terça-feira, 1 de novembro de 2011

Morre braço direito de traficante Fernandinho Beira-Mar

O traficante Marcelinho Niterói, apontado como braço direito de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi morto na noite desta terça-feira, durante operação do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) com as polícias Federal e Civil no conjunto de favelas da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro. Ele foi baleado na rua Ari Leão, no final do Parque União, e levado ao Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu aos ferimentos. Com ele, segundo a polícia, foi apreendida uma pistola Glock 45 e drogas. Marcelinho Niterói era o principal fornecedor de drogas da maior facção criminosa da Cidade, o Comando Vermelho. Fernandinho Beira-Mar está atualmente cumprindo pena na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, por homicídio e tráfico de drogas.

Na Bolívia, indio cocaleiro Evo Morales homenageia Gaddafi por dia de Finados

O governo do ditador boliviano, o indio cocaleiro Evo Morales, prestou nesta terça-feira uma homenagem ao ex-ditador líbio Muammar Gaddafi por ocasião das celebrações do dia dos Finados, na sede do Ministério das Relações Exteriores em La Paz. O chanceler boliviano, David Choquehuanca, liderou o ato de homenagem no Ministério na presença de personalidades como o embaixador da Espanha em La Paz, Ramón Santos, e o encarregado de Negócios dos Estados Unidos, John Creamer. A Chancelaria instalou em uma sala a tradicional mesa de culto às almas, com frutas e pães em formas humanas, junto a fotos de falecidos, entre elas a de Gaddafi, que foi assassinado por rebeldes islâmicos no dia 20 de outubro, após um bombardeio da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Também havia imagens do facínora argentino Ernesto Che Guevara, morto na Bolívia em 1967, e do líder indígena Tupak Katari, esquartejado durante a colonização espanhola. "Nós, seres humanos, somos uma grande família. Hoje lembramos nossos mortos", declarou Choquehuanca. O índio cocaleiro Evo Morales, que já foi agraciado com o "Prêmio Gaddafi de Direitos Humanos" (concedido pelo seu congênero líbio), criticou os bombardeios da Otan na Líbia, mas não se pronunciou sobre a morte do ditador.

Senador propõe comissão para quem denunciar corrupção

Um projeto apresentado pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA) propõe o pagamento de uma comissão para quem denunciar atos de corrupção. Segundo o texto, o denunciante teria direito a 10% do valor recuperado em casos de desvios de recursos públicos ou de crimes tributários. O projeto acrescenta um terceiro parágrafo ao artigo 5º do Código de Processo Penal, concedendo a qualquer pessoa que tiver conhecimento da existência de infração penal em que caiba ação pública poderá, verbalmente ou por escrito, comunicá-la à autoridade policial, e esta, verificada a procedência das informações, mandará instaurar inquérito. Para o petista Walter Pinheiro, o projeto deve incentivar as denúncias: "É preciso criar um estímulo para a comunicação dos crimes, especialmente aqueles que implicam prejuízo ao erário, como os crimes tributários e os praticados contra a Administração. Esse estímulo serviria apenas para amenizar a situação constrangedora, ou mesmo de risco, assumida pelo comunicante".

Operários da arena de Pernambuco param obras e se juntam aos de Brasília

Menos de duas semanas após a Fifa divulgar a tabela oficial do evento, a Copa de 2014 enfrenta paralisações em dois estádios que serão usados no Mundial. Nesta terça-feira, os operários da Arena Pernambuco cruzaram os braços em protesto contra a demissão de dois colegas, além de acusarem o responsável pela segurança local de assédio moral. Eles se juntaram aos funcionários do Estádio Nacional de Brasília, o atual Mané Garrincha, que iniciaram greve na última quarta-feira por melhores condições de trabalho. O consórcio levou o caso à Justiça, que não conseguiu chegar a um acordo na segunda-feira, data da primeira audiência de conciliação. A saída judicial, aliás, também será realizada em Pernambuco. Em nota oficial, a Odebrecht, construtora à frente das obras (assim como em São Paulo e Salvador, por exemplo), pedirá que o movimento deflagrado seja declarado ilegal. "A paralisação é totalmente descabida, uma vez que está em plena vigência acordo coletivo de trabalho firmado com este mesmo sindicato no último mês de setembro. Acordo que vem sendo cumprido integralmente pela empresa", diz o comunicado. A Odebrecht acrescenta que a demissão da dupla de operários "é uma decisão legítima dela, a quem compete avaliar o desempenho de seus colaboradores". Localizada no município de São Lourenço da Mata, na região metropolitana do Recife, a Arena Pernambuco só vai receber a Copa das Confederações, em 2013, caso consiga cumprir o cronograma, assim como o estádio da Fonte Nova, em Salvador. Rio, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza já estão previamente confirmadas.

