terça-feira, 9 de agosto de 2011

Lula volta a falar em "oito anos" para Dilma


O ex-presidente Lula disse em palestra na noite desta terça-feira que sua sucessora, Dilma Rousseff, é elogiada hoje pelos mesmos que a criticavam antes de ela ser eleita. "Tem muita gente hoje elogiando a Dilma, mas que outro dia dizia que ela não podia ser presidenta porque ela nunca tinha feito política. Dizem: ela é boa. Eu já sabia que ela é boa. Dizem que ela é diferente do Lula. Eu também já sabia. Nós convivemos oito anos", afirmou. O ex-presidente manifestou apoio a uma eventual candidatura de reeleição de Dilma, ao afirmar que espera que os "oito anos" de Dilma sejam ainda melhores do que os seus oito anos de mandato. Na palestra sobre cidadania e política, comemorativa aos 30 anos do Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas), Lula se vangloriou de ter sido o presidente que mais fez universidades e escolas técnicas, mas afirmou que não quer manter esse recorde: "Espero que a Dilma me derrote logo".

Estiagem provoca sensação térmica de 41 graus em Manaus


O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) informou que a população de Manaus enfrentou sensação térmica de 41 graus, entre 12 e 16 horas desta terça-feira. O forte calor é decorrente da estiagem que ocorre na estação seca, que começou no mês passado na Amazônia Ocidental. Nesta época do ano, a sensação térmica esperada é de até 37 graus. Segundo o meteorologia Adalberto Veríssimo, há 13 dias não chove em Manaus. No mês de agosto, as chuvas oscilam, na média, 78,6 milímetros. Nesta terça-feira foi registrada temperatura de 35,4 graus. A umidade relativa do ar está baixa, com 42%. "A população tem que beber bastante água para enfrentar esse período de estiagem", disse o meteorologia. O Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) informou que análises mostram que as mudanças climáticas vão piorar as secas em parte da Amazônia. Segundo as projeções, alguns dos rios que cortam a floresta podem ficar sem navegabilidade. O Serviço Geológico do Amazonas disse que a navegabilidade nos rios é crítica no sudoeste da Amazônia. O rio Acre enfrenta uma grande seca. No dia 4 de agosto o nível do rio chegou a 1,82 metro, faltando apenas 18 cm para se igualar à maior vazante, registrada em 2005. Naquele ano, o nível do rio Acre chegou a 1,64 metro. O engenheiro hidrólogo Daniel Oliveira disse que a seca do rio Acre influencia a vazante do rio Purus, que é afluente do rio Solimões. Ele disse que é cedo para dizer se a seca será grande no Solimões, que, junto com o rio Negro, forma o rio Amazonas. "Por enquanto os níveis do Negro e Solimões estão normais", afirmou. Além da estiagem, Manaus já sofre com a poluição do ar em consequência das queimadas. No mês de julho, o Corpo de Bombeiros registou 72 incêndios florestais.

Gol recebe Boeing com motor que reduz consumo em 2%


A Gol recebeu o primeiro Boeing 737 Next Generation equipado com um motor que permitirá a redução do consumo de combustível em 2%, na comparação com o atual motor. A empresa informou nesta terça-feira que o modelo da aeronave foi desenvolvido com modificações de pressão de turbina e melhorias que reduzem o arrasto, diminuindo o atrito da aeronave com o ar. "A Gol continua empenhada em reduzir o consumo de combustível e as emissões, diminuindo ainda mais seus custos operacionais", disse o vice-presidente Técnico da segunda maior companhia aérea do Brasil, Adalberto Bogsan. O novo motor CFM56-7BE é parte do pacote de melhorias de desempenho que a Boeing começou a testar nos aviões da família 737 em novembro de 2010 para reduzir o consumo de combustível. Outras novidades focadas no uso eficiente de querosene de aviação serão incorporadas em 2012 pela Boeing, disse a Gol. A Boeing já reduziu o consumo de combustível da aeronave 737 Next Generation de 4% a 6% desde que o primeiro avião foi entregue em 1998, completou a companhia aérea.

Esgoto desembarcado em Santos volta para a Bélgica


A carga de lodo de esgoto descarregada ilegalmente no porto de Santos, há dois meses, foi enviada de volta à Bélgica na noite de segunda-feira. O navio MSC Antares, embarcação que trouxe inicialmente o esgoto, partiu com a carga por volta das 23 horas de segunda-feira com destino ao porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro, e depois rumo a Antuérpia, na Bélgica. Segundo o Ibama, o contêiner era para ser descarregado na Argentina, mas, como causava mau cheiro a bordo, o navio transportador decidiu descarregá-lo no Brasil no dia 8 de junho. Quando a Receita Federal recebeu o pedido para destinação da carga em território nacional, pediu ao Ibama para avaliar possíveis riscos à saúde pública e ao meio ambiente. Como desde 2006, a lei brasileira proíbe a importação de lodo de esgoto e seus produtos derivados, o Ibama concluiu que a carga não poderia ser recebida e multou as empresas. O Ibama multou em R$ 60 mil a MSC e o terminal portuário Santos Brasil por terem importado ilegalmente o esgoto.

Político e artista gaúcho denuncia que as falcatruas no Ministério do Turismo são muito maiores e envolvem parlamentares


O músico e político gaúcho Renato Jaguarão manda postagem para o jornalista Vitor Vieira, editor de Videversus, com o seguinte teor: "Amigo Vitor, com certeza isso da Dilma não saber é balela, pois eu fui sondado para assumir a Chefia da Assessoria Parlamentar do Ministério do Turismo no inicio desse ano, em virtude de ter exercido o mesmo cargo no Ministério da Educação quando eu estava no PTB. Fui informado no próprio ministério já existia a investigação de supostas irregularidades nas emendas parlamentares. E recebi um pedido para descobrir como eram feitas as negociações, no fim eu não fiquei no cargo. O pior é que se forem mais a fundo vão pegar mais coisas, pois tinha a conivência de muitos parlamentares. O problema mais grave eram as emendas destinadas aos eventos fantasmas, onde alguns parlamentares levavam mais de 20% e pessoas ligadas ao MTur levavam outra parte. Sei muito bem como eram feitas essas irregularidades, o ex chefe da assessoria Parlamentar do MTur, foi afastado no inicio das investigações. Para contribuir informo ainda que essas investigações já estavam em andamento desde o ano passado".
As informações prestadas por Renato Jaguarão permitem deduzir que a Polícia Federal circunscreveu as suas investigações e evitou, ou tem evitado até agora, investigar parlamentares que se beneficiaram de recursos públicos desviados para eventos turísticos ou culturais que não existiram. E mais: a investigação é muito mais antiga do que agora está sendo divulgado.

PDT marca para 9 de outubro a eleição para todas as zonais de Porto Alegre

Foi agendado para o dia 9 de outubro as eleições para os novos diretórios zonais do PDT de Porto Alegre. Será uma disputa direta. Eleitos os diretórios zonais, estes escolherão suas Executivas, e estas elegerão o novo diretório metropolitano. A decisão foi tomada na segunda-feira a noite pela Executiva do PDT no Rio Grande do Sul. O presidente regional do partido, Romildo Bolzan, disse estar em contato com o ministro Carlos Lupi, com o qual discute a possível mudança do regramento que permitiria a eleição direta do diretório metropolitano. Esta é uma reivindicação da deputada estadual Juliana Brizola, mas que não progrediu. Aconteça a decisão que acontecer, Juliana Brizola disputará a presidência com o ex-vereador Nereu D'Ávila, atual presidente.

Pleno do Tribunal de Justiça gaúcho enquadra deputado estadual petista Bordignon no Código Penal e aceita denúncia do Ministério Público


O Pleno do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul acolheu denúncia do Ministério Público contra o deputado estadual Daniel Bordignon, líder do PT na Assembléia Legislativa, e vai julgá-lo. O líder do PT é acusado de ter violado 52 vezes a Lei de Responsabilidade Fiscal no último ano do seu governo, ordenando ações sem previsão orçamentária e que não puderam ser pagas nem na administração seguinte da prefeitura de Gravataí. A prefeita que ele elegeu em seu lugar, Rita Santo, responde a uma CPI e a um processo de impeachment. O processo já tem 40 volumes e 5.792 páginas. Se for condenado, o deputado poderá tomar até quatro anos de prisão, terá a ficha suja e não poderia disputar as eleições municipais do próximo ano. Mas, é bem improvável que ele seja julgado até lá.

Dilma virá ao Rio Grande do Sul para comemorar os 50 anos da Legalidade na Assembléia Legislativa


A Assembléia do Rio Grande do Sul já ordenou ao seu cerimonial que agilize os preparativos para a visita da presidente Dilma Rousseff, em setembro. Dilma, que foi dirigente do PDT do Rio Grande do Sul, participará dos festejos dos 50 anos da Legalidade, que ocorrerão nos dias 1º, 2 e 3 de setembro. O PDT integra a base do governo federal. A presidente saiu ruidosamente do PDT quando Brizola rompeu com Olívio Dutra no Rio Grande do Sul. Ela era secretária de Minas e Energia e permaneceu no governo. Leonel Brizola a acusou de traição, assim como a Sereno Chaise e os outros que saíram do partido, dizendo que haviam se vendido "por um prato de lentilhas".

