quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Dois funcionários da concessionária Farroupilha Ambiental são presos no Rio Grande do Sul

Na tarde dessa quinta-feira, a Força Tarefa gaúcha que é integrada pelo Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, por meio do promotor de Justiça Daniel Martini, pela Delegacia do Meio Ambiente Estadual, comandada pela delegada Elisângela Melo Reghelin, pelo Batalhão Ambiental, e por técnicos, entre eles o biólogo Jackson Muller, desencadeou uma operação no município de Farroupilha. A Força Tarefa esteve durante a tarde no Aterro Sanitário do Município de Farroupilha, empreendimento que é pela empresa de propósito específico Farroupilha Ambiental S/A, do grupo Solví (Vega Engenharia), onde constataram crime ambiental e inúmeras outras irregularidades, conforme apontou o promotor Daniel Martini. Dois funcionários da concessionária Farroupilha Ambiental S/A, presentes no empreendimento, acabaram conduzidos a Delegacia de Polícia gaúcha daquela cidade, onde prestaram esclarecimentos e se encontram presos. O prefeito de Farroupilha, Ademir Baretta (PMDB), não compareceu no empreendimento municipal onde estava a Força Tarefa, mesmo tendo sido convidado. Em seu lugar, o procurador municipal da Prefeitura se fez presente, tendo informado que o prefeito Baretta estava em viagem. O Executivo Municipal de Farroupilha será chamado para esclarecimentos sobre o crime ambiental e as irregularidades apontadas pela Força Tarefa. Farroupilha agora faz parte de uma lista municípios do Rio Grande do Sul que já foram inspecionados pelo Ministério Público Estadual, em conjunto com a Delegacia do Meio Ambiente Estadual, Batalhão Ambiental, e por técnicos que atuam na área do meio ambiente. Quase cinco meses atrás, o secretário de Agricultura, Indústria, Comércio e Serviços do Município de Panambi foi preso pela delegada Elisângela Melo Reghelin, por crime ambiental constatado no aterro sanitário do município. Elisangêla integrava na oportunidade a Força Tarefa que esteve presente na ocorrência. Também foram detidos o diretor da pasta municipal e o responsável técnico pelo empreendimento. Naquela oportunidade além dos integrantes da Força Tarefa, se fez presente o promotor de Justiça de Panambi, Marcos Eduardo Rauber. Essa operação pode ter explicado a ausência na operação desta quinta-feira, em Farroupilha, do prefeito da cidade. Operar aterros sanitários sem o devido licenciamento ambiental é crime. Há no Rio Grande do Sul pelo menos mais um aterro sanitário que não possui Licença de Operação (LO) da FEPAM (Fundação Estadual de Proteção do Meio Ambiente). Conforme o administrador Enio Noronha Raffin, editor do site Máfia do Lixo, o município de Canos é dono do Aterro Sanitário Guajuviras que está sem licença ambiental. Esse aterro foi operado nos últimos anos pela Vega Engenharia Ambiental. A mesma que teve seus funcionários presos agora em Farroupilha. Desde a última concorrência do lixo em Canoas, cujo contrato foi assinado este ano, a responsabilidade da operação do Aterro Sanitário Guajuviras passou a ser da Revita Engenharia Ambiental S/A, empresa essa que também integra o grupo Solví. Espera-se há muito tempo que a Força Tarefa faça uma operação de vistoria no Aterro Sanitário Guajuviras, empreendimento esse de titularidade do Município de Canoas (RS), comandado pelo prefeito jornalista Jairo Jorge (PT).

Autora de emenda recebeu dinheiro desviado do Turismo, dizem investigados

Pelo menos quatro depoimentos de investigados na Operação Voucher à Polícia Federal afirmam que a deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) recebeu parte dos recursos desviados do esquema fraudulento no Ministério do Turismo. Ela é a autora da emenda que deu origem aos convênios suspeitos. De acordo com os relatos, a deputada teria montado um esquema no Amapá para levar recursos públicos para ela própria e para a campanha à sua reeleição no ano passado. Um dos depoimentos é de Merian Guedes de Oliveira, que aparece como secretária da Conectur, uma entidade fantasma que, segundo a investigação, foi subcontratada pelo Ibrasi por R$ 250 mil e teve convênio com o próprio Ministério do Turismo em 2009 no valor de R$ 2,5 milhões. Merian disse que foi avisada pelo seu patrão e dono da Conectur, Wladimir Furtado, que a deputada Fátima Pelaes ficaria com os recursos do Turismo. Furtado foi preso na terça-feira. De acordo com o depoimento, Merian “ficou sabendo de Wladimir que na divisão do dinheiro a deputada Fátima Pelaes ficou com maior parte do dinheiro destinado à empresa, inclusive tendo Wladimir comentado que o dinheiro destinado a empresa não seria suficiente para pagar os encargos financeiros. Que a tratativa em comento refere-se ao primeiro repasse no valor de R$ 2.5000.000,00″. E o depoimento continua: “Que ouviu de Wladimir estar preocupado de ter sido incluído pela deputada Fátima Pelaes neste esquema de desvio de dinheiro público, o que poderia culminar com a prisão de Wladimir”. Merian ainda afirmou à Polícia Federal que “os demais repasses de dinheiro/recurso feitos a empresa Conectur, na verdade foram desviados para a deputada Fátima Pelaes, não tendo ficado qualquer valor com a empresa ou com Wladimir”. Para a Polícia Federal, Wladimir Furtado disse que “nunca entregou nenhum dinheiro para Fátima Pelaes”. Entretanto, um outro depoimento, agora do sobrinho dele, David Lorrann Silva Teixeira, confirmou a mesma versão da secretária. O sobrinho aparece na investigação como tesoureiro da Conectur. Segundo ele, “seu tio falava que ganharia 10% do total e a deputada federal Fátima Pelaes ficaria com aproximadamente R$ 500.000,00 do total”. A deputada, segundo ele, tinha “pressa” para liberar os recursos. Outro depoimento que menciona Fátima Pelaes foi dada por Errolflynn de Souza Paixão, que já foi sócio da Conectur. Segundo ele, “Wladimir chegou a dizer que o dinheiro seria devolvido à deputada”. Já outra depoente, Hellen Luana Barbosa da Silva, afirmou aos policiais que, na sua opinião, “a deputada Fátima Pelaes indicou o Ibrasi (entidade que recebeu duas emendas de R$ 9 milhões de Fátima) para receber parete do dinheiro para financiar sua campanha à reeleição”.

Cid Gomes 'tinha razão' ao criticar ministro dos Transportes, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira, em entrevista ás rádios cearenses, que o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), tinha razão ao criticar o Ministério do Transportes pelas condições das estradas que cortam o Estado. "Nós reconhecemos que o governador tinha razão. O estado das rodovias federais era extremamente precário, e tomamos as providências para que isso comece a se alterar totalmente", disse Dilma. A presidente afirmou ainda que Cid denunciou o problema corretamente. "Quando há criticas corretas - e acho que o governador fez crítica correta, apontando o problema na malha rodoviária do Estado -, cabe ao governo federal reconhecer e tomar as providências e é isso que nós estamos fazendo". Sobre a queda do ministro Alfredo Nascimento, que teria ganhado corpo a partir das denúncias de Cid Gomes, Dilma não quis comentar. "Demais questões são absolutamente acessórias e irrelevantes", finalizou. Durante visita às obras de terraplenagem da Siderúrgica do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, Dilma elogiu muito o ex-ministro Ciro Gomes, irmão de Cid. Ao lado do governador do Ceará, a presidente chamou o Ciro de "amigo", "pessoa especial" e de "guerreiro pelas causas do Ceará". No ano passado, Ciro Gomes foi obrigado a abrir mão de sua candidatura à presidência da República para que seu partido, o PSB, apoiasse a então candidata petista. Sem mandato político, Ciro Gomes vem fazendo críticas à forma como o governo federal vem se relacionando com a base aliada. Semana passada, ele chegou a prever a queda de mais ministros e disse que Dilma herdou "um fim de governo Lula com todos os sintomas de descalabros".

Alckmin anuncia túnel entre Santos e Guarujá para o início de 2016

Um túnel será construído para ligar as duas margens do Estuário de Santos, entre Santos e Guarujá, no litoral paulista. O anúncio da obra foi feito nesta quinta-feira pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. A ligação, orçada em R$ 1,3 bilhão, está prevista para ser entregue em 2016. A decisão foi tomada após um estudo sobre as alternativas de construção possíveis para a transposição do canal. A pesquisa concluiu que o posicionamento da travessia em um ponto intermediário do canal seria a melhor alternativa, e o túnel ligará Outeirinhos, na região central de Santos, a Vicente de Carvalho, no Guarujá. Segundo os estudos, o ponto escolhido terá a preferência de grande parte dos veículos que utilizam atualmente a balsa Santos-Guarujá, mas não inviabilizará sua continuidade. O túnel imerso terá cerca de 900 metros e, ao invés de ser escavado, será composto por perfis de concreto armado que serão construídos em terra firme e depois transportados e afundados no local da travessia. O túnel respeitará uma profundidade mínima de 21 metros, compatível com o projeto de aprofundamento do canal do Porto. A Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A.) contratará o projeto executivo e iniciará o processo de licenciamento ambiental do empreendimento. Os investimentos nessas etapas estão estimados, respectivamente, em R$ 39 milhões e R$ 3 milhões. A previsão é que a licitação de contratação do projeto seja concluída em janeiro de 2012, quando começam os trabalhos técnicos. A previsão é concluir o projeto ainda em 2012, permitindo que a obra possa ser contratada no início de 2013, após licitação.