Lula terá uma equipe de tratamento domiciliar

O ex-presidente Lula está contando com serviços de home care (atendimento em casa) desde o momento que saiu do Hospital Sírio-Libanês, nesta terça-feira à tarde. O serviço é prestado pela empresa Global Care sob supervisão dos médicos do Sírio-Libanês que cuidam do ex-presidente. Esse tipo de cuidado é prestado a pacientes que necessitam de serviços de enfermagem e alguns cuidados médicos que são delicados, mas que não precisam ser realizados necessariamente em um hospital. A Global Care enviou um enfermeiro para a casa de Lula para cuidados básicos como medir temperatura e pressão e ministrar a medicação indicada. Os médicos deram alta a ele para que não se exponha no ambiente hospitalar, onde pode contrair infecções.

Bombardeio mata ao menos sete terroristas narcotraficantes das Farc na Colômbia

Um bombardeio da Força Aérea Colombiana contra um acampamento das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína) na região rural do município de Vista Hermosa, no sul do país, deixou ao menos sete narcotraficantes mortos e cinco detidos, disse nesta terça-feira o ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón. "A Força Pública deu um golpe decisivo e contundente contra essa estrutura do Bloco Oriental. Até este momento foram encontrados sete corpos. Mais cinco guerrilheiros foram capturados e muito material de guerra foi apreendido", disse Pinzón. O funcionário afirmou que havia 26 rebeldes no acampamento do front 46 do Bloco Oriental, uma das mais importantes facções das Farc. "Francamente, pela forma como a operação foi realizada, acreditamos que as baixas podem superar as reportadas até agora", completou Pinzón.

Israel adota sanções após entrada da Palestina na Unesco

Israel decidiu construir 2.000 residências em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia e congelar provisoriamente a transferência de recursos à ANP (Autoridade Nacional Palestina) como medida de retaliação pela admissão do governo palestino como membro de pleno direito da Unesco, informou neste terça-feira à noite o governo israelense. "Estas medidas foram tomadas pelo fórum dos oito principais ministros sob a presidência do primeiro-ministro, Binyamin Netanyahu, como sanção após a votação na Unesco", indicou a fonte. "Vamos construir 2.000 residências, incluindo 1.650 em Jerusalém, e o restante nos assentamentos de Maalé Adoumim e de Efrat (no sul de Belém, na Cisjordânia)", indicou essa autoridade. "Ele também decidiu congelar provisoriamente as transferências de fundos destinados à Autoridade Palestina, até que uma decisão definitiva seja tomada", acrescentou este alto funcionário. "O que aconteceu na Unesco não é algo sem importância e deve ser tratado com seriedade. Israel pode escolher efetuar uma resposta unilateral própria a esta iniciativa", disse fonte diplomática citada pela edição on-line do diário "Yedioth Ahronoth". Outras fontes ligadas ao Executivo davam a entender que a reação será edificar mais casas em assentamentos situados em "lugares que Israel não vê como problemáticos", embora o anúncio receba "críticas internacionais". O vice-ministro israelense das Relações Exteriores, Danny Ayalon, afirmou que o país quer estudar respostas à votação no nível diplomático e político. "A Unesco se tornou uma organização política ao admitir um Estado que não existe, depois da votação de uma maioria automática de seus membros. Esta iniciativa dos palestinos demonstra que eles não querem a paz nem negociações, têm apenas a intenção de perpetuar o conflito", ressaltou. O vice-chanceler também manifestou decepção com a França, que cedeu à Autoridade Palestina depois de ter tentado dissuadí-la de sua iniciativa na Unesco. Os palestinos se preparam agora para apresentar um pedido de ingresso na OMS (Organização Mundial da Saúde), segundo o ministro da Saúde da ANP, Fathi Abu Moghli.

Tribunal Penal Internacional busca substituto para principal promotor

O TPI (Tribunal Penal InternacionalI) está buscando um substituto para o cargo de principal promotor do TPI. O principal promotor atual, Luis Moreno Ocampo, falará nesta quarta-feira ao Conselho de Segurança da ONU sobre seus esforços para prender suspeitos de cometer crimes de guerra. Mas, nas próximas quatro semanas, ele estará mais dedicado a encontrar seu substituto. Um primeiro grupo de 52 candidatos foi reduzido a apenas quatro. O TPI poderá escolher uma mulher, como a suplente de Moreno Ocampo, Fatou Bensouda, ex-ministra da Justiça da Gâmbia. Bensouda disputará o cargo com Mohammed Chande Othman, o principal juiz da Tanzânia; Briton Andrew Cayley, um dos promotores do tribunal especial que julga os crimes do Khmer Vermelho do Camboja; Robert Petit, o maior especialista em crimes de guerra do Ministério canadense de Justiça. Os quatro se apresentarão este mês na sede da ONU diante dos cerca de 120 signatários do estatuto do TPI, que tentarão eleger um candidato por consenso antes de uma eleição no início de dezembro. "Encontrar a pessoa ideal para o cargo de promotor do TPI é praticamente impossível", disse Richard Goldstone, o principal promotor dos tribunais internacionais para a antiga Iugoslávia e Ruanda, que julgaram os crimes contra a humanidade cometido nesses países. O TPI incluiu o presidente do Sudão, Omar al Bashir, em sua lista de pessoas procuradas pelo genocídio em Darfur, e também lançou uma ordem de prisão contra o ex-ditador da Líbia, Muammar Gaddafi, que foi morto por combatentes rebeldes em 20 de outubro. O filho fugitivo de Gaddafi, Seif al Islam, está negociando atualmente com o TPI, e autoridades quenianas e líderes das milícias da República Democrática do Congo também estão na lista de procurados. É uma piada um tribunal que não manda prender o ditador nazista do Irã, Mahmoud Ahmadinejad.