OAB gaúcha contra lei de Tarso Genro nos precatórios


Na sexta-feira, a OAB do Rio Grande do Sul vai se reunir para decidir se ajuizará Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a lei que contingenciou os pagamentos dos precatórios de pequeno valor (RPV ou Requisições de Pequeno Valor, até 40 mínimos). O governo do Rio Grande do Sul deve, não paga e dá calotes nos credores que tiveram em juízo seus créditos julgados líquidos e certos, os precatórios e RPVs, cujas somas são as seguintes: Precatórios - R$ 7 bilhões; RPVs - R$ 2 bilhões. Mantidos os critérios legais (leis do calote oficial) recentes, e pagando para cada caso a quantia de R$ 300 milhões por ano, o governo terá 22 anos para pagar suas dívidas, caso elas não encorpem um único centavo a mais e tenham seus valores congelados. A comissão especial da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul que prepara um relatório completo sobre os precatórios, está na iminência de concluir os seus trabalhos e só aguarda pela reunião da OAB. Os deputados estaduais Frederico Antunes e Miki Breier, que passaram a se dedicar integralmente ao assunto, estão alarmados com o que viram na secretaria da Fazenda, Justiça Estadual e Procuradoria Geral do Estado. "Falta pessoal em todas as áreas, dinheiro que existe não sai por problemas burocráticos e o governo acaba pagando mais do que deve porque os cálculos nem sempre são corretos", disse o deputado estadual Frederico Antunes. Existem também interpretações jurídicas conflitantes em relação ao uso de precatórios para abatimento de dívidas tributárias, como também é vigoroso o mercado secundário de precatórios, sem contar as perdas de credores que transformam seus precatórios em RPVs para não perder tudo.

Deputado da base quer convocar Ministro do Turismo na Câmara


O deputado federal Reguffe, do PDT, sigla que compõe a base aliada do governo, protocolou nesta terça-feira requerimento para convocar o ministro do Turismo, Pedro Novais, para prestar esclarecimentos na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados. O documento foi assinado também pelo deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP).

Polícia Federal diz que provas contra número 2 do Ministério do Turismo são robustas


O diretor-executivo da Polícia Federal, Paulo de Tarso Teixeira, disse que 33 pessoas foram presas e R$ 610 mil foram apreendidos na Operação Voucher, deflagrada nesta terça-feira e que investiga desvios de dinheiro no Ministério do Turismo. Segundo o delegado, o secretário-executivo da pasta, Frederico Costa, o ex-secretário-executivo, Mário Moysés, e o secretário nacional de Programas e Desenvolvimento do Turismo, Colbert Martins da Silva Filho, foram presos preventivamente, ou seja, para evitar a eliminação de provas e com prazo maior de detenção. "Para que a Justiça decrete a prisão preventiva, as provas têm que ser mais robustas do que as prisões temporária", disse o delegado. Por determinação da Justiça Federal, todos que foram presos preventivamente serão encaminhados a Macapá, onde a investigação está centralizada. A investigação da Polícia Federal começou em abril deste ano. Na casa do diretor do Ibrasi, em São Paulo, foram apreendidos R$ 610 mil.

Empresas de açúcar são alvo de operação contra sonegação fiscal


Empresas de açúcar de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo foram alvo de uma operação deflagrada nesta terça-feira nos três Estados por suspeita de sonegação fiscal. Os principais focos foram as cidades de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, e Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Algumas das empresas também estão sendo investigadas pelo Ministério Público de Minas Gerais por crime contra a saúde pública após análises laboratoriais comprovarem a presença de metais como ferro, cobalto e níquel em meio ao açúcar. Em Ribeirão Preto, seis empresas foram vistoriadas e quatro pessoas foram presas. Em toda a operação foram vasculhadas 19 empresas, 7 casas, 2 escritórios e cumpridos 20 mandados de prisão. O objetivo era recolher documentos e apreender arquivos digitais para embasar as investigações. Segundo o delegado Gustavo André Alves, da Seccional de Ribeirão Preto, os suspeitos de sonegação abriam empresas fantasmas em São Paulo para comprar açúcar de usinas da região e, depois, revendiam o produto para empresas de Minas Gerais. O ICMS da venda em São Paulo é de 7%, enquanto em Minas Gerais é de 12%. Os envolvidos no esquema também são suspeitos de superfaturar as notas fiscais.

Montadoras iniciam venda de carro de corrida no Brasil


Mitsubishi e Mercedes-Benz são duas marcas que já comercializam no Brasil carros preparados exclusivamente para competições automobilísticas, ainda que em lotes limitados. Da picape L200 Tríton SR, apresentada nesta terça-feira, serão apenas dez unidades até o final do ano, informa a montadora de origem japonesa. Desenvolvida para disputar ralis de velocidade, a Mitsubishi, que parte de R$ 225 mil (o dobro do preço da L200 Triton de rua), traz suspensão reforçada, cabine com "gaiola" de proteção aos ocupantes e carroceria de fibra de carbono (opcional). A potência do motor "flex" pode variar de 260 cv a mais de 300 cv, dependendo da configuração. Já a versão Grand Challenge do sedã Mercedes C250 CGi (R$ 190 mil) traz estrutura em aço cromo molibdênio para poder correr em autódromos, seguindo as especificações de segurança da FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Tanto que seus pneus especiais e sua suspensão rebaixada não o deixam transpor lombadas ou valetas, por exemplo. Mas não é só isso que o impede de circular pelo trânsito. Como o modelo não atende as especificações de um legítimo automóvel de rua, não pode ser emplacado. "Cinto de segurança, banco e até freio são diferentes", aponta o piloto Cesare Marrucci. Outras marcas também possuem versões de competições de seus carros mais nervosos, porém, não os vende ao consumidor.

Ação judicial reclama que prefeito de Belo Horizonte devolva dinheiro gasto com aviões


O Ministério Público de Minas Gerais ajuizou uma ação civil pública por improbidade administrativa contra o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB). A promotoria pediu o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 875,9 mil, valores gastos com 39 fretamentos de aeronaves entre fevereiro de 2009 e julho de 2011. Foi pedida ainda a indisponibidade dos bens do prefeito. Embora tenham sido viagens durante o exercício do mandato, os três promotores que assinam a ação avaliam que houve abuso injustificado dos gastos, considerando que, se o prefeito tivesse optado pelos vôos comerciais de carreira, o município teria gasto, segundo eles, no máximo 6% do total desembolsado com os fretamentos, ou R$ 52,5 mil. Nos 29 meses analisados pela promotoria, Márcio Lacerda fretou aeronaves 33 vezes para ir a Brasília e quatro vezes para ir ao Rio de Janeiro, além de ter feito uma viagem para São Paulo e outra para Vitória. Os promotores não entraram no mérito dessas viagens por considerarem que só o fretamento, independentemente do motivo, configura desperdício de dinheiro público, por ser a capital mineira bem servida por voos comerciais para todos esses locais, com ampla disponibilidade de horários.

Ideli diz que Dilma desconhecia mandados de prisão no Turismo


A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) disse nesta terça-feira que a presidente Dilma Roussef não tinha conhecimento da realização da Operação Voucher, da Polícia Federal, que resultou na prisão de 33 pessoas ligadas ao Ministério do Turismo. Um dos presos é o secretário-executivo da pasta, Frederico Costa. Isso é uma coisa inacreditável, é preso um secretário executivo de ministério, e a presidente não foi avisada pelo ministro da Justiça, chefe da Polícia Federal? Mas que governo, ou desgoverno, é esse? Nunca antes na história deste País se viu coisa igual. "Nós todos fomos surpreendidos hoje pela manhã quando na reunião que teríamos com Dilma para preparar o ato e o fechamento do acordo sobre o Super Simples no Palácio. Eu não tive informação anterior e não tenho nenhuma notícia de que alguém tenha tido informação anterior", disse Ideli.

Grêmio contrata zagueiro campeão mundial pelo São Paulo


O Grêmio anunciou a contratação do zagueiro Edcarlos, campeão mundial pelo São Paulo em 2005. O acordo com atleta, de 26 anos, é válido até o final de 2011. Depois de sair do São Paulo, ele passou por Benfica (de Portugal), Fluminense, Cruz Azul (do México) e Cruzeiro. Segundo a equipe gaúcha, o zagueiro estava ligado ao Desportivo Brasil (clube utilizado pela Traffic para registrar jogadores). O Grêmio está na 15ª posição do Campeonato Brasileiro, com 15 pontos, somente dois a mais que o Atlético-GO, 17º colocado e o primeiro na zona de rebaixamento.

