sábado, 19 de março de 2011

Líbios formam escudo humano em fortaleza de Kadahfi

Milhares de líbios se juntaram no complexo fortificado de Muamar Kadahfii em Trípoli neste sábado para formar um escudo humano contra possíveis ataques aéreos de forças ocidentais. Fogos de artifício irromperam no céu noturno e pessoas dispararam tiros para o alto em desafio depois que aviões aliados entraram em ação no leste da Líbia para deter o ataque das forças do líder líbio contra a cidade rebelde de Benghazi. Líbios de todas as profissões acorreram ao complexo de Bab Al-Aziziyah, gritando slogans e segurando retratos de Kadahfi. Alto-falantes entoavam canções em louvor ao líder. O grande complexo de Trípoli, que inclui acomodações militares, foi o alvo de um bombardeio dos Estados Unidos à Líbia em 1986. O então presidente Ronald Reagan disse ser uma retaliação pelo que chamou de cumplicidade líbia no atentado a bomba a um clube noturno em Berlim.

Moradores de Porto Velho temem revolta após tumulto em Jirau

Porto Velho, capital de Rondônia, viveu uma madrugada de tensão com boatos de saques, protestos e novos conflitos entre a polícia e os cerca de 7.500 trabalhadores abrigados na cidade após a retirada em massa do canteiro de obras da usina de Jirau. Parte do comércio fechou as portas a partir da tarde de sexta-feira, especialmente nas proximidades dos quatro abrigos improvisados na região central da cidade. No maior deles, as principais ruas de acesso foram fechadas pela Polícia Militar. Os operários foram retirados da hidrelétrica após um quebra-quebra que começou na noite de terça-feira. A maior parte dos alojamentos da obra, a mais de 100 quilômetros do centro de Porto Velho, foram destruídos. A construção permanece suspensa. O governador Confúcio Moura (PMDB) ordenou que "todo o policiamento fosse colocado na rua". Desde sexta-feira, segundo a Camargo Corrêa, parte dos trabalhadores já começou a ser encaminhada para seus locais de origem. A maioria seguiu em ônibus, mas centenas foram deslocados para o aeroporto para embarques em dois Boeings fretados pela empresa. A Camargo Corrêa diz que os aviões e ônibus têm como destino Belém, São Luís, Teresina, São Paulo e Curitiba.

Datafolha diz que Dilma é aprovada por 47% dos brasileiros

Pesquisa Datafolha mostra que a presidente Dilma Rousseff é aprovada por 47% dos brasileiros. Com essa taxa de popularidade, Dilma iguala-se ao recorde registrado por Lula na mesma época no segundo mandato. Lula teve 43% de aprovação no terceiro mês de seu primeiro mandato, em março de 2003. Depois, bateu um recorde de aprovação presidencial em início de governo, em março de 2007, atingindo a marca de 48%. O instituto faz pesquisas nacionais desde 1990. Em junho daquele ano (a posse então era em março), Fernando Collor tinha 36% de aprovação. Itamar Franco, que assumiu depois do processo de impeachment de Collor, marcou 34% depois de três meses no cargo. Fernando Henrique Cardoso, eleito em 1994 e reeleito em 1998, teve aprovação no início de seus governos de 39% e 21%, respectivamente.

Navio de guerra dos Estados Unidos lança mísseis contra Líbia

Um navio de guerra dos Estados Unidos lançou mísseis de cruzeiro contra alvos da Líbia. O ataque aconteceram horas depois de uma ofensiva aérea da França contra um veículo militar das tropas do ditador líbio, Muamar Kadahfi. Os Estados Unidos participam da operação Odyssey Dawn (Odisséia da Alvorada), que envolve ainda Reino Unido, França, Itália e Canadá. A operação internacional focará em destruir as forças aéreas do ditador Kadahfi em Trípoli e Misrata. O navio U.S. Tomahawk lançou mísseis contra as forças aéreas de Gaddafi, em cumprimento com a resolução aprovada há dois dias pelo Conselho de Segurança da ONU que permite o uso de força para instaurar uma zona de exclusão aérea no país. Os ataques ocorreram perto de Trípoli, a capital líbia, e Misrata, terceira maior cidade do país. Os ataques americanos foram a primeira fase da implementação da zona. Eles liberaram o caminho para que aviões europeus e de outros países possam entrar no espaço aéreo líbio e impor a restrição de vôo a quaisquer outras aeronaves. As forças americanas devem focar os esforços na proteção das missões aéreas da França e outros países. Cerca de 25 navios, incluindo três submarinos armados com mísseis Tomahawk, estão estacionados no Mediterrâneo. Cinco aviões de vigilância também estão na área.