Lula grava vídeo em que mistura sua doença com política. Silenciem os covardes a respeito, mas é um mau momento do doente e do político

Do site do jornalista Reinaldo Azevedo: "O ex-fotógrafo oficial da Presidência Ricardo Stuckert gravou um vídeo, com a assinatura do Instituto Lula, em que o ex-presidente fala sobre a sua saúde e sobre política. Assistam a vídeo. Volto em seguida. Eu não tenho motivo nenhum para alterar uma linha do que escrevi no meu primeiro post a respeito da doença do ex-presidente, ainda no sábado. Recomendando serenidade aos leitores, expressei a minha convicção: “O câncer não é instrumento de vingança política, não é uma lição de vida, não é um livro didático! Ele só ensina que é preciso vencê-lo. Nada mais!” E avisei que coibiria manifestações agressivas ou que fizessem votos de que Lula fosse malsucedido em sua batalha. Fui ainda mais claro: “Em síntese: Lula não está doente porque quer, não está doente porque merece, não está doente para ter uma lição de vida. Estará hoje nas minhas orações. Doenças não tornam a gente nem melhor nem pior. Elas só nos ensinam que é preciso vencê-las.” Continuo a acreditar nisso. Mas também expressei o temor, naquele texto, de que o próprio PT usasse politicamente a doença de Lula, como usou a de Dilma. Não deu outra. A exploração está em curso. Se o câncer não existe para punir ninguém, também não existe para paralisar a inteligência e a crítica. Lula vem a público, com a simpatia e o carisma habituais, para dizer que vai lutar para superar a doença, falando como indivíduo. É, sem dúvida, louvável. Na hora em que usa a doença para fazer exortações de natureza política, aí ele faz aquilo que os petistas acusam o antilulismo de fazer: recorrer à doença para fazer proselitismo político. Por que os críticos dos críticos de Lula não aparecem agora? Cadê o Gilberto Dimenstein para dizer que está “envergonhado”? Vamos analisar trechos da fala: “Não foi a primeira e não será a última batalha que eu vou enfrentar”. Que se saiba, Lula nunca enfrentou uma séria “batalha” de saúde. Esta, de fato, é a primeira. As outras todas foram políticas. Logo, ele está falando sobre política, certo? “Eu acho que a gente precisa continuar acreditando no Brasil, botando fé nesse país; Será inexorável a caminhada do país para se transformar numa grande economia, na melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro. E a gente fazer o que tem de ser feito: acreditar na nossa presidenta, ajudá-la, sabe?, porque é assim que o Brasil vai pra frente.” O que isso tem a ver com o câncer? Rigorosamente nada! É evidente que Lula usa a sua condição — pessoalmente mais frágil, mas com a dimensão do mito reforçada — para obter dividendos para o seu partido e para o seu grupo político. As palavras fazem sentido: quem não “acredita” na presidente ou não a “ajuda” (a oposição, por exemplo?), pois, não colabora para o Brasil ir “para a frente”. “Tou doido para falar nos companheiros e companheiras mais fortes, mas não tou podendo (…) Até a primeira assembléia. Ou primeiro comício. Ou primeiro ato público (…)” Depois de ter falado da perseverança que todo ser humano deve ter, Lula voltou a mensagem para a sua grei, os “companheiros e companheiras”. Afinal de contas, ELE É O QUE SEUS ADVERSÁRIOS NÃO CONSEGUEM SER PORQUE TÊM MEDO, VERGONHA OU SE DEIXAM PATRULHAR: UM HOMEM DE PARTIDO!!! Falou com todo mundo, mas se referiu muito particularmente aos de sua turma, aludindo, como se vê, se lê e se ouve às eleições próximas. Quem está politizando a doença de Lula senão o próprio Lula? Muita gente poderia dizer, e eu concordo, sim: “Pô, Reinaldo, Lula é político. É natural que ele fale como político”. Está certo! Mas por que começou a patrulha cretina, obscurantista, policialesca, chamando de “ataques” manifestações que são apenas ABORDAGENS TAMBÉM POLÍTICAS DA DOENÇA? Uma coisa é desejar que ele se dê mal. Acho isso detestável. Sei do que falo porque já tive os petralhas fazendo esses votos contra mim. É uma gente baixa, asquerosa. Tratei do assunto logo de cara, no sábado. OUTRA, DIFERENTE, É CONFRONTAR O POLÍTICO com suas próprias palavras. Olhem aqui: eu tenho independência — tanto a de espírito como a ideológica, já que mando os patrulheiros comer capim — para fazer as duas coisas: censuro a abordagem mesquinha dos adversários de Lula e também a dos partidários; no caso acima, censuro a mesquinhez do próprio Lula, que não deveria ter usado a sua doença para uma mensagem de cunho partidário. Um Gilberto Dimenstein virá agora a público para acusar Lula de usar a sua doença para obter dividendos para o seu partido? Duvido! Vocês não sabem com que sinceridade rezo pelo bem de Lula! Eu o quero absolutamente saudável para que reste ainda mais claro e cristalino o meu repúdio a essa sua postura. Rezo, sim, pelo indivíduo, pelo pai, pelo avô e até pela figura na qual muitos brasileiros depositam suas esperanças. Mas não poderia ser maior o meu repúdio a essa partidarização da doença — que me parece, de resto, pouco generosa com a vida. Como se nota, Lula não parou de pensar a política porque está doente. Gostaria de saber por que se faz essa exigência àqueles que são seus críticos.