Aldo Rebelo lança candidatura a ministro do TCU

O deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP) lançou-se na corrida pela vaga de ministro do Tribunal de Contas da União, aberta com o pedido de aposentadoria do ex-presidente do órgão Ubiratan Aguiar. Aldo engrossa o time de candidatos da base governista, que já conta com nomes do PT, PMDB, PSB, PR e PDT. Aldo, que foi presidente da Câmara entre 2005 e 2007, diz que, no momento, conta apenas com o apoio de seu partido (15 deputados e dois senadores). Mas o comunista, titular de seis mandatos consecutivos, dispõe ainda do capital acumulado nas últimas duas eleições em que concorreu à presidência da Câmara. Tradicionalmente, Câmara e Senado se alternam na indicação de seis das nove vagas de ministro do Tribunal de Contas da União, sendo que as outras três são indicadas pelo presidente da República. Agora é a vez de um nome da Câmara herdar a cadeira de Ubiratan Aguiar, que foi deputado pelo PSDB.

Senado aprova anistia a policiais e bombeiros do Rio de Janeiro

O plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira projeto de lei concedendo anistia aos bombeiros e policiais militares do Rio de Janeiro que fizeram greve e manifestações em junho reivindicando melhorias salariais. A anistia é estendida aos policiais militares e bombeiros de mais 13 Estados. A matéria segue para votação na Câmara dos Deputados. O projeto do senador fluminense Lindbergh Farias (PT) tinha sido aprovado em caráter terminativo na Comissão de Constituição e Justiça, mas um recurso fez com que fosse apreciado também no plenário. Com isso, o benefício foi estendido aos policiais militares e bombeiros da Bahia, do Ceará, de Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, do Rio Grande do Norte, de Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe, do Tocantins, Distrito Federal e de Alagoas. Eles também haviam organizado manifestações por aumento salarial e respondiam a processos disciplinares e acusações de crimes militares. O senador Lindbergh Farias afirmou que a aprovação da matéria contribui para reduzir o clima de tensão entre os parlamentares e os policiais militares. A categoria pressiona o Congresso há meses, reivindicando a votação da PEC 300, que aumenta os salários desses profissionais e cria um piso nacional para a categoria. O governo é contrário à proposta, que elevaria os gastos públicos em um momento de crise financeira mundial e ajuste fiscal obrigatório no Brasil. Apenas o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) se absteve da votação, dizendo-se contrário à "anistia por atacado" dos 432 militares que invadiram o quartel central dos bombeiros militares do Rio de Janeiro em junho. Para ele, seria preciso avaliar a ação individual de cada manifestante.

Presidente do PT nega que haja crise entre aliados

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, negou nesta quinta-feira, em Curitiba, que haja qualquer crise envolvendo partidos aliados, particularmente o PMDB, ou que as acusações de corrupção estejam interferindo no trabalho normal do governo federal. "Não há qualquer crise, não vim aqui tratar de crise", afirmou. "Não há crise nos ministérios, os ministros continuam trabalhando, o PAC, o Minha Casa Minha Vida estão funcionando", acrescentou. Rui Falcão esteve em Curitiba para participar de uma plenária, em que se discutiu o planejamento para as eleições municipais do próximo ano. Segundo ele, a presidente Dilma Rousseff está agindo de forma correta em relação às denúncias de corrupção, assim como já teria feito o ex-presidente Lula nos oito anos anteriores. "Todas as denúncias de corrupção têm sido apuradas", salientou. "Não só apoiamos as iniciativas de apuração como as ações estão coerentes com a trajetória do PT". Rui Falcão acentuou que isso só é possível porque desde o governo anterior a Polícia Federal e a Receita Federal passaram a ser valorizadas, além de os ministérios contarem com seus próprios instrumentos de inteligência. "Há mais mecanismos de controle para cuidar que os recursos públicos sejam bem aplicados", disse.

Delegados da Polícia Federal reagem à crítica de Dilma e ameaçam parar

As entidades de representação dos delegados e peritos da Polícia Federal rebateram as acusações da presidente Dilma Rousseff de que ocorreram abusos na Operação Voucher. Em campanha por reajustes salariais, eles ameaçam convocar paralisações ainda neste mês. As manifestações foram emitidas em nota assinada pela ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), pela Fenadepol (Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal) e pela APCF (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais). Segundo a nota, "as críticas do governo à Operação Voucher, conduzida pela Polícia Federal em Brasília, repercutiram negativamente entre essas duas carreiras". O presidente da ADPF, Bolivar Steinmetz, afirmou que "a Polícia Federal já está sofrendo com a agenda econômica do governo, não pode ser pautada também pela sua agenda política". De acordo com o texto, as entidades "consideram promover paralisações neste mês agosto para cobrar melhorias na Polícia Federal. Desde outubro de 2009, as duas categorias negociam com o Governo Federal sem sucesso. Assembleias estão sendo convocadas para decidir o que fazer diante da posição da União". As categorias pedem aumento para repor perdas inflacionárias por meio de um reajuste de 6,5% em 2012. Antônio Góis, presidente da Fenadepol disse que "nenhum servidor público suporta três, quatro, cinco anos sem reposições salariais. Isso reflete negativamente no desempenho policial".

Renan admite divergências no PMDB sobre relação com o governo

Em meio à rebelião de aliados da presidente Dilma Rousseff no Congresso, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) admitiu nesta quinta-feira que há "divergências" dentro do PMDB sobre a relação do partido com o governo. O líder do PMDB no Senado disse que há setores do partido com "insatisfações políticas", mas que trabalha para unir a sigla em torno do apoio à presidente Dilma Rousseff. "Temos divergências no PMDB, estamos trabalhando para superá-las. As insatisfações existem, são políticas. Precisamos integrar mais a bancada. Não dá para conjugar o stress mundial na economia com uma crise interna", afirmou. Setores do PMDB ficaram irritados com a Operação Voucher, da Polícia Federal, que desmontou um esquema de corrupção no Ministério do Turismo, chefiado pelo partido. Alguns parlamentares acusaram a Polícia Federal de ter sido usada politicamente para prejudicar o partido e colocar o PMDB no centro da crise política. Renan disse que houve "excessos" na operação da Polícia Federal.

Receita apreende Ferraris idênticas e com mesma placa em Minas Gerais

A Receita Federal em Belo Horizonte apreendeu duas Ferraris Testarossa idênticas e com a mesma placa, em situação irregular, na capital mineira. De acordo com a Receita, a documentação de ambas também é idêntica - as únicas diferenças nos carros estão na numeração dos chassis e em detalhes nas rodas. Uma auditoria foi aberta para apurar se trata-se de apenas uma clonagem ou se há outras fraudes envolvidas, como a clonagem de uma terceira Ferrari. Entretanto, informou a Receita, como as duas Ferraris entraram de forma irregular no País, poderão ser leiloadas.

CGU diz que investigações serão concluídas em mais de três meses

Em encontro nesta quinta-feira com deputados e senadores que vão criar um grupo anticorrupção no Congresso, o ministro Jorge Hage (Controladoria Geral da União) disse que instaurou sindicâncias para apurar irregularidades em três ministérios e órgãos onde há denúncias de corrupção no governo federal. Hage afirmou, segundo relatos dos parlamentares, que as investigações devem ser concluídas em mais de três meses. "Ele tem auditores em todos os ministérios envolvidos em corrupção. Disse que até mesmo a operação Voucher da Polícia Federal no Ministério do Turismo contou com as investigações da CGU", disse o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Oito deputados e senadores se reuniram com Hage e prometeram acompanhar as ações de todos os órgãos da República envolvidos nas investigações. O grupo promete reunir deputados e senadores tanto da base de apoio da presidente Dilma Rousseff quanto da oposição, numa ação suprapartidária. Os parlamentares sugeriram a Hage abrir mão das emendas individuais que recebem no Congresso para repassá-las à CGU - para auxiliar no combate à corrupção dentro do governo.

Comissão debate compra de aviões para Força Aérea Brasileira

O processo de compra de aviões para a FAB começou ainda no governo do ex-presidente Lula e tão logo tomou posse, a presidente Dilma Rousseff decidiu que novos estudos devem acontecer antes de uma decisão sobre quem vai fornecer os caças. Os três mais fortes concorrentes são: a francesa Dassault, a americana Boeing e a sueca Saab. A Comissão de Relações Exteriores do Senado entrou nesse debate e ouviu nesta quinta-feira os representantes da empresa da Suécia. O diretor-geral da Saab Brasil, Bengt Jáner, disse que o caça Gripen NG é o que melhor atende às necessidades da FAB. "A capacidade operacional do Gripen NG foi bastante ampliada em comparação às versões anteriores do Gripen. No mercado, o Gripen NG é o caça que oferece os maiores alcances nas missões de superioridade aérea e ataque", disse. O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) disse ser muito importante o Senado entrar nessa discussão e afirmou estar debruçado neste estudo.

