quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Novas denúncias contra o então comunista do PCdoB, Agnelo Queiroz, atual governador de Brasília pelo PT

Esta escabrosa história de delinquência política envolvendo o governador de Brasília, Agenlo Queiroz, homem do PT, mas na época autoridade importantíssima do governo Lula, representandlo o PCdoB, demonstra o tamanho da corrupção que envolveu o Partido, seus dirigentes e o governo do PT. A reportagem é do jornalista Mino Pedrosa, da Tribuna da Imprensa. Leia: "A Polícia Federal saiu semana passada em busca de Daniel Almeida Tavares e Marília Coelho Cunha envolvidos no processo da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária que corre em segredo de justiça. Os dois operadores de um esquema de propina na Agencia de Saúde do Governo Federal , durante a gestão do atual governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz, estão foragidos. A surpresa foi que Marília Coelho Cunha foi nomeada nesta 4ª feira, para um cargo no Governo do Distrito Federal, conforme o Diário Oficial de 19 de outubro de 2011, seção 2, página 36, mas está desaparecida. A Polícia também não sabe de Daniel, mas o ex-funcionário do Laboratório União Química tem uma história para contar. Num fim de semana, quando Agnelo Queiroz estava à frente da Anvisa, recebeu Daniel em sua mansão no Lago Sul. O governador do DF, levou Daniel para uma biblioteca no subsolo de casa, onde pouquíssimas pessoas costumam frequentar. Daniel estava preparado para documentar o encontro desde a entrada na mansão de Agnelo. Alí, o rapaz entregou R$ 75 mil ao então dirigente da Anvisa como pagamento de propina efetuado pelo Laboratório União Química. Agnelo reclamou a Daniel. Sentiu falta de R$ 5 mil na quantia combinada. O rapaz prometeu ao político depositar o dinheiro no dia seguinte. E o fez, através de transferência bancária via HSBC. Deste modo, Daniel recolheu mais uma prova contra Agnelo Queiroz. Outro episódio que Daniel tem registrado é o presente que a União Química deu para o filho de Agnelo Queiroz: um Pálio branco. Agnelo perguntou a Daniel o valor do carro e foi informado: R$ 30 mil. O Governador pediu que Daniel então vendesse o veículo e depositasse o dinheiro em sua conta bancária. O que foi feito em seis parcelas semanais, no mesmo HSBC. A história de Marília Coelho Cunha é tão interessante quanto a de Daniel e envolve a mesma União Química. Marília foi Gerente de Inspeção e Controle de Insumos da Anvisa e responde processo de favorecimento ilícito ao Laboratório. Essas informações não estão exclusivas de Daniel. Fazem parte também de um dossiê que o soldado quatro estrelas João Dias Ferreira tem em suas mãos sobre seu camarada Agnelo Queiroz. João Dias procurou Daniel e recolheu o material para tentar salvar, na época o então amigo de PCdoB.

