quinta-feira, 21 de julho de 2011

Petista do Dnit liberou R$ 30 milhões para prefeito aliado construir casas

Contrariando dois pareceres da Advocacia-Geral da União, o diretor de Infraestrutura Rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o petista gaúcho Hideraldo Caron, orientou a aprovação de um contrato de R$ 30 milhões com a prefeitura de Canoas (RS), comandada pelo prefeito Jairo Jorge, do PT (ex-chefe de gabinete do peremptório Tarso Genro no Ministério da Educação). O convênio foi assinado em janeiro de 2010 e até agora não saiu do papel. O dinheiro do contrato, celebrado em 2010 pelo prazo de dois anos, não é para melhoria de estradas. É destinado à construção de 599 unidades habitacionais para 2 mil sem-terra que ocupam a chamada "Vila do Dique", um terreno próximo à construção da BR-448, obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que liga Porto Alegre a outras cidades gaúchas. Dos R$ 30 milhões previstos, R$ 28 milhões são do Dnit. Hideraldo Caron é filiado ao diretório petista no Rio Grande do Sul e participou pessoalmente das negociações em Canoas, tendo inclusive comparecido à cidade gaúcha para assinar os documentos. O petista deve perder o cargo, sobretudo por pressão do PR, que teve vários apadrinhados políticos afastados na esteira da crise nos Transportes. Um ano e meio depois da assinatura do contrato, o projeto de construção das casas não andou. Com apenas mais seis meses de vigência, provavelmente terá de ser prorrogado. Os procuradores do Advogacia Geral da União, que trabalham trabalham dentro do Dnit para dar orientação jurídica ao órgão, em pelo menos duas oportunidades, apontaram falhas no contrato, incluindo manobras para liberar o dinheiro. Mesmo assim, a diretoria do órgão vinculado ao Ministério dos Transportes aprovou o repasse com base em relatório da Diretoria de Infraestrutura, de número 23/2010, dirigida por Caron. O contrato foi assinado por ele e pelo diretor-geral, Luiz Antônio Pagot, este último afastado do cargo após as denúncias de corrupção no órgão. O Dnit alega que contou com o aval do Ministério do Planejamento para assumir a despesa. A pasta, na ocasião, era comandada pelo também petista Paulo Bernardo.

Dilma proíbe participação do petista Hideraldo Caron em reunião sobre obras do PAC

A presidente Dilma Rousseff proibiu nesta quinta-feira a participação do diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), o petista Hideraldo Luiz Caron, em uma reunião sobre obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de rodovias. O Palácio do Planalto espera consumar a demissão dele até esta sexta-feira. Hideraldo Caron é o único petista no comando do Dnit, órgão que é um dos alvos das denúncias de superfaturamento de obras e pagamento de propina que envolve o setor de Transportes há 19 dias. A reunião sobre o PAC ocorreu no Planalto. A presidente recebeu os ministros Miriam Belchior (Planejamento) e Paulo Sérgio Passos (Transportes), além do secretário-executivo interino dos Transportes, Miguel Masella, e de uma técnica do ministério. Dilma alertou o ministério por meio de emissários que o petista Hideraldo Caron não deveria participar da reunião. Caron está desde 2004 no Dnit e é o responsável pelas aprovações ou vetos a aumentos no valor de contratos em andamento.

Ex-senador John Edwards é condenado a devolver US$ 2,3 milhões

John Edwards, ex-pré-candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, terá que devolver US$ 2,3 milhões que recebeu durante sua campanha presidencial em 2008. Os seis integrantes da Comissão Federal Eleitoral decidiram que Edwards recebeu fundos públicos em excesso e deverá reembolsar o Departamento do Tesouro. A decisão foi por unanimidade e confirma os resultados de uma auditoria divulgada em junho. As leis federais dos Estados Unidos exigem que a Comissão Federal Eleitoral realize uma auditoria dos comitês políticos criados pelos candidatos que obtêm fundos públicos durante as eleições primárias, em que os candidatos de cada partido à Casa Branca são escolhidos. As auditorias determinam se os candidatos tinham direito a receber os fundos públicos que obtiveram e se os fundos foram usados segundo o determinado pela lei. A condenação é separada do caso de conspiração criminal, em que o ex-senador pela Carolina do Norte é acusado de ter prestado falsas declarações e ter violado as leis de contribuição de campanha. No mês passado, uma corte federal americana indiciou criminalmente o ex-senador em uma investigação sobre a suspeita de desviar mais de US$ 1 milhão de fundos de campanha enquanto tentava a candidatura à Casa Branca em 2008 para esconder um caso extraconjugal.