Varejo de material de construção registra queda de 7% em outubro

As vendas de material de construção tiveram, em outubro, a primeira queda do ano, com redução de 7% em relação a setembro, conforme levantamento mensal realizado pela Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), em parceria com o Ibope. Em função dessa queda, a Anamaco reduziu a projeção anual de crescimento das vendas do setor de 6% para 5%. Em relação a outubro do ano passado, as vendas ficaram estáveis. Em nota, o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, informou que o comportamento do varejo surpreendeu, pois outubro é, geralmente, um dos melhores meses para o setor. A greve dos bancos, que reduziu a quantidade de dinheiro circulante, foi uma das principais causas do desempenho de outubro. Também em nota, o presidente da Anamaco disse acreditar que, com a aproximação do fim do ano e a chegada do décimo-terceiro salário, "o aumento no número de reformas será significativo". Em 2010, as vendas do varejo de material de construção cresceram 10,6%, para atingir o recorde de R$ 49,80 bilhões.

Ex-diretor de finanças de banco irlandês é preso

William Mcateer, ex-diretor de finanças do Anglo Irish Bank, foi detido nesta terça-feira pela polícia irlandesa por fraude, segundo a emissora de rádio e televisão irlandesa RTE. Um porta-voz da polícia informou que um homem de aproximadamente 60 anos foi detido na manhã desta terça por agentes do Departamento de Investigação de Fraude, que o transferiram para uma delegacia de Irishtown, em Dublin, para ser interrogado. Esta é a segunda vez que Mcateer é detido em investigações sobre as irregularidades cometidas nesta entidade financeira, considerada uma das principais culpadas pela explosão da bolha imobiliária no país em 2008. Durante o "boom" da construção na Irlanda, o Anglo Irish Bank se tornou o credor preferido deste setor por sua facilidade de conceder créditos de alto risco, o que gerou dívidas multimilionárias após esse período. Desde sua nacionalização, em 2009, o Estado investiu quase 30 bilhões de euros em seu resgate, embora alguns analistas estipulem o número final em 34 bilhões bilhões. Como parte da reestruturação do sistema bancário irlandês, o governo de Dublin fundiu o Anglo Irish Bank e o Irish Nationwide, e ambos já estão em processo de fechamento definitivo.

Dilma pede a Marta Suplicy para desistir de candidatura em São Paulo

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) ouviu na segunda-feira um apelo da presidente Dilma Rousseff para desistir da disputa à prefeitura de São Paulo. Ela deve anunciar uma decisão até sexta-feira. Dilma também falou em nome do ex-presidente Lula, que lançou a pré-candidatura do ministro da Educação, Fernando Haddad. A presidente se encontrou com a socialite Marta Suplicy na tarde de segunda-feira, na base aérea de Congonhas, em São Paulo, antes de Dilma visitar Lula no Hospital Sírio-Libanês. Após a visita, Dilma embarcou para Cannes, na França, onde participa da cúpula do G20, o grupo das maiores economias do planeta, nestas quinta e na sexta-feiras. A presidente disse, segundo a versão transmitida aos jornalistas pela ministra Helena Chagas (Comunicação Social) que a socialite Marta Suplicy havia sido "a melhor prefeita que São Paulo teve", mas, mesmo assim, não deveria se candidatar de novo porque agora sua presença no Senado era "mais importante". A presidente lembrou que, como vice-presidente do Senado, Marta é essencial para ajudar nas votações que interessam ao governo.

