quarta-feira, 30 de março de 2011

Grupo Bertin pode perder concessões de seis usinas termoelétricas

O Grupo Bertin corre o risco de perder o direito de operar seis termoelétricas que estão sob seu controle. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) negou na terça-feira pedido de adiamento do início de operação das usinas, que deveriam estar funcionando desde janeiro. Se a empresa não pagar o que deve, cerca de R$ 71,5 milhões, o processo de cassação das concessões poderá ser aberto. Com a decisão da agência, o Bertin tem de pagar, de imediato, cerca de R$ 33,5 milhões pela energia que não foi entregue em janeiro e fevereiro. Além disso, o grupo terá de quitar um débito de R$ 38 milhões, referente a garantias e multas pelo descumprimento de suas obrigações no primeiro trimestre. A empresa tem até meados de abril para comprar de outros geradores a energia que deveria ser entregue às distribuidoras em março. "Se não for cumprido, ela recebe uma penalidade e segue-se o processo regular. Se a penalidade não for adimplida, o passo seguinte é a instauração do processo de cassação da outorga", explicou André Pepitone, um dos diretores da Aneel que negou o pedido de adiamento da empresa. No recurso apreciado na segunda-feira, o Bertin alegou que a construção das usinas sofreu um atraso de sete meses e meio por uma demora do Ministério de Minas e Energia e da própria agência reguladora em liberar as outorgas das térmicas. Para a empresa, o edital de licitação especificava que essas licenças seriam liberadas 35 dias após a entrega de todos os documentos, o que não ocorreu. "O licitante não pode alegar como legítima expectativa o prazo de 35 dias para a emissão de outorga, porque esse prazo era uma mera previsão. Isso não é fruto de interpretação, por constar literalmente no corpo do edital tal expressão", disse Pepitone durante a leitura de seu voto. Edvaldo Santana, Romeu Rufino e o diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, também votaram contra o Bertin. Somente o diretor Julião Coelho defendeu que pelo menos parte do atraso deveria ser reconhecido como de responsabilidade do governo. Dentro da Aneel, o Bertin não tem mais alternativas para tentar resolver seu problema. "Do ponto de vista administrativo, não existe mais outra ação que a empresa possa tomar", disse Pepitone. O diretor reconheceu, entretanto, que o grupo pode apelar para a Justiça. "Sempre é cabível", salientou. A tumultuada história das termoelétricas do Grupo Bertin reflete um problema mais amplo que tem incomodado diversos agentes do setor elétrico. O atraso na construção dessas usinas, que funcionam como uma espécie de reserva a ser usada em períodos de baixa geração de energia pelas hidrelétricas, tem sido uma constante. Das 35 térmicas que deveriam entrar em operação entre janeiro de 2010 e janeiro de 2013, mais da metade está atrasada. Pelos cálculos do setor, as empresas que deveriam tocar esses projetos já estão devendo R$ 718 milhões à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), onde são fechados os contratos de compra e venda de eletricidade no País.

Gabinete renuncia e Assad promete mudanças na Síria

Em meio a gigantescas manifestações a favor do regime dias após protestos de opositores, o gabinete ministerial da Síria apresentou sua renúncia ao presidente Bashar Assad. Segundo autoridades sírias, além de levantar as medidas de exceção, que é uma das principais reivindicações de seus opositores, Assad deve oferecer "significantes concessões políticas". O analista americano Andrew Tabler, do Washington Institute, acredita ser difícil que Assad faça "concessões que não sejam aceitas pela estrutura do regime". "Ele vive um dilema", afirmou. A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, adota uma posição ambígua sobre a situação na Síria. No domingo, afirmou que "parlamentares dos dois partidos (Republicano e Democrata) consideram Assad um reformista. O líder sírio se encontrou com uma série de autoridades americanas nos últimos meses e desenvolveu uma amizade pessoal com John Kerry, presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado.

Ditador Hugo Chávez recebe prêmio da reitora da Universidade Nacional de La Plata

O ditador venezuelano, Hugo Chávez, recebeu nesta terça-feira, na Argentina, o prêmio de jornalismo Rodolfo Walsh, concedido pela Faculdade de Jornalismo e Comunicação Social da Universidade Nacional de La Plata. Segundo a instituição, que é pública, a premiação foi concedida a Chávez por "seu autêntico e inquestionável comprometimento com a liberdade dos povos". Isto é uma monumental distorção da realidade, Chavez é o grande agente da destruição da liberdade de informação na Venezuela. E a universidade de La Plata é um mero apêndice do peronismo populista. O próprio nome da medalha já diz tudo: homenageia o escritor montonero Rodolfo Walsh, que foi morto em enfrentamento armado com a repressão durante a ditadura militar. Os Montoneros formavam uma organização terrorista. Além de suas famosas críticas à imprensa, a relação de Chávez com a mídia também é marcada pela criação da Telesur, rede de TV bancada por governos da América Latina. " Vida longa à liberdade de pensamento! Fim à hegemonia", disse o ditador Chávez ao receber o prêmio, acrescentando que está promovendo "uma nova dinâmica para a comunicação e a informação popular, livre da ditadura da mídia da burguesia e do império".

Estado desautoriza decisão de secretáerio de Infraestrutura e anuncia pente-fino no Daer

Disposto a dar um fim às suspeitas de corrupção envolvendo o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), o governo do Rio Grande do Sul, comandado pelo peremptório petista Tarso Genro, anunciou na terça-feira uma auditoria geral no órgão. Para isso, determinou a criação de uma força-tarefa para apontar possíveis irregularidades e apresentar uma proposta de reestruturação. O anúncio mostrou um desalinho entre o Piratini e o secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque. Antes, ele havia apresentado outra proposta para mudanças no órgão. No plano do Piratini, apresentado pelo chefe da Casa Civil, o petista Carlos Pestana, a medida de Beto sequer foi citada. Por trás da decisão do governo de fazer raio-X no Daer está a crise desencadeada por irregularidades em contratos de licitação para instalação de pardais no Estado. Para dar credibilidade à investigação, Pestana informou que participarão do grupo membros do Tribunal de Contas, do Ministério Público Estadual e do Ministério Público de Contas, além de integrantes das secretarias da Fazenda, da Infraestrutura e da Casa Civil.

Vice-cônsul português nega desvio de dinheiro de doações da Igreja Católica

Um suposto golpe contra a Arquidiocese da Igreja Católica de Porto Alegre está mobilizando o governo de Portugal, que enviará emissário para tentar esclarecer o sumiço de R$ 2,5 milhões destinados à restauração de duas paróquias. Representando o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Vitor Sereno vai comandar uma inspeção diplomática para apurar o envolvimento do vice-cônsul de Portugal em Porto Alegre, Adelino Vera Cruz Pinto, no caso. O diplomata teria recebido o dinheiro da Arquidiocese como contrapartida às obras e deveria devolvê-lo até 31 de janeiro, o que não ocorreu. O padre Leandro Padilha, da Arquidiocese de Porto Alegre, diz: "Como estamos tratando com o vice-cônsul de Portugal e levando em conta as boas relações com o Brasil, acredito que tudo vai ser resolvido e teremos o dinheiro de volta. Na sexta-feira, a embaixada de Portugal mandou dois representantes para conversar com dom Dadeus, arcebispo de Porto Alegre. Na segunda-feira à noite o vice-cônsul nos ligou para dizer que até 11 de abril o dinheiro será devolvido".

Justiça investiga patrimônio do sindicalista peronista Moyano

O presidente da Confederação-Geral dos Trabalhadores (CGT) da Argentina, Hugo Moyano, construiu de 2003 até hoje um império empresarial de lucro milionário graças a contratos exclusivos com o Sindicato dos Caminhoneiros do país. Por esse motivo, seu patrimônio e o da família dele estão sendo investigados pela Justiça federal argentina. A apuração foi iniciada quando o promotor Patricio Evers solicitou uma prorrogação de duas semanas para a investigação de uma denúncia de fraude contra o Estado envolvendo o sindicato, agregando a ela uma acusação de possível administração fraudulenta. O pedido teve como base a denúncia da ex-ministra da Saúde, Graciela Ocaña, à qual o Clarín teve acesso, em que são revelados pela primeira vez os balanços contábeis ano a ano das bem-sucedidas parcerias registradas com pouca sutileza no nome de parentes diretos do líder sindical que, em todos os casos, fazem crescer seu negócio graças aos recursos da associação mutuária. A terceira e atual mulher de Moyano chama-se Liliana Zulet e ele mesmo reconheceu em entrevista ao jornal Crítica que ela "é a coordenadora do sindicato". Na mesma reportagem, de março de 2008, o sindicalista disse que sua renda era composta pelo salário que recebia como presidente dos sindicatos dos caminhoneiros e dos motoristas. "Devo receber entre 8,5 mil e 9 mil pesos mensais (cerca de R$ 3,5 mil)", afirmou. É possível que o reajuste dos salários já tenha dobrado esse valor. Outro detalhe conhecido é que as quatro empresas em nome de seus parentes faturaram juntas cerca de 20 milhões de pesos nos últimos 6 anos, segundo registros contábeis reunidos pela ministra.
Propriedades usadas pessoalmente por Moyano estão também registradas em nome dessas empresas. O Clarín foi a um endereço que a filha de Liliana, Valeria Salerno, registrou como seu domicílio quando se inscreveu como sócia da Iarai S.A. Essa empresa é administrada pela mulher de Moyano. A Conducir Salud, administradora do sindicato dos caminhoneiros pertence à Iarai. Mas, de acordo com os registros do cartório de notas, o imóvel está no nome de Eva Irma Moyano e do marido dela. O 9.º andar do mesmo prédio pertence à Aconra S. A., construtora criada em 2004 cuja presidência foi assumida pela filha de Liliana em 2007. O balanço de seu primeiro ano de gestão viu um aumento de 70% (17 milhões de pesos) no faturamento, obtido por meio de obras construídas para o sindicato dos caminhoneiros. Para financiar suas operações, a Aconra recorreu ao crédito da Iarai. Esses cruzamentos entre débito e crédito se dão em todas as sociedades do conglomerado da família. O caminho que associa Moyano às residências e às empresas leva também a Parque Leloir, cidade da região de Buenos Aires. O sindicalista mora em Barracas, na capital argentina, mas costuma visitar uma casa de campo em um endereço comprado em 2004 pela Dixey, uma provedora de serviços de informática associada ao clã. Chama a atenção que no balanço da sociedade de 2006 seja mencionado que o espaço seria usado para abrigar seus escritórios. O endereço, visitado pelo Clarín, é uma bela residência quase do tamanho de um quarteirão localizada num bairro cheio de chácaras. Luisa Carpanessi, vereadora de Ituzaingó eleita pela Coalizão Cívica, confirmou que os moradores de Parque Leloir comentam que Moyano usa a casa: "Ele ergueu um muro de quase três metros, transformando-a numa fortaleza. E isso destoa das imediações, pois se trata de um bairro residencial, de muito verde", explicou ela. Liliana Zulet registrou seu domicílio particular na mesma região quando assumiu a diretoria da Dixey. Trata-se de uma imensa casa de campo em Udaondo. A lista telefônica diz que ali funciona também a Aconra. Na terça feira, depois de apresentar uma denúncia de "fraude processual" após o pedido suíço, o advogado de Moyano, Daniel Llermanos, conversou com a rádio Continental. Perguntaram a ele se não era contraditório o fato de Moyano ter criticado os sindicalistas da década de 90 por serem milionários enquanto ele próprio havia enriquecido. "O que ele questionava eram os sindicatos pobres presididos por sindicalistas ricos; o sindicato dos caminhoneiros é riquíssimo", respondeu.

