terça-feira, 31 de maio de 2011

Dilma pressiona para obras da Copa começarem até dezembro

Em reunião com os governadores e prefeitos das 12 cidades-sede da Copa-2014, nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou que serão retiradas do planejamento, feito para o Mundial do Brasil, as obras de mobilidade urbana que não respeitarem o prazo, de serem iniciadas até o fim do ano. Na prática, as cidades-sede podem perder linhas de financiamento e isenções fiscais caso saiam do projeto da Copa. Além disso, correm o risco de ficarem prontas somente após 2014 (ano eleitoral) uma vez que as obras relacionadas ao mundial serão prioridade. "Com isso, todo governador vai querer acelerar a obra", disse o governador de Pernambuco, o neocoronel Eduardo Campos (PSB), que participou da reunião. Segundo Eduardo Campos, ficou decidido que novas reuniões serão feitas a cada três meses, como forma de monitorar o andamento das obras e comparar o desempenho das cidades-sede. Para agilizar as obras, porém, o governo terá de contar com o apoio do Congresso para criar um regime diferenciado de licitação para as obras da Copa-2014. Até agora as tentativas foram frustradas.

Eike Batista prevê adiar IPO de empresa de carvão para segundo trimestre de 2012

O empresário Eike Batista disse na terça-feira que a abertura de capital dos seus ativos de carvão na Colômbia, reunidos numa nova empresa CCX, ficará para o segundo trimestre e não mais para o primeiro de 2012. "As nossas minas estão crescendo e nosso IPO vai se adiando, enquanto estão engordando a gente espera", declarou Eike durante seminário sobre investimentos no Rio de Janeiro. "Se você me perguntar hoje se faria o IPO no ano que vem, a gente está pensando no primeiro trimestre, mas hoje eu diria que não será antes de maio do próximo ano", disse ele . Segundo Eike, a MPX ainda está separando seus ativos de carvão para serem reunidos na CCX, para a qual espera arrecadar até US$ 1,5 bilhão na oferta inicial de ações.

PPS quer investigar repasse de R$ 1 milhão para cunhada de Palocci

A Fundação Feira do Livro de Ribeirão Preto, entidade que tem como vice-presidente uma cunhada do ministro Antonio Palocci (Casa Civil), recebeu, entre 2008 e 2010, R$ 1 milhão do governo federal, de acordo com levantamento feito pelo PPS na Câmara dos Deputados. O PPS anunciou na tarde desta terça-feira que vai pedir cópia de toda a documentação dos convênios firmados entre os ministérios do Turismo e da Cultura e a Fundação Feira do Livro de Ribeirão Preto. A entidade tem como vice-presidente Heliana da Silva Palocci. Ela é mulher de um irmão de Palocci. Do total repassado, R$ 550 mil vieram de convênios cujos recursos foram garantidos por meio de duas emendas apresentadas pelo então deputado federal Antônio Palocci (PT-SP) em 2008 e 2009. Palocci apresentou emenda de R$ 250 mil ao Orçamento 2009, indicando como beneficiária a Fundação Feira do Livro de Ribeirão Preto. Outra emenda, no valor de R$ 300 mil, foi apresentada na lei orçamentária do ano seguinte. A Lei de Diretrizes Orçamentárias veda a destinação de recursos a entidades privadas dirigidas por parentes de agentes políticos dos três Poderes, mas não prevê sanções para quem desrespeita a regra. As emendas de Palocci foram pagas pelo Ministério do Turismo, que firmou convênios com a entidade para promover edições da Feira do Livro de Ribeirão Preto, município paulista onde o ministro começou a carreira política.

Governo não tem pressa de vender café de 2009

Não há uma data para o governo brasileiro iniciar as vendas do café comprado em 2009 por meio de contratos de opções, afirmou nesta terça-feira o secretário de Produção e Bionergia do Ministério da Agricultura, Manoel Bertone. "A gente não tem pressa", declarou Bertone, antes do 4º Fórum & Coffee Dinner, promovido pelo Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). O café de 2009, em um volume de 1,55 milhão de sacas, é considerado de ótima qualidade, assegurou Bertone, e poderia dar algum alívio para um mercado com escassez de bons produtos. De qualquer forma, o secretário observou que o café será vendido no momento mais oportuno. "Vamos colocar no mercado, não vamos ficar guardando café", comentou, referindo-se a uma estratégia utilizada em governos anteriores. Questionado se o governo aguardaria melhores preços para vender o café, Bertone indicou que esse não é o objetivo. Ele disse somente que a política governamental visa estabilizar o mercado. O Brasil está iniciando atualmente a colheita de café arábica nas principais regiões produtoras. "A lógica é nós colocarmos volumes modestos para vendas ao longo da safra, no auge vai ser volume menor", comentou ele sobre a intenção do governo, que normalmente evita vender produtos de seus estoques durante a safra para não pressionar os preços. Embora não exista uma decisão sobre a venda do café de 2009, quando o governo entrou no mercado para sustentar os preços, que estavam pressionados, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) tem feito leilões de venda de cafés mais antigos dos estoques públicos. Porém, com preços considerados altos pelo mercado, os pequenos volumes ofertados nos leilões da estatal têm tido pequena procura. Desde janeiro, o governo comercializou cerca de 40 mil sacas de seu café. O governo tem ainda em seus estoques, além das 1,55 milhão de sacas das opções de 2009, 90 mil sacas das compras feitas na safra 2002/2003 e 450 mil sacas de grãos da década de 80. "Esse café mais antigo, estamos colocando à venda toda a semana", lembrou. "Mas não estamos colocando barato", admitiu. Os cafés da década de 80 estão sendo ofertados a R$ 220,00 por saca, enquanto o café de 2002/03 sai por R$ 400,00. No mercado, o café de boa qualidade está sendo cotado em torno de R$ 500,00 por saca.