Mantega pede que Congresso ajude a conter gastos durante crise


O ministro Guido Mantega (Fazenda) pediu ao Poder Legislativo que ajude o governo a controlar as contas em um momento de crise econômica e não faça propostas que aumentem os gastos. Mantega disse que é importante manter uma situação fiscal sólida. "É muito importante que haja uma sintonia entre os poderes nesse momento, coisa que não houve nos Estados Unidos. O Brasil tem tido um comportamento mais maduro nesse ponto de vista", afirmou, durante audiência na Comissão Geral da Câmara dos Deputados. Segundo o ministro, seja qual for o andamento da crise econômica, o Brasil está preparado para enfrentá-la. Diferentemente de 2008, quando o governo demorou a admitir que o Brasil seria afetado pelos problemas externos, o ministro admitiu que um novo "aguçamento" da situação traria ônus para o Brasil. "O Brasil hoje está respaldado, está seguro e tem reservas. Temos a experiência que acumulamos em 2008 e temos os instrumentos que podemos usar", ponderou. Mantega disse que a atual crise econômica é uma continuação da que ocorreu em 2008, que nunca deixou de existir nos países avançados. Ele disse ainda que houve um "exagero político" na demora da elevação do teto da dívida norte-americana e criticou também a atuação da União Européia.

Estados Unidos criticam decisão de Israel de construir casas na Cisjordânia


O governo dos Estados Unidos se declarou nesta terça-feira "profundamente preocupado" com a decisão de Israel de construir 900 novas casas na Cisjordânia, já que essa atitude contraria os esforços para retomar as negociações diretas com os palestinos. O escritório de imprensa do Departamento de Estado afirmou em comunicado que as ações "unilaterais" de Israel "agem contra os esforços para retomar as negociações diretas e contradizem a lógica de um acordo razoável e necessário entre as partes". "Achamos que, através de negociações diretas de boa-fé, as partes deveriam chegar a um acordo que compreenda as aspirações de ambos sobre Jerusalém", disse. O comunicado ressaltou ainda que os Estados Unidos continuarão trabalhando com israelenses e palestinos para resolver o conflito bilateral iniciado há décadas "no contexto de um acordo de paz".

Banco do Brasil descarta estímulo a financiamentos devido à crise


O presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, disse nesta terça-feira que, ainda que a situação da economia mundial se deteriore mais, a instituição não vai voltar a aumentar o ritmo dos financiamentos. A providência foi adotada pelo Banco do Brasil durante a crise de 2008 como forma de manter o consumo interno aquecido. "Essa crise, que diz mais respeito a governos e a ajustes fiscais, não deve passar pelo financiamento, como em 2008", disse Bedine. O Banco do Brasil teve lucro líquido de R$ 6,262 bilhões no primeiro semestre, com expansão de 23,4% em relação a igual período do ano passado, seu recorde para o período. Ainda assim, o resultado ficou abaixo do apresentado pelo Itaú, que teve lucro R$ 7,133 bilhões no mesmo período. No segundo trimestre, o lucro do Banco do Brasil (R$ 3,33 bilhões) aumentou 22,2% em 12 meses e 13,6% na comparação com o primeiro trimestre. Para o presidente do Banco do Brasil, a instituição deve seguir com sua tradicional política de cautela em relação ao crédito.

Iphan demite dirigentes no Amazonas após concessão de licença a obra em encontro das águas


O Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) exonerou nesta terça-feira o superintendente do Amazonas, Juliano Valente, e a diretora técnica do órgão no Estado, Ghislane Raposo Bacellar. Na semana passada, o Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) informou que a superintendência do Iphan no Amazonas concedeu aval para a licença de instalação da obra do terminal Porto das Lajes. A medida contrariou determinação do Iphan de Brasília, que desautorizou qualquer aval do órgão no Amazonas para obra. A obra do porto é prevista para ser construída na margem direita do encontro das águas dos rios Negro e Solimões, patrimônio natural tombado pelo órgão em 2010. Os funcionários do instituto no Amazonas consideram as demissões uma intervenção federal. O arquiteto José Leme Galvão Júnior assumiu a direção regional do órgão. A licença do Ipaam para a obra do Porto das Lajes saiu no dia 2 de agosto. Dois dias depois, o juiz federal Dimis da Costa Braga anulou o tombamento do Iphan, alegando que não houve audiências públicas. A decisão atendeu ação movida pelo governo do Amazonas, que apóia a construção do terminal. Luiz Fernando de Almeida, presidente do Iphan, disse que o órgão recorrerá da decisão da Justiça. Ele afirmou que a construção do porto "exatamente" no encontro das águas é "inconciliável" com a preservação de seu valor cultural.

Guido Mantega diz que a política dos Estados Unidos aumenta especulação no Brasil


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou nesta terça-feira a política monetária expansionista dos Estados Unidos que, segundo ele, afeta o Brasil ao trazer investidores especulativos ao País. Em audiência na Câmara dos Deputados, Mantega avaliou que existe uma exacerbação da disputa comercial, com práticas predatórias. Mantega defendeu ainda a posição fiscal do Brasil, mas fez um apelo para que Legislativo, Judiciário, juntos com o Executivo, não apresentem propostas de aumentos de gastos neste momento de agudização da crise global. O ministro afirmou que, se for necessário, o governo pode tomar mais medidas para enfrentar a crise. As declarações foram feitas após o Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos) afirmar que vai manter a taxa de juros "excepcionalmente baixa" até meados de 2013, em um esforço para apoiar a frágil economia em um momento de lenta recuperação e temores de uma recessão. Atualmente, a taxa de juros dos Estados Unidos está no menor nível da história, entre 0% e 0,25%.

Líder do PT nega responsabilidade do governo sobre prisões


Em uma tentativa de tranquilizar aliados, o líder do PT na Câmara, deputado federal Paulo Teixeira (SP), negou que o governo Dilma seja responsável pela Operação Voucher, que levou à prisão de 33 pessoas ligadas ao Ministério do Turismo. Como é possível que o governo não soubesse? A Polícia Federal é subordinada diretamente ao ministro da Justiça, o petista "porquinho" José Eduardo Cardoso, coordenador da campanha presidencial de Dilma Rousseff. Em almoço com líderes da base aliada, Teixeira alegou que o processo corria em sigilo e lembrou que até um "companheiro do partido", Mário Moyses, que é ex-assessor da senadora Marta Suplicy (SP), está na lista de prisões preventivas. Segundo ele, é preciso "verificar se houve abuso judicial". "Não há responsabilidade do governo nisso, nem nos outros casos, levantados pela imprensa", alegou Teixeira. É evidente que, depois do ataque ao PR, o PMDB é a bola da vez do petismo no governo Dilma.

Líderes da base aliada de Dilma reclamam de abuso de poder no caso do Turismo


Líderes da base aliada da presidente Dilma Rousseff na Câmara reclamaram, nesta terça-feira, de abuso de poder do Judiciário no caso das prisões no Ministério do Turismo. No total, 38 pessoas foram presas nesta manhã na Operação Voucher. Um dos detidos é o secretário-executivo da pasta Frederico Costa. O ex-secretário-executivo, Mário Moysés, e o secretário nacional de Programas e Desenvolvimento do Turismo, o ex-deputado Colbert Martins, também foram presos. Para o líder do governo na Câmara, deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP), uma pessoa que está há dois meses no ministério, como Colbert Martins, não pode ser presa, sem nenhum tipo de explicação, por convênios firmados em 2009. "Acho que houve abuso de poder do Judiciário e do Ministério Público", afirmou o petista. A opinião é a mesma do líder do PMDB, deputado federal Henrique Eduardo Alves (RN), que reclama do tratamento dado pelo Judiciário ao seu correligionário, Colbert Martins. "Isso é um absurdo. Ele foi preso sem nem saber o porquê, sem nem ter sido ouvido. Esse procedimento não é correto, não faz parte do Estado Democrático de Direito", disse. Em almoço nesta terça-feira na casa de Henrique Aduardo Alves, todos os líderes da base disseram-se perplexos com a ação da Polícia Federal. "Há uma indignação generalizada", resumiu o deputado federal Jilmar Tatto (PT-SP). O clima do almoço, segundo participantes, foi de forte cobrança e contrariedade. Os deputados ressaltam que as investigações são referentes aos convênios firmados em 2009, mas pessoas que entraram no ministério neste ano também foram presas. "Tudo isso nos surpreende pela forma que está sendo executada. Não se pode prejulgar todo mundo como corrupto", disse Alves. "Essa decisão da Justiça é absurda e muito estranha. É preocupante a forma como foi feita, tudo por um juiz de primeira instância", afirmou o líder do PTB, Jovair Arantes (GO).

