segunda-feira, 14 de março de 2011

Credores do antigo Bamerindus começam a receber suas dívidas

O FGC (Fundo Garantidor de Créditos) informou que começou, após quase 14 anos de litígio judicial, o pagamento dos credores do antigo banco Bamerindus. Do total de uma dívida de R$ 5,5 bilhões, os principais credores receberão agora cerca de R$ 1,2 bilhão. Entre eles, estão o próprio FGC, a Caixa Econômica Federal, o BNDES e a Secretaria do Tesouro Nacional. O fundo é controlado pelos próprios bancos e funciona como guardião da liquidez perante os correntistas. Ao pôr suas reservas para cobrir eventuais perdas de clientes, a entidade se tornou a maior credora do Bamerindus. O banco sofreu intervenção do Banco Central em 1997, na esteira de crise ocorrida em outras instituições financeiras do País. O HSBC comprou as agências do Bamerindus. As demais partes da dívida continuarão sendo pagas por mais cinco anos. Para que o início do pagamento pudesse ser feito, o FGC iniciou uma ampla negociação a partir de 2009, em que propôs que todas as partes abrissem mão de suas ações judiciais. Entre os que concordaram com a medida, também estão os acionistas minoritários do Bamerindus, que reclamam perdas de R$ 55 milhões. Em nota, a estimativa do FGC é que o pagamento aos minoritários inicie no próximo dia 23 deste mês. O diretor-executivo do fundo, Antônio Carlos Bueno, disse, em comunicado, que a solução para o caso é "muito importante para o sistema como um todo, seja sob o ponto de vista financeiro ou institucional". Antigo dono do Bamerindus, ex-senador e empresário José Eduardo de Andrade Vieira sempre contestou judicialmente a intervenção e posterior venda do banco.

China supera Estados Unidos como maior potência industrial

A China destronou os Estados Unidos em 2010 e se tornou a maior potência manufatureira do mundo, segundo um estudo do centro de pesquisas econômicas IHS Global Insight. A produção industrial da China representou 19,8% da produção manufatureira mundial em 2010, enquanto a parcela dos Estados Unidos representou 19,4%, segundo o IHS. De acordo com o estudo, o valor agregado da produção industrial chinesa alcançou US$ 1,995 trilhão (correntes) em 2010, contra US$ 1,952 trilhão para os Estados Unidos. "A produção manufatureira americana registrou uma forte recuperação em 2010, com um crescimento de 12,6% em valor agregado", destaca o IHS, mas o crescimento maior na China e a valorização do yuan em comparação ao dólar permitiram à República Popular da China superar os Estados Unidos. O estudo destaca, no entanto, que a produtividade continua sendo bem superior nos Estados Unidos: "com 11,5 milhões de trabalhadores, o setor industrial americano produz quase o mesmo valor registrado pelo setor industrial chinês com 100 milhões de trabalhadores".

Fundo de Amparo ao Trabalhador tem saldo positivo de R$ 11 bilhões

O saldo positivo do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) atingiu R$ 11,17 bilhões em 2010, um crescimento de 53,4% em relação a 2009, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Trabalho. As receitas do fundo no período tiveram elevação de 16,8%, atingindo R$ 40,92 bilhões, enquanto as despesas subiram 7,2%, elevando-se a R$ 29,74 bilhões. O balanço mostra que a maior parte dos recursos vem da contribuição PIS/PASEP (R$ 28,76 bilhões), enquanto as receitas de remunerações repassaram R$ 10,2 bilhões. A maior fatia das despesas, por outro lado, continua sendo o pagamento de Seguro Desemprego, com gastos de R$ 20,44 bilhões (crescimento de 4,5%) no ano passado. O FAT responsável pelos pagamentos do Seguro Desemprego e Abono Salarial, além do financiamento da qualificação profissional e intermediação de mão-de-obra, por meio do Sine (Sistema Nacional de Emprego). Dos recursos que constituem a receita do FAT, 40% são repassados ao BNDES para aplicação no financiamento em programas de desenvolvimento econômico.

Arábia Saudita envia tropas para ajudar a coibir revolta no Bahrein

A Arábia Saudita, controlada por um governo sunita, enviou uma tropa de cerca de 1.000 homens para o Bahrein, para conter protestos de muçulmanos xiitas, que são maioria no país. As tropas foram chamadas para proteger a monarquia bareinita. Os Emirados Árabes Unidos também enviaram uma tropa de cerca de 500 policiais para o Bahrein, para ajudar a proteger as instalações do governo.  A maioria xiita na região vê uma oportunidade de se livrar de dois séculos de governo monárquico sunita. Os líderes do Golfo se preocupam que a onda de protestos fortaleça o Irã, que é controlado por xiitas, contra a Arábia Saudita, controlada por governo sunita. A ocupação foi decidida depois do confronto entre a polícia do Bahrein e xiitas no domingo. Foi o mais violento embate desde que as tropas do país mataram sete manifestantes no mês passado. "Outros países do Golfo também vão participar para trazer calmaria e ordem ao Bahrein", disse o chanceler dos Emirados Árabes, Sheikh Abdullah bin Zayed al-Nahayan, nesta segunda-feira, na reunião de ministros de relações exteriores do G8, em Paris.