Padre que abençoava vôos da morte é denunciado enquanto rezava missa na Argentina

Um padre que abençoava militares argentinos e os vôos da morte por meio dos quais a ditadura jogava presos políticos-desaparecidos vivos no mar, foi localizado por jovens militantes em uma paróquia de San Martín, na província de Buenos Aires, e denunciado publicamente enquanto rezava a missa. O padre Alberto Angel Zanchetta, que em 2009 foi aposentado como capitão de fragata e capelão da Marinha, continua exercendo o sacerdócio em paróquias da capital argentina e arredores, apoiado pelo cardeal Jorge Bergoglio. Entre os anos 1975 e 1976, Zanchetta serviu na Escola de Mecânica da Armada (ESMA), considerada o maior centro clandestino de detenção da ditadura e onde desapareceram cerca de 5 mil pessoas. Depois que o Ministério da Defesa, comandado pela advogada Nilda Garré, determinou a remoção de Zanchetta em 2009, ele foi descoberto em uma igreja do antigo bairro de San Telmo. Diante do escândalo, a cúpula da Igreja Católica enviou-o para Itália por um tempo e, acreditando que tudo havia caído no esquecimento, decidiu reintegrá-lo à paróquia da localidade de 3 de fevereiro, próxima da de San Martín, onde ele foi novamente localizado por familiares dos desaparecidos e sobreviventes. No dia 6 de março, o padre foi enviado então para a paróquia de San Martín, mas ele foi mais uma vez localizado por familiares de desaparecidos que alertaram os moradores do lugar. Quase ao terminar a missa, no último domingo, um grupo de militantes da Juventude Peronista Evita e familiares de vítimas seguiram atentamente seu sermão, carregado de intrigas políticas. Um dos jovens levantou-se, interrompeu a missa e disse a todos os assistentes que aquele padre havia estado na ESMA durante a ditadura, enquanto seus companheiros distribuíam um panfleto contendo um alerta aos moradores. “Na igreja de seu bairro um assassino está rezando a missa”, denunciava o panfleto. No dia seguinte, integrantes da Pastoral Social pediram ao bispo da região que retirasse Zanchetta da paróquia. A comunidade espera agora uma decisão da Cúria, enquanto seguem aparecendo cartazes dizendo que, como aconteceu com os nazistas, os assassinos da ditadura serão buscados não importa onde forem. No livro "El vuelo", de Horacio Verbistky, o ex-capitão da Marinha, Adolfo Scilingo, preso atualmente na Espanha, fez sua primeira revelação sobre sua participação nos vôos da morte. Ele relatou que no regresso do primeiro vôo em que atuou jogando pessoas ao mar se sentiu muito mal e se aproximou de um capelão da Marinha, que o acalmou dizendo que era uma morte cristã porque as vítimas não sofriam.

Morre José Alencar, ex-vice-presidente

O vice-presidente José Alencar morreu nesta terça-feira, às 14h15. Ele estava sedado desde a véspera. O médico Raul Cutait, um dos coordenadores das equipes médicas que acompanharam o estado de saúde do ex-vice-presidente José Alencar, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, deu um diagnóstico final para seu paciente na manhã desta terça-feira. "Ele está em uma fase muito ruim da vida dele. Voltou a ter uma perfuração no abdômen, que não tem mais condições de tratamento cirúrgico. Mas estamos dando a ele todas as medidas de suporte para que ele não sofra. Ele está com muito analgésico para não sentir dor, por isso está sonolento o tempo todo". Ou seja, ele informou que José Alencar foi sedado e que agora os médicos só esperam pela sua morte. José Alencar foi reinternado na tarde de segunda-feira na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio Libanês. De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital, José Alencar havia sido internado "com quadro de suboclusão intestinal, em condições críticas". O ex-vice-presidente José Alencar entrou na política graças a sua atuação empresarial bem sucedida. O sucesso frente à Coteminas, uma das maiores indústrias de tecido do Brasil, o levou para instituições que o colocaram em contato direto com a sociedade civil. Alencar passou pelas associações comerciais de Caratinga e de Ubá, pela Associação Comercial de Minas Gerais e pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte. Essa trajetória culminou com sua eleição para presidente da FIEMG (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), que o projetou nacionalmente. Os recursos do Sesi e do Senai fizeram com que ele se relacionasse aos setores ligados à educação, cultura, saúde, esporte e lazer. A visibilidade em Minas Gerais projetou José Alencar a entrar para a política, e em 1993 ele se filiou ao PMDB. No ano seguinte, lançou-se candidato ao governo de Minas Gerais, quando ficou em terceiro lugar. Em 1998, ele tentou uma vaga no Senado Federal por seu Estado: acabou eleito com quase 3 milhões de votos. No Senado, foi presidente da Comissão Permanente de Serviço de Infraestrutura, membro da Comissão Permanente de Assuntos Econômicos e membro da Comissão Permanente de Assuntos Sociais. O passo mais importante na política, no entanto, aconteceu na eleição presidencial de 2002, quando, já pelo PL, ele foi o vice na chapa vencedora encabeçada pelo petista Lula. José Alencar, casado com Mariza Campos Gomes da Silva, deixa três filhos (Maria da Graça, Patrícia e Josué) e cinco netos: Ricardo, Geovana, Barbará, Josué e Davi, e uma filha que ele se recusou a reconhecer, recusando-se a fazer os exames de DNA para confirmação de paternidade. A Justiça já concedeu a filiação para esta filha em primeiro grau.

Computadores comerciais atingem velocidade inédita em testes

Um grupo de pesquisadores italianos conseguiu alcançar uma velocidade de 448GB/s em uma linha de transmissão utilizando a fibra ótica e equipamentos que já são de fabricação comercial. Velocidades deste tipo já foram alcançadas anteriormente, claro, mas com equipamentos especialmente desenvolvidos para isso. O mais incrível, porém, é que esta velocidade foi atingida com fibras de comunicação existentes atualmente no mercado. Esta incrível velocidade foi atingida por pesquisadores da Scuola Superiora Sant'Anna, em Pisa, do Consórcio Nacional Inter-Universidades de Telecomunicações, ambos da Itália, e a Ericsson. De acordo com a publicação da Scuola Superiora Sant'Anna, esta velocidade de 448GB/s seria suficiente para baixar, em um segundo, cerca de 20 filmes em HD, 500 filmes de qualidade padrão, fazer 22.500 conexões ADSL a 20MB/s, 7 milhões de vídeo-chamadas ou 100 milhões de chamadas de telefone.

Ditadura maoísta imposta pelo Ministério Público em pleno Pernambuco de 2011

“Reforma agrária - esperança para o campo, comida na sua mesa”. A afirmação, tendo como fundo fotos de trabalhadores cultivando a terra, ilustra 20 outdoors que foram afixados nesta terça-feira em avenidas de Recife e região metropolitana e rodovias estaduais, como forma de retratação da Associação dos Militares do Estado de Pernambuco (AME) e da empresa Stampa que, em 2006, foram responsáveis pela veiculação de outro tipo de outdoor. Eles diziam: “Sem-terra: sem lei, sem respeito e sem qualquer limite. Como tudo isso vai parar?”. A atitude, considerada preconceituosa, difamatória e de criminalização dos trabalhadores sem- terra, provocou a reação de entidades de defesa dos direitos humanos que recorreram ao Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE) visando a impedir a continuação da campanha e a buscar uma punição. O Ministério Público de Pernambuco fez a mediação e o resultado foi um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), no qual ficou acordado a veiculação dos outdoors favoráveis à reforma agrária e de reconhecimento à luta dos trabalhadores por acesso à terra. Além dos outdoors, que permanecerão expostos por duas semanas, a Associação dos Militares do Estado também irá publicar em seu site e em um jornal corporativo uma nota de desagravo redigida pelas entidades de direitos humanos. “É uma reparação importante para a cidadania dos trabalhadores que lutam por justiça e ajudam a colocar alimento na nossa mesa”, comemorou Manoel Morais, da coordenação executiva do Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop) - uma das entidades signatárias do desagravo, ao destacar o “ineditismo” da decisão do MPPE, que considerou “histórica”. Diz o jornalista Reinaldo Azevedo, e Videversus endossa completamente: "É claro que se trata de uma violência, sim! Contra a associação! Um movimento que fez o que fez na Cutrale ou na Aracruz é ou não “sem lei, sem respeito e sem qualquer limite”? Uma associação está proibida de emitir seu ponto de vista sobre uma agenda política, claramente ideológica, como é a do MST? A única postura possível, nesse caso, é concordar com o sr. João Pedro Stedile? É o fim da picada! Quanto ao cartaz de agora, se tivemos os fatos como referência, será preciso dizer: o que leva comida ao prato dos brasileiros é o agronegócio. Aliás, leva comida até ao MST, que recebe cestas básicas do governo: verdade ou mentira? Eis aí: o ministro Ayres Britto talvez dissesse que estamos diante de um caso em que o “direito individual não pode esvaziar o direito coletivo”. Nesse caso, o suposto direito coletivo esvazia o individual, não? Digo que é “suposto” porque o MST é um grupamento de caráter político. Eles representam uma leitura da questão agrária no país, não “a” questão agrária. O que se viu acima é coisa típica dos tempos da revolução cultural maoísta, quando os “inimigos do povo” eram obrigados a se ajoelhar em praça pública, portando cartazes em que confessavam seus crimes ideológicos. É o fim da picada! Creio que a tal associação não decidiu levar a coisa adiante! Duvido que uma aberração como essa passasse pela maioria do Supremo - ainda que o tribunal já tenha sido tocado pelo populismo". Videversus só trata a organização MST como "terrorista". É uma organização sem existência legal, clandestina, que se mantém nesta condição para que seus dirigentes e militantes não venham a ser penalizados por suas ações permanentemente ilegais, violentas, destruidoras.  Lastimável é que a Associação dos Militares do Estado de Pernambuco não tenham resistido a essa investida totalitária do Ministério Público de Pernambuco, se negado a assinar o violentador TAC, e se decidido a enfrentar um processo com ida até o Supremo Tribunal Federal, se o Mínistério Público tivesse decidido promover uma ação, o que é altamente duvidoso.