Governadores se reúnem para tratar de reforma tributária

Governadores das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste reuniram-se nesta terça-feira na residência oficial do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, nesta terça-feira, para discutir reforma tributária. Eles divulgarão a "Carta de Brasília", documento elaborado por 16 governadores, representando 20 Estados, com demandas à presidente Dilma Rousseff. A reunião também teve a presença do presidente da Câmara, deputado federal Marco Maia (PT-RS), e do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A carta gira em torno de seis reivindicações: a taxação do comércio eletrônico, o quórum do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), o rescalonamento da dívida dos Estados, o acesso aos royalties do petróleo, a convalidação de benefícios fiscais já concedidos e o ressarcimento de receitas provenientes da Lei Kandir, que trata do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Sobre o comércio eletrônico, os governadores defendem que a taxação seja feita tanto na fonte quanto no destino, diferentemente do que ocorre hoje, em que o imposto é retido na fonte do produto. O objetivo das demandas relativas ao Confaz é que haja o estabelecimento de um quórum para a tomada de decisões sobre taxação, ao contrário da necessidade de unanimidade, em vigor atualmente. Os governadores também demandam que a dívida dos Estados seja reescalonada tendo o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) como indexador, em vez do IGP (Índice Geral de Preços). Essa é a primeira vez que governadores das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste se unem para debater o tema.

Dilma convoca políticos para falar de crise econômica


A presidente Dilma Rousseff convocou para esta quarta-feira uma reunião do seu Conselho Político, do qual fazem parte os presidentes dos partidos aliados ao Planalto e os líderes dessas legendas na Câmara e no Senado. Dilma e o ministro Guido Mantega convocaram os políticos para falar alentadamente sobre a situação econômica do Brasil, para tranquilizar os aliados, mas também para pedir ajuda no Congresso. Para minimizar os efeitos da crise econômica-financeira internacional no Brasil, o Planalto espera que os partidos aliados ajudem a conter as insatisfações de deputados e de senadores no Congresso, incomodados por causa da retenção do dinheiro de suas emendas ao Orçamento. Neste ano, nada foi liberado. Uma das principais preocupações do Planalto é a aprovação até dezembro de uma emenda constitucional para prorrogar a DRU (Desvinculação de Recursos da União) até 31 de dezembro de 2015. A DRU em vigor no momento só vale até 31 de dezembro deste ano. Trata-se de um dos mais importantes instrumentos de gestão orçamentária do governo federal, pois permite ao Planalto usar como quiser até 20% da arrecadação de todos os tributos existentes. Como se trata de uma emenda constitucional, a DRU precisa ser aprovada por três quintos da Câmara e do Senado, com duas votações em cada uma das Casas. O Planalto teme que o momento político seja um obstáculo para obter apoio ao projeto em apenas cerca de quatro meses, antes dos feriados de Natal e Ano Novo. O Conselho Político é composto pelos dez partidos que apoiaram oficialmente a chapa de Dilma Rousseff na eleição do ano passado. Além do PT, são eles PCdoB, PDT, PMDB, PR, PRB, PSB, PSC, PTC e PTN.

Arqueólogos descobrem estela da época do faraó Apries

Uma equipe de arqueólogos egípcios descobriu uma estela (bloco de pedra) que data da época do faraó Apries, da 26ª Dinastia (589-570 a.C.), na província de Ismailiya, a leste do Cairo, informou nesta terça-feira o Conselho Supremo de Antiguidades. A peça consta de duas partes de pedra arenosa que têm esculpidos em hieróglifos o nome do faraó Apries, quinto monarca da 26ª Dinastia, detalhou o secretário-geral da instituição, Mohammed Abdel Maqsud. Em comunicado, o pesquisador afirmou que a descoberta da estela aconteceu em uma jazida arqueológica situada no lado oeste do Canal de Suez. A equipe do Conselho Supremo de Antiguidades iniciou há três anos as escavações nessa jazida e já chegou a várias descobertas históricas. O chefe do conselho lembrou que as descobertas arqueológicas comprovam que o local não era só uma antiga fortaleza militar de mercenários gregos, mas um assentamento egípcio construído pelo faraó Psamético 1º, segundo rei da dinastia. Ele explicou que há dois anos foi descoberto um grande conjunto de armazéns na região, além de olaria de fabricação local e importada das ilhas do leste da Grécia, o que revela os prósperos laços comerciais que os egípcios mantiveram com os gregos.

Diário Oficial publica suspensão de licitações na Valec por mais 30 dias

O governo Dilma prorrogou, por mais 30 dias, a suspensão de "todos os procedimentos licitatórios de projetos, obras e serviços de engenharia em curso" da estatal responsável pelas obras de ferrovia, a Valec. O aviso foi publicado na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União e assinado pelo presidente interino da companhia, Antonio Felipe Sanchez Costa. O documento informa que, em atendimento à determinação do Ministério dos Transportes, ficam suspensas quatro licitações envolvendo a contratação de empresa de engenharia para prestar consultoria, elaborar projeto executivo, estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental e executar obras. As quatro concorrências citadas estão vinculadas a mais de 2 mil quilômetros da Fico (Ferrovia Transcontinental, da Ferrovia de Integração Centro-Oeste) e da Ferrovia Norte Sul. De acordo com assessoria da Valec, outros projetos foram paralisados a pedido da própria diretoria da empresa. A prorrogação dos processos licitatórios ainda é um dos desdobramentos das denúncias, divulgadas no mês passado, sobre irregularidades de contratos firmados pelo governo para execução de rodovias e ferrovias.

Procurador estima que desvio no Ministério do Turismo pode chegar a R$ 4 milhões


O esquema de desvio de recursos do Ministério do Turismo que resultou na prisão de 38 pessoas nesta terça-feira pode ter causado um prejuízo aos cofres públicos de cerca de R$ 4 milhões, de acordo com Celso Leal, procurador da República no Amapá. Segundo ele, o valor é relativo ao dinheiro liberado por meio de emenda parlamentar para um convênio firmado pelo ministério, em 2009, com o Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável). Convênio que Leal qualifica como "uma grande fraude para desviar dinheiro do ministério". O procurador explicou que os indícios de irregularidades foram constatados pelo Tribunal de Contas da União. De acordo com Leal, investigações preliminares indicam que mesmo tendo recebido o dinheiro do ministério, a ONG Ibrasi jamais realizou os cursos de qualificação profissional previstos no convênio. Voltado a profissionais de turismo, o treinamento deveria ocorrer no Amapá. De acordo com o procurador, os fortes indícios de irregularidades motivaram a Operação Voucher, que cumpriu 19 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de prisão temporária. De acordo com Leal, as prisões foram decretadas a fim de manter a viabilidade da investigação criminal: "No decorrer da investigação, notamos uma dificuldade porque os investigados tentavam manipular a investigação. O outro fundamento foi a manutenção da ordem pública, ou seja, para evitar que novos crimes semelhantes fossem cometidos por estas mesmas pessoas". O procurador prevê que as investigações policiais serão encerradas em no máximo duas semanas.

TCU diz que comandante do Exército favoreceu empresas


Fiscalização do Tribunal de Contas da União afirma que o general Enzo Martins Peri, comandante do Exército, beneficiou empresas ligadas a militares com dispensas de licitação entre 2003 e 2007, quando administrou o DEC (Departamento de Engenharia e Construção), do Exército. De acordo com relatório concluído em junho, há casos de projetos contratados que não foram entregues e outros de duplicidade de pagamentos, quando duas entidades recebem dinheiro por um mesmo contrato. A análise do Tribunal de Contas da União verificou os convênios do Exército com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), entre os anos de 2003 e 2010. Foram vistoriados pelos fiscais do tribunal 200 contratos. No período em que o general Enzo esteve à frente do DEC foram assinados 27 acordos com a Fundação Ricardo Franco, que subcontratou dez empresas ligadas a militares. Todos sem licitação. Criada em 1997, em apoio ao IME (Instituto Militar de Engenharia), a fundação que tem o nome do patrono da engenharia do Exército recebeu R$ 85 milhões em quatro anos. O Tribunal de Contas da União informa que pelo menos R$ 15 milhões foram destinados irregularmente a essas empresas. De acordo com o levantamento do TCU, o coronel Paulo Roberto Dias Morales coordenou o convênio do IME com o Dnit, entre 2004 e 2005. Investigação do próprio Exército mostra que, durante este período, o coronel acompanhou a criação das empresas que mais tarde ganhariam os contratos. Segundo inquérito policial militar, os donos das empresas seriam amigos do coronel Dias Morales. Essas empresas eram subcontratadas pela Fundação Ricardo Franco para realizar projetos de viabilidade econômica, ambiental ou de monitoramento das estradas federais. Três delas tinham como sócia a cunhada do major Washington de Paula, braço direito do coronel Morales.

Ministério da Agricultura - Aeroporto serviu de cenário para pedido de propina


A reunião em que teria sido proposta propina de R$ 22 milhões para funcionários da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberarem o pagamento de uma dívida de R$ 150 milhões à empresa Spam ocorreu em instalações da Infraero no Aeroporto de Brasília. A informação é do advogado Antônio Carlos Simões, que revelou detalhes do esquema à revista “Veja” . Ao jornal Globo, ele afirmou que o encontro ocorreu numa das salas de reunião da Infraero, no terminal do aeroporto. E explicou que um outro representante da empresa foi quem organizou o encontro. Simões afirmou que o advogado Domingos Flores Fleury da Rocha, que também atua no caso, a serviço da Spam, pediu que ele comparecesse à reunião, ocorrida no início de março, em sala no andar superior ao térreo. Segundo Simões, Fleury, acompanhado de um homem que se apresentou como advogado da Conab, propôs o pagamento de um percentual sobre o valor da dívida para servidores da Companhia. “O doutor Fleury foi quem falou que tinham solicitado uma comissão de 15% para fazer o pagamento e que precisava da minha concordância”, conta. Simões explicou que o suposto representante da Conab, que foi descrito por ele como moreno, gordo e de estatura mediana, não se identificou.

