quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Eike Batista perde quase US$ 2 bilhões em dia de queda nas Bolsas

Eike Batista pode ter deixado de ser o oitavo homem mais rico do mundo depois de sofrer um prejuízo em torno de US$ 2 bilhões nesta quinta-feira, quando suas empresas lideraram o forte movimento de baixa da Bovespa. O grupo EBX, que atua principalmente nas áreas de petróleo e gás, mineração e infraestrutura, com um valor de mercado de US$ 31 bilhões, mas praticamente sem faturamento (até agora é um grupo de papel) registrou uma perda de cerca de 9% no seu valor. Eike Batista detém mais de dois terços das ações do grupo. Agora, a participação dele vale cerca de US$ 19,2 bilhões. Na lista de 2011 dos maiores bilionários do mundo, feita pela revista Forbes, Eike Batista ocupava o oitavo lugar, com uma fortuna de US$ 30 bilhões. Em um dia de forte queda na Bolsa paulista, o maior declínio foi da mineradora MMX, cujas ações se desvalorizaram em 16%, o que significou uma fuga de R$ 725 milhões do seu valor de mercado. Eike Batista tem 32,2% da companhia. A OGX Petróleo e Gás teve queda de 8,33%, o que significa uma redução de R$ 3,23 bilhões no seu valor de mercado, ou quase metade dos R$ 6,7 bilhões que Eike Batista obteve na oferta pública inicial de ações da companhia, em 2008. Ele possui uma participação de 61,2% da empresa. A LLX, de logística, que desenvolve dois grandes projetos portuários no Estado do Rio de Janeiro, teve queda de 13,2%, perdendo R$ 367 milhões do seu valor de mercado. O estaleiro OSX registrou queda de 10,9% (R$ 426 milhões), e a elétrica MPX caiu 8% (R$ 403 milhões). Todas essas ações tiveram queda superior à do índice Ibovespa, que fechou em baixa de 5,7%. As cinco empresas de capital aberto do conglomerado EBX estavam particularmente vulneráveis porque haviam atraído um grande número de investidores estrangeiros, os quais nesta quinta-feira fugiram em debandada dos mercados emergentes, segundo Lucas Brendler, analista da Geração Futuro. "Empresas que estão em uma fase de pré-desenvolvimento são as que acabam sendo mais afetadas nessas situações", disse Brendler. Críticos frequentemente questionam o valor elevado das ações das empresas de Eike Batista. A OGX, que ainda nem começou a produzir petróleo, chegou a alcançar valor de mercado equivalente ao da espanhola Repsol, uma empresa consolidada e com atuação global.

Novo diretor-geral do Dnit será nomeado nesta sexta-feira

O Diário Oficial da União desta sexta-feira trará os novos nomes da direção do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). O novo diretor-geral, que precisa ser chancelado pelo Senado em sabatina, é Jorge Ernesto Pinto Fraxe. Os demais diretores indicados são Tarcísio Gomes de Freitas (Diretor-geral Executivo), Mario Dirani (Diretor de infraestrutura Ferroviaria), Roger da Silva Pêgas (Diretor da Infraestrutura Rodoviária), Paulo de Tarso Cancela Campolina de Oliveira (Administração e Finanças), José Florentino Caixeta (Diretor de Planejamento e Pesquisa) e Adão Magnus Marcondes Proença (Infraestrutura Aquaviária). O Diário Oficial publicou na edição desta quinta-feira a nomeação de outras três diretores do Dnit. De acordo com a publicação, as nomeações são em caráter "excepcional e transitório". Foram nomeados Luiz Heleno Albuquerque Filho (diretoria-executiva), Eloi Angelo Palma Filho (diretoria de Infraestrutura Rodoviária) e Marcelo Almeida Pinheiro Chagas (diretoria de Infraestrutura Ferroviária). O órgão teve praticamente toda a sua cúpula afastada desde o começo do mês de julho, quando o Ministério dos Transportes passou a enfrentar acusações de corrupção ligadas ao departamento. Mais de 20 pessoas ligadas à pasta foram exoneradas ou afastadas. Denúncias provocaram a renúncia de Alfredo Nascimento (PR) do comando da pasta e o afastamento de diretores e funcionários que também estariam envolvidos nas irregularidades.

Juiz que presidiu processo contra Palocci se filia ao PT

O juiz aposentado João Gandini confirmou filiação ao PT de Ribeirão Preto, berço político do ex-ministro Antonio Palocci, e disse que busca concorrer ao cargo de prefeito no ano que vem, apesar de saber que terá de disputá-lo com outros petistas. Ele, que também esteve muito próximo de fechar com o PSDB local, afirmou ter desistido do ninho tucano porque não via a mesma chance de colocar sua candidatura. "Percebi que o quadro estava meio definido", disse. O deputado federal Duarte Nogueira seria o nome "predefinido" para concorrer ao palácio Rio Branco, sede da prefeitura local, em 2012, mas os tucanos negam que as discussões no partido já estejam acabadas sobre isso. Como juiz, Gandini presidiu o processo sobre supostas irregularidades na compra de cestas básicas da prefeitura, quando Palocci era prefeito. A ação judicial foi movida pelo Ministério Público e o episódio ficou conhecido como "caso do molho de tomate com ervilha". O processo não chegou a ser julgado por Gandini. Ele se aposentou em maio deste ano, e a ação ainda corre na Justiça.

Justiça anula tombamento de encontro dos rios Negro e Solimões

A Justiça Federal no Amazonas determinou a anulação do tombamento do encontro das águas dos rios Negro e Solimões, em Manaus, pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). No final de 2010, o Conselho Consultivo do Iphan confirmou o tombamento e demarcou uma área protegida de dez quilômetros contínuos do encontro dos rios pelo valor arqueológico, etnográfico e paisagístico. A anulação do tombamento pela Justiça acolhe ação movida pelo governo do Amazonas, que apóia a construção do terminal Porto das Lajes, na margem direita do encontro dos rios. A obra, que pertence às empresas Log-In Logística Intermodal e Grupo Simões (através da Juma Participações), ganhou na quarta-feira a licença de instação do Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas). Ambientalistas e escritores que integram o Movimento SOS Encontro das Águas contestam a obra. O poeta Thiago de Mello, de 85 anos, disse que estava apreensivo com a decisão da Justiça. "Os empresários pensam que com dinheiro pode tudo. Temos que respeitar a obra da natureza", disse o poeta Thiago de Mello. Na decisão, o juiz Dimis da Costa Braga disse que acolheu o argumento do governo do Amazonas de que houve ausência de consultas e audiências públicas no processo de tombamento executado pelo Iphan. No parecer do tombamento, o conselheiro e arqueólogo Eduardo Góes Neves afirmou que uma obra como o Porto das Lajes causaria imenso impacto ao patrimônio arqueológico da área de confluência dos rios Negro e Solimões.