Tribunal britânico confirma extradição de Julien Assange para a Suécia

O Tribunal Superior de Londres deu sinal verde nesta quarta-feira para a extradição do fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, para a Suécia. O país queria que Assange fosse extraditado para responder por supostos abusos sexuais de que é acusado na Suécia. A Promotoria sueca o acusa de três delitos de agressão sexual e um de estupro após a denúncia de duas mulheres que garantiram que os fatos aconteceram em agosto de 2010. Ele admite sexo consensual, nega qualquer crime e afirma estar sendo alvo de uma perseguição política que visa extraditá-lo aos Estados Unidos: "Posso ser uma espécie de porco chauvinista, mas não sou estuprador, e apenas uma visão distorcida das políticas sexuais pode tentar me transformar em um". Assange, que tem agora um prazo de 14 dias para apelar da decisão à Suprema Corte, não anunciou de imediato o que pretende fazer ao deixar o tribunal. "Vamos refletir sobre os próximos passos nos próximos dias", comentou para uma multidão de jornalistas. Após a rejeição da Alta Corte, o australiano ainda pode recorrer à Suprema Corte, mas, segundo a promotoria, é necessário cumprir certos critérios para obter a autorização de apelar à máxima instância jurídica. A autorização está condicionada à consideração de que a apelação é baseada em um ponto jurídico de interesse geral, ou seja, um aspecto que vai além do caso jurídico de Assange. Em fevereiro, um juiz britânico aprovou a entrega de Assange às autoridades suecas ao argumentar que ele teria um julgamento justo, mas essa decisão foi recorrida em março pelos advogados do ativista no Tribunal Superior de Londres. Ao dar sinal verde para extradição em fevereiro, o juiz Howard Riddle argumentou que o sistema judiciário sueco é suficientemente sólido para considerar que Assange enfrentará um julgamento com garantias. O jornalista, cujo site revelou os detalhes de milhares de informações confidenciais das embaixadas dos Estados Unidos em todo o mundo, foi detido em Londres em dezembro de 2010 depois que as autoridades britânicas receberam a ordem de extradição das autoridades suecas. Os partidários de Assange denunciam que o caso tem motivações políticas e que a extradição para a Suécia seria apenas uma etapa antes do australiano ser entregue aos Estados Unidos, país que ainda estuda uma maneira de acusá-lo formalmente. No mês passado, o WikiLeaks anunciou que deixará de divulgar segredos oficiais por falta de financiamento. O portal informou que suspendeu a divulgação de documentos por causa do "bloqueio arbitrário e ilegal" que instituições americanas como o Bank of America, Visa, MasterCard, PayPal e Western Union realizaram e que o deixaram sem acesso a financiamento.

Brasil fica em 84ª posição do ranking de desenvolvimento humano

O Brasil ocupa a 84ª posição no ranking do IDH 2011 (Índice de Desenvolvimento Humano), em uma lista que traz 187 países. O Brasil avançou uma posição em relação ao ano passado e tem desenvolvimento humano considerado alto, segundo o relatório divulgado nesta quarta-feira pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). O IDH considera basicamente três aspectos: saúde, educação e renda. Para o Brasil, foram levados em conta os seguintes dados: 7,2 anos médios de estudo, 13,8 anos esperados de escolaridade, além de expectativa de vida de 73,5 anos. Em relação ao rendimento, foi registrada uma Renda Nacional Bruta per capita de US$ 10.162 (ajustados pelo poder de compra). O IDH varia de 0 a 1. Quanto mais próximo a 1, melhor a posição do país no índice. Considerando a evolução do Brasil ao longo do tempo, o valor passou de 0,549 (em 1980) para 0,665 (em 2000), chegando neste ano ao patamar de 0,718. Embora se enquadre na categoria de país com desenvolvimento humano elevado, o Brasil fica atrás de dez países da América Latina. Na região, apenas Chile e Argentina têm desenvolvimento humano considerado muito elevado. No ranking deste ano, a Noruega voltou a ocupar a primeira posição da lista, seguida por Austrália e Holanda. Os Estados Unidos ficaram em quarto lugar. Todos esses países têm desenvolvimento humano considerado muito elevado, de acordo com o relatório apresentado pelo Pnud. Na Noruega, por exemplo, a média de escolaridade é de 12,6 anos, enquanto no Brasil essa taxa fica em 7,2 anos. Todos os dez últimos colocados no ranking estão na África. A República Democrática do Congo ocupa a última posição (187ª), com o menor índice de desenvolvimento humano, seguida por Niger e Burundi. Nos últimos anos, cerca de 3 milhões de pessoas morreram vítimas da guerra na República Democrática do Congo, onde a esperança de vida ao nascer é de apenas 48,4 anos, segundo o relatório do Pnud.