Petrobras tem US$ 35 bilhões em caixa e estuda captação

O diretor financeiro e de Relações com Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, disse nesta terça-feira que a estatal tem em caixa US$ 35 bilhões. Segundo ele, este é o valor próximo à média anual de US$ 31 bilhões relativos à geração de caixa nos últimos cinco anos. Barbassa afirmou que, dos US$ 55 bilhões projetados para investimentos em 2011, de 10% a 15% não devem ser executados. De acordo com ele, esta é uma prática normal adotada pela estatal na gestão anual de seus investimentos. No ano passado, a Petrobras investiu cerca de US$ 45 bilhões. Barbassa ressaltou que, para a produção dos cinco bilhões de barris de petróleo relativos à cessão onerosa do pré-sal, devem ser investidos US$ 8 bilhões até 2014. Contudo, como a previsão é de que o início da produção do pré-sal ocorra em 2015, "mais US$ 2 bilhões poderiam ser agregados a esses investimentos, totalizando US$ 10 bilhões, o que seria factível", disse o executivo. Barbassa afirmou que a estatal pode voltar ao mercado de títulos de dívida internacionais neste ano. "Podemos captar em iene ou euro ou libra esterlina. Mas não há nenhuma definição de volume, data ou moeda", disse. Barbassa também afirmou hoje que, após o fim dos conflitos no Norte da África e Oriente Médio, o preço do barril do petróleo deverá oscilar entre US$ 80,00 e US$ 100,00 ainda este ano. Isso significa, na prática, uma redução do preço do petróleo.

Controladores de vôo negam responsabilidade em colisão do Legacy

Em depoimento à Justiça Federal nesta terça-feira, os controladores de vôo Jomarcelo Fernandes dos Santos e Lucivando Tibúrcio de Alencar negaram responsabilidade no acidente aéreo entre o Boeing da Gol e o jato Legacy, que matou 154 pessoas, em agosto de 2006, em Mato Grosso. Eles estavam de serviço na hora do acidente na torre de Brasília e, devido a uma série de erros de procedimento, segundo as investigações, não conseguiram tirar o Legacy da rota de colisão com o Boeing, que vinha de Manaus na mesma altitude de 37 mil pés. A asa do Legacy rasgou a fuselagem do Boeing, que caiu na floresta, na divisa do Mato Grosso com o Pará, matando os 148 passageiros e seis tripulantes. Avariado, o jato, fabricado pela Embraer, conseguiu pousar em segurança na base aérea da Serra do Cachimbo. Os controladores entraram em contradição e o Ministério Público manteve a acusação de atentado à segurança do tráfego aéreo, por terem agido com "negligência e omissão", segundo informou a procuradora da República Amalícia Hartz. Se condenados, eles podem pegar de dois a cinco anos de reclusão, mais multa. Nesta quarta e quinta-feira a Justiça toma os depoimentos dos pilotos do Legacy, os americanos Joseph Lepore e Jan Paladino, que vivem nos Estados Unidos e serão ouvidos por videoconferência. Eles respondem pelo mesmo crime, previsto no Artigo 261 do Código Penal, por terem desligado o "transponder" do Legacy, equipamento vital de uso aeronáutico, que teria evitado o acidente.

Israel estuda anexar colônias na Cisjordânia

O governo de Israel considera anexar a maior parte dos assentamentos judaicos na Cisjordânia se os palestinos buscarem, de forma unilateral, o reconhecimento mundial de seu Estado, revelou um funcionário israelense nesta terça-feira. A medida pode representar um grave golpe nas expectativas de negociação de paz entre os dois lados. Israel tem evitado tomar a medida, diplomaticamente explosiva, há quatro décadas. O fato de estar estudando a possibilidade reflete a seriedade da preocupação em relação à campanha palestina para conquistar o reconhecimento internacional de um Estado, na falta de um processo de paz. O ministro do Interior israelense disse que vai decidir, no próximo mês, se dará a aprovação final para a construção de 1.500 apartamentos em dois enclaves judaicos em Jerusalém Oriental. Israel tomou a parte leste da cidade sagrada e a Cisjordânia, em 1967, e anexou a área do município, que abriga templos sagrados para o judaísmo, o islamismo e o cristianismo. Israel tem cuidadosamente evitado anexar a Cisjordânia, onde 300 mil colonos judeus vivem entre 2,5 milhões de palestinos. 


Alckmin quer direção colegiada no PSDB

De passagem por Brasília nesta terça-feira, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sugeriu que o PSDB repita a fórmula da direção colegiada que vigorou na montagem do primeiro comando partidário, quando a legenda foi criada em 1988. Ao final da sessão do Senado em homenagem ao ex-governador Mário Covas, Alckmin lembrou que Covas só presidiu o partido por oito meses, porque vigorava o sistema de rodízio. "Defendo o rodízio ou a direção colegiada a partir de um conselho, em que o presidente fala pelo partido", disse Alckmin referindo-se à sucessão marcada para maio, quando será eleita a nova executiva nacional do PSDB. Embora parte do tucanato avalie que o ex-governador José Serra movimenta-se nos bastidores para assumir o comando da sigla, ao menos por enquanto só o atual presidente, deputado Sérgio Guerra (PE), apresentou seu nome aos colegas como candidato à reeleição. Na criação do PSDB, revezaram-se no posto de presidente Franco Montoro, Fernando Henrique Cardoso e José Richa, além de Covas. A idéia da direção colegiada já está sendo discutida em um formato novo: o de um Conselho Superior, do qual devem participar Serra, Alckmin, o senador Aécio Neves (PSDB) e o presidente de honra do partido, Fernando Henrique Cardoso.

Ministro do Supremo nega recurso de Pimenta Neves

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, rejeitou um recurso no qual a defesa do jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves questionava decisões do Judiciário que o condenaram à prisão pela morte da também jornalista Sandra Gomide. O recurso despachado por Celso de Mello era o último pendente de análise. Mas a defesa ainda pode recorrer no próprio Supremo. Quando não houver mais chances de recursos, o processo será finalizado e, em tese, poderá ser determinada a prisão de Pimenta Neves. Assassino confesso de Sandra Gomide, o jornalista ficou preso por apenas sete meses.

Filha não reconhecida de José Alencar recebe notícia da morte "com tristeza"

A professora aposentada Rosemary de Morais, de 56 anos, que move uma ação judicial para ser reconhecida como filha de José Alencar, disse nesta terça-feira que recebeu "com tristeza" a notícia sobre a morte do ex-vice-presidente da República. Moradora de Caratinga, no Vale do Rio Doce mineiro, cidade em que já morou José Alencar, Rosemary conseguiu, em meados do ano passado, decisão favorável em primeira instância. O juiz José Antônio de Oliveira Cordeiro, da Comarca de Caratinga, concedeu à professora aposentada o direito de adotar o sobrenome do então vice-presidente, em ação de investigação de paternidade instaurada em 2001. A defesa de José Alencar recorreu e o processo, que corre sob sigilo, será remetido para o Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Com a voz embargada, Rosemary afirmou que se sentiu "muito mal" ao saber da morte do pai. "Gostaria de ter resolvido tudo quando ele estava vivo, mas não teve jeito. Prefiro não falar mais nada. Só eu e Deus sabemos o que estou sentindo", disse ela. A professora aposentada não quis fazer comentários sobre o processo: "Tudo o que eu tinha para falar sobre essa ação, já falei". Na ação, Rosemary afirmou que a mãe, Francisca Nicolina de Moraes, que morreu no início do ano passado, conheceu Alencar em meados de 1953, quando ambos moravam em Caratinga. José Alencar se negou a fazer exames de DNA para reconhecimento da paternidade, como Pelé, e ainda disse impropérios sobre a mãe da professora Rosemary.

Incra deve ter gestão nos moldes privados, diz novo presidente

O agrônomo Celso Lacerda tomou posse nesta terça-feira como presidente do Incra (Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária) defendendo uma gestão do órgão "nos padrões da iniciativa privada". "Temos que qualificar a gestão do Incra no sentido de ter uma gestão nos padrões da iniciativa privada, ou seja, que a gente possa gastar cada vez menos e produzir cada vez mais", afirmou o petista, que foi superintendente do órgão no Paraná entre 2003 e 2008: "Vivemos uma era em que tudo é informatizado. Precisamos aprimorar os sistemas do Incra, para termos um controle mais eficiente, mais rápido, rigoroso dos recursos que a gente aplica". Lacerda também disse que os assentamentos devem ter mais suporte técnico e se tornarem produtores de alimentos livres de agrotóxicos: "Nós queremos mudar o modelo tecnológico dos assentamentos para que ele seja viável do ponto de vista econômico, social e ambiental", afirmou. Lacerda negou que haverá uma "revolução" na administração do Incra, mas disse que as superintendências estaduais terão de "entrar num planejamento muito rigoroso". Uma minuta de decreto deste ano prevê um maior controle do Incra nos Estados e a concentração de poder e dinheiro em Brasília, por meio da criação de uma "diretoria-geral" e uma "corregedoria-geral". "Precisamos desenvolver novas ferramentas de controle para que a gente possa monitorar e cobrar mais das superintendências", afirmou. Ele afirmou que o foco agora será a atuação nas áreas que concentram a pobreza extrema no país, para contribuir com o plano do governo federal de erradicar a miséria: "A reforma agrária é, eu acredito, a principal política para o combate da pobreza extrema no campo".