Exibir mapa ampliado

Produção nas fábricas da Toyota e subsidiárias no Japão é suspensa até 16 de março

A Toyota anunciou nesta segunda-feira que a produção em todas as fábricas da Toyota Motor Corporation e de suas subsidiárias no Japão está suspensa até o dia 16 de março. Segundo a fabricante, a parada busca permitir que empregados e fornecedores se preocupem com a segurança de suas famílias. A Toyota já havia informado no sábado a suspensão das operações e confirmou nesta segunda-feira apenas o prazo da retomada de suas atividades. O presidente da Toyota Motor Corporation, Akio Toyoda, já havia divulgado nota de condolência às famílias que foram vítimas do terremoto que atingiu o país e colocou como prioridade focar esforços para que os impactos do evento sejam minimizados. A Toyota doará 300 milhões de ienes para auxílio à reconstrução das comunidades afetadas pelo terremoto.

Três emergências do SUS em Porto Alegre operam com o triplo da capacidade

Quatro emergências do SUS em Porto Alegre registraram, nesta segunda-feira, superlotação em suas dependências. Os hospitais Conceição, Clínicas e São Lucas (da PUC) apresentaram as condições mais críticas, com o triplo do número de leitos acima da capacidade total. No Hospital de Clínicas são 152 pacientes na ala de adultos, sendo que o local possui 49 leitos. Há pessoas em macas e cadeiras de rodas pelos corredores. O Hospital São Lucas da PUC possui 15 vagas na emergência, mas atendia, nesta segunda-feira, 46 pacientes. Já o Hospital Conceição recebeu 157 pessoas para 50 leitos, situação considerada a pior desde o início do ano. O Complexo Santa Casa também aponta dificuldades, operando com o dobro da capacidade. No Cristo Redentor (pertencente ao estatal Grupo Conceição), as 22 vagas estão ocupadas. Nele, atendimentos no setor de traumatologia seguem restritos e cirurgias eletivas foram suspensas. A justificativa para a superlotação nas emergências, segundo as direções dos hospitais, se dá pela grande migração de pacientes do interior e Região Metropolitana em busca de internação na Capital. Ora, isso não pode servir como explicação, porque Porto Alegre sempre recebeu pacientes do Interior do Estado, mas nunca viveu situação tão crítica como agora. E os Ministérios Públicos não fazem absolutamente nada, nem TAC.

Mineradora de Eike Batista tem 1,5 bilhão de toneladas de minério de ferro

A MMX, mineradora do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, divulgou que detém pelo menos 1,5 bilhão de toneladas de minério de ferro. Segundo comunicado para o mercado, o volume foi auditado pela certificadora internacional SRK Consulting. A auditoria também aponta que a MMX tem potencial mineral adicional de 1,4 bilhão de toneladas. A SRK auditou as reservas minerais dos Sistemas Sudeste (MG) e Corumbá (MS) da MMX. "As reservas lavráveis, calculadas com base nestes recursos, são mais do que suficientes para alcançarmos nossa meta de produzir 46 milhões de toneladas de minério de ferro por ano", disse Roger Downey, presidente da MMX. Ele afirmou ainda que 60% da produção do Sistema Sudeste da MMX já está negociada com parceiros da Ásia, em contratos de fornecimento de 20 anos.

Governo federal promete R$ 2,4 bilhões para metrô de Porto Alegre

O ministro das Cidades, Mario Negromonte, anunciou em Porto Alegre, nesta segunda-feira, que a cidade terá R$ 2,4 bilhões no PAC da Mobilidade, para aplicar na construção do metrô. Mário Negromonte fez a declaração quando visitou o prefeito José Fortunatti, que prometeu entregar o projeto no próximo mês.