Ministra do TSE arquiva pedido contra criação do PSD

A ministra Nancy Andrighi, do Tribunal Superior Eleitoral, arquivou pedido do DEM e do PTB para suspender a criação do PSD, partido do prefeito Gilberto Kassab. As legendas entraram com uma representação contra o PSD porque o partido usou o mesmo texto em documentos para formalização de diretórios municipais em pelo menos três Estados. Eles descrevem com as mesmas palavras diferentes reuniões que teriam sido realizadas por militantes do novo partido. Para PTB e DEM, o texto idêntico contraria resolução do TSE. As siglas também queriam a apuração de eventual crime de falsidade ideológica eleitoral. Nancy Andrighi, que é corregedora-geral da Justiça Eleitoral, arquivou o pedido por considerar que ele não é aceitável neste momento da criação do partido. Segundo ela, haverá momento oportuno "para a formulação dos questionamentos submetidos à apreciação do TSE nestes autos".

Sócios e até irmãos participavam de mesma concorrência em ONG

Inquérito da Polícia Federal mostra que sócios e até irmãos participavam, como concorrentes, de licitações realizadas pela Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Infraestrutura Sustentável). As empresas eram contratadas para a execução de metas previstas em convênios com o Ministério de Turismo. A prática, de acordo com constatação feita pela PF, é uma evidência de direcionamento nos contratos. Para a realização de um dos projetos da ONG, por exemplo, foram convidadas as empresas Manhattan Propaganda e a BPS Promoção e Publicidades. Com a proposta de R$ 1,2 milhão, a primeira empresa foi a vencedora. Ambas, porém, possuem o mesmo quadro societário e estão localizadas no mesmo endereço. O dono é diretor-financeiro do Ibrasi. Em outro caso, outras três empresas participam de uma concorrência. O problema visto pelas investigações da Polícia Federal é que os donos das empresas vencedoras em cada uma das disputas são irmãos. Conforme as investigações, as pesquisas de preços realizados pelo Ibrasi foram realizadas fora do Sincov (sistema do governo de cadastro de convênios), e também foram feitas antes e depois da formalização do convênio. Ou seja, houve, "portanto, absoluta coincidência entre os valores previstos no plano de trabalho e os apresentados pelas empresas vencedoras". Há também alterações cadastrais feitas após a solicitação de cotações prévias de preços.

Filho de ministro diz que Polícia Federal errou ao citá-lo em operação

O advogado Tiago Cedraz negou que seu escritório tenha tido acesso privilegiado a auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União no convênio firmado entre o Ministério do Turismo e a ONG Ibrasi. O relatório do tribunal é o berço da Operação Voucher, deflagrada pela Polícia Federal na última terça-feira. O advogado é filho do ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União e, segundo a investigação, foi contratado pela ONG Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Infraestrutura Sustentável) para que a entidade pudesse "resguardar-se de uma possível decisão prejudicial" da Corte. Cedraz diz que o escritório teve acesso à análise do Tribunal de Contas da União no dia 24 de maio e que os dados foram disponibilizados pela corte aos advogados e às partes do processo no dia anterior. Já a Polícia Federal afirma que a autorização para acesso aos autos só foi dada pela corte no dia 1º de junho.

Polícia mexicana prende suspeito de envolvimento em 900 mortes

As autoridades mexicanas detiveram nesta quinta-feira Óscar Osvaldo García Montoya, conhecido como "El Compayito", suposto líder da organização La Mano con Ojos, que confessou ter participado de 300 homicídios e ordenado outros 600. O titular da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do México, Alfredo Castillo, afirmou em entrevista coletiva que o suspeito, ex-membro da Marinha mexicana, é um dos bandidos "mais importantes que existem" no país. A prisão ocorreu nesta quinta-feira em uma casa, no bairro de Tlalpan, no sul da Cidade do México, que era utilizada pela organização criminosa como casa de segurança. A operação contou com a participação de agentes das procuradorias dos níveis federal, estadual e municipal. Montoya é natural do povoado de Guasave, no estado de Sinaloa, e utilizava também a identidade de Jesús Castro Serrano. A Procuradoria Geral da República oferecia uma recompensa de 5 milhões de pesos (R$ 661 mil) por informações que levassem à captura do suspeito.

Presidente da CNBB diz que Dia do Orgulho Hétero é desnecessário

Desnecessário: assim classificou a criação do Dia do Orgulho Heterossexual o presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno. "Certas manifestações geram manifestações de oposição. Não há necessidade disso, quem tem sua identidade clara não tem necessidade de reivindicar a criação do dia", declarou na tarde desta quinta-feira. Uma nota pública de repúdio à criação do dia, com o pedido expresso de veto, foi divulgada nesta quinta-feira pelo Conselho Nacional LGBT, órgão sob a alçada da SEDH (Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República). "A possível sanção deste projeto banalizaria o enfrentamento da homofobia e estimularia atos de violência, como os que temos assistido nos últimos meses, sobretudo em São Paulo. Entendemos que a legislação aprovada pela Câmara paulistana não é compatível com os valores e objetivos fundamentais da República, como a igualdade, a dignidade da pessoa e o princípio da não-discriminação", afirma o documento.

Gravações indicam que número 2 do Ministério do Turismo ajudava em fraudes

Gravações telefônicas feitas com autorização judicial mostram que Frederico Silva da Costa, secretário-executivo do Ministério do Turismo, preso na Operação Voucher, da Polícia Federal, agiu diretamente para auxiliar e acobertar o esquema de fraude em convênios na pasta. Fred, como é conhecido, e um assessor, Antônio dos Santos Junior, aparecem nas gravações conversando com os empresários que comandariam o esquema. Número dois na hierarquia do ministério, Fred está na pasta desde 2003. Em 2011, quando Pedro Novais (PMDB-MA) foi nomeado ministro, Frederico foi alçado ao cargo de secretário-executivo, apadrinhado pelo líder do partido, Henrique Eduardo Alves (RN). Segundo mostram as investigações, os problemas com a ONG Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Infraestrutura Sustentável) já eram conhecidos pela cúpula do ministério. Uma das evidências é o fato de uma funcionária da pasta ter sido designada para ir até o escritório de um dos empresários para cuidar da prestação de contas. As investigações também mostram que uma funcionária do Ministério do Turismo relata uma reunião em que Regina Cavalcante, secretaria de Treinamento da pasta, saiu da sala dizendo que o Fred "sabia de tudo, tudo que a gente fazia era por ordem dele". Desde abril, funcionários de empresas já sabiam que estavam sendo monitorados. Em um dos diálogo, um empresário diz que "estão fechando o cerco". "O telefone tá (sic) aqui, tá (sic) aqui cinco policiais (...) não mandei você usar 'porra' nenhuma da minha empresa", diz um empresário que participou de uma cotação prévia. E em outro diálogo: "Ele não falou que era auditoria não, ele falou que era fraude não sei o que, num convênio de capacitação lá no Amapá". Há ainda conversas, do mesmo empresário, que indicam que pessoas envolvidas no esquema poderiam estar apagando provas. "Ô, cê (sic) vai pegar todos os talões, tá ouvindo? Todos".

Ex-namorada brasileira quer US$ 50 milhões de George Soros

A ex-namorada brasileira do empresário George Soros, de 80 anos, entrou com processo em Nova York contra o multimilionário. Além de acusá-lo de agressão, Adriana Ferreyr, de 28 anos, reivindica US$ 50 milhões alegando que ele presenteou outra mulher com um apartamento em Manhattan. Adriana, conhecida por sua participação na telenovela "Marisol", disse que Soros lhe prometeu uma casa quando ainda estavam saindo juntos, mas mudou de opinião após a ruptura e presenteou outra mulher. A atriz e atual estudante da Universidade Columbia, em Nova York, também declarou nos documentos judiciais, publicados nesta quinta-feira pelo jornal "New York Post", que Soros inclusive a agrediu quando, após uma breve reconciliação, estavam discutindo o assunto na cama. Adriana e Soros se conheceram em 2006 e mantiveram uma relação sentimental até que, segundo ela, o multimilionário decidiu romper o relacionamento. No início do ano houve uma reconciliação entre ambos e, após uma noite romântica, o octogenário disse que havia decidido entregar a outra mulher um apartamento em Manhattan. "Quando ainda estavam na cama, Soros esbofeteou Adriana e depois pôs as mãos em seu pescoço para tentar estrangulá-la", informam os autos do processo reproduzidos pelo jornal nova-iorquino. De acordo com a denúncia, o multimilionário jogou um abajur na brasileira, mas o objeto caiu no chão, deixando vidros quebrados que teriam cortado o pé da atriz.

Deputados pedem que ministro do CGU investigue denúncias

Deputados do PSOL e do PT se reuniram nesta quinta-feira com o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage, para discutir as denúncias de corrupção no governo federal. A audiência com o ministro foi solicitada pelo deputado Chico Alencar (PSOL-RJ). Participam do encontro os deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ), Francisco Praciano (PT-AM), Domingos Dutra (PT-MA) e Luiz Couto (PT-PB). O objetivo dos parlamentares foi pedir que a CGU tenha participação ativa nas investigações das denúncias que atingiram diversos ministérios.

