terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ex-atacante do Inter, Escurinho morre aos 61 anos

Escurinho, ex-atacante do Inter, morreu no fim da tarde desta terça-feira, às 18h15, no Hospital das Clínicas, em Porto Alegre. O motivo do óbito foi um choque hemorrágico. Escurinho, de 61 anos, estava internado desde abril e no dia 14 de setembro teve sua perna esquerda amputada, em razão das complicações geradas pelo diabetes. Na ocasião, a operação, que cortou a perna do ex-jogador acima do joelho, foi considerada um sucesso pelos médicos do hospital. Bicampeão brasileiro em 1975 e 1976, e heptacampeão gaúcho pelo Inter (1970,71,72,73,74,75 e 76), o ex-atleta já havia sofrido a amputação da perna direita em 2009, e desde então andava com o auxílio de uma prótese. Além do Inter, Escurinho defendeu Palmeiras, onde foi vice-campeão brasileiro em 1978, Internacional de Limeira, Coritiba, Barcelona de Guayaquil (Equador), Vitória, Bragantino, Caxias, La Serena (do Chile) e Avenida-RS.

Senado aprova urgência para projeto dos royalties do petróleo

Apesar de não haver acordo entre Estados produtores e não produtores, o plenário do Senado aprovou nesta terça-feira regime de urgência para votação de um projeto de lei que redistribui os recursos dos royalties e da Participação Especial. A idéia dos líderes do Senado com a urgência é garantir que, assim que for construído um entendimento, a proposta possa ser colocada em votação evitando a análise do veto do ex-presidente Lula, marcado para dia 5 de outubro. A proposta que foi vetada propõe uma divisão mais igualitária desses recursos entre todos os municípios e Estados, de acordo com as regras de divisão dos fundos de participação dos municípios e Estados. Os senadores trabalham em cima de um projeto do senador Wellington Dias (PT) que redistribui os royalties do pré-sal para todos os Estados. O projeto de Dias prevê a seguinte distribuição de receitas para 2012: R$ 8,8 bilhões para a União; R$ 10,8 bilhões para os Estados e municípios produtores; e R$ 8,4 bilhões para Estados e municípios não produtores, totalizando R$ 28 bilhões em receitas advindas do petróleo do mar no próximo ano.

São Paulo fecha shopping construído sobre um antigo lixão

O shopping Center Norte, seu complexo de estacionamentos e o supermercado Carrefour, que ficam em região contaminada por gás metano na zona norte de São Paulo, receberam um auto de interdição da prefeitura de São Paulo na manhã desta terça-feira. Os estabelecimentos terão 72 horas para fechar. Segundo a prefeitura, há risco de explosão. A interdição obedece ao artigo 62 da Lei de Crimes Ambientais. Em abril de 2003, vereadores da CPI das Áreas Contaminadas receberam denúncias de que o Cingapura e todo o complexo onde estão o Center Norte, Lar Center e Expo Center Norte estão sobre um antigo lixão. Os parlamentares pediram que a Cetesb investigasse a informação, o que a entidade começou a fazer dez meses depois, em fevereiro de 2004. Em novembro de 2009, depois de acionada pelo Ministério Público, a Cetesb solicitou à prefeitura uma investigação do solo do conjunto. Dezessete meses depois, em abril deste ano, um estudo da Secretaria Municipal de Habitação apontou a existência de metano na área, mas sem risco de explosão, dado confirmado em outra medição, em julho. No dia 16 de setembro, o Shopping Center Norte, empreendimento de R$ 110 milhões e 311 lojas construído no início dos anos 1980 sobre um antigo lixão, entrou para a lista de "áreas contaminadas críticas" do Estado. Pelo complexo onde está o Center Norte, que inclui ainda Lar Center, Expo Center Norte e Novotel, passam cerca de 800 mil pessoas durante os fins de semana. A Cetesb constatou gás metano na área das lojas, em índice que superou 5% da composição do ar, nos dias 17, 21 e 22 de julho. Ou seja, com risco de explosão. O órgão pediu então medidas urgentes ao shopping, como a ventilação de espaços fechados (caso das galerias de telefonia e de esgoto e dos depósitos das lojas).

Governo Dilma vai abrir licitação para a construção da segunda ponte do rio Guaíba junto com concessão da freeway

O governo Dilma abrirá licitação para a escolha da empresa que construirá a segunda ponte do rio Guaíba, conforme o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. A empresa que vencer a licitação terá o direito a explorar o trecho da BR-290 entre Eldorado do Sul e Osório a partir de 2017, quando termina a atual concessão, da Concepa. Segundo o ministro, a empresa que ganhar a disputa deve começar a construir a ponte imediatamente. "Nós decidimos que vamos fazer uma concessão do trecho e que ela será precedida de uma obra pública, que é a segunda ponte do rio Guaíba. Nós já estamos nos mobilizando para a realização dos estudos de modelagem e estruturação do edital", afirmou o ministro Paulo Sérgio Passos. Ele considera inviável a proposta de Concepa de prorrogação do atual contrato de concessão do trecho por mais 20 anos em troca da construção da segunda ponte: "É muito tempo. Esta hipótese está descartada. Nós não estamos trabalhando com a idéia de fazer prorrogação de contrato".

Recuo de Juliana Brizola e aliados fortalece Fortunatti no PDT

A deputada estadual gaúcha Juliana Brizola (PDT) deu neste início de semana um retrato de sua verdadeira dimensão política, ao retirar sua candidatura para a presidência do partido em Porto Alegre. A alegação é de que não dava para manter a candidatura já que regras da eleição haviam sido alteradas, como o prazo final de inscrição de novos filiados. E também porque a direção da comissão eleitoral havia sido entregue justamente para seu maior inimigo, o vereador Mauro Zacher. A eleição está marcada para o próximo dia 2 de outubro. Nem de longe Juliana Brizola relembra a combatividade de seu avô, o legendário ex-governador Leonel Brizola. A sua atitude, retirando a candidatura, demonstra que sua dimensão política é muito menor do que os adversários haviam imaginado, impressionados pelas votações que ela recebeu em suas duas primeiras eleições, para vereadora em Porto Alegre e, menos de dois anos depois, deputada estadual. Também é muito menor do que ela própria imaginara, e transmitia a seus interlocutores. Muitas vezes a deputada e seus seguidores asseguraram que tinham maioria dos delegados das zonas do partido em Porto Alegre. Pior do que isso: ela se retirou da arena sem ganhar nada, e sem dar satisfação a ninguém no mundo político do seu partido e de todo o Rio Grande do Sul. Ela deveria saber que direções partidárias manipulam as eleições em suas siglas, e deveria ter se preparado para esta hipótese. Ela também deveria saber que ninguém está obrigado a ganhar todas as lutas, mas que não deve abandonar o ringue. Perder é da vida e da política. Se perdesse, mas levasse junto com ela um naco importante de controle do partido, então teria respeito. Agora ficou com o quê? Ela permite, com sua decisão, que se acentuem as desconfianças de que está de malas prontas para sair do partido e entrar no PT. Este partido estaria então conseguindo a suprema vitória contra o trabalhismo e o brizolismo. O que não conseguiram com o pai de Juliana Brizola, conseguiriam agora com a própria. Juliana também perderá muitos votos entre trabalhistas que não aceitarão a sua falta de combatividade. Quais as consequências mais imediatas de sua decisão? São estas: 1) Juliana Brizola e seus aliados (Alceu Collares, Afonso Mota, Kalil Sehbe, Claudio Janta, Enio Bacci) ficam fora da disputa pelo comando estadual, na eleição marcada para o dia 6 de novembro, na qual o atual presidente Bolzan Júnior será reeleito sem problema; 2) O PDT resulta "pacificado" e fechadíssimo em Porto Alegre com a candidatura à reeleição de José Fortunatti, que emerge como o grande nome do partido no Rio Grande do Sul. O irmão de Juliana Brizola já está na Câmara dos Deputados exclusivamente pela vontade da presidente Dilma (que vingança para ela, que foi chamada por Leonel Brizola de "traidora" por um prato de lentilhas, quando saiu do partido), e agora ela caminha na mesma direção.