Garotinho ameaça de novo, "Ou vota a PEC 300, ou o Palocci vem aqui"

O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) voltou a ameaçar o governo da petista Dilma Rousseff nesta terça-feira com a convocação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) para prestar esclarecimentos no Congresso. Em plenário, o parlamentar defendeu que a Câmara vote a PEC (proposta de emenda constitucional) 300, que define piso salarial mínimo para policiais e bombeiros em todo o Brasil. "O momento político é esse. Temos uma pedra preciosa, um diamante que custa R$ 20 milhões, que se chama Antonio Palocci", disse o deputado, na instalação da Frente Parlamentar de Defesa da PEC 300. "A bancada evangélica pressionou e o governo retirou o kit gay. Vamos ver agora quem é da bancada da polícia. Ou vota, ou o Palocci vem aqui". Palocci estava na mira dos religiosos como uma "moeda de troca" na disputa contra o ministro da Educação, Fernando Haddad, que prometia a distribuição do kit gay. O kit, composto por vídeos e cartilhas educativas sobre homossexualidade que seria distribuído pelo Ministério da Educação, foi vetado pelo governo após o protestos da bancada religiosa.

Lula chega a Cuba para se reunir com ditador Raúl Castro

O ex-presidente Lula chegou nesta terça-feira a Cuba para se reunir com o ditador genocida Raúl Castro, em uma viagem que também o levará para a Venezuela. Lula, que chegou em um "vôo charter" procedente das Bahamas, e foi recebido no Aeroporto Internacional José Martí pelo chanceler cubano, Bruno Rodríguez. "Vôo charter" é um eufemismo para designar jatinho fretado, ou emprestado. Quem pagou o jatinho para a viagem de Lula a Cuba? Se não foi fretado, quem emprestou o jatinho para Lula se reunir com o ditador genocida? Em sua primeira viagem a Cuba depois de deixar a presidência há cinco meses, Lula "participará de um encontro de trabalho" com Raúl Castro e "visitará lugares de interesse econômico", informou nesta terça-feira o jornal oficial Granma. "Lugares de interesse econômico?!!!!" O que significa isso? Lula está fazendo investimentos? Lula representa investidores? Segundo informes de Brasília, não se descarta a possibilidade de ele também visitar seu amigo, o genocidafundador Fidel Castro, que o recebeu em duas ocasiões durante sua convalescência de uma grave doença que o obrigou a se afastar do poder em julho de 2006. Lula sairá de Havana na metade da manhã desta quinta-feira e prosseguirá sua viagem para a Venezuela, onde se reunirá com o outro ditador, o caricato Hugo Chávez. Lula deve visitar as obras de ampliação e modernização do porto de Mariel, a 50 quilômetros a oeste de Havana, cujos trabalhos são realizados a partir de um empréstimo de 300 milhões de dólares concedido pelo Brasil, sob seu mandato, para se tornar no mais importante de Cuba, em substituição ao de Havana. Lula anda se articulando com todos os ditadores latino-americanos, no âmbito do Foro de São Paulo, fundado por ele mesmo.

Vargas Llosa ataca jornal peruano que publica suas colunas

O prêmio Nobel de Literatura, Mario Vargas Llosa, anunciou nesta terça-feira que não quer que sua coluna "Pedra de Toque" seja publicada no jornal peruano El Comercio, que acusou de ter se tornado uma "máquina de propaganda" da "candidatura da direitista Keiko Fujimori". Em uma carta enviada ao El Comercio, Vargas Llosa denuncia que "o jornal se tornou uma máquina de propaganda de Keiko Fujimori que, em seu afã de impedir por todos os meios a vitória de Ollanta Humala, viola as mais elementares noções de objetividade e de ética jornalísticas". "Silencia e manipula a informação, deforma os fatos, abre suas páginas às mentiras e calúnias que possam danificar o adversário, enquanto em todo o grupo de comunicação (que possui) demite ou intimida os jornalistas independentes", disse ele. "Não posso permitir que minha coluna 'Pedra de Toque' continue sendo publicada nessa caricatura do que deve ser um órgão de expressão genuinamente livre, pluralista e democrático", enfatizou, ao pedir ao diário esquerdista espanhol El País que deixe de enviar suas colaborações ao El Comercio, jornal mais antigo do Peru. É incrível o tamanho do erro político de Mario Vargas Llosa, e ainda mais espantoso como seu discurso liberal logo se trasveste de esquerdismo vulgar e passa a apoiar a candidatura de um esquerdopata vulgar, seguidor do ditador da Venezuela, o caricato Hugo Chavez. A Corporação El Comercio é proprietária dos jornais El Comercio, Perú21, Gestión, Trome, Depor, assim como do Canal N de televisão a cabo. Além disso, é acionista majoritária da América TV, canal mais importante do Peru.

Partido Comunista chileno apresenta ação para investigar morte de Neruda

O Partido Comunista chileno pediu para investigar a morte do prêmio Nobel Pablo Neruda em 1973, ocorrida dias depois do golpe de Estado que instalou a ditadura de Augusto Pinochet, após a denúncia de um assessor de que teria se tratado de um assassinato, e não de câncer, que foi a versão oficial. A ação do Partido Comunista foi apresentada ao juiz Mario Carroza, o mesmo que investiga as causas da morte do ex-presidente Salvador Allende, com base em recentes declarações de um colaborador de Neruda e de um diplomata. Neruda morreu em 23 de setembro de 1973 em uma clínica de Santiago por um câncer de próstata, segundo a versão oficial, 12 dias depois do golpe de Estado que derrubou e provocou a morte de Allende, um dos grandes amigos do poeta. O motorista de Neruda, Manuel Araya, denunciou recentemente que este foi assassinado através de uma injeção no estômago às vésperas de sua viagem para o exílio no México, onde pensava se tornar um relevante opositor da ditadura de Pinochet. Ao depoimento de Araya soma-se a declaração feita neste fim de semana a um veículo da imprensa mexicana pelo ex-embaixador desse país no Chile, Gonzalo Martínez, que esteve com Neruda no dia anterior a sua morte. O advogado Eduardo Contreras, que apresentou a ação em nome do PC, destacou nesta terça-feira as declarações de Martínez. Segundo Contreras, o diplomata afirma que o poeta "podia conversar tranquilamente, caminhou pelo quarto, trocaram opiniões políticas, descreveu quais objetos pessoais queria levar em sua viagem ao México, expressou dúvidas em relação a deixar o país, pois disse que queria dividir o futuro com o povo". "Essas conjecturas, argumentações e depoimentos obrigam ética, moral e judicialmente a apresentar essa ação, porque sem dúvida Neruda no exílio teria sido algo muito difícil para a ditadura", explicou Contreras.