Dilma convoca ministros para discutir prisões no Turismo


Surpresa com a operação da Polícia Federal no Ministério do Turismo, a presidente Dilma Rousseff convocou para esta terça-feira um almoço no Palácio do Alvorada para tratar da questão com os ministros mais próximos. Segundo um ministro, que pediu para não ser identificado, a presidente ficou "preocupada" ao saber da prisão de algumas pessoas e com a Operação Voucher, da Polícia Federal. O ministro disse que o governo ficou surpreso com a prisão do ex-secretário-executivo da pasta Mário Moysés, filiado ao PT. "Ele é tido como de alta confiança por nós e pela presidente. Temos confiança no sua honestidade", afirmou o ministro.

Nasa financiará 30 novos projetos espaciais


A Nasa (agência espacial americana) anunciou o financiamento de 30 novos projetos. Entre eles, a proteção de astronautas da radiação no espaço, a eliminação de dejetos espaciais e a melhoraria da tecnologia espacial. Cada uma das propostas receberá US$ 100 mil (cerca de R$ 162 mil) de financiamento durante o período de um ano no âmbito do NIAC (Instituto de Conceitos Avançados da Nasa), informou a agência na segunda-feira (8) em um comunicado. "Estes conceitos inovadores têm o potencial de se tornar a capacidade transformadora que a Nasa precisa para melhorar nossas operações atuais de missões espaciais, semeando os avanços de tecnologia necessários para as desafiadoras missões espaciais no futuro da Nasa", disse o chefe de tecnologia da agência, Bobby Braun. Outros projetos incluem o uso de tecnologia tridimensional de impressão para criar um posto avançado planetário e uma pesquisa sobre várias formas de combustível para futuras missões de exploração, incluindo a energia solar e a nuclear.

Marta Suplicy diz que ex-assessor preso teve conduta exemplar


A ex-ministra e senadora Marta Suplicy (PT-SP) disse nesta terça-feira, que o seu ex-chefe de gabinete Mário Moysés "fez um trabalho exemplar no Ministério do Turismo". Ela também elogiou a atuação do sucessor, Luiz Barreto, que comandava a pasta até 2010. "Fiquei por um ano no Ministério. Ambos foram exemplares. Tanto que foram mantidos no governo", afirmou ela, recusando-se a fazer avaliação sobre a Operação Voucher. Depois que a petista deixou o cargo, ele continuou na pasta e, entre novembro de 2008 e 2010, assumiu a secretaria-executiva do ministério, então sob o comando de Barreto. Formado em Física pela USP (Universidade de São Paulo) e pós-graduado em Administração Financeira pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), Moysés ocupou a presidência da Embratur entre janeiro e junho de 2011.

Oposição quer apurar denúncias sobre Ministério do Turismo


Com mais um foco de suspeita de irregularidade no governo Dilmar Rousseff, líderes da oposição no Congresso pressionam para investigações no Legislativo e, mais uma vez, trabalham para conseguir assinaturas para uma CPI. Dessa vez o foco das críticas de DEM e PSDB é o Ministério do Turismo. O líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), afirmou que vai apresentar requerimentos para ouvir o controlador-geral da União, Jorge Hage. "Onde estão os órgãos de fiscalização do governo?", questionou Nogueira. O tucano também prometeu ingressar na Procuradoria-Geral da República para que o caso seja investigado e quer que o ministro Pedro Novaes (Turismo) dê explicações no Congresso. "Não é mais exceção. Agora a regra é a irregularidade", disse o deputado. Já o DEM, em uma ação conjunta entre Câmara e Senado, quer instalar uma CPI da Corrupção, que apure todos os focos de suspeitas de irregularidades nos ministérios do Turismo, Agricultura e Transportes, entre outros. O partido ainda analisa se vai pressionar por uma CPI mista ou só do Senado. O líder da sigla, ACM Neto (DEM-BA), afirmou que vai trabalhar para conseguir assinatura de congressistas inclusive da base aliada, que tiveram seus partidos  envolvidos nas suspeitas de irregularidades. "Agora a corrupção é uma coisa endêmica. Vamos cobrar de partidos da base do governo que assine a CPI, pois quem não apoiar estará assumindo a responsabilidade", disse ACM Neto.

Ministro da Agricultura descarta conspiração contra PMDB


O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, disse nesta terça-feira, após saber da prisão de 38 pessoas ligadas ao Ministério do Turismo, também comandado pelo PMDB, não acreditar em uma conspiração contra seu partido. O Ministério do Turismo é o segundo ocupado pelo PMDB envolvido em denúncias de corrupção. O ministro Wagner Rossi (Agricultura) também é acusado de estar envolvido em um esquema de fraudes na pasta, além de ter indicado parentes de líderes do PMDB na Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O presidente do Senado, José Sarney, admitiu, porém, que as denúncias trazem desgastes ao partido, que tem a maior bancada no Senado.

Ministro do Turismo volta a Brasília e se explica ao governo


A ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) conversou na manhã desta terça-feira por telefone com o ministro Pedro Novais (Turismo) sobre as denúncias na pasta que levaram à prisão de 38 pessoas de 38 pessoas nesta manhã. Na conversa, Novais garantiu que "está se empenhando" em esclarecer o que ocorreu na pasta. As denúncias são anteriores a sua gestão no Turismo. A Casa Civil avaliou que não há denúncias até o momento que envolvam o nome do ministro. Novais é do PMDB, o principal partido aliado do PT no governo Dilma.

PMDB diz que ação da Polícia Federal no Turismo também atinge outras siglas


O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), disse nesta terça-feira que o partido não pode ser responsabilizado pelas fraudes levantadas pela Polícia Federal no Ministério do Turismo. Raupp afirmou que o partido assumiu a pasta há seis meses e a Polícia Federal deve estar investigando o esquema de corrupção no ministério há pelo menos um ano. "A operação deve ter começado há muito tempo. Pega pessoas ainda do exercício anterior, ex-dirigentes. Atinge PT, PTB, PMDB. Tem gente do PT lá também", afirmou. Antes do ministro peemedebista Pedro Novais (Turismo) assumir o cargo, a pasta era ocupada pelo ex-ministro Luiz Barretto, que foi secretário-executivo da pasta na gestão da petista Marta Suplicy. Barreto assumiu após a saída da petista. Antes de Marta, a pasta também foi ocupada por Walfrido Mares Guia, indicado pelo PTB. Raupp disse que a operação da Polícia Federal no Turismo não pode ser "partidarizada" por ter o PMDB no comando da pasta. "São técnicos que estão lá de diversos partidos que já ocuparam o ministério, não podemos responsabilizar apenas o ministro, que assumiu o ministério há seis meses. Esse assunto é antigo, tem mais de dois anos. As operações da Polícia Federal são feitas com bastante antecedência", assegurou ele.

Marco Maia diz que denúncias a ministérios preocupam

O presidente da Câmara dos Deputados, o petista Marco Maia (RS), afirmou nesta terça-feira que o "turbilhão" de denúncias envolvendo ministérios do governo da presidente Dilma Rousseff preocupam. O congressista admitiu que a situação é grave e brincou dizendo que se fosse o número dois de qualquer ministério estaria preocupado, pois muitos estão caindo após suspeitas de irregularidades em diversas áreas. "Se eu fosse o número dois de qualquer ministério eu estaria preocupado, porque o que está caindo de número dois. É um turbilhão de denúncias que traz preocupação adicional, mas não podemos deixar que isso paralise o governo e o Brasil", afirmou Maia. O presidente da Câmara também admitiu, pela primeira vez, que as suspeitas de corrupção em diversas pastas do governo podem resultar em algum impacto nos trabalhos do Congresso, mas negou paralisação nas votações.

Sarney defende ministro do Turismo, mas diz que não o escolheu


O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se isentou nesta terça-feira de responsabilidades pela indicação do ministro Pedro Novais (Turismo) para o cargo. Sarney disse que o nome do ministro foi uma escolha da bancada do PMDB da Câmara e disse não ter conhecimento, na época de sua indicação, que seria o nome do partido para o cargo. Aliado político de Novais, Sarney saiu em defesa do ministro ao afirmar que ele tem uma "reputação ilibada". "No acordo com o PMDB, a Câmara dos Deputados, através da sua bancada, ficou de indicar o Ministério do Turismo. E a bancada no Senado de indicar outro ministro, que era de Minas e Energia. De maneira que o ministro foi indicado pela Câmara. Quando tive conhecimento, eu não sabia que o nome dele seria escolhido", afirmou.

