quinta-feira, 21 de abril de 2011

Oi compra mais ações e chega a ter 7% da PT

A Oi informou ter adquirido mais 4% de participação da PT (Portugal Telecom). Agora, a companhia brasileira passa a deter 7% da operadora portuguesa e deverá chegar a 10%. Na operação de quarta-feira, a Oi comprou 35.860.500 ações do Citigroup Global Markets. Os papéis dão direito a voto. A entrada da Oi na Portugal Telecom é parte de uma aliança estratégica definida em julho do ano passado, quando a companhia portuguesa vendeu sua participação no controle da Vivo à Telefônica e se tornou sócia da Oi. Com a efetivação do negócio, no final de março deste ano, os portugueses injetaram R$ 8,32 bilhões na Oi e passaram a deter 25,6% de participação total (direta e indireta). Em contrapartida, a operadora brasileira teria de adquirir 10% da Portugal Telecom. Essa troca torna a parceria entre as duas empresas um negócio com abrangência internacional (América Latina, África e Portugal). A injeção de recursos da Portgual Telecom já trouxe uma redução de R$ 6 bilhões do endividamento da Oi, que passou a ser de R$ 12,7 bilhões. Essa cifra havia ultrapassado R$ 30 bilhões após a compra da Brasil Telecom, em janeiro de 2009.

Pesquisa sobre população com ensino superior deixa Brasil em último lugar entre 36 países

Para concorrer em pé de igualdade com as potências mundiais, o Brasil terá que fazer um grande esforço para aumentar o percentual da população com formação acadêmica superior. Um levantamento feito por Ernesto Faria, especialista em análise de dados educacionais, a partir de relatório da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), coloca o Brasil no último lugar em um grupo de 36 países ao avaliar o percentual de graduados na população de 25 a 64 anos. Os números se referem a 2008 e indicam que apenas 11% dos brasileiros nessa faixa etária têm diploma universitário. Entre os países da OCDE, a média (28%) é mais do que o dobro da brasileira. O Chile, por exemplo, tem 24%, e a Rússia, 54%. O secretário de Ensino Superior do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, disse que já houve uma evolução dessa taxa desde 2008 e destacou que o número anual de formandos triplicou no País na ultima década. "Como saímos de um patamar muito baixo, a nossa evolução, apesar de ser significativa, ainda está distante da meta que um país como o nosso precisa ter", afirma ele. Para Luiz Cláudio Costa, esse cenário é fruto de um gargalo que existe entre os ensinos médio e o superior. A inclusão dos jovens na escola cresceu, mas não foi acompanhada pelo aumento de vagas nas universidades, especialmente as públicas: "Isso se faz com ampliação de vagas e nós começamos a acabar com esse funil que existia". Luiz Cláudio osta lembra que o próximo Plano Nacional de Educação (PNE) estabelece como meta chegar a 33% da população de 18 a 24 anos matriculados no ensino superior até 2020. Segundo ele, esse patamar está, atualmente, próximo de 17%. Para isso será preciso ampliar os atuais programas de acesso ao ensino superior, como o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), que aumentou o número de vagas nessas instituições; o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece aos alunos de baixa renda bolsas de estudo em instituições de ensino privadas, e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), que permite ao estudantes financiar as mensalidades do curso e só começar a quitar a dívida depois da formatura.

JetBlue receberá menos aviões da Embraer em 2013

A companhia aérea norte-americana JetBlue informou na quinta-feira que receberá cinco aviões da Embraer em 2013, dentro de seu plano de frota, dois a menos do que o estimado anteriormente. Para 2011, a JetBlue prevê receber um Embraer 190 (de 100 passageiros) neste segundo trimestre, outras duas unidades no terceiro e mais uma no quarto trimestre. A JetBlue encerrou março com 118 aviões A320 da Airbus e 46 jatos Embraer 190 em sua frota. Há 104 aviões a serem recebidos da Airbus e da Embraer, com entregas programadas até 2018, além de opção de compra de mais 73 aeronaves, segundo a JetBlue.