Governo barra imãs importados com falsa declaração de origem

O governo proibiu a entrada de uma carga de imãs usados em caixas de som que fraudava a indicação do país de origem da mercadoria. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, foi constatado que o material era importado da China, mas recebia a declaração de saída de Taiwan. O governo brasileiro cobra uma sobretaxa de 43% nas importações chinesas desse produto. A taxa adicional, chamada de antidumping, é permitida quando são identificados casos de mercadorias vendidas a preços abaixo de mercado. A prática tenta evitar a concorrência desleal. "A falsa declaração de origem investigada tinha como objetivo realizar a importação sem o correspondente recolhimento dos custos relacionados à aplicação do direito antidumping", diz o Ministério do Desenvolvimento, em nota.

ONG usava notas frias para comprovar pagamentos

Perícia feita pela Polícia Federal constatou que as notas fiscais apresentadas pela ONG Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Infraestrutura Sustentável) para comprovar os pagamentos da prestação de serviços eram falsas. Segundo relatório, os documentos eram sequenciais, escritos por uma mesma pessoa e com poucas informações sobre que tipo de serviço foi prestado. A Ibrasi é a ONG que, segundo investigações, firmou convênios fraudulentos com o Ministério do Turismo. "Os exames periciais realizados para a produção do laudo de perícia Criminal Federal revelaram que algumas notas fiscais apresentadas pelo Ibrasi como comprovante de pagamento de despesas do convênio, emitidas por empresas diferentes, foram preenchidas pelas mesmas pessoas", afirma trecho da perícia. O relatório da Polícia Federal aponta ainda que a Ibrasi apresentou notas fiscais de empresa com inscrição suspensa no Cadastro Fiscal. O pagamento de serviços também era realizado de forma antecipada. Segundo o documento, "as condições de pagamento definida nesse contrato e a forma como ele aconteceu revelam a ocorrência de pagamento antecipado, pois não houve a comprovação de que o serviço foi realizado".

Ministra nega resistência de militares à Comissão da Verdade

Durante um ato de apoio ao projeto de lei que cria a Comissão da Verdade, a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) afirmou que a proposta não sofre mais resistência dos militares e que sua votação ainda não ocorreu devido à "morosidade" do Congresso. A comissão, segundo projeto enviado pelo ex-presidente Lula no ano passado, fará a narrativa oficial das violações aos direitos humanos entre 1946 e 1988, como as mortes e torturas cometidas por agentes estatais durante a ditadura militar (1964-1985). "A situação está muito equacionada", disse ela no Conselho Federal da OAB, que lançou nesta quinta-feira um manifesto em favor da comissão.

Baltasar Garzón critica guerra ao narcotráfico no México

O juiz espanhol Baltasar Garzón, que ordenou a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet (1973-1990) em 1998, desaprovou nesta quinta-feira a participação do Exército mexicano na luta contra o narcotráfico do país. Garzón afirmou que os mexicanos não devem pagar o preço da violência na região, pois o Estado tem a obrigação de dar proteção e segurança a seus cidadãos. Em sua opinião, para combater o crime organizado é necessária uma forte política capaz de confrontar essa ameaça, mas sempre dentro dos limites constitucionais e do Estado de Direito. "É preciso fazer um desenho claramente estratégico, com uma convicção democrática absoluta, com limites claramente definidos. Os espaços sem direito não são aceitáveis ", disse ele. Segundo Garzon, o número de vítimas associadas ao crime organizado já alcançou taxas "inadmissíveis" e alguns crimes cometidos no país podem ser considerados de lesa-humanidade. "Em alguns casos, claro que as violações integram esta categoria, mas dizer isso não significa que tenham que ir à Corte Internacional de Justiça para que sejam investigados. Os crimes contra a humanidade têm que ser investigados em cada lugar onde aconteceram", concluiu. Desde de 2006, quando o atual mandatário Felipe Calderón assumiu o governo no México, as Forças Armadas passaram a atuar no combate ao narcotráfico, iniciando uma guerra interna que gerou uma onda de violência no país. Dados oficiais apontam que, nos últimos cinco anos, o número de homicídios quase triplicou no território mexicano, passando de cerca de 9.921, em 2005, para 24.374, em 2010. "Isso tem que parar", disse Garzón, a respeito das mortes.

Reservas internacionais do Brasil atingem patamar recorde

As reservas internacionais do Brasil alcançaram o patamar recorde de US$ 350,9 bilhões na última quarta-feira, segundo dados do Banco Central. Esse seguro contra crises é hoje cerca de 70% maior que o verificado nas vésperas da quebra do banco Lehman Brothers, em setembro de 2008. O Brasil é o sexto país com o maior nível de reservas, atrás da China, Japão, Rússia, Arábia Saudita e Taiwan, segundo dados do FMI e dos bancos centrais desses países. Quase 90% dos recursos estão aplicados em títulos, principalmente dos Estados Unidos. Os papéis da dívida norte-americana respondem por cerca de 60% das reservas. Há também dinheiro em depósitos fora do País, recursos no FMI e um pequeno percentual de ouro (0,5%). O aumento das reservas nesse ano foi de 21%, o maior percentual as 12 economias que possuem um volume superior a US$ 200 bilhões.

Caixa busca alternativa para financiar imóvel sem subir juros

Para reagir a um possível esgotamento de sua maior fonte de recursos para crédito imobiliário, a Caixa Econômica Federal estuda alternativas à poupança para o financiamento habitacional. O presidente da Caixa, Jorge Fontes Hereda, afirmou que o ideal é que a poupança, tradicional fonte de recursos da habitação, não seja a única forma de bancar a compra de imóveis. "Estamos estudando alternativas. Uma delas é um maior mix de LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e poupança", afirmou ele. "Se não conseguirmos, os juros vão aumentar", completou Hereda. O vice-presidente de finanças da Caixa, Márcio Percival, afirmou, porém, que a situação está equacionada até o final de 2012. "O aumento de juros dos financimentos de imóveis da Caixa vai depender da mudança de estrutura de captação de recursos, que deve ocorrer em 2013", disse. Até este mês, o banco já concedeu R$ 45 bilhões em empréstimos e prevê atingir R$ 90 bilhões até o final do ano, um aumento de 20% em relação a 2010. Segundo a Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), de janeiro a junho, R$ 37 bilhões do crédito imobiliário vieram da poupança, o que representou 45% da meta ante 40% em 2010.

Chávez diz que está enfrentando bem a segunda fase da quimioterapia

O ditador venezuelano Hugo Chávez informou nesta quinta-feira que está atravessando bem a segunda fase do tratamento com quimioterapia que recebe em Havana contra o câncer de que padece, e garantiu que está vencendo a batalha contra a doença. "Estou aqui, vocês já sabem, em Havana, estou deitadinho, esticado, recebendo minha sessão de quimioterapia", afirmou Chávez durante uma ligação ao canal estatal VTV. "Estou relaxadinho, encostadinho, recebendo a dose respectiva, mas assimilando bem o tratamento. Graças a Deus, à Virgem, aos santos da floresta e a estes médicos aqui a meu lado", acrescentou. Chávez retornou na noite de sábado a Havana para continuar o tratamento contra o câncer detectado em junho durante uma visita a Cuba.

Receita apreende no porto de Paranaguá 60 toneladas de produtos falsificados

A Receita Federal apreendeu 60 toneladas de produtos falsificados no porto de Paranaguá (PR). O valor total da mercadoria retida pode chegar a R$ 10 milhões, de acordo com o órgão. Segundo a Receita, essa foi a maior apreensão de produtos feita pela equipe do porto. A ação foi realizada na terça-feira. Óculos, relógios, roupas e carteiras que reproduziam marcas conhecidas estão entre os produtos que compunham a carga. Os responsáveis responderão por crime de contrabando e descaminho, por terem mentido à Receita sobre a mercadoria. O número de envolvidos no esquema não foi divulgado. Na apreensão, a Receita contou com a ajuda de sistemas informatizados para monitorar a carga antes que chegasse ao País.

Mercedes-Benz fornecerá 540 caminhões para Belo Monte

O Consórcio Construtor de Belo Monte, grupo contratado pela Norte Energia S.A. para a construção da hidrelétrica, no rio Xingu, fechou um contrato para aquisição de 540 caminhões da Mercedes-Benz do Brasil. O negócio é estimado em mais de R$ 200 milhões e é um dos maiores contratos para aquisição de caminhões hoje no País. Metade dos caminhões fora-de-estrada será o Actros. Hoje, a Mercedes alemã exporta esses caminhões para o Brasil. A marca já anunciou que em janeiro de 2012 irá produzir alguns versões do Actros na fábrica de Juiz de Fora, cidade da Zona da Mata mineira. Além do Actros, o consórcio construtor de Belo Monte irá adquirir outros modelos da marca alemã. Os caminhões fora de estrada terão a função de transportar mais de 100 milhões de toneladas de rocha e terra de vários locais onde serão construídas as duas barragens da Usina de Belo Monte. O setor elétrico é uma das grandes apostas da Mercedes-Benz no Brasil e é uma das razões pelas quais a marca decidiu transformar uma fábrica de automóveis para outra com capacidade para montar 15 mil unidades por ano. Em dezembro de 2010, a marca encerrou a produção do cupê CLC, em Minas Gerais.