Fernando Henrique Cardoso diz que Dilma foi gentil

Convidado por Dilma Rousseff na condição de ex-presidente para o almoço oferecido ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, Fernando Henrique Cardoso elogiou a postura da presidente e chamou o gesto de "gentileza". "A presidente Dilma foi extremadamente gentil comigo", disse o tucano, oposicionista ao governo federal: "Achei uma coisa de gentileza, senão eu não teria vindo. É um gesto. Eu acho que, em matéria de Estado, quando está se representando o país, como é o caso aqui, não cabe divisões político-partidárias. Eu acho que a presidente Dilma demonstrou que tem uma compreensão correta dessa matéria". Segundo o ex-presidente, na relação política, "não é necessário tratar o outro como se um fosse Deus e o outro o demônio". Fernando Henrique Cardoso defendeu o tom adotado por Dilma ao cobrar publicamente de Obama o apoio ao assento permanente no Conselho de Segurança da ONU e à derrubada de barreiras comerciais impostas pelos Estados Unidos. Segundo ele, na relação entre Estados, o tom correto foi o adotado por Dilma. "O discurso de interesse do Brasil tem que ser duro, tem que dizer as verdades como são. É normal. É uma relação de Estados, não é uma relação entre pessoas. Não tem que ter amabilidade como tem as pessoas. Tem que colocar com clareza quais são os interesses", disse Fernando Henrique Cardoso.

Obama deu aval ao ataque na Líbia durante encontro com Dilma

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu o seu aval à ofensiva militar contra a Líbia durante um encontro privado com a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, na manhã deste sábado, no Palácio do Planalto. Enquanto os dois presidentes conversavam, um assessor americano entrou na sala com um bilhete. Obama leu e disse que as "providências" teriam de ser tomadas. Em seguida, explicou a Dilma que o assunto se referia à Líbia e que ele estava dando o apoio para que as forças aliadas abrissem fogo contra as tropas comandadas pelo ditador Muamar Kadahfi.

Obama e Dilma reforçam discurso por relações bilaterais

Em breves discursos, a presidente Dilma Rousseff e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reforçaram em almoço no Itamaraty suas posições expressadas mais cedo, em declaração à imprensa no Palácio do Planalto. Obama, em quatro minutos de discurso, foi mais protocolar e, ao contrário de Dilma, não chegou a citar novamente a polêmica sobre a composição do Conselho de Segurança. "Queremos ajudar em todos os meios possíveis a concretizar todo o potencial do Brasil", afirmou o americano. Em seu discurso, Dilma defendeu, na área comercial, a "conclusão bem sucedida da Rodada Doha" e disse esperar "fluxos mais equilibrados tanto em termos quantitativos quanto qualitativos". Em relação à posição do Brasil no tabuleiro mundial geopolítico, a presidente disse que o Brasil está pronto para contribuir, "sem voluntarismo". "Alimentamos a legítima esperança de contribuir, sem voluntarismo, na busca por soluções criativas para os grandes desafios contemporâneos", disse a presidente para, na sequência, citar um acordo de paz entre israelenses e palestinos e a necessidade de uma "multipolaridade benigna". A presidente não citou as situações do Irã e da Líbia em seu discurso. Obama e Dilma sentaram-se lado a lado, tendo à frente, na mesma mesa, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, da oposição. Os também ex-presidentes Itamar Franco e Fernando Collor também estiveram presentes ao almoço, mas sentados em outras mesas. Lula também foi convidado pelo Itamaraty, mas não compareceu. Dilma chegou a citar Martin Luther King ao fazer o brinde, afirmando que o sonho dele é "o mesmo sonho de brasileiros e americanos, um sonho de liberdade, de esperança e de harmonia e paz entre todos". Depois, em seu discurso, Obama citou ex-presidente Juscelino Kubitschek, fundador de Brasília. "Que a luz do progresso e da paz sempre brilhe sobre o Brasil", afirmou.