Estudo indica que processo de envelhecimento pode ser reversível

Cientistas franceses conseguiram recuperar a juventude de células doadas por centenários, ao reprogramá-las para o estágio de células-tronco, demonstrando que o processo de envelhecimento é reversível. Trabalhos sobre a possibilidade de apagar as marcas do envelhecimento celular, publicados na edição desta terça-feira da revista especializada "Genes & Development", marcam uma nova etapa da medicina regenerativa com vistas a corrigir uma patologia, ressaltou Jean-Marc Lemaitre, do Inserm (Instituto de Genômica Funcional), encarregado das pesquisas. Segundo um cientista do Inserm, outro resultado importante dos trabalhos é compreender melhor o envelhecimento e corrigir seus aspectos patológicos. As células idosas foram reprogramadas "in vitro" em células-tronco pluripotentes iPSC (células-tronco pluripotentes induzidas) e, com isso, recuperaram a juventude e as características das células-tronco embrionárias (hESC). Estas células podem se diferenciar dando origem a células de todos os tipos (neurônios, células cardíacas, da pele, do fígado, etc...) após a terapia da "juventude" aplicada pelos cientistas. Desde 2007 os cientistas demonstraram ser capazes de reprogramar as células adultas humanas em células-tronco pluripotentes, cujas propriedades são semelhantes às das células-tronco embrionárias. Esta reprogramação a partir de células adultas evita as críticas ao uso de células-tronco extraídas de embriões. Até agora, a reprogramação de células adultas tinha um limite, a senescência, última etapa do envelhecimento celular. A equipe de Jean-Marc Lemaitre acaba de superar este limite. Os cientistas primeiro multiplicaram células da pele (fibroblastos) de um doador de 74 anos para alcançar a senescência, caracterizada pela suspensão da proliferação celular. Em seguida, eles fizeram a reprogramação "in vitro" destas células. Como isto não foi possível com base em quatro fatores genéticos clássicos de transcrição (OCT4, SOX2, C MYC e KLF4), eles adicionaram outros dois (NANOG e LIN28). Graças a este novo "coquetel" de seis ingredientes genéticos, as células senescentes reprogramadas recuperaram as características das células-tronco pluripotentes de tipo embrionário, sem conservar vestígios de seu envelhecimento anterior. "Os marcadores de idade das células foram apagados e as células-tronco iPSC que nós obtivemos podem produzir células funcionais, de todos os tipos, com capacidade de proliferação e longevidade aumentadas", explicou Jean-Marc Lemaitre. Os cientistas em seguida testaram com sucesso seu coquetel em células mais envelhecidas, de 92, 94, 96 até 101 anos. "A idade das células não é definitivamente uma barreira para a reprogramação", concluíram. Estes trabalhos abrem o caminho para o uso de células reprogramadas iPS como fonte ideal de células adultas toleradas pelo sistema imunológico para reparar órgãos ou tecidos em pacientes idosos, acrescentou o cientista.

Especulador compra 30% da revista Carta Capital

A história de Rocha Azevedo, chamado de "Coxa" pelos amigos, se confunde com a das bolsas de valores no Brasil. Nos anos 80, ele e o investidor Naji Nahas foram protagonistas de um dos maiores escândalos já ocorridos no mercado nacional. Em 1989, quando Nahas já havia transferido suas operações para o Rio de Janeiro, uma mudança nas regras de liquidação dos papéis, decidida por Rocha Azevedo, causou a quebra não apenas do seu rival como da própria bolsa do Rio de Janeiro. Há pouco tempo, Rocha Azevedo vendeu a sua corretora para uma multinacional e foi trabalhar na FACAMP, uma faculdade de Campinas onde é sócio do economista Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-presidente do Palmeiras. "Coxa" acaba de comprar 30% da revista Carta Capital, uma publicação de Mino Carta, intensamente petista, e que mesmo assim estava quebrando, apesar da publicidade oficial que recebe. Cara Capital é um dos casos mais patéticos da imprensa nacional.