Ex-ministro é demitido da presidência da binacional espacial

O ex-ministro e vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, foi demitido da diretoria da empresa binacional ACS (Alcântara Cyclone Space), que ele mesmo fundou em parceria com a Ucrânia para lançar satélites comerciais da base de Alcântara. Ato contínuo à demissão, Amaral foi nomeado pela presidente Dilma Rousseff para os conselhos do BNDES e da binacional Itaipu. Caiu para cima: só no BNDES, ele ganhará R$ 5.300,00 por mês para comparecer uma vez a cada três meses às reuniões do conselho. Em Itaipu, R$ 13.170,00 mensais para comparecer a reuniões bimestrais. O lado brasileiro da empresa, desde segunda-feira, passou a ser dirigido por Reinaldo Melo, vice de Amaral na ACS. Em nota, o PSB diz que Amaral saiu atendendo a um chamado do presidente do partido, Eduardo Campos, para "dedicar-se mais intensamente às suas atividades como vice-presidente nacional do PSB". Segundo fontes do setor, porém, a saída do ex-ministro foi articulada entre o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, e o Palácio do Planalto. Ela é a primeira movimentação do novo comando do programa espacial brasileiro, que visa diminuir a parceria com a Ucrânia e investir nos satélites do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e nos foguetes do IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço), ligado ao Ministério da Defesa. Segundo uma fonte graduada do programa espacial, Mercadante entende que o programa com a Ucrânia virou um estorvo. Seu objetivo inicial, o de lançar um foguete ucraniano Cyclone-4 de Alcântara em 2010, não foi cumprido. Depois de uma série de problemas fundiários, a ACS conseguiu apenas lançar a pedra fundamental do sítio do Cyclone, num matagal dentro da base militar de Alcântara, no fim do ano passado. Assim como está atrasada a infraestrutura de lançamento, a encargo do Brasil, a produção do foguete, responsabilidade da Ucrânia, também patina. Quebrada após a crise de 2008, a ex-república soviética não consegue dinheiro para concluir a montagem do Cyclone-4. Vários especialistas também apontam que não há nenhuma transferência de tecnologia prevista no tratado assinado pelo Brasil durante a gestão de Amaral no Ministério da Ciência e Tecnologia com a Ucrânia, que deu origem à ACS.

Aldo Rebelo afirma que setor da ciência ficou omisso na discussão do Codigo Florestal

O deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), disse na segunda-feira, no Senado Federal, que a ciência foi omissa no debate sobre o Código Florestal, cuja reforma ele pretende ver votada ainda em abril no plenário da Câmara. "A ciência está equivalente ao Parlamento em sua omissão", afirmou numa audiência pública nesta terça-feira, em resposta a uma pergunta do senador Pedro Taques (PDT-MT). A julgar pelo encontro, promovido pelas comissões de Agricultura e Meio Ambiente, a polarização vista na Câmara dos Deputados em torno do projeto de Rebelo para mudar a lei de florestas deve se repetir quando o texto for enviado ao Senado. Na segunda-feira, senadores da bancada ruralista defenderam a proposta de Rebelo, enquanto parlamentares ligados à área ambiental disseram que o tema é complexo e não pode ser examinado pela Casa até junho, prazo exigido pelo setor produtivo. De consenso entre os senadores havia apenas duas coisas: o relator é "um grande brasileiro" e o código, de 1965, precisa ser revisto. Rebelo voltou a afirmar que seu projeto não implica anistia a desmatadores. Ele disse que o debate sobre sua reforma "não é uma briga entre ruralistas e ambientalistas", mas "uma necessidade do País", e afirmou estar examinando uma proposta da Contag (Confederação dos Trabalhadores na Agricultura) para reduzir no projeto as áreas de preservação permanente (APPs) em margem de rio de um mínimo de 15 metros (o que já é uma redução de 50% em relação à lei atual) para 7,5 metros.

Mantega cobra da Caixa Econômica Federal avanço em habitação popular

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, cobrou nesta terça-feira, da Caixa Econômica Federal, avanços em várias áreas, entre elas a habitação popular. Mantega participou da cerimônia de posse do novo presidente do banco, Jorge Hereda. O ministro agradeceu a Maria Fernanda Ramos Coelho, ex-presidente da Caixa, e disse que sua gestão foi fundamental para aumentar a concessão de crédito na área habitacional, que passou, segundo ele, de R$ 5 bilhões há cinco anos, para R$ 75 bilhões no ano passado. Mantega, porém, alertou Hereda de que ainda há muito o que se fazer à frente da instituição. "Não pense que por esse avanço os próximos desafios serão pequenos, pelo contrário. Habitação popular ainda tem que avançar muito no país, o crédito tem que avançar muito, a inclusão da população de baixa renda no crédito tem que avançar muito", listou.

Ibama multa prefeito de Belém por existência de lixão

O Ibama do Pará multou a prefeitura e o prefeito de Belém, Duciomar Costa (PTB), pela existência de um lixão a céu aberto sem licença ambiental e sem tratamento dos resíduos sólidos. Costa fica sujeito à multa de R$ 4.000,00 por dia após ser notificado. Para a prefeitura, o valor é de R$ 40 mil diários, até que apresente um projeto concreto para adequar a área. Hoje, segundo o Ibama, o aterro do Aurá recebe diariamente cerca de 2.000 toneladas de lixo originado em Belém e outras cinco cidades. Localizado próximo ao município de Ananindeua, atrai urubus e catadores de lixo. A ausência de ações de proteção, de acordo com o órgão, permite por exemplo que o chorume produzido atinja um igarapé que deságua no rio Guamá, onde é captada parte da água que abastece a capital paraense. Ainda conforme o Ibama, a Secretaria de Saneamento já havia sido notificada duas vezes para apresentar melhorias, em 2009 e fevereiro de 2011. Como avaliou que nenhuma medida foi tomada, aplicou as multas. O prefeito também foi responsabilizado porque o Ibama o considera gestor do aterro.

Presidente do Equador entra com nova ação contra jornalistas

O presidente equatoriano, Rafael Correa, apresentou uma ação judicial contra o jornal "El Universo", um dos mais influentes do país, que se soma à impetrada contra dois jornalistas que revelaram negócios de um de seus irmãos com o Estado, informou o jornal nesta terça-feira. Correa apresentou a ação civil em 22 de março contra o jornal, seu diretor, Carlos Pérez, e o editor de opinião, Emilio Palacio, por um artigo deste último que acusou o presidente de atacar um hospital durante a rebelião policial de 30 de setembro. A publicação destacou que a medida foi tomada depois que Pérez processou a Presidência por uma suposta negativa em entregar informações sobre a publicidade do governo durante as transmissões da última Copa do Mundo. O desentendimento surge em meio à campanha por um referendo no qual Correa planeja proibir que os veículos de comunicação invistam em outras atividades econômicas e criar um conselho que regule conteúdos violentos, sexuais ou discriminatórios, e fixe critérios de responsabilidade para veículos e jornalistas. Os sindicatos do setor, uma parte dos quais o presidente fascistóide chama de "poder fático, corrupto e medíocre", vêem essas propostas como uma ameaça de censura e à liberdade empresarial.

Advogado é denunciado por extorquir dinheiro de clientes

O advogado Rubens Marangão, de 48 anos, foi denunciado pelo Ministério Público Federal em Jales (cidade localizada a 585 quilômetros de São Paulo) pelos crimes de extorsão e estelionato de ao menos dez clientes --alguns semianalfabetos-- que queriam a aposentadoria. De acordo com investigações da procuradoria e da Polícia Federal, o advogado exigia que os clientes pagassem honorários superiores aos indicados nesses processos e cobrava "mensalidades" por até três anos. Os acordos eram feitos verbalmente. Marangão chegou a ameaçar suspender o pedido de aposentadoria se os pagamentos não fossem feitos, diz o procurador Thiago Lacerda Nobre. Nobre diz que as investigações começaram quando um homem de 66 anos procurou o Ministério Público de Jales, em fevereiro do ano passado, perguntando até quando tinha que pagar o "carnê" do advogado. Ele era cliente de Marangão e já havia repassado 30% da aposentadoria ao advogado, ao longo de dois anos, mensalmente. A Polícia Federal gravou o encontro desse cliente com Marangão e confirmou a extorsão. No vídeo, o advogado ameaça tirar a aposentadoria do cliente caso ele não repassasse 50% do benefício. "O senhor tem que tomar cuidado. Não brinca, não, que quem sabe fazer sabe desfazer também", diz Marangão. Segundo a OAB, advogados e clientes têm a liberdade de fechar contratos com valores superiores à tabela de honorários da Ordem, mas o Ministérios Público Federal de Jales entende que, por as vítimas serem pessoas de pouca instrução, o caso se configura como fraude.

Vereadores são presos em flagrante após receber propina em Santa Catarina

Dois vereadores de Abelardo Luz, cidade localizada a 564 quilômetros de Florianópolis (SC), foram presos em flagrante na segunda-feira, por suspeita de receber propina de R$ 27 mil para não aprovar uma lei. Segundo o delegado Gustavo Oliveira Altemar, os vereadores Luis Antonio Mignoni (PP), presidente da Câmara, e Claudecir Sperotto (PMDB), exigiram R$ 35 mil de uma empresária. Eles a ameaçavam dizendo que aprovariam um projeto para proibir a construção de novos postos de combustível no centro da cidade, ainda de acordo com o delegado. A empresária, que atua no ramo e está construindo outro posto na região, pagou R$ 8.000,00 para os vereadores no dia 21 de março. Para entregar o restante do dinheiro, ela exigiu que os políticos apresentassem o projeto e não o aprovassem. Assim, acreditava, teria uma garantia de que não seria mais extorquida. A maior parte dos contatos feitos entre os políticos e a empresária foi intermediado por um ex-colega de trabalho dela. Após entregar parte do dinheiro, a empresária denunciou o caso ao Ministério Público, e o Gaeco (Grupo de Apoio Especial ao Combate do Crime do Organizado), da Polícia Civil, abriu investigação. Na segunda-feira, quando o projeto seria votado, Mignoni e Sperotto se encontraram com a empresária para receber o dinheiro restante. Após a saída do local, policiais do Gaeco abordaram os políticos e encontraram a propina no assoalho do carro onde estavam. Mignoni e Sperotto foram levados ao presídio de Xanxerê (SC). Câmaras de Vereadores pelo Brasil afora são um grande mercado de cobranças por projetos que tramitam nas Casas.