Fernando Henrique lança site para discutir política

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso lançou nesta quinta-feira uma página na internet para incentivar a discussão política na rede. Batizado de "Observador Político", o projeto de Fernando Henrique Cardoso foi dirigido por Xico Graziano e conta com uma equipe diversa em seu conselho de gestão editorial, incluindo Caio Tulio Costa, que foi coordenador de internet na campanha de Marina Silva, então do PV, em 2010. A página de perguntas frequentes informa que se trata de um "site de caráter apartidário e politicamente independente". No vídeo de abertura, Fernando Henrique Cardoso diz que a internet "joga um papel grande" na mobilização de pessoas "inquietas". "Tudo está tão interligado por causa da internet, ou bem nós passamos a discutir, ou não saímos do lugar", afirma ele. Para Fernando Henrique Cardoso, "política hoje não é coisa de partido, de instituição, de um líder, é de todo mundo". "Alguém vai dar ordem sempre, mas não é isso que vai mudar o mundo. Mudança no mundo depende da mudança de comportamento, e todos querem participar". O tucano fez menção à expansão da classe média na última década e defendeu maior participação política de quem "está melhorando de vida". Segundo ele, "como agora no Brasil muita gente está melhorando de vida, está na hora também de elas melhorarem mais profundamente, se interessarem mais umas pelas outras e pelo destino do conjunto da sociedade, opinando".

TRF aceita denúncia e promotores viram réus no Mensalão de Brasília

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região aceitou nesta quinta-feira denúncia contra a promotora Deborah Guerner e o procurador Leonardo Bandarra, por participação no Mensalão de Brasília. Os 13 integrantes da corte especial do TRF-1 foram unânimes para abrir ação penal contra Deborah Guerner, enquanto houve um voto contra tornar Bandarra réu. Deborah Guerner e Leonardo Bandarra, que estão afastados do cargo, agora são réus sob a acusação do crime de extorsão, em que supostamente teriam pedido propina de R$ 2 milhões ao ex-governador José Roberto Arruda. Em troca, não divulgariam o vídeo em que ele aparece recebendo dinheiro do delator do Mensalão de Brasília, Durval Barbosa. Deborah Guerner já havia sido presa temporariamente por ter apresentado atestados para provar que seria mentalmente insana, o que foi rejeitado pela Justiça. Assim como já ocorreu em outras ocasiões, a promotora saiu do julgamento e logo em seguida desmaiou, causando tumulto. Boletim divulgado pela equipe médica do tribunal, no entanto, afirma que a promotora tomou um comprimido de Rivotril e ficou "estável", e pediu para ser conduzida até o carro em cadeira de rodas, "apesar de permanecer clinicamente bem". Para fundamentar a abertura da ação penal, a relatora do caso, a juíza federal de segunda instância Mônica Sinfuentes, apresentou trechos de mensagens trocadas entre Durval Barbosa e Deborah Guerner, além de vídeos colhidos na casa da promotora e depoimentos de testemunhas, como Arruda. Em relação a Bandarra, chefe do Ministério Público do Distrito Federal durante o governo Arruda, a relatora disse que ele também tem participação na extorsão. "Percebe-se com facilidade que este participou do planejamento e da prática criminosa descrita na denúncia", disse a relatora. Nesse processo do TRF-1, o ex-governador José Roberto Arruda figura como réu. Em um dos depoimentos, ele disse que Deborah Guerner pediu R$ 2 milhões, "como forma de compensação" para não divulgar o vídeo em que aparece recebendo dinheiro. No início do julgamento nesta quinta-feira, o presidente da Corte Especial do Tribunal Regional da Federal da 1ª Região, Olindo Menezes, ameaçou retirar a promotora da sessão. Durante a abertura da sessão, ela tentou interferir e gritou aos desembargadores: "O Arruda não foi denunciado, nem o Paulo Octávio nem ninguém!". O presidente do tribunal a repreendeu: "Se a senhora falar mais uma vez vou retirá-la daqui. A senhora não é obrigada a estar presente, mas, se tumultuar mais uma vez, vai ser retirada". A partir daí, Deborah calou-se e se sentou-se ao lado do espaço onde ficam os jornalistas. Os desembargadores decidiram abrir o julgamento à imprensa, ao contrário do julgamento anterior, em outubro. Na ocasião, o TRF rejeitou recurso em que Deborah Guerner alegava insanidade mental.