ONG recebeu R$ 15,9 milhões do Ministério do Turismo


A Polícia Federal revelou que a ONG que teria desviado recursos do Ministério do Turismo é o Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável). A ONG, com sede em São Paulo, recebeu emenda da deputada federal Fátima Pelaes (PMDB-AP) para treinamento em turismo no ano de 2009 no valor de R$ 4 milhões. De acordo com a Polícia Federal, houve "direcionamento das contratações às empresas pertencentes ao esquema de corrupção; ausência de preços de referência e de critérios de aceitabilidade de preços; inexecução ou execução parcial do objeto pactuado no convênio; pagamento antecipado de serviços; fraude nos documentos comprobatórios de despesas; contrapartida não executada ou executada irregularmente pelo Instituto sem fins lucrativos". Entre 2009 e 2011, esta ONG prestou outros serviços para o Ministério do Turismo que somam R$ 15,9 milhões. A ONG se apresenta com tendo quatro dirigentes: Luiz Gustavo Machado, Maria Helena Necchi, Sandro Saad e Jorge Fukuda. Luiz Gustavo foi assessor da presidência da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) entre 1999 e 2002. Maria Helena trabalhou no mesmo período na Secretaria de Assistência Social do Estado de São Paulo. Fukuda foi assessor jurídico na SPTrans na década de 90.

Produção industrial cai em nove das 14 regiões pesquisadas


A produção industrial caiu em nove dos 14 locais avaliados pela PIM (Pesquisa Industrial Mensal), apurada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), entre os meses de maio e junho. No total das regiões consideradas, a queda foi de 1,6% em junho. Descontados os efeitos sazonais, os recuos mais acentuados ocorreram no Rio de Janeiro, com queda de 4,5%, no Amazonas, com recuo de 3,7%, seguidos por Ceará, com produção industrial retrocedendo 2,9%, Espírito Santo, com queda de 2,4%, Pará, com recuo de 1,8% e Rio Grande do Sul, com retrocesso de 1,6%. As regiões com quedas abaixo da observada no total nacional foram São Paulo, onde houve recuo de 1,5%, Minas Gerais, com queda de 1,3%, e Santa Catarina, com ligeiro retrocesso de 0,1%.

Menino de nove anos enfrenta o pai e salva mãe de agressão no Tocantins


Um menino de nove anos enfrentou o pai e salvou a mãe de uma agressão na segunda-feira, no município de Paranã (TO). Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a família tinha ido a uma chácara e voltava para casa quando o casal começou a discutir. Durante a briga, motivada por ciúmes, o marido jogou a mulher no chão e começou a golpeá-la com uma pedra na cabeça. A vítima chegou a levar três golpes, até que o filho do casal empurrou o pai, que estava em cima da mulher, e conseguiu parar a agressão. A mulher foi até uma delegacia para registrar boletim de ocorrência. Ela contou que estava com o marido há dez anos e que nunca tinha sido agredida. O agressor foi enquadrado na lei Maria da Penha e deverá manter distância de pelo menos 300 metros da vítima.

Pai da rainha Silvia da Suécia foi um herói, não um nazista


A investigação realizada a pedido da rainha Silvia da Suécia, alemã de nascimento, sobre os vínculos entre seu pai e o regime nazista conclui em um relatório publicado nesta terça-feira que ele pode ter sido um herói que ajudou um empresário judeu a fugir da Alemanha. A rainha anunciou há alguns meses ter solicitado um relatório sobre as atividades de seu pai, Walther Sommerlath, no Brasil e na Alemanha entre 1930 e 1940, depois de especulações sobre suas controversas relações com o regime nazista. Embora se soubesse há tempos que Sommerlath se afiliou ao Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores em 1934, quando vivia com sua família no Brasil, a rainha insistiu que ele não estava envolvido politicamente e que havia sido forçado, assim como muitos outros, a se unir ao partido para salvar sua carreira. Mas em maio deste ano, o canal privado TV4 revelou que Sommerlath havia se aproveitado do programa nazista a favor dos arianos para se apoderar de uma empresa que pertencia ao empresário judeu Efim Wechsler em 1939. Segundo um relatório de 34 páginas publicado nesta terça-feira e redigido pelo historiador sueco Erik Norberg, os arquivos indicam que Sommerlath estava fazendo um favor a Wechsler. Havia trocado parte de uma plantação de café no Brasil por sua empresa em Berlim para permitir que o empresário judeu abandonasse a Alemanha. Sommerlath saiu da Alemanha e se instalou no Brasil em 1920, aos 20 anos. Foi no Brasil que conheceu e se casou com a mãe brasileira da rainha, Alicia, cuja família era proprietária de uma grande plantação de café. Voltou com a família para a Alemanha e em 1939 tomou o controle da empresa de eletrodomésticos Wechsler em Berlim, mas logo foi pressionado para que a transformasse em uma empresa de suprimentos militares, segundo o informe de Norberg. A fábrica foi destruída em um bombardeio em 1944 e a família retornou ao Brasil em 1947.

Vereadores agora querem "desaprovar" dia do orgulho hétero em São Paulo


PT e PSDB se articulam para convencer o prefeito Gilberto Kassab (PSD) a vetar o projeto que cria o Dia do Orgulho Heterossexual, aprovado na Câmara paulistana há menos de uma semana. Os vereadores, já têm 18 dos 55 votos. Para manter um veto, são necessários 19. O gesto do prefeito tornou peça-chave para resolver a crise política iniciada após a aprovação da proposta, do vereador Carlos Apolinário (DEM). Mas há outra opção: Kassab não veta nem sanciona e o projeto volta ao Legislativo para sanção automática. A Câmara não pode vetar projeto que ela mesmo aprovou. Com isso, a alternativa restante seria votar outro projeto revogando a lei, o que seria embaraçoso para a Câmara. A criação do Dia do Orgulho Hétero ganhou até repercussão internacional. Os sites das revistas "Forbes" e "Newsday" deram destaque ao "Straight Pride Day". O assunto chegou a ser um dos mais comentados do Twitter em todo o mundo.

Conab reduz previsão para safra de grão 2010/2011


A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) diminuiu a previsão de produção de grãos na safra 2010/2011. De acordo com levantamento divulgado nesta terça-feira, o País deve produzir 161,5 milhões de toneladas. O estudo anunciado em julho apontava que a safra de grãos iria atingir 162 milhões de toneladas. Mesmo com essa diminuição, a produção de grãos terá aumento de 8,2% em relação à safra 2009/2010, quando o cultivo foi de 149,2 milhões de toneladas. Já a área cultivada aumentou 4,7%, atingindo 49,6 milhões de hectares, 2,2 milhões de hectares maior do que em 2009/10, quando a área utilizada para o cultivo era de 47,4 milhões de hectares. Segundo a Conab, o resultado só foi possível graças ao aumento da área e a boa influência do clima para o cultivo. Os principais produtos responsáveis pelo resultado são soja, milho, algodão, feijão e arroz. O crescimento da área de algodão é de 67,5%, chegando a 1,4 milhão de hectares. A produção deve ser de 1,95 milhão de toneladas de pluma. Em relação ao levantamento de julho, a produção desse grão deve cair em 50 mil toneladas. Segundo a Conab, essa queda irá ocorrer devido à antecipação do período de estiagem, principalmente na região Centro-Oeste. A produção de soja deve ser a maior da história chegando a 75 milhões de toneladas. Isso representa um crescimento de 9,2% em comparação com a safra 2009/2010. A colheita do produto já está encerrada. A produção de milho deve atingir 56,34 milhões de toneladas e a área total semeada deve chegar a 13,69 milhões de hectares. A área de feijão deve crescer 7,5%, chegando a 3,88 milhões de hectares. A produção do grão eleva-se em 12,5% e deve alcançar 3,74 milhões de toneladas. O arroz, um dos produtos que sofre com uma produção em excesso e um consumo em baixa - deve ter um aumento da área cultivada e da produção. O espaço para produção deve avançar 4,1% da área cultivada, devendo chegar a 13,73 milhões de hectares. O trigo deve ser o único produto a ter perda de área e produção. Segundo o levantamento, a área para cultivo será reduzida em 3,2%, chegando a 2,1 milhões de hectares. A produção deve ser de 5,28 milhões de toneladas.