Justiça Eleitoral aprova criação do PSD de Kassab

Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral aprovou nesta terça-feira a criação do PSD, partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Com a decisão, o partido poderá disputar as eleições municipais do próximo ano, quando já exercerá a sua vocação para o governismo e o adesismo, engrossando a chamada base aliada do petismo. O julgamento foi retomado após pedido de vista do ministro Marcelo Ribeiro. O tribunal viveu um impasse na semana passada, pois uma resolução do TSE exigia que o partido incluísse em seu pedido de registro as listas de apoio da população certificadas pelos Tribunais Regionais Eleitorais, mas o PSD apresentou essas listas certificadas apenas pelos cartórios eleitorais. Acontece que a legislação eleitoral não chega a falar sobre a certificação dos tribunais, limitando-se à apreciação dos cartórios. Ribeiro entendeu que tratava-se, na realidade, de uma "falsa incompatibilidade". Segundo ele, a resolução do TSE cita os tribunais regionais somente porque o partido precisa do registro em pelo menos nove Estados para fazer o pedido à corte superior. Ribeiro disse que, como nos TREs, o partido precisa apenas do apoio de 0,1% do eleitorado local, e no TSE, necessita de apoio equivalente a 0,5% do total de votos recebidos nas eleições para deputado federal, o partido não precisa entregar todas as listas certificadas nos tribunais regionais. Ao final de seu voto, Ribeiro entendeu que o PSD entregou tudo o que era necessário, tendo conseguido cerca de 510 mil assinaturas (a lei exige 492 mil). Após o voto do ministro, o colega Teori Zavascki, que tinha votado pela realização de investigações, mudou de voto. Ele, Arnaldo Versiani, Cármen Lúcia e o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, também acompanharam a relatora. O único voto contra a criação do partido foi de Marco Aurélio Mello. Na quinta-feira passada, Nancy Andrighi votou a favor da criação do PSD. Segundo ela, o PSD conseguiu comprovar que obteve o registro de diretórios regionais em 16 TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) e que colheu 514,9 mil assinaturas de eleitores em apoio à sua criação da sigla.

Lula ironiza FMI e fala em saída política para crise na Europa

O ex-presidente Lula fez ironias nesta terça-feira, em Paris, com os países ricos e instituições internacionais, e afirmou que a saída para a crise na Europa "está em um decisão política". Lula fez referência aos "conselhos econômicos" dados ao Brasil no passado e afirmou que os países desenvolvidos agora são incapazes de resolver seus próprios problemas. "Eu vi tanta gente sabida na Europa e nos Estados Unidos quando o Brasil, a Bolívia e o México estavam em crise", disse Lula em um discurso no Instituto de Ciências Políticas de Paris, onde recebeu o título de doutor honoris causa. "Era tanta conselho econômico que, quando começou a crise em 2008, eu falei que os especialistas resolveriam isso em três dias", afirmou. "Eles (os especialistas econômicos) se esconderam. O Banco Mundial, o FMI, a Comissão Européia, ninguém sabia mais nada. Mas essa gente toda sabia quando era o meu calo que estava doendo", disse Lula, causando risos na platéia. "Quando a dor de dente é no vizinho, temos todos os remédios. Mas quando é na boca da gente, não temos os remédios", afirmou o ex-presidente. Lula foi a primeira personalidade latino-americana a receber o título de doutor honoris causa do Instituto de Estudos Políticos de Paris, fundado em 1871 e onde já estudaram personalidades como os ex-presidentes franceses Jacques Chirac e François Mitterrand.

Relator quer continuar processo contra Valdemar na Câmara

Fernando Francischini (PSDB-PR) apresenta nesta quarta-feira no Conselho de Ética da Câmara seu relatório e deve pedir a continuidade do processo contra Valdemar Costa Neto (PR-SP). Durante a sessão, manifestantes do Movimento de Combate à Corrupção prometem fazer ato pressionando pela cassação de Valdemar. O relatório de Franceschini fala de dois pontos: da suposta participação do deputado em cobranças de propina na chamada "Feira da Madrugada" e também no Ministério dos Transportes. A cobrança de propina na feira foi mencionada pelo vereador Agnaldo Timóteo (PR) em carta em papel timbrado da Câmara Municipal de São Paulo. Na carta, Timóteo se explica por ter demitido de seu gabinete a filha de Geraldo de Souza Amorim, a quem diz ter "levado" a reuniões com o prefeito Gilberto Kassab e o ex-ministro Alfredo Nascimento (Transportes), do PR. "Você se lembra, Geraldo, que os oportunistas do meu partido te exigiram R$ 300.000,00 mensais? E eu pergunto: te pedi alguma coisa para levá-lo ao nosso ministro? Pedi alguma coisa para levá-lo à mesa do prefeito Kassab?", diz a carta, que foi registrada e teve firma reconhecida pelo 3º Tabelião de Notas de São Paulo. Geraldo de Souza Amorim era sócio da GSA, empresa que em 2004 obteve da RFFSA (Rede Ferroviária Federal) autorização para instalar, em terreno da antiga estatal, a Feira da Madrugada, que reúne ambulantes no bairro do Pari (centro de SP).

Greve dos bancários fecha 21% das agências em todo o País

A greve dos bancários provocou o fechamento de 4.191 agências em 25 Estados e o Distrito Federal, segundo a Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro), entidade que coordena o Comando Nacional dos Bancários. O número representa 21% das agências que existem em todo o País (20.073). Apenas os trabalhadores de Roraima não aderiram ao movimento. De acordo com o presidente da Contraf, Carlos Cordeiro, houve maior adesão de trabalhadores no primeiro dia da greve, em relação à paralisação do ano passado. Em 2010, os bancários pararam por 15 dias. Na Grande São Paulo, 16% dos empregados no ramo bancário cruzaram os braços, de acordo com o sindicato dos bancários de São Paulo, Osasco e região. A estimativa é que 21.100 trabalhadores tenham parado. Com isso, 687 pontos bancários, dos 2.400 centros administrativos e agências, ficaram fechados nesta terça-feira.

Presidente da Suzano avalia como positiva desvalorização do real

O presidente da Suzano, Antônio Maciel Neto, avaliou como positiva a desvalorização do real em relação ao dólar ocorrida nos últimos dias. A Suzano, segundo ele, tem metade de sua dívida em dólar. Isso, entretanto, não preocupa, uma vez que com a desvalorização se espera um ganho de vendas. "É uma mudança contábil", resume o executivo, que participou nesta terça-feira do 8º Fórum de Economia da FGV, em São Paulo. Segundo ele, o prazo médio da dívida da Suzano é de quatro anos. Mas, estima ele, com o câmbio mais depreciado é possível exportar mais e vender mais para o mercado interno. "Num primeiro momento, a alavancagem vai aumentar, mas a geração de caixa vai melhorar", afirmou. Ele atribuiu a desvalorização ao medo dos investidores a novas medidas do governo. "O governo colocou IPI no importado, apertou a licença prévia e baixou juros. Viram que o governo não ia tolerar essa situação", avaliou. Segundo Maciel, a tendência é um recuo na demanda por papel tanto no Brasil quanto no Exterior, por efeito da crise internacional. Ele afirmou que o esfriamento da economia brasileira já está sendo sentido pela companhia e que, no último trimestre, a expectativa é de um crescimento ainda mais lento. "A venda de papel cartão usado em embalagens está 10% abaixo da do mesmo período do ano passado", disse ele.