Exército renovará sistema de lançamento de foguetes por R$ 960 milhões

O Exército brasileiro espera renovar ainda este ano seus sistema de lançamento de foguetes a um custo de R$ 960 milhões. Os militares contam atualmente com o chamado sistema Astros 2, produzido pela nacional Avibras Aeroepacial. O alcance destes mísseis, considerados de alta precisão, varia de 9 km a 90 km. Na manhã desta quinta-feira, o Exército realizou exercícios em uma área de treinamento localizada na cidade de Formosa, em Goiás, com o disparo de mais de sete mísseis. Presentes no local, o vice-presidente Michel Temer e o ministro Nelson Jobim (Defesa), defenderam a renovação, subiram nos lançadores de míssil e afirmaram que a possibilidade de renovação já está sob a análise do Ministério da Fazenda. Essa renovação dos equipamentos deverá ser adquirida da mesma Avibras, que já possui um sistema mais novo, o Astros 2020. Na nova versão, os foguetes podem alcançar uma distância de até 300 km. Ele é composto por 49 veículos (18 para lançamento, 18 para transporte de munição, três para controle e monitoramento do tiro, três para manutenção, três para análise meteorológica e outros quatro para comando e controle).

Dólar fecha a R$ 1,55, menor valor desde janeiro de 1999

A taxa de câmbio doméstica recuou nesta quinta-feira para níveis de preços vistos pela última vez em janeiro de 1999. O dólar comercial foi negociado por R$ 1,555 nas últimas operações, em um decréscimo de 0,2% no dia e no mês. Trata-se da menor cotação desde 18 de janeiro de 1999, quando a moeda americana chegou a ser trocada por R$ 1,53. Foi no início daquele ano que houve a mudança do regime cambial brasileiro, de "fixo" (quando o governo garantia uma paridade entre as moedas) para "flutuante" (quando a definição dos preços ficou ao sabor dos fluxos de mercado).

Governo do Rio de Janeiro cede Maracanãzinho para time de vôlei do bilionário Eike Batista

O empresário Eike Batista e o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, estenderam sua parceria aos esportes. O RJX, time de vôlei recém-criado e que terá investimento de R$ 13 milhões do homem mais rico do Brasil, usará as instalações do Maracanãzinho para treinos e jogos. O ginásio será cedido ao time pelo governo do Estado. O Rio de Janeiro não tinha um time de vôlei na liga masculina há 14 anos. Na liga feminina, o Unilever, treinado por Bernardinho, utiliza o Maracanãzinho apenas nos jogos. Eike Batista foi o principal patrocinador da candidatura do Rio para a Olimpíada-16. O empresário doou R$ 10 milhões para o projeto, que foi escolhido pelo COI (Comitê Olímpico Internacional). Eike também patrocina os projetos das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadoras), principal vitrine do governo Sérgio Cabral. Ao todo, Eike Batista doou R$ 139 milhões para projetos do governo estadual nos últimos três anos. Desde 2007, o empresário recebeu isenções fiscais de R$ 75 milhões.