Dieese afirma que 13º salário injetará R$ 118 bilhões na economia até dezembro

O pagamento do 13º terceiro salário aos trabalhadores brasileiros deve injetar até dezembro cerca de R$ 118 bilhões na economia, valor 15,6% maior do que o estimado para o ano passado (R$ 102 bilhões), segundo estimativa do Dieese. A quantia representa 2,9% do PIB e será paga a cerca de 78 milhões de brasileiros. A conta considera os trabalhadores do mercado formal, inclusive os empregados domésticos e beneficiários da Previdência Social, aposentados e beneficiários de pensão da União e dos Estados. O número de pessoas que receberá o 13º salário em 2011 é cerca de 5,4% superior ao observado em 2010. Desse total, 29,7 milhões são aposentados ou pensionistas (38,1% do total). Os trabalhadores com carteira assinada, 48,3 milhões de pessoas, correspondem a 61,9% do total. E os empregados domésticos (formais com carteira de trabalho) somam 2,4 milhões, ou 3,1% do total. Cerca de outras 1 milhão de pessoas (1,2% do total) são aposentados e beneficiários de pensão da União. Do montante a ser pago a título de 13º, cerca de 20% dos R$ 118 bilhões, pouco mais de R$ 34 bilhões, serão pagos aos beneficiários do INSS. Outros R$ 84 bilhões, ou 71% do total, irão para os empregados formalizados, incluindo os domésticos. A região Sudeste é a que deve concentrar a maior parte da quantia que será injetada na economia (51,3%) porque possui a maior parte de trabalhadores, aposentados e pensionistas do País. Outros 15,4% devem ficar na região Sul e 15,19% na região nordeste. As regiões centro-oeste e norte devem ficar com 8,6% e 4,6% do valor, respectivamente.

Senador quer impedir uso do FI-FGTS em obras da Copa

O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou nesta terça-feira que vai apresentar emenda para derrubar parte da medida provisória aprovada pela Câmara que permite a aplicação de recursos do Fundo de Investimento do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) em obras das cidades-sedes da Copa-2014 e da Olimpíada do Rio-2016. Essa previsão foi incluída na MP a pedido do governo. Pelo texto, que ainda será votado no Senado, o dinheiro poderá ser usado até 30 de junho de 2014. De acordo com cálculos dos deputados, atualmente há cerca de R$ 5 bilhões disponíveis nesse fundo. "Vou apresentar emenda para derrubar esse artigo. Estou convicto de que vamos derrubar essa emenda", disse o petista. Relator da matéria, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que ainda vai discutir a proposta com o Planalto para fechar posição. A proposta permite o uso do fundo em projetos "de infraestrutura aeroportuária, de operações urbanas consorciadas, de transporte e mobilidade urbana, bem como de empreendimentos hoteleiros e comerciais que, direta ou indiretamente, sejam necessários para garantir a realização dos referidos eventos". Administrado pela Caixa Econômica Federal, o FI-FGTS foi criado em 2007 para servir de fonte de recursos para obras de infraestrutura em áreas como portos, hidrovias, ferrovias, energia e saneamento.

IBGE afirma que setor automotivo é o responsável por recuo industrial

A forte queda de 11% na produção de veículos automotores foi a principal responsável pela retração de 2% da indústria de agosto para setembro, segundo o IBGE. Trata-se da maior retração desde dezembro de 2008, quando havia sido de 38,8%, provocada pelo estouro da crise global. O setor é um dos que tem maior peso na indústria (11%) e tem um encadeamento muito grande com outros ramos, que fornecem para as montadoras, como siderurgia, borracha e plástico, autopeças e outros. Segundo André Macedo, técnico do IBGE, várias fábricas pararam a produção por alguns dias em setembro ou deram férias coletivas a fim de ajustar seus elevados níveis de estoque. Essas paralisações, diz ele, levaram à queda da produção de veículos. "É um setor que tem peso importante na indústria e muitas ramificações em toda a cadeia. Por isso, gera o impacto em outros setores", disse. Para Macedo, o acúmulo de estoques é fruto do menor consumo doméstico e da tendência de desaceleração da economia apontada pelos próprios dados da indústria. Aliada à retração da fabricação de celulares, a queda de veículos explica a perda de 9% na produção de bens duráveis. A parada das montadoras também afetou a produção de caminhões, veículos considerados como bens de capital (ativo físico de empresas que os usam em suas atividades, ou seja, são itens de investimento). Diante disso, a categoria de bens de capital registrou queda de 5,5%, a maior desde fevereiro de 2009, quando o país sofria os efeitos da crise global.