Senado aprova plebiscito sobre criação do Estado de Tapajós

O Senado aprovou nesta terça-feira a realização de plebiscito no Pará para questionar a população sobre a criação do Estado de Tapajós. A Câmara já havia aprovado a realização de dois plebiscitos para a criação dos Estados de Tapajós e Carajás, mas o primeiro ainda precisava do aval do Senado. Com a decisão, a expectativa é que os dois sejam realizados simultaneamente no Pará, que corre o risco de ser dividido em três Estados. A votação foi simbólica, sem o registro nominal dos votos dos senadores. Pelo texto, o plebiscito deve ser realizado em no máximo seis meses pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará. De acordo com os projetos, Carajás ficará no sul e no sudeste do Pará. Tapajós ficará a oeste do Estado. Se a divisão chegar a ser confirmada nas urnas, Carajás terá 39 municípios e 1,5 milhão de habitantes; Tapajós, 27 municípios e 1,7 milhão de habitantes. O novo Estado do Pará ficaria com 78 municípios e 2,9 milhões de habitantes.

Governo quer maior atuação do Banco do Brasil nas classes de baixa renda

O governo espera do Banco do Brasil, como novo parceiro dos Correios no Banco Postal, atuação mais forte nas classes de baixa renda, maior penetração do interior do país e integração com os programas sociais do governo federal. O ministro das Comunicações, o petista Paulo Bernardo, afirmou que a presidente Dilma Rousseff se surpreendeu com o resultado do leilão, mas está "satisfeita". "Dilma ficou surpresa, achou que Bradesco ia cobrir qualquer proposta", disse Bernardo. Segundo o ministro, o Banco do Brasil passará agora a estar em todos os municípios, e espera dele um aumento da "bancarização" no País. Para isso, o banco deverá criar "novos mecanismos" para atrair a baixa renda. Como exemplos, Paulo Bernardo citou a possível criação de linhas de microcrédito, de cartão de crédito, e de maior participação do Banco Postal com programas sociais do governo federal. Sobre o valor do lance, de R$ 2,3 bilhões, o ministro afirmou que mostra o valor de mercado de uma parceria com os Correios, que apesar dos seus sérios problemas de gestão, é uma "jóia" do Estado. Em 2002, quando foi assinado o contrato entre Bradesco e Correios para o início do Banco Postal, o valor do contrato foi de R$ 200 milhões.

Médico diz que Amy Winehouse vai morrer se não parar de beber

Os médicos da cantora inglesa Amy Winehouse, de 27 anos, deram a ela um ultimato. Segundo o tabloide inglês "The Sun", a equipe médica disse que, se não parar de beber, a cantora vai morrer. Uma fonte assegurou que os médicos da clínica de reabilitação The Priory, onde Winehouse está internada, estão sendo duros com ela: "É a última chance para Amy. Os médicos estão sendo bem duros com ela por causa da gravidade da situação. A realidade é cruel mas ela tinha que ouvir". Segundo a fonte, o aviso foi feito na presença do pai da cantora e seu namorado, Reg Traviss: "Eles estão preocupados com ela. Mitch já passou por isso antes com Amy. Mas desta vez ela se internou por vontade própria e quer melhorar". A cantora já foi internada na mesma clínica várias vezes entre 2007 e 2009 por causa de seu vício em drogas.

Setor privado poderá ter 51% de Cumbica e mais dois aeroportos

O governo anunciará ainda nesta terça-feira o modelo de concessão para os aeroportos de Guarulhos, Brasília e Viracopos. Esse modelo se destina à "gestão, operação e reformas" nessas unidades para atender o aumento de demanda devido ao crescimento econômico, à Copa do Mundo de 2014 e Olímpiadas de 2016. É tudo lorota petista para justificar as privatizações de estatais que o partido e seu governo passarão a realizar. A concessão se dará por meio de uma "parceria" entre Infraero, estatal que administra os principais aeroportos do País, e o setor privado. A divisão da parceria, segundo os últimos estudos, deve ficar em 49% para a Infraero, no limite, e 51% para o setor privado.

Eike Batista prevê receita de US$ 60 bilhões com exportação de óleo até 2020

O empresário Eike Batista disse nesta terça-feira que sua empresa de petróleo, a OGX, vai gerar divisas de até US$ 40 bilhões em exportações já em 2015. Cinco anos depois, as vendas de petróleo para outros países vão gerar US$ 60 bilhões, acrescentou o executivo. "A maior parte disso será revertido para o Rio de Janeiro. Grande parte do petróleo que encontramos está aqui no Rio de Janeiro", afirmou ele, durante o seminário Rio Investors Day. Sobre seus investimentos em petróleo, Eike Batista ressaltou que não pretende se desfazer de seus ativos no Brasil, classificados por ele como um "filé mignon". "Encaramos os riscos sozinhos na exploração. Quem quiser chegar, tem que pagar caro", salientou Paulo Mendonça, presidente da OGX. Eike Batista criticou as condições de portos e aeroportos brasileiros. Para ele, as condições ruins de ambos são "análogas". Segundo o executivo, navios que vêm de fora nos portos brasileiros ficam dias esperando para atracar. Um contêiner chega a esperar 60 dias para ser embarcado, comentou. Por isso, destacou os investimentos que vêm fazendo em logística, em especial o Complexo do Açu, que engloba portos, siderúrgicas e termelétricas, entre outros empreendimentos. Eike Batista disse que está "desarbitrando" algumas das ineficiências do Brasil. "Vamos fazer revolução logística industrial. Só nós colocamos mais de US$ 40 bilhões. Se computar os outros investidores, são mais US$ 80 bilhões", observou, ao comentar o projeto que está sendo erguido no norte do Rio de Janeiro.