Urso polar Knut morre na Alemanha

O urso polar Knut morreu neste sábado no zoológico de Berlim, na Alemanha. Segundo seu criador Heiner Kloes, Knut foi encontrado boiando no tanque do cativeiro onde vivia. "Foi um dia completamente normal. Ele estava com as fêmeas um pouco antes, que tinham acabado de ser trancadas", disse Kloes: "Knut passeava por seu cativeiro, entrou na água, teve um curto espasmo e morreu". Uma autópsia será realizada nesta segunda-feira para tentar identificar a causa da morte, afirmou o funcionário. Entre 600 e 700 pessoas estavam no cativeiro de Knut e viram o urso de quatro anos de idade morrer. Uma visitante disse que assistiu Knut boiar sobre a superfície da água sem movimento, mostrando apenas suas costas por dez minutos, até que os funcionários do zoológico chegaram e cercaram o local. Todos os funcionários do jardim zoológico que cercaram o cativeiro estavam muito tristes. Uma deles disse: "Ele era o nosso bebê". Como a notícia da morte se espalhou pela cidade, mais fãs de Knut apareceu no jardim zoológico para lamentar sua perda. O prefeito de Berlim, Klaus Wowereit, classificou a morte de Knut como "horrível". O urso polar alcançou fama mundial depois de ter sido rejeitado por sua mãe quando nasceu em cativeiro no dia 5 dezembro de 2006. O filhote fofo foi mostrado ao público 15 semanas depois, e o número de visitas ao zoológico praticamente dobrou desde então, segundo as autoridades.

Terroristas do Hamas disparam barragem de mais de 50 foguetes contra Israel

O grupo terrorista islâmico palestino Hamas rompeu a trégua de dois anos com Israel ao disparar, somente neste sábado, cerca de 50 obuses contra o território israelense. Os disparos deixaram dois feridos leves e danos menores. Israel reagiu ao ataque com artilharia pesada e ataques aéreos, que deixaram um terrorista do Hamas morto e quatro civis feridos. O chanceler israelense, Avigdor Lieberman, disse que apresentará uma reclamação à ONU e afirmou, em comunicado, que o "objetivo primário dos palestinos é destruir Israel". As Brigadas Ezedin Al Qasam, braço armado da organização terrorista palestina islâmica Hamas, reivindicaram os disparos de "dezenas de obuses" contra as localidades israelenses fronteiriças de Sofa, Kessufim e Nahal Oz. Uma porta-voz do Exército israelense confirmou que "dezenas de obuses foram disparados contra Israel". "Três desses artefatos caíram no distrito de Pithat Shalom, no deserto de Neguev, onde civis ficaram levemente feridos, e outros dois obuses caíram no distrito de Eshkol, mais ao norte, sem causar feridos nem danos", declarou a porta-voz. Essa nova escalada da violência, às vésperas da festa judaica de Purim, ocorre depois da morte de dois membros das Brigadas Ezedin Al Qasam, na quarta-feira, em um ataque aéreo israelense que tinha como alvo um terreno utilizado para o treinamento de militares no bairro de Zeitun.

Estados Unidos iniciam ataque a forças de Kadahfi desde seus navios no Mediterrâneo


URGENT: U.S. Launches First Missile Strike Against Qaddafi's Regime

American forces launch cruise missiles on Libya's air defenses, clearing the way for European and other planes to enforce a no-fly zone designed to ground Qaddafi's air force and cripple his ability to inflict further violence.

Estados Unidos registram 27 fundos para o Brasil

Bancos e gestores internacionais de recursos têm lançado fundos nos Estados Unidos com o objetivo de investir exclusivamente no Brasil. São os chamados "Brazil dedicated funds" (fundos dedicados ao Brasil). A estratégia é recente. Há 27 fundos com esse perfil registrados na Securities and Exchange Comission (SEC). Desse total, 14 foram aprovados pela SEC ou lançados em 2010. Deutsche Bank e Goldman Sachs aguardam a aprovação do órgão regulador norte-americano para lançar os seus papéis.