Tesouro muda horários de leilões de títulos públicos

O Tesouro Nacional decidiu mudar os horários dos leilões de títulos da dívida pública. A principal mudança foi a redução do horário de divulgação do resultado após a abertura do leilão. A partir do dia 9 de agosto, os leilões acontecerão das 11 horas às 11h30 e o resultado será divulgado às 12 horas. Até agora, os leilões terminavam às 13 horas e o resultado era divulgado às 14h30. Segundo o subsecretário da Dívida Pública, Paulo Valle, isso ocorre principalmente porque os investidores ficam expostos aos riscos de oscilações do mercado enquanto o leilão não é encerrado. "Se acontecer alguma notícia, ele já fez a oferta e não sabe se ganhou o papel, não tem como fazer hedge (seguro)", afirmou. Segundo Valle, as mudanças são apenas um aprimoramento na logística dos leilões, que vai beneficiar principalmente os bancos que negociam os papéis da dívida (os chamados dealers). Esses bancos agora poderão fazer sete propostas em cada leilão, enquanto os outros investidores poderão fazer três propostas. Antes, eram cinco ofertas para cada. Outras mudanças anunciadas foram o horário da segunda rodada, que passou de 15 para 17 hors, e a realização da segunda rodada com 50% do volume negociado. Antes era de 100% até agora.

Senado aprova novos convites para ministros explicarem denúncias

O Senado aprovou nesta quinta-feira novos convites para ministros do governo Dilma Rousseff explicarem no Congresso denúncias de corrupção. A Comissão de Agricultura do Senado aprovou convites para ouvir os ministros Wagner Rossi (Agricultura) e Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário), além do presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Celso Lacerda. Em relação ao Incra e ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, há a denúncia de negociações de membros do governo para a aquisição de lotes para fins de reforma agrária envolvendo ocupantes de cargos de confiança do Executivo. No Ministério da Agricultura, a oposição quer esclarecer o suposto esquema denunciado pelo irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), o ex-diretor da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) Oscar Jucá Neto. A aprovação de convites faz parte da estratégia da presidente Dilma Rousseff para que os ministros responsáveis por pastas onde há denúncias de corrupção prestem esclarecimentos ao Congresso, sem o desgaste de serem convocados. Na Câmara, cinco integrantes do primeiro escalão da presidente Dilma Rousseff foram chamados a esclarecer as denúncias, todos também por convites. Já a Comissão de Infraestrutura do Senado aprovou convite para o ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes) explicar as denúncias de corrupção na pasta que resultaram no afastamento do ex-ministro Alfredo Nascimento. A comissão também aprovou requerimento que convida o diretor-geral da ANP (Agência Nacional do Petróleo), Haroldo Lima, para esclarecer denúncia da revista "Época" que revelou a existência de um esquema de cobrança de propinas dentro do órgão. A oposição tinha como objetivo convocar o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) para esclarecer as denúncias, mas o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) retirou o pedido depois que o senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA) disse que a ANP é autônoma, por isso não era necessária a presença do ministro. Na próxima semana a comissão vai votar requerimento para convidar o ministro Mário Negromonte (Cidades) para também explicar denúncias de que a pasta libera recursos para obras classificadas como irregulares pelo Tribunal de Contas da União, e que age a favor de empresas que, juntas, doaram cerca de R$ 15 milhões em 2010 para campanhas eleitorais do PP, partido que comanda o ministério.

Uribe diz que Lula "tremia" diante de Chávez

Uma declaração feita nesta quinta-feira pelo ex-presidente Lula irritou o ex-presidente colombiano Álvaro Uribe, que fez duras críticas ao brasileiro em seu perfil do Twitter. Durante o Fórum de Investimento Brasil-Colômbia, em Bogotá, Lula afirmou que sua relação com Uribe era de "desconfiança mútua". "Tenho certeza de que você (o atual presidente colombiano Juan Manuel Santos) e a presidente Dilma Rousseff podem fazer muito mais do que fizemos eu e o Uribe, que tínhamos uma boa relação, mas com muita desconfiança", disse Lula: "Não confiávamos totalmente um no outro". A afirmação irritou o ex-presidente Uribe, que disparou duras críticas contra Lula em seu perfil no serviço de microblogging Twitter (@alvarouribevel), resgatando inclusive episódios da época em que os dois estava no poder. "Lula criticava Chávez em sua ausência, mas tremia quando ele estava presente", afirmou Uribe em uma de suas publicações. Em outra mensagem, o ex-mandatário da Colômbia afirmou: "Lula hoje nos maltrata, mas quando estava no governo, fingia ser o melhor amigo". Uribe também criticou Lula dizendo que ele era incapaz de qualificar as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) de "terroristas". Ainda sobre as Farc, o colombiano acusou Lula de vetar a transmissão pela TV de um debate entre líderes latinos sobre o grupo guerrilheiro, que ocorreu em Bariloche, na Argentina, em 2009. Uribe também qualificou Lula de "mau perdedor", e disse que Lula estaria "bravo porque ganhamos o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) com Luis A. Moreno". A afirmação faz referência à disputa para a presidência do banco, na qual o diplomata colombiano vendeu o economista brasileiro João Sayad.

Nelson Jobim pede demissão e Celso Amorim é o novo ministro da Defesa

A presidente Dilma Rousseff convidou o ex-ministro das Relações Exteriores, o petista Celso Amorim, a assumir a pasta da Defesa. Amorim aceitou, mas a posse ainda não foi marcada. Em uma rápida reunião na noite desta quinta-feira, o ministro Nelson Jobim entregou sua carta de demissão. O ministro cancelou a participação em evento do Ministério da Defesa na tarde desta quinta-feira e antecipou a sua volta de Tabatinga (AM) a Brasília para se encontrar com Dilma. Mais cedo, a presidente havia conversado por telefone com Jobim e dito a ele que, diante da polêmica criada por suas declarações, a única saída era ele pedir demissão. Do contrário, teria afirmado Dilma, não lhe restaria outra opção a não ser ela mesma demiti-lo. O ministro vinha fazendo declarações polêmicas e desagradando o governo. À revista "Piauí" ele disse que a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) é "fraquinha" e que Gleisi Hoffmann (Casa Civil) "sequer conhece Brasília". O ministro, no entanto, negou na tarde desta quinta-feira que tivesse se referido de forma pejorativa ao trabalho das ministras. A situação do ministro já havia ficado insustentável nos últimos dias após a declaração de que votou em José Serra nas eleições de 2010. A revelação foi feita no programa "Poder e Política", conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília. Apesar disso, Dilma preferiu não tomar nenhuma atitude em meio a uma semana politicamente conturbada. Jobim também causou constrangimento ao Planalto recentemente, na solenidade de homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Na ocasião, disse ser preciso tolerar a convivência com "idiotas", que "escrevem para o esquecimento". Ele explicou ter se referido a jornalistas, mas petistas entenderam como recado ao governo. Com a saída de Jobim, já são três as baixas no governo de Dilma Rousseff em apenas oito meses. O primeiro a sair foi Antonio Palocci, que deixou a Casa Civil após a Folha revelar o crescimento de 20 vezes do seu patrimônio nos últimos quatro anos, enquanto exercia mandato parlamentar. No mês passado, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) pediu demissão do Ministério dos Transportes apóser ser envolvido em suspeitas de corrupção e superfaturamento de obras na pasta. Embora não tenha deixado o governo, Dilma também precisou trocar o titular da Secretaria de Relações Institucionais. Luiz Sérgio, que exercia o cargo, assumiu o Ministério da Pesca, trocando de posto com Ideli Salvatti. "Fiador" de Nelson Jobim no governo Dilma, o ex-presidente Lula afirmou nesta quinta-feira, em Bogotá, que, se fossem verdadeiras as declarações do ministro da Defesa à revista "Piauí", "criam uma situação constrangedora". Comparou, no entanto, o ministro com Pelé jogando mal numa equipe: "O ministro Jobim é o homem que tem conduzido o Ministério da Defesa com muita grandeza. Um trabalho excepcional. O programa estratégico de defesa é muito importante. Mas, se até o Pelé não estiver jogando bem, o técnico tira. De qualquer forma, é ela quem vai conversar com ele. Dois gaúchos se entendem. Ou não se entendem?" Mais cedo, Lula havia dito que as declarações de Jobim eram incompreensíveis. "Tem coisas que a gente não compreende. Por que falar de outros ministros? É tão mais fácil falar bem das pessoas, tão mais tranquilo".