População dá nota 4,55 à Justiça brasileira

Um estudo divulgado nesta terça-feira pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o Ibope do governo petista, mostra que, de 0 a 10, a população dá nota 4,55 à Justiça brasileira. O segmento do sistema de Justiça pior avaliado é a Polícia Civil, segundo o levantamento. Em uma escala de 0 a 4, as pessoas ouvidas deram nota 1,81. "O contato da população com as polícias civis é diário, próximo, o que afeta a percepção, mas o estudo levanta a questão sobre o inquérito policial. Será que ele não é muito burocrático e dificulta a ação da Justiça?", questionou Fábio de Sá e Silva, técnico de planejamento e pesquisa e Chefe de Gabinete da Presidência do Ipea. A melhor nota, 2,2, foi dada à Polícia Federal e à Promotoria. "Na teoria da opinião pública, existe a idéia de que a exposição midiática favorece uma avaliação positiva e talvez a cobertura das operações da Polícia Federal tenha influenciado o resultado", disse Silva. Os juízes receberam nota 2,14, os defensores públicos 2,04 e os advogados, 1,96. Isso é o que se pode chamar de pesquisa fajuta.

Vaccarezza minimiza crise com PMDB e diz que nada abalará base

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), minimizou nesta terça-feira a crise política entre PT e PMDB e afirmou que "nada afetará" a coalizão entre os partidos que compõem a base do governo da presidente Dilma Rousseff. "Se depender de mim, do Henrique Eduardo Alves (líder do PMDB na Casa) e dos demais líderes da Câmara, a crise está resolvida. Se é que a gente pode chamar de crise", disse Vaccarezza ao chegar ao apartamento do deputado Waldir Maranhão (PP-MA) para reunião dos líderes da base na Câmara com o ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio. "Temos uma grande aliança e uma grande coalizão. Nada afetará a coalizão entre o PT, o PMDB e os demais partidos da base", acrescentou. A votação da reforma do Código Florestal abriu um atrito entre petistas e peemedebistas. Deputados do PMDB propuseram e patrocinaram uma emenda que contrariava os interesses do Palácio do Planalto e conseguiram derrotar o governo na votação da matéria no plenário da Câmara. Os ânimos se acirraram quando, segundo relatos, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, ameaçou, em conversa com o vice-presidente Michel Temer, que é do PMDB, demitir os ministros peemedebistas se o partido não acompanhasse o governo na votação.

Governo modifica linhas de financiamento para agropecuária

O governo decidiu mudar as linhas de financiamento para produtores rurais. Entre as principais mudanças, está a ampliação de R$ 200 mil para R$ 300 mil no limite de financiamento para a realização de investimentos. Também foi criada uma linha de crédito para a compra de gado reprodutor e búfalos. Essa linha foi fixada em R$ 750 mil. O governo decidiu ainda fixar um limite de crédito para todos os agricultores em R$ 650 mil. Antes, o limite era de R$ 200 mil. De acordo com o Ministério da Agricultura, com essa nova regra, a obtenção do financiamento deixa de ser dada para um determinado alimento e passa a ser dada diretamente ao agricultor. Todas essas mudanças vão fazer parte do plano safra 2011/2012, que será divulgado em junho pelo governo, mas elas foram adiantadas nesta terça-feira pelos Ministérios da Agricultura, Fazenda e Desenvolvimento Agrário. As modificações passam a valer a partir de 1º de julho. Outra mudança anunciada foi em relação a uma linha de financiamento especifica para a fundação e renovação das lavouras de cana-de-açúcar. O crédito para esses agricultores passou de R$ 200 mil para R$ 1 milhão. O objetivo dessa linha é financiar uma maior produção de cana-de-açúcar para o etanol. O ministério da Agricultura também decidiu reajustar as linhas Procap-Agro (Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias) e Prodecoop (Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção). De acordo com José Carlos Vaz, secretário de política econômica do Ministério da Agricultura, essas linhas foram modificadas para atender a demandas do setor. Elas foram criadas durante a crise de 2008 para auxiliar o agricultor a conseguir crédito.

Marina Silva cobra empenho do governo por Código Florestal

A ex-senadora e ex-ministra Marina Silva (PV) cobrou nesta terça-feira mais empenho do governo nas negociações para as mudanças na reforma do Código Florestal. Segundo Marina Silva, uma política florestal só é possível com apoio do governo. A ex-ministra afirmou que é preciso apresentar contrapartidas ao agronegócio. "Nós precisamos de uma política florestal que só é possível com apoio do governo. O governo pode criar incentivos econômicos, pode estabelecer pagamentos por serviços ambientais, o crédito para recuperar as áreas degradadas, a tecnologia para aumentar produção por ganho de produtividade e não por desmatamento", disse ela, contumaz inimiga da produção primária. Após encontro com senadores ligados à área ambiental, Marina Silva afirmou que o Senado tem a chance de reverter o trabalho da Câmara que transformou o Código Florestal em um código agrário. O primeiro grande engano é chamar esse projeto de Código Florestal, quando se trata de um código ambiental. Além disso, mais de 60% do território brasileiro é constituído de florestas. Ela voltou a criticar pontos da proposta, com a isenção da reserva legal para as propriedades com até quatro módulos fiscais. "A dispensa da reserva legal em até quatro módulos vai fazer com que deixemos de recuperar mais de 70 milhões de hectares de área já degradada, já desmatada, e promova ainda o desmatamento em mais 70 milhões de hectares", afirmou a política, que endossa os discursos terroristas do onguismo ambiental internacional, interessado em matar a produção rural brasileira.