Copa Airlines terá 13 vôos semanais Brasil-Bahamas em junho

A partir de 15 de junho, a companhia aérea Copa Airlines terá 13 voos semanais do Brasil para Nassau, capital das Bahamas. Serão quatro vôos semanais partindo de São Paulo (SP), a US$ 1.066,00; quatro do Rio de Janeiro (RJ), com o mesmo valor; dois de Belo Horizonte (MG), a US$ 966,00; e três de Porto Alegre (RS), a US$ 1016,00. Haverá sempre conexão na Cidade do Panamá. Com pouco mais de nove horas de duração, a rota será operada com aviões Boeing 737-800 Next Generation, cuja capacidade é de 155 passageiros (14 na classe executiva e 141 na econômica). "Nas Bahamas estão as águas mais transparentes do mundo, com visibilidade de mais de 61 metros", destaca o gerente geral da Copa Airlines para o Brasil, Marcos Calixto: "Há também opções para prática de esportes aquáticos e atrativos históricos". O clima tropical e a proximidade com os Estados Unidos fizeram de Nassau um destino importante. A principal atração local é o Atlantis Paradise Island, um resort que emprega mais de 6.000 bahamenses, junto à ilha de Nassau, em Paradise Island. Nassau foi um importante porto e possui uma arquitetura específica, colorida, com a mistura européia e colonial. Podem ser vistas mansões coloniais, catedrais, fortes do século 18 e a Escadaria da Rainha, com 66 degraus que levam a uma bela vista. O arquipélago possui uma economia bastante dependente do turismo, que é responsável por cerca de 60% de seu PIB (Produto Interno Bruto). As Bahamas são também um paraíso fiscal, e assim o setor financeiro responde por aproximadamente 15% do PIB.

Diretor da "Caras" acusa Doda de responsável por censura à revista

Luis Maluf, diretor da editora Caras, que publica a revista de mesmo nome, confirmou que foi o cavaleiro Álvaro Affonso de Miranda Neto, de 38 anos, o Doda, quem pediu à Justiça que impedisse a publicação de veicular uma suposta carta de suicídio da atriz e escritora Cibele Dorsa, de 36 anos. A revista publicou uma nota em seu site na noite de segunda-feira na qual afirma estar sofrendo censura na cobertura da morte. "Se não ter o direito de publicar alguma coisa específica por ordem judicial é censura, então estamos sendo censurados", diz Maluf, que confirmou que trata-se de uma ordem judicial conseguida por Doda, ex-companheiro de Cibele com que tem uma filha, Viviane, de 11 anos. A "Caras" afirma ter recebido uma carta de Cibele, enviada por ela à revista poucos antes de sua morte. O site da "Caras" publicou diversas partes da carta, inclusive acusações pesadas contra Doda. "Com a edição já na gráfica, recebemos uma ordem judicial que nos impedia de mencionar o nome do marido de Athina Onassis de forma direta ou indireta, seja em reproduções das mensagens de Cibele Dorsa, seja em textos de nossa autoria. Também recebemos um prazo de 12 horas para remover tudo o que havíamos publicado em nosso site a esse respeito", contou Maluf.

Pane na usina de Itaipu causa apagão no Paraguai

Falhas técnicas na represa hidrelétrica paraguaio-brasileira de Itaipu deixaram quase todo o território do Paraguai às escuras por cerca de 30 minutos,  informaram funcionários da estatal Ande (Administração Nacional de Eletricidade). "O corte de energia afetou quase todos os centros urbanos do país", disse Héctor Vera, gerente de distribuição. Ele disse ainda que as cidades do sul, alimentadas pela represa paraguaio-argentina Yacyretá, não foram afetadas. Vera observou que a pane foi registrada nas linhas de interconexão entre Itaipu e a Ande. A energia elétrica começa a ser restabelecida por etapas, começando por Assunção e sua área metropolitana.

Japão admite situação "muito grave", enquanto França e Estados Unidos enviam ajuda

Um dia após detectar a presença de plutônio no solo da usina nuclear de Fukushima Nº 1, mais uma vez o governo japonês admitiu que a situação é "muito grave" e "imprevisível". No Parlamento, o premiê Naoto Kan recebeu duras críticas pelo que a oposição vê como uma gestão "irresponsável" da crise. Horas depois os Estados Unidos e a França anunciaram envio de ajuda ao país. Desde sábado a situação na usina de Fukushima se agravou e os trabalhadores da empresa operadora, Tokyo Electric Power Company (Tepco), continuam as tentativas de refrigerar seus seis reatores, sem sucesso. Nesta terça-feira foram feitas tentativas de drenar a água radioativa que inunda a zona de turbinas perto dos reatores 1, 2 e 3. Este último é o que mais preocupa por conter um combustível que mistura urânio e plutônio, altamente tóxico. No Parlamento, o premiê japonês foi duramente criticado por não ter aumentado a zona de exclusão, que determina um raio de apenas 20 quilômetros em torno da usina em que as pessoas deveriam ser retiradas. O governo também nunca determinou a saída dos habitantes, apenas pediu que deixassem a área de forma voluntária. "Há algo mais irresponsável do que isso?", disse o opositor Yosuke Isozaki. Em resposta, Kan disse que estava considerando a medida, que exigiria a saída de 130 mil pessoas, além das 70 mil já deslocadas. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, será o primeiro líder mundial a visitar o Japão após o desastre nuclear, nesta quinta-feira. Paris decidiu enviar dois especialistas da fabricante estatal de reatores nucleares Areva e um pesquisador da área para prestar assistência à operadora da usina de Fukushima, a Tepco. Líder global no setor, a França produz 75% de sua energia em usinas nucleares e tem um grande interesse em ajudar o Japão a resolver a crise. Nos primeiros dias após a crise no Japão, a França qualificou a situação na usina de Fukushima como uma "catástrofe nuclear". Os EUA anunciaram que devem enviar robôs para ajudar a analisar o núcleo dos seis reatores de Fukushima.

Ministro defende número menor de trabalhadores em Jirau

O ministro Gilberto Carvalho (da Secretaria Geral) defendeu a redução do número de trabalhadores envolvidos nas obras da usina hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, foco de rebelião de trabalhadores que acabou se alastrando para outros canteiros de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O aumento no número de trabalhadores nos canteiros de obras das usinas, para garantir uma antecipação no prazo de entrega de obras pré-definido pelo governo, foi considerado pelo ministro um dos fatores que levaram à revolta de trabalhadores. No caso de Jirau, a Camargo Corrêa é a empreiteira  responsável pela construção e, ao mesmo tempo, integra o consórcio responsável pela operação posterior da usina. "De fato, no caso de Jirau a decisão da empresa de antecipar a entrega da obra provocou uma maior concentração de trabalhadores. Então, eu fiz uma ponderação se não era o caso de se rever a decisão e tentarmos trabalhar com um contingente um pouco menor para diminuir o grau de tensão que naturalmente ocorre", afirmou o ministro, referindo-se à reunião realizada na manhã desta terça-feira com representantes de centrais sindicais e de empreiteiras. Segundo relatos de participantes da reunião, o ministro usou este ponto para dar um "puxão de orelha" nos empresários. Em outro momento de concessão aos representantes de trabalhadores, Gilberto Carvalho disse aos empresários que já foi sindicalista e que sabe que "em obra boa não tem greve". Estiveram presentes à reunião um representante da Camargo Corrêa e dos sindicatos patronais Sinicon (Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada) e Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção).

Após cirurgia no coração, Joaquim Roriz recebe alta de hospital

O ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) recebeu alta na segunda-feira do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 14 de março. Roriz, de 74 anos, foi internado para realizar exames para uma operação da coluna. Segundo o hospital Sírio-Libanês, os médicos constataram que ele precisaria realizar um cateterismo por conta de uma isquemia cardíaca. No dia 21 de março, o ex-governador realizou a implantação de stent no coração. Na última sexta-feira (25), Roriz saiu da UTI do hospital e foi para um quarto comum. Roriz é pai da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), filmada recebendo dinheiro do delator do mensalão do DEM, Durval Barbosa. Em 2010, ele tentou voltar ao governo do Distrito Federal. No entanto, desistiu da candidatura no lugar da mulher, Weslian, depois que seu recurso teve votação empatada em votação no Supremo Tribunal Federal. Sua candidatura foi negada pelo Tribunal Superior Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa. Em 2007, ela havia renunciado o cargo de senador, mês depois de assumir.

Petrobras afirma que preço da gasolina será mantido

O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse na tarde desta terça-feira que a estatal não fará qualquer alteração no preço da gasolina devido à volatilidade do preço do barril de petróleo no mercado internacional. "Não há perspectiva de mudança no preço da gasolina porque ainda não temos essa situação do Oriente Médio definida", disse o diretor ao sair do Fórum Econômico Brasileiro, organizado pela Bloomberg, em São Paulo. Barbassa afirmou ainda que a Petrobras não irá mudar um dos critérios da política de reajuste de preços da gasolina e do diesel. "A política é não aumentar preço da gasolina e do diesel em função de alterações conjunturais. Só aumentamos quando percebemos que há uma mudança no estado das coisas", afirmou. Ele também informou que a importação de petróleo equivalente a 1,5 milhão de barris de gasolina não tende a alterar os preços no mercado interno. O objetivo dessa compra é pontual. A importação reforçará o abastecimento do País.

Dólar fecha a R$ 1,65 apesar de ação do Banco Central

A nova medida do governo para conter a "enxurrada" de dólares no País e a especulação com a moeda teve impacto limitado no mercado de câmbio doméstico, pelo menos na sessão desta terça-feira. O dólar comercial chegou a ser negociado, no máximo, por R$ 1,664 logo pela manhã, mas seu valor recuou no restante da sessão, sem que as duas compras de moeda feitas pelo Banco Central, e o anúncio da nova medida, tenham impedido a queda. Dessa forma, nas últimas operações, a taxa cambial atingiu R$ 1,654 (perto da cotação mínima do dia), em um declínio de 0,48% sobre o fechamento de segunda-feira.

Venda de fertilizantes cresce 10,3% no 1º bimestre no Brasil

A venda de fertilizantes encerrou o primeiro bimestre com 3,48 milhões de toneladas, registrando crescimento de 10,3% em relação ao mesmo período de 2010, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Agricultura. As vendas de fertilizantes nitrogenados apresentaram evolução de 12,8%. Segundo os dados da Anda (Associação Nacional para Difusão de Adubos), o Estado de Mato Grosso concentrou o maior volume de entregas. "A justificativa é o aumento da demanda para as culturas de cana-de-açúcar, algodão, café, milho safrinha e arroz. Os dois primeiros meses de 2011 representam o segundo maior acumulado da história", afirma o diretor executivo da Anda, David Roquetti. A produção nacional também teve elevação, passando de 1,33 milhão de toneladas no primeiro bimestre de 2010 para 1,36 milhão de toneladas em 2011. O maior salto ocorreu na importação de fertilizantes (68,3%), para 2,73 milhões de toneladas.

Cisco compra empresa de computação em nuvem

A Cisco afirmou nesta terça-feira que pretende comprar a empresa de software newScale, em um acordo que pode fortalecer seus serviços de computação em nuvem. Os termos financeiros da aquisição não foram divulgados. A Cisco afirmou que a compra será concluída na segunda metade de seu ano fiscal de 2011. A NewScale, que faz portais para computação em nuvem, tem mais de 2 milhões de usuários ao redor do mundo, incluindo 20% das empresas listadas pela "Fortune 50", de acordo com seu site. Alguns dos clientes da newScale são a AT&T, a American Express e a Siemens.