Polícia Federal prende secretário-executivo do Ministério do Turismo e mais 37


A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira o secretário-executivo do Ministério do Turismo, Frederico Costa, e o ex-secretário-executivo da pasta, Mário Moyses, na operação Voucher, que investiga desvios relacionados a convênios de capacitação profissional no Amapá. Ao todo, 38 pessoas foram presas. Costa foi nomeado em janeiro pelo ministro Pedro Novais (PMDB), e Moysés dirigiu a Embratur até o meio deste ano. Moyses é ligado ao PT e assessorou a ex-ministra do Turismo, Marta Suplicy. Colbert foi indicado pelo ex-deputado Geddel Vieira Lima. Na ação, com cerca de 200 policiais federais, divididos em São Paulo, Brasília e Macapá, a Polícia Federal cumpriu 19 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de prisão temporária. A operação investiga o desvio de recursos públicos destinados ao Ministério do Turismo por meio de emendas parlamentares. Além dos presos, estão envolvidos também funcionários do Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável), foco da fraude, e empresários. Em São Paulo, foram presas 13 pessoas, oito em prisão preventiva e cinco temporária. Entre os detidos em São Paulo, está o secretário nacional de Programas e Desenvolvimento do Turismo, Colbert Martins da Silva Filho. Os detidos serão levados para o Amapá. Segundo a Polícia Federal, as pessoas envolvidas no esquema criminoso poderão ser indiciadas, de acordo com as devidas participações, pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e fraudes em licitação. As penas para tais crimes podem chegar a doze anos de reclusão.

ALL tem alta de 20% no lucro do segundo trimestre


A América Latina Logística, maior operadora ferroviária da América Latina teve alta de 20% no lucro líquido do segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2010, impulsionado por maiores volumes transportados e incrementos de tarifas. A companhia encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 185,6 milhões ante R$ 154,9 milhões um ano antes, período em que teve seu resultado ajustado para refletir o início da operação da unidade de transporte de contêineres Brado. Segundo a companhia, o yield ferroviário médio (indicador que mede as tarifas cobradas pela empresa para o transporte de carga) subiu 4,1% na comparação anual. Enquanto isso, o volume transportado no Brasil, onde a empresa mantém a maior parte de sua malha, teve alta de 9,6%, em meio a um aumento nos volumes de commodities agrícolas de 13% e leve expansão de no segmento de produtos industriais. O custo com serviços prestados consolidado da companhia subiu 14,8% sobre o segundo trimestre de 2010, a R$ 447,1 milhões, em meio a despesas com depreciação e amortização 30% maiores. A ALL encerrou o segundo trimestre com dívida líquida de R$ 3,16 bilhões, crescimento de 28,5% na comparação com um ano antes.

Saúde do Brasil vive processo de americanização, diz ex-ministro Temporão


Recém empossado diretor de um instituto internacional que tem como objetivo buscar soluções para a saúde pública dos 12 países da Unasul (União de Nações Sul-Americanas), o ex-ministro José Gomes Temporão vê em curso um processo de "americanização" do setor no Brasil. Para ele, a falta de uma fonte estável de recursos faz com que as famílias e as empresas assumam cada vez mais um papel que deveria ser do Estado. Temporão avalia que seu maior mérito nos três anos e dez meses como ministro do presidente Lula foi colocar a saúde em uma "dimensão política". Atualmente, além de comandar o Isags (Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde), que recebeu investimentos federais de cerca de R$ 1 milhão, mantém vínculos com a Fiocruz (onde ingressou há 31 anos) e integra uma equipe internacional de avaliação do sistema de saúde da China, que estuda reformas para o setor.

Empresário reafirma cobrança de propina em obras de Teresópolis


O empresário responsável pelo afastamento do prefeito eleito de Teresópolis, Jorge Mário Sedlacek (sem partido), confirmou na segunda-feira as acusações em depoimento à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. José Ricardo de Oliveira, da RW Engenharia, acusou dois ex-secretários da prefeitura e o presidente da comissão de licitações do município de cobrarem propina. As declarações foram dadas à CPI que apura as causas das mortes provocadas pelas chuvas na região serrana do Rio de Janeiro no começo do ano. Oliveira negou que foi forçado a fazer acusações ao Ministério Público Federal.

Táxi aéreo pode perder hangares nos aeroportos

O governo federal quer acabar com a classificação do táxi aéreo como serviço público. Pela proposta, que está em apreciação no Congresso Nacional, o táxi aéreo passaria a ser tratado como serviço privado. Se aprovada, a mudança fará com que o setor, que agrega 188 empresas, deixe de ser fiscalizado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o que implica riscos à segurança. As empresas seriam dispensadas de registro na agência, devendo apresentar apenas um certificado de que a aeronave está em condição de uso. O setor também perderá espaço nos aeroportos. Atualmente, por prestarem um serviço público (transporte remunerado de passageiro), as empresas de táxi aéreo têm direito garantido a hangares e a horários para pouso e decolagem. Como serviço privado, esse direito acaba.

Fernando Henrique Cardoso diz que DNA não muda relação com filho de repórter da Globo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso falou pela primeira vez sobre Tomás Dutra Schmidt, de 19 anos, que ele reconheceu em 2009 como seu filho. À revista "Alfa" que chega às bancas nesta quarta-feira, ele afirmou que nada muda depois que exames de DNA mostraram que o jovem não é seu filho biológico. "Vou preservá-lo totalmente. No afeto e nos recursos. Totalmente. É um assunto fora de discussão. E eu gosto muito dele. Isso é que é importante", disse Fernando Henrique Cardos. Dois testes de DNA, feitos em São Paulo e em Nova York, revelaram que Tomás Dutra Schmidt, filho da jornalista Miriam Dutra, da TV Globo, não é filho do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Filha de lobista trabalha no Ministério da Agricultura

Filha do lobista que levou à demissão do braço direito do ministro da Agricultura, Wagner Rossi, Nayara Paiva trabalha na pasta desde 17 de fevereiro. Ela é secretária-executiva da Ouvidoria do ministério, contratada por uma empresa que oferece mão de obra terceirizada. Seu pai, o lobista Júlio Fróes, é suspeito de distribuir propina para intermediação de contratos do Ministério da Agricultura, segundo a revista "Veja". Após a publicação da reportagem, o secretário-executivo da pasta, Milton Ortolan, pediu exoneração. Ortolan é homem de confiança do ministro. Nayara admitiu já ter se encontrado com o pai dentro do ministério, mas afirmou que, em nenhuma das vezes, foi ela quem deu autorização de acesso de Fróes ao prédio. Ortolan decidiu deixar o cargo após a revelação, pela "Veja", de que o lobista Júlio Fróes teria uma gravação em que ele exigia propina de 10% sobre contrato com o ministério. Ainda segundo a reportagem, Ortolan foi responsável por levar Fróes à primeira reunião na comissão de licitação do ministério, onde o lobista teria até sala própria. Lá, segundo a revista, ele elabora editais e escolhe as empresas prestadoras de serviço da Agricultura. Na carta de despedida, Ortolan negou as acusações e disse que terá como provar inocência.

Usineiros dizem que carro flex pode fracassar

Diante da queda de competitividade do álcool em relação à gasolina e da falta de um plano estrutural para o setor, os produtores de cana começam a admitir a possibilidade de o programa flex fuel fracassar, como ocorreu com o Pró-Álcool. O presidente da Unica (União da Indústria da Cana-de-açúcar), Marcos Jank, disse que, se não houver mudanças significativas no setor, o consumo de etanol hidratado deve cair ainda mais, diminuindo o interesse dos consumidores e da indústria nos carros flex. Segundo os dados mais recentes da ANP (Agência Nacional do Petróleo), as vendas de etanol hidratado pelas distribuidoras caíram 22% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2010. Em contrapartida, as vendas de gasolina subiram 15% no mesmo intervalo. O motivo da queda nas vendas do hidratado é o preço. Diante da estabilidade do valor da gasolina no mercado interno, o álcool tornou-se menos atrativo para o motorista. A Petrobras não mexe no preço da gasolina nas refinarias desde 2009. Na semana passada, era mais vantajoso para o consumidor abastecer seu carro flex com etanol em apenas quatro Estados, segundo pesquisa da ANP: São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Tocantins.

Governo quer criar "super abono" para nova classe média


O governo Dilma quer criar um "super abono" salarial para garantir a renda da classe C (também chamada de a nova classe média). O objetivo é tentar evitar que essas pessoas percam o padrão de consumo obtido com a melhoria nos rendimentos nos últimos anos, sobretudo diante dos desdobramentos do cenário internacional. Na prática, a exemplo do que foi feito com o Bolsa Família, a medida empacotará sob uma mesma marca benefícios que já são pagos aos trabalhadores de baixa renda, como o salário-família e o abono do PIS/Pasep. Para o governo, a medida será um estímulo à formalização do emprego. Segundo o ministro Moreira Franco (Secretaria de Assuntos Estratégicos), as idéias serão debatidas com os ministérios da Fazenda, Trabalho e Previdência. Segundo o secretário de Ações Estratégicas da SAE, Ricardo Paes de Barros, a base dessa nova rede de proteção social é aumentar o número de trabalhadores na faixa entre um e dois salários mínimos (R$ 545 a R$ 1.090), melhorar as relações deles com os empregadores e reduzir a rotatividade no emprego.