ONU agora afirma que Irã intensificou execuções e repressão a oposicionistas

A ditadura nazista islâmica do Irã tem intensificado a repressão contra os opositores, bem como as execuções de traficantes de drogas, presos políticos e criminosos juvenis, disse a ONU em um relatório divulgado nesta segunda-feira. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, também expressou preocupação com os açoitamentos, amputações e condenações de supostos adúlteros (homens e mulheres) à morte por apedrejamento. Jornalistas, blogueiros e advogados foram presos ou tiveram seu trabalho dificultado, e denúncias de tortura e julgamentos injustos são abundantes, disse Ban em relatório enviado ao esquerdóide Conselho de Direitos Humanos. Ban pediu à ditadura nazista islâmica de Teerã que autorize investigadores de direitos humanos da ONU a irem ao país. Nenhuma visita ocorre desde 2005, apesar de repetidos pedidos, disse ele. O seu relatório de 18 páginas deve aumentar a pressão sobre o esquerdopata Conselho de Direitos Humanos da ONU para examinar violações por parte do Irã. Os 47 membros do fórum se reúnem em 23 de março em Genebra para debater o texto. Os Estados Unidos querem que o Conselho censure o Irã pela repressão e nomeie o primeiro investigador de direitos humanos da ONU na República Islâmica em uma década. Uma proposta sueca de resolução, apoiada por Washington, deve ser votada em 24 ou 25 de março. "Uma tendência preocupante é o aumento do número de casos em que os presos políticos são acusados por crimes de "mohareb" (inimizade contra Deus), que acarretam a pena de morte", disse o relatório. "Apesar de uma moratória no apedrejamento declarada pelo chefe do Poder Judiciário em 2002, o sistema judicial continua a sentenciar homens e mulheres à execução por apedrejamento", acrescenta o texto. Segundo o relatório, as autoridades informaram que o Parlamento irá rever as punições. Esse é o governo do nazista islâmico Ahmadinejad, o amigo de Lula.

Ministro Joaquim Barbosa autoriza inquérito contra Jaqueline Roriz no Supremo

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, autorizou nesta segunda-feira abertura de inquérito contra a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF), filmada recebendo dinheiro de propina do delator do Mensalão de Brasília, Durval Barbosa. O ministro acolheu pedido do Ministério Público Federal. Com a abertura do inquérito, o procurador-geral, Roberto Gurgel, começa a investigar a denúncia de que ela teria recebido pelo menos R$ 50 mil do esquema. Ao concluir o caso, Gurgel decide se oferece ou não denúncia contra a deputada ao Supremo. Relator do caso, o ministro autorizou duas diligências a serem realizadas pela Polícia Federal em até 30 dias: a oitiva de Jaqueline e a perícia com degravação do vídeo no qual ela aparece recebendo dinheiro.

Delator Durval Barbosa diz que fez outros pagamentos a Jaqueline Roriz

Em depoimento ao Ministério Público Federal, o delator do Mensalão de Brasília, Durval Barbosa, afirmou que foram feitos mais repasses de dinheiro para a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF) além daquele registrado em vídeo. Segundo o delator Durvas Barbosa, o dinheiro era uma retribuição pela não participação da deputada na campanha de Maria de Lourdes Abadia (PSDB) ao governo do Distrito Federal em 2006. Jaqueline integrava a coligação de Abadia nas eleições. De acordo com o procurador-geral da Republica, Roberto Gurgel, o delator teria admitido que os recursos entregues a Jaqueline teriam origem ilícita. "Ele fez referência de que teria havido outros pagamentos. Na verdade, tudo será objeto de investigação", afirmou o procurador. E completou: "Tudo aponta no sentido de que a origem seja ilícita, mas isso a gente tem que investigar". Gurgel não soube precisar o valor que o delator Durval Barbosa entregou para Jaqueline. Conforme o procurador, o depoimento dele "não foi rico em detalhes". O procurador afirmou que o Ministério Público recebeu o vídeo no final de fevereiro. Ele disse que o delator Durval Barbosa alegou que o vídeo estava "perdido". Gurgel disse ainda que, além do vídeo de Jaqueline, o Ministério Público Federal não tem conhecimento de novos vídeos gravados por Barbosa nem nenhuma imagem envolvendo o ex-governador Joaquim Roriz. O procurador afirmou que não se lembra dele ter mencionado a entrega de dinheiro para Roriz. Jaqueline é a primeira pessoa do chamado "grupo de Roriz" a aparecer nos vídeos gravados pelo delator. É absolutamente inacreditável que esse delator Durval Barbosa ainda esteja em liberdade, sendo réu confesso em tantos crimes.