Dilma compara inconfidentes mineiros com combate à ditadura

A presidente Dilma Rousseff participou na quinta-feira das homenagens do Dia de Tiradentes, em Ouro Preto (MG), e traçou paralelos entre a luta dos inconfidentes mineiros no século 18 e o combate à ditadura militar (1964-1985). Os restos mortais de três inconfidentes foram sepultados ao lado de outros mártires no museu que existe na cidade em homenagem ao movimento. O museu fica em frente à praça onde partes do corpo de Tiradentes foram expostas à população em 1789. Dilma lembrou que os inconfidentes que tiveram os corpos recém-sepultados morreram na África e disse: "Eles foram exilados por haverem se atrevido a desejar um Brasil independente. Na nossa história, muitos tiveram que se exilar por desejar também liberdade e democracia". A presidente Dilma cometeu um erro: os inconfidentes não foram exilados, foram degredados. A presidente disse ainda que cada conquista do povo brasileiro é reflexo do sonho dos inconfidentes e lembrou de sua prisão pelos militares: "Os brasileiros e brasileiras que, como eu, sofreram na pele os efeitos da privação de liberdade sabem o quanto a democracia institucional faz falta quando desaparece". Após a cerimônia, a presidente, ministros e outras autoridades seguiram para um almoço na fazenda do ex-ministro Walfrido dos Mares Guia. No cardápio, especialidades da cozinha mineira, como pernil de leitoa caipira, taioba e purê de banana da terra. Como sobremesa, doces de Paracatu e Pará de Minas. Como é boa a vida de autoridade no Brasil.

Dilma promete enviar ao Congresso marco regulatório da mineração

A presidente Dilma Rousseff prometeu nesta quinta-feira enviar ao Congresso um novo marco regulatório da mineração. Estados e municípios produtores de minério pedem o marco ao governo federal para aumentar o repasse de royalties da exploração. "Não é justo, nem tão pouco contribui para o desenvolvimento do Brasil, que os recursos minerais sejam daqui tirados e não haja a devida compensação", afirmou a presidente, durante discurso em Ouro Preto (MG). Segundo ela, "essa compensação é condição para que nossas reservas naturais tenham um sentido que não se concentrem na mão de poucos, mas que se difundam por toda a sociedade". O governo Lula tentou negociar um marco regulatório para o setor, mas as propostas de aumento dos royalties foram descartadas diante de um lobby agressivo das mineradoras. As empresas afirmaram que perderiam competitividade e isso teria impacto negativo nas exportações brasileiras. O marco regulatório também foi uma das promessas de campanha de Dilma. A proposta do governo não deverá tentar eliminar o investimento externo. Mas, vai pretender limitar o avanço da China na extração de minério de ferro, principal commodity importada pelo país asiático. A futura legislação deve prever a adoção de contratos em que o governo poderá impor metas de abastecimento ao mercado interno e restrições ao perfil societário do investidor. Hoje não existem restrições para explorar as jazidas nacionais, assim como não há um contrato entre o governo e o investidor estipulando metas, punições ou qualquer outra obrigação.

PSDB pede que Polícia Federal investigue invasão no conta do Twitter da TV Brasil

O PSDB vai acionar a Polícia Federal para que investigue se o Twitter da TV Brasil foi invadido por hackers, conforme alegou a emissora do governo para justificar uma mensagem ofensiva ao senador Aécio Neves (PSDB-MG). Na última terça-feira, o microblog da emissora afirmou que o senador mentiu ao dizer que a carteira estava vencida, em blitz policial no Rio de Janeiro. "A sua habilitação para dirigir foi renovada em 31/05/ 2010". Minutos depois, o texto foi apagado do canal mantido pelo departamento de jornalismo da emissora. "A TV Brasil pede desculpas pela recente mensagem enviada sobre assunto que não nos diz respeito", informou a TV, em nota. A presidente da TV Brasil, a jornalista petista Tereza Cruvinel, disse que uma sindicância foi aberta para descobrir a origem da "mensagem pirata". Na quinta-feira, o líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Duarte Nogueira (SP), considerou insuficiente a explicação da petista Tereza Cruvinel: "É fundamental que seja apurada a suposta invasão do perfil da TV Brasil". Já o líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), pediu a demissão da petista Tereza Cruvinel para que o caso seja esclarecido de forma isenta. "Diante da gravidade do fato, a permanência de Tereza Cruvinel na presidência da emissora ficou insustentável", disse, em nota divulgada pelo partido. O líder tucano também irá pedir ao Ministério Público Federal que investigue o caso e que a Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara acompanhe. Na quarta-feira, o líder do PSDB na Assembléia de Minas Gerais, Bonifácio Mourão, também questionou a versão da emissora. "É improvável que tenha ocorrido a violação noticiada e, se fosse o caso, mais improvável ainda que a TV Brasil tivesse 'recuperado' o comando da ferramenta em espaço de tempo tão exíguo", afirma Mourão. Em nome dos deputados governistas em Minas, ele enviou um pedido ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para que investigue o uso político da emissora.