Procuradoria acusa Dnit de abandono de rodovia no Pará

O Ministério Público Federal no Pará entrou na Justiça nesta quinta-feira com uma ação civil pública contra a União e o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) pelo abandono da rodovia BR-155, que liga Redenção a Marabá, no sudeste do Estado. A Procuradoria pede o policiamento e os serviços de manutenção e conservação da rodovia. Apesar de a estrada ter sido incluída na malha rodoviária federal há mais de dois anos, em 6 de julho de 2009, conforme o Ministério Público, até hoje o Dnit não concluiu os trâmites burocráticos para regulamentar a federalização da rodovia. Sem essa regulamentação, diz a Procuradoria, a Polícia Rodoviária Federal não pode atuar, apesar de já possuir número suficiente de policiais para o trabalho no local e de os postos de fiscalização terem sido reformados. A burocracia também impediria a realização de reparos na pista. "A segurança pública é um direito assegurado pela Constituição, não sendo razoável que, em razão da considerável demora para finalização do procedimento de absorção da rodovia pelo sistema rodoviário federal, que já ultrapassa dois anos, a sociedade seja penalizada e fique sujeita aos riscos provenientes da ausência de policiamento e fiscalização na rodovia", afirmam na ação os procuradores da República Alan Rogério Mansur Silva, André Casagrande Raupp e Tiago Modesto Rabelo.

Petista diz que PR poderá indicar sucessores nos Transportes

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), disse nesta quinta-feira acreditar que o PR possa indicar os sucessores dos servidores demitidos do Ministério dos Transportes. "Havendo indicação de pessoas tecnicamente preparadas, de conduta ilibada e que se adaptem ao estilo e modelo de trabalho da presidente Dilma, não vejo que possa haver qualquer tipo de restrição a qualquer partido", disse o senador, enquanto aguardava a chegada do ex-presidente Lula, no aeroporto de Recife. O senador disse ainda que as portas não estão fechadas para o partido do ex-ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que renunciou depois de denúncias de um suposto esquema de cobrança de propinas em obras federais da pasta.

S&P pode diminuir qualificação dos Estados Unidos nos próximos 90 dias

A agência de classificação de risco Standard & Poors anunciou nesta quinta-feira que, nos próximos 90 dias, há "50% de chances" de rebaixar a qualificação da dívida a longo prazo dos Estados Unidos, que gozam da nota mais alta de seu índice, AAA. A agência indicou em comunicado que desde 18 de abril, quando rebaixou a perspectiva da qualificação da dívida americana de "estável" para "negativa", o debate político sobre a necessidade de elevar o limite de endividamento do país "aumentou ainda mais". A S&P reiterou, como já havia feito em 14 de julho, quando decidiu colocar a nota da dívida dos Estados Unidos sob vigilância, que "apesar dos meses de negociações, ambas as partes (no Congresso) continuam em desacordo sobre temas fundamentais de política fiscal". A nova ameaça da agência de classificação de risco põe ainda mais pressão sobre o Congresso americano, onde é negociado um acordo que permita elevar o teto de endividamento público do país, limitado por lei a US$ 14,29 trilhões, antes de 2 de agosto para evitar que o país entre em moratória.

Com emissão para o BNDES, dívida pública cresce 3,4% em junho

A dívida pública federal cresceu 3,39% em junho, chegando a R$ 1,805 trilhão. O principal motivo foi a emissão de R$ 29,9 bilhões em títulos para capitalizar o BNDES. O estoque da dívida interna aumentou 3,86% e alcançou R$ 1,74 trilhão. Já a dívida externa caiu 6,29% e fechou junho em R$ 75,97 bilhões (US$ 48,67 bilhões). Com a perspectiva de o ciclo de aumento de juros pelo Banco Central estar perto do fim, a parcela de títulos remunerados pela taxa Selic caiu em junho para 30,91% (era 32,5% em maio). Já os títulos indexados à inflação tiveram a fatia aumentada para 26,96% contra 26,67% no mês anterior. Em junho, os títulos com remuneração pré-fixada aumentou de 36,38% para 38,13%. Em junho, foram emitidos R$ 71,6 bilhões em títulos da dívida e resgatados R$ 28,35 bilhões, o que corresponde a uma emissão líquida de R$ 43,31 blhões no mês.

Macarrão diz que sangue encontrado no carro do goleiro Bruno era mesmo de Eliza

Mais de um ano após o desaparecimento e possível morte de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza (do Flamengo), Luiz Henrique Romão, o Macarrão, disse à Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa de Minas Gerais que o sangue encontrado no carro do jogador era mesmo da mulher desaparecida. Amigo e ex-secretário de Bruno, Macarrão disse que não falou antes sobre esse fato porque seus advogados não permitiram que ele falasse em juízo. A declaração confirma o que a Polícia Civil mineira já comprovara por meio de exames de DNA. Macarrão não falou em que condições esse sangue apareceu no carro.