Evo Morales rescinde contrato com construtora brasileiro-boliviana

O ditador da Bolívia, o índio cocaleiro Evo Morales, anunciou nesta quarta-feira a rescisão do contrato do governo com a construtora brasileiro-boliviana Brabol devido ao atraso nas obras para a nova estrada entre as cidades de La Paz e Oruro. Morales fez o anúncio junto aos diretores da Administradora Boliviana de Estradas durante uma visita surpresa de fiscais para inspecionar as obras da rodovia, que pretende também conectar La Paz às estradas que levam à Argentina e ao Chile. O índio cocaleiro Morales assinalou que o governo executará o boleto bancário depositado pelo consórcio como garantia para licitar a construção do segundo trecho dessa estrada, de 77 quilômetros. O consórcio é formado pelas construtoras brasileiras Petra (35%) e Santa Cruz Engenharia (35%) e pela boliviana Nubro S.A. (30%). A obra consiste em uma via paralela no planalto atualmente existente entre La Paz e Oruro, e demandará um investimento total de US$ 245 milhões. O primeiro trecho da rodovia é construído por uma parceria da empresa costa-riquenha Santa Fé com a boliviana Copesa, enquanto o terceiro trecho fica a cargo da argentina Cartellone e da boliviana Ciabol.

Justiça avalia liminar sobre despejo de ferro-gusa ao ar livre

A Justiça do Rio de Janeiro deve analisar, nos próximos dias, o pedido de liminar que o Ministério Público estadual enviou na terça-feira à 2ª Vara Criminal de Santa Cruz, proibindo a ThyssenKrupp Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA) de despejar ferro-gusa (subproduto usado na fabricação do aço) em poços ao ar livre, sem controle de emissão de poluentes. O pedido faz parte da segunda ação penal movida em pouco mais de um ano pelo Ministério Público contra a multinacional, instalada em Santa Cruz, na zona oeste da cidade, por crime ambiental. Para decidir se acolhe o requerimento, o juiz José Nilo Ferreira, responsável pelo caso, determinou que a empresa, seu diretor de Sustentabilidade, Luiz Cláudio Ferreira Castro, e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão responsável pelo licenciamento ambiental da companhia, se manifestem no prazo de dez dias. A primeira audiência nesse processo está marcada para o dia 17 deste mês. De acordo com os promotores responsáveis pela ação, "há relação direta entre a prática da TKCSA e a violação do padrão de qualidade do ar nas comunidades vizinhas à empresa". O requerimento do Ministério Público aponta que a emissão de substâncias poluentes ultrapassa em três ou quatro vezes o estipulado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a concentração de material particulado. Para chegar a essa conclusão, foram analisados dados da própria companhia, como a quantidade de ferro-gusa vertido e o período em que isso ocorreu, além de informações das estações de monitoramento da qualidade do ar na região. Os moradores relataram problemas dermatológicos, respiratórios e oftalmológicos relacionados à "chuva de prata" emitida pela companhia. O documento do MP também se baseia em um relatório da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), apontando que o despejo do ferro-gusa pela CSA provoca emissão de pó que contém substâncias tóxicas, como o manganês, o que provoca "diversos problemas de saúde pública". O documento destaca que após o início da operação da TKCSA, houve aumento de 1.000% na concentração de ferro no ar nas proximidades da companhia.

Israel testa mísseis após alerta sobre programa do Irã

Israel testou um míssil nesta quarta-feira, dois dias depois de o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ter alertado para a "ameaça direta e pesada" que o programa nuclear iraniano representa para o país. "Israel realizou hoje o teste de disparo de um sistema de propulsão por foguete a partir da base Palmachim", disse um comunicado do Ministério de Defesa. O míssil voou em um ângulo alto em direção ao céu, com sua pluma visível ao longo do centro de Israel, segundo testemunhas que informaram a mídia local do lançamento antes do anúncio formal do ministério. O ministério se recusou a dar detalhes sobre o sistema testado, mas o correspondente para assuntos militares da Rádio Israel, que é regularmente informado por funcionários de alto escalão sobre questões de defesa, disse que um "míssil balístico" havia sido lançado. O termo geralmente se aplica a mísseis de longo alcance para lançar ogivas. Israel, que não confirma nem nega ter tais armas nucleares, conhecidas como Jericós, também vem aprimorando seu escudo aéreo Arrow, que usa mísseis interceptadores para abater mísseis balísticos acima da atmosfera.