Sarney recua e mantém imagem de impeachment de Collor no Túnel do Tempo do Senado

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recuou nesta terça-feira da decisão de excluir o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL), do corredor "túnel do tempo" da Casa, painéis com imagens que contam os principais fatos históricos da instituição. Sarney chegou a classificar o impeachment de "acidente", na segunda-feira, mas recuou um dia depois diante da repercussão negativa da retirada. "Acabo de determinar à seção competente do Senado, sua administração, que faça constar na referida exposição o impeachment do presidente Collor, uma vez que nós não temos nada para esconder nesta Casa", disse o senador. Em vídeo postado no blog do Senado, Sarney afirma que não era o curador da exposição de fotos que integram os painéis, por isso não foi sua responsabilidade excluir o impeachment do local. A galeria, com 16 painéis, fica em um corredor entre os gabinetes dos senadores e o plenário. É um dos lugares mais visitados da Casa.

Governo do Paraná cancela aposentadorias para quatro ex-governadores

Foram canceladas nesta terça-feira as aposentadorias vitalícias para quatro ex-governadores do Paraná. Os depósitos de R$ 24 mil que deveriam entrar nesta terça-feira nas contas de Roberto Requião (PMDB), Orlando Pessuti (PMDB), Jaime Lerner e Mário Pereira foram suspensos pelo governo estadual. Em março, o governador Beto Richa (PSDB) havia anunciado o fim do pagamento do subsídio vitalício, com base em um parecer da Procuradoria-Geral do Estado, mas os ex-governadores recorreram e continuaram recebendo os R$ 24 mil até seus recursos serem julgados, o que ocorreu na semana passada. Agora, para reaver o subsídio, os ex-governadores podem recorrer à Justiça. Todos já confirmaram que deverão fazê-lo. O atual senador Roberto Requião já havia conseguido uma liminar na Justiça para manter o benefício. Os advogados do parlamentar confirmaram que irão acionar novamente a Justiça, por considerarem a suspensão "arbitrária" e "ilegal". Segundo a defesa do ex-governador, é "absurda" a possibilidade de um ato normativo do governador anular a Constituição Estadual, que prevê a concessão do benefício.

Em jantar, Requião anuncia que assinará pedido de CPI contra Palocci

Em jantar com o vice-presidente Michel Temer, na noite de segunda-feira, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) anunciou que vai assinar o pedido de instalação de CPI no Congresso para investigar a evolução patrimonial do ministro Antônio Palocci (Casa Civil). Apesar de Temer ter conseguido convencer outros "dissidentes" da bancada do PMDB no Senado a não assinarem de imediato a CPI, Requião disse que vai aderir ao pedido de investigações. Segundo relatos de participantes do jantar, os outros integrantes do chamado G8 (grupo de oito senadores peemedebistas "independentes" no Senado) prometeram esperar as explicações públicas de Palocci antes de assinarem a CPI. Mas não descartaram a possibilidade de aderirem à comissão. "O Requião é o único que talvez assine antes do resultado das investigações. Estamos ponderando com ele para ver se aguarda as explicações encaminhadas pelo ministro à Procuradoria Geral da República", disse o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Além de Requião, os senadores Pedro Simon (PMDB-RS), Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC), Casildo Maldaner (PMDB-SC), Waldemir Moka (PMDB-MS), Eduardo Braga (PMDB-AM), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Ricardo Ferraço (PMDB-ES) integram o chamado "G8" peemedebista no Senado. Alinhado com a oposição, Jarbas já assinou o requerimento de instalação da CPI. Simon, o "franciscano", que prometeu esta semana pedir o afastamento do ministro em discurso na tribuna do Senado, disse durante o jantar que vai esperar as explicações de Palocci antes de tomar sua decisão sobre a comissão parlamentar de inquérito.

Vale quer intensificar investimentos no setor de fertilizantes

A Vale pretende intensificar os investimentos no setor de fertilizantes. O diretor de relações com investidores da companhia, Guilherme Cavalcante, disse nesta terça-feira que a demanda continuará em alta com a expansão econômica do País. "É um setor no qual estamos apostando e, no longo prazo, vamos continuar investindo", afirmou, durante o seminário Rio Investors Day. Cavalcante avaliou que realizar uma oferta pública de ações não é um "fator crítico" para a Vale Fertilizantes captar recursos. Segundo ele, a possibilidade do IPO (oferta pública inicial) ainda está sendo avaliada, e não há qualquer decisão tomada. Em debate para uma platéia formada por empresários e investidores, o executivo procurou sinalizar que a Vale terá uma atuação independente e sem interferência governamental na gestão do novo presidente, Murilo Ferreira. Ele admitiu que a mudança na presidência da mineradora causou desconfiança entre investidores e foi decisiva na recente queda no valor das ações.

Gerdau intensifica produção de minério e mira autossuficiência

A Gerdau quer intensificar os investimentos em mineração para comercializar a produção excedente para terceiros. A companhia iniciou estudos para avaliar a melhor forma de ampliar essa produção, inclusive a necessidade de parceiros. Espera-se que haja uma definição sobre o melhor modelo em prazo de seis a nove meses. A siderúrgica calcula que poderá atingir a autossuficiência já em 2012, ou seja, produzirá minério de ferro suficiente para sua principal atividade, que é a venda de aço. "Pretendemos minerar mais e monetizar (comercializar para terceiros) o excedente da produção", afirmou o vice presidente executivo de finanças, Osvaldo Schirmer, durante o seminário Rio Investors Day. A principal perspectiva para aumentar a produção de minério de ferro é a região do Quadrilátero Ferrífero mineiro, onde a empresa tem uma usina siderúrgica na cidade de Ouro Branco. A estimativa é que a produção total de minério chegue a 7,5 milhões de toneladas no ano que vem. As reservas totais da Gerdau chegam a 3 bilhões de toneladas.