Pesquisa descobre processo que amplifica defesa do organismo

Uma equipe do Conselho Superior de Pesquisas Científicas da Espanha descobriu um processo molecular no qual os glóbulos brancos amplificam a resposta imunológica. O estudo revelou que os linfócitos T, encarregados de reconhecer moléculas que fazem parte de um patogênico (antígenos) e que também ativam o sistema imunológico, são capazes de "devorar" estas moléculas e expô-las a outros linfócitos. O CSIC afirmou em comunicado que este estudo, publicado na revista "Immunity", poderia servir de base no futuro para utilizar os linfócitos T como uma vacina viva. Até agora era conhecida a capacidade dos linfócitos T para reconhecer moléculas expressadas por células infectadas com vírus ou células que apanharam outro tipo de micróbios. Porém, segundo o CSIC, estes linfócitos T ativam uma resposta seletiva em direção a estes micróbios para que o sistema imunológico adquira memória e seja capaz de combater, de forma mais eficaz, uma segunda infecção com o mesmo patogênico. "Os linfócitos T também têm capacidade fagocitária, ou seja, são capazes de devorar um antígeno. Além disso, o expõem em sua própria membrana para que outros linfócitos T o reconheçam. São, portanto, executores e, ao mesmo tempo, desencadeiam a resposta imunológica", declarou o pesquisador do CSIC, Balbino Alarcón. Os cientistas se deram conta deste processo ao estudar a função da proteína TC21M, que, segundo eles, mostrou ser "fundamental" na fagocitose dos linfócitos T.

Celso Roth é o novo técnico do Grêmio no Brasileiro

Horas após demitir Julinho Camargo, a diretoria do Grêmio anunciou a contratação do também gaúcho Celso Roth para comandar a equipe, que está a um ponto da zona de degola do Campeonato Brasileiro e na quarta-feira empatou com o Atlético-MG, por 2 a 2, em Porto Alegre. O último clube de Roth foi justamente o Internacional, arquirrival do Grêmio. Os torcedores gremistas cansaram de pedir a permanência de Roth no Beira-Rio, principalmente depois de o Inter ter perdido a semifinal do Mundial de Clubes do ano passado para o clube africano Mazembe. Roth, que havia chegado em junho do ano passado, terminou demitido em abril de 2011, ainda durante a Libertadores, para ser substituído pelo ex-jogador e comentarista Paulo Roberto Falcão, o qual perdeu o cargo há pouco mais de duas semanas. Demitido após quatro partidas de jejum, Julinho Camargo trabalhava como auxiliar técnico de Falcão no Internacional antes de assumir o Grêmio, no início de julho, e havia sido contratado para substituir Renato Gaúcho. Ao todo, dirigiu o time em seis partidas (uma vitória, três empates e duas derrotas). Além da queda do treinador, o preparador físico Flávio de Oliveira também deixou o clube. Para preparador físico, o Grêmio já anunciou a contratação de Paulo Paixão. O Grêmio, que ocupa a 15ª colocação (14 pontos) volta a campo no sábado, quando enfrenta o Palmeiras fora de casa. Aí sim, tem tudo para ingressar na zona de rebaixamento do Campeonato Nacional.

Em apenas 2 dias, fundos retiram R$ 407 milhões da Bovespa

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) gerou um forte volume financeiro nesta quinta-feira, de R$ 9,645 bilhões, em um pregão de forte queda (-5,72%), a pior desde novembro de 2008. Neste cenário de fuga do risco, a movimentação do capital chamado institucional (de fundos de investimentos, de pensão e demais aplicações financeiras via CNPJ) ficou negativa em R$ 407 milhões nos dois primeiros dias de agosto, resultado de compras no valor de R$ 3,759 bilhões e vendas de R$ 4,166 bilhões. Já os investidores estrangeiros ainda acumulam um saldo positivo de capital na bolsa paulista neste mês, até o dia 2, de R$ 133 milhões, com compras no valor de R$ 3,967 bilhões e vendas de R$ 3,834 bilhões. Entre os investidores pessoa física, houve ingresso de R$ 2,701 bilhões e retirada de R$ 2,559 bilhões, com um resultado positivo de R$ 142 milhões nos dois primeiros dias úteis de agosto. O dia foi marcado por queda generalizada nos mercados financeiros mundiais. O pessimismo começou nas bolsas asiáticas, com Hong Kong recuando 0,5% e Cingapura caindo 0,74%, a terceira queda consecutiva. Em Sydney, a bolsa local perdeu 1,3%, a maior queda deste ano. Mais tarde, os mercados europeus confirmaram o clima ruim. Frankfurt recuou 3,40%, Paris cedeu 3,90% e Londres teve desvalorização de 3,43%.

Dona Canô Velloso volta para hospital em Salvador

Dona Canô Velloso, de 103, mãe dos cantores Caetano Veloso e Maria Bethânia, voltou ao Hospital São Rafael, em Salvador. Ela foi internada na última terça-feira por apresentar dores na coluna. Segundo a equipe médica, ela apresenta quadro clínico estável e está em boas condições. Ainda não há previsão de alta. No início de julho, a matriarca da família Velloso foi internada durante uma semana, no mesmo hospital. O motivo da internação foram problemas respiratórios e dores abdominais.

Rússia mantém embargos à carne brasileira

A Rússia decidiu manter os embargos à carne brasileira vinda dos Estados do Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Outros 37 estabelecimentos dos demais Estados estão embargados temporariamente, por problemas com a documentação. A medida contraria expectativa do Ministério da Agricultura, que havia apresentado à Rússia, no início de julho, um pedido para o fim dos embargos, além de duas listas: uma delas tinha o nome de 88 estabelecimentos aptos, segundo o governo brasileiro, a exportar ao país europeu; a outra, de 37 que deveriam ser submetidos a interdição temporária, até a regularização de documentos. Segundo Luiz Carlos de Oliveira, diretor do Departamento de Inspeção dos Produtos de Origem Animal do ministério, uma carta foi enviada nesta quinta-feira à Rússia para tratar da questão. No dia 29 de julho, o governo russo negou o fim dos embargos aos três Estados brasileiros e recusou a lista dos 88 estabelecimentos, usando como base laudos técnicos do país europeu. Esses laudos, segundo o ministério, não foram encaminhados ao Brasil. Na mesma ocasião, a Rússia determinou o embargo temporário aos 37 estabelecimentos de forma retroativa, a partir de 6 de julho. O Brasil pretendia que a restrição valesse a partir de 2 de agosto, quando interrompeu a emissão de certificados sanitários internacionais a esses estabelecimentos. Muitas das empresas, segundo o ministério, contavam com a extensão do prazo até agosto e já enviaram carne para a Rússia. O ministério não soube informar qual a quantidade enviada nem o tamanho do prejuízo caso a carne seja barrada.