Mendes Ribeiro Filho voltou a se sentir mal e retornou ao Sírio-Libanês, em São Paulo

O ministro da agricultura, o deputado federal Mendes Ribeiro Filho, que passou o final de semana em Porto Alegre, recuperando-se da cirurgia que fez no cérebro, para a extração de um tumor que voltou a se manifestar, viajou às pressas para São Paulo na terça-feira à tarde, por ordens médicas, porque se sentiu mal e os médicos recomendaram sua imediata internação no Hospital Sirio-Libanês. Mendes Filho saiu do hospital na semana passada, ao final da internação de dez dias. Esta é a sua terceira internação por causa do mesmo problema.

Em grampo telefônico, petista Agnelo Queiroz chama de “meu mestre” pivô da queda do comunista Orlando Silva

Gravações da Polícia Civil mostram que o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), prometeu ajudar o policial militar João Dias Ferreira, pivô da queda do ex-ministro do Esporte, o comunista Orlando Silva (PCdoB), a preparar a defesa no processo em que é acusado de desviar dinheiro do Ministério do Esporte. Os diálogos, divulgados pelo “DF TV”, da TV Globo, mostram intimidade entre o governador e João Dias. Em uma das conversas, gravadas com autorização judicial, o petista Agnelo Queiroz chama o policial de “meu mestre!” Em outro trecho, Ana Paula, mulher de João Dias, pede a Agnelo Queiroz que contrate advogados para defender o policial, que acabara de ser preso por conta das acusações de desvios de dinheiro do programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. Os diálogos foram gravados entre fevereiro e março de 2010. Ex-ministro do Esporte, Agnelo Queiroz era na época diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Acossado pelas investigações, o policial recorreu a Agnelo Queiroz, que, meses depois, seria eleito governador do Distrito Federal. Em uma das conversas, João Dias pede a Agnelo Queiroz que oriente o professor Roldão Lima a ajudá-lo. Professor de uma escola em Sobradinho, Roldão poderia fornecer fichas de alunos para João Dias preencher o cadastro de crianças matriculadas no Segundo Tempo.

Seis multinacionais chegam ao Brasil atraídas por megaprojetos

Atraídas pelos megaprojetos de infraestrutura, seis multinacionais anunciaram nos últimos meses investimentos em fábricas de máquinas pesadas para construção civil no Brasil. As asiáticas Sany, XCMG, Doosan e Hyundai e as americanas Caterpillar e John Deere deverão investir US$ 1 bilhão até 2013. Estudo publicado neste mês aponta o Brasil como o mercado mais atraente do mundo para o setor, com nota de 4,4 pontos em uma escala até 5. Em segundo lugar está a China, com 4,1. Os investimentos federais e privados em infraestrutura corroboram a avaliação. A Abdib (Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base) estima que serão R$ 922 bilhões até 2015, o que deve manter a demanda em alta. O Brasil tem sido visto como a porta de entrada para o mercado latino-americano, cujas taxas de crescimento atraem multinacionais. Para a consultoria Roland Berger, a região está entre os mercados "muito atraentes". A proximidade com o restante da América Latina, além de estratégica, elimina custos com transporte e logística, que costumam ser onerosos devido à falta de infraestrutura na região. De acordo com a consultoria alemã, que entrevistou 50 executivos em vários países do mundo, a principal dificuldade do mercado brasileiro para o setor são as barreiras tarifárias e financeiras para importação. Medidas do governo que estabelecem um percentual mínimo de conteúdo nacional em máquinas a serem financiadas pelo BNDES têm estimulado as empresas estrangeiras a se instalar no Brasil, sob pena de não conseguirem fechar contratos com empresas brasileiras.