Patrocinadores já mostram preocupação com escândalos da Fifa

Ao mesmo tempo em que a Federação Inglesa de Futebol pediu o adiamento das eleições desta quarta-feira, na qual o atual presidente Joseph Blatter é o único candidato, patrocinadores da Fifa mostraram nesta terça-feira preocupação em relação aos escândalos que sacudiram a entidade. "As atuais alegações que estão sendo feitas são angustiantes e ruins para o esporte", afirmou o porta-voz da Coca-Cola, Petro Kacur. "Nós temos todas as expectativas de que a Fifa resolva a situação de maneira rápida e clara", completou. Já empresa alemã de artigos esportivos Adidas teme pela imagem do futebol, declarou nesta terça-feira um porta-voz, referindo-se ao escândalo de corrupção na Fifa em plena eleição para presidente da entidade. "As acusações repetidas de corrupção não são boas nem para a imagem do futebol nem para a própria Fifa", comentou nesta terça-feira a mesma fonte. A empresa americana de cartões de crédito Visa, também patrocinadora da entidade, destacou que "a situação atual claramente não está boa para o esporte e pedimos que a Fifa tome os passos necessários para resolver a preocupação que surgiu". Já a companhia aérea Emirates mostrou-se "decepcionada" com as suspeitas de corrupção. A Fifa entrou em crise há mais de uma semana, quando acusações cruzadas de corrupção atingiram os mais altos dirigentes da entidades. Dois membros do comitê executivo da organização internacional foram suspensos no último fim de semana, entre eles Mohamed Bin Hamman (Qatar), que retirou sua candidatura para a eleição presidencial enquanto estava sendo investigado por fraude eleitoral. Bin Hammam era o único candidato a disputar o pleito contra o atual presidente Joseph Blatter, que deve ser confirmado para o quarto mandato no congresso eletivo da Fifa, que acontecerá nesta quarta-feira. A ONG Transparência Internacional, que luta contra a corrupção, pediu para que as eleições presidenciais da Fifa sejam adiadas.

Ricos consideram a Justiça mais rápida, indica pesquisa

Os cidadãos mais ricos são os que consideram a Justiça mais rápida, de acordo com a segunda parte de estudo que reúne indicadores de percepção social em relação à Justiça, divulgado nesta terça-feira pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Em uma escala de 0 a 4, em que 4 significa a melhor colocação, os cidadãos que ganham mais de 20 salários mínimos deram a maior nota no quesito rapidez: 1,96. Apesar de estar longe de um desempenho satisfatório, essa é a melhor nota obtida em relação a todos os quesitos analisados pela pesquisa (rapidez, acesso, custo, decisões justas, honestidade e imparcialidade). Os itens tiveram classificação entre mal (1) e regular (2) em todos os recortes sociodemográficos do estudo. "Esses achados confirmam a conclusão de que a população brasileira apresenta uma avaliação bastante crítica e generalizada sobre a Justiça", destaca o estudo. Quando se consideram todos os quesitos, no entanto, o item rapidez obtém a pior classificação de todas as variáveis da pesquisa. Cidadãos com formação superior incompleta, completa ou com pós-graduação acham que a Justiça brasileira está mal (1,01) nesse quesito. Os cidadãos com mais de 65 anos têm as avaliações mais otimistas em quesitos éticos, como a honestidade e a imparcialidade. Eles deram as notas mais altas nesses dois itens: 1,39 e 1,41, respectivamente. A pior avaliação para honestidade (1,05) partiu dos cidadãos com renda de 5 a 10 salários mínimos. Os mais pessimistas em relação à imparcialidade são aqueles com ensino médio completo ou incompleto (1,08). Os cidadãos que mais sentem os custos da Justiça são os negros, que deram a pior nota nesse quesito (1,32). Já os moradores da região Sul são os que menos se incomodam com esse fator (nota 1,55).

Palocci disse ter recebido R$ 1 milhão com fusão, afirma Suplicy

O ministro Antônio Palocci (Casa Civil) relatou a senadores petistas ter ganho R$ 1 milhão em apenas um projeto de consultoria da empresa Projeto, em um processo de fusão. Segundo o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), o ministro disse que os ganhos por projeto da Projeto poderiam chegar até a R$ 2 milhões ou R$ 3 milhões se Palocci tivesse mantido a empresa ativa, antes de retornar ao primeiro escalão do governo como chefe da Casa Civil. "Em um processo ele ganhou R$ 1 milhão, mas ele disse que os ganhos poderiam ser maiores com o tempo. Mas como se tornou ministro, fechou a empresa", disse Suplicy. Segundo o petista, Palocci relatou aos senadores do PT que a empresa Projeto realizava três tipos de atividades: palestras, consultorias para empresas ou instituições em aplicações no mercado financeiro e assessoria para empresas em processos de fusão. Palocci chegou a realizar palestra em uma empresa pública para "200 ou 300" pessoas, de acordo com Suplicy, mas o ministro disse que não cobrou nada no evento para não ferir os "princípios éticos"da administração federal. Em outro caso, o senador disse que o ex-ministro da Fazenda recomendou a uma empresa não realizar "aplicação de risco" em derivativos financeiros. As declarações foram feitas durante almoço, na semana passada, da bancada do PT no Senado com Palocci e a presidente Dilma Rousseff.