Senador tucano diz que PEC da redução de recursos judiciais terá apoio

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) afirmou que a chamada PEC dos Recursos terá "tramitação tranquila" no Senado e disse acreditar na aprovação da proposta naquela Casa. A PEC, cujo principal defensor é o ministro Cezar Peluso, presidente do Supremo Tribunal Federal, busca combater a lentidão do Judiciário por meio da diminuição dos recursos. Durante debate no iFHC (Instituto Fernando Henrique Cardoso), Aloysio Nunes brincou e provocou risos na platéia ao dizer que "o PSDB está unido" em torno da matéria. Relator da PEC 15/11 na Comissão de Constituição e Justiça, onde a proposta tramita desde o início do mês, o senador tucano ponderou, porém, que as "verdadeiras dificuldades" aparecerão na Câmara dos Deputados. Aloysio falou no debate logo após apresentação de Peluso, "pai" da proposta. Em seu discurso, Peluso repetiu argumentos que utiliza desde o primeiro semestre. Como em outras oportunidades, não conseguiu convencer boa parte dos advogados presentes. Em compensação, teve o apoio explícito do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que julgou os argumentos de Peluso "mais que convincentes", e do deputado federal Roberto Freire (PPS-SP), presidente nacional de seu partido. Confiante na aprovação da proposta, Peluso voltou a classificar o sistema como "custoso, ineficiente, danoso e perverso". De acordo com ele, as expressões refletem o fato de que o judiciário atual não atende aos interesses do povo como um todo, mas de "um número insignificante de pessoas". Peluso apoia-se em dados objetivos, como o fato de 95% dos recursos ao Supremo ou Superior Tribunal de Justiça serem recusados nas ações cíveis ou de haver menos de 1% de alteração nas causas penais avaliadas pelo Supremo. Se aprovada a PEC dos Recursos, o trânsito em julgado das decisões passará a se dar após julgamentos na segunda instância. Atualmente, isso ocorre apenas depois de esgotados todas as possibilidades recursais. O texto da PEC mantém a possibilidade de que perdedores em segunda instância recorram aos tribunais superiores. A diferença é que, hoje, os recursos interrompem os efeitos da decisão, o que deixaria de ocorrer. Para Peluso, a medida levará a uma "redução expressiva" e a uma "melhora qualitativa" dos recursos, pois só "quem tem certeza absoluta da razão é que vai recorrer". Muitos advogados, porém, discordam de Peluso. Afirmam, por exemplo, que a proposta não ataca questões internas ao Judiciário e procura culpar apenas advogados pela lentidão da Justiça. "Culpar apenas os recursos não é justo para a advocacia", disse Ivete Senise Ferreira, presidente do Iasp (Instituto dos Advogados de São Paulo).

Petrobras planeja triplicar exportações de petróleo

A Petrobras prevê triplicar as exportações de petróleo até 2020, para entre 1,5 milhão e 1,6 milhão de barris por dia, disse nesta terça-feira o presidente-executivo da estatal, José Sérgio Gabrielli, que considerou Estados Unidos e China os mercados mais importantes para a companhia brasileira. A petroleira espera aumentar a produção de petróleo para 3,9 milhões de barris por dia até 2015 e 4,9 milhões até 2020, contra os 2,1 milhões de barris produzidos neste ano, o que poderia fazer do Brasil um dos três maiores produtores de petróleo do mundo, segundo Gabrielli. "Estamos prevendo que nos tornaremos um grande exportador líquido até 2020, não só de produtos derivados de petróleo, mas de petróleo em si", afirmou Gabrielli em uma conferência sobre energia em Cingapura. A Petrobras atualmente exporta 520 mil barris por dia de petróleo. As exportações para Estados Unidos e China dobrariam para 400 mil a 450 mil barris por dia cada, acrescentou. "A China será do mesmo tamanho dos Estados Unidos. Neste momento, eles estão em 200 mil a 220 mil bpd para exportação. Isso crescerá para quase o dobro. Esperamos poder aumentar nossa exportação para outros países asiáticos", afirmou ele. O consumo mundial de combustível deve crescer cerca de 3% a 4% nos próximos cinco anos, disse Gabrielli, o que poderia manter os preços no longo prazo. Para atender esse crescimento de demanda e compensar o declínio em campos que já operam, o mundo teria que acrescentar entre 40 milhões e 65 milhões bpd em capacidade de produção nos próximos dez anos, acrescentou o executivo. "É por isso que não vejo o preço do petróleo caindo nos próximos cinco a dez anos", afirmou. A Petrobras planeja destinar mais da metade do investimento de 225 milhões de dólares relativo ao período de 2011 a 2015 ao pré-sal, uma área do tamanho do Estado de Nova York que deve conter, pelo menos, 50 bilhões de barris de petróleo. Refino, transporte e vendas responderão por 31% do investimento total. "Nosso grande desafio é extrair recursos", disse Gabrielli. A companhia aumentará a produção no campo de Tupi, no pré-sal, para 120 mil bpd, contra atuais 36.900 mil barris.

Presidente francês e chanceler alemã conversam sobre Grécia

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, teve uma conversa telefônica nesta terça-feira com a chanceler alemã, Angela Merkel, para falar sobre a decisão da Grécia de submeter a um referendo o plano de resgate aprovado na zona do euro. Na segunda-feira, o primeiro-ministro grego George Papandreou surpreendeu ao anunciar que fará um referendo em seu país para aprovar o plano de resgate acordado por líderes europeus na cúpula realizada em Bruxela. Os líderes da zona do euro concordaram na semana passada em conceder a Atenas um segundo pacote, de 130 bilhões de euros, e um corte de 50% em sua dívida. Em contrapartida, a Grécia deveria se comprometer em continuar com uma política de cortes de gastos como privatizações, redução de empregos públicos, cortes salariais. O anúncio de Papandreou despertou críticas de chefes de Estado europeus, especialmente da Alemanha, que acredita que Atenas esteja tentando se esquivar do acordo. Sarkozy e Merkel participarão nestas quinta e sexta-feiras da cúpula do G20, onde será examinado o acordo. A incerteza provocada pelo anúncio do premiê grego, George Papandreou, de convocar um referendo sobre o plano de resgate, afetou as bolsas européias nesta terça-feira. A Grécia tem uma dívida que equivale a 240% do seu PIB. É um país totalmente irresponsável. E contribui para a formação dessa brutal dívida os investimentos inconsequentes para a realização da Olimpíada.