Política secreta britânica sobre torturas é revelada

Um documento altamente sigiloso que revela de que maneiras agentes do MI5 e do MI6 foram autorizados a extrair informações de prisioneiros que sofriam tortura ilegal no exterior foi acessado pelo jornal e divulgado pelo jornal inglês "Guardian". As instruções quanto a interrogatórios, alguns de cujos detalhes são considerados delicados demais para que sejam revelados publicamente no inquérito do governo sobre o papel do Reino Unido na tortura e extradição ilegal de prisioneiros, instruía os líderes dos serviços de informações a comparar a importância da informação desejada ao nível de dor que seria necessário infligir ao prisioneiro. Essa norma do governo britânico esteve em vigor por quase uma década. Uma cópia das instruções sigilosas mostra que os líderes dos serviços de inteligência e ministros britânicos temiam que o público do país corresse maior risco de um ataque terrorista caso militantes islâmicos soubessem do teor das instruções. O documento visto pelo "Guardian" mostra que as instruções secretas para interrogatórios estiveram em vigor até que fossem alteradas por ordem do governo de coalizão, em julho do ano passado. O documento também reconhece que agentes do MI5 e MI6 podem ter violando leis britânicas e internacionais ao tentar obter informações junto a pessoas mantidas como prisioneiras por organizações estrangeiras que sabidamente utilizam tortura. Explica a necessidade de obter cobertura política para quaisquer ações potencialmente criminosas, por meio de consultas prévias aos ministros envolvidos. As instruções secretas quanto a interrogatórios foram divulgadas inicialmente para os agentes do MI5 e MI6 no Afeganistão em janeiro de 2002, para permitir que continuassem a interrogar prisioneiros que sabiam estar sofrendo maus tratos de integrantes das forças armadas norte-americanas. Sofreram pequenas alterações e foram expandidas em 2004, depois que se tornou evidente que número significativo de muçulmanos britânicos, radicalizados pela invasão do Iraque, estavam planejando ataques contra o Reino Unido. As instruções foram alteradas de novo em julho de 2006, durante a investigação de um complô para a derrubada de aviões em vôo sobre o Atlântico. Intitulado "política para contatos de agências com serviços de segurança e inteligência estrangeiros quanto a prisioneiros que podem estar sendo submetidos a maus tratos", o documento que continha as instruções foi encaminhado a agentes de inteligência que estavam encarregados de decidir que perguntas fazer aos prisioneiros.

Sai lista de obras de arte adquiridas pelo Itamaraty

Obras de 16 artistas plásticos brasileiros entram agora para o acervo do Ministério das Relações Exteriores, em um investimento total de R$ 150 mil. A compra anunciada nesta quinta-feira encerra um período de quase 30 anos em que o Itamaraty abandonou uma política regular de aquisições. De uma lista de 82 finalistas, uma comissão de curadores brasileiros e estrangeiros escolheu obras em quatro categorias: trabalhos em papel, escultura, fotografia e pintura. Entram para o acervo do ministério obras em papel dos artistas Fabrício Lopez, Carla Chaim, Chiara Banfi e Jarbas Lopes. Entre as esculturas, os premiados são Carlito Carvalhosa, Ana Holck, Laís Myrrha e Galeno. Foram adquiridas também fotografias de Matheus Rocha Pitta, Estela Sokol, Ana Paula Albé e Arnaldo Pappalardo. Na categoria pintura, os selecionados são Marepe, Marcus André, Eduardo Srur e Katie van Scherpenberg. Integraram a comissão julgadora Maria Inez Rodriguez, do Museu Universitário de Arte Contemporânea, do México, Tanya Barson, da Tate Modern, em Londres, Alison Greene, do Museum of Fine Arts, de Houston, Martin Roth, diretor da coleção de artes de Dresden, e os brasileiros Guilherme Bueno, do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, e Rodrigo Moura, do Instituto Inhotim.

África do Sul mobiliza Exército para proteger rinocerontes

Desde abril, os soldados do exército regular sul-africano estão mobilizados ao longo da fronteira com Moçambique, no parque nacional Kruger, no nordeste do país. Têm como missão combater a caça ilegal, cada vez mais profissional e organizada, que alimenta o mercado asiático com os chifres dos rinoceronte, transformados em pó. "Não estamos mais no tempo do caçador isolado que vinha pela carne, com suas armadilhas primitivas, flechas ou fuzis", explica Ken Maggs, especializado no cerco dos ilegais no parque. "Agora, eles vêm preparados para lutar. É por isso que adotamos táticas militares, ou paramilitares", disseram fontes militares. "Eles atravessam a fronteira à noite, com seus óculos de visão noturna, fuzis de assalto AK-47 (Kalachnikov) e de caça. Os guardas encontram, às vezes, mensagens com ameaças, escritas na areia. As patrulhas do exército, que circulam num jipe do parque, trabalham desde o alvorecer, em alerta. Os caçadores são piores que os predadores porque, muitas vezes, abrem fogo", desabafam os militares. Desde o início do ano, 15 caçadores foram mortos, 9 feridos e 64 detidos em confrontos com o Exército. Março foi o pior mês da história do parque Kruger para os rinocerontes, com 40 animais mortos, segundo os militares. Desde a mobilização do Exército, no final de abril, o número de mortes caiu para 15 em maio e, apenas dois, em junho. É a primeira vez que a tendência se inverte desde 2007. Nesse ano, 13 rinocerontes foram abatidos na África do Sul, e esse número aumentou em seguida, para chegar a 333 em 2010. Os rinocerontes negros já estão ameaçados de extinção, com apenas 4.838 indivíduos recenseados em estado selvagem no mundo, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza. Seus primos, os rinocerontes brancos, são apenas 17.480. A permissão para caçá-los legalmente em certos lugares da África do Sul, custa apenas o equivalente a R$ 11,00 - lamenta Rynette Coetzee, chefe de um programa de defesa das espécies ameaçadas.

Investigação de Lagarde é "nova humilhação" à França, diz Marine Le Pen

A presidente da Frente Nacional (FN), Marine Le Pen, lamentou nesta quinta-feira que a investigação aberta contra a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, represente uma "nova humilhação internacional" à França, e responsabilizou o presidente Nicolas Sarkozy pelo caso. Sarkozy optou por nomear "personalidades" no FMI, com pleno conhecimento de que havia acusações contra elas, disse Marine Le Pen. "É irresponsável", acrescentou Marine, que também aludiu ao ex-diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, acusado de agressão sexual por uma camareira em Nova York. "A França se arrisca a uma nova humilhação internacional", lamentou a dirigente, que afirmou ter feito advertências contra a nomeação de Christine Lagarde.

Ideli convoca cúpula do PR para "recompor" aliança

A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) convocou o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), e o senador Clésio Andrade (PR-MG), para uma reunião no Palácio do Planalto. Segundo Portela, o encontro serviu para "recompor e estreitar" o relacionamento entre o partido e o governo. Ideli também agradeceu o PR da Câmara pela sua postura de manutenção na base aliada do governo, mesmo diante de reclamações de diversos deputados sobre o tratamento dado pela presidente Dilma Rousseff no Ministério dos Transportes. Após suspeitas de irregularidades, Alfredo Nascimento, presidente da legenda, foi afastado do comando da pasta e uma "faxina" foi feita no ministério. "Ela nos chamou para agradecer, para parabenizar pelo comportamento do partido na Câmara", disse Portela. O líder contou ainda que o senador Clésio Andrade foi junto para mostrar que "o partido está unido".