Assembléia do Rio de Janeiro aprova empréstimo de R$ 220 milhões para o Maracanã

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro aprovou projeto de lei autorizando o governo estadual a contrair empréstimo de US$ 120,6 milhões (cerca de R$ 220 milhões) para as obras de reforma do Maracanã. O empréstimo será concedido pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina e servirá para garantir os recursos que não virá do financiamento máximo de R$ 400 milhões do BNDES a estádios que receberão partidas da Copa-2014. Foi aprovada também uma emenda que exige que o governo envie à Assembleia os termos aditivos ao contrato com o consórcio de construtoras que reforma o estádio, já que o orçamento inicial de R$ 705 milhões já foi revisado após ser constatada a necessidade de substituir a atual cobertura do Maracanã. O Tribunal de Contas da União autorizou gastos de R$ 859,4 milhões com a obra, abaixo do orçamento de R$ 956,8 milhões apresentado pelo governo. A conclusão das obras do Maracanã está prevista para fevereiro de 2013.

FHC e Marina trocam afagos em evento no instituto do ex-presidente

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e a ex-petista Marina Silva (sem partido) deram nesta terça-feira demonstrações de aproximação ao trocarem afagos em evento organizado pelo Instituto Fernando Henrique Cardoso. Ao iniciar sua fala, FHC creditou ao "fascínio" que Marina gera o fato do auditório estar lotado. A ex-ministra do Meio Ambiente foi convidada para um debate sobre o Código Florestal. O tucano ainda disse que a boa relação entre os dois é antiga e que espera um dia a divulgação das cartas que trocavam quando ela era senadora pelo PT do Acre e ele, presidente. "Marina é uma pessoa íntegra que diz as coisas com sinceridade", disse ele. A ex-presidenciável retribuiu os elogios: "o senhor tem uma responsabilidade muito grande em relação a esse debate ambiental". Segundo ela, FHC a ajudou para que o Congresso aprovasse a legislação sobre a Mata Atlântica quando era ministra do governo Lula. "O senhor sempre ajudou com a sua bancada de senadores", disse a ex-ministra. Marina ainda colocou o ex-presidente na sua lista de "mantenedores de utopia", que inclui Lula, o ambientalista Chico Mendes e o educador Paulo Freire.

Senado confirma escolha de Ana Arraes para o TCU

O Senado confirmou nesta terça-feira a escolha da deputada federal Ana Arraes (PSB-PE), de 64 anos, para uma vaga no Tribunal de Contas da União. Ela recebeu 48 votos favoráveis, 17 contrários e uma abstenção. O principal cabo eleitoral da deputada foi seu próprio filho, o governador Eduardo Campos (PSB-PE). Na semana passada, para garantir a aprovação dela pela Câmara, ele articulou apoio com governistas e oposicionistas e chegou a despachar em Brasília para acompanhar as negociações. O PMDB, que tinha lançado candidato para a vaga, orientou voto nela no Senado.

Deputado questiona Roma sobre limite de visto a italianos no Brasil

O deputado italiano Fabio Porta, do oposicionista Partido Democrático, apresentou uma interrogação ao governo de seu país para que esclareça a limitação dada pelo Itamaraty de 90 dias a turistas italianos em solo brasileiro. O limite foi estabelecido pelo Ministério das Relações Exteriores brasileiro em uma circular de julho deste ano e impede a renovação do visto para os italianos. O tratamento é diferenciado em relação aos cidadãos dos outros países europeus, que podem permanecer no Brasil por 180 dias. Porta contou ter recebido e-mails e telefonemas de protestos de italianos, estudantes, professores e empresários que tiveram o pedido de prorrogação da permanência no país negado. Porta também "excluiu, absolutamente", que o incidente tenha relação com o caso do terrorista italiano Cesare Battisti, cuja extradição foi negada pelo Brasil. "Creio que as causas são ligadas ao fato de que os brasileiros estão aplicando de maneira muito rígida a reciprocidade", disse ele, referindo-se a possíveis restrições a brasileiros que chegam na Itália. Fontes diplomáticas italianas atestaram que a restrição a cidadãos da Itália remontam a "um acordo específico que só a Itália assinou com o Brasil nos longínquos anos 1960, que limita em 90 dias o visto para turistas italianos". Eles ressaltaram que não está claro porque o acordo assinado há cerca de 50 anos passou a valer somente agora. O senador Demóstenes Torres (DEM), por sua vez, disse à Ansa que esta medida é "absurda", pois não há nada que justifique a atitude do Brasil para impedir a prorrogação dos vistos. Ele, porém, disse ser "estranho" que isso tenha ocorrido após Battisti obter residência permanente no país.

Diretor da Fiesp diz que guerra cambial entrou em uma segunda fase

O diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp, Roberto Gianetti da Fonseca, afirmou nesta terça-feira que a guerra cambial entrou em uma segunda fase, com a atuação de grandes fundos de investimento chineses apostando em favor da valorização de moedas de países concorrentes em mercados noutras partes do mundo. "Não se trata apenas da manipulação de sua própria moeda, mas também da manipulação da moeda de outros países, atuando na valorização de outras moedas em outros mercados", afirmou ele, que participa do 8º Fórum de Economia da FGV, em São Paulo. Segundo Gianetti, a reserva chinesa já corresponde a 31% do total mundial e deverá chegar a 50%. Isso, afirmou, é um instrumento ainda mais potente de política externa do que "construir porta-aviões". Gianetti classificou como "efeito manada" a reação no mercado de câmbio brasileiro na semana passada. Segundo ele, sem motivo concreto bilhões em operações de arbitragem foram desmontadas, que são aplicações que visam ganhar com a diferença entre os juros praticados no Exterior e no Brasil, a uma determinada taxa de câmbio: "Com isso, o dólar sai de R$ 1,50 e vai para R$ 1,90". Gianetti afirmou que "apenas apertando um botão" os chineses poderiam "derrubar o preço do cobre, deixando o presidente Piñera de joelhos" ou ainda "fazer a moeda australiana virar pó e comprar seu minério de ferro". O empresário afirmou que tamanho volume de recursos nas mãos dos Estados tornam a guerra cambial "ainda mais perigosa".

Banco Central aumenta previsão para crescimento do crédito

O Banco Central aumentou a previsão para o crescimento do crédito neste ano de 15% para 17%. A mudança foi puxada, principalmente, pelo aumento dos financiamentos habitacionais. O Banco Central também avalia que o crédito pessoal e para compra de veículo teve um desempenho acima do estimado anteriormente, apesar da perda de ritmo em relação a 2010. "Estamos vendo o crédito crescendo um pouco acima do que havia sido estimado, fundamentalmente o crédito habitacional", disse o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel. Para ele, esse ritmo de crescimento é "adequado e sustentável", além de ser a menor taxa nos últimos sete anos, com exceção do registrado em 2009 (15,2%), devido à crise naquele ano. Como a maior parte do crédito habitacional está concentrada na Caixa Econômica Federal, os bancos públicos vão novamente liderar o crescimento do crédito, com aumento de 18%. "É uma evolução sustentável, principalmente quando comparamos com períodos como 2007 e 2008, quando crescia a 30%", afirmou Maciel. Com esse crescimento maior, o crédito vai passar de 47,8% para 49% do PIB. A previsão anterior era chegar a 48% do PIB. Em março deste ano, o presidente do BC, Alexandre Tombini, afirmou que o governo queria reduzir o ritmo de expansão do crédito para uma taxa entre 10% e 15%. Na época, o BC previa uma expansão de 13%, que foi revista para 15% em junho.

Jorge Kajuru ingressa no PPS e pode disputar eleição em 2012

O polêmico jornalista Jorge Kajuru, de 50 anos, filiou-se ao PPS e deve entrar na disputa por um vaga na Câmara Municipal de São Paulo nas eleições de 2012. Ele nasceu em Cajuru, no interior de São Paulo, e tem 35 anos de carreira como repórter esportivo, radialista e apresentador de TV. Atualmente, trabalha no canal Esporte Interativo. Kajuru é conhecido por suas declarações polêmicas e coleciona processos por causa de suas críticas. Em 2006, o jornalista passou por uma cirurgia no olho, após um descolamento da retina. Diabético, realizou em 2009 uma cirurgia para redução do estômago e perdeu quase 60 quilos.