Segundo deputado mais votado do Paraná é acusado de atropelar adolescente

O segundo deputado estadual mais votado do Paraná é acusado de se envolver em acidente de trânsito em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, e fugir sem prestar socorro ao pedestre atingido pelo veículo onde o político estava. O acidente aconteceu no final da noite do último sábado. O radialista Gilberto Ribeiro (PSB), que apresenta um programa com reportagens policiais na RIC (Rede Independência de Comunicação), afiliada da Rede Record, estava em uma caminhonete que subiu a calçada e atingiu um adolescente de 14 anos. O garoto teve escoriações, mas não corre risco de morte. Familiares do garoto disseram que Ribeiro era o motorista. Ele nega, e diz que um funcionário dele estava ao volante , e que havia saído momentos antes de um bar, onde consumiu bebida alcoólica. Após o atropelamento, Ribeiro foi embora sem prestar socorro ao garoto. O deputado declarou que retornava de um encontro em uma chácara e que seu motorista, um assessor parlamentar conhecido como Cristopher, atingiu o adolescente na calçada ao desviar de um buraco na rua. "Foi uma fatalidade, não foi proposital", afirmou. Ribeiro disse ainda que pediu para o motorista parar o automóvel para ver o estado do rapaz, mas que, em seguida, Cristopher resolveu sair do local com medo da reação das pessoas que se aproximavam para ver o acidente.

BNDES define foco de atuação para fundo tecnológico de 2011

A linha de crédito do BNDES voltada para o desenvolvimento tecnológico e de inovação no Brasil vai focar em energias alternativas, como novas tecnologias para energia eólica, energia solar, biogás e energia a partir de resíduos. A diretoria do banco anunciou nesta segunda-feira que os focos de atuação do Funtec (Fundo Tecnológico) para o exercício deste ano contemplarão os setores de energia, meio ambiente, saúde, eletrônica, novos materiais, química, transportes e petróleo e gás. Em 2010, o BNDES Funtec aprovou 27 projetos, com apoio total de cerca de R$ 200 milhões, principalmente nos setores de eletrônica e meio ambiente, que corresponderam, respectivamente, a 27,9% e 21,25% do total dos recursos comprometidos. O apoio para 2011 também deve ficar em R$ 200 milhões.

Portos japoneses têm prejuízos bilionários após terremoto

Portos pelos quais transitam até 7% da produção industrial do Japão sofreram graves danos em consequência do terremoto e do tsunami da semana passada, causando prejuízos que alcançam a casa dos US$ 3,4 bilhões por dia, segundo especialistas do setor. O Japão começou a avaliar os danos causados pelo tremor de magnitude 8,9 à infraestrutura portuária, crucial para o país receber ajuda externa, matérias-primas e bens destinados à reconstrução das áreas devastadas. O desastre, que pode ter matado até 10 mil pessoas, afetou especialmente portos que embarcavam contêineres para indústrias como Hitachi, Daikin e dezenas de outras. "O impacto de curto prazo sobre a atividade econômica pode ser maior do que após o terremoto de Kobe", disse Jiyun Konomi, analista da empresa Nomura Securities, de Tóquio, referindo-se ao desastre de 1995, que matou 6.000 pessoas. "Após o terremoto de Kobe, a atividade no transporte de cargas levou três meses para voltar aos níveis pré-terremoto", acrescentou. Os portos de Tóquio e de todas as localidades ao sul da capital estavam operando normalmente depois de interromperem brevemente suas operações após o sismo de sexta-feira. No resto do país, no entanto, funcionários estão avaliando os danos à estrutura portuária. A paralisação dos portos deve causar prejuízos de US$ 3,4 bilhões por dia devido ao cancelamento de embarques, segundo a publicação especializada Lloyds Intelligence. Os portos de Hachinohe, Sendai, Ishinomaki e Onahama, na costa nordeste, devem passar meses ou até anos inoperantes devido ao terremoto. Esses são portos médios, especializados principalmente no transporte de contêineres, embora alguns também manipulassem combustíveis e produtos a granel. "Esses portos precisarão de muito tempo até que possam ser plenamente restaurados", disse Tetsuya Hasegawa, gerente de operações na agência de navegação Heisei, em Tóquio.

Sarney quer mudar tramitação das medidas provisórias no Senado

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), vai propor mudanças na tramitação das medidas provisórias no Congresso Nacional. Ele quer que o Senado tenha autonomia para retirar das MPs os chamados "jabutis" incluídos no texto pelos deputados. São artigos que não têm relação direta com o assunto da MP. No atual modelo, se o Senado faz alguma alteração na MP, ela deve retornar para nova votação na Câmara. Sarney vai apresentar a proposta para a Mesa Diretora. Sarney classificou de "anomalia" o modelo atual ao afirmar que, se uma matéria for aprovada em uma Casa, deve ser mantida com a mesma redação na outra.