Aumento a ministros do Supremo deve ficar para 2012

O líder do governo na Câmara, deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que a Casa não deve votar neste semestre o reajuste de salário aprovado ontem pelos ministros do Supremo Tribunal Federal, subindo dos atuais R$ 26,7 mil para R$ 30,6 mil. A proposta de novo vencimento seria para o Orçamento de 2012. Para o aumento ser efetivado, um projeto de lei precisa ser aprovado pelo Congresso. Vaccarezza ponderou que a dificuldade é o "como pagar" pelo reajuste em uma época de cortes. O líder lembrou ainda que o reajuste resultaria em um efeito cascata. "Neste segundo semestre temos que ter muita cautela. Não é porque determinado setor diz que quer aumento que tem que ter aumento. A dificuldade é como", disse Vaccarezza.

Proposta de financiamento público de campanha inclui doação de estatais

A proposta de financiamento público de campanha vai aceitar a doação de empresas e até estatais para um fundo a ser gerido pela Justiça Eleitoral. A idéia vai constar do anteprojeto a ser apresentado na próxima quarta-feira pelo deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), relator da reforma política na Câmara dos Deputados. Ele pretende ainda criar um sistema de voto duplo para deputados, no qual o eleitor escolhe um candidato e depois um partido ou coligação. As alianças entre as siglas teriam ainda que permanecer por ao menos duas eleições. Henrique Fontana afirmou que o projeto defenderá a criação de um fundo a ser gerido pela Justiça Eleitoral. Parte dos recursos podem vir de doações de empresas e até estatais. Na análise do deputado, não há porque vedar essas contribuições, já que a divisão dos recursos será pré-determinada e as contribuições não terão destino definido.

Líder do governo na Câmara trata Jobim como ex-ministro

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), fez referência a Nelson Jobim nesta quinta-feira como ex-ministro da Defesa. Disse que Jobim "fez" um excelente e respeitável trabalho e que a escolha de seu substituto cabe exclusivamente à presidente Dilma Rousseff. Segundo Vaccarezza, o PT não vai pleitear a vaga de Jobim. Vaccarezza classificou a declaração do colega de "infeliz" e brincou que preferia não opinar sobre a situação do peemedebista no governo: "Se eu responder, aí a minha permanência também fica insustentável. Chega de declarações infelizes". Para o petista, a saída de Jobim não agrava a situação política do governo, após a queda de Antonio Palocci e Alfredo Nascimento, todos da cota pessoal do ex-presidente Lula.

Nasa anuncia existência de água líquida na superfície de Marte

A Nasa confirmou, nesta quinta-feira, ter fortes evidências da existência de água líquida na superfície de Marte. Os dados foram coletados pela sonda MRO (Mars Reconnaissance Orbiter) durante os meses mais quentes do planeta vermelho. "A descoberta reafirma Marte como um importante destino para a exploração humana no futuro", comentou o administrador da Nasa, Charles Bolden. A água líquida, que seria salgada, aparece em encostas voltadas para o hemisfério sul de Marte. A existência de água congelada próximo à superfície, em diversas regiões do planeta, já havia sido anunciada antes. De cor enegrecida, a substância foi vista durante a primavera e o verão. No inverno, tornou-se menos visível. E voltou a surgir na primavera seguinte. "As linhas escuras são diferentes de outros tipos de recursos encontrados nas encostas marcianas", disse o cientista Richard Zurek, do projeto Jet (Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa), em Pasadena, Califórnia.

Gene mutante deixa indivíduos sem impressões digitais

Cientistas identificaram a mutação genética que faz com que algumas pessoas não tenham impressões digitais. Todo indivíduo tem uma exclusiva (até mesmo entre gêmeos idênticos), que é definida durante a formação do feto, o que torna a identificação pessoal muito mais precisa. Segundo o estudo realizado por Eli Sprecher e colegas da Universidade Tel Aviv (Israel), o gene SMARCAD1 é responsável por essa anomalia e seus portadores não apresentam nenhuma impressão digital nos dedos, a síndrome de Nagali. A pesquisa envolveu membros de três famílias que apresentam essa característica rara. E todas a três gerações apresentaram a variação do gene SMARCAD1. A descoberta pode ajudar a criar uma técnica que faça com que as impressões digitais se desenvolvam naturalmente em quem não as têm.

Autuações da Receita Federal somam R$ 40,2 bilhões no primeiro semestre

As fiscalizações da Receita Federal no primeiro semestre resultaram em notificações que somam R$ 40,2 bilhões, valor 21,8% superior ao total autuado no mesmo período do ano passado. O valor se refere a impostos que empresas e pessoas físicas deixaram de pagar, além de multas e juros. Até o fim do ano, a expectativa é de que esse valor chegue a R$ 100 bilhões. Grande parte do montante foi cobrado de empresas, que foram autuadas em R$ 38,03 bilhões, 23,4% a mais do que no ano passado. O setor mais autuado foi o industrial, que concentrou quase 20% do total. Entre as pessoas físicas, as notificações somam R$ 2,24 bilhões, mesmo valor registrado no primeiro semestre do ano passado. As pessoas com maior valor a pagar são proprietários e dirigentes de empresas, que terão que entregar R$ 632 milhões ao fisco.

Dilma fala com Jobim e sugere que ministro formalize demissão

A presidente Dilma Rousseff conversou brevemente por telefone com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, nesta quinta-feira. Dilma disse ao ministro que, diante da polêmica criada por suas declarações, a única saída era ele pedir demissão. Do contrário, teria afirmado a presidente, não lhe restaria outra opção a não ser ela mesma demití-lo. O governo espera que o ministro se antecipe e formalize seu pedido de demissão. Considera essa a melhor alternativa. Jobim estava em missão oficial a Tabatinga, ao lado do vice-presidente Michel Temer e do ministro José Eduardo Cardozo (Justiça).

Para Lula, declarações de Jobim são incompreensíveis

O ex-presidente Lula qualificou nesta quinta-feira de incompreensível as declarações do ministro da Defesa, Nelson Jobim, sobre suas colegas de gabinete Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil). "Tem coisas que a gente não compreende", disse Lula. "Por que falar de outros ministros? É tão mais fácil falar bem das pessoas, tão mais tranquilo", seguiu. "Se o senhor não compreende imagina eu", respondeu, ao lado de Lula, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Lula e o ministro participaram nesta quinta-feira de um fórum de investimentos Brasil-Colômbia promovido pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Jobim diz que suas declarações foram tiradas do contexto

Sob risco de deixar o governo, o ministro Nelson Jobim (Defesa) negou na tarde desta quinta-feira que tenha se referido de forma pejorativa ao trabalho das ministras Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil). De acordo com o ministro, suas declarações se referiam exclusivamente à discussão sobre a Lei de Acesso à Informações, em discussão no Senado, e foram tiradas do contexto. A edição da revista começa a circular nesta sexta-feira. "O que nós comentávamos, o que nós nos referíamos, era o projeto de lei sobre informações sigilosas. Em momento nenhum fiz referências dessa natureza. Aliás, reconheço em Ideli a capacidade e uma tenacidade importantíssimas na condução dos assuntos do governo", afirmou Jobim, também negando ter dito que o governo faz trapalhada.