Nissan deve anunciar local de fábrica no Brasil em outubro

A Nissan deve anunciar o local de instalação de uma fábrica no Brasil na próxima semana, em um investimento bilionário que poderá incluir a produção de veículos elétricos. O Estado do Rio de Janeiro é um dos principais destinos avaliados pela segunda maior montadora de veículos do Japão. A previsão é de investir US$ 1,5 bilhão na fábrica. A produção por ano na planta será de 220 mil carros, entre populares e carros elétricos, sendo de três a quatro segmentos de veículos. O investimento daria mais espaço para o crescimento da marca no quarto maior mercado de veículos do mundo. Atualmente, a Nissan divide um complexo fabril no Paraná com sua parceira francesa Renault. A Nissan produz no País a picape Frontier e os modelos da família do monovolume Livina no município de São José dos Pinhais. O anúncio coincide com um momento em que as montadoras japonesas enfrentam um iene forte no Japão, o que reduz a competitividade de suas exportações. Além disso, surge em meio a uma série de investimentos em novas unidades produtivas no Brasil por novos entrantes, como as chinesas JAC e Chery, e de montadoras estabelecidas há mais tempo no país como Fiat, General Motors e Toyota. A Nissan avaliou vários Estados para o investimento, incluindo Bahia, Paraná e São Paulo, mas o Rio de Janeiro está no topo da lista, com as cidades de Resende, Porto Real e o complexo industrial do empresário Eike Batista, que está sendo construído em São João da Barra, na lista de preferências da montadora. Resende possui fábricas de automóveis da Peugeot e de ônibus e caminhões da Volkswagen, enquanto Porto Real abriga uma unidade da Citroen. De janeiro a agosto, a Nissan acumula vendas de 36.819 automóveis e comerciais leves no Brasil, ante 19.906 no mesmo período de 2010.

Juiz ameaçado de morte diz que "é a bola da vez"

O juiz Alexandre Abrahão, da 1ª Vara Criminal de Bangu, é um dos alvos de policiais envolvidos em milícias no Rio de Janeiro e vem sendo ameaçado de morte constantemente. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, ele admitiu que pode ser atacado a qualquer momento: "Sou a bola da vez". Abrahão diz que é um dos juízes que mais assinaram sentenças contra policiais envolvidos em crimes. "Assim como a Patrícia Acioli combatia os grupos de extermínio, eu atuava contra as milícias", explica. "Por causa disso, ela foi assassinada e eu sou ameaçado", declarou o juiz ao apresentador José Luiz Datena. A Corregedoria da Polícia Militar do Rio informou nesta terça-feira que o soldado Júnior César de Medeiros, apontado como suspeito de participar do assassinato da juíza, ainda está sendo procurado. A prisão temporária dele já foi decretada pela Justiça. Além de Medeiros, também tiveram a prisão decretada o tenente-coronel Cláudio Luiz Oliveira, ex-comandante do o 7º Batalhão da PM do Rio, em São Gonçalo, e outros cinco policiais que já estavam presos por outros crimes. O ex-comandante é apontado como mandante do crime.

Ipea diz que número de pessoas na baixa renda diminui 25% em nove anos

O número de pessoas que viviam com até meio salário mínimo per capita caiu 24,7% nos últimos nove anos, de 2002 até 2011. Segundo levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), que levou em conta a população de seis regiões metropolitanas do País, em julho de 2002, 17 milhões de pessoas viviam na faixa considerada de baixa renda, ante os atuais 12,8 milhões. Para o instituto, enquadram-se nesta faixa de baixa renda pessoas que tem rendimento médio familiar per capita de até meio salário mínimo. O comunicado "Trajetórias da população de baixa renda no mercado de trabalho metropolitano brasileiro" foi feito a partir das divulgações referentes aos meses de julho da PED (Pesquisa Mensal de Emprego), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2002 até 2011. Os dados da PED são levantados em seis regiões metropolitanas. Durante o período analisado, houve alta apenas entre 2002 e 2003, de 8,9% (com o ápice do indicador em 18,4 milhões de pessoas em julho de 2003). O instituto leva em consideração a renda média familiar da população ocupada nas regioes pesquisadas. Segundo Marcio Pochmann, presidente do Ipea, a desaceleração da economia neste ano reduziu o ritmo da queda na população de baixa renda. Marcio Pochman é um professor petista da Unicamp, aquela universidade que deu doutorado para Aloizio Mercadante com uma "tese" laudatória do governo Lula. Pochman é o candidato de Lula para a prefeitura de Campina. Este Pochman transformou o Ipea em uma espécie de Ibope petista.

Empresas brasileiras aumentam aposta em novos negócios na Argentina

O perfil dos investimentos brasileiros na Argentina está mudando. A afirmação é do secretário de Comércio e Relações Internacionais argentino, embaixador Luis Kreckler. Segundo ele, nos últimos anos os investimentos que envolvem projetos novos, os chamados "greenfield", têm crescido entre os aportes de empresas brasileiras no país vizinho. Se entre 2002 e 2003 os investimentos brasileiros na Argentina eram direcionados principalmente a operações de fusões e aquisições, nos anos subsequentes esse quadro mudou e hoje essas operações são complementadas por investimentos em projetos novos, destinados a ampliar a capacidade produtiva das companhias no país vizinho, mas que refletem também a chegada de novas empresas brasileiras à Argentina. Entre 2003 e 2010, a Argentina foi o país que teve mais anúncios de projetos novos de empresas brasileiras na América Latina. Foram 62 projetos, somando 29% dos projetos do Brasil na região. Um exemplo foi o anúncio feito pela Camargo Corrêa em agosto. O grupo promete investir US$ 404 milhões até 2014 para ampliar a produção de cimento no país. O Brasil é o quarto país com maior volume de investimentos externos diretos na Argentina. Em 2009, o Brasil investiu US$ 4 bilhões no país vizinho e foi responsável por 5,4% do total do IED na Argentina. Os investimentos da Espanha, o maior parceiro, somaram 28,3% do total. O mercado argentino é o sexto destino para investimentos externos diretos do Brasil e o maior na América Latina e entre os emergentes. Segundo Kreckler, hoje há um estoque total de US$ 86 bilhões de empresas estrangeiras na Argentina.

Déficit da Previdência cai 32,5% em agosto em relação a 2010

As contas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) registraram rombo de R$ 3,926 bilhões em agosto desse ano. Este valor é 32,5% menor do que o verificado no mesmo período do ano passado, quando o saldo negativo foi de R$ 5,816 bilhões. Em relação a julho, o déficit teve aumento de 87,5%. Em julho, as contas do INSS tiveram rombo de R$ 2,093 bilhões. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo ministro Garibaldi Alves Filho (Previdência Social). O resultado de agosto é decorrente de uma arrecadação líquida de R$ 20,450 bilhões e despesas com o pagamento de benefícios no valor de R$ 24,376 bilhões. Entre janeiro e agosto deste ano, a Previdência Social registrou déficit de R$ 25,882 bilhões. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o saldo negativo recuou 21,7%. O pagamento de benefícios previdenciários nos oito meses de 2011 somou R$ 178,071 bilhões. Já a arrecadação da Previdência Social foi de R$ 152,189 bilhões.