"Estresse na base aliada já foi diluído", diz líder do governo

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou nesta quinta-feira que o estresse instalado na base aliada já foi diluído. Vaccarezza garantiu que as votações serão retomadas na Casa na semana que vem. "Havia resistências e estresse por não liberação de emendas e restos a pagar, desconforto por achar que o governo não valoriza a Câmara, mas esses fatores já se diluíram", afirmou. As votações não aconteceram na quarta-feira na Câmara. PMDB, PP, PR, PTB e PSC fizeram o que chamaram de "greve branca". O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), admitiu que a Casa passa por um momento de instabilidade política por causa das acusações de irregularidades em diversos ministérios do governo da presidente Dilma Rousseff.

Aprovar emenda do governo será difícil, diz líder na Câmara

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), admitiu nesta quinta-feira que terá dificuldades em aprovar a proposta de emenda constitucional que prorroga a chamada DRU (Desvinculação das Receitas da União). A desvinculação permite maior liberdade de movimentação orçamentária ao governo. A DRU atualmente em vigor expira em 31 de dezembro deste ano. O texto da proposta foi enviado pelo governo ao Congresso na semana passada. Caso aprovada, haverá mecanismo que permite a livre utilização de 20% do dinheiro arrecadado com a cobrança de tributos federais até 2015. "Vamos ter muitas dificuldades em aprovar a DRU. Não por conta da base, mas porque o texto foi encaminhado muito tarde para a Câmara", afirmou Vaccarezza. A estratégia do governo na Câmara será apensar a proposta a uma outra que já tramita na Casa há mais tempo. Assim seria possível "pular" prazos regimentais e votar o texto antes. Mesmo assim, Vaccarezza acha difícil votar a proposta antes de novembro.

Base barra convites para Ortolan e Jucá Neto falarem no Senado

Aliados da presidente Dilma Rousseff se mobilizaram nesta quinta-feira para impedir a aprovação de convites para Milton Ortolan, ex-secretário-executivo do Ministério da Agricultura, e Oscar Jucá Neto, ex-diretor financeiro da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), explicarem no Senado denúncias de corrupção na pasta e na instituição. Com maioria na Comissão de Agricultura do Senado, onde tramitavam os requerimentos, senadores do PMDB, PT e PR barraram a aprovação dos convites ao argumentarem que o ministro Wagner Rossi (Agricultura) já deu todas as explicações necessárias sobre o caso. O ministro prestou depoimento na quarta-feira à Comissão de Agricultura do Senado. Na semana passada, Rossi também foi à Câmara para falar sobre as denúncias. Autor dos convites, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) disse que a base mobilizou sua bancada para blindar Jucá Neto e Ortolan.

Agência japonesa eleva nota de crédito do Brasil

O Tesouro Nacional divulgou comunicado nesta quinta-feira que a nota de crédito do Brasil foi elevada (upgrade) para "BBB", ante nota "BBB-", com perspectiva estável, pela agência de classificação de risco japonesa R&I Japan. Segundo o ranking da agência, com o upgrade, o Brasil é considerado como o segundo grau de investimento. O grau de investimento é a classificação dada pelas agências de rating a países com poucas chances de deixar de honrar suas dívidas. As razões apontadas para a elevação da nota soberana brasileira foram: o "significativo aumento da classe média brasileira" que contribuiu para a formação de mercado interno robusto, com alto poder de consumo; a diminuição do risco da economia brasileira sofrer impactos mais profundos devido a mudanças drásticas no ambiente externo; a reafirmação do compromisso fiscal pelo novo governo e condução ativa da política monetária pelo Banco Central; rápida recuperação da crise internacional de 2008, com um crescimento considerável de 7,5% do PIB em 2010, e perspectiva de convergência para o crescimento potencial (4%) em 2012. No comunicado sobre a elevação da nota, a R&I JApan destaca alguns aspectos se mantêm como desafios para novos avanços na classificação brasileira, como a necessidade de aumento da poupança doméstica para permitir o crescimento dos investimentos, e a continuidade da mitigação de pressões inflacionárias.

Anac fere parecer ao afrouxar nível de inglês dos pilotos da TAM

Ao deixar pilotos da TAM com nível de inglês inferior ao exigido por normas de aviação atuarem em vôos internacionais, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) contrariou parecer do seu departamento técnico. Em 18 de março, o setor da Anac responsável pelos testes de inglês foi contra pedido da associação dos tripulantes da TAM para abrandar as regras, revela relatório. Apesar do parecer, a agência deixou a TAM colocar pilotos com nível 3 (pré-operacional) de inglês em vôos internacionais, desde que pilotassem só em solo brasileiro. A medida contraria regras nacional e internacional: -pilotos que atuam em vôos internacionais devem ter ao menos nível 4 (operacional). A Anac diz que não há evidência de infração e que a TAM usa um piloto a mais do que é obrigada.

Queda nas vendas de cerveja no Brasil é temporária, diz AB InBev

A desaceleração nas vendas de cerveja da Anheuser-Busch InBev no Brasil é considerado um movimento temporário e a companhia espera que este mercado no País se recupere no segundo semestre, disse nesta quinta-feira o vice-presidente financeiro da empresa, Felipe Dutra. "Estamos confiantes de que a desaceleração é temporária", disse Felipe Dutra. "Vemos um significativo aumento em termos reais dos salários mínimos...isso tem um impacto na renda disponível e, portanto, no consumo à medida que nos aproximamos do fim do ano", completou. A maior cervejaria do mundo informou que as vendas de cerveja no Brasil, segundo maior mercado da empresa atrás dos Estados Unidos, caíram 2,6% no segundo trimestre de 2011 em comparação com o mesmo período do ano passado. A AB InBev, que produz marcas como Stella Artois e Budweiser, conseguiu alcançar as metas de lucro estimadas para o segundo trimestre ao repassar o aumento no custo dos insumos para o consumidor, mas informou que vai monitorar de perto o mercado norte-americano após queda de 3,4% no volume de vendas de cerveja em seu maior mercado.

Lucro da Caixa cresce 36% no 1º semestre e atinge R$ 2,3 bilhões

O lucro líquido da Caixa Econômica Federal atingiu R$ 2,3 bilhões no primeiro semestre, com crescimento de 36,4% em relação ao mesmo período de 2010. O resultado foi influenciado principalmente pelas operações de crédito, que tiveram expansão de 38%, alcançando R$ 205,9 bilhões. Em linha com o crescimento da carteira, as receitas de operações de crédito atingiram R$ 12,7 bilhões, com alta de 44% nesse intervalo, com destaque para a receita do crédito habitacional (59,1%). A inadimplência, considerando atrasos superiores a 90 dias, ficou estável em cerca de 2,1%, abaixo de junho de 2010 (2,3%). No crédito comercial, o percentual fechou o semestre em 3,2%, enquanto no crédito imobiliário foi de 1,7%. As rendas de prestação de serviços (R$ 6,1 bilhões) apresentaram evolução de 23,8%, alavancadas pelo crescimento da base de clientes e do número de transações bancárias, além das operações de crédito. O saldo da carteira comercial alcançou R$ 63,2 bilhões em 30 de junho, com crescimento de 21,7% em 12 meses. A carteira de pessoas físicas atingiu R$ 29,8 bilhões, com alta de 19,3% nesse comparativo, e a de pessoas jurídicas (R$ 33,5 bilhões) teve crescimento de 23,9%. As operações habitacionais da Caixa, líder nesse segmento, registraram saldo de R$ 129,3 bilhões, com expansão de 48,8% em 12 meses.

Oposição decide colher assinaturas para CPI mista da Corrupção

Presidentes e líderes de partidos de oposição decidiram nesta quinta-feira unir esforços na tentativa de instalar uma CPI mista no Congresso para investigar as denúncias de corrupção no governo federal. Apesar de a oposição já estar colhendo assinaturas para instalar uma CPI no Senado para investigar o Ministério dos Transportes, a nova ofensiva tem como objetivo ampliar o foco para apurar denúncias em várias pastas do governo. Minoria na Câmara e no Senado, a oposição aposta em dissidências na base governista para conseguir as 171 assinaturas de deputados e 27 de senadores para protocolar o pedido. DEM, PSDB e PPS vão buscar partidos aliado do governo insatisfeitos com a condução da crise pela presidente Dilma Rousseff. "Já começamos as conversas com parlamentares da base. Muitos não querem ser responsabilizados pelos erros cometidos no governo. Com esse esforço, vamos tentar instalar a CPI", disse o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA).