Por redução de IPI, montadoras vão produzir com 60% de peças nacionais

A Anfavea (associação das montadoras) considera que 60% de peças nacionais nos veículos produzidos no Brasil é um índice plausível a ser adotado como contrapartida para a redução de IPI até julho de 2016 anunciada na quarta-feira pelo governo federal. A diminuição na alíquota, que varia de acordo com a motorização e o combustível, será definida após reuniões entre o setor e o governo, assim como o que será pedido em troca das empresas. O presidente da entidade, Cledorvino Belini, não soube informar qual a média de nacionalização atualmente, alegando que o número varia de acordo com a montadora. Os acordos automotivos com o Mercosul e com o México prevêem que esse patamar deve ficar em pelo menos 60%, mas considerando peças de quaisquer dos dois países.

Obama proíbe entrada nos Estados Unidos de violadores de direitos humanos

O presidente Barack Obama aprovou uma proclamação nesta quinta-feira, proibindo a entrada nos Estados Unidos de qualquer pessoa que tenha participado em crimes de guerra ou outras graves violações de direitos humanos. Segundo a nova lei, que entra em vigor imediatamente, o secretário de Estado será o responsável por determinar quem poderá ou não entrar no país. Exceções poderão ser feitas em prol dos interesses externos dos Estados Unidos. "O respeito universal pelos direitos humanos e pelo direito internacional humanitário e a prevenção de atrocidades promove internacionalmente os valores dos Estados Unidos e os interesses fundamentais do país em ajudar a assegurar a paz, deter agressões, promover a Justiça, o combate ao crime e à corrução, fortalecer a democracia e prevenir crises humanitárias ao redor do mundo", afirmou Obama na proclamação.

Para deputado, Jobim cria crise para evitar Comissão da Verdade

As críticas de Nelson Jobim às ministras do núcleo do governo federal, Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffman (Casa Civil), repercutem além do Planalto. Para o deputado federal Cláudio Puty (PT-PA), o ministro da Defesa parece estar se sentindo desconfortável com a iminência da criação da Comissão da Verdade. "O Nelson Jobim está criando uma crise por causa da Comissão da Verdade. Se ele está se sentindo desconfortável, o que deveria fazer é entregar o cargo", afirma Puty. Entre outras coisas, a comissão vai investigar oficialmente casos de violação aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988.

Força Nacional reduz à metade homicídios no entorno do Distrito Federal

Balanço divulgado nesta quinta-feira mostra que o número de homicídios caiu pela metade na região do entorno do Distrito Federal desde abril deste ano, quando a Força Nacional de Segurança começou a atuar no local. Os policiais estão atuado em cinco cidades de Goiás: Águas Lindas, Novo Gama, Luziânia, Valparaíso e Cidade Ocidental. A permanência da Força Nacional na região foi prorrogada por mais três meses pelo Ministério da Justiça. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de Goiás, em abril, foram registrados 71 homicídios. Em junho, quando a operação completou seu primeiro mês, esse índice já havia caído 37%, registrando 45 homicídios. Já em julho, foram registrados 36 casos, 49% menos do que o registrado no mês anterior à chegada da Força. Coordenador das operações da Força Nacional com a Polícia Militar de Goiás, o tenente-coronel Wellington Reis disse que as ações têm dado maior segurança à população. Dados atualizados do Ministério da Justiça indicam que a operação já fez 17,7 mil abordagens de pessoas. Foram abordados também quase 4.000 veículos, entre carros, ônibus e motos, e feitas 116 prisões na região.

Dilma espera que Jobim peça demissão

A presidente Dilma Rousseff espera que o ministro da Defesa, Nelson Jobim, antecipe-se e peça demissão do cargo. Após constranger o governo declarando ter votado em José Serra nas eleições de 2010, o peemedebista afirmou à revista "Piauí" que a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) "é muito fraquinha" e que a chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, "sequer conhece Brasília". Na manhã desta quinta-feira, o Planalto avaliou que o melhor para o governo é que Jobim formalize um pedido de exoneração. Avalia que a demissão do ministro pela presidente poderia transformá-lo em vítima. Dilma discutiu o assunto com ministros do Planalto. Dilma já leu a íntegra da entrevista e agora espera Jobim retornar de viagem para conversar com ele. Apesar de estar disposta a ouvir suas explicações, a presidente disse a interlocutores que, com mais esssa polêmica, fica muito difícil mantê-lo no cargo.

Dilma diz que crise na economia global virou "pneumonia crônica"

Em reunião com representantes sindicais na manhã desta quinta-feira, a presidente Dilma Rousseff voltou a ressaltar sua preocupação com uma possível recessão na economia mundial. Segundo relato dos presentes, Dilma afirmou que a crise na economia global deixou de ser uma "gripe para virar uma pneumonia crônica". Dilma participou de uma reunião organizada entre sindicalistas e o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral) depois do mal-estar gerado pela não discussão com o setor da nova política industrial do governo. O plano foi lançado na terça-feira, mas os sindicalistas boicotaram o evento no Planalto em protesto. Além da presença de Dilma, que surpreendeu os presentes, o ministro Guido Mantega (Fazenda) também participou. Ele falou sobre a crise internacional e as medidas que o Brasil está tomando. A maior preocupação dos sindicalistas é com o câmbio. Segundo o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, da Força Sindical, Dilma iniciou o encontro pedindo desculpas por não ter discutido com as centrais as medidas para fortalecer a indústria brasileira.

Palestinos descartam desistir de pedido de adesão à ONU

Os palestinos descartaram renunciar a sua intenção de pedir em setembro a adesão de um Estado palestino à ONU, apesar de uma recente proposta israelense de retomada das negociações. "O trem palestino vai partir rumo a Nova York", afirmou na noite de quarta-feira o negociador palestino Saeb Erakat, no início de uma reunião do comitê árabe sobre a gestão palestina na ONU, em Doha. Erakat minimizou as recentes informações de que Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, estaria disposto a retomar as negociações de paz com base nas fronteiras de 1967, como pediu de maneira solene, em maio, o presidente norte-americano Barack Obama.

Israel liberta 750 presos que já cumpriram penas

Israel libertou nesta quinta-feira 750 presos, 550 deles comuns, que cumpriram suas penas, entre eles um líder do Hamas na Cisjordânia, Hassan Youssef, informou a autoridade penitenciária de Israel. A porta-voz do serviço de prisões, Sivan Weizman, desmentiu que se trate de um gesto de boa vontade por conta do Ramadã. Todos os libertados haviam atingido o fim de suas penas. Dos 200 detentos soltos e denominados "de segurança máxima", ou seja, que foram julgados por ações vinculadas ao conflito palestino-israelense, cerca de 180 pertencem ao movimento Fatah, liderado pelo presidente Mahmoud Abbas. O preso libertado de maior destaque é Hassan Youssef, um dos fundadores e principais figuras do movimento terrorista islâmico Hamas no território ocupado da Cisjordânia, que estava há seis anos na prisão.