Procurador diz que juízes praticaram crimes

O Ministério Público Federal encontrou evidências de crime financeiro, falsidade ideológica e estelionato nos desvios de empréstimos concedidos pela Fundação Habitacional do Exército à Associação dos Juízes Federais da 1ª Região (Ajufer). "Há uma convicção acerca da gravidade dos crimes, pela extensão dos seus efeitos e por terem sido praticados por juízes federais, o que macula injustamente a imagem do Poder Judiciário", diz Alexandre Camanho, chefe da Procuradoria Regional da República da Primeira Região. Uma sindicância identificou indícios de fraude em cerca de 700 dos 810 contratos firmados pela Ajufer, entre 2000 e 2009. A fundação cobra na Justiça uma dívida acumulada de R$ 21 milhões. Em dezembro, Camanho pediu ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região a instauração de inquérito judicial. No último dia 10, requereu testemunhos e diligências. Gabriel Wedy, presidente da Ajufe, entidade nacional da magistratura federal, pede a apuração, "com rigor e de forma exemplar, desse grave caso que lesou quase 200 juízes federais". Segundo ele, "o esclarecimento dos fatos e a eventual apuração de responsabilidades têm que ocorrer imediatamente". "A sociedade brasileira precisa de um esclarecimento", afirma Wedy. O presidente da Ajufer, Roberto Veloso", diz: "Nós estamos vivendo um momento de grande perplexidade, indignação e revolta. Tenho conversado com vários desembargadores e o que eu tenho conseguido depreender é que o tribunal está disposto a punir os responsáveis". Em janeiro, o TRF-1 rejeitou a proposta do corregedor, Cândido Ribeiro, de instaurar procedimento administrativo disciplinar e afastar o ex-presidente da Ajufer, Moacir Ferreira Ramos. Contra os votos de Ribeiro, do presidente, Olindo Menezes, e de quatro desembargadores, a corte decidiu que a corregedoria deveria antes aprofundar a investigação em relação aos demais ex-presidentes e ex-diretores financeiros da Ajufer.

Crise nuclear no Japão estimula uso do petróleo

Os efeitos do terremoto no Japão e da crise nuclear sobre o setor de energia devem elevar a demanda por petróleo e contribuir para manter alto o preço da commodity. Segundo Greg Priddy, analista de petróleo da consultoria norte-americana Eurasia Group, usinas térmicas movidas a óleo que estavam desativadas no Japão podem ser acionadas para compensar a paralisação de usinas nucleares. "Isso pode elevar os preços do óleo leve", afirma. As térmicas respondem por 67% da capacidade de geração de energia do Japão, segundo maior consumidor mundial de petróleo, de acordo com dados da IEA (Agência Internacional de Energia). Dessa fatia, 10% são movidas a óleo e praticamente todas são acionadas somente em momentos de pico da demanda japonesa. O acionamento das térmicas a óleo pode ser anulado por uma retração econômica no Japão. Por outro lado, a reflexão mundial sobre o uso da energia nuclear deve estimular o uso do petróleo. "Todos os países vão repensar seus planos estratégicos de energia e, mesmo se a opção pela energia nuclear permanecer, o seu custo vai subir, pois haverá mais investimentos em segurança", afirma Taís Zara, economista da Rosenberg. Os analistas do banco de investimentos Barclays calculam que, se os 12 GW de capacidade das usinas nucleares japonesas fossem substituídos por óleo, haveria demanda adicional de 250 mil barris por dia, quase a produção mensal da Petrobras no Espírito Santo, segundo maior Estado produtor.

Japão registra primeira contaminação de alimentos por radiação

O governo japonês registrou neste sábado, pela primeira vez desde a crise nuclear na usina de Fukushima Daiichi, radiação acima do recomendado em leite e espinafre nas províncias de Fukushima e Ibaraki. Segundo o secretário de Gabinete do Japão, Yukio Edano, a radiação estava acima do padrão estabelecido pelo governo, mas não impunha risco imediato à saúde humana. A Agência Internacional de Energia Atômica afirmou que a contaminação é de iodo radioativo e que o governo japonês interrompeu a venda destes produtos. A agência da ONU disse ainda que há risco à saúde humana, caso os alimentos sejam consumidos: "Apesar do iodo radioativo ter uma vida curta de cerca de oito dias e se dissipar naturalmente em uma questão de semanas, há um risco de curto-prazo para a saúde humana se o iodo radioativo na comida for absorvido pelo corpo humano". Nesta semana, a União Européia recomendou aos países do bloco que façam um maior controle de radioatividade nos alimentos importados do Japão. A União Européia importou 9.000 toneladas de frutas e verduras em 2010, além de alguns tipos de pescado. Especialistas temem as consequências da contaminação do solo e águas com o material radioativo lançado ao ar pela usina nuclear. O material pode efetivamente contaminar os alimentos, entrando na cadeia alimentar da população, o que causaria um risco ao longo de semanas e mesmo meses aos japoneses.