Arqueólogos encontram estátua de faraó avô de Tutancâmon

Escavações em um templo funerário do faraó Amenhotep 3º (1352-1390 a.C.), pai de Aquenaton e avô de Tutancâmon, levaram à descobera de uma gigantesca estátua do monarca na margem ocidental em Luxor, no sul do Egito. A peça, anunciada nesta terça-feira pelo Ministério de Estado para as Antiguidades, representa o rei sentado e vestido com coroa e barba. Os arqueólogos encontraram o corpo do faraó separado de sua cabeça em um dos corredores do templo, destruído por um terremoto no período romano. Na mesma região foram descobertas 160 peças que compõem um quadro compacto de nove metros de altura. Nele, há 25 linhas de um texto escrito em hieróglifo e nomes de templos construídos pelo faraó Amenhotep 3º.

Pastoral da Terra diz que região da Amazônia é o "faroeste brasileiro"

A região onde fazem divisa os Estados do Amazonas, Rondônia e Acre se tornou um "faroeste brasileiro", onde grileiros e pistoleiros se aproveitam da ausência estatal para agir impunemente, segundo a Comissão Pastoral da Terra da Igreja Católica. É nessa área que o governo federal estuda criar uma Alap (Área sob Limitação Administrativa Provisória) após a morte de quatro lideranças agrárias na última semana. A situação é mais crítica no sul do município amazonense de Lábrea (cidade localizada a 880 quilômetros de Manaus). Desde 2006, quatro líderes de assentamentos do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) foram assassinados no local. Outros dez líderes comunitários da região estão ameaçadas de morte. "O sul de Lábrea se tornou um faroeste brasileiro. Se você denuncia, você é morto", afirma Marta Cunha, coordenadora da Comissão Pastoral da Terra.

Banqueiro egípcio é acusado de abuso sexual a faxineira de hotel em Nova York

A polícia americana prendeu na segunda-feira um empresário e ex-presidente de um banco egípcio acusado de abusar sexualmente de uma faxineira de um luxuoso hotel de Nova York. Mahmud Abdel Salam Omar, de 74 anos, ex-diretor do Banco de Alexandria e agora presidente da El-Mex Salines Company, a maior produtora de sal no Egito e Oriente Médio, foi preso logo após a vítima ter feito a denúncia. A faxineira, uma mulher negra de 44 anos, disse ter sido chamada para levar lençóis ao quarto do ex-banqueiro no Hotel Pierre, em Manhattan, no último domingo. No local, Omar teria agarrado a faxineira e a tocado de maneira inapropriada, impedindo que deixasse o quarto. Omar foi preso, acusado de assédio e abuso sexual, entre outros crimes. Ele passou a noite em uma delegacia e foi transferido na manhã desta terça-feira a uma detenção perto da corte de Manhattan. Omar já foi presidente do Banco Egípcio-Americano e da Federação dos Bancos Egípcios.

Gerdau investirá R$ 645 milhões em Pindamonhangaba

A Gerdau anunciou nesta terça-feira investimento da ordem de R$ 645 milhões em Pindamonhangaba. O aporte prevê R$ 327 milhões destinados à implantação de um novo laminador e R$ 318 milhões para uma nova fábrica que produzirá materiais para construção civil. O investimento da siderúrgica irá gerar 1.808 novos empregos diretos e indiretos na cidade, sendo 485 deles na fase de obras. "Antes de escolher a cidade, a diretoria da empresa analisou diversas possibilidades em outros municípios, porém as condições encontradas em Pindamonhangaba são as melhores", afirma a nota. O anúncio da Gerdau acontece em um momento de retomada nos investimentos em siderurgia no País, apesar do excesso de capacidade vivida pelo setor. A Usiminas inaugurou há uma semana e meia uma segunda linha de produção de aço galvanizado em Minas Gerais, em um investimento de R$ 914 milhões. E em meados do ano passado a companhia Siderúrgica do Atlântico, uma parceria da ThyssenKrupp com a Vale, começou a operar comercialmente, produzindo chapas de aço para exportação. O investimento em Pindamonhangaba faz parte de um pacote de gastos de R$ 1,3 bilhão que a Gerdau reservou para aumento de capacidade no Brasil e nos Estados Unidos, para atender à demanda dos setores de construção civil e automotivo. Para o Brasil, a empresa vai destinar R$ 718 milhões do total no Estado de São Paulo até 2013. O pacote envolve, além das obras em Pindamonhangaba, melhorias na planta de Araçariguama. No primeiro trimestre, a área de aços especiais da Gerdau registrou alta de 22% no faturamento, sendo responsável por 15% das vendas de 4,71 milhões de toneladas de aço do grupo.

Grupo espanhol firma parceria com MPX, de Eike, para construção de usinas

O grupo espanhol Duro Felguera anunciou nesta terça-feira que construirá duas usinas termelétricas no Brasil, no Maranhão, por meio de joint-venture com a MPX, braço de energia elétrica do grupo EBX, do empresário Eike Batista. O investimento previsto é de 114 milhões de euros. A companhia afirmou que o acordo permitirá a entrada do grupo espanhol na área de geração de energia no Brasil, onde recentemente instalou dois terminais marítimos para transferência de gás natural para a Petrobras e onde "estão previstos importantes investimentos no setor de energia nos próximos anos".