Deputados lançam frente em favor de Carajás e Tapajós

Deputados lançaram nesta quinta-feira a Frente Parlamentar em Defesa dos Estados de Tapajós e Carajás. São sete deputados federais e 16 estaduais que lutam pela divisão do Pará. O principal argumento é que a divisão resultaria em maior desenvolvimento para essas duas regiões, hoje, segundo os congressistas, "abandonadas" pela região central do Pará. "Chegou a hora de dividir para multiplicar. Diga sim para a esperança, mais segurança, mais saúde, mais educação", diz o jingle do movimento que defenda a emancipação. O deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) comanda o grupo que quer a divisão de Carajás e Lira Maia (DEM-PA) o grupo de Tapajós. Eles dizem que a frente deve ganhar mais apoios em breve. Os deputados esperam contar com a pressão de parlamentares do Tocantins e Mato Grosso do Sul, Estados que se dividiram de Goiás e Mato Grosso, respectivamente. "A divisão do Mato Grosso e do Tocantins são os melhores exemplos para conhecer melhor e mostrar que é imperativo a divisão do Estado de Tapajós e Carajás. Todo mundo ganha, o Estado remanescente também", afirmou o ex-senador Leomar Quintanilha (TO).

Síria aumenta repressão para conter revolta de opositores

As autoridades sírias isolaram a cidade de Hama nesta quinta-feira, interrompendo o fornecimento de energia elétrica, cortando linhas telefônicas e restringindo o acesso à internet, como continuidade da ação repressiva do regime de Bashar Assad a seus opositores. A intensificação na campanha militar para encerrar a revolta contra o regime teve início no domingo, quando as forças do ditador sírio invadiram Hama e deixaram ao menos 140 mortos na operação, de acordo com organizações de direitos humanos. Ativistas expressaram preocupação quanto à piora das condições humanitárias no país, afirmando que medicamentos e alimentos, como pão, estavam em falta mesmo antes do aumento da repressão. Segundo ativistas, as forças de segurança do ditador mataram ao menos mais sete pessoas em outras partes da Síria na noite de quarta-feira que haviam saído em protesto após sessão noturna de orações pelo mês sagrado do Ramadã.

Gleisi considera opinião de Jobim "irrelevante"

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, considera "irrelevante" a opinião do ministro Nelson Jobim a respeito dela. Jobim afirmou à revista "Piauí" que a discussão da liberação de documentos sigilosos do Estado tem sido mal conduzida pela equipe da presidente Dilma Rousseff. E criticou as ministras Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, e Gleisi: "É muita trapalhada, a Ideli é muito fraquinha e Gleisi nem sequer conhece Brasília". A ministra não quer entrar em polêmica com o colega e preferiu ignorar suas críticas. "Isso é irrelevante", disse ela ao conhecer o conteúdo da reportagem. As críticas às ministras escolhidas recentemente pela presidente Dilma Rousseff acontece pouco após Jobim ter revelado, em entrevista ao programa "Poder e Política - Entrevista", produzido pela Folha, que votou em José Serra (PSDB) na eleição presidencial de 2010.

Sarney minimiza fala de Jobim e faz brincadeira sobre Ideli ser gordinha

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), saiu em defesa do ministro Nelson Jobim (Defesa) nesta quinta-feira ao minimizar as críticas do colega de partido às ministras Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil). Sarney disse que Jobim, ao chamar Ideli de "fraquinha", usou uma expressão que "não combina com a ministra porque ela é até bem gordinha". "O que posso dizer é que o ministro Jobim é um homem muito experiente, muito equilibrado. Jamais faria comentário qualquer que pudesse atingir as pessoas ou pudesse atingir o governo. Eu acho até que esta declaração não combina com a ministra Ideli porque a Ideli é até bem gordinha, não é bem fraquinha", afirmou. Sarney disse que os comentários do ministro, revelados à revista Piauí, foram no tom de uma "conversa informal" sem o objetivo de "atingir as pessoas" envolvidas.

Viagens e calçados elevam custo de vida da classe média paulistana

O custo de vida dos paulistanos de classe média subiu 0,03% em junho na comparação com o mês anterior e acumula alta de 6,16% nos últimos 12 meses. Os grupos com as altas mais expressivas foram despesas pessoais e calçados. No semestre, alta registrada pelo ICVM (Índice de Custo de Vida da Classe Média) é de 3,35%, de acordo com divulgação da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) nesta quinta-feira, em parceria com a Ordem dos Economistas do Brasil. O preço de calçados e acessórios registrou variação de 2,14%, seguido de roupas masculinas (1,16%), femininas (0,79%) e infantis (0,26%). O único subgrupo que teve queda foi vestuário, resultante de promoções da coleção primavera-verão, aponta a Fecomercio. Os itens viagem de excursão e passagens rodoviárias e aéreas com elevações de 2,03% e 2,01%, respectivamente, influenciaram a alta no grupo despesas pessoais ( alta de 0,79% ante 0,34% em relação ao mês anterior). Todos os subgrupos dessa classe de despesa aumentaram o índice em junho. São eles, recreação e cultura (1,10%), artigos de higiene e beleza (0,72%), fumo e bebidas com (0,55%), serviços pessoais (0,55%), e despesas diversas (0,46%).

DEM vai à Justiça Eleitoral contra PSD por falsidade ideológica

A Executiva Nacional do DEM decidiu entrar com representação na Procuradoria-Geral Eleitoral contra a suposta falsidade ideológica nas simulação das atas dos diretórios municipais do PSD. Segundo o presidente nacional do partido, senador José Agripino, há indício claro de falsidade ideológica com finalidade eleitoral. "A matéria da Folha de S.Paulo fala claramente em clonagem eleitoral. As atas são iguais em Santa Catarina, Rio Grande do Norte, ou seja, quem assegura que a relação de filiados conforme denúncias anteriores não estariam comprometidas? Vale uma investigação pela Procuradoria Geral Eleitoral, o que nós faremos juntamente a outros partidos", disse José Agripino. Em nota, o partido alega que a inserção de dados falsos em documentos encaminhados à Justiça Eleitoral caracteriza o crime de falsidade ideológica, previsto no Código Eleitoral. A criação da nova sigla é bancada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. O DEM e o PTB prometem contestar na Justiça todos os passos da sigla.

PT passa a ter o controle direto das Forças Armadas

Escolha do petista (de carteirinha) Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores, como novo ministro da Defesa, no lugar de Nelson Jobim, concretiza o sonho do petismo de colocar as mãos nas armas. Aí, sim, é o completo controle do poder, com o controle do armamento nacional. E nos preparemos para os confrontos com os norte-americanos. Agora o Exército brasileiro, a Aeronáutica brasileira, a Marinha brasileira, passarão a dar treinamentos para terroristas do Hamas, do Hizbollah? E as Forças Armadas brasileiras farão acordos com os iranianos, para troca de informações e técnicas, para a produção de bomba atômica?

Comissão do Senado aprova convite para ouvir ministro dos Transportes

A Comissão de Infraestrutura do Senado aprovou nesta quinta-feira convite para o ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes) explicar as denúncias de corrupção na pasta que resultaram no afastamento do ex-ministro Alfredo Nascimento. A oposição queria convocar o ministro, mas acabou convencida por líderes governistas para transformar o pedido em convite, o que desobriga Passos a comparecer ao Congresso para se explicar. Com a mudança, o requerimento foi aprovado por unanimidade pela comissão, que ainda não marcou a data do depoimento. A expectativa é que Passos fale aos senadores na próxima quinta-feira. A aprovação de convites faz parte da estratégia da presidente Dilma Rousseff para que os ministros responsáveis por pastas onde há denúncias de corrupção prestem esclarecimentos ao Congresso, sem o desgaste de serem convocados. Passos é o primeiro ministro a ser convidado a depor no Senado, enquanto na Câmara cinco integrantes do primeiro escalão da presidente Dilma Rousseff foram chamados a esclarecer as denúncias, -todos também por convites.