Japão já contabiliza 1.886 mortos pelos terremoto e tsunami

A polícia japonesa elevou nesta segunda-feira para 1.886 o número de mortos pelo terremoto de magnitude 8,9 que atingiu o país na última sexta-feira, seguido de um devastador tsunami. Outras 2.329 pessoas ainda estão desaparecidas, enquanto as autoridades estimam que o saldo final de vítimas ultrapasse os 10 mil. A polícia e os bombeiros trabalham para recuperar os corpos nas cidades da costa leste japonesa mais atingidas pela tragédia. Cerca de mil corpos foram encontrados em Miyagi, além de outros 200 ou 300 corpos que as equipes tentam resgatar em Sendai, local mais atingido pelo tremor e pelas ondas gigantes. Em Miyagi, o governo não conseguiu contatar cerca de 10 mil pessoas, mais da metade da população local. O destino de dezenas de milhares de pessoas, incluindo cerca de 8.000 moradores da cidade de Otsuchi, ainda é desconhecido. "É uma cena infernal, absolutamente aterrorizante", disse Patrick Fuller, da Federação Internacional da Cruz Vermelha na cidade de Otsuchi: "A situação aqui é simplesmente inacreditável, quase tudo foi arrasado. O governo está dizendo que 9.500 pessoas, mais da metade da população, poderia ter morrido, e eu temo pelo pior". Equipes de resgate continuam procurando sobreviventes na região devastada pelo tsunami, ao norte de Tóquio, e tentando ajudar milhões de pessoas que estão sem energia elétrica e água.

Geraldo Alckmin intervém para conter adesão ao novo partido de Gilberto Kassab

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi acionado pela cúpula do DEM para ajudar a conter a debandada do partido no Estado. O prefeito da capital, Gilberto Kassab, comunicará até esta terça-feira sua decisão de deixar o partido, mas abrirá uma dissidência menor que a prevista inicialmente. O apelo para que Alckmin agisse de forma mais incisiva para segurar prefeitos, deputados e vereadores no DEM foi feito há 15 dias e reforçado na semana passada pelo líder na Câmara, ACM Neto (BA). Durante jantar entre as bancadas do PSDB e do DEM, em Brasília, ACM Neto falou com Alckmin pelo telefone. Disse que sua intervenção poderia ser útil, por exemplo, para segurar os deputados Junji Abe, Eli Correa Filho e Walter Ioshi, que é suplente. O tucano se comprometeu a atuar junto a eles e aos prefeitos do interior, onde tem grande influência. O DEM governa 70 cidades paulistas. Além de Kassab, a mais importante provável dissidência é a prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, que deve acompanhá-lo na criação do PDB (Partido da Democracia Brasileira). A cúpula do DEM estima entre 6 e 8 as baixas na bancada de 46 deputados federais. No Senado não deve haver defecções imediatas. A senadora Kátia Abreu (TO), antes propensa a sair, deve ficar por ora para depois analisar o quadro partidário. Uma vez definida sua saída, Kassab deve dar entrada no pedido de registro provisório do novo partido até o fim do mês.

Instituto procura patrocínio para acervo raro do Brasil holandês

O Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano quer transformar em livro um de seus acervos mais raros: o conjunto de mapas feitos pelo holandês Johan Vingboons. Os mapas foram produzidos por volta de 1660 e, no final do ano passado, receberam o título de Memória do Mundo da Unesco. São 33 pranchas aquareladas, algumas com mais de um metro de largura. Elas mostram o litoral brasileiro, o interior do continente, em capitanias como a da Bahia e de Pernambuco, além dos arredores do Recife, do Rio de Janeiro e de São Vicente. Os mapas chamam a atenção pela precisão e pelos detalhes do território, como a malha hidrográfica, as estradas que levavam aos engenhos e até os currais de gado. Vingboons trabalhava em uma das principais empresas cartográficas da Holanda, o ateliê de Johan Blaeu, responsável pela produção dos mapas da Companhia das Índias Ocidentais, empresa que coordenava as atividades holandesas na América. O ateliê era um centro privilegiado de informação. Regularmente, cartógrafos ou comandantes de navios voltavam com novos detalhes. Com esses relatórios, eles iam produzindo mapas de três continentes, com ênfase sobre os locais onde havia interesse comercial da Companhia das Índias. A capitania de Pernambuco, ocupada pela companhia, era um de seus principais produtores de açúcar. Por ser uma empresa de capital aberto, havia interesse em divulgar suas possessões aos acionistas, o que fomentou a criação das cartas. Vingboons era responsável pela produção de edições de luxo. Ele compilava as informações que vinham de diversas fontes e produzia grandes mapas feitos à mão, com acabamento artístico.

Serasa aponta crescimento da inadimplência em 25% no primeiro bimestre

A inadimplência do consumidor apresentou crescimento de 25,4% no primeiro bimestre do ano na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o indicador da Serasa Experian divulgado nesta segunda-feira. Essa alta reflete, de acordo com os economistas da entidade, o maior endividamento do consumidor, com o acúmulo de dívidas e o encarecimento do crédito, em decorrência da política monetária para controle da inflação. Considerando apenas fevereiro, houve expansão de 25,9% ante igual intervalo no ano passado, mas recuo de 2,3% ante janeiro. Para os economistas da Serasa, esse é um sinal de que a inadimplência está perdendo fôlego. Na decomposição do indicador, as dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como fornecimento de energia elétrica e água) foram as principais responsáveis pelo recuo mensal do índice.