Justiça nega pedido de liberdade da promotora Déborah Guerner

O ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça, negou na manhã de quinta-feira o pedido de liberdade apresentado pela defesa do casal Guerner. A promotora Déborah Guerner, do Distrito Federal, e o marido dela, Jorge Guerner, estão presos desde a manhã de quarta-feira na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília. O Ministério Público Federal suspeita que Deborah comprou atestados médicos falsos e foi treinada para simular problemas mentais. O propósito seria o de atrapalhar as investigações que ela enfrenta desde 2009 por suposto envolvimento com o escândalo do Mensalão de Brasília. Pesa ainda a suspeita de que o casal planejava deixar o país. A promotora é acusada de vazar informações sigilosas da Operação Caixa de Pandora para o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, Durval Barbosa, delator do esquema. Também é suspeita de tentar extorquir o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que foi preso e perdeu o cargo no auge do escândalo. Deborah e o marido são investigados ainda por suposto envolvimento em irregularidades na licitação para contratação de empresa de coleta de lixo em Brasília. Ela responde a processos no Conselho Nacional do Ministério Público, na Corregedoria do Ministério Público e na Procuradoria Regional da República. Os advogados do casal negam todas as acusações e afirmam não haver motivos para a prisão.

Casos de dengue no Rio de Janeiro passam dos 50 mil e Estado já conta 39 mortes

Boletim da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro, divulgado nos últimos dias, mostra que, no período de 2 de janeiro a 16 de abril, foram notificados 56.882 casos suspeitos de dengue no Estado. Além disso, foram confirmadas 39 mortes, sendo 13 delas na capital fluminense. As outras mortes ocorreram em Nova Iguaçu (3), Duque de Caxias (3), Magé (2), Cabo Frio (1), São Gonçalo (5), Maricá (1), Mesquita (2), São João de Meriti (4), São José do Vale do Rio Preto (1), Bom Jesus de Itabapoana (1), Itaocara (1), Itaperuna (1) e Rio das Ostras (1). Atualmente, há no Rio 18 municípios em estado de epidemia da doença, entre eles Magé, Cabo Frio, Rio das Ostras e Angra dos Reis. São quatro Realengo.

Perito israelense diz que Brasil tem de se preocupar com terrorismo

O fato de o Brasil não ter histórico de ações terroristas é "irrelevante". O País deveria se preocupar com a possibilidade de ataques durante a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 e agir para evitá-los. A opinião é do israelense Lior Lotan, especialista em ações de contraterrorismo das Forças Armadas de seu país e que hoje atua no setor privado, onde tem experiência na segurança de grandes eventos, como a Olimpíada de 2004, em Atenas. Para Lotan, o importante é saber se terroristas têm a intenção de cometer ataques no Brasil e meios para fazê-lo. "Não dá para fechar os olhos e pensar "nós somos brasileiros, vivemos felizes até agora e continuaremos assim". Diz Lior Lotan: "Quando analisamos ameaças, devemos analisar também capacidades e intenções. São os dois fatores que determinam o nível das ameaças. O Brasil vive uma situação única de sediar a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Essas competições são um alvo para muitas organizações que querem usar esse palco para promover sua agenda. Então, é realmente irrelevante se o Brasil tinha um problema de terrorismo. O que importa é que as organizações terroristas podem impactar o mundo todo atacando no Brasil. Não importa se o conflito de organizações é dentro do Brasil, mas se as organizações terroristas têm aqui a estrutura operacional e a intenção de operar aqui, não importando qual seja a razão para isso. No Brasil, já há no momento duas fortes estruturas terroristas. A primeira está na Tríplice Fronteira, que alguns apontam como a principal área de levantamento de fundos fora do Oriente Médio para organizações terroristas islâmicas. A segunda é a de cerca de 20 membros da Al Qaeda que operam no País e coordenam as atividades em mais de dez países". Lior Lotan também deu o receituário que o Brasil deveria seguir para evitar a atuação de terroristas no País: "As autoridade do Brasil estão bastante cientes de aspectos da ameaça, como a ligação entre algumas atividades criminosas e oportunidades para os terroristas como lavagem de dinheiro, fraude de documentos. Mas eu diria que uma real noção de que o Brasil pode ser um alvo de ataque terrorista, assim como foi a Argentina, ainda não existe. Um país que quer lidar com ameaças como o terrorismo e mostrar ao mundo que é capaz de defender seus cidadãos precisa desenvolver medidas baseadas em alguns princípios. O primeiro é a contenção. Contenção não é impedir as organizações terroristas de agir, mas impedir que organizações terroristas atuem durante esses megaeventos. O segundo princípio é a cooperação. A Al Qaeda não é um quartel-general dando ordens, é uma rede de organizações afins que dividem ideologia, informação e recursos. E é necessária uma rede para combater uma rede. E para estabelecer uma rede é necessária uma filosofia de cooperação. O terceiro princípio são as operações. O desafio da capacidade operacional ao qual o Brasil precisa se adaptar é o de como ser muito rápido, dinâmico e flexível para ir da inteligência à interceptação em minutos. O quarto princípio é a legislação. As leis penais não estão adequadas à ameaça do terrorismo. É preciso um conjunto de normas que deem ao governo ferramentas para enfrentar a ameaça. O quinto princípio é a inteligência. O desafio não é saber mais ou melhor, mas como filtrar, analisar e fundir esses quilos de informação em tempo real para poder agir em tempo real".