Paulistanos trocam a capital por condomínios no interior

A paisagem ao redor de São Paulo está mudando. Entre as fazendas e plantações que circundam a cidade, é possível notar cada vez mais casas de alto padrão surgindo atrás de muros. É um movimento formado por um novo tipo de migrante: paulistanos das classes A e B que trocaram o agito e a insegurança da capital por uma vida mais confortável em condomínios fechados fora da metrópole. A química Juliana da Cunha Marques, de 39 anos, é um deles. "Sou uma paulistana que não aguenta São Paulo", brinca. Há dois anos, ela deixou o apartamento na Vila Leopoldina (zona oeste) para morar em uma casa com gramado, piscina e ofurô em Vinhedo (79 km de SP), ao lado do marido e da filha de um ano. "Não é que a gente não queria estar na cidade, mas é que, quando a gente volta para casa no Interior, recarrega as baterias", explica, com a propriedade de quem já morou na Holanda e no Canadá. Esses condomínios e loteamentos nos arredores de São Paulo se transformaram numa das febres do mercado imobiliário. Nos últimos três anos, surgiu um a cada cinco dias, segundo levantamento da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio). Ao todo, foram 22 mil terrenos em 212 loteamentos no período. Em dez anos, surgiram 85 mil lotes. Para comparar, é como se uma cidade como Barueri (com 240 mil habitantes) tivesse surgido na borda da Grande São Paulo. O "terreno" principal desse mercado são cidades que ficam a até 100 quilômetros da capital. Juliana e o marido, o engenheiro civil João Carlos Caiado, de 52 anos, fazem como boa parte dos habitantes dos condomínios-satélite: continuam no mesmo trabalho, em uma empresa às margens do rio Pinheiros (zona oeste), mas preferem encarar a estrada todos os dias e levar uma "típica vida interiorana" quando retornam para casa. O casal conta que conhece os vizinhos pelo nome e compra ovos caipiras na rua detrás. Nos finais de semana, leva as filhas para cavalgar numa fazenda nos arredores de casa. "Viver em um condomínio foi um pré-requisito", conta Juliana, ao falar da sensação de segurança no interior. Eles não desfizeram do apartamento na capital. O imóvel pode ser acionado em casos de "emergência", como um serão não planejado no trabalho. "Posso ficar porque sei que minha filha está bem em casa", diz ela. A mudança para os condomínios é uma espécie de "regionalização do cotidiano", define o vice-presidente do Interior do Secovi (sindicato da habitação), Flávio Amary. "O pai trabalha em São Paulo, o filho estuda em Campinas e a mãe mudou de emprego e agora trabalha em Itu", diz. "À noite, todos se reúnem para jantar em Itupeva, por exemplo." Um fator que ajuda a explicar esse fluxo é o custo da terra. "Quem tem um apartamento de 150 metros quadrados na cidade consegue comprar um terreno de até 1.000 metros quadrados, construir uma casa de 200 metros quadrados e ainda sobra um trocado para a poupança", calcula Luiz Paulo Pompéia, diretor de estudos da Embraesp.

Jordânia quer "maior descoberta da história cristã" de volta

O governo da Jordânia tenta repatriar livros feitos de chumbo que, segundo suspeitas de especialistas, parecem ser os mais antigos da história cristã, tendo sobrevivido a quase 2.000 anos em uma caverna do país do Oriente Médio. As relíquias, que estão atualmente em Israel, poderiam trazer à luz novos dados sobre o nascimento do cristianismo e sobre a crucificação e a ressurreição de Jesus Cristo. O conjunto de cerca de 70 livros, cada um com entre 5 e 15 "folhas" de chumbo presas por aros de chumbo, foi aparentemente descoberto em um vale remoto e árido no norte da Jordânia, entre 2005 e 2007. Uma enchente expôs dois nichos dentro da caverna, um deles marcado com um menorá, candelabro que é símbolo do judaísmo. Um beduíno jordaniano abriu os nichos e o que encontrou ali dentro parece ser uma extremamente rara relíquia dos primórdios do cristianismo. Essa é a visão do governo da Jordânia, que alega que os livros foram contrabandeados para Israel por outro beduíno. O beduíno israelense que atualmente guarda os livros nega tê-los contrabandeado e alega que as antiguidades são peças que sua família possui há cem anos. O governo jordaniano disse que fará "todos os esforços, em todos os níveis" para repatriar as relíquias. O diretor do Departamento de Antiguidades da Jordânia, Ziad Al-Saad, diz que os livros parecem ter sido feitos por seguidores de Jesus nas décadas seguintes a sua crucificação. "Talvez eles sejam mais significativos que os pergaminhos do mar Morto (relíquias descobertas nos anos 1940 que contêm textos bíblicos)", disse Saad. "Talvez eles precisem de mais interpretação e conferência de autenticidade, mas a informação inicial é muito animadora. Parece que estamos diante de uma descoberta importante e significativa, talvez a mais importante da história da arqueologia". As "folhas" dos livros, a maioria delas do tamanho de um cartão de crédito, contêm textos escritos em hebraico antigo, a maior parte em código. Se as relíquias forem de fato de origens cristãs, em vez de judáicas, são de grande significado. Um dos poucos a ter visto a coleção é David Elkington, acadêmico que estuda arqueologia religiosa e líder de uma equipe britânica empenhada em levar os livros a um museu na Jordânia. Elkington alega que os livros podem ser "a maior descoberta da história cristã": "É de tirar o fôlego a idéia que tenhamos contato com objetos que podem ter sido portados pelos primeiros santos da Igreja". O acadêmico diz que as relíquias contêm sinais que seriam interpretados, pelos cristãos da época, como imagens de Jesus e de Deus e da "chegada do messias". Na "capa" de um dos livros "vemos o menorá de sete ramificações, o que os judeus eram proibidos de representar porque ele residia no local mais sagrado do templo, na presença de Deus", explica Elkington: "Assim, temos a vinda do messias para obter a legitimidade de Deus". Philip Davies, professor emérito de estudos do Velho Testamento da Universidade de Sheffield, afirma que a prova mais contundente da origem cristã das relíquias está em um mapa feito da cidade sagrada de Jerusalém. "Há uma cruz em primeiro plano e, atrás dela, está o que seria a tumba (de Jesus), um pequeno edifício com uma abertura e as muralhas da cidade. Outras muralhas representadas em outras páginas dos livros quase certamente se referem a Jerusalém", diz Davies, que afirma ter ficado "estupefato" com as imagens, "claramente cristãs". A cruz é o que mais chama a atenção dos especialistas, feita no formato de um T maiúsculo, como eram as cruzes que os romanos usavam para crucificações. "É uma crucificação ocorrida fora dos muros da cidade", diz Davies. Margaret Barker, especialista em história do Novo Testamento, ressalta que o local onde se acredita que as relíquias tenham sido encontradas denota sua origem cristã, e não puramente judaica: "Sabemos que, em duas ocasiões, grupos de refugiados dos distúrbios em Jerusalém rumaram a leste, atravessaram a Jordânia perto de Jericó e foram para perto de onde esses livros parecem ter sido achados". Ela acrescenta que outra prova da "proveniência cristã" é que as relíquias são em formato de livros, e não de pergaminhos: "Os cristãos eram particularmente associados com a escrita na forma de livros e guardavam os livros como parte da secreta tradição do início do cristianismo". O Livro das Revelações se refere a esses textos guardados. Outro possível elo com a Bíblia está contido em um dos poucos fragmentos de texto que foram traduzidos das relíquias. O fragmento, acompanhado da imagem da menorá, diz: "Devo andar honradamente", frase que também aparece no Livro das Revelações. Ainda que a frase possa simplesmente significar um sentimento comum no judaísmo, pode também se referir à ressurreição. Não está esclarecido se todos os artefatos descobertos são parte do mesmo período, mas testes feitos no chumbo corroído dos livros indica que eles não foram feitos recentemente.

Superávit primário cai e fecha fevereiro em R$ 2,5 bilhões

As contas do governo central (que inclui Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registraram em fevereiro um saldo muito menor do que o de janeiro. No mês passado, o chamado superávit primário (resultado antes do pagamento dos juros da dívida) foi de R$ 2,56 bilhões, contra os R$ 14,27 obtidos em janeiro. Em fevereiro do ano passado, o governo central havia tido um déficit primário de R$ 1,18 bilhão. No primeiro bimestre, o superávit soma R$ 16,84 bilhões, contra R$ 12,68 bilhões nos dois primeiros meses do ano passado. A queda é resultado principalmente de uma menor arrecadação em fevereiro. Naquele mês, a receita líquida somou R$ 51,12 bilhões, contra R$ 75,32 bilhões em janeiro. Já as despesas diminuíram de R$ 61,04 bilhões em janeiro para R$ 48,56 bilhões. No primeiro bimestre, há um crescimento de 17,7% na receita, enquanto as despesa cresceram 15,7%. As despesas com pessoal cresceram 10,9% enquanto custeio e capital (que inclui investimentos) subiu 23,5%.

São Paulo sobe 21 posições em ranking de produção científica

Um relatório divulgado no Reino Unido diz que São Paulo subiu do 38º para o 17º lugar em um ranking de cidades com mais publicações científicas no mundo. De acordo com o estudo feito pela Royal Society, a academia nacional de ciência britânica, a evolução da capital paulista nesse setor "reflete o rápido crescimento da atividade científica brasileira". O relatório, chamado "Conhecimento, Redes e Nações: Colaboração Científica Global no Século 21", analisa a publicação de trabalhos científicos por país no período entre 1996 e 2008. O documento indica que o Brasil e outros países emergentes, liderados pela China, estão despontando como grandes potências na área de produção de estudos científicos, capazes de rivalizar com países que têm tradição nessa área, como os Estados Unidos, nações da Europa Ocidental e o Japão. A representatividade dos estudos brasileiros teve leve aumento: entre 1999 e 2003, eles equivaliam a 1,3% do total de pesquisas científicas globais. Entre 2004 e 2008, subiu para 1,6%.