Espanha faz leilão de títulos com juros em alta

O Tesouro espanhol captou nesta quinta-feira 3,311 bilhões de euros em emissões de títulos com vencimento em três e quatro anos, mas com juros em forte alta. A demanda totalizou 7,4 bilhões de euros, muito acima da oferta, o que possibilitou ao Tesouro cumprir a meta de captar de 2,5 a 3,5 bilhões de euros, informou o Banco da Espanha. O rendimento disparou na emissão de títulos de quatro anos, a 4,984%, contra 2,862% registrados na última emissão do mesmo tipo, em 15 de outubro de 2009, antes da Grécia dar início à crise da dívida na Eurozona. No leilão com vencimento em três anos, a taxa aumentou a 4,813%, contra 4,037% na última emissão similar, em 2 de junho. O valor captado se divide em 2,2 bilhões de euros em títulos de três anos e 1,111 bilhão de euros em títulos de quatro anos. O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, sinalizou nesta quinta-feira que o banco vai ajudar os países em crise a reduzir as taxas de juros dos títulos de sua dívida pública. Nesta semana, Espanha e Itália foram alvo de especuladores e os juros dos seus títulos no mercado secundários ultrapassaram 6%, recorde desde a criação do euro.

Gays pedem para Kassab vetar lei que cria Dia do Orgulho Hétero em São Paulo

A ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) divulgou uma carta aberta ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), pedindo que ele vete o projeto de lei do vereador Carlos Apolinário (DEM), aprovado na terça-feira na Câmara Municipal, que cria o "Dia do Orgulho Heterossexual". Para a entidade, há motivos históricos para haver o "Dia do Orgulho Gay", mas não há razão para criar o "Dia do Orgulho Hétero" pela simples preservação da moral e dos bons costumes. Kassab informou que aguarda parecer de sua assessoria técnica legislativa antes de definir sua posição. Quer, antes de mais nada, saber se há embasamento jurídico para vetar o projeto, uma vez que está entre as atribuições do Legislativo criar datas comemorativas. O Dia do Orgulho Hétero, a ser comemorado no terceiro domingo de dezembro, foi um dos assuntos mais comentados da internet mundial na quarta-feira. Os temas "orgulho hétero" e "invente um orgulho" estiveram o dia todo entre os trending topics do Twitter no Brasil e no mundo. São curiosos os gays, querem exibir o orgulho de sua condição sexual, mas não quer que os heterossexuais possam fazer o mesmo. Democratas, não é mesmo?

Russas usam biquíni nas ruas de Moscou em apoio a Medvedev

Uma campanha inusitada contra o consumo de álcool entre os jovens russos aconteceu no centro de Moscou nesta quinta-feira. Mulheres que fazem parte de uma comunidade on-line de apoio ao presidente russo, Dmitri Medvedev, tiraram a roupa em performance para desestimular os mais novos a beberem em lugares públicos. As ativistas tinham como objetivo ajudar na promoção de uma política que Medvedev promulgou em julho oficializando a cerveja como bebida alcoólica para implementar medidas de combate ao consumo do produto entre os jovens e controlar sua venda. Antes disso, a cerveja era classificada no gênero alimentício por conter menos de 10% de álcool. O grupo, conhecido por "Medvedev Girls", realizou a performance como uma resposta à ação de um grupo rival que apoia a candidatura do primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, à Presidência nas eleições de 2012. No mês passado, três mulheres pertencentes ao grupo social "Eu realmente gosto do Putin", vinculado a uma espécie de "Facebook russo", ficaram quase nuas e lavaram os carros como forma de demonstrar seu apoio a Putin, conhecido por ser um grande fã de veículos russos.

Testemunhas voltam atrás e negam que homem dirigia Land Rover que matou jovem executivo em São Paulo

Duas testemunhas que afirmaram terem visto o engenheiro Roberto de Souza Lima, de 34 anos, dirigindo o Land Rover que atropelou e matou o jovem administrador de empresas Vitor Gurman, de 24 anos, voltaram atrás em suas versões. O acidente aconteceu no dia 23 de julho, na Vila Madalena, bairro da zona oeste de São Paulo. Estavam no jipe Land Rover blindado a nutricionista Gabriella Guerrero Pereira, de 28 anos, e o engenheiro. Namorados, eles tinham acabado de sair de um bar. A nutricionista afirma que assumiu o volante porque Lima, dono do carro, não tinha condições de dirigir. Em depoimento à polícia, uma terceira testemunha confirmou a versão segundo a qual Gabriella estava ao volante. Há ainda um quarto depoimento de uma pessoa que estava de moto quando cruzou com o jipe pouco antes do acidente. Ela afirma ter visto ao volante um homem pardo e sem barba. Lima tem pele clara e barba.

Ministra Ideli Salvatti reage e diz que ataque de Jobim a ela foi "desnecessário"

A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) afirmou em entrevista, nesta quinta-feira, que o ministro Nelson Jobim (Defesa) tem dado declarações "desnecessárias" e deveria se "conter um pouquinho". À revista "Piauí" o ministro classificou Ideli Salvatti como "fraquinha" e disse que sua colega Gleisi Hoffmann (Casa Civil) "nem sequer conhece Brasília". Ideli disse, no estúdio do Grupo Folha, em Brasília: "Posso fazer só uma observação. Quando você está à frente de uma pasta, de um ministério, você tem que ter sempre muita preocupação de executar aquilo que você está delegado para executar. Não quero brincar, mas apesar de muita gente dizer que o ataque é sempre a melhor defesa, o ministro da Defesa talvez devesse se conter um pouquinho. Acho que tem declarações que não são necessárias". Na semana passada, Jobim afirmou ao programa "Poder e Política", da Folha, que votou em José Serra (PSDB) na eleição presidencial de 2010. Disse ainda que o tucano reagiria exatamente como Dilma Rousseff diante da crise de corrupção no Ministério dos Transportes. Para Ideli, o ministro da Defesa deveria se ater aos problemas da pasta dele: "Para um ministro da Defesa é desnecessário determinados ataques. É desnecessário. Não é assunto relacionado à pasta dele... Não fiquei chateada, até porque eu tenho clareza das minhas qualidades, das minhas potencialidades e das minhas dificuldades. Me esforço muito para corresponder a honra que a presidenta me deu de estar neste momento respondendo pela secretaria das Relações Institucionais, me esforço muito".

PR definirá contra-ataque político em reunião na próxima terça-feira

O Partido da República vai à forra e quer se vingar da “faxina” que o retirou do comando do Ministério dos Transportes, incluindo o DNIT. O presidente do PR, senador e ex-ministro Alfredo Nascimento (AM), convocou para a próxima terça-feira uma reunião com os sete senadores e 40 deputados. Grande parte pressiona a cúpula do PR a romper com o governo Dilma, mas a tendência é o partido ficar “independente”. O PR deve mirar baterias nas obras bilionárias da transposição do rio São Francisco. Deve sobrar para o ministro Fernando Bezerra (Integração). O senador Magno Malta (PR-ES) virou bombeiro: alega que após pedir votos para Dilma, não fica bem o partido, agora, fazer-lhe oposição. O PR também tem mágoas do PMDB. “A relação é a pior possível”, admite o deputado Luciano Castro (RR), vice-líder do governo.