Tribunal de Justiça gaúcho reage à critica do arcebispo Dom Dadeus Grings sobre o Judiciário

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul emitiu nota na terça-feira para rebater as pesadas críticas feitas ao Judiciário pelo arcebispo de Porto Alegre Dom Dadeus Grings. No texto, o presidente do Conselho de Comunicação Social do Tribunal de Justiça, desembargador Túlio Martins, manifesta indignação e repúdio às declarações de Dom Dadeus, afirmando que o arcebispo optou pelo caminho da agressão e do escândalo frente a uma condenação judicial. Na segunda-feira, após condenação do Tribunal de Justiça de São Paulo, Dom Dadeus acusou o Judiciário de corrupção. Confira na íntegra a nota do Tribunal de Justiça gaúcho: "O Poder Judiciário manifesta sua indignação e repúdio às declarações do arcebispo de Porto Alegre, que mais uma vez optou pelo caminho da agressão e do escândalo frente a uma condenação judicial. Dom Dadeus, ao apresentar-se como um homem intolerante, agressivo, preconceituoso, vingativo e rancoroso, mostra-se a antítese do cristão de que nos fala a Bíblia. A Igreja Católica não merece ser colocada no centro de polêmicas equivocadas e movidas por simples recalques e frustrações pessoais. O arcebispo deveria deixar as questões legais para os corretos e competentes advogados da Cúria Metropolitana e, à sua vez, submeter-se com humildade às lições de convivência e urbanidade pregadas por sua própria religião". Dom Dadeus Grings disse sobre o Poder Judiciário: "O problema da corrupção no Brasil tem sua base exatamente ali, no Judiciário. Todos sabem disso, mas poucos têm coragem de denunciá-lo. Nossa presidente começou a faxina no Executivo. Quando será a vez do Judiciário, onde o problema é muito mais grave?"

Veja o "marrento" Lula contando mais uma das suas inumeráveis "bravatas"

Desta vez sobre a saúde pública no Brasil. "Bravata" fica bem em arquibancada de futebol. Na boca de uma autoridade pública, ainda mais do Presidente da República, e versando sobre a "saúde pública", então vai além da "bravata", torna-se uma execrável pilhéria contra os pobres, todos os que não têm carissimos planos de saúde privados no Brasil, e são obrigados a se submeter ao SUS. Na hora em que teve problema de saúde sério, o marrento bravateiro petista correu para o hospital dos milionários no Brasil, o caríssimo Hospital Sírio Libanês em São Paulo. Por que não foi para o SUS, como bravateava em campanha eleitoral? Veja o video e confira. Essa é uma das vantagens sobre os "marrentos bravateiros". A bravata fica gravada, e depois se volta contra ele. Tripudiar sobre os pobres dá nisso.

Justiça determina restauração do Viaduto Otávio Rocha em Porto Alegre

A juíza Rosana Broglio Garbin, da 4ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, determinou a restauração do Viaduto Otávio Rocha, localizado na Avenida Borges de Medeiros, no centro da cidade. A ação civil pública foi movida pelo Ministério Público Estadual. A partir de agora, a prefeitura terá nove meses para elaborar projeto técnico. A magistrada determinou ainda a aplicação de multa diária de R$ 500,00 caso a decisão não seja cumprida. A obra foi tombada em outubro de 1988 como patrimônio histórico cultural. No inquérito para apurar pichações no viaduto, os promotores constataram que a última reforma ocorreu em 2001. Segundo eles, foi verificado ainda que as oito câmeras de segurança instaladas no local não funcionam.

Hospital Presidente Vargas de Porto Alegre fecha emergência obstétrica

A Emergência obstétrica do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, em Porto Alegre, está fechada por tempo indeterminado desde esta terça-feira. O motivo é a superlotação da UTI neonatal. A maioria dos 20 bebês internados são prematuros, o que obriga a permanência por mais tempo no local. As gestantes de risco e os bebês com necessidade de internação em UTI estão sendo encaminhados para outros hospitais, pela Central de Regulação de Leitos. Esse é o estado da saúde pública na capital gaúcha e no Rio Grande do Sul. Falta leito em todo lado, em todos os hospitais. As emergências estão quase permanentemente fechadas, não só as pediátricas. Porto Alegre e Caxias do Sul, no mínimo, precisariam a implantação imediata de hospitais de campanha. Mas nenhuma medida é tomada. Deve ser porque Lula disse que o SUS tinha alcançado o Estado da Perfeição.