CSN aumenta para 10% participação no capital da Usiminas

A CSN anunciou na quarta-feira que aumentou sua participação no capital social da Usiminas com aquisições de ações. Com a operação, a empresa passou a deter 10,01% das ações ordinárias e 5,25% das preferenciais da Usiminas. A companhia também decidiu aderir à oferta de compra da Riversdale feita pela mineradora Rio Tinto. A empresa brasileira vai vender a totalidade de sua participação na produtora de carvão por 780,32 milhões de dólares australianos (equivalente a US$ 830,13 milhões). A CSN tem 19,9% de participação na Riversdale e informou que vai vender 47.291.891 ações da companhia pelo valor de 16,50 dólares australianos por papel.

Empresas interessadas dizem que trem-bala custará R$ 55 bilhões

O trem-bala entre Campinas-SP-RJ custará R$ 55 bilhões. É o valor a que chegaram as quatro maiores empreiteiras do País após realizar estudos em conjunto neste ano sobre o sistema. O estudo do qual participaram Andrade Gutierrez, Odebrecht, Camargo Corrêa e Queiroz Galvão ficou pronto antes do adiamento pela segunda vez do leilão do trem-bala, deste mês para julho. Os dados foram verificados por uma consultoria internacional, que validou as informações das empresas. O trabalho diz que, com alguns ganhos de produtividade, o valor pode cair a, no mínimo, R$ 50 bilhões, mesma previsão feita em um estudo preliminar do ano passado. O custo total é aproximado ao que chegou o estudo de outro grupo de empreiteiras de médio porte de São Paulo (R$ 53 bilhões). Estas grandes empreiteiras são consideradas vitais para o trem-bala, mais de 80% do projeto são obras civis. O primeiro adiamento aconteceu porque elas não tinham feito estudos. Em 2008, o governo estimou o custo do projeto em R$ 33,1 bilhões, que, atualizados pela inflação, chegam hoje aos R$ 38,6 bilhões. O presidente da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Bernardo Figueiredo, diz que não vai aumentar o valor do financiamento e do investimento público do trem-bala, que totalizaria R$ 26,5 bilhões (atualizados). Ainda segundo Bernardo, o valor maior de investimento só vai reduzir a taxa de retorno para quem investir (estimada em 10,5% e menor que a atual taxa básica de juros) e não compromete a viabilidade do projeto. Segundo ele, isso foi feito para que as empresas sejam agressivas nas propostas. Mas o alto valor de recursos que as empresas terão que conseguir para fazer a obra e comprar os equipamentos é o nó do projeto. Com o custo em R$ 50 bilhões, o consórcio que vencer o leilão teria que aportar R$ 23,5 bilhões. Desse valor, apenas 30% (R$ 7 bilhões) poderão ser em empréstimos bancários, que o governo imaginava virem de bancos de fomento do país dono da tecnologia vencedora. Os 70% restantes terão que vir de recursos próprios dos investidores, algo em torno de R$ 16,5 bilhões. Para ajudar nisso, o governo sinaliza que o vencedor terá como sócios fundos de pensão de estatais (em torno dos R$ 2 bilhões) e os Correios (valor não avaliado). Para conseguir os recursos próprios, o grupo investidor terá que apelar a outros tipos de financiamento. E os bancos não querem emprestar sem garantias reais (bens patrimoniais das empresas), ao contrário do BNDES. Videversus garante: se esse projeto mirabolante progredir, o trem bala não custará menos de 100 bilhões de reais.