Pato confirma romance com a filha de Berlusconi

O atacante do Milan e da seleção brasileira, Alexandre Pato, falou pela primeira vez em público sobre sua relação com Barbara, filha de Silvio Berlusconi, chefe de governo italiano e também presidente do clube. As declarações aconteceram nesta terça-feira à edição italiana da revista "VanityFair". "Gostaria de falar de minha equipe. Estamos apenas no início de nosso relacionamento", respondeu Pato. "Penso muito em minha felicidade e, no momento, sou feliz", completou. Barbara Berlusconi, de 26 anos, está separada há poucos meses do pai de seus filhos, com quem viveu por dez anos, enquanto Pato, de 21 anos, divorciou-se em 2010 após nove meses e 13 dias de casamento com a atriz brasileira Sthefany Brito, de 23 anos. "Ainda sou jovem, mas sei que a vida pode ser uma surpresa. Você faz projetos que podem fracassar. Por isso, agora já não faço mais e muitas coisas acontecem inesperadamente", disse Alexandre Pato.

74% dos fabricantes de material de construção devem investir

Sondagem da Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) mostra que 74% dos empresários desse segmento da indústria pretendem investir nos próximos 12 meses. O percentual é semelhante ao contabilizado em fevereiro (76%) e acima do registrado no mesmo mês do ano passado (70%). A utilização média da capacidade instalada repetiu em março o dado do mês anterior (87%). A estabilidade que vem sendo observada desde abril, na avaliação da Abramat, indica que os investimentos em expansão de capacidade estão sendo suficientes para atender ao crescimento de demanda observado no período. Em relação às ações do governo para o setor da construção civil nos próximos 12 meses, o levantamento aponta que, na média, 61% dos empresários têm boas expectativas. Apesar da predominância do otimismo, a tendência de queda pode estar relacionada ao recente anúncio de cortes no orçamento do programa Minha Casa Minha Vida e ao aumento contínuo da taxa de juros.

Mercadante trocará direção da Comissão Nacional de Energia Nuclear

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, vai trocar a direção da Cnen (Comissão Nacional de Energia Nuclear), órgão do ministério que executa o programa nuclear brasileiro. A dúvida no momento é quem substituirá o atual presidente da comissão, Odair Dias Gonçalves, que ocupa o cargo desde o início do primeiro mandato de Lula. O presidente da Cnen afirmou, em nota, que já havia solicitado sua saída e que Mercadante pediu-lhe que ficasse, "em função do acidente do Japão e do trabalho desempenhado". "Eu continuo presidente até que o ministro solicite a minha saída", disse Gonçalves. A nota "nega peremptoriamente" informações publicadas no fim de semana pela revista "IstoÉ", que atribui possíveis mudanças na cúpula da Cnen a atrasos no licenciamento definitivo da mina de urânio de Caetité (BA) e da usina nuclear de Angra 2. Uma fonte do ministério afirmou que, desde que assumiu, o ministro vem pensando em substituir Gonçalves. Ele não tem sido nem mesmo convidado a participar das reuniões semanais da cúpula do Ministério de Ciência e Tecnologia. Por trás da polêmica está uma guerra aberta entre Gonçalves e dirigentes da Associação de Servidores e da Afen (Associação de Fiscais de Radioproteção e Segurança Nuclear). Um dos ingredientes da disputa foi a distribuição de um e-mail apócrifo no qual Gonçalves é acusado de irregularidades administrativas, entre as quais levar uma diretora e suposta namorada em viagens ao Exterior. Paulo Alberto Lima da Cruz, do Associação de Servidores, diz que o grupo pediu a Mercadante a substituição de Gonçalves depois que seu relatório de atividades de 2010 atribuiu problemas na Cnen à idade média dos servidores --50% têm mais de 50 anos. "Foi um ataque ao corpo técnico-administrativo. Ele nos chamou de velhos".

Com IOF, governo quer conter dívidas de bancos no Exterior

A cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre empréstimos tomados no Exterior, instituída nesta terça-feira pelo governo, terá como objetivo, além de diminuir a entrada de dólares no País e segurar a oferta de crédito, conter o endividamento externo de bancos e empresas. A contratação de dívidas no Exterior por esses agentes bateu recorde no primeiro bimestre. Segundo o ministro Guido Mantega (Fazenda), o governo quer diminuir a exposição cambial das empresas, que tomam empréstimos em dólar e, caso haja uma variação na cotação da moeda norte-americana, podem ficar com uma dívida muito maior do que a contraída originalmente. "Se houver alguma mudança no câmbio, a empresa pode ter prejuízo. É uma medida também prudencial para diminuir a exposição das empresas brasileiras ao câmbio", afirmou. A partir desta terça-feira, empréstimos tomados lá fora com prazo de até 360 dias pagarão 6% de IOF. Até agora, apenas os empréstimos com prazo de até 90 dias pagavam IOF, de 5,38%. Mantega disse ainda que, até o dia 25 de março, bancos e empresas já tomaram US$ 26,6 bilhões em empréstimos no Exterior, o que significa um aumento de 140% em relação ao mesmo período do ano passado. O crescimento foi maior para as instituições financeiras,de 215%. "Como o juro está mais barato, você pega lá fora, aplica aqui dentro e ganha essa diferença emprestando a taxas mais elevadas. Estamos notando um forte movimento de arbitragem nessa conta", completou.

CSN mantém foco sobre Usiminas e deve ficar na Riversdale

A CSN indicou nesta terça-feira que deve manter sua participação de quase 20% na produtora de carvão Riversdale e reiterou o desejo de elevar sua fatia no capital votante da rival Usiminas a 10%. O vice-presidente financeiro da CSN, Paulo Penido, disse que o aumento da presença na Usiminas tem que ser feito de forma gradual. Ele afirmou ainda que ter uma fatia na hoje concorrente pode ser útil à CSN no futuro. A CSN informou no final de janeiro que estava avaliando alternativas para seu investimento na Usiminas, quando revelou ter 5,03% das ações ordinárias e 4,99% dos papéis preferenciais da siderúrgica mineira. Na ocasião, a CSN divulgou que não tinha, naquele momento, objetivo de adquirir fatias acima de 10% de cada uma das classes de ações da Usiminas.

Agência rebaixa pela segunda vez nota da dívida de Portugal

A agência Standard and Poors (S&P) baixou nesta terça-feira, pela segunda vez em menos de uma semana, a nota de classificação de risco da dívida de Portugal de "BBB" para "BBB-". A S&P já havia rebaixado a nota de Portugal na quinta-feira passada, pouco depois de medida similar adotada pela agência Fitch. Além de reduzir a nota de Portugal, a agência manteve o país em perspectiva negativa diante das dificuldades econômicas e de sua situação política, o que significa que pode sofrer novos rebaixamentos nos próximos meses. Portugal enfrenta uma crise política desde a renúncia do primeiro-ministro José Sócrates, na quarta-feira passada, como consequência da rejeição do Parlamento a seu novo plano de estabilidade financeira. A crise caiu nas mãos do chefe do Estado, Aníbal Cavaco Silva, que tenta evitar a quebra do país.

Alemanha quer aprender fórmula de sucesso do etanol brasileiro

Já parte do cotidiano brasileiro, o motor flex fuel e o etanol de cana-de-açúcar deixam os alemães admirados. Agora, Alemanha se aproxima do Brasil para adaptar modelo. Importação do etanol é forte barreira a superar. A história de sucesso do etanol brasileiro passou a receber mais atenção do governo alemão. Uma delegação oficial está no Brasil para conhecer de perto o desenvolvimento da tecnologia que começou a mudar a história e o mapa do País há mais de 35 anos. "Nós queremos aprender com o exemplo brasileiro como novos motores podem ser produzidos, como os carros podem trafegar com uma mistura maior de etanol", disse Rainer Bomba, vice-ministro alemão dos Transportes durante a visita ao Brasil, que se estende até 2 de abril.

Comissão do Senado aprova indicações para conselho do Cade

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou nesta terça-feira, por unanimidade, as indicações de Marcos Paulo Veríssimo e Elvino de Carvalho para conselheiros do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A oposição ajudou a aprovar os nomes, mas o líder do DEM, senador Demóstenes Torres (GO) provocou um constrangimento aos indicados durante a sessão. Demóstenes questionou a razão que levou os dois a não incluírem em seus currículos passagens por escritórios de advocacia, ao levantar dúvidas se ainda estariam vinculados a eles. Veríssimo disse que deixou o escritório em 2007, depois de prestar trabalhos de consultoria. Carvalho, por sua vez, afirmou que sua esposa é sócia do escritório, mas disse que realizou apenas um trabalho para o mesmo. "Não havia necessidade de omissão no currículo, hoje em dia a gente verifica isso na internet. Os dois acabaram omitindo, o que não tinha necessidade de acontecer", afirmou Demóstenes. Apesar da crítica, a oposição aprovou os nomes dos conselheiros com o apoio dos governistas.

Presidente da Câmara critica proposta de controle prévio de projetos

O presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Marco Maia (PT-RS), manifestou nesta terça-feira ser contra a proposta do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, sobre um controle prévio de constitucionalidade para os projetos aprovados pelo Congresso e encaminhados para sanção  presidencial. A idéia foi apresentada como forma de evitar que o Supremo tenha que se posicionar sobre a validade das leis, como aconteceu com a Ficha Limpa. "Acho que tem uma certa intempestividade nesta proposta, vou conversar com Peluso. Nós temos a Comissão de Constituição e Justiça, que é a comissão responsável por analisar a constitucionalidade, por isso não me parece necessária uma consulta prévia. Eu, se fosse a presidente da República, não toparia", afirmou Marco Maia.

Grupo é preso por fornecer documento falso para visto americano

Uma quadrilha que fornecia documentos falsos para a obtenção de visto para os Estados Unidos foi presa nesta terça-feira em Criciúma (SC). O grupo, formado por quatro pessoas, atuava desde 2005 e parte dele já havia sido presa e condenada pelo mesmo crime, mas recorria à decisão em liberdade. Segundo o promotor Eduardo Paladino, do Ministério Público de Santa Catarina, o grupo produzia declarações de Imposto de Renda, contracheques, registros de imóveis e extratos bancários, entre outros documentos, para provar vínculos entre o interessado em obter o visto e o Brasil. Os preços cobrados pela quadrilha variavam entre R$ 5.000,00 e R$ 10 mil, de acordo com o tipo de documento. Segundo o Consulado dos Estados Unidos no Brasil, até passaportes falsos, de países que não necessitam de visto para os Estados Unidos, como a Itália, eram produzidos pelo grupo.