Governo boliviano culpa vice-ministro e policiais por repressão

O governo do indio cocaleiro Evo Morales culpou nesta terça-feira o vice-ministro de Regime Interior, Marcos Farfán, e os policiais que enviou ao povoado de Yucumo, na Amazônia boliviana, pela repressão à manifestação indígena realizada no domingo contra a construção de uma estrada em um reserva ambiental. Os ministros da Presidência, Carlos Romero, e de Governo (Interior), Sacha Llorenti, apresentaram essa versão em entrevista coletiva concedida em La Paz, na qual também anunciaram que Farfán renunciou para "se submeter a uma investigação". "Essa operação realizada nos arredores de Yucumo no domingo não contou com a instrução do presidente, nem com a ordem do ministro de Governo", disse Llorenti. Segundo ele, "foi uma decisão tomado no local" por Farfán "por sugestão de alguns comandantes policiais", enquanto Romero afirmou que o agora ex-vice-ministro "terá que assumir as responsabilidades sobre os fatos". Llorenti reconheceu, no entanto, que "nenhuma instrução pode justificar os abusos" da polícia, mas insistiu que "as responsabilidades são de caráter individual". O ministro de Governo prometeu entregar nas próximas horas uma lista com os nomes dos policiais que reagiram violentamente contra os índios. A acusação contra Farfán é a segunda versão de Llorenti para a responsabilidade sobre a atuação da polícia, já que na segunda-feira alegou que os agentes atuaram por instrução do Ministério Público, o que foi negado pelo procurador-geral do país, Mario Uribe.

Uderzo, um dos criadores de Asterix, decide se aposentar

Albert Uderzo, um dos criadores do personagem de quadrinhos Asterix, o Gaulês, um verdadeiro símbolo nacional da França, anunciou na segunda-feira que vai se aposentar, aos 84 anos, mas que já encontrou vários sucessores. O artista de origem italiana concebeu o indomável guerreiro em 1959, em parceria com o roteirista René Goscinny. Após 52 anos desenhando-o, ele disse que se sente "um pouco cansado", e que é hora de entregar sua criação a um talento mais jovem. O anúncio ocorreu no mesmo dia em que a editora Hachette celebrou a venda de 350 milhões de livros do personagem no mundo, o que faz dele um dos principais produtos franceses de exportação. "Decidi que deve haver alguma continuidade, e quero que Asterix siga por gerações e gerações", disse Uderzo. Asterix e seu jovial parceiro Obelix foram publicados pela primeira vez em outubro de 1959, e desde então suas aventuras contra os invasores romanos já foram traduzidas para mais de cem idiomas. Depois da morte de Goscinny, em 1977, Uderzo assumiu também os roteiros, para desgosto dos fãs, que se sentiram órfãos do humor e da ironia do titular. A recente aparição de Asterix e sua turma em outdoors do McDonald's também motivou acusações de que Uderzo teria vendido o diminuto gaulês para invasores capitalistas.

MMX quer captar US$ 1,8 bilhão até final do ano para Serra Azul

Apesar da crise nos países desenvolvidos e das incertezas em relação ao cenário de liquidez global, a MMX, empresa de mineração do grupo do empresário Eike Batista, pretende concluir até o final deste ano a captação de US$ 1,8 bilhão para financiar a expansão da mina de Serra Azul, localizada em Minas Gerais. A unidade, que vai passar de uma capacidade instalada de 8,7 milhões de toneladas para 24 milhões de toneladas ao final de 2013, vai precisar de aproximadamente US$ 2,4 bilhões (R$ 4 bilhões) em investimentos. Segundo o presidente da empresa, Roger Downey, a mineradora, que conta com o apoio dos bancos West LB e Itaú BBA na operação, inicia em outubro um roadshow no Exterior para buscar os recursos com instituições financeiras. Downey não acredita que a companhia encontrará problemas para captar os recursos e afirmou que "boa parte dos US$ 1,8 bilhão está bem adiantada". Mas, ressaltou que o caixa da companhia é suficiente para as necessidades de investimento de curto prazo da empresa caso a totalidade dos recursos necessários não seja captada neste momento. "Não estou com a corda no pescoço para fechar financiamento a preços absurdos", afirmou o executivo durante o 14º Congresso Brasileiro de Mineração, em Belo Horizonte. Sobre o futuro dos preços do minério de ferro, Downey disse não acreditar em queda abrupta das cotações, por conta da continuidade da forte demanda, principalmente na China, e de restrições na oferta.

Túnel na cordilheira dos Andes ajudará estudos sobre o Universo

Um grupo de cientistas vai estudar os segredos do Universo em um laboratório subterrâneo de física de partículas que será instalado em um túnel na cordilheira dos Andes, em uma região entre a Argentina e o Chile. O projeto Andes envolve cientistas da Argentina, do Brasil, do Chile e do México, que receberam o apoio de colegas americanos e europeus em troca da cooperação no estudo da chamada matéria escura, dos neutrinos e de outras partículas subatômicas, explicou nesta terça-feira o coordenador da iniciativa, o físico franco-argentino Xavier Bertou. Também "há grande interesse" em usar o laboratório para estudos de impacto dos raios cósmicos sobre o envelhecimento celular, de geofísica (para criar uma rede de sismógrafos entre a Argentina e o Chile) e do ambiente, explicou o cientista. A construção do laboratório custará US$ 15 milhões, o equivalente a 2% do custo do túnel rodoviário Água Negra, que unirá a cidade de Iglesia, na província argentina de San Juan, à província chilena de Vicuña. O túnel, que começará a ser construído no próximo ano, terá 14 quilômetros de extensão e um laboratório que será instalado a mais de 1.500 metros abaixo da superfície. Segundo o site do projeto, em uma caverna principal serão feitos dois ou três experimentos maiores, enquanto uma cavidade secundária abrigará três ou quatro andares destinados a estudos variados, cortados por túneis de acesso que ocuparão 2.500 metros quadrados da área subterrânea. Bertou afirmou ainda que faltam pelo menos US$ 5 milhões para equipar o laboratório para estudos de física de partículas. Segundo ele, "grande parte" desses estudos só pode ser feita em locais abaixo de rochas, que permitem detectar os neutrinos, os quais interagem pouco com a matéria. Os neutrinos são partículas subatômicas de carga elétrica neutra e pouquíssima massa. Entender seu comportamento "é fundamental" para o estudo da física, acrescentou Bertou. Os cientistas acreditam que 85% da matéria do Universo é composta por matéria escura, cujas características são totalmente desconhecidas.

Primeiro navio petroleiro líbio desde revolta segue para a Itália

O primeiro cargueiro de petróleo bruto da Líbia a deixar o porto em meses partiu com destino à Itália do porto oriental de Marsa el Hariga em 25 de setembro, disse o chefe da autoridade portuária da Líbia nesta terça-feira. O país, que já foi o terceiro maior produtor de petróleo da África, exportou apenas outros dois cargueiros de petróleo desde que a rebelião começou contra o ditador Muammar Gaddafi em fevereiro. O capitão Ramadan Boumadyan, presidente do comitê da Autoridade de Transporte Marítimo & Portos da Líbia, disse que o Hellas Warrior transportava uma carga de 381 mil barris de petróleo líbio. O Hellas Warrior foi visto pela última vez no Mediterrâneo, entre Malta e a Itália, tendo o porto francês de Fos como seu destino. A produção da Líbia antes da guerra estava em torno de 1,6 milhão de barris por dia de petróleo. Uma fonte na Corporação de Petróleo Nacional disse na semana passada que a produção de petróleo do membro da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) deve alcançar os 500 mil barris diários no início de outubro, ajudando a melhorar as receitas extremamente necessárias para alavancar a economia depois de sete meses de guerra. O cargueiro Trident Hope partiu do porto líbio oriental de Mellitah nesta terça-feira com a primeira carga de condensado a ser exportada desde que começaram as revoltas contra Gaddafi, disse o mestre do porto da cidade. O capitão Hussein Khemri afirmou que outro cargueiro deve chegar a Mellitah nesta quarta-feira com uma carga de petróleo bruto. Boumadyan afirmou que os cargueiros e portos petroleiros da Líbia estão operacionais, acrescentando que o terminal de exportação Bouri no oeste do país também está funcionando. Importantes terminais de petróleo, incluindo Brega e Tobruk, no leste, não foram danificados, e Zawiyah, no oeste, estava funcionando nas últimas três semanas e recebendo cargas de gasolina.