No Ceará, Dilma afirma que não irá se pautar por pesquisas

A presidente Dilma Rousseff comentou, nesta quinta-feira, a queda na sua avaliação pessoal e de diversas áreas do governo, apontada na pesquisa CNI/Ibope divulgada na quarta-feira. Dilma disse ser "importante saber que ocorreu essa variação", mas afirmou que não irá se pautar por pesquisas. "Ela sobe, ela desce e a gente vai tocando. Vejo assim com muita tranquilidade", disse. A presidente afirmou ainda estar muito "preocupada" e "atenta" à crise internacional e que é preciso "preservar o mercado interno" de seus efeitos. Segundo ela, há uma "turbulência" no mundo. Em entrevista a rádios do Ceará, a presidente disse que para preservar o mercado interno é preciso proteger o consumo, promover o crescimento da economia e fazer a inclusão social. "Estou muito preocupada e atenta. O governo federal em peso está atento para esta crise internacional", disse. "De 2003 até hoje, colocamos dentro do mercado interno brasileiro, como consumidores, uma Argentina, com 39,5 milhões de pessoas. Nós transformamos em consumidores uma Argentina. Agora, queremos protegê-los. Para protegê-los, temos que proteger nosso consumo, nosso mercado interno, o crescimento da nossa economia, a inclusão social", disse a presidente. Na entrevista, Dilma não foi questionada nem comentou sobre a crise política no governo federal, que vem sofrendo uma série de acusações de corrupção. Durante a entrevista, Dilma disse que o governo irá anunciar em breve, em parceria com os Estados, um programa de atendimento domiciliar para pacientes em recuperação. Segundo ela, a idéia é montar uma estrutura para o acompanhamento desses pacientes em casa. A presidente explicou que o programa tentará aliviar a pressão dos hospitais para desocupar leitos.

Banco Central europeu adverte sobre desaceleração econômica da zona do euro

O Banco Central Europeu fez uma advertência sobre uma desaceleração no ritmo de crescimento econômico na zona do euro, nos últimos meses, em decorrência do contexto de "elevada incerteza", segundo comunicado divulgado pela autoridade monetária do bloco. A instituição destacou que, para a política monetária, é essencial que a evolução recente dos preços não dê lugar a pressões inflacionárias generalizadas. A expectativa é que, no segundo trimestre, o crescimento da economia seja moderado, embora "o clima de incerteza seja particularmente elevado", segundo o Banco Central Europeu. A entidade afirma ainda que a recomendação do Conselho do Banco Central Europeu de manter a inflação na zona do euro em nível inferior a 2%, em média, em longo prazo, é o ideal. Sob o comando do francês Jean-Claude Trichet, a direção do banco informou que as operações financeiras continuarão em curso e que procedimentos serão adotados "quando necessário" devido a "novas tensões em alguns mercados financeiros".

Ações contra inadimplência em condomínio crescem 20% em São Paulo

O número de ações judiciais de cobrança por falta de pagamento de condomínios na cidade de São Paulo cresceu 20,44% no mês passado em relação a junho deste ano. Foram registradas 937 ações em julho --159 a mais do que no mês anterior--, segundo levantamento feito pelo grupo Hubert, do setor imobiliário. Apesar disso, os número representam um recuo de 23,63% em relação a julho do ano passado, que teve 1.227 ações da mesma natureza. Por isso, a direção da empresa responsável pela pesquisa afirma que a alta de julho não deve alterar a tendência de queda registrada desde 2007. Embora em menor escala, o número de ações de despejo por falta de pagamento de aluguel também aumentou. O Tribunal de Justiça de São Paulo registrou no mês passado 1.459 ações, um aumento de 1% em relação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com a Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios).

Fibria deve vender unidade de Piracicaba por US$ 313 milhões

A maior produtora de celulose do mundo, Fibria, acertou acordo para negociar com a japonesa Oji Paper a venda de sua fábrica de papel no interior de São Paulo por US$ 313 milhões. A Fibria informou nesta quinta-feira que a expectativa é que a venda da unidade de Piracicaba (último ativo de papel da companhia brasileira, que reafirmou sua estratégia de se focar apenas em celulose de mercado) deve ser concluída até 29 de setembro, mediante pagamento à vista. No final de julho, a Fibria informou ter recebido propostas de compra da fábrica em Piracicaba. A fábrica de Piracicaba produz cerca de 160 mil toneladas anuais de papeis térmicos, autocopiativos e couché. O investimento da Oji Paper na fábrica de Piracicaba da Fibria incrementa as apostas da empresa no Brasil. A companhia já participa da JBP (Japan Brazil Paper and Pulp Resorces Development), que controla a terceira maior produtora de celulose do País, a Cenibra. No final de 2010, a Fibria vendeu sua fatia no Consórcio Paulista de Papel e Celulose (Conpacel) por R$ 1,45 bilhão, além da distribuidora de papéis KSR, por R$ 50 milhões, para a Suzano, que já detinha a outra metade da Conpacel.

Crise da dívida ameaça também os países emergentes

Problemas financeiros nos Estados Unidos e na Europa podem levar à redução nos investimentos de empresas estrangeiras nos países emergentes. Fluxo de capitais especulativos supervaloriza as moedas locais e prejudica exportações. A ascensão dos emergentes assemelha-se a um conto de fadas: muitos países antes classificados como integrantes do Terceiro Mundo evoluíram hoje para locomotivas da expansão econômica, em benefício também de nações exportadoras como a Alemanha. Entre as doze maiores potências econômicas da atualidade estão a China, a Rússia e a Índia, três nações que, no século 20, ainda lutavam contra a pobreza e a fome, que atingiam grande parte da população. Mas os emergentes não estão completamente desatrelados das turbulências do mercado financeiro internacional, afirma a economista Maria Lanzeri, do Deutsche Bank Research. "Uma crise com a mesma força que aquela que veio depois da queda do banco Lehman Brothers seria ruim para os emergentes. Ela traria uma nova recessão", afirma. Caso a crise da dívida na Europa e nos Estados Unidos se agravar haveria o chamado "efeito líquido negativo": não apenas haveria uma queda nos investimentos de empresas estrangeiras nos países emergentes, como também retirada de capital. O dinheiro antes usado em investimentos seria necessário em outras áreas, para remendar buracos causados pela perdas originadas pela crise. O risco de contágio é alto principalmente nos países onde os mercados internos são dominados pelos investimentos estrangeiros. Isso se aplica especialmente para nações do Leste Europeu, como a Hungria e a Polônia, mas também para Israel, México, Rússia, Brasil, Indonésia e África do Sul, afirma Lanzeni.

União Européia criou departamento antiterrorismo

O combate ao terrorismo islâmico fortaleceu a cooperação dentro da União Européia em termos de política de segurança, mas também de vigilância do cidadão. Um encarregado do assunto coordena as ações conjuntas no bloco. A cooperação européia no combate ao terrorismo foi, por muito tempo, mesmo depois do 11 de Setembro, mais exigência do que realidade. Somente quando, em março de 2004, bombas colocadas em um trem de subúrbio nos arredores de Madri mataram quase 200 pessoas, é que a União Européia nomeou um coordenador de combate ao terrorismo, o holandês Gijs de Vries. A cooperação e uma vigilância mais acirrada não puderam, no entanto, evitar outro atentado terrorista grave no metrô de Londres, em julho de 2005, que deixou mais de 50 mortos. Desde então a Europa permaneceu mais tranquila. Forças policiais e serviços secretos acreditam que tenham evitado uma série de outros atentados. Mas o belga Gilles de Kerchove, sucessor de De Vries, sempre alertou a respeito de um falso sentimento de segurança, também após a morte do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden.

OGX, de Eike Batista, tem prejuízo de R$ 108,8 milhões no segundo trimestre

A OGX, companhia de petróleo que faz parte do grupo empresarial de Eike Batista, registrou prejuízo de R$ 108,8 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo ganho líquido de R$ 57,8 milhões apurado em igual período de 2010. O resultado financeiro líquido da companhia no trimestre foi negativo em R$ 30,16 milhões, ante ganho financeiro líquido de R$ 135,5 milhões um ano antes. Conforme a companhia, a conta financeira foi impactada pelo rendimento de aplicações financeiras, perdas líquidas realizadas em operações de hedge e efeito negativo do resultado da marcação a mercado em operações com derivativos. As despesas com exploração, por sua vez, passaram de R$ 25,3 milhões no segundo trimestre do ano passado para R$ 42,7 milhões entre abril e junho deste ano. Em relatório, a OGX informa que a conta inclui, principalmente, aquisição de dados sísmicos nas bacias do Parnaíba, Espírito Santo e Campos. As despesas gerais e administrativas também cresceram e passaram de R$ 57,1 milhões no segundo trimestre do ano passado para R$ R$ 87,0 milhões no mesmo intervalo de 2011.

Morre em Israel defensor dos sobreviventes do Holocausto

Noach Flug, defensor dos sobreviventes do Holocausto, que combateu os governos para que pagassem indenizações a essa população que envelheceu e diminuiu, morreu na manhã desta quinta-feira, no hospital Shaare Zedek, em Jerusalém. Ele tinha 86 anos. Flug "trabalhou dia e noite em Israel e ao redor do mundo para o bem de seus colegas sobreviventes", afirmou Uri Arazi. Nascido na Polônia, em 1925, Flug foi deportado, em agosto de 1944, do gueto de Lodz, onde era um membro do movimento clandestino antinazista, para o campo de concentração de Auschwitz. Quase toda sua família morreu no campo de concentração, mas ele conseguiu sobreviver a Auschwitz e a outros dois campos. Em 1958, ele imigrou para Israel e trabalhou como economista e diplomata. Ele ocupou posições de liderança na Conferência das Reivindicações Judaicas, na Organização Mundial da Restituição judaica, no Comitê Internacional de Auschwitz e no Memorial Israelense Yad Vashem do Holocausto. Flug também foi presidente do Centro de Organizações de Sobreviventes do Holocausto em Israel, que fazia, com sucesso, lobby por salários maiores para os sobreviventes. Em 2006, a Alemanha concedeu a ele uma medalha por "suas décadas de trabalho no interesse dos sobreviventes do Holocausto e seus esforços para promover o entendimento entre judeus e não judeus e entre Israel e Alemanha".

