdemos espaço em mercados altamente consumidores, como o dos Estados Unidos", diz Martins. Em 2002, as exportações brasileiras para os Estados Unidos representavam 28% do total exportado, caindo para 11% em 2010.

Investigação sobre cunhado de Alckmin apura propina a políticos e funcionários públicos

Paulo Ribeiro, cunhado do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), está sob investigação do Ministério Público de São Paulo sob acusação de intermediar o pagamento de propinas a políticos e funcionários públicos que contratavam empresas de merenda. A Polícia Civil fez uma operação de busca e apreensão na casa de Paulo Ribeiro, irmão de Lu Alckmin. Ele é alvo de investigação que apura crimes de lavagem de dinheiro, superfaturamento e direcionamento de licitação. A investigação é conduzida pelo promotor Arthur Lemos Jr., do Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro. A suspeita se baseia em escutas telefônicas e documentos apreendidos. A operação foi feita à procura de documentos que mostrariam detalhes sobre o caminho das comissões pagas por empresas para obter contratos públicos. Há dois anos a Promotoria apura a existência de uma suposta máfia da merenda, que agiria como um cartel para subir os preços. No esquema, o preço da merenda é sempre superfaturado, funcionários públicos e políticos recebem propina pelo valor mais alto, e o partido do prefeito recebe contribuição não declarada. A apuração começou em São Paulo, mas hoje se estende a Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Maranhão.