Professores em greve se acorrentam na Assembléia Legislativa de Minas Gerais

Cerca de 25 professores ocupam desde a tarde de segunda-feira o plenário da Assembléia Legislativa de Minas Gerais e se recusam a deixar o local. Os professores estão acorrentados uns aos outros. Eles fazem um protesto para reivindicar o pagamento de piso nacional para a categoria no Estado. A greve dos professores estaduais já dura 112 dias. De acordo com a Assembléia Legislativa, os manifestantes entraram no plenário quando acontecia uma debate aberto ao público e, após o fim do evento, se recusaram a deixar o local. Na segunda-feira, a ministra Carmen Lúcia Antunes Rocha, do Supremo Tribunal Federal, não acatou o pedido do Sind-UTE, o sindicato petista dos professores de ensino público de Minas Gerais, e manteve a liminar expedida no último dia 16 pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que considerou abusiva a greve. Os números da greve são divergentes. O sindicato fala que a adesão é de 50% das escolas. O governo de Minas Gerais afirma que apenas 0,3% das escolas estão totalmente paralisadas e 17%, parcialmente. De um total de 156.824 professores, cerca de 8.500 estão ainda em greve. Os professores reivindicam o pagamento do piso nacional do professor (R$ 1.187,00 para contrato de 40 horas semanais) com a diferenciação do nível de escolaridade dos docentes. O governo de Minas Gerais ofereceu R$ 712,00 (valor do piso nacional proporcional para 24 horas semanais) mais gratificações, porém sem distinguir o professor que tem ensino médio do que tem nível universitário.

CNJ classifica como levianas declarações de sua corregedora

A crise que vive o Conselho Nacional de Justiça ficou evidente na manhã desta terça-feira, quando o presidente Cezar Peluso leu em plenário uma nota, assinada por ele e outros 11 conselheiros, repudiando declarações feitas pela corregedora da própria instituição, Eliana Calmon. Sem citar sequer uma vez a colega, a nota lida por Peluso diz que as declarações são "acusações levianas" que foram feitas de "forma generalizada" e "ofendem a idoneidade e dignidade de todos os magistrados de todo o Poder Judiciário". "O Conselho Nacional de Justiça, no exercício do dever constitucional de velar pela integridade da magistratura, repudia veementemente acusações levianas que, sem identificar pessoas nem propiciar qualquer defesa, lançam, sem prova, dúvidas sobre a honra de milhares de juízes que diariamente se dedicam ao ofício de julgar com imparcialidade e honestidade, garantindo a segurança da sociedade e a estabilidade do Estado Democrático de Direito e desacreditam a instituição perante o povo". A nota se a recente entrevista em que a ministra Eliana Calmon fez duros ataques a seus pares ao criticar a iniciativa de uma entidade de juízes de tentar reduzir, no Supremo Tribunal Federal, o poder de investigação do CNJ. "Acho que é o primeiro caminho para a impunidade da magistratura, que hoje está com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga", declarou ela em entrevista à APJ (Associação Paulista de Jornais). É a primeira vez que um integrante do conselho é publicamente desautorizado por seus colegas. Essa situação revela a guerra velada entre Eliana Calmon e César Peluso. Enquanto a primeira defende que o CNJ tem de apurar e punir magistrados que cometeram irregularidades, o segundo afirma que o conselho deve esperar decisões da corregedoria dos próprios tribunais antes de agir. A nota foi lida por Peluso no momento em que a sessão iniciava, por volta das 11h30 da manhã desta terça. O encontro estava marcado para as 9h, mas atrasou porque Peluso, Eliana Calmon e os demais integrantes do conselho tiveram uma longa discussão, em clima tenso.

Mantega diz que governo não prepara mudança no IOF

O ministro Guido Mantega (Fazenda) disse nesta terça-feira que governo não prepara nenhuma mudança no IOF. Segundo ele, todas as medidas para evitar que a crise entre no País já foram tomadas e nenhuma delas deve ser revista. "Já tomamos medidas de precaução, estamos fortalecendo a parte fiscal do governo. Não vamos mudar o IOF, não há previsão de mudança no IOF. As coisas continuam iguais", disse Guido Mantega.

Bancários dizem que paralisação atinge 25 Estados e Distrito Federal

Bancários de 25 Estados e de agências do Distrito Federal cruzaram os braços nesta terça-feira, primeira dia da greve nacional aprovada na noite de segunda-feira, de acordo com levantamento da Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro). Ainda segundo a Confederação, a greve atinge tantos bancos públicos quanto privados. Os bancários querem reajuste de 12,8% e maior participação nos lucros das empresas. Isso significa aumento real de 5%, se descontada a inflação. Os bancos ofereceram 8% de aumento sobre salários e participação nos lucros, incremento real de 0,56%.

Forças sírias voltam a atacar refúgio de soldados desertores

Forças sírias amparadas por tanques e helicópteros atacaram nesta terça-feira a cidade de Rastan, no centro do país, reduto de soldados desertores que pegaram em armas para tentar derrubar o ditador Bashar Assad. Dezenas de veículos blindados entraram na cidade de cerca de 40 mil habitantes, que fica junto à rodovia que dá acesso à Turquia, perto da cidade de Homs. Durante a madrugada, a cidade já havia recebido rajadas de metralhadoras disparadas a partir de tanques e helicópteros. Centenas de soldados que rejeitaram ordens para disparar contra manifestantes formaram em Rastan o Batalhão "Khaled Bin Walid", assim chamado em homenagem ao conquistador árabe da síria. O coronel Riad Assad, mais graduado desertor, está ativo nessa região. Os soldados rebeldes já atacaram ônibus militares e barreiras rodoviárias controladas por soldados e milicianos pró-Assad. A região da cidade de Homs e a vizinha província de Idlib, na fronteira da Turquia, tornaram-se focos de resistência armada ao governo, embora a maior parte dos militares, comandados por oficiais ligados à seita alauíta, a mesma de Assad, continue leal ao presidente. A ONU diz que mais de 2.700 sírios já foram mortos na repressão aos protestos desde março, inclusive cem crianças.

BAE Systems cortará até 3.000 postos de trabalho

A BAE Systems cortará até 3.000 postos de trabalho no Reino Unido por causa da menor demanda por jatos de combate, anunciou a maior empresa de produtos militares da Europa. Maior produtora britânica, a companhia explicou que os quatro países parceiros no programa Eurofighter Typhoon (Reino Unido, Alemanha, Itália e Espanha) estão diminuindo a produção por conta de pressão sobre o orçamento. Fabricantes de armas se preparam mundialmente para mais cortes nos gastos com defesa em parte por causa do teto da dívida dos Estados Unidos, o maior mercado de armas. "A pressão sobre o orçamento de defesa dos Estados Unidos e a mudança em programas de alto nível significam que o aumento previsto na produção de F-35 será mais lento do que se pensava, o que novamente impacta na nossa força de trabalho", afirmou a BAE em comunicado nesta terça-feira.

Iata adverte setor aéreo para os tempos difíceis

A Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo) alertou nesta terça-feira para tempos difíceis para a indústria da aviação e o presidente da Thai Airways, Piyasvasti Amranand, disse nesta terça-feira que a turbulência nos mercados financeiros como os da Europa e Estados Unidos é "assustadora". O diretor-geral e presidente-executivo da Iata, Tony Tyler, disse também que o sistema de comércio de emissões de carbono da União Européia aumentará as pressões financeiras sobre as companhias aéreas, apesar de uma oferta de licenças gratuitas, que ele criticou como "ginástica linguística". A associação já avisou que a fraca economia global levará a uma queda de 29% no lucro das companhias aéreas em 2012, para US$ 4,9 bilhões, e a uma redução de margens de lucro da indústria de 1,2% para 0,8% neste ano. "Há muita incerteza sobre a economia mundial, obviamente na Europa e Estados Unidos", disse Tyler. A Iata, cujos 230 membros são responsáveis por mais de 93% do tráfego aéreo internacional, previu um crescimento econômico global de 2,4% em 2012, abaixo da projeção de 4% feita pelo Fundo Monetário Internacional. "A crise recente do mercado é realmente assustadora", disse o presidente da Thai Airways. "As economias da Europa e dos Estados Unidos estão realmente desacelerando", disse ele.