Prefeitura do Paraná cai em golpe e dá R$ 10 mil para desconhecido

A Prefeitura de Paranavaí (cidade localizada a 494 quilômetros de Curitiba) caiu em um golpe dado por telefone e depositou quase R$ 10 mil na conta de um desconhecido que se identificou como funcionário do Banco Central. O Ministério Público está investigando o caso e cobra a devolução do valor aos cofres públicos. No último dia 4, o golpista ligou para a prefeitura afirmando que havia uma liminar decorrente de uma execução judicial que obrigava o município a pagar R$ 9.777,30 no prazo de meia hora. Caso contrário, as contas da prefeitura seriam bloqueadas. Após receber um e-mail com cópia da falsa liminar, o secretário de Gestão de Paranavaí, Gilmar Pinheiro, autorizou o pagamento. Nem o fato de o endereço de e-mail não ser oficial e de o documento conter erros grosseiros de grafia - como 4ª Vara Civil, em vez de Cível - fizeram o secretário, que trabalha há 31 anos na prefeitura, desconfiar do golpe. Só no dia seguinte, após receber outra ligação, a prefeitura percebeu o erro.

Polícia Federal diz que grupo teve acesso privilegiado a dados do TCU

A Polícia Federal afirmou que o grupo acusado de desviar R$ 3 milhões de um convênio com o Ministério do Turismo teve acesso privilegiado às investigações do Tribunal de Contas da União, origem da Operação Voucher, que levou à prisão de 36 pessoas. Segundo o relatório da Polícia Federal, os dirigentes da ONG Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável) teriam contratado o advogado Tiago Cedraz, filho do ministro do tribunal, Aroldo Cedraz, "para resguardar-se de uma possível decisão prejudicial" do Tribunal de Contas da União. Parecer dos técnicos do órgãos apontou elementos de fraude na execução de um convênio destinado à capacitação de 1900 profissionais de turismo no Amapá.

Panamericano registra prejuízo de R$ 25,5 milhões no segundo trimestre

O banco Panamericano teve prejuízo de R$ 25,5 milhões no segundo trimestre deste ano, quando a carteira de crédito total do banco encolheu 0,5% na comparação com os primeiros três meses do ano, para R$ 10,143 bilhões. O total de ativos também caiu entre o primeiro e o segundo trimestres, de R$ 13,379 bilhões para R$ 12,015 bilhões. A margem financeira do banco ficou 14,3 ponto percetual menor, a 12,7% no final de junho. O segmento mais importante para o banco continua a ser o financiamento de veículos, que representa 56,3% da carteira de crédito. Em segundo lugar está o crédito consignado, com 17,5%, e em terceiro, o leasing, ou arrendamento mercantil, com 8,7%. Na comparação entre um trimestre e outro, o financiamento de veículos aumentou 11,5%, mas a concessão de crédito consignado caiu 17,6%. O balanço foi divulgado a partir de uma nova base contábil, que não considera o período anterior a novembro de 2010, devido a "irregularidades e inconsistências contábeis", diz o comunicado emitido pela administração. O banco Panamericano, que pertencia ao Grupo Sílvio Santos, foi comprado neste ano pelo banco BTG Pactual, que se tornou acionista majoritário com 37,6% das ações do banco. A Caixapar, da Caixa Econômica Federal, possui 36,6% das ações, e o restante é pulverizado no mercado.

Promotoria denuncia cunhado de Alckmin por fraude em merenda

O Ministério Público paulista entrou na terça-feira na Justiça com ação civil pública contra os envolvidos no suposto esquema de fraude na merenda escolar em Pindamonhangaba (cidade localizada a 140 quilômetros da capital), cidade natal do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Foram denunciadas 19 pessoas, incluindo o prefeito João Antônio Salgado Ribeiro (PPS) e o cunhado de Alckmin, Paulo César Ribeiro. Na investigação, Paulo César era apontado como responsável por direcionar a contratação da empresa Verdurama, que fornecia merenda. A Verdurama, suspeita de ser pivô do esquema, também foi denunciada na ação. Paulo César é irmão da primeira-dama Lu Alckmin. A Verdurama ganhou, em 2006, uma concorrência de R$ 6,8 milhões para fornecimento de merenda. O caso era investigado desde 2007 pelo Ministério Público. Constam ainda na ação Lucas Ribeiro, sobrinho de Lu Alckmin, Marcelo dos Santos, ex-diretor de licitações, e Silvio Serrano, ex-secretário de Finanças.

Dilma chama de "acinte" ação da Polícia Federal e questiona uso de algemas

A presidente Dilma Rousseff ficou "furiosa" ao ver, logo na manhã de quarta-feira, foto de um dos detidos chegando algemado a Brasília. Tratava-se do secretário-executivo do Ministério do Turismo, Frederico Silva da Costa, suspeito de integrar o esquema de desvios de verba no Ministério do Turismo. Ela chamou de "acinte" a forma como a Polícia Federal conduziu a ação policial. Ela disse ter visto excessos e, por isso, deu ordem ao ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) para responder de forma enérgica. Cardozo seguiu a determinação. Em ofício, ele questionou a Polícia Federal pelo uso de algemas na operação. O ministro cobrou explicações em "caráter de urgência" e afirmou que, "caso constatada qualquer infração às regras em vigor, determino a abertura imediata dos procedimentos disciplinares cabíveis". De acordo com a súmula vinculante nº 11 do Supremo Tribunal Federal, publicada em 2008, o uso de algemas só é permitido quando os presos oferecem resistência ou existe a possibilidade de fuga, além de risco aos policiais.

Entidades suspeitas têm contratos de mais de R$ 48 milhões com Ministério do Turismo

As empresas e pessoas envolvidas no esquema desbaratado pela Polícia Federal na Operação Voucher têm contratos de mais de R$ 48 milhões com o Ministério do Turismo, desde 2008. De acordo com a Polícia Federal, a ONG Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável) recebeu recursos de R$ 4 milhões do Ministério do Turismo para um convênio no Amapá e subcontratou outras organizações que não prestaram os serviços, o que caracterizou o desvio de recursos públicos. O Ibrasi teve outros dois convênios com o Ministério do Turismo que somam R$ 18 milhões em 2009 e 2010. Na decisão que baseou as prisões da operação, o juiz Anselmo Gonçalves da Silva afirma que "foram realizadas cinco cotações prévias escolhendo ilicitamente os participantes para simular concorrência entre elas e direcionar as contratações àquelas empresas cujos sócios possuem relação com diretores do Ibrasi". Estas mesmas empresas subcontratadas pelo Ibrasi também são subcontratadas pela Fundação Universa, de Brasília, com recursos do Ministério do Turismo. Os contratos do Ministério do Turismo com a Universa somam R$ 27 milhões. Um deles, de 2009, é no valor de R$ 23,1 milhões, assinado pelo ex-secretário-executivo do Turismo, Mário Moysés, um dos presos na operação. Este convênio teve seus valores de repasses aumentados em 2010 por outro preso na operação, o atual secretário-executivo da pasta, Frederico Silva da Costa. Além de contratos com o Ministério do Turismo, a Universa, ligada a Universidade Católica de Brasília, é contratada por outros órgãos do governo federal e do Distrito Federal tendo recebido, desde 2008, cerca de R$ 8 milhões destes órgãos. O diretor de licitações da Universa, Dalmo Antonio Tavares Queiroz, foi um dos presos na operação Voucher. Dalmo é sócio da empresa Barbalho Reis Comunicação e Consultoria, que assinou contrato de R$ 250 mil com o Ibrasi, sem comprovar a realização do serviço para o Ministério do Turismo no Amapá. Ele também é sócio da MGP Brasil. Dalmo, como dirigente da Universa, subcontratou por pelo menos três vezes a empresa de que é sócio para realizar serviços para a ONG com dinheiro do Ministério do Turismo. Em várias concorrências na Universa, as mesmas empresas são convidadas para apresentar propostas e se revezam nas vitórias. Em 2008, a Barbalho e a Race Consult se revezaram para apresentar propostas para realizar quatro diferentes serviços com recursos do Ministério do Turismo. Um dos sócios da Race, Eduardo Fayt, foi preso temporariamente na Operação Voucher para prestar depoimento. Entre os sócios da Barbalho consta Fábio Mello, um dos presos na operação. Fábio assina propostas como presidente da ONG IBT (Instituto Brasileiro de Organização do Trabalho Intelectual e Tecnológico) em dezembro de 2009 para prestar serviços para a Universa em contratos com o Ministério do Turismo. Só para um dos serviços com a Universa, o IBT recebeu R$ 1,5 milhão. Uma das empresas que ganhou contratos com o Ibrasi e a Universa é a Sinc Recursos Humanos. Para o Ibrasi, o contrato foi de R$ 1,2 milhão. No endereço informado no contrato, mas não há indicação de que a empresa funciona lá. Um dos sócios da Sinc, Hugo Gomes, foi preso na operação Voucher. Outro contrato do Ibrasi no convênio investigado pela Polícia Federal, no valor de R$ 1,1 milhão é com a Luaxe Produções, cujo sócio José Carlos Silva Júnior, foi preso. Outra subcontratada do Ibrasi é a Cooperativa Conectur, por R$ 250 mil. A mesma cooperativa já tinha tido um convênio de R$ 2,7 milhões com o Ministério do Turismo para prestar serviços no Amapá. Seu diretor, Wladimir Dias Furtado, também foi preso. O último contrato do Ibrasi neste convênio é com a Manhattan Propaganda que pertence a Sando Saad, que é diretor-financeiro da ONG.