Israel acusa que armas contrabandeadas da Líbia estão chegando a Gaza

A Líbia se tornou uma nova fonte de armas contrabandeadas para os palestinos na faixa de Gaza, disse uma autoridade israelense nesta quinta-feira. Grande parte do leste da Líbia foi tomada pelas forças rebeldes que estão lutando contra o ditador Muammar Gaddafi desde fevereiro. As armas estão cruzando a fronteira para o Egito, atravessando o país e chegando ao território governado pelo grupo terrorista islâmico palestino Hamas, disse o vice-primeiro-ministro de Israel, Moshe Yaalon. "Armas estão disponíveis na Líbia por conta da situação instável naquela região, e o Hamas tem explorado isso para comprar armas de contrabandistas líbios", disse ele, sem detalhar que tipo de munições estavam sendo comercializadas.

Túmulo de nazista famoso é retirado para conter peregrinação

As autoridades da cidade de Wunsiedel, localizada no Estado da Bavária, resolveram retirar o túmulo de Rudolf Hess, conhecido por ter sido o secretário particular do ditador Adolf Hitler, do cemitério municipal. A razão para a remoção dos restos mortais de Hess está na peregrinação de neonazistas vindos de toda a Europa que ocorre todos os anos no dia 17 de agosto, o da morte de Hess. Mesmo que a homenagem em Wunsiedel tenha sido proibida tanto em nível municipal e estadual como federal, os neonazistas insistem em realizá-la. Sem o túmulo, terão de encontrar algum outro lugar que represente a figura de Hess ou, o que as autoridades alemães querem, simplesmente cancelar as cerimônias. Com a concordância da família do nazista, aquilo que restou dele foi retirado do túmulo e será incinerado. A intenção dos familiares é jogar as cinzas no mar. A retirada foi feita na noite de quarta-feira, coincidindo com o 67° aniversário do fracassado atentado contra Hitler em 20 de julho de 1944, ocasião em que um grupo de oficiais comandado por Claus Schenk von Stauffenberg tentou matar o ditador. Por ter ocupado posição de destaque durante o "Terceiro Reich", Hess, que chegou a estar entre os três mais influentes personagens do regime, foi julgado no Processo de Nuremberg em agosto de 1946 e condenado à prisão perpétua sob insistência da antiga União Soviética.

Natura espera acelerar crescimento no segundo semestre

A Natura planeja se ajustar ao cenário de mercado em menor ritmo de crescimento, que levou a empresa de cosméticos a apurar resultado trimestral mais fraco que o esperado, o que deve contribuir para um melhor desempenho no próximo semestre. A companhia informou na quarta-feira que teve lucro líquido de R$ 188,1 milhões no segundo trimestre, queda de 1,8% contra igual período do ano passado, em meio a um ambiente de competição maior. O resultado ficou abaixo da média das estimativas, que apontava para lucro de R$ 211,5 milhões no período. A receita líquida de abril a junho foi de R$ 1,39 bilhão, avanço de 8,6% sobre um ano antes. A média das projeções dos analistas era de avanço de 12,1% do faturamento.

Nove empresas podem fabricar tablet no País a partir de agosto

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quinta-feira que nove empresas já estão cadastradas para produzir tablets no Brasil, e que a produção do equipamento deve começar em agosto. Para Bernardo, com o poder aquisitivo alto da população e o provável barateamento do produto, as vendas de tablet vão "bombar" no fim do ano. "Com o salto de consumo, vai baixar o preço", disse o ministro, durante o programa "Bom Dia Ministro", na EBC (Empresa Brasil de Comunicação). Um passo importante para atrair a produção de tablets para o País foi o incentivo fiscal dado recentemente ao equipamento, que agora tem o mesmo tratamento que os computadores com a Lei do Bem. As empresas que têm interesse em produzir tablets no Brasil, utilizando benefícios fiscais, terão que seguir alguns critérios definidos pelo governo.