Banco do Brasil desbanca Bradesco e vence leilão para Banco Postal

O Banco do Brasil venceu leilão para ser parceiro dos Correios no Banco Postal, com um lance de R$ 2,3 bilhões. O banco terá direito de atuar, inicialmente, em 6.195 agências postais a partir de 2 de janeiro de 2012. Há dez anos, desde sua criação, o Banco Postal é comandado pelo Bradesco. Pela primeira vez outra instituição bancária cuidará desse negócio, que em 2010 apresentou um lucro de R$ 820 milhões. O leilão aconteceu em 12 rodadas, com Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Caixa Econômica no páreo. Em seu último lance, o Bradesco ofereceu R$ 2,25 bilhões. O Banco Postal oferece serviços bancários básicos, como abertura de conta corrente, saque e pagamento de benefício do INSS. O contrato entre Correios e Banco do Brasil é de cinco anos, e deverá ser assinado dentro de 15 dias. Dez dias após a assinatura, o banco deverá pagar os R$ 2,3 bilhões, que é o valor de acesso ao negócio. Até 2 de janeiro, o banco deverá pagar também aos Correios R$ 500 milhões, referentes ao valor estimado das agências do Banco Postal. Ao longo dos cinco anos de contrato, os Correios deverão receber ainda um mínimo de R$ 350 milhões pela participação nas tarifas cobradas. Puderam participar do leilão instituições financeiras ou instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central que tenham ativo igual ou maior a R$ 21,6 bilhões e patrimônio líquido igual ou maior a R$ 2,160 bilhões. O edital publicado pelo governo determina uma tabela de tarifas, entre elas R$ 28,08 para abertura de conta-corrente e poupança, R$ 1,40 para saque em conta-corrente e poupança, R$ 0,97 para consulta de saldo e R$ 1,44 para pagamento de benefícios do INSS.

Palocci pode ter arrecadado para ONG de Lula

Informa o jornalista Claudio Humberto em sua coluna: "O ministro Antonio Palocci (Casa Civil) pode ter usado sua empresa de consultoria Projeto não apenas para prestar serviços a grandes empresas. Ele também foi encarregado de arrecadar doações para sustentar as atividades da ONG Instituto da Cidadania, chefiada pelo ex-presidente Lula, segundo confirmaram a esta coluna fontes do PT  ligadas ao comando da campanha presidencial de Dilma Rousseff. A campanha de Dilma já não precisava de dinheiro, por isso, a partir de um certo momento, Palocci passou a “fazer caixa” para a ONG de Lula. O trabalho de Palocci, na arrecadação para a ONG de Lula, explica o empenho do ex-presidente para tentar salvar o pescoço do ministro. As assessorias de Palocci na Casa Civil e na empresa Projeto negam totalmente a arrecadação para a ONG: “isso não faz nenhum sentido”. Nas palestras que faz – no última fim de semana esteve em Belém –, José Dirceu não perde uma chance de detonar o “companheiro” Palocci.

Senado deve mudar 11 pontos do Código Florestal

O governo peitsta quer alterar no Senado 11 pontos da reforma do Código Florestal, aprovada na semana passada pela Câmara. Fazem parte da lista a anistia irrestrita aos desmatadores, o ressarcimento dos serviços agrícolas, a participação dos Estados na regularização ambiental. O Palácio do Planalto também quer ampliar os benefícios para a agricultura familiar. A proposta de alterações no texto elaborado pelos deputados foi apresentada na noite desta segunda-feira pela ministra Izabella Teixeira (Meio Ambiente) à bancada do PT. No encontro, a ministra disse que pelo menos cinco desses pontos são estratégicos para garantir um novo código sem prejuízos para o meio ambiente. Segundo a senadora Gleise Hoffman (PT), o Planalto avalia que o relatório aprovado pelo plenário da Câmara trouxe avanços em relação à proposta que saiu da comissão especial. A bancada do PT deve receber até o final da semana uma avaliação técnica do texto. A principal preocupação do governo é com a manutenção pelo Senado da medida que legaliza todas as atividades agrícolas em APPs (Áreas de Preservação Permanente), como várzeas e topos de morros, mantidas até julho de 2008. Esse ponto foi aprovado a partir de uma emenda apresentada pelo PMDB, com aval de alguns líderes governistas e da oposição, impondo a primeira derrota do governo Dilma Rousseff na Câmara.

Bancada do PMDB no Senado se opõe a CPI para investigar Palocci

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) afirmou na noite desta segunda-feira que a bancada do PMDB no Senado decidiu não assinar o requerimento que pede a criação de uma CPI para investigar a monumental evolução patrimonial do ministro Antonio Palocci (Casa Civil). O entendimento vale até que o Ministério Público se posicione sobre o caso. Segundo o senador, o compromisso foi fechado durante um jantar na casa do vice-presidente Michel Temer (PMDB), o Palácio do Jaburu, e envolve inclusive o grupo de peemedebistas dissidentes, como o senador Pedro Simon (RS), o "Franciscano". Dos oito dissidentes, apenas o senador Jarbas Vasconcelos (PE) não compareceu. Na semana passada, o Ministério Público Federal no Distrito Federal decidiu analisar o aumento patrimonial do ministro. "Ficou definido que o PMDB deve esperar a decisão do Ministério Público. Não o PMDB, mas para os que desejavam colocar suas assinaturas nessa questão, ficou o entendimento para que esperássemos a posição do Ministério Público", comunicou Eunício Oliveira. A oposição apostava nos dissidentes do PMDB para instalar a investigação no Congresso. No Senado, a CPI tem 18 assinaturas, são necessárias 27. Eunício disse que a discussão de tom elevado entre Palocci e Temer na semana passada não foi tema do encontro. Na véspera da votação da reforma do Código Florestal na reforma, Palocci telefonou para Temer e ameaçou demitir os ministros do partido, caso o PMDB votasse contra o governo. O senador falou ainda que no Senado há espaço para uma conversa sobre mudanças no Código Florestal, inclusive nos pontos polêmicos apresentados pelo PMDB da Câmara, como a anistia dos desmatadores. Nesta quarta-feira, a bancada do PMDB se reúne com a presidente Dilma Rousseff. Eunício disse que será uma confraternização para "aproximar". Ele disse que não foi discutido cargos ou demandas para serem apresentadas para a presidente: "Não se discutiu nenhuma agenda. É uma confraternização".