Após ameaça a Copa, agora Dilma quer encontro com a Fifa

A presidente Dilma Russeff baixou ordem entre seus auxiliares diretos para que o governo estenda a mão à Fifa e acabe com o clima de beligerância que existe hoje entre o governo e a entidade. A presidente se dispõe até mesmo a marcar um encontro com a cúpula da entidade para conversar sobre as divergências em torno da realização da Copa de 2014 no Brasil. Nos últimos dias, a Fifa espalhou notícias de que poderia até mesmo cancelar o Mundial no país caso não houvesse um consenso em torno de temas sensíveis, como a cobrança de meia entrada nos estádios. O governo considera que a entidade não tem condições de concretizar a ameaça. Ainda assim, quer "melhorar o clima" com os cartolas. A Lei Geral da Copa é o centro do litígio. A entidade máxima do futebol entende que o texto não defende suas receitas com ingressos, patrocínios e televisão do Mundial. O projeto de lei ainda será votado por Câmara dos Deputados e Senado. São sete pontos de discórdia. Entre os principais, está o fato de a Lei Geral da Copa não ter derrubado a meia-entrada para idosos. Isso contraria o Acordo para Sediar, que dava liberdade à Fifa para lidar com ingressos. Dilma tem mantido distância dos dirigentes do futebol e colocou todos na geladeira, especialmente o presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

Delegados entregam carta de reivindicações ao governador Tarso Genro

Delegados da Polícia Civil entregaram nesta segunda-feira uma carta de reivindicações ao governador do Rio Grande do Sul, o petista Tarso Genro. O documento foi elaborado após reunião plenária realizada no último sábado. A categoria exige a equiparação do salário de delegados civis aos vencimentos dos procuradores, medida sobre a qual o Supremo Tribunal Federal já decidiu a favor dos policiais. O presidente da Associação dos Delegados de Polícia (ASDEP), Wilson Müller Rodrigues, afirma que a entrega da carta formaliza uma posição histórica da categoria. Os delegados, porém, não deram um prazo para o governo se posicionar. Diz Wilson Muller Rodrigues: "Não demos prazo para o governo responder, não queremos colocar o governo em xeque. Há dez anos, os delegados ganhavam o mesmo que um procurador. Hoje, enquanto o salário inicial de um procurador chega a R$ 15 mil, o vencimento de um delegado no início da carreira é de R$ 7 mil. — Não estamos pedindo aumento, estamos apenas pedindo aquilo que é nosso. Levamos 30 anos para chegar a esse patamar e sucessivos governos vêm dilapidando a nossa remuneração". Na carta, os delegados reivindicam imediato envio pelo governo do Estado de projeto de Lei à Assembléia Legislativa com o realinhamento de sua carreira com a dos procuradores do Estado. Na sexta-feira, terminou sem acordo reunião entre o Palácio Piratini e escrivães, inspetores e investigadores da Polícia Civil. A Ugeirm Sindicato pede 25% de reajuste salarial e o governo ofereceu entre 10% e 13%.

Governo federal aprova cálculo e metrô de Porto Alegre será incluído no PAC

A presidente Dilma Rousseff estará em Porto Alegre no dia 14 de outubro, para anunciar oficialmente a obra do metrô na capital gaúcha. A informação foi confirmada pelo ministro das Cidades, Mário Negromonte, nesta segunda-feira, em conversa com o governador do Estado, Tarso Genro. Conforme Negromonte, três capitais serão contempladas: Porto Alegre, Salvador e Belo Horizonte. A obra do metrô em Porto Alegre tem custo total de R$ 2,46 bilhões. De acordo com o ministro, cerca de R$ 1 bilhão serão provenientes do Orçamento Geral da União, confirmando que o Planalto aceitou a nova modelagem financeira apresentada pela prefeitura e pelo governo do Estado. No início do mês, a União havia solicitado que as autoridades gaúchas refizessem o cálculo sobre os custos da obra, com o objetivo de reduzir o pedido de verbas federais. Inicialmente, a capital gaúcha havia solicitado R$ 1,58 bilhão, valor considerado alto demais pelo Palácio do Planalto. Diante do impasse, prefeitura e governo do Estado voltaram a fazer as contas e apresentaram uma nova modelagem financeira ao Ministério do Planejamento, reduzindo o montante de recursos da União. Na nova modelagem, governo do Estado e a prefeitura de Porto Alegre farão um empréstimo junto à Caixa Econômica Federal. O financiamento terá carência de 48 a 72 meses, com juros de 5,5% ao ano. O prazo de pagamento é de 30 anos depois da carência.

Infraero quer demolir últimos galpões da Vasp em Congonhas

Os últimos galpões da Vasp, que impedem a expansão do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, podem ter a sua demolição autorizada nesta terça-feira e liberar um espaço de 118 mil metros quadrados no segundo aeroporto mais movimentado do País. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) pediu permissão ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental de São Paulo (Conpresp), que deve votar nesta terça-feira a demolição. Toda alteração na estrutura de Congonhas precisa ser liberada pelo órgão de patrimônio porque o aeroporto é "congelado" para obras. Ele está em processo de tombamento há sete anos. A Vasp tem três aglomerados (tanto de hangares quanto de galpões e antigas sedes administrativas) dentro de Congonhas, que juntos representam 7% da área total do aeroporto. No começo deste ano, a Infraero protocolou dois pedidos no Conpresp para pedir a demolição das duas primeiras áreas da Vasp em Congonhas. O órgão liberou, mas nada foi feito até agora por causa da espera desta última autorização. Os galpões da Vasp são considerados um entrave ao crescimento do aeroporto porque, além de estarem completamente abandonados, ficam no meio de uma das poucas áreas do aeroporto que ainda podem ser expandidas: as de pátio e de estacionamento de aeronaves. Outro problema parcialmente resolvido é a extinção do cemitério de aviões de Congonhas, as nove sucatas de Boeings da Vasp que ocupam uma área de três campos de futebol no aeroporto. Até agora, quatro aeronaves foram demolidas.

Justiça do Rio de Janeiro decreta prisão de ex-comandante e mais cinco PMs pelo assassinato de juíza

O tenente-coronel Claudio Luiz de Oliveira é apontado como mandante do assassinato de Patrícia Acioli, executada em 11 agosto. A 3ª Vara Criminal de Niterói da Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão do ex-comandante do batalhão da Polícia Militar de São Gonçalo e de mais cinco PMs. trícia Acioli. Atualmente, o oficial estava à frente do batalhão da Maré. Os outros policiais faziam parte do Grupo de Ações Táticas do batalhão de São Gonçalo, e são denunciados por forjar um auto de resistência, morte em confronto de Diego da Conceição Beliene, de 18 anos. Mas as investigações desfizeram essa tese. Horas antes de ser assassinada, a juíza havia decretado a prisão de três PMs. O tenente Daniel dos Santos Benitez e os cabos Sergio Costa Junior e Jefferson Araújo Miranda trabalhavam no Grupo de Ações Táticas (GAT) do 7º BPM, em São Gonçalo, e já haviam tido a prisão decretada pela Justiça em 12 de setembro. Eles estavam presos por outros crimes. Sinais de celulares captados por antenas e imagens de câmeras de segurança mostram que o assassinato da juíza Patrícia Acioli, de 44 anos, foi planejado com um mês de antecedência. A juíza foi atingida por 21 tiros. A necropsia mostra como causa da morte ferimentos no pescoço e no tronco. A polícia ainda analisou os dados de mais de 3 milhões de celulares que passaram entre o fórum e a casa de Patrícia Acioli em um mês, para provar que o crime foi planejado com cuidado. Considerada uma juíza "linha dura", conhecida por atuar com rigor contra grupos de extermínio que agem em São Gonçalo, Patrícia Acioli estava em uma lista de 12 pessoas marcadas pra morrer, segundo investigadores. Nos últimos 10 anos, a magistrada foi responsável pela prisão de cerca de 60 policiais ligados a milícias e a grupos de extermínio. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro deixou a juíza desprotegida, inacreditavelmente.