Espanha aprova aumento da idade para aposentadoria

A Câmara dos Deputados espanhola aprovou definitivamente nesta quinta-feira a reforma da previdência que eleva gradualmente a idade de aposentadoria para 67 anos, uma das decisões mais polêmicas do governo de José Luis Rodríguez Zapatero para tentar solucionar a crise econômica. O governo conseguiu levar a votação adiante com o único apoio do CiU (Convergência e União, nacionalistas catalães) durante todo o trâmite parlamentar. A Câmara deu seu sinal verde nesta quinta-feira após aceitar as 40 emendas do Senado à lei de "atualização, adequação e modernização do sistema de Previdência Social". A norma, que entrará em vigor em 2013, determina que, para se aposentar aos 67 anos, os trabalhadores espanhóis deverão ter contribuído por pelo menos 37 anos. Já para se aposentar aos 65, terão que ter contribuído por 38 anos e 6 meses. Além disso, a nova lei eleva de forma progressiva os anos que serão levados em conta para calcular a quantia da pensão, que passam dos 15 atuais para 25. A reforma prevê que para poder recorrer à aposentadoria antecipada a partir dos 63 anos será preciso contar com 33 anos de contribuição, embora para situações de crise, a idade seja rebaixada para 61, enquanto os anos de contribuição serão mantidos. A nova regra também inclui os empregados e empregadas do lar no Regime Geral da Previdência Social a partir de 1º de janeiro de 2012, a fim de equiparar seus direitos e deveres com os dos demais trabalhadores. A reforma da previdência acontece depois que em 2010 o governo espanhol teve que aplicar um plano de redução do deficit público para dar um fim à grave crise econômica registrada na Espanha e que demandou medidas como o congelamento das pensões, o corte do salário dos funcionários públicos e a ajuda às famílias com recém-nascidos.

Policia Federal pode investigar superfaturamento em obras

O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) disse nesta quinta-feira que a Polícia Federal pode abrir novos inquéritos para investigar superfaturamento de obras coordenadas pelo Ministério dos Transportes. "Nós recebemos uma representação que pedia a abertura de inquérito exatamente em relação ao Ministério dos Transportes. Houve uma determinação minha à Polícia Federal que analisasse os fatos noticiados para verificar se em relação a algum deles não havia ainda inquérito aberto. Naqueles que eventualmente não tenham implicado ainda na abertura de inquérito, serão abertos novos inquéritos", declarou Cardozo. O Tribunal de Contas da União produziu um novo relatório em que aponta superfaturamento de mais de R$ 78 milhões em obras do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes). Ao todo, 63 obras em rodovias brasileiras, feitas sob a responsabilidade do órgão, foram fiscalizadas pelo tribunal.

Ministro Paulo Bernardo diz: "É quase impossível não haver problema no Dnit"

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quinta-feira que é "quase impossível" que não haja problemas no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), tendo em vista o orçamento polpudo do órgão, que será de quase R$ 14 bilhões em 2011. "Você supor que não tem nenhum problema é quase impossível, o Tribunal de Contas da União tem seguidamente apontado problema no governo, e é assim que vai continuar sendo feito", disse ele, defendendo apuração das denúncias de irregularidades no setor de transportes. Paulo Bernardo falou ainda que acredita no diálogo para solucionar o desafeto entre PR e PT, relação desgastada após as denúncias nos Transportes. "Acredito que o diálogo será mantido ou, se teve algum problema, será retomado e com certeza os partidos vão se entender", disse. Em seguida, afirmou que a presidente Dilma Rousseff está "determinada a fazer com que as coisas andem direito", tanto no Dnit como em qualquer outro ministério.

Banco Central enxuga quase R$ 270 bilhões no mercado aberto logo após reunião do Copom

O Banco Central enxugou R$ 268,846 bilhões no mercado aberto nesta quinta-feira, primeiro dia após a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) elevar o juro básico brasileiro para 12,50% ao ano. Na primeira operação do dia, foram recolhidos R$ 145,415 bilhões. Os recursos voltarão aos bancos em 1º de setembro, após a próxima decisão do Copom, remunerados à taxa de 12,47% ao ano. O Banco Central também enxugou R$ 123,431 bilhões por um dia, a 12,42% ao ano. A decisão do Copom de elevar a taxa que serve de referência para o custo do dinheiro a empresas e consumidores já era esperada pelo mercado.