Banco Central reduz previsão de crescimento do crédito para 13%

O Banco Central reduziu de 15% para 13% a previsão de crescimento do crédito em 2011. Hoje, esse indicador cresce a uma taxa acumulada em 12 meses de 21%. Com isso, a relação crédito/PIB (Produto Interno Bruto) vai passar dos atuais 46,4% para 48%. A expectativa anterior era chegar a 50% do PIB. A revisão foi puxada pela expectativa de crescimento menor no crédito com recursos direcionados (subsidiados), o que inclui principalmente empréstimos do BNDES e financiamentos habitacionais. A previsão caiu de 23% para 19%. No crédito sem subsídio, a estimativa recuou de 12% para 11%. A redução vai atingir igualmente bancos públicos e privados. Os bancos públicos devem ter expansão de 15%. Os privados nacionais, de 14%. Bancos estrangeiros, de 12%. As previsões anteriores eram um ponto percentual superior cada. Dados parciais para o crédito até o dia 17 de março mostram aumento nos juros e em novos empréstimos.

Aos 91 anos, morre Rudi Armin Petry, ex-presidente do Grêmio

Morreu na tarde desta terça-feira, aos 91 anos, Rudi Armin Petry, considerado um dos maiores dirigentes da história do Grêmio. Entre todos os ex-presidentes do clube que continuavam vivos, ele era o mais velho. Rudi Armin Petry era considerado um ícone do gremismo e um modelo de dirigente de clube de futebol. O seu velório ocorrerá nesta quarta-feira, a partir das 7 horas, no Salão Nobre do Estádio Olímpico. Seu corpo será cremado em São Leopoldo à tarde.

STJ mantém indisponibilidade de bens de Flávio Maluf

O ministro Arnaldo Esteves Lima, do Superior Tribunal de Justiça, rejeitou pedido do empresário Flávio Maluf, filho do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), para que a Corte reexaminasse a posição do Tribunal de Justiça de São Paulo quanto à indisponibilidade de seus bens. Com a decisão, Flávio continua com os bens indisponíveis, inclusive as ações que detém no capital da Eucatex S/A Indústria e Comércio, da qual é presidente. O empresário e outras pessoas respondem a uma ação civil pública de responsabilidade por atos de improbidade administrativa, movida pelo Ministério Público de São Paulo em razão de suposto desvio de verbas propiciado pelo superfaturamento de obras públicas. A pedido do Ministério Público, o juiz responsável pelo processo concedeu liminar para tornar indisponíveis os bens dos envolvidos, conforme admite a Lei de Improbidade Administrativa, para garantir a possibilidade de ressarcimento aos cofres públicos, em caso de condenação. No pedido para suspender a indisponibilidade, Flávio argumentou que alguns dos outros réus haviam obtido o benefício. Segundo ele, a indisponibilidade criava graves embaraços para a Eucatex no momento de obter crédito no sistema bancário.

TSE recebe recurso contra diplomação de Roseana Sarney

O Tribunal Superior Eleitoral recebeu recurso contra a diplomação da governadora Roseana Sarney (PMDB) e de seu vice, Washington Oliveira (PT), no Maranhão. A ação foi impetrada pelo deputado estadual José Maria da Silva Fontinele, do PRTB , que pede a realização de nova eleição no Estado. Conforme a petição, Roseana e Oliveira teriam utilizado, indevidamente, meios de comunicação social para sua reeleição. No recurso, Fontinele acusa a governadora e seu vice de obter votos de maneira ilícita, de abuso do poder dos meios de comunicações, e utilização direta e indireta da estrutura da Administração Pública, em vários locais como escolas e ambulâncias. Outro ponto abordado no recurso diz respeito ao fato de a governadora ter tomado posse em abril de 2009, sem se afastar para a reeleição, "desta forma ela estaria inelegível", sustenta Fontinele.

Israel revogará cidadania de quem for desleal ao Estado

O Parlamento de Israel aprovou, na noite de segunda-feira, a Lei da Cidadania e da Lealdade, que estabelece a revogação da cidadania de israelenses que forem considerados culpados de crimes de traição, espionagem e terrorismo. A lei, de autoria do partido Israel Beitenu (liderado pelo chanceler Avigdor Lieberman), altera a lei da Cidadania de Israel e, pela primeira vez na história do país, estipula condições segundo as quais é possível revogar o direito de cidadania. Segundo a lei, cidadãos israelenses "que forem condenados por crimes de espionagem, atos de terror, ajuda ao inimigo em tempos de guerra e serviços em favor de forças inimigas" poderão ter seus direitos de cidadãos revogados pela Suprema Corte de Israel. Condenados que tenham dupla cidadania perderão a israelense totalmente; os que tiverem apenas a cidadania israelense ganharão status semelhante ao de estrangeiros residentes no país, sem direito a voto ou passaporte, por exemplo. O lema "não há cidadania sem lealdade" foi adotado pelo partido Israel Beitenu durante a campanha eleitoral, há cerca de dois anos. O deputado David Rotem, autor do projeto de lei, afirmou que "todos aqueles que traírem o Estado e cometerem atos de terrorismo contra seus cidadãos saberão que a lealdade é inseparável da cidadania". O chanceler Lieberman declarou que "quem prejudicar o Estado não pode usufruir da cidadania.

Lucro da Itaúsa cresce 26% em 2010 e soma quase R$ 5 bilhões

A Itaúsa, holding que controla o Itaú Unibanco, informou nesta terça-feira que teve lucro líquido de R$ 4,95 bilhões no acumulado de 2010, aumento de 26% sobre o ganho apurado nos 12 meses anteriores. Se considerados os ajustes para adequação ao padrão contábil internacional (IFRS), o lucro líquido da companhia foi de R$ 4,42 bilhões no ano passado. A empresa não divulgou separadamente os números referentes ao quarto trimestre de 2010. Além do Itaú Unibanco, o conglomerado controla Duratex, Itautec e Elekeiroz. O grupo encerrou o último ano com ativos totais de R$ 764,2 bilhões, ante R$ 615,96 bilhões em 2009. Considerando os ajustes contábeis, os ativos somaram R$ 275,6 bilhões em 2010.

Procuradoria investiga fraude no Luz Para Todos em Goiás

O Ministério Público Federal em Goiás investiga irregularidades no Programa Luz Para Todos, em Jussara, município no noroeste de Goiás, a 228 quilômetros de Goiânia. Na cidade há indícios de que beneficiários do programa são preteridos na ordem de fornecimento de energia elétrica, em detrimento do poder público que estaria estaria utilizando para fins particulares. O programa federal foi lançado em novembro de 2003 com o objetivo de acabar com a exclusão elétrica no País. Ele atende famílias de baixa renda e cerca de 90% delas têm rendimento inferior a três salários mínimos e 80% estão no meio rural.

Gabinete sírio renuncia para tentar acalmar oposição

O ditador sírio, Bashar al-Assad, aceitou nesta terça-feira a renúncia do primeiro-ministro Mohammed Naji Otri e todo seu gabinete, em uma aparente estratégia para acalmar os protestos da oposição. Ao menos 61 pessoas morreram nos últimos dez dias de protestos antigoverno na cidade, o maior desafio enfrentado pelo regime de 11 anos de Assad. Os protestos em várias localidades do país exigem reformas democráticas e a supressão da lei de emergência, vigente desde 1963. As forças de segurança têm enfrentado com forte repressão as manifestações em Deraa, cerca de 100 quilômetros ao sul de Damasco. Ativistas da oposição e moradores acusaram a polícia de disparar contra os manifestantes, informação negada pelas autoridades sírias, que sustentaram que grupos armados se infiltraram entre os manifestantes para provocar as forças de segurança.

Tribunal de Justiça de São Paulo investigará juízes improdutivos

Os desembargadores paulistas com baixa produtividade serão alvo de investigação disciplinar pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Resolução publicada na segunda-feira pelo órgão determina que os magistrados com processos sem decisão há pelo menos três anos sejam retirados das causas e expliquem o motivo da demora. Essa medida vale para mais de 47 mil casos de segunda instância que estão no arquivo do Tribunal de Justiça, no bairro do Ipiranga. Eles serão repassados para outros desembargadores com melhor desempenho. Quem receber esses processos antigos deverá julgá-los em até 120 dias. Uma punição nas apurações disciplinares poderá ir de uma advertência até a aposentadoria compulsória, em caso extremo. No tribunal atuam também alguns juízes de primeira instância convocados. Uma punição já prevista na resolução é que aquele com baixo desempenho terá a autorização para dar aulas "revista" pelo Conselho Superior da Magistratura. De acordo com a legislação, os juízes e desembargadores só podem exercer uma outra atividade remunerada atuando como professores. Além disso, o documento prevê ainda que os magistrados com baixo desempenho não poderão participar de comissões do tribunal. No total, tramitam no Tribunal de Justiça, em segunda instância, 773 mil processos.

Ministra defende restruturação do setor de álcool no Brasil

Em meio a discussões sobre investimentos em agricultura no Brasil durante a reunião anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento em Calgary, no Canadá, a ministra Miriam Belchior (Planejamento) defendeu uma restruturação do setor do álcool brasileiro para evitar importação na entressafra. O país acaba de mudar a exigência de concentração de álcool anidro para permitir a compra do produto dos Estados Unidos em abril, um momento crítico da safra nacional de etanol. A safra de 2011/2012 não deve entrar no mercado nacional antes de maio. "Sem dúvida acreditamos que é preciso fazer uma mudança de funcionamento do setor, para que ele se estruture melhor e a gente possa trabalhar com um mercado futuro. Acreditamos que somos capazes de aprimorar esses problemas de safra", disse a ministra. Ainda na reunião do BID, o Brasil acertou neste final de semana uma linha de crédito de US$ 300 milhões financiada pelo Banco de Cooperação e Investimentos do Japão. Os fundos serão voltados a projetos ambientais já foram apelidados de "linha verde" e serão entregues em reais, com conversão no dia em que o aporte for feito. Para o governo brasileiro o destino prioritário dos recursos do BID são obras de infraestrutura e ações de redução da pobreza.

Consórcio de Santo Antônio afirma que também registrou tumulto

O consórcio responsável pela usina de Santo Antônio, em Rondônia, afirmou à Justiça do Trabalho que também houve ações de violência por parte de trabalhadores nas obras da hidrelétrica na semana passada. Santo Antônio está sendo construída no rio Madeira simultaneamente à obra de Jirau, onde uma revolta de operários destruiu a maior parte do canteiro de obras há duas semanas. A informação do consórcio consta em um documento enviado à Justiça do Trabalho pedindo o fim dos piquetes no canteiro de obras. Nele, afirma que trabalhadores quebraram ônibus, apedrejaram escritórios, danificaram uma escada e arrombaram armários de empregados na última quinta-feira. A depredação é chamada no ofício de "atos de violência extrema". As duas obras estão paradas desde os casos dos tumultos de Jirau. Ontem, 13 mil trabalhadores da usina decidiram não voltar ao trabalho. Eles pedem reajuste salarial, maior frequência de visitas às famílias em outros Estados e aumento da cesta básica.