Imigrantes estão enviando menos dinheiro para o Brasil

O Brasil foi exceção na tendência de estabilização do fluxo de remessas de dinheiro de imigrantes latino-americanos para seus países em 2010, com queda de 15% no volume enviado, segundo relatório que o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) divulgado nesta segunda-feira. "Para muitos países da região a queda teria sido uma calamidade, mas no caso do Brasil é reflexo da bonança econômica", afirma o banco. Dois motivos principais explicam a queda: de um lado, a economia forte desestimulou a imigração e diminuiu a necessidade dos envios; de outro, a inflação e a apreciação do real reduziram o poder de compra do dinheiro vindo de outros países. A queda de 15% (calculada em dólar) ocorre depois de outra ainda maior. Em 2009, houve declínio de mais de 25% nas remessas enviadas ao Brasil em relação a 2008. Com isso, o volume total de dinheiro enviado pelos imigrantes brasileiros ao Brasil em 2010 ficou em US$ 4,044 bilhões. Em reais, a queda foi de 22%; se ajustada pela inflação, chegou a 26%. As remessas ao Brasil tem apresentado queda há alguns anos. O país era o segundo em volume recebido na região, atrás só do México. Hoje é o terceiro, perdendo também para a Guatemala.

Dilma diz estar preocupada com violência contra mulher

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira que está preocupada com os índices de violência contra a mulher no Brasil. Em seu programa semanal de rádio "Café com a Presidenta", ela classificou o ato como inaceitável e pediu à população que denuncie. Dilma lembrou seu compromisso de campanha de garantir que a Lei Maria da Penha seja rigorosamente cumprida e destacou a obrigatoriedade, por parte de profissionais de saúde da rede pública e privada, de notificar casos de mulheres agredidas. A presidente voltou a falar no lançamento da Rede Cegonha, mas não deu uma previsão para o início do programa. A idéia é trabalhar o atendimento integral de gestantes e crianças, desde a gravidez até o desenvolvimento do bebê. Outra ação destacada por Dilma durante o programa trata da entrega de creches e pré-escolas. A previsão do governo é que até 2014, um total 6.000 unidades sejam construídas em todo o País.

Juros do cheque especial e empréstimo pessoal sobem em março

As taxas de juros do empréstimo pessoal e cheque especial apresentaram leve alta em março, segundo levantamento do Procon-SP divulgado nesta segunda-feira. No cheque especial houve acréscimo de 0,02 ponto percentual, enquanto no empréstimo pessoal a alta foi de 0,03 ponto percentual. O levantamento, feito nos dias 1º e 2 deste mês, envolveu as seguintes instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. A taxa média do empréstimo pessoal ficou em 5,42% a.m. (ao mês), superior à do mês anterior que foi de 5,39% ao mês. O único banco a elevar a taxa foi o HSBC, com a elevação da taxa de 4,30% para 4,50% a.m., o que significa um acréscimo de 0,2 p.p., representando uma variação de 4,65% em relação à taxa de fevereiro. Mesmo com a alta, o HSBC é o que tem menor taxa, enquanto a maior é praticada pelo Itaú, com 6,30% ao mês. O cheque especial teve taxa média de 9,31% ao mês, ante a taxa de fevereiro de 9,29% ao mês. A única alteração foi promovida pela Caixa Econômica Federal, que elevou a taxa de cheque especial de 7,15% para 7,31% a.m., o que significa um acréscimo de 0,16 ponto percentual, representando uma variação de 2,24% em relação à taxa de fevereiro.