CET suspende licitação que tinha edital "clonado"

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) de São Paulo suspendeu uma licitação de publicidade com valor recorde (R$ 12 milhões em um ano) porque o edital era cópia quase integral de uma concorrência de 2007. A licitação, aberta no último dia 12, era para campanhas de educação para o trânsito em rádios, TVs e jornais. Até a campanha sugerida pela CET "para fins de julgamento da proposta técnica" era a mesma de 2007. É com base na formulação feita pela CET que as empresas iriam elaborar, "a título de demonstração de sua capacidade criativa", 15 peças publicitárias para avaliação. As agências que participaram da licitação de 2007, porém, não só conhecem a campanha proposta como apresentaram, com base nela, peças avaliadas pela CET. A licitação suspensa também utiliza estatísticas de frota e de mortes no trânsito de 2005 (que serviram de base para o edital de 2007), embora a CET já tenha números bem mais atualizados. O cenário do trânsito também mudou desde então. Houve o advento da Lei Seca, a criação de corredores de motos, a obrigatoriedade das cadeirinhas infantis, o rodízio de caminhões e a restrição a fretados no centro da cidade. A concorrência ainda clona os principais temas e os tipos de mídia para exibição. O contrato seria o de maior gasto por ano da estatal com propaganda desde 2005, início da primeira gestão do prefeito Gilberto Kassab (DEM). A concorrência de 2007, a única feita até agora por Kassab, previa um gasto anual de R$ 6 milhões. Conquistado pela Rino Publicidade, o contrato, firmado em 2008, foi renovado e aditado sucessivas vezes e, em três anos (até junho próximo), chegará a R$ 22,2 milhões. Há grande possibilidade de que o edital tenha sido propositalmente publicado da forma apresentada, justamente para que fosse contestado e anulado, permitindo mais renovação de contrato com a agência de publicidade atual.

Caças franceses Rafale atacam na Líbia

Caça Rafale decola da base de Saint Dizier
Um caça francês Rafale lançou neste sábado o primeiro ataque contra as forças do ditador líbio, Muamar Kadahfi. O alvo foi um veículo militar líbio, segundo o Ministério de Defesa francês. O porta-voz do ministério, Thierry Burkhard, disse que o ataque foi lançado às 16h45 GMT (13h45 em Brasília), quando o jato atirou contra o veículo militar. Este foi o primeiro ataque da campanha internacional militar de proteção de civis na Líbia desde que a resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a intervenção foi aprovada, na noite de quinta-feira. Ele disse que nenhum ataque contra os jatos franceses foi registrado. O canal de TV árabe Al Jazeera disse que os aviões caça franceses já haviam destruíram quatro tanques líbios, no sudoeste da cidade de Benghazi. Mais cedo, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, alertara que aviões franceses já sobrevoavam o território líbio e estavam intervindo para evitar ataques das forças de Gaddafi em Benghazi, reduto dos rebeldes no leste do país. Burkhard confirmou o envio de jatos Mirage e Rafale neste sábado para a cidade de Benghazi, com a missão de impor a zona de exclusão aérea de 150 quilômetros por 100 quilômetros. "Toda aeronave que entrar nesta zona pode ser derrubada", disse ele. A intervenção, segundo Sarkozy, foi acordada após uma reunião com líderes de mais de 20 países. Sarkozy disse em breve pronunciamento que todos decidiram aplicar efetivamente a resolução, aprovada há dois dias. "Juntos decidimos garantir a aplicação da resolução do Conselho de Segurança exigindo o cessar-fogo imediato e o fim da violência", disse Sarkozy. Ele fez questão de ressaltar que a intenção da comunidade internacional é proteger os civis líbios e seu direito de protestar pela libertação "da escravidão à qual estão submetidos há muito tempo": "A luta pela liberdade é deles. Nossa intervenção não é por qualquer resultado específico, mas apenas para evitar crimes". Mais cedo neste sábado, um avião militar foi derrubado nos arredores de Benghazi, deixando uma nuvem de fumaça negra. Os rebeldes alegaram que o avião era um caça militar de Kadahfi, que bombardeava a cidade. A rede de televisão Al Arabyia registrou também bombardeios das forças de Gaddafi contra os rebeldes em Zintan e disse que ao menos cinco morteiros caíram em seus arredores. Veja abaixo a localização da base aérea francesa de Saint-Dizier, que onde estão partindo os caças que atacam na Líbia.