Lula diz que PT governará por 20 anos

O ex-presidente Lula afirmou na quarta-feira que o PSDB passa por uma "crise de identidade" e que o PT governará o País durante 20 anos. Para que a previsão se confirme, a sigla teria que vencer as disputas presidenciais de 2014 e 2018, acumulando cinco vitórias seguidas desde a sua eleição, em 2002. A afirmação foi feita em entrevista à TV do Trabalhador, que pertence ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde Lula começou sua carreira política. "Quando o Fernando Henrique Cardoso ganhou as eleições em 1994, eles projetaram 20 anos de governança do PSDB, e o que vai acontecer é que teremos 20 anos de governança do PT", disse ele. "Eles não se conformam é que o PT vai ter o tempo necessário para mudar definitivamente a cara do Brasil", emendou o ex-presidente. Lula ironizou a profecia do tucano Sérgio Motta, ministro das Comunicações de Fernando Henrique Cardoso, que disse, em 1995, que o PSDB tinha "um projeto de poder para 20 anos". O ex-presidente disse que o PSDB sofre de "fragilidade ideológica" e não tem "perfil ideológico definido". Para ele, "disputas internas" entre o ex-governador José Serra, o senador Aécio Neves (MG) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, agravam o quadro. "A crise do PSDB é uma crise de identidade. Primeiro, tem a disputa interna, Serra, Alckmin e Aécio. Depois, tem as brigas nos Estados. Pessoas estão desconfortáveis", avaliou. Lula disse que "está chegando o momento" de o PT vencer na capital paulista: "Precisamos apenas montar a chapa perfeita". Ele voltou a defender a escolha de um candidato a vice-prefeito à direita do PT, com perfil conservador. "O PT não precisa encontrar um vice à esquerda do PT", disse: "O PT vai ganhar em São Paulo quando encontrar seu José Alencar". A TVT entrou no ar em agosto de 2010. Foi a primeira concessão de TV dada a um sindicato no País.

Revista Forbes aponta Petrobras como 8ª maior empresa do mundo

A Petrobras é a oitava maior companhia de capital aberto do mundo, de acordo com um ranking elaborado pela revista Forbes. A estatal brasileira divide a posição com a Berkshire Hathaway, fundo de investimentos do bilionário Warren Buffet, e subiu na lista depois de ter registrado crescimento de dois dígitos nas quatro categorias avaliadas (receita, lucros, ativos e valor de mercado). As dez primeiras posições da lista da Forbes são divididas em grande parte por instituições financeiras e companhias petrolíferas. Quem lidera o ranking é o banco norte-americano JPMorgan Chase, seguido pelo britânico HSBC Holdings, em segundo lugar, e pela General Electric, em terceiro. As três posições seguintes são ocupadas por petrolíferas (ExxonMobil, Shell e PetroChina, respectivamente) enquanto a sétima posição pertence ao Banco Industrial e Comercial da China. O décimo lugar ficou com o Citigroup. A companhia brasileira com a maior posição no ranking depois da Petrobras é o Bradesco, que ocupa a 46ª posição, abaixo da Siemens e acima da Apple. O Banco do Brasil vem depois, em 51ª lugar, seguido pela Vale, no 53º.