Após duas explosões, terceiro reator de Fukushima tem pane na refrigeração

Um terceiro reator da usina nuclear de Fukushima (localizada no nordeste do Japão) apresenta problemas com seu sistema de refrigeração, depois das duas explosões que ocorreram no local por causa da acumulação de hidrogênio. As funções de refrigeração do reator número 2 da central de Daiichi, em Fukushima, pararam por causa dos problemas provocados pelo terremoto de magnitude 9 que atingiu o Japão na sexta-feira passada. O porta-voz do governo, Yukio Edano, afirmou que os responsáveis pela unidade têm "tudo preparado" para injetar água do mar no reator, a fim de tentar controlar sua temperatura. A companhia operadora da central, a Tokyo Electric Power (TEPCO), informou que foi detectada uma queda do nível de água desse reator, embora tenha relatado que não deixou descobertas suas barras de combustível. Os problemas no reator número 2 da central aconteceram pouco após uma explosão por acumulação de hidrogênio no recipiente secundário de contenção do reator número 3, que também sofria problemas de refrigeração. A explosão foi similar à ocorrida no sábado no reator número 1 dessa unidade e, igual a essa ocasião, não causou danos em seu recipiente primário nem vazamento maciço de radiação, segundo o governo. O ministro Edano disse que as autoridades "farão todo o possível" para impedir que o recipiente secundário de contenção do reator número 2 sofra por sua vez uma explosão. O forte terremoto da sexta-feira e o tsunami que o seguiu paralisaram a atividade de 11 usinas nucleares nas áreas afetadas, das quais quatro têm problemas com a refrigeração de seus reatores. Também nesta segunda-feira, a empresa Tokyo Electric Power (TEPCO) informou que a situação de emergência terminou nos reatores 1 e 3 de Fukushima (nordeste do Japão). A temperatura em ambos os reatores já caiu e é estável, por isso que já não trazem perigo, segundo a TEPCO, a operadora da central. Os problemas continuam no reator 3, depois de uma explosão em seu recipiente secundário de contenção que, segundo a TEPCO, não causou danos no reator nem produziu um vazamento em massa de radioatividade.

Credit Suisse diz que Japão vai sofrer prejuízo de US$ 171 bilhões

As perdas econômicas nas regiões do Japão que foram atingidas pelo grande terremoto vão somar cerca de 14 trilhões a 15 trilhões de ienes (US$ 171 bilhões a US$ 183 bilhões), segundo informações disponíveis nesta segunda-feira, afirmou o Credit Suisse, em relatório. O economista-chefe do banco, Hiromichi Shirakawa, informou que prejuízos na região nordeste do Japão serão "um pouco menos que 40%" dos 40 trilhões de ienes (US$ 490 bilhões) em perdas econômicas totais registradas no terremoto de Kobe, em 1995. Shirakawa informou que as perdas pelo terremoto de sexta-feira serão provavelmente menores por causa de um menor número de prédios de escritórios, instalações comerciais e estradas afetadas nas regiões atingidas.

Governo petista planeja regra para beneficiar megaempreiteiras

Setores do governo petista de Dilma Rousseff querem barrar a entrada de empreiteiras de menor porte em grandes obras de transportes, sob o argumento de que elas são as principais responsáveis por projetos mal feitos, serviços e materiais deficientes, revisões de orçamento e atrasos. Está em formulação na Casa Civil, após negociações com o setor e já com aval da presidente Dilma Rousseff, decreto que altera regras que hoje permitem a atuação das pequenas em grandes obras. Com a nova regra, elas teriam de se reunir em consórcios para poder competir. Segundo o diretor-geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Luiz Antonio Pagot, o governo está muito exposto às pequenas empreiteiras, que oferecem preço muito baixo, mas executam um serviço de "péssima qualidade" e demorado. O órgão exemplifica, entre outros casos, com a obra do Contorno Rodoviário de Cascavel (PR), parada há quase um ano por problemas financeiros da empreiteira responsável. Em Cuiabá, a construção do Rodoanel está paralisada desde 2009 pelo mesmo motivo. Pagot afirma que as pequenas empreiteiras não serão excluídas, pois poderão se organizar em consórcios. Para as entidades da construção, novas regras podem tanto facilitar o direcionamento de contratos como tornar os processos mais ágeis e favoráveis para as partes. Luiz Antonio Messias, vice-presidente do SindusCon-SP (sindicato das empresas de construção civil) considera que a alteração pode facilitar direcionamentos. As mudanças acrescentariam apenas detalhamentos à lei 8.666/93 (das licitações), por meio de decretos. O texto aumentará a exigência de habilitação técnica nos editais. O governo pretende ampliar o peso da técnica na nota final, hoje de 50%, para até 70%. Outra alteração é a classificação prévia das empresas por tamanho (maquinário, quadros técnicos e pessoal). A empreiteira só estaria habilitada a participar de obras compatíveis com seu porte. A mudança aproveita brecha da Lei de Licitações que exige nos editais prova de capacidade econômica. Há a previsão de incluir no decreto a preferência pela empreitada global, em que a empresa elabora o projeto e realiza a obra, tudo num só pacote e com preço fechado. A opção por esse modelo oferece facilidade para as megaempreiteiras, que detêm mais mão de obra qualificada e estrutura.