Exibir mapa ampliado

PMDB ajuiza Mandado de Segurança para impedir novo trenzinho da alegria de Tarso Genro

O PMDB protocolou na sexta-feira, no Foro Central de Porto Alegre, um Mandado de Segurança pelo qual pede liminar para impedir que o presidente da Assembléia, Adão Villaverde, leve a discussão e votação, terça-feira, a emenda apresentada pela líder do governo do peremptório petista Tarso Genro, a deputada estadual Miriam Marroni, criando mais 28 cargos em comissão no IPE (Instituto de Previdência do Estado). O deputado estadual Giovani Feltes, líder do PMDB, foi pessoalmente ao Poder Judiciário para ajuizar a ação. A deputada estadual Miriam Marroni apresentou a emenda na madrugada da última quinta-feira, sem que ninguém soubesse, quase ao final das discussões e votações do chamado Pacotão do Tarso, um conjunto de 21 projetos para os quais o governo pediu regime de urgência. Ao perceber a extensão do dano, a bancada do PSB, que é da base aliada, retirou-se do plenário, eliminando o quórum e com isto permitindo que a oposição mandasse encerrar a sessão. O PSB alegou que não sabia de nada. O peremptório petista Tarso Genro, que já criou 513 cargos em comissão desde que assumiu, parece não ter limites, aproveitando até mesmo as madrugadas para contrabandear novos pedidos de autorização legislativa para nomear mais companheirinhos. . O PMDB invoca ilegalidade e inconstitucionalidade na proposta da líder do governo, listando duas razões principais: 1) projetos que criam despesas são de iniciativa do governo, por disposição constitucional; 2) emendas do gênero não podem ser apresentadas diretamente em Plenário. Os 28 cargos em comissão destinam-se a ocupar as novas funções de coordenadores regionais de participação popular, que tabalharão no chamado Orçamento Popular, o OP, uma fantasia populista e esquerdopata que o PT implantou quando administrou Porto Alegre. Todos os cargos serão preenchidos por militantes do PT.

Mortos no Japão chegam a 7.197

A Agência Nacional de Polícia do Japão informou neste sábado que o número de mortes causadas pelo terremoto de magnitude 9, seguido de tsunami, que atingiu a costa nordeste do país no último dia 11, chegou a 7.197. O anúncio foi feito em meio a contínuos esforços para evitar um desastre nuclear no complexo de Fukushima, severamente atingido pelo tremor. Segundo a polícia, além dos mortos, 10.905 pessoas estão oficialmente desaparecidas. Alguns dos desaparecidos poderiam estar fora da região atingida pelo tremor e tsunami, cujas ondas chegaram a 10 metros de altura. A polícia também informou que a força das águas pode ter sugado muitas pessoas para o mar e, como ocorrido com o tsunami que, em 2004, atingiu países banhados pelo oceano Índico, a maioria desses corpos pode nunca ser encontrada. Cerca de 390 mil pessoas, incluindo muitos idosos, estão sem casa e tentando se proteger das baixas temperaturas no Japão em abrigos na costa nordeste. Alimentos, água, medicamentos e aquecimento são escassos. Na sexta-feira, o governo japonês admitiu que sua resposta ao terremoto e ao tsunami da semana passada poderia ter sido mais rápida. Segundo o porta-voz Yukio Edano, planos de contingência falharam em antecipar a escala do desastre. No entanto, as condições humanitárias da costa nordeste do Japão têm sido ofuscadas pela operação que tenta evitar um vazamento de radiação em larga escala do complexo nuclear de Fukushima Daiichi, 240 quilômetros ao norte de Tóquio.