Grêmio contrata consórcio para fiscalizar obras de construção da Arena

O presidente da Grêmio Empreendimentos, Eduardo Antonini, anunciou nesta quinta-feira a contratação do Consórcio NRPA, formado pelas empresas Naue Planejamento e Ramos Andrade Engenharia, que farão o gerenciamento de todo o processo que envolve a obra da Arena tricolor. Os diretores do Consórcio foram apresentados nesta quinta-feira à direção da OAS e já começam a atuar dentro do canteiro de obras. De acordo com Antonini o foco principal do consórcio será o gerenciamento das questões inerentes ao prazo e à qualidade da obra, além de todas as interfaces, acompanhamento de fornecedores, seus contratos, além de todos os outros aspectos que dizem respeito ao complexo Arena. Seis profissionais terão dedicação exclusiva junto a obra da Arena e têm o compromisso de gerar relatórios mensais de acompanhamento que possam facilitar tomadas de decisões, correções de rumo e até mesmo verificar se os prazos estão sendo cumpridos. Em sete meses, diz o presidente da Grêmio Empreendimentos, já são 18,7% do estádio concluído pela OAS, empreiteira responsável pelo projeto. As duas empresas que farão o gerenciamento da obra da Arena do Grêmio contam com mais de 10 anos de experiência na implementação de grandes obras tanto industriais, obras de geração de energia e na parte de construção civil, a mais recente concluída foi o gerenciamento da fase C da Usina Presidente Médici (chamada Candiota III), entregue em dezembro do ano passado.

Prefeito petista de Esteio faz licitação que só beneficia Real Rodovias

A pequena oposição do município de Esteio, localizado a 20 quilômetros de Porto Alegre, vai acionar o Ministério Público para analisar o edital de licitação para o transporte coletivo de passageiros em Esteio, onde o prefeito do PT, Gilmar Rinaldi parece disposto a prejudicar os micro e pequenos empresários do município, praticamente excluindo-os da disputa. O edital concede estranha maior pontuação para empresas que tenham experiência no transporte de passageiros há mais de 25 anos (em Esteio, só a Real Rodovias possui esse atestado). Os micro e pequenos empresários estão operando há pouco mais de 10 anos. A Real Rodovias é controlada da Nacional Administração e Participação. Na campanha eleitoral do município, a empresa  deu R$ 125 mil para a campanha do petista Gilmar Rinaldi. A empresa era dona da rede de supermercados Nacional, vendida para o grupo Sonae, que por sua vez passou o controle para o grupo Walmart. Depois disso, a Nacional Administração e Participação assumiu o controle da rede de supermercados Rissul.

Pela primeira vez a Brigada Militar gaúcha tem mulheres no posto de tenente-coronel

Pela primeira vez na história, a Brigada Militar promoveu quatro mulheres ao posto de tenente-coronel. As quatro promovidas são as majores Ana Haas, Sílvia Vissot Bitencourt, Janete Consuelo Ferreira e Carmen Andreola. As quatro fizeram parte da primeira turma de oficiais femininas da Brigada Militar, que concluíram o curso em 1986, durante o governo de Jair Soares (Arena) e ingressaram na corporação em 1987, durante o governo de Pedro Simon (PMDB), no posto de segundo-tenente. Elas estão com 25 anos de Brigada Militar. Em mais cinco anos estarão reformadas, no posto máximo de coronel da Brigada Militar.

Câmara de João Pessoa paga R$ 1.579,38 em apenas um almoço no restaurante Sal e Brasa

A diretoria administrativa financeira da Câmara Municipal de João Pessoa pagou R$ 1.579,38 com despesas com refeições para os vereadores em apenas um almoço na Churrascaria Sal e Brasa, localizada no bairro do Bessa, na capital paraibana. De acordo com o empenho de número 0008460, de 20 de agosto de 2010, o almoço teve como finalidade o “fortalecimento das atividades legislativas”. O pagamento foi efetuado no dia 19 de setembro de 2010 na modalidade dispensa do valor e teve como especificação da despesa, material de consumo. Consumo esse que se todos os 21 vereadores estivessem presentes representaria um gasto “por cabeça” R$ 75,20.
A questão é que o rodízio no restaurante Sal e Brasa, de segunda a quinta-feira, custa nos dias atuais R$ 27,90. Já nas sextas-feiras e sábados o valor aumenta R$ 2,00 e fica em R$ 29,90. Só aos domingos e feriados é que o restaurante cobra da clientela o valor de R$ 34,90. Se for levado em consideração que os vereadores não se reuniram para almoçar em um domingo ou feriado para o “fortalecimento das atividades legislativas”, o valor pago por cada parlamentar seria o de R$ 29,90 (Valor cobrado às sextas-feiras). Ou seja, menos da metade do valor pago de acordo com o empenho. Mesmo se for colocado o valor máximo cobrado pela Abn Comércio de Carnes Nobres Ltda, verdadeira razão social do restaurante que tem como nome fantasia Sal e Brasa, a Câmara teria pago mais que o dobro do valor por cada vereador pessoense.
Como não pode ser computada a aquisição de bebidas alcoólicas, cada vereador teria gasto mais de R$ 40,00 no consumo de refrigerantes, sucos e água. Ou seja, teriam gasto mais com líquido do que com carnes nobres. Isso se todos os 21 parlamentares estivessem presentes ao almoço, fato difícil de acontecer, devido a posição política de alguns com relação ao presidente da Casa, Durval Ferreira. A Câmara Municipal de João Pessoa é cliente antiga da churrascaria Sal e Brasa. Em janeiro de 2010 ela gastou R$ 935,11 com despesas de consumo. Já em abril do mesmo ano a CMJP pagou o valor de R$ 390,94, de acordo com o empenho de número 0003484, em refeições.
O intrigante é que um mês e dois dias depois foram gastos os mesmos R$ 390,94 com refeições, de acordo com o empenho de número 0004553. Ou seja, nem um cafezinho a mais foi consumido pelos parlamentares.