Terrorismo islâmico explode de novo gasoduto egípcio que abastece Israel

Um novo ataque de terroristas islâmicos em um gasoduto do Egito, que abastece Israel, redundou em uma explosão nesta terça-feira, com chamas de até 15 metros de altura, deixou uma pessoa ferida. Pelo menos três homens armados, em uma van, abriram fogo nas instalações do gasoduto antes de explodirem uma tubulação próximo à cidade de al-Arish, no norte da península do Sinai. Este foi o sexto ataque deste tipo no gasoduto, que leva gás através da península do Sinai para a Jordânia e Israel, desde que o presidente egípcio Hosni Mubarak foi deposto, em fevereiro. Os ataques anteriores interromperam o suprimento de combustível aos dois países. O Exército conseguiu impedir ataques semelhantes em outras ocasiões. O Egito fornece 43% do gás natural a Israel, e 40% da eletricidade israelense é gerada a partir desse gás. No mês passado, quatro homens armados foram presos quando tentavam explodir o terminal de gás perto de al-Arish. Esta explosão ocorre em um momento de tensão crescente entre Egito e Israel.

Manuscritos do Mar Morto podem ser vistos na internet

Dois mil anos depois de terem sido escritos e décadas após terem sido encontrados em cavernas no deserto, alguns dos famosos Manuscritos do Mar Morto estão disponíveis na internet, por meio de um projeto lançado pelo Museu Nacional de Israel e pelo Google. A disponibilização de cinco dos mais importantes manuscritos na internet é parte de uma ação mais ampla dos guardiães dos textos (que já foram criticados por permitirem que eles fossem monopolizados por pequenos círculos de acadêmicos) de torná-los acessíveis a todos por meio da rede. Os manuscritos incluem o livro de Isaías, o manuscrito conhecido como "rolo do Templo" e mais outros três. Os internautas poderão pesquisar imagens em alta resolução, procurar passagens específicas, aproximar as imagens e traduzir versos para o inglês. Os originais são mantidos em um cofre no interior de um edifício em Jerusalém, construído especialmente para abrigar os manuscritos. O acesso a eles exige pelo menos três chaves diferentes, um cartão magnético e um código secreto. Os cinco manuscritos estão entre os escritos comprados por pesquisadores israelenses entre 1947 e 1967 de vendedores de antiguidades. Os manuscritos foram encontrados por pastores beduínos no deserto da Judéia. Acredita-se que os rolos com os escritos (considerados por muitos como a descoberta arqueológica mais significativa do século 20) foram escritos ou coletados por uma seita judaica ascética que deixou Jerusalém e foi para o deserto 2 mil anos atrás e se estabeleceu em Qumran, mas margens do Mar Morto. As centenas de manuscritos que sobreviveram, em pedaços ou inteiros, em cavernas, trouxe informações sobre o desenvolvimento da bíblia judaica e as origens do cristianismo. O processo de fotografar os escritos teve início no começo deste mês e envolveu ex-cientistas da Nasa. Uma câmera avançada de US$ 250 mil desenvolvida em Santa Barbara, na Califórnia, permitiu aos pesquisadores distinguir palavras e outros detalhes que não são vistos a olho nu. O projeto deve estar concluído até 2016, quando quase todos os documentos estarão disponíveis na internet. A pesquisa pode ser feita no endereço http://dss.collections.imj.org.il/

Senadores propõem R$ 8 bilhões em royalties para União

Tomando por base a declaração do próprio ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que o governo precisa de, no mínimo, uma receita de R$ 8 bilhões proveniente de royalties, o senador Wellington Dias (PT-PI) apresentou uma proposta que prevê a distribuição da receita do petróleo em 2012 da seguinte forma: R$ 8 bilhões para a União, R$ 12 bilhões para os Estados produtores e mais outros R$ 8 bilhões que iriam para o fundo especial, para compensar Estados e municípios não produtores. Se o governo fechar em R$ 8 bilhões, será possível chegar a um acordo para evitar a votação do veto (da emenda Ibsen), mesmo que o Rio de Janeiro não concorde, disse o senador. Segundo Dias, a União, que recebeu R$ 8,5 bilhões de royalties em 2010, tem previsão de abocanhar cerca de R$ 11 bilhões neste ano. Essa divisão elaborada pelos parlamentares, que está sendo relatada pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), além de reduzir em cerca de R$ 3 bilhões a parte destinada à União em royalties e participação especial, retira do bolo as receitas oriundas de novos poços que entrarão em operação no período, que, segundo Dias, representam 250 mil barris diários e uma renda de outros R$ 3 bilhões anuais. A conta também considera que os Estados produtores abram mão de royalties de poços que não são explorados atualmente, o que geraria uma receita de cerca de R$ 1,2 bilhão.

Justiça proíbe distribuição de jornal da secretaria da Educação que faz propaganda de Tarso Genro e Azevedo

O juiz da 13ª Vara Civel do Foro Central de Porto Alegre ordenou a imediata suspensão da distribuição do jornal "Palavra", que desde o início do mês vem circulando na rede escolar estadual para promover pessoalmente o secretário da Educação, José Carlos Azevedo (membro da seita trotskista DS - Democracia Socialista, que habita o PT) e o governador Tarso Genro. As duas autoridades são citadas nominalmente em várias reportagens das quatro páginas do jornal. O juiz atendeu pedido de liminar na ação de busca e apreensão ajuizada pela bancada estadual do PSDB. "Isto afronta o artigo 37, parágrafo 1º da Constituição, que não permite uso de dinheiro público para promoção pessoal de autoridades", disse o advogado Décio Itiberê, contratado pelos deputados. O juiz impôs multa de R$ 1 mil por dia de descumprimento da sua ordem, até o limite de R$ 60 mil.

Meningite atinge 115 em Brasília

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou nesta segunda-feira que uma criança de dois anos de idade foi diagnosticada com meningite do tipo C. Com mais este, até agora foram registrados 115 casos da doença no Distrito Federal somente em 2011. De todos os pacientes, apenas 15 residem na cidade e os demais são de outras regiões e receberam tratamento nos hospitais locais. Segundo a SES-DF, a doença está sob controle e os números se encontram dentro dos padrões aceitáveis. A meningite é uma inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal e pode ser causada por bactérias, vírus e fungos.

Supremo nega recurso de professores mineiros e a greve deles é ilegal

O Supremo Tribunal Federal negou nesta segunda-feira o recurso do Sindicato Único dos Trabalhos em Educação em Minas Gerais (Sind-UTE/MG) contra a liminar que determina a suspensão da greve dos professores no Estado. Segundo o Supremo, a decisão da ministra Cármen Lúcia está de acordo com a ação do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que considera a greve abusiva porque causa dano aos alunos e, além disso, o órgão acredita que o tribunal de Minas Gerais pode avaliar a ilegalidade da paralisação. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais também tem competência para decidir se os servidores serão remunerados nos dias em que não trabalharam para reivindicar. A paralisação da categoria começou no dia 8 de junho no Estado e já dura 111 dias. Ou seja, o ano letivo está perdido para os estudantes mineiros. É inacreditável que as famílias mineiras não tenham protestado contra esta situação totalmente abusiva de parte dos professores e seu sindicato.

Polícia Federal vai investigar Ricardo Teixeira

A Polícia Federal vai investigar o presidente Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, para saber se ele trouxe dinheiro ilegal para o Brasil. O pedido será enviado pelo procurador Marcelo Freire, que preside o Comitê Organizador da Copa 2014. A denúncia feita contra o cartola partiu do jornalista Andrew Jennings, da rede BBC, e, segundo ele, Teixeira e o ex-presidente da Fifa, João Havelange, receberam US$ 9,5 milhões em propinas da empresa de marketing ISL a fim de assegurar os contratos de exclusividade em transmissões e patrocínios da Copa do Mundo.