Siderúrgica processa pesquisadores que avaliam impacto ambiental no Rio de Janeiro

A CSA (Companhia Siderúrgica do Atlântico) está processando por danos morais dois pesquisadores da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e uma da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) que realizam estudos sobre o impacto ambiental da siderúrgica na zona oeste do Rio. O pneumologista do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana, Hermano Castro, o engenheiro sanitarista Alexandre Pessoa Dias, do Laboratório de Educação Profissional em Vigilância em Saúde, e a bióloga Mônica Lima, da Hospital Universitário Pedro Ernesto, são acusados, segundo a CSA, de tecer declarações públicas "contendo sérias denúncias contra a empresa, sem comprovação". Dias diz que ainda não teve acesso ao processo e não sabe o que o motivou. Para ele, o problema da poluição da CSA é "público e notório". "Uma fábrica solta partículas no ar como se fosse normal. Nós informamos que há outros componentes nestas partículas, que podem ser prejudiciais", afirma ele: "Estamos trabalhando em cima de evidências. Quando somos chamados é nosso papel falar sobre o que estudamos". A ação contra Alexandre Pessoa Dias, único dos professores que assina o relatório, foi instaurada em 14 de outubro, após a publicação do documento. O texto, encaminhado ao Ministério Público e à Defensoria Pública Federal, foi publicado na íntegra no site da Fiocruz e aponta diversas incongruências na instalação e operação da empresa, entre elas o aumento de 1000% na quantidade de ferro no ar em relação aos teores encontrados nas estações localizadas na região antes do início da pré-operação da CSA. Desde a inauguração da transnacional, em junho de 2010, moradores da região denunciam o aumento de casos de crises respiratórias e doenças de pele. Em duas ocasiões a companhia depositou ferro-gusa em poços ao ar livre o que gerou uma chuva de um pó brilhoso prateado na região, identificado pela empresa como pó de grafite. No entanto, segundo o relatório, a avaliação da poeira coletada por um morador da região revelou a existência de substâncias tóxicas oriundas do processo siderúrgico, "além da presença de ferro, várias outros elementos químicos compõem o material particulado em questão, como cálcio, manganês, silício, enxofre, alumínio, magnésio, estanho, titânio, zinco e cádmio, dentre outras". "Diversos estudos epidemiológicos nacionais e internacionais revelaram forte associação entre a exposição ambiental por material particulado e os índices de mortalidade infantil, casos de asma, bronquite crônica, infecções do trato respiratório, doenças do coração, derrames e câncer, dentre outras", continua o texto.

IBGE informa que produção industrial teve queda de 2% em setembro

A produção da indústria brasileira caiu 2% em setembro na comparação livre de influências sazonais com agosto. O resultado representa uma acentuação da queda frente ao desempenho de agosto, quando o setor havia registradado recuo de 0,1%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo IBGE. O resultado mostra uma forte freada da indústria, que sente os efeitos de alta dos juros (processo encerrado em agosto), a menor demanda global diante da crise e a desaceleração do consumo doméstico. A queda de agosto para setembro é a maior desde abril (-2,3%). Desde abril, a indústria perde ritmo, tendência que se acentuou agora com a forte retração de setembro. O patamar de produção em setembro ficou 4% abaixo do pico do setor, registrado em março deste ano. No primeiro trimestre, a indústria cresceu 1,3% na comparação com o trimestre anterior. No segundo trimestre, houve queda de 0,6%. E, agora, no terceiro trimestre a perda se intensificou e ficou em 0,8%. "Há uma clara perda de dinamismo da indústria, que se acerelou no terceiro trimestre, muito por causa da retração de setembro", disse André Macedo, técnico do IBGE. Em relação a setembro de 2010, houve queda de 1,6%. Segundo o IBGE, as categorias com piores desempenhos foram as de bens duráveis (-9%), bens de capital (-5,5%), semi e não duráveis (-1,3%), intermediários (estável); na comparação setembro ante agosto. Já os setores com as quedas mais expressivas, na mesma comparação, foram: fumo (-30,6%), material elétrico e equipamentos de comunicação (-13,6%), veículos automotores (-11%). As altas de destaque ficaram com material de escritório e informática (9,6%) e outros produtos químicos (4,2%).