Japão admite que núcleos de reatores provavelmente estão derretendo

Autoridades japonesas disseram nesta segunda-feira que as barras de combustível nuclear parecem estar derretendo dentro dos três reatores do complexo de Fukushima, afetados pelo abalo sísmico e pela tsunami da última sexta-feira. O Secretário Geral do Gabinete japonês Yukio Edano disse nesta segunda que, apesar ser impossível checar diretamente, “é muito provável que o derretimento esteja acontecendo”. Tal processo poderia levar a um grave vazamento de material radioativo, e por isso as autoridades japonesas lutam contra o tempo para evitar um desastre nuclear de maiores proporções. Uma explosão de hidrogênio afetou o reator 3, arrancando o teto da instalação. A Tokyo Electric Power Co (Tepco), empresa que administra a usina, não descarta o risco de um acidente nuclear maior no local. A usina de Onagawa apresentou um problema semelhante no domingo. Em Fukushima, já houve a necessidade da liberação de gás proveniente dos reator 1 anteriormente para aliviar a pressão e evitar o derretimento das barras de combustível. Segundo a empresa, as barras de combustível ficaram totalmente expostas, após uma queda do nível de água que cobria o combustível nuclear. Ocorreu então um superaquecimento que pode ter levado ao derretimento do núcleo. Ao menos 180 mil pessoas foram retiradas de áreas próximas à usina e 160 mil podem ter sido contaminadas pelo vazamento de radiação de um terceiro reator, o de número 1, ocorrida no sábado.

Banco JBS anuncia fusão com Matone para crescer no varejo

O banco JBS, pertencente à família Batista (dona do frigorífico JBS), e o banco Matone, com atuação no varejo e mais forte no sul do País, anunciaram nesta segunda-feira um entendimento para realizar uma fusão entre as instituições. O banco JBS é um banco múltiplo especializado em crédito para pecuaristas, enquanto o Matone é um banco múltiplo com carteira comercial. Com a fusão, a holding J&F Participações, da família Batista, passa a atuar na concessão de crédito a pessoa física. "É a melhor forma de capturar essa fase de prosperidade pela qual o Brasil tem passado", afirmou Joesley Batista, presidente da J&F Participações e ex-presidente do frigorífico JBS. "O crédito à pessoa física ainda é muito baixo no Brasil, o potencial disso é fantástico", acrescentou. Os dois bancos serão controlados por uma holding a ser constituída, com participação de 60% da J&F e de 40% da Matone holding, controladora do banco. O balanço consolidado das duas instituições deve apresentar patrimônio líquido de R$ 550 milhões, após aporte de R$ 200 milhões que será feito pela J&F e de R$ 100 milhões pela Matone holding. O banco resultante da fusão entre as duas instituições, com nova marca, surgirá com uma carteira de crédito de R$ 2,5 bilhões. Segundo o presidente do banco Matone, Alberto Matone, a carteira de crédito deve chegar a R$ 6 bilhões no prazo de um ano e meio.

Brasil precisa de R$ 3 trilhões para eliminar déficit habitacional

O Brasil precisará de R$ 3 trilhões até 2022 para construir as 23 milhões de moradias necessárias para eliminar seu déficit habitacional, de acordo com o Deconcic (Departamento da Indústria da Construção) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). A estimativa foi apresentada em São Paulo. Há previsão do setor que, no mesmo período, sejam investidos R$ 2 trilhões em infraestrutura, em recursos tanto públicos quanto privados. O Brasil, de acordo com o departamento da FIESP, está abaixo da média mundial em qualidade geral de infraestrutura, com nota 3,8. A média global é 4,3, em uma escala que vai até 7.

Brasil precisa de R$ 3 trilhões para eliminar déficit habitacional

O Brasil precisará de R$ 3 trilhões até 2022 para construir as 23 milhões de moradias necessárias para eliminar seu déficit habitacional, de acordo com o Deconcic (Departamento da Indústria da Construção) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). A estimativa foi apresentada em São Paulo. Há previsão do setor que, no mesmo período, sejam investidos R$ 2 trilhões em infraestrutura, em recursos tanto públicos quanto privados. O Brasil, de acordo com o departamento da FIESP, está abaixo da média mundial em qualidade geral de infraestrutura, com nota 3,8. A média global é 4,3, em uma escala que vai até 7.

Setor de material de construção prevê faturamento 8,5% maior este ano

O setor de materiais de construção deve ter um faturamento com vendas 8,5% maior este ano do que em 2010, de acordo com a Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção). Em 2010, o segmento faturou R$ 49 bilhões, com expansão de 10,6% sobre o valor de 2009. "Um crescimento sobre o desempenho de 2010 é bastante positivo e reflete as boas perspectivas para o setor", disse Cláudio Conz, presidente da Anamaco, na apresentação da 19ª Feicon Batimat (feira do setor de construção civil) que acontece desta terça-feira até sábado em São Paulo. Conz também revelou que há relatos de falta de material de base, como areia e blocos de concreto, na região de São José do Rio Preto. "A falta é um problema, mas é um indicador de mercado aquecido. Temos estudos que mostram que consumidores das classes C e D passam vida tentando reformar e ampliar suas casas", disse ele.