sábado, 23 de abril de 2011

Michel Temer diz que Gabriel Chalita será candidato à prefeitura de São Paulo pelo PMDB

O deputado federal Gabriel Chalita (PSB-SP) foi convidado a disputar a prefeitura de São Paulo no próximo ano pelo PMDB, segundo o vice-presidente da República, Michel Temer. O assunto foi acertado entre as lideranças do PMDB paulista e nacional. No partido, não há nenhum nome forte para disputar a prefeitura paulistana. Segundo deputado mais votado de São Paulo, Chalita está descontente no PSB, partido no qual ingressou em 2009, vindo do PSDB. Entre os motivos que provocaram o descontentamento de Chalita está o fato do partido não ter lançado sua candidatura ao Senado nas eleições do ano passado. Temer informou que, assim que Chalita aceitar o convite, já poderá se transferir para o PMDB. Isso pode ocorrer a partir de maio. O vice-presidente também chamou Paulo Skaf, presidente da Fiesp, para aderir à legenda. Skaf concorreu no ano passado ao governo paulista também pelo PSB. Os partidos já começam a se preparar para as eleições municipais de 2012. O PCdoB de São Paulo aprovou o nome do vereador e cantor Netinho de Paula como pré-candidato a prefeito de São Paulo. O partido também pretende lançar 83 candidatos para disputar a Câmara Municipal. O PT terá o ex-presidente Lula como puxador de votos para seus candidatos a prefeito no Estado de São Paulo. Lula já avisou que subirá nos palanques dos candidatos do partido às prefeituras do Estado em 2012. Lula defendeu que a capital paulista, onde o PT perdeu as duas últimas eleições, seja tratada como prioridade.

José Eduardo Dutra avisa a aliados que quer deixar comando do PT

O presidente do PT, o "porquinho" José Eduardo Dutra, de 54 anos, avisou a alguns aliados que pretende renunciar ao comando do partido para se dedicar a tratamento de saúde. Licenciado desde 22 de março, ele se comprometeu a dar uma resposta sobre sua situação após a Páscoa. A decisão final, contudo, só será confirmada depois de conversa com a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Dizendo-se preocupado com o estado de saúde do amigo, Lula o visitará na segunda-feira para discutir seu futuro. O "porquinho" José Eduardo Dutra tem dito que não pode bater o martelo sem consultar os dois. Emissários do dirigente, porém, informaram integrantes do governo que, diante do estado clínico, a tendência é que ele deixe o cargo definitivamente. José Eduardo Dutra se afastou temporariamente da presidência do PT depois de uma crise de hipertensão. Durante o tratamento, foi diagnosticado quadro de depressão e problemas de origem neurológica. Desde então, ele passa por uma série de exames no cérebro. A avaliação é que é muito difícil compatibilizar o tratamento com a pesada agenda de trabalho no PT. Tanto Lula quanto Dilma demonstram grande preocupação com José Eduardo Dutra, que coordenou a campanha presidencial de 2010 e ocupou, sob Lula, as presidências da Petrobras e da BR Distribuidora. A presidente, porém, disse a interlocutores que ainda pretende convencê-lo a ficar. No ano passado, José Eduardo Dutra formou junto com os ministros Antonio Palocci (Casa Civil) e José Eduardo Cardozo (Justiça) o trio de ferro da campanha petista, apelidado por Dilma de "três porquinhos". O estatuto do partido prevê afastamento temporário por até 180 dias, mas nem mesmo José Eduardo Dutra tem considerado a hipótese de estender sua licença. Com a renúncia, o Diretório Nacional do PT deve convocar uma nova eleição. Hoje o mais cotado para assumir a vaga é o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). Além de contar com a simpatia de integrantes do Planalto, Humberto é amigo de José Eduardo Dutra e sua escolha não configuraria uma ruptura. Hoje quem dirige a sigla é o deputado estadual Rui Falcão (SP), atual vice-presidente. Como Falcão integra uma corrente minoritária dentro da estrutura do partido, dificilmente ocupará a presidência em caráter definitivo. Independentemente da decisão de José Eduardo Dutra, Dilma terá de definir se abrirá caminho para ele no Senado. Ela cogita nomear para o Ministério da Micro e Pequena Empresa o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), de quem José Eduardo Dutra é suplente.