Bilionário Eike Batista diz que está com sangue "geladérrimo" diante da crise financeira


Brasileiro que mais perdeu até agora com a crise, o empresário Eike Batista diz que "mantém o sangue geladérrimo", apesar da turbulência que varreu nos últimos dias mais de US$ 2 bilhões de sua fortuna. Desde março, as empresas X, como são conhecidas, perderam US$ 27,3 bilhões (49%) de valor de mercado. "Estão vendendo tudo a preço de nada. Queria poder comprar", disse Eike Batista. Diferentemente das demais empresas, as companhias X não podem recomprar ações porque não dão lucro ainda. "Eu seria megacomprador", afirma o empresário. Ele acrescentou: "Tenho a dizer que minhas companhias têm US$ 10 bilhões em caixa e que vamos começar a produzir e a gerar receita. O meu mundo real não parou por causa de disciplina financeira e estou com todo o dinheiro necessário para alcançar a produção esperada até 2015. Essa crise está sendo vivida, mas que bom que estou com o caixa forrado e totalmente preparado". Ele diz se lamentar não poder fazer recompra das ações de sua empresa: "Infelizmente, como estou listado no Novo Mercado, não posso comprar ações de volta enquanto não tenho lucro. Se não fosse isso, eu estaria fazendo um plano de 90 dias de recompra. Estão vendendo tudo a preço de nada, como se o mundo fosse acabar amanhã. É hora de comprar! Eu adoraria". E assegura: "Meu sangue nesta hora está geladérrimo. Não posso fazer uma avaliação dessas se o mundo hoje só quer comprar ações que estão gerando caixa e que pagam dividendo. Bateu uma paúra no mercado. Dinheiro é covarde. O mundo real está bombando; não tem lugar em avião no Brasil, não tem gente para trabalhar e eu vou pagar dissídio de 8,5% para meus funcionários porque tenho medo de que eles vão embora. Que bom que a Europa e os Estados Unidos não vão crescer. Vai sobrar gente qualificada e equipamento para comprar".

Lucro do Banco do Brasil cresce 23% e bate recorde


O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 6,262 bilhões no primeiro semestre, com expansão de 23,4% ante igual período no ano passado. Considerando o ganho recorrente, sem eventos extraordinários, o aumento foi de 40,4%, atingindo R$ 6,153 bilhões. O lucro foi um recorde para o maior banco do País no primeiro semestre, mas ficou abaixo do Itaú, que apresentou lucro de R$ 7,133 bilhões nesse intervalo e alta de 11,5% no mesmo comparativo. O ganho recorrente (R$ 6,955 bilhões) teve acréscimo de 7,6%. No segundo trimestre, o lucro do Banco do Brasil (R$ 3,33 bilhões) aponta alta de 22,2% em doze meses e de 13,6% ante os três meses imediatamente anteriores. Já o ganho recorrente (R$ 3,23 bilhões) apresentou crescimento de 38,8% e de 10,5%, respectivamente. A carteira de crédito do banco, que inclui garantias prestadas e os títulos e valores mobiliários privados, alcançou R$ 421,3 bilhões em junho, com crescimento de 20,2% em 12 meses. As despesas de provisão para risco de crédito somaram R$ 5,7 bilhões no semestre, com queda de 3,7% sobre o mesmo período do ano anterior. O crédito para consumidores subiu para R$ 122,6 bilhões ao final de junho, com evolução de 21,2% em um ano. Os destaques nesse período foram o crédito consignado (R$ 47,9 bilhões), que teve expansão de 18,4% em 12 meses, e o CDC Salário (R$ 14,6 bilhões), com crescimento de 25,2% ante o mesmo período do ano anterior. O crédito imobiliário mantém a trajetória de expansão, com saldo de R$ 4,2 bilhões em junho, quase o dobro (99,5%) do registrado há 12 meses. Já as operações de financiamento de veículos somaram R$ 30,5 bilhões ao final do semestre, com aumento de 34,1%. Para as empresas, a carteira de crédito apresentou crescimento de 21,4% em 12 meses, registrando saldo de R$ 191,2 bilhões, com destaque para as linhas para investimento e para capital de giro. O índice de inadimplência, levando em conta apenas atrasos superiores a 90 dias, ficou em 2% ao final de junho, abaixo do registrado em março (2,1%) e no mesmo mês do ano passado (2,7%).

Fiat muda unidade em Pernambuco para local com o triplo da área


A Fiat Automóveis anunciou nesta terça-feira em Pernambuco que sua nova unidade no Brasil será instalada na cidade de Goiana, na zona da mata, e não mais no complexo industrial e portuário de Suape (a 60 quilômetros de Recife). O governo do Estado anunciou a realização de projetos em infraestrutura para Goiana (a 65 quilômetros ao norte da capital), que incluem porto e aeroporto, disse o prefeito Henrique Fenelon (PCdoB). O que determinou a mudança foi o fato de o terreno de 1.200 hectares em Goiana ser contínuo, plano e integrado, e com quase o triplo dos 440 hectares em Suape. A troca de local permitirá à montadora italiana ampliar o projeto com um centro de desenvolvimento com campo de prova. A mudança não deve alterar o plano de investir R$ 3 bilhões. A previsão é concluir o projeto até o começo de 2014. A capacidade de produção prevista é de 200 mil unidades por ano, mas poderá ser aumentada em Goiana. Medida provisória do governo federal permite que a Fiat em Pernambuco tenha isenção de IPI até 2020.

Justiça suspende pagamento para empresa de radar de Campinas, a Engebras


A Justiça paulista em Campinas (cidade localizada a 93 quilômetros da capital São Paulo) determinou em liminar que seja suspenso 40% do pagamento ao consórcio Campinas Segura, responsável pela fiscalização eletrônica no trânsito do município desde 2007. Faz parte deste consórcio a empresa Engebrás, responsável pela administração de pardais nas estradas gaúcas. Sobre esta empresa, há anos, circulam rumores de que pagava "mensalões" para parlamentares, um de 100 e outro de 150 mil reais (todos os meses). O pagamento mensal em Campinas ao consórcio é de cerca de R$ 1 milhão. De acordo com o juiz Mauro Fukumoto, da 1ª Vara da Fazenda Pública, há "fundados indícios de que efetivamente ocorreram as irregularidades" apontadas na ação civil pública do vereador Rafa Zimbaldi (PP). O vereador afirma que o consórcio não cumpriu as exigências da licitação de 2007, mesmo assim o contrato foi firmado. Segundo Zimbaldi, a vigência do consórcio teria vencido em janeiro de 2010 sem pedido de renovação. "A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas tem um contrato com um consórcio inexistente", disse ele. Zimbaldi pede ainda a nulidade das multas decorrentes de fiscalização eletrônica desde 2007. Com base nas afirmações, o juiz determinou a suspensão de 40% dos pagamentos mensais, que deverão ser depositados em juízo. O contrato de uma das empresas do consórcio Campinas Segura, a Engebrás, com a Emdec, entre 2004 e 2007, também foi questionado pelo Tribunal de Contas do Estado no final de julho. Os cinco aditamentos feitos no contrato inicial com a Engebrás, somando R$ 5,2 milhões, já haviam sido considerados irregulares pelo tribunal em 2006 e 2007, mas a empresa recorreu e teve o recurso negado há 18 dias. Quem colocou a Engebrás no DAER (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem) gaúcho? Qual era o valor do contrato? A Engebras recebia seus pagamentos sempre em dia? No dia em que saíam os pagamentos a empresa fazia saques de 100 e 150 mil reais? Ou de 250 mil reais? Quem determinava o pagamento com presteza dos serviços prestados pela Engebrás ao governo gaúcho?

Há 19 anos, o lobista Júlio Fróes já era notícia, preso por tráfico de cocaína no Ceará

Lobista Froes, preso por outro tráfico, de cocaína
Do site do jornalista Claudio Humberto: "Denunciado neste fim de semana pela revista Veja por tráfico de influência na Esplanada, não é de hoje que o lobista do Ministério da Agricultura, Júlio César Fróes Fialho, é notícia nas páginas dos jornais. Fróes foi detido em 1992 no Aeroporto de Fortaleza por tráfico de drogas. Fróes, agora mais gordo e provavelmente treinado na cadeia, foi o responsável pela covarde agressão física ao jornalista Rodrigo Rangel, da revista Veja, que prestou queixa da violência na última quinta-feira na 1ª DP de Brasília. O lobista Júlio César Fróes Fialho cumpriu três anos de cadeia no Ceará e Minas Gerais, acusado de tráfico de drogas. Ele foi preso pela Polícia Federal em 1992 no aeroporto de Fortaleza, chegando de Rio Branco (AC), com meio quilo de cocaína na mala. Era “marqueteiro político” e se apresentava apenas como “César Fialho”. Figura muito conhecida em Fortaleza, “César Fialho” foi manchete no jornal O Povo, à época, por sua prisão como traficante. Julio Fróes diz ter sido “marqueteiro” de Vicente Fialho, candidato a deputado federal, e de Ricardo Prado (estadual), no Ceará. Pelo jeito, Julio Fróes aprendeu a brigar na prisão. Foi ele quem agrediu o repórter Rodrigo Rangel, de Veja, que o denunciou. Mineiro, Julio Fróes não gostava da cela lotada de Fortaleza e por isso obteve transferência para a cadeia de Contagem (MG)".