Corinthians veta uso de mármore para economizar R$ 2 milhões no Itaquerão

O Corinthians e a construtora Odebrecht continuam em busca da redução dos gastos do estádio para a Copa do Mundo de 2014. O mármore que estava dentro do preço do Itaquerão, mas terminou sendo trocado, custaria R$ 2,09 milhões, segundo o penúltimo orçamento da empresa apresentado ao clube paulista, de R$ 950 milhões.

Ex-presidente da Eletropaulo diz que rede elétrica está no limite

O economista Eduardo José Bernini, de 54 anos, que já presidiu por duas vezes a maior distribuidora de energia do Brasil, a Eletropaulo, afirma que a rede elétrica aérea está "no limite", e a subterrânea, "um caos". Na primeira vez na Eletropaulo, de 1996 a 1998, Bernini preparou a companhia para a privatização. Na segunda, de 2003 a 2007, costurou o acordo junto com o BNDES de formação da Brasiliana, holding que agrega o banco e o grupo americano AES. Ele diz que o serviço prestado pela Eletropaulo está caindo de qualidade de maneira acentuada: "Estamos percebendo uma degradação da qualidade do serviço prestado. Estão ocorrendo mais interrupções e elas são mais percebidas do que eram no passado. Essa situação vem se agravando". Ele comenta que a redes estão sobrecarregadas: "Elas têm uma limitação física. Apesar de os equipamentos serem mais eficientes, a quantidade de aparelhos que incorporamos ao nosso dia a dia está fazendo com que a densidade do uso de energia elétrica por unidade consumidora seja muito maior. Não só nos momentos de pico, mas ao longo do dia. E o sistema está trabalhando no limite, quase em tempo integral". Para ele, a solução está na conversão da rede aérea em subterrânea: "A conversão da rede aérea em rede subterrânea é a solução. Mas tem coisas que não se misturam. Por exemplo: gás não pode passar perto de energia elétrica. Rede de saneamento também não pode passar perto de rede elétrica, já que a decomposição de matéria orgânica emite gás metano, de alta combustão. Defendo a rede subterrânea. O problema é que o subsolo é o caos. Ele foi ocupado de forma desordenada. Não existe uma política pública. O ideal é que se tenha galerias onde cada uma das empresas ocupe determinada faixa, e o nível de interferência mútua entre elas seja o mínimo possível. Talvez um modelo de exploração dessas galerias mediante concessão seja a solução. Novas redes seriam construídas para a passagem, com ocupação das diferentes utilidades, e se teria uma regulamentação. O que acontece hoje é que cada um abre a sua vala e torce para não encontrar no meio do caminho uma outra já feita por uma companhia de gás ou água e saneamento".

Tiririca diz que Câmara é uma fábrica de loucos

Oito meses depois de assumir o mandato, o palhaço Tiririca já sabe responder o que faz um deputado federal: "É uma pessoa que trabalha muito e produz muito pouco". Isso porque a Câmara, na opinião dele, "é uma fábrica de loucos". Ele conta que os parlamentares muitas vezes varam as madrugadas em discussões intermináveis em que "ninguém escuta ninguém". Francisco Everardo Oliveira Silva, "Tiririca", nasceu em 1965 no Ceará. Com o slogan "Vote no Tiririca. Pior que tá não fica", o palhaço que fez carreira no circo e na televisão foi o deputado mais votado em São Paulo, na eleição de 2010, com 1,350 milhão de votos.

IBGE aponta queda do emprego industrial de 0,2% entre maio e junho

O emprego industrial teve queda de 0,2% em junho na comparação com maio, depois de ter ficado praticamente estável nos últimos três meses, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE. Com este resultado, a média móvel trimestral teve uma queda de 0,1%, entre os trimestres terminados em maio e junho. Foi o primeiro resultado negativo captado pelo IBGE desde julho de 2009, quando houve outra queda de 0,1% da média móvel trimestral. Na comparação com o primeiro trimestre, o emprego industrial não variou no segundo trimestre de 2011, depois de sete trimestres seguidos de taxas positivas, com variação de 5,7%. Em relação a junho de 2010, o emprego industrial, no entanto, aumentou 0,7% - a 17ª taxa positiva consecutiva nesta base de comparação. No segundo trimestre, também em comparação com o mesmo período em 2010, houve um crescimento de 1,2%. A taxa de emprego industrial acumulada nos últimos 12 meses continua em alta, com taxa de 3,1%. No primeiro semestre de 2011, houve aumento de 1,9% do emprego industrial em relação ao mesmo período no ano anterior. A queda de 1,5% do emprego industrial em São Paulo foi a maior pressão negativa no resultado global de junho contra junho do ano passado, entre os 14 locais em que o IBGE faz a pesquisa.

China suspende a produção de trem-bala

A fabricante chinesa de trem-bala CNR informou que suspendeu a produção do seu modelo mais avançado após a descoberta de problemas na proteção automática.
Ao mesmo tempo, o Ministério das Ferrovias anunciou a diminuição da velocidade em todo o sistema. Em nota na Bolsa de Shenzhen, a CNR afirmou que os problemas foram detectados na recém-inaugurada linha de trem-bala entre Pequim e Xangai, a maior do mundo, com 1.318 quilômetros. Desde a sua inauguração, no início de julho, houve diversos casos de atrasos e pane no modelo CRH 380. Já o Ministério das Ferrovias vai reduzir a velocidade de todos os trens-bala. Além da diminuição de 350 km/h para 300 km/h, anunciada no primeiro semestre e ratificada na quarta-feira, os trens que viajam a 250 km/h passarão a andar a 200 km/h. A revisão do programa de trem-bala chinês, o maior do mundo, ocorre poucas semanas depois do choque entre dois trens que matou ao menos 40 pessoas. A tragédia do último dia 23 de julho provocou uma inédita onda de críticas nos microblogs chineses e na imprensa contra o governo. Ele é acusado de sacrificar a segurança para acelerar a construção do sistema, iniciada em 2007 e com previsão para 16 mil quilômetros até 2020. O governo brasileiro tenta atrair a China para participar do projeto de trem-bala entre Campinas e Rio de Janeiro, mas até agora sem resultado.

Procuradoria quer chamar Dilma para falar de tortura

O Ministério Público Federal estuda pedir o depoimento da presidente Dilma Rousseff em ação contra quatro ex-agentes da ditadura militar acusados de torturar presos políticos na Oban (Operação Bandeirantes). Ela pode ser ouvida como testemunha de acusação contra Maurício Lopes Lima, capitão reformado do Exército que atuou no órgão. Em audiência na Justiça Militar quando estava presa pelo regime, em 1970, a presidente o apontou como "um dos torturadores da Oban". "O testemunho de Dilma pode ser relevante, porque ela é uma das vítimas que reconheceram os réus como torturadores", diz a procuradora Eugênia Gonzaga. Na segunda-feira, a juíza federal Taís Gurgel, da 4ª Vara Cível de São Paulo, deu ao Ministério Público o prazo 15 dias para informar as provas que pretende colher na ação.

José Dirceu diz já temer que Dilma Rousseff não termine seu mandato

O ex-ministro petista José Dirceu, réu no processo crime do Mensalão, que tramita no Supremo Tribunal Federal, manteve em Brasília conversas reservadas com dirigentes e políticos aliados, como o senador José Sarney, além de lideres partidários. Para um dos senadores do PMDB, com quem conversou, José Dirceu disse que está “apavorado” com erros da presidenta Dilma no relacionamento com partidos e o Congresso. O ex-ministro José Dirceu deixou claro aos interlocutores o seu temor: que Dilma não conclua o mandato. A preocupação de Dilma é não virar refém do Congresso e desautoriza o meio-de-campo de ministros: “Quem manda aqui sou euzinha”, avisa. Na reunião anterior do conselho político, Ideli Salvatti tomou bronca após fazer um apelo para o Congresso votar: “Peço, imploro aos senhores...” Dilma interrompeu, desautorizando a ministra e provocando mal-estar: “Ideli, isso de pedir, implorar, é coisa sua, não minha, nem do governo”. O último presidente que pretendeu governar ignorando o Congresso acabou derrubado por um impeachment.