Japão anuncia zona de exclusão legal em torno da usina de Fukushima

O governo do Japão decidiu proibir legalmente a entrada de pessoas no raio de 20 quilômetros ao redor da usina nuclear de Fukushima Daiichi, informou nesta quinta-feira o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, durante visita à zona. A proibição passou a vigorar a partir da zero hora desta quinta-feira. Até agora, a administração japonesa recomendava que os moradores da zona evacuassem a área devido ao aumento dos níveis de radiação, mas não exigia isso legalmente. Algumas pessoas, principalmente idosos, ainda permanecem no local, enquanto outros que foram retirados entram e saem da área de exclusão para reaver seus pertences. Apesar da proibição, o governo japonês concederá uma permissão especial de entrada de duas horas a um membro de cada família para recuperar seus pertences, precisou o porta-voz do Executivo, Yukio Edano. As únicas pessoas que não poderão obter esta permissão serão os evacuados em um raio de menos de três quilômetros ao redor da central, acrescentou Edano. Cerca de 80 mil pessoas viviam no raio de 20 quilômetros em torno da central antes do terremoto e do posterior tsunami de 11 de março que danificou seriamente o sistema de resfriamento da usina nuclear. A Tepco (Tokyo Electric Power Company), empresa operadora da central, anunciou no domingo que prevê devolver o resfriamento estável aos reatores de Fukushima em três meses e levá-los ao estado de "parada fria" em um prazo entre seis e nove meses.

Centrais sindicais criticam alta da Selic

As duas principais centrais sindicais do País, as pelêgas Contraf-CUT e Força Sindical, divulgaram nota criticando a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária) de elevar a taxa básica de juros do Brasil em 0,25 ponto percentual, para 12% ao ano. A Força classificou a decisão como "desastrosa" e afirma que o governo caminha na contramão do desenvolvimento econômico com distribuição de renda. "O governo, mais uma vez, atende os interesses do capital especulativo, com uma clara demonstração de que o espírito conservador continua orientando a política monetária", afirma a nota assinada por Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical. Trata-se de mais uma nota burocrática. Há nove anos estes pelêgos não fazem nada mais do que isso, enquanto a dívida interna cresce sem qualquer controle, e aumenta sempre a necessidade de superávits primários maiores para garantia de seu pagamento. Segundo a pelêga Força Sindical, a decisão penaliza os trabalhadores: "Estamos cansados desta disposição do Copom em punir freneticamente o setor produtivo e abençoar o especulativo". Já na análise da Contraf-CUT, a medida compromete o crescimento e a geração de empregos, "apesar de contrariar parcialmente o mercado financeiro, que nas últimas semanas vinha exercendo forte pressão para uma elevação maior da taxa básica de juros". Ou seja, a nota da pelêga petista CUT não pode ser mais condescendente com o governo do PT. Mas a central acusa o BC de ceder "à chantagem do mercado financeiro, que faz terrorismo com o risco inflacionário e com suposto descontrole das contas públicas, mesmo com a redução do ritmo de geração de empregos em março, o que indica desaceleração de importantes setores da economia", afirma no comunicado Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT. É o joguinho de cena necessário para manter o papel.