Grupo chinês vai investir R$ 4 bilhões em processamento de soja na Bahia

O grupo chinês Chongqing Grain Group Corporation Limited Liability Company anunciou na sexta-feira investimentos de R$ 4 bilhões para construção de um pólo industrial de esmagamento e refino de óleo de soja e de escoamento de produtos a ser instalado em Barreiras, no oeste da Bahia. O anúncio foi feito durante reunião entre executivos da empresa e representantes do governo baiano, realizada em Salvador. A assinatura do protocolo de intenções para o investimento ficou agendada para abril, em Pequim, durante a próxima reunião dos países que fazem parte do Bric (Brasil, Rússia, Índia e China), com a presença da presidente Dilma Rousseff. A previsão é que as obras comecem em maio. A expectativa é que o pólo inicie as operações em 2012, empregando inicialmente, 300 pessoas. Segundo o acordo, celebrado entre o presidente da empresa, Hu Junlie, representantes de bancos chineses e o secretário de Agricultura, Eduardo Salles, a Chongqing fará três investimentos: uma usina de processamento de soja, com capacidade de esmagamento inicial de 1,5 milhão de toneladas por ano (quase metade da produção anual da Bahia, de 3,3 milhões de toneladas), uma fábrica de fertilizantes e um porto seco, para armazenamento de grãos e integração com a rede de escoamento. "Teremos capacidade inicial de refinar 300 mil toneladas de óleo e armazenar 400 mil toneladas de grãos", diz Junlie. Pelo projeto, os produtos serão escoados pela Ferrovia Oeste-Leste, que ligará a região ao litoral sul baiano e está em construção. A exportação será feita pelo Porto Sul, que deve ser instalado em Ilhéus, mas ainda está em fase de estudos. O terreno onde o pólo será construído, de 100 hectares, foi doado pela Prefeitura de Barreiras e o investimento recebe benefícios fiscais do Programa Desenvolve, do governo estadual. Desde abril do ano passado, a empresa, ligada ao município de Chongqing, um dos maiores da China, anuncia ter intenção não apenas de beneficiar soja no Brasil, mas também de produzir o grão em larga escala no País. Chegou a ser noticiado, nos jornais chineses, que o projeto da empresa era adquirir 200 mil hectares de terras na Bahia, um investimento de cerca de R$ 1,5 bilhão, para o plantio da soja. Isso garantiria uma produção estimada de 500 mil toneladas anuais. De acordo com o secretário Salles, porém, o investimento em terras não foi considerado no acordo: "O que eles querem - e precisam - é de regularidade na entrega do produto". A China importa, anualmente, 40 milhões de toneladas de soja. Salles afirma que o acordo encerra dois anos de negociações e sinaliza uma nova etapa na agricultura no Estado. "É o início do processo de agroindustrialização da Bahia, um campo com muito potencial de crescimento", avalia.

Lula recusa convite para almoçar com Obama, e Fernando Henrique Cardoso aceita

O ex-presidente Lula recusou o convite do Itamaraty para participar, neste sábado, do almoço em homenagem ao presidente americano, Barack Obama. O Itamaraty convidou os dois ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso para o almoço, ao lado da presidente Dilma Rousseff, ministros e parlamentares. Ferrnando Henrique confirmou presença. Com a confirmação, a recepção ao americano contará com dois ex-presidentes e Dilma, já que José Sarney (PMDB), no cargo de presidente do Senado, também participa do evento. Foi uma monumental grosseria do Itamaraty também não ter convidado Collor de Melo e Itamar Franco. Já a recusa de Lula é típica de sua bronquice natural. Se fosse com o nazista islâmico Ahmadinejad ele aceitaria o convite na hora.

Senado analisa lei de proteção nuclear

As Comissões de Constituição e Justiça e de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado deverão votar um projeto de Lei da Câmara, que prevê a articulação de um sistema de proteção à população, a trabalhadores em atividades nucleares e ao meio ambiente, em caso de acidentes. Segundo o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, senador Eduardo Braga, a intenção é analisar o mais rápido possível os passos para agilizar a aprovação da lei de prevenção a desastres nucleares em caráter terminativo e a realização de audiências públicas para esclarecer dúvidas da população.