Ditadura de Cuba prende novamente o dissidente Guillermo Fariñas

A polícia da ditadura cubana deteve nesta terça-feira o dissidente Guillermo Fariñas, quando tentava visitar no hospital um opositor que faz greve de fome, informou sua mãe, Alicia Hernández. Fariñas, que recebeu o Prêmio Sakharov 2010 do Parlamento Europeu após 135 dias de greve de fome para exigir a libertação de presos políticos, foi preso na entrada de um hospital da cidade de Santa Clara, localizada a 270 quilômetros a leste de Havana, segundo Alicia Hernández. "Outra pessoa que estava com ele, chamada Soto, revelou que quando foram entrar no hospital os agentes disseram que não e houve uma confusão, quando o detiveram". Guillermo Fariñas foi "imobilizado, agredido e levado a uma unidade da Polícia Nacional", disse Alicia Hernández. O presidente da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, Elizardo Sánchez, confirmou a prisão de Guillermo Fariñas com outros ativistas que foram ao hospital para visitar Alcides Rivera, o dissidente que faz greve de fome. "Efetivamente, por volta das quatro da tarde, Guillermo Fariñas e vários outros foram detidos na cidade de Santa Clara", disse Elizardo Sánchez.

Referendo pode levar União Européia a expulsar Grécia da zona do euro

A hipótese ainda não foi oficializada, mas está em todas as mentes: a Grécia pode ser expulsa pela União Européia da zona do euro. Depois de dois anos de crise das dívidas soberanas e de desmentidos sobre a eventual exclusão do país, a decisão do governo de George Papandreou de convocar um referendo para avaliar o pacote de socorro da Europa exasperou líderes políticos europeus. Em lugar de um perdão de 50% da sua dívida (um calote controlado e aceito pelos credores), a Grécia caminharia para a bancarrota caso o "não" vença na votação. Nas duas principais capitais do bloco europeu, Berlim e Paris, a palavra "falência" não foi citada, mas estava nas entrelinhas do comunicado assinado pela chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, no qual os dois líderes se comprometem a "assegurar a implementação sem atrasos das decisões adotadas na cúpula da zona do euro", consideradas "mais necessárias do que nunca". Na prática os dois líderes ignoraram a hipótese de realização do referendo. Outros líderes políticos reconheceram de forma indireta que o risco de falência existe, e não apenas para a economia grega. Em Bruxelas, Yves Letterme, primeiro-ministro interino da Bélgica, admitiu que a crise na Grécia não se limita mais às fronteiras do país: "Os gregos precisam estar conscientes de que não se trata mais de um problema puramente interno da Grécia". A perspectiva de um crise sistêmica das dívidas soberanas na zona do euro também foi assinalada pela agência de rating americana Fitch. Em nota, a instituição advertiu que o eventual "não" dos gregos no referendo desejado por Papandreou "aumenta o risco de default forçado". Ainda segundo a Fitch, o eventual fracasso do socorro à Grécia pode desestabilizar toda a zona do euro, comprometendo sua existência. Para a agência, o "não" viria acompanhado de "graves consequências financeiras para estabilidade financeira e a viabilidade da zona do euro", avaliaram os técnicos. Com uma dívida de 160% do PIB, Atenas não suportaria além de dezembro à falta de repasses do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira e do Fundo Monetário Internacional, cujas parcelas de 8 bilhões de euros mantêm a solvência do país desde maio de 2010. Em consequência, o sistema financeiro de países como Itália, França e Alemanha seria ainda mais atingido por um calote total do que com o default programado, contagiando as grandes economias do bloco.